Vous êtes sur la page 1sur 108

48619696

Edição 3
Setembro 2013

Insight Control Software (ICS)

Manual do utilizador

Guarde estas instruções


ÍNDICE
Secção 1 - Introdução - 1
1.1 Sumário .............................................................................................................................................................................................1
1.2 Módulo de comunicação do processo (IC-PCM) ................................................................................................................1
1.2.1 IC-PCM 1:1 ..............................................................................................................................................................................................1
1.2.2 IC-PCM 10:1 ............................................................................................................................................................................................1
1.2.3 Definições dos interruptores rotativos ........................................................................................................................................1
1.2.4 Definições dos comutadores DIP ...................................................................................................................................................1
1.2.5 Indicadores LED ..................................................................................................................................................................................2

Secção 2 – Instalação - 3
2.1 Montagem........................................................................................................................................................................................3
2.2 Ligação elétrica ..............................................................................................................................................................................3
2.3 Ligar dispositivos de E/S periféricos .......................................................................................................................................4
2.3.1 Ativar uma entrada e receber uma saída ....................................................................................................................................5
2.4 Configurar ligações de rede para o IC-PCM .........................................................................................................................6
2.4.1 Ligação Ethernet .................................................................................................................................................................................6
2.4.2 Configurar o IC-PCM utilizando o terminal série ......................................................................................................................6
2.4.3 Atribuir um endereço IP estático ao PC anfitrião .................................................................................................................. 10
2.4.4 Atribuir um endereço IP estático ao IC-PCM........................................................................................................................... 11
2.4.5 Atribuir um endereço IP dinâmico ao PC anfitrião ............................................................................................................... 11
2.4.6 Atribuir um endereço IP dinâmico ao IC-PCM........................................................................................................................ 11
2.5 Gestor da base de dados ........................................................................................................................................................ 12
2.5.1. Base de dados local:......................................................................................................................................................................... 12
2.5.1.1. Criar nova:..................................................................................................................................................................................................13
2.5.1.2. Migrar base de dados: ...........................................................................................................................................................................13
2.5.1.3. Ligar a existente: .....................................................................................................................................................................................14
2.5.2. Base de dados de arquivo:............................................................................................................................................................. 14
2.5.2.1 Criar nova base de dados:....................................................................................................................................................................15
2.5.2.2 Migrar base de dados: ...........................................................................................................................................................................16
2.5.2.3 Ligar a existente: .....................................................................................................................................................................................16
2.5.3. Mensagens de estado ..................................................................................................................................................................... 16

Secção 3 – Programar uma ferramenta - 17


3.1 Configuração Rápida ................................................................................................................................................................. 17
3.1.1 Definições de binário ...................................................................................................................................................................... 18
3.1.2 Definições de ângulo ...................................................................................................................................................................... 19
3.1.3 Definições do Binário dominante ............................................................................................................................................... 19
3.2 Configuração Geral .................................................................................................................................................................... 20
3.2.1 Configuração de ferramentas....................................................................................................................................................... 21
3.2.2 Configuração da Ligação sem Fios ............................................................................................................................................. 22
3.2.3 Definições de palavra-passe ......................................................................................................................................................... 22
3.3 Configuração Avançada ........................................................................................................................................................... 22
3.3.1 Definições Comuns .......................................................................................................................................................................... 23
3.3.2 Passo de Controlo do Binário ....................................................................................................................................................... 25
3.3.3 Passo de Controlo de Ângulo ....................................................................................................................................................... 25
3.4 Configuração geral do IC-PCM 1:1........................................................................................................................................ 26
3.4.1 Informação da versão...................................................................................................................................................................... 26
3.4.2 Definições gerais ............................................................................................................................................................................... 26
3.4.2.1 Definições de controlo de aperto .....................................................................................................................................................27
3.4.2.2 Definições de E/S (Entrada/Saída) ....................................................................................................................................................27
3.4.2.3 Tabuleiro do suporte, Ligação do comutador de configuração e Configuração utilizando o IC-PCM 1:1 .............30
3.4.2.4 Ligação e configuração de caixas de luzes ....................................................................................................................................30
3.4.2.5 Definições de data e hora ....................................................................................................................................................................31
3.4.3 Definições do protocolo................................................................................................................................................................. 31
3.4.3.1 Definições da porta série PCM ...........................................................................................................................................................31
3.4.3.2 Definições de códigos de barras/VIN ..............................................................................................................................................32
3.4.3.3 Ligação e configuração de códigos de barras utilizando o IC-PCM 1:1 ..............................................................................33
3.4.3.4 Definições EOR de série ........................................................................................................................................................................34
3.4.3.5 Configuração das definições EOR de série: ...................................................................................................................................35
3.4.3.6 Definições EOR de Ethernet ................................................................................................................................................................36
I 48619696_ed3
3.4.3.7 Configuração EOR Ethernet ................................................................................................................................................................37
3.4.3.8 Definições PFCS.......................................................................................................................................................................................39
3.4.3.9 Comunicação via série: .........................................................................................................................................................................39
3.4.3.10 Comunicação via Ethernet: .................................................................................................................................................................39
3.4.3.11 Definições PLUS.......................................................................................................................................................................................40
3.4.3.12 Definições XML ........................................................................................................................................................................................42
3.4.3.13 Configuração de XML utilizando o IC-PCM 1:1 ............................................................................................................................42
3.4.3.14 Definições do protocolo aberto ........................................................................................................................................................43
3.4.3.15 Abrir a Configuração de protocolos.................................................................................................................................................43
3.4.3.16 Definições de impressão de etiquetas ............................................................................................................................................43
3.4.3.17 Ligações e configuração da impressora para o IC-PCM 1:1 .....................................................................................................44
3.4.4 Definições FieldBus .......................................................................................................................................................................... 44
3.4.4.1 Definições ProfiBus ................................................................................................................................................................................44
3.4.4.2 Definições InterBus ................................................................................................................................................................................45
3.4.4.3 Definições DeviceNet ............................................................................................................................................................................45
3.4.4.4 Definições ModBus RTU .......................................................................................................................................................................46
3.4.4.5 Definições ModBus TCP/IP/Ethernet IP...........................................................................................................................................47
3.4.4.6 Definições do ProfiNet ..........................................................................................................................................................................47
3.5 Atribuição de parâmetros........................................................................................................................................................ 48
3.6 Definições da Ferramenta sem fios ...................................................................................................................................... 49
3.6.1 Definições do IC-PCM...................................................................................................................................................................... 49
3.6.1.1 Definições de Ethernet .........................................................................................................................................................................50
3.6.2 Definições de rádio .......................................................................................................................................................................... 50
3.6.3 Definições de SNTP .......................................................................................................................................................................... 50
3.6.4. Definições de salto de canais ....................................................................................................................................................... 51
3.6.4.1 Definições de canal secundário.........................................................................................................................................................51
3.6.4.2 Canais de rádio selecionáveis.............................................................................................................................................................51
3.6.4.3 Definições de ferramenta mapeada ................................................................................................................................................51
3.6.4.4 Definições locais .....................................................................................................................................................................................51
3.7 Transferir software...................................................................................................................................................................... 51
3.7.1 Procedimento de transferência do firmware para a ferramenta ligada a USB ........................................................... 52
3.7.1.1 Firmware MCE ..........................................................................................................................................................................................52
3.7.1.2 Firmware de visualização .....................................................................................................................................................................54
3.7.1.3 Firmware de rádio...................................................................................................................................................................................57
3.7.2 Procedimento de transferência firmware para um IC-PCM na rede............................................................................... 59
3.7.2.1 Firmware RISC ..........................................................................................................................................................................................59
3.7.2.2 Firmware de rádio...................................................................................................................................................................................61
3.7.2.3 Limpar dados ...........................................................................................................................................................................................63
3.8 Reiniciar.......................................................................................................................................................................................... 64
3.8.1 Reiniciar o IC-PCM ............................................................................................................................................................................ 64
3.8.2 Reiniciar módulos de rádio ........................................................................................................................................................... 64
3.9 Detetor de energia sem fios do PCM ................................................................................................................................... 65
Secção 4 – Monitorização do registo do ciclo e do registo de eventos da ferramenta IC-PCM
1:1/QX - 66
4.1 Executar o Registo de ciclos principal ................................................................................................................................. 66
4.1.1 Separador Executar Ver principal ................................................................................................................................................ 66
4.1.2 Separador Ver Registo de ciclos .................................................................................................................................................. 67
4.1.2.1 Dados guardados/recuperados da base de dados local no PC .............................................................................................69
4.1.2.2 Dados recuperados da Base de dados arquivada .......................................................................................................................70
4.2 Executar Ver todos principal ................................................................................................................................................... 70
4.3 IC-PCM 1:1/ Registo de ventos da ferramenta ................................................................................................................. 71
4.3.1 Registo de eventos do IC-PCM 1:1 .............................................................................................................................................. 71
4.3.2 Registo de eventos da ferramenta ............................................................................................................................................. 73
4.4 Estado/Ver rede ........................................................................................................................................................................... 76
4.4.1 IC-PCM 1:1 ........................................................................................................................................................................................... 76
4.4.2 IC-PCM 10:1 ......................................................................................................................................................................................... 77
4.4.3 Ligação à ferramenta através de USB direto ........................................................................................................................... 77
4.5 Criar relatório ............................................................................................................................................................................... 77
4.5.1 Relatório da ferramenta ................................................................................................................................................................. 77
4.5.2 Relatório do VIN................................................................................................................................................................................. 78
4.5.3 Gerador de relatório ........................................................................................................................................................................ 78
48619696_ed3 II
Secção 5 – Arquivo de dados - 79
5.1 Ecrã Definições de arquivo ...................................................................................................................................................... 79
Secção 6 – Controlo da qualidade - 80
6.1 Estatísticas ..................................................................................................................................................................................... 80
6.1.1 Dados estatísticos guardados/recuperados da base de dados local ............................................................................. 81

Secção 7 – Diagnóstico do sistema - 82


7.1 Teste da ferramenta ................................................................................................................................................................... 82
7.2 Estado da ferramenta ................................................................................................................................................................ 83
7.3 Diagnóstico do teclado, LED e áudio................................................................................................................................... 84
7.3.1 Estado do teclado ............................................................................................................................................................................. 84
7.3.2 Teste de LED ....................................................................................................................................................................................... 85
7.3.3 Diagnóstico de áudio ...................................................................................................................................................................... 85
7.4 Calibração da ferramenta ........................................................................................................................................................ 85
7.5 Alarmes de PM ............................................................................................................................................................................. 86
7.6 Diagnóstico do sistema - Ver entradas................................................................................................................................ 88
7.7 Diagnóstico do sistema - Ver/definir saída ........................................................................................................................ 88
7.7.1 Modo Ver saídas (modo normal) ................................................................................................................................................. 88
7.7.2 Definir modo de saídas (modo de diagnóstico) .................................................................................................................... 89
7.8 Descoberta do controlador direta ........................................................................................................................................ 89
Secção 8 – Diagnóstico da Ligação sem Fios - 90
8.1 Estatísticas da ligação sem fios da ferramenta ligada a USB....................................................................................... 90
8.2 Estatísticas da ligação sem fios do IC-PCM........................................................................................................................ 90
Secção 9 – Esquema do ecrã geral - 91
9.1 Componentes do ecrã ICS ....................................................................................................................................................... 91
9.1.1 Barra de título .................................................................................................................................................................................... 91
9.1.2 Seleção do tipo de família ............................................................................................................................................................. 91
9.1.3 Barra de menu ................................................................................................................................................................................... 92
9.1.3.1 Menu Ficheiro ..........................................................................................................................................................................................92
9.1.3.2 Menu Executar .........................................................................................................................................................................................92
9.1.3.3 Menu Configurar .....................................................................................................................................................................................93
9.1.3.4 Menu Estado.............................................................................................................................................................................................93
9.1.3.5 Menu Estatísticas ....................................................................................................................................................................................93
9.1.3.6 Menu Diagnóstico .................................................................................................................................................................................94
9.1.3.7 Menu ICS ....................................................................................................................................................................................................94
9.1.3.8 Menu Fonte de dados ...........................................................................................................................................................................95
9.1.3.9 Menu Ver ....................................................................................................................................................................................................95
9.1.3.10 Menu Janela..............................................................................................................................................................................................95
9.1.3.11 Menu Ajuda ..............................................................................................................................................................................................95
9.1.4 Barra de ferramentas principal .................................................................................................................................................... 96
9.1.5 Barra de ferramentas de comunicação ..................................................................................................................................... 96
9.1.6 Barra de ferramentas da base de dados ................................................................................................................................... 96
9.1.7 Área de trabalho ............................................................................................................................................................................... 97
9.1.8 Ecrãs de gráficos................................................................................................................................................................................ 97
9.1.9 Barras de Estado e Progresso........................................................................................................................................................ 97
9.1.10 Ícones .................................................................................................................................................................................................... 97

Secção 10 – Atribuição de um nome - 98


10.1 Atribuição do nome do IC-PCM/QX ..................................................................................................................................... 98
10.1.1 Etapas para atribuir um nome a uma ferramenta IC-PCM/QX: ........................................................................................ 99
10.1.2 Etapas para desatribuir um nome de uma ferramenta IC-PCM/QX: .............................................................................. 99
10.1.3 Etapas para desatribuir todos os nomes das ferramentas IC-PCM/QX: ........................................................................ 99
10.2 Atribuição de nome a configuração .................................................................................................................................... 99
10.2.1 Etapas para atribuir um nome a um número da configuração: .....................................................................................100
10.2.2 Etapas para desatribuir um nome de um número de configuração: ...........................................................................100
10.2.3 Etapas para desatribuir todos os nomes das configurações:..........................................................................................100

Informação de contacto - 101

III 48619696_ed3
Secção 1 - Introdução

1.1 Sumário
O software ICS foi concebido para proporcionar uma interface de programação e funcionalidade de arquivo para aumentar a
funcionalidades dos controladores e das ferramentas da série QX. Cada versão do ICS foi concebida para satisfazer um ambiente do
cliente especificado. A menos que indicado em contrário, os controladores têm todas as funcionalidades no seu software operativo.
A funcionalidade é restrita através da versão do software ICS utilizada para estabelecer a interface com o controlador ou com a
ferramenta. Depois de programado um controlador, o ICS pode ser desligado e o controlador funciona independentemente.

As ferramentas sem fios que podem comunicar com o IC-PCM são designadas como QXX. As ferramentas com fios que podem
comunicar com o ICS diretamente através de USB são designadas como QXC.

Este documento detalha apenas o âmbito da funcionalidade para os produtos de software ICS. Este documento não detalha a
utilização de qualquer família de controladores, ferramentas ou interface IC necessários para comunicar.

1.2 Módulo de comunicação do processo (IC-PCM)


Os IC-PCMs (módulos de comunicação do processo) são Sistemas de aperto que podem comunicar sem fios com a ferramenta QX e
podem ser programados para enviar comandos para controlar o comportamento da ferramenta. As funções de programação para as
duas unidades (IC-PCM 1:1 e 10:1) são executadas através do software ICS. A ferramenta e o IC-PCM comunicam entre si através de
uma modalidade sem fios. Os dispositivos IC-PCM podem ser configurados para funcionarem nos seguintes modos.

1.2.1 IC-PCM 1:1


Neste modo, o IC-PCM consegue comunicar apenas com uma ferramenta QX. Este modo oferece as funções descritas em baixo para
além da comunicação com o ICS:

1. Protocolos (PFCS, PLUS, XML, Ford Open Protocol, Label Printing, Ethernet EOR, Serial EOR etc.)
2. Suporte de FieldBus
3. Tomada inteligente
4. E/S programável
5. Seleção da configuração
1.2.2 IC-PCM 10:1
Neste modo, o IC-PCM consegue comunicar com um máximo de 10 ferramentas QX e funciona como ponte para enviar mensagens
entre as ferramentas e o ICS.

1.2.3 Definições dos interruptores rotativos


Se os interruptores rotativos estiverem definidos como “00”, o dispositivo encontra-se no modo IC-PCM 1:1. Se os interruptores
rotativos estiverem definidos como “01”, o dispositivo encontra-se no modo IC-PCM 10:1.

IC-PCM 1:1 IC-PCM 10:1

1.2.4 Definições dos comutadores DIP


Com o comutador número 2 na posição ‘ON’ (Ligado), a informação de depuração de série é enviada para a porta série do IC-PCM a uma
velocidade de transmissão de 38400.

NOTA: Se um comutador de depuração de série estiver na posição ON (Ligado), todas as funcionalidades dos protocolos de série
(Serial Barcode, Serial EOR, PLUS, etc.) serão desativadas.

48619696_ed3 1
1.2.5 Indicadores LED
LED de alimentação O LED tem de estar aceso quando o IC-PCM estiver ligado (ON)
O LED tem de estar aceso quando o IC-PCM tiver executado o arranque completo e estiver pronto a
LED de sistema pronto
comunicar.
LED de atividade sem fios O LED tem de estar aceso quando existir uma transação sem fios entre o IC-PCM e uma ferramenta.
LED de atividade Ethernet O LED tem de estar aceso quando o cabo Ethernet estiver ligado à porta.

LED de alimentação

LED Sistema pronto


LED de atividade da
Ligação sem Fios

LED de atividade Ethernet

2 48619696_ed3
Secção 2 – Instalação
Esta secção oferece-lhe informação sobre como instalar, configurar, programar, operar e resolver problemas do IC-PCM. A figura em
baixo mostra os principais elementos do IC-PCM.

2.1 Montagem
O IC-PCM deve ser instalado numa superfície rígida adequada perto da área de montagem, utilizando os suportes de montagem
por trás da caixa. Consulte os diagramas em baixo para obter dimensões, informações e distâncias entre os furos dos suportes.
Certifique-se de que a montagem é estável e oferece segurança ao espaço circundante. A caixa do IC-PCM está classificada com a
proteção contra os elementos exteriores de IP52, instalada na vertical, tal como mostra na imagem.
NOTA: Em caso de um fator ambiental superior a IPX0, será necessária mais proteção para as fontes de alimentação externas.

210 mm 191 mm
(8,27 pol.) (7,52 pol.)

291 mm 150 mm
(11,45 pol.) (5,91 pol.)

103 mm
(4,06 pol.)

2.2 Ligação elétrica


O IC-PCM encontra-se disponível com opções de cabos de alimentação diferentes. Reveja a informação sobre circuitos elétricos na
etiqueta (no painel inferior) e no manual de instruções. Certifique-se de que o seu circuito elétrico cumpre os requisitos elétricos e
classificações de disjuntores. Ligue o cabo de alimentação CA ao recetáculo adequado.

AVISO
É da responsabilidade do utilizador certificar-se de que o IC-PCM é instalado e ligado por um eletricista qualificado.

48619696_ed3 3
2.3 Ligar dispositivos de E/S periféricos

FieldBus opcional
Porta série

Interruptores rotativos
Comutador de resistência de término
(Comutador DIP)
Porta USB (N/A)

Bus de sincronização da alimentação (N/A)

Ethernet

Entradas/Saídas de base

5 V CC

NOTA: O bus de sincronização da cabeça motora e a porta USB não se encontram em utilização.

4 48619696_ed3
2.3.1 Ativar uma entrada e receber uma saída
Todos os sinais de entrada funcionam a 24 V CC. O retorno para o sinal de 24 V deve ser ligado a COM IN para cada banco de entrada.

Todos os sinais de saída funcionam a 24 V CC. O sinal de 24 V e o respetivo retorno devem ser ligados aos blocos de terminais com
o rótulo +/- 24VDC em cada banco de conetores de saída. Os sinais de saída serão mudados a partir do sinal de saída adequado
(ACCEPT (Aceitar), REJECT (Rejeitar), HIGH TORQUE (Aperto elevado), etc...).

Exemplo: ligação e configuração do PLC

Todas as ligações a um PLC são realizadas através dos blocos de terminais de E/S do IC-PCM 1:1, exceto a recolha de dados. A recolha
de dados é realizada através das portas FieldBus e/ou Ethernet. Para a recolha de dados, siga os procedimentos para a configuração
utilizando a porta série ou Ethernet. Através dos blocos de terminais, um PLC consegue enviar entradas para o IC-PCM 1:1 e receber
saídas do IC-PCM 1:1. É importante utilizar sempre um cabo blindado (para evitar o ruído e interferência externos) para todos os
sinais do PLC para o IC-PCM 1:1 e o cabo blindado deve ser terminado no lado do IC-PCM 1:1.

48619696_ed3 5
2.4 Configurar ligações de rede para o IC-PCM
2.4.1 Ligação Ethernet
Está disponível uma porta Ethernet no painel de conetores da unidade IC-PCM. O ICS comunica com o IC-PCM utilizando apenas
uma ligação Ethernet.

Para alterar as definições Ethernet do IC-PCM, aceda ao ecrã Definições da Ligação sem Fios. As definições para o Endereço IP,
Máscara de subrede e Porta de ligação podem ser visualizadas/modificadas. O utilizador tem a opção de Ativar/Desativar o protocolo
DHCP (Dynamic Host Communications Protocol). Quando o DDHCP está ativado, permite que o servidor de rede defina os endereços
IP para o IC-PCM.

2.4.2 Configurar o IC-PCM utilizando o terminal série


As definições de rede do IC-PCM podem ser configuradas utilizando um software emulador (Hyper Terminal, Clear Terminal, etc.).
Seguem-se as definições que podem ser alteradas.
1. Endereço IP
2. Máscara de subrede
3. DHCP.
4. Porta de ligação predefinida.
Se o software Hyper Terminal não estiver disponível no computador, o software Clear Terminal pode ser transferido do seguinte
endereço:

http://www.clearconnex.com/content/clearterminal

Siga os passos em baixo para configurar o IC-PCM.

1. Empurre o comutador DIP 2 para a posição ON (Ligado) para aceder ao modo de depuração como se mostra em baixo.

2. Ligue o cabo da porta série (DB 9) ao computador e ao IC-PCM.

3. Abra o software emulador de terminais.

6 48619696_ed3
4. Selecione a porta COM ligada.
5. Selecione o seguinte parâmetro para a porta COM.
a. Velocidade de transmissão : 38400
b. Bits de dados : 8
c. Bits de paragem : 1
d. Paridade : Nenhuma
e. Controlo de fluxo : Nenhum

6. Clique no botão Connect (Ligar). O ecrã que se segue é apresentado com alguns dados.

48619696_ed3 7
7. Escreva “nc” e prima a tecla Enter para visualizar as definições atuais.

8. Segue-se o formato para alterar as definições


nc <código> <novo valor> 8
Seguem-se os códigos que podem ser utilizados para alterar as definições
# Código Valor Descrição
1 i xxx.xxx.xxx.xxx O novo endereço IP será atribuído.
2 n xxx.xxx.xxx.xxx A nova máscara de subrede será atribuída.
3 p ligar/desligar O DHCP é ativado ou desativado.
4 g xxx.xxx.xxx.xxx O novo endereço da porta de ligação é atribuído.
Nota:
• Certifique-se de que o Endereço Ethernet não é alterado; se for alterado, deve ser único na rede, caso contrário, o IC-PCM
não é descoberto na rede. Para alterar o Endereço Ethernet (Endereço MAC) introduza nc e xx:xx:xx:xx:xx:xx em que xx é o
número entre 00 a FF no formato hexadecimal.
• Para alterar o endereço IP, o DHCP deve ser desativado (OFF); caso contrário, o endereço IP é retirado do servidor de DHCP.
• O valor Porta de ligação predefinida deverá ser igual ao do sistema em que o ICS está a ser executado.
9. Emita o comando para guardar para aplicar as alterações e reiniciar após 30 segundos. O comando para guardar as definições é
o seguinte: “nc s” 8 .
Siga o procedimento para atribuir o IP estático.
• Escreva “nc p off” para desativar o DHCP.

8 48619696_ed3
• Defina o endereço IP como 192.168.1.1 “nc i 192.168.1.2”.

• Defina a porta de ligação como “nc g 192.168.1.1”.

• Escreva “nc s” para guardar as alterações efetuadas.

48619696_ed3 9
• Reinicie após 30 segundos para que as alterações entrem em vigor.
• Depois de reiniciar, verifique as definições utilizando o comando nc. (Escreva nc 8 )

Nota: Ative o DHCP para adquirir o endereço IP a partir do servidor de DHCP.

2.4.3 Atribuir um endereço IP estático ao PC anfitrião


Ao utilizar uma ligação de um para um entre o IC-PCM e um PC, encontre as propriedades de TCP/IP no painel de controlo nas
ligações de rede locais. Selecione “Use the following IP address” (Utilizar o endereço IP que se segue) e configure como indicado em
baixo o que requer uma ligação de “um para um” e a utilização de um cabo cruzado. Se estiver a estabelecer a ligação a uma rede
local existente, utilize valores que sejam compatíveis com a rede utilizando um cabo Ethernet comum.

10 48619696_ed3
2.4.4 Atribuir um endereço IP estático ao IC-PCM
• Desative (OFF) o IC-PCM e coloque o comutador DIP vermelho na posição ON (Ligado) para o comutador 2.
• Ligue o cabo série (modem nulo) do IC-PCM ao PC.
• Inicie o Hyper Terminal ou outro software emulador de terminais, como o Clear Terminal.
• Reinicie o IC-PCM. Escreva “NC” no terminal série para iniciar a atividade de série.
• Escreva “NC P off” para desativar o DHCP e, em seguida, escreva “NC S” para guardar as definições.
• Escreva “NC I xxx.xxx.xxx.xxx” utilizando o terminal série, em que xxx.xxx.xxx.xxx é o endereço IP desejado.
• Defina a subrede se for diferente da Porta de ligação predefinida no formato xxx.xxx.xxx.1. em que os valores de x correspon-
dem ao endereço IP. Se utilizar um cabo cruzado, utilize o IP: 192.168.4.4.
• Escreva “NC S” para guardar as alterações efetuadas.
• Reinicie o IC-PCM após 30 segundos para que as alterações entrem em vigor.

2.4.5 Atribuir um endereço IP dinâmico ao PC anfitrião


Encontre as propriedades de TCP/IP no painel de controlo nas ligações a redes locais. Selecione “Obter endereço IP
automaticamente”, como indicado em baixo.

2.4.6 Atribuir um endereço IP dinâmico ao IC-PCM


Utilizando o comando “NC”, configure da seguinte forma. Certifique-se de que o endereço IP, o endereço da porta de ligação e a
Máscara de subrede correspondem à estrutura da rede.

• Escreva “NC P ON” e, em seguida, escreva “NC S” para guardar as definições.


• Escreva “NC N xxx.xxx.xxx.xxx” e, em seguida, escreva “NC S” para guardar o novo endereço de Subrede. O endereço de Subrede
deverá corresponder ao endereço de subrede do PC anfitrião.
• Escreva “NC G xxx.xxx.xxx.1” e, em seguida, escreva “NC S” para guardar o novo endereço da Porta de ligação. O xxx.xxx.xxx
deverá corresponder ao Endereço IP.
• Reinicie o IC-PCM após 30 segundos para que as alterações entrem em vigor.

48619696_ed3 11
2.5 Gestor da base de dados
O Gestor da base de dados assegura todas as operações da base de dados, como criar, migrar ou utilizar a base de
dados existente.

Seguem-se as duas funcionalidades principais do gestor da base de dados

• Base de dados local


• Base de dados de arquivo

2.5.1. Base de dados local:


A base de dados local é uma base de dados que pode ser utilizada para guardar configurações, definições gerais da
ferramenta, definições gerais do PCM, EOR de aperto, registos de eventos do controlador e da ferramenta, dados
estatísticos e perfis do utilizador. Esta base de dados pode ser local da máquina onde a ICS está presente ou encontrar-
se numa máquina remota.

Seguem-se as operações que podem ser realizadas.

• Criar nova
• Migrar
• Existente

12 48619696_ed3
2.5.1.1. Criar nova:
Esta opção irá criar uma nova base de dados.

NOTA: se esta opção for seleccionada, a base de dados existente será eliminada e os dados antigos serão substituídos.
Todos os dados guardados são armazenados nesta base de dados.

Forneça as credenciais administrativas do servidor (nome de utilizador e palavra-passe) e clique em Criar nova para criar
a base de dados.

2.5.1.2. Migrar base de dados:


Esta opção pode ser utilizada para migrar os dados existentes para a nova base de dados.

Verifique o caminho adequado do ficheiro ICS.mdb no “Ficheiro de base de dados local” antes de prosseguir com a
migração e, se necessário, modifique ou altere o caminho utilizando o botão .

48619696_ed3 13
NOTA:

1. só será migrada a opção seleccionada, como configurações, parâmetros gerais e EOR.

2. Forneça as credenciais administrativas do servidor (nome de utilizador e palavra-passe

2.5.1.3. Ligar a existente:


Esta opção pode ser utilizada para ligar a uma base de dados existente.

NOTA: esta opção só deve ser utilizada se a base de dados mais recente estiver disponível; caso contrário, podem surgir
problemas de compatibilidade e é possível que o software não se comporte conforme esperado.

NOTA:

1. a criação de uma base de dados pode demorar mais tempo consoante a localização do servidor; normal-
mente, demorará 5 minutos se a base de dados estiver no mesmo local do sistema instalado.

2. A ICS versão 6.1.0.1 e posterior não suporta a base de dados MS-Access. O requisito mínimo para a insta-
lação da ICS é o Microsoft SQL Server 2005 Express Edition ou versões posteriores.

2.5.2. Base de dados de arquivo:


A base de dados de arquivo é uma base de dados que pode ser utilizada para arquivar configurações, definições gerais
da ferramenta, definições gerais do PCM e EOR de aperto, de forma periódica. Esta base de dados pode ser local da
máquina onde a ICS está presente ou encontrar-se numa máquina remota.

14 48619696_ed3
Seguem-se as operações que podem ser realizadas.

• Criar nova
• Migrar
• Ligar a existente

2.5.2.1 Criar nova base de dados:


Esta opção irá criar uma nova base de dados.

NOTA: se esta opção for seleccionada, a base de dados existente será eliminada e os dados antigos serão substituídos.

Após o fornecimento das credenciais necessárias, clique em Criar nova, de modo a criar a base de dados de arquivo.

48619696_ed3 15
2.5.2.2 Migrar base de dados:
Esta opção efectuará as alterações necessárias no esquema da base de dados existente de modo a que a nova base de
dados seja compatível com a nova versão do software.

2.5.2.3 Ligar a existente:


Esta opção pode ser utilizada para ligar a uma base de dados existente.

NOTA: esta opção só deve ser utilizada se a base de dados mais recente estiver disponível; caso contrário, podem surgir
problemas de compatibilidade e é possível que o software não se comporte conforme esperado.

2.5.3. Mensagens de estado


Esta janela apresentará mensagens de estado adequadas durante a criação ou migração da base de dados. Todas as
acções que são realizadas serão registadas nesta lista.

16 48619696_ed3
Secção 3 – Programar uma ferramenta
Utilize o menu Configurar a partir da barra de menu principal do ICS para programar uma ferramenta. Esta secção explica como
programar uma ferramenta.

3.1 Configuração Rápida


O The Quick setup screen is used to program the QX series tool. Podem ser configuradas estratégias de Aperto / Ângulo / Aperto
dominante a partir deste ecrã.
Os conjuntos de Configurações criados utilizando este ecrã podem ser enviados para uma ferramenta (no modo de Rede) ou podem
ser armazenados localmente.
Os conjuntos de Configurações também podem ser criados e armazenados no modo Base de dados local. Os conjuntos de
Configuração armazenados localmente podem ser enviados para uma ferramenta utilizando o ecrã Atribuição de parâmetros.
O utilizador também pode visualizar os dados de configuração armazenados na base de dados arquivada.

Caixa pendente ID de
A ID de localização é utilizada como um identificador exclusivo para cada ferramenta na rede.
localização

Permite a seleção das configurações disponíveis, de 1 a 8, para programação e/ou visualização das
Caixa pendente Config.
Definições de aperto.

Permite a seleção de estratégias de aperto válidas: Controlo de binário, Controlo de ângulo e Binário
Estratégia
dominante. O Controlo de binário é a estratégia predefinida.

Unidades de Permite a seleção de todas as Unidades de binário disponíveis: Nm, Ft-lbs, In-lbs e d-Nm. Todos os
visualização do binário valores de binário são apresentados nas unidades selecionadas. Nm é a unidade predefinida.

O Número de Gang pode ser utilizado se a montagem exigir que vários parafusos sejam apertados num
Número de Gang
grupo. O valor predefinido é 0 num intervalo de 0 - 99.

O intervalo de tempo entre cada ciclo de aperto. A ferramenta mantém-se num estado bloqueado até
Atraso do ciclo (seg.)
que seja decorrido este período de tempo. O valor predefinido é 0 num intervalo de 0 - 10 segundos.

O Incremento automático pode ser utilizado para movimentar através de uma sequência especificada
de configurações de aperto. Após um ciclo de Aprovação ou Gang concluído, se o Número de Gang for
Incremento automático
definido para mais do 1, a ferramenta incrementa automaticamente para a Configuração programada
neste campo. O valor predefinido é 0 e os valores válidos são Config. 1 a 8.

Permite a seleção do Tipo de união. Existem duas opções: Total e Parcial. Total está selecionada por
Tipo de união
predefinição.

48619696_ed3 17
Define a direção de aperto da ferramenta CW (para a direita) ou CCW (para a esquerda) CW é a seleção
Direcção
predefinida.

Ativa (ON) ou desativa (OFF) o sinal sonoro da ferramenta. O Sinal sonoro é emitido para qualquer ciclo
Alerta sonoro
falhado, quando a função está ativada (ON).

O Smart Socket destina-se a funcionar como um interbloqueio para o utilizador. Na seleção da


configuração, a ferramenta está desativada e um LED acende-se do tabuleiro de suportes para indicar
que suporte o utilizador tem de selecionar (o que for programado neste campo). A ferramenta só é
Seleção de suporte
ativada quando todos os restantes suportes estão colocados e o suporte necessário for removido do
tabuleiro. O valor predefinido é 0 e os valores corretos são de 1 a 8. Esta selecção apenas é pertinente se
a funcionalidade Socket Inteligente for activada na Configuração Rápida.

Binário máximo da O binário máximo permitido para a ferramenta ligada. Este campo não é aplicável no modo de Base de
ferramenta dados local. Este campo é só de leitura.

O parâmetro Repor para é utilizado para mostrar para que configuração deve ser definida a ferramenta
Repor para
depois de ser recebida a entrada de Reposição da configuração pelo IC-PCM 1:1.

O parâmetro Inverter binário-alvo é utilizado para definir o binário-alvo para a etapa inversão das
ferramentas da porca do tubo angular.
Inverter binário-alvo
No caso de ferramentas diferentes das ferramentas da porca do tubo angular, este campo é apenas de
leitura.

O parâmetro Inverter velocidade de avanço é utilizado para definir a velocidade para a etapa inversão
Inverter velocidade de das ferramentas da porca do tubo angular.
avanço No caso de ferramentas diferentes das ferramentas da porca do tubo angular, este campo é apenas de
leitura.

Quando assinalada, a ferramenta envia um evento de Montagem concluída para o IC-PCM 1:1 que,
Montagem concluída
por sua vez, ativa uma Saída externa programada.

Desativar Inversão Quando assinalada, a ferramenta não funciona na direção Inversa.

Velocidade de A percentagem da Velocidade máxima a que a ferramenta funciona na direção inversa. O valor predefinido é
inversão (%) 100%.

Para a estratégia de binário predominante no ecrã configuração rápida na ICS existe uma opção para activar/
desactivar. Se a Compensação de tara for activada, o binário Médio da zona predominante será adicionado ao
Compensação de tara binário-alvo para criar um novo Binário-alvo modificado (para compensar o binário predominante). O Binário-
alvo modificado é comparado com o Limite de violação de Binário Elevado do Controlo de Binário. Se o limite for
ultrapassado, o passo declara um erro.

Existem três estratégias, tal como se descreve em baixo:

3.1.1 Definições de binário


Binário alvo O Binário alvo é o valor da configuração selecionada. Deve ser ≤ ao Binário máximo da ferramenta.
O valor de binário máximo aceitável para um aperto. Deve ser ≥ ao Binário alvo e não pode exceder
Limite de binário
120% do valor de binário máximo da ferramenta. Depois de ser introduzido o Binário alvo, este valor é
elevado
preenchido com 120% do Binário alvo.
O valor de binário mínimo aceitável para um aperto. Deve ser ≤ ao Binário alvo. Depois de ser introduzido o
Limite de binário baixo
valor do Binário alvo, este valor é preenchido com 80% do Binário alvo.
Limite de ângulo alto O ângulo máximo aceitável no qual o apertador pode rodar. O valor máximo não pode exceder 32 000
(graus) graus, que é o valor predefinido.
Limite de ângulo baixo
O ângulo mínimo a que o apertador deve rodar. O valor predefinido é 0.
(graus)
O binário necessário para encaixar o apertador na união. Este é o ponto do binário no qual o ângulo
Limiar de binário para o
começa a ser medido. Deve ser <= ao Binário alvo. Depois de ser introduzido o valor do Binário alvo,
Ângulo de contagem.
este valor é preenchido com 50% do Binário alvo.
O ponto do binário durante o aperto a que a ferramenta muda para uma velocidade mais baixa (para
Limiar de binário para
melhorar a precisão). Deve ser <= ao Binário alvo. Depois de ser introduzido o valor do Binário alvo, este
redução de velocidade
valor é preenchido com 25% do Binário alvo.
Tempo de espera do Tempo máximo permitido para a conclusão do passo. O valor predefinido é de 15 segundos e o
passo (Seg.) intervalo é de 1 a 65 segundos.
A aceleração do motor da ferramenta no início de um aperto. O valor predefinido é de 90% e o intervalo
Aceleração (%)
é de 5% a 100%.

18 48619696_ed3
A velocidade que a ferramenta funciona antes de atingir o Limiar de binária para redução de
Velocidade Livre (%)
velocidade. O valor predefinido é 100% num intervalo de 10% a 100%.
Velocidade de A velocidade a que ferramenta funciona depois de atingir o Limiar de binário para redução de
redução (%) velocidade. Deve ser ≤ à Velocidade Livre. O valor predefinido é 10% num intervalo de 10% a 100%.

3.1.2 Definições de ângulo


Ângulo alvo (graus) O valor do Ângulo alvo para a configuração selecionada em graus.
O ângulo máximo aceitável no qual o apertador pode rodar. Deve ser ≥ o ângulo alvo e não pode
Limite de ângulo alto
exceder os 35 200 graus. Depois de ser introduzido o Ângulo alvo, este valor é preenchido com 120%
(graus)
do Ângulo alvo.
Limite de ângulo baixo O ângulo mínimo a que o apertador deve rodar. Deve ser ≤ ao valor alvo. Depois de ser introduzido o valor
(graus) do Ângulo alvo, este valor é preenchido com 80% do Ângulo alvo.
Limite de binário O valor de binário máximo aceitável para um aperto. Não pode exceder o valor de Binário máximo da
elevado ferramenta. O valor predefinido é 0.
O valor de binário mínimo aceitável para um aperto. O valor de binário mínimo aceitável para um
Limite de binário baixo
aperto. O valor predefinido é 0.
Limiar de binário para o O binário necessário para encaixar o apertador na união. Este é o ponto do binário no qual o ângulo
Ângulo de contagem. começa a ser medido. Deve ser <= ao Limite de binário elevado.
Limiar de binário para O ponto do binário durante o aperto a que a ferramenta muda para uma velocidade mais baixa (para
redução de velocidade melhorar a precisão). Deve ser <= ao Limite de binário elevado.
Tempo de espera do Tempo máximo permitido para a conclusão do passo. O valor predefinido é de 15 segundos e o
passo (Seg.) intervalo é de 1 a 65 segundos.
A aceleração do motor da ferramenta no início de um aperto. O valor predefinido é de 90% e o intervalo
Aceleração (%)
é de 5% a 100%.
A velocidade a que a ferramenta funciona antes de atingir o Limiar de binária para redução de
Velocidade Livre (%)
velocidade. O valor predefinido é 100% num intervalo de 10% a 100%.
Velocidade de A velocidade a que ferramenta funciona depois de atingir o Limiar de binário para redução de
redução (%) velocidade. Deve ser ≤ à Velocidade Livre. O valor predefinido é 20% num intervalo de 10% a 110%.

3.1.3 Definições do Binário dominante


Definições da Zona de corte
Ângulo de corte alvo
O valor do Ângulo alvo para o passo Zona de corte em graus.
(graus)
Limite de binário O binário máximo que é permitido na zona de corte. Se o binário medido for ≥ a este valor, o passo é
elevado interrompido e declarada uma avaria. O valor deve ser ≤ ao Binário máximo da ferramenta.
Binário de Este é o ponto do binário no qual o ângulo começa a ser medido. Deve ser ≤ ao Limite de binário
enroscamento elevado.
Definições da Zona dominante
Ângulo dominante alvo
O valor do Ângulo alvo para o passo da Zona de binário dominante.
(graus)
Limite de ângulo alto Ângulo máximo de rotação permitido durante a Zona de binário dominante. Se o ângulo medido for ≥
(graus) a este valor, o passo é interrompido e declarada uma avaria.
Ângulo de rotação mínimo que deve ser rodado durante a Zona de binário dominante. Ao sair da Zona
Limite de ângulo baixo
de binário dominante, o Ângulo dominante medido é verificado para se certificar de que é superior a
(graus)
este limite. Senão for, é indicada uma avaria de Ângulo inferior.
Limite de binário O binário máximo permitido durante a Zona de binário dominante. Se o binário medido for igual ou
elevado exceder este limite, o passo é interrompido e declarada uma avaria.
O binário mínimo que deve ser atingido durante a Zona de binário prevalecente. Se o ciclo for
interrompido durante o passo da Zona de binário prevalecente (libertação do gatilho ou outra avaria) e
Limite de binário baixo
o valor de binário medido for inferior ao Limite de binário baixo, é indicada uma avaria (LED amarelo).
Se o Binário baixo for a única avaria, a ferramenta continua para o passo de Binário.

48619696_ed3 19
Definições comuns
A velocidade a que ferramenta funciona durante as zonas de Corte e Binário dominante. O valor
Velocidade Livre (%)
predefinido é 80%.
Definições de binário final
Igual à Estratégia de binário normal.

Passos para programar uma configuração:


1. No menu Configuração, clique em Configuração Rápida e a ICS abre a janela Configuração Rápida.
2. Selecione a ferramenta pretendida a partir da caixa ID do local.
3. Selecione a configuração desejada a partir da caixa Config.
4. Se a configuração estiver programada, os dados são apresentados no ecrã. Proceda às alterações necessárias e, em seguida,
clique no botão Enviar na barra de ferramentas para enviar os dados.
5. Se a configuração não estiver programada, todos os valores predefinidos são preenchidos.
Introduza todos os parâmetros conforme necessário e clique no botão Enviar na barra de ferramentas para enviar os dados para
a ferramenta.
6. Para guardar esta Configuração localmente clique no ícone Guardar na barra de ferramentas. Selecione “Yes” (Sim). Introduza um
nome para a configuração quando lhe for pedido e selecione “OK”.
Guardar uma configuração:
1. No menu Configuração, clique em Configuração Rápida e a ICS abre a janela Configuração Rápida.
2. Clique no botão Modo Base de dados na barra de ferramentas.
3. Programe todos os parâmetros com os valores pretendidos.
4. Introduza um nome para a configuração na caixa de texto Nome do conj. configuração.
5. Escolha Guardar a partir do menu Ficheiro para guardar a configuração na base de dados local.
6. Depois de guardar na Base de dados local, o utilizador pode enviar a Configuração para a ferramenta utilizando o ecrã
Atribuição de parâmetros.

3.2 Configuração Geral


O separador Configuração geral permite ao utilizador recuperar, editar e enviar definições gerais para a ferramenta selecionada no
Modo Rede ou recuperar e guardar definições no Modo Base de dados local. Depois de guardar na Base de dados local, o utilizador
pode enviar as Definições gerais guardadas para a ferramenta utilizando o ecrã Atribuição de parâmetros. Depois de guardar na Base
de dados local, o utilizador pode enviar as Definições gerais guardadas para a ferramenta utilizando o ecrã Atribuição de parâmetros.

O separador Configuração geral inclui as seguintes três subsecções:


20 48619696_ed3
3.2.1 Configuração de ferramentas
Utilizada para definir uma ID de localização para uma ferramenta em particular. A ID de localização é
utilizada como um identificador exclusivo para cada ferramenta na rede. O número da ID de localização é
ID de localização
uma entrada de quatro dígitos que representa um local na linha de montagem. Cada ferramenta deve ter
uma ID de localização exclusiva.

Define como as Configurações são selecionadas. As opções disponíveis a partir da caixa pendente para
este parâmetro são Interno, Externo e Qualquer.
Interno: o número da Configuração de aperto pode ser selecionado utilizando apenas o monitor da
Modo de configuração ferramenta.
Externo: o número da Configuração de aperto pode ser selecionado utilizando meios externos, como
apenas o IC-PCM 1:1 ou o ICS.
Qualquer: o número da Configuração de aperto pode ser selecionado utilizando modos internos ou externos.

Tempo de espera do Se o Farol estiver ativado, é desativado (OFF) após o período de tempo especificado definido no campo
farol Tempo de espera do farol.

A ferramenta muda para o “Modo de hibernação” se o gatilho na ferramenta não for pressionado durante
Tempo de espera de o período de tempo especificado neste campo. Esta funcionalidade é utilizada para preservar a bateria.
hibernação Utilizar o teclado no monitor ou o ICS para comunicar não impede a ferramenta de entrar no “Modo de
hibernação”.

Se a Memória intermédia de EOR estiver ativada, quando estiver fora do alcance do PCM, a ferramenta
Número da memória executa ciclos até chegar ao número da Memória intermédia de EOR. A ferramenta é então desativada e
intermédia de EOR produz o Código de erro F-01 no monitor quando o gatilho é pressionado.
Consulte a secção Memória intermédia de EOR para obter mais informação.

Alternância momentânea da direcção da ferramenta:


Estão disponíveis as seguintes opções.
• Inversão momentânea: neste modo, a ferramenta funciona para a frente quando apenas o
gatilho é pressionado e funciona para trás quando o interruptor momentâneo é premido
• Inversão a duas mãos: neste modo, a ferramenta funciona para a frente quando apenas o
gatilho é premido e funciona para trás quando o gatilho e o interruptor momentâneo são
premidos em simultâneo.
• Apenas gatilho: neste modo, a ferramenta funciona para a frente quando o gatilho é
Modo da porca do premido pela primeira vez e funciona para trás na seguinte. A direcção irá continuar a
tubo
alternar a cada pressão do gatilho.
• Direcção de alternância momentânea: neste modo, a ferramenta funciona para a frente
ou para trás quando apenas o gatilho é premido. A direcção alterna quando o interruptor
momentâneo é premido
• Funcionamento completo a duas mãos: neste modo, a ferramenta funciona para a frente
quando o gatilho e o interruptor momentâneo são premidos em simultâneo e funciona
para trás da vez seguinte em que o gatilho e o interruptor momentâneo forem premidos.
No caso de ferramentas diferentes das ferramentas da porca do tubo angular, este campo é apenas de
leitura.

Quando assinalada, esta função desativa a ferramenta após o ciclo Aprovado, após um Gang concluído ou
Interbloqueio ativo depois da última Configuração numa cadeia ser concluída. A ferramenta mantém-se desativada até que seja
selecionada uma nova Configuração.

Quando esta opção está assinalada, o teclado na ferramenta é bloqueado de modo a que o utilizador não
Bloqueio do teclado seja capaz de aceder ao ecrã Palavra-passe e alterar as definições da Configuração. O utilizador continua a
ter a capacidade de percorrer as definições da ferramenta.

Ativar Farol Quando assinalada, o Farol da ferramenta é ativado.

Quando a opção está assinalada, a funcionalidade Memória intermédia EOR está ativa.
A Memória intermédia EOR é uma função de Proteção de dados EOR em que o utilizador define um
Ativar Memória número para a Memória intermédia EOR. Se estiver fora do alcance do PCM, a ferramenta executa ciclos
intermédia EOR até chegar ao número da Memória intermédia de EOR. A ferramenta é desativada e produz o Código de
erro F-01 no monitor quando o gatilho é pressionado. A ferramenta permanece bloqueada até que se
encontre no alcance do PCM. O contador é reposto.

Ativar Novas
Quando assinalada, as Novas tentativas EOR estão ativadas.
tentativas EOR

48619696_ed3 21
Ativar Novas Quando assinalada, as novas tentativas de comunicação para o Módulo de RF ligado à ferramenta estão
tentativas sem fios ativadas.

Ativar Smart Socket Quando assinalada, a ferramenta está bloqueada até que o suporte adequado seja selecionado.

Inverter Ferramenta Quando seleccionada, a ferramenta Saída LED será inversa. Uma falha grave (binário ou ângulo) irá
Saída LED acender o LED amarelo e uma falha simples (binário ou ângulo) irá acender o LED vermelho.

3.2.2 Configuração da Ligação sem Fios


Os parâmetros da Ligação sem Fios da ferramenta só podem ser definidos quando a ferramenta está ligada a USB.
Ativar Ligação sem Fios Ativa a funcionalidade de ligações sem fios da ferramenta.
Ativar Salto de canais Desativa a funcionalidade de salto de canais na ferramenta. O salto de canais é ativado apenas através
das definições do PCM.
Endereço MAC local Mostra o endereço MAC da ferramenta ligada. O utilizador não pode alterar o endereço MAC.
ID PAN Valor de 16 bits utilizado para identificar exclusivamente um nó a partir da coleção de nós no canal físico.
Canal de RF Identificador para o canal de radiofrequência a ser utilizado. Tal como definido pela especificação 802.15.4.
Potência de Utilizado para controlar o nível de dB do transmissor de rádio.
transmissão

3.2.3 Definições de palavra-passe


O módulo Configuração da palavra-passe é utilizado para definir a palavra-passe para a ferramenta ligada. A palavra-passe é definida
como um valor numérico de quatro dígitos. O módulo Definições de palavra-passe da ferramenta só pode ser definido quando a
ferramenta está ligada a USB.

3.3 Configuração Avançada


O Ecrã de Configuração Avançada é utilizado para programar a ferramenta da série QX com acesso a todos os
parâmetros de configuração, permitindo a programação de estratégias de multi-passos. Os passos de controlo de
binário ou/e de controlo de ângulo podem ser configurados a partir deste ecrã.
As definições de Configuração criadas através deste ecrã podem ser enviadas para uma ferramenta (em modo Rede).
As definições de Configuração também podem ser criadas e armazenadas no Modo Base de Dados Local. As Definições
de Configuração armazenadas localmente podem ser enviadas para uma ferramenta através do ecrã Atribuição de
Parâmetros.
O utilizador também pode ver os dados de configuração arquivados que foram armazenados na base de dados
arquivada.

Modificar: Clique no botão Modificar para adicionar/modificar os passos de controlo de aperto.

22 48619696_ed3
Ant: É utilizado para passar para o passo anterior da estratégia seleccionada. Este botão ficará desactivado se o passo
actual for o primeiro.
Seg: É utilizado para passar para o passo seguinte da estratégia seleccionada. Este botão ficará desactivado se o passo
actual for o último.

Seguem-se as definições que podem ser programadas para a ferramenta QX seleccionada.


1. Definições Comuns
2. Passo de Controlo do Binário
3. Passo de Controlo de Ângulo

3.3.1 Definições Comuns


O ecrã de Definições Comuns é utilizado para configurar as definições gerais da configuração multi-passos. Inclui
parâmetros configurados pelo utilizador que são comuns a todos os passos.

48619696_ed3 23
Caixa pendente do ID O ID do Controlador é utilizado como um identificador único para cada ferramenta da
do Controlador rede.
Caixa pendente Config. Apresenta a selecção de todas as configurações disponíveis, de 1 a 8, para Programação e/
ou Apresentação das definições de Aperto.
Unidades de Apresenta a selecção de todas as Unidades de Binário disponíveis: Nm, Ft-lbs, In-lbs e
Apresentação de d-Nm. Todos os valores de binário serão apresentados juntamente com as unidades
Binário seleccionadas. Nm é a unidade predefinida.
Contagem de grupo A Contagem de grupo pode ser utilizada se uma montagem exigir o aperto de vários
parafusos em simultâneo. O valor predefinido é 0 e o intervalo é de 0 – 99.
Atraso no ciclo (seg) Intervalo de tempo entre cada ciclo de aperto. A ferramenta ficará bloqueada até que o
intervalo de tempo termine. O valor predefinido é 0 e o intervalo é de 0 – 10 segundos.
Auto-incrementação A auto-incrementação pode ser utilizada para percorrer uma sequência específica de
configurações de aperto. Após um ciclo de passagem ou da conclusão de um grupo,
caso a contagem de grupo esteja definida para mais do que 1, a ferramenta procederá a
uma incrementação automática para a Configuração programada neste campo. O valor
predefinido é 0 e os valores válidos são Config. 1 a 8 .
Tipo de junta Apresenta a selecção de Tipos de junta. Existem duas opções – Dura e Macia. A junta dura
será seleccionada por defeito.
Direcção Inversa Configura a direcção inversa da ferramenta para SH (sentido horário) ou SAH (sentido anti-
horário). O SAH é seleccionado por defeito.
Alerta sonoro Liga (ON) ou Desliga (OFF) o alarme da ferramenta. O Alerta Sonoro soará para qualquer
ciclo não efectuado, sempre que estiver ligado (ON).
Selecção de chave de A funcionalidade Socket Inteligente funciona como um bloqueio para o utilizador. Ao
caixa (socket) seleccionar a configuração, a ferramenta ficará desactivada e acender-se-á um LED na
placa de chaves de caixa que indica qual a chave de caixa que o utilizador deve seleccionar
(a que foi programada neste campo). A ferramenta só será activada quando todas as
chaves de caixa forem colocadas e a chave de caixa assinalada for retirada da placa. O valor
predefinido é 0 e os valores correctos são de 1 a 8. Esta selecção apenas é pertinente se a
funcionalidade Socket Inteligente estiver activada na configuração de ferramentas.
Binário máx. da Binário máximo permitido para a ferramenta ligada. Este Campo não é aplicável no Modo
ferramenta Base de Dados Local. Este campo é apenas de leitura.
Montagem Concluída Quando seleccionada, a ferramenta enviará um Evento de Montagem Concluída para o
IC-PCM 1:1 que depois accionará a Saída Externa programada.
Desactivar Inversão Quando seleccionada, a ferramenta não funcionará na direcção Inversa.

24 48619696_ed3
Velocidade de Inversão A percentagem de Velocidade Máxima à qual a ferramenta funcionará na direcção inversa.
(%) O valor predefinido é 100%.
Repor para O parâmetro Repor para é utilizado para indicar qual a configuração que deve ser
escolhida para a ferramenta depois da Entrada de Reposição da Configuração ser recebida
pelo IC-PCM 1:1.

3.3.2 Passo de Controlo do Binário


A ICS permite ao utilizador programar os seguintes parâmetros de controlo do binário.

Para mais informações sobre o campo de parâmetro de binário consulte a Secção 3.1.1 Definições de binário.

3.3.3 Passo de Controlo de Ângulo


A ICS permite ao utilizador programar os seguintes parâmetros de controlo de Ângulo.

Para mais informações sobre o campo de parâmetro de ângulo consulte a Secção 3.1.2 Definições de ângulo.
Passos para programar uma configuração multi-passos:
1. No menu Configuração, clique em Configuração Avançada e a ICS abre a janela Configuração Avançada.
2. Seleccione a ferramenta que pretende a partir da caixa pendente do ID da Localização.

48619696_ed3 25
3. Seleccione a configuração que pretende a partir da caixa pendente Config.
4. Se a configuração estiver programada, os dados serão apresentados no ecrã. Proceda às alterações necessárias e
depois clique no botão Enviar na barra de ferramentas para enviar os dados.
5. Se a configuração não estiver programada, clique no botão Modificar para aparecer a caixa de diálogo Sequência
de Configuração Avançada.
6. Escolha os passos que pretende na sequência adequada a partir da caixa Parâmetros Disponíveis no lado direito da
caixa de diálogo, movendo-os para a caixa de Passos de Configuração no lado direito, clicando no botão de
transferência.
NOTA: A opção Definições Comuns deve ser seleccionada como primeiro passo, em qualquer tipo de estratégia multi-
passos. O software avisa-o se escolher um passo que não cumpra uma sequência multi-passos adequada.
7. Utilize o botão Inserir para incluir um passo em branco acima do passo existente. Para além disso, utilize o botão
Eliminar para remover um passo não desejado.
8. Clique no botão OK depois de adicionar todos os passos necessários.
9. Escolha passos individuais a partir do lado esquerdo do ecrã de Configuração Avançada para apresentação dos
parâmetros de configuração para cada um dos passos.
10. Efectue todas as alterações necessárias às Definições Predefinidas para cada passo. Insira todos os parâmetros
conforme exigido e clique no botão Enviar na barra de ferramentas para enviar os dados para a ferramenta.
Para guardar a configuração:
1. No menu Configuração, clique em Configuração Avançada e a ICS abre a janela Configuração Avançada.
2. Clique no botão Modo Base de Dados na barra de ferramentas.
3. Programe todos os parâmetros com os valores desejados.
4. Insira um nome para a configuração na caixa de entrada Definir Nome Config.
5. Escolha Guardar a partir do menu Ficheiro para guardar a configuração na base de dados local.
6. Uma vez guardada na Base de Dados Local, o utilizador poderá enviar a Configuração para a ferramenta através do
ecrã Atribuição de Parâmetros.

3.4 Configuração geral do IC-PCM 1:1


O ecrã Configuração geral do IC-PCM 1:1 oferece uma opção para configurar as definições gerais para o IC-PCM 1:1 selecionado e
permite guardar as definições na base de dados local.
Este ecrã também permite visualizar definições gerais arquivadas do IC-PCM 1:1 recuperando a informação a partir da base de dados
arquivada.

Seguem-se as definições que podem ser programadas/visualizadas para o IC-PCM 1:1 selecionado:
- Informação da versão
- Definições gerais
- Definições do protocolo
- Definições FieldBus

3.4.1 Informação da versão


A seleção de Informação da versão mostra a versão RISC do IC-PCM atualmente instalada para o IC-PCM 1:1 selecionado.

3.4.2 Definições gerais


Seguem-se as definições que podem ser programadas a partir do separador Definições gerais para o IC-PCM 1:1 selecionado:
26 48619696_ed3
- Definições de controlo de aperto
- Definições de E/S
- Definições de data e hora
3.4.2.1 Definições de controlo de aperto
As definições de controlo de aperto permitem programar o tipo do “Modo de seleção da configuração”, o “Modo de ativar/desativar a
ferramenta remota” e a opção Ativar/Desativar para a função Smart Socket.

Permite ao utilizador ativar/desativar a operação de aperto da ferramenta remotamente.


Opção “Linha 1”: o pino de entrada “Ativar” do IC-PCM 1:1 tem de estar na posição ON (Ligado) para iniciar a
operação de aperto para a ferramenta. Para desativar a ferramenta, o pino de entrada “Ativar” deve estar na
Modo Ativar/ posição OFF (Desligado).
Desativar a
ferramenta Opção “Linha 2”: o pino de entrada “Desativar” do IC-PCM 1:1 tem de estar na posição OFF (Desligado) para
remota desativar a operação de aperto da ferramenta. Para ativar a “Operação de aperto”, o pino de entrada “Desativar”
tem de estar na posição OFF (Desligado) e o pino de entrada “Ativar” deverá ser premido.
“Nenhuma”: define a ferramenta mapeada para o IC-PCM 1:1, sempre no modo ativado para a operação de
aperto.
A funcionalidade Seleção da configuração define o método de seleção da ferramenta mapeada no IC-PCM 1:1.
Opção “Discreta externa”: permite selecionar a configuração da ferramenta mapeada ativando o pino de
entrada específico para o qual o comportamento de entrada do número da configuração foi atribuído.
A opção “Binário externo” permite selecionar os números da configuração (1 a 8) para a ferramenta mapeada
utilizando a combinação como se mostra por baixo de Atribuir comportamentos de entrada Config. 1, 2, 3 ao
pino de entrada 1, 2, 3.

Config Entrada 1 Entrada 2 Entrada 3


1 0 0 0
2 1 0 0
Modo Seleção 3 0 1 0
da configuração
4 1 1 0
5 0 0 1
6 1 0 1
7 0 1 1
8 1 1 1
A opção “Ethernet externa” no IC-PCM 1:1 permite selecionar o número da configuração da ferramenta
mapeada com base na mensagem de seleção da configuração que é recebida na respetiva porta Ethernet.
O IC-PCM 1:1 está sempre listado na Porta número 61000 para a mensagem de seleção da configuração.
NOTA: este número de porta não pode ser configurado pelo utilizador.
A caixa de verificação “Ativar Smart Socket” permite ativar a função de tabuleiro de suportes Smart Socket no
Ativar Smart
IC-PCM 1:1. Esta função requer que o utilizador retire o suporte do tabuleiro de suportes para que a ferramenta
Socket
seja ativada. O suporte é atribuído pelas definições da configuração.
3.4.2.2 Definições de E/S (Entrada/Saída)
Atribuir entradas
O separador Atribuir entradas proporciona um método para atribuir comportamentos de entrada ao pino de entrada físico do IC-PCM
1:1. O ecrã apresenta uma lista de comportamentos de entrada para a programação dos pinos de entrada. O ecrã também oferece
flexibilidade para posicionar os comportamentos da entrada e impede a duplicação de atribuições dos mesmos comportamentos para
diferentes pinos de entrada do IC-PCM 1:1.

48619696_ed3 27
Pinos de entrada/Lista de
Esta lista mostra os comportamentos de entradas atuais versus os pinos de entrada (2-I-1 a 2-I-8).
comportamentos
A lista “Comportamentos” mostra todos os comportamentos disponíveis que não tenham sido
atribuídos a qualquer um dos pinos de entrada. Segue-se uma lista de comportamentos de entrada
- Os comportamentos “Configurações 1-8” selecionam o número da configuração da ferramenta
mapeada para o IC-PCM 1:1
- O comportamento “Ativar” ativa a ferramenta para realizar a operação de aperto
- O comportamento “Desativar” desativa a ferramenta de realizar a operação de aperto
- O comportamento “Reposição de Gang” repõe o Número de Gang atual para 0.
- O comportamento “Avanço de Gang” avança o Número de Gang atual em 1 no caso de um ciclo
falhado.
- O comportamento “Repor config.” repõe o número da Configuração da ferramenta mapeada para
o número de configuração que foi programado na configuração ativa
- O comportamento “Repor saídas” repõe todos os pinos de saída para a condição não ativa.
Lista de comportamentos - O comportamento “Avançar config.” avança para o número de configuração seguinte que está
programado na configuração ativa.
- O comportamento “Seleção de suporte 1-8” é utilizado numa configuração do tabuleiro de
suportes para saber que número de suporte está selecionado para a configuração correspondente.
- Os comportamentos “Entrada do utilizador 1-8” são utilizados para receber comandos de entrada
do dispositivo FieldBus para o IC-PCM 1:1.
- O comportamento “Reimprimir etiqueta” é utilizado para reenviar uma etiqueta para a impressora
ligada ao IC-PCM 1:1.
O comportamento “Reposição manual PLUS” repõe a comunicação PLUS no IC-PCM 1:1.
O comportamento “Comunicação de reinicialização do PLUS” reinicializa a comunicação com o
servidor PLUS.
O comportamento “Sincronização do PLUS” sincroniza a comunicação entre o servidor PLUS e o
IC-PCM 1:1

O botão de entrada “Atribuir” é utilizado para atribuir o comportamento da entrada selecionada ao


Botão de entrada Atribuir pino de entrada selecionado do IC-PCM 1:1.
Selecione o pino de entrada (2-I-1) a partir de “Pino de entrada /Lista de comportamentos” e os
comportamentos adequados a partir da lista “Comportamentos” e clique no botão Atribuir (seta a
apontar para a esquerda) para atribuir o comportamento ao pino de entrada selecionado.

O botão de entrada “Anular atribuição” é utilizado para anular um comportamento de entrada de


Botão de entrada Anular um pino de entrada programado.
atribuição Selecione o pino de entrada (2-I-x) a partir de “Pino de entrada/Lista de comportamentos” e
clique no botão “Anular atribuição” (seta a apontar para a direita) para anular a atribuição do
comportamento do pino de entrada selecionado.
Botão “Anular a atribuição
de todos” O botão “Anular a atribuição de todos” é utilizado para anular a atribuição de todos os
comportamentos de entrada dos pinos de entrada programados (2-I-1 a 2-I-8).

28 48619696_ed3
Definições de saída
O separador Atribuir saídas proporciona um método para atribuir comportamentos de saídas aos pinos de saída físicos do IC-PCM
1:1. O ecrã apresenta uma lista dos comportamentos de saída para selecionar e atribuir aos pinos de saída desejados. O ecrã também
oferece flexibilidade para posicionar os comportamentos da saída nos pinos de saída do IC-PCM 1:1. As Saída mantêm-se ativas (ON)
até que o intervalo de “Tempo” especificado tenha decorrido. O “Tempo” predefinido é 0. Com este valor, as Saídas permanecem
ativas (ON) até que sejam recebidos os dados EOR seguintes ou até que a entrada “Repor saídas” seja ativada (ON).

Pinos de
saída/Lista de Esta lista mostra os comportamentos de saídas atuais vs os pinos de saída (1-O-1 a 1-O-8) no IC-PCM 1:1.
comportamentos

A lista “Comportamentos de saída” mostra todos os comportamentos. Segue-se uma lista de comportamentos
de saída
- O comportamento “Aceitar” é ALTO quando a sequência de aperto está “OK” para a ferramenta mapeada para
o IC-PCM 1:1.
- O comportamento “Rejeitar” está ALTO quando a sequência de aperto está “NÃO OK” para a ferramenta
mapeada para o IC-PCM 1:1.
- O comportamento “Ciclo concluído” é ALTO quando a sequência de aperto é concluída independentemente
do estado de Aprovação/Falha da ferramenta mapeada para o IC-PCM 1:1
- O comportamento “Binário elevado” é ALTO quando o Resultado do binário é superior ou igual ao Limite de
binário elevado programado para a configuração.
- O comportamento “Binário baixo” é ALTO quando o Resultado de binário final está abaixo do Limite de
binário baixo programado para a configuração.
- O comportamento “Ângulo elevado” é ALTO quando o Resultado do ângulo é superior ou igual ao Limite de
Lista de ângulo elevado programado para a configuração.
comportamentos - O comportamento “Ângulo baixo” é LATO quando o valor de Ângulo final dos resultados de aperto é inferior
ao Limite de ângulo baixo da ferramenta mapeada para o IC-PCM 1:1.
“Rejeitar sinal sonoro” é ALTO quando a sequência de aperto é “NÃO OK”
“Marcador de pintura” é ALTO quando a sequência de aperto é “OK”
“Avaria do sistema ” ALTO indica um problema com o IC-PCM 1:1.
“Gang concluído” apresenta-se ALTO quando ocorre o “Gang concluído”
“Config. 1-8” apresenta ALTO quando é selecionada uma Configuração particular na ferramenta.
“Seleção de suporte 1-8” apresenta ALTO quando é selecionada uma Configuração que tem um Número de
seleção de suporte atribuído.
“Saída do utilizador 1-8” é ALTO quando ativada (‘On’) por um dos protocolos FieldBus.
O “Protocolo online” está ALTO quando qualquer um dos protocolos está activo.
O “LED verde 1-4” está ALTO quando o LED específico é ligado pelo servidor XML.
“Montagem completa” está ALTO quando é recebido da ferramenta o sinal de montagem completa.

O botão de saída “Atribuir” é utilizado para atribuir os comportamentos de saída ao pino de saída selecionado do IC-
PCM 1:1.
Botão de saída
Atribuir Selecione o pino de saída (1-O-x) a partir de “Pino de saída/Lista de comportamentos” e o comportamento adequado
a partir da lista “Comportamentos”. Clique no botão de saída “Atribuir” (seta a apontar para a esquerda) para atribuir o
comportamento ao pino de saída selecionado.

O botão de saída “Anular atribuição” é utilizado para anular a atribuição de comportamentos de saída a partir
do pino de saída programado.
Botão de saída
Anular atribuição Selecione o pino de saída (1-O-x) a partir de “Pino de saída/Lista de comportamentos” e clique no botão
“Anular atribuição” (seta a apontar para a direita) para anular a atribuição do comportamento do pino de saída
selecionado.

48619696_ed3 29
Botão “Anular
O botão “Anular a atribuição de todos” é utilizado para anular a atribuição de todos os comportamentos de
a atribuição de
saída dos pinos de entrada programados (1-O-1 a 1-O-8).
todos”

Para definir um período de tempo de espera para um pino de saída, introduza um período de tempo em
segundos na coluna Tempo. Se o tempo de saída for definido como zero, o pino de saída permanece ativo
Definir tempo
até à conclusão do ciclo seguinte. Caso contrário, o pino de saída passa a Baixo após o período de tempo de
espera.
NOTA: Por motivos de segurança, os comportamentos de Entrada ou Saída recém atribuídos no IC-PCM-1:1 não entram em vigor
sem que o IC-PCM 1:1 seja reiniciado.
3.4.2.3 Tabuleiro do suporte, Ligação do comutador de configuração e Configuração utilizando o IC-PCM 1:1
• Mapeie a ferramenta sem fios da série QX para o IC-PCM 1:1.
• Utilizando a aplicação ICS, ative a função Smart Socket no IC-PCM 1:1 a partir do ecrã Configuração geral.
• Programe os comportamentos do número da configuração e dos números de suportes para os comportamentos de Entradas/
Saídas do IC-PCM 1:1 a partir do respetivo ecrã Configuração geral.

• Assinale a caixa de verificação “Ativar Smart Socket” a partir do ecrã Configuração geral da ferramenta.
• Para os números de configuração atribuídos acima, programe a Configuração de aperto e o número de suporte correspondente
a partir do ecrã Configuração de aperto.
• Ligue as linhas de Entrada/Saída do Tabuleiro do suporte aos blocos de terminais do IC-PCM 1:1 e certifique-se de que todos os pinos
funcionam corretamente utilizando o ecrã de diagnóstico Ver Entrada/Saída. Para executar a ferramenta, selecione o número da
configuração utilizando o sinal de entrada externo para o IC-PCM 1:1, ICS ou FieldBus ou a partir do ecrã da ferramenta. O IC-PCM 1:1
envia então o sinal de saída do número do suporte correspondente para o Tabuleiro do suporte. Levante o suporte correspondente para
a configuração selecionada. A ferramenta encontra-se agora na condição desbloqueada para executar a sua configuração.
NOTA: A ferramenta não executa a sua configuração se for removido mais do que um suporte do tabuleiro ou se for removido o suporte
incorreto.
3.4.2.4 Ligação e configuração de caixas de luzes
• Localize as cores dos cabos ativos para as caixas de luzes.
• Ligue a caixa de luz aos blocos de terminais do IC-PCM 1:1
30 48619696_ed3
• Certifique-se de que uma ferramenta sem fios da série QX está mapeada para o IC-PCM 1:1.
• A partir do ecrã Configuração geral do IC-PCM 1:1, atribua os comportamentos de saída aos blocos de terminais
correspondentes.
• Numa configuração padrão, as luzes coloridas indicam o seguinte:
Vermelho : Binário/Ângulo elevado
Verde : Aceitar saída.
Amarelo : Binário/Ângulo baixo.
3.4.2.5 Definições de data e hora
As Definições de data e hora permitem ao utilizador definir as Definições de data e hora para o IC-PCM 1:1.

A caixa pendente de Formato da data permite ao utilizador definir o formato de data para o IC-PCM
Formato da data
1:1 (MMDDAA e DDMMAA).
A caixa pendente Desvio permite ao utilizador definir o fuso horário atual para o IC-PCM 1:1.
Seguem-se as opções para o Desvio do fuso horário – GMT-12, GMT-11, GMT-10, GMT-9, GMT-8,
Desvio GMT-7, GMT-6, GMT-5, GMT-4, GMT-3:30, GMT-3, GMT-2, GMT-1, GMT, GMT+1, GMT+2, GMT+3,
GMT+3:30, GMT+4, GMT+5, GMT+5:30, GMT+5:45, GMT+6, GMT+6:30, GMT+7, GMT+8, GMT+9,
GMT+9:30, GMT+10, GMT+11, GMT+12, GMT+13.
Ativação da Hora de A opção Hora de Verão é utilizada para ativar ou desativar o ajuste de hora automático para a Hora
Verão de Verão de países selecionados.
Em Hora de Verão O formato de hora que é recebido do IC-PCM 1:1 encontra-se na Hora de Verão.
Formato da hora O Formato da hora permite definir a hora atual no formato de 12 ou 24 horas.

3.4.3 Definições do protocolo


O separador de definições de Atribuição do protocolo oferece opções para atribuir protocolos e personalizá-los para as várias portas
de comunicação. Seguem-se os diferentes protocolos que podem ser atribuídos a cada porta disponível.
3.4.3.1 Definições da porta série PCM
Esta definição permite definir as “definições da porta série” do IC-PCM 1:1.

48619696_ed3 31
Velocidade de transmissão define a velocidade para a comunicação da porta série. As velocidades de
Velocidade de
transmissão que se seguem podem ser definidas a partir do ICS 100, 1200. 2400, 4800, 9600. 14400,
transmissão
19200, 28800, 38400, 57600, 76800, 115200.
Paridade A Paridade define a paridade da ligação de série como Nenhuma, Ímpar, Par.
Bits de paragem Bits de paragem define o número de Bits de paragem como 1 ou 2.
Bits por caráter Bits por caráter define o parâmetro de Bits por caráter como 7 ou 8.
O endereço Multi Drop define o número de endereços para utilização com o protocolo Saída de dados
Endereço Multi Drop
anfitrião.
Protocolo indica que protocolo está definido para a porta série, tal como “Código de barras de série”,
Protocolo
“EOR de série”, “Código de barras PLUS” e “Impressão de etiquetas”
3.4.3.2 Definições de códigos de barras/VIN
As definições de códigos de barras/VIN permitem ao utilizador configurar definições relacionadas com códigos de barras, tais como
comprimento, critérios, carateres De/A para a correspondência dos critérios. A entrada do scanner de códigos de barras pode ser
definida para diferentes tipos de portas de comunicação padrão (Ethernet/série) do IC-PCM 1:1.
Outros protocolos, tais como o ProfiBus ou o DeviceNet também podem introduzir um código de barras ou número VIN no IC-PCM
1:1, mas os códigos de barras não são sujeitos à verificação de critérios.

32 48619696_ed3
Modo nas definições de Código de barras permite definir dois tipos de modos, “Passivo” e “Ativo”
Modo passivo: anexa a sequência do código de barras aos dados EOR recebidos da ferramenta sem qualquer
comparação de critérios. A informação do código de barras é armazenada localmente nos dados do registo de
ciclos do IC-PCM 1:1, mas não nos dados do registo de ciclos da ferramenta.
Modo ativo: conta com toda a funcionalidade do modo passivo e a funcionalidade adicionada de permitir que o
Modo Código de barras/VIN selecione o número da configuração na ferramenta. Os códigos de barras/VINs válidos são
identificados com base nos carateres no código de barras que deverão corresponder aos critérios definidos para o
número da configuração correspondente. Se tiver êxito, anexa a sequência do código de barras aos dados EOR.
Modo desligado (OFF): desativa a operação de código de barras para o IC-PCM 1:1. “No BCode” (Sem código de
barras) é anexado aos dados EOR. O modo OFF define a operação do código de barras no modo desativado para o
IC-PCM 1:1. “No BCode” (Sem código de barras) é anexado ao ciclo de aperto recebido da ferramenta mapeada.
Define o comprimento máximo da sequência do código de barras (este é o número total de carateres no código
Comprimento
de barras). O comprimento máximo para a sequência do código de barras para o IC-PCM 1:1 é de 40.
Fonte A fonte pode ser Série/Ethernet do IC-PCM 1:1.
De Define o início (nº de carateres) do intervalo da sequência de critérios.
A Define o fim (nº de carateres) do intervalo da sequência de critérios.
As Definições de critérios mostram todas as sequências de critérios programadas para o número da configuração
(1 a 8).
Clicar duas vezes numa entrada da linha abre a caixa de diálogo Editor de critérios. Selecione a configuração
a partir da lista pendente e, em seguida, clique duas vezes na caixa de texto Critérios da config. Introduza as
sequências de carateres com o comprimento correspondente ao valor De/A para identificar um Código de barras/
VIN válido. Clique em OK para guardar as definições na lista de definições de critérios.

Definições de
critérios

Ativar “Ignorar análise duplicada” ignora o código de barras digitalizado a partir do IC-PCM 1:1 se for idêntico a um
Ignorar código de barras previamente digitalizado.
Análise
duplicada “Código de barras inválido” é registado como os dados da análise para o modo passivo. No caso do modo ativo,
a seleção da configuração não é enviada para a ferramenta mapeada para o IC-PCM 1:1.
A Verificação de comprimento permite ao utilizador definir o comprimento máximo permitido do código de
barras.
Opção “Nenhuma”: não restringe o comprimento do código de barras digitalizado.
Opção “Restrita”: valida o comprimento do código de barras digitalizado com o valor definido na caixa de entrada de
Verificação do comprimento. Se exceder o valor de comprimento definido, “Código de barras inválido” é registado como os dados
comprimento da análise para o modo passivo. O número da Configuração não é selecionado na ferramenta no modo ativo.
“Truncar à esquerda”: trunca a sequência do código de barras digitalizada a partir do lado esquerdo até
corresponder ao valor definido na caixa de entrada de comprimento.
“Truncar à direita”: trunca a sequência do código de barras digitalizada a partir do lado direito até corresponder ao
valor definido na caixa de entrada de comprimento.
NOTA: só podem ser configuradas as definições de um protocolo de série na porta série do IC-PCM 1:1 de cada vez.
3.4.3.3 Ligação e configuração de códigos de barras utilizando o IC-PCM 1:1
• Ligue o scanner de códigos de barras ASCII à porta série do IC-PCM 1:1. Para scanners de códigos de barras Ethernet, ligue o
scanner à porta Ethernet de um dispositivo Ethernet de série na rede.
• Utilizando a aplicação ICS, programe as definições da porta série do IC-PCM 1:1 para que correspondam às definições do
scanner de código de barras.
• O scanner de códigos de barras deve ser configurado para adicionar um CR/LF no fim de cada código de barras.
• Utilizando a aplicação ICS, ative o Protocolo de código de barras de série para o IC-PCM 1:1

48619696_ed3 33
• A função de código de barras conta com dois modos de funcionamento principais, Passivo e Ativo. As Definições de código de
barras podem ser programadas utilizando o software ICS.
• Utilizando o modo Ativo, pode selecionar um número da configuração em particular utilizando Código de barras.
• Ligue o scanner de códigos de barras.
• Quando a função de código de barras estiver ativada para um IC-PCM 1:1 e sempre que os dados do ciclo sejam enviados pela
ferramenta, os dados do código de barras digitalizado são adicionados aos dados EOR. Se for executado um ciclo antes de
ser digitalizado um código de barras, os dados do código de barras são registados como “No BCode” (Sem código de barras).
Quando um código de barras é digitalizado e tem um comprimento válido, os dados digitalizados são registados em todos
os ciclos subsequentes até ser iniciada uma nova digitalização. Se for digitalizado um código de barras inválido, os dados
digitalizados são registados como “Invalid BC” (Código de barras inválido).
3.4.3.4 Definições EOR de série
O ecrã Definições EOR em série permite o envio de dados EOR para cada ciclo de aperto da ferramenta mapeada para a porta série.

Ativar EOR de série Ativa a “Saída de dados EOR de série” para o IC-PCM 1:1.

Activar EOR Activa o EOR personalizado.


personalizado Nota: só deve utilizar esta caixa de verificação se o EOR personalizado for necessário.

Vista de lista A vista de lista Posições de saída apresenta todos os campos EOR e o estado actual (Sim/não) e também a
Posições de saída ordem de apresentação dos campos através da porta série separados pelo delimitador.

Caixa de verificação Seleccione a caixa de verificação ao lado do campo EOR para incluí-la enquanto parte da mensagem Saída
Sim/não de dados EOR.

Seta para cima/para A ordem de apresentação dos campos pode ser alterada clicando num parâmetro para evidenciá-lo e
baixo utilizando, em seguida, as setas para cima/para baixo no lado direito da lista “Posições de saída”.

O filtro predefinido activará o IC-PCM 1:1 para utilizar apenas o conjunto predefinido de campos EOR para
a saída de dados EOR para a porta série. Seguem-se os campos EOR predefinidos e a respectiva ordem de
apresentação na sequência de mensagem de saídas de série.

1. Ciclo n.º 8. Unidades de binário 15. Limite de binário baixo


2. Config n.º 9. Ângulo de pico 16. Limite de ângulo elevado
Filtro predefinido
3. Data 10. Resultado do ângulo 17. Limite de ângulo baixo
4. ID de hora 11. Corrente de pico 18. Ponto de controlo
5. Resultado do ciclo 12. Tempo do ciclo 19. Código de barras
6. Binário de pico 13. Tipo de estratégia
7. Resultado do binário 14. Limite de binário elevado

34 48619696_ed3
O filtro Seleccionar tudo activará o IC-PCM 1:1 para utilizar todos os campos EOR para a saída de dados
EOR para a porta série. Seguem-se os campos EOR e a respectiva ordem de apresentação na sequência de
mensagem de saída de série.

1. Ciclo n.º 20. ID do trabalho 40. Pico de binário de corte


2. Config n.º 21. Ciclo da cabeça motora nº 41. Pico de binário dominante
3. Data 23. Veio n.º 42. Média de binário dominante
4. ID de hora 24. Passo n.º 43. Pico de binário de arrasto
5. Resultado do ciclo 25. Velocidade de redução 44. Média de binário de arrasto
6. Binário de pico 26. Velocidade Livre 45. Número de Gang total
7. Resultado do binário 27. TR 46. Número de Gang atual
8. Unidades de binário 28. Inclinação dupla A Alta 47. Número de série da ferramenta
9. Ângulo de pico 29. Inclinação dupla A Baixa 48. Código de encerramento
Selecionar todos os
10. Resultado do ângulo 30. Inclinação dupla B Alta 49. Resultado CP
filtros
11. Corrente de pico 31. Inclinação dupla B Baixa 50. Resultado de gradiente
12. Tempo do ciclo 32. Gradiente alto 51. Resultado da Inclinação dupla A
13. Tipo de estratégia 33. Gradiente baixo 52. Resultado da Inclinação dupla B
14. Limite de binário elevado 34. Inclinação final 53. Avaria pouco comum
15. Limite de binário baixo 35. Binário no encaixe 54. Teste de binário constante do
16. Limite de ângulo elevado 36. Ângulo no encaixe motor
17. Limite de ângulo baixo 37. Binário de arrasto mín. 55. Teste de Velocidade Livre
18. Ponto de controlo 38. Pico de inclinação 56. Velocidade máxima da
19. Código de barras 39. Inclinação do binário ferramenta
dominante 57. Ângulo total

Nota: alguns dos campos EOR acima não fazem parte dos dados EOR gerados pelas ferramentas da série
QX. Nesses campos, serão gerados os valores predefinidos.

Esta caixa pendente mostra os critérios do delimitador disponíveis para separar cada campo EOR na
mensagem Saída de dados EOR de série do IC-PCM 1:1.
Delimitador
Seguem-se os critérios do delimitador disponíveis para o protocolo de saída de dados EOR de série –
“Vírgula”, “Espaço”, “Ponto e vírgula” e “Dois pontos”.
NOTA: Apenas um protocolo (Código de barras/VIN, Saída de dados EOR de série, PFCS, PLUS, Impressão de etiquetas) pode estar
ativado na porta série de cada vez.
3.4.3.5 Configuração das definições EOR de série:
O ecrã Definições EOR de série permite que o utilizador active o envio de dados EOR para cada ciclo através da porta
série.
Configuração:
1. Desligue o IC-PCM 1:1 e defina o interruptor 2 DIP VERMELHO para OFF (Desligar).
2. Ligue um cabo de modem nulo de série do IC-PCM 1:1 ao PC.
3. Inicie o HyperTerminal ou outro utilitário de software de emulação de terminais como o Clear Terminal.
4. Reinicie o IC-PCM 1:1.
5. O EOR gerado será apresentado no software de emulação de terminais de série.
Exemplo: se o utilizador seleccionar as predefinições, conforme mostrado abaixo no ecrã Configuração geral do IC-PCM
1:1, o EOR correspondente será enviado para a porta série e pode ser visto no HyperTerminal ou noutro software de
emulação de terminais como o Clear Terminal.

48619696_ed3 35
3.4.3.6 Definições EOR de Ethernet
O ecrã Definições EOR de Ethernet permite que o utilizador active o envio de dados EOR através da porta de
comunicação Ethernet padrão.

Ativar EOR Ethernet Activa o protocolo “Saída de dados EOR de Ethernet” para o IC-PCM 1:1
Vista da lista das A vista de lista Posições de saída apresenta todos os campos EOR e o estado actual (Sim/não), bem como
posições de saída a ordem de apresentação dos campos através da porta Ethernet.
Caixa de verificação Seleccione a caixa de verificação ao lado do campo EOR para incluí-la enquanto parte da mensagem
Sim/Não Saída de dados EOR.

36 48619696_ed3
A porta Ethernet que é utilizada para transmitir os dados EOR. Por predefinição, a ICS define o número da
Porta n.º
porta para “1069”.
Seta para cima/para A ordem de apresentação dos campos pode ser alterada clicando num parâmetro para evidenciá-lo e
baixo utilizando, em seguida, as setas para cima/para baixo no lado direito da lista “Posições de saída”.
O filtro predefinido activará o controlador IC-PCM 1:1 para utilizar apenas o conjunto predefinido de
campos EOR para a saída de dados EOR para a porta Ethernet. Seguem-se os campos EOR predefinidos e
a respectiva ordem de apresentação na sequência de mensagem de saída de Ethernet.
1. Ciclo n.º 8. Unidades de binário 15. Limite de binário baixo
2. Config nº 9. Ângulo de pico 16. Limite de ângulo elevado
Filtro predefinido
3. Data 10. Resultado do ângulo 17. Limite de ângulo baixo
4. ID de hora 11. Corrente de pico 18. Ponto de controlo
5. Resultado do ciclo 12. Tempo do ciclo 19. Código de barras
6. Binário de pico 13. Tipo de estratégia
7. Resultado do binário 14. Limite de binário elevado
O filtro Seleccionar tudo activará o controlador IC-PCM 1:1 para utilizar todos os campos EOR para a saída
de dados EOR para a porta Ethernet. Seguem-se os campos EOR e a respectiva ordem de apresentação na
sequência de mensagem de saída de Ethernet.
1. Ciclo n.º 20. ID do trabalho 39. Pico de binário de corte
2. Config nº 21. Ciclo da cabeça motora nº 40. Pico de binário dominante
3. Data 22. Veio nº 41. Média de binário dominante
4. ID de hora 23. Passo nº 42. Pico de binário de arrasto
5. Resultado do ciclo 24. Velocidade de redução 43. Média de binário de arrasto
6. Binário de pico 25. Velocidade Livre 44. Número de Gang total
7. Resultado do binário 26. TR 45. Número de Gang atual
8. Unidades de binário 27. Inclinação dupla A Alta 46. Número de série da
9. Ângulo de pico 28. Inclinação dupla A Baixa ferramenta
10. Resultado do ângulo 29. Inclinação dupla B Alta 47. Código de encerramento
Selecionar todos os 11. Corrente de pico 30. Inclinação dupla B Baixa 48. Resultado CP
filtros 49. Resultado de gradiente
12. Tempo do ciclo 31. Gradiente alto
13. Tipo de estratégia 32. Gradiente baixo 50. Resultado da Inclinação dupla
A
14. Limite de binário elevado 33. Inclinação final
51. Resultado da Inclinação dupla
15. Limite de binário baixo 34. Binário no encaixe
B
16. Limite de ângulo elevado 35. Ângulo no encaixe
52. Avaria pouco comum
17. Limite de ângulo baixo 36. Binário de arrasto mín.
53. Teste de binário constante do
18. Ponto de controlo 37. Pico de inclinação motor
19. Código de barras 38. Inclinação do binário 54. Teste de Velocidade Livre
dominante
55. Velocidade máxima da
ferramenta
56. Ângulo total
NOTA: alguns dos campos EOR acima não fazem parte do ciclo EOR gerado pela ferramenta da série QX.
Nesses campos, serão gerados os valores predefinidos.
Esta caixa pendente mostra os critérios do delimitador disponíveis para separar cada campo EOR na
mensagem Saída de dados EOR de Ethernet do controlador IC-PCM 1:1.
Delimitador
Seguem-se os critérios do delimitador disponíveis para o protocolo de saída de dados EOR de Ethernet –
“Vírgula”, “Espaço”, “Ponto e vírgula” e “Dois pontos”.
Opção fornecida para activar/desactivar aperto de mão.
A activação da negociação de protocolo requer o envio de uma confirmação ao controlador IC-PCM 1:1 para
Ativar o protocolo
cada EOR.
Handshake
Com a negociação de protocolo desactivada, o controlador IC-PCM 1:1 não esperará uma confirmação após
cada EOR.
NOTA: o IC-PCM 1:1 requer um reinício após cada alteração das definições de Ethernet
3.4.3.7 Configuração EOR Ethernet
As Definições EOR Ethernet permitem o envio dos dados EOR por cada EOR através da porta Ethernet. O IC-PCM 1:1 envia o EOR para
a porta Ethernet programada. Isto pode ser verificado utilizando a Ferramenta de teste EOR Ethernet.
Configuração da ferramenta de teste EOR Ethernet:
• Clique no botão Opções. Introduza o endereço IP do IC-PCM 1:1. Clique no botão OK.

48619696_ed3 37
• Clique no botão Ligar para o IC-PCM 1:1 estabelecer a ligação. Clique em Iniciar a sessão PREAD e, em seguida, clique em
“Standard EOR Act” (Act EOR padrão) para visualizar o formato do campo EOR predefinido.

• O IC-PCM 1:1 envia os dados EOR recebidos para a porta Ethernet programada no Formato EOR padrão, que pode ser visualizada
na ferramenta de teste EOR Ethernet.

Para visualizar os campos EOR personalizados, clique em “Customer EOR Act” (Act EOR do cliente). O IC-PCM 1:1 envia os dados EOR
para a porta Ethernet programada no Formato EOR personalizado, que pode ser visualizada na ferramenta de teste EOR Ethernet.
NOTA: se o Act EOR padrão estiver ativado, desative clicando no botão “Deactivate Standard EOR Act” (Desativar Act EOR padrão) e
clique em “Customer EOR Act” (Act EOR do cliente).

38 48619696_ed3
3.4.3.8 Definições PFCS
As Definições PFCS permitem programar as definições para comunicar entre o PFCS (Plant Floor Communication System) e o IC-PCM 1:1.
A interface do PFCS adquire os Dados do ciclo EOR e envia-os para os respetivos sistemas para aquisição, arquivo e análise.

Ativar PFCS Ativa o protocolo “PFCS” na porta Ethernet do IC-PCM 1:1.

Máximo de novas
Número máximo de novas tentativas para cada mensagem.
tentativas

Tempo de espera O tempo de espera “Manter ativo” (0-9999) é o valor do tempo de espera para a mensagem “Manter ativo”
“Manter ativo” para o servidor PFCS

Tempo de espera ACK O valor do tempo de espera para receber a respostas do servidor PFCS.

Tipo O IC-PCM 1:1 pode comunicar com o servidor PFCS utilizando comunicações de série/Ethernet.

Endereço IP Endereço IP do servidor PFCS

Porta O número da porta para comunicar com o servidor PFCS.

3.4.3.9 Comunicação via série:


1. Ative o PFCS e selecione Tipo como Série para o IC-PCM 1:1 utilizando a aplicação ICS (consulte o Manual do ICS).
2. Ligue o cabo da porta série do IC-PCM 1:1 à máquina em que o PFCS está a ser executado.
3. Selecione o número da porta série adequado e estabeleça uma ligação do servidor do PFCS ao IC-PCM 1:1.
NOTA: certifique-se de que o cabo da porta série está ligado entre o IC-PCM 1:1 e o sistema em que o protocolo PFCS está a ser
executado.
3.4.3.10 Comunicação via Ethernet:
1. Ative o PFCS e selecione Tipo como Ethernet para o IC-PCM 1:1 utilizando a aplicação ICS (consulte o Manual do ICS).
2. Reinicie o IC-PCM 1:1 após 30 segundos.
3. Estabeleça uma ligação do servidor do PFCS ao IC-PCM 1:1.
NOTA: certifique-se de que a porta Ethernet (RJ45) está ligada.

48619696_ed3 39
3.4.3.11 Definições PLUS
As definições Plus permitem programar definições para comunicar entre o servidor PLUS e o IC-PCM 1:1. A interface PLUS é utilizada
para controlar e adquirir Dados do ciclo EOR e enviá-los para o respetivo sistema para aquisição, arquivo e análise.

Ativa o protocolo “PLUS” na porta Ethernet do IC-PCM 1:1.

Ativar PLUS NOTA: o PLUS também utiliza as definições da porta série para ler as informações dos códigos de
barras. Quaisquer outros protocolos de série programados para as definições da porta série não
permitem ativar o protocolo PLUS.
Endereço IP do servidor O endereço IP do servidor PLUS.
Porta O número da porta para comunicar com o servidor PLUS.
Tempo de espera do ciclo O valor do tempo de espera para todos os parafusos a concluir para a peça antes da montagem ser
EOR abortada e os resultados enviados para o servidor.
ID do sistema A identificação do sistema especificada pelo utilizador.
Número de novas
O número máximo de vezes que tenta novamente uma mensagem antes de repor as comunicações.
tentativas
Intervalo da nova tentativa O período de tempo de espera entre novas tentativas de envio da mensagem.
ID do ponto de verificação A identificação do ponto de verificação especificada pelo utilizador.
Tempo de espera do O Tempo de espera do Atributo técnico define o tempo de espera entre um Pedido/Resposta de
Atributo técnico Atributos técnicos.
Modo VBA Definir este valor coloca o PLUS num modo assíncrono.
A Descrição do parafuso permite abrir a caixa de diálogo para introduzir a descrição do parafuso para
cada nº de parafuso.

Descrição do parafuso

40 48619696_ed3
O Atributo técnico permite abrir a caixa de diálogo para introduzir toda a informação do Atributo
técnico.

Atributo técnico

O Tipo de identificação permite abrir a caixa de diálogo para selecionar três Tipos de identificação
fixos para determinar a ID da mensagem.

Tipo de identificação

As Definições de config. permitem abrir a caixa de diálogo para selecionar o número da


configuração e introduzir o número da configuração seguinte na cadeia de incremento automático
e número Gang total correspondente que foi programado para o número da configuração
selecionado.

Definições de config.

48619696_ed3 41
3.4.3.12 Definições XML
As Definições XML permitem ao IC-PCM 1:1 comunicar com o servidor principal SPS/PC e envia os resultados EOR no formato XML.

Ativar XML Ativa o protocolo “XML” na porta Ethernet do IC-PCM 1:1.

Endereço IP do servidor O endereço IP do servidor principal de XML SPS/PC.

Porta do servidor O número da porta do servidor para comunicar com o SPS/PC principal.

Porta cliente O número da porta cliente para o IC-PCM 1:1 comunicar com o SPS/PC principal.

Número máximo de novas


Número máximo de novas tentativas para cada mensagem.
tentativas

Intervalo da nova tentativa Intervalo de tempo entre cada nova tentativa.

“Manter ativo” (0-9999) é o valor do tempo de espera para a mensagem Manter ativo e para o
Tempo de espera “Manter ativo”
servidor principal SPS/PC.

3.4.3.13 Configuração de XML utilizando o IC-PCM 1:1


O protocolo XML comunica com o sistema de controlo principal XML (SPS), tal como descrito em VW XML Interface.doc.
A comunicação entre o servidor principal (PC I SPS) e o secundário (PCM) é realizada com base na família de protocolos TCP/IP
através de suportes TCP.
• Existem dois canais de comunicação com as suas próprias portas A e B que podem ser definidas pelo software ICS. O servidor
principal funciona como o Cliente para a verificação do IC-PCM 1:1 (porta A) e envia os comandos correspondentes para um
processo de servidor do IC-PCM 1:1. O IC-PCM 1:1 envia mensagens controladas por eventos e dados do processo (porta B) para
um processo de servidor do servidor principal. Os valores padrão predefinidos para os números das portas são 4700 para a porta
A e 4710 para a porta B. Ative o protocolo XML no ecrã Definições XML.
• Defina o Modo Selecção de configuração como Ethernet externa no ecrã Definições de controlo de aperto.
• Utilizando o software Aton, ligue o servidor principal à rede.
• Selecione a subscrição do EOR a partir do servidor principal.
• Visualize os dados EOR a partir do IC-PCM 1:1

42 48619696_ed3
3.4.3.14 Definições do protocolo aberto
As definições do protocolo aberto oferecem a capacidade de comunicar entre o servidor do Protocolo Abrir e o IC-PCM 1:1 para
adquiri dados EOR ou do ciclo e enviá-los para os respetivos sistemas para aquisição, arquivo e análise.
O Protocolo aberto é definido em detalhe nas especificações OpenProtocol_W7_7.0.

Ativar definições do protocolo aberto Ativa o protocolo “Aberto” na porta Ethernet do IC-PCM 1:1.
Endereço IP do servidor Endereço IP do servidor do servidor do protocolo aberto
Porta de escuta O número da porta para comunicar com o servidor do protocolo aberto.
Número máximo de novas tentativas Número máximo de novas tentativas se o Pedido falhar
Intervalo da nova tentativa Intervalo de tempo entre cada nova tentativa.
NOTA: a opção deve ser definida como Ethernet externa para o IC-PCM 1:1 poder comunicar com o Servidor de protocolo aberto.
3.4.3.15 Abrir a Configuração de protocolos
1. Configure a ligação do protocolo aberto para o IC-PCM 1:1 a partir do ICS.
2. Atribua a saída Protocolo online a quaisquer saídas utilizando a configuração Atribuir E/S no ICS.
3. Certifique-se de que o cliente do Protocolo aberto está em execução na configuração da porta da configuração.
4. A saída Protocolo online deve ser definida se a ligação com o cliente for estabelecida com êxito.
NOTA: certifique-se de que a porta Ethernet (RJ45) está ligada.
3.4.3.16 Definições de impressão de etiquetas
A função Impressão de etiquetas permite ao IC-PCM 1:1 imprimir dados EOR. Após a receção dos dados EOR a partir da ferramenta,
são formatados e enviados para a porta série do IC-PCM 1:1 à qual está ligada uma impressora.

48619696_ed3 43
O IC-PCM 1:1 terá definições para as informações do Cabeçalho, Dados e Rodapé que serão impressas na etiqueta.
Existem dois elementos que têm de estar presentes no IC-PCM 1:1 para que possa utilizar a funcionalidade de impressora.
- status.txt (as comunicações com a impressora são definidas neste texto)
- body.txt (o formato da etiqueta é definido neste texto)
NOTA: Apenas um protocolo (Código de barras/VIN, Saída de dados EOR de série, PFCS, PLUS, Impressão de etiquetas) pode estar
ativado na porta série de cada vez.
3.4.3.17 Ligações e configuração da impressora para o IC-PCM 1:1
• O IC-PCM 1:1 suporta impressoras de série para a impressão de dados Fim de Execução (EOR, End of Run).
• Ligue a impressora através do cabo série de 9 pinos padrão a uma porta série do IC-PCM 1:1.
• Utilizando a aplicação ICS, programe as definições da porta série do IC-PCM 1:1 de modo a que correspondam com as definições
da impressora de série.
• Ative o Protocolo de impressão de etiquetas para o IC-PCM 1:1
• Certifique-se de que os ficheiros necessários são guardados no IC-PCM 1:1 para a impressão das secções de Cabeçalho/Dados/
Rodapé. Para mais informação, consulte o manual de Configuração geral do IC-PCM 1:1.
• Ligue a impressora.
• Execute um ciclo de aperto e verifique se o resultado do aperto está a ser impresso.

3.4.4 Definições FieldBus


3.4.4.1 Definições ProfiBus
O ProfiBus é um FieldBus industrial utilizado principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 vem equipado com esta placa
secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, bem como fornecer um estado de fim de execução (EOR) e
resultados de binário e ângulo.

Permite operações de FieldBus para o IC-PCM 1:1.


FieldBus ativado
Os sinais de saída são enviados para o FieldBus principal.
Controlo FieldBus Ativa o controlo do IC-PCM 1:1 permitindo que o FieldBus principal determine a E/S.
Endereço de nó Cada IC-PCM 1:1 na rede FieldBus tem de ter endereço único.

44 48619696_ed3
3.4.4.2 Definições InterBus
O InterBus é um FieldBus industrial utilizado principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 vem equipado com esta placa
secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, bem como fornecer um estado de fim de execução (EOR) e
resultados de binário e ângulo.

Permite operações de FieldBus para o IC-PCM 1:1


FieldBus ativado
Os sinais de saída são enviados para o FieldBus principal.
Controlo FieldBus Ativa o controlo do IC-PCM 1:1 permitindo que o FieldBus principal determine a E/S.
3.4.4.3 Definições DeviceNet
O DeviceNet é um FieldBus industrial utilizado principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 vem equipado com esta placa
secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, bem como fornecer um estado de fim de execução (EOR) e
resultados de binário e ângulo.

Permite operações de FieldBus para o IC-PCM 1:1.


FieldBus ativado
Os sinais de saída são enviados para o FieldBus principal.

Controlo FieldBus Ativa o controlo do IC-PCM 1:1 permitindo que o FieldBus principal determine a E/S.

Endereço de nó Cada IC-PCM 1:1 na rede Fieldbus tem de ter um endereço único.

48619696_ed3 45
Velocidade de Este é a velocidade de comunicação do DeviceNet. Seguem-se as velocidades de transmissão que podem
transmissão ser utilizadas - 110, 1200, 2400, 4800, 9600, 14400, 19200, 28800, 38400, 57600, 76800, 115200.

3.4.4.4 Definições ModBus RTU


O ModBus RTU é um FieldBus industrial utilizado principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 vem equipado com esta placa
secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, bem como fornecer um estado de fim de execução (EOR) e
resultados de binário e ângulo.

Permite operações de FieldBus para o IC-PCM 1:1.


FieldBus ativado
Os sinais de saída são enviados para o FieldBus principal.

Controlo FieldBus Ativa o controlo do IC-PCM 1:1 permitindo que o FieldBus principal determine a E/S.

Endereço de nó Cada IC-PCM 1:1 na rede FieldBus tem de ter endereço único.

Velocidade de Esta é a velocidade transmissão do ModBus. Seguem-se as velocidades de transmissão que podem ser
transmissão utilizadas- 110, 1200, 2400, 4800, 9600, 14400, 19200, 28800, 38400, 57600, 76800 e 115200.

Paridade Selecione a Prioridade para a ligação série como Nenhuma, Ímpar ou Par a partir da lista da caixa pendente.

46 48619696_ed3
3.4.4.5 Definições ModBus TCP/IP/Ethernet IP
ModBus TCP/IP e Ethernet IP são FieldBus industriais utilizados principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 vem equipado
com esta placa secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, bem como fornecer um estado de fim de
execução (EOR) e resultados de binário e ângulo.

Ativa o FieldBus para o IC-PCM 1:1


FieldBus ativado
Os sinais de saída são enviados para o FieldBus principal.

Controlo FieldBus Ativa o controlo do IC-PCM 1:1 permitindo que o FieldBus principal determine a E/S.

Endereço IP Introduza o endereço IP do dispositivo FiledBus TCP/IP na rede informática.

Máscara de subrede Um intervalo de endereços lógicos no espaço de endereços que é atribuído a uma organização.

Porta de ligação A porta de ligação é um nó numa rede informática que serve de ponto de acesso para outra rede.

3.4.4.6 Definições do ProfiNet


O ProfiNet é um bus de campo industrial utilizado principalmente para E/S e controlos. O IC-PCM 1:1 pode vir equipado
com esta placa secundária. O IC-PCM 1:1 pode ser controlado através deste dispositivo, além de indicar o estado do fim
de funcionamento e os resultados do binário e ângulo.

48619696_ed3 47
Activa o bus de campo para o IC-PCM 1:1
Bus de campo
Os sinais de saída serão enviados para a direcção do bus de campo.
activado

Controlo do bus de
Activa o controlo do IC-PCM 1:1 ao permitir que a direcção do bus de campo defina E/S.
campo
Endereço IP Introduza o endereço IP do dispositivo do bus de campo ProfiNet numa rede informática.
Máscara de Uma gama de endereços lógicos dentro do espaço de endereços que é atribuído a uma
subrede organização
O gateway é um nó numa rede informática que funciona como um ponto de acesso para uma
Gateway
outra rede

3.5 Atribuição de parâmetros


O ecrã Atribuição de parâmetros permite ao utilizador atribuir qualquer Configuração guardada e/ou conjunto de Parâmetros gerais
definidos na ferramenta ligada a USB e ao IC-PCM 1:1.
Este ecrã também permite ao utilizador editar as definições dos Parâmetros gerais do IC-PCM 1:1 ou enviar um conjunto de
Parâmetros gerais para o IC-PCM 1:1.
Este ecrã funciona apenas no modo de rede. O lado esquerdo do ecrã mostra todos os dispositivos (IC-PCM 10:1 e ferramentas
atribuídas (mapeadas), o IC-PCM 1:1 e as ferramentas mapeadas e as ferramentas ligadas a USB) ligados à rede.
Abrir um nó do IC-PCM 1:1 mostra o nó “Parâmetros gerais” e um nó para a ferramenta mapeada. Ao abrir a ferramenta, o nó ID da
localização mostra o nó “Parâmetros gerais” e o nó “Configurações” para a ferramenta mapeada. Abrir o nó “Configurações” mostra
um nó para cada uma das 8 Configurações permitidas.
Abrir um nó do IC-PCM 1:1 mostra todas as ferramentas mapeadas para o IC-PCM 10:1. Ao abrir cada ferramenta, o nó ID da
localização mostra o nó n“Parâmetros gerais” e o nó “Config.”. Abrir o nó “Configurações” mostra um nó para cada uma das 8
Configurações permitidas.
Abrir Ferramenta direta USB mostra o nó “Parâmetros gerais” e o nó “Configurações”. Abrir o nó “Configurações” mostra um nó para
cada uma das 8 Configurações permitidas.
A metade superior direita do ecrã mostra uma lista dos Conjuntos de parâmetros gerais para o IC-PCM 1:1 armazenados na Base
de dados local que podem ser enviados para um IC-PCM 1:1. A metade inferior direita mostra os Conjuntos de parâmetros gerais
disponíveis armazenados na Base de dados local que podem ser enviados para uma ferramenta.
A secção intermédia do ecrã mostra os Conjuntos de configurações armazenados na Base de dados local que podem ser enviados
para uma ferramenta.

Botão utilizado para enviar Configurações para uma ferramenta ligada a USB ou IC-PCM.

Botão utilizado para enviar os Parâmetros gerais para um IC-PCM 1:1 ou para uma ferramenta.

Botão utilizado para atualizar o ecrã.

O campo indica o tipo de modo, que é sempre Rede para este ecrã.

Os Parâmetros gerais armazenados podem ser atribuídos ao nó “Parâmetros gerais” de qualquer IC-PCM 1:1 ou ferramenta através
de uma operação simples de arrastar e largar. Da mesma forma, os Conjuntos de configurações podem ser atribuídos a qualquer nó
“Número da configuração” de uma ferramenta através de uma operação simples de arrastar e largar.
As convenções de cores para os nós de “Parâmetros gerais” e “Número da configuração” são as seguintes:

48 48619696_ed3
Verde indica que os Parâmetros gerais e Parâmetros de configuração já estão programados e não foram modificados.
Amarelo indica que os Parâmetros gerais ou os Conjuntos de configurações estão atualmente programados, mas foram
atualizados através de uma operação de arrastar e largar ou clicando duas vezes no conjunto e efetuando alterações.
Vermelho indica que o Conjunto de configurações não foi inicialmente programado, mas foi atribuído um Conjunto de
configurações através de uma operação de arrastar e largar.
Branco indica que o Conjunto de configurações não está programado.
Os Parâmetros gerais ou os Conjuntos de configurações podem ser visualizados clicando duas vezes no nó correspondente.
Clicar duas vezes no nó “Número da configuração” abre o ecrã Configuração de aperto que pode então ser visualizado e/ou editado.
Clicar duas vezes no nó “Parâmetros gerais” de uma ferramenta abre o ecrã Configuração geral da ferramenta, que pode então ser
visualizado e/ou editado. Clicar duas vezes no nó Configuração geral do IC-PCM 1:1 abre o ecrã Configuração geral do IC-PCM 1:1
que pode então ser visualizado e/ou editado.
A partir do ecrã Atribuição de parâmetros, também podem ser anuladas as atribuições de Configurações de qualquer ferramenta.
Para qualquer Configuração programada, clique com o botão direito do rato no nó “Número da configuração”. Será criada uma caixa
flutuante com a opção “Anular a atribuição da configuração”. Selecionar esta opção remove a Configuração da ferramenta.

3.6 Definições da Ferramenta sem fios


Este ecrã permite visualizar todos os IC-PCMs disponíveis na rede e mostra o estado da ligação das ferramentas mapeadas para cada
IC-PCM.
Se uma ferramenta iniciar a sessão com êxito, este ecrã mostra as versões atuais da visualização, o MCE e o firmware de rádio e os
ícones do tipo de dispositivo mudam para representarem o tipo de ferramenta.
Todos os IC-PCMs ligados têm uma entrada na linha neste ecrã que mostra a ID do trabalho, o Endereço IP, o endereço MAC Ethernet,
a Versão RISC, as versões de rádio dos dois módulos de rádio - principal e secundário - e os endereços MAC principal e secundário.

A tabela que se segue mostra uma breve descrição de cada campo disponível no ecrã.
Tipo de dispositivo Este campo indica o tipo da ferramenta.
Nome Nome atribuído ao respectivo dispositivo a partir do ecrã Atribuição de nome
A ID do trabalho do IC-PCM. A ID do trabalho é uma entrada de quatro dígitos que representa a
ID do trabalho identificação do local na linha de montagem. Cada IC-PCM tem de ter um número exclusivo para
identificação na rede.
Endereço IP Endereço IP do IC-PCM
MAC Ethernet O endereço MAC do IC-PCM
Versão RISC Mostra a versão do RISC do IC-PCM atual.
Versão do rádio principal Mostra a versão atual do firmware de rádio principal.
Versão do rádio secundário Mostra a versão atual do firmware de rádio secundário.
MAC de rádio principal Mostra o endereço MAC do módulo de rádio principal.
MAC de rádio secundário. Mostra o endereço MAC do módulo de rádio secundário.
ID de localização da ferramenta. Cada ferramenta tem de ter um número exclusivo para a
ID de localização
identificação.
Versão do monitor Versão do monitor da ferramenta atual
Versão do MCE Versão do controlo do motor atual
Versão da Ligação sem Fios Versão de rádio da ferramenta atual

3.6.1 Definições do IC-PCM


O utilizador pode editar as definições de rede do IC-PCM. Par alterar/visualizar as definições, clique duas vezes nas respetivas
definições do IC-PCM ou da Ligação sem Fios.
O botão Sinc. Tempo é utilizado para definir a Data e Hora atuais dos sistemas para o IC-PCM.

48619696_ed3 49
Esta caixa de diálogo de Definições do IC-PCM inclui as seguintes definições:
1. Definições de Ethernet
2. Definições de rádio
3. Definições de SNTP (aplicáveis apenas ao IC-PCM 1:1)
4. Definições de salto de canais
5. Definições de ferramenta mapeada
6. Canais de rádio selecionáveis
7. Definições locais
3.6.1.1 Definições de Ethernet
Esta secção inclui as Definições de rede. O utilizador pode editar/visualizar os controlos que se seguem sob o grupo Definições de
Ethernet.

Endereço MAC Ethernet ID MAC de rede do IC-PCM, só de leitura.


Endereço IP Endereço IP do IC-PCM. Se o DHCP estiver desativado, o utilizador pode definir o endereço IP.
Porta de ligação predefinida A porta de ligação é um nó numa rede informática que serve de ponto de acesso para outra rede.
Máscara de subrede Um intervalo de endereços lógicos no espaço de endereços que é atribuído a uma organização.
Se o DHCP estiver ativado, o IC-PCM adquire o endereço IP dinamicamente a partir da rede.
DHCP (Dynamic Host
Configuration Protocol) Se o DHCP estiver desativado, o utilizador tem de introduzir o endereço IP manualmente. Tem de ser
único no sistema.
NOTA: as alterações às definições de Ethernet requerem o reinício do IC-PCM e só são aplicadas depois do reinício estar concluído.

3.6.2 Definições de rádio


As Definições de rádio são utilizadas para o módulo Rádio para o estabelecimento de comunicação sem fios entre o IC-PCM e a
ferramenta mapeada.
O número de 5 dígitos que é utilizado para definir um número PAN (Rede local pessoal) único.
ID Pan
Com base na ID PAN, os dispositivos escolhem as redes de rádio para a comunicação.
O canal de rádio principal é responsável por toda a comunicação. O conjunto de canais disponíveis
Canal de RF 1
vai de 11 a 25.
O canal de rádio secundário analisa os níveis de energia dos canais disponíveis. Este processo
Canal de RF 2 destina-se a controlar os melhores canais disponíveis para comunicação com a ferramenta.
Se o salto de canais estiver ativado, a comunicação muda para o melhor canal disponível.
Permite selecionar o nível da potência de transmissão até 4 dBm com base no ambiente de rádio.
Potência de transmissão
NOTA: para os canais 11 e 12, só estão disponíveis os níveis de potência de transmissão 0 e 1.
NOTA: as definições de rádio do IC-PCM devem corresponder às definições de rádio da ferramenta para estabelecer comunicações
com a ferramenta.

3.6.3 Definições de SNTP


Ativado Permite definir a hora através de um servidor SNTP.
IP do servidor Endereço IP do servidor SNTP.

50 48619696_ed3
Porta n.º Número da porta do servidor SNTP
Intervalo de atualização Intervalo de tempo para atualizar a hora local a partir do servidor SNTP.
NOTA: as alterações às definições de SNTP requerem o reinício do IC-PCM e as alterações só são aplicadas depois do IC-PCM reiniciar.

3.6.4. Definições de salto de canais


As definições de Rádio permitem estabelecer comunicações sem fios entre o IC-PCM e a ferramenta mapeada.
Ativar Ativa a função de salto de canais

3.6.4.1 Definições de canal secundário


Estas definições são específicas do canal de rádio secundário.
Os canais secundários iniciam a análise dos níveis de energia do canal. Este intervalo é medido em
Intervalo de análise
minutos.
Limiar de ruído % do limiar do ruído a que o canal secundário muda.
Tempo de análise por canal Tempo para analisar cada canal

3.6.4.2 Canais de rádio selecionáveis


O utilizador pode selecionar um conjunto de canais a partir da lista Canais disponíveis O utilizador pode selecionar um ou todos os
canais a partir da lista Canais disponíveis.
3.6.4.3 Definições de ferramenta mapeada
O utilizador pode adicionar, editar ou eliminar a ID de localização da ferramenta no mapa de ferramentas do IC-PCM 1:1.
A ferramenta deve ser mapeada para o IC-PCM 1:1 para que possa ocorrer a comunicação. Apenas uma ferramenta pode estar
mapeada para o IC-PCM 1:1. Apenas uma ferramenta pode estar mapeada para o IC-PCM 1:1.
Qualquer alteração ao mapa de ferramentas do IC-PCM 1:1, exige limpar o registo de ciclos do IC-PCM 1:1 para a consistência dos
dados. Se o mapa de ferramentas for modificado, o IC-PCM 1:1 apresenta ao utilizador o pedido Limpar o registo de ciclos. O pedido
de alteração do mapa de ferramentas só é enviado após a limpeza dos dados do registo de ciclos do IC-PCM 1:1.
Para o IC-PCM 1:1, pode ser mapeado um máximo de 10 ferramentas.
3.6.4.4 Definições locais
Permitem que o utilizador atribua/visualize o nome do sistema e a ID de localização para o IC-PCM.

3.7 Transferir software


O ecrã Transferir software permite ao utilizador transferir firmware de “Visualização”, “MCE” e “Rádio sem Fios” para a ferramenta
ligada através de USB. Este ecrã também pode ser utilizado para transferir o software “RISC” do PCM e o firmware “Rádio sem Fios”
para um IC-PCM selecionado.

Lista de seleção de ferramenta/


controlador

Lista de ficheiros selecionados

Caixa pendente do tipo Selecione o tipo de dispositivo para a operação de transferência, tal como USB/IC-PCM. O dispositivo do
de dispositivo tipo selecionado atualmente na rede é apresentado na Lista de seleção de ferramentas/IC-PCM EM BAIXO.
Lista de seleção de Selecione a Ferramenta/IC-PCM para a operação de transferência assinalando a caixa de verificação
ferramenta/controlador associada.

48619696_ed3 51
Abre uma caixa de diálogo de procura de ficheiros para selecionar o ficheiro a transferir. Escolha
Botão Procurar o firmware RISC/Rádio para o IC-PCM ou os ficheiros de firmware MCE/Visualização/Rádio para a
ferramenta ligada a USB.
Ficheiros para transferir O ficheiro selecionado na caixa de diálogo de procura de ficheiros é apresentado.
Lista de ficheiros
O ficheiro selecionado para transferência é apresentado.
selecionados
Botão Iniciar Inicia a transferência após a confirmação do utilizador.
Botão Fechar Encerra o ecrã Transferir software.
Limpa os ficheiros de configuração e dados no IC-PCM selecionado. O IC-PCM tem de ser reiniciado
Limpar dados do IC-PCM
após esta operação.

3.7.1 Procedimento de transferência do firmware para a ferramenta ligada a USB


3.7.1.1 Firmware MCE
Este firmware é executado no módulo MCE (Motor Controller Electronics, Eletrónica do controlador do motor) da ferramenta.
1. Selecione o tipo de dispositivo como “Ferramenta USB” a partir da lista pendente e selecione o Tipo de firmware como “MCE”.
2. Assinale a caixa de verificação ID de localização da ferramenta.

3. Procure o ficheiro “qx_mce.out” para transferir o firmware MCE.


NOTA: por predefinição, os ficheiros de firmware podem ser encontrados no caminho de instalação do ICS\pasta Others
(Outros).
É apresentada uma mensagem de erro ao utilizador caso a seleção seja um ficheiro inválido.

52 48619696_ed3
4. Clique no botão Iniciar para iniciar o processo de transferência do firmware MCE para a ferramenta. É apresentada uma imagem
a solicitar a confirmação do utilizador.
5. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.

6. No final do processo de transferência, o ICS apresenta a mensagem “Tool Wake up” (Despertar da ferramenta).

7. Desperte a ferramenta (acione o gatilho) e, em seguida, clique no botão OK da caixa de mensagem para concluir o processo de
transferência.
NOTA: despertar a ferramenta é essencial uma vez que o MCE pode entrar no modo de hibernação durante a transferência do
firmware e é necessário que o MCE se encontre num estado ativo para concluir o processo de transferência.

48619696_ed3 53
8. A ferramenta reinicia imediatamente após o envio da mensagem “Despertar” (Wake-up).
O monitor mostra o logótipo da Ingersoll Rand e os LEDs ficam intermitentes durante 2 a 3 minutos até que seja concluído o
processo de carregamento interno.
9. Reinicie a ferramenta após o novo arranque da ferramenta com êxito. A versão do MCE carregada pode ser visualizada no ecrã
de definição da ligação sem fios depois do ICS ter iniciado a sessão com êxito na ferramenta.

3.7.1.2 Firmware de visualização


Este firmware é executado no módulo de visualização da ferramenta.
1. Selecione o tipo de dispositivo como “Ferramenta USB” a partir da lista pendente e selecione o Tipo de firmware como
“Visualização”.

54 48619696_ed3
2. Assinale a caixa de verificação ID de localização da ferramenta.

3. Procure o ficheiro “qx_display.hex” para transferir o firmware de Visualização.


NOTA: por predefinição, os ficheiros de firmware podem ser encontrados no caminho de instalação do ICS\pasta Others (Outros).
É apresentada uma mensagem de erro ao utilizador em caso da seleção de um ficheiro inválido.

48619696_ed3 55
4. Clique no botão Iniciar para iniciar o processo de transferência do firmware de visualização para a ferramenta. É apresentada
uma imagem a solicitar a confirmação do utilizador.
5. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.

6. O monitor da ferramenta procede ao reinício automaticamente depois de concluído o processo de transferência.


O monitor mostra então o logótipo Ingersoll Rand até concluir o processo de carregamento interno. Após a conclusão do
processo de carregamento interno para o monitor, o monitor é mais uma vez reiniciado automaticamente.

7. Reinicie a ferramenta após a reposição com êxito. A versão da Visualização carregada pode ser visualizada no ecrã de definição
da ligação sem fios depois do ICS ter iniciado a sessão com êxito na ferramenta.
56 48619696_ed3
3.7.1.3 Firmware de rádio
Este firmware é executado na placa de Rádio sem Fios da ferramenta.
1. Selecione o tipo de dispositivo como “Ferramenta USB” a partir da lista pendente e selecione o Tipo de firmware como “Rádio”.

2. Assinale a caixa de verificação ID de localização da ferramenta.

3. Procure o ficheiro “qx_wireless.hex” para transferir o firmware de Rádio.


NOTA: por predefinição, os ficheiros de firmware podem ser encontrados no caminho de instalação do ICS\pasta Others (Outros).
É apresentada uma mensagem de erro ao utilizador em caso da seleção de um ficheiro inválido.

48619696_ed3 57
4. Clique no botão Iniciar para iniciar o processo de transferência do firmware de rádio para a ferramenta. É apresentada uma
imagem a solicitar a confirmação do utilizador.
5. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.

6. Quando a transferência estiver concluída, a ferramenta reinicia automaticamente.


O monitor fica em branco e os LEDs apresentam-se intermitentes. Este processo ocorre durante cerca de 3 a 5 minutos até que
seja concluído o processo de carregamento interno. Após a conclusão do processo de carregamento interno para a placa de
rádio, o monitor é mais uma vez reiniciado automaticamente.

58 48619696_ed3
7. Reinicie a ferramenta depois do novo arranque. A versão do firmware de Rádio carregada pode ser visualizada no ecrã de
definição da ligação sem fios depois do ICS ter iniciado a sessão com êxito na ferramenta.

3.7.2 Procedimento de transferência firmware para um IC-PCM na rede


3.7.2.1 Firmware RISC
Este firmware é executado na placa RISC do IC-PCM.
1. Selecione o tipo de dispositivo como “IC-PCM” a partir da lista pendente e selecione o tipo de firmware como “RISC”.
2. Selecione a caixa de verificação IP.
NOTA: o utilizador também pode selecionar vários endereços IP para a transferência do firmware RISC.

48619696_ed3 59
3. Procure o ficheiro “qx_risc.irb” para transferir o firmware RISC.
NOTA: por predefinição, os ficheiros de firmware podem ser encontrados no caminho de instalação do ICS\pasta Others (Outros).
É apresentada uma mensagem de erro ao utilizador em caso da seleção de um ficheiro inválido.

4. Clique no botão Iniciar para iniciar o processo de transferência do firmware RISC para o controlador.
É apresentada uma imagem a solicitar a confirmação do utilizador.
5. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.

6. Após a transferência, o IC-PCM é reiniciado automaticamente.


NOTA: se o IC-PCM não reiniciar automaticamente após 10-15 minutos, reinicie manualmente.

60 48619696_ed3
7. Depois do IC-PCM reiniciar com êxito e iniciar a sessão no ICS, a versão do firmware do RISC pode ser visualizada no ecrã de
definições da Ligação sem Fios.
3.7.2.2 Firmware de rádio
Este firmware é executado na placa de Rádio sem Fios do IC-PCM 1:1.
1. Selecione o tipo de dispositivo como “PCM” a partir da lista pendente e selecione o Tipo de firmware como “Rádio”.

2. Selecione a caixa de verificação do IC-PCM 1:1.


NOTA: o utilizador também pode selecionar vários endereços IP do PCM para a transferência do firmware de Rádio.

48619696_ed3 61
3. Procure o ficheiro “qx_wireless.bin” para transferir o firmware de Rádio.
NOTA: por predefinição, os ficheiros de firmware podem ser encontrados no caminho de instalação do ICS\pasta Others (Outros).
É apresentada uma mensagem de erro ao utilizador em caso da seleção de um ficheiro inválido.

4. Clique no botão Iniciar para iniciar o processo de transferência do firmware de rádio para a ferramenta. É apresentada uma
imagem a solicitar a confirmação do utilizador.
5. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.

6. Após a transferência, o IC-PCM é reiniciado automaticamente.


NOTA: reinicie o IC-PCM manualmente se não reiniciar automaticamente.

62 48619696_ed3
3.7.2.3 Limpar dados
Limpa os dados do IC-PCM selecionado.
1. Selecione o tipo de dispositivo como IC-PCM a partir do menu pendente e selecione um ou vários IC-PCMs.

2. Clique no botão Limpar dados do controlador. É apresentada uma imagem a solicitar a confirmação do utilizador.
3. Clique no botão Sim da caixa da mensagem.
NOTA: desta forma, limpa todos os dados incluindo registos de ciclos, definições do PCM e informação do mapa de ferramentas.
4. O ICS apresenta a mensagem “Reinicie o PCM após 30 segundos: xxx.xxx.xxx.xxx”, em que xxx.xxx.xxx.xxx é o endereço IP do
PCM.
5. Clique no botão OK da caixa da mensagem e reinicie o PCM após 30 segundos.

48619696_ed3 63
3.8 Reiniciar
O ecrã Reiniciar permite ao utilizador reiniciar o IC-PCM atualmente selecionado na rede.
Também podem ser reiniciados os módulos de rádio primário e secundário do IC-PCM.

3.8.1 Reiniciar o IC-PCM


1. Expanda o IC-PCM.
2. Selecione o endereços IP necessários que têm de ser reiniciados e, em seguida, clique no botão “Reiniciar”.

3. Uma mensagem de reinício é enviada para o endereço IP selecionado que reinicia o(s) dispositivo(s).
4. O(s) controlador(es) é(são) reiniciado(s).

3.8.2 Reiniciar módulos de rádio


1. Abra os endereços IP necessários para os quais o comando de reinício de rádio tem de ser enviado.
2. Selecione o módulo de rádio primário ou secundário ou ambos (primário e secundário) e clique no botão Reiniciar.
3. É enviada uma mensagem de reinício para os módulos de rádio.
NOTA: este procedimento não reinicia todo o sistema e a transação da ligação sem fios só ocorrer após um reinício com êxito do
módulo de rádio.

IC-PCM 1:1 Mostra uma lista de IC-PCM 1:1 presentes na rede.


IC-PCM 10:1 Mostra uma lista de IC-PCM 10:1 presentes na rede.
Reiniciar Reinicia o IC-PCM selecionado ou os módulos de rádio assinalados na caixa de verificação associada.
Atualizar Atualiza a lista com os mais recentes IC-PCMs na rede.

64 48619696_ed3
3.9 Detetor de energia sem fios do PCM
Este ecrã pode ser utilizado para visualizar o nível de energia em cada canal de RF. O nível de energia para cada canal é apresentado
contra o respetivo número de canal de 11 a 25.

Inicialmente, quando o IC-PCM é selecionado a partir da caixa pendente, são apresentados os últimos dados guardados. Para receber
o nível atual de energia sem fios, clique no botão “Iniciar análise” com o tempo específico necessário para analisar cada canal.

A caixa pendente “Duração da análise por canal (segundos)” é definida para analisar cada canal. Por exemplo, se o tempo selecionado
for 0,9984, o tempo necessário para completar a análise é apresentado em baixo.
0,9984 * 15 = 14,976 segundos.

NOTA: o valor de energia analisado para um canal particular é proporcional à quantidade de dados a transferir no canal.

48619696_ed3 65
Secção 4 – Monitorização do registo do ciclo e do registo de eventos da
ferramenta IC-PCM 1:1/QX

4.1 Executar o Registo de ciclos principal


A janela Executar o Registo de ciclos principal conta com dois separadores: Executar Ver principal e Ver Registo de ciclos.

4.1.1 Separador Executar Ver principal


O separador Executar Ver principal mostra o EOR para o último ciclo de uma ferramenta selecionada.

Os valores apresentados neste ecrã incluem:


ID de localização Esta caixa pendente é utilizada para selecionar a ferramenta ligada a USB / IC-PCM.
Config nº Mostra o número da configuração do ciclo mais recente e permite ao utilizador selecionar o número da
configuração desejada da ferramenta ligada a USB.
Botão Enviar Este botão permite ao utilizador definir a configuração desejada para a ferramenta ligada a USB.
Indicador Mostra o estado geral (APROVADO/FALHA) da operação de aperto. É apresentada uma imagem de “OK” se a
Aprovado / Falha operação tiver êxito; caso contrário, apresenta uma imagem de falha (FAIL).

APROVADO FALHA

Indicador de Mostra o estado do binário. A seta para baixo (AMARELA) indica que o binário é inferior ao limite de binário
estado do inferior e a seta para cima (VERMELHA) indica que o binário é superior ou igual ao limite de binário alto. Se o
binário binário estiver entre os limites de binário alto e baixo, é apresentada a imagem de OK.

Dentro dos limites Limite alto Limite baixo

Indicador de Mostra o estado do ângulo. A seta para baixo (AMARELA) indica que o ângulo é inferior ao limite de binário
estado do inferior e a seta para cima (VERMELHA) indica que o ângulo é superior ou igual ao limite de binário alto. Se o
ângulo ângulo estiver entre os limites de ângulo alto e baixo, é apresentada a imagem de OK.

Dentro dos limites Limite alto Limite baixo

66 48619696_ed3
Indicador de É apresentada a imagem OK quando ocorre a “Conclusão Gang”. Se a Contagem de Gang total for 3, para
conclusão Gang cada ciclo de passagem o ecrã mostra (1/3, 2/3 e OK) tal como se mostra em baixo. Se o ciclo falhar, o valor da
Contagem de Gang no ecrã permanece igual.

1/3 2/3 Concluído (3/3)

Avarias Mostra a descrição das avarias dos dados de aperto.


NOTA: verde indica que a avaria particular não ocorreu, enquanto que vermelho indica que a avaria ocorreu.

Se a ID de
Avaria Sem avaria localização não
for selecionada

Tabela Campo/ Mostra os campos e valores EOR no fim do aperto. Clicar na seta para cima/para baixo por baixo da janela
Valor EOR principal, permite ao utilizador ocultar/mostrar a Lista EOR.

4.1.2 Separador Ver Registo de ciclos


O separador Vista do registo do ciclo permite ao utilizador recuperar os registos EOR de aperto armazenados da ferramenta ligada
ao USB/IC-PCM10:1. Permite também recuperar os registos de aperto da ferramenta que estão armazenados num IC-PCM 1:1. O
armazenamento da ferramenta/IC-PCM está limitado a um máximo de 76800 bytes (75 Kbytes) de dados.
O utilizador pode visualizar os dados armazenados na base de dados de arquivo e na base de dados local.

O grupo de avarias mostra os indicadores do código de avaria para cada um dos ciclos selecionados.

Os dados do registo de ciclos podem ser filtrados utilizando os critérios mencionados em baixo:

• Número da configuração (1 a 8)
• Estado geral (Aprovado ou Falha)
• Estado do binário (Aprovado, Alto ou Baixo)
• Estado do ângulo (Aprovado, Alto ou Baixo)
“Repor filtro” limpa o filtro aplicado aos dados.

Por predefinição, o ecrã do registo de ciclos mostra todas as colunas. O número de colunas apresentadas no ecrã pode ser ajustado
clicando no botão “Selecionar colunas”.

Active a caixa de verificação ao lado da coluna (se pretender que os dados sejam apresentados). Quando terminar, clique no botão
OK.

48619696_ed3 67
Número do ciclo de Mostra o número total de ciclos que a ferramenta executou. O utilizador não pode repor este valor.
tempo de vida útil

Número do ciclo Mostra o número total de ciclos que a ferramenta executou desde a última reposição da contagem de
ciclos.

Configuração N.º O número da configuração para o ciclo de aperto

Data/hora do ciclo Mostra a data e hora do ciclo EOR.

Resultado do ciclo Mostra o resultado geral (Aprovado / Falha).

Binário de pico Mostra o binário de pico durante o ciclo de aperto.

Resultado do binário Mostra o resultado do binário, Aprovado se estiver dentro dos valores dos limites Alto e Baixo, Baixo se o
binário de pico for inferior ao Limite baixo e Alto se o binário de pico for superior ou igual ao limite alto.

Ângulo de pico Mostra o ângulo máximo rodado durante o ciclo de aperto.

Resultado do ângulo Mostra o resultado do ângulo, Aprovado se estiver dentro dos valores dos limites Alto e Baixo, Baixo se o
ângulo for inferior ao Limite baixo e Alto se o ângulo for superior ou igual ao limite alto.

Número de Gang atual Mostra o número de reuniões similares que foram apertadas. A contagem de Gang atual só é
incrementada por cada ciclo aprovado. Por exemplo, se a Contagem de Gang for de 3 parafusos, a
Contagem de Gang atual é indicada como 1, 2 e 3 para os três EORs.

Número de Gang total Mostra o número total de uniões similares definidas para apertar para a configuração.

Unidades de binário Mostra as unidades selecionada para o ciclo de aperto: Nm, In-lbs e Ft-lbs.

Valor alvo Mostra o valor alvo para o Controlo binário/ângulo

Modo de aperto Mostra o tipo de modo de aperto (Ângulo e Binário)

Tipo de união Mostra o tipo de união (Total e Parcial)

Limite de binário alto Mostra o Limite de binário alto definido para a configuração.

Limite de binário baixo Mostra o Limite de binário baixo definido para a configuração.

Limite do ângulo alto Mostra o Limite do ângulo alto definido para a configuração

Limite do ângulo baixo Mostra o Limite do ângulo baixo definido para a configuração

Número do passo Mostra o Número do passo do ciclo.

Estado do motor Mostra o estado do motor do ciclo “Sem avaria” é realçado a verde se não tiver ocorrido qualquer avaria
ou “Avaria” é realçada vermelho se tiver ocorrido uma avaria.

Corrente de pico Mostra a corrente máxima obtida durante o ciclo de aperto.

68 48619696_ed3
A tabela que se segue mostra os campos adicionais apresentados nos registos de aperto do IC-PCM 1:1
Código de barras Mostra informação do código de barras.

Número de série da Mostra a fábrica que forneceu o número de identificação da ferramenta.


ferramenta

Velocidade Livre Mostra a Velocidade Livre programada para a configuração.

Velocidade de redução Mostra a velocidade da ferramenta programada durante a fase de redução de velocidade.

Velocidade máxima da Mostra a velocidade máxima da ferramenta.


ferramenta

TR Mostra o valor do Intervalo do transdutor

A qualquer momento, clique no botão para guardar os dados apresentados atualmente na base de dados local como a marca
da hora atual. Clique no botão para eliminar os dados guardados localmente com uma marca de hora particular; é apresentada
uma mensagem de confirmação antes de eliminar os dados.

Para visualizar o ciclo mais recente neste ecrã, clique no botão Atualizar na barra de ferramentas de comunicação.

Botão Limpar o registo de ciclos - limpa o registo de ciclos presente na ferramenta ou no IC-PCM 1:1.

Botão Repor contador de ciclos - repõe a contagem de ciclos da ferramenta.

O botão Iniciar parâmetro estatístico abre o ecrã Estatísticas para o conjunto de ciclos selecionado introduzido nos critérios de
filtro.

4.1.2.1 Dados guardados/recuperados da base de dados local no PC


Depois dos dados serem recuperados a partir de um IC-PCM 1:1/ferramenta, podem ser guardados na base de dados local do PC
para visualização e análise posterior.
Para guardar os dados do registo de ciclos no PC, selecione Guardar a partir do menu Ficheiro.
Para recuperar um registo de ciclos já guardado, primeiro, clique no botão Base de dados na barra de ferramentas principal e, em
seguida, selecione a ID de localização. A caixa pendente Marca de data-hora é então preenchida com todos os registos de ciclo
guardados.
Selecione um a partir desta lista para visualizar.
Depois de apresentados os dados, pode aplicar filtros e calcular estatísticas.

48619696_ed3 69
4.1.2.2 Dados recuperados da Base de dados arquivada
Depois da ferramenta ser definida para arquivar dados EOR a partir do ecrã de definição de arquivo, o utilizador tem a opção de
visualizar os dados EOR arquivados clicando no nome de arquivo na barra de ferramentas principal.
Selecione a ID de localização desejada a partir da caixa pendente ID de localização.
Selecione o intervalo desejado a partir de Data De e Data A e clique em Obter ciclos.
Os ciclos arquivados durante o intervalo especificado serão apresentados.

Para imprimir (impressora predefinida) ou exportar (.csv (valor separado por vírgulas), .pdf e .rtf (rich text format)) os dados do
registo de ciclos, selecione a opção adequada a partir do menu Ficheiro.

4.2 Executar Ver todos principal


Mostra os dados EOR mais recentes de todas as ferramentas ligadas a USB / IC-PCM na rede.

70 48619696_ed3
Visualizar apenas um subconjunto das ferramentas disponíveis no ecrã Executar Ver todos principal:

1. Clique no botão Filtrar para visualizar o ecrã Caixa de diálogo dos controladores apresentado na figura que se segue.

2. Na caixa de diálogo Selecionar IC-PCM, escolha o IC-PCM a partir da lista “IC-PCM na rede” no lado esquerdo da caixa de
diálogo. Clique no botão de seta para a direita (>) para movimentá-los para a caixa IC-PCM selecionado. Utilize o botão de
seta dupla para a direita (>>) para selecionar todos os IC-PCM. Todas as ferramentas mapeadas para o IC-PCM selecionado são
apresentadas no ecrã.
3. Para anular a seleção do IC-PCM da caixa de diálogo IC-PCM selecionado, escolha o IC-PCM a remover e clique no botão de seta
para a esquerda (<). Utilize o botão de seta para a esquerda (<<) para anular a seleção de todos.
4. Depois de concluída a seleção, clique no botão OK para visualizar as ferramentas mapeadas para o IC-PCM selecionado no ecrã
Executar Ver todos principal.
NOTA:
• Selecionar colunas é igual ao ecrã do registo de ciclos.
• Todas as colunas estão selecionadas por predefinição.

4.3 IC-PCM 1:1/ Registo de ventos da ferramenta


Este ecrã permite ao utilizador visualizar o registo de eventos que está registado na ferramenta/IC-PCM 1:1.

4.3.1 Registo de eventos do IC-PCM 1:1


Select required IC-PCM 1:1 location id to view the IC-PCM 1:1 event log. O registo de eventos registado é apresentado com data,
hora, código de evento e descrição do evento. A figura que se segue mostra o registo de eventos do IC-PCM 1:1.

Segue-se a lista de eventos que são registados no IC-PCM 1:1 com os respetivos códigos de evento:

48619696_ed3 71
Código do evento Descrição do evento
0 Não definido
1 Ferramenta desativada
2 Ferramenta ativada
3 Iniciar modo de diagnóstico
4 Parar modo de diagnóstico
5 Definição de data-hora
6 Alteração da Configuração geral
7 Servidor PLUS ligado
8 Servidor PLUS desligado
9 Um servidor desconhecido tentou uma ligação
10 Uma mensagem recebida com o primeiro caráter não numérico
11 Contador de blocos inválido
12 Mensagem inesperada
13 Comprimento da mensagem inválido
14 A memória intermédia de receção está cheia
15 Demasiadas mensagens na memória intermédia de receção
16 O terminal Plus parou
17 O PLUS não está pronto para enviar
18 A mensagem recebida tem origem num nó de reserva.
19 Foi encontrada uma sequência com um erro desconhecido
20 Foi recebido um erro NNEG
21 Foi recebido um erro NTMU
22 Foi recebido um erro NSCR
23 Foi recebido um erro NSTR
24 Ocorreu o fim do tempo de espera do conjunto PLUS.
25 Foi premida a reposição manual
26 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-A do PFCS
27 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-B do PFCS
28 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-E do PFCS
29 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-H do PFCS
30 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-J do PFCS
31 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-I do PFCS
32 O IC-PCM 1:1 recebeu um NAK-D do PFCS
33 O IC-PCM 1:1 está a enviar uma nova tentativa
34 A impressora não responde ao pedido de estado
35 Estado da impressora a não responder ao pedido de estado eliminado
36 Encravamento da impressora
37 Estado de encravamento da impressora eliminado
38 Impressora sem papel
39 Estado da impressora sem papel eliminado
40 Erro do tinteiro da impressora
41 Estado de erro no tinteiro da impressora eliminado
42 Impressora offline
43 Estado offline da impressora eliminado
44 Erro mecânico da impressora
45 Estado de erro mecânico da impressora eliminado
46 Erro de comunicação da impressora
47 Estado de erro de comunicação da impressora eliminado
48 Memória temporária da impressora vazia

72 48619696_ed3
49 Estado de memória temporária da impressora vazia eliminado
50 Erro de sobrecarga da memória temporária da impressora
51 Estado de erro de sobrecarga da memória temporária da impressora eliminado
52 Reposição do ficheiro da Configuração geral
53 Definições de verificação do Plus
54 Leitura duplicada do Plus
55 Identidade a não ser processada do Plus
56 Interrupção manual do Plus
57 Tempo esgotado dos atributos técnicos do Plus
58 Número de produção desconhecido do Plus
59 Nenhum trabalho de aperto encontrado do Plus
60 Ligação ao protocolo aberta criada
61 Ligação ao protocolo aberta terminada
62 Ligação ao XML criada
63 Ligação ao XML terminada

4.3.2 Registo de eventos da ferramenta


Selecione a ferramenta ligada a USB ou mapeada para o IC-PCM para visualizar o registo de eventos da ferramenta. A ferramenta
regista os Códigos de avaria e as Descrições com marcas de data/hora juntamente com os códigos de avaria do motor (Máscara de
estado).

Seguem-se os Códigos de avaria e as suas descrições:

Código da Falha Descrição


F-01 Ferramenta desativada (pelo controlo externo)
F-02 Avaria Atraso do ciclo -- o gatilho foi puxado antes do temporizador de atraso do ciclo ter expirado
F-03 Ferramenta bloqueada pela função Smart Socket -- o utilizador tem de selecionar o suporte correto no PCM
F-04 Falha de escrita no EOR EEPROM SPI
F-05 Falha de leitura no EOR EEPROM SPI
1-FF Falha de enumeração USB
2- <ID do alarme> Avaria de Tempo de alarme PM para a ID do alarme normalmente configurada pelo utilizador

48619696_ed3 73
3- <ID do alarme> Avaria do Ciclo do alarme PM para a ID de alarme normalmente configurada pelo utilizador
A-10 Fim do tempo de espera de comunicação do controlador do motor
A-55 Foi detetada uma atualização para a versão do software de visualização
A-AA A memória de visualização foi reposta com as predefinições de fábrica
B-01 Falha ao atualizar o software do controlador do motor
B-50 Detetada ID de localização da ferramenta em duplicado
B-80 Nenhuma rede RF detectada ao fim de 20 segundos
B-85 Fim do tempo de espera ACK RF
B-E1 NAK de transmissão RF– “Falha de acesso ao canal”
B-E5 NAK de transmissão RF – “Quando demasiado longo”
B-E9 NAK de transmissão RF – “Sem ACK recebido”
C-01 O valor da ID da configuração é 0 ou superior a 8
C-02 O número de passos de configuração é superior a 8
C-03 A ID do passo atual é superior ao número de passos atual
C-04 O Gang total é superior a 8
C-05 A Contagem de Gang atual é superior ao Gang total
O Limite de binário alto atual é superior ao valor de Binário máximo da ferramenta (o valor de binário
C-06 máximo da ferramenta é configurado nos Pontos definidos de fábrica) OU o Limite de binário alto atual é
inferior a 0
O Limite de binário baixo atual é superior ao valor de binário máximo da ferramenta OU o Limite de binário
C-07
baixo atual é inferior a 0
C-08 O Limite de binário alto é inferior ao Limite de binário baixo atual
C-09 O Limite de binário baixo atual é superior ao Limite de binário alto atual (código de avaria a remover)
C-0A O Limite de ângulo alto atual é superior ao valor de Ângulo máximo da ferramenta (a definir como 9999)
C-0B O Limite de ângulo baixo atual é superior ao valor de Ângulo máximo da ferramenta (a definir como 9999)
C-0C O Limite de ângulo alto é inferior ao Limite de ângulo baixo atual
C-0D O Limite de ângulo baixo atual é superior ao Limite de ângulo alto atual (código de avaria a remover)
O passo de configuração da ferramenta é um Binário alvo e o valor alvo está fora dos limites de binário alto e
C-0E
baixo.
O passo de configuração da ferramenta é um Ângulo alvo e o valor alvo está fora dos limites de ângulo alto e
C-0F
baixo.
C-10 O passo de configuração da ferramenta não foi definido para Ângulo ou Binário
C-11 O valor de Limiar atual é superior ao binário máximo da ferramenta OU o Limiar atual é inferior a 0
C-12 A Velocidade Livre atual é superior à velocidade máxima do motor
C-13 A velocidade de redução atual é superior à velocidade máxima do motor
C-14 O valor da unidade atualmente apresentada não é suportado
O Ponto de redução de velocidade atual está acima do alvo (para a estratégia de binário) ou acima do limite
C-15
de binário da ferramenta (para a estratégia de ângulo).
C-16 O número de passos de configuração está definido como 0.
C-77 Valor inválido da marcação da hora na mensagem de hora definida.
E-00 A utilizar o software o MC 1.0.1.2, Avaria da bateria
E-01 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Hall State inválido
E-02 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Falha I2T
E-03 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Paragem do motor
E-04 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Sobrecorrente
E-05 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Sobreaquecimento
E-06 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Desvio de corrente
E-07 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Calibração de Derivação
E-08 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Avaria de desvio do binário
E-09 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Avaria do transdutor

74 48619696_ed3
E-0A A utilizar o software MC 1.0.1.2, Fim do tempo de espera de execução do passo
E-0B A utilizar o software MC 1.0.1.2, Fim do tempo de espera da execução da configuração
E-0C A utilizar o software MC 1.0.1.2, Limite de binário excessivo
E-0D A utilizar o software MC 1.0.1.2, Limite de ângulo excessivo
E-0E A utilizar o software MC 1.0.1.2, Alta plausibilidade de corrente
E-0F A utilizar o software MC 1.0.1.2, Binário insuficiente
E-10 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Ângulo insuficiente
E-11 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Baixa plausibilidade de corrente
E-12 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Libertação antecipada do gatilho
E-13 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Reposição do Watchdog do controlador do motor
E-14 A utilizar o software MC 1.0.1.2, Fim do tempo de espera de paragem do controlador do motor
E-15 A utilizar o software MC 1.0.1.2, O Controlador do motor mostrou uma falha da mensagem EOR
A utilizar o software MC 1.0.1.2, O Controlador do motor não executou todos os passos (afeta principalmente
E-18
o Binário dominante)
E-1B A utilizar o software MC 1.0.1.2, Avaria da célula da bateria (detetada pelo Controlador do motor)
E-1C A utilizar o software MC 1.0.1.2, Avaria de bateria fraca (detetada pelo Controlador do motor)
E-1D A utilizar o software MC 1.0.1.2, Avaria de bateria crítica (detetada pelo Controlador do motor)
E-1E A utilizar o software MC 1.0.1.2, O Controlador do motor está a encerrar
E-1F A utilizar o software MC 1.0.1.2, Código de despertar recebido (mas não esperado)
A ID de configuração no EOR do controlador do motor não corresponde à configuração atualmente
E-81
selecionada
10-01 Atualização da Página de Configuração a partir da Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-02 Ferramenta Bloqueada pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-03 Ferramenta desativada pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-04 Configuração Selecionada pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-05 Avanço de Grupo pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-06 Reposição do Grupo pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-07 Avanço de Configuração pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-08 Reposição da Configuração pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-09 Memória SPI apagada pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-0A Reposição da Configuração da Ferramenta pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-0B Calibragens de fábrica restauradas pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-0C Registo de ciclos apagados pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-0D Registo de eventos apagado pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
10-AA Reposição do Grupo pela Interface de Comunicação (USB ou Ligação sem fios)
20-01 Reposição integral da configuração de fábrica na memória da ferramenta
20-02 Reposição da configuração de fábrica na ferramenta
EE-E0 Erro de Protocolo RF - Pacote de Mensagem RF demasiado pequeno
EE-E1 Erro de Protocolo RF - RF Pacote demasiado grande
EE-F0 Erro do protocolo MC -- Soma de verificação da imagem inválida
EE-F1 Erro do protocolo RF -- Soma de verificação da imagem inválida
EE-F2 Erro do protocolo DIS -- Soma de verificação da imagem inválida

48619696_ed3 75
Descrição do código Estado do motor;

Posição do bit Descrição da avaria


1 Bateria
2 Hall State Inválido
3 I2T
4 Encravamento do Motor
5 Sobrecorrente
6 Sobreaquecimento
7 Avaria de desvio de corrente
8 Calibração de Derivação
9 Avaria de desvio do binário
10 Avaria no transdutor
11 Fim do tempo de espera do passo
12 Fim do tempo de espera da configuração
13 Binário excessivo
14 Ângulo excessivo
16 Binário insuficiente
17 Ângulo insuficiente
19 Libertação Prematura do Gatilho
20 Watchdog
25 Passos de execução em falta

4.4 Estado/Ver rede


O ecrã Estado->Ver rede é um ecrã só de leitura que proporciona uma perspetiva clara de todas as ferramentas USB / IC-PCM ligados
à rede. A informação é apresentada numa estrutura de vista em árvore.

Este ecrã contém:

4.4.1 IC-PCM 1:1


Expandir este nó lista todos os IC-PCM 1:1 disponíveis na rede.
Abrir um nó do IC-PCM 1:1 mostra o nó “Parâmetros gerais” do IC-PCM 1:1 e um nó para a ferramenta mapeada para o IC-PCM 1:1.
Clicar duas vezes no nó “Parâmetros gerais” do IC-PCM 1:1 mostra os Parâmetros gerais do IC-PCM 1:1 no lado direito do ecrã.

Ao abrir a ferramenta, o nó ID da localização mostra o nó “Parâmetros gerais” e o nó “Configurações” para a ferramenta mapeada.

Abrir o nó “Configurações” mostra um nó para cada uma das 8 Configurações permitidas.

Clicar duas vezes num nó “Número da configuração” particular mostra os Parâmetros de configuração da ferramenta no lado direito
do ecrã, se a Configuração estiver programada (ícone verde).

Clicar duas vezes no nó “Parâmetros gerais” mostra os Parâmetros gerais da ferramenta no lado direito do ecrã.

76 48619696_ed3
4.4.2 IC-PCM 10:1
Expandir este nó lista todos os IC-PCM 10:1 disponíveis na rede.

Expandir o nó de um IC-PCM 10:1 mostra todas as IDs de localização mapeadas para o IC-PCM 10:1.

Ao abrir a ferramenta, o nó ID da localização mostra o nó “Parâmetros gerais” e o nó “Configurações” para a ferramenta mapeada.

Abrir o nó “Configurações” mostra um nó para cada uma das 8 Configurações permitidas.

Clicar duas vezes num nó “Número da configuração” particular mostra os Parâmetros de configuração da ferramenta no lado direito
do ecrã, se a Configuração estiver programada (ícone verde).

Clicar duas vezes no nó “Parâmetros gerais” de uma ferramenta mostra os Parâmetros gerais da ferramenta no lado direito do ecrã.

4.4.3 Ligação à ferramenta através de USB direto


Expandir este nó mostra o nó “Parâmetros gerais” e o nó “Configurações” para uma ferramenta ligada com um cabo USB.

Clicar duas vezes no nó “Parâmetros gerais” de uma ferramenta mostra os Parâmetros gerais da ferramenta no lado direito do ecrã.

Abrir o nó “Configurações” mostra um nó para cada uma das 8 Configurações permitidas.

Clicar duas vezes num nó “Número da configuração” particular mostra os Parâmetros de configuração da ferramenta no lado direito
do ecrã, se a Configuração estiver programada (ícone verde).

4.5 Criar relatório


Para criar um tipo de relatório específico, pode utilizar este ecrã. O relatório pode ser exportado para um ficheiro ou impresso na impressora
predefinida.

O ecrã Criar relatório contém três separadores.


1. Relatório da ferramenta.
2. Relatório do VIN.
3. Gerador de relatório.

Os separadores Relatório da ferramenta e Relatório do VIN geram relatórios apenas para os EORs do IS-PCM 1:1. Utilizar o separador
Gerador de relatório cria relatório para ambas as ferramentas mapeadas para o IC-PCM.

4.5.1 Relatório da ferramenta


Este relatório é gerado com base no número de série como critério principal.

Os critérios de filtro podem ser fornecidos para o Resultado do aperto (Aprovado ou Falha), Resultado do ângulo (Aprovado,
Alto ou Baixo), Resultado do binário (Aprovado, Alto ou Baixo) e o Código VIN (Número/Código de identificação do veículo, também
chamado Código de barras). Os critérios de Data e Hora deverão ser fornecidos e os registos dentro do intervalo Data De/Data A
serão apresentados.

48619696_ed3 77
4.5.2 Relatório do VIN
Este relatório baseia-se no VIN (Número de identificação do veículo).

Podem ser fornecidos critérios de filtro para o Resultado do aperto (Aprovado ou Falha), Resultado do ângulo (Aprovado, Alto ou
Baixo), Resultado do binário (Aprovado, Alto ou Baixo) e Número de série da ferramenta. Os critérios de Data e Hora deverão ser
fornecidos e os registos dentro do intervalo Data De/Data A serão apresentados.

4.5.3 Gerador de relatório


O Gerador de relatório pode ser utilizado com vários critérios para a criação do relatório. Forneça os critérios de filtro na coluna “De” e
“A” e assinale a coluna “Ativar filtro” para ativar um filtro em particular.

78 48619696_ed3
Secção 5 – Arquivo de dados

5.1 Ecrã Definições de arquivo


A função Arquivar permite armazenar EOR, configurações e definições gerais de ferramentas mapeadas para o IC-PCM e também
arquiva as Definições gerais do IC-PCM 1:1.
Arquivar só está disponível para as versões MultiSync e Enterprise do software ICS instalado com a opção de base de dados SQL.
Pode ser utilizada uma licença principal para configurar e visualizar as definições de arquivo e é necessária para arquivar dados.
Pode ser utilizada uma licença secundária para visualizar as Definições de arquivo e visualizar os dados arquivados.
NOTA: para um melhor desempenho, recomenda-se a instalação do servidor SQL na mesma instalação que a ICS e as ferramentas.
O ecrã Definições de arquivo só é ativado quando o ICS está instalado como o servidor SQL como a opção de Base de dados.

A lista pendente Dados inclui três itens, conforme indicado abaixo:


Dados EOR – Os dados EOR podem ser arquivados numa ferramenta ligada a um IC-PCMx:1
Parâmetros (Configuração geral do IC-PCM 1:1) – Os parâmetros de configuração geral de um controlador IC-PCM
Dados
1:1 podem ser arquivados em cada controlador IC-PCM 1:1 na rede.
Parâmetros (Config. e Gerais) – As definições Configurações e Parâmetros gerais de uma ferramenta ligada a um
controlador IC-PCMx:1 podem ser arquivadas em cada controlador na rede.
ID de
A lista pendente ID da localização apresentará todas as ferramentas ligadas a um IC-PCM.
localização
Tempo/
A lista pendente Tempo/freq. apresenta opções para a frequência de arquivo dos dados.
Frequência
O botão Adicionar é utilizado para adicionar o ID e os dados da localização que se destinam a ser arquivados na
Adicionar
lista.
O botão Actualizar é utilizado para modificar as definições de arquivo e actualizar alterações para o ID da localização
Atualizar
seleccionada.
Eliminar O botão Eliminar é utilizado para eliminar o ID da localização seleccionada da lista Arquivo.
Eliminar
O botão Eliminar tudo é utilizado para eliminar todos os ID de localização existentes na lista Arquivo.
todos
OK/Cancelar O botão OK é utilizado para guardar as alterações e o botão Cancelar é utilizado para sair sem guardar as alterações.

48619696_ed3 79
Secção 6 – Controlo da qualidade

6.1 Estatísticas
O ecrã Resumo de estatísticas mostra as estatísticas calculadas a partir dos dados do registo de ciclos para a ferramenta e
Configuração selecionadas. O ecrã mostra os dados de Preenchimento e Amostra estatística para os resultados de binário e ângulo.

Os dados estatísticos podem ser guardados na base de dados local selecionando Guardar a partir do menu Ficheiro.

O ecrã Resumo de estatísticas permite ao utilizador selecionar a ID de localização e o número da Configuração. Internamente, o ICS
obtém os dados do registo de ciclos e apresenta o Preenchimento e Amostra estatística para o número da configuração selecionado.

O ecrã Resumo de estatísticas mostra os seguintes parâmetros e os respetivos valores para Preenchimento e Amostra estatística para
os resultados de Binário e Ângulo:

Estratégia - Estratégia selecionada

Alvo - Binário/Ângulo alvo

Barra X - Mediana

Intervalo - Valor máx. - Valor mín.

Desvio médio - Mediana - Alvo

Capacidade - Calculada como (6 * Sigma / Mediana) * 100

CAM - (Limite superior - Limite inferior)/ (6*(W/dS))

Em que W - Dispersão média, dS = 1,746

Sigma - Desvio padrão

PP - Parâmetro de estatística da capacidade calculado como (Limite definido superior – Limite definido inferior)/(6*Sigma)

PPK - Parâmetros de Estatísticas de capacidade calculados como Mín. (mediana - Limite definido inferior)/(3*Sigma) ou (Limite
definido superior – mediana)/(3*Sigma))

O tamanho da Amostra estatística pode ser definido clicando no botão Definir parâmetros na barra de ferramentas. Desta forma,
é apresentada a caixa Definir parâmetros estatísticos. Esta caixa conta com uma caixa de introdução do Tamanho da amostra para
definir o número de leituras a utilizar para calcular a Amostra estatística. Por predefinição, o tamanho da amostra é 25.

80 48619696_ed3
O ecrã Resumo de estatísticas também pode ser iniciado a partir do ecrã Executar Registo de ciclos principal. Depois de selecionar
uma Configuração e realçar os resultados do Registo de ciclos desejados, clique no botão Iniciar parâmetros estatísticos. O ecrã
Resumo de estatísticas é iniciado apenas com as Estatísticas de preenchimento apresentadas.

NOTA: tem de ser selecionado um mínimo de três registos do ciclo para calcular as estatísticas.

6.1.1 Dados estatísticos guardados/recuperados da base de dados local


Os dados estatísticos podem ser guardados na base de dados local do PC para visualização e análise posteriores. Para guardar os
dados estatísticos no PC, selecione Guardar a partir do menu Ficheiro ou utilize o ícone Guardar a partir da barra de ferramentas
principal. Para recuperar um conjunto de dados estatísticos já guardado, primeiro, clique no botão Modo da base de dados na barra
de ferramentas principal. Em seguida, selecione a ID de localização da ferramenta e o número da Configuração correspondente.
Selecione o conjunto desejado a partir da caixa pendente Marca de data/hora.

48619696_ed3 81
Secção 7 – Diagnóstico do sistema
O ecrã Diagnóstico do sistema permite verificar o estado geral do sistema da ferramenta ligada a USB. Esta funcionalidade também
ajuda no diagnóstico de problemas da ferramenta, a calibrar a ferramenta e a definir Alarmes de manutenção preventiva.

The PM alarm, tool status and Tool calibration functionalities are also applicable for the tools connected to IC-PCM.

1. Teste da ferramenta
2. Estado da ferramenta
3. Estado do teclado (contém LEDs e diagnóstico da coluna)
4. Calibração da ferramenta
5. Alarme PM (Manutenção preventiva)

7.1 Teste da ferramenta


O separador Teste da ferramenta permite ao utilizador visualizar as leituras da ferramenta para a ID de localização selecionada.
Avançar com esta função coloca a ferramenta no modo de diagnóstico. A ferramenta é colocada no modo de diagnóstico, mas o
funcionamento normal não é suspenso. Recomenda-se que o utilizador não execute quaisquer operações normais (aperto) quando
a ferramenta se encontra no modo de diagnóstico. Quando o gatilho é puxado, a configuração atualmente selecionada é executada.
O utilizador pode ler os seguintes valores no ecrã durante a execução da ferramenta:

Ângulo Graus de rotação

Corrente Corrente obtida em amperes

Velocidade Velocidade rotacional em RPM

Temperatura Temperatura da ferramenta medida em graus centígrados

Binário Binário dinâmico alcançado

Tensão da
Tensão da bateria atual da ferramenta
bateria

82 48619696_ed3
7.2 Estado da ferramenta
O separador Estado da ferramenta mostra os dados do sistema para fins de diagnóstico.

O separador Estado da ferramenta mostra os seguintes Estados da ferramenta:

Mostra o estado de Puxado/Libertado do gatilho.


Estado do gatilho
(Puxado Libertado )

Mostra o estado de CW/CCW (Para a direita/esquerda) do interruptor de direção.


Estado da direção
(CW CCW )

Mostra o estado de LIGADO/DESLIGADO do LED do farol.


Estado do farol
(Ligado Desligado )

Mostra se a ferramenta pode executar uma determinada operação de aperto. A ferramenta


Estado ativado
assinalada pode realizar a operação de aperto, se a configuração selecionada for válida.

Desvio da Fase U atual Mostra o estado de Desvio da Fase U do motor atual.

Desvio da Fase W atual Mostra o estado de Desvio da Fase W do motor atual.

Desvio Zero do sinal de


Mostra o estado do Desvio Zero do sinal de binário.
binário

Força do sinal Mostra a força do sinal da ligação sem fios

Temperatura do motor Mostra a temperatura do motor da ferramenta

Tensão da bateria Mostra a tensão da bateria atual em Volts.

Calibragem de Derivação Mostra o valor da Calibragem de derivação

48619696_ed3 83
7.3 Diagnóstico do teclado, LED e áudio
Este ecrã pode ser utilizado para diagnosticar o estado do Teclado, LEDs e Coluna da ferramenta.

7.3.1 Estado do teclado


Mostra o estado atual das teclas.

Sl n.º Tecla Premida Libertada

1 Para cima

2 Para baixo

3 Para a direita

4 Para a esquerda

5 Esc

6 Enter

84 48619696_ed3
7.3.2 Teste de LED
Mostra o estado atual dos LEDs e também pode ativar ou desativar um LED em particular clicando no botão do LED em causa.

Sl n.º Tecla Premida Libertada

1 Amarelo

2 Verde

3 Vermelho

4 Azul

7.3.3 Diagnóstico de áudio


Clique no botão “ÁUDIO LIGADO” para ativar o sinal sonoro para testar a coluna da ferramenta. Este som é emitido durante 5 segundos.

7.4 Calibração da ferramenta


O ecrã de calibração da ferramenta permite ao utilizador calibrar a TR da ferramenta selecionada. Permite DEFINIR/REPOR os valores
para TR, ASC e KT. Também permite enviar o valor de percentagem da Perda da caixa de engrenagens para a ferramenta.

Introdução de dados manual


O utilizador pode Definir/Repor os valores de TR, ASC, KT para a ferramenta; também mostra os valores de fábrica e atuais para TR,
ASC e KT. O utilizador pode introduzir os valores de TR e ASC ± 20 % do valor de fábrica de TR e ASC.

Por predefinição, o TR do utilizador e o ASC do utilizador são definidos de fábrica ao definir os valores de ASC e TR.

O utilizador pode introduzir o valor de sensibilidade KT entre 0,01 e 1,00 (por predefinido, definido como 1,00).

% de perda da caixa de engrenagens


O utilizador pode introduzir um valor de ± 40% na caixa de dados Perda da caixa de engrenagens. Quando este valor é enviado
para a ferramenta, o valor de TR da ferramenta muda de acordo com o seguinte: Utilizador_TR = Fábrica_TR - [Percentagem_caixa
de_engrenagens * Fábrica_TR /100]

48619696_ed3 85
Definições de calibração
Existem dois tipos de modos de calibração: Automático e Manual.

Este ecrã permite a execução da Calibração automática, que calibra o Intervalo do transdutor (TR) para a ferramenta utilizando um
Analisador de binário Ingersoll Rand série ETA5 ou um Analisador de binário Ingersoll Rand série EXT.

Ao receber o registo EOR da ferramenta, o valor de binário é apresentado na lista. O software ICS lê então o valor de binário medido
pelo analisador ETA5/EXT para o número de ciclos ativos e mostra o valor recebido na coluna Binário ETA5.

Clique no botão Rejeitar leitura para rejeitar qualquer execução individual através do procedimento de calibração.

O novo valor de TR é calculado quando STOP é premido. O novo valor de TR é apresentado como o Valor de TR resultante. O valor de
TR resultante pode ser definido na ferramenta utilizando o botão Enviar.

Os novos TRs são calculados após cada aperto. Rejeitar qualquer leitura resulta num novo cálculo do TR resultante.

No caso da calibração em modo manual, clique no botão Auto para alterar para o modo manual. No modo manual, o utilizador
deverá introduzir o valor medido lido a partir de um dispositivo externo de monitorização de binário.

O utilizar pode Imprimir ou Guardar um relatório de calibração automática através do menu Ficheiro.

Note: Calibration results are not available for tools mapped to IC-PCM.

7.5 Alarmes de PM
Os alarmes de PM servem de lembretes para a manutenção preventiva regular da ferramenta. A secção Alarmes de PM ajuda o
utilizador a manter um registo do plano de manutenção preventiva para a ferramenta. Podem ser definidos até cinco alarmes
diferentes com uma duração de “número de ciclos” ou “Número de dias”.

O ecrã Alarme de manutenção preventiva (PM) é definido na ferramenta e permite a edição das definições. Adicionalmente, este ecrã
permite repor qualquer alarme de PM.

O ecrã mostra o Alarme, a Duração, a Contagem/Data de início e a Contagem/Data de validade para cada alarme. Utilize o botão
Repor para repor a contagem/data de início e validade.

Desativar a função de caixa de verificação da ferramenta permite desativar a ferramenta quando o alarme é acionado.

O alarme pode ser definido para os seguintes itens:

86 48619696_ed3
Lubrificar caixa de engrenagens
Lubrificar cabeça do ângulo
Lubrificar cabeça de Offset
Lubrificar cabeça da porca do tubo
Verificação calibração da ferramenta
Segue-se a duração (ciclos) para a configuração do alarme:
5000
10000
20000
50000
100000
500000
1000000
Se a Ligação sem Fios estiver ativada na ferramenta, as opções que se seguem estão disponíveis para a duração:
Dias
1
5
7
14
30
90
180
270
365
NOTA:

1. caso a duração seja definida como “Número de dias”, ao atualizar o ecrã, o ICS apresenta apenas a data de fim e não
“número de dias” e “Data de início” como NA.

2. When an item is selected in the drop-box for PM alarm setting for warning or disabling the tool after an elapsed time period or
cycle, that item will NOT be available for selection in other drop-boxes.

48619696_ed3 87
7.6 Diagnóstico do sistema - Ver entradas
O ecrã Ver entradas mostra o estado dinâmico de todos os pinos de entrada para o IC-PCM 1:1 selecionado. Este ecrã é útil para
resolver problemas de E/S.

O ecrã Ver entradas mostra os 8 pinos de entrada do IC-PCM 1:1 e respetivos comportamentos atribuídos a cada pino.

Para alterar os comportamentos atuais atribuídos a cada pino de entrada, o utilizador tem de clicar no botão . A caixa de
diálogo Configuração geral do PCM abre-se para alterar os comportamentos atuais através da navegação para o separador Atribuir
entradas da Configuração geral do PCM.

NOTA: os comportamentos modificados só são aplicados após o reinício do IC-PCM 1:1.

O estado do Pino de entrada ativo é indicado através de um LED verde virtual .

O estado do Pino de entrada inativo é indicado pelo LED .

7.7 Diagnóstico do sistema - Ver/definir saída


7.7.1 Modo Ver saídas (modo normal)
O ecrã Definir/Ver saídas mostra o estado dinâmico de todos os Pinos de saída para o IC-PCM 1:1 selecionado. Este ecrã permite que
o utilizador ative manualmente um sinal de saída para fins de diagnóstico do sistema.

Para alterar os comportamentos atuais atribuídos a cada pino de saída, o utilizador tem de clicar no botão .

A caixa de diálogo Configuração geral do PCM abre-se e o utilizador pode alterar os comportamentos navegando para o separador
Atribuir saídas da Configuração geral do PCM. Os comportamentos modificados são aplicados após o reinício do PCM.

O estado do pino de entrada ativo é indicado através do LED .

O estado do pino de entrada inativo é indicado através do LED .

Utilize este botão para alterar do Modo normal para o Modo de diagnóstico. Este procedimento coloca o IC-PCM 1:1 no modo
de diagnóstico.

88 48619696_ed3
7.7.2 Definir modo de saídas (modo de diagnóstico)
No modo Definir modo de saídas, o ecrã mostra o estado dinâmico de todos os pinos de saída e fornece um meio para definir
manualmente o estado das saídas para o IC-PCM 1:1 selecionado enviando um sinal de saída de 24 V para os respetivos pinos.

O estado de cada saída é indicado pelos LEDs virtuais.

No modo Diagnóstico, é possível forçar uma saída enviando uma saída. Quando um sinal de saída é forçado, o funcionamento
normal do sistema é interrompido. Quando o utilizador sai do ecrã “Definir saídas”, os sinais forçados para os respetivos pinos de
saída são repostos para os valores normais.

O estado do Pino de saída ativo quando o “sinal de saída é forçado” é apresentado através do LED verde virtual .

O utilizador pode alternar para o Modo normal (Modo Ver) clicando em

NOTA: forçar saídas desativa e ativa o funcionamento da ferramenta normal.

Deve ser exercido cuidado para garantir que a área de trabalho está segura antes de ativar saídas manualmente.
Certifique-se de que os dispositivos ligados às saídas do IC-PCM 1:1 não criam situações de perigo se as saídas forem
ativadas manualmente.

7.8 Descoberta do controlador direta


Este ecrã é utilizado para a descoberta direta do IC-PCM. Se um utilizador pretender descobrir apenas determinados IC-PCMs, deve
assinalar a caixa de verificação “Desativar descoberta”.

Introduza o endereço IP para o dispositivo de interesse selecionado.

NOTA: se a caixa de verificação Desativar descoberta não for assinalada, o ICS descobre todos os IC-PCM disponíveis na rede.

48619696_ed3 89
Secção 8 – Diagnóstico da Ligação sem Fios
Mostra estatísticas da ligação sem fios da ferramenta ligada a USB ou ao IC-PCM, bem como as estatísticas da ligação sem fios do
IC-PCM para fins de diagnóstico.

8.1 Estatísticas da ligação sem fios da ferramenta ligada a USB

Mostra a ID de localização, o Número de pacotes transmitidos, o Número de pacotes recebidos e a Força do sinal.

8.2 Estatísticas da ligação sem fios do IC-PCM

Mostra as seguintes funções:


ID de localização
Número de pacotes recebidos e transmitidos, Força do sinal
Qualidade do sinal
Estado da comunicação do IC-PCM como o módulo sem fios

90 48619696_ed3
Secção 9 – Esquema do ecrã geral

9.1 Componentes do ecrã ICS


A interface do software ICS conta com os seguintes componentes:
• Barra de título
• Barra de menu
• Barra de ferramentas principal
• Área de trabalho
• Janela da mensagem
• Barra de ferramentas de comunicação
• Barra de estado

Barra de título Tipo de família


Barra de
menu

Barra de
ferramentas
principal

Ecrã de
gráficos

Mensagem
Janela

Estado
Barra

9.1.1 Barra de título


A barra de título mostra o ícone e o nome do ICS. Adicionalmente, inclui os botões comuns do Windows Fechar, Minimizar e
Restaurar. Pode movimentar a janela do programa clicando e arrastando a barra de título.

9.1.2 Seleção do tipo de família


O ICS foi concebido para fornecer uma interface de programação e arquivo de modo a aumentar a funcionalidade dos controladores
do tipo de família IC12D/M e ferramentas da série QX.
NOTA: com base na seleção do tipo de família, as funções nos menus mudam.

48619696_ed3 91
9.1.3 Barra de menu
A barra Menu contém os seguintes menus:
9.1.3.1 Menu Ficheiro

O menu Ficheiro é semelhante aos menus encontrados nos programas Windows. Conta com as seguintes funções:
Novo Abre uma nova instância da janela atualmente ativa. Este botão apresenta-se a cinzento para todas
as janelas de instância única.
Registo de eventos do Fornece uma opção para abrir um Registo de eventos do ICS previamente guardado.
ICS... Nota: esta opção só está ativa quando o ecrã Ver Registo de eventos está aberto.
Guardar Guarda os dados da janela ativa atual na Base de dados local.
Enviar Envia os parâmetros na janela ativa atual para a Base de dados local.
Eliminar registo da base Elimina o registo selecionado da base de dados local.
de dados
Configuração da Abre uma caixa de diálogo, permitindo ao utilizador definir as opções da impressora.
impressora
Imprimir Imprime os dados a partir da janela ativa atual.
Exportar Exporta os dados da janela ativa atual para um ficheiro “.pdf” ou “.csv”.
Fechar Fecha a janela ativa atual.
Encerrar a sessão Encerra a sessão do utilizador atual e apresenta uma janela de início de sessão.
Sair Fecha o programa ICS.
9.1.3.2 Menu Executar

O menu Executar dá-lhe acesso ao ecrã de controlo do ICS, fornecendo as seguintes opções:

Executar Registo de
Contém as opções Executar Ver principal e Ver Registo de ciclos
eventos principal
Executar Ver principal Mostra os dados EOR para o último ciclo, para uma única ferramenta ligada a USB/IC-PCM.
Ver Registo de ciclos Mostra um conjunto de resultados de aperto armazenados na ferramenta /IC-PCM.
Executar Ver todos
Mostra os últimos dados EOR para todas as ferramentas, ligadas através de USB, IC-PCM.
principal
Registo de eventos
Mostra o registo de eventos do IC-PCM e da ferramenta QX
IC-PCM/QX
Criar relatório Cria um relatório de EORs com base em vários critérios.

92 48619696_ed3
9.1.3.3 Menu Configurar

O menu Configurar contém todas as definições do ICS. Conta com as seguintes opções:

Configuração de ferramentas Contém a Configuração de aperto e a Configuração geral.

Configuração de aperto Fornece opções para configurar o Binário/Ângulo/Estratégia de binário dominante.

Fornece opções para configurar as definições de aperto gerais. (Configuração da ferramenta,


Configuração geral
Configuração da Ligação sem Fios, Definições de palavra-passe)

Configuração geral do IC-PCM Proporciona a capacidade de carregar, ver, editar, criar e guardar definições gerais para o IC-PCM
1:1 1:1 especificado.

Fornece opções para atribuir quaisquer configurações guardadas e/ou parâmetros gerais
Atribuição de parâmetros definidos a qualquer ferramenta QX ligada a USB ou IC-PCM e também pode atribuir o conjunto
de parâmetros gerais ao IC-PCM 1:1.

Fornece opções para ver, configurar e ajustar todos os parâmetros de Localização e Ethernet para
Configuração da ferramenta
todos os IC-PCM. Fornece também opções para visualizar, configurar e modificar as definições da
de ligação sem fios
ligação sem fios.
Fornece opções para transferir o firmware de MCE/Visualização/Rádio sem fios para ferramentas
Transferir software ligadas a USB e o firmware RISC/Rádio sem fios para IC-PCMs selecionados que se encontram
atualmente na rede.

Fornece opções para reiniciar IC-PCMs selecionados e módulos de rádio individuais presentes
Reiniciar
num IC-PCM

Detetor de energia da ligação


Fornece opções para analisar o nível de energia de todos os canais (11-25).
sem fios do IC-PCM

9.1.3.4 Menu Estado

O menu Estado permite aceder ao ecrã Ver rede.

O ecrã Ver rede oferece uma perspetiva clara de todas as ferramentas QX ligadas a USB/IC-PCM
Ver rede
disponíveis na rede.

9.1.3.5 Menu Estatísticas

O menu Estatísticas permite aceder ao ecrã Sumário.

Fornece a capacidade de ver estatísticas calculadas com base nos dados de registo de ciclos da
Sumário
ferramenta ligada a USB/IC-PCM.

48619696_ed3 93
9.1.3.6 Menu Diagnóstico

O menu Diagnóstico contém opções para a realização de diagnósticos e resolução de problemas.

Diagnóstico da ferramenta é o teste dinâmico das funções da ferramenta para a ferramenta ligada a
Diagnóstico do sistema
USB.
Teste da ferramenta Mostra dados de diagnóstico através da transmissão de dados do motor ao vivo.
Estado da ferramenta Mostra o estado do gatilho, do comutador de direção, do farol e o estado do sistema atual.
Estado do teclado Mostra o estado atual para o teclado e LEDs e realiza o teste de LEDs.
Calibração da ferramenta Permite executar a calibração, que pode calibrar o Intervalo do Transdutor (TR).
Alarmes PM Permite obter/definir as definições de alarmes de PM da ferramenta.
Ver entradas Permite a visualização do estado do pino de entrada do IC-PCM 1:1.
Definir/Ver saídas Permite definir e visualizar o estado do pino de saída do IC-PCM.
Diagnóstico da ligação Fornece um estado utilizado para diagnosticar o sistema com base em diferentes valores estatísticos
sem fios (TX, RX, etc.).

9.1.3.7 Menu ICS

O menu ICS fornece oito opções diferentes, a maioria das quais permite realizar tarefas administrativas, tais como definições de
segurança e definições gerais do sistema:
Comunicação Permite definir as Definições de série e Atribuições de protocolos.
Ver Registo de eventos Abre o Registo de eventos do ICS, que mostra um registo da atividade do ICS.
Definições de arquivo Abre o ecrã Definições de arquivo, que permite ao utilizador configurar ferramentas e dados
específicos (EOR ou parâmetros) que exigem o arquivo.
Segurança Abre o ecrã Configuração da palavra-passe, que permite ao utilizador, com acesso de Supervisor,
definir palavras-passe de permissões de grupo.
Alterar idioma Abre o ecrã Seleção de idioma, que permite alterar o idioma utilizado no ICS. Idiomas disponíveis:
chinês, checo, inglês, francês, alemão, italiano, polaco, português, russo e espanhol.
Atualizar licença Abre o ecrã Atualizar licença, que permite ao utilizador atualizar o ficheiro de Licença.
Selecionar adaptador Abre o ecrã Selecionar adaptador, que permite a seleção do tipo de Ligação de rede a utilizar pelo ICS
para ligação com o IC-PCM.
Configuração da base Abre o ecrã Configuração da base de dados, que permite ao utilizador modificar a configuração da
de dados Base de dados de arquivo.
Descoberta do Abre o ecrã Descoberta do controlador direta, que permite ao utilizador introduzir endereços IP do
controlador direta IC-PCM para a descoberta direta pelo ICS.

94 48619696_ed3
9.1.3.8 Menu Fonte de dados

O menu Fonte de dados permite escolher o modo de funcionamento do ICS: Base de dados, Rede ou Arquivo.
Base de dados Quando assinalada, indica que o utilizador está a funcionar no modo de Base de dados local.

Rede Quando assinalada, indica que o utilizador está a funcionar no modo de Rede.

Arquivo Quando assinalada, indica que o utilizador está a funcionar no modo de Base de dados de arquivo.

9.1.3.9 Menu Ver

O menu Ver permite ativar e desativar a visualização da Barra de ferramentas principal e da Janela de mensagens.
Barra de ferramentas Quando assinalada, a Barra de ferramentas principal está ativa. Quando desmarcada, a Barra de
principal ferramentas principal está oculta.
Janela de mensagens Quando assinalada, a Janela de mensagens está ativa. Quando desmarcada, a Janela de mensagens está
oculta.

9.1.3.10 Menu Janela

O menu Janela funciona para abrir uma nova janela ou organizar as janelas apresentadas.
Nova janela Quando selecionada, abre-se uma nova instância da janela ativa.

Cascata Quando selecionada, todas as janelas ativas são organizadas em forma de cascata.

Mosaico Quando selecionada, todas as janelas ativas são organizadas em forma de mosaico.

Fechar todos Quando selecionada, todas as janelas ativas são fechadas.

9.1.3.11 Menu Ajuda

O menu Ajuda fornece acesso a informações sobre a versão e a licença.


Quando selecionada, abre uma janela com o número da versão do software, informação de direitos de autor
Acerca do ICS
e informação de licenciamento.

48619696_ed3 95
9.1.4 Barra de ferramentas principal
A Barra de ferramentas principal encontra-se na parte superior do ecrã, por baixo da barra de menu.

Abre uma nova instânica da janela atualmente ativa. Este botão apresenta-se
Nova
a cinzento para todas as janelas de instância única.

Fechar Fecha a janela ativa atual.


Este botão só se encontra ativo ao visualizar o ecrã de registo de eventos
Carregar do ICS; abre uma janela que permite carregar um Registo de evento do ICS
previamente guardado.

Guardar Guarda os dados da janela atualmente ativa na base de dados local.

Envia os parâmetros na janela ativa atual para a ferramenta ou controlador


Enviar
selecionados.

Eliminar Elimina o registo selecionado da base de dados local.

Imprimir Imprime os dados da janela atualmente ativa.

Exportar Exporta os dados da janela ativa atual para um ficheiro “.pdf” ou “.csv”.

Definições de
Abre o ecrã Definições de arquivo.
arquivo
Este botão permite mudar a janela ativa para o modo de Rede. Neste
Modo de Rede modo, os dados podem ser enviados e recebidos diretamente para/de uma
ferramenta ou controlador selecionados.
Este botão permite mudar a janela atualmente ativa para o modo de uma
Modo de BD local Base de dados local. Neste modo, os dados podem ser guardados na base
de dados local.
Este botão permite mudar a janela atualmente ativa para o modo BD de
Modo de arquivo arquivo. Neste modo, os dados armazenados na base de dados de arquivo
podem ser visualizados.

Família Existem duas famílias de ICS: ICD/M e série QX.

9.1.5 Barra de ferramentas de comunicação


A Barra de ferramentas de comunicação é utilizada principalmente para selecionar um controlador ao trabalhar no modo de Rede.
Está situada na parte superior do ecrã de gráficos (janela). Alguns controlos poderão não estar presentes, dependendo do tipo de ecrã.

Esta barra de ferramentas contém os seguintes elementos:

ID de localização Esta caixa pendente mostra todas as ferramentas ligadas a USB/IC-PCM pelo software ICS. Selecione a
ferramenta desejada a partir desta caixa pendente.
9.1.6 Barra de ferramentas da base de dados
A Barra de ferramentas da base de dados é principalmente utilizada para executar operações da base de dados, tais como guardar
e obter dados armazenados.

96 48619696_ed3
9.1.7 Área de trabalho
A função Área de trabalho inclui um ambiente de trabalho para todos os ecrãs de gráficos. Todos os ecrãs de gráficos abrem dentro
da área de trabalho.

9.1.8 Ecrãs de gráficos


Os ecrãs de gráficos contêm dados e parâmetros de configuração para um ou mais controladores. Cada ecrã pode ser minimizado,
maximizado ou fechado individualmente. A barra de título de cada ecrã contém o nome do ecrã. O exemplo em baixo mostra o ecrã
Configuração da ferramenta aberto na Área de trabalho.

9.1.9 Barras de Estado e Progresso


Quando existem ferramentas ligadas, a barra de Estado mostra um pequeno ícone para ferramentas sem fios, com uma marca de
verificação verde. Clicar duas vezes neste ícone mostra o ecrã Definições da ferramenta sem fios.

9.1.10 Ícones
Existem diferentes ícones utilizados para representar as ferramentas ligadas a USB, IC-PCM.

Ícones Descrições

Ferramenta ligada a USB

IC-PCM 1:1

IC-PCM 10:1

Ferramenta de tipo pistola ligada ao IC-PCM.

Ferramenta mapeada, mas não ligada ao IC-PCM 1:1

Ferramenta mapeada, mas não ligada ao IC-PCM 10:1

48619696_ed3 97
Secção 10 – Atribuição de um nome
Utilize o menu ICS -> Atribuição de nome a partir da barra do menu principal ICS para atribuir um nome a controladores
e configurações. Esta secção explica como atribuir um nome a controladores e configurações. Os nomes das config-
urações e os nomes dos controladores são armazenados numa base de dados SQL.

10.1 Atribuição do nome do IC-PCM/QX


O ecrã do IC-PCM/QX é utilizado para atribuir um nome às ferramentas da série IC-PCM e QX. Permite atribuir um nome
às ferramentas IC-PCM/QX presentes na rede. Estes nomes serão utilizados em todos os ecrãs para identificar os contro-
ladores, em vez de apresentar endereços IP. No caso dos IC-PCM/QX sem nome, serão utilizados os endereços IP e os Id
dos trabalhos para identificação.

Tipo do dispositivo Esta coluna incluirá os ícones.


IC-PCM 1:1

IC-PCM 10:1
Tipo de
dispositivo Ferramenta tipo pistola ligada ao IC-PCM

Ferramenta mapeada mas não ligada ao IC-PCM 1:1

Ferramenta mapeada mas não ligada ao IC-PCM 10:1


ID do trabalho ID do trabalho da ferramenta da série IC-PCM ou QX.
Nome Esta coluna mostra/actualiza o nome da ferramenta da série IC-PCM/QX
Endereço IP Endereço IP do IC-PCM.
Guardar O botão Guardar é utilizado para guardar os nomes atribuídos à base de dados
Desatribuir O botão Desatribuir é utilizado para remover o nome atribuído do Id do trabalho seleccionado.
Desatribuir tudo O botão Desatribuir tudo é utilizado para remover todos os nomes atribuídos dos Id dos trabalhos

A Lista mostra os nomes atribuídos aos Id de trabalhos das ferramentas da série IC-PCM/QX.
NOTA: no caso dos controladores offline, os endereços IP não serão apresentados.
98 48619696_ed1
10.1.1 Etapas para atribuir um nome a uma ferramenta IC-PCM/QX:
1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione IC-PCM/QX, a ICS abre o ecrã Atribuição de nome a
IC-PCM/QX.
2. Clique na respectiva coluna “Nome” e introduza o nome.
3. Clique no botão Guardar.
4. O “nome” da ferramenta IC-PCM/QX é, em seguida, apresentado em todos os ecrãs.
NOTA: seguem-se as regras que se aplicam durante a atribuição de um nome.
a) Só são autorizados os valores alfanuméricos.
b) O comprimento máximo autorizado é de 30 caracteres.
c) São permitidos os caracteres especiais ‘-‘.’_’ e ‘/’.
d) O nome tem de começar por uma letra.

10.1.2 Etapas para desatribuir um nome de uma ferramenta IC-PCM/QX:


1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione IC-PCM/QX, a ICS abre o ecrã Atribuição de nome a
IC-PCM/QX.
2. Seleccione o Id do trabalho do controlador/ferramenta que pretende desatribuir.
3. Clique no botão Desatribuir.
4. O endereço IP / ID do trabalho da ferramenta IC-PCM/QX serão, em seguida, apresentados em todos os ecrãs.

10.1.3 Etapas para desatribuir todos os nomes das ferramentas IC-PCM/QX:


1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione IC-PCM/QX. A ICS abre o ecrã Atribuição do nome do
IC-PCM/QX.
2. Clique no botão Desatribuir tudo.
3. Os endereços IP/ID do trabalho das ferramentas IC-PCM/QX serão, em seguida, apresentados em todos os ecrãs.

10.2 Atribuição de nome a configuração


Este ecrã é utilizado para atribuir nomes a configurações para uma ferramenta da série QX.

48619696_ed1 99
ID do trabalho ID do trabalho da ferramenta da série QX mapeado para um IC-PCM
Número config. Esta coluna mostra as configurações disponíveis para a ferramenta da série QX.
Nome config. Esta coluna mostra/actualiza o nome atribuído das configurações para a ferramenta seleccionada.
Guardar O botão Guardar é utilizado para guardar o nome da configuração
Desatribuir O botão Desatribuir é utilizado para remover o nome atribuído da configuração seleccionada.
Desatribuir
O botão Desatribuir tudo é utilizado para remover os nomes atribuídos de todas as configurações
tudo

10.2.1 Etapas para atribuir um nome a um número da configuração:


1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione Número da configuração, a ICS abre o ecrã Atribuição
de nome a configuração.
2. Seleccione o Id do trabalho da ferramenta da série QX mapeado para o IC-PCM pretendido.
3. Clique na respectiva coluna “Nome config.” e introduza o nome.
4. Clique no botão Guardar.
5. O nome da configuração será agora apresentado em todos os ecrãs aplicáveis.
NOTA: seguem-se as regras que se aplicam durante a atribuição de um nome à configuração.
a) Só são autorizados os valores alfanuméricos.
b) O comprimento máximo autorizado é de 30 caracteres.
c) São permitidos os caracteres especiais ‘-‘.’_’ e ‘/’.
d) O nome tem de começar por uma letra.

10.2.2 Etapas para desatribuir um nome de um número de configuração:


1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione Número da configuração, a ICS abre o ecrã Atribuição
de nome a configuração.
2. Seleccione o número da configuração que pretende desatribuir.
3. Clique no botão Desatribuir.
4. O nome será desatribuído do número da configuração
5. O nome da configuração será agora apresentado como Config. 1 a 8 em todos os ecrãs aplicáveis.

10.2.3 Etapas para desatribuir todos os nomes das configurações:


1. No menu ICS, clique em Atribuição do nome e seleccione Número da configuração. A ICS abre o ecrã Atribuição
de nome a configuração.
2. Clique no botão Desatribuir tudo.
3. Todos os nomes das configurações serão desatribuídos.
4. Todos os nomes das configurações serão agora apresentados como Config. 1 a 8 em todos os ecrãs aplicáveis.

100 48619696_ed1
Informação de contacto
Soluções de aperto
No ambiente industrial dos nossos dias, unir componentes é muito mais que colocar uma chave em torno de um parafuso.
Trata-se de encontrar uma solução que ligue o operador e a união e que funcione com uma precisão e capacidade de repetição
ímpares. A Ingersoll Rand dispõe de conhecimentos superiores de processos de aperto roscados, adquiridos ao longo de muitos
anos de trabalhos de aplicação com os fabricantes líderes mundiais nos setores automóvel, aeroespacial, aparelhos e eletrónica.
Compreendemos a interface ferramenta/operador - e como maximizar o poder de equipamento desenhado ergonomicamente para
aumentar a produtividade.

Para além do produto, as vastas capacidades de consultoria, integração e assistência da Ingersoll Rand ajudam-no antes, durante
e depois da configuração da sua linha ou área de trabalho para produção. Contacte a Ingersoll Rand através do sítio da Internet,
números de telefone ou endereços indicados em baixo para obter uma solução que satisfaça as suas necessidades e exceda as suas
expetativas.

Informação de contacto globais


Internacional

ingersollrandproducts.com

América do Norte
Ingersoll Rand
North American Solutions Center
1872 Enterprise Drive
Rochester Hills, MI 48309
Telefone: 866-284-5509

Europa
Ingersoll Rand
Swan Lane, Hindley Green
Wigan WN2 4EZ
RU
Telefone: +44 (0)1942 25 7171
Ingersoll Rand
Zone du Chene Sorcier
BP 62
78346 Les Clayes sous Bois Cedex
França
Telefone: +33 (0) 1 30 07 69 00

China
Ingersoll Rand
11F Xu Huiyuan Building, 1089 Zhong Shan Nan Er Rd.
Xangai 200030, República Popular da China
Telefone: +86 (0)21-54529898

Índia
Ingersoll Rand Wadco Tools, Ltd.
37A, Site 4
Sahibabad Industrial Area
Ghaziabad 201 010 (UP)
Índia
Telefone: +91 (0)120-4389200

48619696_ed3 101
Notas:

102 48619696_ed3
Notas:

48619696_ed3 103
ingersollrandproducts.com
© 2013 Ingersoll-Rand