Vous êtes sur la page 1sur 19

Fundamentos Contábeis

UNIDADE 2
Unidade 2

Diciplina: Fundamentos Contáveis

Lançamentos Contábeis (Ativos e Passivos)

Olá, Estudante, tudo bem? Na unidade anterior, vimos a importância de se definir o que
é um Bem, um Direito e Obrigação, correto? E vimos também que, quando falamos
em Patrimônio, não estamos ligando apenas aos bens da empresa, e sim ao conjunto,
incluindo os bens. Bom, agora que você separou o e sabe definir o que é um bem,
um direito e uma obrigação vamos à diante. Na verdade, a contabilidade para atingir
os seus objetivos precisa utilizar algumas técnicas, vou explicar para você algumas
delas, mas a que vamos trabalhar aqui será a escrituração ok? Então, como foi pedido
na Unidade anterior para pesquisar e classificar os bens, direitos e obrigações, nesta
Unidade vamos conhecer o saldo dessas contas e saber classificá-las como Débito e
Crédito. Antes, faça uma leitura da página 27 à 35 – Ativos e a Passivos do nosso livro
de Apoio (leitura obrigatória).
Agora que você já leu o nosso livro de apoio, vamos conhecer as técnicas contábeis.
A primeira técnica que trago para você é a escrituração, vamos a ela!

a) Escrituração – registro em livros próprios (Diário, Razão) de todos os Fatos


Administrativos (compra de um veículo ou venda de mercadorias do estoque,
por exemplo) que ocorrem no dia a dia das empresas. O registro de cada fato
administrativo chama-se lançamento, que é efetuado nos livros contábeis. O registro
de todas as ocorrências patrimoniais é feito através de uma técnica a que chamamos
de escrituração. Ou seja, o registro feito de forma unitária, como exemplo, a compra
de um veículo à vista, é um lançamento contábil, e o conjunto desses lançamentos,
não importa a quantidade, é chamada de escrituração contábil

1
b) Elaboração das Demonstrações Contábeis – elaboração de quadros técnicos que
apresentam dados extraídos dos registros contábeis da empresa. As demonstrações
financeiras mais conhecidas são o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado
do Exercício. No nosso curso, você vai aprender a elaborar a Demonstração Contábil
que é o Balanço Patrimonial.

c) Auditoria - confirmação dos registros e demonstrações contábeis; verificação da


exatidão e dos documentos que deram dos dados contidos nas demonstrações
financeiras, através do exame minucioso dos registros contábeis origem a eles.

d) Análise de Balanços – exame e interpretação dos dados contidos nas Demonstrações


Financeiras, com o fim de transformar esses dados em informações úteis aos diversos
usuários da Contabilidade.

Após conhecermos algumas técnicas contábeis, vamos conhecer agora os livros de


escrituração mais utilizado na contabilidade, então temos em seguida o primeiro livro,
que é o Razão:

Leitura Obrigatória!
No nosso livro de apoio, da página 37 (Introdução a contas a receber) à 47, temos
diversas situação e exemplos de como fazemos os lançamentos contábeis na prática.
O texto a seguir, exemplifica e ensina como fazer os lançamentos. A sugestão é ler o
livro de apoio, e depois ler o material a seguir.

2
diário

A escrituração deve ser feita em um livro instituído em lei e ao qual se dá o nome de


DIÁRIO. Ou melhor, a movimentação do dia é toda registrada nesse livro.

O DIÁRIO é livro obrigatório para fins de escrituração contábil. E a escrituração nele


mantida com observância das disposições legais faz prova, a favor da empresa, dos
fatos nele registrados e comprovados por documentos hábeis.

Para merecer fé, porém, deve o DIÁRIO atender a determinadas exigências e


preencher certas formalidades. Vamos a um exemplo:

Fonte: O Autor

3
razão

Por muito tempo facultativo, hoje é obrigatório. É indispensável em qualquer tipo de


empresa: é o instrumento mais valioso para o desempenho da contabilidade.

Consiste no agrupamento de valores em contas de mesma natureza e de forma


racional. Há outros livros que auxiliam a Escrituração ou facilitam o processo de coleta
de informações, como:

· livro caixa (quando o volume de pagamentos e recebimentos é muito grande);

· livro conta-correntes (quando ocorre muita movimentação contábil) etc.

E há ainda os livros exigidos pela legislação tributária, como o Razão, o Livro de


Apuração do Lucro Real (LALUR), o Registro de Inventário, o Registro de Compras, o
Razão Auxiliar em UFIR, entre outros.
Vamos ao exemplo:

Fonte: O Autor

4
Depois de aprendermos os livros contábeis, vamos agora à teoria das contas, ou seja,
vamos conhecer as partidas dobradas, e o mecanismo do débito e crédito.

As Contas representam registros de débitos e créditos da mesma natureza ou espécie,


identificadas por nomes (títulos) que qualificam elementos patrimoniais (bens, direitos,
obrigações, patrimônio líquido, despesas e receitas).

Saiba mais, acesse o vídeo complementar:


http://www.youtube.com/watch?v=rbTJ-iueX-4
Vídeo do youtube para enriquecer nosso conhecimento!
Aproximadamente: 5 minutos

Toda conta deverá ter titulação própria, adequada para que possa reproduzir com
clareza o fato ocorrido.

Exemplo:
• Todas as entradas e saídas de dinheiro em uma empresa são registradas na
conta “caixa”.

• O valor dos móveis comprados por uma Cia. é registrado na conta “móveis e
utensílios”.

• Uma compra a prazo realizada pela empresa gera uma obrigação denominada
“duplicatas a pagar”.

• O valor que os proprietários de uma firma têm aplicados na mesma deve ser
registrado numa conta denominada “capital social”.

• Uma venda realizada pela empresa é registrada numa conta denominada


“receita de vendas”.

• Os juros pagos pela utilização dos recursos financeiros de terceiros são


registrados numa conta denominada “despesas de juros” etc.

função

A função das contas é controlar, mediante registro dos atos e fatos da administração
econômica dos componentes do patrimônio e a formação dos resultados realizados
em cada período de tempo (exercício social).

5
REPRESENTAÇÃO GRÁFICA

Para simplificar as ilustrações e a resolução de problemas, utilizaremos uma


representação gráfica bastante simples, que será denominada CONTA T ou
RAZONETE ou simplesmente T.

A seguir, um exemplo de razonetes:

Fonte: O Autor

ELEMENTOS DE UMA CONTA

Título da Conta: Indica o elemento patrimonial ou de resultado. No exemplo acima,


temos primeiro a conta CAIXA. Então, conta Caixa é o título da conta e, logo, me
diz que é elemento patrimonial, pois pertence ao ativo, e representa um bem para a
empresa.

Lado Esquerdo: Indica o lado do Débito. Podemos ver no exemplo acima que, no
lado do débito, temos o valor de R$ 200.000,00.

6
Lado Direito: Indica o lado do Crédito. No exemplo citado, temos no lado do crédito
como lançamento (1) o valor de R$ 100.000,00.

Um lançamento no lado direito de uma conta é denominado, crédito; um lançamento


no lado esquerdo de uma conta é denominado débito.

Se o valor dos débitos for superior ao valor dos créditos a conta terá um saldo devedor,
caso contrário, saldo credor.

Uma conta pode apresentar saldo devedor ou credor e o seu saldo, em determinado
período é a diferença entre o somatório dos débitos e créditos efetuados nesta conta
durante aquele período.

As contas são classificadas em:

• Patrimoniais: compõem o Balanço Patrimonial e representam o Ativo, Passivo


Exigível (PE) e Patrimônio Líquido (PL).

• De Resultado: registram as variações patrimoniais e englobam receitas e


despesas, servindo também para determinar o resultado do exercício.

• As contas que representam Bens, Direitos, Despesas e Custos têm saldo


devedor.

• As contas que representam Obrigações (PE), Patrimônio Líquido (PL) e


Receitas têm saldo credor.

7
LANÇAMENTO CONTÁBIL – MECANISMO DO DÉBITO E DO CRÉDITO

O Lançamento é o registro dos fatos contábeis (aqueles que provocam mudanças


na composição do patrimônio da entidade), efetuados de acordo com o método das
partidas dobradas. É feito em ordem cronológica e obedecendo à determinada técnica.
Como vimos anteriormente, é o registro feito de forma única, e o conjunto desses
lançamentos é chamado de escrituração, lembra?

O lançamento é feito nas contas Patrimoniais, pertencentes ao grupo do ATIVO,


PASSIVO EXIGÍVEL e PATRIMÔNIO LÍQUIDO, e nas contas de Resultado,
representadas pelas RECEITAS, e DESPESAS.

Caro(a) estudante, peço bastante atenção ao ler o texto a seguir, pois é onde vai estar
todo o mecanismo utilizado na contabilidade.

As contas de ATIVO, por terem saldo devedor, são aumentadas de valor por DÉBITO
e diminuídas por CRÉDITO.

8
As contas de PASSIVO EXIGÍVEL e de PATRIMÔNIO LÍQUIDO, por apresentarem
saldo credor, são aumentadas de valor por CRÉDITO e diminuídas por DÉBITO.

As contas relativas às RECEITAS e DESPESAS, por afetarem diretamente o PL, são,


respectivamente, CREDITADAS (porque aumentam o PL) e DEBITADAS (porque
diminuem o PL).

Então, no Balanço Patrimonial, o ativo representa a parte positiva da empresa, é


composto pelas contas que representam os Bens e os Direitos e todas as contas que
representam Bens e Direitos, tem o saldo original DEVEDOR. E o Passivo, representa
a parte negativa da empresa, e é composto pelas obrigações de curto ou longo prazo,
e todas as contas que representam obrigações tem o saldo original CREDOR. Logo
abaixo, um quadro que exemplifica melhor:

O quadro abaixo foi desenvolvido por mim, e o ajudará a entender melhor o mecanismo
do débito e do crédito, que o ponto chave da Contabilidade. Como funciona: ao
colocarmos dinheiro na conta do Caixa, da empresa, estaremos na verdade efetuando
um lançamento a título de débito. Como assim? A conta Caixa fica no Ativo da empresa
e, por ser Ativo, o seu saldo de origem é Devedor, e por ser devedor o saldo será
debitado quando aumentado, e creditado quando diminuído.

9
Então vejamos: a conta caixa, que representa o dinheiro da empresa, é também um
bem para a empresa, então, se é um bem, está no ativo, e representa a parte positiva
da empresa, mas, se está no ativo, e representa um bem logo, seu saldo original é
devedor, concorda? E, caso eu queira aumentar o saldo de uma conta de origem
devedora, eu faço um lançamento a débito. Por exemplo, se eu colocar dinheiro a mais
no caixa da minha empresa, eu preciso registrar esse lançamento na contabilidade a
débito, ok? E, por outro lado, se eu quiser diminuir esse saldo, eu lanço a crédito. E,
com relação às obrigações, por exemplo, se eu quiser diminuir uma conta que estou
devendo ao meu fornecedor, por exemplo, eu lanço o valor necessário, sendo a débito
também. Voltemos ao quadro acima, verificamos uma conta com saldo credor, para
então o saldo diminuir e, então, eu lanço um débito. Então, é assim que funciona
o mecanismo de débito e crédito. Mas lembrando que, para todo débito, existe um
crédito de igual valor.

Passos para se Efetuar um Lançamento.

Dado um fato contábil, devemos seguir alguns passos para efetuar seu devido
lançamento.

Exemplo: Compra de um veículo à vista em dinheiro no valor total de $ 1.000,00.

1º passo – identificar as contas envolvidas no fato;


Caixa (valor em dinheiro). Porque Caixa? Sempre que o lançamento for em dinheiro,
então a conta trabalhada será Caixa. E, por exemplo, se fosse cheque, então seria a
conta Banco ao invés de caixa.

Veículo (bem).

Então, as contas identificadas foram:

Caixa (valor em dinheiro/bem)


Veículo (bem)

2º passo – identificar a natureza das contas, ou seja, a que grupos pertencem: Ativo
(A); Passivo (PE); Patrimônio Líquido (PL); Receitas (R); ou Despesas (D).

10
Caixa – conta do Ativo (A)

Veículo – conta do Ativo (A)

3º passo – identificar o que o fato provoca sobre o saldo das contas, ou seja, se o
saldo aumentará ou diminuirá; no caso:

Caixa (A) o saldo diminuirá (-);

Veículos (A) o saldo aumentará (+);

4º passo – efetuar o lançamento contábil segundo o método das partidas dobradas,


com a utilização do quadro-resumo do mecanismo do débito e crédito, da seguinte
forma:

DÉBITO = APLICAÇÃO DE RECURSO;


CRÉDITO = ORIGEM DO RECURSO.

Então, o lançamento do exemplo (Compra de um veículo à vista, no valor total de R$


1.000,00) o lançamento contábil será esse:
Débito – Veículo $ 1000
Crédito – Caixa $ 1000.

Então, vamos agora às demais informações para completarmos o lançamento.

1 – Funções do Lançamento

Ao conjunto de lançamentos denomina-se ESCRITURAÇÃO. O lançamento é uma


parcela da Escrituração e a semelhança desta apresenta duas funções:

1.1 – Função Histórica - Consiste em narrar o fato contábil em ordem cronológica.

1.2 – Função Monetária - Compreende o registro da expressão monetária dos fatos


e seu agrupamento segundo a natureza de cada um.

2 – Elementos

São 4 (quatro) os elementos de um lançamento:

1. Local e data – local da empresa e dia, mês e ano da ocorrência do registro.


2. Conta devedora – é a conta debitada. Vem sempre em primeiro lugar.
3. Conta credora – é a conta creditada, que vem acompanhada da preposição acidental “a”.
4. Histórico – é a narração do fato ocorrido, a qual deve ser resumida, mas exprimindo
bem a operação. Não existe uniformidade de histórico, todavia, a praxe contábil é de que
se lhe inicie com uma das seguintes expressões:

11
a. Pago – quando a conta credora for “Caixa”
b. Recebido – quando a conta devedora for “Caixa”
c. Valor ou Importe – quando o lançamento não envolver a conta Caixa.

LANÇAMENTOS CONTÁBEIS

O lançamento contábil é o registro do fato contábil (Como vimos anteriormente). Todo fato
que origina um lançamento contábil que deve estar suportado em documentação hábil e
idônea.

Os lançamentos contábeis podem ser:

a) lançamento de primeira fórmula;


b) lançamento de segunda fórmula;
c) lançamento de terceira fórmula;
d) lançamento de quarta fórmula.

O lançamento contábil não se resume a “débito e crédito”, mas deve possuir também:

O valor (ou valores); expresso em moeda nacional.


Data do lançamento.
Histórico.

LANÇAMENTO DE PRIMEIRA FÓRMULA

É o registro do fato contábil que envolve uma conta devedora e uma conta credora.

Exemplo:

Depósito bancário com recursos do caixa: (significa, que eu retirei dinheiro do meu caixa,
e depositei na minha conta do banco).

Data do lançamento: 21.10.2007


D – Banco Bradesco S/A (Ativo Circulante)
Histórico: N/depósito em dinheiro em 21/10/2007 R$ 10.000,00
C – Caixa (Ativo Circulante)
Histórico: N/depósito em dinheiro no Bradesco S/A R$ 10.000,00

LANÇAMENTO DE SEGUNDA FÓRMULA

É o registro do fato contábil que envolve uma conta devedora e mais de uma conta
credora.

Exemplo:

12
Depósito bancário, em parte com recursos do caixa (dinheiro) e parte de cheques pré-
datados de clientes (conta cheques a cobrar):

Data do lançamento: 22.10.2007


D – Banco Bradesco S/A (Ativo Circulante)
Histórico: N/depósito em 22/10/2007 R$ 10.000,00
C – Caixa (Ativo Circulante)
Histórico: Parte de n/depósito em 22/10/2007, em dinheiro, Bradesco S/A R$ 1.000,00
C – Cheques a Cobrar (Ativo Circulante)
Histórico: Parte de n/depósito em 22/10/2007, em cheque, Bradesco S/A R$ 9.000,00

LANÇAMENTO DE TERCEIRA FÓRMULA

É o registro do fato contábil envolvendo mais de uma conta devedora e apenas uma conta
credora.

Exemplo:

Venda de mercadoria, sendo uma parte à vista e outra a prazo.(ou seja, vendi a mercadoria,
e o cliente pagou parte a vista, e o restante a prazo).

Data do lançamento: 26.10.2007


D - Caixa (Ativo Circulante)
Histórico: Vl. Recebido parte da NF 00676, de J.Silva S/A. R$ 10.000,00
D - Duplicatas a Receber (Ativo Circulante)
Histórico: Vl. parte da NF 00676, de J.Silva S/A. R$ 50.000,00
C - Vendas de Mercadorias (Resultado)
Histórico: Vl. NF 00676, de J.Silva S/A. R$ 60.000,00

LANÇAMENTO DE QUARTA FÓRMULA

É o registro do fato contábil que envolve mais de uma conta devedora e mais de uma
conta credora.

Exemplo:

Compra, na mesma nota fiscal, de mercadorias e material de consumo, sendo parte pago
no ato e o saldo a ser pago em 30 dias:

Data do lançamento: 20.10.2007


D – Estoque de Mercadorias (Ativo Circulante)
Histórico: Vl. Parte NF 9701 de Distribuidora Mercantil Ltda. R$ 10.000,00
D – Estoque de Materiais de Consumo (Ativo Circulante)
Histórico: Vl. Parte NF 9701 de Distribuidora Mercantil Ltda. R$ 2.000,00
C - Bancos Cta. Movimento (Ativo Circulante)

13
Histórico: Cheque 009766 – Distribuidora Mercantil Ltda. R$ 4.000,00
C – Fornecedores (Passivo Circulante)
Histórico: Vl. Saldo NF 9701 de Distribuidora Mercantil Ltda. R$ 8.000,00

HISTÓRICO DO LANÇAMENTO CONTÁBIL

Histórico é a descrição do fato contábil. A boa técnica exige que o histórico seja feito com a
máxima clareza, evidenciando de forma analítica o registro da operação. Assim, o histórico
do fato contábil deve ser inteligível e objetivo.

Exemplo de um histórico incompleto:


   
Nossa  compra  de  um  veículo  nesta  data.  
 
   
O histórico deveria ser como segue:

   
Valor   relativo   n/aquisição   de   um   veículo,   marca   XXX,   mod.   XXX,   chassis   xxxxxxxxxxx,  
conforme  nota  fiscal  nº  xxxxxx,  de  xx/xx/xx,  de  José  Silva  Veículos  Ltda.    
 
 

Fique Ligado(a)!
Só lembrando, caro(a) estudante, que o histórico contábil pode ser abreviado como, por
exemplo: Conforme = cfe, cheque = ch, caixa = cx, Nota fiscal = NF e assim por diante.

Então agora que terminamos a unidade 2, e aprendemos a realizar os lançamentos


contábeis, aprendendo também a origem dos saldos das contas. Vamos dar outro passo
agora, aprendendo a elaborar a Demonstração Contábil mais importante da Contabilidade,
ou seja, o Balanço Patrimonial. Pois é lá, que vamos organizar as contas que vimos na
primeira Unidade. Mãos à Obra!

Saiba mais, acesse o vídeo complementar:


http://sereduc.com/C3sTEY
Aproximadamente: 12 minutos.

Vamos refletir? (atividade de fixação, não havendo a necessidade de enviá-la ao tutor)

14
  A   Cia.   Alvorada,   linda   empresa   situada   na   Rodovia   Castelo   Branco,   km   121,  
estava  comemorando  nova  etapa  em  sua  promissora  caminhada:  Cabralzinho,  
filho   mais   velho   do   presidente   da   companhia,   Cabral   Teixeira,   assumia   a  
gerência   financeira   da   Companhia,   após   gloriosamente   haver   terminado   seu  
curso   de   Administração   de   Empresas,   em   período   de   final   de   semana,   no  
Interior   do   Estado.   Cabralzinho   sempre   comentou   com   seus   esforçados  
colegas   de   turma   o   exuberante   patrimônio   da   empresa   do   pai:   um   prédio   de  
4.000   m²,   de   armação   metálica,   rodeado   de   jardins   e   árvores   ornamentais,  
com   letreiros   luminosos,   espaçosas   salas   de   reunião,   lindas   secretárias   e  
outras  sofisticações.    
Para   a   surpresa   do   herdeiro,   em   seu   primeiro   dia   de   trabalho,   o   total   das  
obrigações  da  empresa  ultrapassava  a  soma  dos  seus  bens  e  direitos.  Dizia  ele:  
“Sem  dúvida,  o  contador  da  empresa  está  equivocado  ao  informar-­‐me  o  total  
da  dívida”  (obrigações).    
 

Como pode uma empresa com um patrimônio como o da Alvorada estar com tantas
obrigações?

Comente o que está errado no raciocínio do recém-formado desta empresa.

Agora que você terminou as atividades de fixação, realize as atividades propostas!

Leitura obrigatória, para complemento do nosso material!

Fatos Contábeis

1. Introdução

O aprendizado sobre os Fatos Contábeis geralmente é mal colocado e incompleto.


O assunto tem que ser colocado após o Estudo das Contas, pois o estudante de
Contabilidade só disporá de conhecimento suficiente para bem entender o conteúdo
se antes aprender a efetuar todos os lançamentos que envolvem as contas. Outro
fator que prejudica o ensinamento de Fatos Contábeis é a má apresentação dos
Fatos Modificativos e, consequentemente, os Mistos. Geralmente é ensinado aos
interessados no assunto que o Patrimônio Líquido só é alterado (indiretamente) por
meio das contas de resultado (receitas e despesas). No mínimo um equívoco. O
Patrimônio Líquido pode sofrer duas formas de alterações: Direta e Indireta. A Alteração
Direta ocorre quando PL é modificado (aumentado ou reduzido) em consequência
do aumento ou redução de suas próprias contas. No caso da Alteração Indireta, o
PL é modificado (aumentado ou reduzido) em decorrência apropriação de contas de
receitas e despesas. De tal forma, esperamos contribuir para um aprendizado bem
colocado, completo e correto sobre o assunto.

15
2. Conceito

Fatos contábeis são ocorrências que alteram, qualitativa e/ou quantitativamente, o


patrimônio.

3. Tipos

* Permutativos (Qualitativos ou Compensativos)

* Modificativos (Quantitativos)

* Mistos (Compostos)

4. Análise

4.1 Fatos Permutativos

4.1.1 Conceito

Conhecido também por Fatos Qualitativos ou Compensativos, são os que não alteram
(nem direta, nem indiretamente) o valor do Patrimônio Líquido (alteração quantitativa),
e sim, promovem permutas na composição patrimonial de uma empresa, ou seja,
alterações na qualidade de seu patrimônio (alteração qualitativa).

4.1.2 Exemplificação

4.2 Fatos Modificativos

Denominados também de Quantitativos, os Fatos Modificativos, como já foi dado a


entender na introdução, ocorrem por meio da modificação (aumento ou redução) do
Patrimônio Líquido, que pode ser provocada diretamente, com o aumento ou redução
de suas próprias contas, ou indiretamente, com a apropriação de receitas e despesas.
Cabe agora abordar especificamente cada alteração.

4.2.1 Alteração Direta do Patrimônio Líquido

4.2.1.1 Situação

Ocorre quando as contas do Patrimônio Líquido (Capital Social, Reservas, Lucros

16
ou Prejuízos Acumulados e Ações em Tesouraria) são aumentadas ou diminuídas, e
conseqüentemente, provocam o aumento ou a redução do Patrimônio Líquido (PL).

4.2.1.2 Tipos

* Aumentativos: Alteração positiva do Patrimônio Líquido por meio do aumento de suas


contas normais (creditadas) ou da redução de suas contas retificadoras (creditadas).

* Diminutivos: Alteração negativa do Patrimônio Líquido por meio da redução de suas


contas normais (debitadas) ou do aumento de suas contas retificadoras (debitadas).

4.2.1.3 Exemplificação

* Aumentativos:

* Diminutivos:

4.3 Fatos Mistos

Os Fatos Mistos ou Compostos são aqueles em que ocorrem, simultaneamente,


alteração qualitativa (permuta) e quantitativa (modificação) no patrimônio. Da mesma
forma que os Fatos Modificativos, os Mistos podem ser verificados por meio da
alteração direta ou indireta do Patrimônio Líquido.

4.3.1 Permuta com Alteração Direta do Patrimônio Líquido

4.3.1.1 Situação

Representa uma junção entre os Fatos Permutativos (alteração qualitativa) e


os Modificativos (alteração quantitativa direta), ou seja, é verificado quando
simultaneamente ocorre uma permuta nas contas patrimoniais e um aumento ou
redução das contas do Patrimônio Líquido.

4.3.1.2 Tipos

* Aumentativos: Permuta mais alteração positiva do Patrimônio Líquido por meio de


aumento de suas contas (creditadas).

17
* Diminutivos: Permuta mais alteração negativa do Patrimônio Líquido por meio de
redução de suas contas (debitadas).

4.3.1.3 Exemplificação

* Aumentativos:

* Diminutivo:

4.3.2 Permuta com Alteração Indireta do Patrimônio Líquido

4.3.2.1 Situação

Representa uma junção entre os Fatos Permutativos (alteração qualitativa) e


os Modificativos (alteração quantitativa indireta), ou seja, é verificado quando
simultaneamente ocorre uma permuta nas contas patrimoniais e a apropriação de
receitas ou despesas.

4.3.2.2 Tipos

* Aumentativos: Permuta mais alteração positiva do Patrimônio Líquido por meio da


apropriação de receitas (resultado).

* Diminutivos: Permuta mais alteração negativa do Patrimônio Líquido por meio da


incorrência de despesas (resultado).

4.3.2.3 Exemplificação

* Aumentativos

* Diminutivo

Retirado do site: http://sereduc.com/avot1G em 15/04/2014 as 13:12.

18