Vous êtes sur la page 1sur 10
0 valor a atribuir-se aos bens, na apuragio de haveres para intarios de sucessdo hereditéria, tem como base aquele do tempo da abertura da sucesso, de acordo com o que determinam os prineipios legais e aqueles contabeis do inventario. ‘Tao importante quanto verificar a existéncia de haveres é saber determinar o valor dos mesmos para os fins de inventario e partilha a herdeiros. SS Quando a apuracio & complexa (como & i visto nesta obra sobre Fundo de omen, pent deve sempre jusificara gia empregada para a determinacdig do valor. Se 0 critério de avaliagao deve, no laudo, ser justificado ¢ os célculos demonstrados e suas razées devem constituir anexo da pericia contabil. COC Ressalvados os casos de “valores nominais” que dispensam ju 4e tiulos cambiais), os demais precisam de explicag qualidade. imprindo os principio referidos, «¢, 4 parte, convertendo-se a ccomparagies no tempo. endo que se grave o inven a nfo $6 aos interesses dos m mente que sua avaliagio sea Mesmo os valores “nominais” devem ter ressalvas quando sofrem a ago de ajustes ‘monetrios ou se sujeitam a acordos (como as pacto ajectum das notas promis Ocorrendo “vinculas” sobre os bens particularidades do arrolamento etc.) Quando muitas sio as partes i rads (hipotecas, penhores etc), devem es: tes ser denunciados, idemtifeados e detalhados, bem como suas consequéncias (contin. ‘séncias), (© mesmo deve ocorrer quando, néo havendo “nua propriedade’ ‘utras vantagens decorrentes de uso e de frutos de bens de teresios q traduzem em forga de lucro. s exames patrimoniais, quando atingem empresas, em seu devir as ser plenos ‘Tudo o que se refere ao direito patrimonial é objeto de tas laudos de apuracto (Quanto ao valor, é preciso considerarse 0 da época da apuracio, ¢ principio legal (s8o os da data de abertura da sucessdo, conforme preect Unico do artigo 1.014 do Cédigo de Processo Civil), mas um “Princlpio, ym a riqueza ind Para formar prova, em processo de ‘A‘adulteragio de documento” consiste em utilizar um documento verdadeiro para imir-he modificagBes por rasuras (que podem ser sofisticadas, com elementos qu wvagens, raspagens et. “falsidace nos reistros"baseia-se em escriturar o que nfo aconteceu ou faz8lo de inadequada para obter proveito. {As fraudes em “avaliagies" vio desde laudos forjados até vicios de eserta {As fraudes em demonstragdes consistem em evidenciar como elementos do balanco que nfo existem ou dividas que nio foram contraidas, ou dassificagSes e grupamen: rs) € podem comportay {mpugnagiese até processos. ‘Nesse campo, a pertcia etd toda volvida d perseguigdo do dole da fraud, do crime rotor rec pa doe oaecnent sere deccbera de fe scr os nds uc eva al descr eit od un eg a tal tarefa). ° “4 ‘Aclaboracio dos quesitos é extremamente delicads, ag. Pec, na drea penal, envolve uma séria responsabilidade e uma visio toda espe cifica que requer asticia e cautela redobrada para evita a imputagdo de prova de cu sem fundamento inequivoco. xistem fraudes de diversostipos, como: Hi casos em que a pericia vai comprovar os abusos, as adul Draticadas contra a execueo das obrigagaes de fazer; sa ete Praticadas contra a execucio de nio fazer; Hi casos em que a queixa se formula ea ativas ao penhor, “absoluta impossibilidade” de que vies lade” da fraude é provada por perici, reaivas no far nee pericias para produgio de prova na drea da crime, a orientaco detectar a fraude deve seguir a tecnologia contabil especifica, ue varia de acordo com cada caso ocorrido. relativas A marca de produtos; lidade de produtos; 10, relatvas atributos 11. relativas & moeda; as a produtos danificados ou imprestiveis; 0u direitos a receber; idagio de empresas Esse elenco que relaciona coisa gerais e especificas nao esgota a clssiicagio dos diversos crimes que sio objeto de agGes penais e para as quais so requeridas peri A liquidagio 6 0 procedimento para “transformar em di ‘de modo a pagar-se 0 “Passivo" e 0 “Patriménio Liquide sécios. 10", ou “Liquefazer” 0 aquele a terceiros, este As fraudes desse género possuem vir fcios para encobri inteligénciae preciosismo téenico, 0 Capitulo 1, d Sociedades dos ar dase, havendo sécios ou pessoa que -Bxemplificando: sua denominagio “Em liquidagao”. (0s quacros podem ser dintmicos, com demonstragies de como se operaram as liqi- ‘de “cada elemento do Ativo” DEMONSTRAGAO DA LIQUIDAGAO DE DUPLICATAS Bum Fda vida patrimonial e que ¢ da sua extingao, com procedimen, s tos espec tusive os de avaliagio. ila do capital préprio” (capital soca, Valor Liguidada-em Valor ver contra oliguidante, quer de re s s ropriasociedade, que por ter. a s 8 widasio, ocorre quase sempre, quase L no requerverfcaées, mas os questionamentos, sim ; = eee “Total de Valores Reesbidos com aquele que pos. Em proteto : 4 penhora ¢a hipoteca, antes de vender @ Sem Liguider s terceios). ‘otal s © perit,incumbido de verifiarliguidagbes, precisa, por conseguinte: analisar DEMONSTRACAO DA LIQUIDACAO DE ESTOQUES 1, analisar cada bem do Ativ, de per ‘seido do Balango Inidal. $ 2. conhecer da avaliago de todos os bens; _ conhecer da disponibilidade de todos os aor de ota 5S soubecer da doponibidade de toes ober Quamidade | topecifcasto | yrierio | “vende | 4. conhecer da qualidade de realicagio dos bens; = = . ] $ $ ¥ 5. observar sea realizagéo nio foi ruinosa; | $ s nw 6. observa favorecimento na liquidagéo (pessoas ligadas); ; T 7. conhecer as dividas qualitativamente: eee aa s 8. conhecer a causa debendl mal s 9. analisar 0 comportamento operacional no periodo de liquidagso (custos ere tuto Bruto s 10. observar o destino dado a cada 12, observar o destino dos resultados no periodo de liquidagao etc. (© que se busca, com ela ndo foi incompetent los de quotas etercei CConforme o caso, necessério se faz preparar Demonstrativos Especiais de Liquidacio, ‘ partir do Balanco Inicial de Liquidagio (balango que se extrai na data em que 0 estado de liquidacio se inci, com o administrador liquidante). todo, quase sempre, na andlise da liquidagio é observar se sa, fraudulenta ou operada com danos para os proprietd mento comprobatério 1dos para cada uma das: io liquidado ou trans ponto de partida para outras