Vous êtes sur la page 1sur 95

Constantino Ferreira

ESTUDO PROGRAMADO DE GREGO COMUM

E
} lla" glw'ssa koinhv

H
J Kainh; Diaqhvkh

INSTITUTO BÍBLICO

MONTE ESPERANÇA

CENTRO CRISTÃO EVANGÉLICO

FANHÕES – 2005
2 Estudo Programado de Grego Comum

Copyright ©
Título: Estudo Programado de Grego Comum

Autor: Constantino José Amado Ferreira

Capa: O autor

Ano: 2005

ISBN:
Depósito legal:

Icquj o

Ihsouj cristoj qeou uioj swthr


Constantino Ferreira 3

ÍNDICE

Prefácio 5
Introdução 6
LIÇÃO 1 Alfabeto 7
LIÇÃO 2 Sinais diacríticos 10
LIÇÃO 3 Ortografia 13
LIÇÃO 4 Declinação 16
LIÇÃO 5 Verbo – Conjugação 18
LIÇÃO 6 Verbo – Continuação 21
LIÇÃO 7 Declinação 2ª 24
LIÇÃO 8 Declinação 2ª 27
LIÇÃO 9 Declinação 1ª 30
LIÇÃO 10 Declinação 1ª (cont.) 33
LIÇÃO 11 Declinação 1ª (cont.) 36
LIÇÃO 12 Artigo 39
LIÇÃO 13 Adjectivos 42
LIÇÃO 14 Preposições 45
LIÇÃO 15 Pronomes pessoais 48
LIÇÃO 16 Pronomes demonstrativos 51
LIÇÃO 17 Voz média/passiva 54
LIÇÃO 18 Verbos defectivos 57
LIÇÃO 19 Verbos compostos 60
LIÇÃO 20 Componentes do verbo 63
LIÇÃO 21 Componentes do verbo (cont) 66
LIÇÃO 22 Futuro médio 69
LIÇÃO 23 Futuro passivo 72
LIÇÃO 24 Aoristo 75
LIÇÃO 25 Aoristo 2º 78
LIÇÃO 26 Aoristo passivo 81
LIÇÃO 27 Pronomes reflexivos 84
LIÇÃO 28 Particípios 87
LIÇÃO 29 Função do particípio 90
LIÇÃO 30 Particípio aoristo 93
LIÇÃO 31 Perfeitos do verbo 96
LIÇÃO 32 Significado do verbo 99
LIÇÃO 33 Infinitivo 102
LIÇÃO 34 Verbos contractos 105
LIÇÃO 35 Verbos brandos 108
LIÇÃO 36 Particípio (cont.) 111
LIÇÃO 37 Verbos irregulares (cont.) 114
LIÇÃO 38 Declinação 3ª 117
LIÇÃO 39 Declinação 3ª (cont.) 120
LIÇÃO 40 Adjectivos 123
LIÇÃO 41 Graus dos adjectivos 126
LIÇÃO 42 Advérbios 129
LIÇÃO 43 Verbo no conjuntivo 132
LIÇÃO 44 Verbo no imperativo 135
LIÇÃO 45 Verbo no optativo 138
4 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 46 Pronomes inter. e indef. 141


LIÇÃO 47 Pronomes relativos 144
LIÇÃO 48 Pronomes e adjectivos poss. 147
LIÇÃO 49 Verbos no conjuntivo 150
LIÇÃO 50 Conjunções e Partículas 153

APÊNDICE Quadros Auxiliares: 157


Substantivos 158
Adjectivos 160
Pronomes 162
Verbos paradigmas 164
Verbos conjugados (1ª e 2ª) 166
Verbos contractos 168
Verbos brandos 169
Verbos em mi e compostos 170
Verbos irregulares 172
Preposições 174
Esquema das Preposições 175
Conjunções 176
Texto coinê 177
Texto Analítico 189
Abreviaturas e Símbolos 190
Chave Linguística 191

BIBLIOGRAFIA 192
Constantino Ferreira 5

PREFÁCIO

Embora haja no mercado livreiro português excelentes Gramáticas de Grego, desconhecia a exis-
tência de um estudo programado, na língua de Camões, que servisse adequadamente os meus
alunos, de acordo com o Programa Académico do Instituto Bíblico do Monte Esperança. E senti
que isto era uma grande lacuna na sua preparação académica.

Por este motivo, decidi por mãos à obra e experimentei criar um manual de estudo conciso e cla-
ro, em português lusitano, que todos pudessem entender, excluindo grande parte de regras gra-
maticais, que podem ser examinadas pelos interessados nos ditos compêndios, aliás, aconselha-
dos.

Obra de tal envergadura não tem sido tarefa fácil. Somente com muito trabalho, muita confiança
em Deus e assistência fiel do Espírito Santo, foi possível chegar até aqui. Espero que estes singe-
los apontamentos sirvam para fornecer aos estudantes de grego bíblico uma introdução à língua
base do Novo Testamento, a fim de poderem lê-lo e melhor entenderem os vários compêndios
bíblicos existentes no mercado livreiro evangélico.

Para o efeito servi-me das excelentes Obras inclusas na bibliografia do manual, com especial
atenção à soberba Gramática de Grego do Professor Manuel Alexandre Júnior. Sem eles não
teria sido possível a realização deste modesto trabalho. Agradeço a esses grandes mestres pela
imensa contribuição na preparação deste manual de estudo do grego bíblico, assim como lha
dedico com elevada consideração.

Agradeço ainda aos meus queridos irmãos e amigos, Dr. Carl Gibbs, Me. John Rodli, e Me. Ri-
chard Robison, pelas suas válidas opiniões sobre o referido programa de estudo.

Tenho, ainda, de manifestar a minha gratidão à Direcção do Instituto Bíblico Monte Esperança,
onde lecciono a disciplina de grego, nas pessoas dos Professores Harry Osland e Elisabeth Os-
land, pela possibilidade que me deram de preparar este compêndio e de editá-lo para ser usado
no referido curso.

Dedico, também, esta Obra aos meus alunos, cujas questões têm contribuído, ao longo do curso,
para melhoramento do texto, porque sem eles não haveria necessidade nem motivação para tal
empreendimento.

A minha oração a Deus é que o conteúdo das suas páginas sirva para abrir o caminho da aprendi-
zagem do grego neotestamentário aos estudantes interessados nesta importante disciplina. Sentir-
me-ei recompensado ao saber que os meus alunos, ou outros estudantes, aproveitam e usam os
conhecimentos adquiridos através deste Manual.

Tw/' Qew'/ pa;sa dovxa

Constantino José Amado Ferreira


Fanhões, Setembro de 2004
6 Estudo Programado de Grego Comum

INTRODUÇÃO

Embora pareça difícil aprender grego, não é tanto assim, porque o português recebeu dele grande
influência no seu vocabulário. Por exemplo: cronologia, didáctica, filosofia, oftalmologia, peda-
gogia, teologia, etc. Todavia, exige estudo atento, exercícios diários, sobretudo repetição e fé. A
história da língua grega conhece cinco períodos.

1. O período formativo, que vai desde a chegada de algumas tribos indo-europeias à penín-
sula grega, cerca de 1500 a. C., que ali desenvolveram o segundo ramo do sanscrito.

2. O período clássico, que começou com a literatura de Homero, cerca de 900 a. C. Vem a
seguir o grego Ático, que é o mais literário das línguas antigas. Pertence a esta classe a
grande quantidade de literatura que está à disposição dos estudiosos.

3. O período koinê, que provém do Ático, e começou com as conquistas de Alexandre


Magno, cerda de 330 a. C. As suas conquistas e a colonização das costas do Mediterrâ-
neo contribuíram para que o grego comum fosse falado no império grego, assim como o
latim foi no romano. Foi nesta classe de grego que o Novo Testamento foi escrito, pois
era a língua internacional daquela época. É esta linguagem popular que vamos estudar.

4. O período bizantino, que começou com a divisão do império romano em 330 d. C. pro-
longando-se até à queda de Constantinopla em 1453. O grego deste período deixou tam-
bém as suas marcas nas cópias das Escrituras com algumas variantes.

5. O período moderno, iniciado em 1453, que fala o grego descendente do koinê. Foi em
1834 que os especialistas descobriram a relação entre o koinê e o grego moderno.

Nota importante: O Novo Testamento recebeu três influências culturais importantes:

1. A cultura grega e a sua língua por causa da presença grega no mundo bíblico.

2. Os hebraismos, especialmente encontrados na tradução grega dos LXX. Pois, os escrito-


res do N. T. usaram a Septuaginta como a sua Bíblia.

3. A cultura romana e os latinismos por causa da presença romana no mundo bíblico.

Particularidades: Nos manuscritos mais antigos a escrita era uncial e contínua, sem acentos
nem pontuação, tornando difícil a distinção das palavras.

Os escribas corrigiam o que lhes parecia gramatical ou doutrinariamente errado, e colocavam a


emenda nas margens respectivas.

Mais tarde, outros copistas introduziram essas emendas no texto, as quais aparecem em nossas
Bíblias entre parêntesis, resultando numa cópia diferente quanto à forma, mas não quanto à vera-
cidade. Essas diferenças vêm distinguidas nas Bíblias como variantes.

Pelo facto das letras estarem juntas, algumas eram confundidas com outras: (ALLAALLA parecia
ALLA)
(AMA
AMA)
AMA (Q Q) parecia (O ou parecia (w
O) (ou
ou) w) etc. Por este motivo os especialistas têm procurado
aproximar-se do texto original comparando as variantes e usando os melhores manuscritos: Si-
naitico, Vaticano e Alexandrino, representados respectivamente pelos sinais: Å, B, A.
A
Constantino Ferreira 7

LIÇÃO 1
FONOLOGIA
A. ALFABETO

O alfabeto grego contém 24 letras. Em grego tomou o nome das duas primeiras letras e lê-se:

Alfabhta eJlla;" glw'ssa koinhv


A seguir vêm as letras minúsculas do alfabeto grego com a sua leitura em grego e translitera-
ção em português. Convém memorizar o alfabeto para poder escrever e pesquisar alfabetica-
mente as palavras no próprio dicionário de grego-português.

a A b B g G d D e E
1º grupo avlfa bh'ta gavmma devlta eJjyilovn
alfa bêta gámma delta épsilón

z Z h H q Q i I k K
2º grupo zh'ta h\ta qh'ta iw'ta kavppa
zêta êta theta iôta kapa

l L m M n N x X o O
3º grupo lavmbda mu' nu' xi' ojm
; ikrovn
lámbda my ny ksi omicrón

p P r R s j S t T u U
4º grupo pi rw' sivgma tau' uJJjyilovn
pi rô sigma tau ypsilón

f F c C y Y w W
5º grupo fiv civ yiv wJm
j evga
fi khi psi ôméga

m: a b g d e z h q i k l m n x o p r s " t u f c y w
M: A B G D E Z H Q I K L M N X O P R S - T Á F C Y W

Escrita das letras gregas


Algumas letras vão além da linha onde são escritas e da altura das outras. Convém começar a
escrevê-las no sentido dos sinais:

a b g d e z h q i k l m n

x o p r s " t u f c y w
8 Estudo Programado de Grego Comum

1. Classificação das consoantes

Orais Nasais
Sonoras Surdas Aspiradas
Labiais b p f m
Oclusivas Dentais d t q n
Guturais g k c g (antes de gutural)

Sibilantes z s
Espirantes Líquidas l, r
Aspiração J
Mistas x = ks = ajuxavnw y = ps = blevyw

Divisão
Breves e, o
2. Classificação das vogais Tempo Longas h, w
As vogais são sete: a, e, h, i, o, u, w. Comuns a, i, u

Espírito Ásperas a, e, h, o, u
Brandas i, u
B. DITONGOS
1. Próprios: ai ei oi ui au eu hu
Exemplo: ai[-rw, eij-miv, lovg-oi, uiJ-ov", auj-tov" euj-quv" hu[-xanon

2. Impróprios: a, h, w, podem aparecer com um i subscrito que é mudo.


Exemplo: a}d/ h"_ h/r[ on, aJgiw/ (levam um pequeno iota sob (a/ h/ w/).

3. Exercícios: Declarar onde se encontram os ditongos nas seguintes palavras:


ai|ma, aijnevw, aujlhv ei[dwlon, eujdokiva, aujxavnon, oi\da oujaiv, oujdev

4. Leitura:
ai|ma, aijnevw, ai}resi", ai[rw, aijtevw, aujlevw, aujxavnw, aujtavrkeia, aujtovmato",
aujtovceir, ei[dwlon, eijkwvn, hu[xanon, oi[dj a, oi\ko", oijkoumevnh, oujai, oujde, uiJo".

Exemplo do desenvolvimento do alfabeto

(In, Keller, Werner, A Bíblia Tinha Razão, Lisboa)


Constantino Ferreira 9

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
10 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 2

SINAIS DIACRÍTICOS

A. ESPÍRITOS
1. Trema: ( ü ) separa duas vogais para desfazer o ditongo: Ex: a i>> di o"
2. Aspiração branda: ( j ) não afecta a pronúncia: eimi
3. Aspiração áspera: ( J ) afecta a pronúncia como (h) inglês: aJgivw
4. Todas as vogais iniciais são aspiradas: oJmilevw oJmiliva ajggevllw
5. Apóstrofo: ( j ) indica a elisão duma vogal: di! aujtou = dia autou.

B. ACENTOS
Os acentos servem para orientar-nos na pronúncia; mas nós não vamos falar grego.
A sua posição gira em torno das três últimas sílabas:
1. Agudo: pode encontrar-se numa das três últimas: levgw tem som mais forte em (ev);
ajgavph tem o som mais forte em (av); ajdelfov" tem som mais forte em (ov).
2. Grave: pode encontrar-se na última quando seguida por outra palavra: Qeo;" ajgapei'.
3. Circunflexo: (ê ou ã) pode estar sobre uma das duas últimas: Qew'_ dou'lo".
4. Em conjugação, o acento retrocede à primeira sílaba: akouvw hvkouon.

C. PONTUAÇÃO
1. Ponto final. ( .) ejgw; ajgavpw.
2. Vírgula, (, ) suv ajgapei'",
3. Ponto e vírgula ou 2 pontos: ( :) aujto;" ajgapei':
4. Ponto de interrogação? ( _) ejgw; ajgavpw, kai; suv_

D. TRANSLITERAÇÃO
É escrever em grego usando as nossas próprias letras; por exemplo:
1. Grego: a[nqrwpo" ajdelfov" Biblivon ajpovstolo" ejkklhsiva
2. Trans: anthrôpos adelfos Biblion apóstolos ecclêssía

E. SILABAÇÃO
1. Monossílabas: oJ_ hJ_ tov_ to;n_ gavr_ eij"_ ejk_ ejn_ dev_ mhj_ ouj_ oujk_ oj"_
2. Dissílabas: a[-gw_ aj-mhvn_ aj-nav_ Qe-ov"_ e[i-mi_ lev-gw_ bal-lw'_ lov-go"_
3. Trissílabas: aj-del-fov"_ a[n-qrw-po"_ Bi-bliv-on_ iJ-e-rov"_ ka-lev-w_
4. Polissílabas: aj-povs-to-lo"_ ejk-klh-siv-a_ pan-to-krav-twr_ pres-buv-te-ro"_
Constantino Ferreira 11

F. Leitura:
1. Maqqaio", Marko", Louka", Iwannh", Praxei" apostolwn, Rwmaioi, Korinqioi,
Galatai, Efesioi, Filipphsio", Kolossai", Qessalonikh", Timoqeo", Tito",
Filhmwn_ Ebraioi, Iakwbo", Petro", Iwannh", Iouda", Apokaluyi".

2. Egw to Alfa kai to Wmega. Ihsou" cristo", qeou uio", swter.


G. Transliterar a leitura F. 1,2 para o caderno diário.

H. Ler João 3.16 em voz alta


OuJvtw" ga;r hjgavphsen oJ qeo;" to;n kovsmon, wJs v te to;n uiJo;n to;n mono-
genh' e[dwken, iJvna pa'" oJ pisteuvwn eij" aujto;n mh; ajpovlhtai all! e[ch
zwh;n aijwvnion.
I. Copiar João 3.16 do texto grego sobre as linhas assinaladas. Tomar atenção às partes que
vão além das linhas.
__________________________________________________________________________
*_________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
*_________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
*_________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
*_________________________________________________________________________

usar o meio visual lendo pivsti"


Agora usar o meio acústico ouvindo aJjgavph
convém usar o meio motor escrevendo eJlJj piv"
usar o meio stereo repetindo

Visto ser o nosso propósito primário aprender a ler o grego bíblico, devemos concentrar os nos-
sos esforços na aprendizagem de vocábulos e gramática. Recapitular muito.

Ilustração primitiva da refeição ajgavph

(In, Scott, Benjamin, As Catacumbas de Roma, 1923, Porto)


12 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 13

LIÇÃO 3

MORFOLOGIA

ORTOGRAFIA
1. Substantivos. O substantivo e o verbo são as palavras principais no discurso. As outras
são consideradas auxiliares. Eis algumas como exemplo:
a[nqrwpo", a[ggelo", kovsmo", lovgo", livqo", exprimem substância – são substantivos.
luvw, levgw, aJgiavzw, exprimem acção – são verbos.

2. Os substantivos podem servir como sujeito e objecto, ou complemento directo:


qeov" ajgapa' a[nqrwpon. a[nqrwpo" ajgapa' qeo;n_
suj. verbo objecto – sujeito verbo objecto

a) O grego não utiliza a ordem das palavras na formação da frase como o português;
pode invertê-las. Por exemplo: sujeito, predicado, complementos e acessórios:
Português: Deus ama o mundo

b) Grego: qeo;" ajgapa' to;n kovsmon


O sujeito é qeo;" e o complemento directo é to;n kovsmon.
mon
Ordem inversa: to;n kovsmon ajgapa' oJ qeov"
O sujeito é oJ qeov", no final da frase, e o compl. directo é to;n kovsmon,
mon no princípio.

Conclusão: O sujeito é indicado pela terminação o" – diz-se nominativo – N


O objecto é indicado pela terminação on – diz-se acusativo – A
A mudança de forma dos substantivos chama-se Declinação.

c) Determinar o sujeito e o objecto nas seguintes frases:


qeo;" ajgapa' to;n uiJo;n – ______________________________________________
to;n uiJo;n ajgapa' qeo;" – ______________________________________________
lovgon levgei ov dou'lo" – ______________________________________________
Ij hsou" levgei lovgon – ______________________________________________

DECLINAÇÃO
O grego modifica a última sílaba das palavras para indicar a sua função, seja qual for a posi-
ção na frase. As formas das declinações chamam-se casos.

1. Caso indica função


Já conhecemos duas formas de substantivo: qeov", N; qeo;n, A; kovsmo", N; kovsmon, A.

2. Forma caso sigla função exemplo tradução


o" Nominativo N sujeito lovgo" palavra
on Acusativo A objecto lovgon palavra

Os substantivos terminados em o" cumprem sempre a função de sujeito.


Os substantivos terminados em on cumprem sempre a função de objecto.
14 Estudo Programado de Grego Comum

3. Vocabulário
Convém colocar todo o vocabulário no dicionário pessoal porque precisa dele constante-
mente.
Entre parêntesis encontra-se o número da frequência da palavra no NT. Ex: lovgo" (175).
a)
Substantivos Tradução Derivada Substantivos Traduç. Derivação
a[busso" 9 abismo abissal qeov" 1314 Deus teologia
a[ggelo" 176 anjo angelologia ijcquv" 20 peixe peixaria
ajgrov" 36 campo agricultura kovsmo" 185 mundo cosmologia
ajdelfov" 34 irmão Filadélfia liqov" 58 pedra litografia
a[nqrwpo" 548 homem antropologia lov
g o" 331 palavra teólogo
ajpovstolo" 79 apóstolo apostolado novmo" 191 lei Deuteronómio
a[rto" 5 pão artonomia potamov " 17 rio Mesopotâmia
diavbolo" 37 diabo diabologia presbuvtero" 65 ancião presbitério
diavkono" 29 diácono diaconia cristov" 529 Cristo Cristologia
dou'lo" 124 escravo dulocracia yalmov" 7 salmos saltério

b)
Verbos / 3 p. s. Tradução Partículas Tradução
ajgapavw ajgapa' ele ama ajlla 635 mas, (enfático)
bavllw bavllei ele joga dev 2771 e, mas
blevpw blevpei ele vê kaiv 947 e, também
levgw levgei ele fala naiv 34 sim
luvw luvei ele solta ouj, ouk, ouc, 1619 não

c) Convém copiar estas palavras para o dicionário pessoal, que será útil no futuro.

4. Exercícios
a) Ler em voz alta substantivos e verbos das alíneas a) e b) acima.

b) Escrever o Nominativo (N) e o Acusativo (A) das palavras seguintes:


Anjo, irmão, homem, apóstolo, diabo, diácono, escravo, mundo, lei, presbítero.

c) Traduzir para portugue'":


ajdelfov"
v ajgapa' adelfon. kosmov" ouk ajgapa' qeon.
Qeov" ajgapa' doulon. dou'lo" ajgapa' Qeovn_
dou'lo" bavllei livqon. a[nqrwpov" blepei potamovn.
ajdelfovn ajgapa' cristo;"_ cristo;n ajgapa' ajvnqrwpo"_
ajpovstolo" legei lovgon. lovgon legei ajpovstolo"_

d) Traduzir para grego:


Deus ama mundo e homem. Cristo fala palavra.
Servo joga pedra? Sim. Presbítero vê diácono e escravo.
Diácono não vê escravo. Escravo joga pedra.
Presbítero fala palavra. Diácono fala palavra? Não.

e) Em João 1.1, quantas vezes aparecem as palavras qeov" e lovgo" em N e A.


f) Memorizar: Iwannh" 3.16, ou}tw" gar hjgavphsen oJ Qeo;" to;n kovsmon,
g) Maqqai'o" 14.17 - Icquv"
Constantino Ferreira 15

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
16 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 4
DECLINAÇÃO
5. Declinação. (Cont.)
Já conhecemos dois casos da segunda declinação: o" on
Vamos conhecer mais dois da segunda declinação: ou w

a) oJ lovgo" tou' Qeou' – aqui temos dois genitivos: ou


O genitivo exprime relação, origem, posse. A sigla é G.
oj douvlo" tou a[nqrwpou. Nota: O servo é propriedade do homem.

b) presbuvtero" legei tw/ a[nqrwpw/ – Aqui temos dois dativos: w/


w/ é equivalente a oi, mas i sem som. A sigla é D.

c) Assim, teremos uma frase completa e ordenada como em português:


oJ presbuvtero" levgei ton lovgon tou' Qeou tw/ a[nqrwpw/

d) Agora invertamos a ordem das palavras e significa o mesmo:


ton lovgon levgei tou' Qeou' tw/ a[nqrwpw oJ presbuvtero".

6. Quadro das declinações


a) O grego coinê tem quatro casos: Estes pertencem à segunda declinação.

Forma Caso Sigla Função Exemplo Tradução


- o" Nominativo N Sujeito lovgo" palavra
- ou Genitivo G Origem, posse lovgou da palavra
- w/ Dativo D Entrega lovgw/ à palavra
- on Acusativo A Objecto lovgon palavra

b) Existe ainda o vocativo, que serve para invocar: ejtairev, Mt 26.50; filev, Lc 11.5.
c) lovgo" será a palavra padrão (paradigma) para a segunda declinação.
d) lovgo" tem raiz (log) vogal temática (o) e caso (o") ou terminação.

7. Exercícios
a) Recapitular a leitura do vocabulário a) e b).
b) Declinar: novmo", kovsmo", Qeov", cristov", livqo", ajpovstolo".
c) Procurar em Iwannh" 1.1-2 os, nominativo, genitivo, dativo e acusativo e escrevê-los
no caderno diário. Não é preciso usar acentos no caderno do aluno.

8. Vocabulário. Ij wavnnh" 1.1,2a

ajrch' princípio oJ o
ejn em pro;" com
h|n estava to;n o
ou|to" - (pron. dem.) este (ele) Qeovn Deus

9. Traduzir Iwannh" 1.1,2a, usando o dicionário pessoal, e transcrever para o caderno.


10. Traduzir: O irmão de Cristo fala a palavra de Deus ao servo. (Quatro ordens diferentes).
Constantino Ferreira 17

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
18 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 5
VERBO

CONJUGAÇÃO
Verbos são palavras que exprimem acção. As flexões verbais chamam-se conjugações. Os ver-
bos gregos dividem-se em duas conjugações temáticas fundamentais: (w) e (mi). Como luvw =
solto e divdwmi = dou . A primeira é a mais importante no NT. Apenas alguns verbos aparecem
em mi.

A. Flexões. As flexões verbais compreendem pessoa, número, tempo, modo e voz.


1. Pessoa e número: O grego coinê tem três pessoas, singular e plural. Quem fala.
a) As três pessoas do singular são: luvw, luvei", luvei,
b) As três pessoas do plural são: luvomen, luvete, luvousi
c) O verbo grego dispensa o pronome. Quando existe, é somente para enfatizar. A forma
verbal declara quem fala.

2. Tempo, modo, voz:


a) Tempo: O grego tem quatro tempos principais e três secundários: Quando fala.
Primários: presente, futuro, e perfeito: luw, luvs
v w, levluka,
Secundários: imperfeito, aoristo e mais que perfeito: e[luon, e[lusa, ejlelukein

b) Modo: O grego tem três modos principais e dois secundários. Como é que fala.
Primários: indicativo, conjuntivo e imperativo: luvw, luvh,/ luvhtw.
Secundários: infinitivo e particípio: luvein, luvwn.

c) Voz: O grego tem três vozes: activa, média e passiva. Quem pratica ou sofre a acção.
Activa, Média e Passiva: luvw, luvomai.
3. Presente indicativo activo: O paradigma luvw serve de modelo para os verbos em w.
Nota: Somente o modo indicativo dos tempos verbais indica tempo. A ideia Principal dos
tempos gregos é demonstrar a qualidade da acção. O estado da acção é fundamental.
Pessoas Sigla Verbo Tradução
1ª singular 1sg luv - w Eu solto Estou soltando
2ª “ 2sg luv - ei" Tu soltas Estás soltando
3ª “ 3sg luv - ei Ele solta Está soltando
1ª plural 1pl luv - omen Nós soltamos Estamos soltando
2ª “ 2pl luv - ete Vós soltais Estais soltando
3ª “ 3pl luv - ousi (n) Eles soltam Estão soltando

4. Sigla: É conveniente aprender a sigla da conjugação verbal para melhor responder aos
testes. Ex: Primeira, singular, presente, indicativo, activo, escreve-se (1sgpia).
Primeira, singular, futuro, indicativo, activo, escreve-se (1sgfia). Etc.

5. Estrutura. Reconhecendo os elementos da estrutura dos verbos gregos.


a) Raiz. O elemento mais simples e imutável do verbo é a raiz: luv
b) Tema. Depois vem a vogal temática ( o / e) antes das terminações.
c) Terminação pessoal. i", i, men, te, usi
d) O (n) que se vê na 3ª plural serve para ligar a palavra a outra começado por vogal.
e) Estas terminações são restos de antigos pronomes pessoais: eu, tu, ele, nós, vós, eles.
f) Exemplificando com o verbo dar, divdwmi. Raiz: did - Tema: o/w - Terminação: mi
Constantino Ferreira 19

6. Vocabulário
a) É conveniente aprender este vocabulário para exercícios futuros. Convém colocá-lo
completamente no dicionário pessoal porque precisa dele constantemente.
Verbos Tradução Verbos Tradução
a[gw guio gravfw escrevo
ajkouvw ouço didavskw ensino
blevpw vejo divdwmi dou
ginwvskw conheço eijmiv (esti) sou (ele é)

b) Outras
aJllhlouvia
> aleluia faivnei resplandece
ajmhvn amen fw" luz
dovxa glória skotiva treva

7. Exercícios
a) Leitura
ajkouvw lovgon Qeou', ajkouvw to;n lovgon tou Qeou'
Qeo;" levgei a[nqrwpw/. Qeo;" levgei tw/ a[nqrwpw/
presbuvtero" blevpei diavkonon. diavkono" blevpei presbuvteron_
eijmiv cristianov" kaiv luvw douvlon. gravfw lovgon ajdelfw.
ginwvskw qeo;" kaiv cristo". ginwvskei" cristov"_
ajllhlouvia
> Ij hsou'" ejsti; Qeov" Ij hsou'" luvei to;n doulon

b) Conjugar o presente indicativo activo de luvw e blevpw no caderno.


c) Traduzir: ajgei, ajgomen, didavskw, didavskousi. divdw".
d) Traduzir: guio, guia, guiamos, guiam. Tenho, temos, têm, pregas (proclamas).
e) Ler Iwannh" 1.5a e traduzir para a caderno.
f) Copiar para o caderno Ij wavnnh" 6.47, abaixo, e analisar as duas frases:
ajmh;n ajmh;n levgw ujmi'n: oJ pisteuvwn e[cei zwh;n aijwvnion

Rolos não são códices


20 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 21

LIÇÃO 6
VERBO cont.

1. Conjugação do futuro. O futuro de luvw forma-se acrescentando um (s) no meio das vo-
gais fica luv-s-w, soltarei.

Pessoa Verbo Tradução


1ª sg luv-s-w Eu soltarei Estarei soltando
2ª sg luv-s-ei" Tu soltarás Estarás soltando
3ª sg luv-s-ei Ele soltará Estará soltando
1ª pl luv-s-omen Nós soltaremos Estaremos soltando
2ª pl luv-s-ete Vós soltareis Estareis soltando
3ª sg luv-s-ousi (n) Eles soltarão Estarão soltando
a) O (s
s) sigma acrescentado chama-se sufixo temporal do verbo. É por intermédio dele
que reconhecemos o futuro verbal. Porém, quando existe uma raiz consoante acontece
alguma alteração neste sufixo, que mais adiante será estudado.
2. Denominação verbal
a) A ordem da denominação verbal é como em português: pessoa, número, tempo,
modo, voz.
Verbo Pessoa Número Tempo Modo Voz Tradução
luvw 1ª Singular Presente Indicativo Activa de luvw = solto
luvei" 2ª Singular Presente Indicativo Activa de luvw = soltas
luvei 3ª Singular Presente Indicativo Activa de luvw = solta
luvsomen 1ª Plural Futuro Indicativo Activa de luvw = soltaremos
luvsete 2ª Plural Futuro Indicativo Activa de luvw = soltareis
luvsousi 3ª Plural Futuro Indicativo Activa de luvw = soltarão
b) A sigla a usar para estas denominações é a seguinte:
Para o presente: luvw,1sgpia, de luvw, solto.
Para o futuro: luvsomen, 1plfia, de luvw, soltaremos.

3. eijmiv, presente indicativo activo, ser ou estar.


a) Conjugação
Pessoas Verbo Tradução Referência Grego
1 sg eijmiv eu sou, estou Iwan. 14.6 ejgwv eijmiv hJ oJdo;"
2 sg ei\ tu és, estás Iwan. 1.21 H
j liva" ei\j suv_
3 sg evstin ele é, está Iwan. 9.17 o}ti profhvth" ejstivn
1 pl ejsmen nós somos, estamos Iwan. 9.28 tou' Mwu>sevw" ejsme;n maqhtaiv
2 pl ejste vós sois, estão Maq. 5.14 umei'" ejste to; fw'"
3 pl eijsivn eles são, estão Prax. 13.31 eijsi;n marture"
b) Omissão: eijmiv é verbo auxiliar e, como tal, é omitido frequentemente na escrita.
1º Ex: tiv" oJ kuvrio"_ = quem (é) o Senhor? – (ejstivn) foi omitido.
2º Ex: tiv to; paidivon_ = qual (é) a criança? – (ejstivn) foi omitido.
c) Distinguir a 2ª p. sg (ei\ = és) da conjunção (eij = se), pelos sinais diacríticos ( \ )j
sobre as vogais e pelo contexto. Ex: eij uiJo"
; suv ei\ tou' Qeou'. Maqq. 4.3.
22 Estudo Programado de Grego Comum

4. Vocabulário
a) Preposições são pequenas palavras colocadas na frente dum substantivo:
Grhgo Português Grhgo Tradução
prov"4 para ( em direcção a) pro;" to;n oijkovn para a casa
eij"4 para dentro de eij" to;n oijkovn para dentro da casa
ejn3 em, dentro de ejn tw/' ojikw/' dentro da casa
ejk2 de, para fora de ejk tou' oijkou' para fora da casa
ajpov2 de, partindo de ajpo; tou' oijkou' partindo da casa
b) As preposições exigem a forma adequada do substantivo conforme exemplo no qua-
dro: prov" exige acusativo e leva ao lado o pequeno número do acusativo (prov"4).
c) Verbos:
e[cw tenho manqavnw aprendo
khruvssw prego - proclamo pisteuvw creio, confio
lambavnw recebo faivnw resplandecer, fazer brilhar

5. Exercícios
a) leitura de grego em pg 12, 7. a)
b) Declinar o singular de doulov" kaiv diavkono". (Não é necessário usar acentos).
c) Conjugar o PIA e o FIA dos verbos ajkouvw kaiv pisteuvw, com tradução.
d) Denominar as formas verbais: luvei", bavllei", blevpousin,
luvsomen, ajkouvsei", pisteuvsw.
e) Traduzir: soltarei, somos, ensinam, pregamos, cremos.
f) Descobrir três formas verbais conhecidas, em João 1.21, e escrevê-las no caderno.
g) Cantar: ajllhlouvia
> dovxa Qew'/

6. Revisão

Códices são cadernos


Constantino Ferreira 23

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
24 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 7

SEGUNDA DECLINAÇÃO

1. Os substantivos também sofrem modificações, a que se chama declinação. Mas nem to-
dos se declinam da mesma forma. Existem três formas básicas: em (o, a, e consoantes).
Em primeiro lugar estudamos a 2ª declinação de raiz (o) por ser a mais fácil e por haver
mais palavras seguindo este padrão.

2. O género dos substantivos consta de:


a) Masculino – a[nqrwpo" = homem
b) Feminino – gunhv = mulher
c) Neutro – paidivon = criança

3. O paradigma da segunda declinação de tema (o) é lovgo". terminação o".


a) A raiz é (log); O tema é (o); as terminações funcionais são:
(o", ou, w/, on) para o singular.
(oi, wn, oi", ou") para o plural.
b) As terminações seguem os casos da declinação: N. G. D. A.

4. Artigo. O grego dispensa o artigo indefinido. Usa somente o artigo definido.


a) O artigo definido masculino segue o paradigma da segunda declinação e concorda
em género e número com o substantivo:

Caso Art. Singular Art. Plural N Sg N Pl


N oJ o oiJ os oJ lovgo" oiJ lovgoi
G tou' do tw'n dos tou' logou' tw'n lovgwn
D tw/ ao toi'" aos tw/ lovgw/ toi'" lovgoi"
A tovn o tou'" os tovn lovgon touv" lovgou"

b) O genitivo e o dativo exercem outras funções que serão estudadas noutra ocasião.
c) Ás vezes, o artigo masculino deve ser traduzido pelo feminino: oJ oijko" = a casa.

5. Denominação dos substantivos.


a) logou', Gms de lovgo" (ou genitivo masculino singular de lógos).
b) lovgoi", Dmp de lovgo" (ou dativo masculino plural de lógos).

6. Vocabulário
a) Substantivos masculinos em o", paradigma oJ lovgo".
aJmartwlov" pecador karpov" fruto uJiov" filho
ajrnov" cordeiro laov" povo u}mno" hino
didavskalo" mestre oujranov" céu fivlo" amigo
e[qno" povo, etnia ojfqalmov" olho fanov" tocha, lanterna
zh'lo" zelo, ciúme o[clo" multidão fau'lo" mau, perverso
qavnato" morte paravklhto" advogado fovbo" temor
qrovno" trono staurov" cruz corov" Coro, dança
kairov" tempo, época tuflov" cego crovno" tempo, cronolo.
Constantino Ferreira 25

b) Existem algumas palavras com terminação em (o") que são femininas. Exemplo:
hJ e[rhmo", deserto; hj oJdov", caminho, etc. para estudar mais tarde.

7. Exercícios
a) Ler Ij wavnnh" 3.16
b) Conjugar no pia e no fia: ajkouvw, blevpw
c) Declinar no singular e no plural: ajmartwlov", ajrnov", laov", oujranov"
d) Denominar o caso de tuflw'/ seguido da tradução
e) Textos do NT. Convém comparar com o português para descobrir vocabulário novo.
Mt 1.24 oJ avjggelov" kurivou
Mc 3.28 toi'" uiJoi'" tw'n ajnqrwvpwn
Lc 6.41 ejn tw/' ojfqalmw' tou' ajdelfou'
Jo 1.29 ivdj e oJ ajrnov" tou' Qeou'
Jo 9.35 pisteuvei" eij" to; uiJo;n tou' ajnqrwvpou_
At 7.26 ajdj elfoiv ejste
Rm 13.4 Qeou' diavkono" ejstivn
1 Co 1.18 oJ lovgo" gar oJ tou' staurou'
Gl 3.24 oJ novmo" paidagwgo;"
Ef 1.1 Pau'lo" ajpovstolo" cristou' Ihsou'
Fp 2.11 KURIOS IHSOUS CRISTOS
Cl 1.8 diavkono" tou' cristou'
1 Ts 1.1 Pau'lo" kaiv Silouano;" kai; Timovqeo"

f) Observar jIwavnnh" 1.1,2: Procurar os substantivos da 2ª declinação, respectivos ca-


sos e escrevê-los no caderno.
g) Traduzir em três formas: Ensinamos a palavra de Deus aos pecadores no mundo.

Katamavqete tav krina tou' argou'


Maqqaion 6.28
26 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 27

LIÇÃO 8
SEGUNDA DECLINAÇÃO, Cont.

1. Neutro. Agora estudamos a forma do neutro da segunda declinação, que é muito seme-
lhante à anterior em (o"). O neutro é, pois, muito fácil. O nominativo singular é em (on).
Como ninguém pode provar que (presente) é masculino ou feminino, o grego encontrou
uma definição no meio. Ex: dw'ron, presente; criança, paidivon, barco, ploi'on, etc.

2. Eis os artigos masculino, feminino e neutro junto dos respectivos substantivos:


M oJ lovgo" A palavra
F hJ oijkiva A casa
N to; paidivon A criança

3. Aprendamos a declinação do artigo neutro, que acompanha os substantivos neutros.


Caso Sing. Tradução Plural Tradução
N tov o a tav os as
G tou' do da tw'n dos das
D tw'/ ao à toi'" aos às
A tov o a tav os as

4. Paradigma. Como paradigma do neutro usamos uma palavra muito conhecida: biblivon.
Declinação Caso Singular Plural Tradução
2ª declinação N bibliv - on bibliv -a o livro os livros
Raiz – o G bibliv - ou bibliv - wn do livro dos livros
Subs. neutro D bibliv - w/ bibliv - oi" ao livro aos livros
em – on A bibliv - on bibliv -a o livro os livros

Nota importante: A lei gramatical exige concordância entre o sujeito e o verbo quanto
ao número. Mas existe uma excepção no caso do neutro plural. Se o sujeito for neutro
plural, o verbo pode estar no singular. Mas, se o neutro plural for objecto não há qualquer
alteração à regra. Mantém a concordância.

a) 1º Ex: tav paidiva blevpei to;n potamovn = as crianças vêem o rio.


b) 2º Ex: oij a[nqrwpoi blevpousi tav paidiva = os homens vêem as crianças.
c) Mas, às vezes um substantivo colectivo leva o verbo no plural
3º Ex: oJ o[clo" levgousin = a multidão diz.

5. Vocabulário
a[gkistron anzol provbaton ovelha
ajrnivon cordeirinho provswpon rosto, face
daimovnion demónio savbbaton sábado
davkruon lágrima shmei'on sinal
e[rgon obra sunevdrion sinédrio
eujaggevlion evangelho tevknon filho
martuvrion testemunha tevknion filhinho
28 Estudo Programado de Grego Comum

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wannh" 1.1-5
b) Conjugar: PIA de gravfw. PIA e FIA de pistevuw
c) Declinar: e[rgon, paidivon, eujaggevlion, teknon
d) Denominar com tradução: ta; bibliva, ta; paidiva, tw'n shmeivwn, tw' probatw/'
e) Traduzir: as obras N, os barcos A, dos filhos, dos sinais, ao cordeiro.
f) Textos do NT. Convém comparar com o português para descobrir vocabulário novo.

1 Tm 3.1 Pistov" oJ lovgo"


Tt 1.1 Pau'lo" dou'lo" Qeou'
Fl 16 oujkevti wJ" dou'lon ajlla; uJpevr dou'lon
Hb 4.12 zw'n ga;r oJ lovgo" tou' Qeou'
Tg 1.1 Iavkwbo" Qeou' kaiv Ij hsou' cristou' dou'lo" ta'i" dwvdhka fulai'"
1 Pd 1.1,2 Pevtro" ajpovstolo" Ij hsou' cristou'... cavri" uJmi'n kai; eijrhvnh
2 Pd 1.1 Sumew;n Pevtro" dou'lo" kai; ajpovstolo" Ij hsou' cristou'
1 Jo 2.18 Paidiva, ejscath w}ra ejstivn
1 Jo 4.8 b oJ Qeo;" ajgavph ejstivn
2 Jo 1 ejgw; ajgapw' ejn ajlhqeiva
3 Jo 1 oJ presbuvtero" Gai>w v tw/' ajgaphtw/,' on ejgw; ajgapw' ejn ajlhqeiva
Jd 1 Iouvda" Ij hsou' cristou' dou'lo", ajdelfo;" de; Ij akwvbou
Ap 1.1 Ajpokavluyi" Ijhsou' cristou'

7. Traduzir: As crianças jogam pedras para dentro do rio.


Nós vemos os sinais do Senhor e cremos.
Nós ensinamos as obras da fé.

8. Revisão

oJ nomo" dia; Mwu>sevw" ejdovqh


Ij wannh" 1.17
Constantino Ferreira 29

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
30 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 9

PRIMEIRA DECLINAÇÃO
A esta declinação pertencem todos os substantivos femininos com raiz a ou h.

1. Raiz (a
a e h). Esta declinação tem dois grupos.
a) Os substantivos femininos terminados em (a ou h), com paradigmas em:
ojikiva e grafhv
b) Os substantivos masculinos terminados em (a" ou h"), com paradigmas em:
neaniva" e profhvth".
c) O masculino é reconhecido pelo sigma final.

2. A raiz oijkiv, de oijkiva, tem o mesmo significado que oijko". Mas com a diferença que uma
é masculina e outra feminina.

3. Declinação do artigo feminino:


Caso Singular Plural Tradução
N hJ aiJ a as
G th'" tw'n da das
D th'/ ta'i" à às
A thv'n tav"; a as
Nota: Este artigo acompanha os substantivos femininos dos paradigmas oijkiva e grafhv.

4. Declinação de oijkiva com o respectivo artigo:

Declinação Caso Singular Plural Tradução


Primeira N hJ oijkiv- a aiJ oijkiv- ai a casa as casas
Raiz a G th'" oijkiv- a" tw'n oijki- w'n da casa das casas
Subs. Fem. D th' oijkiv- a/ tai'" oijkiv- ai" à casa às casas
em a A th'n oijkiv- an ta;" oijkiv- a" a casa as casas

5. Muitos substantivos fem., cuja raiz termina em vogal, seguem o paradigma oijkiv-a.
Exemplo: ajnomiva, kardiva, metavnoia, sofiva, etc.
– Mas, se a raiz terminar em (r) seguem o mesmo paradigma; notemos w}r-a e hjmevr-a,

hJ w}r- a a hora aiJ w}r- ai as horas


th'" w}r- a" da hora tw'n w}r- wn das horas
th' w}r- a/ à hora tai'" w}r- ai" às horas
th'n w}r- an a hora ta;" w}r- a" as horas

6. Substantivos femininos cuja raiz termina em consoante seguem o paradigma graf-hv.


Exemplo: ajrc-hv, eijrhvn-h, etc.
– Mas, os substantivos sigmáticos, (raiz s ou x) seguem o modelo misto de (a e h)
Como glw'ssa, dovxa. etc. Exemplos na lição 10.
Raízes e tema Paradigma Raízes e tema Paradigma
Raiz vogal, vogal temática (a) = oijki-a Raiz cons., vog. temát. (h) graf- hv
Raiz ( r ), vogal temática (a) Raiz ( s ) vog. temát (a,h) glw'ss-a
Constantino Ferreira 31

7. Vocabulário. Substantivos femininos em (a).


Convém colocar todo o vocabulário no dicionário pessoal porque precisa dele constante-
mente.
Grego Tradução Grego Tradução
ajlhvqeia verdade kardiva coração
ajmartiva pecado koinwniva comunhão
ajnomiva iniquidade marturiva testemunho
basileiva reino mavcaira espada
diakoniva diaconia metavnoia arrependimento
diasporav dispersão oJmiliva conversa
ejkklhsiva igreja, assembleia parousiva vinda
ejxousiva autoridade pevtra pedra, rocha
ejpaggeliva promessa sofiva sabedoria
eujcaristiva gratidão swthriva salvação
hJmevra dia filadelfiva amor fraternal
qerapevia cura carav alegria
quvra porta w}ra hora

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.6-8
b) Conjugar: pia e fia de luw kaiv pistevuw
c) Denominar e traduzir: lovgou, ajmartiva", diakoniva,/ eujcaristiva", metavnoian.
d) Declinar: Basileiva, ejkklhsiva, ejpaggeliva. Juntar o artigo correspondente (hJ).
e) Traduzir: a pedra, das pedras, à pedra, aos corações, ao arrependimento.

f) Textos do NT; Vocabulário: (aujtw'n = seus, deles; perisseuvsh = superabunde;


oijkodomhvsw = edificarei; ejxapostevllw = envio; )
Mt 1.21 swvsei to;n lao;n aujtou ajpo; to;n aJmartiw'n aujtw'n
Mt 22. 16 th;n oJdo;n tou' Qeou' ejn alhqeiva didavskei"
Hb 10. 17 kaiv tw'n aJmartiw'n aujtw'n kaiv tw'n anomiw'n aujtw'n
Jo 3.3 th;n basileivan tou' Qeou'
At 6.4 kai; th'/ diakoniva/ tou' logou'
Mt 16.18 kai; ejpi; taujth/ th/' pevtra/ oijkodomhvsw mou th;n ejkklhsivan
2 Co 4.15 th;n eujcaristivan perisseuvsh ei[" th;n dovxan tou' Qeou'
Lc 24.49 ejgw; ejxapostevllw th;n ejpaggelivan tou' patrov" mou
Jo 10.9 ejgwv eijmi hJ quvra:
Mt 24. 27 ou}to" e[stai hJ parousiva tou' uiJou'' tou' ajnqrwvpou:

9. Ordenar a frase em três formas gregas:


OJ presbuvtero" khruvssei th;n parousivan tou' cristou' tw/' law'./

10. Encontrar: marturivan, ejn Ij wavnnh" 1.7, 19;,; kaiv 3.11, 32, 33

11. Descobrir: em Jo 1.7 quantas vezes aparece uma forma do verbo marturevw.
32 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 33

LIÇÃO 10

PRIMEIRA DECLINAÇÃO, Cont.

1. Havemos estudado a declinação feminina de vogal (a). Nesta lição estudaremos a decli-
nação feminina de vogal (h) cujo paradigma é: grafhv.

Os paradigmas devem ser bem memorizados para reconhecer facilmente a função das pa-
lavras na frase.

a) A raiz de grafhv é graf-. Esta raiz recebe as terminações pessoais no discurso.


b) Na realidade a raiz destes substantivos termina também em vogal (a);_; o processo de
declinação funde a letra (a) com as terminações.

Declinação Caso Singular Plural Tradução


Raiz c. (a) N hJ graf- hv aiJ graf- aiv o escrito os escritos
substantivo G th'" graf- h'" tw'n graf- w'n do escrito dos escritos
feminino D th'/ graf- h'/ tai'" graf- ai'" ao escrito aos escritos
em h A th'n graf- hvn ta;" graf- av" o escrito os escritos

c) Note-se que o plural dos substantivos da 1ª declinação é igual para todos, sejam em (a
ou h). grafhv forma o plural como oikiva: oikivai - grafaiv – ai, wn, ai", a".

2. Existem alguns substantivos femininos em (a), cuja raiz termina em consoante sigma (s),
que apresentam irregularidade no nominativo e no acusativo. Neste caso, a declinação é
uma mistura dos paradigmas oikiva e grafhv.

3. Esta classe de substantivos chamam-se sigmáticos devido ao sigma da sua raiz. E o seu
paradigma é glw'ssa = língua.

Declinação Caso Singular Plural Tradução


Raiz s (a) N hJ glw'ss- a aiJ glw'ss- ai a língua as línguas
Substantivo G th'" glwvss- h" tw'n glwss- w'n da língua das línguas
feminino D th'/ glwvss- h/ tai'" glwss- ai'" à língua às línguas
em (a) A th'n glw'ss- an ta;" glwss- av" a língua as línguas

4. Existem ainda sigmáticos mistos, porque a sua raiz termina em sigma misto: (x = ks), e
seguem o paradigma glw'ssa.

Declinação Caso Singular Tradução


Raiz s (a) N hJ dov
x- a a glória
Substantivo G th'" dovx- h" da glória
feminino D th/' dovx- h/ à glória
em (a) A th'n dox- avn a glória
34 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário: Substantivos femininos em (h).


Convém colocar todo o vocabulário no dicionário pessoal porque precisa dele constante-
mente.

Grego Tradução Grego Tradução


ajgavph amor diaqhvkh Aliança, pacto
ajgkavlh braço didachv ensino
ajdelfhv irmã dikaiosuvnh justiça
ajrevth virtude eijrhvnh paz
ajrchv princípio, começo ejpistolhv carta, epístola
ajrcwn principais zwhv vida
ajstraphv relâmpago nuvmfh, nunfh noiva
aujlhv Átrio, pátio proseuchv oração
gh' terra sunagwghv sinagoga
gunhv mulher yuchv alma

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.9-11.
b) Procurar: naquele texto, quantas palavras (kosmo") existem e qual o seu caso.
c) Quantas palavras gregas para homem e qual o seu caso?
d) Quantos (kai) e (ou, ouk) existem?
e) Denominar e traduzir: (pia, fia): luvw, luvsomen, pisteuvw, pisteuvsomen, lambavnei".

7. Textos do NT
Jo 3.1 Nikovdhmo" o[noma aujtw',/ a[rcwn tw'n Ijoudaivwn.
Jo 5.42 th;n ajgavphn tou' Qeou' ouk e[cete ejn ejautoi'"
Lc 10.18 to;n satana'n wj" ajstraph;n ejk tou' oujranou' pesovnta
Jo 18.15 Ijhsou' eij" th;n aujlh;n tou' ajrxierevw"
Jo 3. 31 oJ wj;n ejk th'" gh'" ejk th'" gh'" ejstin kaiv ejk th'" gh'" lalei'.
Jo 4.7 e[rcetai gunh; ejk th'" Samareiva" ajntlh'sai u}dwr.
Mt 26.28 tou'tov gavr ejstin to; ai|ma mou th'" diaqhvkh"
At 9.2 ejpistola;" eij" Damasko;n pto;" ta;" sunagwgav"
Mt 21.32 Iwavnnh" pro;" ujma'" ejn oJdw'/ dikaiosuvnh"
Lc 2.14 kai; ejpi; gh'" eijrhvnh ejn ajnqrwvpoi" (eujdokiva")
Jo 1.4 ejn aujtw/' zwh' hj'n, kaiv hJ zwh; hj'n to; fw'" tw'n ajnqrwvpwn.
Ap 21.9 deivxw soi th;n nuvmfhn th;n gunai'ka tou' ajrnivou.
Mt 21.13 oJ oijk' ov" mou oijk' o" proseuch'" klhdhvsetai
Mt 4.23 didavskwn ejn tai'" sunagwgai'" aujtw'n kai khruvsswn to; eujaggevlion
Jo 10.11 oJ poimh;n oJ kalo;" th;n yuch;n aujtou' tivqhsin uJpe;r tw'n probavtwn

8. Traduzir: Jesus fala em parábolas da vida ao povo de Deus.


A oração é a voz da alma falando a Deus.

9. Saudação: eijrhnh tou' kurivou, ajdelfev.

10. Cantar: aJllhlouvia


> dovxa Qew/.'
Constantino Ferreira 35

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
36 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 11

PRIMEIRA DECLINAÇÃO (a" - h")

Já temos conhecimento que existem dois grupos de substantivos da primeira declinação: substan-
tivos femininos em (a - h) e substantivos masculinos em (a" - h").

1. Regra gramatical
a) Se a raiz do substantivo masculino terminar em vogal, a terminação funcional é
(a") e o seu paradigma neaniva".
b) Se a raiz do substantivo masculino terminar em consoante, a terminação funcional é
(h") e o seu paradigma profhvth".
c) Nota: Deve-se tomar o cuidado para não confundir o feminino de paradigma
oijkiva com o masculino de paradigma neaniva".
d) Enquanto o grupo do paradigma oijkiva tem o genitivo singular em (a") o grupo do
paradigma neaniva" tem o genitivo sg. em (ou). Os plurais são iguais para ambos.

Declinação Caso Singular Plural Tradução


1ª declinação N neaniv- a" neaniv- ai o jovem os jovens
Raiz v. (a) G neani- ou' neani- w'n do jovem dos jovens
Substantivo D neaniv- a/ neani- ai'" ao jovem aos jovens
masc.em (a") A neaniv- an neaniv- a" o jovem os jovens

e) Este grupo de palavras são seguidas no dicionário por este genitivo para ajudar a dis-
tingui-las. Como os outros grupos, são seguidos pelo seu próprio genitivo singular.
f) O grupo masculino é mesmo pequeno, mas é preciso aprender a sua regra.

2. Nomes próprios
Os nomes próprios masculinos em (a") seguem esta regra:
H
j liva" H
j livou H
j liva/ H
j livan

3. Quanto ao paradigma do substantivo masculino de raiz (a) terminado em consoante, te-


mos o seguinte: Por pertencer à 1ª declinação, a raiz deveria ser profhta, mas o alfa
funde-se nas vogais da respectiva declinação.

Declinação Caso Singular Plural Tradução


1ª declinação N profhvt- h" profh't- ai o profeta os profetas
Raiz c. (a) G profht- ou' profht- w'n do profeta dos profetas
Substantivo D profhvt- h/ profht- ai'" ao profeta aos profetas
masc. em (h") A profhvt- hn profhvt- a" o profeta os profetas

a) É conveniente anotar que o artigo que acompanha este grupo é masculino 2ª declina:
oJ tou' tw'/ to;n – oij tw'n toi'" tou;"
(oJ profhvth", tou' profhvtou, tw/' profhvth/, th;n profhvthn) etc.

4. Recordando a 1ª declinação (a" - h"):

Raízes e tema Paradigma Raízes e tema Paradigma


Fem. vogal + r = a > oijkiv-a Masc. vogal tema a = a" > neaniv-a"
Fem. conso. – r = h > graf-hv Masc. conso. tema a = h" > profhvt-h"
Constantino Ferreira 37

5. Vocabulário
Primeira declinação (a" - h"). O genitivo (ou) indica o género masculino singular.

Grego Tradução Grego Tradução


Hj liva", ou Elias maqhthv",ou discípulo, aluno
Hj saiva", ou Isaías margarivth", ou pérola
neaniva", ou mancebo, jovem mesivth", ou mediador
baptisthv", ou baptista poihthv", ou fazedor
eujaggelisthv", ou evangelista polivth", ou cidadão
zhlwthv" Zelote, zeloso stratiwvth", ou soldado
Ij srahlithv", ou Israelita uJphreth", ou ministro
klepthv", ou ladrão uJpokrithv", ou hipócrita
krithv", ou juiz yeuvsth", ou mentiroso

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.11-13
b) Conjugar: luvw, luvsw, e pisteuvw, pia e fia
c) Denominar: neaniva", baptistou, klevpth/, profhvthn
d) Declinar: logo", biblivon, oijkiva, grafhv, neaniva", krithv"
e) Traduzir: o mancebo, do evangelista, ao israelita, do ladrão

7. Textos do NT
Lc 4.17 kaiv ejpedovqh aujtw'/ biblivon tou' profhvtou H j sai>ov u
Mt 3.1 Ij wannh" oJ baptisth;" khruvsswn ejn th'/ ejrhmw/ th'" Ij oudavia"
At 21.8 eij" to;n oi\kon Filippou tou' eujaggelistou'
At 13.20 e[dwken kita;" e}w" Samouh;l profhvtou
Mt 10.24 oujk e[stin maqhth;" uJper to;n didavskalon
Mt 13.45 zhtou'nti kalou;" margarivta"
Hb 9.15 kaiv dia; tou'to diaqhvkh" kainh'" mesivth" ejstin
Jo 19.23 oiJ ou\n stratiw'tai o}te ejstauvrwsan to;n Ij hsou'n
Mt 23.13 oujai; uJmin, grammatei'" kai; Garisai'oi uJpokritaiv
Jo 8.44 oujk e[stin ajlhvqeia ejn aujtw' ... oJti yeuvsth" ejstin

8. Procurar
a) Quantos nomes de Jesus, Filipe e Natanael, existem em João 1.44-49
b) No verso 44, quais são os casos de André e Pedro?

hJ cavri" kai; hJ ajlhvqeia dia; Ij hsou' cristou' ejgevneto


Ij wavnnh" 1.17
38 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 39

LIÇÃO 12

ARTIGO
O artigo grego é definido. Quando está ausente da frase, o substantivo é indefinido. Embora já
conheçamos o artigo, é conveniente recapitular o estudo para firmar as regras. A sua declinação é
semelhante aos paradigmas dos respectivos substantivos, masculinos, femininos e neutros.

1. Quadro completo do artigo


Grego Tradução
Caso Masc. Fem. Neut. M. F. N. Função
N sg oJ hJ tov o a o, a Sujeito
G sg tou' th'" tou' do da do, da Relação
D sg tw'/ th/' tw/' ao à ao, à Compl. ind.
A sg tovn thvn tov o a o, a Compl. direc.

N pl oij aij tav os as os, as Sujeito


G pl tw'n tw'n tw'n dos das dos, das Relação
D pl toi'" tai'" toi'" aos às aos, às Compl. indir.
A pl touv" tav" tav os as os, as Compl. direc.

2. Irregularidade
a) A gramática grega também contém irregularidades. Esta característica dá trabalho e
requer muita atenção. Por exemplo, o artigo neutro é irregular no nominativo e no
acusativo. De acordo com o seu paradigma (biblivon) deveria ser: (tovn, tovn). Mas, de
facto é: (tov, tov) tov biblivon.
b) Não esquecer que o genitivo plural é igual em todos os géneros: tw'n.
c) O dativo é fácil reconhecê-lo devido ao iota subscrito no singular (tw/)' e iota mesmo
no plural (toi'", tai'").

3. Recordar
a) Que o artigo concorda com o seu substantivo em caso, género e número:
Ex: oJ logov" tou' Cristou' tw/' law/.'
b) Que há substantivos masculinos parecendo femininos: profhthv", maqhthv", etc.
Neste caso seguem o artigo masculino da segunda declinação: oJ profhthv".
c) Que o grego dispensa o artigo indefinido. A isenção do artigo é indefinição. Em Ate-
nas havia um altar a (um): ajgnwvstw Qew/.'
d) Que não ordena as palavras como a língua portuguesa.
Ex: O apóstolo escreve uma epístola à igreja de Deus em Corinto.
Gr: OJ ajpovstolo" gravfei ejpistolh;n th/' ejkklhsiva/ tou' Qeou' ejn Korinqw/.' ou:
Inv: ejpistolh;n th/' ejkklhsiva/ tou' Qeou' ejn Korinqw'/ gravfei oJ ajpovstolo".

4. Outros usos
a) Com nome próprio. Cada autor tem o seu estilo. Uns usam artigo, outros não. Ma-
teus e João usam-no para enfatizar a pessoa em questão: Maq. 3.13, oJ Ijhsou'" –
Ij wannh" 1.1, to;n Qeovn. Maq. 16.16, oJ Cristo;" oJ uijo" tou' Qeou'.
b) Com particípio. oJ luvwn – o soltando = aquele que está soltando.
c) Com infinitivo. to; levgein – o falar = o acto de falar.
d) Com adjectivo. oJ a}gio" – o santo = aquele que é santo.
e) Grego típico: oJ dou'lo" oJ pistov" – o servo fiel. Os dois artigos colam o adjectivo ao
substantivo dou'lo".
40 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário misto.

Grego Tradução Grego Tradução


ajgaqov" bom karpov" fruto
aijw'nio" eterno pivsti" fé
ajmnov" cordeiro pistov" fiel
devndron árvore ponhrov" mau, perverso
ejntolhv mandamento profevrw tiro
e[scato" último prw'to" primeiro
qhsaurov" tesouro fw'" luz
i[de eis fwnhv voz
kakov" mau carav gozo, alegria
kalov" Bom, belo w}ste de modo que, que

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.14-15
b) Conjugar: pia de levgw
c) Denominar: oJ, tw',/ tovn, tw'n, toi'", tou'"
d) Declinar: Fm. sg. e pl. de: hJ
e) Traduzir para neutro: o, do, ao, o; os, dos aos, os.
f) Traduzir: oJ ajgaqo;" a[nqrwpo" ejk tou' ajgaqou' qhsaurou' th'" kardiva" profevrei
to; ajgaqovn, kai; oJ ponhro;" ejk tou' ponhrou' profevrei to; ponhrovn:
(Louka" 6.45)

7. Textos do NT

Mt 7.17 devndron ajgaqo;n karpou;" kalou;"


Jo 3.15 i}na pa'" oJ pisteuvwn ejn aujtw' e[ch/ zwh;n aijwnion.
Jo 13.34 ejntolh;n kainh;n divdwmi uJmin,
Ap 1.17 ejgw eijmi oJ prw'to" kai; oJ e[scato"
Jo 1. 9 h\n to; fw'" to; ajlhqinovn, oJ fwtivzei pavnta a[nqrwpon
Mt 3.17 kai; ijdou; fwnh; ejk tw'n oujranw'n levgwnta: ou\tov" ejstin oJ ui|o"
v mou:
oJ ajgaphtov", ejn w| eujdovkhsa.
Rm 14.17 hj basileiva tou' Qeou' ejstin dikaiosuvnh kai; eijrhvnh kai; cara;
ejn pneuvmati aJgiw':/
Mc 2.28 w}ste kuvrio" ejstin oJ uiJo"; tou' ajnqrwvpou kai; tou' sabbavtou.

8. Revisão geral

i[de oJ ajmno;" tou' Qeou' oJ ai[rwn th;n aJmartivan tou' kovsmou.


Ij wavnnh" 1.29
Constantino Ferreira 41

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
42 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 13

ADJECTIVOS

Os adjectivos são auxiliares dos substantivos e concordam em género e número e caso. Em por-
tuguês dizemos: o homem fiel; etc. O adjectivo fiel está em plena concordância com homem.

1. Declinação
a) Adjectivo em m, f, e n: pistov", pisthv, pistovn
b) oJ pisto;" logov" = a palavra fiel
c) hJ pisthv grafhv = a escrita fiel
c) to; pisto;n biblivon = o livro fiel

2. Paradigmas
Os paradigmas dos adjectivos da segunda e da primeira declinações são os seguintes:
Caso Mas. Fem. Neut. Mas. Fem. Neut. Mas. Fem. Neut
N sg a}gi-o" a on mikr-ov" -av ovn pist-ov" hv ovn
G sg ou a" ou ou' -a'" ou' -ou' h'" ou'
D sg w/ a/ w/ w/ a'/ w'/ -w/' h'/ w'/
A sg on an on on avn ovn -ovn hvn ovn

N pl oi ai a oiv aiv av pist-oi aiv av


G pl wn wn wn w'n w'n w'n wn wn' w'n
D pl oi" ai" oi" oi" oi'" oi'" oi" ai'" oi'"
A pl ou" a" a ou" av av ou" av" av

3. Regra
a) O adjectivo feminino segue a mesma regra do substantivo fem. exposta na página 18:
b) Quadro auxiliar:
Feminino raiz vogal e a = ojikiva Feminino raiz consoante e h = grafhv
+ r = w}ra – r = glw'ssa

4. Variedade
a) Há adjectivos que comportam duas formas: aijwvnio", e aijwvnion, = eterno.
b) Neste caso, a forma masculina serve também para o feminino: pistov" pode servir
para: o fiel, ou, a fiel.

5. Posição
a) Atributiva. Geralmente o adjectivo vem antes do substantivo e tem função atributiva:
oJ pisto;" logo;", hJ pisth; grafh;, to; pisto;n bibli;on.
Mas, se observarmos que o adjectivo segue o substantivo, deve estar entre eles o arti-
go, que não é traduzido:
oJ logo;" oJ pisto;" = a palavra fiel
hJ grafh; hJ pisth; = a escrita fiel
to; biblivon to; pisto;n = o livro fiel

b) Predicativa. Se não existir artigo entre eles ficará: oJ logo;" pisto;" = a palavra é fiel.
Nestes casos, a forma do verbo ser é omitida e o adjectivo tem posição predicativa.
Constantino Ferreira 43

6. Adjectivos substantivados
O adjectivo pode tomar a função de substantivo se tiver antes dele o artigo:
oJ ajgaqov", oJ ajgiov", oj ponhrov" = o (homem) bom, o santo, o maligno.
a) Porém, se não houver artigo será uma frase indefinida: pisto;" dou'lo" pode signifi-
car: um servo fiel; ou, dou'lo" pistov", um servo é fiel.
b) A dúvida desaparece com a junção do verbo: dou'lo" ejstin pistov".
c) Existem também frases adjectivadas: hJ ejn tw'/ oi[kw/ guvnh = a mulher caseira.

7. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgaqov", hj, ovn bom ejtero", a, on outro (diferente)
ajgaphtov", hv, on amado qeovpneusto", hv, on inspirado
a[gio", a, on santo i[dio", a, on próprio
ajgnov", hv, on puro, limpo kainov", hv, on novo
aiJretikov", hv, on herege kalov", hv, on bom, belo
ajlhqinov", hv, on verdadeiro klhtov", hv, on chamado
aJmartwlov", hv, on pecador koinov", hv, on comum
ajpistov", hv, ovn infiel nekrov", av, on morto
divkaio", a, on justo ojligov", hv, on pequeno, pouco
ejleuvqero", a, on livre o}lo", hv, on inteiro

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.16-18
b) Conjugar: pia de ginwvskw, e fia de luvw
c) Declinar: ajgaqov", ajlhqinov", ejleuvqero", klhtov"
d) Denominar e traduzir: ajgaphtou', aijretikov", ajmartwloiv, ejleuvqeroi, klhtoi
e) Traduzir: do santo, do infiel, do novo, ao injusto, aos chamados

9. Textos do N
Lc 6.45 oJ ajgaqo;" a[nqrwpo" ejk tou' ajgaqou' thsaurou' tuh'" kardia" proferei...
1 Jo 4.7 A
j gaphtoi ajgapw'men ajllhvlou", oJti hJ ajgavph ejk tou' qeou' estin
Jo 1.33 ou|to" ejstin oJ baptivzwn ejn pneumati ajgivw/
1 Jo 5.20 Ij hsou' Cristou', ou|to" ejstin oJ ajlhqino;" qeo;" kai; zwh; aijwvnio".
Jo 20.27 kai; mh; ginou ajpisto" ajlla; pistov".
Rm 1.17 oJ de; divkaio" ejk pivstew" zhvsetai.
Gl 4.26 hj de; a[nw Ij erousalh;m ejleuqevra ejstin,
Mt 25.21 Eu\ dou'le ajgaqe kai; pistev,v ejpi; ojlivga h\" pistov", ejpi; pollw'n se katasthsw:
Jo 10.14 ejgwv eijmi oJ poimh;n oJ kalov", kai; ginwvskw (ta; probavta mou')
Jo 4.53 O J J uiJo"
v sou zh',/ kai; ejpisteusen aujto;" kai; hJ oijkiva o}lh.

E
j gwv eijmi oJ poimh;n oJ kalov". oJ poimh;n oJ kalo;" th;n yuch;n aujtou'
tivqhsin uJpe;r tw'n probavtw'n. Ij wavnnh" 10.11
44 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 45

LIÇÃO 14
PREPOSIÇÕES
Como o nome indica, preposições são palavras antepostas a substantivos. Geralmente, elas ex-
pressam a relação entre dois substantivos. Ex: a capa está no quarto. A preposição (em) com o
artigo (o) relaciona a capa com o quarto.

1. Função. As preposições têm especialmente três funções distintas: direcção, localização e


relação. Os pequenos algarismos à direita significam o caso do substantivo.
a) Primeira série:
Umas expressam direcção: e[rcomai pro;" to;n oijkovn = vou para a casa (4)
e[rcomai eij" to;n oijkovn = vou para dentro (4)
Outras indicam localização: ejgw; eijmiv ejn tw'/ oijkw/' = estou na casa (3)
E, ainda outras, relação: ejk tou' oijkou' = saio da casa (2)
ajpo; tou' oijkou' = parto da casa (2)

Diagrama:

pro;", eij", ejn ejk, ajpo;

b) Segunda série:

Diagrama: ejpi ajna; to;n oijkovn = para cima


ejpi to;n oijkovn = em cima
su;n soiv = contigo
suvn kata; kata;
kata tou' oijkou' = para baixo
ajnav ujpo; to;n oijkovn = debaixo, sob

ujpov

Terceira série:

Diagrama: uJpevr
diav diav = através
metav = entre
periv parav parav = ao lado
periv = à volta
ujpevr = sobre

metav

c) Quarta série:

ajmfiv = ambos os lados ojpivsw = após


ajntiv = oposto, em lugar de prov = diante, antes

Nota: O apêndice contém uma figura de preposições com os respectivos casos.


46 Estudo Programado de Grego Comum

2. Frases preposicionais.
a) Servindo de adjectivo atributivo: oJ ejn oi[kw/' a[nqrwpo", ou, oJ ejn tw'/ oi[kw',/
b) Servindo de adjectivo substantivado: oJ ejn oi[kw'./
c) A tradução seria: o homem que está na casa.
d) O sentido real da preposição deve ser encontrado no melhor sentido indicado pelo
contexto.

3. A elisão.
Já estudámos que o apóstrofo serve para elidir duas vogais de que segue o exemplo:
a) Preposição e pronome: dia; aujtou' = di!aujtou' ; ajpo; aujtou' = ajp!aujtou'.
ejk aujtou' = ex aujtou ; kata; uma'" = kaq!ujma'"
c) Preposição e verbo: ajna baivnw = ajnabaivnw ; parav e[cw = parevcw

4. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajnabaivnw subo ejpiqumevw desejo, quero
ajnablevpw vejo (novamente) katabaivnw desço
ajnaginwvskw leio katamanqavnw aprendo, reparo
ajpostevllw envio metabaivnw saio de entre
eijsavgw introduzo metanoevw arrependo
eijsevrcomai entro parakalevw rogo, exorto
ejkbavllw lanço fora peripatevw ando
ejklevgomai escolho peritevmnw circuncido
ejnduvw visto (vestir) uJpakouvw obedeço

5. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.19,20
b) Conjugar: pia de ajpostevllw, ejkbavllw, ujpakouvw
c) Denominar: pistov", apistou', pisth',/
d) Declinar: ajmartwlov" (m, f, n)
e) Descobrir: em Ij wavnnh" 1.6,7 as preposições e seus casos.
f) Traduzir: oJ ajmartwlov" a[nqrwpo", oJ ajnqrwpo" ajmartwlov",
oJ ajnqrwpo" oJ ajmartwlov".

6. Textos do NT
Jo 20.17 ajnabaivnw pro;" to;n patevra mou kai; patevra uJmw'n
Mt 11.4,5 (a}) akouvete kai; blevpete: tufloi; ajnablevpousin
Ap 1.3 makavrio" oJ ajnaginwvskwn kai; oiJ ajkouvonte"
Mt 10.16 ejgw; ajpostevllw uJma'" w'" provbata ejn mevsw/ luvkwn
Lc 11.20 ejn daktuvlw Qeou' ejkbavllw ta; daimovnia
1 Tm 3.1 pisto;" oJ lovgo": ei[ ti" ejpiskoph'" ojregetai, kalou' e[rgou ejpiqumei'.
Mc 1.15 metanoei'te kai; pisteuvete ejn tw/' eujaggeliw'./
Fp 4.2 Eujodian parakalw' kai; Suntuvchn parakalw' to; aujto fronei'n ejn kurivw/
2 Co 5.7 dia; pivstew" ga;r peripatou'men
Mt 8.27 kai; oij a[nemoi kai; hJ qavlassa aujtw/' ujpakouvousin. (a[nemoi = ventos)

7. Memorizar. oujk e[stin maqhth;" uJper to;n didavskalon. Maq 10.24


Constantino Ferreira 47

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
48 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 15

PRONOMES PESSOAIS

Pronomes são pequenas palavras que servem em lugar de nomes, ou substantivos. Começamos
pelos pronomes pessoais. Quando digo: ejgw; blevpw, substituo o meu nome. Ou, se disser:
suv blevpei" to;n a[nqrwpo", substituo o teu nome. Ou, ejgw; blevpw to;n o[non kai; luvw aujtovn.

1. Pronomes pessoais.
ejgwv suv aujtov" hjmei'" uJmei'" aujtoiv
eu tu ele nós vós eles

2. Concordância. O pronome concorda em género e número com o seu antecedente. O


nome substituído pelo pronome chama-se antecedente.
a) Na frase escrita acima: ejgw blevpw to;n o[non kai; luvw aujto;n. o[non foi substituída
por aujto;n, e concordam em género e número.

b) O pronome simplifica a frase evitando a repetição de nomes e substantivos.


ajpovstolo" blevpei ajmartwlo;n kai; khruvssei aujtw'/ to; khvrugma tou' staurou'.
oJ diavbolo" diabavllei to;n a[nqrwpon, ajlla Ij hsou'" luvsei aujtw/.'

3. Declinação. Os pronomes podem exercer várias funções na frase: sujeito, complemento


directo e complemento indirecto. Por isso, todos eles estão sujeitos a declinação. Obede-
cem aos quatro casos típicos da coinê. Convém usar a mnemónica das notas.
Pes. Caso Grego Tradução Pes. Caso Grego Tradução
Ns ejgwv eu Np hJm
J ei'" nós
1ª Gs meu, de mim Gp nosso, de nós
ejmou', mou hJmw'n

Ds e[moiv, moi a mim Dp hJmi'n a nós
As ejmev, me mim Ap hJma'" nós
Nota: m semelhante a m h semelhante a n
Ns suv tu Np uJmei'" vós
2ª Gs sou', sou teu, de ti 2ª Gp uJmw'n vosso, de vós
Ds soiv, soi a ti Dp uJmi'n a vós
As sev, se ti Ap uJma'" vós
Nota: su semelhante a tu u semelhante a v
Ns aujtov" ele Np aujtoiv eles
3ª Gs aujtou' dele 3ª Gp aujtw'n deles
Ds aujtw/' a ele Dp aujtoi'" a eles
As aujtovn ele Ap aujtouv" eles

4. Declinação da 3ª pessoa.
A terceira pessoa também tem feminino e neutro.
Cs Masculino Feminino Neutro
N aujtov" aujtoiv aujthv aujtaiv aujtov aujtav
G aujtou' aujtw'n aujth'" aujtw'n aujtou' aujtw'n
D aujtw/' aujtoi'" aujth/' aujtai'" aujtw/' aujtoi'"
A aujtovn aujtouv" aujthvn aujtav" aujtov aujtav
Constantino Ferreira 49

5. O nominativo. O nominativo do pronome pessoal não é muito usado em virtude de o


verbo já conter a terminação pessoal, embora apareça às vezes para enfatizar o sujeito.
a) khrussomen aujtoi'" to;n logon tou' staurou'. (o nominativo do sujeito está isento).
b) ejgw; levgw, su; de; gravfei". su; gravfei", oujto" de; ajnaginwvskei. (aqui há ênfase).

6. Nota.
a) As formas da primeira pessoa do singular: ejmou', e[moiv, ejmev, são usadas somente após
preposições e para enfatizar a pessoa.
b) O genitivo do pronome tem a função de pronome possessivo.

7. Merecem atenção especial as palavras seguintes por se referirem a pessoas mencionadas


e terem a função de pronomes:
M o}de = oJ de ele, este (aqui) oJ men outro
F h}de = hJ de ela, esta oiJ me;n uns...outros
N tovde = tov de este oiJ de uns...outros

A sua declinação segue a do artigo mais de: o}de, tou'de, tw/d' e, tovnde, etc.

Exemplos:
a) oiJ de; ei\pan aujtw',/ (e eles disseram-lhe) Lc 22.9
b) oJ de; ei\pen aujtoi'", ( e ele disse-lhes) Lc 22.10
c) kai; th'd/ e h\n ajdelfh; ( e era (tinha) esta uma irmã) Lc 10.39
d) tavde levgei to; pne'uma to; aJ}gion. (e isto (estas) disse o Espírito santo) Ac 21.11

8. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.21,22
b) Conjugar: pia de luvw
c) Denominar: logov", grafhv, biblion, ejgwv, soiv, aujthv
d) Traduzir: kai; au}th ejstivn hJ marturiva tou' Ij wavnnou,

9. Textos do NT
Jo 17.22 ejgw; ejn au;toi'" kai; su; ejn ejmoiv.
Gl 4.21 levgete moi, oiJ uJpo; novmon qevlonte" ei\nai,
Jo 9.34 su; didavskei" hJma'"_
Mt 12.50 aujto;" ajdelfov" mou
Hb 5.5 uiJo" mou ei\ suv.
At 16.31 oiJ de; ei\pan, pivsteuson ejpi; kuvrion Ij hsou'n, kai; swqhvsh/ su; kai; oJ oi\kov" su.
Ap 2.2 oi\da ta; e[rga sou
2 Co 3.2 hJ ejpistolh; hJmw'n uJmei'" ejste
Mt 12.50 aujtov" mou ajdelfo;" kai; ajdelfh; kai; mhvthr ejstin.
Ac 2.39 uJmin gavr ejstin hJ ejpaggeliva kai; toi'" teknoi" uJmw'n
1Co 3.21,22 pavnta ga;r uJmw'n ejstin,...pavnta uJmw'n, uJmei'" de; Cristou', Cristo;" de; Qeou'.
Jo 20.16 levgei aujth'/ Ij hsou'", mariavm.

10. Copiar para o caderno e traduzir: João 14.6


E
j gwv eijmi hJ oJdo;" kai; hJ ajlhvqeia kai; hJ zwhv:
oujdei;" e[rcetai pro;" to;n patevra eij mh; di! ejmou'.

pivsti", ejlpi" kai; ajgavph


50 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 51

LIÇÃO 16
PRONOMES DEMONSTRATIVOS

Os demonstrativos são pequenas palavras que substituem os substantivos. E apontam para al-
guém ou alguma coisa como estando perto ou afastado de nós: Ex: Este é bom, aquele é melhor.

1. O grego coinê somente comporta dois pronomes demonstrativos.


ou|to" = este; e ejkei'no" = esse, aquele, aquilo. A sua declinação segue o paradigma do
artigo: oJ, hJ, tov.
a) ou|to" ejstin oJ uJiov" mou oJ ajgaphtov", Maq 3.17
b) oujk h\n ejkei'no" to; fw'", Ij wan 1.8

Caso Sg – Masculino – Pl Sg – Feminino – Pl Sg – Neutro – Pl


N ou|to" ou|toi au}th au|tai tou'to tau'ta
G touvtou touvtwn tauvth" touvtwn tou'tou tou'twn
D touvtw/' touvtoi" tauvth/ tauvtai" tou'tw/ touvtoi"
A tou'ton touvtou" tauvthn tauvta" tou'to tau'ta

a) Note-se que a primeira letra do caso do demonstrativo é igual à do artigo.


Ex: oJ - ou|to"_ tou' - touvtou_ hJ - au|th_ th" - tauvth"_ tov - tou'to_ ta - tau'ta.
b) No masculino tem (o) na terminação, enquanto no feminino tem (h ou a).

2. Diagrama de ejkei'no" – esse, aquele, aquilo (existem 244)


Caso Sg – Masculino – Pl Sg – Feminino – Pl Sg – Neutro – Pl
N ejkei'no" ejkei'noi ejkeinh ejkei'nai ejkei'no ejkei'na
G ejkeivnou ejkeivnwn ejkeivnh" ejkeivnwn ejkeivnou ejkeivnwn
D ejkeivnw/ ejkeivnoi" ejkeivnh/ ejkeivnai" ejkeivnw/ ejkeivnoi"
A ejkei'non ejkeivnou" ejkeivnhn ejkeivna" ejkei'no ejkei'na

a) Os demonstrativos são usados como pronomes e adjectivos e, neste caso, recebem a


designação de adjectivos pronominais:
(1) Adj. pron: ou|to" h\n ejn ajrch/' pro;" to;n qeovn. Ij wan 1.2
(2) Adj. pron: ejkeivno" de; e[legen peri; tou' naou' tou' swvmato" aujtou'. Ij wan 2.21

3. Notar a diferença: a[llo", h, o – significa um, um outro; (existem 155)


o}lo", h, on, – significa inteiro; (existem 108).
a) a[llo" ejsti;n oJ speivrwn kai; a[llo" oJ qerivzwn. Ij wan 4.37
b) kai; perih'gen ejn o}lh/ th'/ Galilaiva didavskwn... Maq 4.23

4. Pronome recíproco. ajllhvlwn deriva de a[llo" e somente é usado em genitivo, dativo e


acusativo (G,D,A). (existem 243)
G Relação, posse ajllhvlwn uns dos outros
D Compl. indirecto ajllhvloi" uns aos outros
A Compl. directo ajllhvlou" uns (aos) outros

a) dovxan para; ajllhvlwn lambavnonte", Ij wan 5.44 – G


b) maqhtaiv ejste eja;n ajgavphn e[chte ejn ajllhvloi". Ij wan 13.35 – D
c) ejntolh;n kainh;n divdwmi uJmin, i}na ajgapa'te ajllhlou". Ij wan 13.34 – A
52 Estudo Programado de Grego Comum

5. Vocabulário (pequenas partículas muito úteis)


Grego Tradução Grego Tradução Grego Tradução
aijma sangue ejavn se (enfática) o[ti que, porque
ajllav mas (enfático) e}tero" outro (difer) oujde; nem
a[llo" outro (igual) qelhvma vontade ouj, oujk, oujc não
ajndrov" varão, homem iJna para que ou\n pois
gavr porque, pois metav com, entre ou}tw" assim
gennavw gerar men...dev e pevmpw enviar
dev mas o}lo" inteiro sarx carne
eij, se (conj) o}te quando tiv"_ quem?

a) Notar a diferença entre: ajllav, mas; a[llo", outro; o}lo", inteiro.


b) Lembrar que as conjunções gavr e dev são pós-positivas. Aparecem após a palavra que
normalmente deveriam preceder: ou}tw" gavr hjgavphsen oJ qeo;" to;n kovsmon. Jo.3.16
c) Também é preciso distinguir a conjunção ( eij ) de ( ei\ ) 2ª ps de eijmiv).

6. Exercícios
a) leitura: Ij wavnnh" 1.23,24
b) Conjugação: pia de luvw e de pisteuvw
c) Declinação: ou|to" e de ejkei'no"
d) Denominação: neaniva", neanivou, profhvth", ptofhth'/
e) Tradução: oujtw" ga;r hjgavphsen oJ qeo;" to;n kosmon, ejgw ajgavpw to;n qeo;n.

7. Textos do NT
Jo 1.8 oujk h\n ejkei'no" to, fw'", a j lla! i}na marturhvsh/ peri, tou' fw'".
Jo 1.13 oujk ejx aijmavtwn oujde; ej
k qelhv mato" sarko;" oujde; qelhvmato" ajndro;"...
Jo 1.13 ajll! ejk qeou' ejgennhvqhsan.
Jo 1.14 kai; oJ lovgo" sarx ejgevneto kai; ejskhvnwsen ejn hJmi'n,
Jo 1.17 o}ti oJ novmo" dia; Mwu>sevw" ejdovqh, hJ cavri" kai; hJ ajlhvqeia dia; Ij hsou' Cristou'
Jo 1.19 kai; au}th ejsti;n hJ marturi;a tou' Ij wavnnou, o}te ajpevsteilan (pro;" aujto;n)
Jo 1.19,20 Su; tiv" ei\_ ... E
j gw; oujk eijmi; oJ Cristov".
Jo 1.21 Su; Hliva" ei\_ kai; levgei, oujk eijmiv.
Jo 1.25 Tiv ou\n baptivzei" su; oujk ei\ oJ Cristo;" oujde; H j lia" oujde oJ profhvth"_
Jo 1. 33 ajll! oJ pevmya" me baptivzein ejn u}dati ejkei'no" moi ei}pen,

8. Revisão

O papiro Rylands, em grego, é um fragmento do Evangelho de João


da primeira metade do século II depois de Cristo.

( In, Robert H. Gundry, Panorama do Novo Testamento, Edições Vida Nova, 1978, S. Paulo).
Constantino Ferreira 53

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
54 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 17
VOZ PASSIVA
Como já sabemos, o verbo tem três dimensões que abrangem: tempo, modo, voz. Havemos tra-
tado um pouco sobre tempo presente, modo indicativo e voz activa. Chegámos à voz passiva. A
média não traz dificuldade porque é igual na forma. Podemos chamar-lhe média-passiva.

1. Passiva
a) Na voz activa o sujeito pratica a acção: solto o burro: luvw to;n o[non.
b) Na voz passiva o sujeito sofre a acção praticada por outra pessoa: o burro é solto pelo
apóstolo: oJ o[no" luevtai uJpo; tou' ajpovstolou.
c) A preposição (uJpo)v é seguida por acusativo e significa (por).

2. Paradigma
a) Já sabemos que o presente grego é progressivo. luvomai= soltar, desatar, livrar, etc.
Pess. Grego Tradução
1ª sg luv - o - mai estou sendo solto
2ª sg luv - h/ (esai, eai, hi, h/
) estás sendo solto
3ª sg luv - e - tai está sendo solto
1ª pl luv - o - meqa estamos sendo soltos
2ª pl luv - e - sqe estais sendo soltos
3ª pl luv - o - ntai estão sendo soltos

3. Vogal auxiliar
a) no singular é: (o - h - e) – (na 2ª ps. sg. houve contracção de esai para h/)
b) e no plural é: (o - e - o)
c) (o) aparece antes de (m, n). (e) aparece antes de (t, s)

4. Terminações pessoais
a) no singular é: mai, h/, tai
b) no plural é: meqa, sqe, ntai

5. Dativo instrumental
a) Se o agente da acção for uma pessoa, é usada a preposição (uJpov) com genitivo:
Ij hsou" baptizetai uJpo; tou' Ij wannou.
b) Mas se o agente for impessoal, é usado o dativo instrumental (ejn, w/)
(1) Ij hsou" baptizetai uJpo; tou' Ij wannou ejn u}dati.
(2) oJ pai" iaetai uJpo; Ij hsou" tw'/ lovgw/. (Maq 8.8).

6. A voz média
A média não traz dificuldade porque é igual à passiva. Mas tem sentido reflexivo. Só
pode ser reconhecida pelo contexto e tem de haver muita atenção nestes casos.
a) luvomai = eu solto-me; louvomai = eu lavo-me. ( Notar a diferença dos verbos).
b) Na voz activa é: luvw, louvw = soltar, lavar.

7. Concluindo
a) na voz activa, o sujeito está agindo: ejklevgw to;n Criston...
b) na voz passiva, o sujeito está sofrendo a acção: ejklevgomai uJpo; tou' Cristou...
c) na voz média o sujeito está agindo para si mesmo: ejklevgomai to;n Cristo;n...
d) como vemos, a diferença é reconhecida pelos casos existentes na frase: ( G, A).
Constantino Ferreira 55

8. Tradução. Pode ser directa: louomai = lavo-me; ou indirecta: lavo (algo) para mim.

9. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgorav - a;" - hJ mercado, praça ejkj lektov" eleito
ajgoravzw compro ejklevgw escolho, elejo
ajgoravzomai compro para mim ejklevgomai escolho para mim
ajgrov" campo ejklevgomai estou sendo escolhido
a[rcw governo ejnduvw visto
a[rcomai começo ejnduvomai visto-me
eujaggelivzw evangelizo aijscuvnh vergonha
eujaggelizomai estou sendo evangelizado ejpaiscuvnomai envergonho-me
ejgeivrw levanto krivnw julgo
ejgeivromai estou sendo levantado krivnomai estou sendo julgado
swvzw salvo pwlevw vender
swvzomai estou sendo salvo pavnta o}sa tudo quanto

10. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.25,26
b) Conjugar: pia de levgw, e pim de ejklevgomai
c) Denominar: ajgorazovmeqa, bavllesqe, ejpaiscuvnontai.
d) Declinar: oujto", ejkeivno".
e) Traduzir: eu visto, ele veste-se, eu envergonho-me, eu compro, compro para mim.

11. Textos do NT
Mt 13.44 pwlei' pavnta o}sa e[cei kai; ajgoravzei to;n ajgro;n ejkei'non
Mt 11.5 kai; nekroi; ejgeivrontai kai; ptwcoi; eujaggelivzontai:
1 Co 15.2 di! ou| kai; swvz/ esqe,
1 Pd 4.18 kai; eij oJ divkaio" movli" swvzetai,...
Ap 17.14 kai; oiJ met! aujtou' klhtoi; kai; ejklektoi; kai; pistoiv.
Ef 4.24 kai; ejnduvsasqai to;n kaino;n a[nqrwpon...
Rm 1.16 ouj ga;r ejpaiscuvnomai to; eujaggevlion
Mt 7.2 ejn w| ga;r krivmati krivnete kriqhvsesqe
Jo 3.18 oJ pisteuvwn eij" aujto;n ouj krivnetai:
1 Co 6.6 ajlla; ajdelfo;" meta, ajdelfou' krivnetai, kai; tou'to ejpi; ajpivstwn_
1 Co 11.32 krinovmenoi de uJpo; (tou') kurivou paideuovmeqa,...

12. Traduzir
a) O apóstolo Pedro está sendo solto pelo anjo por uma palavra.
b) Eu estou vestindo a armadura de Deus. (armadura = panopliva)

Mh; fobou', dugavthr Siwvn:


ijdou; oJ basileuv" sou e[rcetai,
kaqhvmeno" ejpi; pw'lon o[nou.
Ij wavnnh" 12.15
56 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 57

LIÇÃO 18

VERBOS IRREGULARES
E DEFECTIVOS
Estes verbos, como o seu nome indica, são irregulares na sua forma. Não seguem a regra normal,
são defeituosos na sua formação, têm temas distintos para cada tempo. Estes verbos trazem mais
dificuldade, mas não são impossíveis de reconhecer. Eles usam a voz média-passiva para expri-
mir a voz activa.

1. Verbos defectivos
a) Usam a voz média-passiva para exprimir a voz activa
ejrcomai tem forma média-passiva, mas a sua expressão é activa: eu vou, eu venho.
ejrgavzomai, da mesma forma, tem expressão activa: eu trabalho.
b) Alguns verbos defectivos usam a forma activa no presente e a média-passiva no futu-
ro: baivnw, bhvsomai: eu vou, eu irei. Neste caso, observa-se a contracção de (ai) em
(h) para formar o futuro.
c) Eis alguns exemplos:
Pres. Grego Tradução Fut. Grego Tradução
baivnw Eu vou bhvsomai Eu irei
ginwvskw Eu conheço gnwsomai Eu conhecerei
eijmiv Eu sou e[somai Eu serei
lambavnw Eu recebo lhvmyomai Eu receberei

2. Declinação 3ª
A terceira declinação também traz algumas dificuldades. Mas ninguém deve desanimar.
Há sempre uma solução mnemónica para aprender. Três exemplos muito úteis:
Declinação Caso Masc sg Masc. pl Tradução sg
N oJ swthvr - e" o salvador
Terceira, masc. G tou' swth'r - o" wn do salvador
Raiz consoante D tw'/ swth'r - i si (n) ao salvador
A to;n swth'r - a a" o salvador

Declinação Caso Neutro sg Neutro pl Tradução


N to; pneu'ma - ta o (s) espírito (s)
Terceira, neut. G tou' pneuvmat - o" wn do (s) espírito (s)
Raiz consoante D tw'/ pneuvmat - i si (n) ao (s) espírito (s)
A to; pneu'ma - ta o (s) espírito (s)

Declinação Caso Fem. sg Fem. pl Tradução


N hJ nuvx > kt-e" a (s) noite (s)
Terceira, Fem. G th'" nukt - ov" -wn da (s) noite (s)
Raiz consoante D th'/ nukt - iv > -xi (n) à (s) noite (s)
A thvn nuvkt - a -a" a (s) noite (s)

Nota: o (x) do Ns trnsforma-se em (kt) no plural. E o (kt) do Ds transforma-se em


(x) no plural. Para juntar o (s) o plural perde o (t) e (k+s) resulta em (x).
58 Estudo Programado de Grego Comum

3. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajpokrivnomai respondo ijdouv eis
ajspavzomai saúdo klevpth" ladrão
a[cri até paideuvw instruo
baivnw, bhsomai vou, irei paideuomai sou instruído
bouvlomai quero pneu'ma espírito
givnetai acontece pneuvmata espíritos
givnomai (661) sou, estou, torno-me poreuvomai (153) vou, venho
devcomai recebo ejkporeuvomai saio
duvnamai (209) posso tacuv depressa
ejgevneto aconteceu fobevomai temo
ejkbavllein expulsar wJ" como

4. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 1.27,28
b) Copiar: para o caderno a frase onde se encontra o verbo defectivo no verso 46.
c) Conjugar: pia, ajspazomai, bouvlomai, paideuvomai
d) Denominar: swthvr, swth'ri, pneuvmato", pneuvmati
e) Traduzir: eu saio, tu sais, ele sai, nós saímos, vós saís, eles saem

5. Textos do NT
Lc 2.10 Mh; fobei'sqe, ijdou; ga;r eujaggelivzomai uJmi'n cara;n megavlhn
Mc 15.4 oujk ajpokrivnh/ oujdevn_
Co 4.14 ajspavzetai uJma'" Louka'" oJ ijatro;" oJ ajgaphto;" kai; Dhma'".
Ap 2.10 givnou pisto;" a[cri qanavtou, kai, dwvsw soi to;n stevfanon th'" zwh'".
Ap 16.15 ijdou' e[rcomai wJ" klevpth"
Mc 1.11 fwnh' ejgevneto ejk tou' oujranou'
Lc 8.13 meta; cara'" devcontai to;n lovgon
Mc 3.23 pw'" duvnatai Satana'" Satana'" ejkbavllein_
1 Co 11.32 uJpo; tou' kurivou paideuovmeqa
Rm 15.25 nuni; de; poreuvomai eij" Ij erousalh;m
Jo 13.27 o} poiei'" poivhson tavcion.
Ap 22.20 Naiv, e[rcomai tacuv. A j mhvn, e[rcou, kuvrie Ij hsou'.

Selo cristão primitivo

(In, Scot, Benjamin, As Catacumbas de Roma, 1923, Porto)


Constantino Ferreira 59

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
60 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 19

VERBOS COMPOSTOS

Os verbos compostos, como o nome indica, são formados por um verbo simples e uma preposi-
ção, a qual altera o sentido do verbo original. Existem duas formas de ligação da preposição ao
verbo: A preposição após o verbo: vou para. E afixada como em português: sub-trair, per-noitar.

1. Preposição afixada
a) a[gw, guio, é ligado a (sun) e fica sunavgw, reuno.
b) bavllw, jogo, é ligado a (ejk) e fica ejkbavllw, jogo para fora.
c) poreuvomai, vou, venho, é ligado a (ejk) e fica ejkporeuvomai, saio, vou para fora.
d) ejrcomai, vou, venho, é ligado a (ejx) e fica ejxevrcomai, saio, vou para fora.

2. Influência e significado
a) Significado cumulativo: o verbo recebe o significado de ambas as partes:
bavllw jogo ejkbavllw jogo para fora
b) Significado intensivo: o verbo é intensificado pela preposição:
ejsqivw, como katesqivw devoro
c) Significado modificado: o verbo é alterado pela preposição:
ginwvskw conheço ajnaginwvskw leio (em voz alta)
d) O verbo é que domina no sentido da frase, não a preposição.

3. Modificações fonéticas
a) Se o verbo começa em vogal e a preposição termina em vogal, esta desaparece:
ajnav + a[gw = ajnavgw levo para cima
diav + e[rcomai = dievrcomai atravesso
b) Mas, periv e prov conservam a última vogal:
periv+ e[rcomai = perievrcomai rodeio (a casa)
prov + e[rcomai = proercomai aproximo-me
c) Antes de vogal, a preposição (ek) muda para (ex).
ejk + ajgoravzw = ejxagoravzw redimo
ejk + e[rcomai = ejxevrcomai saio (para fora)

4. Verbos exigem caso


Uns exigem que o seu complemento esteja no genitivo, ou acusativo, outros no dativo.
a) Com G: ajnaginwvskw tou bibliou tou' profhvtou Ij sai>ov u
b) Com A: dievrcomai to;n potamo;n u}dato" zwh'"
c) Com D: ujp!akouvw tw'/ kuriw/'

5. Afixação
ajnav ijsthmi = ajnisthmi = levanto-me, ressuscito
ajpov stevllw = ajpostevllw = envio
diav bavllw = diabavllw = acuso
eijs ajgw = eijsavgw = introduzo, levo para dentro
ejk levgomai = ejklevgomai = escolho
ejn ajrcomai = ejnarcomai = começo em
katav krivnw = katakrivnw = condeno
provs fevrw = pros fevrw = ofereço
suvn staurovw = sunstaurovw = crucifico com
uJpevr bavllw = uJper bavllw = excedo, abundo
Constantino Ferreira 61

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajnivsthmi levanto-me luvko" lobo
ajnasthvsetai ressuscitará oijkoumevnh mundo (habitantes)
ajpokrivnomai respondo ou\n pois
ajpokteivnw mato o}tan quando
ajpokteinou'sin matarão oijkoumevnh mundo
dw'rovn dom, oferta oujranov" céu
ejrwtavw rogo pavlin de novo
ejperwtavw pergunto peirasmov" provação, tentação
eijsavgw introduzo peristerav pomba
eijsagavgh introduz (conjuntivo) prosfevrw ofereço
hJmevra dia prwtovtoko" primogénito
qusiasthvrion altar trei'" três
katabaivnw desço ujpomevnw suporto

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 2.1,2
b) Conjugar: ejisavgw, ajpokrinomai, katabaivnw
c) Denominar: peristerav, oujranov", oijkoumevnh, dwrovn
d) Traduzir: oJ dia;bolo" diabavllei tou" uJio;i tou' Qeou'

8. Textos do NT
Hb 1.6 o}tan de; pavlin eijsagavgh/ to;n prwtovtokon eij" th;n oijkoumevnhn, lejgei,
Lc 2.7 kai; e[teken to;n uJio;n aujth'" to;n prwtovtokon:
Mc 10.34 kai; ajpoktenou'sin, kai; meta; trei'" hJmevra" ajnasthvsetai.
Jo 1.32 to; pneu'ma katabai'non wj" peristera;n ejx oujranou',
Mc 15.4 oJ de; Pila'to" pavlin ejphrwta aujto;n levgwn, oujk ajpokrivnh/ oujdevn_
Mt 5.23 eja;n ou\n prosfevrh/" to; dw'rovn sou ejpi; to; qusiasthvrion
Jo 18.22 ou}tw" ajpokrivnh/ tw'/ ajrcierei'_
Mt 10.16 ijdou; ejgw; ajpostevllw uJma'" wJ" provbata ejn mevsw/ luvkwn:
Tg 1.12 makavrio" oJ a[nqrwpo" o}" ujpomevnei peirasmovn
Mt 12.28 ejn pneuvmati Qeou' ejgw; ejkbavllw ta; daimovnia
Jo 20.17 ajnabaivnw pro;" to;n patevra mou kai; patevra uJmw'n kai; Qeovn mou kai;
Qeo;n uJmw'n.

9. Revisão

E
j lpiv", a[gkura th'" yuch'" hmw'n
(Ej braio" 6.19)

(In, Scott, Benjamin, As Catacumbas de Roma, 1923, Porto)


62 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 63

LIÇÃO 20

COMPONENTES DO VERBO

Já sabemos que existem duas conjugações que servem de modelo para todos os verbos. A pri-
meira é a conjugação terminada em (w), cujo paradigma (luvw) é seguido pela maioria dos ver-
bos. A segunda termina em (mi), paradigma divdwmi, com poucos seguidores. É de extrema im-
portância compreender a formação do verbo para facilmente procurar o seu significado nos dici-
onários.

1. Dimensões do verbo
a) Os verbos têm três dimensões denominadas: tempo, modo, voz.
1. O tempo tem três dimensões: presente, futuro e passado.
2. O modo tem três dimensões: indicativo, conjuntivo e imperativo.
3. A voz tem três dimensões: activa, média e passiva.
b) Os tempos dividem-se em primários e secundários.
1. Os tempos primários são: presente, futuro e perfeito
2. Os tempos secundários são: imperfeito, aoristo e mais-que-perfeito

2. Tempos primários
Presente Futuro Perfeito
Tempo luvw luvsw levluka
Desligo Desligarei Tenho desligado

Indicativo Conjuntivo Imperativo


Modo Realidade Dúvida Ordem
Desligo mesmo Que eu desligue Desligue mesmo

Activa Média Passiva


Voz Praticando a acção Beneficiando da acção Sofrendo a acção
Estou desligando Desligo para mim Estou sendo desligado

3. Quadro auxiliar
Pres. Ind. Act. Fut. Ind. Act. Pres. Ind. Méd. Pres. Ind. Pas. Perf. Ind. Act.
luv - w luv - s - w luv - omai luv - omai le - luv - ka
luv - ei" luv - s - ei" luv - h/ luv - h/ le - luv - ka"
luv - ei luv - s - ei luv - etai luv - etai le - luv - ke
luv - omen luv - s - omen lu - ovmeqa lu - ovmeqa le - luv - kamen
luv - ete luv - s - ete luv - esqe luv - esqe le - luv - kate
luv - ousi (n) luv - s - ousi (n) luv - ontai luv - ontai le - luv - kan

4. Formação do verbo
Os verbos são construídos com prefixos e sufixos.
a) Os prefixos estão antes da raiz verbal ( le )
b) A raiz verbal está no meio dos afixos (- luv -)
c) Os sufixos estão depois da raiz verbal ( ka )
d) O futuro do indicativo activo leva (s) entre a raiz e a terminação pessoal.
64 Estudo Programado de Grego Comum

5. Afixos verbais
À raiz verbal podem ser acrescentados dois prefixos e três sufixos.
a) Os prefixos são:
1. Aumento consta da letra (e) antes da raiz: (e-luv-)
2. Duplicação consta da consoante da raiz, mais (e) = (le) antes da raiz: (le-luv-).
3. Estes prefixos aparecem sempre nos tempos secundários. Uma excepção é o per-
feito, que é primário, e também nele aparece a duplicação.
b) Os sufixos são:
1. Sufixo temporal, iniciado por (s, k, ou q), que indica o tempo verbal.
2. Vogal auxiliar (o), que liga a raiz à terminação pessoal: (luv-o-mai)
3. Terminação pessoal que indica a pessoa verbal.
4. Muitas vezes, a vogal auxiliar funde-se com a da terminação pessoal:
Exemplo: luvomai, luvetai, lu (esai, eai, h/) = luvh./

6. Sufixos temporais
Os sufixos temporais indicam o tempo em que se encontra o verbo.
a) (s) indica o futuro luvsw luv-sw
b) (sa) indica o aoristo e[lusa e[-lu-sa
c) (k) indica os perfeitos, incluindo a duplicação leluvka le-luv-v ka ejleluvkein
d) (qh) indica futuro e aoristo passivos luqhvsomai lu-qhv-s-o-mai = fut
ejluvqhn ej-luv-qh-n = aor
7. Terminações pessoais
A terminação pessoal é também o grande indicador da voz. Eis uma tabela auxiliar para
reconhecimento das terminações pessoais. Convém fixar bem esta figura.

Vozes Pessoas Tempos primários Tempos secundários


Número Vog. Aux. e terminação Vog. Aux. e terminação
1 sg -w -o-n
2 sg -e-i" -e-"
ACTIVA 3 sg -e-i -e-(n)
1 pl -o-men -o-men
2 pl -e-te -e-te
3 pl -o-usi(n) -o-n (san)

1 sg -o-mai -o-mhn
2 sg -h/ (sai) -o-u
MÉDIA 3 sg -e-tai -e-to
PASSIVA 1 pl -o-meda -o-meqa
2 pl -e-sqe -e-sqe
3 pl -o-ntai -o-nto

8. Procurando a raiz verbal


Temos de estudar o método para encontrar a raiz verbal a fim de podermos consultar um
dicionário ou outro auxiliar qualquer.
a) Na palavra luvomeqa separamos a terminação pessoal (meqa) e a vogal auxiliar
(o). Resta-nos a raiz verbal e concluímos que o verbo é luw.
b) No mais que perfeito ejleluvkein procedemos do seguinte modo:
1. Separamos o aumento ( e ) e a duplicação ( le )
2. Separamos o sufixo e a terminação pessoal ( kein ) e ficamos com a raiz ( lu )
3. O verbo em questão é luvw.
4. Podemos consultar um dicionário ou outro auxiliar.
Constantino Ferreira 65

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
66 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 21

COMPONENTES DO VERBO (cont.)


9. Quadro Auxiliar
Praticamente, o verbo tem seis partes: dois prefixos, raiz e três sufixos.
PREFIXOS RAIZ SUFIXOS TRADUÇÃO
Aum. Dupl. Raiz Sufixo Vog. Term.
Temp. Modo Voz + 2 verbal Temp. Aux Pess. Pessoas variadas
pres. Ind. Act. lu w Eu solto
fut. Ind. Act. lu s w Eu soltarei
perf. Ind. Act. le lu ka men Nós temos soltado
impf. Ind. Act. e lu o n Eu soltava
aor. Ind. Act. e lu sa " Tu soltaste
mqpf. Ind. Act. e le lu kei n Eu tinha soltado
pres. Ind. M/P. lu o mai solto p/mim / est. sendo
fut. Ind. Méd. lu s o mai Soltarei p/ mim
perf. Ind. Méd. le lu mai Tenho soltado p/ mim
impf. Ind. Méd. e lu o mhn Soltava p/mim
aor. Ind. Méd. e lu sa mhn Soltei p/ mim
mqpf. Ind. Méd. e le lu mhn Tinha soltado p/ mim
fut. Ind. Pass. lu qhs o mai Eu serei solto
perf. Ind. Pass. le lu mai Tenho sido solto
impf. Ind. Pass. e lu o mhn Eu estava sendo solto
aor. Ind. Pass. e lu q hn Eu fui solto
mqpf. Ind. Pass. e le lu mhn Eu tinha sido solto

10. Vocabulário
Exemplo duma página de Dicionário de Grego.
Grego Tradução Grego Tradução
a[n (eij a[n, ejavn) conj. se, tudo o que kei'mai, (impf. ejkeivmhn) em repouso
gavmo", ou, s. m. casamento, boda livqo", ou, s. m. pedra
ginomai, v. estou, sou maqhth", ou, s. m. discípulo
duvo, num. card. dois metrhtav", ou, s. m. medida (39 l.)
eijmiv (fut. e[somai) sou, estou, mhvthr, mhtrov", s. f. mãe
ejkei', adv. ali oijno", ou, s. m. vinho
e}x, numeral seis ou[pw, adv. ainda não
ejcw, v. (fut. e[xw) tenho, contenho poievw, (fut. poihvsw) faço
h[, conj. ou tiv, adv. que
h}kw, v. (fut. h}xw) venho, chego trei'", tria, num. três
hJmevra, a", s. f. dia uJdria, a", s. f. (u}dwr) tina, (água)
kaqarismov", ou', s. m. purificação uJsterevw, (fut. uJsterhvsw) falto, atraso
kalevw, (fut. kalevsw) chamo cwrevw, v. (cwvra) s. f. conter (espaço)

11. Analisar um texto grego


Traduzir o texto das Bodas de Caná em Ij wannh" 2:1-6.
a) Usar a matéria estudada até aqui.
b) Usar os quadros auxiliares do Apêndice.
c) Usar outros auxiliares da língua grega.
Constantino Ferreira 67

12. Imperfeito
O imperfeito é formado com o aumento (e[) a vogal auxiliar (o, e) e o sufixo pessoal (on).
a) Embora o verbo seja definido por tempo, é também definido por qualidade:
luvw, solto, estou soltando, é presente; e[luon, soltava, estava soltando, é imperfeito.
b) Cada acção pode ser considerada como acto simples ou contínuo. Este aspectos de-
nominam-se qualidade da acção. Esta diferença é mais nítida nos tempos do passado.
(1) O acto simples, que pode ser desenhado por um ponto ( . ) é acção pontilear.
O aoristo é passado pontilear ( . ) eu soltei = e[lusa
(2) O acto contínuo, que pode ser desenhado por uma linha (–––) é acção linear.
O imperfeito é passado linear (–––) eu soltava = e[luon
c) Geralmente, a tradução do imperfeito é (soltava) mas, também pode ser (estava sol-
tando, ou, ia soltar) cujo significado é descoberto pelo contexto.

13. Quadro das acções


Acção Passado Presente Futuro
Simples e[lusa (aia) luvw (pia) luvsw (fia)
Pontilear ( . ) soltei solto soltarei
Contínua e[luon (iia) luvw luvsw
Linear (–––) estava soltando estou soltando estarei soltando

14. Conjugação dos imperfeitos


a) Este quadro mostra-nos a diferença entre o imperfeito activo e o imp. médio/passivo.
b) Quando a forma de duas pessoas são iguais só o contexto ilumina o significado.
c) Recordar que a vogal auxiliar (e, o) está entre a raiz e a terminação pessoal.
d) Na segunda pessoa singular há contracção da terminação (eso) para (ou).
Pessoa Imp. In. Act. Tradução Imp. Md. / Pas. Tradução
1ª sg e[-lu-o-n eu soltava ej-lu-ov-mhn estava soltando p/mim
estava sendo solto
estavas soltando p/ti
2ª sg e[-lu-e-" tu soltavas ej-luv-o-u
estavas sendo solto
3ª sg e[-lu-e (n) ele soltava ej-luv-e-to estava soltando p/ele
estava sendo solto
estávamos soltando p/nós
1ª pl ej-luv-o-men nós soltávamos ej-lu-ov-meqa
estávamos sendo soltos
estáveis soltando p/vós
2ª pl ej-luv-e-te vós soltáveis ej-luv-e-sqe
estáveis sendo soltos
estavam soltando p/eles
3ª pl e[-lu-o-n eles soltavam ej-luv-o-nto
estavam sendo soltos

15. Modificação fonética


Ocorrem alterações fonéticas quando o aumento encontra uma vogal inicial.
a) Aumento fundido por aglutinação das duas vogais: e + ajkouw = h[kouw
e +a = h e e= h e o = w
e + ai = h/ e ei = h/ (ou ei) e oi = w/ (ou oi)
e + au = hu e eu = hu (ou eu)
b) Nos verbos compostos, o aumento fica entre a preposição e a raiz:
(1) alterando a consoante da preposição: ejkbavllw = ejk-ev-ballon = ejx-ev-ballon
(2) com fusão das vogais: ajpavgw = ajp-ev-agon = ajp-h'gon , ajphgon = conduzi

16. Exercícios: Estudar esta regras utilíssimas na análise gramatical.


68 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 69

LIÇÃO 22

VERBO (cont.)

A. FUTURO INDICATIVO MÉDIO


Componentes do futuro médio. O futuro médio é construído com o sufixo temporal do fu-
turo indicativo activo e terminações pessoais do verbo eijmiv.

1. Sufixos do futuro indicativo activo de eijmiv


Raiz verbal Sufixo temporal Vogal auxiliar Terminação pessoal
eijmiv - e - -s - o, e mai

2. Construção do futuro activo de eijmiv


Pessoa Pres. Ind. Activo Fut. Ind. Activo Tradução
1ª sg eijmiv e[-s-o-mai eu sou eu serei
2ª sg ei\ e[-s-h/ tu és tu serás
3ª sg ejsti (n) e[-s-tai ele é ele será
1ª pl ejsmevn ej-s-ov-meqa nós somos nós seremos
2ª pl ejstev e[-s-e-sqe vós sois vós sereis
3ª pl eijsiv (n) e[-s-o-ntai eles são eles serão

3. Forma média/passiva com significado activo


a) Recordar que verbos, ou tempos defectivos, são de forma média/passiva, mas de si-
gnificado activo.
b) Notar que a forma média de eijmiv é defectiva e tem significado activo.
c) Ex.: kai ou}tw" pavntote su;n kurivw/ ejsovmeqa, (Pro;" qessalonikei" a, 4.17).

4. Infinitivo e particípio de eijmiv


a) Infinitivo presente activo: ei\nai = ser, ou estar
b) Particípio presente activo: M. w'n, o[nto"_ F. ou\sa, ou[sh"_ N. o[n, o[nto"_ etc.
5. Futuro indicativo médio de luvw
Já conhecemos o futuro indicativo activo. É ocasião de conhecermos a construção do fu-
turo indicativo médio. Este é reconhecido com facilidade porque a sua construção está
sobre o presente indicativo médio: luvomai, pim; > lujsomai, fim. = soltarei para mim.

6. Construção do Fut. Ind. Méd.


Pessoa Pres. Ind. Méd. Fut. Ind. Méd. Tradução (F.I.M.)
1ª sg luv-o-mai luv-s-o-mai Soltarei para mim
2ª sg luv-h/ (e-sai) luv-s-h/ Soltarás para ti
3ª sg luv-e-tai luv-s-e-tai Soltará para ele
1ª pl lu-ov-meqa luv-s-ov-meqa Soltaremos para nós
2ª pl luv-e-sqe luv-s-e-sqe Soltareis para vós
3ª pl luv-o-ntai luv-s-o-ntai Soltarão para eles

7. Infinitivo e particípio
Os infinitivos são formados juntando à raiz o sufixo ein.
a) O infinitivo presente activo de luvw é luv-ein = soltar.
b) O particípio de luvw é luvwn, luvonto"_ luvousa, luvoush"_ luvon, luvonto"_ etc.
70 Estudo Programado de Grego Comum

8. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajmartiva pecado kurieuvw domino
basileuvw reino latreuvw adoro
devw amarro maqhteuvw discipulo
douleuvw sirvo nekrov" morto
dravkwn dragão paideuvw disciplino
eijrhneuvw faço paz pisteuvw creio
qeavomai vejo profhteuvw profetizo
qevlw quero paravdeiso" paraíso
qerapeuvw curo shvmeron (hJmevra) hoje
kratevw prendo fwnhv voz

9. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 3.16
b) Conjugar fut. ind. act. de luvw, e fut. ind. méd. de pisteuvw
c) Denominar: luvete, luvsw, luvsomai, luvsesqe
d) Traduzir: luvomen, luvsete, pisteuvomen, profhteusousiv,

10. Textos do NT
Ap 11.15 basileuvsei eij" tou;" aijw'na" tw'n aijwvnwn
Lc 22.25 oiJ basilei'" tw'n ejqnw'n kurieuvsousin aujtw'n.
Ap 5.10 basileuvsousin ejpi; th;" gh'"
Mt 8.7 ejgw; qerapeuvsw aujtovn
Rm 6.14 ajmartiva ga;r uJmw'n ouj kurieuvsei
Lc 22.43 ajmhvn soi levgw: shvmeron met! ejmou' e[sh/ ejn tw'/ paradeivsw/.
Hb 1.5 ejgw; e[somai aujtw' eij" patevra kai; aujto;" e[stai moi eij" uiJovn.
Mt 4.10 kuvrion to;n qeovn sou proskunhvsei" kai; aujtw'/ monw/ latreuvsei".
Jo 4.25 oiJ nekroi; ajkouvsousin th'" fwnh'" tou' uiJou' tou' qeou'.
Mc 9.35 ei[ ti" qevlei prw'to" ei\nai e[stai pavntwn e[scato" kai pavntwn diavkono"
kai; ejkravthsen to;n dravkonta, oJ o[fi" oJ ajrcai'o", o}" ejstin Diavbolo"
Ap 20.2 kai; oJ Satana'", kai; e[dhsen aujto;n civlia e[th

ou|to" oJ Ij hsou" oJ ajnalhmfqei;" ajf! uJmiw'n eij" to;n oujrano;n


ou}tw" ejleuvsetai o}n trovpon ejqeavsasqe aujto;n poreuovmenon eij" to;n oujranovn.

Pravxei" A
j povstolwn 1.11
Constantino Ferreira 71

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
72 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 23

VERBO (cont.)

B. FUTURO INDICATIVO PASSIVO


A forma passiva do futuro indicativo é diferente, mas esse pequeno sufixo após a raiz distin-
gue-o: luvw forma luqhsomai.
a) Raiz verbal luv
b) Sufixo temporal qhs (qh, sinal de passivo; s, sinal de futuro)
c) Vogal auxiliar o, e
d) Terminação pessoal mai ( 1ª pessoa do singular)

1. Construção do futuro indicativo passivo


Pessoa Fut. Ind. Méd. Fut. Ind. Pass. Tradução FIP
1ª sg luv-s-o-mai lu-qhv-s-o-mai serei solto, estarei sendo solto
2ª sg luv-s-h/ luv-qhv-s-h/ serás solto, “
3ª sg luv-s-e-tai lu-qhv-s-e-tai será solto, “
1ª pl lu-s-ov-meqa lu-qh-s-ov-meqa seremos soltos, “
2ª pl luv-s-e-sqe lu-qhv-s-e-sqe sereis soltos, “
3ª pl luv-s-o-ntai lu-qh-s-o-ntai serão soltos, “

2. Modificações fonéticas
Verbos cuja raiz termina em consoante apresentam algumas modificações fonéticas nas
três vozes, (A.M.P.) mas a flexão é facilmente reconhecida pelo sufixo temporal.
Classe Modificação Raiz Fut. Ind. Act. Fut. I. Méd. Fut. Ind. Pass.
Labiais b, p, f, + q = fq blevp- p+s = y - blevy-w blevy-o-mai blef-qhv-s-o-mai
Palatais g, k, c, + q = cq diwvk- k+s = x - diwvx-w diwx-o-mai diwc-qh-s-o-mai
Dentais d, q, t, + q = sq peivq- q+s = s - peivs-w peivs-o-mai peivs-qh-s-o-mai

3. Irregularidade na voz passiva


Alguns verbos apresentam irregularidade no futuro passivo, por isso chamado segundo
futuro passivo. Somente dar atenção a qhs ou hs. Eis alguns exemplos:
Pres. I. A. Tradução Fut. Ind. Pas. não é Mas
ajkouvw ouço ajkou qhvs omai ajkous qhvs omai
bavllw jogo ball qhvs omai bvlh qhvs omai
ginwvskw conheço ginws cqhvs omai gnws qhvs omai
gravfw escrevo graf qhvs omai graf hvs omai
kravzw grito krax qhs omai krac qhvs omai
kruvptw escondo kruf qhvs omai krub hvs omai
lambavnw recebo lamban qhvs omai lhmf qhvs omai

4. Particípios
O particípio é um adjectivo verbal que pode ser usado como particípio substantivado:
b) luvwn, gravfwn, pisteuvwn – soltando, escrevendo, crendo.
c) oJ luvwn, oJ gravfwn, oJ pisteuvwn – o que solta, o que escreve, o crente = o que crê.
Constantino Ferreira 73

5. Vocabulário
Pia – Grego – fia Tradução Pia – Grego – fia Tradução
a[gw a[xw guiar qeavomai ver atentam. contemplar
ajpokaluvptw ajpokaluvyw esconder qewrevw ver detalhes examinar
a[rcw a[rxw dominar klevptw klevyw roubar
baivnw bhvsomai caminhar kravzw kravxw gritar
baptivzw baptivsw baptizar kruvptw kruvyw esconder
blevpw blevyw ver (fisicam) lambavnw lhvmyomai receber
ginwvskw gnwvsomai conhecer levgw ejrw' dizer
gravfw gravyw escrever nivptw nivyw lavar (parte)
diwvkw diwvxw perseguir oJravw o[yomai ver (fis/ment)
eijmiv e[somai ser, estar peivqw peivsw persuadir
e[cw e[xw ter swvzw swvsw salvar

6. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 2.1-4
b) Declarar as formas verbais encontradas em Ij wavnnh" 2.1-4
c) Denominar: hJmera, gavmo", Galilaia", gnwvsomai, lhvmyomai
d) Traduzir: Ij wavnnh" 2.1-4

7. Textos do NT
Mt 1.21 aujto;" ga;r swvsei to;n lao;n aujtou' ajpo;, tw'n aJmartiw'n aujtw'n
ajlla lhvmyesqe duvnamin ejpelqovnto" tou' ajgivou pnevumato" ejf! uJma'",
At 1.8 kai; e[sesqev mou mavrture"
1 Co 3.14 misqo;n lhmyetai
2 Ts 3.3 pistov" ejstin oJ kuvrio" o}" (que) fulavxei ajpo; ponhrou'
Fp 3.15 tou'to oJ qeo;" uJmi'n ajpokaluvyei
Mt 24.13 oJ de; uJpomeivna" eij" tevlo" ou|to" swqhsevtai.
Jo 13.8 levgei aujtw/ pevtro": Ouj mh; nivyh" mou tou;" povda v "
Jo 20.5 kai; parakuvya" blevpei kaivmena ta; ojqovnia (os lençois)
Jo 20.6 eijsh'lqen eij" to; mnhmei'on kai; qewrei' ta; ojqovnia
Jo 20.8 oJ ejlqw;n prw'to" eij" to; mnhmei'on kai; ei\den kai; ejpisteusen
Jo 1.14 kai; ejqeasavmeqa th;n dovxan aujtou'

O
J lovgo" ga;r oJ tou' staurou'
toi'" sw/zomevnoi" duvnami" qeou' ejstin.

Korivnqiou" a 1.18
74 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 75

LIÇÃO 24

AORISTO 1º

Aoristo significa indefinido, ilimitado. Não define o tempo exacto, mesmo acontecido no passa-
do. Declara antes a qualidade da acção. Pode ser compreendido como o pretérito perfeito portu-
guês, soltei. O aoristo é construído à semelhança do imperfeito grego, e[luon – soltava.

1. Qualidade da acção
A diferença entre ambos é que
a) O imperfeito é linear (–––) representa acção contínua, e[luon – soltava
b) O aoristo é pontilear ( . ) representa acção simples, e[lusa – soltei.

2. Componentes do aoristo indicativo


Os componentes são: aumento, raiz, sufixo temporal e terminação pessoal.
a) Recordar sempre que a forma curta é voz activa, a mais comprida é média, e com (q)
é passiva.
b) Notar que 1ª singular activa não tem (n) e 2ª singular média tem terminação (sw).
Pessoa Aor. Ind. Act. Aor. Ind. Méd. Aor. Ind. Pas.
1ª sg e[-lu - sa e[-lu - sav -mhn e[-lu - qh -n
2ª sg e[-lu - sa-" e-[lu - sw (?) e[-lu - qh -"
3ª sg e[-lu - se-n e-[lu - sav -to e[-lu - qh
1ª pl e-[lu - sa-men e-[lu - sav -meqa e[-lu - qh -men
2ª pl e-[lu - sa-te e-[lu - sav -sqe e[-lu - qh -te
3ª pl e-[lu - sa-n e-[lu - sav -nto e[-lu - qh -san
Tradução Eu soltei, etc. Eu soltei para mim, etc. Eu fui solto, etc.

3. Mudanças fonéticas
Quando o aoristo é construído sobre o imperfeito, as mudanças fonéticas são as mesmas
do imperfeito estudadas anteriormente.
a) Quando o aumento encontra uma vogal inicial muda para (h).
Vogais aumento Pres. Ind. Act. Imp. Ind. Act. Aor. Ind. Act.
e+a = h ajkouvw h[-kouon h[-kou-sa
e +e = h ejlpivzw h[-lpizon h[-lpi-sa
eujaggelivzw euj-h-ggevlizon euj-h-ggeli-sa
Tradução Eu evangelizo Eu evangelizava Eu evangelizei

b) Quando o aoristo é construído sobre o futuro, as mudanças fonéticas são as mesmas


do futuro activo no encontro da raiz verbal com o sufixo temporal.
c) Alguns dicionários incluem as três formas mais importantes do verbo, derivadas da
raiz presente: a[gw, a[xw, h\xa. a[rcw, a[rxw, h[rxa. swvzw, swvsw, e[swsa.
Consoantes raiz Pres. Ind. Act. Fut. Ind. Act. Aor. Ind. Act.
b, p, f, + s = y kruvptw - krub- kruvy-w e[-kruvy-a
g, k, c, + s = x diwvkw - diwk- diwvx-w ej-divwx-a
d, q, t, + s = s peivqw - peiq- peivs-w e[pei-sa
Tradução Eu persuado Eu persuadirei Eu persuadi
76 Estudo Programado de Grego Comum

4. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
a[gw, a[xw guiar qerapeuvw, ejqeravpeusa curar
aijnivgma enigma kaluvptw, -yw cobrir, ocultar,
ajnabaivnw, ajnabhvsomai subir kruvptw, e[kruya esconder
ajpokaluvptw, -yw revelar khruvssw, ejkhvruxa pregar
a[rti agora kravzw, e[kraxa clamar
baptivzw, baptivsw baptizar mevro" parte
baptivzw, ejbaptivsa baptizar nivptw, nivya lavar (parte)
blevpw, blevyw ver peivqw, e[peisa persuadir
ginwvskw, gnwvsomai conhecer pivptw, e[pesa cair
gravfw, gravyw escrever pravssw, e[pravxa fazer
diwvkw, diwvxw persiguir provswpon rosto, face
e[rcomai, ejleuvsomai ir, vir swvzw, e[swsa salvar
e[soptron espelho tovte então

5. Exercícios
a) leitura: Ij wavnnh" 2.5-7
b) Conjugar: fut. ind. act. de a[gw, blevpw. aor. ind. act. de baptivzw, swvzw.
c) Denominar: e[lusa", ejkhruvxate, ejkruvyamen, ejswsavmen,
d) Traduzir: eu não baptizei, eu persuadi, eu clamei, eu soltei, eu soltei para mim.

6. Textos do NT
Lc 4.1 kai; h[geto ejn tw/' pneuvmati ejn th'/ ejrhvmw. hJmera" tesseravkonta
mh; fobhqh'te aujtouv": oujde;n gavr ejstin kekalummevnon o} oujk
Mt 10.26
ajpokalufqhvsetai, kai; krupto;n o} ouj gnwsqhvsetai.
Mt 3.16 baptisqei;" de; oJ Ij hsou'" eujqu;" ajnevbh ajpo; tou' u}dato":
o}ti Ij wavnnh" me;n ejbavptisen u}dati, uJmei'" de; ejn pneuvmati
At 1.5 baptisqhsesqe ajgiw
blevpomen ga;r a[rti di! ejsovptrou ejn aijnigmati, tovte de; provswpon
1Co 13.12 pro;" provswpon: a[rti ginwvskw ejk mevrou", tovte de; ejpignwvsomai kaqw;"
kai; ejpegnwvsqhn.
Mt 21.13 kai; levgei aujtoi'": gevgraptai: oJ oi\kov" mou oi\ko" proseuch'" klhqhvsetai,
oujk eijmi; iJkano;" kalei'sqai ajpovstolo", diovti ejdivwxa th;n ejklhsivan tou'
1 Co 15.9 qeou': Cavriti de; qeou' eijmi o} eijmi,
levgei aujtw'/ Pevtro": ouj mhj nivyh/" mou tou;" povda" eij" to;n aijw'na.
Jo 13.8
ajpekrivqh Ij hsou'" oujtw':/ E j a;n mh; nivyw se, oujk e[cei" mevro" met! ejmou'.
Mt 9. 22 oJ de; I
j hsou"... ei\
p en: Qav
r sei, quvgater: hJ pivsti" sou sevswken se.

(In, Scott, Benjamin, Catacumbas de Roma, Porto, 1923)


Constantino Ferreira 77

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
78 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 25

AORISTO 2º

Existe ainda o aoristo irregular, ou 2º aoristo. Este irregular reconhece-se porque não usa o sufi-
xo temporal ( q ). Se quiser dizer, soltei, direi: e[lusa. Mas, se quiser dizer, disse, terei que dizer:
e\ipon. Esta flexão é irregular porque não é construída sobre a raiz verbal de levgw, leg-. Afinal,
em português existe a mesma dificuldade: Caber, cabia, coube, etc.

1. Aoristo 2º indicativo activo


a) O 1º aoristo distingue-se pela junção do sufixo temporal (sa) e[lu-sa.
b) O 2º aoristo é distinguido pela modificação da raiz verbal: bavllw, e-[bal-on.
c) O 2º aoristo é construído sobre a raiz do imperfeito modificada e suas terminações
pessoais: e[ballon, e[bal-on.
Pres. Ind. Act. Imp. Ind. Act. 2º Aor. Ind. Act. Tradução
bavllw e[ballon e[-bal-on Joguei
bavllei e[balle" e[-bal-e" Jogaste
bavllei" e[ballen e[-bavl-e (n) Jogou
bavllomen ejbavllomen ej-bavl-omen Jogámos
bavllete ejbavllete ej-bavl-ete Jogastes
bavllousin e[ballon e[-j bal-on Jogaram

d) Como observamos, a raiz perdeu um lámbda (l). É o sinal de 2º aoristo.


e) E como vogais auxiliares permanecem as mesmas: (o, e).

2. Reconhecimento do 2º aoristo
a) Aumento temporal: e[
b) Raiz verbal: bal
c) Terminação pessoal: on
d) Aoristo ind. Act.: e[balon

3. 2º aoristo com raiz diferente


a) O imperfeito indicativo activo de lambavnw é e[labon.
b) Portanto, a raiz é -lab-
c) Assim, temos: e[labon
d) O 2º aoristo dispensa o sufixo temporal (sa) devido à mudança da raiz verbal.

4. 2º aoristo com raiz muito diferente


a) Algumas vezes o aoristo deriva duma raiz muito diferente da do presente. Em portu-
guês dizemos: eu sou, eu fui, etc. A raiz do passado é bem diferente.
b) Em grego dizemos: levgw, digo; ei\pon, disse; ejsqivw, eu como; e[fagon, eu comi.
c) Os dicionários ajudam nestas dificuldades. Alguns incluem presente, futuro e aoristo,
que são as partes principais do verbo.

5. Modificações fonéticas
a) Existem também modificações fonéticas causadas pelo aumento no encontro com vo-
gais da raiz verbal. (e+a, e+e = h ).
b) Às vezes parece que não existe aumento, como em ejsqiw, eu como; e[fagon, eu
comi.
Constantino Ferreira 79

6. Vocabulário de verbos irregulares


Quando encontrar uma forma quase desconhecida deve ser 2º aoristo. Então, procurar no
dicionário, ou outro auxiliar.

Pres. Ind. Act. Tradução Fut. Ind. Act. 2º Aor. Ind. Act.
a[gw guio a[xw h[gagon
ajnabaivnw subo bhvsomai e[bhn
bavllw jogo bavlw e[balon
blevpw vejo blevyw e[bleya
givnomai torno-me genhvsomai ejgenovmhn
ginwvskw conheço gnhvsomai e[gnwn
e[rcomai vou, venho ejleuvsomai h\lqon
ejsqivw como (comer) fagomai e[fagon
eujrivskw acho eujrhvsw eu\ron
e[cw tenho e[xw e[scon
oJravw vejo o[yomai ei\don

ajrtov" pão pa'" todo, toda


devndro" árvore poievw faço
kaqaivrw limpo pu'r fogo
karpov" fruto proqevsi" proposição
kovptw corto fevrw carrego

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 2.8,9
b) Conjugar: givnwskw, genhvsomai, ejgenovmhn
c) Denominar: eujrivskw, eujrhvsomai, eu\re", ei\don
d) Traduzir: h[gagon, e[balon, e[bleya, h\lqon, e[fagon

8. Textos do NT
Lc 22.54 Sullabovnte" de; aujto;n h[gagon kai; eijshvgagon eij" th;n oijkivan
tou' ajrcierevw"
Mt 20.20 Tovte prosh'lqen oujtw/' hJ mhvthr tw'n Zebedaivou meta; tw'n uiJw'n aujth'"
Mt 3.10 pa'n ou\n devndron mh; poiou'n karpo;n kalo;n ejkkovptetai kai; eij" pu'r
bavlletai.
Jo 15.2 pa'n klh'ma ejn ejmoi; mh, fevron karpovn, ai[rei aujtov,
kai; pa'n to; karpo;n fevron kaqaivrei oujto;
Mt 12.4 pw'" eijsh'lqen eij" to;n oi\kon tou' Qeou' kai; tou;" a[rtou" th'" proqevsew"
e[fagon,
Jo 6.35 ei\pen aujtoi'" Ij hsou'": ejgwv eijmi oJ a[rtov" th'" zwh'".
Jo 3.2 ou|to" h\lqen pro;" aujto;n nukto;" kai; ei\pen aujtw':/
R
J abbiv, oi[damen o}ti ajpo; Qeou' ejlhvluqa" didavskalo".
Lc 1.30 mh; fobou' Mariavm, eu|re" ga;r cavrin para; tw'/ Qew'./
1Co 15.45 jegevneto oJ prw'to" a[nqrwpo" A j da;m eij" yuch;n zw'san.

au}th ejstin hJ ejntolh; hJ ejmhv,


i}na ajgapa'te ajllhvlou" kaqw;" hjgavphsa uJma'"
Ij wavnnh" 15.12
80 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 81

LIÇÃO 26

AORISTO PASSIVO

O aoristo passivo deriva da mesma raiz, tal como o futuro passivo. Deste modo, o aoristo passivo
é considerado uma das partes principais do verbo. É, por conseguinte, muito usado nos textos do
Novo Testamento.

1. Observemos a sua construção


a) Presente indicativo activo: luvw
b) Futuro indicativo activo: luvsw
c) Futuro indicativo médio: luvsomai
d) Futuro indicativo passivo: luqhvsomai
e) Aoristo indicativo passivo: ejluvqhn

2. Reconhecendo as suas partes


a) Aumento de tempo secundário: e
b) Raiz verbal: luv
c) sufixo temporal: qh
d) Terminação pessoal: n
e) Usa as terminações do activo: -n, -", -, -men, -te, -san

3. Mudanças fonéticas
a) No aumento ocorrem as mesmas mudanças: (e + a, e + e = h)
b) Assim como no encontro de consoante com q
Classe Modificação Pres. Ind. Act. Fut. Ind. Pass. Aor. Ind. Pass.
Labiais b, p, f, + q = fq baptivzw baptis-qhv-s-o-mai ej-baptivs-qh-n
Palatais g, k, c, + q = cq ajg- w ajc-qhv-s-o-mai h[-c-qh-n
Dentais d, q, t, + q = sq peivq-w peivs-qh-s-o-mai ej-peivs-qh-n

4. 2º aoristo passivo
O aoristo passivo de gravfw não é ejgrafqhn, mas ejgravfhn, perdendo, portanto, a q.
Pres. Ind. Act. Aor. Ind. Pass. 2º Aor. Ind. Pass.
gravfw ej-graf-qh-n ej-graf-h-n
gravfei" ej-graf-qh-" ej-graf-h-"
gravfei ej-graf-qh- ej-graf-h-
gravfomen ej-graf-qh-men ej-graf-h-men
gravfete ej-graf-qh-te ej-graf-h-te
gravfousin ej-graf-qh-san ej-graf-h-san

5. Verbos especiais
a) Alguns verbos defectivos de forma média/passiva e de significado activo têm aoristo
passivo: (pia) ajpokrivnomai, (aor. ps) ajpekrivqhn, eu respondi.
82 Estudo Programado de Grego Comum

6. Vocabulário
Classe PIA FIA AIA AIP
luvw luvsw ejlusa ejluvqhn
Labiais blevpw blevyw e[bleya ejblevfqhn
pevmpw pevmyw e[pemya ejpevmfqhn

a[gw a[xw h\xa h[cqhn


Palatais khruvssw khruvxw ejkhvruxa ejkhruvcqhn
pravssw pravxw e[praxa ejpravcqhn

baptivzw baptivsw ejbavptisa ejbaptivsqhn


Dentais peivqw peivsw e[peisa ejpeivsqhn
swvzw swvsw e[swsa ejswvqhn

ajpokrivnomai - - ajpokrivqhn
Defectivos givnomai - - ejgenhvqhn
poreuvomai - - ejporeuvqhn

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnh" 2.8-11
b) Denominar: ejswvqhn, ejblevfqh", ajpekrivqhte
c) Traduzir: ejbaptivsqhsan, ejgravfh, ei'pen,

8. Textos do NT
Jo 8.39 ajpekrivqhsan kai; ei\pan aujtw/:' oj path;r hJmw'n A j braavm ejstin.
1 Co 1.9 ejklhvqhte eij" koinwnivan tou' uiJou' oujtou' Ij hsou' Cristou'.
Ap 21.1 kai; ei\don oujrano;n kaino;n kai; gh'n kainhvn.
ei\pen te pro;" aujtouv": Eij pnhu'ma a}gion ejlavbete pisteuvsante"_
At 19.2
oiJ de; pro;" aujtovn: aj ll! oujd! eij pneu'ma a}gion e[stin hjkouvsamen.
ei\pen te: eij" tiv ou\n ejbaptvisqhte_ oiJ de; ei\pan: eij" to; Ij wavnnou
At 19.3
bavptisma.
At 19.4 ei\pen de; Pau'lo": Ij wavnnh" ejbavptisen bavptisma metanoiva",
Mc 16.20 ejkei'noi de; ejxelqovnte" ejkhvruxan pantacou',
pw'" de, khruvxwsin eja;n mh; ajpostalw'sin_ kaqw;" gevgraptai:
Rm 10.15
wJ" wJrai'oi oiJ povde" tw'n eujaggelizomevnwn (ta); ajgaqav.
Mt 28.16 OiJ de e}ndeka maqh;tai ejporeuvqhsan eij" th;n Galilaivan
ei\pen de; pro;" th;n gunai'ka: hj pivsti" sou sevswken se: Poreuvou eij"
Lc 7.50 eijrhvnhn.
At 15.11 ajlla; dia; th'" cavrito" tou' kurivou Ij hsou' pisteuvomen swqh'nai

E
j n touvtw/' ejdoxavsqh oJ pathvr mou,
i}na karpo;n polu;n fevrhte
kai, gevnhsqe ejmoi; maqhtaiv.

JIwavnnh" 15.8
Constantino Ferreira 83

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
84 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 27

PRONOMES REFLEXIVOS

Quando os complementos, directo ou indirecto, representam a mesma pessoa ou coisa que o su-
jeito do verbo, são expressos por um pronome reflexivo. As formas próprias do reflexivo são:
me, te, se, nos, vos, se; ti, si, connosco, consigo.

1. O pronome aujtov" tem várias funções:


a) Como pronome pessoal, seguindo imediatamente o verbo: levgw aujtw' = eu falo-lhe
(falo a ele). E como possessivo: oJ kuvrio" aujtou' = o Senhor dele; ou, o seu Senhor.
b) Como pronome enfático. Quando está na posição predicativa significa ele mesmo:
oJ ajpovstolo" aujto;" khruvssei to; eujaggevlion aujto = o próprio apóstolo prega o
mesmo evangelho. Ou, aujto;" oJ ajpovstolo" khruvssei aujto; to; eujaggevlion.
c) Como pronome identificativo. Quando está na posição atributiva significa o mesmo:
oJ aujto;" ajpovstolo" khruvssei to; aujto eujaggevlion = o mesmo apóstolo prega o
mesmo evangelho. Ou, oJ ajpovstolo" oJ aujto;" khruvssei to; eujaggevlion to; aujto.

2. O pronome reflexivo émautou' = mim mesmo. Refere-se ao sujeito e está perto da voz
média: ejnduvomai= visto-me (a mim mesmo).
a) Declinação do pronome reflexivo
Pess. Caso Mas. Fem. Neut. Pess. Mas. Fem.
G ejmautou' ejmauth'" eJautw'n eJautw'n
1ª sg D ejmautw'/ ejmauth'/ 1ª pl eJautoi'" eJautai'"
A ejmautovn ejmauthvn eJautou'" eJautav"

G seautou' seauth'" idem idem


2ª sg D seautw'/ seauth'/ 2ª pl
A seautovn seauthvn

G ejautou' ejauth'" eJautou' idem idem


3ª sg D ejautw'/ ejauth'/ eJautw'/ 3ª pl
A ejautovn ejauthvn eJautov
b) Nas primeira e segunda pessoas não há neutro porque elas o não são.
c) Exemplo: oujk e\cei rJizv an ejn eJautw',/ Maq. 13.21.

3. O pronome recíproco é ajllhvlwn = uns dos outros. Este pronome deriva de a[llo", outro
a) G – kai; uJmei'" ofeivlete ajllhvlwn nivptein tou;" povda", Ij wan. 13.14.
b) D – e[cete ejn eJautoi'" a}la kai; eijrhneuvete ejn ajllhvloi". Mark. 9.50.
c) A – i}na ajgapa'te ajllhvlou" kaqw;" hjgavphsa ujma'", Ij wan. 15.12.
Constantino Ferreira 85

4. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajgaqwsuvnh bondade katavbhti (katabaivnw) desce (desço)
ajgalivasi" alegria favghte (ejsqivw) comerdes (comer)
ajgaphtov" amado oujdevn nada
a[la sal patevra pai
ajpwvleian destruição plhsivon próximo, vizinho
bavle (bavllw) lança (lançar) poiei'n fazer
dovxhte (dokevw) julgueis (julgar) savrka (savrx) carne (pessoas)
duvnamai posso staurou' da cruz
eja;n se stratiwvth" soldado
eijrhneuvete tende paz swzw salvo
ejpavgonte" trazendo tacinhvn rápida
e[cete (ejcw) tende, tendes zwhv vida

5. Exercícios
a) Ler: Ij wavnnhn 2.13-16
b) Denominar: logou', kalw',/ ajgaqwsuvnh, luvei", pisteuvei.
c) Transliterar: lovgo", kavlo", ajgaqwsuvnh, luvw, pisteuvw.
d) Conjugar: pia de luvw, fia de pisteuvw. pia de duvnamai.
e) Traduzir: oJ diavkono" aujto;" khruvssei to; aujto; eujaggelivon th'/ ejkklhsiva./
f) Procurar em João 1.14: artigos, preposições e conjunções.

6. Textos do NT
Mt 3.9 kai; mh; doxhte levgein ejn eJautoi'": patevra e[comen to;n Abraavm.
Mt 4.6 eij uiJo"
; ei\ tou' qeou', bavle seauto;n kavtw:
Mt 8.9 kai; ga;r ejgw; a[nqrwpo" eivmi e[cwn uJp! ejmauto;n stratiwvta",
Mt 19.19 kai; ajgaphvsei" to;n plhsivon sou wJ" seautovn.
Mt 27.40 sw'son seautovn, eij uiJo" ei\ tou' qeou', kai; katavbhqi ajpo; tou' staurou'.
Mt 27.42 a[llou" ejswsen, ejauto;n ouj duvnatai sw'sai.
Mc 9.50 e[cete ejn ejautoi'" a}la kai; eijrhneuvete ejn ajllhvloi".
Jo 5.30 ouj duvnamai ejgw; poiei'n ajp! ejmautou' oujdevn.
eja;n mh; favghte th;n savrka tou' uiJou' tou' ajnqrwvpou...
Jo 6.53
oujk e[cete zwh;n ejn ejautoi'".
2 Pd 2.1b ejpavgonte" eJautoi'" tacinh;n ajpwvleian:

7. Revisão

(In, As Catacumbas de Roma)


86 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 87

LIÇÃO 28

PARTICÍPIOS

Os particípios existem nos três modos verbais, activo, médio e passivo. Os modos activo e médio
têm particípio nos tempos: presente, futuro, aoristo e perfeito. O passivo comporta particípios
nos tempos: futuro, aoristo e futuro perfeito. O particípio grego é semelhante ao gerúndio portu-
guês: indo, fazendo, etc. As formas do particípio aparecem muito no NT.

Particípios de luvw nas três vozes


Pres. Ind. Act. = luv-w Part. Pres. Act. = luv-wn soltando
Pres. Ind. Méd. = luv-o-mai Part. Pres. Méd. = lu-ov-meno" soltando para si
Pres. Ind. Pas. = luv-o-mai Part. Pres. Pas. = lu-ov-meno" sendo solto
a) Recordar sempre que a vogal auxiliar é (o) antes de (m) ou (n).

A. Particípios na voz activa


Aoristo Presente Futuro
luvsa" luvwn luvswn
Tendo solto Soltando Indo soltar

1. Particípio presente
a) O particípio activo do verbo luvw é luvwn, soltando. Os verbos da primeira conjugação
seguem a mesma regra: baptivzwn, levgwn, pisteuvwn, etc.
b) O particípio é a única forma verbal sujeita às regras da declinação.
c) O particípio presente de eijmiv serve de modelo para os demais.

2. Declinação do particípio de eijmiv


Caso Mas. 3ª d. Fem. 1ª d. Neut. 3ª d. Tradução
Ns w[n ou\s-a o[n o/ sendo / estando
Gs o[nt-o" ou[s-h" o[nt-o" do/da
Ds o[nt-i ou[s-h/ o[nt-i ao/à
As o[nt-a ous-an o[n o/a
Np o[nt-e" ous-ai o[nt-a os/as
Gp o[nt-wn ous-w'n o[nt-wn dos/das
Dp ou\s-i(n) ouvs-ai" ou\s-i(n) aos/às
Ap o[nt-a" ouvs-a" o[nt-a os/as

3. Formação dos particípios


a) Os particípios formam-se juntando às raízes verbais os particípios de eijmiv, cujo para-
digma é luvw, luvwn, luvonto", luvonti, luvonta, etc.
b) swvz-wn, swvz-onto", swvz-onti, swvz-onta, swz-onte", swz-ovntwn, swvz-ousi,
swvz-onta". salvando, etc.
c) Na realidade, a forma básica dos nominativos masculino e neutro era luvont, mas de-
vido a contracção verbal resultou em luvwn, luvon, respectivamente.
d) O mesmo aconteceu no feminino, que mudou (t) em (s) e, por isso, segue o paradig-
ma da primeira declinação (glw'ssa).

b) Particípio na voz média/passiva


O particípio médio/passivo do verbo luvw é luovmeno", soltando para si; sendo solto.
88 Estudo Programado de Grego Comum

1. Particípio presente
a) Segue o paradigma do adjectivo da 2ª declinação: pistov", hv, on_ a{gio", a, on.

Caso Mas. Fem. Neut. Tradução


Ns lu-ovmen-o" lu-omevn-h lu-ovmen-on
Gs -ovmen-ou -omevn-h" -ovmen-ou
Ds -ovmen-w/ -omevn-h/ -ovmen-w/ Média: soltando para si
As -ovmen-on -omevn-hn -ovmen-on Passiva: sendo solto/a
Np lu-ovmen-oi lu-omevn-ai lu-ovmen-a Etc.
Gp -ovmen-wn -omevn-wn -ovmen-wn
Dp -ovmen-oi" -omevn-ai" -ovmen-oi"
Ap -ovmen-ou" -omevn-a" -ovmen-a

2. Particípio futuro
O particípio futuro não apresenta dificuldades porque segue os modelos estudados no fu-
turo. A sua declinação é igual às de luvwn e luovmeno", com (s) para o futu-
ro e (qh) para o passivo.

Fut. Ind. Act. = luv-s-w Part. Fut. Act. = lu-s-wn indo soltar
Fut. Ind. Méd.= luv-s-omai Part. Fut. Méd. = lu-s-ovmeno" indo soltar para si
Fut. Ind. Pas. = lu-qhv-s-omai Part. Fut. Pas. = lu-qh-s-ovmeno" indo ser solto

3. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ajpollumevno" perdido paragivnomai venho, apareço
davkruon lágrima pavsh" (pa'") toda (todo)
ejgevneto, aor. a. (ginomai) aconteceu poiw'n (poievw) (faço, pratico)
ei\pen , aor. act. (levgw) disse staurov" cruz
evrj cetai, 3spia (ejrcomai) vou, venho swzomevnoi" (swvzw) salvos (salvo)
makavrio" bem-aventurado tapeivnofrosuvnh humildade
mwriva loucura fulavssomeno" guardo

4. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.20,21
b) Pesquisa: quais os particípios encontrados na leitura?
c) Declinar: davkrion, ajpolluvmeno", swzovmeno"
d) Traduzir: Actos 20.19, e 1 Co 1.18, do quadro abaixo.

5. Textos do NT
Êx 3.14 kai; ei\pen oJ Qeo;" pro;" Mwush'n: E j gwv eijmi oJ w[n.
Mt 3.1 paragiv n etai I
j wav
n nh" oJ baptisth; " khruvsswn ejn th'/ ejrhvmw'./
Mc 1. 4 ejgevneto Ij wavnnh" oJ baptizwn ejn th/' ejrhmw'/ khruvsswn bavptisma
Lc 11.28 makavrioi oij ajkouvonte" to;n lovgon tou' Qeou' kai; fulavssonte".
Jo 3.21 oJ de; poiw'n th;n ajlhvqeian ejrv cetai pro;" to; fw'".
At 20.19 douleuvwn tw'/ kurivw/ meta; pavsh" tapeinofrosuvnh" kai; dakruvwn
oJ lovgo" ga;r oJ tou' staurou' toi'" me;n ajpollumevnoi" mwriva ejstivn,
1 Co 1.18 toi'" de; swzomevnoi" hJmi'n duvnami" Qeou' ejstivn.
Ap 1.4 cavri" uJmi'n kai, eijrhvnh ajpo; oJ w'n kai; oJ h\n kai; oJ ejrcovmeno"
Constantino Ferreira 89

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
90 Estudo Programado de Grego Comum

LIÇÃO 29

FUNÇÃO DO PARTICÍPIO

Os particípios podem tomar a função de substantivos, adjectivos e advérbios, de acordo com


regras estabelecidas.

1. Particípio substantivado
À semelhança dos adjectivos, o particípio pode ser usado como substantivo quando
acompanhado por artigo. Tomemos como exemplo o que havemos estudado sobre os ad-
jectivos:
a) Adj.: oJJ pistov" = o fiel; > Part.: oJ pisteuvwn = o crendo, o crente, aquele que crê.
b) blevpw ton baptivzonta levgwn th' baptisomevnh.

2. Particípio adjectivado
O particípio é também um adjectivo verbal quando acompanhado por substantivo e quali-
ficando-o, com função semelhante a (oJ pistov" doulov") o servo fiel, ou, o fiel servo.
a) Exemplos: oJ ajgorazovmeno" ajnhvr. oJ baptivzwn presbuvtero",
b) Como adjectivo pode ter função predicativa ou atributiva:
i. Atributiva: oJ doulov" oJ pistov" = o servo fiel; > oJ Ij wavnnh" oJ baptivzwn
ii. Predicativa: oJ doulov" pistov" = o servo é fiel; > oJ Ij wavnnh" h\n baptivzwn
iii. As duas: ejgevneto Ij wavnnh" oJ baptivzwn ejn th/' ejrhmw'/ kai; khruvsswn
bavptisma metanoiva", Mc 1. 4

3. Particípio adverbial
O particípio é também usado como advérbio, geralmente temporal, quando se refere à ac-
ção do sujeito: quando, enquanto.

a) Tabiqav uJmnw'n poivei citw'na" kai; imavtia = Tabita, enquanto canta, faz túnicas e
vestidos.
b) kai; ajnakeimevnwn aujtw'n kai; esjqiovntwn oJ Ij hsou'" ei\pen: Mk 14.18
e, quando eles estavam à mesa e comiam, Jesus disse:

4. Modificações fonéticas
As modificações dos particípios seguem a mesma regra já estudada noutros casos.
Presente Futuro Aoristo
baptivzwn - zovmeno" baptivswn - sovmeno" baptivsa" - savmeno"
Dentais
peivqwn - qovmeno" peivswn - sovmeno" peivsa" - savmeno"

blevpwn - povmeno" blevywn - yovmeno" blevya" - yavmeno"


Labiais
gravfw - fovmeno" gravyw - yovmeno" gravya" - yavmeno"

a[rcwn - covmeno" a[rxwn - xovmeno" a[rxa" - xavmeno"


Palatais diwvkwn - kovmeno" diwvxwn - xovmeno" diwvxa" - xavmeno"
kravzwn - zovmeno" kravxwn - xovmeno" kravxa" - xovmeno"

5. Pesquisa: Responder quais são os particípios encontrados em João 1. 24-29.


Constantino Ferreira 91

6. Vocabulário
Grego Tradução Grego Tradução
ei\pen disse h\lqen veio
(levgw) dizer (ejrcomai) ir, vir
ei\" um labw;n
miva uma (lambavnw) receber, tomar
ejkporeuvw sair maqhthv" discípulo
ejmbaptovmeno" paradwvsei
(ejmbavptw) mergulhar (paradivdwmi) entregar
ejndedumevno" pivnwn
(ejnduovmai) visto-me (pinavw) beber
ejsqivwn proskalesamevno"
(ejsqivw) comer (proskalevw) chamar (para diante)
eujloghvsa" triblivon tigela, prato
(eujlogevw) bendizer, louvar
evjcwn (ejvcw) ter trivca" pelos (de camelo)

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.22-24
b) Pesquisa: quais os particípios encontrados na leitura?
c) Declinar: ejmbaptovmeno", ejndedumevno", triblivon
d) Conjugar: pia de ejsqivw
e) Traduzir: João 5.12, do quadro abaixo.

8. Textos do NT
Mt 11.19 h\lqen oJ uJio;" tou' ajnqrwvpou ejsqivwn kai; pivnwn
Mc 1.6 kai; h\n oJ Ij wavnnh" ejndedumevno" trivca" kamhvlou
Mc 12.43 kai; proskalesavmeno" tou;" maqhta;" aujtou' ei\pen aujtoi'":
Mc 13.1 kai; ejkporeuomevnou aujtou' ejk tou' iJerou' levgei aujtou' ei\" tw'n maqhtw'n
aujtou'
Mc 14.18 ei\" ejx uJmw'n paradwvsei me oJ ejsqivwn met! ejmou'.
Mc 14.20 oJ ejmbaptovmeno" met! ejmou' ejjn to; triblivon
oJ e[cwn to;n uiJo; ;n e[cei thn; zwhvn,
Jo 5.12 oJ mh; e[cwn to;n uiJo;n tou' Qeou' th;n zwh;n oujk e[cei.
Mc 14.22 kai; ejsqiovntwn aujtw'n labw;n avrj ton eujloghvsa"

OS CÓDICES MAIS IMPORTANTES

Código Códice Época Conteúdo Significados Biblioteca


Å Sinaitico IV séc. eapcr e = evangelhos Londres
A Alexandrino V séc. eapcr a = actos Londres
B Vaticano IV séc. eapc p = cartas paulinas Roma
C Efraimi Rescrito V séc. eapcr c = cartas gerais Paris
D Beza VI séc. ea r = apocalipse Cambridge
92 Estudo Programado de Grego Comum

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS
Constantino Ferreira 93

LIÇÃO 30

PARTICÍPIO AORISTO
O particípio aoristo existe nas três vozes: activa, média e passiva. Já estudámos que para formar
o aoristo acrescenta-se à raiz verbal o sufixo temporal (sa). O seu particípio segue a mesma re-
gra, mas não leva o aumento (e), que só é usado nos tempos secundários do indicativo: imperfei-
to, aoristo e mais-que-perfeito. O nosso paradigma continua a ser luvw.

1. Particípio aoristo activo


a) O masculino e o neutro pertencem à terceira declinação e seguem o paradig-
ma a[rcwn.
b) O feminino pertence à primeira declinação (a, h) e segue o paradigma glw'ssa.
c) Lembrar que o genitivo masculino e neutro singular são iguais: nto".
d) O Ausativo msg, Nominativo e Acusativo neutro plural são iguais: nta.

Caso Masc. Fem. Neut. Tradução


Ns luv -sa- " luv -sa- sa luv -sa- n o/a tendo solto
Gs luv -sa- nto" lu -sav- sh" luv -sa- nto" do/da
Ds luv -sa- nti lu -sav- sh/ luv -sa- nti ao/à
As luv -sa- nta luv -sa- san luv -sa- n o/a
Np luv -sa- nte" luv -sa- sai luv -sa- nta os/as
Gp lu -sav- ntwn luv -sa- sw'n lu -sav- ntwn dos/das
Dp luv -sa- si(n) lu -sav- sai" luv -sa- si(n) aos/às
Ap luv -sa- nta" lu -sav- sa" luv -sa- nta os/as

2. Particípio aoristo médio


Este particípio obedece às regras dos adjectivos da 2ª declinação em masculino e neutro e
da 1ª declinação no feminino.

Caso Masc. Fem. Neut. Tradução


Ns lu -sav- meno" lu -sa- mevnh lu -sav- menon o/a tendo solto p/si
Gs lu -sa- mevnou lu -sa- mevnh" lu -sa- mevnou do/da
Ds lu -sa- mevnw/ lu -sa- mevnh/ lu -sa- mevnw/ ao/à
As lu -sav- menon lu -sa- mevnhn lu -sav- menon o/a
Np lu -sav- menoi lu -sav- menai lu -sav- mena os/as
Gp lu -sa- mevnwn lu -sa- mevnwn lu -sa- mevnwn dos/das
Dp lu -sa- mevnoi" lu -sa- mevnai" lu -sa- mevnoi" aos/às
Ap lu -sa- mevnou" lu -sa- mevna" lu -sav- mena os/as

3. Particípio aoristo passivo


O part. passivo tem as mesmas terminações pessoais que o activo com acréscimo do (i).
Ns lu -qev- i" lu -qe- i'sa lu -qev- n o/a tendo sido solto
Gs lu -qev- nto" lu -qe- ivsh" lu -qev- nto" do/da
Ds lu -qev- nti lu -qe- ivsh/ lu -qev- nti ao/à
As lu -qev- nta lu -qe- i'san lu -qev- n o/a
Np lu -qev- nte" lu -qe- i'sai lu -qev- nta os/as
Gp lu -qev- ntwn lu -qe- isw'n lu -qev- ntwn dos/das
Dp lu -qe- i'si(n) lu -qe- ivsai" lu -qe- i'si(n) aos/às
Ap lu -qev- nta" lu -qe- ivsa" lu -qev- nta os/as
94 Estudo Programado de Grego Comum

4. Particípio 2º aoristo activo


a) O 2º aoristo é irregular e forma-se por modificação da raiz; não leva sufixo temporal
(sa). É semelhante ao imperfeito, mas perdendo uma (l).
b) O imperfeito de bavllw é e[ba-ll-on ; o 2º aoristo é e[ba-l-on.
c) O particípio é formado tirando o aumento (e[) e acrescentando à raiz do imperfeito
(bal) a terminação pessoal (wn) e sucessivamente. Temos o 2º particípio: balwvn.

Pres. Ind. activo 2º aoristo ind. act. Part. 2º aoristo Tradução


a[gw h[gagon ajgagwvn tendo guiado
baivnw e[bhn banwvn tendo ido
bavllw e[balon balwvn tendo jogado
evrj comai h'lqon ejlqwvn tendo ido/vindo
ejsqivw e[fagon fagwvn tendo comido
euJrivskw eu|ron euJrwvn tendo achado
lambavnw e[labon labwvn tendo recebido
levgw ei\pon eijpwvn tendo falado
pivptw e[peson peswvn tendo caído
fevrw h[negkon ejnegkwvn tendo carregado

5. Denominar declinação de particípios


Grego Denominação Tradução
luvwn Nms, par, pr, act, de luvw soltando, o soltando
lusomevnh/ Dfs, par, fut, méd, de luvw à soltando
luvsa" Nms, par, aor, act, de luvw o tendo solto
lusamevnou Gms, par, aor, méd, de luvw do tendo solto p/si
luqevnti Dms, par, aor, pas, de luvw ao tendo sido solto

6. Vocabulário
ajnevbh (ajnabaivnw) subo makavrio", iva bem-aventurado/a
ajfrivzw espumo mwrov", iva louco/a, néscio
eujqu;" logo, imediatamente nhsteuvw jejum
kulivw rebolo proskaleuvw chamo à frente
labou'sai (lambavnw) recebo, tomo u}dato" (u}dwr) água

7. Exercícios
a) Leitura: Ij wavnnhn 3.25-26
b) Quais as preposições existentes no texto?
c) Denominar: kaqarismou', maqhtw'n, luvsai", bavllwn, balwvn, labonta
d) Declinar: part. aor. act. m e f. de pisteuvw
e) Traduzir: Mt 25.3, abaixo.

8. Textos do NT
Mt 3.16 baptisqei;" de; oJ Ij hsou'" eujqu;" ajnevbh ajpo; tou' u}dato":
Mt 4.2 kai; nhsteuvsa" hJmevra" tesseravkonta kai; nuvkta" tesseravkonta
Mt 8.7 kai; levgei aujtw':/ E
j gw; ejlqw;n qerapeuvsw aujtovn.
Mt 10.1 kai; proskalesavmeno" tou;" dwvdeka maqhta;" aujtou'
Mt 25.3 aiJ ga;r mwrai; labou'sai ta;" lampavda" aujtwn oujk e[labon meq! eJautwn e[laion.
Mc 9.20 kai; pesw;n ejpi; th'" gh'" ejkuliveto ajfrivzwn.
Lc 1.45 kai; makariva hJ pisteuvsasa
Constantino Ferreira 95

ANOTAÇÕES E EXERCÍCIOS