Vous êtes sur la page 1sur 25

A verdade alivia mais do que machuca.

E estará sempre acima de


qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
ESCOLA SECUNDÁRIA JOAQUIM CHISSANO

11ᵃ CLASSE. TURMAS: B01N-B05T. TRIMESTRE I. CURSOS: NOTURNO-DIURNO.

Disciplina: Matemática.

Unidade Temática: Introdução à lógica matemática.

Tema: Apresentação do professor aos alunos e breves considerações sobre a disciplina.

- Noção de lógica e definição de proposições.

Objectivos:
 Identificar proposições.
 Atribuir valor lógico correcto a uma proposição.
 Aplicar as propriedades de negação, disjunção e conjunção.
 Demonstrar as propriedades através de tabelas de verdade (tabela de Bett).
Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro.
Duração de cada aula: 90 minutos
Metodologia: Elaboração conjunta e método independente.

Professor: João Matangue Arone.


Xai-Xai, 01 de Março de 2018.

Bibliografia: FAGILDE, Safira Magide, M11: Matemática 11ª classe, Textos editoras, Maputo, 2011.
VUMA; José Pedro, CHERINDA; Marcos, Pré - Universitária Matemática 11; Longman
Moçambique; 1ª edição; Maputo, 2009.

NOÇÃO DE LÓGICA

A lógica matemática é um ramo da ciência que se dedica ao estudo do raciocínio matemático.

Ela cuida das regras do bem pensar, ou do pensar corrente, sendo, portanto, instrumento do pensar.

A palavra “ lógica” deriva da palavra grega logiké, que significa “ciência do raciocínio”.

Proposições

Chama-se Proposição a toda a expressão a respeito da qual faz sentido dizer que é verdadeira ou falsa. Ou
seja, é uma expressão à qual é possível atribuir um valor lógico (verdadeiro ou falso). Também pode se usar
a notação 1 (equivalente a verdadeiro) e 0 (equivalente a falso).

Exemplos:

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 1
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
 Xai-Xai é capital da Província de Maputo (F ou 0).
 8 − 5 = 3 (V ou 1).
 4 > 4 (F ou 0).
 2 ≠ 5 (V ou 1).
 𝑥 + 3 = 7 (depende do valor de 𝑥).

Princípio de não contradição: Uma proposição não pode ser simultaneamente verdadeira e falsa.

Princípio do terceiro excluido: uma proposição ou é verdadeira ou é falsa, isto é, não existe terceira
possibilidade.

Duas proposições são equivalentes se, e só se, tiverem o mesmo valor lógico.

Chama-se condição ou expressão proposicional a toda a expressão com variáveis que se pode transformar
numa proposição, quando são substituidas as variáveis por valores, nos respectivos domínios. Exemplo: A
expressão 2𝑥 = 7, para algum valor de 𝑥 é verdadeira, mas para outros é falsa. Por isso, não é uma
proposição.

Outro exemplo: 𝑥 é um número par.

TEMA: OPERAÇÕES LÓGICAS.

As operações lógicas estão sujeitas às regras do cálculo proposicional, que são: Negação (~, que lê-se: não);
conjunção (∧, que lê-se: e); disjunção (∨, que lê-se: ou); implicação (⟹, que lê-se: se…então…) e dupla
implicação ou simplesmente equivalência(⟺, que lê-se: se, e só se).

Negação de proposições.

Se uma proposição P é verdadeira, a sua negação (~P) é falsa e vice-versa.

P ~P
1 0
0 1
Exemplo: Seja a proposição P: 2 é um número primo. A sua negação (~P), seria: 2 não é um número primo.

Conjunção de proposições.

A conjunção representa-se pelo símbolo ^, que lê-se “e”.

A conjunção de duas proposições P e Q é uma nova proposição (P^Q) que só é verdadeira quando as duas
proposições forem verdadeiras.

P Q P^Q
1 1 1
1 0 0
0 1 0
0 0 0
Propridades da conjunção

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 2
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
A conjunção goza das propriedades: Comutativa (A^B = B^A), associativa [(A^B)^C=A^(B^C)] e a
idempotência (A^A = A).

Observa:

A^1 = A: o valor lógico 1(verdadeiro) é o elemento neutro na conjunção.

A^0 = 0: o valor lógico 0( falso) é o elemento absorvente na conjunção.

Disjunção de proposições.

A disjunção representa-se pelo símbolo ∨, que lê-se “ou”.

A disjunção de duas proposições P e Q é uma nova proposição (P∨Q) que só é falsa quando as duas
proposições forem falsas.

P Q P∨Q
1 1 1
1 0 1
0 1 1
0 0 0

Propridades da disjunção.

A disjunção goza das propriedades: Comutativa (A∨B = B∨A), associativa [(A∨B) ∨C=A∨ (B∨C)] e a
idempotência (A∨A=A).

Observa:

A∨0 = A: o valor lógico 0(falso) é o elemento neutro na disjunção.

A∨1 = 1: o valor lógico 1( verdadeiro) é o elemento absorvente na disjunção.

Implicação de proposições.

A proposição “se P então Q”chama-se implicação. Simbolicamente representa-se por P⟹Q, onde o P é
antecedente e o Q é consequente.

A implicação de duas proposições, P e Q, é uma nova proposição P⟹Q, que só é falsa se a antecedente for
verdadeira e a consequente for falsa.
P Q P⟹Q
1 1 1
1 0 0
0 1 1
0 0 1

Observando o quadro a seguir, podemos ver que a implicação pode ser transformada numa disjunção, sendo
que: P⟹Q = ~P∨Q.

P Q ~P P⟹Q ~P∨Q
1 1 0 1 1
1 0 0 0 0

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 3
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
0 1 1 1 1
0 0 1 1 1

E observando agora a tabela seguinte:

P Q ~Q P⟹Q ~ (P⟹Q) P^~Q


1 1 0 1 0 0
1 0 1 0 1 1
0 1 0 1 0 0
0 0 1 1 0 0
Conclui-se que: ~( P⟹Q) = P^~Q, isto é: a negação da implicação equivale à conjunção da antecedente com
a negação da consequente.

Equivalência de proposições.

A operação lógica da dupla implicação é traduzida por 𝑝 ⟹ 𝑞 e 𝑞 ⟹ 𝑝 ou, simplesmente, 𝑝 ⟺ 𝑞 que se lê


“se e só se”.

A equivalência de duas proposições só é verdadeira se ambas as proposições tiverem o mesmo valor lógico.

𝑝 𝑞 𝑝⟺𝑞
1 1 1
1 0 0
0 1 0
0 0 1

As primeiras leis de De Morgan.

De Morgan estabeleceu a seguinte lei de negação da conjunção: negar a conjunção equivale a uma disjunção
com proposições negadas.∼ (𝑝 ∧ 𝑞) =∼ 𝑝 ∨∼ 𝑞.

A negação de uma disjunção equivale a uma conjunção com proposições negadas. ∼ (𝑝 ∨ 𝑞) =∼ 𝑝 ∧∼ 𝑞.

NB: As tabelas de Bett e as demonstrações das propriedades serão dadas como tarefas de casa.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 4
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

ESCOLA SECUNDÁRIA JOAQUIM CHISSANO

11ᵃ CLASSE. TURMAS: B01N-B05T. TRIMESTRE I. NOITE-TARDE.

Disciplina: Matemática.

Unidade Temática: Introdução à lógica matemática.

Tema: QUANTIFICADORES.

- Segundas leis de De Morgan.

Objectivos:
 Aplicar quantificadores na tradução de expressões correntes em expressões quantificadas e vice-versa;
 Aplicar as Leis de De Morgan na resolução de problemas.

Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro.


Duração de cada aula: 90 minutos
Metodologia: Elaboração conjunta e método independente.
Professor: João Matangue Arone.
Xai-Xai, 03 de Março de 2018.

Bibliografia: FAGILDE, Safira Magide, M11: Matemática 11ª classe, Textos editoras, Maputo, 2011.
VUMA; José Pedro, CHERINDA; Marcos, Pré - Universitária Matemática 11; Longman
Moçambique; 1ª edição; Maputo, 2009.

Expressões proposicionais (condições).

Uma expressão algébrica ou com variável é uma expressão que tem pelo menos uma variável.

Expressões algébricas podem ser designatórias ou condições.

Chama-se condição ou expressão proposicional a toda a expressão com variáveis que se pode transformar
numa proposição, quando são substituidas as variáveis por valores, nos respectivos domínios. Em geral, as
equações e as inequações são condições.

Expressões designatórias, quando se concretiza a variável ou as variáveis obtém-se uma designação.


Exemplo: 𝑥 + 2; 𝑥 − 1; 𝑥 2 + 1.

Classificação de condições.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 5
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Condição possível é aquela que pode acontecer (pode ser verdadeira) no domínio dado. Exemplo: 𝑥 + 1 = 0
é uma condição possível em ℤ.

Condição impossível é aquela que nunca ocorre (é sempre falsa) no domínio considerado. Exemplo: 𝑥 +
1 = 0 é uma condição impossível em ℕ.

Condição universal é aquela que acontece sempre (é sempre verdadeira) no domínio considerado. Exemplo:
𝑥 2 ≠ −1 é uma condição universal em ℝ.

É evidente que toda a condição universal é possível.

Quantificadores.

Além das operações lógicas já estudadas, podemos ainda considerar mais duas, as quais se aplicam apenas
nas expressões com variáveis: quantificador universal e quantificador existencial. Os quantificadores
transformam condições em proposições.

Quantificador universal.

Consideremos, em ℕ, a condição universal: 𝑥 ≥ 0.

Para dizer em linguagem corrente que esta proposição é universal escreve-se: “ Todo o número natural é
maior ou igual que zero”.

Em linguagem simbólica, e com o mesmo significado, escreve-se: ∀𝑥 ∈ ℕ: 𝑥 ≥ 0.

Ao símbolo ∀ denomina-se quantificador universal, que lê-se: qualquer que seja ou para todo o … ou para
qualquer … ou para cada … .

Exemplo: Sendo 𝐶 = {1; 3; 5}, dizer que: 1 é ímpar ∧ 3 é ímpar ∧ 5 é ímpar, é o mesmo que dizer: “ todo o
elemento de 𝐶 é ímpar” ou, simbolicamente, ∀𝑥 ∈ 𝐶: 𝑥 é ímpar.

Quantificador existencial.

Ao símbolo ∃ dá-se o nome de quantificador existencial. ∃ lê-se “ existe pelo menos um”.

O quantificador existencial transforma uma condição possível numa proposição verdadeira.

O quantificador existencial transforma uma condição impossível numa proposição falsa.

Exemplo: A partir da condição possível em ℝ: 𝑥 + 1 = 0 pode afirmar-se: “ Existe pelo menos um número
real que verifica a condição 𝑥 + 1 = 0”.

Em linguagem simbólica, escrever-se-ia com o mesmo significado: ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 + 1 = 0.

2𝑥 − 1 = 0, condição possível em ℝ.

∃𝑥 ∈ ℝ: 2𝑥 − 1 = 0, proposição verdadeira.

𝑥 2 + 1 = 0, condição impossível em ℝ.

∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 2 + 1 = 0, proposição falsa.

Quantificação múltipla.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 6
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Consideremos, em ℝ, a condição: 𝑦 = 𝑥.

Para obtermos uma proposição a partir desta condição, temos de utilizar dois quantificadores (quantificação
múltipla).

 Utilizando duas vezes o quantificador universal: ∀𝑥 ∈ ℝ, ∀𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥 ou

∀𝑥, 𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥. Em linguagem corrente: quaisquer dois números reais são iguais (proposição falsa).

 Utilizando duas vezes o quantificador existencial: ∃𝑥 ∈ ℝ, ∃𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥 ou

∃𝑥, 𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥. Em linguagem corrente: existem pelo menos dois números reais que são iguais
(proposição verdadeira).

 Utilizando quantificadores diferentes:


1. ∀𝑥 ∈ ℝ, ∃𝑦 ∈ ℝ: 𝑦 = 𝑥

Em linguagem corrente: Para todo número real existe pelo menos um número real igual a ele. (proposição
verdadeira).

2. ∃𝑥 ∈ ℝ, ∀𝑦 ∈ ℝ: 𝑥 = 𝑦.

Em linguagem corrente: existe pelo menos um número real que é igual a todos os outros números reais
(proposição falsa).

Quando se utilizam quantificadores diferentes e se troca a sua ordem, obtêm-se proposições diferentes que
podem ter ou não o mesmo valor lógico.

TAREFAS.

1. Traduza em linguagem simbólica, utilizando quantificadores, as seguintes proposições:


a) “Dado um número inteiro qualquer, existe pelo menos outro número inteiro menor do que ele”.
b) “ Há pelo menos um número inteiro que é menor que todos os outros inteiros”.
2. Indique o valor lógico das proposições:
a) ∀𝑥 ∈ ℕ, ∃𝑦 ∈ ℕ: 𝑦 < 𝑥 b) ∃𝑦 ∈ ℕ, ∀𝑥 ∈ ℕ: 𝑦 ≤ 𝑥.

Tema: Negação de um quantificador (segundas leis de De Morgan).

Negação de um quantificador (segundas leis de De Morgan).

Negar que uma condição é universal equivale a afirmar que nem todos os elementos a verificam, isto é, que
há pelo menos um que não a verifica.

Exemplo:

Proposição: Todo losango é um quadrado.

Negação da proposição: Existe pelo menos um losango que não é quadrado.

Em geral:

1. A negação transforma o quantificador universal em quantificador existencial seguido de negação.


~(∀𝒙) = ∃~𝒙.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 7
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
2. A negação transforma o quantificador existencial em quantificador universal seguido de negação.
~(∃𝒙) = ∀~𝒙.
Estes dois enunciados são conhecidos por segundas leis de De Morgan.

Exemplos:

Consideremos, no conjunto T dos alunos da turma B05, as proposições:

1. ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 estuda Matemática
2. ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 é inteligente.

Em linguagem corrente traduzem-se, respectivamente, por:

1. Todos os alunos estudam Matemática.


2. Há pelo menos um aluno que é inteligente.

A negação destas proposições em linguagem corrente é:

1. Nem todos os alunos da turma B05 estudam Matemática.


2. Nenhum aluno da turma B05 é inteligente.

Traduzindo em linguagem simbólica:

1. ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não estuda Matemática


2. ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não é inteligente.

Isto é, ~ (∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 estuda Matemática) = ∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não estuda Matemática

~(∃𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 é inteligente) = ∀𝑥 ∈ 𝑇, 𝑥 não é inteligente.

Operação Negação
∨ ∧
∀ ∃
⟹ ⟺
> ≤
< ≥
= ≠
∈ ∉
⊃ ⊈
⊂ ⊉

Exercícios:

3. Negue as seguintes proposições e diga o seu valor lógico:


a) ∀𝑥 ∈ ℕ, |𝑥| ≥ 2 ∧ 𝑥 < 1
b) ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 ≠ 0
c) ∀𝑥 ∈ ℤ: 𝑥 ∈ ℚ
d) ∀𝑥 ∈ ℝ: 2 ≤ 𝑥 < 3
e) ∃𝑥 ∈ ℝ: 𝑥 > 4 ∨ 𝑥 = 6

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 8
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

ESCOLA SECUNDÁRIA JOAQUIM CHISSANO

11ᵃ CLASSE. TURMAS: B01N-B05T. TRIMESTRE I. CURSOS: NOTURNO-DIURNO.

Disciplina: Matemática

Unidade Temática: ÁLGEBRA

Tema: Expressões algébricas racionais.

Objectivos:
 Determinar o domínio de expressões algébricas racionais.
 Operar com fracções racionais.
Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro.
Duração de cada aula: 90 minutos.
Metodologia: Elaboração conjunta e método independente.
Xai-Xai, 22 de Março de 2018.
Professor: João Matangue Arone.

Bibliografia: FAGILDE, Safira Magide, M11: Matemática 11ª classe, Textos editoras, Maputo, 2011.
VUMA; José Pedro, CHERINDA; Marcos, Pré - Universitária Matemática 11; Longman
Moçambique; 1ª edição; Maputo, 2009.

Expressão algébrica é aquela em que a variável 𝑥 está sujeita apenas a operações de adição, subtracção,
multiplicação, divisão ou extracção da raiz.
𝟑𝒙
Exemplos: 𝒙𝟐 − 𝟒𝒙 − 𝟏; 𝒙−𝟐 − 𝟒; 𝟑 − √𝟐𝒙.

Classificação de expressões algébricas.

Uma expressão algébrica pode ser Racional inteira; Racional fraccionária ou Irracional.

Uma expressão diz-se expressão algébrica racional inteira quando não se indica uma divisão, em que a
variável fica no divisor e não aparece sob sinal de radical.
𝟐
Exemplos: 𝒙𝟐 − 𝟒𝒙 − 𝟏; 𝟑 𝒙 + 𝒙𝟐 + √𝟐𝒙 − 𝟓.

Uma expressão diz-se expressão algébrica racional fraccionária quando no divisor figura a variável.
𝟑𝒙 𝒙+𝟏
Exemplos: − 𝟒; 𝟐 .
𝒙−𝟐 𝒙 −𝟑

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 9
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Uma expressão diz-se expressão algébrica irracional quando, sob sinal de radical, figura a variável.
√𝒙𝟐 −𝟏
Exemplos: 𝟑 − √𝟐𝒙; .
𝒙+𝟐

Transformações idênticas.

Duas transformações ou expressões são idênticas se e só se os coeficientes dos termos do mesmo grau da
incógnita são iguais.

Exemplo: 𝑨(𝒙) = 𝟑𝒙𝟐 − 𝒙 + 𝟐 e 𝑩(𝒙) = (𝒂 + 𝟏)𝒙𝟐 + (𝒂 − 𝒃)𝒙 + (𝟐𝒄 + 𝒃).

Quais são os valores 𝒂, 𝒃, 𝒄 para que as expressões 𝑨(𝒙) e 𝑩(𝒙) sejam iguais?

3=𝑎+1 𝑎=2 ___________ 𝑎=2


{−1 = 𝑎 − 𝑏 ⟹ {−1 = 2 − 𝑏 ⟹ { 𝑏 = 3 ⟹ { 𝑏 = 31
2 = 2𝑐 + 𝑏 _________ 2 = 2𝑐 + 3 𝑐 = −2

Frações Racionais.

Frações Racionais são expressões algébricas racionais fraccionárias, já definidas anteriormente.

Domínio de existência.

No domínio de existência de uma fração, olhamos para o denominador, o qual não pode ser nulo.
𝟑𝒙
Exemplos: 𝑨(𝒙) = − 𝟒; 𝑫𝑨 = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 − 𝟐 ≠ 𝟎} = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 ≠ 𝟐}.
𝒙−𝟐

𝒙+𝟏
𝑩(𝒙) = ; 𝑫 = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙𝟐 − 𝟑 ≠ 𝟎} = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙𝟐 ≠ 𝟑} = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 ≠ ±√𝟑}.
𝒙𝟐 − 𝟑 𝑩

Simplificações de frações racionais.

Exemplos: Simplifique as seguintes expressões.

𝑥 2 −4𝑥+4 (𝑥−2)(𝑥−2)
a) 𝑥−2
= 𝑥−2
= 𝑥 − 2.
2
𝑥 +4𝑥+4 (𝑥+2)(𝑥+2)
b) 𝑥+2
= 𝑥+2
= 𝑥 + 2.
3 2 2
𝑥(𝑥 −5𝑥+6)
𝑥 −5𝑥 +6𝑥 𝑥(𝑥−3)(𝑥−2) 𝑥(𝑥−2)
c) 2𝑥 2 −4𝑥−6
= 2(𝑥 2 −2𝑥−3) = 2(𝑥−3)(𝑥+1) = 2(𝑥+1).

TO

Resolver exercícios da ficha.

ESCOLA SECUNDÁRIA JOAQUIM CHISSANO

11ᵃ CLASSE. TURMAS: B01N-B05T. TRIMESTRE I. CURSOS: NOTURNO-DIURNO.

UNIDADE TEMÁTICA: ÁLGEBRA

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 10
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
TEMA: OPERAÇõES COM POLINÓMIOS.

Objectivos:

 Operar com expressões racionais.

Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro.


Duração da aula: 90 minutos.
Metodologia: Elaboração conjunta e método independente.

ADIÇÃO e SUBTRAÇÃO.

Dados dois polinómios 𝐴(𝑥) 𝑒 𝐵(𝑥), calcula-se 𝐴(𝑥) + 𝐵(𝑥):

1o. Ordena-se o polinómio se está desordenado.

2o. Associa-se os coeficientes dos termos do mesmo grau.

Exemplo: 𝐴(𝑥) = 2𝑥 3 + 3𝑥 2 − 𝑥 + 4 e 𝐵(𝑥) = 𝑥 3 + 𝑥 2 − 5.

𝐴(𝑥) + 𝐵(𝑥) = (2𝑥 3 + 3𝑥 2 − 𝑥 + 4 ) + (𝑥 3 + 𝑥 2 − 5).

𝐴(𝑥) + 𝐵(𝑥) = (2 + 1)𝑥 3 + (3 + 1)𝑥 2 + (−1 + 0)𝑥 + 4 − 5 = 3𝑥 3 + 4𝑥 2 − 𝑥 − 1.

MULTIPLICAÇÃO.

O produto de dois polinómios é o polinómio que se obtém multiplicando cada termo do 1o por cada termo do
2o polinómio e adicionando-se os monómios obtidos.

Exemplo: 𝐴(𝑥) = 3𝑥 2 + 2𝑥 − 4 𝑒 𝐵(𝑥) = 𝑥 − 2

𝐴(𝑥) ∙ 𝐵(𝑥) = (3𝑥 2 + 2𝑥 − 4) ∙ (𝑥 − 2) = 3𝑥 2 ∙ 𝑥 + 3𝑥 2 (−2) + 2𝑥 ∙ 𝑥 + 2𝑥 ∙ (−2) − 4 ∙ 𝑥 − 4 ∙ (−2)

𝐴(𝑥) ∙ 𝐵(𝑥) = 3𝑥 3 − 6𝑥 2 + 2𝑥 2 − 4𝑥 − 4𝑥 + 8 = 3𝑥 3 − 4𝑥 2 − 8𝑥 + 8

DIVISÃO INTEIRA DE POLINÓMIOS.

A divisão de polinómios procede-se da mesma forma como se efectua a divisão de dois números naturais.
𝐷 = 𝑑 ∙ 𝑞 + 𝑟. Se o resto for zero, diz-se que a divisão é exata.

Exemplo: Calcular o quociente e o resto da divisão. 𝐴(𝑥) = 3𝑥 2 − 𝑥 + 4 𝑒 𝐵(𝑥) = 𝑥 − 1.

𝐷(𝑥) 3𝑥 2 − 𝑥 + 4 𝑥−1 𝑑(𝑥)


−(3𝑥 2 − 3𝑥) 3𝑥 + 2 𝑞(𝑥)
2𝑥 + 4
−(2𝑥 − 2)
𝑅(𝑥) 6

Regra de Briot-Ruffini.

A regra de Ruffini consiste na divisão de um polinómio por um binómio do tipo 𝑥 − 𝑎.

Exemplo: Calcular o quociente e o resto da divisão inteira de 3𝑥 2 − 𝑥 + 4 por 𝑥 − 1.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 11
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
3 −1 4
1 3 2
3 2 6 𝑅(𝑥)
Resposta: 𝑞(𝑥) = 3𝑥 + 2 e 𝑅(𝑥) = 6.

Teorema do resto.

O teorema do resto diz que o resto da divisão de um polinómio 𝑃(𝑥) por um binómio do tipo 𝑥 − 𝑎 é igual a
𝑃(𝑎). Consequentemente, se 𝑃(𝑎) = 0 então 𝑃(𝑥) é divisivel por 𝑥 − 𝑎.

Exemplo: Calcular o resto da divisão de 𝑃(𝑥) = 4𝑥 3 − 2𝑥 − 4 por 𝑥 − 3.

4 0 −2 −4
3 12 36 102
4 12 34 98

Resposta: 𝑞(𝑥) = 4𝑥 2 + 12𝑥 + 38 e 𝑅(𝑥) = 98, agora vamos usar o teorema do resto para depois comparar
os resultados. 𝑃(𝑎) = 𝑃(3) = 4 ∙ 33 − 2 ∙ 3 − 4 = 98, e sem dúvida são iguais.

Exercícios: Resolver exercícios da ficha.

Beira, 16 de Março de 2016.


ESCOLA JOÃO XXIII

11ᵃ CLASSE. TURMA: 113. TRIMESTRE I. CURSO-DIURNO-MANHÃ

OITAVA SEMANA DE AULAS (28.03.2016 - 01.04.2016)

Disciplina: Matemática

Unidade Temática: ÁLGEBRA

Tema: EQUAÇõES DO 3O GRAU E EQUAÇõES QUE SE REDUZEM A EQUAÇõES

QUADRÁTICAS.

Objectivos:
 Identificar e encontrar a solução de uma equação do 3o grau.
 Identificar e resolver as equações que se reduzem a equações quadráticas.
Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro.
Duração da aula: 90 minutos
Metodologia: Elaboração conjunta e método independente.
Bibliografia: FAGILDE, Safira Magide, M11: Matemática 11ª classe, Textos editoras, Maputo, 2011.
VUMA; José Pedro, CHERINDA; Marcos, Pré - Universitária Matemática 11; Longman
Moçambique; 1ª edição; Maputo, 2009.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 12
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Professor: João Matangue Arone.

Beira, 29 de Março de 2016.


Uma equação do 3o grau (equação cúbica) é do tipo 𝑎𝑥 3 + 𝑏𝑥 2 + 𝑐𝑥 + 𝑑 = 0.

Uma equação do terceiro grau se tem raizes reais, então pelo menos uma das raizes é divisor
(divide) o termo independente (d).

Exemplos: Resolver as seguintes equações:

1) 𝑥 3 − 𝑥 = 0 ⟺ 𝑥(𝑥 2 − 1) = 0 ⟺ 𝑥 = 0 ∨ 𝑥 2 − 1 = 0 ⟺ 𝑥 = 0 ∨ 𝑥 = ±1
𝑆 = {−1; 0; 1}
3 2
2) 3𝑥 + 2𝑥 + 𝑥 − 6 = 0; é visivel aqui que 1 é uma solução desta equação. Vamos
aplicar a regra de Ruffini e depois o teorema do resto.

3 2 1 −6
1 3 5 6
3 5 6 0 𝑅(𝑥)
2
𝑞(𝑥) = 3𝑥 + 5𝑥 + 6; esta é uma equação do segundo grau, a qual sabemos bem
como resolver. 3𝑥 3 + 2𝑥 2 + 𝑥 − 6 = (3𝑥 2 + 5𝑥 + 6)(𝑥 − 1) = 0
⟹ 3𝑥 2 + 5𝑥 + 6 = 0 ∨ 𝑥 − 1 = 0.
∆= 25 − 4 ∙ 3 ∙ 6 = 25 − 72 = −47 < 0; logo a equação quadrática não tem raizes
reais. Portanto a equação cúbica tem apenas uma solução. 𝑆 = {1}.
3) 2𝑥 3 − 8𝑥 2 + 2𝑥 + 12 = 0 ⟹ 2(𝑥 3 − 4𝑥 2 + 𝑥 + 6) = 0 ⟹ 2(𝑥 + 1)(𝑥 − 2)(𝑥 −
3) = 0 ⟹ 𝑥1 = −1 ∨ 𝑥2 = 2 ∨ 𝑥3 = 3. 𝑆 = {−1; 2; 3}.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 13
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Equações biquadráticas

As equações biquadráticas são as equações do tipo 𝑎𝑥 4 + 𝑏𝑥 2 + 𝑐 = 0. Fazendo 𝑥 2 = 𝑡, a


equação transforma-se em 𝑎𝑡 2 + 𝑏𝑡 + 𝑐 = 0.

Exemplo1: 𝑥 4 − 5𝑥 2 + 6 = 0; Seja: 𝑥 2 = 𝑡, então: 𝑡 2 − 5𝑡 + 6 = 0 ⟺ (𝑡 − 2)(𝑡 − 3) = 0

𝑡 − 2 = 0 ∨ 𝑡 − 3 = 0 ⟺ 𝑡 = 2 ∨ 𝑡 = 3 e para encontrar o valor de 𝑥, substitui-se 𝑡 na


equação 𝑥 2 = 𝑡. Assim: 𝑥 2 = 2 𝑜𝑢 𝑥 2 = 3 ⟹ 𝑥 = ±√2 𝑜𝑢 𝑥 = ±√3.

𝑆 = {−√3; −√2; √2; √3}.

Exemplo2: 𝑥 4 − 5𝑥 2 + 4 = 0; Seja: 𝑥 2 = 𝑡, então: 𝑡 2 − 5𝑡 + 4 = 0 ⟺ (𝑡 − 1)(𝑡 − 4) = 0

𝑡 − 1 = 0 ∨ 𝑡 − 4 = 0 ⟺ 𝑡 = 1 ∨ 𝑡 = 4 e para encontrar o valor de 𝑥, substitui-se 𝑡 na


equação 𝑥 2 = 𝑡. Assim: 𝑥 2 = 1 𝑜𝑢 𝑥 2 = 4 ⟹ 𝑥 = ±√1 𝑜𝑢 𝑥 = ±√4 ⟹ 𝑥 = ±1 𝑜𝑢 𝑥 =
±2. 𝑺 = {−𝟐; −𝟏; 𝟏; 𝟐}.

Equações com radicais.

Uma equação diz-se irracional quando a incógnita está sujeita a um sinal de raiz ou a um
expoente fraccionário.

Resolução de uma equação irracional.

1) Se √𝐴 = 𝐵 então 𝐴 = 𝐵 2com 𝐴, 𝐵 ≥ 0.
𝟏
Exemplo: √𝟑𝒙 + 𝟏 = 𝟒 com 𝟑𝒙 + 𝟏 ≥ 𝟎 ⟺ 𝒙 ≥ − 𝟑
𝟑𝒙 + 𝟏 = 𝟒𝟐 ⟹ 𝟑𝒙 = 𝟏𝟓 ⟹ 𝒙 = 𝟓. 𝑺 = {𝟓}
2) Se √𝐴 + √𝐵 = 0 então 𝐴 = 0 𝑒 𝐵 = 0.
Exemplo: √𝟑𝒙 − 𝟔 + √𝒙 − 𝟐 = 𝟎 com 𝟑𝒙 − 𝟔 ≥ 𝟎 ⟺ 𝒙 − 𝟐 ≥ 𝟎
𝑫 = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 ≥ 𝟐 ∧ 𝒙 ≥ 𝟐} ⟺ 𝑫 = {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 ≥ 𝟐}
𝟑𝒙 − 𝟔 = 𝟎 ∧ 𝒙 − 𝟐 = 𝟎 ⟺ 𝒙 = 𝟐 ∧ 𝒙 = 𝟐.
𝑺 = {𝟐}

3) Se √𝐴 = √𝐵 então 𝐴 = 𝐵.
3
√𝟒𝒙 − 𝟑 = √𝒙 com 𝑥 ≥ 0 ∧ 4𝑥 − 3 ≥ 0 ⟹ 𝑥 ≥ 0 ∧ 𝑥 ≥ 4
𝒙 = 𝟒𝒙 − 𝟑 ⟹ 𝟑𝒙 = 𝟑 ⟹ 𝒙 = 𝟏; 𝑺 = {𝟏}.

EXERCÍCIOS ESTÃO NA FICHA.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 14
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Tema: Sistemas de equações lineares

Sistemas de equações lineares a 2 incógnitas (revisão).

SEGUNDO TRIMESTRE
EQUAÇÕES EXPONENCIAIS

Chamamos de equação exponencial toda equação na qual a incógnita


aparece no expoente.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 15
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Exemplos de equações exponenciais:


1) 3x =81 (a solução é x=4)
2) 2x-5=16 (a solução é x=9)
3) 16x-42x-1-10=22x-1 (a solução é x=1)
4) 32x-1-3x-3x-1+1=0 (as soluções são x’=0 e x’’=1)

Para resolver equações exponenciais, devemos realizar dois passos


importantes:
1º) redução dos dois membros da equação a potências de mesma base;
2º) aplicação da propriedade:

a m  a n  m  n (a  1 e a  0)

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS:

1) 3x=81
Resolução: Como 81=34, podemos escrever 3x = 34
E daí, x=4.

2) 9x = 1
Resolução: 9x = 1  9x = 90 ; logo x=0.

x
3 81
3)   
4 256
x x x 4
3 81 3 34 3 3
Resolução :        4       ; então x  4.
4 256 4 4 4 4

4) 3 x  4 27
3
3
Resolução : 3  27  3  3  3  3 ; logo x 
x 4 x 4 3 x 4
4

5) 23x-1 = 322x
Resolução: 23x-1 = 322x  23x-1 = (25)2x  23x-1 = 210x ; daí 𝟑𝒙 − 𝟏 = 𝟏𝟎𝒙 ⟹
𝟏
𝟑𝒙 − 𝟏𝟎𝒙 = 𝟏 ⟹ −𝟕𝒙 = 𝟏 ⟹ 𝒙 =
−𝟕
de onde x=-1/7.

6) Resolva a equação 32x–6.3x–27=0.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 16
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Resolução: vamos resolver esta equação através de uma transformação:
32x–6.3x–27=0  (3x)2-6.3x–27=0
Fazendo 3x=y, obtemos:
y2-6y–27=0 ; aplicando Bhaskara encontramos  y’=-3 e y’’=9
Para achar o x, devemos voltar os valores para a equação auxiliar 3x=y:

y’=-3  3x’ = -3  não existe x’, pois potência de base positiva é positiva
y’’=9  3x’’ = 9  3x’’ = 32  x’’=2

Portanto a solução é x=2

FUNÇÃO EXPONENCIAL

Chamamos de funções exponenciais aquelas nas quais temos a variável


aparecendo em expoente.
A função f:IRIR+ definida por f(x)=ax, com a  IR+ e a1, é chamada
função exponencial de base a. O domínio dessa função é o conjunto IR (reais)
e o contradomínio é IR+ (reais positivos, maiores que zero).

GRÁFICO CARTESIANO DA FUNÇÃO EXPONENCIAL

Temos 2 casos a considerar:


 quando a>1;
 quando 0<a<1.

Acompanhe os exemplos seguintes:

1) y=2x (nesse caso, a=2, logo a>1)


Atribuindo alguns valores a x e calculando os correspondentes valores de y,
obtemos a tabela e o gráfico abaixo:

X -2 -1 0 1 2
y ¼ 1/2 1 2 4

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 17
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

2) y=(1/2)x (nesse caso, a=1/2, logo 0<a<1)


Atribuindo alguns valores a x e calculando os correspondentes valores de y,
obtemos a tabela e o gráfico abaixo:

X -2 -1 0 1 2
Y 4 2 1 1/2 1/4

Nos dois exemplos, podemos observar que


a) o gráfico nunca intercepta o eixo horizontal; a função não tem raízes;
b) o gráfico corta o eixo vertical no ponto (0,1);
c) os valores de y são sempre positivos (potência de base positiva é
positiva), portanto o conjunto imagem é Im=IR+.

Além disso, podemos estabelecer o seguinte:

a>1 0<a<1

f(x) é crescente e Im=IR+ f(x) é decrescente e Im=IR+


Para quaisquer x1 e x2 do domínio: Para quaisquer x1 e x2 do domínio:
x2>x1  y2>y1 (as desigualdades têm x2>x1  y2<y1 (as desigualdades têm

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 18
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
mesmo sentido) sentidos diferentes)

INEQUAÇÕES EXPONENCIAIS

Chamamos de inequações exponenciais toda inequação na qual a


incógnita aparece no expoente.

Exemplos de inequações exponenciais:

1) 3 x  81 (a solução é x  4)
1
2) 2 2x-2  2 x
2
(que é satisfeita para todo x real)
x 3
4 4
3)      (que é satisfeita para x  -3)
5 5
4) 25 x - 150.5 x  3125  0 (que é satisfeita para 2  x  3)

Para resolver inequações exponenciais, devemos realizar dois passos


importantes:
1º) redução dos dois membros da inequação a potências de mesma base;
2º) aplicação da propriedade:

a>1 0<a<1
a > a  m>n
m n
a > an  m<n
m

(as desigualdades têm mesmo sentido) (as desigualdades têm sentidos


diferentes)

EXERCÍCIO RESOLVIDO:

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 19
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

 11
1) 4 x 1  4 x  4 x 1 
4
Resolução :
4x  11
A inequação pode ser escrita  4 x  4 x .4  .
4 4
Multiplica ndo ambos os lados por 4 temos :
4 x  4.4 x  16.4 x  11 , ou seja :
(1  4  16).4 x  11  -11.4 x  11 e daí, 4 x  1
Porém, 4 x  1  4 x  4 0.
Como a base (4) é maior que 1, obtemos :
4 x  40  x  0
Portanto S  IR - (reais negativos)

ESCOLA JOÃO XXIII

SEXTA SEMANA DE AULAS (22.06.2015-26.06.2015)

UNIDADE TEMÁTICA: EQUAÇÕES E ENEQUAÇÕES LOGARÍTMICAS

TEMA: NOÇÃO DE LOGARITMO

-COLOGARITMO E ANTILOGARITMO

Noção de logaritmo

Para 𝑎 > 0 𝑒 𝑎 ≠ 1, a função logarítmica com base 𝑎 representa-se por: 𝑓(𝑥) = log 𝑎 𝑥,
sendo log 𝑎 𝑥 = 𝑦 ⟺ 𝑎 𝑦 = 𝑥.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 20
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Existem logaritmos de bases especiais, que são logaritmos de base dez (log10 𝑥 = log 𝑥) e
logaritmos de base natural ( log 𝑒 𝑥 = ln 𝑥), com 𝑒 = 2,718 …

Propriedades de logaritmos

1) log 𝑎 𝑎 = 1
2) Logaritmo de uma potência (o logaritmo de uma potência, é igual ao produto dessa
potência pelo logaritmo). log 𝑐 𝑎𝑛 = 𝑛 log 𝑐 𝑎
3) Logaritmo de um produto ( o produto de um logaritmo é igual a soma de seus
logaritmos); log 𝑐 𝑎. 𝑏 = log 𝑐 𝑎 + log 𝑐 𝑏
4) Logaritmo de um quociente ( o logaritmo de um quociente é igual a diferença dos
𝑎
logaritmos). log 𝑐 (𝑏) = log 𝑐 𝑎 − log 𝑐 𝑏
1
5) log 𝑐 𝑎 𝑏 = 𝑎 log 𝑐 𝑏
6) 𝑎log𝑎 𝑏 = 𝑏

COLOGARITMO

O estudo do cologaritmo tem sua principal “raiz” o estudo dos logaritmos e suas propriedades
operacionais.

Define-se cologaritmo de um número real pelo oposto de seu logaritmo. A sua definição
1
algébrica, é: 𝑐𝑜 log 𝑏 𝑎 = − log 𝑏 𝑎 = log 𝑏 (𝑎), desde que: 𝑎 > 0; 𝑏 > 0 𝑒 𝑏 ≠ 1.

Exemplos: calcule a) 𝑐𝑜 log 4 64; b) 𝑐𝑜 log 3 27; c) 𝑐𝑜 log 0,001

Resolução:
1 1
a) 𝑐𝑜 log 4 64 = log 4 (64) = 𝑥 ⟺ 4𝑥 = 64 ⟺ 4𝑥 = 4−3 ⟺ 𝑥 = −3
b) 𝑐𝑜 log 3 27 = − log 3 27. C.a: log 3 27 = 𝑥 ⟺ 3𝑥 = 27 ⟺ 3𝑥 = 33 ⟺ 𝑥 = 3 ⟹
𝑐𝑜 log 3 27 = −3
c) 𝑐𝑜 log 0,001 = − log 0,001. C.a: log 0,001 = 𝑥 ⟺ 10𝑥 = 0,001 ⟺ 10𝑥 = 10−3 ⟺
𝑥 = −3 ⟹ 𝑐𝑜 log 0,001 = 3 ou então:
𝑐𝑜 log 0,001 = − log 0,001 = − log 10−3 = −(−3) log10 10 = 3

Antilogaritmo

A função antilogarítmica é a função inversa da função logarítmica. Por exemplo, o logaritmo


de 100000 na base 10 é 5 e o antilogaritmo de 5 na base 10 é 100000. A sua definição
algébrica, é: 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 𝑏 𝑥 = 𝑏 𝑥 , com 𝑏 > 0, 𝑏 ≠ 1, 𝑥 ∈ ℝ. Ou seja: 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 𝑏 𝑎 = 𝑥 ⟺ 𝑏 𝑎 =
𝑥.

 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 𝑏 log 𝑏 𝑥 = 𝑥


 log 𝑏 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 𝑏 𝑥 = 𝑥

Exemplo1: Calcule o valor de 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 5 2

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 21
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Resolução: 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 5 2 = 52 = 25

Prova: log 5 25 = 𝑥 ⟺ 5𝑥 = 25 ⟺ 5𝑥 = 52 ⟺ 𝑥 = 2.

25 é logaritmando de um logaritmo de base 5 e deve ser igual a 2, que é o logaritmando do


antilogaritmo.

Exemplo2: Calcule o valor de 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 6 log 2 16

Resolução: C.a: log 2 16 = 𝑥 ⟺ 2𝑥 = 16 ⟺ 2𝑥 = 24 ⟺ 𝑥 = 4; dai:

𝑎𝑛𝑡𝑖 log 6 log 2 16 = 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 6 4 = 64 = 6 ∗ 6 ∗ 6 ∗ 6 = 1296

Exemplo3: Defina o conjunto solução da expressão: 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 3 log 1 512 = 2𝑥 + 5.


8

1 𝑡
C.a: log 1 512 = 𝑡 ⟺ (8) = 512 ⟺ 8−𝑡 = 83 ⟺ 𝑡 = −3; portanto:
8

1 1
𝑎𝑛𝑡𝑖 log 3 log 1 512 = 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 3 −3 = 3−3 = 27 ⟹ 27 = 2𝑥 + 5 ⟹ 𝑥 ≅ −2,5.
8

EXERCÍCIOS

1. Resolve as seguintes equações:


a) 𝑐𝑜 log 3 9 = 𝑥
b) 𝑐𝑜 log 3 𝑥 = 2
c) 𝑐𝑜 log 2 𝑥 − 1 = 3
d) 𝑎𝑛𝑡𝑖 log 6 4 = 𝑥 − 296

ESCOLA JOÃO XXIII

11ᵃ Classe. Turma: 115. Trimestre II. Curso-diurno-manhã

Disciplina: Matemática
Unidade Temática: Geometria analítica no plano
Tema: Conceitos gerais sobre vectores
Objectivos:
 Determinar a norma de um vector no plano.
 Escrever as coordenadas e as componentes de um vector no plano.
Meios de ensino: Giz, Apagador, Quadro e papel quadriculado.
Duração da aula: 90 minutos

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 22
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Professor: João Matangue Arone

Beira, 14 de Julho de 2015


Geometria analítica

A geometria analítica tem por objectivo a tradução da linguagem geométrica para a linguagem
analítica ou algébrica e vice-versa, isto é, estuda as propriedades das figuras geométricas com a ajuda
de cálculos ou de métodos analíticos.

Conceitos gerais sobre vectores

O conceito de vector é muitas vezes usado nas ciências físicas e matemáticas.

Na física, os vectores podem representar grandezas, tais como força, velocidade, aceleração, etc. Estas
grandezas dizem-se grandezas vectoriais. Na matemática, os vectores são caracterizados por:

Uma origem
Uma extremidade
Uma direcção

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 23
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).
Um sentido
Um comprimento

Em geral, os vectores são representados por letras minúsculas com uma seta por cima.

Exemplo:

⃗ , ⃗𝒃, 𝒄,
(𝒂 ⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝒅, … )
O vector 𝒂 ⃗ definido pelo segmento de recta orientado [A, B] representa-se por ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝐵 e pode escrever-se:
𝑎 = 𝐴𝐵.⃗⃗⃗⃗⃗

O ponto A é geralmente denominado por ponto de aplicação ou origem e o ponto B por


extremidade ou ponto final.

O vector nulo, é um vector que tem direcção e sentidos indeterminados e comprimento zero. Este
vector representa-se por ⃗𝟎 .

A medida do comprimento de um vector é designada por comprimento ou norma ou tamanho ou


⃗ representa-se por ‖𝒂
módulo do vector. A norma de um vector 𝒂 ⃗ ‖ e lê-se norma do vector 𝒂
⃗.

Exemplo:

Indique o sentido e a direcção e determine o comprimento de cada um dos vectores representados na


figura:

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 24
A verdade alivia mais do que machuca. E estará sempre acima de
qualquer falsidade como o óleo sobre a água. (Miguel de Cervantes).

Resolução:

‖𝑎‖ = 3 Pela observação da figura.

‖𝑏⃗‖ = √22 + 22 = √4 + 4 = √8 = 2√2 Pela aplicação do teorema de pitagoras.

‖𝑐 ‖ = √32 + 22 = √9 + 4 = √13 Pela aplicação do teorema de pitagoras.

TPC

Determine o comprimento de cada um dos vectores representados na figura, e indicar as coordenadas


dos pontos da origem e da extremidade de cada vector.

Elaborado por: dr. ARONE, João Matangue; Matemática 11a Classe; Trimestre I; Ano de 2018; Página 25