Vous êtes sur la page 1sur 7

Página 1 de 7

CONTRATO DE MÚTUO

Cláusulas e Condições Gerais do Contrato de Mútuo que


entre si fazem a Fundação Vale do Rio Doce de
Seguridade Social - VALIA e seus Participantes.

Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social – VALIA, Entidade Fechada de Previdência Complementar,
sem fins lucrativos, com sede à Avenida das Américas, nº4430, 3º andar – salas 301 e 302, Barra da Tijuca, na
cidade do Rio de Janeiro - RJ, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda, sob
o número 42.271.429/0001-63, neste ato doravante denominada simplesmente VALIA, e, de outro, o Participante,
devidamente qualificado no Termo de Requerimento de Mútuo (Anexo I), parte integrante deste Contrato para
todos os efeitos legais, doravante denominado simplesmente MUTUÁRIO, resolvem celebrar o presente
CONTRATO DE MÚTUO (“Contrato”), mediante as cláusulas e condições seguintes:

DEFINIÇÕES:
Para efeito deste Contrato, considera-se:

Assistido – é o Participante ou seus beneficiários em gozo de Benefício de prestação continuada.

Benefício – é a Suplementação de Aposentadoria por Invalidez; Renda de Aposentadoria Normal; Renda de


Aposentadoria Antecipada; Suplementação de Auxílio-Doença; e a Renda ou Suplementação do Abono Anual.

Mutuário – é o Participante Ativo ou Autopatrocinado ou Assistido que recebe o Empréstimo mediante o


presente Contrato.

Participante – é a pessoa física que adere a um dos Planos de Benefícios administrados pela Valia e esteja na
condição de Participante Ativo ou Participante Autopatrocinado ou Participante Assistido.

Patrocinador – é a pessoa jurídica que tenha celebrado Convênio de Adesão aos Planos de Benefícios
administrados pela VALIA.

CLÁUSULA PRIMEIRA – DO OBJETO


1.1 – Constitui objeto do Contrato a concessão de empréstimo pela VALIA, em moeda corrente nacional, ao
MUTUÁRIO, no valor, prazo e demais condições indicadas no Termo de Requerimento de Mútuo, bem como
observadas as disposições legais e normativas pertinentes, além dos termos do presente Contrato
(“Empréstimo”).

CLÁUSULA SEGUNDA – DA CONCESSÃO DO EMPRÉSTIMO


2.1 – O MUTUÁRIO reconhece o lançamento do Empréstimo realizado, por ordem da VALIA, por meio de crédito na
conta corrente em que recebe o seu salário ou Benefício, como prova da efetivação da concessão do referido
Empréstimo, para todos os fins.
Página 2 de 7

2.2 – Antes de lançado o crédito na conta corrente do MUTUÁRIO, a VALIA, por seu exclusivo critério,
independentemente de aviso prévio, interpelação ou notificação judicial ou extrajudicial, poderá deixar de
conceder o Empréstimo objeto do presente Contrato, não cabendo ao MUTUÁRIO, nessa hipótese, qualquer tipo
de questionamento, nem tampouco reparação, resolvendo-se de pleno direito, com isso, este Contrato.

2.3 – O MUTUÁRIO declara-se ciente de que o lançamento do crédito solicitado fica condicionado aos seguintes
critérios, sem prejuízo de quaisquer outros que venham, a ser definidos pela VALIA:
a) Existência de margem consignável na data da solicitação da concessão do Empréstimo;
b) Inexistência de dívidas do MUTUÁRIO com a VALIA ou de litígio envolvendo, direta ou indiretamente,
contratos de empréstimos anteriores celebrados entre as partes;
c) Disponibilidade de recursos pela VALIA, na data da concessão do Empréstimo, na forma da legislação
aplicadas às Entidades Fechadas de Previdência Complementar;
d) Manutenção da condição de Participante Ativo ou Autopatrocinado ou Assistido até a data da
efetivação do crédito na conta indicada pelo MUTUÁRIO, bem como inexistência de fato que, até a
mesma data, revele a possibilidade de perda dessa condição.

CLÁUSULA TERCEIRA – DO VALOR DO EMPRÉSTIMO


3.1 - O valor do Empréstimo é aquele especificado no Termo de Requerimento de Mútuo.

3.2 - O valor máximo permitido para concessão do Empréstimo será calculado com base na margem
consignável, observado também o limite máximo para concessão deliberado pela VALIA, conforme suas políticas
de investimentos vigentes.

CLÁUSULA QUARTA – DOS ENCARGOS FINANCEIROS E TRIBUTOS


4.1 - Sobre o valor principal do Empréstimo incidem e são de responsabilidade exclusiva do MUTUÁRIO os
tributos pertinentes a este Contrato (“Tributos”), além de correção monetária e taxa de juros (“Encargos
Financeiros”), sendo que tais Encargos Financeiros constam expressamente do Termo de Requerimento de
Mútuo.

4.1.1 – Caso ocorra o crédito na conta corrente do MUTUÁRIO antes do último dia do mês, serão
acrescidos ao valor do Empréstimo os Tributos e Encargos Financeiros proporcionais ao período
compreendido entre a data do crédito e o último dia do respectivo mês.

4.2 – Caso o MUTUÁRIO liquide antecipadamente o Empréstimo antes do vencimento da primeira prestação, ao
valor principal do Empréstimo serão acrescidos os Tributos e Encargos Financeiros pro rata die.

4.3 - O indexador utilizado para a correção monetária do saldo devedor é o Índice Nacional de Preços ao
Consumidor (INPC), considerando-se para fins de apuração o segundo mês anterior ao mês referente à
prestação do pagamento do Empréstimo.

4.3.1 - Caso o INPC deixe de ser apurado ou se a legislação superveniente vedar seu uso para os fins do
presente Contrato, este índice será substituído pela VALIA por outro índice que reflita a variação
inflacionária do período.
Página 3 de 7

CLÁUSULA QUINTA – DO PRAZO DE VIGÊNCIA


5.1 – A vigência do presente Contrato tem início na data do lançamento do Empréstimo por meio de crédito na
conta corrente do MUTUÁRIO, devendo o Empréstimo ser amortizado no prazo previsto no Termo de
Requerimento de Mútuo, ressalvado o disposto no item 7.5 da Cláusula Sétima deste Contrato.

5.1.1 - O prazo máximo de amortização do Empréstimo fica limitado ao número de meses faltantes para o
término do Benefício (i) dos Assistidos com aposentadoria de prazo certo, (ii) dos Assistidos com
pensão de prazo certo, bem como (iii) dos Assistidos com pensão que completarem 24 (vinte e quatro)
anos ou deixarem de cursar o ensino superior oficial ou reconhecido, este último tendo como parâmetro
a validade da declaração do estabelecimento de ensino.

CLÁUSULA SEXTA – DO PAGAMENTO DO EMPRÉSTIMO


6.1 – O pagamento do Empréstimo, Tributos e Encargos Financeiros será efetuado mediante o desconto do valor
das prestações mensais e sucessivas, na forma pactuada, por meio de consignação em folha de pagamento na
data do recebimento do seu salário ou Benefício, ou, na impossibilidade de realização da consignação, através
de débito automático na conta corrente do MUTUÁRIO ou boleto bancário, a critério exclusivo da Valia, pelo que
o MUTUÁRIO autoriza a VALIA a proceder ao desconto ou a cobrança nas formas mencionadas, expressamente,
de forma irretratável e irrevogável, para todos os efeitos legais e contratuais.

6.2 – Em razão da autorização da cobrança do valor das prestações do Empréstimo por meio de débito
automático na conta corrente do MUTUÁRIO, este se obriga a manter saldo suficiente para quitação do valor
correspondente.

6.3 – O vencimento das parcelas para desconto do valor das prestações do Empréstimo dar-se-á no último dia
de cada mês.

6.3.1. A cobrança do valor das prestações por meio de débito automático em conta corrente poderá
ocorrer a partir do primeiro dia útil subsequente ao vencimento da prestação em atraso, a critério
exclusivo da VALIA.

6.4 - Se, por qualquer motivo, não for possível consignar em folha de pagamento ou debitar em conta corrente
o valor das prestações do Empréstimo, ainda que parcialmente, o MUTUÁRIO poderá efetuar o pagamento
através de solicitação de boleto bancário, por meio dos canais de atendimento da VALIA.

6.5 – O MUTUÁRIO que não tiver o valor da prestação consignado em folha de pagamento, debitado em conta
corrente ou não pagar mediante boleto bancário, ainda que não o tenha recebido, não se eximirá da obrigação
do pagamento na data do vencimento, incidindo, em caso de atraso, as Penalidades previstas neste Contrato,
independentemente de aviso, notificação judicial ou extrajudicial por parte da VALIA.

6.6 – Caso o MUTUÁRIO deixe de ostentar, por qualquer motivo, a condição de Participante ou caso seu
empregador perca a condição de Patrocinador, o MUTUÁRIO autoriza, de forma irretratável e irrevogável, para
Página 4 de 7

todos os efeitos legais e contratuais, que a VALIA permaneça descontando o valor das prestações do
Empréstimo subsequentes por meio de consignação em folha de pagamento de salário junto ao seu novo
empregador e/ou em folha de pagamento de Benefício percebido pelo MUTUÁRIO junto à nova entidade de
previdência complementar à qual venha a se vincular ou, ainda, por meio de débito na conta corrente do
MUTUÁRIO, ficando a critério exclusivo da VALIA a opção por uma dessas modalidades de cobrança.

CLÁUSULA SÉTIMA – DAS PENALIDADES


7.1 – A impontualidade no pagamento do valor das prestações do Empréstimo na data de vencimento configura o
inadimplemento.

7.2 – Em caso de inadimplemento, sobre o valor da prestação atualizado monetariamente serão cobrados
(“Penalidades”):
a) multa de 2% (dois por cento); e,
b) juros de mora de 1% a.m. (um por cento ao mês), calculados pro rata die, desde a data de vencimento
das prestações inadimplidas até o seu efetivo pagamento.

7.3 – O MUTUÁRIO concorda e autoriza que, configurado o inadimplemento, a VALIA poderá, a seu exclusivo
critério, divulgar e encaminhar todos os documentos e informações cadastrais relativos ao Empréstimo a
empresas de cobrança e advogados contratados, para fins de cobrança judicial ou extrajudicial, podendo,
inclusive, inclui-lo em cadastros de restrição ao crédito.

7.3.1 – A VALIA fica autorizada a promover a cobrança judicial da totalidade dos valores concedidos a
título de Empréstimo, hipótese na qual o MUTUÁRIO, além do principal e dos Tributos e Encargos
Financeiros, arcará com as despesas processuais, acrescidas de honorários advocatícios de 20% (vinte
por cento) sobre o valor total da dívida atualizada.

7.4 – Ocorrendo o inadimplemento, o MUTUÁRIO autoriza a VALIA a descontar o valor da prestação do


Empréstimo em atraso, através de consignação em folha de pagamento de salário ou Benefício do MUTUÁRIO,
conjuntamente com o valor da prestação dos meses em referência imediatamente subsequentes, até que o
valor da prestação em atraso seja liquidado.

7.5 – O MUTUÁRIO autoriza a VALIA, em caso de inadimplemento e impossibilidade da liquidação do valor do


Empréstimo até a data prevista no Termo de Requerimento de Mútuo, a postergar o prazo deste Contrato para a
liquidação do saldo devedor remanescente, mantendo as disposições referentes ao pagamento do empréstimo.

CLÁUSULA OITAVA – DA QUITAÇÃO ANTECIPADA


8.1 - O MUTUÁRIO poderá, a qualquer tempo, quitar totalmente o saldo devedor do Empréstimo, acrescido dos
Tributos e Encargos Financeiros pertinentes calculados pro rata die.

CLÁUSULA NONA – DO VENCIMENTO ANTECIPADO POR INADIMPLEMENTO


9.1 – O descumprimento de qualquer cláusula prevista neste Contrato, inclusive o inadimplemento no pagamento
de quaisquer das prestações do Empréstimo, além dos casos previstos em lei, poderá ensejar, a exclusivo
Página 5 de 7

critério da VALIA, a resolução de pleno direito do Contrato e o vencimento antecipado da dívida,


independentemente de aviso, notificação judicial ou extrajudicial, sujeitando-se o MUTUÁRIO à multa e demais
consectários previstos na Cláusula Sétima deste Contrato.

CLÁUSULA DÉCIMA – ANTECIPAÇÃO DO SALDO DEVEDOR


10.1 – A rescisão do contrato de trabalho ou perda da condição de dirigente do MUTUÁRIO ensejará a dedução do
saldo devedor do Empréstimo sobre qualquer importância a ser recebida pelo MUTUÁRIO, incluída aquela
recebida a título de Participação nos Lucros ou Resultados, bem como na ocorrência de Resgate, Portabilidade,
recebimento de saldo de conta sob a forma de pagamento único ou recebimento em parcela única em caso de
retirada de Patrocínio.

10.1.1 – Na hipótese de saldo devedor remanescente do Empréstimo, após o procedimento previsto no


10.1, este será pago em prestações mensais e sucessivas de valor igual e nas mesmas condições
estipuladas neste Contrato, com vencimento a partir do mês subsequente.

10.1.1.1 - O MUTUÁRIO autoriza, desde logo, de forma irretratável e irrevogável, para todos os efeitos
legais e contratuais, que em caso de rescisão do contrato de trabalho com a atual Patrocinadora e
posterior admissão por quaisquer das Patrocinadoras da VALIA, a consignação em folha de
pagamento das prestações referentes ao pagamento do Empréstimo, a partir da primeira data do
recebimento do seu salário.

10.1.2 - O MUTUÁRIO migrado para quaisquer dos planos mistos de Benefício, autoriza a VALIA, nas
hipóteses aplicáveis, a deduzir o saldo devedor do Empréstimo das importâncias a que fizer jus a título
de Resgate, bem como a título do total de contribuições atualizadas que tenha vertido ao Plano de
Benefício Definido.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA – DAS DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS E GERAIS


11.1 - O MUTUÁRIO fica obrigado a comunicar à VALIA qualquer alteração em seus dados cadastrais indicados no
Termo de Requerimento de Mútuo.

11.2 – Caso não haja comunicação de qualquer mudança de endereço, serão considerados como recebidos, para
todos os efeitos, os avisos, as notificações, as cartas, comunicações e outras correspondências enviadas por
meio eletrônico ou impressas para o último endereço cadastrado do MUTUÁRIO, sem prejuízo da incidência das
penalidades previstas neste Contrato.

11.3 – Caso a conta corrente indicada para débito no Termo de Requerimento de Mútuo deste Contrato não
esteja em uso normal ou tenha restrições, o MUTUÁRIO fica obrigado a informar imediatamente à VALIA os
dados bancários de conta que esteja em uso normal e não tenha restrições, de modo a viabilizar, conforme o
caso, a cobrança por débito na citada conta.

11.3.1 – Caso inviabilizada a cobrança por débito na conta indicada no Termo de Requerimento de Mútuo
em vista das razões mencionadas no item 11.3 supra, a VALIA poderá notificar o MUTUÁRIO a
Página 6 de 7

regularizar a informação de seus dados bancários, assinalando-lhe prazo de até 05 (cinco) dias para
tal providência, sob pena de resolução do Contrato e vencimento antecipado da dívida.

11.3.2 – Caso, notificado, o MUTUÁRIO não regularize a informação de seus dados bancários no prazo
que lhe tenha sido assinalado, a VALIA poderá considerar o Contrato resolvido de pleno direito, com o
vencimento antecipado da dívida, a incidência dos Tributos e Encargos Financeiros pertinentes e a
possibilidade de cobrança, inclusive judicial, do valor devido.

11.4 - Como garantia da liquidação do saldo devedor do Empréstimo em caso de óbito do MUTUÁRIO, a VALIA
poderá inscrever o MUTUÁRIO nas apólices de seguro em grupo exclusivamente para esse fim, preservadas as
condições financeiras previstas no Contrato.

11.4.1 - Recebida a indenização do seguro, em caso de óbito, e sendo o respectivo montante suficiente
para quitar o saldo devedor existente, a VALIA dará por satisfeito o Empréstimo objeto do presente
Contrato. Não sendo suficiente o valor da indenização, o saldo devedor remanescente do Empréstimo
será devido pelos sucessores do MUTUÁRIO, observado, inclusive, o disposto no item 11.5 desta Cláusula.

11.5 – O MUTUÁRIO se obriga a cumprir os termos dos instrumentos que regem o Empréstimo por si e seus
sucessores, autorizando, independentemente de qualquer outra formalidade, o desconto dos débitos de
Empréstimo das importâncias não recebidas em vida do Participante Assistido, quando do pagamento a seus
beneficiários habilitados, no caso de morte do MUTUÁRIO.

11.6 - Eventual tolerância pela VALIA no que toca à inexecução das obrigações deste Contrato pelo MUTUÁRIO
representa mera liberalidade, não consistindo em moratória ou novação, nem tampouco implicando na renúncia
de direitos e obrigações exigíveis.

11.7 - O MUTUÁRIO atesta, para todos os fins legais, a plena veracidade, legitimidade e fidedignidade das
informações e documentos que forneceu à VALIA, quando do seu requerimento para a habilitação do
Empréstimo, estando ciente da responsabilidade civil e penal advindas de informações e documentos
parcialmente ou totalmente inverídicos, incorretos, ilegítimos ou não autênticos.

11.8. - Na hipótese de MUTUÁRIO, na condição de Assistido, que tenha optado pelo recebimento de Benefício
considerando a renda mensal por prazo certo, e que, posteriormente, altere a sua opção para prazo certo
inferior ao prazo anteriormente escolhido, fica autorizada, desde já, a redução do prazo ora contratado para o
Empréstimo, de modo a que este não ultrapasse o prazo de recebimento de Benefício por prazo certo pago pela
VALIA.

11.8.1 - Nesta hipótese, o valor das parcelas será revisto, de modo a ser compatibilizado com o novo
prazo do Empréstimo, mantendo-se as demais condições contratuais.
Página 7 de 7

11.9 - O MUTUÁRIO fica ciente de que todas as ligações telefônicas mantidas entre ele e a VALIA, relacionadas
com a solicitação do Empréstimo, cobrança de prestações ou valores em débito poderão ser gravadas,
constituindo-se meio de prova judicial ou extrajudicial.

11.10 – Para dirimir qualquer questão deste Contrato, bem como de eventuais aditivos, fica eleito o foro da
Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro, renunciando ambas as partes a qualquer outro, por mais
privilegiado que seja.

E, por estarem de pleno acordo com as cláusulas e condições deste Contrato, que se encontra devidamente
registrado no Cartório de Registro de Títulos e Documentos do Estado do Rio de Janeiro, cujo conhecimento e
cópia é dada ao MUTUÁRIO, firmam o Contrato de Mútuo consoante as condições específicas, assinando-o em
duas vias, de igual teor, na presença de duas testemunhas que também o assinam, dando expressa ciência e
concordância ao inteiro teor do presente.