Vous êtes sur la page 1sur 11

Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

Sumário
1. OBJETIVO .......................................................................................................................... 2
2. METODOLOGIA PARA ANÁLISE ................................................................................ 2
3. ANÁLISE DOS FATOS .................................................................................................... 2
4. ANÁLISE ............................................................................................................................. 8
5. CONCLUSÃO..................................................................................................................... 9
5.1. RECOMENDAÇÕES ......................................................................................................... 11
6. PLANO DE AÇÃO ........................................................................................................... 11

1
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

1. OBJETIVO
Este relatório tem como objetivo analisar as falhas, que contribuíram para quebra
da parede do tambor do 120SC01, ocasionando indisponibilidade do equipamento, que
teve início no dia 14 de Janeiro 2019, estando parado até o momento.
Também objetiva propor soluções com intuito de inibir tais falhas.

2. METODOLOGIA PARA ANÁLISE

As metodologia aplicada para elaboração do Relatório de Análise de Falha foi os “5


porquês” e também conversas com Supervisor de Manutenção Jeferson Souto, Técnico
Alexandre Guillen, Inspetor Nailson Farias e Gerson (Lubeck).

3. ANÁLISE DOS FATOS

Na segunda-feira, dia 14/01/2019, a operação informou mal funcionamento do


120SC01, onde havia ruído entre a coroa de acionamento e o pinhão.
Através de uma inspeção visual foi constatado trincas na solda entre as virolas “9”
e “10”, conforme disposição de virolas do “Laudo de Inspeção Sensitiva, realizado em
26/11/2018”. Havia vazamento de material pela trinca. O equipamento foi parado
imediatamente. Primeira ação foi a segurança das pessoas e do equipamento. Iniciado a
fabricação de estruturas de sustentação para minimizar maiores riscos (danos ao
equipamento). Verificado que a trinca atinge aproximadamente 75% do perímetro do
corpo

Fig.01 – Local da trinca na parede do tambor

2
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A
O 120SC01 é um equipamento Crítico, conforme analisado na revisão criticidade
de equipamento, então possui técnicas de inspeção preditiva, sensitiva e preventiva,
conforme recomendação do TOPS-2.01.
Abaixo o mapa de manutenção indicando as técnicas, os números dos planos com
suas respectivas frequências.

MAPA DE MANUTENÇÃO

Partícula Medição Sensitiva P. Sensitiva P.


Vibração Análise de óleo Ultrassom Eixos Termografia Sensitiva (M) Sensitiva (E) Preventiva (E) Lubrificação
Magnética Espessura Parada (M) Parada (E)

Local de
Instalação
Plano
Plano Planta
Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Freq. Plano Frequência Planta
Parada
Rodando

120SC01 3433 1M 4385 4M 1A 1A 6373 1A 3431 7D 5520 6M 5522 1M 5524 2S 6583 7D 5524 2S 5972 4M 6601 2536/2542

A inspeção havia detectado uma redução de 42% espessura na parede do tambor


(Fig.02), no setor 7, no local onde possivelmente iniciou-se a trinca, conforme destacado
abaixo.
Lembrando que a redução máxima permitida é de 50%, ou seja o valor mínimo é
de 11,11mm.

Fig.02 – Relatório medição espessura PGI

No dia 17 de Dezembro de 2018 foi aberta a notificação 10154149 (Fig.03),


solicitando a substituição das regiões com desgaste excessivo.

3
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

Fig.03 – Relatório medição espessura PGI

Através do laudo de inspeção anexado na notificação foi recomendado que deveria


ser revestido a parte internas das virolas, que apresentaram baixa espessura, conforme
enumerado abaixo (Fig.04).

Fig.04 – Laudo de inspeção anexo notificação 10154149

Outra técnica de Manutenção Preditiva aplicada no 120SC01 é a análise de


vibração, onde a frequência é mensal.
Através da análise espectral não foram identificados sintomas que indicariam a
falha ocorrida no corpo do tambor.

4
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A
Verificando os espectros abaixo( Fig.05, 06, 07 e 08) não indicação de tendência
nos níveis globais, além da amplitude de velocidade estarem baixas.

Fig.05 – Espectro de Vibração do mancal 1 do rolo pista de entrada lado direito

Fig.06 – Espectro de Vibração do mancal 1 do rolo pista de entrada lado direito

Fig.07 – Espectro de Vibração do mancal 2 do rolo pista de entrada lado esquerdo

5
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

Fig.08 – Espectro de Vibração do mancal 2 do rolo pista de entrada lado esquerdo

Seguindo na inspeção, há uma rotina de verificação de temperatura, cuja a


frequência é semanal, onde não foram identificados nenhum desvio de temperatura nos
mancais dos rolos de apoio, conforme enumerado abaixo (Fig.09).

6
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

Fig.09 – Painel Gerencial de Inspeção – Controle de Temperatura

Por fim, também há uma rotina de inspeção sensitiva, cuja a frequência é semanal.
Através das rotas de inspeção sensitiva foram identificados prováveis sintomas da
falha ocorrida no tambor, onde foi identificado um problema no mancal do rolo de apoio de
entrada, conforme enumerado no laudo abaixo (Fig10).

Fig.10 – Laudo de inspeção anexada na notificação 10152216

7
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A
4. ANÁLISE
Problema

Quebra no tambor do Secador Giratório do CR120 ocasionando uma grande


parada de planta
1º Porquê

Trinca de aproximadamente de
70% do perímetro parede do
Tambor
2º Porquê

Parede do tambor Excesso de carga de


Falha de inspeção
fragilizada trabalho
3º Porquê

Não há procedimento Desgaste excessivo nos


Soldagem dos martelos Foram retirados os
para detecção de trincas rolos de apoio
no corpo do tambor parafusos
na parede
4º Porquê

Procedimento Alteração de projeto Não há Plano de Desalinhamento do


inadequado original Inspeção rolos de apoio

Restringir Criação de Realizar o


Criar
Ação

modificações plano de alinhamento


Procedimento
em inspeção com dos rolos de
de soldagem
equipamentos método apoio

8
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

5. CONCLUSÃO

Através da análise realizada e citada nesse documento, conclui-se, que o principal


fator, que ocasionou a trinca na parede do tambor foi devido a retirada dos parafusos de
fixação dos martelos e a realização de soldagem, para fixá-los (Fig.11).

Fig.11 – Martelo fixado por soldagem

O procedimento incorreto do processo de soldagem, venho a fragilizar a parede do


tambor, na região dos martelos, que somado com o impacto das esferas na mesma
frequência e constância na mesma região, mais o funcionamento do equipamento
contribuiram para formação de trincas naturalamente. (Fig.12).

Fig.12 – Trinca na parede do tambor

9
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A
O aço utilizado da fabricação das virolas do tambor é o ASTM A 516-Grau60,
conforme certificados.
Os Aços Estruturais voltados para aplicação em Vasos de Pressão e Caldeiras são
classificados conforme sua faixa de resistência mecânica e as condições de temperatura
e pressão de trabalho. Estes aços são especificados segundo a norma ASTM, bem como
normas similares ASME e EN10.028.
A principal propriedade destes aços e versatilidade de desempenho quanto à
temperatura de uso -60º.C a 500º.
Chapas A516 Gr 60: destinadas a caldeiras e vasos de media pressão.
As propriedades mecânicas do aço utilizado na fabricação do tambor propiciam
resistência a abrasão e corrosão, contudo é necessária a devida atenção para a redução
de tensões e concentração de carbono nas regiões periféricas as soldas
Não há registros nenhum da modificação realizada nas forma de fixar os martelos.
No projeto de fabricação do 120SC01 mostra a fixação dos martelos por elementos
móveis (Parafusos).
Verificado no equipamento que os martelos estão soldados diretamente ao corpo
do secador. Não é possível afirmar que possa ter havido o alivio de tensões nestas
soldas;
Agrava se o item anterior com a localização dos martelos extremamente próximos
a soldas de emendas de virolas, visto serem pontos naturais de concentração de tensão;
A função dos martelos é bater contra o tambor gerando vibrações para a limpeza
do material agregado internamente as paredes do tambor;
O desalinhamento do conjunto de rolos de apoio também foi contribuinte para que
houvesse a aceleração da propagação da trinca;
Verificam se desgastes significativos nas contenções laterais do anel de rodagem
de entrada do secador e entre o diâmetro interno e bandagens deste mesmo anel de
rodagem;
Estes desgastes são indicativos de desalinhamentos entres estes componentes;
As cargas de trabalho nestes pontos são significativas e os possíveis
desalinhamentos geram grandes esforços indesejados em pontos não projetados para
este esforço, com consequente desgaste;
As cargas em vetores indesejados e desgastes (folgas), somado as cargas naturais
do equipamento, geram vibrações que contribuem para esforços de tração e compressão,
resultando maior velocidade do desenvolvimento das trincas;
Isso é evidenciado através da notificação 10099640 aberta no dia 02 de Abril de
2018, que identificou o desgaste, conforme indicado no laudo enumerado abaixo (Fig.13)

10
Yara Brasil Fertilizantes S/A Engenharia de Manutenção

Data:
RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHA 21.01.2019
REV.:
A

Fig.13 – Laudo de inspeção anexada na notificação 10099640

Outro fator que contribui com o aumento da trinca, que chegou aproximadamente a
70% do perímetro do tambor foi a ausência de procedimento de inspeção de trincas no
corpo do tambor.

5.1. RECOMENDAÇÕES
Recomenda-se a criação de um procedimento de soldagem em paredes de
Tambores Rotativos, afim de evitar tensões, que fragilizam as regiões submetidas ao
processo de soldagem.
Também restringir as modificações em equipamentos, sem que haja uma análise
mais criteriosa e que seja documentada e aprovada pela Gerência e Coordenação.
Outro recomendação é a criação do plano de inspeção que haja técnicas que
identifiquem possíveis trincas nas paredes dos Tambores Rotativos, principalmente os
que possuem martelos.
Também será necessário realizar o alinhamento do tambor.

6. PLANO DE AÇÃO

Ítem O que? Quem? Quando?


1 Criar procedimento de soldagem em tambores Jeferson Souto 02/05/2019
2 Realizar o alinhamento dos rolos de apoio Jeferson Souto 28/02/2019
3 Criação de plano de inspeção para detecção de trincas Otavio Lacerda 02/03/2019
4 Realizar as inspeções dos tambores conforme plano Marcelo Schmidt 02/05/2019
5 Verificar no mercado outras soluções de martelos Otavio Lacerda 02/03/2019

11