Vous êtes sur la page 1sur 32

Análise de Potência em Regime Permanente

Senoidal

30 de outubro de 2015

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

A potência consumida por um elemento do circuito é

p(t) = v (t)i(t)

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

A potência consumida por um elemento do circuito é

p(t) = v (t)i(t)

Para o regime permanente senoidal

v (t) = VM cos (ωt + θv )

i(t) = IM cos (ωt + θi )

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

A potência consumida por um elemento do circuito é

p(t) = v (t)i(t)

Para o regime permanente senoidal

v (t) = VM cos (ωt + θv )

i(t) = IM cos (ωt + θi )

=⇒ p(t) = VM IM cos (ωt + θv ) cos (ωt + θi )

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

p(t) = VM IM cos (ωt + θv ) cos (ωt + θi )

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

p(t) = VM IM cos (ωt + θv ) cos (ωt + θi )

Aplicando a identidade trigonométrica


1
cos(a) cos(b) = [cos(a + b) + cos(a − b)]
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência instantânea

p(t) = VM IM cos (ωt + θv ) cos (ωt + θi )

Aplicando a identidade trigonométrica


1
cos(a) cos(b) = [cos(a + b) + cos(a − b)]
2
temos:

VM IM
p(t) = [cos(2ωt + θv + θi ) + cos(θv − θi )]
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência média

A potência média, ou potência ativa, é dada por


Z T
1
P= p(t)dt
T 0


T =
ω

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência média

A potência média, ou potência ativa, é dada por


Z T
1
P= p(t)dt
T 0


T =
ω
Fazendo a integral com a função obtida previamente:
1
P = VM IM cos(θv − θi )
2
1
P = VM IM cos(θZ )
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência média

1
P = VM IM cos(θZ )
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência média

1
P = VM IM cos(θZ )
2
Para uma carga puramente resistiva:
1
θZ = 0 =⇒ P = VM IM
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência média

1
P = VM IM cos(θZ )
2
Para uma carga puramente resistiva:
1
θZ = 0 =⇒ P = VM IM
2
Para uma carga puramente reativa:

θZ = ±90o =⇒ P = 0

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 1

Encontre a potência média fornecida pela fonte do circuito da


figura.

10 Ω

+
140∠0o V −

j10Ω

Figura : Circuito do exemplo

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 1

Encontre a potência média fornecida pela fonte do circuito da


figura.

10 Ω
V 140∠0o

14
= √
IM = =
A
Z 10 + j10
2
+ Re(Z) 10 1
140∠0o V − cos θZ = =√ =√
|Z| 102 + 102 2
1 1 14 1
P = VM IM cos θZ = · 140 · √ · √
2 2 2 2
j10Ω =⇒ P = 490W

Figura : Circuito do exemplo

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 1

Note que, se o circuito não tivesse o indutor, teríamos:


140
IM = = 14A
10
10
cos θZ = =1
10
1
P = · 140 · 14 · 1 = 980W
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 1

Note que, se o circuito não tivesse o indutor, teríamos:


140
IM = = 14A
10
10
cos θZ = =1
10
1
P = · 140 · 14 · 1 = 980W
2
Por que o indutor interfere na potência ativa fornecida, se
ele não consume potência ativa?

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz
Para corrente contínua, a potência dissipada em uma carga
resistiva é dada por
P = RI 2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz
Para corrente contínua, a potência dissipada em uma carga
resistiva é dada por
P = RI 2
Queremos, para os circuitos em regime permanente, uma
constante Irms tal que
q
2
P = RIrms =⇒ Irms = P/R

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz
Para corrente contínua, a potência dissipada em uma carga
resistiva é dada por
P = RI 2
Queremos, para os circuitos em regime permanente, uma
constante Irms tal que
q
2
P = RIrms =⇒ Irms = P/R
Usando a fórmula para potência média:
q
Irms = P/R
s
Z T
1 1
= Ri 2 (t)dt
RT 0
s
Z T
1
= i 2 (t)dt
T 0

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz

Para qualquer sinal x (t) de período T , seu valor eficaz ou


quadrático médio (root mean square, rms) é dado por:
s
Z T
1
Xrms = x 2 (t)dt
T 0

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz

Para um sinal da forma x (t) = XM cos(ωt + θ), o valor eficaz


é dado por

s
Z T
1
Xrms = (XM cos(ωt + θ))2 dt
T 0
s
2
XM
Z T
= cos2 (ωt + θ)dt
T 0
s
2
XM
Z T
1 + cos(2ωt + 2θ)
= dt
T 0 2
s
2 T
XM
=
T 2
XM
= √
2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Valor eficaz

Podemos então reescrever a fórmula para potência média


como segue:
1 VM IM
P = VM IM cos(θZ ) = √ √ cos(θZ ) = Vrms Irms cos(θZ )
2 2 2

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa
A potência complexa, ou potência aparente, consumida por
um elemento do circuito é definida como

S = Vrms I∗rms

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa
A potência complexa, ou potência aparente, consumida por
um elemento do circuito é definida como

S = Vrms I∗rms
= (Vrms ∠θv )(Irms ∠−θi )
= Vrms Irms ∠θv − θi
= Vrms Irms ∠θZ

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa
A potência complexa, ou potência aparente, consumida por
um elemento do circuito é definida como

S = Vrms I∗rms
= (Vrms ∠θv )(Irms ∠−θi )
= Vrms Irms ∠θv − θi
= Vrms Irms ∠θZ

Note que
Re(S) = Vrms Irms cos(θZ ) = P

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa
A potência complexa, ou potência aparente, consumida por
um elemento do circuito é definida como

S = Vrms I∗rms
= (Vrms ∠θv )(Irms ∠−θi )
= Vrms Irms ∠θv − θi
= Vrms Irms ∠θZ

Note que
Re(S) = Vrms Irms cos(θZ ) = P
Escrevendo S na forma retangular, temos
S = P + jQ
onde Q é chamado de potência reativa
Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal
Potência complexa

S = P + jQ = Vrms Irms ∠θZ

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa

S = P + jQ = Vrms Irms ∠θZ

Para uma carga puramente resistiva:

θZ = 0 =⇒ S = P

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Potência complexa

S = P + jQ = Vrms Irms ∠θZ

Para uma carga puramente resistiva:

θZ = 0 =⇒ S = P

Para uma carga puramente reativa:

P = 0 =⇒ S = jQ

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 2

Encontre a potência complexa fornecida pela fonte do circuito da


figura.

10 Ω

+
140∠0o V −

j10Ω

Figura : Circuito do exemplo

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Exemplo 2

Encontre a potência complexa fornecida pela fonte do circuito da


figura.

10 Ω
V 140∠0o 14
I= = = √ ∠−45o A
Z 10 + j10 2

+
140∠0o V
S = Vrms I∗rms

140∠0o 14
= √ · ∠45o
2 2
980
j10Ω = √ ∠45o VA
2
Figura : Circuito do exemplo

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal


Fator de potência

O fator de potência é definido como

P
fp = = cos θZ
|S|

Análise de Potência em Regime Permanente Senoidal