Vous êtes sur la page 1sur 15

FÍSICA

Série 10³ CALORIMETRIA

Nível I: Básico
III - Devido à condução térmica, uma barra de metal mantém-se a
uma temperatura inferior à de uma barra de madeira colocada no
mesmo ambiente.

181. (Faap) Uma estufa para flores, construída em alvenaria, com


Podemos afirmar que
cobertura de vidro, mantém a temperatura interior bem mais ele-
vada do que a exterior. Das seguintes afirmações: a) I, II e III estão corretas.
b) I, II e III estão erradas.
c) Apenas I está correta.
I. O calor entra por condução e sai muito pouco por convecção d) Apenas II está correta.
II. O calor entra por radiação e sai muito pouco por convecção e) Apenas I e II estão corretas.
III. O calor entra por radiação e sai muito pouco por condução
IV. O calor entra por condução e convecção e só pode sair por radi-
ação 184. (Ufv) Ao derramarmos éter sobre a pele, sentimos uma sen-
sação de resfriamento em consequência de:
A(s) alternativa(s) que pode(m) justificar a elevada temperatura do a) a pele fornecer ao éter a energia responsável por sua mudança
interior da estufa é(são): de fase.
b) o éter penetrar nos poros, congelando imediatamente os vasos
a) I, III sanguíneos.
b) I, II c) o éter, por ser líquido, encontrar-se a uma temperatura inferior à
c) IV da pele.
d) II, III d) o éter limpar a pele, permitindo maior troca de calor com o ambi-
e) II ente.
e) o éter contrair os pelos, proporcionando a sensação de resfria-
mento.
182. (Uel) Embalagens tipo "longa vida" (abertas, com a parte in-
terna voltada para cima, embaixo das telhas) podem ser utilizadas
como material isolante em telhados de amianto, que no verão atin-
gem temperaturas de 70°C. Sobre essa utilização do material, é cor- 185. (Pucmg) Analise fisicamente as afirmativas seguintes:
reto afirmar:
a) O calor emitido pelas telhas de amianto é absorvido integral- I. Para derreter um bloco de gelo rapidamente, uma pessoa em-
mente pelo "forro longa vida". brulhou-o num grosso cobertor.
b) O calor específico do "forro longa vida" é muito pequeno, e por II. Para se conservar o chope geladinho por mais tempo, deve-se
isso sua temperatura é constante, independentemente da quan- colocá-lo numa caneca de louça.
tidade de calor que recebe da telha de amianto.
III. Um aparelho de refrigeração de ar deve ser instalado em um
c) A superfície de alumínio do "forro longa vida" reflete o calor emi-
local alto num escritório.
tido pelas telhas de amianto.
d) A camada de papelão da embalagem tipo "longa vida" isola o
calor emitido pelas telhas de amianto, pois sua capacidade tér- Assinale:
mica absorve a temperatura. a) se apenas I e II estiverem corretas.
e) A superfície de alumínio do "forro longa vida" é um isolante tér- b) se apenas II e III estiverem corretas.
mico do calor emitido pelas telhas de amianto, pois está reves- c) se apenas I estiver correta.
tida por uma camada de plástico. d) se apenas II estiver correta.e( se apenas III estiver correta.

183. (Pucsp) Analise as afirmações referentes à condução térmica 186. (Unesp) A dilatação térmica dos sólidos é um fenômeno im-
portante em diversas aplicações de engenharia, como construções
I - Para que um pedaço de carne cozinhe mais rapidamente, pode- de pontes, prédios e estradas de ferro. Considere o caso dos trilhos
se introduzir nele um espeto de trem serem de aço, cujo coeficiente de dilatação é  = 11 x 10-6
°C-1. Se a 10 °C o comprimento de um trilho é de 30 m, de quanto
metálico. Isso se justifica pelo fato de o metal ser um bom condutor
de calor. aumentaria o seu comprimento se a temperatura aumentasse para
40 °C?
II - Os agasalhos de lã dificultam a perda de energia (na forma de
calor) do corpo humano para o ambiente, devido ao fato de o ar a) 11 x 10-4 m.
aprisionado entre suas fibras ser um bom isolante térmico. b) 33 x 10-4 m.
c) 99 x 10-4 m. 80cal/g; 1 cal = 4,18J; aceleração gravitacional = 10m/s2.
d) 132 x 10-4 m. a) 0,2 g
e) 165 x 10-4 m. b) 0,6 g
c) 1,0 g
d) 1,2 g
187. (Ufla) Um bulbo de vidro conectado a um tubo fino, com coe- e) 1,5 g
ficiente de dilatação desprezível, contendo certa massa de água na
fase líquida é mostrado a seguir em três situações de temperatura.
Na primeira, o sistema está a 4°C; na segunda, a 1°C e, na terceira, 191. (Unesp) Um cowboy atira contra uma parede de madeira de
a 10°C. Conforme a temperatura, a água ocupa uma certa porção um bar. A massa da bala de prata é 2 g e a velocidade com que
do tubo. Tal fenômeno é explicado esta bala é disparada é de 200 m/s. É assumido que toda a energia
térmica gerada pelo impacto permanece na bala.
a) Determine a energia cinética da bala antes do impacto.

b) Dado o calor específico da prata 234 J/kg°C, qual a variação de


temperatura da bala, supondo que toda a energia cinética é trans-
formada em calor no momento que a bala penetra na madeira?

192. (Ufsm) Um bloco de 10 kg de gelo a 00C é lançado, com uma


velocidade de 10 m/s, sobre uma pista áspera à mesma tempera-
tura. Devido ao atrito, o bloco para. Supondo que toda energia me-
a) pelo aumento de volume da água de 0°C a 4°C, seguido da dimi-
cânica foi recebida pelo corpo como energia interna e considerando
nuição do volume a partir de 4°C.
b) pela diminuição da densidade da água de 0°C a 4°C, seguido do o calor latente de fusão do gelo 335 J/g, a massa do gelo que der-
aumento da densidade a partir de 4°C. rete é, em g, aproximadamente,
c) pelo aumento do volume da água a partir de 0°C. a) 1,5
d) pelo aumento da densidade da água de 0°C a 4°C, seguido da b) 6
diminuição da densidade a partir de 4°C. c) 15
e) pela diminuição do volume da água a partir de 0°C. d) 60
e) 120

188. (Pucsp) Experimentalmente, verifica-se que o período de osci-


lação de um pêndulo aumenta com o aumento do comprimento
deste. Considere um relógio de pêndulo, feito de material de alto 193. (Ufpe) A figura a seguir representa a temperatura de um líquido
coeficiente de dilatação linear, calibrado à temperatura de 20 °C. não-volátil em função da quantidade de calor por ele absorvida.
Esse relógio irá
a) atrasar quando estiver em um ambiente cuja temperatura é de 40
°C.

b) adiantar quando estiver em um ambiente cuja temperatura é de


40 °C.
c) funcionar de forma precisa em qualquer temperatura.
d) atrasar quando estiver em um ambiente cuja temperatura é de 0
°C.

e) atrasar em qualquer temperatura.

189. (Ufmg) Um cozinheiro quer comprar uma panela que esquente


rápida e uniformemente. Sendo a massa do líquido 100 g e seu calor específico 0,6 cal/g°C,
qual o valor em °C da temperatura T0?
Ele deve procurar uma panela feita de um material que tenha
a) alto calor específico e alta condutividade térmica.
b) alto calor específico e baixa condutividade térmica.
c) baixo calor específico e alta condutividade térmica. 194. (Pucrj) Um objeto sólido de 0,1 kg, inicialmente à temperatura
d) baixo calor específico e baixa condutividade térmica. 30°C, é aquecido. O gráfico de sua temperatura em função da ener-
gia que lhe é fornecida (em kJ) é dado a seguir.

190. (Ufrgs) Um cubo de gelo com massa de 2kg, já na temperatura


de fusão da água, está inicialmente em repouso a 10m acima de
uma superfície rígida. Ele cai livremente e se choca com esta su-
perfície. Qual é, aproximadamente, a máxima massa de gelo que
pode se fundir nesse processo? Dados: Calor de fusão do gelo =

Página 2 de 15
de12 g a 25 °C, outra de 18 g a 15 °C e a terceira de 30 g a 5 °C.
Calcule a temperatura do líquido quando se estabelecer o equilíbrio
térmico no interior do calorímetro.

198. (Fei) Para se determinar o calor específico do ferro, um aluno


misturou em um calorímetro ideal 200 g de água a 20 °C com 50 g
de ferro a 100 °C e obteve a temperatura final da mistura  = 22 °C.
Qual é o calor específico do ferro?
a) 0,05 cal/g°C
b) 0,08 cal/g°C
c) 0,10 cal/g°C
d) 0,25 cal/g°C
A partir dos dados apresentados no gráfico, obtenha:
e) 0,40 cal/g°C
a) o calor latente de fusão Lf do material que constitui o bloco;
b) o calor específico do material que constitui o bloco no estado só-
lido (Cs); 199. (Ufpe) O gráfico a seguir representa a temperatura em função
c) o calor específico do material que constitui o bloco no estado lí- do tempo para 1,0 kg de um líquido não volátil, inicialmente a 20 °C.
quido (CL). A taxa de aquecimento foi constante e igual a 4600 J/min. Qual o
calor específico desse líquido, em unidades de 102 J/(kg°C)?

195. (Uel) Ao se retirar calor Q de uma substância líquida pura de


massa 5,0g, sua temperatura cai de acordo com o gráfico a seguir.

O calor latente de fusão da substância, em cal/g, é


a) 30 200. (Uel) O gráfico a seguir representa o calor absorvido por dois
b) 60 corpos sólidos M e N em função da temperatura.
c) 80
d) 100
e) 140

196. (Mackenzie) Ao nível do mar, um aquecedor de imersão de


420 W é colocado num recipiente contendo 2,0 litros de água a
20°C. Supondo-se que 80% da energia disponível seja absorvida
pela água, então o tempo necessário para que ela atinja a tempera-
tura de ebulição é:
Dados:
calor específico da água: 1 cal/g.°C
densidade da água: 1 kg/ℓ
1 cal = 4,2 joules A capacidade térmica do corpo M, em relação à do corpo N, vale
a) 5,0.103 s a) 1,4
b) 4,0.103 s b) 5,0
c) 3,0.103 s c) 5,5
d) 2,0.103 s d) 6,0
e) 1,0.103 s e) 7,0

197. (Ufrj) Três amostras de um mesmo líquido são introduzidas


num calorímetro adiabático de capacidade térmica desprezível: uma

Página 3 de 15
201. (Unesp) A figura mostra as quantidades de calor Q absorvidas, c) a atmosfera é transparente tanto para a energia radiante do Sol
respectivamente, por dois corpos, A e B, em função de suas tempe- como para as ondas de calor
raturas. d) a atmosfera funciona como um meio refletor para a energia radi-
ante e como meio absorvente para a energia térmica

204. (Uece) O clima de regiões próximas de grandes massas de


água, como mares e lagos, caracteriza-se por uma grande estabili-
dade térmica, ao contrário de regiões no interior do continente, onde
há acentuadas variações de temperatura entre o dia e a noite. A
propriedade que torna a água um regulador de temperatura é:
a) sua grande condutividade térmica
b) sua grande densidade
c) seu elevado calor específico
d) seu pequeno calor específico

a) Determine a capacidade térmica CA do corpo A e a capacidade 205. (Fuvest) Dois termômetros de vidro idênticos, um contendo
térmica CB do corpo B, em J/°C. mercúrio (M) e outro água (A), foram calibrados em 0 °C e 37 °C,
obtendo-se as curvas M e A, da altura da coluna do líquido em fun-
b) Sabendo que o calor específico da substância de que é feito o ção da temperatura. A dilatação do vidro pode ser desprezada. Con-
corpo B é duas vezes maior que o da substância de A, determine a sidere as seguintes afirmações:
razão mA/mB entre as massas de A e B.
I - O coeficiente de dilatação do mercúrio é aproximadamente cons-
tante entre 0 °C e 37 °C.
202. (Puccamp) Na figura a seguir têm-se os gráficos de duas fun- II - Se as alturas das duas colunas forem iguais a 10 mm, o valor da
ções do 1o grau, f e g, que se interceptam no ponto P. temperatura indicada pelo termômetro de água vale o dobro da in-
dicada pelo de mercúrio.
III - No entorno de 18 °C o coeficiente de dilatação do mercúrio e o
da água são praticamente iguais.

Se os valores de f e g representam as temperaturas de dois corpos


F e G, respectivamente, enquanto x representa a quantidade de ca-
lor por eles recebida, a razão CF/CG entre as capacidades térmicas
de F e G é
a) 0,50
b) 0,75 Podemos afirmar que só são corretas as afirmações
c) 1,0 a) I, II e III
d) 1,5 b) I e II
e) 2,0 c) I e III
d) II e III
e) I

Nível II: Intermediário


206. (Pucpr) O coeficiente de dilatação térmica do alumínio é, apro-
203. (Uece) O chamado "efeito estufa", devido ao excesso de gás ximadamente, o dobro do coeficiente de dilatação térmica do aço.
carbônico presente na atmosfera, provocado pelos poluentes, faz A figura mostra duas peças onde um anel feito de um desses metais
aumentar a temperatura porque: envolve um disco feito do outro metal. À temperatura do ambiente,
a) a atmosfera é transparente à energia radiante do Sol e opaca às os discos são presos aos anéis.
ondas de calor
b) a atmosfera é opaca à energia radiante do Sol e transparente
para ondas de calor

Página 4 de 15
210. (Enem) A padronização insuficiente e a ausência de controle
na fabricação de refrigeradores podem também resultar em perdas
significativas de energia através das paredes da geladeira. Essas
perdas, em função da espessura das paredes, para geladeiras e
condições de uso típicas, são apresentadas na tabela.

Espessura das paredes (cm) Perda térmica mensal (kWh)


2 65
4 35
6 25
Se as duas peças forem aquecidas uniformemente, é correto afir- 10 15
mar:
a) apenas o disco de aço se soltará do anel de alumínio. Considerando uma família típica, com consumo médio mensal de
b) apenas o disco de alumínio se soltará do anel de aço. 200kWh, a perda térmica pelas paredes de uma geladeira com 4cm
c) os discos se soltarão dos respectivos anéis. de espessura, relativamente a outra de 10cm, corresponde a uma
d) os discos permanecerão presos sem soltar por maior que seja o porcentagem do consumo total de eletricidade da ordem de
aumento de temperatura. a) 30%.
e) os metais entrarão em fusão antes de se soltarem. b) 20%.
c) 10%.
d) 5%.
207. (Mackenzie) Uma placa de aço (coeficiente de dilatação li- e) 1%.
near=1,0.10-5°C-1) tem o formato de um quadrado de 1,5m de lado
e encontra-se a uma temperatura de 10°C. Nessa temperatura, re-
tira-se um pedaço da placa com formato de um disco de 20cm de 211. (Unicamp) No Rio de Janeiro (ao nível do mar), uma certa
diâmetro e aquece-se, em seguida, apenas a placa furada, até a quantidade de feijão demora 40 minutos em água fervente para ficar
temperatura de 510°C. Recolocando-se o disco, mantido a 10°C, no pronta. A tabela adiante fornece o valor da temperatura da fervura
"furo" da placa a 510°C, verifica-se uma folga, correspondente a da água em função da pressão atmosférica, enquanto a gráfico for-
uma coroa circular de área: nece o tempo de cozimento dessa quantidade de feijão em função
a) 1,57 cm2 da temperatura. A pressão atmosférica ao nível do mar vale 760 mm
b) 3,14 cm2 de mercúrio e ela diminui 10 mm de mercúrio para cada 100 m de
c) 6,3 cm2 altitude.
d) 12,6 cm2
e) 15,7 cm2
Temperatura de fervura da água em função da pressão

208. (Ita) Um pequeno tanque, completamente preenchido com


20,0ℓ de gasolina a 0°F, é logo a seguir transferido para uma gara-
gem mantida à temperatura de 70°F. Sendo =0,0012°C-1 o coefici-
ente de expansão volumétrica da gasolina, a alternativa que melhor
expressa o volume de gasolina que vazará em consequência do seu
aquecimento até a temperatura da garagem é
a) 0,507ℓ
b) 0,940ℓ
c) 1,68ℓ
d) 5,07ℓ
e) 0,17ℓ

209. (Mackenzie) Duas barras metálicas, de diferentes materiais,


apresentam o mesmo comprimento a 0 °C. Ao serem aquecidas, à
a) Se o feijão fosse colocado em uma panela de pressão a 880 mm
temperatura de 100 °C, a diferença entre seus comprimentos passa
de mercúrio, em quanto tempo ele ficaria pronto?
a ser de 1 mm. Sendo 2,2 10-5 °C-1 o coeficiente de dilatação linear
do material de uma barra e 1,7 10-5 °C-1 o do material da outra, o b) Em uma panela aberta, em quanto tempo o feijão ficará pronto
comprimento dessas barras a 0 °C era: na cidade de Gramado (RS) na altitude de 800 m?
a) 0,2 m c) Em que altitude o tempo de cozimento do feijão (em uma panela
b) 0,8 m aberta) será o dobro do tempo de cozimento ao nível do mar?
c) 1,0 m
d) 1,5 m
e) 2,0 m

Página 5 de 15
212. (Fuvest) Num forno de micro-ondas é colocado um vasilhame gelo em fusão e água em ebulição sob pressão normal. Se esse
contendo 3kg d'água a 10°C. Após manter o forno ligado por 14 min, estudante desejar 300 g de água (calor específico =1 cal/g °C) a
se verifica que a água atinge a temperatura de 50°C. O forno é tão 70°C, a massa de gelo (Lf = 80 cal/g → calor latente de fusão)
desligado e dentro do vasilhame d'água é colocado um corpo de fundente e a massa de água em ebulição, que ele deve juntar no
massa 1kg e calor específico c=0,2cal/(g°C), à temperatura inicial interior de um calorímetro ideal, devem ser, respectivamente, de:
de 0°C. Despreze o calor necessário para aquecer o vasilhame e a) 50 g e 250 g
considere que a potência fornecida pelo forno é continuamente ab- b) 100 g e 200 g
sorvida pelos corpos dentro dele. O tempo a mais que será neces- c) 120 g e 180 g
sário manter o forno ligado, na mesma potência, para que a tempe- d) 180 g e 120 g
ratura de equilíbrio final do conjunto retorne a 50°C é: e) 250 g e 50 g
a) 56 s
b) 60 s
c) 70 s 217. (Fuvest) Uma experiência é realizada para estimar o calor es-
d) 280 s pecífico de um bloco de material desconhecido, de massa
e) 350 s mB=5,4kg. Em recipiente de isopor, uma quantidade de água é
aquecida por uma resistência elétrica R=40, ligada a uma fonte
de 120V, conforme a figura. Nessas condições, e com os devidos
213. (Fuvest) Um ser humano adulto e saudável consome, em mé- cuidados experimentais é medida a variação da temperatura T da
dia, uma potência de 120J/s. Uma "caloria alimentar" (1 kcal) cor- água, em função do tempo t, obtendo-se a reta A do gráfico. A se-
responde, aproximadamente, a 4 × 103 J. Para nos mantermos sau- guir, repete-se a experiência desde o início, desta vez colocando o
dáveis, quantas "calorias alimentares" devemos utilizar, por dia, a bloco imerso dentro d'água, obtendo-se a reta B do gráfico.
partir dos alimentos que ingerimos? Dado: c = 4 J/g°C, para a água
a) 33
b) 120
c) 2,6 × 103
d) 4,0 × 103
e) 4,8 × 105

214. (Unicamp) O fenômeno "El Niño", que causa anomalias climá-


ticas nas Américas e na Oceania, consiste no aumento da tempera-
tura das águas superficiais do Oceano Pacífico.
a) Suponha que o aumento de temperatura associado ao "El Niño
seja de 2 °C em uma camada da superfície do oceano de 1500km
de largura, 5000km de comprimento e 10m de profundidade. Lem-
bre que Q = mc∆T. Considere o calor específico da água do oceano
a) Estime a massa M, em kg, da água colocada no recipiente.
4000 J/kg°C e a densidade da água do oceano 1000kg/m3. Qual a
energia necessária para provocar este aumento de temperatura?
b) Atualmente o Brasil é capaz de gerar energia elétrica a uma taxa b) Estime o calor específico cB do bloco, explicitando claramente as
aproximada de 60 GW (6,0x1010 W). Se toda essa potência fosse unidades utilizadas.
usada para aquecer a mesma quantidade de água, quanto tempo
seria necessário para provocar o aumento de temperatura de 2°C?
218. (Ufu) Considere a radiação solar como uma onda eletromag-
nética que chega à superfície da Terra com intensidade 1,0kW/m2 e
215. (Unesp) Uma zelosa "mãe de primeira viagem" precisa prepa- que uma placa de um aquecedor solar consegue converter em ener-
rar o banho do recém-nascido, mas não tem termômetro. Seu pedi- gia térmica 50% da energia da radiação solar que alcança sua su-
atra disse que a temperatura ideal para o banho é de 38°C. Ela mora perfície. Calcule o tempo que uma placa de 1m2 deve ficar exposta
a beira-mar e acabou de ouvir, pelo rádio, que a temperatura ambi- ao sol para elevar a temperatura de 100kg de água de 25 °C para
ente é de 32°C. Como boa estudante de Física, resolve misturar 50°C. Despreze o efeito da inclinação do sol em relação à placa do
água fervente com água à temperatura ambiente, para obter a tem- aquecedor. O calor específico da água é de 4,2J/g°C.
peratura desejada.
a) Enuncie o princípio físico em que se baseia o seu procedimento.
b) Suponha que ela dispõe de uma banheira com 10 litros de água 219. (Ita) Colaborando com a campanha de economia de energia,
à temperatura ambiente. Calcule qual é, aproximadamente, o vo- um grupo de escoteiros construiu um fogão solar, consistindo de um
lume de água fervente que ela deve misturar à água da banheira espelho de alumínio curvado que foca a energia térmica incidente
para obter a temperatura ideal. Admita desprezível o valor absorvido sobre uma placa coletora. O espelho tem um diâmetro efetivo de
pela banheira e que a água não transborde. 1,00m e 70% da radiação solar incidente é aproveitada para de fato
aquecer uma certa quantidade de água. Sabemos ainda que o fo-
gão solar demora 18,4 minutos para aquecer 1,00 ℓ de água desde
a temperatura de 20°C até 100°C, e que 4,186×103J é a energia
216. (Mackenzie) Um vestibulando dispõe de termômetro, balança, necessária para elevar a temperatura de 1,00 ℓ de água de 1,000K.
Página 6 de 15
Com base nos dados, estime a intensidade irradiada pelo Sol na cal/g°C. A quantidade de calor absorvida pela barra é:
superfície da Terra, em W/m2. Justifique. a) 35 cal
b) 70 cal
c) 90 cal
d) 140 cal
220. (Fuvest) Em uma panela aberta, aquece-se água, obser-
e) 500 cal
vando-se uma variação da temperatura da água com o tempo, como
indica o gráfico.
224. (Fuvest) A energia necessária para fundir um grama de gelo
a 0 °C é oitenta vezes maior que a energia necessária para elevar
de 1 °C a temperatura de um grama de água. Coloca-se um bloco
de gelo a 0 °C dentro de um recipiente termicamente isolante forne-
cendo-se, a seguir, calor a uma taxa constante. Transcorrido um
certo intervalo de tempo observa-se o término da fusão completa do
bloco de gelo. Após um novo intervalo de tempo, igual à METADE
do anterior, a temperatura da água, em °C, será:
a) 20.
b) 40.
c) 50.
d) 80.
e) 100.
Desprezando-se a evaporação antes da fervura, em quanto tempo,
a partir do começo da
ebulição, toda a água terá se esgotado? (Considere que o calor de 225. (Ufpe) Um certo volume de um líquido A, de massa M e que
vaporização da água é cerca de 540cal/g) está inicialmente a 20 °C, é despejado no interior de uma garrafa
a) 18 minutos térmica que contém uma massa 2M de um outro líquido, B, na tem-
b) 27 minutos peratura de 80 °C. Se a temperatura final da mistura líquida resul-
c) 36 minutos tante for de 40 °C, podemos afirmar que a razão CA/CB entre os ca-
d) 45 minutos lores específicos das substâncias A e B vale:
e) 54 minutos a) 6
b) 4
c) 3
221. (Uel) Uma certa massa m de água recebe calor de uma fonte d) 1/2
térmica de fluxo constante. Após 30s sua temperatura varia de 20 e) 1/3
°C para 50 °C. Uma massa 2m de outro líquido, aquecido na mesma

fonte durante 40s, sofre uma variação de temperatura de 20 °C para


60 °C. O calor específico desse líquido, em cal/g°C, vale 226. (Pucpr) O gráfico mostra a variação da temperatura em função
Dado: calor específico da água = 1,0 cal/g°C da quantidade de calor absorvida pelas substâncias A e B de mas-
a) 0,25 sas mA=150g e mB=100g.
b) 0,50
c) 1,0
d) 1,5
e) 2,0

222. (Ita) Uma roda d'água converte em eletricidade, com uma efi-
ciência de 30%, a energia de 200 litros de água por segundo caindo
de uma altura de 5,0 metros. A eletricidade gerada é utilizada para
esquentar 50 litros de água de 15 °C a 65 °C. O tempo aproximado
que leva a água para esquentar até a temperatura desejada é:
a) 15 minutos
b) meia hora
c) uma hora Misturando-se as duas substâncias A (mA=150g e tA=60°C) e B
d) uma hora e meia (mB=100g e tB=40°C), a temperatura final de equilíbrio será:
e) duas horas
a) 55°C
b) 50°C
223. (Pucsp) Uma barra de alumínio, inicialmente a 20 °C, tem, c) 45°C
nessa temperatura, uma densidade linear de massa igual a 2,8 × d) 60°C
e) 40°C
10-3 g/mm. A barra é aquecida sofrendo uma variação de compri-
mento de 3 mm. Sabe-se que o alumínio tem coeficiente de dilata-
ção linear térmica igual a 2,4 × 10-5 °C-1 e seu calor específico é 0,2
Página 7 de 15
227. (Unesp) Um bloco de certa liga metálica, de massa 250 g, é fogão de potência constante. Quando retira o recipiente do fogão, a
transferido de uma vasilha, que contém água fervendo em condi- água para de ferver e a estudante nota que restaram 0,80L de água
ções normais de pressão, para um calorímetro contendo 400 g de no recipiente.
água à temperatura de 10°C. Após certo tempo, a temperatura no Despreze o calor absorvido pelo recipiente, a sua dilatação e a dila-
calorímetro se estabiliza em 20°C. Supondo que toda a quantidade tação da água.
de calor cedida pela liga tenha sido absorvida pela água do calorí-
metro, pode-se dizer que a razão entre o calor específico da água e
a) Faça o esboço do gráfico t(°C)×Q(J) que representa esse aque-
o calor específico da liga metálica é igual a
cimento, onde t(°C) é a temperatura da água contida no recipiente e
a) 1. Q(J) é a quantidade de calor absorvida pela água. Coloque, pelo
b) 2. menos, os pontos correspondentes à temperatura inicial, à tempe-
c) 3.
ratura e quantidade de calor absorvida no início da ebulição e à tem-
d) 4.
peratura e quantidade de calor quando a água é retirada do fogo.
e) 5.

b) Suponha que toda a água que falta tenha sido vaporizada. Qual
228. (Fuvest) No gráfico, a curva I representa o resfriamento de um a energia desperdiçada nesse processo? Justifique.
bloco de metal a partir de 180°C e a curva II, o aquecimento de uma São dados:
certa quantidade de um líquido a partir de 0°C, ambos em função do Calor específico da água = 4200 J/(kg.°C).
calor cedido ou recebido no processo. Se colocarmos num recipi- Calor latente de vaporização da água: Lv=2300000J/kg.
ente termicamente isolante a mesma quantidade daquele líquido a
Densidade (massa específica) da água=1000kg/m3.
20°C e o bloco a 100°C, a temperatura de equilíbrio do sistema (lí-
quido+bloco) será de aproximadamente 1m3 = 1000 L.
Temperatura de ebulição da água na região=100°C.

231. (Unesp) Uma garrafa térmica contém inicialmente 450g de


água a 30°C e 100g de gelo na temperatura de fusão, a 0°C. Consi-
dere o calor específico da água igual a 4,0J/(g°C) e o calor latente
de fusão do gelo igual a 320J/g.

a) Qual será a quantidade de calor necessária para fundir o gelo


dentro da garrafa?
b) Supondo ideal o isolamento térmico da garrafa e desprezando a
capacidade térmica de suas paredes internas, qual será a tempera-
tura final da água contida no seu interior, quando o equilíbrio térmico
a) 25°C for atingido?
b) 30°C
c) 40°C
d) 45°C
e) 60°C 232. (Ufsc) Coloca-se um cubo de gelo de massa 50 g e tempera-
tura 0 °C dentro de um copo, contendo 200 g de água a 70 °C. Con-
siderando a ocorrência de trocas de energia apenas entre o gelo e
a água, determine a temperatura final de equilíbrio térmico, em °C.

229. (Unesp) O gálio é um metal cujo ponto de fusão é 30°C, à


pressão normal; por isso, ele pode liquefazer-se inteiramente Dados:
quando colocado na palma da mão de uma pessoa. Sabe-se que o calor de fusão do gelo = 80 cal/g.
calor específico e o calor latente de fusão do gálio são, respectiva- calor específico da água = 1,0 cal/g°C.
mente, 410J/(kg.°C) e 80000J/kg.

a) Qual a quantidade de calor que um fragmento de gálio de massa 233. (Uece) Um pedaço de gelo a 0 °C é colocado em 200 g de água
25g, inicialmente a 10°C, absorve para fundir-se integralmente a 30 °C, num recipiente de capacidade térmica desprezível e isolado
quando colocado na mão de uma pessoa? termicamente. O equilíbrio térmico se estabelece em 20 °C. O calor
latente de fusão do gelo é 80 cal/g e o calor específico da água é
b) Construa o gráfico t(°C)×Q(J) que representa esse processo, su- 1,0 cal/g.°C. A massa do pedaço de gelo, usado no experimento, é:
pondo que ele comece a 10°C e termine quando o fragmento de a) 10 g
gálio se funde integralmente. b) 20 g
c) 30 g
d) 40 g
230. (Unesp) Uma estudante põe 1,0L de água num recipiente gra-
duado, a temperatura ambiente de 20°C, e o coloca para ferver num

Página 8 de 15
234. (Udesc) Dentro de uma garrafa térmica há 120 g de gelo a 0 b) 3 minutos
°C. São introduzidos no interior da garrafa 160 g de água líquida, c) 2 minutos
em temperatura ambiente, e a mesma é tampada. Após a água en- d) 1 minuto
trar em equilíbrio térmico com o gelo, verifica-se que resta apenas e) 0,5 minuto
metade da quantidade inicial de gelo. Sabendo-se que o calor la-
tente de fusão do gelo é 80 cal/g, a temperatura inicial (em °C) da
água era: 238. (Uff) A figura representa um dispositivo, que possui uma lâ-
a) 24 mina bimetálica enrolada em forma de espiral, utilizado para acusar
b) 26 superaquecimento.
c) 28 Um ponteiro está acoplado à espiral cuja extremidade interna é fixa.
d) 32 A lâmina é constituída por dois metais, fortemente ligados, com co-
e) 30 eficientes de dilatação linear distintos, 1 e 2, indicados, respecti-
vamente, pelas regiões preta e cinza da espiral.

235. (Uece) O calor de fusão do gelo é 80 cal/g e o calor específico


da água é 1,0 cal/g°C. Se forem misturados, em um recipiente ter-
micamente isolado, 200 g de água a 60 °C e 200 g de gelo a 0 °C,
resultará, após o equilíbrio térmico:
a) água a 30 °C
b) água a 15 °C
c) água a 0 °C
d) gelo e água a 0 °C

236. (Unaerp) Você vai acampar por três dias e leva bujõezinhos
de gás de 2 kg; o calor de combustão do GLP (gás liquefeito de
petróleo) é 600 cal/g. Suponha que não haja perdas. Você utilizará
o gás para aquecer 10 L de água, desde 16 °C até 100 °C, por dia. Assinale a opção que expressa corretamente o funcionamento do
O número de bujões necessários será: dispositivo quando a temperatura aumenta.
Dados: densidade da água = 1 kg/L a) Independentemente da relação entre 1 e 2, a espiral sempre
se fecha e o ponteiro gira no sentido horário.
a) 2
b) 1 b) Com 1 < 2, a espiral se fecha e o ponteiro gira no sentido ho-
c) 5 rário.
d) 4 c) Com 1 > 2, a espiral se abre e o ponteiro gira no sentido horá-
e) 3 rio.
d) Com 1 < 2, a espiral se abre e o ponteiro gira no sentido horá-
rio.
e) Com 1 > 2, a espiral se fecha e o ponteiro gira no sentido ho-
Nível III: Avánçádo rário.

237. (Mackenzie) A figura I mostra uma barra metálica de secção 239. (Ufes) Quer-se encaixar um rolamento cilíndrico, feito de aço,
transversal quadrada. Suponha que 10 cal fluam em regime estaci- em um mancal cilíndrico, feito de liga de alumínio. O coeficiente de
onário através da barra, de um extremo para outro, em 2 minutos. dilatação linear da liga de alumínio vale 25,0×10-6°C-1. À tempera-
Em seguida, a barra é cortada ao meio no sentido transversal e os tura de 22°C, o rolamento tem o diâmetro externo 0,1 % maior que
dois pedaços são soldados como representa a figura II. O tempo o diâmetro interno do mancal. A temperatura mínima à qual o man-
necessário para que 10 cal fluam entre os extremos da barra assim cal deve ser aquecido, para que o rolamento se encaixe, é
formada é:
a) 20°C
b) 40°C
c) 42°C
d) 60°C
e) 62°C

240. (Ufrgs) Analise as seguintes afirmações.

I - É possível que um sistema absorva calor e a sua temperatura


baixe.
II - É possível que um sistema não absorva ou ceda calor e a sua
temperatura varie.
III - Mesmo que sejam deixados durante muito tempo no interior do
a) 4 minutos

Página 9 de 15
congelador de um refrigerador, dois objetos, um de alumínio e o ou- b) O aparelho de ar condicionado é acionado automaticamente
tro de plástico, não poderão atingir a mesma temperatura. quando a temperatura do ambiente atinge 27°C, abaixando-a para
25°C. Quanto tempo depois da chegada das pessoas no escritório
Quais afirmações estão corretas? o aparelho é acionado?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III. 244. (Ufg) O Brasil possui aproximadamente 27 milhões de chuvei-
d) Apenas I e II. ros elétricos instalados em residências. Mesmo que apenas uma
e) Apenas II e III. fração desses chuveiros esteja ligada ao mesmo tempo, o consumo
de energia desses aparelhos ainda é muito grande, principalmente
em horários de maior demanda de energia. Uma alternativa viável
241. (Unicamp) O ar é capaz de reter uma certa concentração de é a utilização de coletores de energia solar com o objetivo de aque-
vapor de água até atingir uma densidade de saturação. Quando a cer água. Suponha que um sistema de aquecimento solar de água,
concentração de vapor de água atinge essa densidade de saturação com placas coletoras de área igual a 8 m2, seja utilizado em uma
ocorre uma condensação, ou seja, a água muda do estado gasoso residência para aquecer 1 m3 de água contido em um reservatório.
(vapor) para o estado líquido. Esta densidade de saturação de- O sistema possui uma eficiência de 60%, isto é, ele converte 60%
pende da temperatura como mostra a tabela a seguir. A 'umidade da energia solar incidente em calor. Considere que a intensidade da
relativa' (em %) é definida como 'a razão entre a densidade de vapor radiação solar vale I = 700 W/m2, que o calor específico da água
de água existente no ambiente e a densidade de saturação'. vale c(água) = 4.200 J/kg°C e que a densidade da água vale d =
1,0×103 kg/m3.
a) Calcule, em horas, o tempo necessário para que a temperatura
da água no reservatório aumente 10 °C.
b) Sabendo que um kWh de energia elétrica custa R$ 0,27, calcule
quanto se gastaria para realizar o mesmo aquecimento usando
energia elétrica.
a) Em um certo dia frio (12 °C) a umidade relativa é de 75%. Qual
será a densidade relativa dentro de um quarto aquecido a 24 °C.
b) Em um certo dia quente (34 °C) a umidade relativa é de 50%. 245. (Unb) Um vestibulando de 80 kg, ao final do último dia de pro-
Abaixo de qual temperatura um copo de cerveja gelada passa a vas, para relaxar as tensões inerentes ao processo seletivo, resol-
condensar o vapor de água (ficar "suado")? veu descansar, na banheira de sua casa, repousando em água
aquecida a 35°C. Para isso, inicialmente colocou água a 20°C, até
completar o volume correspondente a 60% da capacidade da ba-
242. (Fuvest) Em um processo industrial, duas esferas de cobre nheira.
maciças, A e B, com raios RA=16cm e RB=8cm, inicialmente à tem- Sabendo que a banheira tem a forma de um paralelepípedo retan-
peratura de 20°C, permaneceram em um forno muito quente durante gular, com dimensões internas a 2,0 m, 1,0 m e 0,5 m, e admitindo
períodos diferentes. Constatou-se que a esfera A, ao ser retirada, que a densidade do corpo humano é de 400 kg/m 3, calcule, em
havia atingido a temperatura de 100°C. Tendo ambas recebido a graus centígrados, a temperatura do volume máximo de água
mesma quantidade de calor, a esfera B, ao ser retirada do forno, quente a ser colocado na banheira, de forma que o vestibulando
tinha temperatura aproximada de possa ficar totalmente submerso, sem que a água transborde. Des-
a) 30°C preze a capacidade térmica da banheira e as possíveis perdas de
b) 60°C calor pela água.
c) 100°C
d) 180°C
e) 660°C 246. (Fuvest) Dois recipientes iguais, A e B, contêm, respectiva-
mente, 2,0 litros e 1,0 litro de água à temperatura de 20°C. Utili-
zando um aquecedor elétrico, de potência constante, e mantendo-o
243. (Unicamp) Um escritório tem dimensões iguais a 5m×5m×3m ligado durante 80s, aquece-se água do recipiente A até a tempera-
e possui paredes bem isoladas. Inicialmente a temperatura no inte- tura de 60°C. A seguir, transfere-se 1,0 litro de água de A para B,
rior do escritório é de 25°C. Chegam então as 4 pessoas que nele que passa a conter 2,0 litros de água à temperatura T. Essa mesma
trabalham, e cada uma liga seu microcomputador. Tanto uma pes- situação final, para o recipiente B, poderia ser alcançada colocando-
soa como um microcomputador dissipam em média 100W cada na se 2,0 litros de água a 20°C em B e, a seguir, ligando-se o mesmo
forma de calor. O aparelho de ar condicionado instalado tem a ca- aquecedor elétrico em B, mantendo-o ligado durante um tempo
pacidade de diminuir em 5°C a temperatura do escritório em meia aproximado de
hora, com as pessoas presentes e os micros ligados. A eficiência a) 40s
do aparelho é de 50%. Considere o calor específico do ar igual a b) 60s
1000J/kg°C e sua densidade igual a 1,2kg/m3. c) 80s
d) 100s
a) Determine a potência elétrica consumida pelo aparelho de ar con- e) 120s
dicionado.

Página 10 de 15
247. (Fuvest) O processo de pasteurização do leite consiste em medindo em cada caso a temperatura final de equilíbrio térmico Te.
aquecê-lo a altas temperaturas, por alguns segundos, e resfriá-lo O gráfico da Figura 2 representa o resultado das experiências. A
em seguida. Para isso, o leite percorre um sistema, em fluxo cons- razão das massas do bloco de ferro e da substância desconhecida
tante, passando por três etapas: é mf/ms = 0,8. Considere o valor do calor específico do ferro igual a
0,1 cal/(g°C). A partir destas informações, determine para a subs-
I) O leite entra no sistema (através de A), a 5°C, sendo aquecido (no tância desconhecida:
trocador de calor B) pelo leite que já foi pasteurizado e está saindo
do sistema.
II) Em seguida, completa-se o aquecimento do leite, através da re-
sistência R, até que ele atinja 80°C.
Com essa temperatura, o leite retorna a B.
III) Novamente, em B, o leite quente é resfriado pelo leite frio que
entra por A, saindo do sistema (através de C), a 20°C.

a) a temperatura de fusão, Tfusão.


b) o calor específico, cs, na fase sólida.
c) o calor latente de fusão L.

250. (Puccamp) Em um calorímetro de capacidade térmica 40


cal/°C, que contém 200 g de água a 25°C, são colocados 100 g de
Em condições de funcionamento estáveis, e supondo que o sistema gelo a - 10°C. Atingido o equilíbrio térmico, a temperatura final, em
seja bem isolado termicamente, pode-se afirmar que a temperatura °C, será
indicada pelo termômetro T, que monitora a temperatura do leite na
saída de B, é aproximadamente de
Dados:
a) 20°C
b) 25°C Calor específico do gelo = 0,50 cal/g°C
c) 60°C Calor específico da água = 1,0 cal/g°C
d) 65°C Calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g
e) 75°C a) -2,0
b) zero.
c) 2,0
248. (Fuvest) Quando água pura é cuidadosamente resfriada, nas d) 10
condições normais de pressão, pode permanecer no estado líquido e) 15
até temperaturas inferiores a 0°C, num estado instável de "superfu-
são". Se o sistema é perturbado, por exemplo, por vibração, parte
da água se transforma em gelo e o sistema se aquece até se esta- 251. (Uff) Gelo seco nada mais é que gás carbônico (CO2) solidifi-
bilizar em 0°C. O calor latente de fusão da água é L = 80 cal/g. cado e sua aplicação vai de efeitos especiais em shows à conser-
Considerando-se um recipiente termicamente isolado e de capaci- vação de alimentos. Tal substância é conhecida desde meados do
dade térmica desprezível, contendo um litro de água a -5,6°C, à século XIX e recebeu esse nome devido ao fato de não passar pela
pressão normal, determine: fusão, quando submetida à pressão atmosférica e à temperatura
a) A quantidade, em g, de gelo formada, quando o sistema é pertur- ambiente, como ocorre com o gelo comum.
bado e atinge uma situação de equilíbrio a 0°C. Considere um cubo de 0,10 kg de gelo seco, a -78°C, e um bloco de
b) A temperatura final de equilíbrio do sistema e a quantidade de gelo comum de 1,0 kg, a -10°C, colocados em um recipiente.
gelo existente (considerando-se o sistema inicial no estado de "su- Desprezando a capacidade térmica do recipiente e a troca de calor
perfusão" a -5,6°C), ao colocar-se, no recipiente, um bloco metálico com o ambiente:
de capacidade térmica C=400cal/°C, na temperatura de 91°C. a) determine a temperatura de equilíbrio térmico;
b) descreva os elementos que comporão o sistema no equilíbrio tér-
mico.
249. (Fuvest) Um pesquisador estuda a troca de calor entre um
bloco de ferro e certa quantidade de uma substância desconhecida, Dados:
dentro de um calorímetro de capacidade térmica desprezível (ver
Temperatura de sublimação do gelo seco = -78°C
Figura 1). Em sucessivas experiências, ele coloca no calorímetro a
substância desconhecida, sempre no estado sólido à temperatura Temperatura de fusão do gelo comum = 0°C
T0 = 20°C, e o bloco de ferro, a várias temperaturas iniciais T, Calor latente de vaporização do gelo seco = 134cal/g

Página 11 de 15
Calor específico do vapor de gelo seco = 0,20cal/g°C
Calor específico do gelo comum = 0,50 cal/g°C 255. (Fuvest) Um recipiente de paredes finas contém 100 g de uma
liga metálica. O gráfico representa a temperatura T da liga em fun-
ção do tempo t.
Até o instante t = 50 s, a liga recebe de um aquecedor a potência P0
252. (Fuvest) Dois recipientes de material termicamente isolante
= 30 W e, a partir desse instante, passa a receber a potência P1 =
contêm cada um 10 g de água a 0 °C. Deseja-se aquecer até uma
43 W. A temperatura de fusão da liga é 327 °C e a de ebulição é
mesma temperatura os conteúdos dos dois recipientes, mas sem
superior a 1500 °C. Na situação considerada a liga perde calor para
misturá-los. Para isso é usado um bloco de 100 g de uma liga me-
o ambiente a uma taxa constante. Avalie:
tálica inicialmente à temperatura de 90 °C. O bloco é imerso durante
um certo tempo num dos recipientes e depois transferido para o ou-
tro, nele permanecendo até ser atingido o equilíbrio térmico. O calor
específico da água é dez vezes maior que o da liga. A temperatura
do bloco, por ocasião da transferência, deve então ser igual a
a) 10 °C
b) 20 °C
c) 40 °C
d) 60 °C
e) 80 °C

253. (Pucmg) O equivalente em água de um corpo é definido como


a quantidade de água que, recebendo ou cedendo a mesma quan-
tidade de calor, apresenta a mesma variação de temperatura.
Desse modo, o equivalente em água, de 1000g de ferro
(c=0,12cal/g°C) é igual a 120g de água (c=1,0cal/g°C). Visto isso, é a) a quantidade de calor perdida pela liga, a cada segundo, em J.
correto dizer que o equivalente em alumínio (c=0,20cal/g°C) de b) a energia (em J) necessária para fundir 1 g da liga.
1000g de ferro vale, em gramas: c) a energia (em J) necessária para elevar, de 1 °C, a temperatura
a) 200 de 1 g da liga no estado líquido.
b) 400 d) a energia (em J) necessária para elevar, de 1 °C, a temperatura
c) 600 de 1 g da liga no estado sólido.
d) 800
e) 1000
256. (Fuvest) As curvas A e B na figura representam a variação de
254. (Unifesp) Os líquidos podem transformar-se em vapor por eva- temperatura (T) em função do tempo (t) de duas substâncias A e B,
poração ou ebulição. Enquanto a evaporação é um fenômeno es- quando 50g de cada uma é aquecida separadamente, a partir da
pontâneo, restrito à superfície do líquido e que pode ocorrer a tem- temperatura inicial de 20°C, na fase sólida, recebendo calor numa
peratura e pressão ambientes, a ebulição ocorre em todo o líquido, taxa constante de 20cal/s.
sob condições de pressão e temperatura determinadas para cada Considere agora um experimento em que 50g de cada uma das
líquido. Mas ambas as transformações, para se efetivarem, exigem substâncias são colocadas em contato térmico num recipiente ter-
o consumo da mesma quantidade de calor por unidade de massa micamente isolado, com a substância A na temperatura inicial
transformada. TA=280°C e a substância B na temperatura inicial TB=20°C.

a) Quando as roupas são estendidas nos varais, ou a água no piso


molhado de um ambiente é puxada pelo rodo, tem-se por objetivo
apressar a secagem - transformação da água em vapor - dessas
roupas ou do piso. Qual a causa comum que se busca favorecer
nesses procedimentos? Justifique.

b) Avalia-se que a área da superfície da pele de uma pessoa adulta


seja, em média, da ordem de 1,0m2. Suponha que, ao sair de uma
piscina, uma pessoa retenha junto à pele uma camada de água de
espessura média 0,50mm. Qual a quantidade de calor que essa ca-
mada de água consome para evaporar? Que relação tem esse cál-
culo com a sensação de frio que sentimos quando estamos molha-
dos, mesmo em dias quentes? Justifique.

Dados: densidade da água = 1000kg/m3; a) Determine o valor do calor latente de fusão LB da substância B.
calor latente de vaporização da água = 2300kJ/kg. b) Determine a temperatura de equilíbrio do conjunto no final do ex-
perimento.

Página 12 de 15
c) Se a temperatura final corresponder à mudança da fase de uma
das substâncias, determine a quantidade da mesma em cada uma
das fases. 259. (Uel) Em um recipiente, de paredes adiabáticas e capacidade
térmica desprezível, introduzem-se 200 g de água a 20 °C e 80 g de
gelo a - 20 °C. Atingindo o equilíbrio térmico, a temperatura do sis-
257. (Mackenzie) Num copo com 200 mL de água a 20°C, são in- tema será
troduzidos 20 g de gelo a - 20°C; desprezadas as perdas e a capa- Dados:
cidade térmica do copo, após o equilíbrio térmico, a temperatura da calor específico da água = 1,0 cal/g°C
água será de:
calor específico do gelo = 0,50 cal/g°C
calor latente de fusão de gelo = 80 cal/g
Dados:
a) - 11 °C
calor específico da água = 1,0 cal/g°C b) 0 °C, restando 40 g de gelo.
calor específico do gelo = 0,5 cal/g°C c) 0 °C, restando apenas água.
calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g d) 0 °C, restando apenas gelo.
massa específica da água = 1,0 g.cm-3 e) 11 °C
a) 0 °C.
b) 10 °C.
c) 10,9 °C. 260. (Ita) Considere as seguintes afirmativas:
d) 11 °C.
e) 12 °C. I. Um copo de água gelada apresenta gotículas de água em sua
volta porque a temperatura da parede do copo é menor que a tem-
peratura de orvalho do ar ambiente.
258. (Puccamp) Um bloco de gelo, de massa 10g, é retirado de um II. A névoa (chamada por alguns de "vapor") que sai do bico de uma
congelador a -14°C e colocado num calorímetro ideal, contendo 50g chaleira com água quente é tanto mais perceptível quanto menor for
de água a 26°C. Aproximadamente, a temperatura final de equilíbrio a temperatura ambiente.
térmico é, em °C, III. Ao se fechar um "freezer", se sua vedação fosse perfeita, não
Dados: permitindo a entrada e a saída de ar de seu interior, a pressão in-
cgelo = 0,50 cal/g°C terna ficaria inferior à pressão do ar ambiente.
cágua = 1,0 cal/g°C a) todas são corretas.
Lfusão = 80 cal/g b) somente I e II são corretas.
a) 11 c) somente II e III são corretas.
b) 7 d) somente I e III são corretas.
c) 5 e) nenhuma delas é correta.
d) 3
e) zero

Página 13 de 15
GABARITO 214. a) 6,0 . 1020 J
b) 1,0 . 1010 s
181. D
215. a) Princípio da Conservação da Energia. Nos sistemas fe-
182. C
chados, as trocas internas ocorrem com conservação da quantidade
183. E
de energia.
184. A
b) 1 litro
185. B
186. C
216. A
187. D
217. a) M = 4,32 kg
188. A
b) cB = 0,8 J/g.°C
189. C
190. B
218. 5h 50min
191. a) 40J
219. I = 552 W/m2
220. E
b) 85,5°C
221. B
192. D 222. C
193. 50oC 223. B
194. a) 104 J/kg 224. B
b) 102 J/kg.°C 225. B
c) 2 × 102 J/kg.°C 226. A
227. C
195. B 228. A
196. D 229. a) Q = 2205 J
197. 12oC b)
198. C
199. c = 23 . 102 J/kg°C
200. E
201. a) CA = 7,5 J/°C e CB = 5 J/°C
b) mA/mB = 3

202. A
203. A
204. C
205. C
230. a)
206. A
207. B
208. B
209. E
210. C

211. D
212. C
213. C

Página 14 de 15
246. A
247. D
248. a) m = 70 g
b) 22°C; massa de gelo nula

249. a) 60°C.
b) 0,28 cal/°C
c) 20 cal/g

250. B
b) Q = 460 kJ
251. a) - 38°C
b) gelo comum e vapor de gelo seco

231. a) Q = 32000J.
252. D
b) 10°C.
253. C
254. a) O favorecimento da evaporação devido à ampliação da
232. 40oC
superfície livre da água.
233. B
b) 1150 kJ. Deve-se à perda de energia térmica, utilizada
234. E
para vaporizar a camada de água de sua pele
235. D
236. E
237. E 255. a) 30 J.
238. E b) 26 J.
239. E c) 6,5.10-2 J.
240. D d) 1,3.10-1 J.
241. a) 37,5 °C.
b) 18 °C. 256. a) LB = 24 cal/g.
242. E b) 80°C
243. a) 2100 W c) Fase sólida: 100/3 g
b) 3,75 min d) Fase líquida: 50/3 g

244. a) ≈3,5 h 257. B


b) R$ 3,15 258. B
259. B
245. 80oC 260. A

Página 15 de 15