Vous êtes sur la page 1sur 2

Alexandre Araujo(Musicoterapeuta e Bandolinista)

Iniciou sua carreira de músico em sua cidade natal( Rio de Janeiro )como integrante do coral
do Colégio Pedro II e Universidade gama Filho, incentivado pelo Regente Abelardo Magalhães,
em 1978 matriculou-se na Escola de Música Estadual Villa- Lobos, onde estudou Canto Lírico,
embora sua paixão estivesse efetivamente voltada a canção popular.Dentro do próprio Villa-
Lobos pode experimentar algumas disciplinas , foi aluno do Maestro Bituca( Edgard Nunes
Rocca) , e passou a ter aulas de percussão sinfônica, estudou Saxofone soprano com Paulo
Moura, experiências marcantes , fundamentos para sua carreira musical, muito interessado
em experimentação.Em seu primeiro trabalho atuou como cavaquinista , percussionista,
violonista e cantor em peças de Teatro na sala Monteiro Lobato ( anexo ao Teatro Villa- Lobos )
atuando com Teatro de fantoches.A partir do ano de 1980 , apaixonou-se pelo bandolim de seu
vizinho de rua Joel Nascimento, e freqüentando sua casa e as noites do Suvaco de Cobra( r
tradicional bar do subúrbio carioca da Penha Circular) , conhecendo alguns dos grandes
Chorões Abel Ferreira, Valter e Valdir Sete Cordas,Raphael Rabello, Luciana Rabello , Jorge
Simas , Luiz Otávio Braga, Berredo da Flauta, K- Ximbinho , e a figura de um deslocado músico
norte Americano Barney Kessel( um mito na guitarra Jazz)que assistiu o lançamento do disco
de Joel Chorando pelos Dedos, e dedicou – se a partir de então ao Bandolim , aperfeiçou- se
com o mestre Afonso Machado que lhe concedeu uma bolsa de estudos na recém criada
Escola Brasileira de Música, participou das primeiras oficinas didáticas que aconteceram no
projeto RIO ARTE em 1984 , 1985 e 1986.Participou de cursos livres de percepção musical com
o Professor Hélder Parente na UNI-RIO, que favoreceu substanciar o seu aprendizado musical.
Teve aulas ainda com o Prof. Adalto Silva , um chorão militar das antigas , que “empurrava” os
alunos ,obrigando-os a tocarem tendo dominado apenas uma ou duas músicas , nestas
apresentações ao lado profissionais e tremendo da cabeça aos pés recebeu o “batismo de
fogo” do chorão iniciante;no ano de 1985 ingressou no Conservatório Brasileiro de Música para
cursar a Graduação em Musicoterapia , onde desenvolveu a noção do uso da música para além
do uso “funcional e estético” da música, aprendendo a reconhecer sua importância
terapêutica , capaz de mudar rumos e provocar mudanças substanciais através dos processos
musicais( ritmo , melodia e harmonia,improvisação corpo- som e objeto – sonoro,
representações de conteúdos vividos e reprimidos muitas vezes, enfim um processo de
libertação.Em 1987 , foi convidado para montar o Grupo Nós nas Cordas e participar da recém
–criada Orquestra De Cordas Brasileiras. Durante um ano de ensaios apresenta-se na sala
Funarte ,no Paço Imperial, na Chácara do Céu , excursiona por cidades históricas (Sabará , Ouro
Preto e São João Del Rey).Esta formada Orquestra,pioneira em muitos aspectos, e formada por
musicos extremamente ativos na área de arranjo até hoje- alguns dos participantes Afonso
Machado , Alexandre de La peña, Rodrigo Lessa ,Marcelo Fortuna e Marcus Ferrer ( Violas
caipiras ) Josimar Carneiro 7 Cordas, Henrique Cazes e Jayme Vignoli. Beto Cazes e Oscar Bolão,
Bartolomeu Wiese ( violão de 6 Cordas)com a proposta de Junção de instrumentos
tradicionalmente populares e ampliar a gama de repertório,tentando ultrapassar os limites
entre os estilos musicais,tudo isso combinado a participação de alguns dos grandes nomes do
arranjo orquestral Brasileiro ( Wagner Tiso,por exemplo).Tendo que se desligar em função de
compromissos com sua formação profissional na area de Musicoterapia .De 1990 até início de
1993 monta o Regional “ Baralho a Quatro” junto com Renato (6 cordas) Alberto Boscarino
( Mestre em música pela UNI_RIO)e Galloti( intérprete de samba que posteriormente se
popularizou com a criação do conjunto Anjos da Lua , revitalizando os grupos vocais.Em 1993,
trabalhou com a atriz Paranaense Mercedes Pillati realizando o espetáculo Histórias da gente
onde tocou viola caipira,violão Bandolim , berrante , e cantava composições do compositor
Mineiro Euzébio Gonçalves.Em 1997 integra o projeto Clara Nunes, organizado pela cantora
Madu Marino ; cantando, tocando Sax soprano, violinha ; bandolim e percussão de efeitos
acompanhado por músicos capixabas de projeção como Eduardo Martins ( piano ) Bachá
( percussão )Kaco Dinelli( Contrabaixo), grava no disco de Fábio Pimentel e Zé Antônio.Exerce a
função de musicoterapeuta em várias instituições no Estado ( APAE- Vitória, Manicômio
Judiciário , Unis - Iesbem ,Clínicas travessia e Vida Vitória,Hospital Adalto Botelho , Caps da Ilha
de Santa Maria , CPTT- Ilha de Santa Maria, Caps de João Neiva.Vem ministrando aulas de
história da Música Brasileira no curso Técnico de Música Brasileira, ministra aulas de Teorias e
técnicas em musicoterapia para o curso de Licenciatura da Fames-ES. Fundador do Grupo
Carne de Gato,onde desenvolve trabalho sobre o choro Brasileiro, e que nos últimos onze
anos vem se apresentando em praticamente todos os espaços mais importantes da Música
instrumental.