Vous êtes sur la page 1sur 64

Curso Bíblico

Conhecendo o
Amor de Deus

Eis que estou à porta e bato...


Apocalipse 3.20

DISCIPULADO
www.escoladominical.org.br
Curso Bíblico

Conhecendo o
Amor de Deus

Eis que estou à porta e bato...


Apocalipse 3.20

DISCIPULADO
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado

GRUPO DE
DISCIPULADO

CONHECENDO O AMOR
DE DEUS

Joinville - SC - 2011
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS
Avenida Getúlio Vargas, 463 – Bucarein
Telefone: (0xx47) 3431-4300 / 3431-4332
Caixa Postal 86
CEP 89202-001 – JOINVILLE – SC

www.discipulado.adjoinville.org.br
e-mail: discipulado@adjoinville.org.br

Elaboração: Equipe Teológica Refidim


Website: www.ceeduc.org

Presidente da Igreja para o Campo de Joinville - SC


Pr. Sérgio Melfior

Coordenador Geral dos Grupos de Discipulado


Pr. Joary Jossué Carlesso
SUMARIO

Apresentação .............................................. 05

Estudo nº 1
Quem é Jesus? ............................................... 07

Estudo nº 2
O Pecado e o Plano de Deus ............................. 11

Estudo nº 3
O Substituto dos nossos Pecados ..................... 15

Estudo nº 4
A Necessidade de Escolher a Cristo .................. 19

Estudo nº 5
A Nova Vida ................................................... 23

Estudo nº 6
Jesus Cristo, o Senhor .................................... 27

Estudo nº 7
A Vida Abundante ........................................... 31
4 Conhecendo o Amor de Deus

Estudo nº 8
As Promessas de Deus .................................... 35

Estudo nº 9
O Batismo no Espírito Santo ............................ 39

Estudo nº 10
O Discípulo de Cristo ................................. 43

Estudo nº 11
O Batismo Cristão ..................................... 47

Estudo nº 12
A Ceia do Senhor ...................................... 51
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 5

APRESENTAÇÃO

“Dá-me, filho meu, o teu coração e os teus olhos


observem os meus caminhos” (Provérbios 23.26).
Este manual tem a finalidade de apresentar, de forma
simples e prática, os procedimentos para que se conheça o Plano
da Salvação elaborado por Deus, através de Jesus Cristo, e
os primeiros passos na caminhada de fé.
Quando aceitamos o Plano de Deus para nossa salvação,
através de seu Filho Jesus Cristo, percebemos que muita coisa
muda em nossa vida. A paz inunda nosso coração, há alegria e
satisfação no viver e começamos a vislumbrar uma perspectiva
de futuro tanto próspero quanto real. Qual a razão dessa
mudança e o que fazer para que ela permaneça?
O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus
e, quando o pecado entrou no mundo através de Adão, a
humanidade toda herdou esse pecado e foi destituída da glória
de Deus (Romanos 3.23). Essa imagem e semelhança foi
distorcida pelo pecado, trazendo com isto o rompimento com
o seu Criador, rompimento esse que trouxe a infelicidade e
incertezas de uma vida sem Deus.
O homem, porém, tem em seu ser o desejo de voltar a
pertencer ao seu Criador, e é justamente esse desejo não
satisfeito que produz, entre outras coisas, a infelicidade,
amargura e a ira. Quando o homem rompe com o pecado e abre
seu coração para Deus, através do sacrifício de Cristo, volta a
ter a imagem e semelhança do seu Criador. Essa imagem e
semelhança, restauradas através de Cristo, leva o homem à
felicidade, à paz e à harmonia com outras pessoas.
E o que fazer para que essa mudança permaneça?
A resposta é simples: Aceitar a JESUS CRISTO COMO
NOSSO SALVADOR o qual Deus imputou todos os nossos
pecados, pois Ele morreu na cruz por nós.
6 Conhecendo o Amor de Deus

E o que isso significa? Significa que devemos obedecer a


Sua palavra. E onde encontraremos os seus mandamentos? Os
encontraremos na Bíblia Sagrada. Em relação à Bíblia devemos
saber que ela trata-se de uma coleção de 66 livros que foram
escritos em terras orientais, nos idiomas hebraico, aramaico e
grego, num período de aproximadamente 1500 anos, por mais
de 40 autores das mais diversas ocupações, em plena harmo-
nia entre si.
Ao estudarmos a Bíblia descobriremos as normas de uma
conduta de fé apropriada. Mas você pode perguntar: - ”Por que
tais normas devem vir da Bíblia”? A Bíblia por ser a Palavra de
Deus tem o direito de prescrever a nossa crença em assuntos
de fé e doutrina. Se há um Deus soberano sobre todas as coi-
sas, Ele tem o direito de determinar o que devemos acreditar e
como devemos viver na igreja, família, trabalho, sociedade,
etc. Deus inspirou homens para que escrevessem a Bíblia, de
modo que suas palavras sob a direção e ação do Espírito Santo
são Palavras de Deus. Sendo assim, por conter a mensagem de
Deus, a Bíblia apresenta o peso da autoridade do próprio Deus.
Por isso você encontrará nesse manual as principais normas de
conduta de fé apoiadas pela Bíblia.
É muito importante que você adquira o hábito de ler a
Bíblia, assim como a prática de ir à igreja, participando dos
cultos e de estudos bíblicos.
Seja bem-vindo ao estudo Bíblico CONHECENDO O AMOR
DE DEUS, tanto por mim, pastor desta igreja, como por todos
os que já integram esse batalhão de salvos em Jesus Cristo.
E você é bem-vindo principalmente por Ele, o NOSSO SAL-
VADOR e SENHOR JESUS CRISTO.

A Coordenação
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 7

Estudo nº 1

Quem é Jesus?

Parabéns! Você inicia a partir de agora uma série de estudos


que tornarão a sua vida e a de sua família mais feliz e completa.
Através destes estudos você aprenderá a importância de convidar
Jesus para fazer parte do seu dia-a-dia. Você aprenderá também
o propósito de Deus para a sua vida e de sua família.
Para uma melhor compreensão dos estudos que se seguirão
aconselhamos que você leia o Evangelho de João, pois neste
evangelho encontra-se grande parte dos textos bíblicos que
estudaremos. Experimente ler um capítulo por dia! Aproveite os
momentos de leitura para “conversar” com Jesus; conte a Ele o
que você quiser, pois em Jesus Cristo você pode confiar. Com certeza
as leituras diárias e suas “conversas” com Jesus Cristo lhe ajudarão
a conhecer melhor quem de fato é Jesus e, através d’Ele, você
poderá enfrentar o dia-a-dia com mais ânimo e coragem.
E por falar em Jesus... Se alguém nos perguntasse: -
“Quem é Jesus?” Qual seria nossa resposta? Talvez
responderíamos imediatamente, talvez gaguejaríamos um pouco,
ou, quem sabe, até ficássemos sem saber o que responder. Mas
o fato é que, por mais que acreditemos saber quem é Jesus,
sempre será necessário conhecê-Lo mais. Por isso, vamos
aproveitar nosso primeiro estudo para compreender um pouco
mais a respeito de Jesus e o porquê do Seu grande amor
direcionado a nós.
Em todo o mundo o dia do nascimento e dia da morte de
Jesus são lembrados. Estas datas nos trazem à memória a
imagem de uma criança numa manjedoura e a imagem de uma
8 Conhecendo o Amor de Deus

cruz no horizonte. Mas quem de fato é Jesus? Esta é uma


pergunta que muitos tentam responder, porém, a
verdadeira resposta deve vir do Novo Testamento, escrito
por pessoas que conheceram e caminharam com Jesus.
Conheçamos um pouco mais a respeito da Pessoa de Jesus
Cristo no Evangelho de João:
1. Jesus é Deus (João 1.1).
2. Ele existe eternamente (João 1.2).
3. Ele é o Criador de todas as coisas (João 1.3).
4. Jesus veio ao mundo para derrotar o pecado pelo
sacrifício de Si mesmo (João 1.29; Hebreus 9.26).
5. Jesus veio ao mundo como ser humano (João 1.14). A
única diferença entre a Sua humanidade e a nossa é
que n’Ele não havia pecado (Hebreus 4.15).
6. Através de Jesus podemos conhecer a Deus (João 1.18).
7. Ele veio ao mundo para que tivéssemos vida em
abundância (João 10.10).
8. Ele é prova do amor de Deus para com todos os seres
humanos (João 3.16).
9. Para tornar-se Seu discípulo é preciso crer em Suas
palavras (João 8.31).
10. Só em Jesus é possível experimentar a verdadeira
libertação (João 8. 32,36).

A partir de agora você já conhece um pouco mais


sobre o Salvador Jesus Cristo, aquele que o ama e
entregou a Sua vida por amor a você. Que tal agradecer-
Lhe neste momento, por todo o sacrifício disposto por você?
Faça esta breve oração:
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 9

“Pai, em nome do Senhor Jesus, sou grato por ter a


oportunidade de conhecê-Lo através da Tua Palavra. Peço que
removas as limitações da minha mente para que através deste
estudo eu possa Te conhecer melhor e reconhecer tudo o que
fizeste por mim. Reconheço que vieste ao mundo para morrer
por mim por um único motivo, porque Tu me amas e desejas
que, livre do pecado, eu possa viver a plenitude dos Teus
propósitos para a minha vida. Tu és a fonte da verdadeira
felicidade, por isso me sinto feliz em saber que me ouves sempre
que clamo por Ti. Obrigado meu Senhor e Amigo Fiel. Amém!”
Deus ouviu sua oração e está neste momento
estendendo Seu amor sobre a sua vida. Fique sabendo agora
de algo especial: “Deus tem um projeto para a sua vida”. É
sobre este projeto de Deus que iremos conversar nos próximos
encontros. Não se esqueça de ler o próximo estudo e responder
o questionário, pois este lhe ajudará na fixação e meditação
das verdades do Evangelho. Antes de ir para o próximo estudo,
porém, aproveite o momento para refletir sobre o que
aprendemos sobre Jesus.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Qual a fonte de informação mais confiável a respeito de


Jesus Cristo? (Marcos 8.29; João 20.31).

R: A fonte mais confiável é o Novo Testamento.

2- Por que podemos confiar no testemunho do Novo Testamento


a respeito de Jesus? (João 21.24; 2 Pedro 1.20-21).

R: Porque o Novo Testamento foi escrito por homens que


conheceram à Jesus.
10 Conhecendo o Amor de Deus

3- O que Jesus veio fazer em relação ao pecado do ser


humano? (João 1.29; Hebreus 9.26).

R: Jesus veio ao mundo para destruir o pecado pelo


sacrifício de Si mesmo.

4- Qual Evangelho é recomendado à sua leitura para se obter


um melhor aproveitamento dos estudos aqui propostos?
(João 20.31).
R: O Evangelho de João.

5- As pessoas estão bem informadas sobre Jesus? Quais as


consequências deste conhecimento a respeito de Jesus?
(João 8.31; 14.7; 12.47,48).

R: Muitos conhecem o Jesus da religião. Mas o verdadeiro


conhecimento sempre provoca conversão e
um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Parabéns! Você completou o estudo da primeira lição. Viu


como foi fácil e maravilhoso? Continue assim, firme no propósito
de concluir o Estudo Bíblico iniciado. Leia com calma e Deus lhe
dará entendimento da Sua Palavra.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 11

Estudo nº 2

O PECADO E O PLANO DE DEUS

“Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de


Deus” (Romanos 3.23).

No estudo nº 1, aprendemos que a porta de entrada para


a salvação é Jesus. Depois que aprendemos que Jesus é o único
meio de salvação, é hora de atentarmos para o fato de que
Deus nos ama e tem um plano maravilhoso para nossas vidas.
Isto mesmo, o amor e o plano de Deus são fatos!
Parece inacreditável a realidade de que muitas pessoas
ainda não conhecem a Deus e também nunca experimentaram
o Seu amor e Seu plano. No entanto, isto é possível de acreditar
porque a humanidade é pecadora e, consequentemente, está
separada de Deus. A Bíblia afirma em Romanos 3.23: “Pois todos
pecaram e estão destituídos da glória de Deus”.
Por causa do pecado, segundo a Bíblia, a humanidade
está separada de Deus. Lemos em Romanos 6.23: “Porque o
salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a
vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”.
Na vida cotidiana é possível observar que o mal, a impiedade,
a opressão, o sofrimento, a guerra e a morte estão presentes no
mundo. Naturalmente surge a pergunta: “Como entrou o mal no
mundo”? Muitos pensadores têm procurado uma resposta, no
entanto, a Bíblia oferece a resposta de Deus, declarando-nos o
que é pecado e como é possível ser livre do seu domínio. No
ensino do Novo Testamento o pecado é descrito como:
12 Conhecendo o Amor de Deus

1. “Errar o alvo” – O alvo é a vontade de Deus, logo,


quando deixamos de fazer a vontade de Deus
cometemos pecado, pois erramos o alvo.
2. “Dívida” (Mateus 6.12) – O homem está em dívida com
Deus porque não guarda Seus mandamentos; todo
pecado cometido é a aquisição de uma dívida. Incapaz
de pagá-la, a única esperança do homem é buscar o
perdão e a redenção em Deus.
No Evangelho de João encontramos a declaração de que
toda pessoa que comete pecado torna-se escrava do próprio
pecado (João 8.34). Em Cristo, Deus oferece liberdade à
humanidade, ou seja, ao aceitar o plano de Deus a pessoa
não será mais escrava do pecado (João 8.36). Apesar de
Deus oferecer esta liberdade à humanidade, através de Cristo,
as pessoas podem rejeitar o Seu gracioso convite e continuar
em seu caminho de morte (João 8.40).
Conforme o texto de Romanos 3.23, devido o pecado, todos
os seres humanos estão impedidos de se aproximarem de Deus.
No entanto, em Seu plano amoroso, Deus enviou Jesus, Seu filho,
para que a humanidade fosse novamente reconciliada com Ele.
“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por
nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos
igualmente acesso pela fé a esta graça na qual estamos firmes;
e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus” (Romanos 5.1,2).
Assim, todo aquele que já recebeu a Cristo em seu
coração tem a certeza de estar livre do poder do pecado
e de que vai morar com Ele no céu: “Não se perturbe o
coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim.
Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim,
eu lhes teria dito. Vou preparar-vos lugar. E se eu for e lhes
preparar lugar, voltarei e os levarei para mim mesmo, para que
vocês estejam onde eu estiver” (João 14.1-3).
Este é o projeto de Deus para você: Receber Jesus
na vida e ser livre do poder do pecado. Você aprendeu sobre
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 13

Jesus, mas já O recebeu em seu coração? Se quiseres recebê-


Lo e ser livre do poder do pecado faça esta oração:
“Querido Jesus, eu O recebo como Salvador e Senhor da
minha vida, reconheço que em meu estado pecaminoso nada
posso fazer a fim de ser justificado diante de Deus. Mas crendo
no que diz Tua Palavra entrego minha vida a Ti, a fim de ser
perdoado de todos os meus pecados, justificado e aceito diante
de Deus através da justiça que há em Ti. Obrigado por morreres
em meu lugar e pelo Teu sacrifício tornar-me livre do poder do
pecado. Ensina-me a viver segundo o Teu querer, conforme a
Tua Palavra, e dá-me um coração disposto a Te obedecer.
Amém!”
Nós apenas começamos a conhecer o projeto de Deus para
a humanidade. Isto significa que há mais ainda para
aprendermos. Você quer conhecer mais sobre este projeto de
Deus para sua vida? Então siga em frente e comece a estudar a
próxima lição. Deus o abençoe!

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Como a Bíblia descreve o estado do homem pecador? (João


12.46; Romanos 6.23; Efésios 2.1).
R: A Bíblia descreve o homem como morto espiritualmente
e separado de Deus.
2- Como o pecado é descrito no ensino do Novo Testamento?
(Mateus 6.12).

R: “Errar o alvo”, falhar em andar conforme a vontade de


Deus. Também é uma “dívida” do ser humano.
14 Conhecendo o Amor de Deus

3- O que Deus faz diante do problema do pecado humano?


(João 3.16; 8.36).

R: Em Cristo, Deus oferece liberdade ao homem.

4- Quais certezas possuem as pessoas que já receberam a


Cristo como o Seu salvador? (João 14.1-3).

R: Possuem em seu coração a certeza de estarem livre do


poder do pecado e de que irão morar com Ele no céu.

5- Em sua opinião como o pecado tem prejudicado a sua vida?


(João 8.34; Romanos 3.23).

R: O pecado torna-me escravo dos maus desejos do meu


coração.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 15

Estudo nº 3

O SUBSTITUTO DOS NOSSOS PECADOS

Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho


Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas
tenha a vida eterna (João 3.16).

No estudo anterior, aprendemos através da Bíblia que o


ser humano é pecador e, portanto, está separado de Deus.
Deus criou a humanidade com a capacidade plena de
relacionar-se com Ele. No entanto, a relação pessoal, que
havia entre Deus e o ser humano, foi perturbada pelo pecado.
A Bíblia, em Isaías 59.2, declara: “Mas as vossas iniquidades
fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos
pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.
Em sua essência, o pecado é um ataque contra a honra
e a santidade de Deus. É rebelião contra Ele, pois o ser
humano prefere a sua própria vontade em lugar da vontade
de Deus.
A Santidade de Deus reage contra o pecado. Essa reação
é conhecida como manifestação da ira de Deus. Imagine Deus
irado... Calma, não se desespere, pois Deus em Sua bondade
adiou o juízo dirigido a nós pecadores. Este “adiamento” é a
parte do plano de Deus em que Ele nos oferece a possibilidade
do arrependimento dos nossos pecados. “Ou será que você
despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência,
não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao
arrependimento?” (Romanos 2.4).
16 Conhecendo o Amor de Deus

Deus, em seu infinito amor, proveu um meio para reatar a


comunhão interrompida entre Ele e a humanidade. Jesus é a
provisão de Deus para perdoar o pecado do homem, conforme
Ele mesmo afirmou em João 14.6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu
sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não
ser por mim”.
A comunhão com Deus foi restabelecida, pois Cristo
morreu para perdão dos nossos pecados: “Ele mesmo levou
em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que
morrêssemos para os nossos pecados e vivêssemos para justiça;
por suas feridas vocês foram sarados” (1 Pedro 2.24).
No Evangelho de João encontramos João Batista, o
profeta que foi precursor de Jesus, anunciando que Ele era o
enviado de Deus: “No dia seguinte, viu João a Jesus, que
vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o
p e c a d o d o m u n d o ! ” ( J o ã o 1 . 2 9 ) . Pa ra e n t e n d e r
completamente o anúncio de João Batista é importante
lembrar que o povo judeu, a quem João Batista estava
falando, era familiarizado com o sistema de sacrifícios do
Antigo Testamento, onde ovelhas e outros animais eram
sacrificados pelo pecado. Quando alguém pecava, um animal
sem mancha era sacrificado como substituto inocente para
compensar o pecado. Esse sistema apontava para o tempo
quando Jesus de uma vez para sempre, mediante Seu
sacrifício, haveria de “tirar o pecado do mundo”. Para melhor
compreensão a este respeito, será necessário ler também
Hebreus 10.1-25.
Porém, é preciso atentar para o fato de que existem trágicas
consequências para a pessoa que não olha com fé para Jesus,
reconhecendo que Ele morreu para perdoar os seus pecados:
“Por isso, eu vos disse que morrereis nos vossos pecados;
porque, se não credes que EU SOU, morrereis nos vossos
pecados” (João 8.24).
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 17

Jesus é a única solução de Deus, para o pecado do


homem. Por meio d’Ele podemos experimentar o amor e
o plano de Deus para a nossa vida. Aleluia!

Faça uma breve oração, agradecendo a Deus pela Sua


provisão na pessoa de Cristo, a fim de que você não permaneça
em seus pecados. Faça uma oração com suas próprias palavras
e não se preocupe com a simplicidade das mesmas, pois jamais
impressionaremos a Deus com “palavras bonitas”, pois Ele está
atento a um coração sincero!

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Por que Deus reage contra o pecado? (Isaías 59.2; João


3.19-21).
R: Devido a Sua Santidade.

2- De que maneira Deus resolveu o problema do pecado


humano? (João 14.6;1 Pedro 2.24).
R: Deus resolveu por intermédio de Jesus, que morreu
pela humanidade.

3- O que pode acontecer à pessoa que se recusa a aceitar a


salvação em Jesus Cristo? (João 8.24).
R: Pode vir a morrer em seus pecados e deste modo perder
a salvação.
18 Conhecendo o Amor de Deus

4- Como você pode afirmar que somente Jesus Cristo é o


salvador da humanidade? (João 1.29; João 14.6).
R: O próprio Jesus afirmou que para se ir ao Pai é
necessário que se tenha fé exclusiva em Sua pessoa.

5- Como deve viver uma pessoa que recebeu de Deus o perdão


de todos os seus pecados? (João 8.47; 8.12).
R: Deve viver agradecida a Deus, ouvindo a Sua Palavra e
não permanecer na prática do pecado.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 19

Estudo nº 4

A NECESSIDADE DE ESCOLHER A CRISTO

Contudo, aos que o receberam, aos que creram em


seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de
Deus (João 1.12).

No estudo nº 3, vimos que Jesus Cristo é a única solução


de Deus para perdão de nossos pecados. Hoje veremos que o
ser humano precisa receber a Cristo para obter a vida que Ele
veio providenciar. Pois Deus ao criar o ser humano o dotou de
livre-arbítrio, ou seja, de capacidade para escolher, de decidir.
Há uma escolha que as pessoas não podem deixar de
fazer: Não podem não escolher. Aliás, não escolher já é
uma escolha! Nossa vida consiste em optar entre diversas
alternativas. Devemos escolher sobre o que faremos em
termos profissionais, com quem casaremos, onde iremos
morar, etc.
Deus fez o ser humano livre, de modo que este pode
escolher e dizer sim ou não a si mesmo, pode negar e aceitar a
maldade ou a bondade presente no mundo, e optar diante das
situações com que se defronta.
Em relação ao plano de Deus que estamos estudando não
é diferente. Cabe ao ser humano dizer sim ou não à oferta de
salvação que a Palavra de Deus lhe faz. Deste modo, nossa
salvação está condicionada à nossa escolha.
20 Conhecendo o Amor de Deus

De maneira nenhuma Jesus Cristo obriga alguém a se tornar


cristão! Ouçamos o que Ele diz: “Contudo, vocês não querem
vir a mim para terem vida”. Considere isso: Jesus desejava salvar
os ouvintes que foram alvo dessa advertência, entretanto, como
podemos perceber Jesus aceitou a decisão deles de não irem ao
Seu encontro com fé. Isso porque Jesus respeita as escolhas
das pessoas. Em outras palavras cabe a você escolher se Cristo
entrará em sua vida ou não.
Cristo é o Senhor dos céus e da terra, mas não ousa
violar nossa liberdade. Ele criou o ser humano livre para
escolher! Por isso, não basta ouvir pregações sobre a salvação,
ler a Bíblia, sentir-se bem no ambiente de culto e permanecer
em “cima do muro”, é necessário uma tomada de decisão a
favor de Jesus Cristo. Nossa atitude para com o Salvador
será de comprometimento ou negação; de obediência ou
desobediência; de entrega ou resistência; de amor ou
ódio. Não há meio termo! Sendo assim, é necessário você
receber a Cristo, de modo que você possa experimentar a
certeza de salvação e o senso de perdão e paz que somente
Cristo propicia ao coração daquele que O recebe como Senhor
e Salvador.
Ouçamos a recomendação bíblica: “Se hoje vocês ouvirem
a sua voz, não endureçam o coração” (Hebreus 4.7). Não
gostaríamos de constrangê-lo, mas em nosso estudo não
poderíamos deixar de mencionar a sua responsabilidade no que
diz respeito à salvação. Sua participação é importante, pois
ainda que a salvação seja obra da graça de Deus, cabe a
você e a mais ninguém se posicionar em relação a Jesus
Cristo. Jesus está à porta e bate... e você Lhe ouvirá? Abrirá a
porta da sua vida? O que você decidirá?
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 21

Perceba que agora você está sendo convidado a fazer parte


do projeto de Deus, por isso não hesite, siga em frente e venha
aprender mais sobre este projeto.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- O que deve fazer a pessoa que deseja receber o perdão de


Jesus? (João 5.40; 6.40).
R: Precisa crer e receber a Cristo.

2- Qual é a atitude de Jesus diante da liberdade da pessoa?


(Apocalipse 3.20; João 5.39,40).
R: Jesus jamais viola a liberdade de uma pessoa, pois
respeita a sua decisão e apenas convida à salvação.

3- Diante de Jesus Cristo que atitudes uma pessoa pode


ter? (João 4.29,39; 6.60; 8.48,59).
R: Diante do salvador suas atitudes podem ser de
comprometimento ou negação; de obediência ou
desobediência; de amor ou ódio.

4- Qual é a sua participação em relação à salvação?


(João 3.16; 12.46; Efésios 2.8-9).
R: Cabe a eu aceitar a graça salvadora de Deus.
22 Conhecendo o Amor de Deus

5- Por que o ser humano pode escolher?

R: Porque Deus o criou livre para escolher.


IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 23

Estudo nº 5

A NOVA VIDA

Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram


ensinados a despir-se do velho homem, que se
corrompe por desejos enganosos, a serem
renovados no modo de pensar e a revestir-se do
novo homem, criado para ser semelhante a Deus
em justiça e em santidade provenientes da
verdade (Efésios 4.22-24).

Deus, através de Jesus Cristo, transforma a pessoa


em um novo ser. A mudança de vida é uma realização do
Evangelho, transformando radicalmente o pecador em uma nova
pessoa, cuja vida passa a ser caracterizada por justiça e
santidade. Esta transformação é possível quando o pecador
encontra a verdade, ou seja, encontra Cristo. “Eu sou o caminho,
a verdade e a vida” (João 14.6).
O encontro com a Verdade revela nossa mentira, engano e
perdição, esclarecendo o nosso entendimento e nos fazendo
ver a miséria que é a vida sem comunhão com Deus.
Já aprendemos nos estudos anteriores que o pecado
corrompeu a criação de Deus. O primeiro homem, criado em
santidade e justiça para se relacionar bem consigo mesmo,
com o próximo e com Deus, se tornou um “velho homem”,
corrompido e afastado de Deus. Por conseguinte, hoje
24 Conhecendo o Amor de Deus

facilmente percebemos que as pessoas sentem-se “donas da


verdade” e possuem grande dificuldade para admitir seus
erros, mentiras e pecados. São pessoas que vivem na
dimensão da carne; isto é um retrato do “velho homem”
moldado pelos valores mundanos, contrários à santidade de
Deus. O “velho homem” está “morto em delitos e pecados”
(Efésios 2.1). Quem está morto encontra-se num estado de
completa insensibilidade.
A graça de Deus, mediante Jesus Cristo, possibilitou ao
“velho homem” a oportunidade de tornar-se um “novo
homem”. O que estava perdido pode ser achado, o doente
pode ser curado, o morto pode ser vivificado. Quando o
pecador tem um encontro com a Verdade pode então ver sua
mentira e perdição e, a partir desse momento, pode deixar-
se conduzir pelo Espírito Santo à pessoa bendita de Jesus
Cristo. Surge a fé e então o milagre da salvação acontece;
surge a criação de uma nova vida. Deste modo, o ódio dá
lugar ao amor, a morte dá lugar à vida e a tristeza salta de
alegria, pois a alma sabe que foi salva. Houve novo
nascimento. Aleluia!
Na experimentação da nova vida haverá ainda a
demonstração do fruto do Espírito Santo, de tal modo que a
nova pessoa apresentará as seguintes virtudes: Amor, alegria,
paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e
domínio próprio (Gálatas 5.22-23).
Finalmente, cabe-nos dizer que Cristo o chama à
experimentação dessa nova vida aqui apresentada. Seja
revestido do novo homem criado em Cristo Jesus e torne-
se semelhante a Deus. O resultado? Alegria, paz, salvação e
uma imensa vontade de viver em novidade de vida!
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 25

O projeto de Deus oportuniza a você uma vida nova! Por


isso, nada de querer voltar atrás.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- O que acontece quando a pessoa encontra-se com a


Verdade? (João 14.6; 16.13).
R: O encontro com a Verdade revela a sua mentira, engano
e perdição.

2- Como é a vida do “velho homem” pecador? (João 8.34;


Efésios 2.1).
R: O velho homem tem dificuldade para admitir seus
pecados. É gente que vive na dimensão da carne.

3- De que maneira o velho homem pode tornar-se uma nova


criatura? (João 1.12,13; 3.3-6; Efésios 2.8-10).
R: Mediante a fé em Jesus Cristo.

4- O que significa ser justo diante de Deus? (Romanos 1.18-21;


5.1).
R: Significa crer no Seu perdão através de Jesus Cristo,
render a Deus os devidos louvores e cultuá-los.
26 Conhecendo o Amor de Deus

5- Quais virtudes do Espírito Santo podem ser observadas no


novo homem? (João 15.1,2; Gálatas 5.22).

R: As virtudes são: Amor, alegria, paz, paciência,


amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio

próprio.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 27

Estudo nº 6

JESUS CRISTO, O SENHOR

E Jesus disse a Tomé: “Coloque o seu dedo aqui; veja as


minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado.
Pare de duvidar e creia”. Disse-lhe Tomé: “Senhor meu
e Deus meu!” (João 20.27-28).

O mundo jamais foi o mesmo desde que nas terras


da Palestina nasceu Jesus. De fato, Jesus foi um homem
singular na história da humanidade. Tal declaração não encontra
muitas oposições, pois o mundo, de modo geral, reconhece a
importância de Jesus como personagem histórico. Entretanto,
para alguns, é inadmissível e até loucura a afirmação de que
esse Jesus de Nazaré é Senhor, no sentido de ser divino. Estes
afirmam: - “Que Ele foi um grande homem tudo bem, mas
concebê-lo como divino já é demais!” A Bíblia confronta tais
pessoas ao atestar que Jesus é de fato Deus. Certa vez um
pastor afirmou: “Quem puder ler o Novo Testamento e não
puder ver que Jesus é mais do que um mero homem, pode
também num dia sem nuvens erguer os olhos aos céus e não
ver o sol”.
Para os escritores do Novo Testamento Jesus é
Senhor, ou seja, é Deus. Certamente que, inicialmente, foi
muito difícil para eles aceitarem este fato, pois foram educados
em uma religião tradicional. Para a religião tradicional da época
o Senhor Deus não poderia jamais ser materializado, ou seja,
expressado de modo concreto, palpável, tais como: Por imagens,
28 Conhecendo o Amor de Deus

quadros, etc. Também era inconcebível a idéia de reconhecer


um ser humano como sendo Deus! Apesar da questão religiosa
os escritores do Novo Testamento reconheceram a divindade de
Jesus!
“Mas afinal de contas”, você deve estar se perguntando:
“Jesus pode ser considerado um ser divino?” “O que pensava
Jesus em relação a esse entendimento”? São questionamentos
válidos e importantes, pois, na maioria dos casos, nada é mais
correto do que procurar saber o que o próprio indivíduo pensa
de si. Jesus falou e praticou ações que somente Deus
poderia falar e praticar.
Em seu ministério na terra Jesus perdoou pecados. Todo
judeu do período do Novo Testamento sabia que somente Deus
podia perdoar pecados, mas observamos Jesus dizer: “Perdoados
estão os teus pecados” (Marcos 2.5).
O apóstolo Tomé afirmou: “Senhor meu e Deus meu” (João
20.28). Jesus aceitou o fato de Tomé reconhecê-Lo como Deus
e não o censurou.
Outra declaração muito forte que confirma o senhorio de
Cristo é a afirmação: “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer,
Eu Sou!” (João 8.58). Com esta declaração Jesus estava Se
igualando a Deus, pois utilizou essa mesma expressão no
chamado de Moisés. A preexistência afirmada por Cristo é prova
de que Ele é Divino.
A partir destas afirmações temos uma alternativa:
Reconhecer que de fato Ele sabia muito bem o que estava fazendo
e, por diversas maneiras e de muitos modos, afirmou a Sua
condição divina, cabendo a nós reconhecê-Lo como Senhor e
Deus de nossas vidas.
E você, o que pensa acerca de Jesus Cristo?
Reconhece Seu Senhorio? Sua Divindade? A decisão é sua,
o interesse é do Senhor Jesus (Cf. Marcos 8.29).
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 29

Você deve ter percebido que no projeto de Deus para sua


vida não basta saber quem é Jesus, é necessário reconhecê-Lo
como Deus. Você irá compreender a divindade de Cristo à medida
que for tendo comunhão com Ele!

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Por que foi difícil para os discípulos reconhecerem o


Senhorio e Divindade de Jesus? (Êxodo 20.4; João 8.24,59).
R: Porque eles eram judeus que foram criados na religião
tradicional que ensinava que Deus não poderia ser
materializado.

2- Segundo a Bíblia, que atitudes de Jesus podem confirmar


a Sua condição Divina? (João 1.1; 5.18; 8.28).
R: Jesus fala e faz coisas que somente Deus poderia falar
e fazer.

3- Quais palavras de Tomé confirmam a divindade de Jesus?


(João 20.28).
R: As palavras são: “Senhor meu e Deus meu”.

4- Jesus afirmou a Sua divindade, sendo assim, o que cabe a


nós fazermos? (João 20.28; 16.27; Marcos 3.21; João 12.37).
R: Reconhecemos Jesus como Senhor e Deus de nossas
vidas.
30 Conhecendo o Amor de Deus

5- “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou!”.


Explique a afirmação (João 8.24).

R: Jesus está mencionando a Sua preexistência que é


atributo divino e, de modo claro está igualando-se com

Deus.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 31

Estudo nº 7

A Vida Abundante

O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu


vim para que tenham vida, e a tenham plenamente
(João 10.10).

A vida é um presente de Deus e, geralmente, as


pessoas gostam de usufruir deste presente. É bom viver!
Entretanto, facilmente se observa que muitas pessoas não têm
obtido uma vida farta de realizações e felicidade. Desde que o
pecado entrou no mundo, e o ser humano resolveu viver
independentemente do Seu criador, surgiu uma série de ameaças
à vida, entre essas, podemos citar: Violência, ódio, drogas,
bebidas alcoólicas, prostituição, roubo, mentira, etc. Deus criou
o ser humano para que viva bem e feliz consigo mesmo e com o
próximo, mas o pecado tem prejudicado e impedido a realização
da vontade de Deus para as pessoas (Gênesis 1.27,28,31;
Gênesis 3).
Jesus Cristo nos dá vida abundante, ou seja, supera o poder
do mal e realiza a vontade de Deus em nossa vida, fazendo-nos
experimentar uma vida íntegra e plena, em harmonia com o
Criador, conosco e com o próximo. “Tendo sido, pois, justificados
pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”
(Romanos 5.1).
Toda vida humana está orientada a essas três
direções: Eu, o próximo e Deus. Quando essas relações não
32 Conhecendo o Amor de Deus

estão funcionando de modo adequado, torna-se difícil para alguém


possuir uma vida abundante. Uma vida plena e farta não consiste
apenas em conforto material, em ter uma bela casa, carro do
ano, etc., como algumas pessoas imaginam. Somos seres sociais
por natureza e de modo algum podemos ser felizes sem nos
relacionarmos com outras pessoas. Entretanto, ninguém pode se
relacionar bem com o próximo se não estiver bem relacionado
consigo mesmo e, acima de tudo, com Deus.
Muitas pessoas têm profundas feridas na alma e vivem em
intrigas e atritos com os outros; possuem grande dificuldade para
viverem em paz. Tais pessoas precisam urgentemente conceder
perdão às pessoas que lhe magoaram ao longo da vida. Também
necessitam ter um encontro com Jesus Cristo, para que recebam
Sua paz e sejam curadas e recebam o amor que vem de Deus.
Após esse encontro extraordinário é que a pessoa poderá
finalmente viver em harmonia consigo, com o próximo e com
Deus e, consequentemente, ter uma vida abundante.
Essas três direções da vida, mencionadas acima foram
determinadas pelo Criador, e não podemos fugir de sua
realidade, caso contrário nossa vida será pobre e miserável,
cheia de frustrações e infelicidades! Um exemplo, talvez nos
ajude a entender essa questão: Todo organismo vivo para
existir plenamente deve estar bem relacionado com o meio
ambiente, deve agir adequadamente com o lugar em que vive
e extrair dele tudo o que é necessário para a manutenção de
sua vida. Um peixe, por exemplo, pode viver muito bem desde
que esteja na água, se for colocado sobre a terra acabará
morrendo, pois seu organismo se mantém vivo somente na
água. De modo semelhante o ser humano precisa viver da
forma que Deus planejou para ele. Se a pessoa se recusa a
viver dessa maneira isso resultará em vida exposta às ameaças
dos poderes da morte (Cf. Deuteronômio 11.26-28; Salmos
88; Romanos 1.19-32).
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 33

A Bíblia ensina claramente que o pecado é a base de


todo relacionamento inadequado da parte do indivíduo para
consigo, o próximo e Deus (Gênesis 3.10; Salmos 38.4-6;
Efésios 2.1-4). Somente quando nosso pecado é perdoado,
mediante a fé no sacrifício de Cristo, é que podemos trilhar as
direções fundamentais da vida de modo adequado. Somente
assim poderemos viver plenamente, em harmonia conosco
mesmos, vivendo de modo saudável e feliz em família, em
sociedade e principalmente em contato com Deus. Isso é vida
abundante!
Você já aceitou a Jesus Cristo como Senhor de sua vida?
Tem lido a Bíblia? Já está experimentando a realidade de uma
vida feliz e abundante? Se sua resposta for não, esse momento
constitui-se uma boa oportunidade para que você pare de
viver de qualquer maneira, e possa viver de modo abundante,
porque Jesus quer e Ele pode concretizá-la em seu favor, basta
você crer! Creia e viva abundantemente com Deus e as
pessoas que você ama, pois nosso Deus realiza “mais do que
pedimos ou pensamos conforme o Seu poder que em nós
opera” (Efésios 3.20).
Você já deve estar percebendo o quanto é maravilhoso o
plano de Deus, pois neste plano podemos usufruir de uma vida
plena. Agora que você está conhecendo o que é viver de verdade
não dá mais vontade de voltar atrás. Isto mesmo... siga em frente.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Qual o maior obstáculo para se alcançar uma vida plena e


feliz? (Gênesis 3.11-17; Romanos 2.9).
R: O pecado, ou seja, a pretensão humana de viver
independentemente do Criador.
34 Conhecendo o Amor de Deus

2- O que é a “vida abundante” que Jesus dá àquele que n’Ele


crê? (João 4.14; 6.53; 10.10; 2 Pedro 1.3).
R: Superação do poder do mal e realização da vontade de
Deus na vida, fazendo a pessoa experimentar uma vida
íntegra.

3- Quais as três direções básicas da vida humana? (Mateus 22.39;


João 14.1; Tito 2.7,8).
R: As três direções básicas da vida são: Eu, o próximo e
Deus.

4- Como a pessoa pode viver bem essas relações: Eu e o


próximo, eu e Deus? (Salmos 38.4-6,11; João 4.16-18,29;
8.24).
R: Quando se resolve o problema do pecado mediante a
fé em Jesus Cristo.

5- Em sua opinião o que deve fazer uma pessoa que deseja


ter uma vida abundante? (João 10.9,10).

R: Aceitar a Jesus Cristo como Salvador e Senhor de sua

vida, e a partir dessa fé se relacionar bem com Deus.


IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 35

Estudo nº 8

AS PROMESSAS DE DEUS

Pois quantas forem as promessas feitas por


Deus, tantas têm em Cristo o “sim”. Por
isso, por meio dele, o “Amém” é
pronunciado por nós para a glória de Deus
(2 Coríntios 1.20).

Promessa é palavra de compromisso que alguém faz


no sentido de realizar determinada coisa. Há na Bíblia
centenas de promessas. Algumas são condicionadas a certos
atos de obediência, outras não exigem nada em troca. As
promessas estão presentes desde o Éden até a Nova Jerusalém,
de Gênesis a Apocalipse, de fato elas estão presentes por toda
a Bíblia.
A história do povo de Deus é marcada pela
promessa do Senhor. Há muitos relatos bíblicos de
personagens que caminharam com os olhos voltados para o
futuro à espera do cumprimento das promessas. Há muitos
exemplos, todavia, mencionaremos apenas alguns a fim de
corroborar a nossa afirmação. Citamos o exemplo do chamado
de Abraão, “Farei de você um grande povo, e o abençoarei.
Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção”
(Gênesis 12.2). Observamos ainda, a promessa de Deus ao
encorajar os israelitas que peregrinaram pelo deserto em
direção à terra “prometida”. Ainda mais: A idéia de promessa
36 Conhecendo o Amor de Deus

está presente de modo notável no ofício dos profetas, que


falaram a respeito do Messias. Enfim, o Antigo Testamento
está repleto de promessas ao povo de Deus.
Em o Novo Testamento o conceito de promessa é
também grandemente destacado, todavia, boa parte das
promessas de Deus é apresentada como realidades já
cumpridas, como por exemplo: A vida, morte e ressurreição
de Jesus. Isto deve aumentar a nossa confiança no Deus
que faz promessas, pois assim como Ele já se mostrou fiel à
Sua palavra no passado, Ele continuará sendo fiel. Por
conseguinte, servir a Deus implica sempre em caminhar
sob a expectativa do cumprimento das promessas de
Deus. Logo, o cristão é uma pessoa que tem esperança,
isto é, expectativa otimista em relação ao futuro, pois sabe
que no amanhã será surpreendido pelo cumprimento da
promessa de Deus.
Vale lembrar que muitas promessas estão condicionadas
à nossa fé, de tal modo que elas somente se cumprirão na
vida daqueles que nelas crêem de todo o coração. Jesus
afirmou: “Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá”
(João 11.25). Temos aqui uma gloriosa promessa: Vida eterna
que supera o poder da morte. Mas essa promessa está
condicionada à fé em Jesus, “Aquele que crê em mim ...”.
Para quem não crê tal promessa simplesmente não se
cumprirá. Portanto, temos que crer nas promessas de
Deus pela fé se quisermos receber as bênçãos nelas
incluídas. Você fará muito bem se atentar seriamente para
a advertência do autor aos Hebreus: “Vocês precisam
perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade
de Deus, recebam o que ele prometeu” (Hebreus 10.36).
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 37

Você tem acreditado nas promessas de Deus para sua


vida? Ainda há tempo de crer e receber tudo aquilo que o
Senhor tem prometido àqueles que nEle confiam. As
promessas fazem parte do projeto de Deus para você. Creia
nisso!

Questões para reflexão e aprofundamento

1- O que é promessa? (Atos 1.4; Romanos 15.8).


R: Promessa é palavra de compromisso que alguém faz
no sentido de realizar determinada coisa.

2- Descreva duas promessas feitas por Deus ao Seu povo no


Antigo Testamento (Gênesis 12.2; Mateus 2.23).
R: Deus prometeu que daria uma poderosa descendência
a Abraão e prometeu a vinda do Messias.

3- Apresente uma grande promessa do Novo Testamento (João


14.18; 1 Tessalonicenses 4.16-18).
R: A segunda vinda de Jesus Cristo.

4- O que se requer das pessoas, para que as promessas de


Deus se cumpram em sua vida? (João 11.25; Hebreus
10.37-39).
R: Requer-se fé, confiança no Deus das promessas.
38 Conhecendo o Amor de Deus

5- De que maneira as promessas de Deus podem ajudá-lo


em sua prática cristã? (João 14.1-3; Tito 2.13).

R: Podem ajudar ao proporcionar uma expectativa positiva


em relação ao futuro, tranquilizando o coração.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 39

Estudo nº 9

O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

Ele os batizará com o Espírito Santo (...) (Mateus 3.11).

Neste momento vamos estudar a respeito da doutrina


bíblica do Batismo no Espírito Santo. Se for devidamente
compreendida por você, isso resultará em grande
edificação espiritual para a sua vida, capacitando-o (a) a
ser um instrumento de bênção no Reino de Deus.
Mas o que é Batismo no Espírito Santo? Primeiramente
você deve entender que Batismo no Espírito Santo não é
receber o Espírito Santo, pois este já lhe foi concedido por
ocasião da sua conversão a Cristo. Quem confessa a Jesus
como Senhor e Salvador da sua vida já possui o Espírito Santo.
Logo, Batismo no Espírito Santo não é o mesmo que
“habitação” do Espírito. Sendo assim, entendemos que o
Batismo no Espírito Santo diz respeito a uma experiência
posterior à conversão em que o cristão é “imergido” ou
revestido do poder do Espírito Santo, que o capacita a
testemunhar de Cristo de maneira ousada. Acrescente-
se ainda, o fato de que sua vida ganhará um grande dinamismo
espiritual. Esta experiência lhe dará uma percepção maior da
presença de Deus. Destacamos que, frequentemente, o cristão
sob o efeito dessa experiência pentecostal tem seus dons e
talentos despertados, resultando num maior engajamento na
obra do Senhor.
40 Conhecendo o Amor de Deus

O Senhor Jesus afirmou: “Mas receberão poder quando o


Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas
em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da
terra” (Atos 1.8). Perceba que essas pessoas que receberiam o
poder do Espírito Santo já eram crentes, no entanto, ainda
precisavam receber o poder do Espírito, isto é, o batismo no
Espírito Santo e, consequentemente se tornariam testemunhas
do Evangelho por todo o mundo.
Trata-se de uma realidade bíblica já prometida pelos
profetas, conforme podemos verificar nas seguintes
passagens: Joel 2.28,29, Ezequiel 36.26,27 e Isaías 44.3.
Naquele período, o Espírito Santo era concedido somente a
algumas pessoas, mas Deus prometeu que chegaria um tempo
em que o Espírito Santo seria derramado sobre todos
indistintamente. Destacamos ainda em relação ao Batismo no
Espírito Santo:
• Promessa predita por João Batista e por Jesus (Mateus
3.11; João 7.37,38; Atos 1.4,5).
• Teve o seu devido cumprimento no dia da festa de
Pentecostes (Atos 2.1-4).
• Os samaritanos, efésios e demais gentios receberam o
batismo no Espírito Santo (Atos 8.14-20; 10.44-47;
11.15-18; 19.1-70).
• Esta promessa é ainda concedida a todos os que crêem
(Atos 2.38,39).

Mas como saber se uma determinada pessoa foi batizada


no Espírito Santo? Essa é uma pergunta muito comum, feita por
diversas pessoas que anelam por essa experiência. Tendo como
referência o testemunho de Atos dos Apóstolos, afirmamos:
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 41

Todas as pessoas que são batizadas no Espírito Santo, o


demonstram pelo falar em línguas estranhas, ou seja,
pronunciam palavras desconhecidas por elas, acompanhadas
de intensa alegria e fervor (Atos 2.4,11). Milhares de pessoas
em todo o mundo e em diversas épocas provaram dessa
experiência gloriosa com o poder de Deus.
Diante desta realidade bíblica, presente na história da
Igreja, cabe a nós lhe perguntar: Você já foi batizado no Espírito
Santo? Gostaria de possuir mais coragem e poder para
testemunhar de Cristo às pessoas? Se sua resposta for
afirmativa, então lhe recomendamos que se aproprie dessa
promessa bíblica pela fé e busque a Deus em oração. Peça a Ele
para que conceda a você esse revestimento de poder, e pela fé
comece a falar em novas línguas, conforme o Espírito Santo lhe
conceda que fale. Comece a testemunhar de Cristo de modo
poderoso na terra. Afinal de contas, como disse o apóstolo Pedro:
“(...) a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos
os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus,
chamar” (Atos 2.39). Aleluia!
Em Seu projeto Deus nos salva, nos chama para sermos
seus discípulos e nos capacita, através do Batismo no Espírito
Santo, para sermos Suas testemunhas. E você pode fazer parte
de tudo isso.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- O que é Batismo no Espírito Santo? (Mateus 3.11; Atos 1.8).


R: O Batismo no Espírito Santo é uma experiência em que
o cristão é revestido do poder do Espírito Santo.
42 Conhecendo o Amor de Deus

2- Quais personagens bíblicos fazem alusão à promessa do


batismo no Espírito Santo? (Joel 2.28,29; Ezequiel
36.26,27; Isaías 44.3; Atos 1.6-8).

R: Os profetas Joel, Ezequiel, Isaías e Jesus Cristo.

3- Quais as consequências do batismo no Espírito Santo? (Atos


1.8; 2.1-4,14).

R: Testemunho cristão poderoso; maior dinamismo

espiritual; capacidade de falar em línguas estranhas


na oração e despertamento de dons e talentos.

4- De acordo com Atos dos Apóstolos, como podemos saber se a


pessoa foi batizada no Espírito Santo? (Atos 2.3; 10.44-46).
R: Podemos saber mediante o falar em línguas estranhas.

5- Como ser batizado no Espírito Santo? (Atos 1.14; 2.1-4).

R: Mediante a oração e a fé.


IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 43

Estudo nº 10

O DISCÍPULO DE CRISTO

Se vocês permanecerem firmes na minha palavra,


verdadeiramente serão meus discípulos (João 8.31).

Um discípulo é um seguidor e um aprendiz. Jesus em Seu


ministério terreno chamou alguns homens para serem Seus
discípulos e seguirem Seus passos. Além dos doze discípulos
muitos vieram a Jesus e passaram a segui-Lo por onde quer
que fosse. Hoje também Jesus chama homens e mulheres para
seguirem os seus passos. Mas o que significa seguir os passos
de Jesus em nossos dias? Ser Seu discípulo?
Primeiramente ser discípulo de Jesus implica em uma
vida de renúncia. Todos os discípulos chamados por Jesus
tiveram que deixar suas ocupações e, em alguns casos, até
mesmo a sua família e bens para seguir a Jesus (João 1.43;
Marcos 10.29). Ser discípulo sempre implica em vida de renúncia.
De fato, muitas de nossas ocupações e coisas de que gostamos
devem ser renunciadas para o devido seguimento de Jesus Cristo.
Talvez devemos renunciar o status, fama, reconhecimento,
dinheiro, prestígio (Lucas 14.25-27; 18.18-29). Tais exigências
do Reino para muitos indivíduos são pesadas demais e por isso
rejeitam o chamado de Jesus. Isto demonstra que “muitos são
chamados, mas poucos são escolhidos” (Mateus 22.14; Cf. João
6.66,67). Não é tarefa fácil seguir os passos de Jesus. Mas
certamente que se trata da decisão mais acertada que alguém
pode fazer na vida.
44 Conhecendo o Amor de Deus

Em segundo lugar ser discípulo de Jesus implica


na prática do amor, para com Deus e para com os
outros. Jesus afirmou: “Um novo mandamento lhes dou:
Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem
amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês
são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”
(João 13.34,35). Deus é amor e Jesus revelou esse amor de
modo concreto dando a Sua vida na cruz do Calvário, a fim
de salvar a humanidade. Sendo assim, quem confessa ser
discípulo de Jesus deve inevitavelmente andar em amor. João
escreveu: “Amados, visto que Deus assim nos amou, nós
também devemos amar uns aos outros” (1 João 4.11). O
autêntico discípulo ama. Mas o que é o amor? Arriscamos
uma definição a partir do exemplo de Jesus: Amor é dar a
sua vida em favor do próximo. Quem ama se entrega (João
3.16; 10.17,18; 15.13).
Numa sociedade em que prevalece o egoísmo e o
individualismo, o discípulo de Jesus pode e deve fazer a diferença,
amando como Jesus amou, esquecendo de si mesmo e vivendo
em favor das pessoas.
Em terceiro lugar, um autêntico discípulo de Jesus é
aquele que dá ouvidos a Deus. A palavra de Deus lhe chega
aos ouvidos e ao coração - há revelação de Deus ao discípulo.
Jesus disse: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as
conheço, e elas me seguem” (João 10.27). “Aquele que pertence
a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não o ouvem porque não
pertencem a Deus” (João 8.47). É interessante perceber que na
Bíblia, ouvir a Deus significa “obedecer”, de modo que não
obedecer é equivalente a “não ouvir”. Portanto, a pessoa que
segue a Jesus tem o privilégio de ouvir, recebe a revelação quanto
à vontade de Deus à sua vida e responde positivamente aos
apelos que Deus lhe faz por Sua palavra.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 45

E finalmente, a vida do discípulo de Cristo é uma


missão. Sua vida e tudo o que realiza deve testemunhar da
salvação de Jesus (João 20.21; 1 Pedro 2.9). O Senhor Jesus
não está mais nessa terra, mas cabe a seus discípulos darem
prosseguimento à anunciação das Boas Novas de salvação. Quem
negar essa condição de testemunha nega sua condição de
discípulo. Ser discípulo é ser testemunha, portanto, não se trata
de missão opcional, antes é algo que faz parte da própria
natureza do seguidor de Jesus (Mateus 28.19,20).
Nossa sociedade vai de mal a pior, de modo que dia após
dia observamos pessoas desorientadas e escravas do pecado,
cometendo toda sorte de crimes e mazelas contra si mesmas
e ao próximo. É diante desse quadro caótico e de perdição
que somos chamados por Cristo a testemunharmos do Seu
amor e salvação. Você tem testemunhado de Cristo? Tem
vivenciado a prática do amor, ou seja, tem se doado de modo
sacrificial e desinteressado em favor dos outros? Tem ouvido
a Deus? Sua vida é uma missão? Se puderes responder sim,
certamente que estamos diante de um autêntico discípulo de
Cristo! Mas se respondeu não, então é tempo de conversão e
confissão.
Realmente o projeto de Deus é maravilhoso, pois, além
de oferecer salvação e vida plena, possibilita que você seja
um discípulo de Cristo. Isto mesmo você pode ser discípulo
de Jesus.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Defina o termo “discípulo” (João 1.35-37).


R: Um discípulo é um seguidor e um aprendiz.
46 Conhecendo o Amor de Deus

2- Quais as quatro “marcas” que devem existir no discípulo de


Cristo? (Marcos 10.29; 13.34,35; João 8.47; 1 Pedro 2.9).

R: Vida de renúncia; prática do amor para com Deus e


com os outros; ouvidos atentos a Deus e vida em

missão.

3- Como alguém pode ser conhecido como discípulo de Cristo?


(João 13.34,35; 14.21).

R: Pela prática do amor em relação a Deus e ao próximo.

4- O que significa “ouvir a Deus” na Bíblia? (João 8.47).

R: Significa receber a revelação da vontade de Deus e


responder em obediência.

5- Por que a vida do discípulo de Jesus é uma missão?


(Mateus 28.18-20).
R: Pelo fato de nosso Senhor Jesus não estar mais nessa

terra e também porque o evangelho precisa ser

divulgado.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 47

Estudo nº 11

O BATISMO CRISTÃO

Portanto, vão e façam discípulos de todas as


nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e
do Espírito Santo (Mateus 28.19).

O batismo é o ato de iniciação na igreja cristã que


simboliza a purificação do pecado e identificação com
Jesus Cristo. O indivíduo ao se submeter ao batismo está
dando testemunho público de sua fé em Jesus Cristo e, a partir
desse momento, se torna membro da igreja local. Esta prática
procede da ordenança do próprio Senhor à Sua Igreja (Mateus
28.19). Desde então o batismo tem sido uma prática comum a
toda cristandade em todas as partes do mundo, em
cumprimento da ordenança de Cristo.
O batismo é um gesto simbólico que ilustra a morte do
cristão para o mundo de pecado e indica a sua novidade de
vida em Cristo Jesus. Vejamos abaixo essa realidade de modo
mais detalhado:

a) - Imersão (ato de mergulhar) nas águas:


A imersão declara a seguinte mensagem: “Cristo
morreu pelo pecado para que essa pessoa morresse
para o pecado”. Com esse gesto a pessoa declara,
simbolicamente, a morte do indivíduo em relação
ao pecado, de modo que seu velho estilo de vida
48 Conhecendo o Amor de Deus

foi aniquilado e, a partir desse momento deve viver


de modo diferente, ou seja, de modo agradável a
Deus.
b) - A emersão (ato de sair) das águas:
A imersão significa a vitória sobre a morte, ou seja, a
ressurreição: “Cristo ressuscitou dentre os mortos, a
fim de que essa pessoa pudesse viver uma nova vida
de justiça e santidade”. Com este gesto a pessoa
declara, simbolicamente, que ressuscitou para uma
nova vida.
O fato de que estes gestos são realizados com o
próprio cristão, demonstra que ele identificou-se
espiritualmente com Jesus Cristo.
É importante destacar ainda que você deve ter o cuidado
para não confundir o símbolo com a realidade que o mesmo
aponta. Portanto, o batismo não salva ninguém, mas quem
é salvo busca o batismo, e desse modo dá testemunho de
sua fé.
A forma de batismo praticada pelas igrejas pentecostais
é o batismo por imersão. A própria palavra “batismo”,
literalmente, significa “mergulhar”. Sendo assim, a forma
de batismo por imersão faz justiça ao vocábulo no seu
sentido bíblico. Lembramos que a forma de batismo por
imersão é praticada nas Assembléias de Deus em todo
o mundo.
Agora vale dizer que esta já é a nossa décima primeira
lição, acreditamos que até aqui você tem sido grandemente
abençoado(a). Arriscamos dizer que, possivelmente, você já
fez confissão de fé no Senhor Jesus Cristo, o que nos deixa
muito alegres. Mas quanto ao batismo? Você já se batizou?
Gostaria de ser batizado? Se você crê em Jesus Cristo, vive
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 49

uma nova dimensão de vida e está decidido a servi-Lo por


toda a sua vida, afirmamos categoricamente que nada impede
que você seja batizado.

Lembre-se que o batismo não é opcional para o


cristão, pois é uma ordenança de nosso Senhor Jesus
Cristo. Sendo assim, não gostaria de obedecer a Jesus e tornar-
se membro da Sua Igreja? Decida-se hoje e seja muito bem-
vindo à membresia do corpo de Cristo!
Realmente o projeto de Deus é completo. Nele encontramos
salvação, vida plena, promessas, poder do Espírito Santo e
podemos fazer parte da família de Deus que é Sua Igreja.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Defina batismo cristão (Mateus 28.19; Atos 2.38).


R: Batismo é o ato de iniciação na igreja cristã que
simboliza a purificação dos pecados e identificação com
Jesus Cristo.

2- Qual a origem do batismo? (Mateus 28.18-20).


R: Ordenança de Jesus Cristo e que foi adotado pelas
primeiras comunidades cristãs.

3- Como é praticado o batismo bíblico? (João 1.29-34; Atos


8.36,39).
R: O modo praticado é o batismo por imersão.
50 Conhecendo o Amor de Deus

4- Quais são os propósitos do batismo? (Atos 2.38; Efésios


4.4-6).

R: Testemunho público da fé em Jesus Cristo e ingresso


na igreja local.

5- Quem pode ser batizado? (Atos 2.38; Romanos 6.1-4).

R: Quem crê em Jesus Cristo e está vivendo em novidade

de vida.
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 51

ESTUDO N. 12

A CEIA DO SENHOR

Tomando o pão, deu graças, partiu-o e o deu


aos discípulos, dizendo: “Isto é o meu corpo
dado em favor de vocês; façam isto em
memória de mim”. Da mesma forma, depois
da ceia, tomou o cálice, dizendo: “Este cálice
é a nova aliança no meu sangue, derramado
em favor de vocês (Lucas 22. 19-20).

Jesus Cristo instituiu a Sua Ceia para que


lembrássemos periodicamente de Seu sacrifício na cruz.
Deus sabe da inclinação do ser humano ao esquecimento, deste
modo tratou de nos dar um auxílio para que jamais
esquecêssemos a Sua obra de amor. Por diversas vezes Jesus
nos mandou recordar de Sua morte pelo ato da Ceia do Senhor
(Mateus 26.17-30; Marcos 14.12-26; Lucas 22.19, 20; João
13.18-30; 1 Coríntios 11.24,25). Entretanto, não pense que a
palavra “memória” nestes textos tem somente o significado de
“pensar numa coisa passada”. O modo de o Novo Testamento
entender essas palavras significa: “Transportar uma ação do
passado, de tal modo que não se perca a sua potência e vitalidade
originais, mas sejam trazidas para o momento presente”.
Os elementos utilizados na celebração da Ceia do
Senhor são: O pão e o vinho. Ambos são elementos simbólicos,
que representam a morte de Cristo. Eles não se transformam,
literalmente, em carne (pão) e no sangue (vinho) de Cristo como
52 Conhecendo o Amor de Deus

algumas pessoas supõem. A substância dos elementos (pão e


vinho) não se altera, por isso os elementos devem ser entendidos
como símbolos. A explicação quanto ao que simbolizam o pão e
o vinho é a seguinte:

• Pão:
Para se tornar pronto para servir de alimento, é
necessário que:
a) - Se prepare a massa;
b) - Seja “amassado”.

Semelhantemente Jesus Cristo, como o “Pão da Vida” (João


6.48), se tornou um homem de “carne e osso” (João 1.14) e foi
“amassado”, isto é, sofreu (Filipenses 2.8), para que nossa
salvação fosse concretizada. Devemos, então, participar do pão
em memória do sofrimento de Cristo em nosso favor.
• Vinho:
O vinho pode representar o próprio Cristo. Em João 15.1,
Jesus identifica-Se como a “Videira Verdadeira” da qual o cristão,
unido como um ramo, participa da vida que emana de Sua seiva.
Também Jesus usa a figura do vinho para simbolizar o Seu
sangue, estabelecendo uma Nova Aliança “em Seu sangue”.
Diante da beleza e riqueza simbólica dessa notável
celebração cristã, surge a importante pergunta: Quem pode
participar da comemoração da Ceia do Senhor? Somente os
que estão sendo salvos em Cristo Jesus, que estão em
comunhão com a igreja devem participar da Ceia do
Senhor. A participação é vedada a qualquer pessoa que não se
comprometeu com Cristo e Sua Igreja. A pessoa não pode
participar daquilo que não aceitou e que não está devidamente
consciente. Duas classes de pessoas não podem participar, quais
sejam: os não convertidos (a solução: João 3.16), e os cristãos
que estão em pecado (a solução: 1 João 1.9).
IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 53

Finalmente, ressaltamos que a Ceia do Senhor não descreve


apenas a unidade do cristão com Cristo, mas também celebra a
unidade e comunhão daqueles que estão sendo salvos. É o culto
da comunhão cristã, memorial da fé, onde crentes locais
comparecem irmanados da alegria de estarem servindo
a Jesus Cristo.
Caro amigo(a), você igualmente é chamado(a) por Jesus
para assentar-se à mesa da comunhão cristã. É um convite para
uma celebração de alegria e esperança! Alegria da salvação e
esperança por aquele grande dia quando celebraremos a nossa
salvação juntamente com nosso amado Jesus na glória eterna.
“O Espírito e a noiva dizem: “Vem!”.
Parabéns! Você concluiu todos os estudos e conheceu o projeto
de Deus para sua vida. Assim sendo, acreditamos que você esteja
experimentando a alegria da salvação. Agora venha fazer parte da
igreja do Senhor, e leve esta mensagem a outras pessoas, pois no
projeto de Deus você é convidado a anunciar a Sua Palavra.
Desejamos que você seja um discipulador!
Para isto, entre em contato com o Coordenador Geral dos
Grupos de Discipulado, Pr. Joary Jossué Carlesso, através dos
telefones (47) 3431-4300 / 3431-4332, para receber as
instruções, e também o material para o Grupo de Discipulado.
Deus continue lhe abençoando.

Questões para reflexão e aprofundamento

1- Para que Jesus instituiu a Sua Ceia como ordenança à


Igreja? (Lucas 22.19,20).
R: Para que Sua Igreja lembrasse periodicamente de Seu
sacrifício na cruz.
54 Conhecendo o Amor de Deus

2- Quais são os elementos utilizados na celebração da Ceia


do Senhor? (1 Coríntios 11.23-25).

R: Os elementos utilizados são: O pão e o vinho.


3- Explique o que simbolizam o pão e o vinho na celebração
da Santa Ceia (1 Coríntios 11.27).

R: O pão significa o corpo de Jesus que foi entregue em

sofrimento na cruz em nosso favor. O vinho pode


significar o próprio Cristo, ou ainda Seu sangue.

4- Quem pode participar da comemoração da Ceia do Senhor?


(1 Coríntios 11.27-31).
R: Somente os que estão sendo salvos em Cristo Jesus,

que estão em comunhão com a igreja.

5- Que espécie de culto é a “Ceia do Senhor”? (Lucas 22.19,20;


1 Coríntios 11.26).

R: É o culto da comunhão cristã, memorial da fé.


IEADJO - Joinville - Ministério da Igreja com Grupos de Discipulado 55

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil


A Igreja Evangélica Assembléia de Deus no mundo segue estes pontos apresentados
nesta seção, acompanhe e conheça o que cremos...
1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o
Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
2. Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para
a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).
3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua
ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is
7.14; Rm 8.34 e At 1.9).
4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente
o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que
pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).
5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder
atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do
Reino dos Céus (Jo 3.3-8).
6. No perdão dos pecados; na salvação presente e perfeita e na eterna justificação
da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus
Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).
7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas,
em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor
Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cf 2.12).
8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra
expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador,
inspirador e santificador qo Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis
testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1 Pd 1.15).
9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a
intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme
a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).
10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para
sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).
11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível
ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação;
segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo
durante mil anos (1Ts 4.16.17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).
12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber
recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).
13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).
14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os
infiéis (Mt 25.46).
56 Conhecendo o Amor de Deus

ANOTAÇÕES
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
____________________________________________________________
___________________________________________________________
IEADJO

Para uso da Secretaria de Discipulado


CADASTRO DO DISCIPULADOR Matrícula nº _______

Distrito:___________ Congregação: ___________________________


Nome:___________________________________________________
Estado Civil:___________ Sexo: ( ) M ( ) F Data Nasc.:___/___/____
Endereço:________________________________________________
__________________________________Bairro:_________________
CEP:________________ Cidade:______________________________
Telefone:_____________________ Celular:______________________
E-mail / MSN:_____________________________________________
Site/Blog/Twitter:___________________________________________
Total de Grupos:________________ Total de Alunos:_______________
Companheiro de Discipulado:_________________________________
Sugestões:_______________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
Nº de grupos ativos:____________Nº de Discipulandos:____________

Ass. Discipulador:___________________________________

RECEBA GRATUITAMENTE O CERTIFICADO:


Destaque esta página e entregue ao Líder de Discipulado da sua Congregação ou envie via correio para:
Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Joinville
A/C Departamento de Discipulado
Caixa Postal 86 - CEP 89.202-205 - JOINVILLE - SC
CONTATOS DEPARTAMENTO DE DISCIPULADO:
Site: www.discipulado.adjoinville.org.br - E-mail: discipulado@adjoinville.org.br
Twitter: @DptoDiscipulado - Orkut: Comunidade Discipulado
Fone/Fax Igreja: 47 3431-4300 - Telefone Discipulado: 47 3431-4332
IEADJO

Autorizo a Divulgação:
MEU TESTEMUNHO ( ) Sim ( ) Não

Utilize este espaço para escrever seu testemunho relacionado ao Discipulado:

Se precisar, utilize folhas à parte

Cidade/Data:________________________ Assinatura:________________________

CRESCENDO NO CONHECIMENTO DE DEUS


Você pode continuar aprendendo a Palavra. Marque a(s) opção(ões) desejada(s):
Desejo receber informações sobre os Cursos Básico e Médio em Teologia
da EPOS / Refidim. Site: www.ceeduc.org
Desejo receber informações sobre os cursos do Departamento da Família:
Telefones: 47 3455-2123 / 3434-2079 / 3439-0518
Casados para Sempre - Para casais que estejam disposto a batalhar pelo seu casamento.
Educando Filhos a Maneira de Deus - Para ajudar as famílias a educarem seus filhos no caminho do Senhor.
Finanças - Ensinar às pessoas os princípios financeiros de Deus.
Mulher Única - Aborda temas como auto-estima, valor, originalidade, feminilidade e responsabilidade.
Hombridade - Revela o plano de Deus em relação à identidade e às responsabilidades do homem.
Desejo receber em casa o Curso Bíblico Devocional Encontro com a Palavra.
E-mail: pastorleandroferreira@gmail.com Fone: 47 3025-7137 / 9974-2597