Vous êtes sur la page 1sur 163

Questões de Direito Penal e Processual Penal

ENUNCIADO. A respeito da aplicação da lei penal, dos princípios da legalidade e da anterioridade e acerca da lei penal
no tempo e no espaço, julgue os seguintes itens:

01. (___) - Ocorrendo a hipótese de novatio legis in mellius em relação a determinado crime praticado por uma pessoa
definitivamente condenada pelo fato, caberá ao juízo da execução, e não ao juízo da condenação, a aplicação da lei mais
benigna.

02. (___) - O princípio da legalidade, que é desdobrado nos princípios da reserva legal e da anterioridade, não se aplica às
medidas de segurança, que não possuem natureza de pena, pois a parte geral do Código Penal apenas se refere aos
crimes e contravenções penais.

03. (___) - A lei processual penal não se submete ao princípio da retroatividade in mellius, devendo ter incidência
imediata sobre todos os processos em andamento, independentemente de o crime haver sido cometido antes ou depois
de sua vigência ou de a inovação ser mais benéfica ou prejudicial.

ENUNCIADO. Julgue os itens subsequentes, acerca dos atos de improbidade e crimes contra a administração pública:

04. (___) - A contratação de advogado privado, às custas públicas, para a defesa de prefeito em ação civil pública, ainda
que haja corpo próprio de advogados do município, não configura ato de improbidade, mas mero ilícito civil, segundo
entendimento do STJ.

05. (___) - De acordo com a legislação respectiva, é cabível a transação penal nas ações destinadas a apurar atos de
improbidade.

06. (___) - Segundo entendimento do STJ em relação ao crime de peculato, configura bis in idem a aplicação da
circunstância agravante de ter o crime sido praticado com violação de dever inerente a cargo.

ENUNCIADO. Acerca dos crimes relativos à licitação, julgue os itens que se seguem.

07. (___) - Os crimes definidos na lei de licitações sujeitam os seus autores, quando servidores públicos, à perda de cargo,
emprego, função ou mandato eletivo, ainda que o crime não tenha sido consumado.

08. (___) - Não interfere na pena aplicada ao agente o fato de ser ele ocupante de cargo em comissão ou de função de
confiança em órgão da administração direta, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista, fundação pública
ou em outra entidade controlada direta ou indiretamente pelo poder público.

ENUNCIADO. A respeito de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro nacional, julgue os seguintes
itens:

09. (___) - O processo e o julgamento dos crimes de lavagem de dinheiro independem do processo e do julgamento dos
crimes antecedentes, ainda que praticados em outro país.

10. (___) - Compete à justiça estadual o processo e o julgamento dos crimes de lavagem de dinheiro, ainda que o crime
antecedente seja de competência da justiça federal, desde que não tenha sido praticado em detrimento de bens, serviços
ou interesses da União, ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas.

11. (___) - Nos crimes de lavagem de dinheiro, a pena não poderá ser cumprida inicialmente em regime aberto, mesmo
que haja colaboração espontânea do coautor ou partícipe com as autoridades, na prestação de esclarecimentos que
conduzam à apuração das infrações penais e de sua autoria.

ENUNCIADO. Julgue os itens a seguir, com base no entendimento do STF:

12. (___) - Considere que, após realização de interceptação telefônica judicialmente autorizada para apurar crime contra
a administração pública imputado ao servidor público Mário, a autoridade policial tenha identificado, na fase de
inquérito, provas de ilícitos administrativos praticados por outros servidores. Nessa situação hipotética, considerando-se
que a interceptação telefônica tenha sido autorizada judicialmente apenas em relação ao servidor Mário, as provas
obtidas contra os outros servidores não poderão ser usadas em procedimento administrativo disciplinar.

1
Questões de Direito Penal e Processual Penal
13. (___) - É possível a prorrogação do prazo de autorização para a interceptação telefônica, mesmo que sucessiva,
especialmente quando se tratar de fato complexo que exija investigação diferenciada e contínua.

14. (___) - Uma vez realizada a interceptação telefônica de forma fundamentada, legal e legítima, as informações e
provas coletadas dessa diligência podem subsidiar denúncia com base em crimes puníveis com pena de detenção, desde
que estes sejam conexos aos primeiros tipos penais que justificaram a interceptação.

ENUNCIADO. Julgue os itens que se seguem acerca da restituição das coisas apreendidas e do perdimento de bens:

15. (___) - A restituição, por constituir ato privativo da autoridade judicial, não poderá ser ordenada pela autoridade
policial, ainda que não exista dúvida quanto ao direito do reclamante.

16. (___) - Mesmo que haja dúvida sobre a titularidade do bem apreendido, compete ao juiz criminal decidir sobre o
incidente.

ENUNCIADO. Considerando o estabelecido no Código de Processo Penal acerca das relações jurisdicionais com
autoridades estrangeiras, julgue os itens a seguir:

17. (___) - As sentenças estrangeiras não serão homologadas nem as cartas rogatórias cumpridas, se contrárias à ordem
pública e aos bons costumes.

18. (___) - Independe do pagamento das despesas o andamento de carta rogatória que verse sobre crime de ação penal
privada.

19. (___) - Após a distribuição do requerimento de homologação de sentença estrangeira, o relator mandará citar o
interessado para deduzir embargos, os quais somente poderão fundar-se em incompetência do juiz prolator da sentença.

ENUNCIADO. Julgue os itens a seguir acerca dos crimes contra a fé pública:

20. (___) - No crime de falsificação de documento público, a circunstância de ser o sujeito ativo funcionário público,
independentemente de ter ele se prevalecido do cargo e, com isso, obtido vantagem ou facilidade para a consecução do
crime, é um indiferente penal.

21. (___) - De acordo com o STJ, a falsificação nitidamente grosseira de documento afasta o delito de uso de documento
falso, haja vista a inaptidão para ofender a fé pública. No que se refere a efeitos da condenação e reabilitação, julgue os
itens subsequentes.

22. (___) - Nos termos do Código Penal, a perda de cargo, função pública ou mandato eletivo ocorrerá quando, nos crimes
praticados com abuso de poder ou violação de dever para com a administração pública, for aplicada pena privativa de
liberdade por tempo igual ou superior a um ano.

23. (___) - A reabilitação atinge a pena principal aplicada ao condenado, não alcançando os efeitos da condenação.

ENUNCIADO. Acerca da extinção da punibilidade, julgue os itens a seguir:

24. (___) - Caso a pena de multa seja alternativa ou cumulativamente cominada ou cumulativamente aplicada, aplicam-se
a ela os mesmos prazos previstos para as respectivas penas privativas de liberdade.

25. (___) - No caso de concurso de crimes, a extinção da punibilidade incidirá sobre a pena de cada um deles,
isoladamente.

GABARITO: (01) - C / (02) - E / (03) - C / (04) - E / (05) - E / (06) - C / (07) - C / (08) - E / (09) - C / (10) - E / (11) - E / (12) - E /
(13) - C / (14) - C / (15) - E / (16) - E / (17) - C / (18) - E / (19) - E / (20) - E / (21) - C / (22) - C / (23) - E / (24) - C / (25) - C

2
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Notas: Questões de Direito Penal e Processual Penal, extraídas da prova do concurso para ingresso na Advocacia Geral da
União - Advogado da União, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduada em Direito Tributário com
formação em Magistério Superior pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Uma vez deferido pelo juiz o arquivamento do inquérito policial, a pedido do Ministério Publico, resta à vitima,
inconformada com tal decisão, a possibilidade de:

(A) ajuizar ação penal privada subsidiária da pública, em razão da inércia do Ministério Público;
(B) impetrar mandado de segurança, apontando o juiz como autoridade coatora;
(C) interpor recurso de apelação da decisão, pois esta apreciou o mérito da causa;
(D) impetrar mandado de segurança, apontando o Promotor de Justiça como autoridade coatora;
(E) resignar-se, pois as investigações só podem ser retomadas se houver notícia de novas provas.

02. A ação penal condenatória pode ser classificada, quanto à sua iniciativa, em:

(A) pública incondicionada, pública condicionada à requisição, privada originária, privada subsidiária da pública e popular;
(B) pública incondicionada, pública condicionada à representação, pública condicionada à queixa-crime, privada originária
e privada subsidiária da pública;
(C) pública incondicionada, pública condicionada à queixa-crime, privada originária, privada subsidiária da pública e
coletiva;
(D) pública incondicionada, pública condicionada à representação, pública condicionada à requisição, privada originária e
privada subsidiária da pública;
(E) pública incondicionada, pública condicionada à queixa-crime, privada originária, privada subsidiária da pública e
popular.

03. Acerca do processo e julgamento dos crimes de tráfico e uso indevido de substâncias entorpecentes ou que
determinem dependência física ou psíquica, julgue os itens abaixo.

I - Para a lavratura do auto de prisão em flagrante, não se faz necessário laudo de constatação da natureza e da
quantidade da droga.
II - Os prazos de conclusão do inquérito policial podem ser duplicados pelo juiz, ouvido o MP, mediante pedido justificado
da autoridade policial.
III - Em qualquer fase da persecução criminal, é permitida, mediante autorização judicial e ouvido o MP, a não-atuação
policial sobre os portadores de drogas que se encontrem no território brasileiro, com a finalidade de identificar e
responsabilizar maior número de integrantes de operações de tráfico e distribuição, ainda que não haja conhecimento
sobre a identificação dos agentes do delito ou de colaboradores.
IV - o juiz, na fixação das penas, considerará, com preponderância sobre as circunstâncias judiciais previstas no CP, a
natureza e a quantidade da substância ou do produto, a personalidade e a conduta social do agente.
V - O indiciado ou acusado que colaborar voluntariamente com a investigação policial e o processo criminal na
identificação dos demais co-autores ou partícipes do crime e na recuperação total ou parcial do produto do crime, no
caso de condenação, poderá ser beneficiado com o perdão judicial.

Estão certos apenas os itens:

(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II e IV.
(D) III e V.
(E) IV e V.

04. A parte defensora deve opor, sob pena de preclusão, na oportunidade do oferecimento de suas alegações
preliminares, a exceção de:

(A) litispendência;
3
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(B) ilegitimidade da parte;
(C) incompetência relativa do Juízo;
(D) coisa julgada;
(E) nulidade relativa do processo.

05. A possibilidade de o juiz rejeitar, no todo ou em parte, o laudo pericial e uma consequência lógica do principio:

(A) das provas tarifadas;


(B) da intima convicção;
(C) das provas legais;
(D) da persuasão racional do juiz;
(E) da independência do Poder Judiciário.

06. Uma das partes processuais, desejando que um determinado processo de seu interesse deixasse de ser processado
por Júlio César, técnico judiciário juramentado conhecido por sua extrema diligência e presteza, resolve provocar com
ele uma discussão, passando a injuriá-lo, criando assim um pretexto para arguir a suspeição do referido funcionário, o
que efetivamente é feito. A decisão mais correta a ser tomada pelo juiz, ao apreciar essa exceção de suspeição de Júlio
Cesar, é julgá-la:

(A) procedente, determinando o processamento do feito por outro técnico judiciário, pois a ocorrência da discussão
justifica a suspeição alegada;
(B) improcedente, pois só uma discussão onde sejam cometidos crimes contra a honra recíprocos caracteriza a suspeição
do funcionário;
(C) improcedente, porque a suspeição do funcionário não pode ser reconhecida quando a própria parte injuriar o
funcionário ou der motivo para criá-Ia;
(D) procedente, pois o motivo da discussão é irrelevante para efeito de caracterizar a suspeição do funcionário, que não
tem mais isenção de ânimo para oficiar no processo;
(E) improcedente, pois tanto as partes processuais quanto os funcionários da justiça possuem imunidade por suas
palavras e opiniões, na discussão da causa.

07. Gustavo, técnico judiciário juramentado, contraiu empréstimo de vultosa quantia com Flavio, advogado amigo seu
desde a época da faculdade. Um dia, ao folhear os autos de um processo Criminal sob sua responsabilidade, Gustavo
percebe que o réu constituiu como defensor justamente Flávio, fato que até então desconhecia. A providência mais
correta a ser adotada por Gustavo, à luz dessa constatação é:

(A) declarar nos autos a sua suspeição, requerendo ao juiz que determine a distribuição do feito a um outro funcionário
da serventia;
(B) prosseguir oficiando no feito normalmente, pois inexiste suspeição de funcionário da justiça, mas tão-somente de
juízes e membros do Ministério Público;
(C) prosseguir oficiando no feito normalmente, porque embora seja possível, em tese, a suspeição do funcionário, o fato
deste ser devedor de uma das partes não caracteriza suspeição;
(D) aguardar a arguição de sua suspeição por uma das partes processuais, porque o funcionário não pode, por iniciativa
própria, se declarar suspeito;
(E) prosseguir oficiando no feito normalmente, haja vista que somente a dívida contraída durante o tramite do processo
caracteriza suspeição.

08. Não se tratando de crime hediondo, a liberdade provisória SEM arbitramento de fiança deve ser concedida pelo juiz
sempre que:

(A) o auto de prisão em flagrante for nulo;


(B) o preso for primário e de bons antecedentes;
(C) a prisão em flagrante não puder ser convolada em temporária;
(D) não for possível o arbitramento de fiança;
(E) estiverem ausentes os pressupostos e circunstâncias autorizadoras da prisão preventiva.
4
Questões de Direito Penal e Processual Penal

09. Bruno foi denunciado pela prática de infração penal, praticada em meados de 1997, sendo a denúncia recebida
pelo juiz, que determina sua citação pessoal. Frustradas todas as tentativas de localizá-lo, o meirinho certifica estar o
denunciado em lugar incerto e não sabido. O magistrado então determina a citação editalícia de Bruno, que não
comparece ao seu interrogatório. Três dias após a data dessa última audiência, todavia, o advogado constituído por
Bruno oferece defesa prévia, instruída com procuração outorgada por seu cliente. A providência mais correta a ser
adotada pelo juiz é:

(A) determinar a suspensão do processo e do prazo prescricional, a produção das provas consideradas urgentes e, se for o
caso, decretar a prisão preventiva do réu;
(B) decretar a revelia do réu, determinar o prosseguimento do processo em sua regular tramitação e, se for o caso,
decretar a prisão preventiva do mesmo;
(C) determinar a suspensão do processo, sem prejuízo da fluência do prazo prescricional, a produção das provas
consideradas urgentes e, se for o caso, decretar a prisão preventiva do réu;
(D) decretar a prisão preventiva do réu, pois a revelia, por si só, já demonstra estar o mesmo se furtando a aplicação da
lei penal;
(E) decretar a revelia do réu, determinando a suspensão do prazo prescricional e o prosseguimento do processo em sua
regular tramitação e, se for o caso, decretar a prisão preventiva do mesmo.

10. Mário foi condenado pela pratica do crime de furto pela primeira instância. O Ministério Público não apelou da
sentença condenatória. A Defesa, por sua vez, interpôs apelação, pleiteando a reforma da decisão, por entender
insuficientes as provas dos autos para manter a condenação. A 9ª Câmara Criminal do TJ/RJ, ao julgar o apelo, decide
que, a bem da verdade, as provas indicam a prática do crime de roubo, eis que a subtração foi cometida por Mário
mediante o emprego de violência. Nessa hipótese, a decisão mais acertada é:

(A) negar-se provimento ao apelo, reformando-se a decisão para condenar Mário nas penas do crime de roubo;
(B) negar-se provimento ao apelo, mantendo-se a condenação pelo crime de furto;
(C) determinar-se a abertura de vista ao Procurador de Justiça com atribuição junto à Câmara, para que ele adite a
denúncia;
(D) declarar-se nulo o processo, determinando-se sua baixa à primeira instância, para que o Promotor de Justiça junto ao
juízo de primeiro grau adite a denúncia;
(E) absolver-se o apelante, pela impossibilidade tanto de se considerar elementar do tipo nova no segundo grau de
jurisdição quanto de se baixar os autos à primeira instância para esse fim.

11. Sendo um Deputado Federal acusado da prática de um crime comum, é correto afirmar que:

(A) desde a expedição do diploma, os membros do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de
crime afiançável, nem processados criminalmente, sem prévia licença de sua Casa;
(B) recebida a denúncia contra o Deputado, por crime ocorrido após a diplomação, o Supremo Tribunal Federal dará
ciência à Casa respectiva, que, por iniciativa de partido político nela representado e pelo voto da maioria de seus
membros, poderá, até a decisão final, sustar o andamento da ação;
(C) desde a expedição do diploma, os membros do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de
crime inafiançável, nem processados criminalmente, sem previa Iicença de sua Casa;
(D) recebida a denúncia contra o Deputado, por crime ocorrido após a diplomação, o Superior Tribunal de Justiça dará
ciência a Casa respectiva, que, por iniciativa de partido político nela representado e pelo voto da maioria de seus
membros, poderá, até a decisão final, sustar o andamento da ação;
(E) desde a data da posse, os membros do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de crime
afiançável, nem processados criminalmente, sem previa Iicença de sua Casa.

12. José Renato foi denunciado pelo Ministério Público, tendo sido a denúncia recebida pelo juiz, que determinou a sua
citação pessoal para comparecer ao seu interrogatório. Frustradas todas as tentativas de localizá-lo, o meirinho
certifica estar o denunciado em lugar incerto e não sabido. O magistrado então determina a citação editalícia de José
Renato, que não comparece para ser devidamente interrogado. Em 1990, o juiz decreta a revelia de José Renato,
seguindo o processo sua regular tramitação. Após a prolação da sentença condenatória, chega aos autos um oficio que
5
Questões de Direito Penal e Processual Penal
prova que José Renato esteve preso, desde a época do recebimento da denúncia, naquela mesma unidade da
Federação. Essa circunstância caracteriza:

(A) mera irregularidade, sem maiores consequências;


(B) nulidade relativa, cabendo a Defesa demonstrar o prejuízo e arguí-la até as alegações finais, sob pena de preclusão;
(C) nulidade absoluta, podendo ser arguida ate o transito em julgado da decisão;
(D) nulidade relativa, cabendo a Defesa demonstrar o prejuízo e arguí-la até as alegações preliminares, sob pena de
preclusão;
(E) nulidade absoluta, podendo ser arguida após o trânsito em julgado da decisão.

13. Segundo o Código de Processo Penal, o recurso é sempre voluntário, EXCETO nas hipóteses de decisão que:

(A) concede reabilitação, habeas corpus na primeira instância ou habeas corpus de ofício na segunda instância;
(B) concede habeas corpus de ofício na primeira ou segunda instância ou absolve sumariamente o réu no Tribunal do Júri;
(C) absolve sumariamente o réu no Tribunal do Júri, concede habeas corpus de oficio na segunda instância ou concede
reabilitação;
(D) concede reabilitação, absolve sumariamente o réu no Tribunal do Júri ou concede habeas corpus na primeira
instância;
(E) concede ou denega habeas corpus em qualquer instância, concede reabilitação ou absolve sumariamente o réu no
Tribunal do Júri.

14. Com relação à prisão de natureza administrativa militar, é mais correto afirmar ser cabível a impetração de habeas
corpus:

(A) em nenhuma hipótese, por expressa vedação constitucional;


(B) nos casos de paciente policial militar ou bombeiro, pois o mesmo não é integrante de nenhuma das três Forças
Armadas;
(C) em qualquer hipótese, pois o artigo 5°, LXVIII, da Constituição da República, não faz qualquer ressalva à prisão
administrativa militar;
(D) somente no que diz respeito aos critérios de oportunidade e conveniência da decisão;
(E) somente no que tange aos pressupostos legais da decisão.

15. Assinale a opção correta à luz do entendimento do STF acerca das nulidades no processo penal.

(A) A coisa julgada material que recobre sentença condenatória por delito de quadrilha ou bando não obsta, por si só, a
que se reconheça, em habeas corpus, a atipicidade da conduta e a consequente nulidade da condenação, se um dos
supostos membros foi definitivamente absolvido em outro processo.
(B) Se o advogado constituído do réu, embora devidamente intimado, deixa de apresentar alegações finais, o juiz pode
proferir sentença condenatória, sem necessidade de designar defensor público ou dativo para suprir a falta, sem que haja
qualquer espécie de nulidade.
(C) É nula a decisão de pronúncia que contem excesso de linguagem, ainda que os jurados não tenham tido acesso a ela,
pois não há necessidade de comprovação de prejuízo concreto.
(D) No direito processual penal, diferentemente do que ocorre no processo civil, é absoluta a nulidade decorrente da
inobservância da competência penal por prevenção.
(E) No rito do juizado especial criminal, o comparecimento do acusado a audiência preliminar sem o acompanhamento de
advogado, ainda que tenha o réu recusado a proposta de transação penal, e causa de nulidade absoluta, que independe
da demonstração de prejuízo.

GABARITO: (01) - E / (02) - D / (03) - C / (04) - C / (05) - D / (06) - C / (07) - A / (08) - E / (09) - B / (10) - E / (11) - B / (12) - E /
(13) - D / (14) - E / (15) - A

6
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do SIMULADO 2009, da Escola da Magistratura do Estado do Rio
de Janeiro - EMERJ, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduada em Direito Tributário com formação
em Magistério Superior - FMS pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. No direito penal entende-se como ingerência:

(A) o comportamento anterior que cria o risco da ocorrência do resultado, gerando o dever de agir, que torna a omissão
penalmente relevante;
(B) a participação de menor importância, que importa em causa de diminuição de pena;
(C) o arrependimento que, nos crimes sem violência ou grave ameaça a pessoa, motiva o agente a reparar o dano ou
restituir a coisa até o recebimento da denuncia ou da queixa;
(D) a utilização de agente sem culpabilidade para a realização de um crime, importando em autoria mediata;
(E) a obediência por subalterno a ordem não manifestamente ilegal emanada de superior hierárquico.

02. A ocultação de valores provenientes de sua execução representa a prática de "lavagem de dinheiro" no seguinte
crime:

(A) concussão;
(B) roubo;
(C) extorsão;
(D) homicídio mediante paga;
(E) latrocínio.

03. São normas penais não incriminadoras, EXCETO:

(A) "Não excluem a imputabilidade penal: I - a emoção ou a paixão" (art. 28, I, do Código Penal);
(B) "O resultado, de que depende a existência do crime, somente é imputável à quem Ihe deu causa" (art. 13 do Código
Penal);
(C) "Diz-se o crime: (...) II - tentado, quando iniciada a execução, não se consuma por circunstâncias alheias à vontade do
agente" (art. 14, II, do Código Penal);
(D) "Pelo resultado que agrava especialmente a pena, só responde o agente que o houver causado ao menos
culposamente" (art. 19 do Código Penal);
(E) "Se o agente for inimputável, o juiz determinará a sua internação (art. 26). Se, todavia, o fato previsto como crime for
punível com detenção, poderá o juiz submetê-lo a tratamento ambulatorial" (art. 97 do Código Penal).

04. Considerando a parte geral do direito penal, julgue os seguintes itens.

I - Nos crimes de tendência intensificada, o tipo penal requer o ânimo de realizar a própria conduta típica legalmente
prevista, sem necessidade de transcender tal conduta, como ocorre nos delitos de intenção. Em outras palavras, não se
exige que o autor do crime deseje um resultado ulterior ao previsto no tipo penal, mas, apenas, que confira a ação típica
um sentido subjetivo não previsto expressamente no tipo, mas deduzível da natureza do delito. Cita-se, como exemplo, o
propósito de ofender, nos crimes contra a honra.
II - Subdividem-se os crimes de perigo em crimes de perigo concreto e crimes de perigo abstrato, diferenciando-se um do
outro porque naqueles há a necessidade da demonstração da situação de risco sofrida pelo bem jurídico penal protegido,
o que somente pode ser reconhecível por uma valoração subjetiva da probabilidade de superveniência de um dano. Por
outro lado, no crime de perigo abstrato, há uma presunção legal do perigo, que, por isso, não precisa ser provado.
III - No CP, adota-se, em relação ao concurso de agentes, a teoria monística ou unitária, segundo a qual, aquele que, de
qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas na medida de sua culpabilidade; no referido
código, adota-se, ainda, o conceito restritivo de autor, entendido como aquele que realiza a conduta típica descrita na lei,
praticando o núcleo do tipo.
IV - Franz Von Liszt estabeleceu distinção entre ilicitude formal e material, asseverando que é formalmente antijurídico
todo comportamento humano que viola a norma penal, ao passo que é substancialmente antijurídico o comportamento
humano que fere o interesse social tutelado pela própria norma.

7
Questões de Direito Penal e Processual Penal
V - A superveniência de causa relativamente independente exclui a imputação quando, por si só, tenha produzido o
resultado; os fatos anteriores, entretanto, imputam-se a quem os tenha praticado.

A quantidade de itens certos e iguais a:

(A) 1.
(B) 2.
(C) 3.
(D) 4.
(E) 5.

05. Segundo a redação do artigo 18, I, do Código Penal ("Diz-se o crime: I - doloso, quando o agente quis o resultado ou
assumiu o risco de produzi-lo"), é possível concluir que foi adotada:

(A) a teoria do assentimento;


(B) a teoria da representação;
(C) as teorias do assentimento e da representação;
(D) as teorias do assentimento e da vontade;
(E) as teorias da representação e da vontade.

06. Em uma loja de roupas femininas, Fulana pede para experimentar uma blusa e, enquanto distrai a vendedora,
desviando a sua atenção para outra cliente, guarda a peça em sua bolsa, fugindo em seguida. Trata-se da hipótese de:

(A) furto qualificado mediante destreza;


(B) furto qualificado mediante fraude;
(C) apropriação indébita;
(D) estelionato;
(E) fraude ao comercio.

07. Depois de pronunciado por homicídio consumado e tentativa de homicídio conexos, Tício é condenado a dois anos
de detenção (art. 121, § 3°, do Código Penal), porque foi reconhecido excesso na Legítima Defesa, e a um ano de
detenção, já que foi desclassificada a tentativa para o crime de lesões corporais (art. 129 do Código Penal). O corréu
Mévio apela da decisão alegando a extinção da punibilidade do crime de lesões corporais, já que, ao contrário do que
se verificou com Tício, somente foi pronunciado em grau de recurso imediatamente após o decurso de quatro anos do
recebimento da denúncia. Assim, é correto afirmar que:

(A) ocorreu a prescrição do crime de lesões corporais para ambos os agentes, porque o beneficio merece interpretação
extensiva;
(B) não ocorreu a prescrição, porque a interrupção da prescrição ocorrida com a pronúncia de Tício produz efeito
relativamente ao outro participante do crime;
(C) ocorreu a prescrição do crime de lesões corporais apenas para Mévio porque, quando Tício foi pronunciado,
interrompeu-se em relação ao mesmo o lapso prescricional;
(D) não ocorreu a prescrição, porque seu prazo se suspendeu quando houve a pronúncia de um dos agentes;
(E) ocorreu a prescrição em ambos os crimes e para ambos os agentes porque, havendo coautoria e conexão de crimes, a
prescrição atinge todos os fatos.

08. A respeito dos crimes contra a ordem tributária, assinale a opção correta com base na jurisprudência do STF:

(A) Independentemente da representação fiscal para fins penais, se o MP dispuser, por outros meios, de elementos que
Ihe permitam comprovar a definitividade da constituição do crédito tributário, ele pode, então, de modo legítimo, fazer
instaurar os pertinentes atos de persecução penal por delitos contra a ordem tributária.
(B) O cancelamento do credito tributário por decisão definitiva do Conselho de Contribuintes, apos o lançamento fiscal
prévio, não influencia a ação penal em curso por delito de sonegação fiscal, dada a independência das instâncias penal e
administrativa.
8
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(C) Havendo conexão entre os crimes de sonegação tributária e falsidade ideológica, ainda que esta não tenha sido
perpetrada em documento exclusivamente destinado a pratica do primeiro crime, aplica-se o principio da consunção,
devendo o agente responder unicamente pelo crime contra a ordem tributária.
(D) Enquanto não efetivado o lançamento definitivo do débito tributário, não há justa causa para a ação penal, o que não
influi no lapso prescricional penal, que não se suspende.
(E) A impetração de mandado de segurança, apos o lançamento definitivo do credito tributário, impede o inicio da ação
penal.

09. A prática de fato definido como crime por obediência à ordem ilegal de superior hierárquico:

(A) não exclui a culpabilidade, já que ilegal a ordem;


(B) exclui a culpabilidade, se não manifestamente ilegal a ordem;
(C) exclui a ilicitude, por estrito cumprimento de dever legal;
(D) exclui o dolo, porque não há potencial conhecimento da licitude do fato;
(E) exclui o nexo causal, por irrelevância da condição antecedente.

10. Quando conduzia veiculo automotor, sem culpa, Fulano atropela um pedestre, deixando de prestar-lhe socorro,
constituindo tal conduta, em tese, a prática de:

(A) omissão de socorro, prevista no artigo 135 do Código Penal;


(B) lesão corporal culposa, com o aumento de pena previsto no artigo 129, parágrafo 7°, do Código Penal;
(C) expor a vida de outrem a perigo, previsto no artigo 132, do Código Penal;
(D) omissão de socorro, prevista no artigo 304, da Lei nº 9.503/97;
(E) lesão corporal culposa na condução de veículo automotor, com o aumento de pena previsto no artigo 303, parágrafo
único, da Lei nº 9.503/97.

11. Ainda com relação ao direito penal, julgue os seguintes itens.

I - A lei de proteção à vitimas e testemunhas (delação premiada) prevê benefícios ao indiciado que colaborar
voluntariamente com a investigação policial e o processo criminal na identificação dos demais coautores ou participes do
crime, na localização da vítima com vida e na recuperação total ou parcial do produto do crime. Tais benefícios, similares
ao instituto do 'plea bargaining' do direito norte-americano, não interferem na pena aplicada, mas no processo e podem
ser oferecidos pelo MP.
II - No crime de gestão fraudulenta, a condição pessoal de controlador, administrador, diretor ou gerente de instituição
financeira, por ser elementar do crime, comunica-se ao participe. Trata-se de crime habitual impróprio ou acidentalmente
habitual, segundo o STF, isto e, no qual uma única ação tem relevância para configurar o tipo, não constituindo
pluralidade de crimes a repetição de atos.
III - Critica-se, na doutrina, a lei que dispõe acerca dos crimes organizados, sob o argumento de que tal norma teria
desrespeitado o principio da taxatividade e da reserva legal, por não conter a definição de crime organizado, de forma
que a lei de combate ao crime organizado somente poderia ser aplicada aos crimes de quadrilha ou bando e de
associação criminosa, já previstos em lei. A Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional,
todavia, conceitua grupo criminoso organizado como o grupo estruturado de três ou mais pessoas, existente ha algum
tempo e atuando concertadamente com o propósito de cometer uma ou mais infrações graves ou enunciadas na citada
convenção, com a intenção de obter, direta ou indiretamente, um benefícios econômico ou outro beneficio material.
IV - O STF consolidou o entendimento de que não se aplica o princípio da insignificância aos crimes contra o meio
ambiente, considerando que tal espécie delitiva açambarca bens jurídicos supraindividuais, relativos aos direitos
humanos fundamentais de terceira dimensão, isto é, que tem como titular não somente o individuo, mas grupos
humanos não individualizados ou a própria humanidade, assentando-se sob o ideal de fraternidade.
V - A vigente legislação acerca dos crimes de trafico ilícito de entorpecentes e drogas afins não previu a causa de aumento
relativo a associação eventual para a prática de delitos nela previstos, diferentemente do que previa a revogada
legislação anterior, constituindo-se aquela, assim, em 'novatio legis in meilius', de forma que, aos agentes que tenham
cometido crime sob a égide da lei revogada, não se aplica a causa de aumento, em obediência ao principio da
retroatividade da lei penal mais benéfica, constitucionalmente previsto.

A quantidade de itens certos é igual a:


9
Questões de Direito Penal e Processual Penal

(A) 1.
(B) 2.
(C) 3.
(D) 4.
(E) 5.

12. O médico está autorizado a praticar o aborto com conhecimento da gestante ou de seu representante legal (artigo
128, inciso II, do Código Penal), quando a gestante for vitima de estupro:

(A) após convencido de que tal circunstância tenha ocorrido;


(B) após o registro do fato na Delegacia de Polícia;
(C) após o oferecimento da Denúncia contra o autor do fato;
(D) após a condenação do autor do fato;
(E) após a condenação transitada em julgado em face do autor do fato.

13. A respeito da tentativa, é correto afirmar que:

(A) A tentativa imperfeita pode também ser denominada tentativa branca;


(B) A consumação não pode ser obtida por razões alheias ou não à vontade do agente;
(C) Pode ocorrer nos crimes habituais;
(D) O código penal adota a teoria objetiva moderada ou temperada no que concerne a punibilidade na tentativa;
(E) Não pode ocorrer nos crimes complexos.

14. Durante revista pessoal em Beltrano, policiais encontram, em sua carteira, uma via de sua Certidão de Nascimento
que, quando levada a perícia, foi constatado tratar-se de "documento falso". Nesse caso, tal conduta se amolda a
figura típica de:

(A) Uso de documento falso;


(B) Falsificação de documento particular;
(C) Falsificação de documento público;
(D) Falsa identidade;
(E) A conduta é atípica.

15. No que concerne ao estado de necessidade, é correto afirmar que:

(A) O código penal adota a teoria diferenciadora, sendo todo estado de necessidade justificante;
(B) Não ha distinção entre estado de necessidade justificante e estado de necessidade exculpante;
(C) O código penal adota a teoria unitária, sendo todo estado de necessidade exculpante;
(D) No estado de necessidade exculpante, o bem jurídico preservado sempre será de maior valor do que o bem jurídico
sacrificado;
(E) Para distinguir estado de necessidade exculpante e estado de necessidade justificante, é preciso ponderar bens
jurídicos depois de confrontá-los.

GABARITO: (01) - A / (02) - A / (03) - C / (04) - E / (05) - D / (06) - B / (07) - B / (08) - A / (09) - B / (10) - D / (11) - C / (12) - A
/ (13) - D / (14) - E / (15) - E

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do SIMULADO 2009, da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro -
EMERJ, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduada em Direito Tributário com formação em
Magistério Superior - FMS pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

10
Questões de Direito Penal e Processual Penal
01. Marque a alternativa incorreta:

a) O inquérito policial é mero procedimento administrativo de investigação inquisitorial, sem contraditório, de modo que
não há direito do advogado do investigado ao acesso irrestrito aos autos do inquérito onde foi decretado sigilo
imprescindível às investigações, pois prevalece o interesse público sobre o privado.
b) No caso de absolvição sumária, interposto o recurso cabível, é permitido ao Juiz rever essa decisão podendo retificá-la
integralmente.
c) É relativa a nulidade decorrente da inobservância da regra de competência penal por prevenção.
d) Há abuso do direito de acusar, impondo anulação da denúncia e trancamento do processo penal, sempre que a peça
acusatória imputa a prática de crime de autoria coletiva sem a descrição minuciosa e individualizada da conduta de cada
um dos agentes.

02. Com relação às prisões processuais, assinale a alternativa incorreta:

a) O decreto de prisão do réu solto, feito na sentença condenatória recorrível ou na decisão de pronúncia, depende do
reconhecimento, nessas ocasiões, de situações que justificariam a prisão preventiva.
b) É possível a prisão em flagrante, pela autoridade ou por qualquer do povo, do agente de crime de ação privada ou
pública condicionada a representação, mas a lavratura do respectivo auto e o recolhimento do peso dependem de
manifestação de vontade da vítima ou de quem possa representar.
c) O decreto de prisão preventiva deve ser adequadamente motivado, podendo a medida encontrar justificativa exclusiva;
na abstrata gravidade do crime, no clamor popular decorrente da repercussão do fatos na revelia do acusado, ou ainda na
ocorrência de fuga para evitar o flagrante.
d) A prisão temporária só é possível no caso de crimes taxativamente indicados na lei, aliada a necessidade da constrição
para a realização de investigações policiais, ou então ao fato do indiciado não ter residência fixa ou não esclarecer sua
identidade; terminado o prazo de custódia o detido deverá ser imediatamente posto em liberdade independentemente
de pronunciamento judicial.

03. Avalie as proposições seguintes e indique a alternativa correta:

a) Proferindo decisão de impronuncia quanto ao crime doloso contra a vida, o Juiz deve decidir sobre o mérito dos crimes
conexos fazendo-o por sentença em apartado, já que a impronuncia é decisão terminativa processual.
b) É juridicamente possível pedido (ação) de revisão criminal para desconstituir sentença proferida em julgamento
realizado pelo Tribunal do Júri, buscando 'judicium rescisorium' que venha substituir aquela decisão pela que for
proferida pelo tribunal de 2ª instância.
c) A pronúncia e o acórdão que a confirmar não permanecem como causas interruptivas da prescrição na forma do artigo
117, II e III, do Código de Processo Penal, quando o veredicto do conselho de sentença desclassifica o fato para delito não
incluído na sua competência.
d) A pronuncia é juízo de prelibação, em que o magistrado admite a probabilidade das imputações feitas ao réu, de modo
que também deve decidir sobre ocorrência de concurso de crimes e crime continuado, bem como sobre atenuantes,
agravantes e causas de aumento ou diminuição da pena.

04. Em matéria recursal pode-se afirmar que:

a) Das decisões proferidas pelas Turmas Recursais, no âmbito do Juizado Especial Criminal, cabem recurso especial e
recurso extraordinário.
b) O agravo em execução não tem efeito suspensivo, mas tem efeito regressivo.
c) Da decisão que nega seguimento ao recurso especial e ao recurso extraordinário caberá carta testemunhável.
d) Cabe apelação do Ministério Público mesmo que a sentença tenha sido proferida nos exatos termos do pedido de
condenação formulado pelo 'parquet' nas alegações finais.

05. Assinale a alternativa em que todas as assertivas estão corretas:

a) Na revisão criminal a dúvida não beneficia o peticionário - A decisão denegatória de habeas corpus não impede que a
mesma questão seja rediscutida em sede de recurso - Transitada em julgado sentença de mérito absolutória proferida por
11
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Juiz absolutamente incompetente, não há instrumento para arguir essa nulidade - Decreta-se a revelia e abre-se prazo
para o oferecimento da defesa prévia, quando réu citado por edital não comparece ao interrogatório sem justo motivo,
mas constitui advogado em seu favor.
b) Não cabem 'habeas corpus' e revisão criminal depois de estarem extintas as penas privativas de liberdade - Não
havendo réu preso, o uso do rito comum ordinário em lugar do rito sumário que seria cabível no caso, não enseja
nulidade - Quando o réu é citado por edital e não comparece ao interrogatório, nem constitui defensor, suspende-se o
curso do processo e do prazo prescricional, podendo ser produzidas provas urgentes - Uma dos motivos legais para
justificar o desaforamento do processo para outra comarca ou subseção judiciária, mais próximas, é a certeza sobre a
parcialidade do Júri.
c) A sentença denegatória de 'habeas corpus' submete-se ao reexame necessário - A quebra de sigilo de dados
telefônicos, ainda que não configure hipótese de interceptação, não prescinde de autorização judicial - A perempção
aplica-se a todas as ações penais privadas - Na ação penal de execução vigora o princípio da inércia (ne procedat judex ex
officio), de modo que a execução do titulo condenatório sempre depende da iniciativa do Ministério Público.
d) Não se incluem na atividade privativa do advogado o ajuizamento de 'habeas corpus', da revisão e do mandado de
segurança em matéria criminal. No procedimento dos Juizados Especiais Criminais o recurso a ser manejado contra a
rejeição da denúncia é a apelação - O que gera nulidade é a falta de intimação para oferecimento de contrariedade ao
libelo, e não a falta de seu oferecimento - O desaforamento, quando solicitado pelo próprio Juiz ao Tribunal de 2ª
instância, prescinde de audiência da defesa porque essa medida é sempre adotada no interesse do acusado.

06. Assinale a afirmação FALSA:

a) É da Justiça Federal a competência para o processo e julgamento de crimes cometidos a bordo de embarcações que
sejam de grande calado, mas não há restrições quando o delito é perpetrado em aeronaves.
b) Tramitando na Justiça Federal processo referente a crimes conexos de competência federal e estadual, se o Juiz
Federal proferir sentença absolutória com referência ao delito de sua competência originária, transfere-se a Justiça
Estadual a competência para a infração remanescente e cujo julgamento a ela caberia.
c) Desaparece a prerrogativa de foro privilegiado quando cessa o exercício da função, devendo o processo ainda não
julgado ser remetido ao juízo comum.
d) A Justiça Militar da União tem competência para julgar também os civis, quando praticam - ainda que isoladamente -
delitos contra as instalações militares.

07. Pode-se afirmar que:

a) O reconhecimento da coisa julgada só é possível quando alegada por meio de exceção, sendo que a rejeição da mesma
pode ser contrastada através do recurso em sentido estrito.
b) A habilitação do assistente de acusação é possível até antes de ser proferida a sentença, e o mesmo terá direito a
repetição dos atos probatórios realizados antes de seu ingresso.
c) A sentença condenatória ainda não transitada em julgado é obstáculo para a avocatória, no juízo de competência
prevalente, dos processos referentes a crimes conexos.
d) Não é possível a progressão de regime de cumprimento da pena imposta ao réu que se acha preso preventivamente,
antes do trânsito em julgado da sentença que o condenou.

08. Nos termos da Lei n° 9.613, de 3 de março de 1998:

a) A interdição do exercício do cargo ou função pública de qualquer natureza pode ser imposta pelo Juiz como pena
acessória, pelo tempo correspondente à pena privativa de liberdade aplicada.
b) A denúncia será instruída com provas da ocorrência e autoria do crime antecedente, embora sem prejudicialidade com
o efetivo julgamento desse delito anterior.
c) É ônus do réu demonstrar a licitude da origem dos seus bens que foram apreendidos ou sequestrados como sendo
objeto dos crimes previstas nessa lei, para obter a liberação dos mesmos.
d) A competência é da Justiça Federal quando o crime antecedente for praticado em detrimento de autarquias e
empresas públicas.

09. Transitada em julgado a condenação, a superveniência de lei nova mais benigna que favorece o condenado:
12
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) Deve ser aplicada através de revisão criminal interposta perante o tribunal.


b) Deve ser aplicada pelo próprio juízo da condenação.
c) Deve ser aplicada em sede de habeas corpus interposto perante o Superior Tribunal de Justiça.
d) Deve ser aplicada no juízo da execução penal.

10. Indique a alternativa CORRETA:

a) É possível o cumprimento no Brasil de pena privativa de liberdade imposta em Estado estrangeiro, desde que a
condenação seja homologada pelo Superior Tribunal de Justiça, executando-se a sentença homologada através de carta
de ordem encaminhada ao juízo competente da Justiça Federal.
b) Encontrando-se o réu preso, a citação pessoal só e exigível se estiver recolhido em cadeia ou presídio da mesma
unidade federativa em que o Juiz exerce sua jurisdição permitida a citação editalícia quando recolhido em cárcere de
outro local da Federação.
c) Em sede de Juizado Especial Criminal, informado pelo princípio da "oportunidade regrada", o magistrado dispõe da
prerrogativa de, ao proferir decisão homologatória, alterar os termos da transação oferecida pelo Ministério Público
ainda que aceita pelo autuado.
d) Não há impedimento do representante do Ministério Público para o oferecimento da denúncia se participou da
investigação criminal sobre o fato.

GABARITO: (01) - D / (02) - C / (03) - B / (04) - B / (05) - A / (06) - B / (07) - C / (08) - C / (09) - D / (10) - D

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do 14º Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz
Federal Substituto, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, aplicada aos 09 de março de 2008, selecionadas por Paula
Camila de Lima, Advogada, Pós-graduada em Direito Tributário com formação em Magistério Superior - FMS pela
Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Com relação ao crime continuado, assinale a alternativa INCORRETA:

a. É possível o reconhecimento da ocorrência de crime continuado em sede de 'habeas corpus' para fins de unificação das
penas impostas em diversos processos com trânsito em julgado, caso em que caberá ao tribunal proceder ao cálculo da
reprimenda unificada.
b. O percentual de acréscimo decorrente da continuidade dependerá do numero de infrações praticadas.
c. Apesar da adoção pela teoria objetiva, a jurisprudência entende inadmissível reconhecimento de crime continuado sem
que se verifique no agente o ânimo de praticar as condutas sucessivas em continuação.
d. A prisão do agente, interrompendo sua atividade delinquencial, impede que se reconheça continuidade delitiva entre
crimes por ele praticados antes e depois de sua detenção.

02. Assinale a alternativa correta:

a. Em nosso Direito Penal não há qualquer espaço para o emprego de interpretação analógica no âmbito de normas
incriminadoras ou sancionatórias porque isso significaria a extensão do conteúdo típico casuístico.
b. A redação atual do Código Penal adotou, quanto às medidas de segurança, o critério vicariante; a finalidade da medida
é, constatada parcialmente a culpabilidade, castigar de forma mais branda o inimputável (a este aplicando internação em
manicômio pelo mínimo de 3 anos) e o semi-imputável (sujeitando-o a tratamento ambulatorial, que cessa se perícia
medica feita somente após um ano atestar a ausência de periculosidade). Em qualquer caso, é possível a aplicação
provisória da medida de segurança no curso do processo.
c. Não é possível invocar legítima defesa diante da agressão oriunda de inimputável, mas é cabível legitima defesa contra
ato praticado em estrito cumprimento do dever legal. Será invocável a legítima defesa somente se estiver presente estrita
proporcionalidade entre a repulsa e a agressão sofrida, e apenas se a agressão for inevitável por qualquer outra forma
(commodus discessus).
d. Quem não é reincidente é primário. Uma condenação transitada em julgado não pode ser usada como "mau
antecedente" para exasperar a pena base e na sequência também para servir como a agravante genérica referente à
13
Questões de Direito Penal e Processual Penal
reincidência, a qual não se comunica aos concorrentes. O estigma da reincidência - cuja única prova admissível é a
certidão cartorária de trânsito em julgado da condenação anterior - é limitado no tempo.

03. Assinale a alternativa incorreta:

a. O aditamento à denúncia será causa interruptiva da prescrição se contiver um novo fato delituoso, mas exclusivamente
com relação a este.
b. Como consequência do inciso XL, do artigo 5°, da Constituição Federal, nos casos de crime permanente e de
continuidade delitiva deve sempre ser observada a regra 'tempus regit actum' de modo a favorecer o agente impedindo-
se a incidência de lei penal mais gravosa que passa a viger antes do fim da permanência ou da continuidade.
c. A reparação voluntária do dano ou restituição da coisa, antes do recebimento da pela acusatória, em todo e qualquer
crime não executado com violência ou grave ameaça a pessoa, é causa obrigatória de redução de pena que se estende
em favor de concorrentes.
d. O crime de não recolhimento tempestivo em favor da Previdência Social de contribuição descontada dos salários dos
segurados empregados, ou dos pagamentos feitos a terceiros, é norma penal em branco e delito omissivo próprio, punido
a título de dolo genérico.

04. Indique qual das proposições seguintes NÃO É INTEIRAMENTE VERDADEIRA:

a. Em tema de concurso de agentes: conforme a teoria do domínio do fato, o mandante do crime e o chamado "autor
intelectual" são considerados autores; já para a teoria-objetivo-formal eles seriam partícipes. Em face da teoria monista,
o crime é um só para autores e partícipes, mas no caso de participação o desvio subjetivo de conduta influenciará na
tipificação da conduta do partícipe. Não existe concurso de agentes em caso de "autoria mediata" de conivência e nos
delitos plurissubjetivos.
b. Em face do discurso do artigo 18, da Lei n° 10.826, de 22 de dezembro de 2003 (importar, exportar, favorecer a entrada
ou a saída do território nacional a qualquer título, de arma de fogo, acessório ou munição, sem autorização da autoridade
competente...) pode-se dizer que: a ilicitude ocorre ainda que se trate de arma, acessório ou munição de uso permitido
no Brasil; ocorre o crime ainda que o agente introduza uma só arma de fogo e sem intuito de comercialização; a
introdução ou exportação de artefatos explosivos não caracteriza o crime; trata-se de crime instantâneo, que se consuma
quando o sujeito ativo transpõe a zona alfandegária ou, valendo-se da clandestinidade, ultrapassa a fronteira; não
ocorrerá o delito se o agente estiver transitando pelo território nacional.
c. O chamado crime de terrorismo encontra-se tipificado em nosso Direito no artigo 20, da Lei n° 7.170, de 14 de
dezembro de 1983, constituindo-se de práticas que seriam infrações de direito comum que ganham uma consideração
especial como "atos terroristas" em virtude das motivações de seus agentes, tratando-se de delito de concurso
necessário por envolver apenas membros de organizações políticas. Trata-se de infração imprescritível e a ação penal
depende de requisição do Ministro da Justiça; a competência para o processo e julgamento e da Justiça Federal de 1ª
instância, com recurso para o Supremo Tribunal Federal.
d. O princípio da insignificância é extralegal e difere do principio da adequação social; não se relaciona com as infrações
de menor potencial ofensivo. Tem sido acolhido pelo Superior Tribunal de Justiça, que o aplica levando em conta não
apenas a "bagatela" da lesão, mas também circunstâncias do fato e condições pessoais do agente.

05. Considere a Lei n° 11.343, de 23 de agosto de 2006 e as proposições seguintes; depois, indique a alternativa correta:

I - Inexiste a previsão de obrigatório trâmite sigiloso do inquérito e do processo referentes a crime previsto nessa lei, mas
caso haja expresso decreto de segredo de justiça a violação dele será punida na forma do artigo 325, do Código Penal,
que por sua vez é um crime próprio.
II - O financiamento para o tráfico (financiar ou custear a prática de qualquer dos crimes previstos nos artigos 33, 'caput',
e parágrafo 1°, e 34, desta lei) tratado no artigo 36 é conduta que perante a legislação anterior não podia sofrer qualquer
punição. Trata-se de delito habitual e caso a prática do tráfico efetivamente ocorra haverá concurso material de
infrações, pois o financiador também responderá pelos crimes de associação para o tráfico e pela própria traficância (arts.
33, caput, e parágrafo 1°, e 34). A propósito, se o financiador remeter a quantia do exterior em benefício do tráfico
executado a partir do território nacional, em virtude de a ação ter ocorrido no estrangeiro o financiador não ficará sujeito
à jurisdição brasileira.
III - Nos delitos capitulados no caput e no parágrafo 1°, do artigo 33 é faculdade do Juiz reduzir a pena um sexto a dois
terços desde que, cumulativamente, o agente seja primário e sem antecedentes, não integre organização criminosa e
14
Questões de Direito Penal e Processual Penal
tampouco se dedique a quaisquer outras atividades criminosas; a pena assim obtida não pode ser substituída por
restrições de direitos e deve ser cumprida em regime inicialmente fechado sendo que o livramento condicional exige o
cumprimento de dois terços da pena, mas é vedado ao reincidente específico.
IV - A partir de 8 de outubro de 2006 todos os processos versando sobre tráfico internacional de drogas em trâmite na
Justiça Estadual devem ser remetidos à Justiça Federal, desprezando-se a regra da 'perpetuatio jurisdictionis' até porque
as normas processuais têm aplicação imediata.
V - O artigo 37 (colaborar, como informante, com grupo, organização, ou associação destinados a prática de qualquer dos
crimes previstos nos artigos 33, 'caput', e parágrafo 1°, e 34) tipifica somente a conduta do informante eventual, ou seja,
aquele que contribui apenas eventualmente com os destinatários da informação, tratando-se, portanto, de exceção
pluralista ao artigo 29, do Código Penal e de delito subsidiário em relação ao delito de associação para o tráfico (artigo 35)
pois se o fornecimento de informações for estável o agente estará envolvido em 'societas sceleris' com os destinatários
das informações.
VI - Acordos celebrados entre os acusados e a Polícia e o Ministério Público, envolvendo "delação premiada" de que trata
o artigo 41, nos quais os primeiros colaboram para a identificação de concorrentes e na recuperação ainda que parcial da
droga ou do dinheiro obtido com a venda da substância, vinculam o Juiz a conceder o perdão judicial ou a redução de
pena.

a. As proposições I, III e VI são verdadeiras.


b. As proposições I e II são verdadeiras.
c. As proposições III e V são falsas.
d. As proposições IV e V são verdadeiras.

06. Marque a alternativa INCORRETA:

a. Diante do texto do art. 10 da Lei n° 9.296 de 24 de julho de 1996 (constitui crime realizar interceptação de
comunicações telefônicas, de informática ou telemática, ou quebrar segredo de justiça, sem autorização judicial ou com
objetivos não autorizados em lei. Pena: reclusão de 2 a 4 anos, e multa) a primeira figura traduz um crime comum e a
segunda um crime próprio. Em qualquer dos dois casos admite-se tentativa. A gravação telefônica feita por um dos
interlocutores à revelia do outro não configura o delito e o resultado dela pode servir como prova.
b. Organização criminosa é um grupo de no mínimo três pessoas, unidas há algum tempo no propósito comum de praticar
infrações graves para obter benefício econômico ou moral; ocultada ou dissimulada a origem ou a propriedade dos
valores provenientes, mesmo que indiretamente, da ação de organização criminosa, serão eles objetos materiais de crime
de lavagem de ativos.
c. Quando praticado por "grupo de extermínio" o homicídio assume forma qualificada; mas essa qualificadora só poderá
ser reconhecida se admitida pelos jurados através de quesito específico, a partir do que será necessário formular quesito
obrigatório para que o conselho de sentença decida se a pena será ou não cumprida em regime integralmente fechado
por se tratar de delito considerado hediondo.
d. O crime de tráfico internacional de pessoas, cujo objeto jurídico é a moralidade sexual já que coíbe a prostituição, pode
ter como sujeitos passivos mulheres e homens; se a infração se consuma e a vítima entra ou sai do território nacional e
efetivamente exerce a prostituição, isso é mero exaurimento do delito; a ação penal é de iniciativa pública incondicionada
e o processo e de competência da Justiça Federal.

07. Considere os enunciados seguintes e assinale a resposta CORRETA:

I - O concurso formal imperfeito, que só é possível nos crimes dolosos e envolve tanto o dolo direto quanto o eventual,
provoca a somatória das penas cominadas.
II - Os fatos tratados no artigo 1°, incisos I a V, da Lei nº 8.137 de 27 de dezembro de 1990, considerados sonegação fiscal,
configuram crimes materiais; assim, a tipicidade se condiciona ao exaurimento de processo administrativo onde seja
reconhecido o critério tributário de modo definitivo, sob o aspecto da exigibilidade e do valor.
III - Entende-se ser impossível em sede de furto qualificado a aplicação da majorante decorrente do cometimento do
delito durante o "repouso noturno", mas nada impede que essa situação seja considerada na 1ª fase da dosimetria da
pena como circunstância judicial nos termos do artigo 59, do Código Penal.
IV - A Lei n° 10.826 de 22 de dezembro de 2003 prepondera sobre o Código Penal, de modo que a arma de fogo que é
apreendida como objeto material de crime ou como instrumento da prática delituosa, desde que não mais interesse a
persecução e que esteja juntado aos autos o laudo pericial a respeito dela, deve ser encaminhada ao Exército para ser

15
Questões de Direito Penal e Processual Penal
destruída, independentemente da condenação definitiva do agente, mas ressalvado o direito da vítima e de terceiro de
boa-fé,
V - Quem repele injusta agressão que está sofrendo usando moderadamente do meio de que dispunha na ocasião - arma
de fogo de uso permitido que vinha portando ilegalmente - não se livra de responder pelo crime de porte ilegal de arma
(artigo 14, 'caput' do Estatuto do Desarmamento).

a. Somente o enunciado III é verdadeiro.


b. Somente os enunciados I, III e V são verdadeiros.
c. O enunciado IV é falso.
d. Todos os enunciados são verdadeiros.

08. Assinale a alternativa em que as duas proposições estão certas:

a. O crime do artigo 97, da Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993 (admitir à licitação ou celebrar contrato com empresa ou
profissional declarado inidôneo) só ocorre se a inidoneidade foi anteriormente declarada, pela administração pública,
como sansão pela inexecução de contrato - Dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses legais ou sem observar as
formalidades necessárias à dispensa ou inexigibilidade do certame (artigo 89, da Lei n°8.666 de 21 de junho de 1993) é
conduta impunível sob a forma culposa,
b. O crime de concussão se distingue da corrupção passiva, pois no.primeiro o agente fez uma exigência indevida,
enquanto que no segundo ele solicita ou recebe uma vantagem indevida. A revogação do complemento da norma penal
em branco, porque altera a estrutura típica, sempre retroagirá para beneficiar o acusado.
c. O funcionário público que facilita a prática de contrabando ou descaminho, transgredindo dever funcional de reprimir
essas práticas, é punido como partícipe do delito do artigo 334, do Código Penal, mas não inibe a agravante da "violação
de dever inerente a cargo" (artigo 61, II, "g", do Código Penal) - Distinguem-se o crime progressivo da progressão
criminosa, pois no primeiro o dolo, mais abrangente, é único, enquanto que na segunda ocorre um crescendo na violação
de bem jurídico com alteração do dolo.
d. Privada a vitima de sua liberdade, consuma-se o delito de extorsão mediante sequestro, nada importando para isso
que os agentes não tenham obtido o proveito patrimonial pretendido - A figura típica do artigo 205, do Código Penal
(exercer atividade, de que esta impedido por decisão administrativa) apenada com detenção de 3 meses a 2 anos ou
multa, está implicitamente revogada pelo artigo 5°, XIII, da Constituição Federal, que assegurou ser livre o exercício de
qualquer trabalho, ofício ou profissão.

09. Com relação aos crimes contra o Sistema Financeiro Nacional (Lei n° 7.492, de 16 de junho de 1986) analise as
proposições abaixo e assinale a alternativa CORRETA:

I - Aquele que divulga, propala informação que sabe ser falsa sobe instituição financeira, pratica o crime do artigo 3°, da
Lei n° 7.492/86 mesmo que a instituição não sofra prejuízo material ou moral.
II - O crime de gestão fraudulenta ou gestão temerária de instituição financeira (artigo 4° e seu parágrafo, da Lei n°
7.492/86), considerado crime próprio cuja configuração exige habitualidade, é infração de perigo, pois atenta contra a
credibilidade do sistema financeiro.
III - O chamado crime de "caixa dois" (artigo 11: manter ou movimentar recurso ou valor paralelamente a contabilidade
exigida pela legislação) apresenta-se como tipo de norma penal em branco, é delito subsidiário, próprio e admite
tentativa.
IV - A conduta descrita no 'caput' do artigo 22, da Lei n° 7.492/86 (efetuar operação de câmbio não autorizada, com o fim
de promover evasão de divisas do Pais) configura crime comum e o aperfeiçoamento do delito não pressupõe a saída
física do numerário, mas admite tentativa.

a. A proposição III não é inteiramente verdadeira.


b. Todas as proposições são inteiramente verdadeiras.
c. As proposições I e II não são verdadeiras.
d. Apenas a proposição IV é verdadeira.

10. Marque a alternativa CORRETA:

16
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a. Para o finalismo o dolo e a potencial consciência da ilicitude da conduta representam a mesma realidade como
elemento necessário para o juízo de desvalor da ação ou omissão..
b. Mesmo após a reforma penal de 1984, a "intensidade do dolo" mantém-se como circunstância capaz de provocar
maior dosagem de pena, já que é relevante para o Juiz avaliar o grau de reprovação social da conduta.
c. É atípico o comportamento praticado debaixo de irresistível coação física, respondendo o coator pelo fato na condição
de autor imediato em concurso com a coação.
d. O tipo do injusto culposo e considerado "tipo fechado" porque a lei taxativamente prevê as modalidades de culpa
(imprudência, imperícia e negligência), sendo ao menos uma delas o núcleo do tipo.

GABARITO: (01) - A / (02) - D / (03) - B / (04) - C / (05) - D / (06) - C / (07) - D / (08) - A / (09) - A / (10) - C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do 14º Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz Federal
Substituto, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, aplicada aos 09 de março de 2008, selecionadas por Paula Camila
de Lima, Advogada, Pós-graduada em Direito Tributário com formação em Magistério Superior - FMS pela Unisul/LFG,
Bauru/SP.

01. Antônio, réu primário, sofreu condenação já transitada em julgado pela prática do crime previsto no art. 273 do CP,
consistente na falsificação de produto destinado a fins terapêuticos, praticado em janeiro de 2009. Em face dessa
situação hipotética e com base na legislação e na jurisprudência aplicáveis ao caso, assinale a opção correta:

A) Antônio cometeu crime hediondo, mas poderá progredir de regime de pena privativa de liberdade após o
cumprimento de um sexto da pena, caso ostente bom comportamento carcerário comprovado pelo diretor do
estabelecimento prisional.
B) Antônio cometeu crime hediondo, de forma que só poderá progredir de regime de pena privativa de liberdade após o
cumprimento de dois quintos da pena, caso atendidos os demais requisitos legais.
C) Antônio cometeu crime hediondo e, portanto, não poderá progredir de regime.
D) Antônio não cometeu crime hediondo e poderá progredir de regime de pena privativa de liberdade após o
cumprimento de um sexto da pena, caso ostente bom comportamento carcerário comprovado pelo diretor do
estabelecimento prisional, mediante decisão fundamentada precedida de manifestação do MP e do defensor.

02. Em relação à classificação das infrações penais, assinale a opção correta:

A) Crimes hediondos são os previstos como tal na lei específica, e crimes assemelhados a hediondos são todos aqueles
delitos que, embora não estejam previstos como tal na lei, causem repulsa social, por sua gravidade e crueldade.
B) Crime próprio é sinônimo de crime de mão própria.
C) Crime unissubsistente é o que se consuma com a simples criação do perigo para o bem jurídico protegido, sem
produzir dano efetivo.
D) No crime comissivo por omissão, o agente responde pelo resultado, e não, pela simples omissão, uma vez que esta é o
meio pelo qual o agente produz o resultado.

03. De acordo com o art. 14, inciso II, do CP, diz-se tentado o crime quando, iniciada a execução, este não se consuma
por circunstâncias alheias à vontade do agente. Em relação ao instituto da tentativa (conatus) no ordenamento jurídico
brasileiro, assinale a opção correta:

A) A tentativa determina a redução da pena, obrigatoriamente, em dois terços.


B) As contravenções penais não admitem punição por tentativa.
C) O crime de homicídio não admite tentativa branca.
D) Considera-se perfeita ou acabada a tentativa quando o agente atinge a vítima, vindo a lesioná-la.

04. Com relação ao dolo e à culpa, assinale a opção correta:

A) A conduta culposa poderá ser punida ainda que sem previsão expressa na lei.
17
Questões de Direito Penal e Processual Penal
B) Caracteriza-se a culpa consciente caso o agente preveja e aceite o resultado de delito, embora imagine que sua
habilidade possa impedir a ocorrência do evento lesivo previsto.
C) Caracteriza-se a culpa própria quando o agente, por erro de tipo inescusável, supõe estar diante de uma causa de
justificação que lhe permite praticar, licitamente, o fato típico.
D) Considere que determinado agente, com intenção homicida, dispare tiros de pistola contra um desafeto e, acreditando
ter atingido seu objetivo, jogue o suposto cadáver em um lago. Nessa situação hipotética, caso se constate
posteriormente que a vítima estava viva ao ser atirada no lago, tendo a morte ocorrido por afogamento, fica
caracterizado o dolo geral do agente, devendo este responder por homicídio consumado.

05. Em cada uma das opções a seguir, é apresentada uma situação hipotética seguida de uma assertiva a respeito de
penas. Assinale a opção em que a assertiva está de acordo com o que dispõe o CP:

A) Júlio foi definitivamente condenado à pena privativa de liberdade em regime fechado e passou a trabalhar no presídio.
Nessa situação, embora o trabalho de Júlio seja remunerado, ele não terá direito aos benefícios da previdência social.
B) Roberto, durante o trâmite de processo por crime de roubo, ficou preso provisoriamente em razão de prisão
preventiva decretada pelo juiz para a garantia da ordem pública. Nessa situação, caso o juiz imponha a Roberto, na
sentença definitiva, medida de segurança, e não pena privativa de liberdade, o tempo de prisão provisória não será
computado na medida de segurança.
C) Paulo foi definitivamente condenado à pena privativa de liberdade em regime fechado. Nessa situação, Paulo deverá,
necessariamente, ser submetido ao exame criminológico para a obtenção da progressão de regime.
D) Túlio, funcionário público, praticou crime de peculato doloso, vindo a ser definitivamente condenado à pena privativa
de liberdade. Nessa situação, a progressão do regime de cumprimento de sua pena ficará condicionada à reparação do
dano que causou ou à devolução do produto do crime, com os acréscimos legais.

06. A respeito do crime de omissão de socorro, assinale a opção Correta:

A) O crime de omissão de socorro é admitido na forma tentada.


B) É impossível ocorrer participação, em sentido estrito, em crime de omissão de socorro.
C) A omissão de socorro classifica-se como crime omissivo próprio e instantâneo.
D) A criança abandonada pelos pais não pode ser sujeito passivo de ato de omissão de socorro praticado por terceiros.

GABARITO: (01) - B / (02) - D / (03) - B / (04) - D / (05) - D / (06) - C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do Exame 2009.2 da OAB/SP, selecionadas por Paula Camila de Lima,
Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Sobre o crime, é CORRETO afirmar que:

a) Para Teoria Clássica o crime é um fato típico e antijurídico.


b) Para Teoria Finalista o crime é um fato típico, antijurídico e culpável.
c) De acordo com o resultado, os crimes materiais são aqueles em relação aos quais a lei descreve uma ação e um
resultado, consumando-se no momento da ação, independentemente do resultado.
d) Crimes de mão própria são aqueles que só podem ser cometidos por determinada categoria de pessoas e admitem co-
autoria.
e) Crime falho ocorre quando o agente percorre todo o iter criminis, mas não consegue consumar o delito.

02. Nos termos do Código Penal Brasileiro, é CORRETO afirmar que:

a) Em nenhuma hipótese são sujeitos à lei brasileira os crimes cometidos no estrangeiro, que deverão assim submeter-se
à lei do lugar onde foram cometidos.

18
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) A pena cumprida no estrangeiro, mesmo quando se trate do mesmo crime, não será aproveitada para efeitos de
atenuação da pena imposta no Brasil.
c) Quanto ao lugar, considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou omissão, no todo ou em parte,
bem como onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.
d) A sentença estrangeira não produz conseqüência alguma na aplicação da lei brasileira, não podendo ser homologada
no Brasil em nenhuma hipótese.
e) As regras do Código Penal não se aplicam, em nenhuma hipótese, aos fatos incriminados por lei especial.

03. Assinale a alternativa INCORRETA:

a) No chamado crime de atentado a tentativa é equiparada ao crime consumado, havendo aplicação da teoria subjetiva.
b) A lei penal brasileira faz distinção entre a tentativa perfeita e a tentativa imperfeita, sendo expressamente prevista a
diminuição da aplicação da pena em abstrato no caso da tentativa perfeita.
c) No caso de tentativa qualificada o agente responde apenas pelos atos anteriores à execução do crime.
d) Os crimes omissivos impróprios ou comissivos por omissão admitem tentativa.
e) Nos casos de crime continuado não é admissível a tentativa no todo que o compõe.

04. São tipificadas como crimes contra a organização do trabalho as seguintes condutas, EXCETO:

a) Manter vigilância ostensiva no local de trabalho ou se apoderar de documentos ou objetos pessoais do trabalhador,
com o fim de retê-lo no local de trabalho.
b) Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a exercer ou não exercer arte, ofício, profissão ou indústria,
ou a trabalhar ou não trabalhar durante certo período ou em determinados dias.
c) Participar de suspensão ou abandono coletivo de trabalho, provocando a interrupção de obra pública ou serviço de
interesse coletivo.
d) Exercer atividade de que está impedido por decisão administrativa.
e) Impedir alguém de se desligar de serviços de qualquer natureza, mediante coação ou por meio da retenção de seus
documentos pessoais ou contratuais.

GABARITO: (01) - E / (02) - C / (03) - B / (04) - A

Notas: Questões de Direito Penal - 1ª e 2ª Partes, extraídas do X Concurso Público Para Provimento de Cargo de Juiz do
Trabalho Substituto, do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região - Mato Grosso do Sul, selecionadas por Paula Camila
de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Ana e Bruna desentenderam-se em uma festividade na cidade onde moram e Ana, sem intenção de matar, mas
apenas de lesionar, atingiu levemente, com uma faca, o braço esquerdo de Bruna, a qual, ao ser conduzida ao hospital
para tratar o ferimento, foi vítima de acidente de automóvel, vindo a falecer exclusivamente em razão de traumatismo
craniano. Acerca dessa situação hipotética, é correto afirmar, à luz do CP, que Ana:

A) não deve responder por delito algum, uma vez que não deu causa à morte de Bruna.
B) deve responder apenas pelo delito de lesão corporal.
C) deve responder pelo delito de homicídio consumado.
D) deve responder pelo delito de homicídio na modalidade tentada.

02. Acerca dos crimes contra a honra, assinale a opção correta:

A) Não constituem injúria ou difamação punível a ofensa não excessiva praticada em juízo, na discussão da causa, pela
parte ou por seu advogado e a opinião da crítica literária sem intenção de injuriar ou difamar.
B) Em regra, a persecução criminal nos crimes contra a honra processa-se mediante ação pública condicionada à
representação da pessoa ofendida.

19
Questões de Direito Penal e Processual Penal
C) Caracterizado o crime contra a honra de servidor público, em razão do exercício de suas funções, a ação penal será
pública incondicionada.
D) O CP prevê, para os crimes de calúnia, de difamação e de injúria, o instituto da exceção da verdade, que consiste na
possibilidade de o acusado comprovar a veracidade de suas alegações, para a exclusão do elemento objetivo do tipo.

03. Acerca dos crimes contra o patrimônio, assinale a opção correta:

A) O crime de latrocínio só se consuma quando o agente, após matar a vítima, realiza a subtração dos bens visados no
início da ação criminosa.
B) O crime de extorsão é consumado quando o agente, mediante violência ou grave ameaça, obtém, efetivamente,
vantagem econômica indevida, constrangendo a vítima a fazer alguma coisa ou a tolerar que ela seja feita.
C) Quem falsifica determinado documento exclusivamente para o fim de praticar um único estelionato não responderá
pelos dois delitos, mas apenas pelo crime contra o patrimônio.
D) O crime de apropriação indébita de contribuição previdenciária é delito material, exigindo-se, para a consumação, o
fim específico de apropriar-se da coisa para si (animus rem sibi habendi).

04. Com relação à finalidade das sanções penais, assinale a opção correta:

A) Segundo entendimento doutrinário balizador das normas aplicáveis à espécie, as teorias tidas por absolutas advogam a
tese da aplicação das penas para a prevenção de futuros delitos.
B) As teorias tidas por relativas advogam a tese da retribuição do crime, justificada por seu intrínseco valor axiológico,
que possui, em si, seu próprio fundamento.
C) O ordenamento jurídico brasileiro não reconheceu somente a função de retribuição da pena, sendo certo que a
denominada teoria mista ou unificadora da pena é a mais adequada ao regime adotado pelo CP.
D) As medidas de segurança têm finalidade essencialmente retributiva.

05. Em relação às causas de exclusão de ilicitude, assinale a opção incorreta:

A) Considera-se em estado de necessidade quem pratica o fato para salvar de perigo atual, que não provocou por sua
vontade nem podia de outro modo evitar, direito próprio ou alheio, cujo sacrifício, nas circunstâncias, não era razoável
exigir-se.
B) Considera-se causa supralegal de exclusão de ilicitude a inexigibilidade de conduta diversa.
C) Um bombeiro em serviço não pode alegar estado de necessidade para eximir-se de seu ofício, visto que tem o dever
legal de enfrentar o perigo.
D) Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual
ou iminente, a direito seu ou de outrem.

06. Constitui conduta criminosa:

A) deixar o pai de prover, sem justa causa, a instrução primária do filho em idade escolar.
B) cometer adultério.
C) emitir cheque pré-datado, sabendo-o sem provisão de fundos.
D) destruir culposamente a vidraça de prédio pertencente ao departamento de polícia civil.

07. Acerca dos institutos da desistência voluntária, do arrependimento eficaz e do arrependimento posterior, assinale a
opção correta:

A) O agente que, voluntariamente, desiste de prosseguir na execução ou impede que o resultado se produza responderá
pelo crime consumado com causa de redução de pena de um a dois terços.
B) A desistência voluntária e o arrependimento eficaz, espécies de tentativa abandonada ou qualificada, passam por três
fases: o início da execução, a não consumação e a interferência da vontade do próprio agente.
C) Crimes de mera conduta e formais comportam arrependimento eficaz, uma vez que, encerrada a execução, o resultado
naturalístico pode ser evitado.
20
Questões de Direito Penal e Processual Penal
D) A natureza jurídica do arrependimento posterior é a de causa geradora de atipicidade absoluta da conduta, que
provoca a adequação típica indireta, de forma que o autor não responde pela tentativa, mas pelos atos até então
praticados.

08. Jaime foi denunciado pela prática de crime político perante a 12.ª Vara Criminal Federal do DF. Acolhida a
pretensão acusatória e condenado o réu, a decisão condenatória foi publicada no Diário da Justiça.

Nessa situação hipotética, considerando-se que não há fundamento para a interposição de habeas corpus e que não há
ambiguidade, omissão, contradição ou obscuridade na sentença condenatória, contra esta cabe:

A) recurso ordinário constitucional diretamente ao STF.


B) recurso ordinário constitucional diretamente ao STJ.
C) recurso de apelação ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região.
D) pedido de revisão criminal ao próprio juízo sentenciante.

09. Em relação ao inquérito policial, assinale a opção incorreta:

A) Caso as informações obtidas por outros meios sejam suficientes para sustentar a inicial acusatória, o inquérito policial
torna-se dispensável.
B) O MP não poderá requerer a devolução do inquérito à autoridade policial, senão para que sejam realizadas novas
diligências, dado que imprescindíveis ao oferecimento da denúncia.
C) Nas hipóteses de ação penal pública, condicionada ou incondicionada, a autoridade policial deverá instaurar, de ofício,
o inquérito, sem que seja necessária a provocação ou a representação.
D) A autoridade policial não poderá mandar arquivar autos de inquérito, uma vez que tal arquivamento é de competência
da autoridade judicial.

10. Acerca do significado dos princípios limitadores do poder punitivo estatal, assinale a opção correta:

A) Segundo o princípio da culpabilidade, o direito penal deve limitar-se a punir as ações mais graves praticadas contra os
bens jurídicos mais importantes, ocupando-se somente de uma parte dos bens protegidos pela ordem jurídica.
B) De acordo com o princípio da fragmentariedade, o poder punitivo estatal não pode aplicar sanções que atinjam a
dignidade da pessoa humana ou que lesionem a constituição físico-psíquica dos condenados por sentença transitada em
julgado.
C) Segundo o princípio da ofensividade, no direito penal somente se consideram típicas as condutas que tenham certa
relevância social, pois as consideradas socialmente adequadas não podem constituir delitos e, por isso, não se revestem
de tipicidade.
D) O princípio da intervenção mínima, que estabelece a atuação do direito penal como ultima ratio, orienta e limita o
poder incriminador do Estado, preconizando que a criminalização de uma conduta só se legitima se constituir meio
necessário para a proteção de determinado bem jurídico.

11. Acerca de exceções, assinale a opção correta:

A) Podem ser opostas exceções de suspeição, incompetência de juízo, litispendência, ilegitimidade de parte e coisa
julgada e, caso a parte oponha mais de uma, deverá fazê-lo em uma só petição ou articulado.
B) Tratando-se da exceção de incompetência do juízo, uma vez aceita a declinatória, o feito deve ser remetido ao juízo
competente, onde deverá ser declarada a nulidade absoluta dos atos anteriores, não se admitindo a ratificação.
C) A exceção de incompetência do juízo, que não pode ser oposta verbalmente, deve ser apresentada, no prazo de
defesa, pela parte interessada.
D) A parte interessada pode opor suspeição às autoridades policiais nos atos do inquérito, devendo fazê-lo na primeira
oportunidade em que tiver vista dos autos.

12. Acerca do procedimento relativo aos crimes de menor potencial ofensivo, previsto na Lei n.º 9.099/1995, assinale a
opção correta:
21
Questões de Direito Penal e Processual Penal

A) A reparação dos danos sofridos pela vítima não é objetivo do processo perante o juizado especial criminal, devendo ser
objeto de ação de indenização por eventuais danos materiais e morais sofridos, perante a vara cível ou o juizado especial
cível competente.
B) Não sendo encontrado o acusado, para ser citado pessoalmente, e havendo certidão do oficial de justiça afirmando
que o réu se encontra em local incerto e não sabido, o juiz do juizado especial criminal deverá proceder à citação por
edital, ouvido previamente o MP.
C) Na audiência preliminar, o ofendido terá a oportunidade de exercer o direito de representação verbal nas ações penais
públicas condicionadas e, caso não o faça, ocorrerá a decadência do direito.
D) Tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada, não sendo o caso de arquivamento, o MP poderá propor a
aplicação imediata de pena de multa, a qual, se for a única aplicável, poderá ser reduzida, pelo juiz, até a metade.

13. A respeito do questionário utilizado no tribunal do júri, assinale a opção correta:

A) O juiz-presidente não deve formular quesitos sobre causas de diminuição de pena alegadas pela defesa, visto tratar-se
de matéria atinente à fixação da pena, que incumbe ao juiz presidente, e não, aos jurados.
B) Havendo mais de um crime ou mais de um acusado, os quesitos devem ser formulados em série única, dividida em
capítulos conforme o crime ou o acusado.
C) Se a resposta a qualquer dos quesitos estiver em contradição com outra ou outras já apresentadas, o juiz-presidente
deverá, de imediato, declarar a nulidade da sessão de julgamento, designando outra para o primeiro dia desimpedido.
D) Se, pela resposta apresentada a um dos quesitos, o juiz presidente verificar que ficam prejudicados os seguintes, assim
o declarará, dando por finda a votação.

14. Acerca da substituição da pena privativa de liberdade, assinale a opção incorreta:

A) As penas restritivas de direitos são autônomas e substituem as penas privativas de liberdade, podendo ser aplicadas
em casos de crimes cometidos com grave ameaça, desde que não tenha havido violência contra a pessoa.
B) Se o condenado for reincidente, o juiz poderá aplicar a substituição, desde que, em face de condenação anterior, a
medida seja socialmente recomendável e a reincidência não se tenha operado em virtude da prática do mesmo crime.
C) A pena restritiva de direitos converte-se em privativa de liberdade quando ocorrer o descumprimento injustificado da
restrição imposta.
D) A pena de multa descumprida não pode ser convertida em prisão.

15. Com relação às disposições do ECA acerca da colocação da criança e do adolescente em família substituta, assinale
a opção correta:

A) A colocação da criança em família substituta, na modalidade de adoção, constitui medida excepcional, preferindo-se
que ela seja criada e educada no seio saudável de sua família natural.
B) A guarda destina-se a regularizar a posse de fato e, uma vez deferida pelo juiz, não pode ser posteriormente revogada.
C) Somente a adoção constitui forma de colocação da criança em família substituta.
D) O guardião não pode incluir a criança que esteja sob sua guarda como beneficiária de seu sistema previdenciário visto
que a guarda não confere à criança condição de dependente do guardião.

16. Acerca da medida socioeducativa de internação, prevista no ECA, assinale a opção correta:

A) Comprovada a autoria e materialidade de ato infracional considerado hediondo, tal como o tráfico de entorpecentes,
ao adolescente infrator deve, necessariamente, ser aplicada medida socioeducativa de internação.
B) O adolescente que atinge os 18 anos de idade deve ser compulsoriamente liberado da medida socioeducativa de
internação em razão do alcance da maioridade penal.
C) No processo para apuração de ato infracional de adolescente, não se exige defesa técnica por advogado.
D) A medida socioeducativa de internação não comporta prazo determinado, devendo sua manutenção ser reavaliada,
mediante decisão fundamentada, no máximo a cada 6 meses.

22
Questões de Direito Penal e Processual Penal

GABARITO: (01) - B / (02) - A / (03) - C / (04) - C / (05) - B / (06) - A / (07) - B / (08) - A / (09) - C / (10) - D / (11) - A / (12) - D
/ (13) - D / (14) - A / (15) - A / (16) - D

Notas: Questões de Direito Penal e Processual Penal, extraídas do Exame 2009.1 da OAB/SP, selecionadas por Paula
Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

1. Sobre a aplicação da lei penal, considere:

I. A lei excepcional ou temporária não se aplica ao fato praticado durante sua vigência, se decorrido o período de sua
duração ou cessadas as circunstâncias que a determinaram.
II. Considera-se praticado o crime no momento da ação ou omissão, ainda que outro seja o momento do resultado.
III. A lei brasileira não se aplica aos crimes contra o patrimônio ou a fé pública da União, do Distrito Federal, de Estado, de
Território, de Município, de empresa pública, sociedade de economia mista, autarquia ou fundação instituída pelo Poder
Público, se praticados no estrangeiro.
IV. Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou omissão, no todo ou em parte, bem como onde se
produziu ou deveria produzir-se o resultado.
V. Aplica-se a lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, aos crimes contra a administração pública praticados por
qualquer pessoa.

Está correto o que se afirma APENAS em:

(A) I e III.
(B) I e V.
(C) II e III.
(D) II e IV.
(E) III, IV e V.

2. No crime complexo, a ação penal é:

(A) Pública incondicionada, se qualquer dos crimes componentes do tipo deva ser apurado por iniciativa do Ministério
Público.
(B) Pública condicionada, mesmo que qualquer dos crimes componentes do tipo deva ser apurado por iniciativa do
Ministério Público, desde que em relação a outro ou outros a sua ação dependa de representação.
(C) Pública incondicionada em relação aos crimes componentes do tipo que são dessa natureza e privada ou pública
condicionada em relação a outro ou outros que sejam de iniciativa privada ou sujeito a representação.
(D) Pública ou privada, dependendo de acordo entre o Ministério Público e o ofendido ou seu representante legal.
(E) Privada, se um dos crimes componentes do tipo for dessa natureza, mesmo que outro ou outros devam ser apurados
por iniciativa do Ministério Público.

03. João, tesoureiro de órgão público, agindo em concurso com José e em proveito deste, que não é funcionário
público, mas que sabe que João o é, desvia certa quantia em dinheiro, de que tem a posse em razão do cargo. Por essa
conduta:

(A) José não responde por crime nenhum, já que foi João quem desviou o dinheiro.
(B) João responde por peculato e José por apropriação indébita.
(C) João e José respondem pelo crime de peculato.
(D) João não responde por crime porque o dinheiro foi todo entregue para José, que é quem deve ser processado.
(E) João e José respondem pelo crime de peculato, mas este tem a pena reduzida pela metade, porque foi João quem
desviou o dinheiro.

04. Nos termos da Lei no 9.613, de 03 de março de 1998, é INCORRETO afirmar que:

23
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(A) São puníveis os fatos nela previstos como crime, ainda que desconhecido ou isento de pena o autor do crime
antecedente.
(B) Os crimes nela disciplinados são insuscetíveis de fiança e liberdade provisória.
(C) O processo e julgamento dos crimes nela previstos obedecem às disposições relativas ao procedimento comum dos
crimes punidos com reclusão, da competência do juiz singular.
(D) O juiz determinará a liberação dos bens, direitos e valores apreendidos ou seqüestrados quando comprovada a
licitude de sua origem.
(E) Em caso de sentença condenatória, o réu não poderá em nenhuma hipótese, apelar em liberdade.

05. Quanto à queixa-crime é correto afirmar que:

(A) A mulher casada não poderá exercer o direito de queixa sem consentimento do marido, salvo quando estiver dele
separada ou quando a queixa for contra ele, sendo que se o marido recusar o consentimento, o juiz poderá supri-lo.
(B) O prazo para o aditamento da queixa será de 3 dias, contado da data em que o órgão do Ministério Público receber os
autos, e, se este não se pronunciar dentro do tríduo, entender-se-á que não tem o que aditar, prosseguindo-se nos
demais termos do processo.
(C) A queixa, ainda quando a ação penal for privativa do ofendido, não poderá ser aditada pelo Ministério Público.
(D) A queixa contra qualquer dos autores do crime não obrigará ao processo de todos.
(E) No caso de morte do ofendido, o direito de oferecer queixa passará, sucessivamente, ao ascendente, ao descendente
e ao cônjuge, salvo quando declarado ausente por decisão judicial, hipótese em que se declarará extinta a punibilidade do
autor.

06. Quanto aos recursos em geral, dispõe o Código de Processo Penal, dentre outras hipóteses, que:

(A) No caso de concurso de agentes, a decisão do recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivo de caráter
exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros.
(B) Excetuando-se dentre outros o da sentença que denegar habeas corpus, hipótese em que deverá ser interposto, de
ofício, pelo juiz, os recursos serão voluntários.
(C) Salvo a hipótese de má-fé, a parte não será prejudicada pela interposição de um recurso por outro e se o juiz, desde
logo, reconhecer a impropriedade do recurso interposto pela parte, mandará processá-lo de acordo com o rito do recurso
cabível.
(D) A qualquer tempo, o Ministério Público poderá desistir de recurso que haja interposto.
(E) Interposto por termo o recurso, o escrivão, sob pena de suspensão por 05 a 60 dias, fará conclusos os autos ao juiz,
até o quinto dia seguinte ao último do prazo.

GABARITO: (01) - D / (02) - A / (03) - C / (04) - E / (05) - B / (06) - C

Notas: Questões de Direito Penal e Processual Penal, extraídas do concurso para Analista Judiciário - Área Judiciária, do
Tribunal Regional Federal - TRF da 3ª Região, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em
Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Em processo por crime contra a honra, figurando como ofendido juiz de direito, foi oposta e admitida a exceção da
verdade. Nessa hipótese, o julgamento dessa exceção caberá ao:

(A) Juízo por onde corre a respectiva ação penal, se se tratar de difamação e/ou calúnia.
(B) Juízo por onde corre a respectiva ação penal, se se tratar de calúnia.
(C) Tribunal de Justiça, se se tratar de difamação e/ou calúnia.
(D) Tribunal de Justiça, se se tratar de calúnia.

02. Em tema de revisão criminal, é correto afirmar que:

24
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(A) se vier a ocorrer o falecimento da pessoa cuja condenação tiver de ser revista, deverá ser julgada extinta a
punibilidade, com subsequente arquivamento dos autos.
(B) o pedido pode ser ajuizado pelo Ministério Público em favor do condenado.
(C) para requerer revisão criminal, o condenado é obrigado a recolher-se à prisão, caso ainda não tenha cumprido a pena.
(D) o pedido pode ser ajuizado pelo cônjuge supérstite no caso de falecimento do condenado.

03. No caso de depoimento de testemunha ouvida por meio de carta precatória, assinale a alternativa correta.

(A) A competência para a ação penal por crime de falso testemunho é do Juízo deprecado.
(B) A competência para a ação penal por crime de falso testemunho é do Juízo deprecante.
(C) A competência para a ação penal por crime de falso testemunho é concorrente, do Juízo deprecante ou do Juízo
deprecado.
(D) A competência para a ação penal por crime de falso testemunho é definida pelo interesse do titular da ação penal.

04. Nos crimes de falso testemunho em que a testemunha seja ouvida por meio de carta precatória, é correto afirmar
que o reconhecimento da possível existência desse crime:

(A) insere-se na competência exclusiva do Juízo deprecado.


(B) não depende de pronunciamento do Juízo deprecante.
(C) depende de pronunciamento do Juízo deprecante.
(D) insere-se na competência concorrente do Juízo deprecado e do Juízo deprecante.

05. Durante os debates, em plenário do Júri, é correto afirmar que:

(A) as partes sempre poderão fazer referência a qualquer notícia divulgada por órgão de imprensa, independentemente
de prévia formalidade.
(B) as partes poderão fazer referência à decisão de pronúncia, desde que moderadamente.
(C) as partes não poderão fazer referência à decisão de pronúncia.
(D) o titular da acusação poderá exibir quaisquer documentos aos jurados, independentemente de prévia formalidade.

06. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna da frase: A inobservância da competência penal por
prevenção:

(A) constitui nulidade relativa


(B) constitui nulidade absoluta
(C) não constitui nulidade
(D) pode constituir nulidade absoluta em circunstâncias especiais

07. No procedimento relativo aos processos da competência do Tribunal do Júri, a decisão que impronuncia o acusado
pode ser impugnada, na esfera recursal, por meio de:

(A) habeas corpus.


(B) recurso em sentido estrito.
(C) agravo.
(D) apelação.

08. Em única denúncia, em aparente conexão, foi imputada a José a prática de três furtos ocorridos em Campinas e de
um roubo ocorrido em Americana, este em maio e aqueles em abril do corrente ano. Nessa hipótese, a competência
para decidir sobre o eventual recebimento da denúncia e instauração da respectiva ação penal é:

(A) do Juízo Criminal da Comarca de Campinas.


(B) do Juízo Criminal da Comarca de Americana.
25
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(C) determinada pela prevenção.
(D) do Juízo Criminal a quem a denúncia for endereçada.

09. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna da frase: O princípio da oportunidade:

(A) somente tem aplicação às ações penais públicas incondicionadas


(B) somente tem aplicação às ações penais de iniciativa privada ou públicas condicionadas à representação.
(C) somente tem aplicação às ações penais públicas condicionadas à representação.
(D) não se aplica ao processo penal.

10. Durante os debates em plenário do júri, após a fala da defesa, ao ser consultado pelo juiz presidente sobre seu
interesse em usar o tempo para a réplica, o promotor de justiça, usando da palavra por breves minutos para justificar-
se, diz que se acha satisfeito com a prova produzida e por isso não pretende valer-se do tempo destinado à réplica.
Nessa hipótese, tendo o defensor reivindicado seu direito à tréplica, o juiz presidente:

(A) deve deferir esse pedido da defesa porque, de qualquer forma, houve manifestação oral do titular da acusação
naquela fase.
(B) não deve deferir esse pedido porque a manifestação da parte contrária não avançou pelo mérito da ação penal.
(C) só pode deferir esse pleito da defesa se houver concordância expressa do promotor de justiça.
(D) deve deferir esse pedido da defesa, mas com redução do tempo respectivo.

11. Quando o intérprete, observando que a expressão contida na norma sofreu alteração no correr dos anos e por isso
procura adaptar-lhe o sentido ao conceito atual, ocorre a chamada interpretação:

(A) sistemática.
(B) histórica.
(C) extensiva.
(D) progressiva.

12. Assinale a alternativa incorreta, considerando os feitos sujeitos à competência do Tribunal do Júri.

(A) O julgamento pelo Tribunal do Júri não será adiado pelo não comparecimento do acusado solto que tiver sido
regularmente intimado.
(B) Da decisão de pronúncia, será intimado por edital o acusado solto que não for encontrado.
(C) O processo não prosseguirá até que o réu solto seja intimado pessoalmente da decisão de pronúncia.
(D) De cada sessão de julgamento, o escrivão lavrará ata que será assinada pelo juiz presidente e pelas partes.

13. No caso de roubo praticado na cidade de São Paulo contra agência bancária da Caixa Econômica Federal, em que
tenha havido a subtração de dinheiro do caixa, a competência para a ação penal é da:

(A) Justiça Federal.


(B) Justiça Estadual.
(C) Justiça Federal ou da Justiça Estadual, observada a regra da prevenção.
(D) Justiça Federal ou da Justiça Estadual, conforme o inquérito tenha sido conduzido pela Polícia Federal ou pela Polícia
Estadual.

14. Assinale a alternativa incorreta, do ponto de vista do processo penal.

(A) A questão preliminar é um fato processual que, em sendo acolhida a respectiva arguição, sempre impede que o juiz
aprecie o fato principal.
(B) A questão preliminar é um fato processual que, em sendo acolhida a respectiva arguição, nem sempre impede que o
juiz aprecie o fato principal.
26
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(C) A alegação de litispendência é exemplo de preliminar processual.
(D) Tecnicamente, a questão preliminar distingue-se da questão prejudicial.

15. Assinale a alternativa correta, considerando a hipótese de ter havido o falecimento do querelante durante o
andamento de ação penal privada, antes da sentença.

(A) A companheira, embora vivesse em união estável com o falecido, não tem legitimidade ativa para prosseguir na ação.
(B) A companheira, que vivia em união estável com o falecido, tem legitimidade ativa para prosseguir na ação.
(C) O falecimento do querelante acarreta, necessariamente, o trancamento da ação penal privada.
(D) O falecimento do querelante só acarreta o trancamento da ação penal privada se o querelado assim o requerer.

GABARITO: (01) - D / (02) - D / (03) - A / (04) - C / (05) - C / (06) - A / (07) - D / (08) - B / (09) - B / (10) - A / (11) - D / (12) - C
/ (13) - A / (14) - B / (15) - B

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas da prova do Concurso nº 182 para ingresso na Magistratura
Estadual de São Paulo, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela
Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Com relação à coação moral irresistível, é correto afirmar que:

(A) exclui a culpabilidade.


(B) exclui a tipicidade.
(C) exclui a antijuridicidade.
(D) o coato age sem vontade.

02. Pode constituir, em tese, ato obsceno, na figura típica do artigo 233, do Código Penal:

(A) a exposição de cartazes, em lugar aberto ao público, mostrando corpos nus.


(B) a exposição à venda de revista com fotografias de cunho pornográfico em lugar aberto ao público.
(C) o ato de urinar em lugar público com exibição do pênis.
(D) a exposição pública de fotografias de crianças nuas.

03. Agindo dolosamente, Fulano referiu-se a Sicrano, dizendo tratar-se de indivíduo que exercia atividade
contravencional como banqueiro do jogo do bicho, diretamente envolvido com essa prática ilícita. Supondo-se que tal
imputação seja falsa, a conduta de Fulano, em tese, pode configurar:

(A) injúria.
(B) calúnia.
(C) difamação.
(D) fato atípico.

04. Sobre medida de segurança, assinale a alternativa correta:

(A) Só pode ser aplicada em sentença condenatória.


(B) Só pode ser executada depois do cumprimento da pena privativa de liberdade aplicada em decisão condenatória pela
prática do mesmo fato.
(C) Não pode ser executada por prazo superior a trinta anos.
(D) Fundamenta-se na periculosidade do inimputável que pratica fato típico punível.

05. Considerando a infração do artigo 246, do Código Penal - Abandono intelectual - assinale a alternativa correta:
27
Questões de Direito Penal e Processual Penal

(A) O bem jurídico protegido é o direito à instrução fundamental dos filhos menores de dezesseis anos de idade.
(B) Sujeito passivo é o filho com idade entre sete e quatorze anos.
(C) O bem jurídico protegido é o direito dos filhos à frequência a escolas públicas ou particulares.
(D) Sujeito passivo é o filho menor de dezoito anos de idade.

06. A norma inserida no art. 7.º, inciso II, alínea "b", do Código Penal - Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos
no estrangeiro (...) os crimes (...) praticados por brasileiro - encerra o princípio:

(A) da universalidade ou da justiça mundial.


(B) da territorialidade.
(C) da nacionalidade ou da personalidade ativa.
(D) real, de defesa ou da proteção de interesses.

07. O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 6.º, como lugar do crime, adota a teoria:

(A) da atividade ou da ação.


(B) do resultado ou do evento.
(C) da ação ou do efeito.
(D) da ubiquidade.

08. O pai que, tendo o filho sequestrado e ameaçado de morte, é coagido por sequestradores armados e forçado a
dirigir-se a certa agência bancária para efetuar um roubo a fim de obter a quantia necessária para o pagamento do
resgate e livrar o filho do cárcere privado em que se encontra pode, em tese, lograr a absolvição com base na alegação
de:

(A) inexigibilidade de conduta diversa.


(B) legítima defesa.
(C) exercício regular de direito.
(D) estrito cumprimento de dever legal.

09. Depois de haver saído do restaurante onde havia almoçado, Tício, homem de pouco cultivo, percebeu que lá havia
esquecido sua carteira e voltou para recuperá-la, mas não mais a encontrou. Acreditando ter o direito de fazer justiça
pelas próprias mãos, tomou para si objeto pertencente ao dono do referido restaurante, supostamente de valor igual
ao seu prejuízo. Esse fato pode configurar:

(A) erro determinado por terceiro.


(B) erro de tipo.
(C) erro de permissão.
(D) erro de proibição.

10. Pode constituir exemplo de homicídio qualificado por motivo torpe o crime praticado:

(A) com o propósito de vingança.


(B) por motivação insignificante.
(C) com extrema crueldade contra a pessoa da vítima.
(D) por vários agentes para subtrair bens de pessoa idosa.

11. Assinale a alternativa correta, de acordo com orientação doutrinária e jurisprudencial expressivamente majoritária
nos dias atuais:

28
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(A) A prescrição retroativa antecipada, também denominada prescrição virtual, sempre pode servir de fundamento para a
extinção da punibilidade.
(B) A extinção da punibilidade com base no reconhecimento da prescrição retroativa antecipada ou em perspectiva,
também denominada prescrição virtual, carece de embasamento legal.
(C) A aplicação da prescrição retroativa antecipada não viola o princípio da legalidade.
(D) A prescrição, com base na pena a ser aplicada em futura sentença, eventualmente condenatória, pode ser
reconhecida de acordo com o prudente arbítrio do magistrado para julgar extinta a punibilidade do acusado.

12. A e B, agindo de comum acordo, apontaram revólveres para C exigindo a entrega de seus bens. Quando B encostou
sua arma no corpo de C, este reagiu entrando em luta corporal com A e B, recusando a entrega da "res furtiva". Nesse
entrevero, a arma portada por B disparou e o projétil atingiu C, que veio a falecer, seguindo-se a fuga de A e B, todavia,
sem levar coisa alguma de C. Esse fato configura:

(A) roubo tentado e lesão corporal seguida de morte.


(B) roubo tentado e homicídio consumado.
(C) latrocínio.
(D) homicídio consumado.

13. Mulher casada, alegando ter sido vítima de estupro, foi submetida a exame de corpo de delito que, tendo
constatado óbvia ruptura himenal de data não recente, não encontrou, todavia, na região vaginal dessa mulher,
vestígios de conjunção carnal de data recente. Considerando a questão ligada à materialidade, assinale a resposta
correta.

(A) A existência do estupro não pode ser demonstrada por outros meios de prova.
(B) A prova da existência do estupro como fato típico pode ser feita por outros meios idôneos.
(C) Basta a comprovação da ruptura do hímen para que resulte provada a existência do estupro.
(D) Nenhuma das respostas anteriores.

14. Depois de ter praticado a subtração de certo bem, Fulano obteve ajuda eficaz de Sicrano para que o produto da
subtração fosse escondido em lugar seguro para futura comercialização a cargo de Fulano. A conduta de Sicrano, nesse
caso, em tese, configura:

(A) receptação dolosa.


(B) favorecimento pessoal.
(C) coautoria.
(D) favorecimento real.

15. Tício, funcionário público, convida Mévio, que trabalha em empresa privada, para ajudá-lo a subtrair um
computador, pertencente à repartição, que se encontra na sala de trabalho de Tício, para seu uso diário, e que se acha
sob sua guarda. Ciente da condição de funcionário público de Tício, Mévio ajuda-o a transportar esse bem até sua casa.
Nessa situação hipotética, é correto afirmar-se que:

(A) Tício e Mévio respondem por peculato.


(B) Tício responde por peculato e Mévio responde por furto.
(C) Tício e Mévio respondem por furto.
(D) Tício responde por peculato e a conduta de Mévio é atípica.

GABARITO: (01) - A / (02) - C / (03) - C / (04) - D / (05) - B / (06) - C / (07) - D / (08) - A / (09) - D / (10) - A / (11) - B / (12) - C
/ (13) - B / (14) - D / (15) - A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova do Concurso nº 182 para ingresso na Magistratura Estadual de São
Paulo, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.
29
Questões de Direito Penal e Processual Penal

01. Em relação ao crime de tortura é possível afirmar:

(A) Passou a ser previsto como crime autônomo a partir da entrada em vigor da Constituição Federal de 1988 que, no art.
5o, inciso III afirma que ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento desumano e degradante e que a prática de
tortura será considerada crime inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.
(B) É praticado por qualquer pessoa que causa constrangimento físico ou mental à pessoa presa ou em medida de
segurança, pelo uso de instrumentos cortantes, perfurantes, queimantes ou que produzam stress, angústia, como prisão
em cela escura, solitária, submissão a regime de fome etc.
(C) É cometido por quem constrange outrem, por meio de violência física, com o fim de obter informação ou confissão da
vítima ou de terceira pessoa, desde que do emprego da violência resulte lesão corporal.
(D) Os bens jurídicos protegidos pela 'tortura discriminatória' são a dignidade da pessoa humana, a igualdade, a liberdade
política e de crença.
(E) É praticado por quem se omite diante do dever de evitar a ocorrência ou continuidade da ação ou de apurar a
responsabilidade do torturador pelas condutas de constrangimento ou submissão levadas a efeito mediante violência ou
grave ameaça.

02. Assinale a alternativa correta:

(A) Compete ao direito penal atender os anseios sociais de punição para pacificar conflitos.
(B) O recurso à pena no direito penal garantista está condicionado ao princípio da máxima intervenção, máximas
garantias.
(C) Cabe ao direito penal limitar a violência da intervenção punitiva do Estado.
(D) O discurso jurídico-penal de justificação deve se pautar na ampla possibilidade de solução dos conflitos pelo direito
penal.
(E) A legitimação da intervenção penal se deve, também, à seletividade do sistema penal.

03. Em razão da prática de roubo duplamente qualificado, o juiz fixou a pena-base no mínimo legal e, após, aumentou
a em razão da gravidade do crime. O aumento é:

(A) inadmissível porque a gravidade abstrata do delito já foi considerada pelo legislador para cominação das penas
mínima e máxima.
(B) inadmissível porque implica aumento de pena em razão da culpabilidade do autor, segundo a qual se pune pelo que se
é e não pelo que se fez.
(C) admissível porque em razão do próprio caráter retributivo da pena, quanto mais grave o fato, maior deve ser o
aumento da pena base.
(D) admissível porque implica em punição em razão da culpabilidade do fato.
(E) admissível porque a gravidade do delito explicita a intensidade do dolo.

04. A expressão 'cifra negra' ou oculta, refere-se:

(A) às descriminantes putativas, nos casos em que não há tipo culposo do crime cometido.
(B) ao fracasso do autor na empreitada em que a maioria têm êxito.
(C) à porcentagem de presos que não voltam da saída temporária do semi-aberto.
(D) à porcentagem de crimes não solucionados ou punidos porque, num sistema seletivo, não caíram sob a égide da
polícia ou da justiça ou da administração carcerária, porque nos presídios 'não estão todos os que são'.
(E) à porcentagem de criminalização da pobreza e à globalização, pelas quais o centro exerce seu controle sobre a
periferia, cominando penas e criando fatos típicos de acordo com seus interesses econômicos, determinando
estigmatização das minorias.

05. Considere as seguintes afirmações:

30
Questões de Direito Penal e Processual Penal
I. É com base na teoria da prevenção geral negativa que o legislador aumenta penas na crença de conter a criminalidade
com a ajuda do Código Penal.
II. Além de atribuir à pena privativa de liberdade a inalcançável finalidade reeducadora, atrás das ideias utilitárias da
prevenção especial sempre há uma confusão entre direito e moral e entre crime e pecado.
III. A teoria retributiva parte da ideia da compensação da culpa, do pressuposto de que a justa retribuição ao fato
cometido se dá através da individualização e diferenciação da pena.

Está correto o que se afirma SOMENTE em:

(A) I.
(B) II.
(C) III.
(D) I e II.
(E) II e III.

06. Abzuilson, em razão de progressão de regime de cumprimento de pena, cumpria pena em regime aberto quando foi
autuada ao processo de execução nova condenação pela prática de crime cometido antes de ser progredido. O juiz da
execução penal deve:

(A) ouvi-lo nos termos do art. 118, § 2o da Lei de Execução Penal e regredi-lo para o regime fechado.
(B) ouvi-lo nos termos do art. 118, § 2o da Lei de Execução Penal e regredi-lo para o regime semi-aberto, porque não há
regressão por salto.
(C) regredi-lo com fundamento no art. 52 da Lei de Execução Penal, que diz que a prática de fato previsto como crime
doloso é falta grave.
(D) aplicar o art. 111 da Lei de Execução Penal para determinar que a pena mais grave seja cumprida primeiro.
(E) aplicar o art. 111 da Lei de Execução Penal e fixar o regime de cumprimento de acordo com o resultado das penas
somadas, descontadas a remição e a detração.

07. A Lei no 11.343/06 (lei de drogas) dispõe que o crime de tráfico ilícito de entorpecentes é insuscetível de anistia,
graça, indulto e que ao condenado pela prática desse crime dar-se-á livramento condicional, após o cumprimento de
2/3 da pena, vedada a concessão ao reincidente específico. Ante o silêncio desta lei quanto à possibilidade de
progressão de regime de cumprimento de pena para o crime de tráfico, assinale a alternativa correta:

(A) A lei de drogas não permite a progressão de regime de cumprimento de pena já que, por ser o crime de tráfico
assemelhado a hediondo, a pena deve ser cumprida integralmente em regime fechado.
(B) A lei de drogas não permite a progressão de regime de cumprimento de pena, pois, por ser lei especial, prevalece o
silêncio sobre determinação de lei geral.
(C) Após ter o STF declarado a inconstitucionalidade e a consequente invalidade da vedação de progressão de regime de
cumprimento de pena contida na lei de crimes hediondos, a única norma existente, vigente e válida, no que tange à
progressão de regime de cumprimento de pena, é a contida no art. 112 da Lei de Execução Penal, aplicando-se, portanto,
o lapso de 1/6 para progressão de regime de cumprimento de pena, também ao crime de tráfico.
(D) A lei de crimes hediondos permite, de forma diferenciada, a progressão de cumprimento de pena e,
consequentemente, os condenados por crime de tráfico podem progredir após o cumprimento de 2/5 da pena, se
primários e 3/5, se reincidente.
(E) A omissão contida na lei de drogas é inconstitucional, já que fere o princípio da individualização da pena e,
consequentemente, os condenados por crime de tráfico podem progredir de regime de cumprimento de pena nos termos
da Lei de Execução Penal, ou seja, após o cumprimento de 1/6 da pena, se primários e 2/5, se reincidentes.

08. Assinale a alternativa correta.

(A) Os tipos penais são criados pelo legislador, excepcionalmente, entretanto, o juiz pode, usando analogia, criar tipos
penais.
(B) Nos tipos penais abertos a conduta não é totalmente individualizada.
(C) O tipo penal define condutas e personalidades criminosas.
(D) A lei penal em branco é inconstitucional por conter delegação de competência.
31
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(E) Bens jurídicos relevantes são penalmente tutelados independentemente de tipo penal.

09. Considere as seguintes afirmações:

I. Presume-se a ciência da origem criminosa da coisa pelo agente, no crime de receptação dolosa própria.
II. Saque de dinheiro por meio de cartão de crédito previamente clonado, configura os crimes de furto e estelionato.
III. No homicídio cometido em legítima defesa com duplo resultado em razão de "aberratio ictus", a excludente de
ilicitude se estende à pessoa não visada, mas, também, atingida.

Conclui-se que está correto o que se afirma SOMENTE em:

(A) I.
(B) II.
(C) III.
(D) I e II.
(E) II e III.

10. Serafim, em virtude de dois meses de trabalho em presídio, teve declarados remidos trinta dias de pena. Manuel,
em virtude de quatro anos de trabalho em presídio, teve declarados remidos novecentos dias de pena. Os dois
praticaram, na mesma data, falta disciplinar de natureza grave apurada em sindicância, reconhecidas em juízo a
legalidade do procedimento administrativo e a tipicidade do fato. Considerando que o art. 127 da Lei de Execução
Penal afirma que o condenado que for punido por falta grave perderá o direito ao tempo remido, assinale a alternativa
correta:

(A) Há súmula do STF reconhecendo que o art. 127 da Lei de Execução Penal não é inconstitucional e, portanto, todos os
dias de pena remidos pelos dois presos devem ser declarados perdidos.
(B) Há súmula do STF reconhecendo que o art. 127 da Lei de Execução Penal, embora não seja inconstitucional, é
desproporcional e, portanto, devem ser declarados perdidos apenas os dias remidos em razão do período trabalhado
durante o ano em que a falta foi praticada.
(C) O art. 127 da Lei de Execução Penal é considerado pela jurisprudência majoritária evidentemente inconstitucional, já
que fere os princípios da segurança jurídica e da proporcionalidade e, portanto, só podem ser declarados perdidos, em
virtude de prática de falta grave, trinta dias de remição.
(D) Há súmula do STF reconhecendo que o art. 127 da Lei de Execução Penal é inconstitucional, por ser a remição
instituto de extinção da pena, através do qual o condenado faz com que o trabalho se substitua à privação de liberdade;
não se tratando, pois, de benefício, mas, sim, de contraprestação, fruto de opção político-criminal pelo exercício do
direito social do trabalho pelo preso.
(E) A jurisprudência majoritária é no sentido de que o art. 127 da Lei de Execução Penal é inconstitucional porque é fruto
de ultrapassado ideal de ressocialização disciplinadora e correicionalista; pretende fazer do trabalho penal e da remição
um instrumento de adestramento forçado, quando a execução hoje está desprovida de tratamento coativo e,
consequentemente, não podem ser declarados perdidos os dias remidos antes da prática da falta.

GABARITO: (01) - E / (02) - C / (03) - A / (04) - D / (05) - D / (06) - E / (07) - D / (08) - B / (09) - C / (10) - A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do III Concurso Público para ingresso na carreira de Defensor Público do
estado de São Paulo/SP, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela
Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Quanto à assertiva "O prazo para encerramento da instrução criminal é de oitenta e um dias", é correto afirmar:

(A) Trata-se de criação exclusivamente jurisprudencial, devendo ser relaxada a prisão quando se completarem oitenta e
dois dias, por determinação constitucional.
(B) Trata-se de mera criação jurisprudencial e não deve ser observada em nenhuma hipótese.

32
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(C) Trata-se de determinação legal, que deve ser observada em ações penais referentes a atividades praticadas por
organizações criminosas.
(D) Trata-se de previsão expressa no Pacto de San José de Costa Rica e vincula o julgador brasileiro.
(E) Não tem aplicabilidade nenhuma no direito brasileiro.

02. No momento da prolação de sentença, o cabimento de nova definição jurídica ao fato imputado ao acusado, que
não modifique a descrição fática, autoriza o juiz de direito a:

(A) baixar os autos ao Ministério Público, a fim de que adite a denúncia, no prazo de cinco dias, remetendo os autos ao
Procurador Geral de Justiça, na hipótese de não ser ofertado o aditamento.
(B) dar vista à defesa, para que se manifeste no prazo de cinco dias, apresentando novas provas, se a pena a ser aplicada
for mais grave.
(C) notificar o acusado para se defender da nova classificação, dando vista à Defensoria Pública pelo prazo de dez dias,
caso não se manifeste.
(D) absolver o acusado, tendo em vista que os fatos imputados na denúncia não foram suficientemente demonstrados.
(E) proferir sentença de acordo com a nova definição, sem dar nova vista à defesa ou ao Ministério Público, mesmo que a
pena a ser aplicada seja mais grave.

03. Em ação penal para o julgamento de crime de bigamia, a existência de ação civil relativa à validade do casamento,
constitui:

(A) questão prejudicial obrigatória homogênea.


(B) questão prejudicial obrigatória heterogênea.
(C) questão prejudicial facultativa mista.
(D) questão prejudicial facultativa heterogênea.
(E) litispendência.

04. Com relação aos efeitos da citação no processo penal, a citação válida:

(A) induz litispendência, torna prevento o juízo, faz litigioso o fato imputado e completa a formação do processo. A
prescrição é interrompida pelo recebimento da denúncia ou queixa.
(B) torna litigioso o fato imputado. Prevenção, litispendência, interrupção da prescrição e a formação da relação
processual não dependem da citação.
(C) completa a formação do processo. Litispendência, prevenção, interrupção da prescrição e litigiosidade não dependem
da citação.
(D) interrompe a prescrição. O fato é sempre litigioso. A litispendência e a prevenção são definidas na distribuição. A
relação processual se completa com o recebimento da denúncia ou queixa.
(E) torna prevento o juízo. A formação da relação processual, a litispendência, prescrição e litigiosidade não dependem da
citação.

05. Existe previsão legal de prioridade no julgamento de ação penal se:

(A) alguma das partes for mulher em situação de violência, a requerimento do Defensor Público.
(B) forem discutidos direitos relativos a criança ou adolescente vítima de abuso sexual, sem necessidade de requerimento
ao juiz.
(C) for decretado segredo de justiça, a pedido do Ministério Público.
(D) o acusado for pessoa idosa, desde que requeira ao juiz.
(E) o acusado for integrante de organização criminosa.

06. Decretada a prisão preventiva com fundamento na revelia do acusado citado por edital, o Defensor Público poderá
utilizar a seguinte argumentação para rechaçá-la:

(A) A revelia não gera por si só presunção de que o acusado pretenda se furtar à aplicação da lei penal.
33
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(B) O Defensor Público deverá ser notificado da decretação da prisão preventiva em até 24 horas.
(C) Há um tratado internacional do qual o Estado brasileiro é signatário que prevê expressamente a impossibilidade de
prisão preventiva.
(D) Há uma súmula do Supremo Tribunal Federal editada sobre o tema.
(E) A revelia somente poderá ser decretada após a intimação do Defensor Público.

07. Identifica-se a unirrecorribilidade na seguinte hipótese:

(A) Dá-se provimento à apelação de um só acusado para absolvê-lo. O acórdão determina que o resultado aproveite ao
co-acusado em idêntica situação processual, absolvendo-o embora não tenha recorrido.
(B) O defensor é intimado da sentença condenatória após a intimação do acusado. Após haver o acusado expressamente
renunciado ao direito de recorrer, o defensor recorre.
(C) O acusado, sem má-fé, interpõe apelação contra decisão que é impugnável por recurso em sentido estrito.
(D) A acusação interpõe apelação para aumentar a pena. A defesa interpõe apelação pleiteando a absolvição. Ambos os
recursos são julgados em uma mesma sessão.
(E) Sentença condena o acusado quanto a um crime e extingue a punibilidade quanto ao outro. A acusação interpõe
apelação para impugnar exclusivamente a extinção da punibilidade.

08. A sentença cuja nulidade foi reconhecida em sede de apelação:

(A) não produz nenhum efeito, devendo ser prolatada nova sentença, independentemente de quem haja recorrido.
(B) vincula a nova sentença ao máximo da pena nela imposta, se a nulidade foi reconhecida em recurso da defesa.
(C) obriga o Estado a reparar o dano moral ao condenado, desde que o recurso seja da acusação.
(D) importa em absolvição do acusado, independendo de quem haja recorrido.
(E) desobriga o juiz de prolatar nova sentença, se o recurso for da acusação.

09. Defensor Público do Estado de São Paulo interpõe recurso especial. O Ministro relator determina a intimação da
Defensoria Pública da data do julgamento. A intimação poderá recair sobre Defensor Público da União?

(A) Sim, pois a lei prevê que a atuação perante os tribunais superiores é exclusiva da Defensoria Pública da União.
(B) Não, pois a Constituição prevê a indivisibilidade da Defensoria Pública.
(C) Sim, pois a lei determina que a atuação da Defensoria Pública do Estado se cinge aos seus limites territoriais.
(D) Não, pois a lei prevê a possibilidade de atuação da Defensoria Pública do Estado em qualquer instância ou tribunal.
(E) Sim, pois a lei silencia a esse respeito.

10. De acordo com a lei processual, o interrogatório do réu preso será realizado, em regra:

(A) pessoalmente, com o comparecimento do juiz no estabelecimento onde estiver o interrogando recolhido.
(B) pessoalmente, devendo o interrogando ser requisitado e escoltado ao juízo.
(C) por carta precatória, devendo o interrogando ser requisitado e escoltado ao juízo deprecado.
(D) através de recurso tecnológico de transmissão de sons e imagens em tempo real.
(E) através do telefone, com linha reservada, desde que não haja outro meio.

GABARITO: (01) - C / (02) - E / (03) - B / (04) - C / (05) - D / (06) - A / (07) - E / (08) - B / (09) - D / (10) - A

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do III Concurso Público para ingresso na carreira de Defensor
Público do estado de São Paulo/SP, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito
Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Quanto às súmulas do STF e STJ é correto afirmar que:

34
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) Compete à justiça militar processar e julgar militar por crime de abuso de autoridade quando praticado em serviço.
b) Entende o STJ que nos crimes de responsabilidade do funcionário público, é desnecessária a resposta preliminar do
acusado quando a ação penal estiver instruída por inquérito policial.
c) É entendimento sumulado no STF que a renúncia do réu ao direito de apelação, manifestada sem a assistência do
defensor, impede o conhecimento da apelação por este interposta.
d) De acordo com entendimento sumulado do STF, não se admite a progressão de regime de cumprimento de pena ou de
aplicação imediata de regime menos severo nela determinado, antes do transito em julgado da sentença condenatória.

02. Assinale a alternativa correta

a) Dispõe o CPP que no processo por crime de calúnia, difamação e injúria, para o qual não haja outra forma estabelecida
em lei especial, quando for oferecida a exceção da verdade, o querelante poderá contestá-la no prazo de 5 (cinco) dias,
podendo ser inquiridas as testemunhas arroladas na queixa, ou outras indicadas naquele prazo, em substituição às
primeiras, ou para completar o máximo legal.
b) Dispõe o CPP que nos casos de exclusiva ação privada, o querelante poderá preferir o foro do domicílio ou da
residência do réu, ainda quando conhecido o lugar da infração.
c) Prevê a Lei 11.340/2006 que, em casos de crimes de violência doméstica contra a mulher, nas comarcas em que não
haja juizados de violência doméstica e familiar, dependendo da gravidade da situação, deverá o juiz criminal remeter os
autos ao juízo civil competente, para que este determine a separação de corpos do casal.
d) Contra a sentença de impronúncia ou de absolvição sumária caberá recurso em sentido estrito.

03. Assinale a alternativa correta:

a) De acordo com o ECA, estando o adolescente internado provisoriamente, o prazo máximo e improrrogável para a
conclusão do procedimento para aplicação de medida sócio-educativa, será de 45 (quarenta e cinco) dias.
b) Quando o juiz criminal, ao proferir a sentença condenatória, verificar que o ofendido sofreu prejuízos com a infração,
deverá remeter os autos ao juízo civil para que este fixe um valor mínimo a título de reparação dos prejuízos sofridos pelo
ofendido
c) Quanto ao procedimento do júri, na audiência de instrução, proceder-se-á ao interrogatório do acusado, à tomada de
declarações do ofendido, se possível, à inquirição das testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa, nesta ordem,
bem como aos esclarecimentos dos peritos, às acareações e ao reconhecimento de pessoas e coisas, procedendo-se, em
seguida, aos debates.
d) Determina a lei 11343/2006, que a autoridade de polícia judiciária poderá, comprovado o interesse público e
independentemente de autorização judicial, fazer uso de veículos, embarcações, aeronaves ou quaisquer outros meios de
transporte, bem como de maquinário, utensílios, instrumentos e objetos de qualquer natureza que tenham sido
apreendidos por serem utilizados para a prática de crimes definidos nesta Lei de drogas.

04. Assinale a alternativa correta:

a) Antes de iniciado o depoimento, as partes poderão contraditar a testemunha. O juiz fará consignar a contradita, após
ouvir o Ministério Público, mas só excluirá ou não lhe deferirá compromisso nos casos previsto em Lei.
b) Nos pedidos de restituição de bens apreendidos, quando houver dúvidas sobre quem seja o verdadeiro dono do bem, o
juiz remeterá as partes para o juízo civil para que este decida.
c) Dispõe o código de processo penal que não será concedida fiança aos acusados pela prática de crimes dolosos, punidos
com pena privativa de liberdade, quando já tiverem sido condenados por outro crime doloso ou culposo, em sentença
transitada em julgado.
d) Verificando que o réu se oculta para não ser citado, o oficial de justiça certificará a ocorrência e procederá à citação
com hora certa, na forma estabelecida pelo CPC. Completada a citação com hora certa, se o acusado não comparecer, o
juiz deverá determinar sua citação por edital.

05. Assinale a alternativa correta:

a) O despacho que determinar a suspensão do processo em virtude de questão prejudicial é irrecorrível.

35
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) Na ação penal de iniciativa pública condicionada à representação, a retratação do ofendido ou do seu representante
legal somente é admitida até o recebimento da denúncia.
c) É obrigatória a remessa ao Supremo Tribunal Federal de agravo interposto contra decisão que negou seguimento a
Recurso Extraordinário, salvo se fundada tal negativa na intempestividade do próprio Recurso Extraordinário.
d) São princípios dos Juizados Especiais Criminais a oralidade, a informalidade, a celeridade e a economia processual.

06. Assinale a alternativa correta:

a) Procedida a intimação da Defesa da expedição de carta precatória criminal, a falta de sua intimação acerca da data
aprazada para a audiência no Juízo Deprecado se constitui apenas em nulidade relativa, que requer, para sua decretação,
a efetiva demonstração de prejuízo.
b) Como regra geral, a competência criminal é determinada pelo lugar em que se consumar a infração, ou, no caso de
tentativa, pelo lugar em que praticado o último ato executório; se o lugar da infração for desconhecido, a competência é
do Juízo do domicílio ou residência do réu; todavia, se o paradeiro do réu for também ignorado, será competente o juiz
que primeiro tomar conhecimento do fato.
c) A restituição das coisas apreendidas poderá ser ordenada pela autoridade policial ou juiz, mediante termo nos autos,
desde que não exista dúvida quanto ao direito do reclamante; se duvidoso o direito, o pedido de restituição autuar-se-á
em apartado, devendo o requerente produzir prova em cinco dias, decidindo o juiz criminal, em seguida, o incidente; se a
dúvida residir acerca de quem seja o verdadeiro dono da coisa cuja restituição é pretendida, deverá o juiz, em relação a
esta, decretar seu perdimento em favor da União.
d) Caberá a medida assecuratória de seqüestro dos bens móveis do indiciado sempre que consistirem em produto do
crime, ainda que tenham sido transferidas para terceiros.

07. Assinale a alternativa correta:

a) O Incidente de Insanidade Mental poderá ser instaurado ainda na fase do inquérito policial; uma vez determinada a
realização do exame, deverá o Juiz nomear curador ao acusado e suspender o processo, se já iniciada a ação penal,
podendo ainda determinar a realização de diligências que possam ser prejudicadas pelo adiamento.
b) O perdão concedido a um dos querelados aproveitará a todos, produzindo efeitos inclusive em relação ao querelado
que o recusar.
c) A argüição de coisa julgada precederá qualquer outra.
d) É absolutamente irretratável a representação oferecida pelo ofendido manifestando interesse na deflagração da
persecução criminal em decorrência da prática de crime cuja ação penal é iniciativa pública condicionada.

08. Assinale a alternativa correta:

a) Possui o assistente do Ministério Público legitimidade para interpor recurso extraordinário na ação penal, inclusive no
que tange à impugnação de decisão concessiva de hábeas corpus.
b) É cabível a interposição de Recurso Especial contra a decisão de turma recursal de Juizados Especiais Criminais que
violar expressa disposição de lei infraconstitucional.
c) A não inclusão no questionário, por ocasião do julgamento pelo Tribunal do Júri, de quesito obrigatório, ainda que sem
impugnação das partes, se constitui em causa de nulidade absoluta, passível de saneamento, inclusive, mediante a
concessão de habeas corpus de ofício.
d) Transitada em julgado a sentença condenatória e sobrevindo lei posterior mais benéfica, a adequação da reprimenda
sofrida pelo sentenciado é de ser efetuada através de revisão criminal, cuja competência para o processo e julgamento
nos Estados é do respectivo Tribunal de Justiça.

09. Assinale a alternativa correta:

a) Em se tratando de crimes militares, é sempre pública a iniciativa da ação penal, podendo esta, no entanto, ser
incondicionada ou condicionada ao oferecimento de representação do ofendido ou requisição do Ministro da Justiça.
b) Em se tratando de crime contra a honra de funcionário púbico no exercício de suas funções, é concorrente para a
propositura da ação penal a legitimidade do Ministério Público, mediante representação do ofendido, e deste

36
Questões de Direito Penal e Processual Penal
diretamente, através do oferecimento de queixa, podendo, assim, a ação penal iniciar-se tanto por iniciativa privada,
como pública condicionada à representação.
c) É de competência da Justiça Comum Federal o processo e julgamento das contravenções penais perpetradas em
detrimento de bens, serviços e interesses da União.
d) Do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito policial caberá recurso em sentido estrito perante
o Juízo de Direito competente para eventual conhecimento da ação penal respectiva.

10. Assinale a alternativa correta:

a) Dissentindo o Magistrado da recusa do órgão do Ministério Público em ofertar proposta de suspensão condicional do
processo ao réu, poderá aquele ofertá-la de ofício, posto se constituir tal benefício em direito subjetivo do acusado.
b) Constitui flagrante preparado e, por conseguinte, crime impossível, a situação na qual agente policial aborde suspeito,
solicitando a este a venda de droga, no que é prontamente atendido, posto trazer consigo o traficante, na oportunidade,
significativa quantidade de estupefaciente destinado à comercialização, pelo que recebe incontinenti voz de prisão.
c) Na hipótese de arquivamento judicial do inquérito policial a requerimento do Ministério Público por falta de base para
a denúncia, é incabível o posterior ajuizamento pelo ofendido de ação penal de iniciativa privada subsidiária.
d) É requisito da sentença penal condenatória, em qualquer hipótese, o relatório do processo, sob pena de nulidade.

GABARITO: (01) - B / (02) - B / (03) - A / (04) - B / (05) - D / (06) - B / (07) - A / (08) - C / (09) - B / (10) - C

Notas: Questões de Direito Processo Penal, extraídas da Prova do Concurso para ingresso na Magistratura do Estado do
Maranhão/2008, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG,
Bauru/SP.

01. Acerca de crimes contra a administração pública, assinale a única alternativa correta:

a) Enquanto no delito de condescendência criminosa o funcionário público retarda ou deixa de praticar, indevidamente,
ato de seu ofício, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal, no crime de prevaricação o funcionário, por
indulgência, deixa de responsabilizar subordinado que cometeu infração no exercício do cargo.
b) Equiparam-se a funcionário público, como sujeito ativo de crime contra a administração pública, o leiloeiro oficial, o
juiz leigo e o conciliador quando estiverem a serviço do juízo. Não é considerado funcionário, para tal efeito, o síndico de
falência.
c) O policial que, em razão de sua função, solicita para si, do indiciado em inquérito, o pagamento de certa quantia
indevida, comete o crime de concussão; e o que exige a vantagem indevida pratica o delito de corrupção passiva.
d) Comete crime de peculato-estelionato, também chamado de peculato impróprio, o funcionário público que insere
dados falsos em sistema de informações, com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem ou para causar
dano à administração.

02. Analise as seguintes assertivas baseadas na legislação penal extravagante atualmente vigente e no Código Penal,
para depois responder:

I. O agente que traz consigo, na cintura, um revólver calibre 38 e, no porta-luvas de seu carro, outro de calibre 32,
responde, em concurso formal, por dois crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido previsto no Estatuto do
Desarmamento (Lei n. 10.826, de 22.12.2003).
II. É sujeito passivo de crimes previstos no Estatuto do Idoso (Lei n. 10.741, de 1º.10.2003) quem tiver idade igual ou
superior a 60 (sessenta) anos, considerado idoso para tal efeito.
III. É causa especial de aumento da pena do crime de homicídio culposo praticado na direção de veículo automotor, a que
se refere o art. 302, do Código de Trânsito Brasileiro (Lei n. 9.503, de 23.09.1997), o fato de o agente estar sob a
influência de álcool ou substância tóxica ou entorpecente de efeitos análogos.
IV. O dono de um hotel que manda uma menina de 12 (doze) anos completos tirar toda a roupa para exibir-se a ele e aos
hóspedes pratica o crime de submissão à prostituição ou à exploração sexual previsto no Estatuto da Criança e do
Adolescente (Lei n. 8.069, de 13.07.1990).

37
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Agora assinale a única alternativa verdadeira:

a) Somente as assertivas II, III e IV são incorretas.


b) Somente as assertivas II e IV são corretas.
c) Somente as assertivas I e III são corretas.
d) Todas as assertivas são corretas.

03. Assinale a única alternativa totalmente correta:

a) O Código Penal autoriza a concessão de "sursis" etário ao condenado com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos,
condenado a uma pena não superior a quatro (4) anos, mesmo por crime doloso praticado com violência contra a pessoa
ou grave ameaça.
b) O condenado a uma pena privativa de liberdade superior a quatro anos, por crime culposo, não poderá obter
substituição por penas restritivas de direito.
c) Deve ser inicialmente fechado o regime de cumprimento da pena de reclusão, qualquer que seja a quantidade, aplicada
a acusado reincidente.
d) Cabe estabelecer regime inicialmente fechado, para o cumprimento da pena privativa de liberdade, para condenados
por crime hediondo, bem como para aqueles que receberem pena superior a oito (8) anos, reincidentes ou não.

04. Analise as assertivas adiante, sobre a Lei dos Crimes de Droga (Lei n. 11.343, de 23.08.2006) e a Lei dos Crimes
Ambientais (Lei n. 9.605, de 12.02.1998), para depois responder:

I. Ao condenado por crime de tráfico ilícito de droga definido no art. 33, "caput", da Lei n. 11.343/2006, que tiver direito à
diminuição máxima autorizada pelo respectivo parágrafo 4º, será aplicada a pena de um (1) ano e oito (8) meses de
reclusão, além da multa também diminuída.
II. Segundo a Lei n. 11.343/2006, o crime de tráfico ilícito de droga é inafiançável, porém, suscetível de liberdade
provisória, sendo permitida a substituição da pena privativa de liberdade não superior a quatro (4) anos por penas
restritivas de direito.
III. A Lei dos Crimes Ambientais (n. 9.605/98), com apoio na Constituição Federal de 1988, prevê a responsabilização
penal da pessoa jurídica pela prática de crime ambiental, podendo ser aplicadas a ela penas restritivas de direito.
IV. Consoante a Lei n. 9.605/68, maltratar um animal doméstico é crime ambiental.

Agora assinale a única alternativa verdadeira:

a) Somente as assertivas I, III e IV são corretas.


b) Todas as assertivas são corretas.
c) Somente as assertivas II e III são corretas.
d) Somente a assertiva II é correta.

05. Assinale a única alternativa correta:

a) O crime de assédio sexual não está previsto no Código Penal, o qual, no entanto, prevê os delitos de sedução e rapto.
b) A patroa que ameaça sua empregada doméstica e a mulher que agride e lesiona a companheira com quem convive em
relação homoafetiva se sujeitam às normas repressivas contidas na Lei n. 11.340, de 07.08.2006, denominada "Lei Maria
da Penha".
c) O agente que, com uma arma de brinquedo parecida com uma pistola calibre 7.65, ameaça a vítima e dela subtrai
expressiva quantia em dinheiro, não responde por crime de roubo e sim por furto.
d) Ao sujeito ativo de crime de estupro que era casado na data do fato deve ser aplicada a causa de aumento de pena de
um quarto prevista na redação atual do Código Penal.

06. É certo afirmar:

I. Devido à ultratividade da lei excepcional ou temporária, sobre ela não se aplica o princípio da retroatividade da lei penal
mais benéfica.
38
Questões de Direito Penal e Processual Penal
II. A desistência faz desaparecer a tentativa perfeita, assim como o arrependimento ativo faz desaparecer a tentativa
imperfeita.
III. As descriminadoras putativas são modalidades específicas de erro de tipo e, assim, excluem sempre a tipicidade da
conduta.
IV. A concepção normativa da culpabilidade - culpabilidade como reprovabilidade - implica em um juízo de aprovação ou
desaprovação que recai sobre a conduta penalmente injusta (típica e antijurídica).

Analisando as proposições, pode-se afirmar:

a) Somente as proposições II e III estão corretas.


b) Somente as proposições II e IV estão corretas.
c) Todas as proposições estão corretas.
d) Somente as proposições I e IV estão corretas.

07. É certo afirmar:

I. A pena de prisão simples deve ser cumprida, sem rigor penitenciário, em estabelecimento especial ou seção especial de
prisão comum, em regime semiaberto ou aberto.
II. As penas acessórias previstas no Código Penal são a perda da função pública eletiva ou de nomeação, as interdições de
direitos e a publicidade da sentença.
III. No caso da semi-imputabilidade, a periculosidade é presumida a partir da verificação, por meio da realização de exame
pericial, do estado de doença ou perturbação mental, bem como de desenvolvimento mental incompleto ou retardado do
indivíduo no instante da prática do fato delituoso. Nesse caso, o juiz pode aplicar medida de segurança, devendo
fundamentar a sua decisão demonstrando a existência da periculosidade.
IV. O trabalho do preso será remunerado, não podendo ser inferior a três quartos do salário mínimo, estando sujeito ao
regime da Consolidação das Leis do Trabalho.

Analisando as proposições, pode-se afirmar:

a) Todas as proposições estão corretas.


b) Somente as proposições II e III estão corretas.
c) Somente as proposições I e III estão corretas.
d) Somente as proposições I e IV estão corretas.

08. Alfa adquiriu de Beta uma casa em fase de acabamento, em área de interesse ambiental denominada non
aedificandi, tendo finalizado a construção. É certo afirmar:

I. Havendo prévia composição do dano ambiental, é possível ser oferecida a transação penal, salvo comprovada
impossibilidade de fazê-la.
II. Não há concurso de agentes pois o crime do artigo 64 da Lei 9.605/98 (Meio Ambiente) é instantâneo de efeito
permanente.
III. Beta sabendo a impossibilidade de edificar sobre o local, responderá por dolo e, caso Alfa não tenha se valido dos
meios corretos para se certificar da possibilidade de construir responderá por culpa.
IV. Admite-se o erro sobre a ilicitude do fato, que poderá isentar ou reduzir a pena aplicável, conforme o
desconhecimento tenha sido inevitável ou evitável.

Analisando as proposições, pode-se afirmar:

a) Somente as proposições II e IV estão corretas.


b) Somente as proposições I e III estão corretas.
c) Somente as proposições I e IV estão corretas.
d) Somente as proposições II e III estão corretas.

09. É certo afirmar:

39
Questões de Direito Penal e Processual Penal
I. O crime de homicídio simples somente será considerado crime hediondo se cometido em atividade típica de grupo de
extermínio, necessitando para tanto, a pluralidade de agentes delituosos.
II. Incide nas penas do crime de omissão de socorro no trânsito, mesmo que a omissão do condutor do veículo tenha sido
suprida por terceiros ou que se trate de vítima com morte instantânea ou com ferimentos leves.
III. O crime de supressão de tributo mediante a omissão de informação à autoridade fazendária, terá a pretensão punitiva
do Estado suspensa, durante o período em que a pessoa jurídica relacionada com o agente do crime estiver incluída no
REFIS, ocorrendo a extinção da punibilidade quando do adimplemento total do débito.
IV. O crime de prescrição ou ministração de drogas a paciente não admite a forma culposa, afinal, as drogas não são lícitas
no ordenamento jurídico pátrio e o desconhecimento da lei não pode ser argüido em defesa própria.

Analisando as proposições, pode-se afirmar:

a) Somente as proposições I e IV estão corretas.


b) Todas as proposições estão corretas.
c) Somente as proposições I e III estão corretas.
d) Somente as proposições II e III estão corretas.

10. É certo afirmar:

I. Por ser norma especial, não se aplicam aos delitos tipificados na Lei de Imprensa as causas interruptivas da prescrição
previstas no Código Penal.
II. O roubo consuma-se, apenas, quando se estabelece uma nova relação de posse com a res, não bastando o mero
desapossamento.
III. O saque indevido de valores das contas vinculadas ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pelo seu titular,
se constitui em estelionato contra o ente público, administrador desse fundo.
IV. O crime de seqüestro e cárcere privado é crime permanente e admite a tentativa que se apresenta quando o agente
tenha praticado atos de execução, sem chegar à restrição da liberdade da vítima.

Analisando as proposições, pode-se afirmar:

a) Somente as proposições II e IV estão corretas.


b) Somente as proposições II e III estão corretas.
c) Somente as proposições I e III estão corretas.
d) Somente as proposições I e IV estão corretas.

GABARITO: (01) - B / (02) - B / (03) - D / (04) - A / (05) - B / (06) - D / (07) - C / (08) - C / (09) - D / (10) - A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da Prova do Concurso para ingresso na Magistratura do Estado do
Maranhão/2008, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG,
Bauru/SP.

INSTRUÇÃO: De acordo com o comando de cada um dos itens, julgue-os em CERTO ou ERRADO:

Enunciado: Acerca da parte geral do direito penal, julgue os itens seguintes:

01. (___) Segundo a teoria da causalidade adequada, adotada pelo Código Penal, o resultado, de que depende a
existência do crime, somente é imputável a quem lhe deu causa. Considera-se causa a ação ou omissão sem a qual o
resultado não teria ocorrido.

02. (___) Em caso de "abolitio criminis", a reincidência subsiste, como efeito secundário da infração penal.

03. (___) Crime próprio impuro é aquele que, se for cometido por outro sujeito ativo que não aquele indicado pelo tipo
penal, transforma-se em figura típica diversa.

40
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Enunciado: Quanto aos crimes praticados por funcionário público contra a administração em geral, julgue os itens que
se seguem.

04. (___) A única diferença existente entre os crimes de concussão e de corrupção passiva é que, no primeiro, o agente
exige, enquanto, no segundo, o agente solicita ou recebe vantagem indevida, para si ou para outrem, direta ou
indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela.

05. (___) O servidor que recebe dinheiro de particular e emprega-o na própria repartição para fins de melhoria do serviço
público pratica conduta atípica.

Enunciado: Julgue o item abaixo de acordo com as leis penais especiais.

06. (___) A interceptação das comunicações telefônicas somente pode ser autorizada se outros meios de prova
mostrarem-se insuficientes para a elucidação do fato criminoso e se existirem indícios razoáveis de autoria ou
participação em crime punido com reclusão. Entende o STF, todavia, que, uma vez realizada a interceptação telefônica de
forma fundamentada, legal e legítima, as informações e provas coletadas dessa diligência podem subsidiar denúncia com
base em crimes puníveis com pena de detenção, desde que conexos aos primeiros tipos penais que justificaram a
interceptação.

Enunciado: Julgue os itens subseqüentes à luz do direito processual penal:

07. (___) Diversamente do que ocorre em relação ao processo civil, no processo penal não se admite que, em caso de
morte da vítima, os familiares assumam o lugar dela, no pólo ativo da ação penal privada, para efeito de apresentação de
queixa.

08. (___) A renúncia ao exercício do direito de queixa e o perdão do ofendido, em relação a um dos autores do crime, a
todos se estenderá, sem que produza, todavia, efeito em relação ao que o recusar.

09. (___) Considere a seguinte situação hipotética. Carlos foi denunciado pelo Ministério Público pela prática de crime de
emissão de título ao portador sem permissão legal. Apesar de Carlos ser primário e portador de bons antecedentes, o
Ministério Público não ofereceu proposta de suspensão condicional do processo. Nessa situação, é pacífico o
entendimento de que a suspensão condicional do processo é um direito subjetivo do acusado, podendo Carlos impetrar
habeas corpus com a finalidade de ser beneficiado com tal direito.

10. (___) Em relação à lei processual penal no tempo, vigora o princípio do efeito imediato, segundo o qual "tempus regit
actum". De acordo com tal princípio, as normas processuais penais têm aplicação imediata, mas consideram-se válidos os
atos processuais realizados sob a égide da lei anterior.

Enunciado: Julgue os itens a seguir:

11. (___) Julgando procedente a revisão criminal, o tribunal poderá alterar a classificação da infração, absolver o réu,
modificar a pena ou anular o processo, mas não poderá, em nenhuma hipótese, agravar a pena imposta pela decisão
revista.

12. (___) Considere a seguinte situação hipotética. Rubens foi denunciado pelo Ministério Público por ter praticado crime
de tentativa de homicídio simples contra seu pai. Nessa situação, existindo ação civil negatória de paternidade em curso,
trata-se de questão prejudicial obrigatória, devendo o juiz suspender o feito até a sentença cível definitiva, tendo em vista
que a confirmação da paternidade é circunstância agravante.

13. (___) Considere a seguinte situação hipotética. Pedro foi denunciado pelo Ministério Público pela prática de crime de
dispensa de licitação fora das hipóteses previstas em lei. Citado por edital, não compareceu na data designada para seu
interrogatório nem nomeou advogado, motivo pelo qual o processo e o curso prescricional foram suspensos pelo dobro
do prazo da prescrição, calculada esta com base na pena máxima cominada para o crime. Posteriormente, o juiz
determinou a retomada do prazo prescricional e, após o decurso do prazo da prescrição, novamente calculada com base
na pena máxima cominada para o crime, extinguiu a punibilidade do acusado. Nessa situação, agirá corretamente o
promotor ao impugnar a sentença por meio de recurso em sentido estrito, o que poderá fazer no prazo de cinco dias.

Enunciado: Com relação à competência no processo penal, julgue os seguintes itens:


41
Questões de Direito Penal e Processual Penal

14. (___) Ainda que a sentença condenatória tenha transitado em julgado, cabe ao juízo criminal prolator da sentença a
aplicação de lei mais benigna posteriormente editada.

15. (___) Competem à justiça estadual o processo e o julgamento dos crimes contra a economia popular.

GABARITO: (01) - E / (02) - C / (03) - C / (04) - E / (05) - E / (06) - C / (07) - E / (08) - E / (09) - E / (10) - C / (11) - C / (12) - E /
(13) - C / (14) - E / (15) - C /

Notas: Questões de Direito Processual Penal e Direito Penal, extraídas da prova do concurso para ingresso na Advocacia
Geral da União - Procurador Federal da 2.ª Categoria (2007), selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-
graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

Nas questões de n.º 01 e 02, assinale a alternativa CORRETA:

Questão 01: Concluído o inquérito policial, determinou o MM. Juiz que o inquérito fosse remetido ao Dr. Promotor de
Justiça para oferecimento da denúncia, tendo este requerido o seu arquivamento. Discordando da conclusão do
Promotor, que providência deve o Juiz adotar:

A) devolver os autos à Delegacia de Polícia para novas diligências.


B) insistir junto ao Promotor de Justiça quanto ao oferecimento da denúncia.
C) remeter o inquérito ao Procurador-Geral de Justiça.
D) remeter o inquérito ao Presidente do Tribunal de Justiça.

Questão 02: Oferecida a queixa-crime, com materialidade e autoria comprovadas, foram os autos com vista ao
Promotor de Justiça, tendo este do exame dos autos verificado tratar-se de crime de ação pública. Que providência
deve o Dr. Promotor adotar:

A) aditar a queixa.
B) oferecer denúncia.
C) pedir o prosseguimento do feito.
D) requerer diligências.

Questão 03: São implicações do principio do devido processo legal, EXCETO:

A) Favor rei, Imparcialidade do Juiz, Legalidade das formas.


B) Estado de inocência, Juiz Natural, Identidade física do Juiz.
C) Publicidade, Indisponibilidade da Ação Penal Pública, Oficialidade.
D) Verdade real, Assistência Judiciária, Iniciativa da parte.

Questão 04: Assinale a alternativa INCORRETA:

A) Mesmo primário e de bons antecedentes, o réu que se encontrava preso, por força de flagrante ou preventiva, deve
permanecer preso após a pronúncia, salvo casos especiais e justificados.
B) Réu não reincidente que se encontrava em liberdade ao tempo da sentença condenatória pode apelar em liberdade,
salvo se a prisão provisória for devidamente justificada na sentença, não bastando a simples afirmativa de se tratar de
crime hediondo.
C) A prisão em flagrante pode ser efetuada em qualquer momento do dia ou da noite, com ou sem consentimento do
morador. Já a prisão por mandado, com o consentimento do morador, pode ser feita de dia ou noite; sem seu
consentimento, só de dia.
D) Qualquer cidadão pode ser sujeito passivo da prisão em flagrante, salvo Diplomatas estrangeiros, face a tratado ou
convenção internacional.
42
Questões de Direito Penal e Processual Penal

Questão 05: O prazo para conclusão do inquérito policial instaurado para apurar a prática dos delitos relacionados ao
tráfico de entorpecentes, previstos na Lei n. 11.343, de 23 de agosto de 2006, é de:

A) 30 (trinta) dias, se o indiciado estiver preso, e de 90 (noventa) dias, se estiver solto, podendo o juiz, ouvido o Ministério
Público, mediante pedido justificado da autoridade policial, duplicar os prazos.
B) 30 (trinta) dias, se o indiciado estiver preso, e de 90 (noventa) dias, se estiver solto, podendo o juiz, ouvido o Ministério
Público, mediante pedido justificado da autoridade policial, triplicar os prazos.
C) 10 (dez) dias, se o indiciado estiver preso, e de 60 (sessenta) dias, se estiver solto, podendo o juiz, ouvido o Ministério
Público, mediante pedido justificado da autoridade policial, duplicar os prazos.
D) 10 (dez) dias, se o indiciado estiver preso, e de 60 (sessenta) dias, se estiver solto, podendo o juiz, ouvido o Ministério
Público, mediante pedido justificado da autoridade policial, triplicar os prazos.

Questão 06: Concluído o inquérito policial instaurado para apurar a prática dos delitos previstos na Lei n. 11.343, de 23
de agosto de 2006, deu-se vista ao Ministério Público para, no prazo de 10 (dez) dias, adotar uma das seguintes
providências, EXCETO:

A) requerer o arquivamento.
B) requerer a notificação do acusado para oferecer defesa prévia.
C) requisitar diligências que entender necessárias.
D) oferecer denúncia, arrolar até 5 (cinco) testemunhas e requerer as demais provas que entender pertinentes.

INSTRUÇÃO: Nas questões de n. 07 a 11, assinale a alternativa CORRETA.

Questão 07: Em conformidade com o previsto no art. 411 do Código de Processo Penal, o Juiz que absolver
sumariamente o réu denunciado pela prática de homicídio qualificado obrigatoriamente terá que:

A) comunicar a decisão ao Procurador-Geral de Justiça.


B) comunicar a decisão ao Presidente do Tribunal de Justiça.
C) abrir vistas dos autos ao Promotor de Justiça.
D) recorrer de ofício.

Questão 08: A sentença que decide sobre a progressão do regime de cumprimento da pena é recorrível por:

A) agravo.
B) apelação.
C) recurso em sentido estrito.
D) correição parcial.

Questão 09: O réu poderá ser julgado à revelia pelo Tribunal do Júri, quando:

A) o crime for afiançável e o réu não comparecer ao julgamento sem motivo legítimo.
B) o réu for menor de 21 anos.
C) o réu for maior de 70 anos.
D) o réu for estrangeiro.

Questão 10: No curso da execução da pena, sobreveio a insanidade mental do réu, apurada em regular perícia médica.
Que providência deve ser adotada pelo Juiz da Execução, em relação ao réu:

A) colocá-lo em liberdade.
B) recolhê-lo a uma prisão albergue.
43
Questões de Direito Penal e Processual Penal
C) interná-lo em estabelecimento adequado.
D) declarar extinta a punibilidade.

Questão 11: O desaforamento de que trata o artigo 424, do Código de Processo Penal, na conformidade do previsto no
Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, terá o mesmo processamento do(a):

A) recurso em sentido estrito.


B) agravo.
C) carta testemunhável.
D) habeas corpus.

INSTRUÇÃO: Nas questões de n.ºs 12 e 13, assinale a alternativa CORRETA.

Questão 12: O Juiz que, ao proferir a sentença, constata que o fato delituoso descrito na denúncia foi incorretamente
capitulado:

A) poderá dar ao fato definição jurídica diversa da que constar da denúncia, ainda que, em conseqüência, tenha de aplicar
pena mais grave.
B) não poderá dar ao fato definição jurídica diversa da que constar da denúncia, por implicar violação ao princípio do
contraditório.
C) se reconhecer a possibilidade de nova definição jurídica do fato, em conseqüência de prova existente nos autos de
circunstância elementar, não contida, explícita ou implicitamente, na denúncia, remeterá os autos ao Ministério Público
ou cópia das peças a ela relativas, a fim de que ofereça nova denúncia.
D) poderá dar ao fato definição jurídica diversa da que constar da denúncia, desde que isso não importe em aplicação de
pena mais grave.

Questão 13: Julgada procedente a revisão criminal, o Tribunal poderá:

A) alterar a classificação da infração, absolver o réu, modificar a pena ou anular o processo.


B) absolver o réu, cuja inimputabilidade penal resultar reconhecida na revisão, dispensando-o
da aplicação da medida de segurança respectiva.
C) deixar de conhecer do pedido, se o réu tiver falecido.
D) agravar a pena imposta se surgiu na revisão prova de conduta mais grave do condenado, não apreciada pela decisão
revista.

GABARITO: (01) - C / (02) - B / (03) - B / (04) - D / (05) - A / (06) - B / (07) - D / (08) - A / (09) - A / (10) - C / (11) - / (12) - A /
(13) - A

Notas: Questões de Direito Processo Penal, extraídas do Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz de Direito
Substituto do Estado de Minas Gerais, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito
Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

Questão 01: Em relação aos princípios norteadores do Direito Penal, aponte a afirmativa INCORRETA.

A) O princípio da legalidade ou da reserva legal constitui efetiva limitação ao poder punitivo estatal.
B) O princípio da insignificância refere-se à aplicação da pena.
C) Pelo princípio da fragmentariedade, a proteção penal limita-se aos bens jurídicos relevantes.
D) Pelo princípio da individualização da pena, a sanção a ser aplicada deve considerar todas as circunstâncias da conduta
do agente.

44
Questões de Direito Penal e Processual Penal

Questão 02: Com relação à aplicação da lei penal, é INCORRETO afirmar:

A) A lex mitior é inaplicável à sentença condenatória que se encontra em fase de execução.


B) A abolitio criminis faz desaparecer todos os efeitos penais, inclusive quanto àqueles relativos aos fatos definitivamente
julgados.
C) A novatio legis incriminadora aplica-se a fatos posteriores à sua vigência.
D) A lei excepcional, embora cessadas as circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado durante sua
vigência.

Questão 03: Inocêncio contratou os serviços profissionais de um advogado para propor ação trabalhista a qual foi
julgada procedente, mas a quantia paga pela empresa ré, apesar de recebida pelo advogado, não foi entregue a
Inocêncio. Procurado, o advogado alega que precisou do dinheiro, mas pretende devolvê-lo a Inocêncio quando puder.
Quanto à conduta do advogado, assinale a alternativa CORRETA:

A) Não se trata de infração penal, mas mero descumprimento contratual.


B) Restou caracterizado o delito de furto qualificado pelo abuso de confiança.
C) A inversão do título da posse exercida sobre a quantia caracteriza a apropriação indébita.
D) Mesmo tendo utilizado a quantia recebida da empresa na ação trabalhista para fins pessoais, caso o advogado a
restitua a Inocêncio, o crime permanece na esfera da tentativa.

Questão 04: Sizenando pediu a arma de um amigo emprestada dizendo que precisava cobrar uma dívida de um
funcionário de sua empresa. No dia seguinte a esposa de Sizenando encontrou o corpo do funcionário com duas
perfurações à bala na altura do peito e percebeu que o salário recebido por este no dia anterior havia desaparecido do
bolso de sua calça. Encontrada a arma do crime na posse de Sizenando, ele alegou que havia matado o funcionário
para defender a sua honra, pois tinha descoberto o envolvimento deste com sua esposa. Considerando a conduta de
Sizenando, marque a alternativa CORRETA:

A) Na hipótese de Sizenando ter efetuado disparos de arma de fogo contra o funcionário com animus necandi, estaria
caracterizado o crime de latrocínio.
B) Se Sizenando na verdade possuía animus furandi, o delito praticado seria homicídio.
C) Caso o amigo que emprestou a arma soubesse que a intenção de Sizenando era praticar um latrocínio, não responderia
sequer como partícipe.
D) A morte do funcionário caracteriza a consumação na hipótese de delito de latrocínio, independentemente da efetiva
subtração da quantia encontrada no bolso da calça.

Questão 05: Juvêncio foi a um posto de gasolina e abasteceu seu veículo pagando com cheque pré-datado, o qual
retornou por insuficiência de fundos. Quanto à conduta de Juvêncio, marque a alternativa CORRETA:

A) Se o emitente soubesse com antecedência que o cheque não teria fundos, restaria caracterizado ilícito civil.
B) Se a intenção de emitente do cheque fosse obter vantagem ilícita em prejuízo alheio mediante fraude, estaria
caracterizado o delito de estelionato.
C) Não há crime uma vez que o posto de gasolina assumiu o risco do negócio ao permitir o pagamento com cheques pré-
datados.
D) A emissão de cheque pré-datado, por si só, caracteriza infração penal, já que a espécie de título de crédito em questão
consiste em ordem de pagamento à vista;

Questão 06: As situações abaixo caracterizam o estado de necessidade, EXCETO:

A) Médico que deixa de atender um paciente para salvar outro, não tendo meios de atender a ambos.
B) Bombeiro que deixa de atender um incêndio de pequenas proporções para atender outro de maior gravidade.
C) "A" que dolosamente põe fogo num barco e depois mata outro passageiro para se salvar.
D) Mãe miserável que subtrai gêneros alimentícios para alimentar filho faminto.

45
Questões de Direito Penal e Processual Penal

Questão 07: Em relação à legítima defesa, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Pela legítima o agente pode repelir agressão injusta a direito seu ou de outrem que pode ser qualquer pessoa física,
mesmo que um criminoso.
B) Através da legítima defesa pode-se proteger qualquer bem jurídico.
C) Na legítima defesa o agente pode escolher qualquer meio à sua disposição para repelir o injusto.
D) Na legítima defesa o agente não pode empregar o meio além do que é preciso para evitar a lesão do bem jurídico
próprio ou de terceiro.

Questão 08: Dentre as situações abaixo assinale a que apresenta APENAS causas excludentes de culpabilidade:

A) Erro de proibição, coação moral irresistível e obediência hierárquica.


B) Inimputabilidade por menoridade e estrito cumprimento do dever legal.
C) Inimputabilidade por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto ou retardado e exercício regular de
direito.
D) Erro de tipo e inimputabilidade por embriaguez incompleta.

Questão 09: Sobre a fixação das penas, é CORRETO afirmar:

A) Sendo o réu bi-reincidente, uma reincidência servirá como qualificadora e a outra como agravante.
B) Agrava-se a pena se o réu cometeu o delito em estado de embriaguez preordenada.
C) A culpabilidade descrita no art. 59 do CP é aquela utilizada para compor a existência do crime.
D) É entendimento majoritário na jurisprudência que processos instaurados em desfavor do réu caracterizam maus
antecedentes.

Questão 10: No que tange à medida de segurança, é INCORRETO afirmar:

A) A medida de segurança difere da pena, dentre outros motivos, por ter prazo indeterminado.
B) Mesmo que esteja caracterizada uma excludente de ilicitude é aplicável a medida de segurança.
C) Aos semi-imputáveis pode ser aplicada a medida de segurança.
D) A periculosidade do agente é presumida no caso dos inimputáveis.

Questão 11: Nos crimes contra a administração pública, é CORRETO afirmar:

A) No crime de peculato doloso, o funcionário que reparar o dano até a publicação de sentença condenatória tem extinta
sua punibilidade.
B) Solicitar, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em
razão dela, vantagem indevida, configura-se o crime de corrupção ativa.
C) O Diretor de Penitenciária que deixa de cumprir seu dever de vedar ao preso o acesso a aparelho telefônico que
permita a comunicação com outros presos comete o crime de prevaricação.
D) Comete o crime de desobediência quem se opõe à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça a funcionário
competente para executá-lo ou a quem lhe esteja prestando auxílio.

Questão 12: Sobre as leis que regulam as armas de fogo no Brasil, é CORRETO afirmar:

A) Aquele que deixa de observar as cautelas necessárias e permite que menor de 18 (dezoito) anos se apodere de arma
de fogo de sua posse ou propriedade não pode ser punido, eis que os crimes previstos no Estatuto do Desarmamento só
admitem o dolo como elemento subjetivo do tipo.
B) O agente que mantém em sua residência arma de fogo de uso permitido, sem o devido registro em seu nome, incorre
no delito de porte ilegal de arma, previsto no art. 14 da Lei n. 10.826, de 22 dezembro de 2003.
C) A fim de verificar a classificação e a definição de armas de fogo, deve-se consultar a parte final do Estatuto do
Desarmamento, eis que, em suas Disposições Gerais, consta o rol de armamentos restritos, permitidos e proibidos.
46
Questões de Direito Penal e Processual Penal
D) A lei expressamente consagra a proibição de porte de arma de fogo em todo o território nacional, ressalvadas algumas
hipóteses específicas, como os integrantes das Forças Armadas e as empresas de segurança privada e de transporte de
valores, os quais poderão portar armas de fogo, desde que obedecidos os requisitos legais e regulamentares.

Questão 13: Quanto à prescrição, é CORRETO afirmar:

A) Na prescrição intercorrente o prazo começa a correr a partir da sentença condenatória até o trânsito em julgado para a
acusação e defesa.
B) A prescrição retroativa regula-se pelo máximo da pena privativa de liberdade cominada abstratamente ao delito.
C) Ainda que pendente recurso da acusação para aumentar a pena é possível o decreto da extinção da punibilidade do
agente pela prescrição retroativa da pretensão punitiva do Estado.
D) O prazo prescricional começa a correr nos crimes permanentes no dia em que se iniciou o delito.

Questão 14: Nos termos da Lei de Tóxicos (Lei n. 11.343, de 23 de agosto de 2006), é CORRETO afirmar:

A) Aquele que oferece droga, eventualmente e sem objetivo de lucro, a pessoa de seu relacionamento, para juntos a
consumirem, deve ser considerado como usuário.
B) É vedada a progressão de regime do réu condenado pela prática de tráfico de drogas.
C) É permitida a conversão da pena privativa de liberdade em restritivas de direito quando o agente adquire droga com o
objetivo de revendê-la.
D) Justifica-se o aumento da pena se ocorrer tráfico interestadual de drogas.

GABARITO: (01) - B / (02) - A / (03) - C / (04) - D / (05) - B / (06) - C / (07) - C / (08) - A / (09) - B / (10) - B / (11) – C / (12) - D
/ (13) - A / (14) - D

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz de Direito Substituto
do Estado de Minas Gerais, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela
Unisul/LFG, Bauru/SP.

01. Marisa, arrolada como testemunha de uma das partes em litígio cível, apresenta versão isolada e totalmente
dissonante da prova em seu conjunto. Antes mesmo da sentença, ela se retrata, dando nova versão aos fatos,
atribuindo a Renato, advogado de uma das partes, orientação e induzimento para que fizesse declaração falsa em
Juízo. Em face da retratação, é correto dizer que:

(A) o juiz criminal, caso venha a condená-la, interpretará a retratação como circunstância atenuante.
(B) Renato poderá ser processado pelo mesmo delito.
(C) a retratação opera como condição extintiva da punibilidade.
(D) nenhum dos dois responderá por falso testemunho.

02. Um ladrão pula o muro de uma casa para furtar. É morto, todavia, por ataque de cães bravios. Em tais condições, o
proprietário da casa:

(A) deve ser inocentado por legítima defesa preordenada.


(B) responde por homicídio culposo.
(C) deve ser inocentado, pela excludente de estado de necessidade.
(D) responde por homicídio doloso.

03. José, tido como inimputável no curso de um processo-crime em prova pericial, vem a agredir João, causando-lhe
ferimentos de natureza grave. Apura-se, no entanto, que agiu em legítima defesa. O juiz, ante o disposto no Código
Penal, artigo 97, deve absolver o réu:

47
Questões de Direito Penal e Processual Penal
(A) sujeitando-o à internação em casa de custódia, por ser o delito apenado com reclusão.
(B) descabendo a aplicação de qualquer medida de segurança.
(C) e aplicar-lhe medida de segurança pelo prazo correspondente a seu grau de periculosidade.
(D) mas aplicar-lhe medida de segurança de, no mínimo, um ano.

04. Um suposto integrante de facção criminosa, ocupando a garupa de uma motocicleta, passa defronte a um Fórum da
Capital e dispara contra pessoas que estão em seu interior. Duas delas são feridas gravemente; as restantes não sofrem
lesão alguma. Em face de sua conduta criminosa, o agente responderá por tentativa de homicídio em concurso:

(A) formal de delitos por dolo direto.


(B) formal por dolo indireto ou eventual.
(C) material de delitos, por dolo direto.
(D) material por dolo indireto ou eventual.

05. Antônio e Geraldo saem às ruas a fim de, em conjunto, praticarem roubos. Defrontam-se com Josué, ao sair de seu
veículo. Antônio, armado de um revólver, acobertado por Geraldo, aborda a vítima e a subjuga no intento de roubar-
lhe o automóvel. Assustada, a vítima resiste e acaba sendo ferida por dois disparos de Antônio, sofrendo lesões de
natureza grave. Antônio e Geraldo fogem do local, sem nada roubarem. Hospitalizada, a vítima recebe injeção de
penicilina, substância que lhe causa a morte por trauma alérgico. Em face do nosso estatuto penal, assinale a hipótese
aplicável a Antônio e Geraldo.

(A) Antônio responde por tentativa de latrocínio e Geraldo, por tentativa de roubo.
(B) Ambos respondem por latrocínio tentado.
(C) Antônio responde por latrocínio consumado, enquanto Geraldo, apenas por roubo.
(D) Ambos respondem por roubo tentado e lesões corporais graves.

06. Um profissional faz numa pessoa furo na orelha, ou coloca um piercing em parte de seu corpo, ou, ainda, faz-lhe
uma tatuagem. Tais práticas, em tese, caracterizam lesão corporal, mas não são puníveis. Assinale a alternativa correta
pela qual assim são consideradas.

(A) Por força do princípio da insignificância.


(B) Pelo princípio da disponibilidade do direito à integridade física.
(C) Pelo princípio da adequação social.
(D) Por razão de política criminal.

07. Assinale a alternativa correta.

(A) A prescrição virtual, também dita prescrição em perspectiva, está prevista no Código Penal.
(B) Os prazos prescricionais, configurados antes de a sentença transitar em julgado, devem ser exasperados diante da
reincidência do agente.
(C) A detração penal é computada na contagem do prazo prescricional.
(D) Há delitos imprescritíveis em nosso ordenamento jurídico.

08. Ao definir os crimes contra o meio-ambiente, a Lei n.o 9.605/98 tipifica o incêndio em mata ou floresta, admitindo
a modalidade culposa. Se, culposamente, uma pessoa vem a provocar incêndio em floresta, acarretando extermínio de
animais da fauna silvestre, responderá:

(A) somente por contravir ao art. 41, parágrafo único, da citada lei.
(B) em concurso material, por atear fogo e destruir a fauna.
(C) pelo crime de punição mais grave.
(D) por ambas as infrações, em concurso formal.

48
Questões de Direito Penal e Processual Penal
09. O art. 323 do Código Eleitoral reprime a divulgação de fatos inverídicos durante o período da propaganda eleitoral.
Qual a conduta penal aí entrevista?

(A) Simplesmente a divulgação de fatos inverídicos concernentes a partidos e candidatos, capazes, ou não, de influenciar
o eleitorado.
(B) A divulgação deve ter exclusivamente como escopo influir negativamente na imagem de candidato ou partido
adversário.
(C) Tanto a divulgação de fatos inverídicos, feita em detrimento de candidato ou partido, quanto a exaltação de
qualidades inverídicas de um candidato em prejuízo de outro caracterizam crime eleitoral.
(D) O dolo, nas hipóteses figuradas, é genérico.

10. À luz da Lei n.º 11.340/06 (Lei Maria da Penha), assinale a hipótese inadequada.

(A) Essa lei abrange as relações homossexuais de toda a espécie.


(B) A referida lei coíbe a incidência de penas brandas previstas na Lei n.o 9.099/95, como a oferta de cestas básicas ou
outras prestações de caráter pecuniário.
(C) A mesma lei restringiu as hipóteses de custódia preventiva do agente.
(D) Ao contrário, essa lei ampliou as ditas hipóteses.

11. Qual dos crimes contra a vida inadmite tentativa ou punição se as lesões ao ofendido forem leves?

(A) Infanticídio.
(B) Induzimento, instigação ou auxílio ao suicídio.
(C) Homicídio.
(D) Aborto.

12. Dos delitos contra os costumes, a seguir relacionados, exige honestidade da vítima:

(A) a posse sexual mediante fraude.


(B) o assédio sexual.
(C) o atentado ao pudor mediante fraude.
(D) a corrupção de menores.

13. Numa pequena cidade do interior paulista, em época de eleições, foi armado um palanque na praça central e o
então Prefeito, candidato à reeleição, profere um discurso. O candidato adversário, aproximando-se do palanque,
brada em voz alta: "Pervertido", "você é pedófilo e foi visto nesta mesma praça abusando do Nenê, filho do vereador
Basílio, duas semanas atrás". Tais expressões caracterizam, em tese, crimes contra a honra (injúria e calúnia). Em face
do concurso de infrações, o candidato ofensor responderia:

(A) por ambos os crimes, em concurso material.


(B) só por calúnia, aplicada, porém, em seu detrimento, a continuidade delitiva.
(C) só pelo crime de calúnia, por configurar-se a progressão criminosa e tratar-se de delito único.
(D) por ambos os crimes, em concurso formal de delitos.

GABARITO: 01. - C e D / 02. - A / 03. - B / 04. - B / 05. - B / 06. - C / 07. - D / 08. - A / 09. - C / 10. - A e C / 11. - B
12. - D / 13. - C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova do Concurso n.º 180 para ingresso na Magistratura Estadual de São
Paulo, selecionadas por Paula Camila de Lima, Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário pela Unisul/LFG, Bauru/SP.

49
Questões de Direito Penal e Processual Penal
1 - A conduta de exigir, solicitar ou receber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função
ou antes de iniciar seu exercício, mas em razão dela, vantagem indevida, para deixar de lançar ou cobrar tributo ou
contribuição social, ou para cobrá-los parcialmente, corresponde a

A) fato atípico.
B) crime de concussão.
C) crime de corrupção passiva.
D) crime contra a ordem tributária.

2 - Assinale a opção correta com relação aos crimes de estupro e atentado violento ao pudor.

A) O crime de estupro, quando cometido em sua forma simples, só se enquadra na definição legal de crime hediondo, se
dele resultar lesão corporal de natureza grave ou morte da vítima.
B) O crime de atentado violento ao pudor com violência presumida não se enquadra na definição legal de crime
hediondo, se dele não resultar lesão corporal de natureza grave ou morte da vítima.
C) O crime de estupro com violência presumida não se enquadra na definição legal de crime hediondo, se dele não
resultar lesão corporal de natureza grave ou morte da vítima.
D) Os crimes de estupro e atentado violento ao pudor, quando cometidos em sua forma simples ou com violência
presumida, enquadram-se na definição legal de crimes hediondos, recebendo essa qualificação ainda quando deles não
resulte lesão corporal de natureza grave ou morte da vítima.

3 - Assinale a opção correta acerca da classificação dos crimes.

A) O crime é qualificado quando, ao tipo básico, ou fundamental, o legislador agrega circunstâncias que elevam ou
majoram a pena, tal como ocorre com o homicídio.
B) O delito de ameaça pode ser classificado como crime material.
C) Os crimes de quadrilha e rixa são unissubjetivos.
D) O delito de infanticídio pode ser classificado como crime comum.

4 - Assinale a opção correta com base nos princípios de direito penal na CF.

A) O princípio básico que orienta a construção do direito penal é o da intranscendência da pena, resumido na fórmula
nullum crimen, nulla poena, sine lege.
B) Segundo a CF, é proibida a retroação de leis penais, ainda que estas sejam mais favoráveis ao acusado.
C) Nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação de
perdimento de bens ser, nos termos da lei, estendidas até os sucessores e contra eles executadas, mesmo que
ultrapassem o limite do valor do patrimônio transferido.
D) O princípio da humanidade veda as penas de morte, salvo em caso de guerra declarada, bem como as de caráter
perpétuo, de trabalhos forçados, de banimento e as cruéis.

5 - Segundo o Código Penal (CP) brasileiro, quando, por acidente ou erro no uso dos meios de execução, o agente, em
vez de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa, ele deve responder como se tivesse praticado o
crime contra aquela. No caso de ser, também, atingida a pessoa que o agente pretendia ofender, aplica-se a regra do

A) concurso material.
B) concurso formal.
C) crime continuado.
D) crime habitual.

6 - Assinale a opção correta segundo o CP.

A) Na hipótese de embriaguez, voluntária ou culposa, pelo álcool ou por substância de efeitos análogos, exclui-se a
imputabilidade penal.
50
Questões de Direito Penal e Processual Penal
B) Se houver concurso entre agravantes e atenuantes, a pena deve aproximar-se do limite indicado pelas circunstâncias
preponderantes, entendendo-se como tais as que resultam dos motivos determinantes do crime, da personalidade do
agente e da reincidência.
C) O agente que incide em erro sobre elemento constitutivo do tipo legal de crime deverá ter excluída a sua punibilidade.
D) Se alguém praticar crime sob coação moral irresistível, deverá ser punido juntamente com o autor da coação ou da
ordem.

7 - Ainda de acordo com o que dispõe o CP, assinale a opção correta.

A) Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtude dela a execução e
os efeitos penais e civis da sentença condenatória.
B) Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou omissão, no todo ou em parte, bem como onde se
produziu o resultado, sendo irrelevante o local onde deveria produzir-se o resultado.
C) A lei excepcional ou temporária, embora tenha decorrido o período de sua duração ou cessadas as circunstâncias que a
determinaram, aplica-se ao fato praticado durante a sua vigência.
D) Considera-se praticado o crime no momento da produção do resultado.

8 - Aquele que omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devesse constar, ou nele inserir ou
fizer inserir declaração falsa ou diversa da que devesse ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou
alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante praticará o crime de

A) falsificação de papéis públicos.


B) falsificação do selo ou sinal público.
C) falsidade ideológica.
D) falsificação de documento público.

9 - Constitui, segundo a Lei de Execução Penal, direito que pode ser suspenso ou restringido ao preso mediante ato
motivado do diretor do estabelecimento prisional

A) o chamamento nominal.
B) a entrevista pessoal e reservada com o advogado.
C) o contato com o mundo exterior por meio de correspondência escrita, da leitura e de outros meios de informação que
não comprometam a moral e os bons costumes.
D) a representação e petição a qualquer autoridade, em defesa de direito.

10 - Assinale a opção correta com base na legislação atual de combate às drogas (Lei nº 11.343/2006).

A) Se um indivíduo, acusado de tráfico de drogas, colaborar voluntariamente com a investigação policial e o processo
criminal na identificação dos demais co-autores do crime e na recuperação total do produto do crime, nessa situação,
caso ele seja condenado, terá sua pena reduzida nos termos da lei.
B) Segundo a novel legislação, o indivíduo que esteja cumprindo pena em decorrência de condenação por tráfico ilícito de
entorpecentes não pode beneficiar-se de livramento condicional.
C) O agente que, em razão da dependência de droga, era, ao tempo da ação ou da omissão, qualquer que tenha sido a
infração penal praticada, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com
esse entendimento terá sua pena reduzida pela metade.
D) É vedada, em qualquer fase da persecução criminal relativa aos crimes previstos na lei em questão, a infiltração, por
agentes de polícia, em tarefas de investigação.

Gabarito: 1. D / 2. D / 3. A / 4. D / 5. B / 6. B / 7. C / 8. C / 9. C / 10. A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do 136º Exame da OAB/SP, selecionadas por Vanessa Gonçalves Daniel,
Advogada, Pós-graduanda em Direito Tributário. Bauru/SP.
51
Questões de Direito Penal e Processual Penal

01. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Sistema ou estrutura é o conjunto ordenado de elementos, relacionados por um princípio unificador, que formam um
todo pretensamente orgânico, destinado a uma determinada finalidade.
II. Os sistemas processuais penais possuem diferenciações analíticas e rígidas, imutáveis na evolução histórica.
III. Atualmente, predomina na América Latina o sistema inquisitório, também conhecido como reformado ou
napoleônico.
IV. Na Grécia e no maior período da Roma republicana, o sistema processual era acusatório, com acusação e julgamento
popular.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II e III.
d) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

02. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Os novos paradigmas da sociedade moderna, com riscos técnicos ou não, desconhecidos e incontroláveis, trazem a
sensação coletiva de insegurança, em fenômeno designado por Ulrich Beck como da sociedade do risco.
II. O funcionalismo serve como forma de satisfação às valorações da sociedade de risco.
III. Na tutela dos grandes e novos riscos que ameaçam a sociedade presente e as gerações futuras têm surgido legislações
penais de diferenciado e gravoso tratamento, penal e processual-penal, em crimes econômico-tributários, ambientais e
os imputáveis a organizações criminosas.
IV. O direito administrativo-penal é proposta de tratamento dos grandes riscos com medidas administrativas, dentro de
um processo penal.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

03. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Tem a jurisprudência majoritariamente compreendido que os saques via internet em conta de terceiros configuram
crime de furto mediante fraude, consumado no local da conta indevidamente sacada.
II. É da competência da justiça federal o crime de redução de trabalhadores à condição análoga à de escravo.
III. As fraudes praticadas por gestores da empresa administradora de consórcio de bens, em suas atividades fins,
configuram crimes sujeitos à jurisdição federal.
IV. É da jurisdição federal a competência para os crimes de venda de combustíveis adulterados ou com venda em
desacordo às normas legais, pelo dano à fiscalização da ANP (Agência Nacional de Petróleo), autarquia federal.

a) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

04. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O princípio da indelegabilidade impede a renúncia voluntária à jurisdição, mas encontra exceção nas cartas rogatórias
ou de ordem.
II. O princípio da ampla defesa faz exigir do advogado dativo o emprego de todos os meios processualmente úteis e
disponíveis, inclusive na oferta da defesa prévia, rol de testemunhas e provas, interposição de recursos e apresentação
das razões pertinentes.
52
Questões de Direito Penal e Processual Penal
III. O princípio do livre convencimento motivado é de cunho constitucional, aplicando-se desse modo a todos julgamentos
criminais, ressalvado o Júri e o julgamento em Tribunais Militares.
IV. O princípio do contraditório vige no processo penal, excepcionando-se o caso dos embargos de declaração com efeitos
infringentes e das provas produzidas de ofício pelo magistrado.

a) Está correta apenas a assertiva I.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e II.
c) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

05. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Pode o juiz autorizar escutas telefônicas em caso de delitos apenados com detenção ou reclusão, nos crimes em que a
lei taxativamente as admita.
II. A quebra do sigilo bancário ou fiscal não exclui a proteção constitucional ao segredo, então a cargo dos operadores do
processo, sob pena de responsabilização administrativa e criminal.
III. Admite-se o sigilo dos autos frente ao investigado e seu advogado, mesmo ante ordem de prisão ou de apreensão de
bens, no interesse predominante das investigações.
IV. O Ministério Público pode determinar a devassa de correspondências, quando relacionadas ao crime investigado.

a) Está correta apenas a assertiva I.


b) Está correta apenas a assertiva II.
c) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

06. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A falta do lançamento definitivo impossibilita a ação penal por crime tributário material, mas não sua investigação e
eventual indiciamento.
II. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário não impede a persecução penal pelo crime autônomo de
quadrilha.
III. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário impede o curso da prescrição penal.
IV. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário torna nulos os atos processuais da persecução penal, por crime
de sonegação fiscal, realizados na sua ausência.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

07. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Mesmo sendo a pena mínima privativa de liberdade superior a um ano, havendo pena de multa alternativamente
cominada, cabível é a suspensão condicional do processo.
II. Prevê a lei específica que, em caso de conexão de crime de pequeno potencial ofensivo com crime sujeito à jurisdição
penal comum, dá-se nesta o processamento reunido.
III. A suspensão condicional do processo não impede ao acusado a via do habeas corpus para o trancamento da ação
penal.
IV. De acordo com a jurisprudência predominante, havendo desclassificação para crime menos grave ou absolvição dos
delitos conexos e restando persecução penal tão somente de crime com pena mínima cominada de um ano, cabível é o
sursis processual, mesmo após prolatada sentença condenatória recorrível.

a) Estão corretas apenas as assertivas II e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, III e IV.
53
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) Estão corretas todas as assertivas.

08. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A emendatio libelli possibilita exclusivamente ao juízo de primeiro grau a correta tipificação a ser dada ao fato
denunciado.
II. A mutatio libelli permite, segundo a lei, a direta condenação por crime diverso, de pena igual ou superior, mas exige a
oportunidade de defesa para incidência de crime mais gravemente apenado.
III. Pode a emendatio libelli resultar na incidência direta de crime com pena mais severamente aplicada, sem novo
contraditório ou defesa.
IV. A necessidade de fundamentação estende-se à dosimetria da pena, à escolha das penas substitutivas e ao não-
cabimento do sursis.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e II.


b) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

09. Assinalar a alternativa correta quanto à prescrição e à decadência.

a) A renúncia da prescrição pode ocorrer ainda que não escoado o respectivo prazo.
b) As ações constitutivas não estão sujeitas à decadência.
c) Não corre a prescrição contra os relativamente incapazes.
d) O devedor que paga uma obrigação prescrita não possui o direito de repetir o pagamento.

10. Assinalar a alternativa correta quanto à cláusula penal.

a) Em se tratando de cláusula penal compensatória (relativa ao inadimplemento) a parte pode cumular a multa
convencional com a indenização legal.
b) Ainda que o prejuízo decorrente do inadimplemento exceda o previsto na cláusula penal, o recebimento da multa
necessariamente implicará renúncia à indenização suplementar.
c) A redução do valor fixado na cláusula penal não pode ser determinada de ofício pelo magistrado.
d) A multa cominatória ou astreinte difere da cláusula penal porque naquela não há um limite máximo de fixação.

11. Sobre o inquérito policial e seu regramento previsto no Código de Processo Penal, assinale a alternativa correta:

a) Os autos do inquérito não poderão ser arquivados em razão de determinação da Autoridade Policial.
b) Todas as provas produzidas no inquérito policial devem ser repetidas em Juízo.
c) O prazo para a conclusão do inquérito por parte da Autoridade Policial não se modifica em função de estar o indiciado
preso ou solto.
d) A Jurisprudência tem admitido majoritariamente que o Juiz possa proferir sentença com base somente nas provas
produzidas no inquérito policial.
e) A nulidade do inquérito possui o condão de tornar nula a ação penal.

12. Sobre a ação penal, assinale a alternativa incorreta.

a) A inércia do querelante na ação penal é uma das causas que ensejam a perempção.
b) Quando o fato narrado, à evidência, não constituir crime, cabe o não recebimento da denúncia por parte do juiz.
c) A queixa-crime é o nome que designa a petição inicial da ação penal privada, enquanto a denúncia é o título da peça
inaugural nas ações penais públicas.
d) O perdão do ofendido enseja a extinção da ação penal pública incondicionada.
e) Caso o juiz entenda que a classificação do crime deu-se de forma equivocada na petição inicial deverá rejeitar a
denúncia.
54
Questões de Direito Penal e Processual Penal

Gabarito: 01. B / 02. B / 03. B / 04. A / 05. B / 06. C / 07. D / 08. C / 09. D / 10. D / 11. A / 12. D

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para provimento dos cargos de Juiz Federal Substituto
da 4ª Região e advogado da Prefeitura Municipal dos Barreiros; selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada -
Bauru/SP.

01. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Sistema ou estrutura é o conjunto ordenado de elementos, relacionados por um princípio unificador, que formam um
todo pretensamente orgânico, destinado a uma determinada finalidade.
II. Os sistemas processuais penais possuem diferenciações analíticas e rígidas, imutáveis na evolução histórica.
III. Atualmente, predomina na América Latina o sistema inquisitório, também conhecido como reformado ou
napoleônico.
IV. Na Grécia e no maior período da Roma republicana, o sistema processual era acusatório, com acusação e julgamento
popular.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II e III.
d) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

02. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Os novos paradigmas da sociedade moderna, com riscos técnicos ou não, desconhecidos e incontroláveis, trazem a
sensação coletiva de insegurança, em fenômeno designado por Ulrich Beck como da sociedade do risco.
II. O funcionalismo serve como forma de satisfação às valorações da sociedade de risco.
III. Na tutela dos grandes e novos riscos que ameaçam a sociedade presente e as gerações futuras têm surgido legislações
penais de diferenciado e gravoso tratamento, penal e processual-penal, em crimes econômico-tributários, ambientais e
os imputáveis a organizações criminosas.
IV. O direito administrativo-penal é proposta de tratamento dos grandes riscos com medidas administrativas, dentro de
um processo penal.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

03. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Tem a jurisprudência majoritariamente compreendido que os saques via internet em conta de terceiros configuram
crime de furto mediante fraude, consumado no local da conta indevidamente sacada.
II. É da competência da justiça federal o crime de redução de trabalhadores à condição análoga à de escravo.
III. As fraudes praticadas por gestores da empresa administradora de consórcio de bens, em suas atividades fins,
configuram crimes sujeitos à jurisdição federal.
IV. É da jurisdição federal a competência para os crimes de venda de combustíveis adulterados ou com venda em
desacordo às normas legais, pelo dano à fiscalização da ANP (Agência Nacional de Petróleo), autarquia federal.

a) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

55
Questões de Direito Penal e Processual Penal

04. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O princípio da indelegabilidade impede a renúncia voluntária à jurisdição, mas encontra exceção nas cartas rogatórias
ou de ordem.
II. O princípio da ampla defesa faz exigir do advogado dativo o emprego de todos os meios processualmente úteis e
disponíveis, inclusive na oferta da defesa prévia, rol de testemunhas e provas, interposição de recursos e apresentação
das razões pertinentes.
III. O princípio do livre convencimento motivado é de cunho constitucional, aplicando-se desse modo a todos julgamentos
criminais, ressalvado o Júri e o julgamento em Tribunais Militares.
IV. O princípio do contraditório vige no processo penal, excepcionando-se o caso dos embargos de declaração com efeitos
infringentes e das provas produzidas de ofício pelo magistrado.

a) Está correta apenas a assertiva I.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e II.
c) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

05. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Pode o juiz autorizar escutas telefônicas em caso de delitos apenados com detenção ou reclusão, nos crimes em que a
lei taxativamente as admita.
II. A quebra do sigilo bancário ou fiscal não exclui a proteção constitucional ao segredo, então a cargo dos operadores do
processo, sob pena de responsabilização administrativa e criminal.
III. Admite-se o sigilo dos autos frente ao investigado e seu advogado, mesmo ante ordem de prisão ou de apreensão de
bens, no interesse predominante das investigações.
IV. O Ministério Público pode determinar a devassa de correspondências, quando relacionadas ao crime investigado.

a) Está correta apenas a assertiva I.


b) Está correta apenas a assertiva II.
c) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

06. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A falta do lançamento definitivo impossibilita a ação penal por crime tributário material, mas não sua investigação e
eventual indiciamento.
II. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário não impede a persecução penal pelo crime autônomo de
quadrilha.
III. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário impede o curso da prescrição penal.
IV. A falta do lançamento definitivo do crédito tributário torna nulos os atos processuais da persecução penal, por crime
de sonegação fiscal, realizados na sua ausência.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

07. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Mesmo sendo a pena mínima privativa de liberdade superior a um ano, havendo pena de multa alternativamente
cominada, cabível é a suspensão condicional do processo.
II. Prevê a lei específica que, em caso de conexão de crime de pequeno potencial ofensivo com crime sujeito à jurisdição
penal comum, dá-se nesta o processamento reunido.

56
Questões de Direito Penal e Processual Penal
III. A suspensão condicional do processo não impede ao acusado a via do habeas corpus para o trancamento da ação
penal.
IV. De acordo com a jurisprudência predominante, havendo desclassificação para crime menos grave ou absolvição dos
delitos conexos e restando persecução penal tão somente de crime com pena mínima cominada de um ano, cabível é o
sursis processual, mesmo após prolatada sentença condenatória recorrível.

a) Estão corretas apenas as assertivas II e III.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

08. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A emendatio libelli possibilita exclusivamente ao juízo de primeiro grau a correta tipificação a ser dada ao fato
denunciado.
II. A mutatio libelli permite, segundo a lei, a direta condenação por crime diverso, de pena igual ou superior, mas exige a
oportunidade de defesa para incidência de crime mais gravemente apenado.
III. Pode a emendatio libelli resultar na incidência direta de crime com pena mais severamente aplicada, sem novo
contraditório ou defesa.
IV. A necessidade de fundamentação estende-se à dosimetria da pena, à escolha das penas substitutivas e ao não-
cabimento do sursis.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e II.


b) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

09. Assinalar a alternativa correta quanto à prescrição e à decadência.

a) A renúncia da prescrição pode ocorrer ainda que não escoado o respectivo prazo.
b) As ações constitutivas não estão sujeitas à decadência.
c) Não corre a prescrição contra os relativamente incapazes.
d) O devedor que paga uma obrigação prescrita não possui o direito de repetir o pagamento.

10. Assinalar a alternativa correta quanto à cláusula penal.

a) Em se tratando de cláusula penal compensatória (relativa ao inadimplemento) a parte pode cumular a multa
convencional com a indenização legal.
b) Ainda que o prejuízo decorrente do inadimplemento exceda o previsto na cláusula penal, o recebimento da multa
necessariamente implicará renúncia à indenização suplementar.
c) A redução do valor fixado na cláusula penal não pode ser determinada de ofício pelo magistrado.
d) A multa cominatória ou astreinte difere da cláusula penal porque naquela não há um limite máximo de fixação.

11. Sobre o inquérito policial e seu regramento previsto no Código de Processo Penal, assinale a alternativa correta:

a) Os autos do inquérito não poderão ser arquivados em razão de determinação da Autoridade Policial.
b) Todas as provas produzidas no inquérito policial devem ser repetidas em Juízo.
c) O prazo para a conclusão do inquérito por parte da Autoridade Policial não se modifica em função de estar o indiciado
preso ou solto.
d) A Jurisprudência tem admitido majoritariamente que o Juiz possa proferir sentença com base somente nas provas
produzidas no inquérito policial.
e) A nulidade do inquérito possui o condão de tornar nula a ação penal.

57
Questões de Direito Penal e Processual Penal
12. Sobre a ação penal, assinale a alternativa incorreta.

a) A inércia do querelante na ação penal é uma das causas que ensejam a perempção.
b) Quando o fato narrado, à evidência, não constituir crime, cabe o não recebimento da denúncia por parte do juiz.
c) A queixa-crime é o nome que designa a petição inicial da ação penal privada, enquanto a denúncia é o título da peça
inaugural nas ações penais públicas.
d) O perdão do ofendido enseja a extinção da ação penal pública incondicionada.
e) Caso o juiz entenda que a classificação do crime deu-se de forma equivocada na petição inicial deverá rejeitar a
denúncia.

Gabarito: 01. B / 02. B / 03. B / 04. A / 05. B / 06. C / 07. D / 08. C / 09. D / 10. D / 11. A / 12. D

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para provimento dos cargos de Juiz Federal Substituto
da 4ª Região e advogado da Prefeitura Municipal dos Barreiros; selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada -
Bauru/SP.

01. Assinale a alternativa INCORRETA:

a) o crime consumado também pode ser denominado crime perfeito enquanto que o crime tentado pode ser chamado de
crime imperfeito;
b) nos crimes omissivos próprios a consumação se dá com a prova do resultado lesivo posterior;
c) o crime falho ocorre quando o sujeito pratica todos os atos a seu alcance para a consumação do crime, mas não obtém
o resultado por circunstâncias alheias à sua vontade;
d) crime preterdoloso ou preterintencional é aquele que a ação causa um resultado mais grave que o pretendido pelo
agente;
e) ocorre o crime continuado quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, praticada dois ou mais crimes da
mesma espécie e, pelas condições de tempo, lugar e maneira de execução e outras semelhantes, devem os subseqüentes
ser havidos como continuação do primeiro.

02. Determinado funcionário público, no exercício de suas funções, toma conhecimento de um crime de ação pública,
praticado por outrem. A partir de então, referido funcionário passa a constranger o agente a praticar determinado ato,
sob pena de denunciá-lo à autoridade policial. Referido funcionário:

a) comete o crime de exercício arbitrário das próprias razões;


b) comete o crime de corrupção ativa;
c) comete o crime de extorsão, ainda que inexistir o intuito de vantagem econômica;
d) comete o crime de constrangimento ilegal, desde que inexista o intuito de vantagem econômica;
e) não comete crime, pois na qualidade de funcionário público tem o dever legal de comunicar o fato às autoridades
competentes.

03. "Fulano de tal" deixou de repassar à previdência social as contribuições recolhidas dos contribuintes, no prazo e
forma legal ou convencional. Neste caso:

I - está consumado o crime de apropriação indébita previdenciária;


II - é extinta a punibilidade se o sujeito, espontaneamente, declara, confessa e efetua o pagamento das contribuições,
importâncias ou valores e presta as informações devidas à previdência social, na forma definida em lei ou regulamento,
antes do início da ação fiscal;
III - o juiz poderá deixar de aplicar a pena ou aplicar somente a pena de multa se o agente for primário e de bons
antecedentes e desde que tenha promovido, após o início da ação fiscal e antes de oferecida a denúncia, o pagamento da
contribuição social previdenciária, inclusive acessórios;
IV - não há crime se o valor contribuições devidas, inclusive acessórios, seja igual ou inferior àquele estabelecido pela
previdência social, administrativamente, como sendo o mínimo para o ajuizamento de suas execuções fiscais.

58
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) todas as opções estão corretas;
b) apenas três opções estão corretas;
c) apenas duas opções estão corretas;
d) apenas uma opção está correta;
e) todas as opções estão incorretas.

04. O Diretor de Secretaria, no cumprimento de suas funções, procedeu à elaboração de um alvará judicial. Após
assinado pelo juiz, esse documento foi entregue ao advogado devidamente habilitado nos autos. Agradecido pelo
atendimento recebido, o advogado deu ao Diretor elevada importância em dinheiro, o qual aceitou referida vantagem.
Neste caso, o Diretor de Secretaria:

a) não cometeu crime, pois apenas praticou os atos inerentes a sua função e, sem fazer qualquer exigência, recebeu uma
importância que lhe foi espontaneamente oferecida;
b) cometeu o crime de concussão;
c) cometeu o crime de corrupção passiva;
d) cometeu o crime de corrupção ativa;
e) cometeu o crime de prevaricação.

05. Assinale a alternativa CORRETA:

a) nos crimes omissivos impróprios a simples omissão já constitui o crime;


b) o arrependimento posterior é causa de exclusão da ilicitude;
c) não se pune a tentativa quando, por ineficácia absoluta do meio ou por absoluta impropriedade do objeto, é impossível
consumar-se o delito;
d) o estado de necessidade e a legítima defesa excluem a tipicidade;
e) não pode ser considerado doloso o crime em que o agente não quis o resultado, embora tenha assumido o risco de
produzi-lo.

06. Com relação aos crimes contra a Administração Pública, é correto afirmar:

a) peculato ocorre quando o funcionário público se apropria de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel,
exclusivamente público, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio.
b) condescendência criminosa consiste em exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da
função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida.
c) corrupção passiva consiste em solicitar ou receber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, somente fora da
função, mas em razão dela, vantagem indevida, ou ainda aceitar promessa de tal vantagem.
d) prevaricação consiste em retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição
expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal.
e) concussão ocorre quando o funcionário, por indulgência, deixa de responsabilizar subordinado que cometeu infração
no exercício do cargo ou, quando lhe falte competência, não levar o fato ao conhecimento da autoridade competente.

07. Sobre os crimes contra a Administração Pública, é correto afirmar que:

a) o abandono de cargo público fora das hipóteses previstas em lei configura crime previsto no Código Penal.
b) para efeitos penais só se consideram funcionários públicos aqueles que chegaram ao cargo através de concurso
público.
c) somente se o funcionário público possuir inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil poderá valer-se de seu cargo
para patrocinar os interesses de seus clientes junto à Administração.
d) a lei penal exige, para a configuração do peculato, que o funcionário público receba efetivamente a vantagem indevida,
caso contrário não haveria a materialidade do delito.
e) o crime de contrabando ou descaminho só se configura quando a mercadoria importada for ilícita, como, por exemplo,
drogas.

59
Questões de Direito Penal e Processual Penal
08. Pedro, funcionário público municipal responsável pela emissão gratuita de certidões da Prefeitura de que é
servidor, exige que Paulo lhe pague R$ 2.000,00 (dois mil reais) para que, só assim, receba um documento solicitado
àquele. No caso hipotético acima apresentado, há a configuração do seguinte tipo penal:

a) Corrupção ativa.
b) Corrupção passiva.
c) Concussão.
d) Peculato.
e) Prevaricação.

09. Sobre os crimes contra a administração da Justiça, assinale a alternativa incorreta.

a) O reingresso de estrangeiro que tenha sido expulso do território nacional consiste em crime contra a administração da
Justiça.
b) É causa de aumento de pena da denunciação caluniosa ter o agente usado nome suposto na prática do ato.
c) Alguém que se acusa de homicídio praticado por outra pessoa, ainda que não responda pela morte da vítima, incidirá
no tipo penal de auto-acusação falsa.
d) É isento de pena o pai de um criminoso que pratique a conduta prevista no tipo penal de favorecimento pessoal,
quando o faça em relação ao seu filho.
e) Configura crime a conduta do preso de tentar evadir-se da cadeia e, nas hipóteses em que seja empregada violência
contra pessoas, a pena é aumentada.

10. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A responsabilidade penal do sócio-administrador da empresa sonegadora das contribuições descontadas dos


empregados dá-se de forma objetiva.
II. As penas aplicadas à pessoa jurídica têm previsão específica na lei de crimes ambientais, consistindo em: suspensão
parcial ou total da atividade, interdição temporária de estabelecimento, obra ou atividade, proibição de contratar com o
Poder Público, multa e prestação de serviços à comunidade.
III. No sistema constitucional brasileiro, a possibilidade de responsabilização penal da pessoa jurídica é limitada aos
crimes ambientais.
IV. A responsabilidade reconhecida pelos gestores exclui a da pessoa jurídica.

a) Está correta apenas a assertiva II.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

11. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O crime de lavagem de dinheiro pode ter como crime antecedente o tráfico ilícito de entorpecentes, o terrorismo,
crimes contra a Administração Pública e de sonegação fiscal.
II. Não se pune a lavagem de dinheiro sem a ocorrência de crime antecedente taxativamente previsto em lei.
III. A ocultação caracterizadora da lavagem de dinheiro dá-se também pelo ostensivo gasto do produto do crime.
IV. Como norma mista, a lei definidora do tipo penal do crime de lavagem de dinheiro tem aplicação retroativa
condicionada ao benefício do agente.

a) Está correta apenas a assertiva II.


b) Está correta apenas a assertiva IV.
c) Estão corretas apenas as assertivas I e III.
d) Estão incorretas todas as assertivas.

12. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

60
Questões de Direito Penal e Processual Penal
I. No Código Penal Brasileiro, a tentativa do crime é marcada pelo início da realização do tipo, tomando-se em
consideração sobretudo a expressão que emprega a lei para designar a conduta proibida.
II. Não admitem tentativa os crimes habituais e de atentado, os omissivos próprios, os unissubsistentes, os culposos e os
preterintencionais, não incluídos aqueles tecnicamente qualificados pelo resultado.
III. No crime putativo imagina o agente proibida uma conduta que em verdade lhe é permitida, não cabendo punição.
IV. A Súmula 145 do Supremo Tribunal Federal ("Não há crime, quando a preparação do flagrante pela polícia torna
impossível a sua consumação") passou, pela mesma Corte, a ser interpretada como a dar validade ao flagrante esperado;
de outro lado, negando validade ao flagrante provocado pelo agente da prisão.

a) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

13. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. No erro de tipo está viciada a previsibilidade, impedindo que o dolo atinja corretamente todos os elementos essenciais
do tipo, o que não impede a configuração do crime culposo.
II. O erro de proibição ocorre pelo inevitável desconhecimento da lei penal, que exclui a culpabilidade do agente e impede
sua punição por crime doloso, permitindo, porém, o apenamento na forma culposa ou preterdolosa.
III. Para o Código Penal Brasileiro, as causas justificativas constituem hipótese de erro de proibição, adotando-se a teoria
extremada do dolo, diversamente da teoria limitada do dolo, onde as excludentes da ilicitude caracterizam erro de
proibição (quando viciada a compreensão dos fatos) ou erro de tipo permissivo (quando viciada a interpretação do
alcance da causa justificadora).
IV. O erro de tipo pode ocorrer mesmo em crimes omissivos impróprios; enquanto que, no erro de proibição, examina-se
a culpabilidade abstrata da ignorância à representação da ilicitude do comportamento.

a) Está correta apenas a assertiva I.


b) Está correta apenas a assertiva III.
c) Está correta apenas a assertiva IV.
d) Estão corretas apenas as assertivas I e II.

14. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A condenação pelo crime de tráfico de entorpecentes exige o laudo definitivo do material tóxico, que pode ser trazido
até a sentença, respeitado o contraditório.
II. O consumo pessoal de drogas, sem autorização legal ou regulamentar, é punido com advertência, prestação de
serviços à comunidade ou medida educativa.
III. Pune a Lei de Entorpecentes a mera colaboração como informante da organização de tráfico.
IV. O crime de tráfico, segundo a Lei nº 11.343/06, é inafiançável e insuscetível de graça, indulto, anistia e liberdade
provisória, vedada a conversão de suas penas em restritivas de direitos, embora permitido o sursis e a unificação de
penas.

a) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.


b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.
d) Estão corretas todas as assertivas.

15. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A discussão sobre matéria referente à idade da vítima, quando interferir na própria existência do crime, é considerada
questão prejudicial obrigatória.
II. A discussão sobre matéria referente à constitucionalidade do tributo sonegado, por interferir na própria existência do
crime, é questão prejudicial obrigatória.

61
Questões de Direito Penal e Processual Penal
III. A questão prejudicial obrigatória faz suspender a ação criminal até solução no cível da matéria controversa sobre
estado de pessoa, suspenso também o curso da prescrição.
IV. A questão prejudicial facultativa faz com que possa o magistrado criminal suspender o processo até solução da
matéria prejudicial em ação a ser proposta no cível.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e II.


b) Estão corretas apenas as assertivas I e III.
c) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.
d) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

16. São causas extintivas da punibilidade, EXCETO:

a) A anistia, graça ou indulto.


b) A retroatividade de lei que não mais considera o fato como criminoso.
c) A renúncia do direito de queixa ou o perdão aceito, nos crimes de ação privada.
d) A retratação do agente, nos casos em que a lei a admite.
e) O casamento do agente com a vítima, nos crimes contra os costumes definidos na Parte Especial do Código Penal.

17. Conforme o Código Penal Brasileiro, apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem
móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio,
caracteriza o crime de:

a) Peculato.
b) Concussão.
c) Prevaricação.
d) Condescendência criminosa.
e) Corrupção passiva.

Gabarito: 01. B / 02. D / 03. B / 04. C / 05. C / 06. D / 07. A / 08. C / 09. E / 10. A / 11. A / 12. D / 13. A / 14. B / 15. B / 16.
C / 17. A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas do Tribunal Regional do Trabalho 23ª Região/MT; IMBEL -
Indústria de Material Bélico do Brasil; Prefeitura Municipal dos Barreiros; Juiz Federal Substituto da 4ª Região; e
Procurador Município de Balneário de Camboriú, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada, Bauru/SP.

01. Em matéria de nulidade, assinale a assertiva incorreta.

a) É absoluta a nulidade decorrente da inobservância da competência penal por prevenção.


b) Não viola as garantias do juiz natural, da ampla defesa e do devido processo legal a atração por continência ou conexão
do processo do co-réu ao foro por prerrogativa de função de um dos denunciados.
c) A competência do Tribunal de Justiça para julgar Prefeitos restringe-se aos crimes de competência da Justiça Comum
estadual; nos demais casos, a competência originária caberá ao respectivo Tribunal de segundo grau.
d) A competência constitucional do Tribunal do Júri prevalece sobre o foro por prerrogativa de função estabelecido
exclusivamente pela Constituição Estadual.

02. A sofreu lesão corporal leve praticada por B e representou contra ele em juízo. Oferecida a denúncia, não havendo
possibilidade de composição, transação penal ou suspensão condicional do processo, A e B passaram a encontrar-se
seguidamente para as audiências e, dado o longo período de espera para a realização dos atos processuais, tornaram-
se amigos, o que culminou com o pedido de A para que o juiz arquivasse o processo, posto que perdera o interesse no
prosseguimento do feito. Neste caso, deverá o juiz

a) aceitar o pedido em nome do princípio da economia processual.


62
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) extinguir o processo sem julgamento de mérito por falta de interesse de agir.
c) julgar improcedente a ação, absolvendo B.
d) negar o pedido formulado, por ser irretratável a representação após o oferecimento da denúncia.

03. Sobre a atuação dos sujeitos da relação processual penal, assinale a assertiva correta.

a) As partes não poderão intervir na nomeação de perito.


b) O assistente de acusação será admitido em qualquer fase do inquérito ou do processo.
c) Se o acusado não tiver defensor, ser-lhe-á nomeado um pelo juiz de direito, o qual não mais poderá, sob qualquer
hipótese, desvincular-se da causa.
d) O Ministério Público, na condição de parte, não fiscalizar á a execução da lei.

04. Foi concedido a Carlos, pelo juiz da Vara de Execução Criminal, o direito de progredir do regime carcerário fechado
para o semi-aberto, pois preenchidos todos os requisitos necessários para a obtenção do direito insculpido no art. 112
da Lei de Execuções Penais (Lei no 7.210/1984). Neste caso, Carlos poderá usufruir de

a) serviço externo mediante autorização do chefe da segurança da casa prisional.


b) serviço externo e saídas temporárias devidamente autorizadas pelo juízo da execução.
c) saídas temporárias devidamente autorizadas pelo diretor do estabelecimento prisional onde cumpria pena no regime
fechado.
d) saídas diárias de 2 horas a combinar com o diretor da casa prisional.

05. A foi condenado pela prática do crime de roubo. A decisão, hostilizada através de recurso de apelação, foi mantida
pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Uma das teses afastadas pelo Pretório estadual dizia respeito à
ocorrência de nulidade de sentença. Da decisão, opôs a defesa embargos declaratórios. Julgados, interpôs ainda a
defesa recurso especial, o qual teve seu seguimento obstaculizado em juízo de admissibilidade. A nova decisão foi
atacada por agravo de instrumento. No Superior Tribunal de Justiça, o agravo de instrumento foi denegado pelo
ministro-relator. Contra esta decisão

a) não cabe recurso.


b) cabe agravo para o órgão julgador no prazo de 5 dias.
c) cabe agravo de instrumento no prazo de 15 dias.
d) cabe recurso extraordinário no prazo de 15 dias.

06. Durante um churrasco, A, sob efeito de álcool, comentou com todos os presentes que B, também participante do
evento, era um homicida, uma vez que havia tentado matar a ex-esposa após flagrá-la com outro homem. B, sentindo-
se injustiçado com as alegações, pretende ver A processado criminalmente. Para que isto seja possível,

a) B deverá representar contra A para que o Ministério Público interponha a ação penal.
b) B deverá apresentar queixa para que o Ministério Público intente a ação penal.
c) B deverá promover ação penal privada.
d) qualquer dos presentes na ocasião poderá provocar a iniciativa do Ministério Público para que este proponha a
competente ação penal.

07. Sobre citações e intimações, assinale a assertiva correta.

a) Se o acusado, citado por edital, não comparecer ao interrogatório nem constituir advogado, ficará suspenso o
processo, mas não o curso do prazo prescricional.
b) Quando o réu estiver fora do território da jurisdição do juiz processante, será citado por edital.
c) Verificando-se que o réu se oculta para não ser citado, a citação far-se-á por edital, no prazo de 5 dias.
d) O processo não seguirá sem a presença de acusado que, intimado pessoalmente, deixa de comparecer a qualquer ato
processual.

63
Questões de Direito Penal e Processual Penal

08. Quais os tipos de prisões cautelares que existem no ordenamento processual penal brasileiro?

a) Temporária, administrativa, preventiva e decorrente de pronúncia.


b) Flagrante, temporária, preventiva e decorrente de sentença (ou acórdão) condenatória recorrível e decorrente de
pronúncia.
c) Preventiva, temporária, decorrente de pronúncia e decorrente de sentença (ou acórdão) condenatória recorrível.
d) Flagrante, temporária, administrativa, preventiva, decorrente de sentença (ou acórdão) condenatória recorrível,
decorrente de pronúncia.
e) Temporária, preventiva, decorrente de sentença (ou acórdão) condenatória recorrível e decorrente de pronúncia.

09. Qual dos elementos abaixo não está previsto no art. 312 do Código de Processo Penal como um dos requisitos para
a decretação da prisão preventiva?

a) Quando necessária para assegurar a aplicação da lei penal.


b) Quando conveniente para a instrução criminal.
c) Quando imprescindível para apaziguar o clamor público.
d) Quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.
e) Quando necessária para garantir a ordem econômica.

10. Assinale a afirmativa incorreta.

a) O silêncio do réu não importará em confissão nem poderá ser valorado pelo juiz em prejuízo da defesa para efeito de
condenação, mas poderá ser valorado na fixação da pena base no aspecto da personalidade do criminoso.
b) O réu tem o direito de entrevistar-se reservadamente com seu advogado antes de seu interrogatório judicial.
c) O réu tem o direito de permanecer calado, negar a verdade ou mentir durante seu interrogatório judicial.
d) Além de permanecer calado, o réu tem o direito de recusar-se a fornecer material para exame grafotécnico.
e) Se o réu não for previamente advertido de seu direito de permanecer em silêncio, tudo que disser em seu
interrogatório poderá ser anulado posteriormente.

11. Relativamente aos princípios processuais penais, é incorreto afirmar que:

a) o princípio da presunção de inocência recomenda que em caso de dúvida o réu seja absolvido.
b) o princípio da presunção de inocência recomenda que processos criminais em andamento não sejam considerados
como maus antecedentes para efeito de fixação de pena.
c) os princípios do contraditório e da ampla defesa recomendam que a defesa técnica se manifeste depois da acusação e
antes da decisão judicial, seja nas alegações finais escritas, seja nas alegações orais.
d) o princípio do juiz natural não impede a atração por continência nos casos em que o co-réu possui foro por
prerrogativa de função quando o réu deveria ser julgado por um juiz de direito de primeiro grau.
e) o princípio da vedação de provas ilícitas não é absoluto, sendo admissível que uma prova ilícita seja utilizada quando é
a única disponível para a acusação e o crime imputado seja considerado hediondo.

12. A ordem de habeas corpus deve ser concedida:

a) exclusivamente em caso de estar alguém sofrendo violência ou coação em sua liberdade de locomoção por ilegalidade
ou abuso de poder.
b) exclusivamente em caso de estar alguém ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção por
ilegalidade ou abuso de poder.
c) em caso de estar alguém sofrendo ou se achar na eminência de sofrer violência ou coação em sua liberdade de
locomoção por ilegalidade ou abuso de poder.
d) exclusivamente em caso de estar alguém ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção por
ilegalidade, excluindo-se, entretanto, o abuso de poder.
e) em qualquer caso que alguém sofrer ou se achar na eminência de sofrer ameaça em liberdade individual e não couber
a impetração de mandado de segurança ou hábeas-data.
64
Questões de Direito Penal e Processual Penal

13. Ao final da primeira fase do processo dos crimes de competência do júri, quais as diferentes decisões que o juiz
presidente do Tribunal do Júri poderá tomar?

a) Pronúncia, impronúncia, despronúncia e desclassificação.


b) Pronúncia, impronúncia, despronúncia, desclassificação e absolvição sumária.
c) Pronúncia, despronúncia, desclassificação e arquivamento.
d) Pronúncia, impronúncia, desclassificação e absolvição sumária.
e) Pronúncia, impronúncia, desclassificação, absolvição sumária e condenação sumária.

14. Relativamente ao inquérito policial, é correto afirmar que:

a) a autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do fato, aplicando, porém, em todas as suas
manifestações, os princípios do contraditório e da ampla defesa.
b) a autoridade policial poderá mandar arquivar autos de inquérito por falta de base para a denúncia.
c) o inquérito deverá terminar no prazo de 30 dias, se o indiciado estiver preso, ou no prazo de 60 dias, quando estiver
solto.
d) o inquérito policial não acompanhará a denúncia ou queixa quando servir de base a uma ou outra.
e) o indiciado poderá requerer à autoridade policial a realização de qualquer diligência.

Gabarito: 01. A / 02. D / 03. A / 04. B / 05. B / 06. C / 07. C / 08. B / 09. C / 10. A / 11. E / 12. C / 13. D / 14. E

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul para o
cargo de Juiz Substituto e da OAB/RS, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada, Bauru/SP.

01. José da Silva obrigou Maria de Souza a praticar com ele sexo oral e anal, ameaçando-a com uma arma de fogo. Ao
final das sevícias, José levou Maria até a beira de um rio, amarrou seu corpo em uma pedra e a atirou no rio para que
morresse afogada e não pudesse noticiar o fato à polícia. Qual(is) o(s) crime(s) praticado(s) por José?

a) Atentado violento ao pudor seguido de morte (crime preterdoloso).


b) Atentado violento ao pudor e homicídio qualificado em concurso material.
c) Estupro seguido de morte (crime preterdoloso).
d) Estupro e homicídio qualificado em concurso material.
e) Estupro e atentado violento ao pudor, em continuidade delitiva, e homicídio qualificado em concurso material.

02. Maria de Souza devia R$ 500,00 (quinhentos reais) a José da Silva e vinha se recusando a fazer o pagamento havia
meses. Cansado de cobrar a dívida de Maria pelos meios amistosos, José decide obter a quantia que lhe é devida de
qualquer forma. Ao encontrar Maria fazendo compras no centro da cidade, José retira a bolsa das mãos de Maria
puxando-a com força. A fivela da alça causa uma lesão leve no braço de Maria. José abre a bolsa de Maria, constatando
que ela levava consigo R$ 2.000,00 (dois mil reais), e pega R$ 500,00 (quinhentos reais), deixando a bolsa com os
pertences de Maria no chão.

Qual será a punição para o crime praticado por José?

a) Incidirá na pena de roubo simples.


b) Incidirá na pena de furto simples.
c) Incidirá nas penas de exercício arbitrário das próprias razões.
d) Incidirá nas penas de exercício arbitrário das próprias razões, além da pena correspondente à violência.
e) Incidirá nas penas de exercício arbitrário das próprias razões, além da pena de furto simples.

03. Assinale a afirmativa incorreta.


65
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) A Lei 8.137/90 prevê que as penas de detenção ou reclusão previstas nos arts. 4º, 5º, 6º e 7º poderão ser convertidas
em multa.
b) A Lei 8.137/90 prevê que, se o crime ocasionar grave dano à coletividade, a pena poderá ser agravada, salvo no caso
dos crimes previstos no art. 3º.
c) Constitui crime contra a ordem econômica, previsto na Lei 8.137/90, vender mercadorias abaixo do preço de custo,
com o fim de impedir a concorrência.
d) É possível iniciar a ação penal nos crimes previstos no art. 1º da Lei 8.137/90, antes do término do procedimento fiscal.
e) Constitui crime contra a ordem econômica, previsto na Lei 8.137/90, abusar do poder econômico, dominando o
mercado ou eliminando, total ou parcialmente, a concorrência mediante ajuste ou acordo de empresas.

04. Assinale a afirmativa incorreta.

a) Sempre que o agente, por ato voluntário, reparar o dano ou restituir a coisa, antes do recebimento da denúncia ou da
queixa, a pena será reduzida de um a dois terços.
b) O erro sobre elemento constitutivo do tipo legal de crime exclui o dolo, mas permite a punição por crime culposo, se
previsto em lei.
c) Não se pune a tentativa quando, por ineficácia absoluta do meio ou por absoluta impropriedade do objeto, é
impossível consumar-se o crime.
d) A omissão é penalmente relevante quando o omitente devia e podia agir para evitar o resultado, sendo o dever de agir
descrito no Código Penal.
e) Salvo disposição em contrário, pune-se a tentativa com a pena correspondente ao crime consumado, diminuída de um
a dois terços.

05. São crimes contra o patrimônio:

a) roubo, furto, estelionato e lesão corporal.


b) roubo, furto, estelionato e usurpação de águas.
c) roubo, furto, estelionato e peculato.
d) roubo, furto, estelionato e moeda falsa.
e) roubo, furto, estelionato e injúria.

06. Qual das seguintes condutas não constitui crime impossível?

a) O furto de dinheiro guardado, cujas cédulas haviam sido marcadas para descobrir quem ia tentar a subtração.
b) A tentativa de homicídio com revólver descarregado.
c) A apresentação ao banco de cheque para sacar determinado valor, se a vítima já determinara a sustação do pagamento
do cheque furtado.
d) Quando o agente pretendia furtar um bem que estava protegido por aparelho de alarme que tornava absolutamente
ineficaz o meio empregado para a subtração.
e) Quando o agente deu veneno à vítima, mas a quantidade não foi suficiente para matá-la.

07. Josefina Ribeiro é médica pediatra, trabalhando no hospital municipal em regime de plantão. De acordo com a
escala de trabalho divulgada no início do mês, Josefina seria a única médica no plantão que se iniciava no dia 5 de
janeiro, às 20h, e findava no dia 6 de janeiro, às 20h. Contudo, depois de passar toda a noite do dia 5 sem nada para
fazer, Josefina resolve sair do hospital um pouco mais cedo para participar da comemoração do aniversário de uma
prima sua. Quando se preparava para deixar o hospital às 18h do dia 6 de janeiro, Josefina é surpreendida pela
chegada de José de Souza, criança de apenas 06 anos, ao hospital precisando de socorro médico imediato. Josefina
percebe que José se encontra em estado grave, mas decide deixar o hospital mesmo assim, acreditando que Joaquim
da Silva (o médico plantonista que a substituiria às 20h) chegaria a qualquer momento, já que ele tinha o hábito de se
apresentar no plantão sempre com uma ou duas horas de antecedência. Contudo, naquele dia, Joaquim chega ao
hospital com duas horas de atraso (às 22h) porque estava atendendo em seu consultório particular. José de Souza
morre em decorrência de ter ficado sem atendimento por quatro horas.

66
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Que crime praticaram Josefina e Joaquim, respectivamente?

a) Homicídio culposo e homicídio culposo.


b) Homicídio doloso e homicídio doloso.
c) Omissão de socorro e omissão de socorro.
d) Homicídio doloso e nenhum crime.
e) Homicídio doloso e homicídio culposo.

08. Relativamente à legislação penal extravagante, assinale a afirmativa incorreta.

a) A lei de combate ao crime organizado admite a infiltração de agentes de polícia ou de inteligência na quadrilha
investigada.
b) Constitui crime de tortura constranger alguém com emprego de grave ameaça, causando-lhe sofrimento mental, em
razão de discriminação religiosa.
c) Constitui crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente submeter criança ou adolescente sob sua autoridade,
guarda ou vigilância a tortura.
d) Constitui crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente submeter criança ou adolescente sob sua autoridade,
guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.
e) A pena do crime de tortura é aumentada se o crime é cometido mediante seqüestro.

09. O prazo para o ajuizamento da queixa-crime é:

a) de seis meses, iniciando a fluência desse prazo no dia seguinte ao dia em que o ofendido vem a saber quem é o autor
do crime.
b) de dois meses, iniciando a fluência desse prazo no dia seguinte ao dia em que o ofendido vem a saber quem é o autor
do crime.
c) de seis meses, iniciando a fluência desse prazo no dia em que o ofendido vem a saber quem é o autor do crime.
d) de dois meses, iniciando a fluência desse prazo no dia em que o ofendido vem a saber quem é o autor do crime.
e) enquanto não estiver prescrito o crime praticado.

10. A lei posterior mais benéfica à norma excepcional tem aplicação

a) retroativa.
b) retroativa, alcançando, inclusive, os efeitos penais de sentença condenatória.
c) ultrativa a partir de sua entrada em vigor, isto é, não se aplica aos crimes praticados durante a vigência da lei
excepcional.
d) retroativa, alcançando, inclusive, os efeitos penais e civis da sentença condenatória.

11. Assinale a assertiva correta sobre crime de dano.

a) O agente que solta animal de propriedade alheia, fazendo-o desaparecer, pratica crime de dano.
b) A violência à pessoa é causa qualificadora.
c) A violência à coisa é causa agravante.
d) É constituído por uma norma penal em branco.

12. J, de 20 anos, subtrai da carteira de H, de 56 anos, seu pai, a importância de R$ 500,00 para jantar com a namorada.
H, ao perceber a subtração, aciona a polícia, que procede à competente investigação e indica J como autor do fato.
Nesta hipótese, é correto afirmar que J

a) poderá ser processado pelo crime de furto, mas será isento de pena por ter sido ele praticado contra ascendente.
b) será processado pelo crime de furto qualificado pelo abuso de confiança.
c) será processado pelo crime de furto simples agravado por ser contra ascendente.
d) será processado pelo crime de furto simples.
67
Questões de Direito Penal e Processual Penal

13. Diego, argentino, é vítima de crime praticado por Tatiana, uruguaia, a bordo de embarcação mercante brasileira
localizada em águas territoriais chilenas. Neste caso, o Brasil poderá aplicar sua legislação penal

a) incondicionadamente pelo princípio da defesa.


b) desde que cumpridas as condições do art. 7o, § 2o, do Código Penal, pelo princípio da justiça universal.
c) desde que cumpridas as condições do art. 7o, § 2o, do Código Penal, pelo princípio da representação.
d) desde que cumpridas as condições do art. 7o, § 2o, do Código Penal, pelo princípio da representação
(art. 7o, inc. II, c, do CP), e desde que o Chile não aplique sua legislação penal.

14. G, querendo matar L, desfecha-lhe duas facadas no abdômen e foge. Arrependido, volta ao local do crime para
prestar socorro, mas não mais encontra L, pois ela já havia sido removida pela ambulância chamada por A, que a tudo
assistira. Trata-se de uma hipótese de

a) arrependimento eficaz.
b) arrependimento posterior.
c) desistência voluntária.
d) tentativa de homicídio.

15. B, acreditando ser vítima de agressão injusta e iminente, que não existia de fato, agride C, causando-lhe lesões
graves. Em sua defesa, B poderá alegar

a) erro de tipo.
b) erro de tipo permissivo.
c) erro de proibição direto.
d) erro de proibição indireto.

16. O desconhecimento pleno da ilicitude da conduta ordenada por superior hierárquico autoriza, na defesa do
processo criminal competente ao qual responderão o superior e o subordinado, a alegação de

a) obediência hierárquica.
b) coação moral irresistível.
c) erro de proibição.
d) erro de tipo.

17. A imputabilidade penal dá-se a partir da

a) zero hora do dia em que o agente completa 18 anos.


b) hora de nascimento do agente no dia em que ele completa 18 anos.
c) data da emancipação do agente.
d) zero hora do dia em que o agente completa 16 anos.

18. A, policial militar, assiste passivamente, durante o intervalo de seus turnos de trabalho, ao estupro de B, praticado
nas dependências de uma lanchonete no centro da Capital. Neste caso, A responderá pelo crime de

a) estupro, por força do art. 13, § 2o, a, do Código Penal.


b) omissão de socorro, com fundamento no art. 13, § 2o, a, do Código Penal.
c) omissão de socorro, pois não está na posição de garantidor.
d) prevaricação.

68
Questões de Direito Penal e Processual Penal
19. T, pretendendo matar G, desfecha-lhe um tiro fatal. Ao aproximar-se da vítima, T constata tratar-se de L, irmão
gêmeo de G. Nesta hipótese, é correto afirmar que houve

a) erro de tipo.
b) descriminante putativa.
c) erro determinado por terceiro.
d) erro sobre a pessoa.

20. Não se inclui(em) entre as hipóteses de extinção da punibilidade, constantes do art. 107 do Código Penal,

a) o indulto.
b) a reparação do dano.
c) a prescrição, a decadência ou a perempção.
d) a renúncia do direito de queixa ou o perdão aceito, nos crimes de ação privada.

21. Bebel, de 16 anos, que é profissional do sexo, trabalha na rua Garibaldi, a alguns metros da estação rodoviária de
Porto Alegre. Ao final de cada dia, ela é obrigada a entregar 70% do que recebe a João, que passa o dia bebendo e
jogando sinuca num boteco daquela rua, de onde acompanha os passos de Bebel. Para evitar problemas com o
Conselho Tutelar, João alterou o ano de nascimento na carteira de identidade de Bebel, de forma que pareça que ela
possui 18 anos. Neste caso, João praticou os crimes de

a) rufianismo e falsificação de documento público.


b) rufianismo e falsidade ideológica.
c) atentado violento ao pudor e falsificação de documento público.
d) atentado violento ao pudor e falsidade ideológica.

Gabarito: 01. B / 02. D / 03. D / 04. A / 05. B / 06. E / 07. D / 08. C / 09. C / 10. C / 11. B / 12. A / 13. D / 14. D / 15. B / 16. C
/ 17. A / 18. A / 19. D / 20. B / 21. A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul e da OAB/RS,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada, Bauru/SP.

01. Assinale a opção correta acerca do inquérito policial e da ação penal.

a) O despacho que indefere o requerimento de abertura de inquérito policial é irrecorrível.


b) Caso seja instaurado um inquérito policial para a apuração de um crime de roubo e, por não haver provas da autoria,
seja arquivado o inquérito, é possível reabrir a investigação, independentemente de novas provas, se houver pressão da
imprensa.
c) Qualquer pessoa pode encaminhar ao promotor de justiça uma petição requerendo providências e fornecendo dados e
documentos, para que seja, se for o caso, instaurado inquérito policial.
d) Considere a seguinte situação hipotética. Célia, pessoa comprovadamente carente de recursos financeiros, foi vítima
de estupro e fez a comunicação do crime à autoridade competente, solicitando providências para apurá-lo e punir seu
autor. Apurada a autoria do crime e confirmada a materialidade, o promotor ofereceu a denúncia. Nessa situação, a
representação pode ser retratada até a sentença condenatória recorrível.

02. Assinale a opção correta à luz dos princípios regentes do processo penal.

a) O juiz pode abster-se de julgar os casos que lhe forem apresentados, independentemente de causa de suspeição,
impedimento ou incompetência.
b) As partes, se entrarem em acordo, podem subtrair ao juízo natural o conhecimento de determinada causa na esfera
criminal.
69
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) Pode o juiz transmitir o poder jurisdicional a quem não o possui.
d) No processo penal, o juiz tem o dever de investigar como os fatos se passaram na realidade, não devendo se conformar
com a verdade formal constante dos autos.

03. Assinale a opção correta acerca do processo penal.

a) No que se refere ao processo e julgamento dos crimes de responsabilidade dos funcionários públicos, é desnecessária a
resposta preliminar na ação penal instruída por inquérito policial.
b) A opinião do julgador sobre a gravidade em abstrato do crime constitui motivação idônea para a imposição de regime
mais severo do que o permitido segundo a pena aplicada.
c) A reincidência penal pode ser considerada como circunstância agravante e, simultaneamente, como circunstância
judicial.
d) Viola as garantias do juiz natural, da ampla defesa e do devido processo legal a atração por continência ou conexão do
processo do co-réu ao foro por prerrogativa de função de um dos denunciados.

04. Com base no CPP, assinale a opção correta acerca da competência.

a) Levando-se em consideração apenas delitos praticados integralmente dentro do território brasileiro, aplica-se a teoria
da atividade.
b) O foro competente no caso de tentativa é o local onde o agente praticou o primeiro ato executório.
c) Reserva-se a teoria da ubiqüidade para a hipótese do delito que tenha se iniciado em um país estrangeiro e findado no
Brasil ou vice-versa.
d) Nos casos de exclusiva ação privada, o foro competente corresponde ao do lugar da infração, não cabendo à vítima
optar pelo domicílio ou residência do réu.

05. Assinale a opção correta acerca das exceções no processo penal.

a) A exceção de incompetência, quando oposta, põe fim ao processo.


b) No tribunal do júri, a suspeição dos jurados deve ser argüida após os debates orais da acusação e da defesa.
c) Quando constatar que alguma das circunstâncias legais está presente, o juiz deve declarar-se suspeito ou impedido de
julgar a causa, remetendo o processo ao seu substituto legal, conforme dispõe a organização judiciária.
d) A exceção de litispendência é dilatória.

06. Assinale a opção correta acerca da prova no processo penal.

a) A prova, ainda que produzida por iniciativa de uma das partes, pertence ao processo e pode ser utilizada por todos os
participantes da relação processual, destinando-se à apuração da verdade dos fatos alegados.
b) O sistema da livre convicção, adotado majoritariamente no processo penal brasileiro, com fundamento na Constituição
Federal, significa a permissão dada ao juiz para decidir a causa de acordo com seu livre entendimento, devendo o
magistrado, no entanto, cuidar de fundamentá-lo, nos autos, e buscar persuadir as partes e a comunidade em abstrato.
c) O sistema da persuasão racional é o que prevalece no tribunal do júri.
d) O juiz fica adstrito ao laudo pericial, não podendo decidir, de acordo com sua convicção, a matéria que lhe é
apresentada.

07. Patrícia, vendedora em uma butique, recusou o acesso de Latifa, mulher muçulmana, à loja, e negou-se a atendê-la,
por acreditar que, pelo modo como estava trajada, Latifa não tinha o perfil de compradora daquele estabelecimento.
Na ocasião, Patrícia deixou transparecer que se considerava superior a Latifa. Considerando a situação hipotética
descrita, assinale a opção correta.

a) Os elementos subjetivos do delito são o dolo e a culpa.


b) No delito em questão, pune-se o preconceito, que resultou em atitude segregacionista, pouco interessando a eventual
alegação da comerciante de que Latifa, pessoa discriminada, não teria o perfil de cliente daquela loja.
c) O sujeito ativo do delito limita-se ao gerente.
70
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) O delito em questão é prescritível.

08. Assinale a opção correta acerca dos crimes contra o meio ambiente.

a) As pessoas jurídicas devem ser responsabilizadas administrativa, civil e penalmente nos casos em que a infração seja
cometida por decisão de seu representante legal ou contratual, ou de seu órgão colegiado, no interesse ou benefício da
sua entidade.
b) Punem-se pelo crime ambiental o autor e os co-autores, mas não o partícipe.
c) A competência para o julgamento desses crimes, em regra, é da justiça federal.
d) Quando animais forem exterminados dentro de unidade de conservação ambiental mantida pela União, a competência
para julgamento do crime ambiental será da justiça estadual.

09. Assinale a opção correta acerca das nulidades no processo penal.

a) Em matéria de nulidades, atua o princípio geral de que, inexistindo prejuízo, não se proclama a nulidade do ato
processual, embora produzido em desacordo com as formalidades legais (pás de nullité sans grief).
b) A suspeição do juiz é motivo de nulidade absoluta, ainda que a parte interessada não oponha a exceção cabível.
c) Diz respeito às nulidades absolutas e relativas a seguinte afirmação do CPP: "nenhuma das partes poderá argüir
nulidade a que haja dado causa, ou para que tenha concorrido, ou referente a formalidade cuja observância só à parte
contrária interesse."
d) A incompetência do juízo anula todo o processo, desde o seu início.

10. Adalberto, indiciado pelo crime de roubo, está preso preventivamente por mais de dois anos, sendo o excesso de
prazo culpa do Poder Judiciário. Além disso, o juiz marcou a audiência de oitiva de testemunhas do Ministério Público
para 2009. Nesse caso, o advogado de Adalberto, a fim de que este aguarde o término do processo em liberdade,
poderá:

a) impetrar habeas corpus.


b) opor embargos de declaração da decisão do juiz quanto à designação da audiência de oitiva de testemunhas para
2009.
c) opor embargos infringentes da decisão do juiz quanto à designação da audiência de oitiva de testemunhas para 2009.
d) interpor agravo em execução.

Gabarito: 01. C / 02. D / 03. A / 04. C / 05. C / 06. A / 07. B / 08. A / 09. A / 10. A

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas da prova da OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra,
advogada - Bauru/SP.

01. Um delegado de polícia, querendo vingar-se de um desafeto, prendeu-o sem qualquer justificativa, amedrontando-
o com o seu cargo. Descobriu, posteriormente, que já existia mandado de prisão preventiva contra aquele cidadão,
cabendo a ele, delegado, cumpri-lo. Nessa situação, a conduta do delegado:

a) está amparada pelo estrito cumprimento do dever legal.


b) está acobertada pelo exercício regular de direito.
c) está amparada pelo estrito cumprimento do dever legal putativo.
d) não está acobertada por qualquer excludente de ilicitude.

02. Assinale a opção correta acerca da imunidade judiciária.

a) Caso um advogado militante, na discussão da causa, acuse o promotor de justiça de prevaricação durante uma
audiência, o crime de calúnia estará amparado pela imunidade judiciária.
71
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) Uma advogada que, ao redigir uma petição, difame terceira pessoa que não é parte no processo judicial estará
amparada pela imunidade judicial.
c) Considere que o advogado da empresa X, na redação de uma petição, injurie um de seus ex-empregados, ora
reclamante, sem que tal injúria tivesse relação com a reclamação trabalhista em curso. Nesse caso, para o
reconhecimento da referida imunidade, é dispensável que as imputações ofensivas tenham relações de pertinência com o
thema decidium.
d) Caso um advogado, em razão do ardor com que defende os interesses de seus clientes, eventualmente, faça alusões
ofensivas à honra da parte contrária, desprovidas de animus ofendendi, ele estará amparado pela imunidade judiciária,
prevista no Código Penal, visto que não constitui injúria ou difamação punível a ofensa irrogada em juízo, na discussão da
causa, pela parte ou por seu procurador.

03. Alguém que tenha, em sua residência, para consumo pessoal, substância entorpecente, sem autorização legal,
pratica, segundo a nova legislação sobre o tema, conduta caracterizada como:

a) contravenção.
b) crime.
c) infração penal sui generis.
d) fato atípico.

04. Assinale a opção correta quanto às formas de exteriorização da conduta típica.

a) O crime de seqüestro exige uma conduta omissiva.


b) O crime de omissão de socorro é classificado como omissivo impróprio.
c) A apropriação de coisa achada é delito de conduta omissiva e comissiva ao mesmo tempo.
d) A apropriação indébita previdenciária é crime de conduta comissiva, apenas.

05. Em cada uma das opções abaixo, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada. No
que se refere à reparação do dano no Código Penal, assinale a opção em que a assertiva está correta.

a) Pedro cometeu crime de furto, mas reparou o dano à vítima, por ato voluntário, na audiência de instrução criminal.
Nessa situação, a reparação do dano é causa de diminuição de pena.
b) Zeca foi condenado por roubo e, para reabilitar-se, consultou seu advogado, informando-lhe que já haviam passado
mais de dois anos da extinção da pena, que manteve domicílio no país durante o referido prazo e que nada havia a
desabonar sua conduta pública ou privada. Informou, ainda, que não reparou o dano causado pelo crime nem possuía
documentos que demonstrassem a impossibilidade de fazê-lo. Nessa situação, a reparação do dano não é condição para a
reabilitação.
c) Hugo foi condenado à pena privativa de liberdade de dois anos de reclusão. Cumpriu mais de um terço da pena,
comprovou comportamento satisfatório durante a execução da pena, bom desempenho no trabalho que lhe foi atribuído
e aptidão para prover a própria subsistência mediante trabalho honesto. Nessa situação, a reparação do dano não é
condição para concessão do livramento condicional.
d) Eduardo, funcionário público, praticou peculato culposo. Nessa situação, a reparação do dano, caso preceda à sentença
irrecorrível, extingue a punibilidade.

06. Pedro e José prepararam e guardaram em depósito, para fins de difusão ilícita, aproximadamente 13.410 g de
merla e 2.830 g de cocaína. Ambos foram autuados em flagrante delito. Na situação hipotética descrita, o tipo penal
pode ser classificado como:

a) aberto.
b) composto.
c) mandamental.
d) derivado.

72
Questões de Direito Penal e Processual Penal
07. Ernesto, funcionário público, após se aposentar, permitiu o fornecimento de sua senha de acesso aos bancos de
dados da administração pública a Vinícius, que, por acaso, acabou perdendo a senha. Na situação narrada, a conduta
de Ernesto é:

a) atípica, por se tratar de funcionário público aposentado.


b) atípica, porque não houve prejuízo para a administração pública.
c) típica e consiste em violação de sigilo funcional através de sistema informatizado.
d) típica e consiste em inserção de dados falsos em sistema de informações.

08. Assinale a opção correta no que se refere aos casos de violência doméstica e familiar contra a mulher.

a) É possível a prisão preventiva no crime de ameaça, punido com detenção, se resulta de violência contra a mulher no
âmbito familiar.
b) Para a concessão de medidas protetivas de urgência, é necessária a audiência das partes.
c) Permite-se a aplicação, nos casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, de penas de cesta básica.
d) Nas ações penais públicas condicionadas à representação da ofendida, não será admitida renúncia à representação.

09. De acordo com a Lei de Execução Penal, assinale a opção correta.

a) Aquele que cumpre pena no regime semi-aberto e preenche os requisitos objetivo e subjetivo para a progressão de
regime tem direito a progredir para o regime aberto, mesmo que esteja desempregado e sem qualquer proposta de
trabalho.
b) O detento que cumpre pena em regime fechado pode obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta,
no caso de falecimento de companheira, por exemplo.
c) O recolhimento do beneficiário de regime aberto em residência particular não é admitido quando se tratar de
condenado acometido de doença grave.
d) O condenado que cumpre pena em regime fechado pode obter autorização para saída temporária do estabelecimento,
sem vigilância direta, no caso de visita à família.

10. Assinale a opção correta acerca do recurso de apelação.

a) O regular processamento de recurso de apelação do condenado depende do seu recolhimento à prisão.


b) O Código de Processo Penal (CPP) não permite que o apelante recorra de apenas uma parte da sentença, como, por
exemplo, do regime de cumprimento da pena, visto que a apelação deve ser interposta em relação a todo o julgado.
c) O acesso à instância recursal superior consubstancia direito que se encontra incorporado ao sistema pátrio de direitos
e garantias fundamentais.
d) A apelação da sentença absolutória impedirá que o réu seja posto imediatamente em liberdade.

Gabarito: 01. D / 02. D / 03. B / 04. C / 05. D / 06. B / 07. C / 08. A / 09. B / 10. C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova da OAB do Estado de São Paulo, selecionadas por Alinne Soares
Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Sobre a aplicação da lei penal e da lei processual penal, assinale a opção incorreta.

a) Os atos processuais realizados sob a vigência de lei processual anterior são considerados válidos, mesmo após a
revogação da lei.
b) As normas processuais têm aplicação imediata, ainda que o fato que deu origem ao processo seja anterior à entrada
em vigor dessas normas.
c) O dispositivo constitucional que estabelece que a lei não retroagirá, salvo para beneficiar o réu, aplica-se à lei penal e à
lei processual penal.

73
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) Lei penal que substitua outra e que favoreça o agente aplica-se aos fatos anteriores à sua entrada em vigor, ainda que
decididos por sentença condenatória transitada em julgado.

02. Acerca do instituto da prescrição penal e seus efeitos, assinale a opção correta.

a) A partir do trânsito em julgado da sentença penal condenatória, começa a correr o prazo da prescrição da pretensão
punitiva.
b) O reconhecimento da prescrição da pretensão punitiva significa que o réu pode ser considerado reincidente caso
pratique novo crime.
c) Ocorrendo a prescrição da pretensão executória, o título executório é formado com o trânsito em julgado; entretanto,
o Estado perde o direito de executar a sentença penal condenatória.
d) Ocorrendo a prescrição da pretensão executória, a vítima não tem à sua disposição o título executivo judicial para
promover a liquidação e execução cível.

03. Acerca das modificações penais e processuais penais introduzidas pela Lei n.º 11.343/2006 - Lei de Tóxicos - com
relação à figura do usuário de drogas, assinale a opção correta.

a) A conduta daquele que, para consumo pessoal, cultiva plantas destinadas à preparação de substância capaz de causar
dependência física ou psíquica permanece sem tipificação.
b) É possível, além das penas de advertência, prestação de serviços à comunidade ou medida educativa, a imposição de
pena privativa de liberdade ao usuário de drogas.
c) O porte de drogas tornou-se infração de menor potencial ofensivo, estando sujeito ao procedimento da Lei n.º
9.099/1995, que dispõe sobre os juizados especiais criminais.
d) Poderá ser imposta ao usuário de drogas prisão em flagrante, devendo o autuado ser encaminhado ao juízo
competente para que este se manifeste sobre a manutenção da prisão, após a lavratura do termo circunstanciado.

04. Com relação ao inquérito policial, assinale a opção correta.

a) É indispensável a assistência de advogado ao indiciado, devendo ser observadas as garantias constitucionais do


contraditório e da ampla defesa.
b) A instauração de inquérito policial é dispensável caso a acusação possua elementos suficientes para a propositura da
ação penal.
c) Trata-se de procedimento escrito, inquisitivo, sigiloso, informativo e disponível.
d) A interceptação telefônica poderá ser determinada pela autoridade policial, no curso da investigação, de forma
motivada e observados os requisitos legais.

05. É compatível com a Constituição Federal de 1988

a) o processo iniciado, de ofício, pela autoridade policial ou judiciária.


b) a prisão processual.
c) a prisão para averiguação.
d) a busca domiciliar determinada pela autoridade policial.

06. Assinale a opção correta acerca da citação.

a) São formas de citação do réu no processo penal e no civil: por mandado, por edital e por hora certa.
b) O processo e o curso do prazo prescricional ficarão suspensos no caso do réu que, citado por edital, não comparecer ao
interrogatório nem constituir advogado.
c) O processo prosseguirá sem a presença do réu que se oculta para não ser citado, desde que certificado pelo oficial de
justiça.
d) Nos processos penal e civil, é efeito da citação válida a interrupção da prescrição.

74
Questões de Direito Penal e Processual Penal
07. Assinale a opção correta no que se refere a procedimentos e nulidades.

a) No procedimento do juiz singular, após a oitiva das testemunhas, é aberto prazo para a apresentação das alegações
finais.
b) A apresentação de defesa prévia ou de alegações preliminares é mera faculdade processual, mas a falta de concessão
de prazo gera nulidade.
c) O interrogatório do réu é ato privativo do juiz, sendo dispensável a presença de defensor.
d) A defesa deficiente gera nulidade absoluta, sendo presumido o prejuízo.

08. Com relação a recursos, assinale a opção correta.

a) O recurso em sentido estrito será declarado deserto caso o réu fuja após haver recorrido.
b) No julgamento de apelação de decisão do tribunal do júri em que a sentença seja contrária à decisão dos jurados, o
tribunal ad quem deve determinar que o réu seja submetido a novo júri, em respeito à soberania dos veredictos.
c) No julgamento de apelação de decisão do tribunal do júri em que a decisão dos jurados seja manifestamente contrária
à prova dos autos, o tribunal ad quem deve determinar que o réu seja submetido a novo júri, em respeito à soberania dos
veredictos.
d) Na apelação das decisões proferidas por juiz singular, admite-se o juízo de retratação.

09. Acerca dos crimes hediondos, assinale a opção correta.

a) O rol dos crimes enumerados na Lei n.º 8.072/1990 não é taxativo.


b) É possível o relaxamento da prisão por excesso de prazo.
c) O prazo da prisão temporária em caso de homicídio qualificado é igual ao de um homicídio simples.
d) Em caso de sentença condenatória, o réu não poderá apelar em liberdade, independentemente de fundamentação do
juiz.

10. No processo penal, os instrumentos utilizáveis pela defesa e pela acusação incluem:

a) a revisão criminal.
b) os embargos infringentes.
c) o protesto por novo júri.
d) a carta testemunhável.

Gabarito: 01. C / 02. C / 03. C / 04. B / 05. B / 06. B / 07. B / 08. C / 09. B / 10. D

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do Exame da Ordem - OAB/RJ, selecionadas por Alinne Soares
Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Marcelo induziu Letícia em erro, fazendo que ela se enganasse sobre a identidade pessoal dele. Devido ao ardil,
Letícia concordou em ter com ele conjunção carnal. Nessa situação hipotética, a conduta de Marcelo é classificada no
direito penal como:

a) posse sexual mediante fraude.


b) assédio sexual.
c) atentado violento ao pudor.
d) atentado ao pudor mediante fraude.

02. Assinale a opção correta acerca do direito penal.

75
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) O crime de extorsão é considerado crime de mera conduta e se consuma independentemente de o agente auferir a
vantagem indevida almejada.
b) O crime de cárcere privado constitui espécie de delito instantâneo.
c) O princípio da consunção pressupõe a existência de um nexo de dependência das condutas ilícitas, para que se
verifique a possibilidade de absorção da menos grave pela mais danosa.
d) Nos delitos instantâneos de efeitos permanentes, a atividade criminosa se prolonga no tempo, tendo o agente a
possibilidade de cessar ou não a sua conduta e seus efeitos.

03. É cabível o arrependimento posterior no crime de

a) roubo.
b) furto.
c) lesão corporal dolosa.
d) homicídio.

04. De acordo com o Código Penal, são imputáveis

a) os silvícolas inadaptados.
b) os surdos-mudos inteiramente capazes de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse
entendimento.
c) oligofrênicos e esquizofrênicos.
d) os menores de 18 anos.

05. Pedro, funcionário público, deixou de praticar ato de ofício, com infração de dever funcional, cedendo à influência
de Daniele, sua namorada. Nessa situação hipotética, a conduta de Pedro se amolda ao tipo de crime, previsto no
Código Penal, de

a) tráfico de influência.
b) corrupção passiva.
c) prevaricação.
d) concussão.

06. Observe as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA:

I - Para a tipificação do crime de falso testemunho ou falsa perícia é irrelevante que o falso tenha influído na decisão da
causa.
II - No crime de falso testemunho há extinção da punibilidade se, antes da sentença no processo em que ocorreu o ilícito,
o agente se retrata ou relata a verdade.
III - Trair, na qualidade de advogado ou procurador, o dever profissional, prejudicando interesse, cujo patrocínio, em
juízo, lhe é confiado tipifica o crime de tergiversação.
IV - Um amigo do proprietário da empresa X, ré em ação trabalhista, promete dinheiro à testemunha para fazer afirmação
falsa em favor da empresa perante juiz do trabalho. A conduta do amigo do proprietário da ré não configura o crime de
corrupção ativa de testemunha, porque o amigo não é parte no processo.

a) apenas uma das assertivas está correta;


b) apenas duas das assertivas estão corretas;
c) apenas três das assertivas estão corretas;
d) todas as assertivas estão corretas;
e) não respondida.

07. Com relação ao crime de redução à condição análoga a de escravo, assinale a alternativa CORRETA:

I - O bem jurídico tutelado é a liberdade individual.


76
Questões de Direito Penal e Processual Penal
II - Trata-se de um crime instantâneo de efeitos permanentes, cuja consumação ocorre em determinado instante, mas
seus efeitos são irreversíveis.
III - O consentimento do ofendido é irrelevante.
IV - a pena é acrescida de metade, se o crime é cometido: contra criança ou adolescente ou maior de 60 (sessenta) anos;
por motivo de preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem.

a) apenas uma das assertivas está correta;


b) apenas duas das assertivas estão corretas;
c) apenas três das assertivas estão corretas;
d) todas as assertivas estão corretas;
e) não respondida.

08. Assinale a alternativa INCORRETA:

a) Omitir, nos documentos destinados a fazer prova perante a previdência social, o nome do segurado e seus dados
pessoais, a remuneração, a vigência do contrato de trabalho ou de prestação de serviços, caracteriza o crime de
falsificação de documento público.
b) O crime de falsidade de atestado médico consuma-se com a entrega pelo médico do atestado falso ao paciente para
justificar a sua ausência ao trabalho, independentemente de qualquer outro resultado ou conseqüência.
c) Tipifica o crime de falsidade ideológica a conduta de quem insere ou faz inserir declaração falsa ou diversa da que devia
ser escrita em cartões-ponto e recibos de salários, com o fim de prejudicar direitos dos trabalhadores.
d) O crime de difamação admite exceção da verdade, exceto se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao
exercício das suas funções.
e) não respondida.

09. Observe as seguintes assertivas:

I - A frustração, por meio de falsa cooperativa, de direito assegurado pela legislação trabalhista constitui crime contra a
organização do trabalho, cuja pena é aumentada de um sexto a um terço se a vítima é portadora de deficiência física.
II - O crime de aliciamento de trabalhadores consuma-se apenas com o efetivo êxodo dos trabalhadores.
III - A embriaguez, voluntária ou culposa, pelo álcool ou substância de efeitos análogos não exclui a imputabilidade penal
nos termos do Código Penal.
IV - O agente que tendo realizado todos os atos de execução, mas antes da consumação, pratica uma nova ação, que evita
a produção do resultado, só responde pelos atos já praticados, caracterizando o arrependimento posterior .

Assinale a alternativa CORRETA:

a) somente as assertivas I e II estão corretas;


b) somente as assertivas I e III estão corretas;
c) somente as assertivas II e IV estão corretas;
d) somente as assertivas III e IV estão corretas;
e) não respondida.

10. Alonso, com evidente intenção homicida, praticou conduta compatível com a vontade de matar Betina. A partir
dessa situação hipotética, assinale a opção correta.

a) Caso Alonso interrompesse voluntariamente os atos de execução, caracterizar-se-ia desistência voluntária, e ele só
responderia pelos atos já praticados.
b) Caso Alonso utilizasse os meios que tinha ao seu alcance para atingir a vítima, mas não conseguisse fazê-lo, ele só
responderia por expor a vida de terceiro a perigo.
c) Caso Alonso fosse interrompido, durante os atos de execução, por circunstâncias alheias à sua vontade, não chegando
a fazer tudo que pretendia para consumar o crime, não se caracterizaria a tentativa de homicídio, mas lesão corporal.
d) Caso Alonso não fosse interrompido e, após praticar tudo o que estava ao seu alcance para consumar o crime,
resolvesse impedir o resultado, obtendo êxito neste ato, caracterizar-se-ia o arrependimento posterior, mas ficaria
afastado o arrependimento eficaz.
77
Questões de Direito Penal e Processual Penal

11. Entre as circunstâncias que sempre atenuam a pena, não está incluído o fato de o agente

a) desconhecer a lei.
b) ter cometido o crime sob coação a que pudesse resistir.
c) ter cometido o crime sob a influência de multidão em tumulto, se não o tiver provocado.
d) ter cometido o crime em ocasião de incêndio, inundação ou qualquer calamidade pública.

12. É elemento do crime culposo

a) a observância de um dever objetivo de cuidado.


b) o resultado lesivo não querido, mas assumido, pelo agente.
c) a conduta humana voluntária, sempre comissiva.
d) a previsibilidade.

13. Leonardo, indignado por não ter recebido uma dívida referente a venda de cinco cigarros, desferiu facadas no
devedor, que, em razão dos ferimentos, faleceu. Logo após o fato, Leonardo escondeu o cadáver em uma gruta. Com
base na situação hipotética acima, é correto afirmar que

a) a ocultação de cadáver é crime permanente.


b) há concurso formal entre o homicídio e a ocultação de cadáver.
c) Leonardo praticou crime de homicídio qualificado por motivo torpe.
d) o fato de Leonardo ter cometido o crime por não ter recebido uma dívida é circunstância que agrava a pena.

14. Extingue a punibilidade do agente

a) a decadência, nos crimes de ação penal privada e pública incondicionada.


b) a renúncia, nos crimes de ação penal privada subsidiária da pública.
c) a perempção, nos crimes de ação penal privada.
d) o perdão, nos crimes de ação penal pública condicionada à representação.

Gabarito: 01. A / 02. C / 03. B / 04. B / 05. B / 06. B / 07. B / 08. D / 09. B / 10. A / 11. D / 12. D / 13. A / 14. C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do Exame da Ordem - OAB/RJ e OAB/MT, selecionadas por Alinne Soares
Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Acerca das provas, assinale a opção correta.

a) A confissão é irretratável, por ser irrevogável, embora possa ser anulada.


b) As presunções legais não serão admitidas nos fatos em que a lei não admitir depoimento de testemunha.
c) É plenamente válida a confissão do incapaz se feita por meio de seu representante legal.
d) Testemunha instrumentária é a pessoa natural, estranha à relação processual, que declara em juízo conhecer o fato
alegado, por havê-lo presenciado ou por ouvir algo a seu respeito.

02. Assinale a opção correta acerca do direito penal e processual penal.

a) O advogado que, por força de convênio celebrado com o poder público, atua de forma remunerada em defesa dos
agraciados com o benefício da justiça pública não se enquadra no conceito de funcionário público para fins penais.
b) Vige, na fase da pronúncia, o princípio in dubio pro reo.

78
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) Para a caracterização da legítima defesa real, exige-se a demonstração objetiva da existência de suposição de fato que,
por erro plenamente justificado pelas circunstâncias, legitime a ação do agente.
d) A decisão de pronúncia é mero juízo de admissibilidade da acusação, bastando para tanto que o juiz se convença da
existência do crime e dos indícios de autoria.

03. A perda dos dias remidos em virtude do cometimento de falta grave durante o cumprimento da pena

a) viola o princípio da individualização da pena.


b) viola o princípio da dignidade da pessoa humana.
c) ofende ao princípio da isonomia.
d) não significa ofensa ao direito adquirido.

04. Acerca do processo penal, assinale a opção correta.

a) Havendo concurso de agentes, a decisão de recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivos que sejam de
caráter exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros.
b) A sentença absolutória que decidir que o fato imputado não constitui crime impede a propositura da ação civil.
c) Em qualquer fase do processo, o juiz, se reconhecer extinta a punibilidade, deverá declará-lo de ofício.
d) Nos termos da Lei Maria da Penha, as medidas protetivas de urgência poderão ser concedidas inclusive de ofício pelo
juiz, desde que haja audiência das partes.

05. A competência jurisdicional não é determinada em função

a) do lugar da infração.
b) do domicílio ou residência da vítima.
c) da prevenção.
d) da distribuição.

06. Assinale a opção correta acerca do processo penal.

a) Caberá o seqüestro dos bens imóveis, adquiridos pelo indiciado com os proventos da infração, salvo se já tiverem sido
transferidos a terceiro.
b) Pode-se opor suspeição às autoridades policiais nos atos do inquérito.
c) A argüição de suspeição precederá a qualquer outra, salvo quando fundada em motivo superveniente.
d) Antes de transitar em julgado a sentença final, as coisas apreendidas poderão ser restituídas, ainda que interessem ao
processo.

07. Acerca do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), assinale a opção correta.

a) O adolescente civilmente identificado não será submetido a identificação compulsória pelos órgãos policiais, de
proteção e judiciais, salvo para efeito de confrontação, havendo dúvida fundada.
b) Não é assegurado ao adolescente infrator o direito de solicitar a presença de seus pais ou responsável em qualquer
fase do procedimento.
c) Os crimes definidos no ECA são de ação pública condicionada.
d) A internação, antes da sentença, pode ser determinada por prazo máximo de 65 dias.

08. As medidas que podem ser aplicadas pela autoridade competente ao adolescente que pratique ato infracional não
incluem a

a) inserção em regime de semi-liberdade.


b) prestação de trabalhos forçados.
c) obrigação de reparar o dano.
79
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) liberdade assistida.

09. Acerca da execução penal, assinale a opção correta.

a) É permitido o emprego de cela escura.


b) São permitidas as sanções coletivas.
c) O condenado à pena privativa de liberdade é obrigado a realizar qualquer trabalho que lhe for conferido,
independentemente de suas aptidões e de sua capacidade.
d) O trabalho externo será admissível para os presos em regime fechado somente em serviço ou obras públicas realizadas
por órgãos da administração direta ou indireta, ou entidades privadas, desde que tomadas as cautelas contra a fuga e em
favor da disciplina.

10. A respeito dos crimes praticados por organizações criminosas, assinale a opção correta.

a) Os condenados por crimes decorrentes de organização criminosa poderão iniciar o cumprimento da pena em regime
semi-aberto ou aberto.
b) Poderá ser concedida liberdade provisória, com ou sem fiança, aos agentes que tenham tido intensa e efetiva
participação na organização criminosa.
c) A identificação criminal de pessoas envolvidas com a ação praticada por organizações criminosas não será realizada se
elas já possuírem identificação civil.
d) Nos crimes praticados em organização criminosa, a pena será reduzida de um a dois terços, quando a colaboração
espontânea do agente levar ao esclarecimento de infrações penais e sua autoria.

11. Da decisão que negar o livramento condicional, caberá

a) apelação.
b) agravo.
c) recurso em sentido estrito.
d) recurso especial.

12. Acerca da prova testemunhal, assinale a opção correta.

a) Ao juiz é vedado ouvir outras testemunhas, além das indicadas pelas partes.
b) As testemunhas da acusação e da defesa serão inquiridas umas na presença das outras.
c) Se o juiz, ao pronunciar sentença final, reconhecer que alguma testemunha fez afirmação falsa, calou ou negou a
verdade, remeterá cópia do depoimento à autoridade policial para a instauração de inquérito.
d) A testemunha deve prestar o depoimento oralmente ou trazê-lo por escrito.

Gabarito: 01. A / 02. D / 03. D / 04. C / 05. B / 06. C / 07. A / 08. B / 09. D / 10. D / 11. B / 12. C

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do Exame de Ordem - OAB/MT, 2007, selecionadas por Alinne
Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Preso em flagrante, Jota é acusado da prática de crime de furto tentado. Jota tem vinte e três anos de idade.
Juntando prova da primariedade do acusado, assim como de residência e bons antecedentes, a Defesa requer a
liberdade provisória do réu, que é negada ao argumento de que Jota, quando era adolescente, praticara outro furto,
pelo qual cumprira medida socioeducativa. A esse respeito, assinale a alternativa correta.

a) A decisão judicial viola o princípio da presunção de inocência e não se caracteriza, também, pela homogeneidade que
constitui elemento das medidas cautelares privativas de liberdade.
b) A decisão judicial viola a regra que não admite prisão em flagrante em infração penal de menor potencial ofensivo.
80
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) A decisão judicial está devidamente fundamentada na garantia da ordem pública e deve ser mantida.
d) A decisão judicial viola a regra que determina que em semelhante hipótese não se dispensa a prévia decretação da
prisão temporária do acusado.
e) A decisão judicial está correta porque se trata de crime equiparado a hediondo.

02. Sobre o tema relativo aos sujeitos processuais e à assistência, assinale a alternativa correta.

a) O assistente do Ministério Público pode aditar a denúncia.


b) Os Presidentes dos Conselhos e das Subseções da OAB têm legitimidade para intervir como assistentes do Ministério
Público em processos em que sejam ofendidos os inscritos na OAB.
c) Em crime de ação penal pública com pluralidade de vítimas, não é possível que cada uma delas, isoladamente, seja
admitida como assistente do Ministério Público.
d) O co-réu no mesmo processo pode intervir como assistente do Ministério Público.
e) O assistente do Ministério Público não pode formular perguntas às testemunhas arroladas pela Defesa.

03. Configura hipótese de questão prejudicial homogênea:

a) a questão sobre a declaração da nulidade de registro ou patente em processo penal por crime contra a propriedade
imaterial.
b) a questão sobre a declaração da validade do casamento em processo penal por crime de bigamia.
c) a questão sobre a declaração da quota parte a que tem direito o condômino em processo penal por crime de furto de
coisa comum fungível.
d) a questão sobre a declaração da existência do crime de que proveio a coisa em processo penal por delito de
receptação.
e) a questão sobre a declaração da posse e propriedade de coisa móvel em processo penal por crime de apropriação
indébita fundada em inversão da posse.

04. Assinale a afirmativa incorreta.

a) Intentada a ação penal, o juiz da ação civil, visando ao ressarcimento do dano, poderá suspender o curso do processo
civil.
b) Não faz coisa julgada no cível a sentença penal que reconhecer ter sido o ato praticado em estrito cumprimento de
dever legal.
c) É cabível a indenização ao dono de animal que é morto em quintal da casa do seu proprietário por pessoa que invade o
mencionado quintal para fugir de roubo.
d) A decisão que julga extinta a punibilidade do crime não impede a propositura da ação civil.
e) Não obstante a sentença absolutória no juízo criminal, a ação civil poderá ser proposta quando não tiver sido,
categoricamente, reconhecida a inexistência material do fato.

05. Oferecida denúncia em face do acusado, pela prática do crime de expor à venda drogas (Artigo 33 da Lei
11.343/06), caberá ao juiz:

a) designar audiência de instrução e julgamento, mandar citar o réu e notificar o Ministério Público e as testemunhas.
b) examinar se há justa causa para a ação penal e em seguida receber a denúncia.
c) designar audiência do acusado e, após o interrogatório, receber a denúncia caso constate que há justa causa para a
ação penal.
d) rejeitar desde logo a denúncia, pois se aplica aqui o procedimento da Lei 9.099/95.
e) ordenar a notificação do acusado para oferecer defesa prévia, por escrito, no prazo de 10 (dez) dias.

06. Em tema de prova penal, é correto afirmar que:

a) em regra vigora o sistema da íntima convicção, pelo qual o juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova,
estando dispensado de motivá-la.
81
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) não sendo possível o exame de corpo de delito, por haverem desaparecido os vestígios, a confissão poderá suprir-lhe a
falta.
c) em crime que deixa vestígios, o juiz não ficará adstrito ao laudo, podendo aceitá-lo ou rejeitá-lo, no todo ou em parte.
d) as provas requeridas pela Defesa deverão ser deferidas pelo juiz independentemente da pertinência que guardem com
o objeto do processo.
e) são inadmissíveis no processo as provas produzidas por meios ilícitos, salvo quando servirem para esclarecer dúvida
sobre ponto relevante.

07. Em tema de Juizados Especiais Criminais, assinale a alternativa correta.

a) Não encontrado o acusado para ser citado, o juiz encaminhará o termo circunstanciado ao juízo comum para a adoção
do procedimento previsto em lei.
b) Obtida a composição dos danos civis, em crime de ação penal pública incondicionada, o Ministério Público deverá
promover o arquivamento do termo circunstanciado.
c) Havendo representação ou tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada, o Ministério Público poderá
propor a aplicação imediata de pena restritiva de direitos ou multa, salvo se o autor da infração tiver sido beneficiado
anteriormente, no prazo de 10 (dez) anos, pela aplicação de pena restritiva ou multa, por meio de transação penal.
d) Não cabe aplicação de penas alternativas ou substitutivas.
e) Caberá apelação da decisão que receber a denúncia ou a queixa.

08. Agá é denunciado como autor de homicídio qualificado por motivo torpe. A primeira fase do procedimento do júri é
encerrada sem que as testemunhas arroladas pelas partes tenham sido encontradas e ouvidas. Há, nos autos, laudo de
exame de corpo de delito. Após as alegações finais das partes, caberá ao juiz:

a) proferir decisão de desclassificação e, após o trânsito em julgado, determinar a remessa dos autos ao juízo comum.
b) impronunciar o acusado.
c) absolver sumariamente o acusado.
d) pronunciar o acusado, pois bastam os indícios do inquérito policial para fundamentar essa decisão.
e) condenar o acusado como autor de homicídio simples.

09. O Ministério Público requer ao juiz a suspensão e posterior revogação de livramento condicional, isso porque o
apenado foi preso durante o período de prova e terminou condenado pela prática de novo crime. Aludindo ao fato de
que, embora a condenação pelo novo crime tenha sido proferida durante o período de prova do livramento, o trânsito
em julgado somente ocorreu após o término do citado livramento, o juiz indeferiu o requerimento do Ministério
Público. Dessa decisão:

a) não cabe recurso.


b) cabe apelação.
c) cabe recurso em sentido estrito.
d) cabe agravo.
e) cabe carta testemunhável.

10. Efe é preso em flagrante na posse de um carro roubado três dias antes. O Ministério Público oferece denúncia por
receptação,o acusado é citado e interrogado, e, durante a instrução criminal, são ouvidas as testemunhas e a vítima.
Esta, que não fora ouvida no inquérito policial, afirmou que fora Efe o autor do roubo. A esse respeito, assinale a
alternativa correta.

a) À luz das declarações da vítima, nada mais cabe senão julgar o acusado pelo crime de receptação, uma vez que ocorreu
o arquivamento implícito.
b) À luz das declarações da vítima, nada mais cabe senão absolver o acusado, uma vez que ocorreu a decadência.
c) À luz das declarações da vítima, o Ministério Público poderá aditar a denúncia para incluir a imputação por crime de
roubo, e o juiz poderá condenar o acusado simultaneamente pela prática de ambos os delitos.
d) À luz das declarações da vítima, o Ministério Público poderá aditar a denúncia para modificar a imputação para crime
de roubo, e o juiz somente poderá condenar o acusado pela prática desse delito se receber o aditamento.
82
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) Não caberá aditamento à denúncia porque o acusado já foi citado e ofereceu defesa.

11. Pelo princípio constitucional da presunção de inocência, pode-se inferir que:

a) o estado de inocência somente pode ser mudado com a declaração de uma sentença judicial definitiva;
b) a denúncia de uma infração penal fundamenta-se na certeza de que o acusado é culpado;
c) o acusado, obrigado a provar sua inocência, terá à disposição todos os meios disponíveis de defesa;
d) a presunção de inocência impede restrições à liberdade do acusado antes da sentença definitiva;
e) o estado de inocência, para efeito de persecução criminal, pode ser afastado excepcionalmente pela dúvida razoável
quanto à culpabilidade do acusado.

12. No que se refere à prisão em flagrante delito, é correto afirmar que:

a) as pessoas do povo não poderão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito, uma vez que a ordem
pública exige que a prisão de criminosos seja promovida somente pelas autoridades policiais e seus agentes;
b) no flagrante impróprio, quando o agente foge após o crime e é perseguido, a prisão em flagrante delito somente
poderá ser efetuada durante o prazo de 24 (vinte e quatro) horas, contadas a partir da ocorrência da infração penal;
c) cotejando o fato de que o crime permanente se prolonga no tempo com a momentaneidade da situação de flagrância,
infere-se a inadmissibilidade do flagrante delito nas infrações permanentes;
d) na falta ou no impedimento do escrivão, qualquer pessoa designada pela autoridade competente lavrará o auto de
prisão em flagrante, desde que previamente seja prestado o compromisso legal;
e) descaracteriza o flagrante se o agente não for encontrado cometendo o crime, ainda que seja encontrado, logo depois,
com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

13. A prevenção é um critério de determinação da competência. A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal


considera que da inobservância da competência penal por prevenção decorre uma:

a) ausência de pressuposto para validade do processo;


b) carência de condição da ação penal;
c) nulidade relativa;
d) nulidade absoluta;
e) mera irregularidade processual.

14. Sobre o inquérito policial, é incorreto afirmar que:

a) o inquérito policial é um procedimento administrativo sigiloso, para que a autoridade policial possa diligenciar as
medidas necessárias à elucidação do fato ou por exigência do interesse público;
b) ao receber o inquérito policial, o Promotor de Justiça poderá requerer diligências imprescindíveis, oferecer denúncia
ou requerer o arquivamento;
c) a autoridade policial, verificada a ausência de justa causa, deverá mandar arquivar os autos do inquérito;
d) arquivado o inquérito policial por despacho do juiz, a requerimento do Promotor de Justiça, não pode a ação penal ser
iniciada sem novas provas;
e) o ofendido, ou seu representante legal, e o indiciado poderão requerer qualquer diligência, que será realizada, ou não,
a juízo da autoridade policial.

15. A ação penal não pode ser:

a) pública incondicionada;
b) pública condicionada à representação do ofendido;
c) pública condicionada à requisição do Procurador-Geral de Justiça;
d) privada subsidiária da ação pública;
e) privada exclusiva.

83
Questões de Direito Penal e Processual Penal

16. Sobre as provas admitidas no processo penal, é incorreto afirmar que:

a) a confissão, ainda que verossimilhante e repetida, não se constitui, por si só, prova plena da culpabilidade do acusado;
b) o Código de Processo Penal dispõe que o interrogatório do acusado deve ser feito no curso do processo e que sua falta
é causa de nulidade;
c) não sendo possível o exame do corpo de delito, por haverem desaparecido os vestígios, a prova testemunhal poderá
suprir-lhe a falta;
d) o juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova, observando, contudo, no processo, a inadmissão
constitucional de provas obtidas por meios ilícitos;
e) pelo princípio da liberdade dos meios de prova, no juízo penal, somente quanto ao estado das pessoas, não serão
observadas as restrições à prova estabelecidas na lei civil.

Gabarito: 01. A / 02. B / 03. D / 04. B / 05. E / 06. C / 07. A / 08. B / 09. D / 10. D / 11. A / 12. D / 13. C / 14. C / 15. C / 16. E

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para provimento de cargos do Tribunal de Justiça do
Estado do Pará e Ministério Público do Estado do Espírito Santo, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada -
Bauru/SP.

01. Maria da Silva, esposa do Promotor de Justiça Substituto José da Silva, mantém um caso extraconjugal com o
serventuário do Tribunal de Justiça Manoel de Souza. Passado algum tempo, Maria decide separar-se de José da Silva,
contando a ele o motivo da separação. Inconformado com a decisão de sua esposa, José da Silva decide matá-la, razão
pela qual dispara três vezes contra sua cabeça. Todavia, logo depois dos disparos, José da Silva coloca Maria da Silva
em seu carro e conduz o veículo até o hospital municipal. No trajeto, José da Silva imprime ao veículo velocidade bem
acima da permitida e "fura" uma barreira policial, tudo para chegar rapidamente ao hospital. Graças ao pouco tempo
decorrido entre os disparos e a chegada ao hospital, os médicos puderam salvar a vida de Maria da Silva. Maria sofreu
perigo de vida, atestado por médicos e pelos peritos do Instituto Médico Legal, mas recuperou-se perfeitamente vinte
e nove dias após os fatos. Qual crime praticou José da Silva?

a) Tentativa de homicídio.
b) Nenhum crime, pois agiu em legítima defesa.
c) Lesão corporal grave.
d) Lesão corporal leve.
e) Lesão corporal seguida de morte.

02. José da Silva e Manoel de Souza são empresários do ramo têxtil e detêm, respectivamente, 45% e 50% do mercado
de produção de fantasias infantis no Estado do Pará. Tomando conhecimento de que a empresa cearense "Rapadura"
de propriedade da executiva Maria de Jesus abriu uma filial na cidade de Belém e iniciou sua produção, José e Manoel
decidem ajustar a fixação artificial do preço de seus produtos, além de fazerem uma aliança para controlar os
fornecedores de matéria prima indispensável (tinta atóxica) em toda a Região Norte, tudo com vistas a impedir o
funcionamento e desenvolvimento da empresa concorrente. Que crime praticaram José e Manoel?

a) Crime de estelionato (art. 171 do Código Penal).


b) Crime contra as relações de consumo (art. 7º da Lei 8.137/90).
c) Crime contra a ordem econômica (art. 4º da Lei 8.137/90).
d) Crime de fraude no comércio (art. 175 do Código Penal).
e) Não praticaram crime algum. A conduta é atípica.

03. Durante o almoço dominical da família Silva, José da Silva pede a seu tio, com quem não coabita, Manoel da Silva,
que lhe empreste algum dinheiro para comprar roupas novas. Segundo José da Silva, as meninas andam dizendo que
ele só veste as mesmas camisas e calças e isso tem prejudicado suas conquistas amorosas. Manoel da Silva repreende
seu sobrinho José dizendo que ele precisa amadurecer, pois tem vinte anos, mas comporta-se como um adolescente
ainda. No mesmo dia, José subtrai R$ 15,00 (quinze reais) e o talão de cheques de seu tio Manoel com intuito de
adquirir roupas novas para si. Quando chega o sábado seguinte, José vai até o banco para sacar o dinheiro necessário à
84
Questões de Direito Penal e Processual Penal
aquisição de uma camisa e uma bermuda, preenchendo o cheque corretamente e imitando com perfeição a assinatura
de seu tio. Ocorre que Manoel percebera o desaparecimento do talão de cheques e comunicara o banco, razão pela
qual o caixa se recusa a aceitar o cheque apresentado por José. Qual(is) crime(s) praticou José da Silva?

a) Não praticou crime algum.


b) Furto consumado e estelionato tentado.
c) Furto e estelionato consumados.
d) Apenas estelionato.
e) Apenas furto.

04. Caio dispara uma arma objetivando a morte de Tício, sendo certo que o tiro não atinge um órgão vital. Durante o
socorro, a ambulância que levava Tício para o hospital é atingida violentamente pelo caminhão dirigido por Mévio, que
ultrapassara o sinal vermelho. Em razão da colisão, Tício falece. Responda: quais os crimes imputáveis a Caio e Mévio,
respectivamente?

a) Tentativa de homicídio e homicídio doloso consumado.


b) Lesão corporal seguida de morte e homicídio culposo.
c) Homicídio culposo e homicídio culposo.
d) Tentativa de homicídio e homicídio culposo.
e) Tentativa de homicídio e lesão corporal seguida de morte.

05. Maria da Silva é médica pediatra, trabalhando no hospital municipal em regime de plantão. De acordo com a escala
de trabalho divulgada no início do mês, Maria seria a única médica pediatra com obrigação de trabalhar no plantão que
se iniciava no dia 5 de janeiro, às 20h e findava no dia 6 de janeiro, às 20h. Contudo, depois de passar toda a noite do
dia 5 sem nada para fazer, Maria resolve sair do hospital para participar da comemoração do aniversário de uma prima
sua, um churrasco que se realizaria em uma casa a poucas quadras do hospital. Maria deixa o hospital às 12h do dia 6
de janeiro sem, contudo, avisar onde estaria. Maria deixou o número de seu telefone celular, mas o papel que o
continha se extraviou do quadro de avisos. Maria não retornou mais ao hospital até o final do plantão. Ocorre que, às
14h do dia 6 de janeiro, Manoel de Souza, criança de apenas 6 anos, é levado ao hospital por parentes precisando de
socorro médico imediato. Embora houvesse outros médicos de plantão (um cardiologista e uma ortopedista), ambos se
recusam a examinar Manoel, alegando que não eram especialistas e que a responsável pelo plantão da emergência era
Maria da Silva. Manoel de Souza morre de meningite cerca de oito horas depois, na porta do hospital, sem ter sido
atendido. Qual foi o crime praticado por Maria?

a) Homicídio culposo.
b) Nenhum crime.
c) Omissão de socorro.
d) Homicídio doloso, na modalidade de ação comissiva por omissão.
e) Homicídio doloso, na modalidade de ação omissiva.

06. A organização não-governamental holandesa "Women on the waves", dirigida pelo médico holandês Marco Van
Basten, possui um barco de bandeira holandesa que navega ao redor do mundo recebendo gestantes que desejam
realizar aborto. Quando passou pelo Brasil, o navio holandês recebeu a bordo mulheres que praticaram a interrupção
de sua gestação, dentre elas Maria da Silva, jovem de 25 anos. Na ocasião em que foi interrompida a gravidez, o barco
estava em alto-mar, além do limite territorial brasileiro ou de qualquer outro país. Sabendo que a lei brasileira pune o
aborto (salvo em casos específicos, não aplicáveis à situação de Maria) ao passo que a Holanda não pune o aborto,
assinale quais foram os crimes praticados por Marco e Maria, respectivamente.

a) Nenhum dos dois praticou crime.


b) Provocar aborto sem o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
c) Provocar aborto com o consentimento da gestante e provocar aborto em si mesma.
d) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto sem o consentimento da gestante.
e) Provocar aborto em si mesma e provocar aborto com o consentimento da gestante.

85
Questões de Direito Penal e Processual Penal
07. José da Silva é um viúvo que possui dois filhos, Maria e Manoel. Passados três anos da morte de sua mulher, José
decide casar-se novamente com a advogada Messalina, mulher mal afamada na cidade, que contava vinte e cinco anos
de idade, trinta a menos do que José. Informados de que o casamento ocorreria dentro de dois meses e inconformados
com a decisão de seu pai, Maria e Manoel ofendem seu pai publicamente, na presença de várias testemunhas, com
expressões como "otário", "burro" e "tarado", entre outras. José decide processar criminalmente os filhos, mas
somente após a celebração de sua boda. Ocorre que Maria comparece ao casamento e se reconcilia com o pai, que lhe
perdoa. Quatro meses depois do dia em que sofreu as ofensas, José da Silva ajuíza então a queixa-crime unicamente
contra Manoel. A advogada que assina a petição é Messalina. A inicial é rejeitada pelo Juiz de Direito. Qual
fundamento jurídico o juiz poderia ter alegado para justificar sua decisão?

a) Manoel tinha razão ao xingar o pai, já que estava clara a estupidez de seu genitor, razão pela qual a conduta é atípica.
b) Houve a extinção da punibilidade de Manoel, em virtude do perdão concedido por José a Maria.
c) Houve decadência do direito de queixa, porque se passaram mais de três meses entre a data do fato e a data do
oferecimento da inicial por José da Silva.
d) Houve perempção, porque José da Silva não poderia constituir Messalina como advogada no processo que moveria
contra o filho.
e) Nenhum fundamento. A decisão está errada e a queixa deveria ter sido recebida.

08. Assinale a alternativa que reúne exclusivamente os crimes próprios de funcionário público.

a) prevaricação, concussão, corrupção passiva e usurpação de função pública


b) peculato, excesso de exação, falsificação de documento público e corrupção ativa
c) desacato, peculato culposo, corrupção ativa e prevaricação
d) facilitação de contrabando ou descaminho, advocacia administrativa, peculato e tráfico de influência
e) prevaricação, abandono de função, concussão e modificação não autorizada de sistema de informações

09. A respeito da Lei 11.343/2006, assinale a afirmativa incorreta.

a) Prevê a redução de pena de um sexto a um terço para os crimes definidos no caput e no parágrafo primeiro do art. 33,
quando o agente for primário, de bons antecedentes e não se dedique às atividades criminosas nem integre organização
criminosa.
b) Tipifica em separado, no art. 37, a conduta de quem colabora, como informante, com grupo criminoso destinado ao
tráfico de drogas (art. 33).
c) Prevê o aumento de pena de um sexto a dois terços para o crime de tráfico (art. 33) quando o agente financiar a prática
do crime.
d) Criminaliza a conduta de quem conduz aeronave após o consumo de drogas, expondo a dano potencial a incolumidade
alheia no art. 39.
e) Permite que o condenado por tráfico de drogas (art. 33) obtenha livramento condicional após o cumprimento de dois
terços da pena, se não for reincidente específico.

10. Assinale a alternativa correta.

a) A Lei 5.250/1967 pune exclusivamente a calúnia e a injúria praticadas pelos meios de informação e divulgação. A
difamação praticada dessa forma é punida pela regra geral do Código Penal.
b) Constitui crime previsto na Lei 8.069/1990 a conduta do professor de estabelecimento de ensino fundamental que
deixa de comunicar à autoridade competente os casos de que tenha conhecimento envolvendo suspeita de maus tratos
contra criança.
c) Constitui crime contra a ordem econômica previsto na Lei 8.137/90 a conduta de exigir exclusividade de propaganda,
transmissão ou difusão da publicidade, em detrimento da concorrência.
d) A condenação por crime de tortura previsto na Lei 9.455/97 acarretará a perda do cargo, função ou emprego público e
a interdição para seu exercício pelo mesmo prazo da pena aplicada.
e) Constitui crime de abuso de autoridade, previsto na Lei 4.898/1965, qualquer atentado contra a função social da
propriedade.

86
Questões de Direito Penal e Processual Penal
11. Dentre os elementos que caracterizam o fato típico, não está incluída(o):

a) a conduta (ação ou omissão);


b) o resultado;
c) a relação de causalidade;
d) a antijuridicidade;
e) a tipicidade.

12. A perempção, prevista no Código Penal, é a:

a) revogação do livramento condicional;


b) causa extintiva da punibilidade;
c) circunstância que sempre atenuará a pena;
d) perda do direito a reabilitação;
e) obrigação de indenizar o dano causado pelo crime.

13. A culpabilidade é condição para imposição da pena, que pode ser excluída pelas causas elencadas a seguir, exceto:

a) coação irresistível;
b) inimputabilidade;
c) obediência hierárquica;
d) erro provocado por terceiro;
e) erro de proibição.

14. Se um funcionário público concorre culposamente para o crime de peculato contra a Administração Pública, tendo,
contudo, providenciado a reparação do dano antes da sentença irrecorrível, decorrerá, em relação à aplicação de pena,
a:

a) redução de um terço da pena imposta;


b) extinção de punibilidade;
c) redução pela metade da pena imposta;
d) aplicação de causa genérica de diminuição da pena;
e) exclusão da culpabilidade.

15. A denominação jurídica do crime cuja conduta típica consiste em patrocinar, direta ou indiretamente, interesse
privado perante a administração pública, valendo-se da qualidade de funcionário, é:

a) patrocínio infiel;
b) favorecimento real;
c) advocacia administrativa;
d) favorecimento pessoal;
e) tráfico de influência.

16. Considerando que nos tipos penais de crime permanente, a consumação se prolonga no tempo, a solução no caso
de advir lei penal mais grave, se a vigência da nova lei é anterior à cessação da permanência, é aplicar:

a) a lei penal mais grave, nos termos do enunciado da Súmula n.º 711 do Supremo Tribunal Federal;
b) necessariamente, a lei penal mais benéfica ao acusado, pelo princípio da anterioridade da lei penal, consagrado no
inciso XXXIX, art. 5o, da Constituição Federal;
c) a lei penal vigente no início da execução do crime, pois se considera, nesses casos, o crime consumado, nos termos do
art. 14, inciso I do Código Penal;
d) a lei penal mais benéfica pela orientação da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça;

87
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) a lei penal que mais tempo vigeu durante a permanência do crime, considerando o princípio constitucional da
razoabilidade.

Gabarito: 01. C / 02. C / 03. E / 04. D / 05. B / 06. A / 07. B / 08. E / 09. A / 10. C / 11. D / 12. B / 13. D / 14. B / 15. C / 16. A

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas do Tribunal de Justiça do Estado do Pará e do Ministério Público
do Estado do Espírito Santo, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Assinale a opção correta no que se refere aos crimes de trânsito.

a) Responde por crime de trânsito o agente que viola a suspensão de dirigir veículo automotor.
b) O indivíduo que, pilotando uma lancha em alto mar, mata, culposamente, uma pessoa comete, de acordo com a Lei n.º
9.503/1997, que trata dos crimes de trânsito, crime de homicídio culposo.
c) O agente que, dirigindo automóvel, causa, culposamente, lesão corporal na vítima e deixa de prestar socorro a ela
responde tanto pelo crime de lesão corporal culposa tratado nos crimes de trânsito quanto por crime de omissão de
socorro.
d) Responde como co-autor pelo crime de homicídio o pai ou responsável que empresta veículo automotor a menor de
idade que, acidentalmente, atropele e mate uma pessoa.

02. Assinale a opção correta no que se refere à clonagem humana.

a) A clonagem humana é crime previsto no Código Penal.


b) A clonagem humana deixa de ser crime se for realizada para salvar um enfermo.
c) A utilização de células-tronco embrionárias obtidas de embriões humanos produzidos por fertilização in vitro é sempre
permitida se houver consentimento dos genitores e os embriões forem inviáveis.
d) A clonagem humana é crime tratado pela Lei de Biosseguranca.

03. Assinale a opção correta a respeito de curandeirismo e charlatanismo.

a) Charlatanismo não é crime, mas contravenção penal.


b) Curandeirismo e charlatanismo são sinônimos; portanto são tratados em um único dispositivo legal do Código Penal.
c) No crime de curandeirismo, o agente ilicitamente exerce atividade de diagnosticar e prescrever substâncias ao
paciente.
d) No curandeirismo, o crime se consuma com o prejuízo financeiro da vítima.

04. No que se refere aos crimes contra as finanças públicas, previstos no Código Penal, assinale a opção correta.

a) A prestação de garantia graciosa em operação de crédito sem contragarantia de valor igual ou superior ao da garantia
prestada só será criminosa se a operação de crédito não for honrada.
b) Responde criminalmente o funcionário público que ordenar despesa não autorizada por dispositivo legal.
c) O Código Penal incrimina o aumento de despesa total de pessoal a partir dos 365 dias finais do mandato ou da
legislatura do funcionário público.
d) Aquele que ordena a colocação, no mercado financeiro, de títulos da dívida pública em desacordo com as normas
legais responde como partícipe. Autor é aquele que efetivamente coloca, no mercado financeiro, os títulos da dívida
pública em comento.

05. O Código Penal brasileiro,

a) quanto ao lugar do crime, adotou a teoria mista ou da ubiqüidade.


b) quanto ao lugar do crime, adotou a teoria da atividade ou da ação.
c) quanto ao tempo do crime, adotou a teoria mista ou da ubiqüidade.
88
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) quanto ao tempo do crime, adotou a teoria do resultado.

06. A respeito dos crimes contra a honra, assinale a opção correta.

a) De acordo com o Código Penal, é punível o crime de calúnia e difamação contra os mortos.
b) O prazo decadencial dos crimes contra a honra tratados pela Lei de Imprensa - Lei n.º 5.250/1967 - é de três meses e,
no Código Penal, esse prazo é de seis meses.
c) A difamação, tratada pelo Código Penal, não admite exceção da verdade.
d) Segundo a Lei de Imprensa, o crime de calúnia é de ação penal pública condicionada a representação.

07. A respeito da Lei de Drogas - Lei n.º 11.343/2006 -, assinale a opção correta.

a) Segundo entendimento doutrinário predominante, a conduta do usuário de drogas foi descriminalizada.


b) O número de testemunhas de defesa, nos crimes apenados com reclusão, foi reduzido de oito para cinco.
c) Não há delação premiada na nova lei de drogas, tendo diminuído a punição ao agente que, voluntariamente, colabora
com a justiça na identificação dos demais co-autores ou partícipes, bem como na recuperação do produto do crime.
d) O crime de associação ao tráfico exige um concurso de mais de três pessoas, da mesma forma como ocorre no crime
de formação de quadrilha, tratado pelo Código Penal.

08. Quanto aos crimes falimentares, previstos na Lei n.º 11.101/2005, assinale a opção correta.

a) Os efeitos da condenação, tais como inabilitação para o exercício de atividade empresarial, impossibilidade de gerir
empresa por mandato, entre outros, devem ser aplicados automaticamente com a sentença condenatória.
b) A fraude contra credores, descrita como conduta criminosa, só poderá ocorrer antes da sentença que decretar a
falência.
c) A redução ou substituição da pena privativa de liberdade prevista na lei dos crimes falimentares só poderá ser aplicada
às microempresas e às empresas de médio porte.
d) Praticam crime falimentar o juiz, o representante do Ministério Público, o administrador judicial, o gestor judicial, o
perito, o avaliador, o escrivão, o oficial de justiça ou o leiloeiro, por si ou por interposta pessoa, que adquiram bens da
massa falida ou de devedor em recuperação judicial.

09. Acerca da lesão corporal, assinale a opção correta.

a) O aumento especial de pena aplicado à violência doméstica praticada contra portador de deficiência aplica-se a lesão
corporal leve, grave e gravíssima.
b) As lesões corporais leve, grave e gravíssima, se praticadas através da violência doméstica, terão aumento especial de
pena na proporção de um terço.
c) Lesão corporal culposa e a de natureza leve são delitos de ações penais públicas condicionadas a representação da
vítima ou de seu representante legal.
d) A incapacidade permanente para as ocupações habituais da vítima de lesão corporal, por mais de duzentos dias,
classifica a lesão como gravíssima.

10. A respeito das contravenções penais, assinale a opção correta.

a) As penas privativas de liberdade tratadas na lei das contravenções penais são de prisão simples.
b) A lei das contravenções penais foi revogada, tendo algumas das condutas sido transformadas em infrações
administrativas e outras, em infrações criminais.
c) A contravenção penal de porte de arma não foi revogada pela lei de armas de fogo - Lei n.º 10.826/2003.
d) As contravenções penais de vadiagem e mendicância foram revogadas após a ratificação do Brasil à Convenção
Americana de Direitos Humanos.

89
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Gabarito: 01. A / 02. D / 03. C / 04. B / 05. A / 06. B / 07. B / 08. D / 09. C / 10. A

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas da OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra,
advogada - Bauru/SP.

01. São elementos do crime culposo, EXCETO:

a) Conduta.
b) Resultado.
c) Tipicidade.
d) Imprevisibilidade.
e) Inobservância a um dever objetivo de cuidado.

02. O Servidor Público que solicitar, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes
de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida ou aceitar promessa de tal vantagem, pratica o crime de:

a) Prevaricação.
b) Concussão.
c) Corrupção passiva.
d) Peculato.
e) Excesso de exação.

03. Em matéria de direito penal:

I. Improbidade é desonestidade e relaciona-se com a conduta do administrador e pode ser praticada não apenas pelo
agente público, lato sensu, senão também por quem não é servidor e infringe a moralidade pública.
II. Uma das elementares do crime de peculato (e o que o distingue do crime de apropriação indébita) é o sujeito ativo ser
funcionário público. Essa é uma circunstância de natureza subjetiva, pois se refere a uma qualidade pessoal do sujeito
ativo.
III. Um administrador público tem uma determinada verba, para gastar em reuniões, almoços, etc. Se ele desvia essa
verba em proveito próprio ou de terceiros, terá cometido o crime de peculato desvio.
IV. Será considerado crime de peculato desvio quando um administrador público tem uma verba que tem que ser
utilizada na construção de um hospital e, em vez disso, emprega na construção de uma escola pública.

É correto afirmar que:

a) Apenas as assertivas I, II e IV estão corretas.


b) Apenas as assertivas I, II e III estão corretas.
c) Apenas as assertivas II e IV estão corretas.
d) Apenas a assertiva IV está correta.

04. No direito penal brasileiro é correto afirmar:

a) não são consideradas como extensão do território nacional as aeronaves brasileiras, que se achem no espaço aéreo
correspondente ao alto-mar;
b) considera-se praticado o crime somente no lugar em que ocorreu a ação em sua totalidade;
c) o crime contra a vida do Presidente da República praticado no Canadá está sujeito tão somente às leis canadenses;
d) qualquer crime cometido por estrangeiro contra brasileiro fora do Brasil é sujeito à aplicação da lei brasileira mesmo
que o agente não entre em território nacional.
e) aplica-se o princípio da territorialidade;

05. A respeito dos crimes em espécie, é correto afirmar:

90
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) a prevaricação só ocorre quando o agente retarda ou deixa de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou o pratica
contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal;
b) a corrupção passiva só ocorre quando o agente recebe, para si, direta ou indiretamente, em razão da função que
exerce, vantagem indevida;
c) a concussão só ocorre quando o agente exige para outrem vantagem indevida;
d) o peculato só ocorre quando o funcionário público solicita para si, em razão de sua função, vantagem indevida;
e) a facilitação de contrabando não pode ser praticada por agente que não seja funcionário público

06. A propósito da restituição de bens apreendidos no processo penal, assinale a opção correta.

a) Tratando-se de coisas facilmente penhoráveis, não se admite a realização de leilão público, pois a aplicação da lei
processual civil é subsidiária.
b) Não se admite a tutela de interesse de terceiros de boa-fé no bem apreendido.
c) Antes do trânsito em julgado de decisão inserta em sentença, os bens apreendidos só podem ser restituídos se não
mais interessarem ao processo e aos efeitos penais de uma condenação.
d) Em caso de dúvida sobre quem seja o verdadeiro dono do bem apreendido, o juízo criminal é o competente para
solucioná-la.

07. Acerca da competência para conhecimento e julgamento de feitos penais, assinale a opção correta.

a) A regra da prevenção não se aplica em instâncias superiores, somente no juízo singular.


b) Não se admite a consideração de prevenção para fixação do juízo natural.
c) Em comarca, havendo juízos especializados na fiscalização de investigação penal, aplica-se a regra da prevenção, em
qualquer caso.
d) Em regra, no processo penal, há prevenção quando, havendo dois ou mais juízes igualmente competentes ou com
jurisdição cumulativa, um deles tiver antecedido aos outros na prática de algum ato do processo ou de medida a este
relativa, ainda que anterior ao oferecimento da denúncia ou queixa.

08. Configura hipótese de inépcia da denúncia:

a) não-indicação de testemunhas por parte da acusação.


b) utilização de alcunha do acusado no texto da exordial, mesmo constando o nome completo na qualificação.
c) exposição obscura de fato criminoso desprovida de todas as suas circunstâncias.
d) a errônea classificação do crime imputado na inicial acusatória.

09. Relativamente ao interrogatório, assinale a opção correta.

a) O interrogatório constitui meio de defesa e as declarações oportunamente prestadas pelo acusado podem servir de
fonte de prova.
b) Trata-se, exclusivamente, de meio de prova.
c) A defesa técnica não pode se manifestar na realização do interrogatório.
d) Somente a autodefesa é exercida quando se presta declarações em interrogatório.

10. Quanto às nulidades no processo penal, assinale a opção correta.

a) Há nulidade absoluta se houver violação a direito ou garantia processual penal fundamental, ainda que não prevista na
legislação processual ordinária.
b) As hipóteses de nulidade são apenas as previstas em lei, em decorrência do princípio processual-penal da legalidade.
c) A regra do prejuízo é aplicável em qualquer hipótese de nulidade.
d) Toda nulidade, em tese, pode ser convalidada.

11. Em processo penal, os embargos infringentes:


91
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) não são cabíveis, não se admitindo a aplicação subsidiária da lei processual comum.
b) têm cabimento se a decisão desfavorável ao réu de segunda instância não for unânime.
c) não são cabíveis se a divergência constante do acórdão for parcial.
d) têm efeito devolutivo pleno, portanto sua interposição redunda em renúncia a interposição de recursos
extraordinários, em caso de rejeição.

12. Sobre mandado de segurança, assinale a opção correta.

a) Não se admite impetração de mandado de segurança para resguardo de interesse violado em feitos penais, pois, em
qualquer situação, há a violação da liberdade do investigado, cuja tutela jurisdicional ocorre por impetração de habeas
corpus.
b) Não se admite a aplicação da fungibilidade se o mandado de segurança for impetrado em face de ilegalidade que
deveria ser contestada por meio da impetração de habeas corpus, extinguindo-se o feito sem julgamento do mérito.
c) Será concedido mandado de segurança para tutela de direito líquido e certo, comprovado de plano, não amparado por
habeas corpus ou habeas data, quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou
agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do poder público.
d) Pode ser interposto, pela parte juridicamente interessada, recurso ordinário à decisão proferida em mandado de
segurança decidido em única instância pelos tribunais regionais federais ou pelos tribunais dos estados, do Distrito
Federal e territórios, quando concessiva a decisão.

13. Com relação ao recurso especial,

a) exige-se a demonstração da repercussão geral das matérias versadas em recurso especial.


b) o prequestionamento, por não ser previsto em lei, não constitui pressuposto de admissibilidade recursal.
c) não se exige conflito analítico em caso de este ser fundamentado em dissídio jurisprudencial.
d) quando se fundar em dissídio jurisprudencial, o recorrente fará a prova da divergência mediante certidão, cópia
autenticada ou pela citação do repositório de jurisprudência, oficial ou credenciado.

14. No que diz respeito ao indulto, assinale a opção correta.

a) O indulto somente pode ser concedido por lei elaborada pelo Congresso Nacional.
b) Trata-se de atribuição do presidente da República, exercida por meio de expedição de decreto.
c) Não se admite indulto parcial.
d) Se o sentenciado for beneficiado por indulto coletivo, este benefício não pode ser reconhecido, de ofício, pelo juízo das
execuções penais competente.

15. Assinale a opção correta quanto à suspensão condicional do processo.

a) Corre prescrição durante o prazo de suspensão do processo.


b) O juiz pode especificar condições não-expressas em lei a que fica submetida a suspensão, desde que adequadas ao fato
e à situação do acusado.
c) O não-cumprimento da condição de reparação do dano, sendo possível ao réu fazê-lo, é causa de revogação facultativa.
d) A instauração de processo por suposta prática de outro crime no período de prova é causa de revogação facultativa.

___________________________________________________________________________________________________
_________

Gabarito: 01. B / 02. A / 03. B / 04. E / 05. A / 06. C / 07. D / 08. C / 09. A / 10. A / 11. B / 12. C / 13. D / 14. B / 15. B

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas dos concursos para Companhia Águas de Joinville, Companhia Elétrica do
Piauí, Prefeitura de Biguaçu/SC, e OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

92
Questões de Direito Penal e Processual Penal

01. Assinale a opção correta, à luz do Direito Processual Penal.

a) É cabível habeas corpus contra decisão condenatória a pena de multa, ou relativo a processo em curso por infração
penal a que a pena pecuniária seja a única cominada.
b) No processo dos crimes afiançáveis de responsabilidade dos funcionários públicos, antes de o juiz receber a denúncia,
o réu será notificado para manifestar-se sobre a acusação.
c) A prisão em flagrante depende de ordem escrita do juiz competente para ser efetivada.
d) É cabível a prisão preventiva quando se tratar de prática de crimes dolosos ou culposos contra a vida.
e) As provas colhidas no inquérito policial podem servir de fundamento único de sentença penal condenatória, pois
aquele, como procedimento administrativo inquisitório, é regido pelo princípio do contraditório.

02. Segundo o Código de Processo Penal, assinale a alternativa falsa.

a) A suspeição, a incompetência de juízo, a litispendência, a ilegitimidade de parte e a coisa julgada são exceções
previstas na lei processual penal.
b) As partes podem argüir a suspeição de peritos, intérpretes e serventuários ou funcionários da justiça, decidindo o juiz
de plano e sem recurso, à vista da matéria alegada e prova imediata.
c) Não se poderá opor suspeição da autoridade policial nos atos do inquérito, mas deverá ela declarar-se suspeita,
quando ocorrer motivo legal.
d) As exceções serão processadas em autos apartados e não suspenderão, em regra, o andamento da ação penal.
e) Se for argüida a suspeição do órgão do Ministério Público, o juiz, depois de ouvi-lo, decidirá, cabendo recurso em
sentido estrito.

03. Segundo o Código de Processo Penal, na instrução criminal de um acusado denunciado por crime de furto
qualificado, é correto afirmar que:

a) serão inquiridas no máximo oito testemunhas de acusação e até oito de defesa, não se compreendendo nesse número
as que não prestaram compromisso e as referidas.
b) as testemunhas de acusação devem sempre ser ouvidas no prazo de 20 (vinte) dias.
c) o acusado possui o prazo de cinco dias após o interrogatório para oferecer alegações escritas e arrolar testemunhas.
d) as partes não poderão oferecer documentos na fase do requerimento de diligências.
e) ao receber a denúncia, o juiz não precisa notificar o Ministério Público para o interrogatório do acusado, uma vez que
tal ato é privativo do magistrado.

04. São incidentes de execução previstos na Lei de Execuções Penais:

a) o livramento condicional, a suspensão condicional da pena e a anistia.


b) a anistia, o indulto e o livramento condicional.
c) as conversões de penas, o excesso ou desvio de execução, a anistia e o indulto.
d) a anistia, o indulto, o livramento condicional e a medida de segurança.
e) o excesso ou desvio de execução, as conversões e o livramento condicional.

05. Segundo as normas gerais do Código de Processo Penal, é correto afirmar que:

a) não recebido o recurso em sentido estrito, caberá apelação.


b) não recebida a carta testemunhável, caberá recurso em sentido estrito.
c) não recebidos os embargos, caberá recurso em sentido estrito.
d) julgada deserta a apelação, caberá recurso em sentido estrito.
e) não recebida a revisão, caberá recurso em sentido estrito.

93
Questões de Direito Penal e Processual Penal
06. Considere a circunstância em que o juiz não recebe o recurso de apelação e, em seguida, obsta o seguimento do
recurso interposto contra este ato. Para ver a sua pretensão apreciada pelo juízo ad quem, o interessado pode se valer
do seguinte instrumento:

a) habeas corpus
b) correição parcial
c) carta testemunhável
d) mandado de segurança
e) recurso em sentido estrito

07. Da decisão de pronunciar ou impronunciar o réu cabe o seguinte remédio jurídico:

a) apelação
b) recurso de agravo
c) mandado de segurança
d) recurso em sentido estrito
e) pedido de reconsideração

08. Na hipótese de debate no plenário do Tribunal do Júri, o representante do Ministério Público detectou a ocorrência
de uma nulidade. Esta deverá ser argüida no seguinte momento:

a) na sala secreta, antes da votação dos quesitos


b) no ato de arrazoar o recurso, se interposto
c) logo depois de ocorrer a nulidade
d) após os debates das partes
e) após a leitura do libelo

09. Garantia de ordem pública, conveniência da instrução, aplicação da lei penal, prova da existência do crime, indícios
de autoria são os pressupostos de:

a) prisão preventiva
b) prisão antecipada
c) ação penal pública
d) prisão premonitória
e) medida de segurança

10. Durante a instrução criminal, após a inquirição do réu, o juiz determinou sua retirada da sala de audiências. O
motivo legal para tal decisão foi:

a) a hediondez do crime
b) o prudente arbítrio do juiz
c) ser o réu pessoa persuasiva
d) a presença de pessoas estranhas
e) a influência do réu no ânimo das testemunhas

Gabarito: 01. B / 02. E / 03. A / 04. C / 05. D / 06. C / 07. D / 08. C / 09. A / 10. E

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para ingresso na carreira da Magistratura, e para o
cargo de escrivão, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

94
Questões de Direito Penal e Processual Penal
01. Assinale a alternativa correta:

a) O princípio da taxatividade (ou do mandato de certeza) é exigência constitucional que não se estende à cominação das
penas;
b) Nos crimes permanentes, considera-se praticado o delito no momento em que cessa a permanência e não no instante
em que se inicia a execução da conduta proibida;
c) O crime de lesões corporais dolosas (art.129, caput, do CP) é expressamente subsidiário do crime de homicídio (art.
121, caput, do CP);
d) A abolitio criminis não é uma causa pessoal de extinção da punibilidade, deve ser argüida antes do trânsito em julgado
da sentença penal condenatória, não extingue os efeitos extra-penais da condenação, é extra-ativa, ou seja, é retro e
ultra-ativa e também alcança aqueles que se encontram submetidos ao cumprimento de medida de segurança;
e) Na sucessão de leis penais excepcionais, cujo fato incriminado seja o mesmo, aplica-se o princípio da retroatividade
benéfica.

02. Assinale a alternativa incorreta:

a) A imunidade diplomática é irrenunciável pelo agente diplomático estrangeiro, podendo, entretanto, a critério do
governo representado, ser afastada, para permitir a punição do diplomata estrangeiro no território brasileiro, sendo
certo, outrossim, que os cônsules, de regra, não são imunes à lei penal brasileira;
b) A imunidade penal do vereador, nos crimes de opinião, não pode ser reconhecida se o delito foi praticado fora do
território do município em que o agente exerça o mandato parlamentar;
c) Lugar do crime, para a definição da competência internacional, é tanto o lugar da ação ou omissão, quanto o do
resultado;
d) Ao delito praticado no interior de embarcação privada, que estava a serviço do governo brasileiro e no momento do
crime se encontrava aportada em território estrangeiro, aplica-se a lei penal brasileira;
e) Ao delito praticado no interior de embarcação privada brasileira, que no momento do crime se encontrava em alto-
mar, aplica-se a lei penal do país de origem do sujeito ativo.

03. Assinale a alternativa correta:

a) Aos crimes de simples atividade (ou de mera conduta) e aos crimes omissivos impróprios se aplica a teoria da conditio
sine qua non (teoria da equivalência dos antecedentes);
b) Segundo a teoria da imputação objetiva, se, com a eliminação hipotética de um fato exclui-se hipoteticamente o
resultado, então, aquele fato deve ser considerado causa do resultado típico, dispensando-se qualquer outra verificação
axiológica;
c) A superveniência de causa relativamente independente, que por si só produziu o resultado, afasta a imputação do dano
ao agente e, como efeito, isenta-lhe de pena;
d) O causador de um resultado típico não é, necessariamente, autor de um delito;
e) Em tema de relação de causalidade, o legislador brasileiro em vigor adotou a teoria monista temperada.

04. Assinale a alternativa correta:

a) Os crimes omissivos impróprios não admitem a espécie culposa, são formais e, por isso, não admitem tentativa, não
podendo ser praticados por quem não se encontre na condição de garante do bem jurídico protegido.;
b) Os crimes omissivos impróprios são crimes de mera conduta, admitem tentativa e permitem a sua prática por todos
aqueles que se encontrem diante da situação de risco descrita no tipo penal;
c) Os crimes omissivos puros, de regra, classificam-se como materiais, próprios, plurissubjetivos, unissubsistentes e não
admitem tentativa;
d) Tantos nos crimes omissivos próprios, quanto nos impróprios admite-se a execução fracionada, pelo que se admite a
tentativa;
e) É possível a prática do crime de furto por omissão imprópria.

05. Assinale a alternativa correta:

95
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) Os crimes de mera conduta consumam-se no momento em que ocorre o resultado de dano previsto no tipo;
b) Consumação material não é sinônimo de exaurimento;
c) Os crimes formais têm a execução e o resultado de dano protraídos no tempo;
d) Os crimes omissivos próprios e os crimes comissivos por omissão consumam-se no último momento em que o agente
deveria ter praticado a ação esperada;
e) Os crimes dolosos materiais e os preterdolosos consumam-se no instante em que ocorre o resultado típico.

06. Assinale a alternativa incorreta:

a) Ideação e resolução são momentos psicológicos do delito, em que já é possível a participação punível, seja na forma de
induzimento ou de instigação;
b) Na tentativa perfeita não se admite a desistência voluntária e tentativa inidônea é sinônimo de crime impossível;
c) Segundo a teoria do domínio do fato, a tentativa se caracteriza com a execução da conduta típica, apenas caracterizada
quando da realização direta e pessoal do verbo núcleo do tipo;
d) Se o partícipe lograr evitar o resultado, caracterizando-se assim o arrependimento eficaz, o autor também se
beneficiará disso, sendo punido apenas pelos atos até então praticados;
e) O arrependimento posterior é uma causa geral e obrigatória de diminuição da pena.

07. Assinale a alternativa correta:

a) A previsibilidade objetiva é um elemento comum ao dolo eventual e à culpa inconsciente;


b) Nos crimes culposos, a previsibilidade objetiva é sinônima de exigibilidade de conduta adequada ao direito e, por isso,
um elemento da culpabilidade;
c) Nos crimes culposos se admite a desistência voluntária e o arrependimento posterior;
d) Não se aplica aos crimes culposos nenhuma das causas gerais de exclusão da ilicitude;
e) O princípio da confiança não se aplica a quem tem, na ação coletiva arriscada, o dever de vigilância sobre a conduta
dos demais atuantes.

08. Assinale a alternativa correta:

a) O erro de tipo essencial vencível (ou inescusável) exclui o dolo e a culpa;


b) As descriminantes putativas, segundo a teoria extrema da culpabilidade, caracterizam, em qualquer caso, erro de
proibição;
c) No erro de proibição evitável o agente responderá a título de culpa pelo delito que praticou;
d) Na aberratio ictus, com resultado duplo e unidade de desígnios, o agente responderá pela prática dos crimes sob o
regime do concurso material;
e) Na aberratio delicti, em caso de resultado simples, o agente responde, a título de dolo eventual, pelo delito
efetivamente praticado;

09. Assinale a alternativa correta:

a) Coação física absoluta e obediência hierárquica são causas de exclusão da culpabilidade;


b) O estado de necessidade exculpante é uma modalidade admitida pela teoria unitária;
c) Estado de necessidade agressivo é modalidade que importa no sacrifício de bem jurídico pertencente àquele que
provocou a situação de perigo;
d) No estado de necessidade, o dever legal de enfrentar o perigo é relativo, porque aquele que está obrigado a arrotar o
perigo (p. ex.: o bombeiro) pode deixar perecer o bem jurídico ameaçado se a situação concreta revelar que o agente
sofrerá uma lesão a bem jurídico pessoal mais valioso (p.ex.: vida) do que aquele que reclama a sua proteção (p. ex:
patrimônio);
e) Para a teoria diferenciadora, se o bem jurídico sacrificado for de menor ou de igual valor ao do bem jurídico protegido
então o caso é de estado de necessidade justificante.

10. Assinale a alternativa incorreta:


96
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) A omissão pode dar ensejo à reação em legítima defesa;


b) A honra masculina e o patrimônio de pouco valor podem ser defendidos por meio da legítima defesa;
c) Na legítima defesa, o meio necessário é aquele que se encontre ao alcance do defendente no momento da agressão e
uso moderado é aquele suficiente para neutralizar o ataque injusto;
d) A culpa imprópria pode estar caracterizada nos casos em que o agente supõe, por erro seu, estar atuando amparado
por uma das causas de exclusão de ilicitude;
e) Por orientação da doutrina, admite-se, de regra, a legítima defesa contra ataque praticado por crianças, doentes
mentais e animais, não se exigindo, nesses casos, o comodus dissensus.

11. Assinale a alternativa correta:

a) Induzimento e instigação são espécies de co-autoria;


b) Segundo a teoria restritiva, autor é sinônimo de causador e, por isso, todo aquele que põe uma causa para o resultado
típico responde a título de autoria;
c) Não se admite a autoria mediata nem nos crimes culposos e nem nos crimes de mão própria;
d) Autoria colateral se dá quando apenas um dos concorrentes tem vontade de colaborar para a obra comum, ou seja,
quando o liame subjetivo é unilateral, estando ausente o acordo plúrimo de vontades;
e) Não há crimes de concurso necessário na legislação penal brasileira em vigor.

12. Assinale a alternativa correta:

a) As circunstâncias qualificadoras de natureza objetiva não se comunicam entre os concorrentes;


b) Os motivos que qualificam o delito e as elementares de caráter pessoal sempre se comunicam entre os concorrentes;
c) A participação só é punível se a conduta do autor caracterizar, ao menos, uma tentativa de crime;
d) Instigação e induzimento são formas de cumplicidade para a prática do delito;
e) Admite-se participação culposa e dolosa em crime culposo.

13. Assinale a alternativa correta:

a) A Constituição Federal brasileira não admite, em caso algum, a cominação da pena de morte;
b) No entendimento do Superior Tribunal de Justiça, após observado o critério trifásico, o magistrado não pode fixar a
pena em quantum inferior ao mínimo legal;
c) As circunstâncias atenuantes não se aplicam para o agente que não tenha concorrido com consciência e vontade para a
sua caracterização;
d) No concurso entre circunstância atenuantes e agravantes deve preponderar as de caráter objetivo;
e) O reincidente, condenado ao cumprimento da pena de detenção, não pode iniciar o cumprimento da pena privativa de
liberdade em regime fechado.

Gabarito: 01. E / 02. E / 03. D / 04. E / 05. E / 06. C / 07. E / 08. B / 09. D / 10. E / 11. C / 12. C / 13. E

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova para o Ministério Público do Estado do Paraná (2004), selecionadas
por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Técio, fiscal da Receita Federal, de comum acordo com Tibério que, recentemente nomeado para o mesmo cargo,
ainda não havia assumido as suas funções, consciente e voluntariamente empregam meios vexatórios na cobrança de
imposto devido à receita por Cássio, proprietário de certo estabelecimento comercial, expondo-o à vergonha, por ser
inimigo de ambos. Assim agindo, submeteram Cássio à situação vexatória não autorizada em lei, consubstanciada na
interdição ilegal do estabelecimento comercial, na presença de pessoas que ali se encontravam. Considerando a
situação hipotética acima descrita, assinale a opção correta.
97
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) Mesmo desconsiderando o concurso de agentes, Tibério não responderia por crime contra a administração pública,
tendo em vista que, embora já tivesse sido nomeado para o cargo de fiscal da Receita Federal, ainda não havia, ao tempo
do fato assumido as suas funções, o que afasta a qualidade de funcionário público, que é requisito essencial dos crimes
contra a administração pública.
b) A circunstância "funcionário público" de Técio não se comunica a Tibério, pois é condição de caráter pessoal.
c) Para a consumação do crime acima descrito é indispensável que haja o recebimento do tributo cobrado pelo sujeito
ativo, pois, caso contrário, haverá apenas tentativa perfeita.
d) O delito acima descrito diferencia-se do crime de corrupção passiva porque nesta o funcionário solicita ou recebe
vantagem indevida, enquanto no excesso de exação o funcionário emprega na cobrança do tributo meio vexatório ou
gravoso, que a lei não autoriza.
e) Se o funcionário desvia, em proveito próprio, o que recebeu indevidamente em razão da conduta supra mencionada,
incorre nas mesmas penas, havendo no caso post factum impunível ou mero exaurimento do crime.

02. Considerando o tema crimes contra a organização do trabalho é correto afirmar que:

I - No delito de atentado contra a liberdade de trabalho o constrangimento só é tipificado quando ele é praticado através
de violência ou grave ameaça.
II - No delito de atentado contra a liberdade de trabalho não há possibilidade da forma tentada.
III - A exortação ao direito de greve tipifica o delito de atentado contra o a liberdade de trabalho.
IV - Não havendo ofensa à organização geral do trabalho ou direito dos trabalhadores coletivamente considerados,
compete à justiça comum estadual o processo e julgamento do fato.

a) Apenas a afirmativa I está incorreta.


b) Apenas a afirmativa II está correta.
c) Apenas a afirmativa III está correta.
d) Apenas a afirmativa IV está incorreta.
e) As afirmativas I e IV estão corretas.

03. Considerando o tema crimes contra a organização do trabalho é correto afirmar que:

I - O delito de frustração de direito assegurado por lei trabalhista é norma penal em branco.
II - A inadimplência de obrigação trabalhista caracteriza o delito de frustração de direito assegurado por lei trabalhista.
III - Compete a Justiça Comum o processamento e julgamento dos feitos relativos aos crimes praticados contra a
organização do trabalho quando atingirem apenas determinado ou determinados empregados.
IV - A conduta típica do delito de aliciamento para o fim de emigração é aliciar.

a) Apenas a afirmativa I está incorreta.


b) Apenas a afirmativa II está correta.
c) Apenas a afirmativa III está correta.
d) As afirmativas I e III estão corretas.
e) As afirmativas I e III estão incorretas.

04. Em determinada casa noturna, Leandro e Efigênio tiveram áspera discussão com Cláudio. Pretendendo matar o
desafeto, eles sacaram de facas, investindo contra Cláudio, que, desarmado, saiu em disparada. Perseguido pelos seus
algozes, ele caiu dentro de um rio, bateu com a cabeça numa pedra, perdeu os sentidos e, em conseqüência, morreu
por afogamento. Esta situação pode ser assim interpretada:

a) configura-se hipótese de homicídio privilegiado


b) houve cometimento de um homicídio culposo
c) deu-se caso de homicídio praeterdoloso
d) há caracterização de homicídio doloso
e) não há configuração de crime

98
Questões de Direito Penal e Processual Penal
05. Matar alguém sob o domínio de violenta emoção, logo após injusta provocação da vítima, caracteriza figura de:

a) legítima defesa
b) homicídio privilegiado
c) estado de necessidade
d) coação moral irresistível
e) exercício regular de direito

06. Na estrutura do ordenamento jurídico penal pátrio, a teoria a propósito do nexo causal é conhecida como:

a) concepção eclética
b) condição qualificada
c) causalidade adequada
d) conditio sine qua non
e) acepção naturalista híbrida

07. Eurico, em decorrência de sua função de serventuário do Tribunal de Justiça, exige para si vantagem que não lhe
era devida. Comete, assim, o crime de:

a) extorsão
b) concussão
c) prevaricação
d) corrupção ativa
e) corrupção passiva

08. Certo serventuário da Justiça, ciente e consciente da irregularidade da sua conduta, recebeu de uma das partes
litigantes em processo judicial quantia em dinheiro com o fito de ser entregue ao credor da ação de execução. Se o
dinheiro não é entregue ao destinatário, há prática de ato classificado como:

a) apropriação indébita
b) receptação
c) corrupção
d) peculato
e) furto

Gabarito: 01. D / 02. E / 03. D / 04. E / 05. B / 06. D / 07. B / 08. A

Nota: Questões de Direito Penal, extraídas da prova para cargo de escrivão do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Assinale a alternativa correta. No roubo impróprio, o crime:

a) se consuma com a subtração da coisa móvel alheia.


b) se consuma com a retirada da coisa móvel subtraída da esfera de vigilância da vítima.
c) não admite a forma tentada porque sua tentativa configuraria furto consumado ou tentado.
d) não admite a forma tentada porque se trata de crime formal.

02. João, em 20 de maio de 2000, culposamente atirou em sua mulher que veio a falecer em 23 de maio de 2000. Em 23
de maio de 2004, o juiz recebeu a denúncia contra João. A sentença transitada em julgado condenou João à pena
privativa de liberdade de 2 anos de detenção. Levando-se em conta que a pena privativa de liberdade de 2 anos
99
Questões de Direito Penal e Processual Penal
prescreve em 4 anos e que o termo inicial do prazo prescricional se inicia no dia em que o crime se consumou, assinale
a alternativa correta.

a) O fato se deu em 20 de maio de 2000. Entre o fato e o recebimento da denúncia (23 de maio de 2004), passaram-se
mais de quatro anos. Assim, temos a prescrição da pretensão punitiva in abstracto.
b) O fato se deu em 20 de maio de 2000. Entre o fato e o recebimento da denúncia (23 de maio de 2004), passaram-se
mais de quatro anos. Assim, temos a prescrição da pretensão punitiva retroativa.
c) O fato se deu em 23 de maio de 2000. Entre o fato e o recebimento da denúncia (23 de maio de 2004), passaram-se
mais de quatro anos. Assim, temos a prescrição da pretensão punitiva in abstracto.
d) O fato se deu em 23 de maio de 2000. Entre o fato e o recebimento da denúncia (23 de maio de 2004), passaram-se
mais de quatro anos. Assim, temos a prescrição da pretensão punitiva retroativa.

03. O advogado do acusado de um crime de estupro instrui a testemunha, por ele arrolada, a mentir no processo
criminal. A testemunha mente em juízo e, quando descoberta a mentira, antes da sentença, retrata-se dizendo a
verdade e que foi o advogado quem a orientou a mentir. Assinale a alternativa incorreta.

a) A testemunha recebe uma extinção de punibilidade pela retratação.


b) Não constitui prerrogativa do advogado orientar a testemunha a mentir.
c) O advogado responde como partícipe do crime de falso testemunho, por ter induzido a testemunha a mentir.
d) O advogado responde como autor do crime de falso testemunho por ter induzido a testemunha a mentir.

04. A respeito da rixa, conduta tipificada pelo art. 137 do Código Penal, assinale a alternativa correta.

a) O agente que participa de rixa responde pela prática do delito como partícipe.
b) O agente que participa de rixa responde pela prática do delito como autor.
c) Não se admite a responsabilização de agente como partícipe no crime de rixa.
d) O crime de rixa não admite concurso de agentes, porque é um crime plurissubjetivo.

05. Assinale a alternativa incorreta. Há extinção de punibilidade

a) pela representação da vítima em crime de ação penal privada, após um ano da ocorrência dos fatos.
b) pelo esquecimento do pedido de condenação, nas alegações finais, em processo de ação penal privada.
c) pelo casamento do agente com a vítima no crime de atentado ao pudor mediante fraude.
d) pela morte do agente e pela abolitio criminis.

06. Assinale a alternativa incorreta. O advogado que, em depoimento prestado, ao ser inquirido pelo magistrado,

a) com receio de praticar falso testemunho, revela informação obtida pelo cliente, não pratica crime de violação do
segredo, pela existência de justa causa.
b) revela segredo profissional, quando devidamente autorizado pela parte, não pratica crime de violação de segredo
profissional.
c) revela a idade de seu cliente, sem autorização do mesmo, tendo obtido tal informação pela imprensa, não pratica
crime de violação do segredo.
d) revela sua opinião pessoal quanto à idoneidade de seu cliente, não pratica crime de violação do segredo.

07. Assinale a alternativa incorreta.

a) No estelionato, o dolo surge antes da obtenção da vantagem.


b) No roubo impróprio, o crime se consuma com a subtração da coisa móvel alheia.
c) Na apropriação indébita, o dolo de apropriar-se surge após a obtenção da coisa.
d) Na extorsão, o crime se consuma com o constrangimento sofrido pela vítima, mesmo que a vantagem indevida não
seja auferida.

100
Questões de Direito Penal e Processual Penal

08. Marlindo, no elevador do prédio em que reside, na presença de duas pessoas, chama Merlindo, seu vizinho e
síndico, de incompetente, pela péssima administração do prédio em que residem, sabedor de que tal afirmação é falsa.
Merlindo, além de síndico, é Promotor de Justiça. Assinale a alternativa correta.

a) Marlindo praticou crime de difamação ao ofender a reputação de Merlindo, como síndico do prédio.
b) Marlindo praticou crime de difamação ao ofender a reputação de Merlindo, como síndico do prédio e Promotor de
Justiça.
c) Marlindo não praticou crime algum. Como morador do prédio, tem o direito de criticar a gestão de Merlindo.
d) Marlindo praticou crime de desacato à autoridade, uma vez que Merlindo é Promotor de Justiça.

09. Ex-marido que, há seis anos não convive mais com sua ex-mulher, agride-a em sua residência quando vai visitar
seus filhos, causando a perda da vista de seu olho esquerdo. O crime praticado é de lesão corporal de natureza:

a) gravíssima.
b) grave.
c) grave, com aumento especial de pena pela violência doméstica.
d) gravíssima, com aumento especial de pena pela violência doméstica.

10. "A" desferiu o primeiro tiro em "B" em 30 de março de 2000. Em 31 de março de 2000, "A" desferiu o segundo e
terceiro tiros em "B". "B" falece em 23 de abril de 2000. "A" foi condenado por homicídio doloso. Para fins de
prescrição, qual o início da contagem do prazo prescricional anterior ao trânsito em julgado da sentença final?

a) No dia 30 de março de 2000.


b) No dia 31 de março de 2000.
c) No dia 23 de abril de 2000.
d) Pelo princípio da ubiqüidade, dia 30 de março ou 31 de março de 2000.

Gabarito: 01 - C / 02 - D / 03 - D / 04 - B / 05 - C / 06 - A / 07 - B / 08 - A / 09 - C / 10 - C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova da OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada -
Bauru/SP.

01. A intimação do réu da sentença de pronúncia será feita sempre:

a) pessoalmente, se estiver preso.


b) pessoalmente e a seu defensor.
c) pessoalmente, esteja o réu preso ou solto.
d) mediante edital, se o réu não for encontrado.

02. Não pode o juiz, ao final da primeira fase do júri,

a) desclassificar para crime não doloso e condenar o réu por esse crime.
b) desclassificar para crime não doloso e enviar os autos para o juiz comum.
c) absolver o réu quando evidente a hipótese de legítima defesa.
d) impronunciar o réu e determinar o arquivamento dos autos.

03. Não será concedida fiança:

a) nos crimes punidos com detenção em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos.
b) em caso de prisão por mandado do juiz do cível.
101
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) nos crimes punidos com detenção em que a pena mínima cominada for superior a 4 (quatro) anos.
d) nos crimes punidos com pena de multa, se o réu já tiver sido condenado por outro crime.

04. Com relação à exceção de suspeição,

a) ela não precede a qualquer outra exceção.


b) não pode ser argüida contra membro do Ministério Público.
c) não pode ser argüida contra Presidente de Tribunal.
d) se julgada procedente, o juiz pagará as custas, nos casos de erro inescusável.

05. Com relação à sentença condenatória envolvendo crime ambiental,

a) deverá o juiz obrigatoriamente fixar o valor mínimo da reparação do dano.


b) deverá o juiz, somente quando possível, fixar o valor mínimo da reparação do dano.
c) não deverá o juiz fixar o valor da reparação do dano, a ser discutida no juízo cível.
d) deverá o juiz, após proferi-la, enviar os autos ao perito para estimar o valor da reparação.

06. Com relação ao procedimento criminal previsto na Lei de Falências,

a) compete ao Juiz de Falências conhecer da ação penal envolvendo crimes falimentares.


b) o administrador judicial apresentará ao Ministério Público a exposição circunstanciada.
c) todos os crimes previstos na referida lei se processam mediante ação penal pública incondicionada.
d) não se exige a exposição circunstanciada por parte do administrador judicial.

07. Com relação à entrega vigiada,

a) não tem previsão no direito brasileiro.


b) vem prevista na lei do crime organizado.
c) vem prevista na lei de tóxicos.
d) vem prevista na lei dos crimes hediondos.

08. Permite a lei que, mediante autorização judicial, venham a atuar como agentes infiltrados, os:

a) membros do Ministério Público.


b) agentes de inteligência.
c) policiais rodoviários.
d) presos que venham a colaborar para o desmantelamento da organização criminosa.

09. Não pode o juiz das execuções:

a) declarar extinta a punibilidade.


b) decidir sobre livramento condicional.
c) decidir sobre prescrição.
d) decidir sobre suspensão condicional do processo.

10. Exige-se a prova do direito à ação, não sendo recebida a denúncia ou queixa se não for instruída com o exame
pericial, nos crimes:

a) de falência.
b) praticados por funcionário público.
c) contra a propriedade imaterial.
102
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) contra a economia popular.

Gabarito: 01 - A / 02 - A / 03 - B / 04 - D / 05 - B / 06 - C / 07 - C / 08 - B / 09 - D / 10 - C

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas da prova da OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra,
advogada - Bauru/SP.

01. Regra geral, a prescrição, antes de transitar em julgado a sentença final:

a) começa a correr do dia da ação ou omissão, incluindo-se no cômputo do prazo o dia do começo, pois o Código Penal
seguiu a teoria da atividade ao estabelecer o momento do crime;
b) começa a correr do dia do resultado, levando-se em conta a regra do art. 798, §1º, do Código de Processo Penal, pois
prescrição, embora em parte disciplinada no Código Penal, é matéria eminentemente processual;
c) começa a correr do dia da ação ou omissão apenas se o agente era, ao tempo do crime, menor de vinte e um anos de
idade;
d) regula-se pelo máximo da pena privativa de liberdade cominada ao crime, computando-se nesse prazo as causas
especiais de aumento e de diminuição de pena, com exceção do concurso e da continuidade.

02. É correto dizer:

a) que o princípio da reserva legal não impede a utilização de norma penal em branco, mas impede a utilização de
conceito jurídico indeterminado na tipificação de infração penal;
b) que o princípio da reserva legal não impede a utilização de norma penal em branco nem de conceito jurídico
indeterminado na tipificação de infração penal;
c) que é sempre retroativa a norma complementar de norma penal em branco, mais benéfica, desde que homogênea
(originária da mesma fonte que expediu a norma complementada), ainda que temporária;
d) que, apesar do princípio da retroatividade da lei mais benéfica, a retroatividade de norma complementar heterogênea
(proveniente de fonte diversa) de norma penal em branco depende de previsão legal específica.

03. No direito penal:

a) é totalmente irrelevante o desconhecimento da lei;


b) tem certa relevância a obediência a ordem de superior hierárquico, mesmo manifestamente ilegal;
c) só tem relevância arrependimento do agente que, voluntariamente, desiste de prosseguir na execução ou impede que
o resultado se produza;
d) depois do Código Civil de 2002, não há relevância no fato de o agente contar entre dezoito e vinte e um anos de idade.

04. Sobre as causas especiais de aumento ou diminuição de pena é correto afirmar:

a) que, independentemente de sua situação no texto do Código Penal, o juiz deve sempre limitar-se a um só aumento ou
a uma só diminuição, prevalecendo, todavia, a causa que mais aumente ou diminua;
b) que o juiz, se pode aplicar um só aumento ou uma só diminuição, também pode, independentemente de motivação,
aplicar mais de um aumento ou de uma diminuição;
c) as causas de aumento e de diminuição de pena permitem, respectivamente, elevação acima da pena máxima ou
diminuição abaixo da pena mínima prevista, em tese, para o crime;
d) as causas de diminuição permitem diminuição abaixo do mínimo legal, mas as de aumento não podem elevar a pena
acima do limite previsto, em tese, para o crime.

05. O conflito aparente de normas penais é resolvido:

a) pelos princípios da especialidade, da subsidiariedade e da consunção, alguns autores incluindo também o princípio da
alternatividade;
103
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) pelos princípios da especialidade e da consunção, não dizendo respeito à questão o princípio da subsidiariedade, que é
relativo à ação penal;
c) exclusivamente pelo princípio da especialidade;
d) pelos princípios da especialidade e da subsidiariedade.

06. Quatro pessoas (maiores de dezoito anos) associaram-se no Estado do Amazonas, fronteira com a Colômbia, para
falsificação de uma partida de papel-moeda e subseqüente exportação, venda, troca e, de modo geral, sua introdução
em circulação. Foram presos em flagrante quando empacotavam as cédulas falsificadas, sendo também apreendidos os
equipamentos de falsificação. Com tais ações, em tese, praticaram:

a) crimes de quadrilha ou bando, posse de petrechos para falsificação de moeda e moeda falsa;
b) crimes de quadrilha ou bando e moeda falsa;
c) crimes de posse de petrechos para falsificação de moeda e moeda falsa;
d) apenas crime de moeda falsa.

07. Dentre as espécies de flagrante delito, assinale a alternativa que define o flagrante presumido ou ficto.

a) Considera-se em flagrante delito quem está cometendo a infração criminal.


b) Considera-se em flagrante delito quem acaba de cometer a infração penal.
c) Considera-se em flagrante delito quem é perseguido logo após, pela autoridade, ou qualquer pessoa em situação que
faça presumir ser o autor da infração.
d) Considera-se em flagrante delito quem é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que
façam presumir ser ele o autor da infração penal.

08. É compatível com o Estado de direito e o princípio da legalidade:

a) proibir edição de normas penais em branco.


b) criar crimes, fundamentar ou agravar penas através da aplicação de analogia.
c) criar crimes e penas com base nos costumes.
d) proibir incriminações vagas e indeterminadas.

09. Analise os seguintes elementos:

I - imputabilidade;
II - potencial consciência sobre a ilicitude do fato;
III - exigibilidade de conduta diversa;
IV - culpa ou dolo;
V - conduta comisssiva.

Segundo a concepção finalista, constituem os elementos da culpabilidade:

a) II e III, apenas.
b) III e V, apenas.
c) I, II e III, apenas.
d) I, II e IV, apenas.

10. Considera-se partícipe de um crime aquele que:

a) auxilia a subtrair-se à ação de autoridade pública autor de crime a que é cominada pena de detenção ou reclusão.
b) pratica a conduta descrita no tipo penal, juntamente com seu comparsa.
c) pratica a conduta descrita no tipo penal sob o efeito de substância entorpecente.
d) induz, instiga ou auxilia na prática do crime, embora não pratique conduta típica.

104
Questões de Direito Penal e Processual Penal

Gabarito: 01. D / 02. B / 03. B / 04. C / 05. A / 06. D / 07. D / 08. D / 09. C / 10. D

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas de diversos concursos, selecionadas por Alinne Soares Guerra,
advogada - Bauru/SP.

01. Nos processos dos Juizados Especiais Criminais, o interrogatório, na audiência única de instrução, debates e
julgamento, é

a) feito após serem inquiridas as testemunhas de acusação e de defesa.


b) o primeiro ato após o recebimento da denúncia.
c) feito após serem ouvidas as testemunhas de acusação e antes de serem ouvidas as testemunhas de defesa.
d) feito antes de o Juiz receber a denúncia.

02. João foi acusado de ter cometido roubo qualificado em virtude do emprego de arma. Em face do crime a ele
imputado,

a) não terá direito à liberdade provisória sem fiança.


b) deve ser decretada sua prisão preventiva.
c) o processo seguirá o rito sumário.
d) se condenado, poderá progredir de regime.

03. Aponte a alternativa que NÃO corresponde a norma da Constituição Federal.

a) A prisão, exceto em flagrante delito, depende de decisão judicial fundamentada.


b) Não se admite prova obtida por meios ilícitos.
c) No terrorismo, não será admitida progressão de regime.
d) As Comissões Parlamentares de Inquérito têm poderes de investigação próprios da autoridade judiciária.

04. João é acusado de dois crimes de roubo qualificado cometidos em São Paulo e de cinco furtos qualificados
cometidos em Osasco. Os crimes são conexos. O foro competente para o processo e o julgamento de todos os crimes
será, segundo o Código de Processo Penal, o da comarca de

a) São Paulo.
b) Osasco.
c) São Paulo ou Osasco, fixando-se a competência pela prevenção.
d) São Paulo ou Osasco, fixando-se a competência pelo lugar da distribuição do primeiro inquérito.

05. No processo penal, não se admite

a) processo com acusado revel, ainda que tenha defensor constituído.


b) citação com hora certa.
c) apelação em liberdade em caso de condenação por crime hediondo.
d) fiança em crimes punidos com reclusão.

06. A competência originária para julgar Governador de Estado é

a) do Juiz de Direito de primeira instância.


b) do Tribunal de Justiça.
c) do Superior Tribunal de Justiça.
d) do Supremo Tribunal Federal.

105
Questões de Direito Penal e Processual Penal

07. Em relação ao júri, assinale a alternativa INCORRETA.

a) No sistema brasileiro, adota-se a regra da soberania dos veredictos.


b) O corpo de jurados é composto por sete membros.
c) Não se admite julgamento à revelia, seja o crime afiançável ou não.
d) Admite, por uma vez, apelação contra decisão manifestamente contrária à prova dos autos.

08. O juízo de retratação é admitido

a) no recurso em sentido estrito.


b) na apelação.
c) no protesto por novo júri.
d) nos embargos infringentes.

09. Um Juiz determinou interceptação telefônica atendendo representação da autoridade policial para investigação de
ameaça que vinha sendo cometida por telefone. Ele

a) agiu ilegalmente porque, embora a interceptação telefônica esteja permitida na Constituição, não há lei que a regule.
b) agiu ilegalmente porque a interceptação telefônica, segundo a lei que a regula, não pode ser deferida em face de
representação da autoridade policial.
c) agiu legalmente porque está autorizado, pela lei que regula a interceptação telefônica, a determinar a interceptação
em qualquer crime e atendendo representação da autoridade policial.
d) agiu ilegalmente porque a lei que regula a interceptação telefônica somente a permite em crimes punidos com
reclusão.

10. Segundo o Código de Processo Penal, o Juiz, na sentença,

a) poderá dar ao fato definição jurídica diversa da que constar da queixa ou da denúncia, se não for aplicar pena mais
grave.
b) poderá condenar, nos crimes de ação pública, ainda que o Ministério Público tenha opinado pela absolvição.
c) não poderá, em caso de absolvição, aplicar medida de segurança.
d) não poderá reconhecer agravante que não tenha sido alegada.

11. Para interposição de Agravo de Instrumento contra despacho denegatório de seguimento de recurso especial e
extraordinário em matéria penal, o prazo é de

a) 05 (cinco) dias.
b) 08 (oito) dias.
c) 10 (dez) dias.
d) 15 (quinze) dias.

12. A sentença penal absolutória transitada em julgado, proferida por juiz incompetente, é

a) nula.
b) válida.
c) anulável.
d) inexistente.

13. Qual o recurso cabível em face da decisão de um juiz de primeira instância que concede ou nega ordem de habeas
corpus?

106
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) Recurso ordinário.
b) Apelação.
c) Recurso em sentido estrito.
d) Carta testemunhável.

14. Sobre as Medidas Assecuratórias, pode-se afirmar que

a) pode, o prejudicado, opor embargos de terceiro a qualquer tempo, de acordo com as regras do Código de Processo
Civil, cumulada com a autorização do art. 129 do CPP.
b) caberá o seqüestro de bens imóveis, adquiridos pelo indiciado com os proventos ou não da infração, desde que não
tenham sido transferidos a terceiro.
c) deverá ser pronunciada decisão nos embargos opostos pelo acusado, antes da sentença criminal final, sob pena de se
constituir constrangimento ilegal.
d) a Hipoteca legal tem as finalidades únicas de quitação das custas do processo e da eventual multa imposta pela
sentença condenatória.

15. Com relação aos recursos no processo penal, é incorreto dizer que

a) da sentença absolutória, o prazo para o ofendido interpor recurso de apelação, ou, na falta deste, do cônjuge,
ascendente, descendente ou irmão, caso não interposto pelo Ministério Público no prazo legal, é de 15 (quinze) dias,
desde que não habilitado anteriormente.
b) a revisão dos processos findos poderá ser requerida em qualquer tempo, antes da extinção da pena ou após.
c) caberá recurso em sentido estrito nos casos em que se decidir o incidente de falsidade.
d) assinado o termo de apelação, o apelante e o apelado, respectivamente, terão o prazo de 08 (oito) dias cada um para
oferecer razões, seja no processo comum ou nos processos de contravenção.

16. A decisão judicial que determina o trancamento de um inquérito policial admite, por parte do defensor da vítima,

a) interposição de recurso de agravo.


b) interposição do recurso de apelação.
c) interposição de recurso em sentido estrito.
d) reabertura do inquérito policial, desde que novas provas surjam acerca da materialidade ou da autoria.

17. No Tribunal do Júri, se o acusado é denunciado por tentativa de homicídio, e, posteriormente, ainda durante o
processo, se constata que a vítima faleceu em face da conduta inicial do acusado, pode o defensor, assistindo ao
Ministério Público, solicitar

a) que haja, por parte do Ministério Público, o aditamento da imputação por homicídio consumado ao invés de homicídio
tentado.
b) ao Ministério Público que instaure novo processo criminal, agora por homicídio consumado.
c) ao final do processo a suficiente aplicação do art. 383, do CPP.
d) ao juiz que adite a denúncia, substituindo a acusação de homicídio tentado por homicídio consumado.

18. A transação penal é instituto aplicável, desde que cumpridos os requisitos subjetivos

a) às contravenções penais e aos crimes a que a lei comine pena máxima não superior a um ano, com exceção dos casos
cujo procedimento é especial.
b) aos crimes em que a pena mínima cominada for igual ou inferior a um ano.
c) às contravenções penais e aos crimes a que a lei comine pena máxima não superior a dois anos, cumulada ou não com
multa.
d) aos crimes hediondos.

107
Questões de Direito Penal e Processual Penal
19. Nos autos de um inquérito policial que apura crime tributário, foi decretada judicialmente a quebra de sigilo
bancário do investigado. Seu advogado constituído regularmente requer vista dos autos na Delegacia de Polícia, o que
lhe é negado. O Delegado argumenta que o inquérito agora corre em sigilo, pois foram juntados extratos e outros
documentos bancários. O advogado

a) deve impetrar mandado de segurança, com fundamento no art. 7.o, inc. XIV, da Lei n.o 8.906/94.
b) nada pode fazer, em razão do disposto no art. 20 do Código de Processo Penal, devendo aguardar o início da ação
penal.
c) deve impetrar habeas corpus, com fundamento no art. 7.º, inc. XIV, da Lei n.o 8.906/94.
d) pode interpor apelação ao Juiz, requerendo que exerça seu poder de controle dos atos policiais.

20. Assinale a alternativa correta no que tange aos recursos.

a) O Ministério Público poderá desistir do recurso que haja interposto.


b) Caberá apelação da decisão que indeferir o pedido de reconhecimento da prescrição.
c) O réu não poderá apelar de sentença absolutória proferida em primeira instância.
d) O Juiz de 1.º grau deverá recorrer de ofício da sentença que conceder habeas corpus.

Gabarito: 01 - A - 02 - D - 03 - C - 04 - A - 05 - B - 06 - C - 07 - C - 08 - A - 09 - D - 10 - B - 11 - A - 12 - B - 13 - C - 14 - A - 15 -
D - 16 - D - 17 - A - 18 - C - 19 - A - 20 - D

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas da OAB/SP, selecionadas por Vanessa Gonçalves
Daniel, advogada, Bauru/SP.

01. Aponte a alternativa que contém três crimes praticados por particular contra a Administração Pública.

a) Peculato, concussão e advocacia administrativa.


b) Desacato, corrupção ativa e desobediência.
c) Peculato, desacato e corrupção passiva.
d) Concussão, corrupção ativa e advocacia administrativa.

02. Francisco de Assis Toledo, in O erro no direito penal (Saraiva, 1977, p. 21), ao se referir à teoria finalista, afirmou: "a
... ganha um elemento - a consciência da ilicitude (consciência do injusto) - mas perde os anteriores elementos anímico-
subjetivos - o dolo e a culpa stricto sensu - reduzindo-se, essencialmente, a um juízo de censura." Com essa frase ele
está se referindo à

a) antijuridicidade.
b) relação de causalidade.
c) culpabilidade.
d) tipicidade.

03. Entre as afirmativas seguintes, assinale a que corresponde à nova Lei Antitóxicos (Lei n.º 11.343/2006).

a) A nova lei não permite que se aplique qualquer tipo de sanção ao usuário.
b) A nova lei manteve o mesmo procedimento da lei antiga (Lei n.º 6.368/1976).
c) A nova lei pune o crime de tráfico de entorpecente na mesma gravidade com que era punido na lei antiga (Lei n.º
6.368/1976).
d) A nova lei cria crime inexistente na lei anterior (Lei n.º 6.369/1976) consistente no oferecimento eventual de droga,
sem intuito de lucro, a pessoa de relacionamento do agente, para juntos consumirem.

04. Veja o seguinte tipo: "Adquirir, em proveito próprio ou alheio, no exercício de atividade comercial, coisa que deve
saber ser produto de crime." Corresponde ao crime de
108
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) fraude no comércio.
b) dano qualificado.
c) receptação qualificada.
d) favorecimento real.

05. Assinale a alternativa INCORRETA sobre o crime de homicídio culposo.

a) O crime de homicídio admite a forma culposa.


b) Além do homicídio culposo definido no Código Penal, existe o homicídio culposo de trânsito, definido no Código de
Trânsito.
c) A pena do homicídio culposo pode ser agravada se o agente deixa de prestar imediato socorro à vítima.
d) O Juiz não pode, no homicídio culposo, deixar de aplicar a pena.

06. Assinale a alternativa correta sobre aberratio ictus, que ocorre quando o agente, por acidente ou erro no uso dos
meios de execução, em vez de atingir a pessoa que pretendia ofender, atinge pessoa diversa.

a) O agente responde como se tivesse praticado o crime contra a pessoa que pretendia ofender.
b) Não é possível ocorrer a aberratio ictus numa causa justificativa.
c) No caso de ser também ofendida a pessoa que o agente pretendia ofender, aplica-se a regra do concurso material.
d) As expressões aberratio ictus e aberratio criminis são sinônimas.

07. Em caso de condenação à pena privativa de liberdade de 03 (três) anos de reclusão, o condenado

a) tem direito, necessariamente, de iniciar o cumprimento da pena em regime semi-aberto.


b) tem direito, independentemente de sua idade ou condição,
à suspensão condicional da pena.
c) não tem direito, se for condenado por crime cometido mediante violência ou grave ameaça, a que a pena privativa seja
substituída por penas restritivas de direito.
d) não tem direito, se for reincidente em crime doloso ou culposo, à substituição da pena privativa por pena restritiva de
direito.

08. Sobre a reincidência, é correto afirmar que, segundo súmula do Superior Tribunal de Justiça,

a) a reincidência penal pode ser considerada como circunstância agravante e, simultaneamente, como circunstância
judicial.
b) a incidência da reincidência pode conduzir ao aumento da pena acima do máximo legal.
c) em caso de reincidência, não é possível o livramento condicional.
d) a reincidência não influi no prazo da prescrição da pretensão punitiva.

09. Em relação ao concurso de pessoas, é INCORRETO afirmar que

a) ele pode realizar-se por meio de co-autoria e participação.


b) co-autor é quem executa, juntamente com outras pessoas, a ação ou omissão que caracteriza a infração penal.
c) o partícipe realiza a conduta descrita pelo tipo penal.
d) o partícipe pratica uma conduta que contribui para a realização da infração penal, embora não esteja descrita no tipo
penal.

10. Pretendendo matá-lo, Fulano coloca veneno no café de Sicrano. Sem saber do envenenamento, Sicrano ingere o
café. Logo em seguida, Fulano, arrependido, prescreve o antídoto a Sicrano, que sobrevive, sem qualquer seqüela.
Diante disso, é correto afirmar que se trata de hipótese de

109
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) crime impossível, pois o meio empregado por Fulano era absolutamente ineficaz para obtenção do resultado
pretendido.
b) tentativa, pois o resultado não se consumou por circunstâncias alheias à vontade de Fulano.
c) arrependimento posterior, pois o dano foi reparado por Fulano até o recebimento da denúncia.
d) arrependimento eficaz, pois Fulano impediu voluntariamente que o resultado se produzisse.

11. Aponte a alternativa correta.

a) A pena restritiva de direitos não se converte em privativa de liberdade quando ocorrer o descumprimento injustificado
da restrição imposta.
b) Se o condenado for reincidente, o juiz não poderá aplicar a substituição.
c) Sobrevindo condenação a pena privativa de liberdade, por outro crime, o juiz da execução penal decidirá sobre a
conversão, podendo deixar de aplicá-la, se for possível ao condenado cumprir a pena substitutiva anterior.
d) Na condenação superior a um ano, a pena privativa de liberdade pode ser substituída por multa ou por uma pena
restritiva de direitos.

12. Qual das alternativas não representa uma qualificadora do crime de dano (art. 163, do CP)?

a) Lesão ao patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de
economia mista.
b) Violência à pessoa ou grave ameaça.
c) Assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou a vantagem de outro crime.
d) Emprego de substância inflamável ou explosiva.

13. Sentença absolutória imprópria constitui a sentença que

a) absolveu um autor em detrimento de outro, equivocando-se na fundamentação.


b) absolveu o autor quando a medida correta seria a condenação.
c) absolveu com fundamento em dispositivo equivocado do CPP.
d) estabeleceu ao autor a imposição de uma medida de segurança.

14. Homicídio privilegiado e concomitantemente qualificado é possível quando

a) as circunstâncias do privilégio são subjetivas e os elementos da qualificadora são objetivos.


b) as circunstâncias do privilégio são subjetivas e os elementos da qualificadora são subjetivos.
c) a vítima for menor de 14 anos ou maior de 60 anos.
d) as circunstâncias do privilégio são objetivas e os elementos da qualificadora são objetivos.

15. Não comete o crime de desobediência quem

a) como supervisor, recebe pessoalmente ordem justa e legal do delegado de polícia, endereçada ao presidente da
empresa, com a finalidade de cumprir determinação e não o faz.
b) recebe pessoalmente ordem legal de funcionário público, mas a considera injusta e não a cumpre.
c) regularmente intimado apenas para contribuir para a Justiça como jurado, deixa de comparecer à respectiva sessão do
Tribunal do Júri, sem justificar a ausência.
d) apesar de receber ordem legal pessoalmente, tendo em vista não concordar com o requerido, decide, após o prazo
estipulado pela autoridade, não cumprir a ordem.

16. Sobre a prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, assinale a alternativa incorreta.

a) Consiste na atribuição de tarefas gratuitas ao condenado.


b) Deve ser aplicada nas condenações acima de 01 (um) mês e até 02 (dois) anos de privação de liberdade.
110
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) Dar-se-á em entidades assistenciais, hospitais, escolas, orfanatos e outros estabelecimentos congêneres, em programas
comunitários ou estatais.
d) Se a pena substituída for superior a um ano, é facultado ao condenado cumprir a pena substitutiva em menor tempo,
nunca inferior à metade da pena privativa de liberdade fixada.

17. O art. 306 da Lei n.o 9.503/97 dispõe ser crime "conduzir veículo automotor, na via pública, sob a influência de
álcool ou substância de efeitos análogos, expondo a dano potencial a incolumidade de outrem". Trata-se de crime de

a) dano.
b) perigo abstrato.
c) menor potencial ofensivo.
d) perigo concreto.

18. João, jornalista, escreve um artigo no Jornal "A Cidade", afirmando mentirosamente que a empresa X, que
confecciona roupas, sonega impostos e utiliza matéria-prima roubada. Qual a tipificação a ser conferida a tal mentira?

a) Crime de injúria, descrito no art. 22 da Lei n.º 5.250/67.


b) Crime de calúnia, descrito no art. 138 do Código Penal.
c) Crime de difamação, descrito no art. 21 da Lei n.º 5.250/67.
d) Crime de concorrência desleal, descrito no art. 195, inc. I,
da Lei n.º 9.279/96.

19. Pedro está conduzindo sua bicicleta em via pública. Em um momento de distração, acaba por abalroar Alexandre,
causando-lhe lesões corporais. Diante do evento transcrito, é correto afirmar que o crime de lesão corporal,
eventualmente praticado por Pedro, possui caráter

a) doloso, e para que ele seja processado criminalmente, é imprescindível o oferecimento de representação por parte da
vítima, Alexandre.
b) culposo, e para que ele seja processado criminalmente, é imprescindível o oferecimento de representação por parte da
vítima, Alexandre.
c) culposo, e para que ele seja processado criminalmente, é desnecessário o oferecimento de representação por parte da
vítima, Alexandre.
d) doloso, e para que ele seja processado criminalmente, é desnecessário o oferecimento de representação por parte da
vítima, Alexandre.

Gabarito: 01 - B - 02 - C - 03 - D - 04 - C - 05 - D - 06 - A - 07 - C - 08 - D - 09 - C - 10 - D - 11 - C - 12 - C - 13 - D - 14 - A - 15 -
A - 16 - B - 17 - D - 18 - C - 19 - B

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas da OAB/SP, selecionadas por Vanessa Gonçalves Daniel, advogada,
Bauru/SP.

01. A propósito da competência por prerrogativa de função:

a) Será julgado pelo Tribunal de Justiça o juiz de direito ou o promotor de justiça ou o prefeito acusado de crime de
competência da Justiça Federal, praticado no exercício do cargo, prevalecendo, conforme lei, a competência por
prerrogativa de função mesmo se iniciada a ação penal após a cessação do exercício funcional;
b) Será julgado pelo Tribunal Regional Federal o juiz de direito ou o promotor de justiça ou o prefeito acusado de crime de
competência da Justiça Federal, praticado no exercício do cargo, tendo sido cancelada súmula do STF que estabelecia
prevalecer a competência especial por prerrogativa de função mesmo após cessado o exercício funcional;
c) Será julgado pelo Tribunal de Justiça o juiz de direito ou o promotor de justiça, mas não o prefeito, acusado de
qualquer crime de competência da Justiça Federal, praticado durante o exercício do cargo, sujeito o prefeito a julgamento

111
Questões de Direito Penal e Processual Penal
perante o Tribunal Regional Federal e prevalecendo, conforme lei, a competência por prerrogativa de função mesmo se
iniciada a ação penal após a cessação do exercício funcional;
d) Será julgado pelo Tribunal de Justiça o juiz de direito ou o promotor de justiça, mas não o prefeito, acusado de crime
de competência da Justiça Federal, praticado no exercício do cargo, sujeito o prefeito a julgamento perante o Tribunal
Regional Federal e prevalecendo, conforme lei, a competência por prerrogativa de função mesmo se iniciada a ação penal
após a cessação do exercício funcional.

02. Se o Ministério Público requer o arquivamento do inquérito policial:

a) não cabe ação penal privada subsidiária da pública, pois o pedido de arquivamento não pode ser equiparado a
omissão;
b) cabe ação penal privada subsidiária da pública, pelo ofendido ou por quem tenha qualidade para representá-lo, no
prazo decadencial de seis meses;
c) cabe ação penal privada subsidiária da pública, desde que proposta pelo ofendido ou por quem tenha qualidade para
representá-lo, enquanto não ocorrer a prescrição;
d) cabe ação penal privada subsidiária da pública apenas em relação a elemento ou circunstância do crime complexo que,
por si mesmo, constitua crime de ação privada.

03. Pela sistemática constitucional, o conflito de jurisdição, em matéria penal:

a) entre juiz estadual e juiz federal, será julgado pelo Tribunal Regional Federal da respectiva região, em qualquer
hipótese, em face de prevalência da competência especializada da Justiça Federal;
b) entre juiz estadual e juiz federal, será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça, em qualquer hipótese, não havendo
possibilidade, em matéria penal, de juiz estadual exercer jurisdição federal;
c) entre juiz estadual, no exercício de jurisdição federal, e juiz federal, será julgado pelo Tribunal Regional Federal da
respectiva região, se bem que a Lei n. 10.409/2002 não reproduziu a disposição do art. 27 da Lei n. 6.368/76;
d) entre juiz estadual e juiz federal, em processo por qualquer crime de tráfico de entorpecentes, será julgado pelo
Tribunal Regional Federal da respectiva região.

04. Assinale a opção correta:

a) Por disposição constitucional, o civilmente identificado não será submetido a identificação criminal.
b) Por disposição constitucional, o civilmente identificado não será submetido a identificação criminal, salvo nas hipóteses
previstas em lei, não havendo lei, superveniente à Constituição de 1988, que preveja hipóteses de identificação criminal.
c) O civilmente identificado não será submetido a identificação criminal, salvo, exclusivamente, se estiver indiciado ou
acusado pela prática de crime de falsificação de documento público.
d) O civilmente identificado será identificado criminalmente quando estiver indiciado ou acusado pela prática de
homicídio doloso, receptação qualificada, crimes contra a liberdade sexual e outros crimes especificamente indicados em
lei.

05. Assinale a opção correta:

a) O sigilo das comunicações telefônicas é objeto de norma constitucional de eficácia contida e ainda não há lei que
estabeleça as hipóteses e a forma de sua violação para fins de investigação criminal ou instrução processual penal.
b) Nos termos de lei específica, pode haver, em certos casos, violação do sigilo de comunicações telefônicas, que não
poderá exceder o prazo de quinze dias, por determinação judicial.
c) Pode haver, em certos casos, violação do sigilo de comunicações telefônicas, que não poderá exceder o prazo de quinze
dias, renovável uma única vez, por determinação judicial.
d) Pode haver, em certos casos, violação do sigilo de comunicações telefônicas, que não poderá exceder o prazo de
quinze dias, renovável, justificadamente, por quantas vezes for necessário.

06. Assinale a opção incorreta:

112
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) Intimada a defesa da expedição de carta precatória, torna-se desnecessária nova intimação da data da audiência no
juízo deprecado.
b) Em princípio, é válido o interrogatório do réu feito por precatória.
c) Quando a própria autoridade policial ou judiciária não a realizar pessoalmente, a busca domiciliar deverá ser precedida
da expedição de mandado.
d) A participação de membro do Ministério Público na fase investigatória criminal não acarreta o seu impedimento ou
suspeição para o oferecimento da denúncia.

07. No momento de proferir a sentença, o juiz:

a) se entender que deve ser dada ao fato descrito na denúncia definição jurídica diversa da que ali consta, não terá que
baixar o processo para manifestação da defesa ou do Ministério Público, ainda que, em conseqüência, tenha que aplicar
pena mais grave;
b) se entender que deve ser dada ao fato descrito na denúncia definição jurídica diversa da que ali consta,
independentemente do resultado, baixará o processo para que haja prévia manifestação do Ministério Público e da
defesa;
c) se entender que deve ser dada ao fato descrito na denúncia definição jurídica diversa da que ali consta, baixará o
processo para que haja manifestação da defesa apenas se, em conseqüência, tiver que aplicar pena mais grave;
d) se entender que deve ser dada ao fato descrito na denúncia definição jurídica diversa da que ali consta, baixará o
processo para manifestação da defesa se a nova definição jurídica do fato decorrer de elementar provada nos autos,
embora não contida na denúncia, que leve à aplicação de pena mais grave.

08. A expressão "circunstância elementar", empregada em dispositivo do Código de Processo Penal que trata da
mutatio libelli refere-se:

a) às elementares propriamente ditas, ou seja, aos componentes básicos, essenciais ou fundamentais do tipo;
b) às elementares propriamente ditas, assim como às causas especiais de aumento e de diminuição de pena e às
qualificadoras;
c) às elementares propriamente ditas, assim como às circunstâncias agravantes e atenuantes, às causas de aumento e
diminuição de pena e às qualificadoras;
d) às "circunstâncias" acessórias, ou seja, àquilo que está fora, que circunda o delito.

09. Conforme a jurisprudência predominante, o despacho de recebimento da denúncia:

a) é ato decisório, devendo ser fundamentado, em atenção ao disposto no art. 93, IX, da Constituição Federal, sob pena
de nulidade;
b) é ato decisório, e sua fundamentação, apesar de indispensável, pode ser sucinta;
c) não é ato decisório, mas mesmo assim deve ser fundamentado, sob pena de nulidade, quando o juiz, ao praticá-lo,
altere a qualificação legal do crime;
d) não é ato decisório, por isso não se sujeita ao disposto no art. 93, IX, da Constituição Federal.

10. Em relação à defesa prévia:

a) há necessidade de intimação do respectivo prazo mesmo ao defensor constituído presente ao interrogatório;


b) só há necessidade de intimação do respectivo prazo se o defensor constituído não estiver presente ao interrogatório;
c) sendo facultativa, não há necessidade de intimação do respectivo prazo, em qualquer hipótese, a defensor constituído
ou a defensor dativo;
d) é peça de apresentação obrigatória pelo defensor dativo.

11. Em processo por crime de competência do Tribunal do Júri:

a) há necessidade de prova incontroversa da existência do crime e da autoria para que o réu seja pronunciado,
prevalecendo os princípios da presunção de inocência e in dubio pro reo;
113
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) na dúvida, deve o juiz pronunciar o réu e mandar incluir-lhe o nome no rol dos culpados, seguindo o princípio in dubio
pro societate;
c) na dúvida, deve o juiz pronunciar o réu, seguindo o princípio in dubio pro societate, abstendo-se, porém, de mandar
incluir-lhe o nome no rol dos culpados;
d) o juiz só deve deixar de pronunciar o réu na hipótese de ausência de prova da materialidade da infração penal, sendo
irrelevantes, para esse fim, os elementos subjetivos do tipo, especialmente o dolo, cuja apreciação compete ao colegiado
popular.

12. Contravenção contra bem, serviço ou interesse da União, suas autarquias e empresas públicas:

a) será objeto de processo sumário, na Justiça Estadual, iniciando-se por auto de prisão em flagrante ou por portaria
expedida pela autoridade policial ou pelo juiz, de ofício ou a requerimento do Ministério Público;
b) será objeto de processo sumário, na Justiça Estadual, iniciando-se por denúncia do Ministério Público;
c) será objeto de processo sumário, na Justiça Federal, iniciando-se por auto de prisão em flagrante ou por portaria
expedida pela autoridade policial ou pelo juiz, de ofício ou a requerimento do Ministério Público;
d) será objeto de processo sumário, na Justiça Federal, iniciando-se por denúncia do Ministério Público.

Gabarito: 01. D - 02. A - 03. C - 04. D - 05. D - 06. C - 07. A - 08. B - 09. D - 10. B - 11. C - 12. B

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas do Concurso para provimento do Cargo de Juiz Federal Substituto,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. De acordo com o direito penal, assinale a opção correta.

a) Há homicídio qualificado se o agente tiver praticado crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral.
b) O delito de roubo, conforme expresso em jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ), consuma-se quando a
coisa subtraída passa para o poder do agente, mesmo que em curto espaço de tempo, independentemente de a coisa
permanecer na posse tranqüila do agente.
c) Para configurar-se o delito de rapto violento ou por meio de fraude, o dissenso da vítima é dispensável.
d) Comete corrupção passiva o funcionário público que retarda, indevidamente, ato de ofício, para satisfazer interesse ou
sentimento pessoal.

02. Assinale a opção correta acerca de prisão.

a) Não se considera em flagrante delito o indivíduo que for encontrado, logo depois de ocorrido um delito, portando
instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele o autor da infração.
b) Permite-se a prisão preventiva quando o juiz tiver verificado, pelas provas colhidas nos autos, ter o agente praticado o
crime em situação de excludente de ilicitude, ou seja, em estado de necessidade, em legítima defesa, em estrito
cumprimento do dever legal e no exercício regular de direito.
c) A apresentação espontânea do acusado à autoridade impede a decretação da prisão preventiva nos casos em que a lei
a autoriza.
d) Cabe prisão temporária quando houver fundadas razões, de acordo com qualquer prova admitida na legislação penal,
de autoria ou participação do indiciado no crime de homicídio doloso.

03. Assinale a opção correta relativamente a noções de direito penal e legislação especial penal, tendo em conta a
jurisprudência do STJ e do Supremo Tribunal Federal (STF).

a) Médico que atende em hospital credenciado pela Sistema Único de Saúde (SUS) não se equipara a funcionário público
para efeitos penais.
b) Segundo o que vem delineando o STF, somente é possível o início da ação penal em relação a crime de sonegação
quando o procedimento administrativo em curso for definitivamente concluído, já que é discutível, ainda, o lançamento
tributário.
114
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) Conversa realizada em sala de bate-papo na Internet está protegida pelo sigilo das comunicações.
d) Diz-se agressivo o estado de necessidade quando a conduta do agente dirige-se diretamente ao produtor da situação
de perigo, a fim de eliminá-la.

04. De acordo com o Código Penal brasileiro, assinale a opção que não contém requisito do concurso de pessoas.

a) diversidade de infração penal


b) relevância causal de cada conduta
c) liame subjetivo entre os agentes
d) pluralidade de agentes e de condutas

05. Com relação à legislação penal especial, assinale a opção correta.

a) Os crimes definidos no Estatuto do Idoso são de ação penal pública condicionada à representação do idoso ou de seu
representante legal.
b) São da competência da justiça estadual o julgamento e o processamento das ações penais que apurem o crime de
tráfico internacional de substância entorpecente, na modalidade de transportar, cometido a bordo de aeronave.
c) Com o advento do Estatuto do Desarmamento, posse de arma de fogo e porte de arma de fogo tornaram-se conceitos
equivalentes.
d) Constitui crime contra o Sistema Financeiro Nacional efetuar operação de câmbio não-autorizada, com o fim de
promover evasão de divisas do país.

06. Assinale a alternativa CORRETA.

a) Apenas nos crimes cometidos sem violência ou grave ameaça à pessoa, é que a reparação do dano ou a restituição da
coisa até a publicação da sentença condenatória pode reduzir de um a dois terços a pena.
b) Assim como ocorre na esfera civil, qualquer ilícito penal, para ser punido a título de culpa, não depende de expressa
previsão legal.
c) A embriaguez, sendo completa e originada de caso fortuito ou força maior, de acordo com o grau de
comprometimento da consciência ou da vontade, pode importar na isenção ou na redução da pena.
d) Quando aplicada pena igual ou superior a um ano, em crime praticado com abuso de poder ou violação de dever para
com a Administração Pública, a perda do cargo, função pública ou mandato eletivo é um efeito específico da sentença
condenatória que não exige declaração motivada e expressa na sentença.

07. Assinale a alternativa CORRETA.

a) A punibilidade do peculato culposo se extingüe com a reparação do dano mesmo após a prolação da sentença
condenatória irrecorrível.
b) O crime de advocacia administrativa só pode ser praticado pelo funcionário público, que precisa ser bacharel em
Direito e inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil.
c) O abandono de função, ainda que outrem substitua o agente e perdure por pouco tempo, basta para a tipificação do
crime previsto no artigo 323 do Código Penal.
d) A desobediência é crime que apenas o particular pode praticar contra a Administração em geral e que só se tipifica
quando a legislação extrapenal prevê a cumulatividade da sua sanção com a sanção penal.

08. É compatível com o Estado de direito e o princípio da legalidade:

a) proibir edição de normas penais em branco.


b) criar crimes, fundamentar ou agravar penas através da aplicação de analogia.
c) criar crimes e penas com base nos costumes.
d) fazer retroagir a lei penal para agravar as penas de crimes hediondos.
e) proibir incriminações vagas e indeterminadas.

115
Questões de Direito Penal e Processual Penal

09. Analise os seguintes elementos:

I - imputabilidade;
II - potencial consciência sobre a ilicitude do fato;
III - exigibilidade de conduta diversa;
IV - culpa ou dolo;
V - conduta comisssiva.

Segundo a concepção finalista, constituem os elementos da culpabilidade:

a) II e III, apenas.
b) III e V, apenas.
c) I, II e III, apenas.
d) I, II e IV, apenas.
e) III, IV e V, apenas.

10. Considera-se partícipe de um crime aquele que:

a) auxilia a subtrair-se à ação de autoridade pública autor de crime a que é cominada pena de detenção ou reclusão.
b) pratica a conduta descrita no tipo penal, juntamente com seu comparsa.
c) pratica a conduta descrita no tipo penal sob o efeito de substância entorpecente.
d) induz, instiga ou auxilia na prática do crime, embora não pratique conduta típica.
e) executa o comportamento que a lei define como crime.

Gabarito: 01. B - 02. D - 03. B - 04. A - 05. D - 06. C - 07. D - 08. E - 09. C - 10. D

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas para investigador Policial dos Estados do Pará e Rio de Janeiro,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Sobre o arquivamento do inquérito policial, a decisão cabe:

a) ao juiz, se concordar com o pedido de arquivamento formulado pelo Ministério Público.


b) ao Ministério Público, se concordar com o pedido de arquivamento formulado pela Autoridade Judiciária.
c) ao Ministério Público, se a decisão for tomada antes da remessa do inquérito ao Poder Judiciário.
d) à Autoridade Policial, a qualquer tempo, por ser a responsável pelo inquérito policial.
e) à Autoridade Policial, se a decisão for tomada antes da remessa do inquérito ao Poder Judiciário.

02. João é um perigoso e influente traficante do Rio de Janeiro que acaba sendo preso em flagrante por Mário, tendo
sido posteriormente interrogado por Antônio. Por temerem represálias, Mário e Antônio não se identificaram a João
no momento da sua prisão e do seu interrogatório policial, respectivamente. Entretanto, João indaga à Autoridade
Policial a respeito da identificação dos responsáveis por sua prisão e por seu interrogatório. Nesse caso, a Autoridade
Policial:

a) poderá manter em sigilo os nomes de Mário e Antônio, se assim eles requererem.


b) deverá informar os nomes de Mário e Antônio.
c) deverá informar apenas o nome de Mário, que foi o responsável pela prisão.
d) deverá informar apenas o nome de Antônio, que foi o responsável pelo interrogatório.
e) deverá manter em sigilo os nomes de Mário e Antônio.

03. Observe as afirmações abaixo, com relação à denúncia e à queixa.

I - A denúncia deverá ser rejeitada quando o fato não constituir crime.


116
Questões de Direito Penal e Processual Penal
II - O ofendido decairá do direito de queixa se não o exercer dentro do prazo de 6 (seis) meses, a contar da data em que
vier a saber quem é o autor do crime.
III - O ofendido poderá oferecer a denúncia, se houver inércia do Ministério Público.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmação(ões):

a) III, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

04. NÃO é cabível a concessão de liberdade provisória ao agente que pratica:

a) ilícito penal previsto na lei de crimes hediondos.


b) infração penal de menor potencial ofensivo e que assina termo de compromisso conforme a Lei no 9.099/95.
c) crime que admite o arbitramento de fiança pelo juiz, mas que não é paga apenas por ser o agente, de forma
reconhecida, juridicamente pobre.
d) crime que admite o arbitramento de fiança pela Autoridade Policial, que é paga.
e) fato em estrito cumprimento do dever legal.

05. Entre os crimes abaixo, NÃO caberá prisão temporária, em hipótese alguma, em caso de:

a) seqüestro.
b) extorsão.
c) estupro.
d) atentado violento ao pudor.
e) homicídio culposo.

06. No Processo Penal, está correto afirmar, quanto a busca e apreensão domiciliar, que:

a) dispensa a expedição de mandado quando a própria


Autoridade Policial a realiza pessoalmente.
b) exige a prévia expedição de mandado, ainda que a própria Autoridade Judiciária a realize pessoalmente.
c) poderá realizar-se durante a noite, se o morador consentir.
d) não será permitido o arrombamento da porta da moradia, se o morador negar-se a abri-la.
e) não será permitido o arrombamento da porta da moradia, se o morador estiver ausente.

07. A ordem cronológica em que, em regra, se desdobram as atividades atinentes ao procedimento probatório no
Processo Penal é:

a) admissão, proposição, produção e valoração.


b) proposição, produção, valoração e admissão.
c) proposição, admissão, produção e valoração.
d) produção, proposição, valoração e admissão.
e) produção, admissão, valoração e proposição.

08. Quando do cumprimento de mandado de prisão, dois Investigadores Policiais necessitam utilizar-se de meios para
se defender de violência praticada pelo sujeito a ser capturado. Ao final do procedimento, o preso apresenta algumas
lesões corporais compatíveis com os atos praticados pelos policiais para sua defesa durante o estrito cumprimento de
dever legal. Ao tomar conhecimento do fato, a Autoridade Policial deverá:

a) lavrar auto de prisão em flagrante contra os policiais, mas conceder-lhes liberdade provisória.
117
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) lavrar auto de prisão em flagrante contra os policiais, mantendo-os presos.
c) lavrar termo de compromisso, encaminhando os policiais e a vítima ao Juizado Especial Criminal.
d) lavrar auto de resistência à prisão.
e) considerar cumprido o mandado de prisão, não havendo necessidade de registro do ocorrido.

09. Relativamente aos crimes sujeitos à competência do Juizado Especial Criminal, a Autoridade Policial que tomar
conhecimento da ocorrência deverá lavrar termo circunstanciado. No caso de o autor ser imediatamente encaminhado
ao Juizado após a lavratura do termo,

a) poderá ser decretada sua prisão em flagrante.


b) será exigida apenas fiança.
c) será aplicada pena não privativa de liberdade, apenas.
d) não se imporá prisão em flagrante, nem se exigirá fiança.
e) não poderá ser preso pela prática do crime ao final do processo.

10. De acordo com a Lei no 9.099/95, tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada em que não for aceita
a proposta do Ministério Público de aplicação imediata de pena restritiva de direitos ou multa, será adotado o
procedimento:

a) sumariíssimo.
b) sumário.
c) especial.
d) ordinário.
e) comum.

Gabarito: 01. A - 02. B - 03. B - 04. A - 05. E - 06. C - 07. C - 08. D - 09. D - 10. A

Notas: questões de Direito Processual Penal, extraídas do concurso para Investigador do Polícia do Estado do Rio de
Janeiro, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. É compatível com o Estado de direito e o princípio da legalidade:

a) proibir edição de normas penais em branco.


b) criar crimes, fundamentar ou agravar penas através da aplicação de analogia.
c) criar crimes e penas com base nos costumes.
d) fazer retroagir a lei penal para agravar as penas de crimes hediondos.
e) proibir incriminações vagas e indeterminadas.

02. Analise os seguintes elementos:

I - imputabilidade;
II - potencial consciência sobre a ilicitude do fato;
III - exigibilidade de conduta diversa;
IV - culpa ou dolo;
V - conduta comisssiva.

Segundo a concepção finalista, constituem os elementos da culpabilidade:

a) II e III, apenas.
b) III e V, apenas.
c) I, II e III, apenas.
d) I, II e IV, apenas.
118
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) III, IV e V, apenas.

03. Considera-se partícipe de um crime aquele que:

a) auxilia a subtrair-se à ação de autoridade pública autor de crime a que é cominada pena de detenção ou reclusão.
b) pratica a conduta descrita no tipo penal, juntamente com seu comparsa.
c) pratica a conduta descrita no tipo penal sob o efeito de substância entorpecente.
d) induz, instiga ou auxilia na prática do crime, embora não pratique conduta típica.
e) executa o comportamento que a lei define como crime.

04. Jorge, maior de idade, subtrai as jóias de alto valor que sua mãe (42 anos) guardava debaixo do colchão. O fato
descrito pode ser classificado como:

a) ilícito, porém atípico.


b) típico, ilícito e não culpável.
c) típico, ilícito e culpável, mas isento de pena.
d) roubo qualificado por abuso de confiança.
e) apropriação indébita.

05. O Delegado de Polícia responsável por uma delegacia surpreende outros policiais, seus subordinados, praticando
crime de tortura contra um preso. A respeito da situação narrada, assinale a afirmação INCORRETA.

a) O crime de tortura é inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.


b) Os autores do tipo penal estão sujeitos à perda do cargo e interdição para o seu exercício pelo dobro do prazo da pena
aplicada.
c) Se o Delegado se omitir, todos os envolvidos, inclusive ele, estarão sujeitos à mesma pena privativa de liberdade cujo
cumprimento se iniciará em regime fechado.
d) Se o preso torturado for maior de 60 (sessenta) anos, deficiente físico ou mulher gestante, será caso de aumento de
pena.
e) Se a Autoridade Policial se omitir, estará sujeita à pena de detenção por período inferior à pena dos autores do fato.

06. Pratica o crime de prevaricação, previsto no art. 319 do Código Penal, o agente que:

a) patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública, valendo-se da qualidade de
funcionário.
b) retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para
satisfazer interesse ou sentimento pessoal.
c) exigir para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão
dela, vantagem indevida.
d) solicitar ou receber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la,
mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem.
e) solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em
ato praticado por funcionário público no exercício da função.

07. É causa de aumento de pena do crime de lesão corporal culposa praticada na direção de veículo automotor:

a) praticá-lo durante o repouso noturno.


b) praticá-lo em faixa de pedestre.
c) estar o veículo acima do limite de velocidade permitido.
d) estar em débito em relação ao imposto sobre propriedade de veículo automotor - IPVA.
e) ser a vítima menor de idade ou maior de 60 (sessenta anos).

119
Questões de Direito Penal e Processual Penal
08. Qual dos fatos apresentados a seguir é considerado crime de menor potencial ofensivo?

a) Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia.


b) Contrair alguém, sendo casado, novo casamento.
c) Apropriar-se de coisa alheia móvel, de quem tem a posse ou a detenção.
d) Causar incêndio, expondo a perigo a integridade física de outrem.
e) Prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, mediante paga ou recompensa.

09. Em relação ao Estatuto do Desarmamento (Lei no 10.826/03), é correto afirmar que a conduta de portar arma de
brinquedo (simulacro de arma capaz de atemorizar outrem) configura:

a) tipo penal autônomo.


b) causa de diminuição de pena do crime de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.
c) causa de diminuição de pena do crime de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.
d) conduta atípica.
e) crime equiparado ao de porte ilegal de arma de uso permitido.

10. À luz da Lei no 8.072/90, NÃO constitui crime hediondo:

a) epidemia com resultado morte.


b) homicídio simples, quando praticado em atividade típica de grupo de extermínio.
c) falsificação de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais.
d) extorsão qualificada pela morte.
e) induzimento ao suicídio.

Gabarito: 1. E - 2. C - 3. D - 4. C - 5. C - 6. B - 7. B - 8. A - 9. D - 10. E

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas do concurso para investigador de Polícia do Estado do Rio de Janeiro,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Em determinada casa noturna, Leandro e Efigênio tiveram áspera discussão com Cláudio. Pretendendo matar o
desafeto, eles sacaram de facas, investindo contra Cláudio, que, desarmado, saiu em disparada. Perseguido pelos seus
algozes, ele caiu dentro de um rio, bateu com a cabeça numa pedra, perdeu os sentidos e, em conseqüência, morreu
por afogamento. Esta situação pode ser assim interpretada:

a) configura-se hipótese de homicídio privilegiado


b) houve cometimento de um homicídio culposo
c) deu-se caso de homicídio praeterdoloso
d) há caracterização de homicídio doloso
e) não há configuração de crime

02. Matar alguém sob o domínio de violenta emoção, logo após injusta provocação da vítima, caracteriza figura de:

a) legítima defesa
b) homicídio privilegiado
c) estado de necessidade
d) coação moral irresistível
e) exercício regular de direito

03. Na estrutura do ordenamento jurídico penal pátrio, a teoria a propósito do nexo causal é conhecida como:

a) concepção eclética
b) condição qualificada
120
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) causalidade adequada
d) conditio sine qua non
e) acepção naturalista híbrida

04. Eurico, em decorrência de sua função de serventuário do Tribunal de Justiça, exige para si vantagem que não lhe
era devida. Comete, assim, o crime de:

a) extorsão
b) concussão
c) prevaricação
d) corrupção ativa
e) corrupção passiva

05. Certo serventuário da Justiça, ciente e consciente da irregularidade da sua conduta, recebeu de uma das partes
litigantes em processo judicial quantia em dinheiro com o fito de ser entregue ao credor da ação de execução. Se o
dinheiro não é entregue ao destinatário, há prática de ato classificado como:

a) apropriação indébita
b) receptação
c) corrupção
d) peculato
e) furto

06. Os crimes distinguem-se das contravenções porque:

a) são atos ilícitos;


b) suas penas privativas de liberdade são de reclusão e detenção;
c) violam bens jurídicos;
d) exigem culpabilidade do agente;
e) podem ser praticados em concurso de agentes.

07. O tipo do artigo 12 da Lei 6.368/76 ("importar ou exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender,
expor à venda ou oferecer, fornecer ainda que gratuitamente, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar,
prescrever, ministrar ou entregar, de qualquer forma, a consumo substância entorpecente ou que determine
dependência física ou psíquica, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar") pode ser
considerado:

a) misto alternativo;
b) doloso ou culposo;
c) plurissubjetivo;
d) normativo puro;
e) intersubjetivo.

08. Ticiana sai para o trabalho e deixa seu filho Caio, de 3 anos, aos cuidados da avó materna, Meviana. Num
determinado momento, em que a avó sai de casa e deixa o neto sozinho, este sobe na janela do apartamento e cai do
10º andar, o que causa sua morte. É correto afirmar, nesse caso, que:

a) Ticiana e Meviana devem responder criminalmente porque houve omissão própria;


b) Meviana deve responder criminalmente porque houve omissão imprópria;
c) Meviana deve responder criminalmente porque houve omissão própria;
d) Ticiana deve responder criminalmente porque houve omissão imprópria;
e) Ticiana deve responder criminalmente porque houve omissão própria.

09. Publicar cena de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente é crime:

a) culposo;
b) omissivo impróprio;
c) multitudinário;
121
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) preterdoloso;
e) não transeunte.

10. Entre as alternativas abaixo, é correto afirmar que os ofendículos excluem:

a) o nexo causal;
b) a culpabilidade;
c) a imputabilidade;
d) a ilicitude;
e) a culpa.

11. São causas extintitivas da punibilidade penal, EXCETO:

a) a prescrição;
b) a decadência:
c) o perdão aceito nos crimes de ação pública;
d) a renúncia nos crimes de ação privada;
e) a perempção.

12. Entre as teorias que diferenciam os atos preparatórios dos atos de execução, aquela que afirma que os atos de
execução são os que importam em realização da conduta descrita no núcleo do tipo é a teoria:

a) objetiva-formal;
b) subjetiva;
c) objetiva-material;
d) social;
e) finalista.

13. Embora com conhecimento técnico, pode-se considerar exercício ilegal da medicina (art. 282 do Código Penal):

a) a realização habitual de parto por pessoa que não é médica ou enfermeira;


b) a realização habitual de abortos por pessoa que não é médica ou enfermeira;
c) a medição habitual de pressão arterial por pessoa que não é médica ou enfermeira;
d) a aplicação habitual de injeções por pessoa que não é médica, enfermeira ou farmacêutica;
e) o atendimento habitual e gratuito, com realização de diagnóstico e receita, por pessoa que não é médica.

14. Acerca da comunicabilidade das elementares e circunstâncias, é correto afirmar que:

a) as elementares objetivas se comunicam ao partícipe do crime;


b) as circunstâncias objetivas não se comunicam ao partícipe do crime;
c) as circunstâncias subjetivas se comunicam ao partícipe do crime;
d) as elementares subjetivas não se comunicam ao partícipe do crime;
e) as circunstâncias não se comunicam ao partícipe do crime.

15. O erro de tipo essencial escusável exclui:

a) apenas o dolo;
b) apenas o preterdolo;
c) apenas a culpa;
d) o dolo e a culpa;
e) a culpabilidade.

16. Tício, funcionário público, negligentemente, esquece a janela da repartição onde trabalha aberta. Mévio, seu
colega de trabalho, aproveita-se para subtrair equipamentos da referida repartição. Pode-se concluir que:

a) Tício e Mévio responderão por peculato furto, em concurso;


b) somente Mévio responderá por peculato, crime que só admite a forma dolosa;
c) Tício responderá por peculato culposo;
122
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) Tício e Mévio responderão por peculato culposo;
e) Tício responderá por prevaricação e Mévio por peculato.

17. Exclui a culpabilidade:

a) a embriaguez completa e voluntária;


b) a doença mental, por si só;
c) a obediência à ordem legal;
d) a obediência à ordem não manifestamente ilegal;
e) a coação física.

Gabarito: 01. E - 02. B - 03. D - 04. B - 05. A - 06. B - 07. A - 08. B - 09. E - 10. D - 11. C - 12. A - 13. E - 14. A - 15. D - 16. C -
17. D

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas dos concursos para Escrivão, Tribunal de Justiça - Amazonas e Agente de
Polícia - DF, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Considere a circunstância em que o juiz não recebe o recurso de apelação e, em seguida, obsta o seguimento do
recurso interposto contra este ato. Para ver a sua pretensão apreciada pelo juízo ad quem, o interessado pode se valer
do seguinte instrumento:

a) habeas corpus
b) correição parcial
c) carta testemunhável
d) mandado de segurança
e) recurso em sentido estrito

02. Da decisão de pronunciar ou impronunciar o réu cabe o seguinte remédio jurídico:

a) apelação
b) recurso de agravo
c) mandado de segurança
d) recurso em sentido estrito
e) pedido de reconsideração

03. Na hipótese de debate no plenário do Tribunal do Júri, o representante do Ministério Público detectou a ocorrência
de uma nulidade. Esta deverá ser argüida no seguinte momento:

a) na sala secreta, antes da votação dos quesitos


b) no ato de arrazoar o recurso, se interposto
c) logo depois de ocorrer a nulidade
d) após os debates das partes
e) após a leitura do libelo

04. Garantia de ordem pública, conveniência da instrução, aplicação da lei penal, prova da existência do crime, indícios
de autoria são os pressupostos de:

a) prisão preventiva
b) prisão antecipada
c) ação penal pública
d) prisão premonitória
e) medida de segurança

123
Questões de Direito Penal e Processual Penal

05. Durante a instrução criminal, após a inquirição do réu, o juiz determinou sua retirada da sala de audiências. O
motivo legal para tal decisão foi:

a) a hediondez do crime
b) o prudente arbítrio do juiz
c) ser o réu pessoa persuasiva
d) a presença de pessoas estranhas
e) a influência do réu no ânimo das testemunhas

06. À luz da Lei nº 10409/02, em qualquer fase da persecução criminal relativa aos crimes previstos nesta lei, são
permitidos, mediante autorização judicial, e ouvido o representante do Ministério Público, diversos procedimentos
investigatórios. Indique a alternativa que NÃO contempla procedimento investigatório relativo à lei em comento:

a) a infiltração de policiais em quadrilhas, grupos, organizações ou bandos, com o objetivo de colher informações sobre
operações ilícitas desenvolvidas no âmbito dessas associações;
b) a não-atuação policial sobre os portadores de produtos, substâncias ou drogas ilícitas que entrem no território
brasileiro, dele saiam ou nele transitem, com a finalidade de, em colaboração ou não com outros países, identificar e
responsabilizar maior número de integrantes de operações de tráfico e distribuição, sem prejuízo da ação penal cabível;
c) o acesso a dados, documentos e informações fiscais, bancárias, financeiras e eleitorais;
d) o acesso, por período determinado, aos sistemas informatizados das instituições bancárias;
e) a captação e a interceptação ambiental de sinais eletromagnéticos, óticos ou acústicos, e o seu registro e análise,
mediante circunstanciada autorização judicial.

07. No dia 08 de dezembro de 2004, Tonini, nascido em 27 de junho de 1983, apropriou-se dos rendimentos de Paolo,
seu tio, com quem coabita, nascido em 05 de dezembro de 1944, dando-lhe aplicação diversa da de sua finalidade.
Nesse caso, a persecução penal em juízo se dará por meio de:

a) ação penal de iniciativa privada, ou por ação penal pública condicionada à representação do ofendido, na forma do
verbete nº 714 do STF;
b) ação penal de iniciativa privada, dentro do prazo legal, na forma do art. 29 do CPP;
c) ação penal pública condicionada à representação, na forma do art. 182 do CP;
d) ação penal pública condicionada à representação, ou por ação penal de iniciativa privada subsidiária da pública, na
forma do art. 29 do CPP;
e) ação penal pública incondicionada, na forma da legislação específica.

08. Assinale a alternativa em que aparece instituto que NÃO constitui incidente da execução:

a) conversão, excesso e anistia;


b) conversão, desvio e indulto;
c) anistia, livramento condicional e conversão;
d) anistia, excesso e indulto;
e) anistia, desvio e indulto.

09. No que pertine ao tema competência, é INCORRETO afirmar que:

a) compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar a ação penal cujo objetivo é apurar o crime de liberação no meio
ambiente de organismo geneticamente modificado, em virtude da competência concorrente entre União e Estados para
legislar e fiscalizar o meio ambiente e a defesa do solo;
b) na prática do crime de perigo de desastre ferroviário (art. 260 do CP), a competência é da Justiça Comum Estadual,
visto que o bem tutelado em questão é a incolumidade pública, a segurança dos transportes, o que não se revela como
interesse próprio da União;
c) compete à Justiça Comum Federal processar e julgar ação penal relativa a crime de falsificação e uso de documento
falso, quando a falsificação incide sobre documentos federais;
124
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) compete à Justiça Comum Federal processar e julgar o delito imputado a agente que fotografou, filmou e publicou, na
rede internacional de computadores, imagens de menor, retratando a prática de atos libidinosos, inclusive sexo explícito;
e) compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar o delito de falsificação ideológica contida em declaração feita em
formulário de aviso prévio, quando esse documento não chegou a ser utilizado perante a Justiça do Trabalho.

10. Existindo dúvida séria e fundada sobre a maioridade do acusado, no curso do processo criminal, deverá o juiz
criminal:

a) suspender o curso do processo obrigatoriamente, dando imediata aplicação ao art. 92 do CPP, pois a questão desafia
apreciação do Juízo Cível, posto referente ao registro civil;
b) não suspender o processo, realizando o exame de arcada dentária ou exame ósseo para dirimir a questão;
c) suspender o curso do processo facultativamente, dando imediata aplicação ao art. 93 do CPP, pois a questão desafia
apreciação do Juízo Cível, posto referente ao registro civil;
d) não suspender o curso do processo, porém, oficiar e aguardar que o Juízo Cível resolva a controvérsia, posto referente
ao registro civil;
e) dar imediata aplicação ao art. 92 do CPP, aguardando que o Ministério Público promova a ação civil pertinente à
resolução da questão, na forma do parágrafo único do mesmo dispositivo.

11. Quanto à Prisão Temporária, pode-se afirmar que:

a) o prazo para a prisão do crime de epidemia com resultado morte será de cinco dias, prorrogável por igual período;
b) é lícita a execução da captura enquanto a ordem judicial é elaborada;
c) o prazo para a prisão do crime de epidemia com resultado morte será de trinta dias, prorrogável por igual período;
d) extrapolado o prazo determinado, será posto em liberdade o indiciado, dependendo da expedição de alvará de soltura;
e) o prazo para a prisão do crime de epidemia com resultado morte será de quinze dias, prorrogável por igual período.

12. Em relação à Prisão em Flagrante, é correto afirmar que:

a) a Autoridade Policial que efetuou a prisão deverá lavrar o auto de prisão em flagrante, mesmo que o fato delituoso
tenha ocorrido em outro local;
b) será punível a tentativa quando ocorrer flagrante preparado;
c) diz-se flagrante impróprio aquele em que o suspeito é encontrado, logo depois, com instrumentos que façam presumir
ser ele o autor da infração;
d) a ausência da comunicação da prisão em flagrante ao juiz gera mera irregularidade;
e) ocorrendo ilegalidade na lavratura do auto de prisão em flagrante, o juiz, imediatamente, revogará a prisão do
indiciado.

13. A Lei 9099/95 estabeleceu verdadeira mudança na estrutura processual penal. Assim, pode-se afirmar que:

a) tal não ocorreu quanto ao interrogatório do acusado, já que, embora seja considerado meio de defesa, permanece
como ato processual que inaugura a instrução probatória;
b) competência territorial do Juizado Especial Criminal será determinada pelo lugar que consumar a infração penal;
c) não serão consideradas infrações de menor potencial ofensivo os casos em que a lei preveja procedimento especial;
d) não haverá citação ficta no Juizado Especial Criminal;
e) somente ocorrerá composição dos danos civis antes de oferecida a denúncia.

14. Quanto aos meios de provas, é correto afirmar que:

a) o interrogatório em fase judicial é ato privativo do juiz;


b) quando realizado o exame pericial por dois peritos oficiais, o juiz estará adstrito ao laudo;
c) no processo penal, todas as pessoas poderão ser testemunhas, inclusive os menores de quatorze anos, doentes
mentais e familiares do acusado;
d) a ausência do compromisso de dizer a verdade afirmado pela testemunha anulará seu depoimento;
125
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) a defesa técnica não precisará estar presente no momento do interrogatório do acusado, em sede judicial.

15. Serafim está sendo investigado pela prática do delito de tráfico ilícito de entorpecentes, encontrando-se solto. A
Autoridade Policial dispõe, para concluir o referido Inquérito Policial, do prazo de:

a) 10 dias;
b) 15 dias;
c) 20 dias;
d) 30 dias;
e) 45 dias.

16. Quanto aos Recursos no Direito Processual Penal, é correto afirmar que:

a) não há qualquer diferença entre os Recursos e as Ações de Impugnação;


b) não vigora no Processo Penal o princípio da fungibilidade;
c) ainda que somente a defesa recorra, o Órgão julgador poderá prejudicar o réu, nos termos do art. 617 do CPP;
d) em virtude do efeito suspensivo dos recursos, mesmo que haja decisão absolutória, deverá o acusado aguardar preso o
julgamento de seu recurso;
e) o ofendido poderá ter legitimidade recursal nas ações penais públicas, encontrando-se ou não habilitado como
assistente de acusação.

Gabarito: 01. C - 02. D - 03. C - 04. A - 05. E - 06. C - 07. E - 08. C - 09. A - 10. B - 11. C - 12. A - 13. D - 14. C - 15. D - 16. E -

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas dos concursos para Escrivão, Tribunal de Justiça - Amazonas e
Agente de Polícia - DF, selecionadas por Alinne Soares Guerra.

01. O crime de abuso de poder, catalogado entre os crimes contra a administração da justiça, configura-se quando o
sujeito ativo:

I. Ordenar ou executar medida privativa de liberdade individual, sem as formalidades legais ou com abuso de poder.
II. Ilegalmente recebe e recolhe alguém a prisão, ou a estabelecimento destinado a execução de pena privativa de
liberdade ou de medida de segurança.
III. Prolonga a execução de pena ou de medida de segurança, deixando de expedir em tempo oportuno ou de executar
imediatamente a ordem de liberdade.
IV. Submete pessoa que está sob sua guarda ou custódia a vexame ou a constrangimento não autorizado em lei.

a) Todas as opções acima estão corretas.


b) Somente a opção I está incorreta.
c) Somente a opção IV está correta.
d) As opções I e II estão corretas, enquanto que as opções III e IV estão incorretas.
e) Nenhuma das opções está correta.

02. Diz-se o crime:

I. Consumado, quando nele se reúnem todos os elementos de sua definição legal.


II. Doloso, quando o agente quis o resultado ou assumiu o risco de produzi-lo.
III. Culposo, quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência ou imperícia.
IV. Tentado, quando, iniciada a execução, não se consuma por circunstâncias alheias à vontade do agente.

a) Todas as opções acima estão corretas.


b) Somente a opção IV está incorreta.
c) Somente a opção I está correta.
d) As opções I e III estão corretas, enquanto que as opções II e IV estão incorretas.
126
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) Nenhuma das opções está correta.

03. "A" deseja matar seu marido. Determinada manhã, ministra pequena porção de veneno, idônea para causar o óbito
de uma pessoa, no seu café. O esposo bebe toda a infusão sem se aperceber do que se sucede. Alguns momentos
depois começa a passar mal. "A", arrependida, tenta salvá-lo, induzindo-o a vomitar. Obtém sucesso e o salva. Tal
desenrolar fático caracteriza:

a) Desistência voluntária;
b) Arrependimento eficaz;
c) Arrependimento posterior;
d) Crime impossível;
e) Impossibilidade jurídica de subsunção do fato à norma.

04. Dadas as proposições, assinale abaixo a alternativa certa:

I - No delito de reingresso de estrangeiro, incide também o estrangeiro que expulso do país se recusa deixar o território
nacional.
II - Caracteriza -se o crime de patrocínio infiel quando o advogado ou procurador judicial defende na mesma causa,
simultânea ou sucessivamente, partes contrárias.
III - Não dá ensejo ao crime de patrocínio infiel o advogado negligente que deixa de alegar matéria de defesa em favor de
seu constituinte, gerando prejuízo;
IV - Dá- se o crime de denunciação caluniosa quando é imputado a alguém a prática de crime de que se sabe inocente,
ainda que a imputação de crime seja parcialmente verdadeira.

a) Estão corretas apenas as proposições I, II e IV;


b) Estão corretas apenas as proposições II e III;
c) Estão corretas apenas as proposições I, III e IV;
d) Está correta apenas a proposição II;
e) Está correta apenas a proposição III.

05. Sobre os crimes contra a Administração Pública é incorreto afirmar:

a) Na concussão, em que o verbo típico é solicitar, existe acordo de vontade entre as partes; Na corrupção passiva, em
que o verbo típico é exigir, há imposição da vontade do funcionário público sobre o terceiro;
b) O crime de advocacia administrativa pode ter como sujeito ativo funcionário público sem formação jurídica;
c) Os sujeitos não podem, ao mesmo tempo e em face do mesmo fato, responder pelos crimes de corrupção ativa e
concussão;
d) Contrabando é o fato de importar ou exportar mercadorias que são total ou parcialmente proibidas de entrar ou sair
de nosso país. Descaminho é a importação ou exportação de mercadorias sem o pagamento dos tributos devidos;
e) O crime de condescendência criminosa não admite tentativa.

06. Analise as proposições abaixo:

I - Admite-se a exceção da verdade na difamação, se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de
suas funções.
II - É admitido perdão judicial em caso de difamação.
III - Na difamação e na calúnia há ofensa à honra subjetiva e, na injúria, à honra objetiva.
IV - Não se possibilita argüição de exceção da verdade na hipótese de injúria.
V - A lei prevê que é punível a difamação da memória dos mortos.

Tendo em conta o que estabelece o Código Penal, pode-se afirmar que:

a) Os enunciados I e IV são incorretos;


b) Somente os enunciados II e V são corretos;
127
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) Somente o enunciado III é correto;
d) Todos os enunciados são corretos;
e) Os enunciados II, III e V são incorretos;

07. Sargento Mateus, atirador de elite da Polícia Militar, foi chamado para a seguinte missão: Pedro Escada, assaltante
de banco, fez de Maria sua refém, após tentativa frustrada de roubo do BANESE. O sargento Mateus está em posição
estratégica. Do alto de um prédio ele consegue enxergar tanto o bandido quanto a jovem, esta última colocada pelo
criminoso à sua frente, a fim de usá-la como escudo. O sargento põe o bandido na alça de mira do fuzil. Admite,
contudo, a possibilidade de errar, acertando, em decorrência, a jovem Maria. Confia, no entanto, na sua perícia e
espera que isso não aconteça. Dispara e termina matando os dois: bandido e garota. Nesse contexto, é lícito afirmar:

a) que o sargento não cometeu crime algum;


b) que em relação à morte de Pedro Escada não há crime. Em relação à de Maria, porém, há homicídio, cujo elemento
subjetivo é o dolo eventual;
c) que o sargento deverá responder processo-crime por homicídio culposo em relação a Pedro Escada e doloso em
relação a Maria, em concurso formal;
d) se, ao invés de torcer para não acertar Maria, o sargento pouco se importasse com esse fato, teria agido com dolo
eventual, e não com culpa consciente;
e) o sargento não agiu com culpa consciente, mas com dolo eventual, pois o dolo é elemento subjetivo, enquanto que a
culpa detém a natureza de elemento normativo do tipo.

08. Marcos, depondo como testemunha em audiência trabalhista, negou-se a responder pergunta a ele dirigida pelo
magistrado. É que a parte que o arrolou prometeu-lhe dinheiro caso ele procedesse dessa maneira. O juiz admoestou-o
por causa disso. Ainda assim, Marcos permaneceu silente. Por conseguinte, pode-se afirmar:

a) Marcos está no exercício de um direito a ele estendido, qual seja o de permanecer em silêncio;
b) Marcos cometeu o crime de desobediência qualificada;
c) Marcos incidiu no delito de falso testemunho na modalidade simples;
d) Marcos perpetrou falso testemunho qualificado;
e) Marcos cometeu tanto desobediência qualificada quanto falso testemunho simples. Acontece que, por conta da
consumpção, o delito mais grave absorverá o mais leve, isto é, ele responderá apenas pela desobediência qualificada.

09. A Escola de 1º grau Machado de Assis foi condenada, em ação trabalhista, a pagar R$ 10.000,00 (dez mil reais) a
José Ferreira, antigo zelador do Colégio. Por ocasião do pagamento, o Diretor do estabelecimento de ensino fê-lo,
emitindo cheque sem suficiente provisão de fundos. Logo, pode-se afirmar que:

a) há crime contra a organização do trabalho, qual seja atentado contra a liberdade de contrato de trabalho e boicotagem
violenta;
b) há crime contra a organização do trabalho, pois frustrou-se, mediante fraude, direito assegurado por decisão
trabalhista;
c) não há crime contra a organização do trabalho;
d) há crime contra a organização do trabalho em concurso formal com estelionato;
e) o Diretor da Escola praticou o crime de sabotagem.

10. Lucas, dono da empresa Biscoito & Cia., fotocopiou carteira de trabalho, a fim de confeccionar documento falso,
inserindo nele informações inverídicas acerca do seu ex-empregado João Matias. Dias depois, juntou a carteira
falsificada em processo trabalhista que o referido empregado moveu contra a pessoa jurídica de sua propriedade.
Assim, é correto afirmar:

a) Lucas cometeu o crime de falsificação qualificada de documento público;


b) Lucas cometeu o crime de falsificação de documento público na modalidade simples, em concurso formal com
falsidade ideológica;
c) Lucas cometeu o crime de uso de documento falso;
d) Lucas cometeu o crime de falsa identidade;
128
Questões de Direito Penal e Processual Penal
e) Lucas cometeu simplesmente o crime de falsidade ideológica.

Gabarito: 01. A - 02. A - 03. B - 04. E - 05. A - 06. E - 07. D - 08. D - 09. C - 10. E

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas para ingresso na carreira da Magistratura, selecionadas por Alinne
Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Crimes que têm por sujeito passivo entidades sem personalidade jurídica são chamados de crimes:

a) de perigo.
b) vagos.
c) de tendência.
d) inominados.
e) de referência.

02. Pedro Paulo municiou completamente o tambor de uma arma calibre .38 e desferiu, com vontade de matar, quatro
tiros contra Aldo Tinoco, desistindo voluntariamente de prosseguir na execução do seu intento, razão por que não
desferiu os dois últimos tiros. A vítima foi socorrida por Pedro Paulo e sofreu lesões corporais incapacitantes para o
exercício das atividades habituais por 30 (trinta) dias. Pedro Paulo deverá ser processado por crime de:

a) lesões leves.
b) lesões graves.
c) lesões gravíssimas.
d) tentativa de homicídio.
e) lesões graves, beneficiado pelo arrependimento posterior.

03. No tocante ao estado de necessidade, é correto afirmar que o Código Penal Brasileiro:

a) menciona expressamente, como requisito, que o perigo deva ser atual ou iminente.
b) exige, de forma expressa, que a situação de perigo não tenha sido causada dolosamente pelo sujeito.
c) exige que a agressão seja injusta para que o agente possa agir amparado por tal excludente.
d) adotou a teoria unitária.
e) admite o "estado de necessidade exculpante".

04. A mulher que ingere substância abortiva, com o intuito de provocar um aborto, supondo, erroneamente, estar
grávida, realiza o que a doutrina penal denomina de:

a) delito putativo por obra do agente provocador.


b) delito putativo por erro de proibição.
c) erro de tipo.
d) delito putativo por erro de tipo.
e) erro de proibição.

05. No "Concurso de Pessoas", é correto afirmar que:

a) o crime de conduta paralela não é uma forma de crime plurissubjetivo.


b) ao examinar as teorias aplicáveis ao estudo da "participação", nos deparamos com a teoria da acessoriedade extrema,
em que se requer que o comportamento do autor seja um fato típico e antijurídico.
c) havendo autoria colateral, ocorrerá o que se denomina de autoria incerta.
d) a autoria incerta se equipara à autoria ignorada.
e) não é necessário um acordo de vontades, basta que uma vontade adira à outra.
129
Questões de Direito Penal e Processual Penal

06. Segundo o Código Penal, o curso da prescrição se interrompe:

a) enquanto o agente cumpre pena no estrangeiro.


b) durante o tempo em que o condenado está preso por outro motivo.
c) pela continuação do cumprimento da pena.
d) pela decisão confirmatória da sentença condenatória recorrível.
e) enquanto não resolvida, em outro processo, questão de que dependa o reconhecimento da existência do crime.

07. No tocante ao crime de calúnia, praticado contra funcionário público, em razão de suas funções, podemos afirmar
que:

a) a ação penal é pública condicionada.


b) não admite retratação, pois o sujeito passivo é um funcionário público, havendo interesse da administração na
apuração do fato.
c) a competência para processo e julgamento é do Juizado Especial Criminal.
d) não admite a exceção da verdade.
e) admite a exceção de verdade somente se a ofensa for relativa ao exercício de suas funções.

08. Quanto ao crime de furto, pode-se afirmar que:

a) se o objeto subtraído for um navio, não haverá tal delito.


b) admite a incidência do instituto denominado "suspensão condicional do processo", em se tratando da modalidade de
furto qualificado, se houver o "arrependimento posterior", este previsto na parte geral do Código Penal.
c) o emprego de chave falsa é uma causa de aumento das penas.
d) o rompimento de obstáculo à subtração da coisa é uma agravante genérica.
e) se o criminoso for primário ou de pequeno valor a coisa furtada, o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de
detenção, diminuí-la, ou aplicar somente a pena de multa.

09. Quanto aos crimes contra os costumes, é correto afirmar que:

a) o crime de sedução, atualmente previsto no Código Penal, exige que a vítima seja virgem, menor de 18 anos e maior de
14 anos, e que o agente tenha com ela conjunção carnal, aproveitando-se de sua inexperiência ou justificável confiança.
b) o Código Penal exige, como elementar do tipo, no crime de rapto, que a mulher seja "honesta".
c) ter conjunção carnal com mulher, mediante fraude, é conduta típica, independente de a vítima ser honesta ou não.
d) a mulher que, mediante grave ameaça, constrange o homem à conjunção carnal pratica conduta típica de "atentado
violento ao pudor".
e) a lesão corporal de natureza leve é forma qualificada nos crimes de estupro e atentado violento ao pudor.

10. O funcionário público que deixa de praticar ou retarda ato de ofício, com infração de dever funcional, cedendo a
pedido de outrem, pratica crime de:

a) prevaricação.
b) condescendência criminosa.
c) excesso de exação.
d) corrupção ativa.
e) corrupção passiva.

Gabarito - 01. B - 02. A - 03. D - 04. D - 05. E - 06. C - 07. A - 08. B - 09. C - 10. E

130
Questões de Direito Penal e Processual Penal
Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova para ingresso na Carreira da Magistratura do Estado do Pará,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Dispõe o artigo 14 da Lei nº. 6.368/76, que trata de medidas de prevenção e repressão ao tráfico ilícito e uso
indevido de substâncias entorpecentes ou que determinem dependência física ou psíquica, e dá outras providências:
"Associarem-se 2 (duas) ou mais pessoas para o fim de praticar, reiteradamente ou não, qualquer dos crimes previstos
nos arts. 12 ou 13 desta Lei: Pena - reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos, e pagamento de 50 (cinqüenta) a 360 (trezentos
e sessenta) dias-multa". Já o artigo 8º da Lei nº. 8.072/90 prescreve: "Será de 3 (três) a 6 (seis) anos de reclusão a pena
prevista no art. 288 do Código Penal, quando se tratar de crimes hediondos, prática de tortura, tráfico ilícito de
entorpecentes e drogas afins ou terrorismo". Dispondo a nova lei sobre quadrilha ou bando para a prática do tráfico de
entorpecentes, prevalece o entendimento de que:

a) Ficou extinto o crime do artigo 14 da Lei nº. 6.368/76, por força da nova previsão da Lei nº. 8.072/90;
b) Prevalece, às inteiras, o artigo 14 da Lei nº. 6.368/76, em face da sua especialidade;
c) Manteve-se íntegra a descrição típica do crime do artigo 14 da Lei nº. 6.368/76, mas, pelo princípio da
proporcionalidade, a pena passou a ser de 3 (três) a 6 (seis) anos de reclusão, sem multa;
d) Manteve-se íntegra a descrição típica do crime do artigo 14 da Lei nº. 6.368/76, mas, pelo princípio da
proporcionalidade, a pena privativa de liberdade passou a ser de 3 (três) a 6 (seis) anos de reclusão, com multa,
prevalecendo o art. 49 do Código Penal, de 10 (dez) a 360 (trezentos e sessenta) dias-multa.

02. Estipula a Lei nº. 9.503/97 (Código de Trânsito Brasileiro): "Art. 302. Praticar homicídio culposo na direção de
veículo automotor: Penas - detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou
a habilitação para dirigir veículo automotor". "Art. 293. A penalidade de suspensão ou de proibição de se obter a
permissão ou a habilitação, para dirigir veículo automotor, tem a duração de dois meses a cinco anos". Conforme
posição jurisprudencial prevalente no Superior Tribunal de Justiça, Tício, motorista habilitado, condenado por
homicídio culposo no trânsito à pena privativa de liberdade definitiva de 2 (dois) anos e 6 (seis) meses de detenção:

a) Deve ter fixada a suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor de acordo com as circunstâncias judiciais do
art. 59 do Código Penal, as agravantes e as atenuantes e as causas de aumento e diminuição que nortearam a fixação da
sua pena privativa de liberdade;
b) Deve ter fixada a suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor pelo mesmo prazo da sua pena privativa de
liberdade, ou seja, 2 (dois) anos e 6 (seis) meses;
c) Deve ter fixada a suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor pelo prazo mínimo da pena privativa de
liberdade cominada em abstrato na norma, ou seja, 2 (dois) anos;
d) Deve ter fixada a suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor pelo prazo que o juiz livremente arbitrar,
dentro dos limites legais.

03. No crime de tortura, a condenação acarretará a perda do cargo, função ou emprego público:

a) Qualquer que seja a pena privativa de liberdade;


b) Quando a pena privativa de liberdade for superior a 1 (um) ano;
c) Quando a pena privativa de liberdade for superior a 2 (dois) anos;
d) Quando a pena privativa de liberdade for superior a 4 (quatro) anos.

04. A cessão gratuita e ocasional de droga, sem intuito de lucro, a um amigo:

a) Não caracteriza qualquer crime;


b) Caracteriza o crime de associação para o tráfico de entorpecentes, previsto no art. 14 da Lei nº. 6.368/76;
c) Caracteriza o crime de uso de entorpecentes, previsto no art. 16 da Lei nº. 6.368/76;
d) Caracteriza o crime de tráfico de entorpecentes, previsto no art. 12 da Lei nº. 6.368/76.

131
Questões de Direito Penal e Processual Penal
05. De acordo com a jurisprudência predominante, a imunidade concedida ao advogado nos termos do artigo 133 da
Constituição Federal ("O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e
manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei") e objeto do artigo 142, I, do Código Penal:

a) Abrange a injúria, a difamação e a calúnia;


b) Abrange a injúria, não alcançando a difamação e a calúnia;
c) Abrange a difamação e a calúnia, não alcançando a injúria;
d) Abrange a injúria e a difamação, não alcançando a calúnia.

06. Crime vago é o que:

a) Tem como sujeito passivo pessoa jurídica não identificada;


b) Tem como sujeito passivo entidade sem personalidade jurídica;
c) Não tem sujeito passivo;
d) Atinge mais de um bem jurídico.

07. Tem-se a tentativa branca quando:

a) O sujeito ativo pratica todos os atos de execução do crime, mas este não se consuma por circunstâncias alheias à sua
vontade;
b) O sujeito ativo, para a execução do crime, utiliza "arma branca";
c) A vítima não sofre lesões;
d) Menos se aproxima o sujeito ativo da consumação do crime, maior devendo ser a atenuação da pena (dois terços).

08. No concurso de pessoas:

a) As circunstâncias objetivas nunca se comunicam;


b) As circunstâncias objetivas se comunicam, desde que o co-autor ou partícipe delas tenha conhecimento;
c) As circunstâncias objetivas se comunicam, mesmo quando o co-autor ou partícipe delas não tenha conhecimento;
c) Nenhuma das opções acima ("a", "b" e "c") é correta.

09. Qual critério se deve adotar para o acréscimo de pena de um sexto a dois terços pela continuidade delitiva?

a) A gravidade dos crimes;


b) As circunstâncias judiciais do art. 59 do Código Penal;
c) A livre apreciação do magistrado;
d) O número de crimes.

10. Caracteriza-se a culpa consciente quando:

a) O agente não prevê o resultado, malgrado seja previsível;


b) O agente admite e aceita o risco de produzir o resultado;
c) O agente prevê o resultado, mas espera, sinceramente, que ele não aconteça;
d) O agente prevê o resultado, não se importando que venha ele a acontecer.

11. A inexigibilidade de outra conduta é causa:

a) De exclusão de condição de punibilidade;


b) De exclusão de tipicidade;
c) De exclusão da culpabilidade;
d) Nenhuma das opções acima ("a", "b" e "c") é correta.

132
Questões de Direito Penal e Processual Penal

12. Pela teoria actio libera in causa:

a) Considera-se o momento da ingestão da substância causadora da embriaguez e não o da prática delituosa, não se
excluindo a imputabilidade do agente, completa ou incompleta a sua embriaguez;
b) Considera-se o momento da prática delituosa e não o da ingestão da substância causadora da embriaguez, excluindo-
se a imputabilidade do agente, se completa a sua embriaguez;
c) Considera-se o momento da prática delituosa e não o da ingestão da substância causadora da embriaguez, reduzindo-
se a pena do agente, se incompleta a sua embriaguez;
d) As opções "b" e "c" acima estão corretas.

13. Quanto à natureza jurídica do concurso de agentes, adotou o Código Penal:

a) a teoria pluralista ou pluralística;


b) a teoria unitária ou monista;
c) a teoria dualista ou dualística;
d) a teoria da participação.

14. Caio, membro de uma quadrilha voltada para a subtração de veículos, mediante furtos e roubos à mão armada,
adquire e mantém, ilegalmente, em depósito, em sua residência, ainda sob a égide da Lei nº. 9.437/1997, arma de fogo
de uso restrito. A Lei nº. 9.437/1997 previa para tal delito, em seu art. 10, § 2º, a pena de reclusão de 2 (dois) a 4
(quatro) anos, e multa. Entra em vigor a Lei nº. 10.826/2003, que prevê, para o mesmo delito, em seu art. 16, a pena de
reclusão de 3 (três) a 6 (seis) anos, e multa. Caio mantém o depósito ilegal da arma, com esta sendo flagrado poucos
dias após o início da vigência da Lei nº. 10.826/2003. Denunciado por ter em depósito arma de fogo de uso restrito,
Caio está sujeito às penas:

a) da lei antiga, mais benéfica, porque em sua vigência teve início a ação típica e a lei nova, mais grave, não pode retroagir
para prejudicar o agente;
b) da lei nova, que pode ser aplicada no caso, porque a tipicidade não foi alterada, mas somente a pena;
c) da lei nova, que pode ser aplicada no caso, porque sua vigência é anterior à cessação da permanência do crime;
d) Nenhuma das opções acima ("a", "b" e "c") é correta.

15. O princípio da adequação social, admitido num caso concreto, pode constituir causa supra legal de exclusão da:

a) culpabilidade;
b) tipicidade;
c) punibilidade;
d) antijuridicidade.

Gabarito: 01. C - 02. A - 03. A - 04. D - 05. D - 06. B - 07. C - 08. B - 09. D - 10. C - 11. C - 12. A - 13. B - 14. C - 15. B

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova para ingresso na carreira da Magistratura do Distrito Federal,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O tipo penal de moeda falsa prescinde do elemento subjetivo dolo, pois realizado está o crime pelo mero risco social de
ser mantida em circulação a moeda falsificada.

II. No crime de moeda falsa é necessária a imitatio veritatis, mas não se exige perfeição na imitatio veri, sendo necessário
que os caracteres exteriorizadores da moeda tenham aptidão para induzir a engano número indeterminado de pessoas.
133
Questões de Direito Penal e Processual Penal

III. O estelionato praticado contra a Caixa Econômica Federal, empresa pública federal, é da competência da Justiça
Federal, sendo cabível a figura majorada pelo dano a entidade de direito público ou de instituto de economia popular,
assistência social ou beneficência.

IV. Consoante orientação pretoriana atual, o estelionato previdenciário, em que há percepção de parcelas sucessivas do
benefício, é crime permanente cujo lapso prescricional começa a contar da data em que cessa a permanência.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e III.

c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

02. Considere o enunciado que segue:

Maria é indiciada em inquérito policial pela omissão de recolhimento de contribuições previdenciárias descontadas dos
empregados, de janeiro a junho de 2002 - período em que era Diretora da empresa. Após a denúncia, o Juiz intima a
acusada por correspondência com aviso de recebimento (A.R.) para que comprove eventual pagamento ou parcelamento
do débito previdenciário. Sem resposta da acusada, o Juiz recebe a denúncia. Durante o processo, comprova Maria que
parcelou e pagou integralmente as contribuições pertinentes. A Previdência Social informa a pendência de outras
contribuições previdenciárias referentes ao período de agosto a outubro de 2002.

Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Nulo é o processo desde o recebimento da denúncia porque intimada a acusada por A.R.

II. Está extinta a punibilidade pelo integral pagamento das contribuições previdenciárias pertinentes ao processo,
aplicando-se retroativamente a nova previsão legal mais benéfica.

III. A responsabilidade de Maria como Diretora da empresa não pode ser afastada por demonstrações fáticas de que não
sabia e não era responsável pelas omissões de recolhimentos.

IV. A cada mês em que não recolhidas as contribuições previdenciárias, configura-se novo crime, cabendo, porém, o
tratamento de crime continuado em caso de similitude de tempo, lugar e modo de agir.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e III.

c) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

d) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

03. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. A prescrição em crimes tratados como em continuação delitiva é examinada fato a fato, isoladamente.

II. O acréscimo decorrente da continuidade delitiva não interfere no cômputo do prazo prescricional.

III. É cabível o reconhecimento da prescrição retroativa sempre que, transitando em julgado a sentença para a defesa,
estiver pendente apelo da acusação.
134
Questões de Direito Penal e Processual Penal

IV. Em tema de prescrição, a unidade do concurso formal de delitos fica desconstituída, incidindo a extinção da
punibilidade em cada um dos crimes isoladamente.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

04. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Não se admite a suspensão condicional do processo por crime continuado se a soma da pena mínima da infração mais
grave com o aumento mínimo de um sexto for superior a um ano.

II. Na jurisprudência atual, vindo o acórdão da Corte de Apelação a excluir a condenação de crime mais grave e restando
apenas crime com pena mínima de até um ano, abrir-se-á vista ao Ministério Público para que examine a possibilidade de
propor a suspensão condicional do processo.

III. No mandado de segurança impetrado pelo Ministério Público contra decisão proferida em processo penal, é
obrigatória a citação do réu como litisconsorte passivo.

IV. Compete ao Supremo Tribunal Federal examinar recursos extraordinários e habeas corpus interpostos contra decisão
da Turma Recursal, mas não cabe quanto a esta a interposição de recurso especial ao Superior Tribunal de Justiça.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

05. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Mesmo ausente a intenção de lucro com a alienação do entorpecente, pode ocorrer a imputação penal por tráfico (art.
12 da Lei nº 6.368/76), que não contém tal elementar em seu tipo.

II. A origem estrangeira da substância relacionada como entorpecente nas normas internacionais configura o tráfico
internacional de entorpecentes, mesmo quando apreendida no Brasil e sem ofensa prévia a pessoas, serviços ou
interesses de outro país.

III. É de competência relativa o conflito entre o Juiz Federal e o Estadual do local de apreensão da droga, este com
competência federal delegada na forma do art. 27 da Lei 6.368/76.

IV. A pena do delito de associação para o tráfico é regulada pelo art. 8º da Lei 8.072/90 (Lei dos Crimes Hediondos),
inobstante não seja esse crime enquadrado como hediondo, pelo que haverá direito à progressão no regime de
cumprimento da pena.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e II.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e III.


135
Questões de Direito Penal e Processual Penal

c) Estão corretas apenas as assertivas I, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

06. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O confisco de bens por tráfico de entorpecentes não exige na norma constitucional a continuidade ou permanência na
utilização de bens para o tráfico.

II. É competente a Justiça Federal para o processo e julgamento de delito financeiro praticado no âmbito de instituição
previdenciária privada, porque equiparada à instituição financeira.

III. O crime de gestão fraudulenta é espécie do delito de gestão temerária, sendo penalmente responsáveis, nos termos
da lei, o controlador e os administradores de instituição financeira, assim considerados seus diretores e gerentes.

IV. É pública incondicionada a ação penal por crime de sonegação fiscal.

a) Estão corretas apenas as assertivas II e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

07. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Os sistemas processuais penais consistem na reunião de princípios e modelos orientados por um princípio ou idéia
basilar, que serão adotados nos países de modo absoluto, impedindo a coexistência de regramentos de diferentes
estruturas processuais penais.

II. No sistema inquisitório puro, a concentração do poder processual dá-se nas mãos do inquisidor, em regra escolhido,
que, em processo escrito, sigiloso e com comum prisão cautelar, age com supremacia na produção probatória, regulando
os limites de atuação da defesa, acusando e, ao final, julgando a lide penal por critérios de justiça basicamente
vinculados.

III. Os princípios processuais penais de publicidade, ampla defesa e devido processo legal, por traduzirem garantia
constitucional ao processado, não admitem interpretação limitativa ou valorada pela proporcionalidade.

IV. O direito à não auto-incriminação é inaplicável às pessoas ouvidas na qualidade de testemunhas ou informantes.

a) Está correta apenas a assertiva II.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, III e IV.

d) Todas as assertivas estão incorretas.

08. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

136
Questões de Direito Penal e Processual Penal
I. No inquérito policial, a Autoridade Policial obedecerá à seqüência dos atos investigatórios prevista em lei, salvo
requisição do Juiz ou do Promotor, sendo do Juiz Criminal a competência recursal desses atos.

II. A incompetência da Autoridade Policial não anula as investigações realizadas, podendo gerar apenas reflexos de
ilegalidade na prisão.

III. Da decisão de arquivamento do inquérito policial, acolhendo manifestação ministerial, não cabem recursos, mesmo
evidente o erro de interpretação.

IV. É exigida a autorização da vítima ou de seu representante legal para a formalização da prisão em flagrante em crime
de ação penal privada.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas II, III e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

09. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O crime doloso contra a vida praticado, em Manaus, por Juiz do Trabalho de Florianópolis é processado e julgado no
Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

II. Ocorrendo absolvição do crime que atraíra a jurisdição federal, esta permanece competente para os crimes conexos
em razão da perpetuatio jurisdictionis.

III. A competência para o processo e julgamento por crime de contrabando ou descaminho define-se pela prevenção do
Juízo Federal ou Estadual - se o local não é sede de Vara Federal - do lugar da apreensão dos bens.

IV. O crime de falsa anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social, feita por particulares, é da competência da
Justiça Estadual.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas II e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

10. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O processo e julgamento de quaisquer crimes contra a organização do trabalho, previstos no pertinente capítulo do
Código Penal, dá-se na Justiça Federal, em razão da matéria.

II. As contravenções penais são examinadas na Jurisdição Federal em caso de conexão ou continência.

III. O tráfico internacional de mulheres ("escravas brancas") é da competência da Justiça Federal.

IV. Não há prevenção pelos atos judiciais de urgência, realizados sem distribuição.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.


137
Questões de Direito Penal e Processual Penal

b) Estão corretas apenas as assertivas III e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

d) Todas as assertivas estão incorretas.

11. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. O interrogatório tem hoje assegurado o contraditório pleno, com a formulação obrigatória de todas reperguntas
requeridas pela acusação e defesa.

II. É direito da defesa ter a expedição de precatórias para ouvida das testemunhas que na defesa prévia arrolara, sendo
intimada da data da audiência no juízo deprecado.

III. As questões prejudiciais obrigatórias suspendem o andamento da ação penal e o curso da prescrição, até o julgamento
no cível da questão de família ou patrimonial impeditiva.

IV. Havendo divergência entre testemunhas, expedir-se-á precatória à autoridade do lugar onde resida a testemunha
ausente, para que seja complementada a acareação, após a ouvida da testemunha presente.

a) Está correta apenas a assertiva IV.

b) Estão corretas apenas as assertivas I e IV.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.

d) Todas as assertivas estão incorretas.

12. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. É constitucional o obrigatório recolhimento à prisão do condenado para apelar em criminalidade organizada.

II. As provas de existência do crime e de indícios de autoria não são exigíveis se a prisão preventiva é decretada antes do
recebimento da denúncia.

III. As provas que fundamentam a prisão cautelar podem ser mantidas em sigilo, inclusive em relação ao preso-
investigado e a seu procurador, quando existente risco de que seu conhecimento possa frustrar o objetivo das
investigações.

IV. O limite legal da prisão temporária, em se tratando de criminalidade organizada, é de trinta dias improrrogáveis.

a) Está correta apenas a assertiva IV.

b) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

d) Todas as assertivas estão incorretas.

13. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

138
Questões de Direito Penal e Processual Penal
I. Pode o tribunal enquadrar os fatos acusatórios em crime diverso do capitulado na denúncia e na sentença, e sem que
jamais qualquer das partes tenha mencionado a diferente tipificação penal, ficando, todavia, limitado ao quantitativo da
pena aplicada em primeiro grau, se o recurso é exclusivamente da defesa.

II. Pode a emendatio libelli dar-se inclusive por fatos implicitamente contidos na denúncia.

III. A falta do exame especificado das circunstâncias judiciais gera nulidade da dosagem da pena da sentença, salvo se
fixada a pena-base no mínimo legal.

IV. A descoberta de novo fato criminoso justifica a aplicação da mutatio libelli, com abertura de vista à defesa por três
dias, na forma da lei.

a) Estão corretas apenas as assertivas I e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

14. Dadas as assertivas abaixo, assinalar a alternativa correta.

I. Conforme o Supremo Tribunal Federal, a denegação de liminar de habeas corpus autoriza novo habeas corpus contra
essa decisão, perante o Tribunal jurisdicionalmente superior.

II. Podem o habeas corpus e a revisão criminal ser promovidos por quem não seja advogado, mas não está tal pessoa
habilitada a exercitar recursos e sustentações nos tribunais.

III. O agravo na execução segue por analogia o rito do recurso em sentido estrito.

IV. A Defensoria Pública, a Advocacia Dativa e o Ministério Público possuem, no processo penal, prazo em dobro para a
interposição de recursos.

a) Estão corretas apenas as assertivas II e III.

b) Estão corretas apenas as assertivas I, II e III.

c) Estão corretas apenas as assertivas I, II e IV.

d) Todas as assertivas estão corretas.

Gabarito: 01. C - 02. C - 03. B - 04. D - 05. D - 06. B - 07. A - 08. C - 09. C - 10. B - 11. A - 12. D - 13. B - 14. A

Notas: Questões de Direito Penal e Processual Penal, extraídas de provas para ingresso na carreira da Magistratura
Federal da 1ª e 4ª região, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada- Bauru/SP

01. Crimes que têm por sujeito passivo entidades sem personalidade jurídica são chamados de crimes:

a) de perigo.
b) vagos.
c) de tendência.
d) inominados.
e) de referência.
139
Questões de Direito Penal e Processual Penal

02. Pedro Paulo municiou completamente o tambor de uma arma calibre 38 e desferiu, com vontade de matar, quatro
tiros contra Aldo Tinoco, desistindo voluntariamente de prosseguir na execução do seu intento, razão por que não
desferiu os dois últimos tiros. A vítima foi socorrida por Pedro Paulo e sofreu lesões corporais incapacitantes para o
exercício das atividades habituais por 30 (trinta) dias. Pedro Paulo deverá ser processado por crime de:

a) lesões leves.
b) lesões graves.
c) lesões gravíssimas.
d) tentativa de homicídio.
e) lesões graves, beneficiado pelo arrependimento posterior.

03. No tocante ao estado de necessidade, é correto afirmar que o Código Penal Brasileiro:

a) menciona expressamente, como requisito, que o perigo deva ser atual ou iminente.
b) exige, de forma expressa, que a situação de perigo não tenha sido causada dolosamente pelo sujeito.
c) exige que a agressão seja injusta para que o agente possa agir amparado por tal excludente.
d) adotou a teoria unitária.
e) admite o "estado de necessidade exculpante".

04. A mulher que ingere substância abortiva, com o intuito de provocar um aborto, supondo, erroneamente, estar
grávida, realiza o que a doutrina penal denomina de:

a) delito putativo por obra do agente provocador.


b) delito putativo por erro de proibição.
c) erro de tipo.
d) delito putativo por erro de tipo.
e) erro de proibição.

05. No "Concurso de Pessoas", é correto afirmar que:

a) o crime de conduta paralela não é uma forma de crime plurissubjetivo.


b) ao examinar as teorias aplicáveis ao estudo da "participação", nos deparamos com a teoria da acessoriedade extrema,
em que se requer que o comportamento do autor seja um fato típico e antijurídico.
c) havendo autoria colateral, ocorrerá o que se denomina de autoria incerta.
d) a autoria incerta se equipara à autoria ignorada.
e) não é necessário um acordo de vontades, basta que uma vontade adira à outra.

06. Segundo o Código Penal, o curso da prescrição se interrompe:

a) enquanto o agente cumpre pena no estrangeiro.


b) durante o tempo em que o condenado está preso por outro motivo.
c) pela continuação do cumprimento da pena.
d) pela decisão confirmatória da sentença condenatória recorrível.
e) enquanto não resolvida, em outro processo, questão de que dependa o reconhecimento da existência do crime.

07. No tocante ao crime de calúnia, praticado contra funcionário público, em razão de suas funções, podemos afirmar
que:

a) a ação penal é pública condicionada.


b) não admite retratação, pois o sujeito passivo é um funcionário público, havendo interesse da administração na
apuração do fato.
140
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) a competência para processo e julgamento é do Juizado Especial Criminal.
d) não admite a exceção da verdade.
e) admite a exceção de verdade somente se a ofensa for relativa ao exercício de suas funções.

08. Quanto ao crime de furto, pode-se afirmar que:

a) se o objeto subtraído for um navio, não haverá tal delito.


b) admite a incidência do instituto denominado "suspensão condicional do processo", em se tratando da modalidade de
furto qualificado, se houver o "arrependimento posterior", este previsto na parte geral do Código Penal.
c) o emprego de chave falsa é uma causa de aumento das penas.
d) o rompimento de obstáculo à subtração da coisa é uma agravante genérica.
e) se o criminoso for primário ou de pequeno valor a coisa furtada, o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de
detenção, diminuí-la, ou aplicar somente a pena de multa.

09. Quanto aos crimes contra os costumes, é correto afirmar que:

a) o crime de sedução, atualmente previsto no Código Penal, exige que a vítima seja virgem, menor de 18 anos e maior de
14 anos, e que o agente tenha com ela conjunção carnal, aproveitando-se de sua inexperiência ou justificável confiança.
b) o Código Penal exige, como elementar do tipo, no crime de rapto, que a mulher seja "honesta".
c) ter conjunção carnal com mulher, mediante fraude, é conduta típica, independente de a vítima ser honesta ou não.
d) a mulher que, mediante grave ameaça, constrange o homem à conjunção carnal pratica conduta típica de "atentado
violento ao pudor".
e) a lesão corporal de natureza leve é forma qualificada nos crimes de estupro e atentado violento ao pudor.

10. O funcionário público que deixa de praticar ou retarda ato de ofício, com infração de dever funcional, cedendo a
pedido de outrem, pratica crime de:

a) prevaricação.
b) condescendência criminosa.
c) excesso de exação.
d) corrupção ativa.
e) corrupção passiva.

Gabarito: 01. B - 02. A - 03. D - 04. D - 05. E - 06. C - 07. A - 08. B - 09. C - 10. E

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas da prova para ingresso na carreira da Magistratura do Estado do Pará,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

As dez primeiras questões contêm três conjuntos (1º, 2º e 3º) com duas assertivas cada um. O conjunto que contiver
uma errada e outra certa, ou ambas erradas, é considerado incorreto. Leia com atenção e assinale a única resposta
correta.

Questão 01

1º - As fundações, associações ou empresas legalmente constituídas podem exercer a ação penal quanto aos crimes de
calúnia, injúria e difamação, de que sejam vítimas, representadas pelos diretores ou sócios-gerentes quando não
designada outra pessoa em seus contratos ou estatutos.
- Na ação penal pública incondicionada vigoram os princípios da indisponibilidade e da indivisibilidade. Assim, a denúncia
contra qualquer um dos autores do crime obrigará ao processo de todos.

2º - O perdão concedido a um dos querelados aproveitará a todos, mas não produz efeitos em relação ao que o recusar.
- A renúncia ao direito de queixa, cuja prova depende de declaração do querelante nos autos, é causa de extinção da
punibilidade quando houver aceitação do querelado.
141
Questões de Direito Penal e Processual Penal

3º - A competência, em regra, é determinada pelo lugar em que se consumou a infração, mas nos casos de exclusiva ação
privada, poderá seu autor optar pelo foro do domicílio ou da residência do querelado.

O direito de queixa é exercido perante a autoridade policial no prazo de seis meses, contado do dia em que o querelante
vier a saber quem é o autor do crime, mediante petição assinada por ele ou por procurador com poderes especiais.

a) Todos os conjuntos estão errados.


b) Somente o 1º conjunto está correto.
c) Somente o 2º conjunto está correto.
d) Somente o 3º conjunto está correto.

Questão 02

1º - É recorrível o despacho do delegado que indefere requerimento do ofendido para a abertura de inquérito. Nos
crimes de ação privada a autoridade somente poderá proceder a inquérito a requerimento de quem tenha qualidade para
intentá-la.

2º - Tratando-se de ação penal privativa do ofendido, prescindível, em qualquer caso, a prévia instauração de inquérito
policial para a apuração dos fatos e dos indícios da autoria, pois ao querelante é imposto o ônus de provar em juízo as
alegações feitas na queixa. O habeas corpus é via inidônea para o trancamento de inquérito policial, por não implicar sua
instauração em cerceamento ao direito de locomoção do indiciado.

3º - Há flagrante esperado quando a autoridade, informada do plano criminoso do agente, aguarda que ele dê início à sua
execução para prendê-lo. Considera-se em flagrante, no sentido próprio, quem está cometendo a infração penal.

a) Todos os conjuntos estão corretos.


b) Somente o 2º conjunto está correto.
c) Somente o 3º conjunto está correto.
d) O 1º e o 3º conjunto são os corretos.

Questão 03

1º - Não será concedida fiança a quem, em qualquer outro processo, tenha infringido a obrigação de comparecer a todos
os atos do processo. Para a concessão de liberdade provisória, mediante fiança, é imprescindível a audiência prévia do
Ministério Público.

2º A citação será feita por edital quando incerta a pessoa que tiver de ser citada. Para a validade do ato de
reconhecimento é imprescindível que ao lado da pessoa, cujo reconhecimento se pretender, sejam colocadas outras que
com ela tiverem qualquer semelhança.

3º - O termo de interrogatório judicial, quando o réu se recusar a assiná-lo, não souber ou não puder fazê-lo, será
assinado por duas testemunhas que tenham ouvido sua leitura na presença dele. O juiz, quando for inquirir na instrução
criminal testemunha menor de dezoito anos de idade, deverá nomear-lhe curador para o ato.

a) Todos os conjuntos estão corretos.


b) O 1º e o 2º conjunto são os corretos.
c) Somente o 2º conjunto está correto.
d) Todos os conjuntos estão errados.

Questão 04

142
Questões de Direito Penal e Processual Penal
1º - Toda pessoa pode ser testemunha e presta seu depoimento sob promessa de dizer a verdade do que souber e lhe for
perguntado. Não se defere esse compromisso aos menores de dezoito anos, aos doentes ou deficientes mentais, aos
ascendentes ou descendentes do réu, ao afim em linha reta, ao cônjuge e aos colaterais até o terceiro grau. O ofendido
será obrigatoriamente inquirido a respeito das circunstâncias da infração e de seu autor, devendo ser conduzido à
presença do juiz se deixar de comparecer sem motivo justo à audiência para esse fim designada.

2º Quando o ofendido possuir foro especial por prerrogativa de função, será inquirido em local, dia e hora previamente
ajustados com a autoridade processante. Provada a inimputabilidade do réu, por doença mental superveniente à
infração, o processo ficará suspenso até que ele se restabeleça.

3º - O juiz está impedido de exercer jurisdição no processo se for inimigo capital de qualquer das partes ou de seus
advogados. Ao defensor público, integrante de assistência judiciária organizada e mantida pelo Estado, é assegurada a
prerrogativa de ser intimado pessoalmente de todos os atos do processo, em ambas as instâncias, bem como a contagem
em dobro de todos os prazos.

a) Todos os conjuntos estão errados.


b) Somente o 1º conjunto está correto.
c) Somente o 2º conjunto está correto.
d) Somente o 3º conjunto está correto.

Questão 05

1º - Ao juiz é vedado, na pronúncia, excluir circunstância qualificadora do homicídio, postulada pelo Ministério Público na
denúncia e nas alegações finais, sob pena de subtrair dos jurados a soberania que lhes outorgou o constituinte para o
julgamento dos crimes dolosos contra a vida. Vigora, nessa fase processual, o princípio in dubio pro societate. O Código
de Processo Penal prevê procedimento bifásico para os crimes da competência do tribunal do júri. No judicium
accusationis, iniciado com a denúncia e encerrado com a preclusão da pronúncia, estabelecem-se os limites da acusação.
Pode o juiz, nessa fase, admitir circunstância qualificadora apurada na instrução e omitida na denúncia, pois a defesa terá
a oportunidade de rebatê-la no judicium causae, perante o conselho de sentença.

2º - Preclusa a decisão de impronúncia, por ausência de indícios da autoria, é vedada a instauração de outra ação penal
contra o réu pelos mesmos fatos. A intimação do réu, pronunciado por crime afiançável, será feita por edital quando não
for encontrado ou não possuir advogado constituído.

3º - Poderá o tribunal determinar o desaforamento, a requerimento do réu ou do Ministério Público, se o julgamento não
se realizar no período de um ano, contado do recebimento do libelo, desde que para a demora não tenha concorrido o
réu ou a defesa. A sentença de absolvição sumária somente transita em julgado depois de confirmada pelo tribunal em
reexame necessário. Logo, falta interesse do Ministério Público na interposição de recurso em sentido estrito visando à
pronúncia do réu.

a) Somente o 3º conjunto está correto.


b) Os conjuntos 2º e 3º são os corretos.
c) Somente o 1º conjunto está correto.
d) Todos os conjuntos estão errados.

Questão 06

1º - O habeas corpus poderá ser impetrado por qualquer pessoa, em seu favor ou de outrem, bem como pelo Ministério
Público ou pelo juiz, quando este último verificar, no processo, que alguém sofre ou está na iminência de sofrer coação
ilegal. A petição de habeas corpus será indeferida liminarmente quando desacompanhada dos documentos necessários à
prova dos fatos nela alegados.

2º - O protesto por novo júri é admissível quando a sentença condenatória, por crime doloso contra a vida, for por tempo
igual ou superior a vinte anos de reclusão. A apelação interposta em relação ao crime conexo, de que não caiba protesto
por novo júri, ficará suspensa até a realização do novo julgamento.
143
Questões de Direito Penal e Processual Penal

3º - Pode tribunal, depois de cassar o veredicto absolutório dos jurados a requerimento da acusação, prover apelação do
réu fundamentada na ocorrência de nulidade no segundo julgamento, em que terminou condenado. A apelação de
sentença absolutória será recebida apenas no efeito devolutivo.

a) Todos os conjuntos estão corretos.


b) Todos os conjuntos estão errados.
c) O 1º e o 2º conjunto são os corretos.
d) Somente o 3º conjunto está correto.

Questão 07

1º - Absolvido o réu por não existir prova suficiente para sua condenação, falta-lhe interesse em apelar com o
fundamento de que o fato por ele praticado não constitui infração penal. O Código de Processo Penal faculta ao juiz,
depois das contra-razões, a oportunidade de reformar ou sustentar a decisão impugnada mediante recurso em sentido
estrito. Suficiente, quando não se retrata, a simples afirmação de que a mantém por seus próprios fundamentos.

2º - O recolhimento do condenado à prisão, como condição para requerer revisão criminal, não viola o princípio
constitucional da presunção de inocência. A renúncia do réu ao direito de apelação, manifestada sem a assistência do
defensor, não impede o conhecimento da apelação por este interposta.

3º - A revisão criminal é inadmissível nos processos em que o réu houver sido condenado a pena exclusivamente de
multa. Julgada procedente a revisão de processo instaurado por crime de ação exclusivamente privada, o tribunal, se o
interessado o requerer, condenará o querelante a lhe pagar justa indenização pelos prejuízos sofridos.

a) Os conjuntos 1º e 2º são os corretos.


b) Somente o 1º conjunto está correto.
c) Somente o 2º conjunto está correto.
d) Todos os conjuntos estão errados.

Questão 08

1º - Os embargos de declaração interrompem o prazo para a interposição de outros recursos, por qualquer das partes.
Dispõe o Código de Processo Penal Militar que os embargos infringentes serão opostos no prazo de cinco dias, contados
da data da intimação do acórdão.

2º - São cabíveis embargos infringentes, para o tribunal pleno ou órgão especial, quando o acórdão não unânime houver
julgado improcedente pedido de revisão criminal. Dispõe o Código de Processo Penal que aos acórdãos proferidos pelos
tribunais, câmaras ou turmas, poderão ser opostos embargos de declaração, no prazo de cinco dias contados de sua
publicação, quando neles houver ambigüidade, obscuridade, contradição ou omissão.

3º - O Ministério Público fiscalizará a execução da pena, facultado ao ofendido ou seu representante legal intervir como
assistente. Permite-se a progressão de regime de cumprimento da pena ou a aplicação imediata de regime menos severo
nela determinada, antes do trânsito em julgado da sentença condenatória.

a) Todos os conjuntos estão errados.


b) Todos os conjuntos estão corretos.
c) Os conjuntos 2º e 3º são os corretos.
d) Somente o conjunto 1º está correto.

Questão 09

1º - Embora não dependa de inclusão em pauta, a data do julgamento do habeas corpus deverá ser comunicada ao
impetrante para, se quiser e entender necessário, fazer sua sustentação oral, cumprindo-se, assim, o princípio
constitucional da ampla da defesa. Impetrada ordem de habeas corpus, com o fundamento de que o processo em que o
144
Questões de Direito Penal e Processual Penal
paciente foi condenado definitivamente a pena de multa é manifestamente nulo, é facultado ao relator suspender
liminarmente a execução da sentença, até seu julgamento final, mediante decisão motivada.

2º - É irrecorrível a decisão que relaxar a prisão em flagrante. Da decisão que denegar o recurso de apelação, dar-se-á
carta testemunhável com efeito suspensivo.

3º - A precatória, com o resumo de seus requisitos, pode ser expedida por via telegráfica, depois de reconhecida a firma
do juiz, circunstância que a estação expedidora mencionará. Cabe recurso em sentido estrito da decisão que julgar
procedente a exceção, salvo a de suspeição.

a) Todos os conjuntos estão errados.


b) Todos os conjuntos estão corretos.
c) Os conjuntos 1º e 2º são os corretos.
d) Somente o conjunto 3º está correto.

Questão 10

1º O Código de Processo Penal não adotou o princípio da identidade física do juiz. Logo, se não presidiu aos atos da
instrução criminal não poderá, antes de sentenciar, proceder a novo interrogatório ou a inquirição de testemunhas e do
ofendido. A falta de intervenção do Ministério Público em todos os termos da ação penal por ele intentada é causa é
causa de nulidade do processo. Sua ausência aos atos da instrução criminal, embora notificado previamente para esse
fim, constitui nulidade insanável que pode ser argüida pela defesa.

2º - No processo penal, contam-se os prazos da data da juntada aos autos do mandado ou da carta precatória ou de
ordem. Havendo mais de um réu, o tempo destinado à acusação e à defesa será de três horas para cada um, e de uma
hora para a réplica e de outro tanto para a tréplica.

3º - Se a verificação de fato essencial ao julgamento da causa puder ser realizada de pronto, o juiz suspenderá a sessão
pelo prazo que for necessário ao cumprimento da diligência. No julgamento de dois ou mais réus, com um só defensor, o
número de recusa imotivada de jurado não poderá ser superior a três.

a) Os conjuntos 2º e 3º estão corretos.


b) Somente o conjunto 3º está correto.
c) somente o conjunto 1º está correto.
d) Todos os conjuntos estão errados.

NAS CINCO QUESTÕES SEGUINTES, ASSINALE A ÚNICA ASSERTIVA CORRETA.

Questão 11

a) Depois da réplica e da tréplica não será permitida a reinquirição das testemunhas ouvidas em plenário.
b) Na pronúncia o juiz declarará o dispositivo legal em cuja sanção julgar o réu incurso, bem como a incidência de
eventual causa especial de aumento ou de diminuição de pena.
c) O álibi, prova indiciária negativa da autoria, cujo ônus compete à defesa, pode ter sua veracidade averiguada em
diligências determinadas de ofício pelo juiz.
d) A confissão será indivisível e irretratável, sem prejuízo do livre convencimento do juiz, fundado no exame das provas
em conjunto.

Questão 12

a) Da decisão que rejeita a denúncia cabe recurso em sentido estrito. Uma vez que não chegou a se formar a relação
processual, desnecessária a intimação do denunciado para oferecer contra-razões.
145
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) A conexão determina reunião dos processos, ainda que um deles já tenha sido julgado.
c) Compete à Auditoria Militar do Distrito Federal processar e julgar policiais militares pela prática do crime de abuso de
autoridade (Lei nº 4.898/65), quando conexo com o de lesão leve, previsto no Código Penal Militar (art. 209).
d) A participação de membro do Ministério Público na fase investigatória criminal não acarreta o seu impedimento ou
suspeição para o oferecimento da denúncia.

Questão 13

a) Dispõe o Código de Processo Penal Militar que o livramento condicional poderá ser concedido ao condenado a pena de
reclusão ou detenção igual ou superior a dois anos, desde que tenha cumprido a metade da pena, se primário.
b) Será obrigatoriamente revogado o livramento condicional se o liberado vier a ser irrecorrivelmente condenado por
contravenção cometida durante a vigência do benefício.
c) O livramento condicional poderá ser concedido a condenado a pena privativa de liberdade inferior a dois anos.
d) O livramento condicional poderá ser revogado a requerimento do Ministério Público, do ofendido ou de quem o
represente, do Conselho Penitenciário ou de ofício, pelo juiz.

Questão 14

a) O juiz recorrerá de ofício quando rejeitar a denúncia com o fundamento de que o denunciado agiu sob o pálio da
legítima defesa.
b) O recurso de ofício, previsto no Código de Processo Penal para o caso de sentença concessiva de reabilitação,
encontra-se revogado pela Lei de Execução Penal.
c) O Código de Processo Penal Militar não prevê recurso de ofício das decisões concessivas de habeas corpus.
d) No recurso de ofício, privativo do juiz, as partes não podem apresentar razões nem contra-razões.

Questão 15

a) A incompetência relativa do juízo poderá ser argüida pela defesa a qualquer tempo. Por se tratar de matéria de ordem
pública, não se sujeita à preclusão.
b) O juiz que se julgar suspeito, e não for relator nem revisor, deverá fazê-lo verbalmente na sessão de julgamento.
c) No interrogatório do réu, por se tratar de ato personalíssimo do magistrado, é dispensável a presença de defensor
dativo ou constituído.
d) Conforme orientação do Superior Tribunal de Justiça, o decreto de prisão preventiva, como garantia da ordem pública,
pode ter por fundamento o clamor popular provocado pela gravidade do crime e o prestígio da Justiça perante a
sociedade.

Gabarito: 01. A - 02. D - 03. D - 04. A - 05. D - 06. D - 07. D - 08. D - 09. D - 10. B - 11. C - 12. D - 13. A - 14. C - 15. B

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas da prova para ingresso na carreira da Magistratura do Distrito
Federal, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP

01. Recentemente, o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL editou várias Súmulas relacionadas ao regime de execução da
pena. Entre estas, destacam-se as seguintes, EXCETO:

a) A opinião do julgador sobre a gravidade em abstrato do crime não constitui motivação idônea para a imposição de
regime mais severo do que o permitido segundo a pena aplicada.
b) Não impede a progressão de regime de execução da pena, fixada em sentença não transitada em julgado, o fato de o
réu encontrar-se em prisão especial.
c) Não se admite a progressão de regime de cumprimento da pena ou a aplicação imediata de regime menos severo nela
determinada, antes do trânsito em julgado da sentença condenatória.
146
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) A imposição do regime de cumprimento, mais severo do que a pena aplicada permitir, exige motivação idônea.

02. Sobre os crimes previstos no Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003), é CORRETO afirmar:

a) A novel legislação separa, em dois tipos distintos, a posse irregular de arma de fogo de uso permitido e a posse ou
porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. A fim de verificar a classificação e a definição de armas de fogo, deve-se
consultar a parte final da referida lei, eis que, em suas Disposições Gerais, consta o rol de armamentos restritos,
permitidos e proibidos.
b) Aquele que deixa de observar as cautelas necessárias e permite que menor de 18
(dezoito) anos se apodere de arma de fogo de sua posse ou propriedade não pode ser punido, eis que os crimes previstos
no Estatuto do Desarmamento só admitem o dolo como elemento subjetivo do tipo.
c) O disparo de arma de fogo em via pública, quando crime autônomo, é afiançável, inexistindo qualquer jurisprudência
que admita liberdade provisória em tal delito.
d) A lei expressamente consagra a proibição de porte de arma de fogo em todo o território nacional, ressalvadas algumas
hipóteses específicas, como os integrantes das Forças Armadas e as empresas de segurança privada e de transporte de
valores, os quais poderão portar armas de fogo, desde que obedecidos os requisitos legais e regulamentares.

03. Sobre o erro no Direito Penal, assinale a alternativa INCORRETA

a) O erro sobre elemento constitutivo do tipo legal de crime exclui o dolo, mas permite a punição por crime culposo, se
previsto em lei.
b) É isento de pena quem, por erro plenamente justificado pelas circunstâncias, supõe situação de fato que, se existisse,
tornaria a ação legítima. Contudo, não há isenção de pena quando o erro deriva de culpa e o fato é punível como crime
culposo.
c) Não responde pelo crime o terceiro que determina o erro.
d) O erro quanto à pessoa contra a qual o crime é praticado não isenta de pena. Não se consideram, neste caso, as
condições ou qualidades da vítima, senão as da pessoa contra quem o agente queria praticar o crime.

04. Sobre os crimes contra a vida, é CORRETO afirmar:

a) É pacífico o entendimento dos tribunais inadmitindo as hipóteses de homicídio qualificado-privilegiado, eis que a
qualificação do homicídio repele o privilégio, e vice-versa, independentemente de serem os qualificados de ordem
objetiva ou subjetiva.
b) O aborto praticado por terceiro com o consentimento válido da gestante enseja a imputação em diferentes tipos
penais para a gestante e para o terceiro.
c) Se no homicídio culposo as conseqüências do delito atingem o próprio agente de forma tão grave que a sanção penal
se torne desnecessária, a lei prevê o dever do juizdeixar de aplicar a pena, fazendo incidir hipótese de perdão judicial.
d) O delito do art. 122 (instigação, induzimento ou auxílio ao suicídio) do Código Penal somente pode ser imputado
àquele que tem o dever legal de cuidar do suicida.

05. Sobre o conflito aparente de normas, assinale a alternativa INCORRETA:

a) No concurso aparente de leis penais, há uma situação em que várias leis são aparentemente aplicáveis a um mesmo
fato, mas apenas uma tem real incidência.
b) Como critérios para a resolução do concurso aparente de leis, pode-se citar a especialidade, a subsidiariedade e a
consunção. Pelo critério da especialidade, a norma especial prevalece sobre a norma geral, visto que aquela contém
todos os elementos desta, e mais alguns especializantes. Pelo critério da subsidiariedade, o conteúdo do tipo penal mais
amplo absorve o de menor abrangência, que constitui etapa daquele.
Finalmente, pela consunção um fato menos amplo e menos grave, embora definidocomo delito autônomo, encontra-se
também compreendido em outro tipo como fase de execução de crime mais grave.
c) Um exemplo de aplicação do critério da especialidade pode ser inferido no delito de infanticídio (CP, art. 123), eis que
além dos elementos típicos do homicídio (CP, art. 121), há causas especializantes, tais como a exclusividade da mãe como
sujeito ativo do delito.

147
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) Um exemplo de aplicação do critério da consunção é no delito de latrocínio, porque o roubo e o homicídio são
absorvidos pelo referido delito.

06. Sobre a aplicação da pena (CP, arts. 59 a 76), assinale a alternativa INCORRETA

a) No concurso de causas de aumento ou de diminuição previstas na Parte Especial do


Código Penal, o juiz deve levar em consideração todos os aumentos e/ou diminuições, não podendo limitar-se à causa
que mais aumente ou diminua a pena.
b) Segundo o entendimento majoritário, inclusive sumulado pelo superior tribunal de justiça, a incidência da circunstância
atenuante não pode conduzir à redução da pena abaixo do mínimo legal.
c) Verifica-se a circunstância agravante da reincidência quando o agente comete novo crime, mesmo que a condenação
anterior já transitada em julgado seja no estrangeiro.
d) O rol das circunstâncias atenuantes não é taxativo, eis que o Código Penal expressamente admite outras hipóteses,
mesmo que não previstas em lei.

07. Acerca das causas excludentes de antijuridicidade, assinale a alternativa CORRETA

a) Não obstante não haver menção expressa no Código Penal, o consentimento do ofendido pode funcionar como causa
de justificação, excluindo a ilicitude nos casos em que o titular do bem jurídico protegido e disponível assente de forma
livre.
b) Mesmo aquele que tinha o dever legal de enfrentar o perigo pode alegar o estado de necessidade.
c) O agente, em qualquer hipótese de excludente de antijuridicidade, não responde pelo excesso, seja doloso, seja
culposo.
d) O esportista que causa lesões corporais em adversário responde pelo seu ato a título de dolo ou culpa, mesmo se
observou o cuidado objetivamente devido e agiu com ânimo ou vontade de exercer a prática de esporte, eis que nesses
casos, pelo risco do esporte, inexiste o chamado exercício regular de direito.

08. Sobre os efeitos da condenação, é CORRETO afirmar:

a) Todos os efeitos da condenação são automáticos, não havendo necessidade de sua declaração motivada na sentença.
b) É efeito da condenação a perda do instrumento do crime em favor da União, mesmo que este pertença ao lesado ou a
terceiro de boa fé.
c) É efeito da condenação a perda do cargo, função pública ou mandato eletivo, sendo irrelevante para tal a quantidade
de pena fixada na sentença.
d) A condenação torna certa a obrigação de indenizar o dano causado pelo crime.

09. Sobre os crimes contra o patrimônio (CP, arts. 155 a 183), é CORRETO afirmar:

a) Sendo de pequeno valor a coisa furtada, independentemente da primariedade do acusado, o juiz pode substituir a
pena de reclusão pela de detenção, diminuí-la de um a dois terços, ou somente aplicar a pena de multa.
b) No latrocínio o crime-meio é o roubo; e o crime-fim, é o homicídio.
c) Segundo entendimento majoritário da jurisprudência, o crime de extorsão consuma-se independentemente da
obtenção da vantagem ilícita.
d) A emissão de duplicata simulada é fraude a ser dirimida na esfera cível, inexistindo persecução penal por referida
conduta.

10. Sobre o concurso de crimes, assinale a alternativa CORRETA

a) Há concurso formal quando o agente, com mais de uma ação, pratica dois ou mais crimes; já o concurso material
ocorre quando há unidade de ação e pluralidade de infrações penais.
b) No concurso de crimes, é desprezada a pena de multa do delito menos grave, devendo ser paga apenas a multa
relacionada ao delito mais grave.
c) Não poderá a pena fixada em concurso formal exceder a que seria cabível em caso de concurso material.
148
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) No crime continuado, são irrelevantes as condições de tempo, lugar, maneira de execução e outras semelhantes.

Gabarito: 01. C - 02. D - 03. C - 04. B - 05. B - 06. A - 07. A - 08. D - 09. C - 10. C

Notas: questões de Direito Penal, extraídas das provas para ingresso na carreira da Magistratura, selecionadas por Alinne
Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Sobre a competência no Processo Penal, assinale a alternativa CORRETA

a) Segundo disposição constitucional, os Ministros de Estado, os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica


e os membros do Congresso Nacional serão processados e julgados pelo supremo tribunal federal nas infrações penais
comuns e nos crimes de responsabilidade.
b) É competente a Justiça Federal para processar e julgar crime de lavagem de dinheiro conexo com roubo praticado por
organização criminosa, em detrimento do Banco do Brasil.
c) Segundo o entendimento do supremo tribunal federal, a prerrogativa de foro não é absoluta, eis que, nos crimes contra
a vida, prevalece a competência do Júri se aquela for determinada apenas em Constituição Estadual.
d) Se um senador pratica um delito de peculato, a competência especial por prerrogativa de função prevalece ainda que o
inquérito ou a ação penal sejam iniciados após a cessação do mandato eletivo.

02. Em relação à interpretação da lei processual penal e sua aplicação no tempo e no espaço é CORRETO afirmar:

a) No processo e julgamento de crime previsto em tratado firmado pelo Brasil, cometido em território brasileiro, aplica-se
o Código de Processo Penal, ainda que existam regras processuais penais naquele acordo internacional.
b) A lei processual penal aplicar-se-á desde logo, porém apenas nos processos que se iniciaram após a sua publicação,
pois ela não pode atentar contra o direito adquirido.
c) A lei processual penal, excepcionalmente, pode ser estadual.
d) A lei processual penal admitirá interpretação extensiva e aplicação analógica, bem como o suplemento dos princípios
gerais de direito.

03. Acerca da suspeição e do impedimento no Processo Penal, assinale a alternativa CORRETA:

a) A participação de membro do Ministério Público na fase investigatória criminal não acarreta o seu impedimento ou
suspeição para o oferecimento da denúncia.
b) As hipóteses de suspeição e impedimento não se limitam ao juiz, podendo igualmente ser opostas a membro do
Ministério Público, serventuário da justiça, perito ou autoridade policial.
c) A argüição de suspeição, que precederá as demais, poderá ser feita pela parte ou por procurador legalmente
constituído com poderes gerais.
d) Está impedido de atuar no processo o juiz que for credor ou devedor de qualquer das partes.

04. Sobre as provas em Processo Penal, assinale a alternativa CORRETA

a) A confissão, apesar de indivisível, é retratável.


b) Em se tratando de busca e apreensão, destaca o Código de Processo Penal que a busca poderá ser determinada de
ofício ou de requerimento de qualquer das partes.
c) O Código de Processo Penal prevê que as perícias sejam feitas por dois peritos, sempre oficiais.
d) Nas infrações penais que deixam vestígios, o exame de corpo de delito sempre poderá ser substituído pela prova
testemunhal.

05. Em se tratando de nulidades no Processo Penal, assinale a alternativa CORRETA

149
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) Segundo entendimento dos tribunais superiores, no Processo Penal, a defesa deficiente equivale-se à falta de defesa, e
acarreta nulidade absoluta.
b) A nulidade, por ser questão de ordem pública, deve ser declarada sempre que ocorrer, mesmo que o ato a ser anulado
não houver influído na apuração da verdade substancial ou na decisão da causa.
c) É relativa a nulidade decorrente da inobservância da competência penal por prevenção.
d) A nulidade ocorrida durante o julgamento no plenário do Júri deve ser argüida nas razões de recurso.

06. Sobre o procedimento ordinário, assinale a alternativa CORRETA:

a) Se o acusado, citado por edital, não comparecer e nem constituir advogado, deve ser decretada a sua revelia,
prosseguindo-se o feito sem a presença do acusado. Contudo, se a citação é pessoal, e não houver comparecimento do
réu para os atos do processo, este deve ser suspenso, suspendendo-se também o prazo prescricional.
b) O advogado do acusado pode requerer provas, na fase do art. 499, que poderia ter requerido por ocasião da defesa
prévia, não o tendo feito por estratégia defensiva.
c) O procedimento ordinário, utilizado para os crimes apenados com reclusão, assemelha-se à primeira fase do
procedimento do Júri (iudicium accusationis), diferenciando-se, basicamente, pelo prazo das alegações finais e pela
ausência da fase do art. 499 no procedimento dos crimes dolosos contra a vida.
d) Após proferida, a sentença deverá ser publicada, iniciando-se a partir desta data o prazo para eventual recurso da
acusação ou defesa.

07. A Lei nº 7.210/84, em seu art. 66, define a competência do Juízo de Execuções Penais. Entre elas, destacam-se as
seguintes, EXCETO:

a) Interditar, no todo ou em parte, estabelecimento penal que estiver funcionando em condições inadequadas.
b) Aplicar aos casos julgados lei posterior que de qualquer modo favorecer o condenado.
c) Decidir sobre soma ou unificação de penas; progressão ou regressão do regime; livramento condicional e incidentes de
execução.
d) Propor diretrizes de política criminal quanto à prevenção do delito, administração da justiça criminal e execução das
penas e medidas de segurança.

08. Assinale a alternativa CORRETA

a) Faz coisa julgada no cível a sentença penal que reconhecer ter sido o ato praticado em estado de necessidade, em
legítima defesa, em estrito cumprimento do dever legal ou no exercício regular de direito.
b) O despacho de arquivamento do inquérito impede a propositura de ação civil, eis que impossibilitou a persecução
penal sobre os fatos.
c) Em razão da independência de instâncias, mesmo depois de intentada a ação penal, o juiz da ação civil não poderá
suspender o curso desta, até o julgamento definitivo daquela.
d) A decisão de extinção da punibilidade pela prescrição impede a propositura de ação civil pelos mesmos fatos.

09. No processo dos crimes da competência do Júri, é correto afirmar que:

a) nenhum documento se juntará aos autos no prazo para apresentação das alegações finais.
b) quando o juiz se convencer de que o denunciado não foi o autor do crime, deverá proferir decisão denominada de
"absolvição sumária".
c) uma vez impronunciado o réu, não poderá ser novamente instaurado processo contra ele, mesmo havendo novas
provas.
d) a intimação da decisão de pronúncia será sempre feita ao réu pessoalmente, mesmo sendo o crime afiançável.
e) em caso de absolvição sumária proferida pelo juiz togado, o recurso cabível é a apelação.

10. Assinale a hipótese em que o recurso é necessário, ou seja, ex officio.

a) Da decisão que arquivar inquérito referente a crime falimentar.


150
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) Da decisão do juiz togado que vier a absolver sumariamente o processado por crime de homicídio doloso,
reconhecendo a inimputabilidade e aplicando medida de segurança.
c) Do deciso que negar a reabilitação.
d) Da decisão de impronúncia.
e) De toda decisão que incidentalmente julgar a inconstitucionalidade de lei em divergência com julgado do Supremo
Tribunal Federal.

11. Quanto ao protesto por novo júri, é correto afirmar que:

a) se trata de um recurso não exclusivo da defesa.


b) será oponível se a pena imposta, mesmo em concurso material, for igual a 20 (vinte) anos de reclusão.
c) é cabível apenas duas vezes em cada condenação.
d) se o juiz não receber o protesto por novo júri, caberá carta testemunhável, no prazo de 48 horas ao deciso
denegatório.
e) uma vez recebida a petição do protesto por novo júri, o magistrado deve fazer a remessa para a segunda instância a
fim de que haja a decisão sobre o pedido.

12. No procedimento dos Juizados Especiais Criminais, assinale a alternativa falsa.

a) A competência será determinada pelo lugar em que foi praticada a infração penal.
b) Em qualquer tipo de ação penal, a composição dos danos civis acarretará a extinção do processo.
c) Poderá ser realizada a transação penal, com a aplicação imediata de pena restritiva de direitos ou multas, mesmo na
hipótese de ação penal pública incondicionada.
d) Caberá apelação da decisão que homologar a proposta de transação penal feita pelo Ministério Público.
e) Acolhendo a proposta de transação penal feita pelo Ministério Público, e aceita pelo autor da infração, o juiz aplicará a
pena restritiva de direitos ou multa, que não importará em reincidência.

13. Em se tratando de execução das penas, assinale a afirmativa verdadeira.

a) A permissão de saída do estabelecimento, mediante escolta, em caso de doença grave da companheira, não poderá ser
concedida se o preso for provisório.
b) O condenado que cumpre pena em regime aberto poderá remir, pelo trabalho, parte do tempo de execução da pena.
c) O preso impossibilitado de prosseguir no trabalho, por acidente, continuará a beneficiar-se com a remição, mesmo sem
estar trabalhando.
d) O juiz da execução penal poderá imediatamente revogar o livramento condicional em caso de prática pelo liberado de
outra infração penal, bastando apenas ouvir o interessado, assegurando-lhe ampla defesa e o contraditório.
e) Em caso de revogação do livramento condicional motivada por infração penal anterior à vigência do livramento, não se
computará na pena o tempo em que esteve solto o liberado, e tampouco se concederá, em relação à mesma pena, novo
livramento.

14. Segundo as normas gerais do Código de Processo Penal, é correto afirmar que:

a) não recebido o recurso em sentido estrito, caberá apelação.


b) não recebida a carta testemunhável, caberá recurso em sentido estrito.
c) não recebidos os embargos, caberá recurso em sentido estrito.
d) julgada deserta a apelação, caberá recurso em sentido estrito.
e) não recebida a revisão, caberá recurso em sentido estrito.

15. Segundo o Código de Processo Penal, assinale a alternativa falsa.

a) A suspeição, a incompetência de juízo, a litispendência, a ilegitimidade de parte e a coisa julgada são exceções
previstas na lei processual penal.

151
Questões de Direito Penal e Processual Penal
b) As partes podem argüir a suspeição de peritos, intérpretes e serventuários ou funcionários da justiça, decidindo o juiz
de plano e sem recurso, à vista da matéria alegada e prova imediata.
c) Não se poderá opor suspeição da autoridade policial nos atos do inquérito, mas deverá ela declarar-se suspeita,
quando ocorrer motivo legal.
d) As exceções serão processadas em autos apartados e não suspenderão, em regra, o andamento da ação penal.
e) Se for argüida a suspeição do órgão do Ministério Público, o juiz, depois de ouvi-lo, decidirá, cabendo recurso em
sentido estrito.

16. Segundo o Código de Processo Penal, na instrução criminal de um acusado denunciado por crime de furto
qualificado, é correto afirmar que:

a) serão inquiridas no máximo oito testemunhas de acusação e até oito de defesa, não se compreendendo nesse número
as que não prestaram compromisso e as referidas.
b) as testemunhas de acusação devem sempre ser ouvidas no prazo de 20 (vinte) dias.
c) o acusado possui o prazo de cinco dias após o interrogatório para oferecer alegações escritas e arrolar testemunhas.
d) as partes não poderão oferecer documentos na fase do requerimento de diligências.
e) ao receber a denúncia, o juiz não precisa notificar o Ministério Público para o interrogatório do acusado, uma vez que
tal ato é privativo do magistrado.

17. São incidentes de execução previstos na Lei de Execuções Penais:

a) o livramento condicional, a suspensão condicional da pena e a anistia.


b) a anistia, o indulto e o livramento condicional.
c) as conversões de penas, o excesso ou desvio de execução, a anistia e o indulto.
d) a anistia, o indulto, o livramento condicional e a medida de segurança.
e) o excesso ou desvio de execução, as conversões e o livramento condicional.

18. O prazo previsto no Código de Processo Penal, como regra geral, para interposição do recurso de apelação é de:

a) 03 (três) dias.
b) 05 (cinco) dias.
c) 10 (dez) dias.
d) 15 (quinze) dias.
e) 20 (vinte) dias.

Gabarito: 01. C - 02. D - 03. A - 04. B - 05. C - 06. C - 07. D - 08. A - 09. A - 10. B - 11. D - 12. B - 13. C - 14. D - 15. E - 16. A -
17. C - 18. B

Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para ingresso na carreira da Magistratura, selecionada por
Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. José Pedro foi processado e condenado por rapto para fins libidinosos como incurso no art. 220 do Código Penal a
uma pena de dois anos de detenção, que foi substituída por duas restritivas de direito, quais sejam, prestação de
serviço à comunidade e multa. Em 25 de dezembro de 2004, a sentença condenatória transitou em julgado e o
sentenciado passou ao cumprimento da pena imposta. Agora, José Pedro requereu a extinção da punibilidade com
base no art. 107 do Código Penal. É CORRETO afirmar que:

a) diante da sentença condenatória com trânsito em julgado e iniciada a execução, o pedido formulado será indeferido;
b) a sentença será mantida, vez que a lei nova só retroage para beneficiar o réu;
c) diante dos princípios que regem os conflitos de direito intertemporal e ausente a prescrição da pretensão executória, o
pedido de extinção de punibilidade será indeferido;
d) será decretada a extinção de punibilidade em face da abolitio criminis.

152
Questões de Direito Penal e Processual Penal

02. O inquérito policial NÃO pode ser instaurado:

a) pela autoridade policial, de ofício, mediante portaria, sempre que tomar conhecimento da existência de crime, exceto
nas ações penais de natureza exclusivamente privada;
b) em razão de requerimento do ofendido;
c) pelo auto de prisão em flagrante;
d) por requisição do Juiz ou do Ministério Público.

03. No procedimento de competência do Tribunal do Júri é INCORRETO afirmar que:

a) o julgamento poderá ser desaforado se não se realizar no período de 1 (um) ano, contado do recebimento do libelo,
desde que para a demora não haja concorrido o réu ou a defesa;
b) nos crimes conexos, sendo afiançáveis, estando o réu em local incerto e não sabido, a decisão de intimação da
pronúncia poderá ser efetivada via edital;
c) o juiz não poderá quesitar sobre circunstância agravante não articulada no libelo;
d) aos jurados se estendem as regras de impedimento, suspeição e incompatibilidade aplicáveis aos juízes togados.

04. Em matéria de pronúncia e impronúncia, é INCORRETO afirmar que:

a) havendo infração penal conexa, incluída na denúncia, devidamente recebida, pronunciando o réu por crime doloso
contra a vida, deve o juiz remeter o crime conexo a julgamento pelo tribunal popular, sem proceder a nenhuma análise
de mérito ou de admissibilidade quanto a ele;
b) o réu denunciado incurso nas penas do artigo 121, caput, do Código Penal, sendo considerado perturbado, semi-
imputável, deve ser pronunciado normalmente, havendo prova da materialidade e indícios suficientes de autoria;
c) sendo impronunciado, o réu não pode agilizar Recurso em Sentido Estrito, objetivando a absolvição sumária, à míngua
de interesse;
d) o processo de competência do Júri não prosseguirá até que o réu seja intimado da sentença de pronúncia.

05. No processo penal, em matéria de competência, é INCORRETO afirmar que:

a) o juiz pode, de ofício, declinar da incompetência relativa;


b) a decisão de um juiz estadual em matéria de crime de natureza federal, pode ser considerada válida, desde que as
partes processuais não agilizem a declinatória ou recorram da decisão;
c) a conexão e a continência não constituem critérios para a fixação, mas para a prorrogação da competência;
d) na ação penal privada o querelante poderá optar pelo foro do local da infração ou do domicílio ou residência do
querelado.

06. Citado o réu por edital, não comparecendo ele ao interrogatório e nem constituindo advogado, é obrigatória a
suspensão do processo e a do prazo prescricional, EXCETO:

a) nos crimes conexos de competência do Tribunal do Júri, sendo afiançáveis;


b) no procedimento dos crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor;
c) no procedimento originário dos crimes previstos no Dec.-Lei nº 201, que dispõe sobre a responsabilidade de prefeitos;
d) no procedimento dos crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores.

07. Quanto à prova, é INCORRETO afirmar que:

a) a confissão do réu, de forma isolada, pode suprir o exame de corpo de delito direto ou indireto;
b) a vítima que se recusa a fazer o exame de corpo de delito pode ser processada por crime de desobediência e,
persistindo a sua recusa, ser conduzida coercitivamente para a realização de perícias externas de fácil visualização;
c) o menor de 18 (dezoito) anos que ativamente participa de uma infração penal associando-se ao maior pode ser
arrolado normalmente como testemunha na ação penal face ao imputável, tendo o dever de dizer a verdade;
153
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) a acareação pode dar-se entre todos os sujeitos envolvidos no processo, inclusive entre os acusados.

08. Assinale a alternativa INCORRETA.

a) Os maus antecedentes, isoladamente considerados, não constituem prova idônea para fins de condenação, porque
atinem com fatos pretéritos e estranhos ao processo;
b) A chamada do co-réu, ainda que não se trate de mera transferência de responsabilidade, sem o escopo liberatório do
delator, que confirmando sua participação no crime, aponta a de
seu comparsa, não constitui elemento de prova digna de fé;
c) O testemunho exclusivo de policial verga a responsabilidade dos testemunhos em geral, inexistindo proibição legal que
os impeça de depor;
d) A diligência domiciliar de busca e apreensão, efetivada por policiais desamparados de mandado judicial, tem validade
jurídica quando precedida face a crimes de índole permanente.

09. No processo penal, o Juiz, de ofício, NÃO pode:

a) decretar a prisão preventiva;


b) proceder à verificação da falsidade;
c) revogar a reabilitação;
d) decretar a prisão temporária.

10. Quanto à prisão, é INCORRETO afirmar que:

a) ainda que o crime seja inafiançável, não pode a autoridade policial telefonar à outra, de diferente circunscrição,
solicitando a prisão de alguém, anunciando que tem em mãos um mandado de prisão emitido pela autoridade
competente;
b) enquanto não sobrevier sentença condenatória, nas infrações penais comuns, o Presidente da República não estará
sujeito à prisão;
c) o cidadão que efetivamente tenha exercido a função de jurado tem direito à prisão especial antes da condenação
definitiva, mesmo depois de ter sido excluído da lista de jurados, salvo se a exclusão se deu por incapacidade moral ou
intelectual para o exercício da função;
d) quando se tratar de uma organização criminosa, a autoridade policial pode retardar a realização da prisão em flagrante
de seus membros, desde que mantidos sob observação e acompanhamento para que a medida legal se concretize no
momento mais eficaz do ponto de vista da formação de provas e fornecimento de informações.

11. No processo penal, é INCORRETO afirmar que a decisão:

a) que rejeita a denúncia, por ilegitimidade de parte ou por ausência das condições exigidas na lei para o exercício da
ação penal, faz coisa julgada formal;
b) que determina o arquivamento do inquérito, a requerimento do Órgão Ministerial, faz coisa julgada formal;
c) que extingue a punibilidade, pela ocorrência da prescrição, faz coisa julgada material;
d) que rejeita a denúncia, por manifesta atipicidade da conduta, faz coisa julgada formal.

12. Sentença "suicida", conforme doutrina, é aquela:

a) cuja parte dispositiva contraria as razões invocadas na fundamentação;


b) que não contém relatório;
c) que não indica o artigo de lei que deveria ser aplicado;
d) que não obedece ao critério trifásico para aplicação da pena.

13. Quanto aos recursos, é INCORRETO afirmar que:

154
Questões de Direito Penal e Processual Penal
a) o agravo sem efeito suspensivo é o recurso utilizado para impugnar toda decisão proferida pelo Juiz da Execução
Criminal que prejudique direito das partes principais envolvidas no processo;
b) a decisão que não recebe o aditamento da denúncia desafia a interposição do Recurso em Sentido Estrito, embora a
hipótese não conste do rol do artigo 581 do Código de Processo Penal;
c) o recurso não será conhecido pelo Tribunal quando o apelante, sendo o Órgão Ministerial, não mais deseja persistir no
inconformismo, requerendo, expressamente, a sua desistência;
d) se houver apresentação concomitante, pelo mesmo delito e idêntica condenação, de Protesto por Novo Júri e Apelação
oferecida exclusivamente pela acusação, aquele anula o processamento desta.

14. Em matéria de recursos, a validade da decisão judicial de primeiro grau fica condicionada ao reexame obrigatório
pelo Tribunal Superior, EXCETO no caso de decisão:

a) concessiva de habeas corpus;


b) de arquivamento de inquérito em processos de crimes contra a economia popular;
c) de absolvição sumária em procedimento de competência do Tribunal do Júri;
d) denegatória do pedido de reabilitação;

15. Sobre o habeas corpus é INCORRETO afirmar que:

a) não é cabível contra decisão condenatória a pena de multa, ou relativo a processo em curso por infração penal a que a
pena pecuniária seja a única cominada;
b) é a via adequada para questionar medidas constrangedoras, ainda que não vinculadas à liberdade de locomoção, como
a autorização da quebra de sigilo bancário no bojo do inquérito policial;
c) não é a via adequada para discutir a concessão da suspensão condicional da pena;
d) não é a via adequada para discussão de condenação baseada em prova ilícita, inclusive de escuta telefônica, quando a
matéria desafia a visão ampla do conjunto de prova.

Gabarito: 01. D - 02. A - 03. C - 04. C - 05. B - 06. D - 07. A - 08. B - 09. D - 10. A - 11. D - 12. A - 13. C - 14. D - 15. B -

Notas: Questões de Direito Processual Penal, extraídas das provas para juiz substituto do Estado de Minas Gerais,
selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada - Bauru/SP.

01. Antônio Carlos, matador de aluguel, pretendendo, sem motivo, por fim à vida de Maria de Lourdes, apontou-lhe,
pelas costas, arma de fogo de grosso calibre, acionando o gatilho repetidas vezes. Não conseguiu seu intento, vez que a
arma estava descarregada. É CORRETO afirmar que Antônio Carlos:

a) praticou crime de tentativa de homicídio simples;


b) não praticou nenhum crime;
c) praticou crime de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil;
d) praticou crime de tentativa de homicídio mediante recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima.

02. Estabelece o caput do art. 9º do CP que: "A sentença estrangeira, quando a aplicação da lei brasileira produz na
espécie as mesmas conseqüências, pode ser homologada no Brasil para: I - obrigar o condenado à reparação do dano, a
restituições e a outros efeitos civis; II - sujeitá-lo a medida de segurança". Será competente para homologar tal
sentença o:

a) Supremo Tribunal Federal;


b) Superior Tribunal de Justiça;
c) Juiz da execução da pena;
d) Presidente do Tribunal de Justiça do Estado em que a sentença deverá ser executada.

155
Questões de Direito Penal e Processual Penal
03. Antônia, Mara, Carla e Marina, amigas inseparáveis, durante conversa informal, em meados de 2005, resolveram
reunir-se para a prática de crime. Ficou ajustado que as duas primeiras adquiririam substância entorpecente, e as duas
últimas a venderiam nas imediações de estabelecimento de ensino. Em junho do corrente ano, após investigação
detalhada feita pelo Departamento de Inteligência da Polícia, foram elas presas. É CORRETO afirmar que praticaram
crime previsto no:

a) art. 12, caput (tóxico), cumulado com o art. 14 (associação), mais causa de aumento de pena prevista no art. 18, IV
(local de distribuição), todos da Lei 6.368/76;
b) art. 12, caput (tóxico), cumulado com o art. 14 (associação), mais causa de aumento de pena prevista no art. 18, III
(associação) e IV (local de distribuição), todos da Lei 6.368/76;
c) art. 12, caput (tóxico), mais causa de aumento de pena prevista no art. 18, III (associação) e IV (local de distribuição),
todos da Lei 6.368/76;
d) art. 12, caput (tóxico), cumulado com o art. 14 (associação), ambos da Lei 6.368/76.

04. José João foi processado e condenado como incurso no art. 129, § 1º, I, do Código Penal (lesão corporal grave) a
pena privativa de liberdade de 1 (um) ano de reclusão em regime aberto. Consta que o mesmo não é reincidente em
crime doloso e lhe são favoráveis os motivos e circunstâncias do crime, bem como culpabilidade, antecedentes,
conduta social e personalidade. Terá José João direito a:

a) substituição da pena privativa de liberdade por 2 (duas) restritivas de direito;


b) substituição da pena privativa de liberdade por 1 (uma) restritiva de direito;
c) suspensão condicional do processo;
d) suspensão condicional da pena.

05. Gertrudes, moça pacata, com 20 anos de idade, residente no sítio Pica Pau, filha de pai rude e violento, às
escondidas, manteve um relacionamento amoroso com Vivaldo Borba, engravidando. Envergonhada, com medo de seu
pai e em respeito à sua família e conhecidos, conseguiu manter a gravidez em segredo até que, depois de muito
esforço, provocou o parto dando à luz uma criança do sexo masculino. Ainda no estado puerperal, para ocultar sua
desonra, levou a criança para local diverso deixando-a debaixo de uma árvore, sem prestar-lhe a assistência devida,
razão pela qual veio esta a falecer. Gertrudes praticou o crime de:

a) infanticídio;
b) aborto provocado pela própria gestante;
c) homicídio privilegiado, impelido por relevante valor social, moral;
d) abandono de recém-nascido.

06. Quanto à prescrição, é INCORRETO afirmar que:

a) o prazo da prescrição da pretensão punitiva será aumentado de um terço se o condenado for reincidente;
b) são reduzidos de metade os prazos de prescrição quando o criminoso era, ao tempo do crime, menor de 21 anos, ou,
na data da sentença, maior de 70 (setenta) anos;
c) o prazo da prescrição começa a correr do dia em que o crime se consumou e, no caso de tentativa, do dia em que
cessou a atividade criminosa;
d) a prescrição interrompe-se pelo recebimento da denúncia, pela reincidência ou pela pronúncia.

07. Relativamente ao crime de perigo de contágio venéreo é INCORRETO afirmar que:

a) se a vítima já está contaminada, o crime é impossível por impropriedade absoluta do meio;


b) o exercício da prostituição por um dos sujeitos não exclui o delito;
c) para a configuração do delito não é necessário o contágio, bastando a exposição;
d) o consentimento do ofendido nas relações sexuais, sabendo do risco de contaminação, exclui a responsabilidade penal.

08. Em relação à aplicação da pena, é INCORRETO afirmar que:


156
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) o desconhecimento da lei é circunstância que atenua a pena;


b) a pena de multa pode ser aumentada até o triplo, se o juiz considerar que, em virtude da situação econômica do réu, é
ineficaz, embora aplicada no máximo;
c) na fixação da pena-base o juiz fará a apreciação conjunta das circunstâncias judiciais e legais;
d) mesmo com a substituição ou suspensão da pena, o juiz deverá fixar o regime inicial de cumprimento da pena privativa
de liberdade.

09. Quanto ao Estatuto do Desarmamento, é INCORRETO afirmar que:

a) a empresa que comercializa arma de fogo em território nacional é obrigada a comunicar a venda à autoridade
competente, bem como a manter banco de dados com todas as características da arma;
b) as armas de fogo utilizadas pelas empresas de segurança privada e de transporte de valores, constituídas na forma da
lei, serão de propriedade, responsabilidade e guarda das empresas, sendo a autorização de porte expedida pela Polícia
Federal em nome do empregado da respectiva empresa;
c) o certificado de registro de arma de fogo autoriza seu proprietário a manter a arma no seu local de trabalho, desde que
seja ele o responsável legal pela empresa;
d) aos residentes em áreas rurais, que comprovem depender do emprego de arma de fogo para prover sua subsistência,
será autorizado, na forma prevista no regulamento dessa Lei, o porte de arma de fogo na categoria "caçador".

10. Nos crimes contra a honra previstos no Código Penal, é INCORRETO afirmar que:

a) no crime de calúnia ou de difamação contra o presidente da república ou contra chefe de governo estrangeiro,
tratando-se de crime comum, incide a causa de aumento de pena prevista no art. 141 do Código Penal;
b) na difamação admite-se a exceção da verdade se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de
suas funções;
d) o juiz pode deixar de aplicar a pena quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria.
d) na calúnia admite-se a prova da verdade desde que, constituindo o fato interpretado crime de ação privada, o ofendido
não tenha sido condenado por sentença irrecorrível.

11. Marque a opção INCORRETA.

a) Trata-se do crime de concussão a conduta do funcionário público de solicitar para si ou para outrem, direta ou
indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida;
b) O condenado por crime contra a administração pública terá a progressão de regime do cumprimento da pena
condicionada à reparação do dano que causou, ou à devolução do produto do ilícito praticado, com os acréscimos legais;
c) No peculato culposo a reparação do dano posterior à sentença irrecorrível reduz de metade a pena imposta;
d) No crime de falsa perícia o fato deixa de ser punível se, antes da sentença no processo em que ocorreu o ilícito, o
perito se retrata.

12. Quanto à violação de domicílio é INCORRETO afirmar que:

a) dá-se de forma qualificada quando cometida durante a noite, ou em lugar ermo;


b) é crime comissivo e omissivo, conforme o caso;
c) não admite tentativa;
d) a expressão casa compreende compartimento não aberto ao público, onde alguém exerce profissão ou atividade.

13. Quanto à detração penal é CORRETO afirmar que:

a) na detração penal computa-se na pena privativa de liberdade e na medida de segurança o tempo de prisão, no Brasil
ou no estrangeiro, o de prisão administrativa e o de internação em hospital ou manicômio;
b) detração penal é o cômputo na pena privativa de liberdade do tempo da prisão provisória ou administrativa, não
abrangendo a medida de segurança;
157
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) admite-se a aplicação da detração penal quando o fato criminoso pelo qual houve condenação tenha sido praticado
posteriormente ao delito que trouxe a prisão provisória e a absolvição;
d) tendo em vista que a lei penal é elaborada para viger dentro dos limites em que o Estado exerce a sua soberania, na
pena privativa de liberdade e na medida de segurança computa-se o tempo de prisão provisória, à exceção da cumprida
no estrangeiro, o de prisão administrativa e o de internação em hospitais ou manicômio.

14. Tem-se a tentativa branca quando:

a) O sujeito ativo pratica todos os atos de execução do crime, mas este não se consuma por circunstâncias alheias à sua
vontade;
b) O sujeito ativo, para a execução do crime, utiliza "arma branca";
c) A vítima não sofre lesões;
d) Menos se aproxima o sujeito ativo da consumação do crime, maior devendo ser a atenuação da pena (dois terços).

Gabarito: 01. B - 02. B - 03. A - 04. D - 05. D - 06. A - 07. D - 08. C - 09. B - 10. D - 11. A - 12. C - 13. A - 14. C

01. Assinale a alternativa CORRETA:

a) A prescrição, depois da sentença condenatória com trânsito em julgado para a acusação, ou depois de improvido seu
recurso, regula-se pela pena aplicada.
b) O direito de queixa pode ser exercido ainda que tenha ocorrido a renúncia expressa ou tácita pelo querelante.
c) Transitada em julgado a sentença condenatória, ainda é admissível o perdão expresso do querelante.
d) A sentença que conceder o perdão judicial deve ser levada em consideração para efeitos de reincidência.

02. Segundo a Lei de Execução Penal, constitui direito do preso:

a) contato com o mundo exterior.


b) obtenção de regalias.
c) elogio por boa conduta.
d) asseio da cela ou alojamento.

03. Segundo o Código de Processo Penal, a revisão criminal:

a) tem como pressuposto de cabimento a não-extinção da pena.


b) permite que seja alterada a classificação do delito ou que seja anulado o processo.
c) extingue-se, por perda de objeto, se, em seu curso, o réu, que a requerera, vier a falecer.
d) não enseja a reiteração do pedido.

04. Segundo o Código de Processo Penal, a Ação Civil:

a) não pode ser proposta se houve despacho de arquivamento do inquérito.


b) deve ser extinta em caso de extinção da punibilidade pela prescrição.
c) pode ser proposta mesmo em caso de sentença absolutória no juízo criminal.
d) deve ser extinta, no caso de a sentença penal absolutória decidir que o fato imputado ao denunciado não constitui
crime.

05. São ínsitos ao processo penal brasileiro os princípios relacionados nas alternativas abaixo, EXCETO:

a) o da indivisibilidade da ação penal privada.


b) o da indisponibilidade e obrigatoriedade da ação penal pública.
158
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) o da indisponibilidade da ação penal privada.
d) o do impulso oficial.

06. É CORRETO afirmar que o protesto por novo júri:

a) não invalida outros recursos interpostos pela defesa ou pela acusação.


b) não impede a interposição de apelação, mas a suspende se, na mesma sentença, o réu tiver sido condenado por crime
em que incabível o protesto.
c) pode ser oferecido pelo Ministério Público, no caso de inércia da defesa, por ser medida que beneficia o acusado.
d) pode ser reiterado se, no segundo julgamento, for aplicada pena superior à do primeiro.

07. Em matéria de nulidade, é CORRETO afirmar que:

a) as omissões da denúncia ou da queixa constituem caso de nulidade insanável, porque prejudiciais à defesa, ainda que
argüidas em tempo.
b) excetuadas as omissões da denúncia ou da queixa, todas as demais nulidades não argüidas em tempo se consideram
sanadas pela preclusão.
c) a incompetência do juízo contamina de nulidade o processo e exige que todos os atos sejam refeitos no juízo
competente.
d) a declaração da nulidade de ato processual levará à nulidade de todos os outros dele conseqüentes.

08. É CORRETO afirmar que cabe recurso de ofício, de qualquer sentença que:

a) absolve o réu por existência de circunstâncias de exclusão de crime ou de isenção de pena, em processo de
competência do juiz singular.
b) impronuncia o réu por dúvida da materialidade do delito ou por falta de indícios de autoria.
c) julga pedido de habeas corpus.
d) deixa de pronunciar o réu e o absolve em processo de competência do Júri.

09. Contra a sentença do juiz singular, cabe apelação, com efeito suspensivo, interposta pelo:

a) Ministério Público, em caso de absolvição.


b) Ministério Público, em caso de condenação.
c) Ministério Público, em caso de decreto de prescrição.
d) ofendido, se inerte o Ministério Público.

10. O Código de Processo Penal, a respeito do princípio da fungibilidade dos recursos:

a) veda sua aplicação, de forma expressa.


b) é omisso e nada dispõe a respeito.
c) admite sua aplicação, com ressalvas.
d) admite sua aplicação, sem ressalvas.

11. Marque a alternativa em que o recurso indicado, independentemente do resultado do julgamento, é o cabível:

a) quando o Juiz anula, em seu todo, o processo da instrução criminal - cabe apelação.
b) quando o Juiz julga improcedentes as exceções opostas - cabe recurso em sentido estrito.
c) quando o Juiz julga extinta a punibilidade - cabe recurso em sentido estrito.
d) quando o Tribunal, em decisão não unânime, julga recurso de apelação - cabem embargos infringentes.

12. Em matéria relativa aos Juizados Especiais Criminais, é CORRETO afirmar que:
159
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) a sentença homologatória de composição dos danos civis é irrecorrível.


b) a sentença homologatória de transação penal é irrecorrível.
c) a decisão que rejeita a denúncia ou a queixa é recorrível em sentido estrito.
d) não obtida a composição dos danos civis na audiência preliminar, será dada ao ofendido a imediata oportunidade de
exercer o direito de representação, sob pena de decadência.

13. Marque a alternativa INCORRETA:

a) No caso de emendatio libelli, o juiz dá ao fato narrado definição diversa da que lhe dera a denúncia, sem necessidade
de audiência do Ministério Público e do réu, ainda que tenha que aplicar pena mais grave.
b) A emendatio libelli e a mutatio libelli têm aplicação expressamente admitida pelo Código de Processo Penal, nos
julgamentos feitos em segunda instância.
c) No caso de mutatio libelli, se o juiz reconhece a possibilidade de nova definição jurídica, em conseqüência de prova de
circunstância elementar não contida na denúncia, deve ouvir apenas o réu, não sendo de mister a oitiva do MP e o
aditamento da denúncia, caso impossível aplicação de pena mais grave.
d) No caso de mutatio libelli, se o juiz reconhece a possibilidade de nova definição jurídica, em conseqüência de prova de
circunstância elementar não contida na denúncia, é de mister o aditamento da denúncia pelo MP e a oitiva do réu, caso
possível aplicação de pena mais grave.

14. Em relação ao assistente, é CORRETO afirmar que:

a) não cabe recurso ou mandado de segurança contra a decisão que defere ou indefere a sua admissão.
b) pode ser admitido na fase de inquérito policial.
c) pode ser admitido em qualquer fase processual, inclusive após a sentença.
d) pode intervir o ofendido em todos os termos da ação pública ou privada.

Gabarito: 01. A - 02. A - 03. B - 04. C - 05. C - 06. B - 07. D - 08. D - 09. B - 10. C - 11. C - 12. A - 13. B - 14. C

Notas: Questões de Direito Processual Penal, selecionadas por Alinne Soares Guerra. Advogada - Bauru/SP.

01. Verifique a seguinte afirmação: Quaisquer das condições que compõem a totalidade dos antecedentes é causa do
resultado, pois a sua inocorrência impediria a produção do evento. Trata se da teoria da:

a) equivalência das condições, adotada pelo Código Penal.


b) equivalência das condições, não adotada pelo Código Penal.
c) causalidade adequada, adotada pelo Código Penal.
d) causalidade adequada, não adotada pelo Código Penal.

02. Segundo a teoria da atividade, considera-se tempo do crime:

a) o momento da conduta.
b) o momento da consumação do crime.
c) o momento em que se realiza o efeito da ação ou omissão.
d) o momento da conduta ou o momento do resultado.

03. Se alguém causa a morte de outrem porque, tendo o dever jurídico de agir para impedir o resultado, omitiu-se,
comete crime:

a) omissivo próprio.
b) omissivo puro.
160
Questões de Direito Penal e Processual Penal
c) comissivo próprio.
d) comissivo por omissão.

04. Os delitos de roubo e de estupro são considerados pela doutrina como espécies de:

a) crimes complexos em sentido estrito.


b) crimes complexos em sentido amplo.
c) crime complexo em sentido estrito (roubo) e crime complexo em sentido amplo (estupro).
d) crime complexo em sentido estrito (estupro) e crime complexo em sentido amplo (roubo).

05. Em caso de reincidência,

a) sobre a pena privativa de liberdade incidirá causa de aumento de um terço.


b) o condenado não poderá iniciar o cumprimento de pena privativa de reclusão em regime aberto.
c) não caberá a substituição da pena privativa de liberdade em restritiva de direitos.
d) não caberá livramento condicional.

06. Dispõe o Código Penal: "Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes, cometidos com violência ou grave ameaça à
pessoa, poderá o juiz, considerando a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a personalidade do agente,
bem como os motivos e as circunstâncias do crime, aumentar a pena de um só dos crimes, se idênticas, ou a mais
grave, se diversas, até o triplo." Dispõe, aí, o Código a respeito de uma espécie de:

a) crime continuado que a doutrina denomina de específico.


b) concurso formal que a doutrina denomina de específico.
c) concurso material que a doutrina denomina de impróprio.
d) concurso ideal que a doutrina denomina de específico.

07. A pena privativa do crime de falsificação de documento particular é de 1 a 5 anos de reclusão. Em caso de acusação
por dois crimes dessa espécie em continuação,

a) não caberá, segundo jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, a suspensão condicional do processo.
b) se houver condenação, ainda que à pena mínima, não caberá suspensão condicional da pena.
c) caberá, segundo jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, a transação penal.
d) se houver condenação a uma pena superior a 2 anos, não caberá fiança.

08. Quem imputa falsamente a outrem a prática de contravenção penal,

a) comete calúnia.
b) não comete calúnia, mas poderá cometer difamação, se o fato ofender a dignidade ou o decoro da vítima.
c) não comete calúnia, não poderá cometer difamação, mas poderá cometer injúria, se o fato for desonroso à vítima.
d) não comete calúnia e nem poderá cometer difamação ou injúria.

09. Recentemente, o Supremo Tribunal Federal entendeu que a vedação de progressão de regime pela Lei dos Crimes
Hediondos ofendia, essencialmente, determinado princípio constitucional. Trata-se do princípio da:

a) legalidade.
b) individualização da pena.
c) dignidade humana.
d) vedação de prisão perpétua.

10. O crime de incêndio não:


161
Questões de Direito Penal e Processual Penal

a) é espécie de crime contra a incolumidade pública.


b) admite a forma culposa.
c) contém hipóteses de aumento de pena.
d) contempla forma qualificada.

11. Em relação ao lugar do crime, o Código Penal vigente adotou a teoria:

a) da atividade.
b) do resultado.
c) da ubiqüidade.
d) do assentimento.

12. Na aplicação da pena, considerando-se que o Código adotou o critério trifásico, na primeira fase, deve o juiz levar
em conta:

a) as circunstâncias agravantes e atenuantes.


b) as causas de aumento e de diminuição.
c) as circunstâncias judiciais.
d) as circunstâncias agravantes e atenuantes e as circunstâncias judiciais.

13. A respeito da prescrição, assinale a alternativa incorreta.

a) A pena de multa cumulada com pena privativa de liberdade prescreverá em 2 anos, não se levando em conta o tempo
de prescrição da pena privativa de liberdade.
b) Se o criminoso era, na data da sentença, maior de setenta anos, os prazos prescricionais devem ser reduzidos de
metade.
c) Quando se tratar de crime continuado, a prescrição regula- se pela pena imposta na sentença, não se computando o
acréscimo decorrente da continuação.
d) A decisão confirmatória da pronúncia constitui causa interruptiva da prescrição.

14. Para a configuração do crime de rixa, faz-se necessária a presença de, no mínimo,

a) duas pessoas.
b) três pessoas.
c) quatro pessoas.
d) cinco pessoas.

15. O funcionário público que recebe dinheiro ou o aceita para a realização de falsa perícia, comete o crime de:

a) falso testemunho ou falsa perícia.


b) corrupção passiva.
c) concussão.
d) peculato.

16. Quanto à aplicação da lei penal no espaço, aponte a alternativa incorreta.

a) O Código Penal adotou, como regra, o princípio da territorialidade.


b) Na aplicação do princípio da territorialidade, território jurídico compreende todo o espaço em que o Estado exerce a
sua soberania.
c) Conforme o art. 7.°, inciso I, a, do Código Penal, ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os
crimes contra a honra do Presidente da República Federativa do Brasil.
162
Questões de Direito Penal e Processual Penal
d) A pena cumprida no estrangeiro atenua a pena imposta no Brasil pelo mesmo crime, quando diversas.

17. Dentre as espécies de crimes indicados, os que admitem a forma tentada são os:

a) omissivos puros.
b) formais.
c) unissubsistentes.
d) culposos, exceto na culpa imprópria.

18. O art. 244 do Código Penal, com redação determinada pela Lei n.o 10.741/03, descreve a seguinte conduta
criminosa: "Deixar, sem justa causa, de prover a subsistência do cônjuge, ou de filho menor de 18 anos ou inapto para
o trabalho, ou de ascendente inválido ou maior de 60 anos, não lhes proporcionando os recursos necessários ou
faltando ao pagamento de pensão alimentícia judicialmente acordada, fixada ou majorada; deixar, sem justa causa, de
socorrer descendente ou ascendente, gravemente enfermo". No caso, a expressão "sem justa causa" constitui:

a) elemento normativo do tipo.


b) elemento subjetivo do tipo.
c) circunstância de adequação típica de subordinação mediata.
d) circunstância de adequação típica de subordinação imediata.

19. Assinale a alternativa que contém, respectivamente, um crime contra a vida, um crime contra a saúde pública e um
crime praticado por funcionário público contra a administração em geral, definidos no Código Penal.

a) Homicídio, curandeirismo, sonegação de contribuição previdenciária.


b) Homicídio, perigo de contágio de moléstia grave, corrupção passiva.
c) Infanticídio, charlatanismo, advocacia administrativa.
d) Rixa, curandeirismo, corrupção ativa.

20. A respeito da relação de causalidade, assinale a afirmação incorreta.

a) O nexo de causalidade é um dos elementos do fato típico.


b) O Código Penal Brasileiro adotou a teoria da conditio sine qua non, também conhecida como teoria da equivalência
dos antecedentes causais, que considera causa toda ação ou omissão sem a qual o resultado não teria ocorrido.
c) A causa preexistente relativamente independente em relação à conduta do agente, como é o caso da hemofilia da
vítima, que contribui para o resultado morte no crime de homicídio, rompe o nexo de causalidade, respondendo o
agressor apenas pelos atos até então praticados, no caso, configuradores do crime de homicídio tentado, ainda que tenha
o agente conhecimento do peculiar estado da vítima.
d) A superveniência de causa relativamente independente exclui a imputação quando, por si só, produziu o resultado,
imputando-se, contudo, os fatos anteriores a quem os praticou.

Gabarito: 01. A - 2. A - 03. D - 04. C - 05. B - 06. A - 07. A - 08. B - 09. B - 10. D - 11. C - 12. C - 13. A - 14. B - 15. B - 16. C -
17. B - 18. A - 19. C - 20. C

Notas: Questões de Direito Penal, extraídas das provas da OAB/SP, selecionadas por Alinne Soares Guerra, advogada -
Bauru/SP.

163