Vous êtes sur la page 1sur 30

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO

PROJETO

DE

UMA

SUBESTAÇÃO

DE

ENERGIA

ELÉTRICA

DO

TIPO

TENSÃO,

POTÊNCIA INSTALADA TOTAL DE 500 kVA (1 x 500,00 kVA) - 34.500 / 380- 220V; 60Hz.

ABRIGADA

EM

ÉDICULA

PRÓPRIA,

MEDIÇÃO

EM

MÉDIA

PROPRIETÁRIO: FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DA BAHIA - FIEB

LOCAL: LUÍS EDUARDO MAGALHÃES – BAHIA

ENDEREÇO: LOTEAMENTO AROLDO DA CRUZ, QUADRA 04

ENGENHEIRO PROJETISTA:

MAYRTHON PAULO COSTA JUNIOR CREA: 14633 D / CE ENDEREÇO: AVENIDA SANTOS DUMONT, 3060, SALA 502 – ALDEOTA. CEP.: 60160-151 - FORTALEZA-CEARÁ. FONE: (85) 3077.9999/ (85) 9986.5130

- FORTALEZA-CEARÁ. FONE: (85) 3077.9999/ (85) 9986.5130 FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

1.0 FINALIDADE DO PROJETO

O presente projeto tem por finalidade a construção de uma subestação elétrica do tipo

abrigada em edícula própria, conforme norma técnica SM04.08-01.003 – COELBA. Capacidade instalada de 500 kVA, sendo de 1 x 500,00 kVA , relação de transformação de 34.500/380-220V em 60Hz.

2.0 OBJETIVO DA SUBESTAÇÃO

A referida Subestação irá suprir a todas as cargas elétricas da unidade, atendendo a demanda

de energia elétrica a serem instaladas, e as previsões futuras de acréscimos de cargas do referido

prédio do FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DA BAHIA (FIEB), em Luís Eduardo Magalhães - BA.

3.0 JUSTIFICATIVA TÉCNICA DA SUBESTAÇÃO

A A necessidade da instalação destas referidas subestações é conseqüência da potência

instalada do complexo ser superior a 75 kW, conforme a SM04.08-01.003 – COELBA.

4.0 DATA PREVISTA PARA LIGAÇÃO DA SUBESTAÇÃO

É importante que a presente subestação seja ligada até o dia 01 do mês de agosto de 2013, em

função dos altos investimentos realizados para a construção do referido prédio.

5.0 LOCALIZAÇÃO DA SUBESTAÇÃO

A referida subestação será localizada nas dependências do terreno da edificação do FIEB, no

Pavimento Térreo (nível do solo), situada na Loteamento Aroaldo da Cruz, quadra 04, no município

de Luís Eduardo Magalhães, Bahia, conforme planta de situação em anexo.

6.0 PROPRIETÁRIO

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DA BAHIA - FIEB

7.0 ENGENHEIRO ELETRICISTA RESPONSÁVEL PELO PROJETO

MAYRTHON PAULO COSTA JUNIOR CREA: 14633 D / CE ENDEREÇO: AVENIDA SANTOS DUMONT, 3060, SALA 502 – ALDEOTA. CEP.: 60160-151 FORTALEZA-CEARÁ. FONE: (85) 3077.9999/ (85) 9986.5130

FORTALEZA-CEARÁ. FONE: (85) 3077.9999/ (85) 9986.5130 FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

8.0

LISTA RESUMO DOS DADOS

* Tipo de Uso: ADMINSTRAÇÃO PÚBLICA.

* Endereço: Loteamento Aroldo da Cruz, quadra 04, Luís Eduardo Magalhães – BA.

* Proprietário: Federação das Indústrias do Estado da Bahia - FIEB.

* Ramal de Entrada: Trecho Aéreo e Subterrâneo.

* Potência Instalada TRANSFORMADOR 01 (NE):

652,65 kW.

* Potência Demandada doTRANSFORMADOR:

451,44 kVA.

* Modalidade Medição: Medição em Média Tensão (Medição Primária).

* Tipo de Subestação: Abrigada.

* Previsão de Ligação: AGOSTO / 2013

9.0

RELAÇÃO DE PRANCHAS QUE COMPÕEM O PROJETO

- Instalação Elétrica – Planta de Situação / Entrada de Energia

- Instalação Elétrica – Planta Baixa de Subestação / Diagrama Unifilar / Detalhes.

- Instalação Elétrica – Planta Baixa de Aterramento Subestação / Corte AA e Corte BB / Detalhes Aterramento.

10.0

MEMORIAL DE CÁLCULO

Anexo I - Cálculo de Demanda do Q.G.B.T-NE (TRAFO 1); Anexo II- Correntes de Curto-Circuito, relacionadas ao Q.G.B.T-NE (TRAFO 1); Anexo III - Ajustes do Relé de Proteção; Anexo IV - MEMORIAL DE CÁLCULO DOS GERADORES / Q.G.B.T-E;

 

11.0

DIMENSIONAMENTO

E

ESPECIFICAÇÕES

DOS

COMPONENTES

DA

SUBESTAÇÃO

11.1 Capacidade Nominal e Especificação dos Transformadores:

POTÊNCIA NOMINAL ADOTADA:

500,00 kVA

TRASFORMADOR 01:

1 x 500,00 kVA

TRANSFORMADOR 01:

Transformador de distribuição trifásico, com capacidade nominal de 500,00 kVA e 750 kVA, todos com relação de transformação 34.500-33.750-33.000 / 380-220V – 60Hz, com ligação primária em triângulo e secundária em estrela e neutro acessível e aterrado, tipo: A SECO, refrigeração natural, com buchas primárias de classe de 36 kV, impedância equivalente de Z

primárias de classe de 36 kV, impedância equivalente de Z FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

=5,5%, uso interno, encapsulado em resina EPOXY, tipo estático, de construção robusta e rendimento elevado, nucleio feito em chapas e fitas de alumínio ISENTO DE DESCARGAS PARCIAIS destinado a modificar eletromagneticamente os valores de tensão e corrente de um determinado circuito, classe de tensão de 36kV, de fabricação SIEMENS, Modelo GEAFOL ou Equivalente técnico, que atenderá a toda instalação projetada e aos futuros acréscimos de carga que serão computadas como cargas reservas. Instalação abrigada em edícula apropriada – padrão COELBA.

1.2 Especificação dos Equipamentos Elétricos do Lado Primário

11.2.1 Dispositivos de proteção contra curto-circuito:

Será utilizado um conjunto de 03 (três) Chaves Seccionadora Fusiveis, sendo unipolar e indicadora (DIMENSIONADA PELA COELBA), capacidade de condução nominal de corrente de 400A, capacidade de ruptura simétrica mínima de 7,1 kA, classe de tensão de 36 kV, nível de isolamento (NI) de 110 kV, corpo em porcelana, uso externo, instalada no poste de Entrada da Rede de Média.

Este conjunto de chaves, instaladas no ponto de derivação do ramal de ligação será instalada pela COELBA com participação financeira do interessado, e sua operação é de exclusiva responsabiliadde da COELBA.

11.2.2 Dispositivos de proteção contra surtos de tensão:

Será utilizados Pára-raios poliméricos, um por fase, tipo distribuição, com resistor não linear de óxido de zinco, tensão nominal eficaz de 36kV, capacidade mínima de ruptura de 10 kA, nível de isolamento (NI) de 110 kV, corpo em porcelana, uso externo, instalada no poste de Entrada da Rede de Média Tensão do Campus.

11.2.3 Alimentadores e Proteção em Média Tensão - Rede Pública:

Os alimentadores e a proteção em Média Tensão, até o ponto de entrega, serão dimensionados e instalados pela concessionária de energia elétrica local. Podendo ser utilizado cabo de cobre singelo, seção 50mm².

11.2.4 Terminal Termocontrátil:

Terminal termocontrátil, tipo Mufla Terminal Unipolar de porcelana, para cabo de 50 mm², terminal externo (com saia) e interno de 300 A, tensão nominal mínima de 36 kV, máxima tensão de operação de 34,5 kV, blindada, uso externo.

tensão de operação de 34,5 kV, blindada, uso externo. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 ---

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

11.2.5 Alimentadores de Média Tensão – Ramal Interno:

Os alimentadores da instalação, que interligará o Ramal de entrada a edicula abrigada da Subestação, serão de cobre singelo / unipolar, duplo isolamento, secção nominal transversal, um condutor por fase e um condutor reserva, cada condutor será de 50 mm², classe de tensão mínima de 20 / 35 kV, isolado em (EPR / XLPE), atendendo a todas as exigências da norma, de fabricação da PIRELLI, FICAP ou SIMILAR.

11.2.7 Disjuntor de Média Tensão – A GÁS (SF6):

Disjuntor tripolar de média tensão, tipo isolado à vácuo 36 kV 630 A / 350 MVA - 60Hz - NBI 110kV - Icc 20kA, marca SCHNEIDER SF1ou Equivalente Técnico, dotado de sistema de proteção indireta integrada (ON BOARD), com carrinho de sustentação com rodas, execução fixa, comando motorizado frontal tensão a definir, tensão nominal 36 kV, corrente nominal 630 A, capacidade de interrupção 350 MVA ( Proteção “ON BOARD” ), equipado com os seguintes acessórios: Bloqueio mecânico kirk, Bobina de abertura / fechamento tensão a definir, contatos auxiliares 3NA + 3NF, No Break 600 V, Rele de proteção secundária indireta integrada, ou seja, o disjuntor de MT utiliza sensores incorporados, que farão as leituras de corrente para o relé microprocessado , que por sua vez, também é incorporado ao disjuntor, perfazendo um conjunto compacto, que reúne todas as vantagens de uma proteção seletiva; 01 (um) rele trifásico indireto, eletrônico, microprocessado, montado acima da caixa de comando do disjuntor, do tipo SEPAM- S20, 3 (tres) sensores de corrente isolados em resina epóxi, com tensão de isolamento apropriada, relação de correspondente a carga específicada instalada e secundário de 5 A, classe 10 B 100, montado sob a estrutura inferior do disjuntor, 1 (um) disparador (percursor) de abertura, montado na caixa de comando do disjuntor de MT e botão de rarme ( reset ).

11.2.8 Relé de Proteção Secundária (Microprocessado):

Referência do Relé : Relé de Proteção Digital – SEPAM S20 Relé de Proteção Secundária, multifunção microprocessadas, do tipo digital compacto, com capacidade de expansão via adição de módulos adicionais para incremento de funções de monitoramento e proteção. Deverão possuir mostrador digital em cristal líquido ou semelhante, no seu frontal, para visualização das grandezas a serem monitoradas, dos parâmetros de programação e das ocorrências de alarmes e atuações de proteções. A alimentação da unidade deverá ser em 220 VCA, permitir a conexão direta de TC’s e TP’s padronizados sem a necessidade da incorporação de transdutores ou adaptadores adicionais. As conexões de entrada dos instrumentos deverão possuir precisão mínima de 1%.

dos instrumentos deverão possuir precisão mínima de 1%. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

Deverão incorporar as funções de proteção exigida para Subestações Elétricas, possuindo no mínimo as funções de proteção 50/51, 50/51N, 27 e 59. Na atuação de qualquer uma das funções de proteção, deverá emitir mensagem no mostrador digital. Sua programação deverá permitir a implantação de um esquema de seletividade entre os sistemas de proteção a montante e a jusante.

As unidades deverão disponibilizar ao usuário, tanto no “display” frontal como via serial, no

mínimo as seguintes medições:

Corrente RMS (por fase, neutro, terra e trifásica);

Tensões entre fases e fase-neutro;

Potência ativa (kW) por fase e trifásica;

Potência reativa (kVAr) por fase e trifásica;

Potência aparente (kVA) por fase e trifásica;

Fator de potência por fase e trifásico;

Freqüência (Hz);

Energia Ativa Acumulada (kWh); e

Energia Reativa Acumulada (kVArh).

O equipamento que incorpora todas as exigências solicitadas acima é o de referência

“SEPAM S20” de fabricação SCHNEIDER.

11.2.9 Eletrodutos:

Eletrodutos de PVC , tipo rígido anti chama, bitola mínima de 4”. Todos os eletrodutos que receberão os alimentadores de média tensão deverão, no trecho embutido no piso, receber envelopamento de concreto, seguindo as orientações da concessionária local.

seguindo as orientações da concessionária local. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

11.3 Especificação dos Equipamentos Elétricos do Lado Secundário

11.3.1 Alimentadores de Baixa Tensão:

TRANSFORMADOR 01:

Os alimentadores da instalação, que interligarão os Transformadores 03 e 04, ao respectivo Quadro Geral de Baixa Tensão – QGBT – (NE), serão para ambos os transformadores, condutores elétricos flexíveis, duplo isolamento, tipo singelo, conforme projeto, formação em fios encordoados de cobre eletrolítico nu, têmpera meio-dura, encordoamento classe 4, isolação, capa interna e cobertura em EPR-XLPE, nivel de isolamento para 1 kV, temperatura máxima de regime 70º C, 100º C em sobrecarga, 160º C em curto-circuito, tipo Afumex, secção nominal transversal de 300 mm² (capacidade de condução de corrente de 553A por condutor), dois condutores por fase, e de 300mm² (capacidade de condução de corrente de 553A), dois condutores para o neutro, de fabricação da PIRELLI ou SIMILAR.

SISTEMA DE ATERRAMENTO:

O

cabo para aterramento será do tipo de cobre nu, classe 2, secção nominal transversal de 50 mm²,

da

PIRELLI ou SIMILAR. Barramento em haste de terra, cobreada, Copperweld, instalado dentro da

área da subestação, seção circular de 5/8in x 2,40m, em malha retangular, com distância entre as hastes de 3,00m, conforme indicado em projeto. Utilizar a quantidade indicada de 45 (quarenta e

cinco) hastes de aterramento, para resistência máxima de aterramento de 10 Ohms em qualquer época do ano.

OBSERVAÇÕES GERAIS:

O

cabo para aterramento será do tipo de cobre nu, classe 2, secção nominal transversal de 50 mm²,

da

PIRELLI ou SIMILAR. Barramento em haste de terra, cobreada, Copperweld, instalado dentro da

área da subestação, seção circular de 5/8in x 2,40m, em malha retangular. Utilizar no mínimo 06 (seis) hastes de aterramento, para resistência máxima de aterramento de 10 Ohms.

O transporte dos lances e sua colocação deverá ser feita sem arrastar os cabos, a fim de não danificar

a capa protetora, devendo ser observados os raios mínimos de curvatura permissíveis.

Todos os cabos deverão ser identificados em cada extremidade, com um número de acordo com o diagrama do projeto.

com um número de acordo com o diagrama do projeto. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

Os marcadores de fios deverão ser construídos de material resistente ao ataque de óleos, do tipo braçadeira, e com dimensões tais que eles não saiam do condutor quando o mesmo for retirado do seu ponto terminal, no caso de instalação em eletrodutos. Todo o cabo encontrado danificado ou em desacordo com as normas e especificações, deverá ser substituído após sua remoção.

Todas as fiações deverão ser feitas de maneira que tenham uma aparência limpa e ordenada.

Nenhum cabo deverá ser instalado até que a rede de eletrodutos esteja completa e concluídos todos os serviços de construção que os possam danificar.

Não serão permitidas emendas de cabos no interior dos eletrodutos, sob hipótese alguma.

A terminação de condutores de baixa tensão deve ser feita através de terminais de pressão ou compressão.

11.3.2 Dispositivo de proteção geral contra curto-circuito e sobrecarga:

TRANSFORMADOR 01:

Será utilizados para o transformador 01, respectivamente, como proteção do Quadro Geral de Baixa Tensão – Q.G.B.T- (NE), disjuntor tripolar, tipo termomagnético, capacidade de interrupção simétrica mínima de 15 kA, tensão de operação de 600V, corrente nominal de 800A, tipo JXD, c/ dispositivo de travamento de segurança por cadeado, fabricação SIEMENS ou SIMILAR.

11.3.3 Dispositivo de leitura de grandezas elétricas (Multimedidores de energia):

Medidor eletrônico, tipo medidores microprocessados que permitam acesso remoto através de rede de comunicação de dados. Deverão disponibilizar ao usuário, tanto no display frontal como via serial, os seguintes parâmetros elétricos:

Corrente RMS (por fase, neutro, terra e trifásica);

Tensões entre fases e fase-neutro;

Potência ativa (kW) por fase e trifásica;

Potência reativa (kVAr) por fase e trifásica;

Potência aparente (kVA) por fase e trifásica;

trifásica; Potência aparente (kVA) por fase e trifásica; FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

Fator de potência por fase e trifásico;

Freqüência (Hz);

Energia Ativa Acumulada (kWh);

Energia Reativa Acumulada (kVArh);

THD (se necessário).

11.4 Medição de Energia Elétrica

A medição será efetuada em Média Tensão, através de conjunto de medição (TC´s; TP´s; Medidor) de responsabilidade da COELBA, a serem instalados no cavalete padrão COELBA conforme detalhe, num cubículo que será lacrado de modo a permitir somente o acesso de pessoal autorizado pela Concessionária (COELBA). Componente seguindo a padronização da concessionária (COELBA).

12.0 OBSERVAÇÕES SOBRE A SUBESTAÇÃO

O sistema de aterramento utilizado em baixa tensão é TN-S

A Subestação deverá possuir obrigatoriamente dois extintores de combate a incêndio, tipo CO2 / 6

kg, Iluminação artificial e Iluminação de emergência;

Em todas as aberturas físicas para ventilação e/ou iluminação natural deverá conter obrigatoriamente uma malha metálica de 10mm (máximo), para evitar o acesso de pequenos animais as dependências internas na subestação;

Devem ser aterrados todas os componentes metálicos da subestação;

Devem ser aterradas as blindagens dos cabos subterrâneos, de média tensão, em uma das extremidades, qualquer que seja o seu comprimento;

No interior da Subestação as paredes, o teto e o piso deverão ser construidos de materiais não sujeitos a combustão. Deverá haver impermeabilidade total contra infiltração d'água;

impermeabilidade total contra infiltração d'água; FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

Todas as portas deverão ser metálicas, abrir para fora, ser de uma dimensão tal que permita a passagem folgada do maior equipamento no mínimo da subestação, e ter afixada placa com a indicação de "perigo de morte-alta tensão";

Todos os cubículos deverão ter telas metálicas galvanizadas de 12bwg, com malha de no máximo

10mm;

Os condutores aereos, nos casos de ancoragem em cabines, deverão ter um afastamento minimo de 500mm entre fases e de 300mm entre fase e neutro;

Deverá efetuar pintura, na alvenaria dos cubiculos de transformação, da potência em kVA, dos transformadores, com tinta de fundo na cor amarela e números/letras na cor preta, em local visível;

Devem ser aterradas as blindagens dos cabos subterrâneos em uma das extremidades, qualquer que seja o seu comprimento

O condutor neutro (secundário dos transformadores) devem, obrigatoriamente, ser aterrados a malha de aterramento da subestação;

Os condutores de alimentação serão singelo, de cobre, isolação EPR/XLPE - 1kv, tipo rígido, não sendo permitido uso de cabos flexíveis;

Efetuar pintura dos barramentos energizados, nas cores padrão, de acordo com a NBR-14039:

Fases: A-vermelho

Neutro: azul-claro Terra: Verde-claro ou Verde-amarelo

B-branco

C-marrom

Será obrigatorio o uso de solda exotermica e massa de calafetar nas conexões do sistema de aterramento (malha de aterramento);

Os condutores do ramal de ligação e ramal de entrada não poderão possuir emendas no interior das caixas de passgens e de inspeção e eletrodutos;

Será obrigatorio efetuar aterramento nas cercas de proteção do terreno sob o ramal de ligação da concessionária;

13.0 GRUPO MOTOR-GERADOR

de ligação da concessionária; 13.0 GRUPO MOTOR-GERADOR FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

13.1 Observação Importante:

O GRUPO GERADOR DEVERÁ POSSUIR OBRIGATORIAMENTE CHAVE REVERSÍVEIS (ELETRO-MECANICAS) QUE IMPOSSIBILITE O PARALELISMO DESTE COM O SISTEMA DA CONCESSIONÁRIA. UTILIZA-SE CHAVE REVERSORA ELETRO-MECÂNICA, ATRAVÉS DE CONTACTORES E FUSÍVEIS DE PROTEÇÃO, ACRESCIDA DE CHAVE REVERSORA MANUAL (SECCIONAMENTO OBRIGATÓRIO DO CONDUTOR FASE E NEUTRO). EVITANDO PARALELISMO DO GMG COM O SISTEMA DA COELBA. INSTALADA NO INTERIOR DO Q.C.A DO GERADOR;

13.2 Descrição:

Três (3) GRUPO GERADOR DIESEL STEMAC, LEON HEIMER ou equivalente, para funcionamento singelo, na potência de 160 kVA (intermitente/contínuo), fator de potência 0,8, 380/220V - 60Hz, quadro de comando automático, acessórios, com chave de transferência, a ser instalado para atender as cargas elétricas emergenciais do referido PRÉDIO DA FIEB:

13.3 Motor Diesel:

Marca SCANIA ou equivalente, modelo DC12 56A, 6 cilindros em linha, 1800 rpm, injeção direta de combustível, 231 CV em emergência, sistema de pré-aquecimento por resistência elétrica; refrigeração líquida com radiador, ventilador e bomba centrífuga; sistema de proteção contra alta temperatura d'água e baixa pressão do óleo.

13.4 Gerador:

Síncrono, trifásico, Brushless, especial para cargas deformantes, com regulador eletrônico de tensão.

13.5 Quadro de Comando:

STEMAC, LEON HEIMER ou equivalente, tipo MICROPROCESSADO, com supervisão de rede, partida, parada e transferência automática com possibilidade de funcionamento manual / automático / teste. Montado em gabinete metálico auto-sustentado, com indicação digital de tensão (f-f / f-n), corrente, freqüência, potência ativa (kW), fator de potência, temperatura do motor, tensão de bateria, horas de funcionamento, contador de partidas, data/hora e tempo restante para manutenção; proteção para alta temperatura d'água, baixa pressão de óleo, sobrecorrente, sobrecarga, curto-circuito, tensão/freqüência anormais e subtensão de bateria, falha de chaves, falha de pré-aquecimento e falha partida / parada com controle do pré-aquecimento.

e falha partida / parada com controle do pré-aquecimento. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 ---

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Rua Ewerton Visco, 290 sala 1104 – Edf. Boulevard Side Empresarial Caminho das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001 www.jcaengenharia.com.br

das Árvores - Salvador / BA – CEP: 41.820-022 Tel. (71) 3503-0000 / Fax: (71) 3503-0001

13.6 Sistema de Força:

STEMAC, LEON HEIMER ou equivalente, formado por par de contatores eletromagnéticos, tripolares, com capacidade de 800A, para transferência de carga, montado no quadro de comando.

13.7 Acessórios:

03

Baterias chumbo-ácido 180Ah

01

Silenciador tipo industrial

01

Segmento elástico em gramianto

01

Tanque para combustível de 250 litros

01

Conjunto de manuais técnicos.

13.8 Montagem:

Acoplamento direto entre motor e alternador, formando um só grupo monobloco, sendo este, por sua vez, montado sobre bancada de aço com apoios anti-vibração, estando incorporado no mesmo o depósito de combustível .

13.9 Silenciador:

lnclui silenciador de motor, conjunto de atenuadores de ruídos para GMG, com atenuação para

85dB.

13.10

Cabine de Insonorização:

A cabina é constituida por uma estrutura modular (de fácil montagem) composta de estrutura de perfis de aço dobrados sob pressão e por elementos insonorizados com revestimento interior à base de lã de rocha, que possui características em conformidade com as normativas vigentes. levam incorporado turbina de extraçao para refrigeraçao do motor e alternador.

de extraçao para refrigeraçao do motor e alternador. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas
de extraçao para refrigeraçao do motor e alternador. FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas

FILIAL FORTALEZA Av. Santos Dumont, 3060 --- Salas 502/504/506 Edf. Emilio Ary --- Aldeota --- Fortaleza / CE CEP: 60.150-161 - Tel. / Fax (85) 3077-9999 fortaleza@jcaengenharia.com.br

Assunto:

Responsável:

ANEXO I

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

1.0- MEMORIAL DE CÁLCULO DOS TRANSFORMADOR 01 / Q.G.B.T- NE(ILUMINAÇÃO/TOMADAS/FORÇA/AR CONDICIONADO):

1.1- RELAÇÃO DE CARGAS DA UNIDADE:

1.1.1 Iluminação:

Quant.

Tipo

Potência (W)

Reator

Perdas (W)

Total (W)

130,00

Fluorescente Compacta

11,00

Alto F.P

4,50

2015,00

131,00

Fluorescente Compacta

18,00

Alto F.P

2,00

2620,00

135,00

Fluorescente Eletrônica

14,00

Alto F.P

2,00

2160,00

611,00

Fluorescente Tubular Fina

28,00

Alto F.P

3,00

18941,00

50,00

Vapor Metálico

70,00

Alto F.P

8,00

3900,00

12,00

Vapor Metálico

400,00

Alto F.P

20,00

5040,00

60,00

Vapor Metálico

250,00

Alto F.P

15,00

15900,00

     

TOTAL (W):

50576,00

1.1.2 Tomadas de Uso Geral e Uso Específico:

 

Quant.

Tipo

Potência (W)

Total (W)

162,00

Tomadas de Uso Geral

100,00

16200,00

100,00

Tomadas de Uso Geral

200,00

20000,00

60,00

Tomadas de Uso Geral

300,00

18000,00

18,00

Tomadas de Uso Geral

600,00

10800,00

2,00

Tomadas de Uso Específico

1000,00

2000,00

5,00

Tomadas de Uso Específico

1200,00

6000,00

2,00

Tomadas de Uso Específico

4000,00

8000,00

8,00

Tomadas de Uso Específico

5000,00

40000,00

   

TOTAL (W):

121000,00

1.1.3 Eletrobombas:

 
 

Quant.

Tipo

Potência (W)

Total (W)

1,00

Bomba Recalque

2208,00

2208,00

1,00

Bomba Incêndio

2208,00

2208,00

   

TOTAL (W):

4416,00

Obs.: - Somente é considerado uma bomba, pois a segunda bomba é usada como reserva

1.1.4 Aparelhos de Ar Condicionados:

Quant.

Tipo

Capacid. (TR)

Potência (W)

Total (W)

2,00

Unidade Evaporadora

------

1000,00

2000,00

14,00

Unidade Condesadora

------

1500,00

21000,00

5,00

Unidade Condesadora

------

2000,00

10000,00

5,00

Unidade Condesadora

------

2900,00

14500,00

4,00

Unidade Condesadora

------

3500,00

14000,00

26,00

Unidade Condesadora

------

4000,00

104000,00

9,00

Unidade Condesadora

------

6000,00

54000,00

1,00

Unidade Condesadora

------

7000,00

7000,00

     

TOTAL (W):

226500,00

Assunto:

Responsável:

ANEXO I

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

1.1.5

Elevador:

Quant.

Tipo

Potência (w)

Total (W)

 
     

0,00

   

TOTAL (W):

0,00

1.1.6

Outras Cargas:

Quant.

Tipo

F.P

Potência (W)

Total (VA)

10,00

MÁQUINA DE SOLDA

0,70

16000,00

228571,43

2,00

ELEVADOR HIDRÁULICO

0,80

2400,00

6000,00

1,00

FRESADORA

0,90

3680,00

4088,89

1,00

TORNO

0,80

3680,00

4600,00

1,00

TALHA

0,80

5520,00

6900,00

     

TOTAL (W):

250160,32

1.1.7

Relação das Cargas (Resumo):

 
 

Descrição

Total (W)

 

Iluminação e Tomadas

171576,00

Eletrobombas

4416,00

Força Motriz

0,00

Condicionadores de Ar

226500,00

Elevador

0,00

Outras Cargas

250160,32

 

TOTAL (W):

652652,32

1.2- MEMORIAL DE CÁLCULO DA DEMANDA PRESUMIDA:

CALCULO DA DEMANDA PRESUMIDA:

Onde:

D =

  0,77 a

 

 

+

Fp

0,7

b

+

0,95

c

+

0,59

d

+

1,2

e

+

F

+

G kVA

D = Demanda total da instalação, em KVA.

a = Demanda das potências, em KW, para iluminação e tomadas de uso geral (ventiladores, máquinas de calcular, televisão, som, etc);

b = demanda de todos os aparelhos de aquecimento, em kVA (chuveiro, aquecedores, fornos, fogões, etc.);

Fp = Fator potência da instalação de iluminação e tomadas. Seu valor é determinado em função do tipo de iluminação e reatores utilizados;

= Demanda de todos os aparelhos de ar condicionado, em kW;

= Potência nominal, em KW, das bombas d água do sistema de serviço da instalação (Bomba principal, não considerando bomba reserva);

= Demanda de todos os elevadores, em kW; O valor de F deve será determinado pela seguinte expressão:

c

d

e

F

Onde:

=

(

0 ,87 Pnm

Fu

Fs

)

Pnm = Potência nominal dos motores, em CV, utilizados em processo industrial; Fu = Fator de utilização dos motores; Fs = Fator de simultaneidade dos motores;

G

= Outras cargas não relacionadas, em kVA.

Assunto:

Responsável:

ANEXO I

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

1.2.1 Cálculo do Valor de “a” (cargas de iluminação e tomadas de uso geral):

a

=

F .Dem

1

((

Pot

.

Ilum

.

)

(

Pot

.

TUG

))

- Pot.Ilum.=

50576,00

(W)

- Conforme item 1.1.1

- Pot.TUG.=

121000,00

(W)

- Conforme item 1.1.2

Observações / Considerações:

- F.Dem (1) =

100,00%

- Para os primeiros 20 kW

70,00% - Para o que exceder de 20 kW

(Obs.: - Fator de demanda estipulado pelo Projetista, com base nas NT´s e NBR´s.)

a =

126,10 (kW)

1.2.2 Cálculo do Valor do fator de potência de iluminação de descarga:

Fp

Onde:

 

= cos

tg

1

Q  


P  

Q

=

(

P

reator

tg

(

cos

1

Fp

reator

))

P =

a ;

Fp(reator) =

0,95

 

p/ lâmpadas fluorescentes tubulares econômicas de 16W a 40W; p/ lâmpadas halógenas e metálicas;

Fp(reator) =

0,92

Q= ((530*4,5)*TAN(ACOS(0,95)))+((128*8,5)*TAN(ACOS(0,95)))+((64*5,60)*TAN(ACOS(0,95)))

(4188*7,5)*TAN(ACOS(0,95))+((64*8)*TAN(ACOS(0,92))+((312*22)*TAN(ACOS(0,92)))

+ ((164*32)*TAN(ACOS(0,92)))

Q =

1523,42 (VA)

Fp =

0,99

1.2.3 Cálculo do Valor de “c” (cargas dos condicionadores de ar):

c

=

F Dem

.

3

(

Pot

.

ar

- Pot.ar-Cond. =

condiciona dos

)

226500,00

Observações / Considerações:

- F.Dem (3) =

70,00%

(W)

(Obs.: - Fator de demanda estipulado pelo Projetista, com base nas NT´s e NBR´s.)

c =

158,55 (kW)

1.2.4 Cálculo do Valor de “d” (cargas das eletrobombas de serviço):

d = Pot.

eletrobombas

- Pot.eletrobomb. =

4416,00

(W)

d =

4,42 (kW)

1.2.5 Cálculo do Valor de “e” (cargas dos elevadores):

b

=

F .Dem

4

(

Pot .

elevadores

)

- Pot.elevadores =

Observações / Considerações:

- F.Dem (4) =

(W)

e =

0,00 (kW)

Assunto:

Responsável:

ANEXO I

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

1.2.6 Cálculo do Valor de “G” (outras cargas não relacionadas):

G

=

F Dem

.

5

- Pot.cargas. =

(

Pot

.

c

arg

as

)

250160,32

Observações / Considerações:

(W)

- F.Dem (5) =

80,00% - Para outras cargas

(Obs.: - Fator de demanda estipulado pelo Projetista, com base nas NT´s e NBR´s.)

G =

200,13 (kVA)

1.2.7 Cálculo da DEMANDA PRESUMÍVEL:

D

=

 

  0,77 a   +

Fp

0,7

b

+

0,95

c

+

0,59

d

D =

451,44 (kVA)

+

1,2

e

+

F

+

G

kVA

Obs.: - Para atender a potencia instalada e ao acréscimo de cargas futuras, utilizaremos 01 (um) transformador de 500 kVA.

- Para atender a potencia instalada e ao acréscimo de cargas futuras, utilizaremos 01 (um) transformador

ANEXO II

Assunto:

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA (1x500 kVA)

Responsável:

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

2.0- MEMORIAL DE CÁLCULO - CORRENTES DE CURTO-CIRCUITO DO Q.G.B.T:

2.1- MEMORIAL DE CÁLCULO DA CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO: NA BARRA DE BAIXA TENSÃO

2.1.1 Dados a Serem Considerados:

* Tensão de Linha na Barra de Média Tensão:

V1 =

* Tensão de Linha na Barra de Baixa Tensão:

V2 =

* Potência Nominal do Transformador que Alimenta o Q.G.B.T-E:

34,50
34,50
380,00
380,00

kV (Conforme Dados COELBA)

V (Conforme Dados COELBA)

Sn =

500,00
500,00

kVA

4400

* Impedância de Curto-Circuito, do Transformador que Alimenta o Q.G.B.T-NE:

Zcc =

5,50%
5,50%

(Conforme dados do Fabricante)

* Perdas no Cobre, do Transformador que Alimenta o Q.G.B.T-NE:

Pcu =

6.000,00
6.000,00

W (Conforme dados do Fabricante)

2.1.2 Determinação dos Parâmetros de Base do Sistema:

* Lado de Média Tensão:

* Potência de Base Adotada (Pb):

* Tensão de Base Adotada (Vb):

* Corrente de Base do Sistema (Ib):

Ib

=

Pb

3 Vb
3
Vb

Pb =

Vb =

Zb1 =

Zb2 =

Ib =

100.000,00

34,50

1,1903E+01

2,3805E-05

1.673,479

kVA

kV

ΩΩΩΩ

ΩΩΩΩ

A

2.1.3 Cálculo dos Parâmetros de Impedância - no ponto de entrega da COELBA:

* Sequência Positiva:

Z' (1)=

6,273E-01

+

j

1,2602E+00 (p.u)

* Sequência Zero:

Z' (0)=

7,706E-01

+

j

2,7192E+00 (p.u)

Assunto:

Responsável:

ANEXO II

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

2.1.5 Cálculo dos Parâmetros de Impedância - Na de Distribuição de Média Tensão:

* Sequência Positiva:

 

Barra 15 kV

R.D.U (1)

R.D.U (2)

R.D.U (3)

R.D.U (4)

Soma

R

t(1)

 

6,273E-01

0,000E+00

0,000E+00

0,000E+00

0,000E+00

6,273E-01

X

t(1)

 

1,260E+00

0,000E+00

0,000E+00

0,000E+00

0,000E+00

1,260E+00

Então:

 
   

Z

t (1)=

6,273E-01

+

j

1,2602E+00 (p.u)

 

Transformando os valores da impedância em valores em Ohms

 
 

Z

(

pu

)

=

Z

Pb

1000

Vb

2

Temos:

R t (1) =

7,4664

 

X t (1) =

14,9995

Então:

 
   

Z t (1)=

 

7,466E+00

+

j

1,5000E+01

 

Refletindo os valores para o lado de Secundário do Transformador:

R

(

sist Secundário

.

)

=

X

L (

sist

Então:

.

Secundário

)

=

R

(

sist

X

L

(

. Pr

sist

imário

)

. Pr

imário

(

V

2

)

2

(

V

1

(

) 2

V

2

)

2

)

(

V

1

) 2

R(sist. secundário) =

9,0582E-04

XL(sist. secundário) =

1,8197E-03

Z t (1)=

9,058E-04

+

j

1,8197E-03

Z t eq (1)=

2,033E-03

ANEXO II

Assunto:

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Responsável:

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

2.1.6 Cálculo dos Parâmetros de Impedância - No Transformador:

Z

(

Trafo

)

=

V

2

2

S

n

Z

cc

Z(trafo)=

0,0159

Cálculo da Resistência do Transformador:

Lembramos que as perdas do cobre do transformador é a soma dos três enrolamentos do trafo (trifásico), então para somente um enrolamento do trafo a perda do Cobre do trafo é de 6.000/ 3 = 2000,00W

P

Cu

= R

Trafo

R(trafo)=

(

In

Trafo

) 2

3,466E-03

Onde:

Cálculo da Reatância do Transformador:

Z

Trafo

2

= R

Trafo

2

+ X

L Trafo

(

)

2

* Sequência Positiva:

X(trafo)=

In(trafo)=

0,0155

759,67

A

 

Z

tr s(1)=

3,466E-03

+

j

1,5501E-02

* Sequência Zero:

 
 

Z

tr s(0)=

3,466E-03

+

j

1,5501E-02

Obs.: - Em geral, em se tratando de impedância de transformadores a impedância de sequência Zero é muito próxima da impedância de sequência positiva. Neste caso, consideramos ambas

i

gua

i

s.

2.1.7 Cálculo dos Parâmetros de Impedância - No Sistema de Baixa Tensão (Trafo - QGBT):

* Dados a Serem Considerados:

Condutor Utilizado como Alimentador de Baixa Tensão:

2x(3#300+n300)mm²

(Conforme Dados PROJETO)

Dados de Fabricação do Alimentador de Baixa Tensão:

Sequência Positiva :

R1 =

0,0781 0,1068
0,0781
0,1068

(Ohm / Km)

(Conforme Dados FABRICANTE)

X1 =

(Ohm / Km)

(Conforme Dados FABRICANTE)

Sequência Zero :

R0 =

1,8781 2,4067
1,8781
2,4067

(Ohm / Km)

(Conforme Dados FABRICANTE)

X0 =

(Ohm / Km)

(Conforme Dados FABRICANTE)

Extensão :

L =

0,020
0,020

km

(Conforme Dados PROJETO)

Obs.: - Foram levados em consideração Cabos com isolação p/ 1000V - EPR/XLPE, instalados em trifólio, nas temperaturas de operação normal.

* Cálculo dos parâmetros de Impedância:

Sequência Positiva :

Então:

Então:

 

R

''' =

L

(

/

km

)

 

Ncp

 

R

cb (1) =

7,810E-04

 
 

X

''' =

L

(

/

km

)

 

Ncp

 

X

cb (1) =

1,068E-03

 

Onde:

Ncp = Numeros de Condutores em Paralelo

 

Z

cb (1)=

 

7,810E-04

+

j

1,0680E-03

 

Sequência Zero :

 
 

R

''' =

L

(

/

km

)

 

Ncp

 

R

cb (0) =

1,878E-02

 
 

X

''' =

L

(

/

km

)

 

Ncp

 

X

cb (0) =

2,407E-02

 

Onde:

Ncp = Numeros de Condutores em Paralelo

 

Z cb s(0)=

 

1,878E-02

+

j

2,4067E-02

 

ANEXO II

Assunto:

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA (1x500 kVA)

Responsável:

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

2.1.8 Cálculo da Impedância Total do Sistema (Barra de 15 kV - QGBT):

* Sequência Positiva:

 

R.D.U

 

Trafo + Sist. B.T

Soma

 

R

s(1)

9,058E-04

 

4,247E-03

5,152E-03

 

X

s(1)

1,820E-03

 

1,657E-02

1,839E-02

Z

total (1)=

5,152E-03

 

+

j

1,8389E-02

 

Zeq =

 

Re q

2

+ Xeq

2

 
 

Zeq (1)=

1,910E-02

 

R.D.U

Trafo + Sist. B.T

Soma

 

R

s(0)

0,000E+00

 

2,225E-02

2,225E-02

 

X

s(0)

0,000E+00

 

3,957E-02

3,957E-02

Z

total (0)=

2,225E-02

 

+

j

3,9568E-02

 
 

2

2

Zeq =

Re q

+ Xeq

Zeq (0)=

4,539E-02

Então:

* Sequência Zero:

Então:

ANEXO II

Assunto:

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Responsável:

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

2.1.9 Cálculo da Corrente de Curto-Circuito:

Determinação dos Parâmetros de Base do Sistema (Lado de Baixa Tensão):

* Potência de Base Adotada (Pb):

Pb =

Vb =

Zb =

Zeq =

Ib =

500,00

0,38

0,289

0,066

759,671

kVA Vb ² Zb = (1000 Pb ) kV Zeq (1) ΩΩΩΩ Zeq = Zb
kVA Vb ²
Zb =
(1000
Pb
)
kV
Zeq (1)
ΩΩΩΩ
Zeq =
Zb
kV
Pb
A Ib
=
3
Vb

* Tensão de Base Adotada (Vb):

* Impedância de Base (Zb):

* Impedância de Equivalente (Zb):

* Impedância de Equivalente (Zb):

Corrente de Curto-Circuito (Lado de Baixa Tensão):

Icc

Ib

= 1000

Zeq

* Corrente de Curto Circuito Trifásico:

Icc 3F (1)=

11,49

kA

* Corrente de Curto Circuito Fase - Terra Máx.:

Icc 1F (1)=

7,87

kA

Obs.: - Utilizar Dispositivos de proteção com capacidade de corrente de curto-circuito mínima de 15 kA.

, 8 7 k A Obs.: - Utilizar Dispositivos de proteção com capacidade de corrente de

ANEXO III

Assunto:

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 450 kVA

(2x225 kVA)

Responsável:

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

3.0 MEMORIAL DE CÁLCULO - AJUSTES DO RELÉ DE PROTEÇÃO:

3.1- MEMORIAL DE CÁLCULO DE AJUSTE DO RELÉ DE PROTEÇÃO:

3.1.1 Dados Fornecidos pela COELBA:

(OAP - Ordem de Ajuste da Rotação / Níveis de Curto-Circuito no ponto de Entrega)

* Corrente de Curto-Circuito Trifásica:

* Corrente de Curto-Circuito Bifásica:

Icc (3F) =

 

1.189,00

 

A

Icc (2F) =

1.029,70

A

* Corrente de Curto-Circuito Fase-Terra:

 

Icc (1F) =

 

1.030,00

 

A Icc_min =

281,00

A

* Proteção de FASE:

 

R.T.C =

 

( 500 / 1 )

 

A R.T.C =

500,00

A

TAPE =

 

0,760

   

dT =

0,20

TEMPORIZAÇÃO =

 

IEC-M.I

     

INSTANTÂNEO =

7,60

0,10

* Proteção de NEUTRO:

 

R.T.C =

 

( 500 / 1 )

 

A R.T.C =

500,00

A

TAPE =

 

0,08

   

dT =

0,800

TEMPORIZAÇÃO =

 

IEC-M.I

     

INSTANTÂNEO =

2,80

0,10

* Proteção de FASE:

 

* Corrente de Partida do Relé (Concessionária)

 

Ipartida

= RTC TAPE

 

I

partida =

380,00

A

* Multiplos da Corrente de Acionamento (M fase):

 

M

 

I

CC

3

F

FASE

=

RTC

 

TAPE

   

M fase =

3,13

 
   

* Tempo de Operação do Relé da Concessionária (t):

 
 

k

 

dt

 
 

T fase

=

     

T(fase) =

1,2682

seg

(

M )

1

Adotado: K=13,5 e a=1, Temporização: Curva I.E.C: CURVA = M.I

 

* Proteção de NEUTRO:

 

* Corrente de Partida do Relé (Concessionária)

 

Ipartida

= RTC TAPE

 

I

partida =

40,00

A

* Multiplos da Corrente de Acionamento (M neutro):

 

M

 

I

CC

1

F

MÍN

NEUTRO

=

RTC

 

TAPE

 

M neutro =

7,03

 
   

* Tempo de Operação do Relé da Concessionária (t):

 
 

k

 

dt

 
 

T Neutro

=

(

M )

 

1

 

T(neutro) =

1,79

seg

   

3.1.2 Cálculo dos Tempos de Atuação da Proteção da CONCESSIONÁRIA:

s

s

Adotado: K=13,5 e a=1, Temporização: Curva I.E.C: CURVA = M.I

Assunto:

Responsável:

ANEXO III

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 450 kVA

(2x225 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

3.1.3 Cálculo da Corrente de Partida do Relé da CONCESSIONÁRIA (Unidade Instantânea):

* Proteção de FASE:

Ipartida _ inst = RTC Ajuste _ Inst

Onde: Ajuste_Inst (fase) = 20,75 e RTC (fase) = 120

* Proteção de NEUTRO:

Ipartida _ inst = RTC Ajuste _ Inst

Onde: Ajuste_Inst (neutro) =2 e RTC (neutro) = 120

3.1.4 Cálculo dos Tempos de Atuação da Proteção do CLIENTE:

* Corrente Nominal:

In

 

S

Onde:

=

3 ◊ V p
3 ◊ V
p

Temos:

 

S =

500,00 34,50
500,00
34,50

kVA

 

Vp =

KV

* Corrente Primária do TC:

I

PTC

>

I CCMÁX

20

Z

)

TC

I

N

   

I partida (Inst) =

3.800,00

A

 

I partida (Inst) =

1.400,00

A

In =

8,37

A

 

I ptc =

59,45

A

   

RTC ' =

20,00

 

Vse =

14,86

1,30

   
 

TAPE =

0,54

A

 

( 0,25 - 16A)

x RTC

 
   

TAPE =

0,56

A

 

ança

I

N

I deseq =

10,88

A

RTC

I partida =

11,20

A

In = Corrente Nominal (Primário)

S = Potência da Instalação Vp = Nível de Tensão (Primário)

Assim, o TC será de:

RTC ' =

100 / 5

* Tensão Secundária do TC:

V

SE =

I MÁX

RTC '

(

ZRELÉ +

A impedância do TC adquirido deve ser menor que 0,4 Ohm. Sendo assim adotaremos um TC do tipo 10B100

* Cálculo do TAPE de FASE:

Fator de Segurança Adotado:

TAPE

>

FS

RTC

Faixa de Ajuste do Relé :

Assim, o TAPE Utilizado será:

Desta Forma:

I DESEQ

I

PARTIDA

= FatorSegur

=

TAPE

ASSIM:

I partida

>

I deseq

(Condição Satisfeita)

Assunto:

Responsável:

ANEXO III

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 450 kVA

(2x225 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

* Cálculo do TAPE de NEUTRO:

Fator de Segurança Adotado:

TAPE

0,30 FS I TAPE = 0,13 A N > RTC ( 0,15 - 6,5A) x
0,30
FS
I
TAPE =
0,13
A
N
>
RTC
( 0,15 - 6,5A)
x RTC
TAPE =
0,15
A
= FatorSegur
ança
I
N
I segur =
2,51
A
=
TAPE
RTC
I partida =
3,00
A
I partida =
6,00
A
I
CC 3 F
=
M
fase =
33,29
RTC
TAPE
M
fase =
20,00

Faixa de Ajuste do Relé :

Assim, o TAPE Utilizado será:

Desta Forma:

I

I

SEGUR

PARTIDA

Adotanto p/ melhor Coordenação :

3.1.5 Cálculo dos Tempos de Operação do Relé do CLIENTE:

* Proteção de FASE:

* Multiplos da Corrente de Acionamento (M fase):

M FASE

* Tempo de Operação do Relé da Cliente (t):

t =

 

K

dt

Onde:

(

Mtf

)

 

1

 

K = Constante que caracteriza o relé Constante que caracteriza a Curva

=

 

Adotamos: K=13,5 e a=1, Temporização: M.I e Dial=0,1seg

 

t(fase) =

0,0711

seg

Cliente

t(fase) =

1,2682

seg

Concessionária

ASSIM:

 

t _cliente

<

t _coelba

(Condição Satisfeita)

* Proteção de NEUTRO:

* Multiplos da Corrente de Acionamento (M neutro):

M

NEUTRO

=

I CC

1

F

MÍN

RTC

TAPE

M neutro =

14,05

* Tempo de Operação do Relé da Cliente (t):

t =

K

dt

(

Mtf

)

1

Onde:

K = Constante que caracteriza o relé Constante que caracteriza a Curva

=

Assunto:

Responsável:

ANEXO III

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 450 kVA

(2x225 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

=

Adotamos: K=13,5 e a=1, Temporização: M.I e Dial=0,1seg

 

t(neutro) =

0,0724

seg

Cliente

t(neutro) =

1,7925

seg

Concessionária

ASSIM:

 

t _cliente

<

t _coelba

(Condição Satisfeita)

3.1.6 Ajustes do Relé - Unidade Instantânea

 

* Proteção de FASE:

* Corrente de Magnetização:

 

12

500

 

I

mag .

=

3 13,8
3
13,8
 
 

I mag =

 

251,02

A

 

Desta forma:

I MAG

<

RTC

I

<

I

CC

2

F

251,02

<

I

 

AJUSTE

_

INST

RTC

 

20

AJUSTE

_

   

12,55

 

<

I

AJUSTE

_

INST

<

51,49

INST

<

1.029,70

20

Faixa de Ajuste do Relé :

( 0,25 - 100A)

x RTC

 

I

ajust_inst =

15,00

A

ASSIM:

I I

PARTIDA_ INST

=

AJUSTE _ INST

xRTC

I part_inst =

300,00

A

I

MAG

<

I

PARTIDA

INST

<

I

CC

2

F

251,02

<

300

<

1.029,70

(Condição Satisfeita)

 

_

* Proteção de NEUTRO:

I

AJUSTE

<

I

CC

1

F

MÍN

_ RTC

INST

I ajust_inst <

14,05

A

Faixa de Ajuste do Relé :

 

( 0,15 - 50A)

x RTC

 

I

ajust_inst =

5,00

A

ASSIM:

I I

PARTIDA_ INST

=

AJUSTE _ INST

xRTC

I part_inst =

100,00

A

I

PARTIDA

INST

<

I

CC F MIN

1

60

<

79

(Condição Satisfeita)

 

_

 

Assunto:

Responsável:

ANEXO III

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 450 kVA (2x225 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

3.1.7 Cálculo do Ponto de Ansi do Transformador (500kVA)

 

*

Ponto Ansi:

 

Z =

5,50%

 

(100 /

Z

%)

In

 

I ansi =

380,34

A

 
 

*

Ponto Ansi Neutro:

 
 

Z

In

I ansiN =

220,59

A

 

RESUMO GERAL

 

Proteção

 

R.T.C

 

TAPE

DIAL

Temporiz.

Instântan.

Relé

FASE

 

20,00

 

0,56

0,10

M.I

15,00

SEPAM S20

   

t=0,1s

NEUTRO

 

20,00

 

0,15

0,10

M.I

5,00

SEPAM S20

   

t=0,1s

I

ansi =

I

ansiN = (0,58) (100 / %)

3.1.9

M.I 5,00 SEPAM S20     t=0,1s I a n s i = I a n

Assunto:

Responsável:

ANEXO IV

MEMORIAL DE CÁLCULO DE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA DE 500 kVA

(1x500 kVA)

Eng. Eletricista - Mayrthon Paulo Costa Jr. - CREA: 14.633 D/CE

4.0- MEMORIAL DE CÁLCULO DO GERADOR / Q.G.B.T (ILUMINAÇÃO/TOMADAS/FORÇA/AR CONDICIONADO-ÁREAS CRÍTICAS):

- Para esta alimentação elétrica foram consideradas somente as cargas elétricas emergenciais (que farão parte do Grupo Motor-Gerador).

4.1- RELAÇÃO DE CARGAS DA UNIDADE:

4.1.1 Iluminação:

Quant.

Tipo

Potência (W)

Reator

Perdas (W)

Total (W)

130,00

Fluorescente Compacta

11,00

Alto F.P

4,50

2015,00

131,00</