Vous êtes sur la page 1sur 16

9

0 01 Razão, proporção e
grandezas proporcionais

Competências Habilidades
3e4 10, 11, 12, 13,
14, 15, 16, 17 e
18
© Pinkyone/Shutterstock

M T
MATEMÁTICA
Competência 1 – Construir significados para os números naturais, inteiros, racionais e reais.
H1 Reconhecer, no contexto social, diferentes significados e representações dos números e operações – naturais, inteiros, racionais ou reais.
H2 Identificar padrões numéricos ou princípios de contagem.
H3 Resolver situação-problema envolvendo conhecimentos numéricos.
H4 Avaliar a razoabilidade de um resultado numérico na construção de argumentos sobre afirmações quantitativas.
H5 Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos numéricos.
Competência 2 – Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade e agir sobre ela.
H6 Interpretar a localização e a movimentação de pessoas/objetos no espaço tridimensional e sua representação no espaço bidimensional.
H7 Identificar características de figuras planas ou espaciais.
H8 Resolver situação-problema que envolva conhecimentos geométricos de espaço e forma.
H9 Utilizar conhecimentos geométricos de espaço e forma na seleção de argumentos propostos como solução de problemas do cotidiano.
Competência 3 – Construir noções de grandezas e medidas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano.
H10 Identificar relações entre grandezas e unidades de medida.
H11 Utilizar a noção de escalas na leitura de representação de situação do cotidiano.
H12 Resolver situação-problema que envolva medidas de grandezas.
H13 Avaliar o resultado de uma medição na construção de um argumento consistente.
H14 Avaliar proposta de intervenção na realidade utilizando conhecimentos geométricos relacionados a grandezas e medidas.
Competência 4 – Construir noções de variação de grandezas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano.
H15 Identificar a relação de dependência entre grandezas.
H16 Resolver situação-problema envolvendo a variação de grandezas, direta ou inversamente proporcionais.
H17 Analisar informações envolvendo a variação de grandezas como recurso para a construção de argumentação.
H18 Avaliar propostas de intervenção na realidade envolvendo variação de grandezas.
Competência 5 – Modelar e resolver problemas que envolvem variáveis socioeconômicas ou técnico-científicas, usando representações
algébricas.
H19 Identificar representações algébricas que expressem a relação entre grandezas.
H20 Interpretar gráfico cartesiano que represente relações entre grandezas.
H21 Resolver situação-problema cuja modelagem envolva conhecimentos algébricos.
H22 Utilizar conhecimentos algébricos/geométricos como recurso para a construção de argumentação.
H23 Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos algébricos.
Competência 6 – Interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas, realizando previsão de
tendência, extrapolação, interpolação e interpretação.
H24 Utilizar informações expressas em gráficos ou tabelas para fazer inferências.
H25 Resolver problema com dados apresentados em tabelas ou gráficos.
H26 Analisar informações expressas em gráficos ou tabelas como recurso para a construção de argumentos.
Competência 7 – Compreender o caráter aleatório e não determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos ade-
quados para medidas, determinação de amostras e cálculos de probabilidade para interpretar informações de variáveis apresentadas em
uma distribuição estatística.
Calcular medidas de tendência central ou de dispersão de um conjunto de dados expressos em uma tabela de frequências de dados agrupados
H27
(não em classes) ou em gráficos.
H28 Resolver situação-problema que envolva conhecimentos de estatística e probabilidade.
H29 Utilizar conhecimentos de estatística e probabilidade como recurso para a construção de argumentação.
H30 Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos de estatística e probabilidade.
Razão
A razão entre duas grandezas é o quociente entre elas. Assim, por exemplo, se numa festa compareceram
20 homens e 30 mulheres, dizemos que:

I. A razão entre o número de homens e o de mulheres na festa é:


n° Homens 
​ _________ ​  20  ​ = __
= ___
 ​  ​  2 ​ (lê-se: 2 para 3)
n°Mulheres 30 3
Isso significa que para cada 2 homens existem 3 mulheres.

II. A razão entre o número de mulheres e o total de pessoas na festa é:


______________
​   
   30   ​ 
n° Mulheres  ​ =​ _______ ​  30  ​ = __
= ___ ​  3 ​ (lê-se: 3 para 5)
n°Total de Pessoas 20 + 30 50 5
Isso nos diz que para cada 5 pessoas na festa, 3 são mulheres.
As grandezas envolvidas em uma razão podem ser de espécies diferentes. Por exemplo, se, na festa citada,
as mulheres consumiram 120 salgadinhos e os homens consumiram 100, dizemos que:

III. A razão entre o número consumido pelos homens e o número de homens foi de:
5 salgados
________
​   ​ (lê-se: 5 salgados por homem)

homem
Isto significa que, em média, cada homem consumiu 5 salgados.

IV. A razão entre o número de salgados consumidos e o número de pessoas foi de:

___________ 4,4 salgados


(120 + 100) salgados __________
n° de salgados ________________
  
​   ​ 
= ​       ​ = ​  pessoa ​  (lê-se: 4,4 salgados por pessoa)

n° de pessoas (30 + 20) pessoas
Isto é, em média, cada pessoa consumiu 4,4 salgados.
Em geral, dados dois números reais a e b, com b ≠ 0, usamos ​ __a  ​ou a : b para indicar a razão entre a e b,
b
respectivamente.
Na razão (lê-se: a para b), o número a é chamado de antecedente e o número b, de consequente.

​ a  ​
Razão entre a e b = __
b

Proporção
Proporção é uma igualdade entre duas razões. Quando dizemos que os números reais a, b, c e d, não nulos,
formam, nessa ordem, uma proporção, significa que se tem a seguinte igualdade:

​ __a  ​ = __
​  c  ​ou a · d = c · b (lê-se: a está para b, assim como c está para d)
b d
Observe, na última igualdade acima, que os termos a e d ficaram nas extremidades (a e d são chamados de
extremos da proporção), já os termos b e c ficaram no meio (b e c são chamados de meios da proporção).

103
Propriedades da proporção I. Na primeira jarra:
poupa 3 ____________ poupa
​ _____ ​ = ​ __  ​ ä ​     ​  3   ​ ä
   ​ = _____
água 7 (poupa + água) 3 + 7
Se __​  a  ​ = ​ __c  ​, com a, b, c e d, reais não nulos, te-
b d 3  ​ · J e água = ___
__a c
__ ä poupa = ​ ___ ​  7  ​ · J
mos ​    ​ = ​    ​= k, em que k é chamado de constante de 10 10
b d
Note: poupa + água = J (volume da jarra)
proporcionalidade. Essa constante k é o número de ve-
II. Na segunda jarra:
zes que cada antecedente é maior que seu respectivo poupa __ poupa
consequente. Veja:
_____
​   ​ = ​ 3  ​ ä ____________
​     ​  3   ​ ä
   ​ = _____
água 5 (poupa + água) 3 + 5
​  a  ​ = __
__
b d { 
​  c  ​= k ä ​ a   
​ = k · b ​  
c = k · d​
​ poupa = __ ​ 3 ​ · J e água = __
8
​ 5 ​ · J
8
Sendo assim, temos as seguintes propriedades: III. Juntando-se as duas jarras, obteremos:
3  ​ · J + __
​ ___ ​ 3 ​ · J
P1: ​ __a  ​ = __
​  c  ​ ä ad = bc (propriedade fundamental) poupa __________
_____
​   ​ = ​  10 8    ​ ä
b d água ___ ​    ​ · J + ​ 5 ​ · J
7 __
“Numa proporção, o produto dos meios é igual 10 8
ao produto dos extremos”. 12J +  ​
​ ________ 15J   
ä ​  ________ 40   ​ 27  ​= 27:53
= ___
 ​ 
Veja: 28J + 25J
______
​   ​   53

{ a · d = (kb) · d = kbd
​ ​       
   ​ ​ ä a · d = b · c
b · c = b · (kd) = kbd ​
40
Daí, a proporção ideal consiste em 27 partes de
poupa de fruta para 53 partes de água.
P2: ​ __a  ​ = __
​  c  ​ ä __
​  a  ​ = __
​  c  ​ = _____
​  a + c 
 ​  2. Um bar vende suco e refresco de tangerina. Am-
b d b d b+d
bos são fabricados diluindo em água um con-
Veja:
centrado dessa fruta. As proporções são de uma
a + c 
​ _____ ​ kb + kd ​ 
 ​ = ______   ä parte de concentrado para três de água, no caso
b+d b+d
k(b + d) do suco, e de uma parte de concentrado para seis
a + c 
ä ​ _____  ​ = _______
​  ä
 ​ 

b+d b+d de água, no caso do refresco. Faltando refresco e
a + c  sobrando suco, o chefe de cozinha do bar poderá
ä ​ _____  ​ = k = __ ​  a  ​ = __
​  c  ​
b+d b d transformar o suco em refresco. Mas, para isso, ele
deverá saber quantas partes de suco (x partes) ele
P3: ​ __a  ​ = __
​  c  ​ ä _____
​  a   ​ = ____
​  c   ​  deverá diluir em Y partes de água. A relação entre
b d a+b c+d
X poderá ser obtida através das proporções. Veja:
Veja: I. Para o suco:
a   ​ = ____
​ _____ ​  c   ​ ä _____
​  bk   ​  ​  dk   ​ 
= _____ concentrado
a+b c+d bk + b dk + d
ä ​ __________  ​    ​ 1 ​ 
= __
água 3
bk   ​  concentrado ​  1   ​ 
ä ​ _______ ​  dk   ​ 
= _______ (verdade). ä ________________
​     ​ = _____
  
b(k + 1) d(k + 1) (concentrado + água) 1 + 3

äConcentrado = ​ __ 1  ​do suco e


4
Teoria na prática 3
__
água = ​    ​do suco
4
1. Duas jarras idênticas contêm poupa de fruta e Note: concentrado + água = suco (todo)
água nas proporções: 3:7 na primeira e 3:5 na
II. Para o refresco, obtido a partir do suco:
segunda. Julgando o suco da primeira “muito
​ 1 ​ x
__
fraco” e o da segunda “muito forte”, Dona Ben- ​  concentrado
__________  ​   = ​   ​ ä ​  4    ​ 
1
__ _____ ​  1 ​ 
= __
ta resolveu juntar os conteúdos das duas jarras água 6 y + __ 3
​   ​ x 6
4
numa vasilha maior, obtendo, a seu ver, um suco ä ​ __ 6  ​x = y + __
​ 3 ​ x ä __
​ 3 ​ x = y
na proporção ideal de poupa de fruta e água. 4 4 4
ä 3x = 4y ä _​  xy ​  = __ ​ 4 ​ 
Considerando J o volume de uma jarra, podemos 3
descobrir essa proporção ideal utilizando as pro- Observe que, ao adicionar x copos de suco, te-
priedades das proporções. Veja: remos __ ​  1 ​ x de concentrado, e de água teremos os
3
3  ​x do suco mais y copos de água.
​ __
104 4
Assim, conhecendo a quantidade de copos de 5. Uma empresa fabricante de suco que envasava
suco disponíveis, o chefe saberá quantos copos o produto em frascos de vidro passou a fazer o
de água deverá acrescentar para obter o refres- envasamento em um novo vasilhame plástico
co. Por exemplo, se sobrarem 8 copos de suco 2  ​da capacidade do frasco anterior.
com ​ __
3
(x = 8), deverão ser adicionados 6 copos de água A lanchonete revendedora enche de suco um
8 ​ = __
(y = 6), pois ​ __ ​  4 ​ . copo com capacidade de __ ​ 1 ​ do frasco de vidro.
6 3 5
A quantidade de copos de suco (inteiro + fração)
3. Um carpinteiro fabrica portas retangulares maci-
que a lanchonete obtém com um frasco do novo
ças, feitas de um mesmo material. Por ter recebi-
vasilhame é igual a:
do de seus clientes pedidos de portas mais altas, a) 1 copo e 2/3
1 ​ , preservando suas es-
aumentou sua altura em ​ __
8 b) 2 copos e 1/3
pessuras. A fim de manter o custo com o material c) 2 copos e 2/3
de cada porta, precisou reduzir a largura. d) 3 copos e 1/3
Qual a razão entre a largura da nova porta e a e) 3 copos e 2/3
largura da porta anterior?
Resolução:
Resolução:
Volume do frasco de vidro: v
Sejam x, y e z, respectivamente, a altura, a espes-
Volume do frasco de plástico: ​ __ 2v ​ 
sura e a largura da porta original. Logo, segue 3
que o volume da porta original é igual a x · y · z v
__
Volume do copo: ​    ​
5
Aumentando-se em __ ​ 1 ​ a altura da porta e preser-
8 ​ 2v ​ 
__
Número de copos:​ ___ 3 __ 2v __ 5 ___ 10
vando sua espessura, deve-se ter, a fim de man- v​    ​  ​ = ​  3 ​ ∙ ​  v ​ = ​  3 ​ 
__
ter o custo com o material, __ ​ 9x ​ ∙ y · z1 = x ∙ y ∙ z 5
8 1  ​
8z
__ Ou seja, 3 copos e ​ __
⇔ z1 = ​   ​ com sendo a largura da nova porta. 3
9
z1 __ 8
Portanto, a razão pedida é ​ __ z ​ = ​ 9 ​ 
Alternativa D

6. As dimensões de um paralelepípedo retângulo


4. Por um terminal de ônibus passam dez linhas di-
são proporcionais aos números 1, 2 e 3 e sua
ferentes. A mais movimentada delas é a linha 1:
quatro em cada sete usuários do terminal viajam área total é igual a 198 cm2. Sobre esse parale-
nessa linha. Cada uma das demais linhas trans- lepípedo, assinale o que for correto.
porta cerca de 1.300 usuários do terminal por dia. a) Seu volume vale 162 cm3.
Considerando que cada passageiro utiliza uma b) As suas dimensões formam uma progressão
única linha, a linha 1 transporta, por dia, cerca de aritmética.
a) 5.200 usuários do terminal. c) A soma das medidas de todas as suas ares-
b) 9.100 usuários do terminal. tas é 72 cm.
c) 13.000 usuários do terminal. d) Sua diagonal é maior que 11 cm.
d) 15.600 usuários do terminal.
e) 18.200 usuários do terminal. Resolução:
Resolução: Sejam a, b e c as dimensões do paralelepípedo
retângulo. Tem-se que:

{ 
Seja T o total de usuários do terminal. Sabendo
   a=k
que 9 linhas transportam 1.300 usuários por dia, __ ​  b  ​ = __
​  a  ​ = __ ​  c  ​= k ⇔ ​ b  
​  = 2k   

4  ​dos usuários do terminal utilizam a linha 1 2 3
e que ​ __ c = 3k
7 3  ​com k sendo um número real positivo.
1, tem-se __
​   ​ ∙ T = 9 ∙ 1300 ⇒ T = 3 ∙ 7 ∙ 1300
7 ​
Dado que a área total é igual a 198 cm2, vem:
Portanto, o resultado pedido é ​ __ 4  ​ ∙ 3 ∙ 7 ·
4 ​  ∙ T = ​ __
7 7 2(ab + ac + bc) = 198 ⇔ k ∙ 2k + k ∙ 3k + 2k ∙
1300 ⇒ T = 15.600
3k = 99 ⇔ k2 = 9 ⇒ k = 3
Alternativa D
105
Por conseguinte, encontramos a = 3 cm, b = 6 cm Teoria na prática
e c = 9 cm
a) Correto. O volume do paralelepípedo vale
1. Se (a, b, 20) e ​3, ​ __
3 (  )
2  ​, 5  ​são proporcionais,
determine o coeficiente de proporcionalidade e
a · b · c = 3 · 6 · 9 = 162 cm3 os valores de a e b.

b) Correto. As dimensões formam uma progres- ​ __a  ​ = __ ​  20 ​ ä __


​  b  ​ = ___ ​  a  ​ = ___
​ 3b ​ = 4
3 ​ __ 2  ​ 5 3 2
são aritmética com primeiro termo igual a 3 e 3
razão igual a 3. Coeficiente de proporcionalidade:
c) Correto. A soma das medidas de todas ares-
tas é igual a
4(a + b + c) = 4(3 + 6 + 9) = 72 cm
d) Correto. A diagonal do paralelepípedo mede
_________ __________
2. Os irmãos João Victor, Gabriela e Matheus têm 16
____
d = ​√a + b + c
2 2 2
=​√32 + 62 + 92 ​ 
 ​   = ​√126 ​ cm anos, 14 anos e 10 anos, respectivamente. Se o
____ ____ pai deles distribuir R$ 240,00 reais entre eles, em
Portanto, temos ​√126 ​ cm > ​√121 ​ cm = 11 cm.
partes diretamente proporcionais às idades, quan-
to receberá cada um?
Grandezas diretamente e Sendo k a constante de proporcionalidade, a
parte de cada um será k vezes a respectiva idade,
inversamente proporcionais ou seja, as partes serão 16 k (João Victor), 14 k
(Gabriela) e 10 k (Matheus).
Considere as seguintes sequências numéricas:
1ª sequência: (2, 6, 4, 10)
2ª sequência: (6, 18, 12, 30)
Nessas sequências, observe que elas crescem ou
decrescem na mesma razão inversa, isto é, se um dado
João Victor, Gabriela e Matheus receberam,
elemento de uma delas triplica, por exemplo, o corres-
pondente desse elemento na outra sequência também respectivamente, R$ 96,00, R$84,00 e R$60,00
triplica. Em outras palavras, os elementos correspon- Observação: o mais velho recebe mais pois as
dentes nas duas sequências estão na mesma razão. partes são diretamente proporcionais às idades.
Quanto mais velho, mais recebe.

Números inversamente
proporcionais
Em geral, dizemos que os números da sucessão
numérica (a1, a2, a3,..., an) são diretamente proporcio- Considere as seguintes sequências numéricas:
nais (ou simplesmente proporcionais) aos números da
sucessão (b1, b2, b3, ..., bn) quando as razões entre seus
​ 1 ​ ; ​ __
1ª sequência: ​__
2 6 4 10 ( 
1  ​; ​ __
1  ​; ​ ___
)
1  ​  ​formada pelos

respectivos correspondentes forem iguais, ou seja: respectivos inversos de (2, 6, 4, 10).


2ª sequência: (6, 18, 12, 30)
Nessas sequências, observe que elas crescem ou
decrescem na razão inversa, isto é, se dado elemento de
uma delas triplica, por exemplo, o correspondente deste
elemento na outra sequência reduz-se a sua terça parte.
Esta razão constante k é chamada de fator de Note que os inversos dos números da 1ª sequ-
proporcionalidade e indica quantas vezes cada antece- ência são diretamente proporcionais aos números da
dente é maior que o respectivo consequente. 2ª sequência.

106
Inversos da 1ª sequência (2, 6, 4, 10) Teoria na prática
Em geral, dizemos que os números da sequência 1. Se (a, 8, b) e (3, c, 5) são inversamente propor-
(a1, a2, a3, ..., an) são inversamente proporcionais aos cionais e têm coeficiente de proporcionalidade
números da sequência (b1, b2, b3, ..., bn) quando os nú- igual a 120, calcule a, b e c.
meros de uma delas forem, respectivamente, diretamen- Os produtos dos respectivos elementos devem
ser iguais ao coeficiente de proporcionalidade.
te proporcionais aos inversos da outra, ou seja:

a a2 __ a a Daí:
__
​  1  ​ = __
​    ​ = ​  3  ​= ... = __
​  n  ​= k
​  1  ​  __
__ ​  1  ​  __
​  1  ​  ​  1  ​ 
__
b1 b2 b3 bn

Ou de outra forma:

a1b1 = a2b2 = a3b3 = ... = anbn = k 2. Os funcionários de uma fábrica, Lucas, Raquel e
Elias, no mês de maio, faltaram ao serviço 8 dias,
Aqui, a constante k também é chamada de fator
5 dias e 2 dias, respectivamente. Se o diretor fi-
ou coeficiente de proporcionalidade e indica o produto
nanceiro dessa fábrica dividir R$ 396,00 entre os
entre os respectivos elementos das sequências inversa- citados funcionários, em partes inversamente pro-
mente proporcionais. porcionais às faltas, quanto receberá cada um?
Em resumo, considerando as sequências (a1, a2, As partes procuradas devem ser diretamente
..., an) e (b1, b2, ..., bn), temos: proporcionais aos inversos dos números de falta
Se elas são diretamente proporcionais, as razões
entre os respectivos elementos são iguais:
( ​ 1 ​ , __
​ __
8 5 )
​ 1 ​  e ​ __
1  ​  ​, respectivamente. Sendo k a
2
constante de proporcionalidade, as par-
tes são, então, __ ​  1  ​· k
1  ​· k (Lucas), __
​ 
8 5
1
__
(Raquel) e ​   ​ · k (Elias).
2
Daí:

Se elas são inversamente proporcionais, os pro-


dutos entre os respectivos elementos são iguais:

Lucas, Raquel e Elias receberão R$ 60,00,


R$ 96,00 e R$ 240,00, respectivamente.

Observação: quem faltou mais recebe menos,


pois as partes são inversamente proporcionais.
Quanto mais falta, menos recebe.

107
2. Rafaela, Augusto e Moacir têm 14,12 e 9 anos e
Sequências proporcionais tiraram notas iguais a 7, 9 e 6, respectivamente,
na prova de Português. Se o pai deles repartir
a várias outras 92 reais em partes inversamente proporcionais
às idades e diretamente proporcionais às notas
Se os números de uma sequência são proporcio-
entre eles, quanto irá receber cada um?
nais aos respectivos números de várias outras sequên-
Sendo k o coeficiente de proporcionalidade, as
cias, eles são números proporcionais.
partes devem ser:
Teoria na prática ​ k  ​
1  ​ · 7 · k = __
§§ Rafaela = ​ ___
14 2
1. Usando a constante de proporcionalidade k, re-
presente quantidades:
1
§§ Augusto = ​ ___  ​ · 9 · k = __ ​ 3k ​ 
12 4
a. Diretamente proporcionais a 2, 5 e ​ __ 3  ​ 1 2k
8 §§ Moacir = ​ __  ​· 6 · k = __
​   ​ 
9 3
Se a 1º quantidade é k vezes maior que o 1º
número (2), a 2º e a 3º quantidades devem Daí,
ser também k vezes 5 e k vezes __​ 3 ​ , respecti-
8 __ ​ 3k ​ + __
​  k  ​ + __ ​ 2k ​ = 92 ä
vamente. Daí: 2 4 3

1ª quantidade = 2 · k ä 6k + 9k + 8k = 92 · 12
2ª quantidade = 5 · k
3  ​ k ​ 92 · 12
⇒ k = ______  ​  ä k = 48
3ª quantidade = ​ __ 23
8
Assim,
b. Inversamente proporcionais a __ ​ 1 ​ , __
​ 1 ​ e 21
3 6
As quantidades devem ser diretamente pro- 48 ​
​ __k  ​ = ___
​  3k ​  = ​ 3 _____
  = 24; __
​  · 48
 ​
   = 36 e
1  ​ (inversos dos números 2 2 4 4
porcionais a 3, 6 e ​ __
21
dados), respectivamente. ​ 2 · 48
​  2k ​ = _____
__  ​  = 32
3 3
Daí:
1ª quantidade = 3 · k Rafaela deve receber 24 reais; Augusto, 36 reais
e Moacir, 32 reais.
2ª quantidade = 6 · k

​ 1  ​ · k
3ª quantidade = ___
Grandezas diretamente
21

c. Diretamente proporcionais a 2, ​ __ 3  ​e 9 inversa-

​ 3 ​ , 6 e __
mente proporcionais a __
5
​ 1 ​ .
proporcionais
2 8
As quantidades devem ser diretamente Observe na tabela seguinte as quantidades (Q)

(  ) ( 
de picolés comprados a R$ 3,00 reais cada um e os
3  ​, 9  ​e ​ __
proporcionais a ​ 2, ​ __
5
​  2 ​ , ​ __
36 )
1  ​e 8  ​, os inversos
respectivos valores pagos:
( 
​ __
2 8 )
​ 3 ​ , 6, __
​ 1 ​   ​.
Valor(V) 3 6 15 24 18 36
Assim, as quantidades serão proporcionais
Quantidade (Q) 1 2 5 8 6 12
aos produtos 2 · __ ​ 3 ​ · __
​ 2 ​ ; __ ​ 1 ​ e 9 · 8
3 5 6
Daí: Note que as razões obtidas entre os respectivos
elementos das sequências de valores (V) e de quantida-
1ª quantidade = 2 · ​ __ 2  ​· k = __​ 4 ​ k
3 3 de (Q) são iguais.
3 ​ 1 ​ · k = ___
2ª quantidade = ​ __  ​ · __ ​  k  ​ 
5 6 10 ​ 3 ​ = __
V  ​ = __
​ __ ​ 6 ​ = ___
​ 15 ​ = ... ___
​ 36  ​ ä __
​  V  ​= 3
Q 1 2 5 21 Q
3ª quantidade = 9 · 8 · k = 72 k

108
Em geral, dizemos que duas grandezas, A e B,
são diretamente proporcionais quando uma aumenta Grandezas
e outra também aumenta na mesma proporção, isto é,
quando as razões obtidas entre os valores assumidos inversamente proporcionais
por uma das grandezas e os respectivos valores assumi-
Matheus quer dividir todos os seus 60 bombons
dos pela outra forem iguais.
entre seus amigos em parte iguais. Observe na tabe-
Em símbolos:
la seguinte os possíveis números de amigos (A) e as
A ​  = k,
A∝B à ​ __
B respectivas quantidades (B) de bombons recebidos por
cada amigo.
em que k é a constante de proporcionalidade.
Número de
2 3 4 5 6 10 30
amigos (A)
Teoria na prática Bombons
1. As grandezas X e Y são diretamente proporcio- 30 20 15 12 10 6 2
recebidos (B)
nais.
Quando X vale 28, tem-se Y valendo 12. Assim, se Note que os produtos obtidos entre os respec-
Y = 15, quanto vale X? tivos elementos das sequências “números de amigos”
Devemos ter ​ __ X ​  = k, onde k é a constante. Daí: (A) e “número de bombons recebidos” (B) são iguais:
Y
X
I. ​ __ ​  = k ä ___ ​ 28 ​ = k ä = __ ​ 7 ​  A · B = 2 · 30 = 3 · 20 = ... = 30 · 2 ä A · B = 60
Y 12 3
X ​  = __
II. ​ __ ​  7 ​ ä ___
​  X  ​ = __
​ 7 ​ ä X = 35 Em geral, dizemos que duas grandezas, A e B,
Y 3 15 3
são inversamente proporcionais quando uma aumenta
2. Um trabalhador limpará dois terrenos circulares e a outra diminui na razão inversa, isto é, quando os
cujos raios medem 5 e 15 metros. Se, para lim- produtos obtidos multiplicando-se cada valor assumido
par o primeiro terreno, esse trabalhador gastou
por uma das grandezas pelo respectivo valor assumido
3 horas, considerando os dois terrenos com igual
pela outra forem iguais.
dificuldade de limpeza, ele poderá estimar quan-
Em símbolos:
to tempo levará para limpar o segundo terreno?
As grandezas "quantidade de horas" (T) e 1  ​ à A · B = K
A a ​ ____
“área a limpar” (A) são diretamente propor- B
cionais (note: “quanto maior a área, mais tem-
T  ​= k em onde k é a constante de proporcionalidade.
po se gasta para limpá-la”). Daí, ​ __
A
que k é a constante de proporcionalidade e
A = p (raio)2. Teoria na prática
1. Duas grandezas V e W são inversamente pro-
Assim, devemos ter, considerando os dois terre- porcionais. Quando V vale 18, tem-se W valendo
nos: ​ __ ​  3   
T  ​ = _____ ​  x   
 ​ = ______  ​= k (constante) em 24 ​ , quanto vale V?
20. Assim, se W vale ​ ___
A p · 52 p · 152 7
que x é o tempo, em horas, gasto na limpeza do Devemos ter V · W = k, onde k, é a constante.
Daí:
segundo terreno.
I. V · W = k ä 18 · 20 = k ä k = 360
3 · 15
Daí x = ​ _____
 ​ 

2
= 27 II. V · W = 360 ä V · ​  24 ​
___  = 360 ä
52 7
360 · ​7 
ä V = ​ ______  ä V = 105
24

109
2. Se 20 operários, todos com a mesma capacida-
Teoria na prática
de de trabalho, realizam determinado serviço 1. Três grandezas X, Y e Z são tais que X é
em 15 dias, podemos deduzir em quantos dias diretamente proporcional a Y e inversamente
24 desses operários farão serviço idêntico. Para proporcional a Z. Quando X vale ​ __ 2  ​, tem-se Y
3
isso, note que as grandezas “nº de operários”
valendo __ ​ 3 ​  e Z valendo __
​ 9  ​. Assim, se Y vale __​  7 ​  e z
(H) e "nº dias" (D) são inversamente proporcio- 5 5 8
1  ​ ​, qual o valor de X?
vale ​ __
nais (note: “quanto mais homens trabalhando, 4
menos tempo eles gastam”). Daí, H · D = k, em
​ X ·  ​
Devemos ter ____ Z 
 = K onde k é a constante. Daí:
que k é a constante. Y
2  ​ · ​ __
​ __ 9  ​
Assim, para os dois serviços, deveremos ter: X·Z
____ ____3 5  6  ​ · ​ __
5  ​= K ä K = 2
I. ​   ​   = K ä ​   ​  = K ä ​ __
Y __3 5 3
H · D= 20 · 15 = 24 · x = k (constante), onde x ​   ​ 
5
é número de dias para realizar o outro serviço. 1  ​
X · ​ __
X·Z
____ 4  X ​  = __
20 · 15
Logo, x = ​ ______
 ​ 
 = 12,5. II. ​   ​  ____
 = 2 ä ​   ​  = 2 ä ​ __ ​ 7 ​ ä X = 7
24 Y __7 4 4
​   ​ 
8
2. Para construir uma barragem de 22 metros de
Grandezas proporcionais a comprimento por 0,9 metro de largura, 20 operá-
rios gastam 11 dias, trabalhando 8 horas por dia.
duas ou mais outras grandezas Em quanto tempo 8 operários, trabalhando 6 horas
por dia, construirão uma barragem de 18 metros de
Se uma grandeza A é proporcional às grandezas
comprimento, 0,3 metro de largura e com o dobro
B e C, então A é proporcional ao produto B · C, isto é:
da altura da primeira, se a capacidade de trabalho
A   ​ = k em que k é a constante do 2º grupo é o dobro da do 1o grupo?
​ ____
B·C Tomando a grandeza "nº de dias" (D) como
referência (a grandeza cujo valor se quer des-
Essa propriedade se estende para mais de duas
cobrir), são diretamente proporcionais a ela:
outras grandezas. Por exemplo:
comprimento (C), largura (L), altura (A) (note:
a. A grandeza X é proporcional às grandezas Y, Z e
quanto maior é o C, L ou A, maior é o D). Já as
W. Então:
grandezas "nº de operário" (P), "horas por dia
X   ​ 
​ _______ = constante de trabalho" (H) e "capacidade" (E) são inversa-
Y·Z·W mente proporcionais a D (note: quanto maior é o
b. A grandeza M é diretamente proporcional às P, H ou E, menor é o D). Considerando a primei-
grandezas A e B e inversamente proporcional à ra barragem de altura 1, a segunda terá altura
grandeza C. Então: 2,e considerando a capacidade de trabalho do
1º grupo 1, a do 2º grupo será 2. Daí:
M · C ​ = constante
​ _____
A·B D · P · H · ​
E 
​ _________   = K, onde k é a constante.
C·L·A
c. A grandeza X é inversamente proporcional às
11 · 20 · 8 · 1
grandezas P, Q, R e diretamente proporcional à I. ​ ___________
22 · 0,9 · 1
  
 ​ ​ 80  ​ ä K = ___
= K ä K = ___ ​ 800 ​
  
0,9 9
grandeza S. Então:
D ·P · H · E ___
II. ​ ________
C·L·A
= ​  800 ​  ä ​ D
 ​ 
  · 8 · 6 · 2 ​ 
_________ 800 ​  ä
= ​ ___
9 18 · 0,3 · 2 9
X·P·Q·R
_________
​   ​ = constante
  800 · 3 · 0,3
S D = ​ __________
 ​  ä D = 10

9·8
Observações: os valores de uma mesma gran-
deza devem estar numa mesma unidade.

110
Regra de três simples e
regra de três composta
Existe uma regra prática que nos permite relacio- Após serem recortadas, as duas figuras são pe-
nar dois valores de uma grandeza A com dois valores, sadas em uma balança de alta precisão, que indica uma
de outras grandezas proporcionais à grandeza A. massa de 1,44 g para o quadrado da cartolina. Desse
Essa regra pode ser resumida assim: modo, usando grandezas proporcionais, os botânicos
podem determinar a área das folhas. Supondo que o
§§ 1º passo: montamos uma tabela colocando em
botânico obteve a massa da figura da folha igual a 3,24
cada coluna, ordenadamente, os valores de cada
g, ele poderia usar a seguinte regra de três:
grandeza.
§§ 2º passo: escolhemos uma grandeza para servir Área (cm2) Massa (g)
de referência, de preferência a que se quer saber 100 1,44
x 3,24
o valor.
§§ 3º passo: à grandeza de referência, associamos 1,44
​ 100
Daí, ___ ____
x ​  = ​  3,24  ​ é 1,44x = 324 ä x = 225
uma seta com sentido para baixo (é só uma con-
Logo, a área da folha é 255 cm2.
venção, poderia ser para cima).
§§ 4º passo: comparamos essa grandeza de referên- 2. As grandezas X e Y são diretamente proporcio-
cia a cada uma das outras, isoladamente, identi- nais. Quando X vale 28, tem-se Y valendo 12.
ficando se há proporcionalidade direta (setas no Assim se Y vale 15, quando vale X?
mesmo sentido) ou inversa (setas invertidas). Usando regra de três, temos:
§§ 5º passo: colocamos a razão da grandeza de re-
Grandeza X Grandeza Y
ferência isolada no 1º membro e, no 2º membro,
28 12
colocamos a outra razão ou o produto das outras a 15
grandezas, caso tenha mais de uma outra, lem-
​ 28
Daí, ___ 12
___ 15 · 28 ä a = 35
______
a ​ = ​ 15 ​ ä a = ​  12 ​ 
brando que se houver proporcionalidade em re-
lação à grandeza de referência, devemos inverter
3. Duas grandezas V e W são inversamente pro-
os elementos da respectiva coluna e escrever a porcionais. Quando V vale 18, tem-se W valendo
razão inversa no membro da igualdade formada. 24 ​ , quanto vale V?
20. Assim, se W vale ​ ___
Se o problema envolve apenas duas grandezas 7
Usando regra de três, temos:
proporcionais, temos uma regra de três simples. Caso
o problema envolva mais de duas grandezas proporcio- Grandeza V Grandeza W

nais, trata-se de uma regra de três composta. 18 20


x 24 ​ 
​ ___
7
Teoria na prática
1. Para analisar a transpiração das plantas, os bo- Observe que a grandeza W é inversamente pro-
tânicos precisam conhecer a área das suas fo- porcional à V, logo, invertemos a razão no cálculo.
lhas. Essa área pode ser obtida pelo seguinte
​  24 ​ 
___
18
___ ___ ​ 18
Daí, ​  x ​ = ​  7  ​ ä ___ 24 ___
___ 1 18 · 7 · 5 ä
_______
x ​ = ​  7 ​ · ​ 20  ​ ä x = ​  6 ​ 
processo: coloca-se a folha da planta sobre uma
20
cartolina e traça-se o seu contorno. Na mesma
cartolina, desenha-se um quadrado com 10 cm ä x = 105
de lado, como mostram as figuras a seguir:

111
4. Vinte operários, todos com a mesma capacidade de trabalho, realizam determinado serviço em 15 dias.
Usando regra de três, também podemos deduzir em quantos dias 24 desses operários farão serviço idêntico.
Veja:
nº de operários Dias
20 15
24 x
(Note: quanto mais operários trabalham, menos dias são gastos.)

​ 15
Daí, ___ 24
___ 15 · 5 ä x = 12,5
_____
x ​ = ​ 20  ​ ä x = ​  6 ​ 
Logo, eles farão o serviço em 12,5 dias.

5. Três grandezas X, Y e Z são tais que X é diretamente proporcional a Y e inversamente proporcional a Z.


Quando X vale ​ __ ​ 3 ​ e Z valendo __
2  ​, tem-se Y valendo __ ​ 9 ​ . Assim, se Y vale __
​ 7 ​ e Z vale __
​ 1 ​ , qual o valor de x?
3 5 5 8 4
Usando regra de três, temos:

Grandeza X Grandeza Y Grandeza Z

​  2 ​ 
__ ​ 3 ​ 
__ ​ __ 9  ​
3 5 5
a ​  7 ​ 
__ ​  1 ​ 
__
8 4

​ 2 ​  __
__ ​ 3 ​  __
​ 1 ​ 
__3 __ 5 __ ​  3 ​ · __
​  2  ​ = __
Daí , ​ a ​ = ​   ​  · ​  4  ​  ä __ ​ 8 ​ · __ ​  5 ​ ä __
​ 1 ​ · __ ​ 6 ​ · 7 ä a = 7
​  2  ​ = __
__7 __ 9
​   ​  ​   ​  3a 5 7 4 9 3a 9
8 5
6. Para construir uma barragem de 22 metros de comprimento por 0,9 metros de largura, 20 operários gastam
11 dias, trabalhando 8 horas por dia. Em quanto tempo 8 operários, trabalhando 6 horas por dia, construirão
uma barragem de 18 metros de comprimento, 0,3 metro de largura e com o dobro da altura da primeira, se
a capacidade de trabalho do 2º grupo é o dobro da do 1º grupo. Veja:

Comprimento Largura Operários Dias Horas por dia Altura Capacidade


22 0,9 20 11 8 1 1
18 0,3 08 x 6 2 2

0,9 ___ 8 __ 6 __
​ 11
Daí, ___ 22 ___
___ 1 __ 2
x ​ = ​ 18 ​ · ​ 0,3  ​ · ​ 20  ​ · ​ 8 ​ · ​ 2 ​ · ​ 1 ​ 
Resolvendo a proporção, obtemos x = 10. Logo, eles construirão em 10 dias.

7. Três irmãs – Jasmim, Flora e Gardênia – reservaram para as compras de Natal as quantias de 600 reais, 360
reais e 120 dólares, respectivamente. Antes de sair às compras, as três fizeram o seguinte acordo: o total
de reais reservados por Jasmim e Flora seria igualmente dividido entre as três, enquanto que, os dólares re-
servados por Gardênia seriam totalmente repassados a Jasmim e Flora em partes proporcionais às quantias
que cada uma delas tinha inicialmente.
Considerando que o acordo foi cumprido, quantos dólares Jasmim recebeu a mais que Flora?
Resolução:

Equacionando as informações dadas no enunciado, tem-se:


Jasmin ​ 
​ _____ Flora ​ ä ​ ___________
 = ​ ____ Jasmin +  ​
   Flora   ​  120  ​ = __
= ___ ​ Jasmin ​ 
​ 1 ​ ä ___________ 1  ​ ä Jasmin = 75 dólares
 = ​ __
600 360 960 960 8 600 8
Flora ​ = ​ __
​ ____ 1  ​ ä Flora = 45 dólares
360 8
Jasmin recebeu (75 – 45), isto é, 30 dólares a mais que Flora.

112
8. Já que em determinadas situações, e também Resolução:
para algumas pessoas, “Tempo é dinheiro”, uma
O enunciado descreve uma função y . x = k,
ação na Bolsa de Valores apresentou a seguinte
sendo k uma constante. Ou seja: y = ​ _kx ​ , o que
evolução: nos primeiros 30 minutos do pregão,
confere com a informação do enunciado de que
o preço de compra da ação, passou de R$ 12,00
para R$ 12,75. Um investidor comprou 1000 x e y são inversamente proporcionais. Ainda de
dessas ações ao preço de R$ 12,00 no início acordo com o informado, quando y = 6, x é igual
do pregão e vendeu todas elas após 18 minu- a 25, logo:
tos. Supondo que a variação desse preço tenha y = _​ kx ​ ⇒ 6 = ___
​  k   ​ ⇒ k = 150
25
ocorrido igualmente distribuída nos 30 minutos
​ 150
Portanto, a função descrita será: y = ___x  ​.  Logo,
iniciais do pregão, o lucro bruto alcançado por
quando x = 15, y terá valor igual a 10.
esse investidor, em 18 minutos, foi de:
a) R$ 450,00 Alternativa B
b) R$ 325,00
c) R$ 750,00
d) R$ 900,00
e) R$ 250,00

Resolução:

Se as ações aumentaram de R$ 12,00 para


R$ 12,75 em 30 minutos, então pode-se dizer
que a variação foi de 0,75 em 30 minutos. As-
sim, pode-se escrever:
0,75 —— 30min
x —— 18 min
x = 0,45

Ou seja, aos 18 minutos, as ações compradas


por R$ 12,00 já valiam R$ 12,45 cada uma.
Se o investimento inicial foi de R$ 12.000,00
(1000 x R$ 12,00) e após 18 minutos elas foram
todas vendidas por um total de R$ 12.450,00
(1000 x R$12,45) o lucro bruto foi de R$ 450,00.

Alternativa A

9. Duas grandezas positivas x e y são inversamen-


te proporcionais se existir uma correspondência
bijetiva entre os valores de x e os valores de y
e um número constante positivo k tal que, se o
valor y for o correspondente do valor x então y ·
x = k. Nessas condições, se o valor y = 6 é cor-
respondente ao valor x = 25, então o valor y que
corresponde ao valor x = 15 é:
a) 8
b) 10
c) 12
d) 14

113
INTERATIVI
A DADE

ASSISTIR

Vídeo Proporcionalidade e Funções Afins - Elon - 2001


Fonte: Youtube

ACESSAR

Sites Expoentes, radicais e notação científica

pt.khanacademy.org/math/algebra2/rational-expressions-equations-and-functions/direct-
and-inverse-variation/v/direct-and-inverse-variation

114
APLICAÇÃO
APLICAÇÃONO
NOCOTIDIANO
COTIDIANO

No seu futuro cotidiano como estudante de medicina, aluno Hexag, você terá que lidar com dosagens de
medicamentos para seus pacientes. Veja um exemplo prático na seguinte questão:
1. A heparina é um medicamento de ação anticoagulante prescrito em diversas patologias. De acordo com a
indicação médica, um paciente de 72 kg deverá receber 100 unidades de heparina por quilograma por hora
(via intravenosa).
No rótulo da solução de heparina a ser ministrada consta a informação 10.000 unidades/50 mL.
a) Calcule a quantidade de heparina, em mL, que esse paciente deverá receber por hora.
b) Sabendo que 20 gotas equivalem a 1 mL, esse paciente deverá receber 1 gota a cada x segundos. Calcule x.
Resolução:
a) O paciente deverá receber 7.200 unidades de heparina em uma hora. Sabendo que existem 10.000
unidades de heparina a cada 50 mL da solução, pode-se escrever:
7200 · 50
​ ________ ​ 
= 36 mL

10000
Esse paciente deverá receber 36 mL de heparina por hora.
b) Transformando mililitros em gotas, pode-se escrever:
36∙20 = 720 gotas
Sabendo que uma hora corresponde a 3.600 segundos, pode-se escrever:
1 gota
​  720  ​ = _________
____ ​    ​ 
3600 5 segundos
Ou seja, esse paciente deverá receber uma gota a cada 5 segundos.

INTERDISCIPLINARIDADE

Devido ao caráter interdisciplinar de razão, proporção e grandezas proporcionais, torna este assunto com
altíssimo grau de incidência nos vestibulares. Proporcionalidade está intimamente ligada com estequiometria na
disciplina de Química, como na variação de grandezas no estudo do comportamento dos gases, na disciplina de
física, e também com a mudança de escalas da cartografia, na disciplina de geografia.

115
Estrutura Conceitual
RAZÃO
RAZÃO É O QUOCIENTE ENTRE DUAS GRANDEZAS

EX.: O ARTILHEIRO FEZ 45 GOLS EM 9 JOGOS


HÁ UMA RAZÃO DE 5 GOLS POR JOGO

A
RAZÃO ENTRE A E B: B

PROPORÇÃO
IGUALDADE ENTRE DUAS RAZÕES

( )
a1 a Quando uma grandeza aumenta
PROPORÇÃO DIRETA: = 2 = K a outra também aumenta
b1 b2

( )
a1 a2 Quando uma
PROPORÇÃO INVERSA: = = K grandeza aumenta
1 1
a outra diminui
b1 b2

116