Vous êtes sur la page 1sur 48
“ ENERGÍA FOTOVOLTAICA Y GENERACIÓN DISTRIBUIDA EN BRASIL ” Dr. L. Roberto Valer M., Laboratório
“ ENERGÍA FOTOVOLTAICA Y GENERACIÓN DISTRIBUIDA EN BRASIL ” Dr. L. Roberto Valer M., Laboratório

ENERGÍA FOTOVOLTAICA Y GENERACIÓN

DISTRIBUIDA EN BRASIL

Dr. L. Roberto Valer M.,

Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos do Instituto de Energia e Ambiente

Universidade de São Paulo,

Instituto de Energia e Ambiente Universidade de São Paulo, UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Dr. Roberto

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Dr. Roberto Valer Especialista em Energia Solar
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Dr. Roberto Valer Especialista em Energia Solar
Dr. Roberto Valer
Dr. Roberto Valer
LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Dr. Roberto Valer Especialista em Energia Solar Fotovoltaica, com doutorado em

Especialista em Energia Solar Fotovoltaica, com doutorado em Energia pela Universidade de São Paulo, mestrado em Energia e Bacharelado em Física. Atualmente atua como pesquisador do Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos (LSF-IEE-USP) e ministra cursos para instaladores e projetistas em Energia Fotovoltaica.

robvalere ministra cursos para instaladores e projetistas em Energia Fotovoltaica. Roberto Valer robertovaler.com Dr.RobertoValer

Roberto Valere ministra cursos para instaladores e projetistas em Energia Fotovoltaica. robvaler robertovaler.com Dr.RobertoValer

cursos para instaladores e projetistas em Energia Fotovoltaica. robvaler Roberto Valer robertovaler.com Dr.RobertoValer

robertovaler.com

cursos para instaladores e projetistas em Energia Fotovoltaica. robvaler Roberto Valer robertovaler.com Dr.RobertoValer

Dr.RobertoValer

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aproveitamento da

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aproveitamento da energia solar INPE (2017) Conversão foto
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aproveitamento da energia solar INPE (2017) Conversão foto

Aproveitamento da energia solar

INPE (2017)
INPE (2017)

Conversão foto térmica

Conversão Fotovoltaica LSF-IEE-USP
Conversão Fotovoltaica
LSF-IEE-USP
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Diferenças entre

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Diferenças entre o coletor térmico e o módulo
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Diferenças entre o coletor térmico e o módulo

Diferenças entre o coletor térmico e o módulo fotovoltaico

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Diferenças entre o coletor térmico e o módulo
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas fotovoltaicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas fotovoltaicos Sistemas off-grid ou isolados
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas fotovoltaicos Sistemas off-grid ou isolados

Sistemas fotovoltaicos

Sistemas off-grid ou isolados

LSF-IEE-USP
LSF-IEE-USP

Sistemas fotovoltaicos conectados à rede

LSF-IEE-USP
LSF-IEE-USP
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados • Não possuem conexão
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados • Não possuem conexão

Sistemas off-grid ou isolados

Não possuem conexão com a rede pública de energia elétrica;

Instalados principalmente em locais sem acesso à rede pública

Geralmente necessitam de armazenamento eletroquímico (baterias).

em locais sem acesso à rede pública • Geralmente necessitam de armazenamento eletroquímico (baterias).
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Sistemas individuais
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Sistemas individuais

Sistemas off-grid ou isolados

Sistemas individuais LSF-IEE-USP
Sistemas individuais
LSF-IEE-USP
FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Sistemas individuais LSF-IEE-USP Minirredes em sistemas isolados LSF-IEE-USP
Minirredes em sistemas isolados LSF-IEE-USP
Minirredes em sistemas isolados
LSF-IEE-USP
FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Sistemas individuais LSF-IEE-USP Minirredes em sistemas isolados LSF-IEE-USP
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Resolução 493/2012
INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Resolução 493/2012

Sistemas off-grid ou isolados

Resolução 493/2012

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Resolução 493/2012
INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Resolução 493/2012
INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados Resolução 493/2012
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados

Sistemas off-grid ou isolados

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Sistemas off-grid ou isolados
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Abrigo das baterias
Aspectos técnicos
Aspectos técnicos
SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Abrigo das baterias

Abrigo das baterias

SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Abrigo das baterias
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Quadros elétricos
Aspectos técnicos
Aspectos técnicos
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Quadros elétricos

Quadros elétricos

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Quadros elétricos
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Quadros elétricos
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Manutenção dos equipamentos
Aspectos técnicos
Aspectos técnicos
INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Manutenção dos equipamentos

Manutenção dos equipamentos

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Manutenção dos equipamentos
INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Aspectos técnicos Manutenção dos equipamentos
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Novas
Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares
Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares
E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Novas instalações

Novas instalações

E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Novas instalações
E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Novas instalações
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Reposição
Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares
Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares
AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Reposição de equipamentos

Reposição de equipamentos

AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Reposição de equipamentos
AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Estado dos sistemas fotovoltaicos domiciliares Reposição de equipamentos
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama atual

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama atual
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama atual
Panorama atual
Panorama atual
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ABSOLAR (2019) – Infográfico do
Geração distribuída
Geração distribuída
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ABSOLAR (2019) – Infográfico do mercado de energia solar
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ABSOLAR (2019) – Infográfico do mercado de energia solar

ABSOLAR (2019) Infográfico do mercado de energia solar

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída
Geração distribuída
Geração distribuída
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída Sistema de compensação de créditos
Geração distribuída
Geração distribuída

Sistema de compensação de créditos

Geração distribuída Sistema de compensação de créditos ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração
Geração distribuída Sistema de compensação de créditos ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração

ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ➢ ➢ ANEEL RN 687/2015: ➢
Geração distribuída
Geração distribuída

ANEEL RN 687/2015:

ANEEL RN 786/2017:

2019??

ANEEL RN 482/2012: Sistema de compensação de energia

ANEEL RN 482/2012: Sistema de compensação de energia  Aplicação para o mercado cativo;  5

Aplicação para o mercado cativo;

5 anos de duração dos créditos;

4 modalidades de GD

Custos de aquisição de medidores zero para microgeração;

Tempo de tramitação de pedidos de 34 dias (microgeração);

Formulários padronizados em todo o país ;

Não tem maneira de zerar a conta (custo de disponibilidade)

A potência instalada não pode ser maior a potência contratada

Microgeração

Até 75 kW

Minigeração

De 75 kW até 5 MW

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída - modalidades CONCESSIONARIA
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída - modalidades CONCESSIONARIA
Geração distribuída - modalidades
Geração distribuída - modalidades
CONCESSIONARIA
CONCESSIONARIA

Geração na própria UC

Autoconsumo Remoto

- Mesma Titularidade (CPF ou CNPJ)

- Mesma área de concessão

Titularidade (CPF ou CNPJ) - Mesma área de concessão CNPJ ou CPF CNPJ ou CPF CNPJ

CNPJ ou CPF

(CPF ou CNPJ) - Mesma área de concessão CNPJ ou CPF CNPJ ou CPF CNPJ ou

CNPJ ou CPF

CNPJ) - Mesma área de concessão CNPJ ou CPF CNPJ ou CPF CNPJ ou CPF CONCESSIONARIA
CNPJ ou CPF CONCESSIONARIA
CNPJ ou CPF
CONCESSIONARIA

ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída - modalidades Múltiplas UC
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída - modalidades Múltiplas UC
Geração distribuída - modalidades
Geração distribuída - modalidades

Múltiplas UC

(Condomínio ou centros comerciais)

Geração compartilhada

- Mesma área de concessão

Geração compartilhada - Mesma área de concessão ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração
Geração compartilhada - Mesma área de concessão ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração

ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ANEEL (2016)- Caderno temático
Geração distribuída
Geração distribuída
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração

ANEEL (2016)- Caderno temático ANEEL, Micro e minigeração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída A potência instalada em 2018 é
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Geração distribuída A potência instalada em 2018 é
Geração distribuída A potência instalada em 2018 é quase o triplo da acumulada até 2017
Geração distribuída
A potência instalada em 2018 é quase o
triplo da acumulada até 2017
Segundo a GREENER, estima-se uma potência
instalada em 2019 entre 1,2 a 1,6 GW

ANEEL (2019): Dados de janeiro de 2019

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD -

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual Modalidade de Geração (%
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual Modalidade de Geração (%
GD - Panorama atual Modalidade de Geração (% potência) de mais projetos com geração A
GD - Panorama atual
Modalidade de Geração
(% potência)
de mais projetos
com geração
A modalidade de
autoconsumo
remoto
aumentou sua
participação de
10% em 2017 a
19,3% em 2018 ,
duplicando o
número de
instalados em
compartilhada e
MUC está
relacionada com
a burocracia de
relação ao
acumulado até
2017.

A falta de desenvolvimento

entrada e ausência de uma politica tributaria adequada

ANEEL (2018): Dados de dezembro de 2018

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD -

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual N ú m e
GD - Panorama atual
GD - Panorama atual
LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual N ú m e r o d e

Número de sistemas

Potência instalada

r o d e s i s t e m a s Potência instalada Crescimento importante

Crescimento importante das classes comercial, industrial e

rural.

ANEEL (2018)- Dados de 2018

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD -

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual Potência conectada à rede
GD - Panorama atual
GD - Panorama atual
LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual Potência conectada à rede (kW) Numero de sistemas

Potência conectada à rede (kW)

Numero de sistemas conectados à rede

conectada à rede (kW) Numero de sistemas conectados à rede Minas Gerais é a UF com
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD -
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD -

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS GD - Panorama atual 3.062 municípios (55%) possui
GD - Panorama atual
GD - Panorama atual

3.062 municípios (55%) possui pelo menos 1 sistema fotovoltaico conectado à rede

em 2018, um aumento de mais

de 1.100 municípios dentro de um ano.

Greener (2019)- Estudo estratégico mercado de geração distribuída, Primeiro Semestre 2019

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Sistema

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Sistema residencial (4 kW ) Sistema Comercial
Mercado
Mercado
ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Sistema residencial (4 kW ) Sistema Comercial (50

Sistema

residencial

(4 kW)

Sistema

Comercial

(50 kW)

ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Sistema residencial (4 kW ) Sistema Comercial (50
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tempo
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tempo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tempo de retorno do investimento (Payback) Payback
Mercado
Mercado

Tempo de retorno do investimento (Payback)

Payback longo: 3,5 a 7,5 anos

do investimento (Payback) Payback longo: 3,5 a 7,5 anos Residencial - Baixa tensão 2 – 4

Residencial - Baixa tensão 2 4 kWp 4,54 - 7,42 anos

Residencial - Baixa tensão 2 – 4 kWp 4,54 - 7,42 anos Comercial - Baixa tensão:12

Comercial - Baixa tensão:12 20 kWp 3,33 - 6,28

Greener (2019)- Estudo estratégico mercado de geração distribuída, Primeiro Semestre 2019

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tarifa

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tarifa de energia elétrica Dados de maio
Mercado
Mercado

Tarifa de energia elétrica

E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Mercado Tarifa de energia elétrica Dados de maio de 2018
Dados de maio de 2018
Dados de maio de 2018

EPE (2018)

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Normas técnicas

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Normas técnicas e regulação • Custos de manutenção
Normas técnicas e regulação
Normas técnicas e regulação
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Normas técnicas e regulação • Custos de manutenção elevados • Redução do
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Normas técnicas e regulação • Custos de manutenção elevados • Redução do

Custos de

manutenção

elevados

Redução do desempenho

Risco às

pessoas e ao

patrimônio

Perda da confiabilidade na tecnologia

Almeida (2018)- Normas técnicas e garantia de qualidade dos sistemas fotovoltaicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos produtos Requisitos de avaliação da
Qualidade dos produtos
Qualidade dos produtos

Requisitos de avaliação da conformidade para sistemas e equipamentos para energia solar fotovoltaica (RAC) INMETRO (Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014)

MODULOS FOTOVOLTAICOS

(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) MODULOS FOTOVOLTAICOS Konzen (2018) Geração fotovoltaica diagnostico e
(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) MODULOS FOTOVOLTAICOS Konzen (2018) Geração fotovoltaica diagnostico e
(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) MODULOS FOTOVOLTAICOS Konzen (2018) Geração fotovoltaica diagnostico e

Konzen (2018) Geração fotovoltaica diagnostico e perspectivas

- Não há tropicalização

- Os ensaios nacionais de módulos não são suficientes para garantir sua qualidade no longo prazo

GIZ

GIZ UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos produtos Requisitos de avaliação da
Qualidade dos produtos
Qualidade dos produtos

Requisitos de avaliação da conformidade para sistemas e equipamentos para energia solar fotovoltaica (RAC) INMETRO (Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014)

para sistemas e equipamentos para energia solar fotovoltaica (RAC) INMETRO (Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) (2018a)
(2018a)
(2018a)
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos produtos Requisitos de avaliação da
Qualidade dos produtos
Qualidade dos produtos

Requisitos de avaliação da conformidade para sistemas e equipamentos para energia solar fotovoltaica (RAC) INMETRO (Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014)

INVERSORES ON GRID

(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) INVERSORES ON GRID - Tropicalização dos inversores - Os ensaios para
(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) INVERSORES ON GRID - Tropicalização dos inversores - Os ensaios para
(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) INVERSORES ON GRID - Tropicalização dos inversores - Os ensaios para
(Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014) INVERSORES ON GRID - Tropicalização dos inversores - Os ensaios para

- Tropicalização dos inversores

- Os ensaios para inversores estão limitados a potências menores a 10 kW

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade dos produtos Requisitos de avaliação da
Qualidade dos produtos
Qualidade dos produtos

Requisitos de avaliação da conformidade para sistemas e equipamentos para energia solar fotovoltaica (RAC) INMETRO (Portaria INMETRO 004/2011 e 357/2014)

Apesar da norma produzida no Brasil estar no estado da “arte” e ser baseada nas

normas internacionais: VDE-AR-N4105:2011-08, CEI0-21:2012-06 e IEC61727:2004- 12 as nossas tensões de rede são muitas o que não acontece em outros países.

Um certificado internacional não tem aplicação automática no Brasil, pois as condições de ensaio são diferentes, temos muitas tensões(8 níveis do PRODIST).

Para cada nível de tensão de conexão com a rede elétrica é necessário um

certificado. Os inversores certificados em 220V atendem a maioria das conexões(

certificados em 220V atendem a maioria das conexões( ➢ 84,65%). A sub/sobretensão deve ser do fabricante

84,65%).

A

sub/sobretensão deve ser do fabricante e não do instalador, já que o mesmo

dos sensores de

responsabilidade

dos

ajustes

do

níveis

de

atuação

responde pela certificação de seus inversores. Os pontos de atuação por sub/sobretensão

na VDE4105 são -20/+15% ,

na

IEC61727 são -15/+10% e na NBR -20/+10%, são diferentes

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações Por que é necessária uma
Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações Por que é necessária uma norma de instalação? ➢

Por que é necessária uma norma de instalação?

Garantir a qualidade das instalações Segurança de pessoas e equipamentos

Atribuição de responsabilidades

Padronizar, na medida do possível, as características das instalações

Inexistência

de

normas

técnicas

brasileiras

dirigidas

às

instalações

elétricas no lado c.c. de sistemas fotovoltaicos (arranjo fotovoltaico)

Especificar os requisitos que surgem das características particulares dos

sistemas fotovoltaicos

Almeida (2018)- Normas técnicas e garantia de qualidade dos sistemas fotovoltaicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações NBR 5410 Esta Norma aplica-se
Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações NBR 5410 Esta Norma aplica-se principalmente às

NBR 5410

Esta Norma aplica-se principalmente às

instalações elétricas de edificações, qualquer que seja seu uso (residencial, comercial, público, industrial, de

serviços, agropecuário, hortigranjeiro,

etc.), incluindo as pré-fabricadas

Esta Norma aplica-se aos circuitos elétricos alimentados sob tensão nominal igual ou inferior a 1000 V em corrente alternada, com frequências inferiores a 400 Hz, ou a 1500 V em corrente contínua

igual ou inferior a 1000 V em corrente alternada, com frequências inferiores a 400 Hz, ou
igual ou inferior a 1000 V em corrente alternada, com frequências inferiores a 400 Hz, ou
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690 Esta Norma
Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690
Qualidade das instalações
(projeto) NBR 16690
Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690 Esta Norma estabelece os requisitos de projeto das

Esta Norma estabelece os requisitos de projeto das instalações elétricas de arranjos fotovoltaicos, incluindo

disposições sobre os condutores,

dispositivos de proteção elétrica, dispositivos de manobra, aterramento e equipotencialização do arranjo fotovoltaico.

Não inclui dispositivos de armazenamento de energia, as unidades de condicionamento de potência ou as cargas

as unidades de condicionamento de potência ou as cargas Não se aplica aos arranjos fotovoltaicos menores
as unidades de condicionamento de potência ou as cargas Não se aplica aos arranjos fotovoltaicos menores

Não se aplica aos arranjos fotovoltaicos menores que 100 Wp (nas STC) ou com tensão de circuito aberto menor que 35 Vcc ou maior que 1.500 Vcc (nas STC).

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690 • Series
Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690
Qualidade das instalações
(projeto) NBR 16690
Qualidade das instalações (projeto) NBR 16690 • Series fotovoltaicas conectadas em paralelo devem ter

Series fotovoltaicas conectadas em paralelo devem ter diferença máxima de 5% de Voc entre as series

Corrente nominal de proteção contra sobrecorrente na serie fotovoltaica entre 1,5 e 2,4 Isc

Utilização obrigatória de dispositivo de desconexão para o arranjo fotovoltaico, isolando

todos os polos do circuito e capaz de operar sobcarga.

Todos os dispositivos e materiais utilizados em um arranjo fotovoltaico devem ser apropriados para c.c.

A tensão máxima de operação no lado c.c. deve ser calculada levando-se em

consideração a temperatura mínima de operação do arranjo fotovoltaico.

Elementos expostos ao tempo devem ter proteção UV e IP adequados

Vários níveis de requisitos em função do tamanho e da topologia do arranjo fotovoltaico

Inclui unidades de condicionamento de potencia c.c/c.c auxiliares e microinversores

Estabelece requisitos básicos para as estruturas de suporte dos módulos (ausência de norma especifica)

Obrigatoriedade de supervisão de resistência de isolamento e corrente residual

obrigatoriedade do uso do cabo fotovoltaico apenas para áreas próximas aos módulos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações ABNT NBR 16274 – Sistemas
Qualidade das instalações
Qualidade das instalações

ABNT NBR 16274 Sistemas fotovoltaicos conectados à rede Requisitos mínimos para documentação, ensaios de comissionamento, inspeção e avaliação de desempenho

de comissionamento, inspeção e avaliação de desempenho Almeida (2018)- Normas técnicas e garantia de qualidade dos
de comissionamento, inspeção e avaliação de desempenho Almeida (2018)- Normas técnicas e garantia de qualidade dos

Almeida (2018)- Normas técnicas e garantia de qualidade dos sistemas fotovoltaicos

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Por que é necessário capacitar
Capacitação de pessoas
Capacitação de pessoas

Por que é necessário capacitar as pessoas?

de pessoas Por que é necessário capacitar as pessoas? ➢ Reduz custos operacionais de tempo de

Reduz custos operacionais de tempo de atendimento aos clientes internos e

externo; Racionaliza o trabalho diminuindo o desperdício de matérias e a geração de resíduos;

Diminui o retrabalho por imperícia técnica dos profissionais fazendo uso da mão-

de-obra qualificada e capacitada;

Diminui os riscos de acidentes do trabalho; quando a pessoa presta serviços como terceirizada;

Garante aos fabricantes que o seu produto será utilizado de acordo com o estabelecido por ele e por Normas Técnicas, evitando reclamações sobre o seu produto quando a falha está na mão de obra.

-Programa de certificação de instaladores do SENAI já começou a funcionar no Brasil. Exige 3h de prova teórica + 4h de prática

SENAI (2018)- CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS NO SENAI

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instaladores trabalhando sem os
Capacitação de pessoas
Capacitação de pessoas
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instaladores trabalhando sem os equipamentos de proteção

Instaladores trabalhando sem os equipamentos de proteção adequados

Instaladores trabalhando com os equipamentos da

maneira inadequada

trabalhando sem os equipamentos de proteção adequados Instaladores trabalhando com os equipamentos da maneira inadequada
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instalações mal feitas
Capacitação de pessoas
Capacitação de pessoas
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instalações mal feitas comprometem o patrimônio do cliente
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instalações mal feitas comprometem o patrimônio do cliente

Instalações mal feitas comprometem o patrimônio do cliente

DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Instalações mal feitas comprometem o patrimônio do cliente
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
Qualidade das instalações
DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Qualidade das instalações
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Experiência em trabalhos com
Capacitação de pessoas
Capacitação de pessoas
DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Capacitação de pessoas Experiência em trabalhos com eletricidade Conhecimento das

Experiência em trabalhos com eletricidade

Conhecimento das normas de segurança para

trabalhos com eletricidade (NR 10)

Conhecimento das normas de segurança para trabalhos em altura (NR 35)

Capacitação especifica em trabalhos com

energia fotovoltaica

das normas de segurança para trabalhos em altura (NR 35) Capacitação especifica em trabalhos com energia
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama a

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama a curto prazo Sistemas Fotovoltaicos Conectados à
Panorama a curto prazo
Panorama a curto prazo

Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede com Bateria (on-grid e off-grid)

SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama a curto prazo Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede com Bateria (on-grid e off-grid)
SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Panorama a curto prazo Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede com Bateria (on-grid e off-grid)
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE

LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA ATENÇÃO robvaler Roberto Valer L. Roberto
DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA ATENÇÃO robvaler Roberto Valer L. Roberto

OBRIGADO PELA ATENÇÃO

DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA ATENÇÃO robvaler Roberto Valer L. Roberto Valer M. robvaler@usp.br

robvalerDE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA ATENÇÃO Roberto Valer L. Roberto Valer M. robvaler@usp.br

Roberto ValerDE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS OBRIGADO PELA ATENÇÃO robvaler L. Roberto Valer M. robvaler@usp.br UNIVERSIDADE DE SÃO

L. Roberto Valer M.

robvaler@usp.br

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS robertovaler.com Dr.RobertoValer

robertovaler.com

DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ENERGIA E AMBIENTE LABORATÓRIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS robertovaler.com Dr.RobertoValer

Dr.RobertoValer