Vous êtes sur la page 1sur 8

DISJUNTORES DE CIRCUITOS A GÁS SF6

PARA USO EXTERNO [72,5KV A 420 KV]

TECHNOLOGY TO THE FORE

Direção Geral Unidade Hortolândia Unidade de Sistemas


Rodovia RS-20 Km 6,5 Rodovia SP 101 Km 5,5 e Diretoria Nacional de Vendas
Telefone: (51) 489.25.00 Telefone: (19) 3281-13.22 Av. Paulista, 2073 Horsa I 23º andar
(51) 489.25.27 - Exportação Fax: (19) 3281.22.90 Telefone: (11) 251.53.66
Fax: (51) 489.25.01 Cep: 13.185-908 Fax: (11) 3284.25.25
Cep: 94.100-250 - Gravataí-RS Hortolândia SP Cep: 01.311-300 - São Paulo SP
comercial@trafo.com.br trafo@uol.com.br comercial@trafo.com.br

FABRICADO SOB LICENÇA


SWITCHGEAR
C O M P L E X
Detalhes dimensionais Detalhes do Plano das Fundações
INTRODUÇÃO 3500
Disjuntor 72,5 – 170 kV (1 comutação) Disjuntor 72,5 kV
1220 250
A A
Mais de 9000 Disjuntores de Circuito a Gás SF 6 com tecnologia CGL de até 420 kV foram colocados em serviço em vários 350 500

80
50 520 50
ambientes de muitos países desde 1983, operando de maneira plenamente satisfatória.
1
Nossos sistemas de fabricação e qualidade estão em conformidade com as exigências dos padrões de qualidade e o escopo de

300
1000 540 300

fornecimento da ISO 9001.


Valeta sugerida
SUGGESTED para
TRENCH 40 500 350
2 entrada dos cabos
5 FOR CABLE ENTRY 1400 1400

H
C.L.
TIPO DE DISJUNTORES A GÁS TIPO SFM (72,5 KV A 420 KV) G.L.

B
PHASE A PHASE B PHASE C
Fase A Fase B Fase C

2200
Os disjuntores SFM de fabricação CGL são projetados para estar em conformidade com todos os possíveis fenômenos de 4

comutação. A forte taxa de aumento da tensão de recuperação por um defeito de curto de linha e o alto pico da tensão de
3 Disjuntor 123/ 145 kV 4100

1220 250
recuperação pela comutação fora de fase são solucionadas por meio do interruptor eficientemente projetado, usando o conceito 700
350 500 50 520 50

80
de sopro de fluxo duplo. As pequenas interrupções de corrente, como de comutação de banco de capacitores, comutação de
corrente magnetizantes de transformadores, comutação de corrente de carga de cabo/linha são feitas suavemente sem reigni- Disjuntor 245 kV (1 comutação)

1000

300
540
300
A A
ções, sendo as sobre-tensões mantidas em um mínimo.
SUGGESTED TRENCH
Valeta sugerida para 40 500 350
FOR entrada
CABLEdos cabos

*300
1 ENTRY 1700 1700
CARACTERÍSTICAS C.L.
G.L.
Fase A A
PHASE Fase BB
PHASE Fase CC
PHASE
• Projeto simples e compacto 2
Disjuntor 145 (40 kA) / 170 kV

H
• Folgas de linha à terra de acordo com as especificações do cliente.
3
• Contatos auto-alinhantes para fácil remontagem.

B
2200
• A inspeção / manutenção da unidade de pólo é possível sem a desmontagem do disjuntor. 4

• Os contatos principal e de arco são separados, eliminando assim a possibilidade de erosão dos contatos principais.
• Comutação por camada térmica até o nível de 245 kV. 800

• Materiais de construção resistentes à corrosão.


Disjuntor 420 kV (2 interrupções)
• Operação da unidade pólo isenta de manutenção por 15 a 20 anos em condições normais de operação. 5320
A A
• Fácil içamento. 6 Fase A Fase B Fase C

• Sem ajustes no campo. Disjuntor 245 kV


• Fácil acesso a todas as peças do mecanismo de operação por painéis de abertura frontal e traseira.
• Baixos níveis de ruído operacional.
• Dispositivo para alívio de pressão. CONDUCTOR
Condutor
2 1

H
• Alta capacidade de resistência sísmica - segurança contra terremotos. 7

• Faixa completa testada no CESI, Itália ou KEMA, Holanda.


3
Fase A Fase B Fase C

2230
4
CONSTRUÇÃO E OPERAÇÃO C.L.
800 G.L. Disjuntor 420 kV
1400
Todos os Disjuntores SF6 possuem projeto similar de interruptor. Todos os disjuntores de 72,5 kV a 245 kV são fabricados com
projeto de interruptor de câmara de extinsão de arco simples, os disjuntores de 420 kV são fabricados com interruptores de KEY 4. Reservatório de ar.
dupla câmara de extinsão de arco. Esses disjuntores têm projeto de tanque vivo e empregam ação de sopro para a extinsão de 1. Interruptor. 5. Quadro (para disjuntores com operação tipo gang)
2. Porcelana suporte. 6. Resistor de fechamento (Disjuntor 420 kV).
arco, garantindo uma maior confiabilidade operacional e segurança na transmissão de potência e sistemas de distribuição. 3. Carcaça do Mecanismo de Operação 7. Capacitor de grade
A Fig. 1 mostra a vista em corte de um disjuntor do tipo monofásico - câmara única, enquanto a Fig. 2 mostra o mesmo para um
Detalhes do Plano das Fundações
disjuntor do tipo trifásico - câmara única. A unidade interruptora, preenchida com Gás SF6, é colocada na parte superior do pólo

300
e contém o Contato Fixo, o Bico, guia do sopro, o Contato Móvel, o Cilindro sopro e o Pistão. Durante a operação de abertura,

70
o Contato Móvel juntamente com o Cilindro sopro são abaixados. O Cilindro sopro que se movimenta juntamente com o Contato 200
80

Detalhes do Parafuso de Fundação


25

400
Móvel, comprime o Gás SF6 contra o Pistão Fixo, gerando assim um potente jato de gás SF6 pelo Bico guia do sopro até o arco.

55
400
630

400
M30

400
ANCHOR
Após percorrer uma certa distância, a rigidez dielétrica da abertura é suficiente para suportar à tensão, e assim o arco se BOLT
100
100
extingue. A confiabilidade do sistema é ainda aumentada pelo interruptor de Gás SF6 de fluxo duplo e pressão única, que reduz
M24-ANCHOR BOLT
o número de peças móveis e sistemas auxiliares no disjuntor. O princípio está mostrado na Fig. 1.
420 kV 245 kV 72.5 to 170 kV 72.5 to 245 kV 420 kV
DETALHES TÉCNICOS GARANTIDOS FIG. 1 FIG. 1(a)
DISJUNTOR A GÁS SF6 DE 72,5 - 420 kV (MECANISMO MOLA-PNEUMÁTICO)
UNID. 72.5 kV 123 kV 145 kV 145 kV 170 kV 245 kV 420 kV
1. TIPO DE REFERÊNCIA : - 70-SFM-32A 120-SFM-32A 120-SFM-32A 120-SFM-40A 150-SFM-32A 200-SFM-40A 400-SFM-40A Unidade interruptora

2. TENSÃO NOMINAL : kV 72.5 123 145 145 170 245 420 Contato de arco estacionário
3. RESISTÊNCIA NOMINAL AO :kVp 325 550 650 650 750 1050 1425 Contato estacionário
Bico
IMPULSO ATMOSFÉRICO
4. TENSÃO APLICADA A
FREQÜÊNCIA INDUSTRIAL : kV 160 230 275 275 325 460 520 / 610 Contato de arco móvel Contato móvel Arco
Contato estacionário
Gás SF 6
5. DISTÂNCIA (TOTAL) DE ESCOAMENTO
Contato de arco
SUPERFICIAL : mm 1820 3075 3625 3625 4250 6125 10500 estacionário
6. NORMAS APLICÁVEIS : - IEC 56, BSS 5311 & JEC 181 Porcelana suporte
Haste de isolação
7. TIPO DE MECANISMO : - MOLA - PNEUMÁTICO Contato de arco
móvel - Gás SF6 Bico
8. CORRENTE NOMINAL : A 3150 Haste de operação
Contato móvel
9. SEQÜÊNCIA NOMINAL DE OPERAÇÃO : - O-0.3 seg.-CO-3 min-CO Cilindro
União
10. FREQÜÊNCIA NOMINAL : Hz 50/60 Porta de alimentação de gás sopro

11.DURAÇÃO DO CURTO-CIRCUITO : sec. 3 Alavanca


12.TENSÃO DA BOBINA DE
: V 110/220 V DC 220 VDC
FECHAMENTO/ABERTURA Carcaça do mecanismo de operação Haste Contato fixo
13.CORRENTE DA BOBINA DE 3 A max.a
FECHAMENTO / ABERTURA : A 6 A max. at 110 V DC 220 V DC Válvula de controle Pistão
14.TEMPO NOMINAL DE ABERTURA : ms 60 40
Reservatório de ar
15.TEMPO NOMINAL DE FECHAMENTO : ms 100 120 100 150 Mecanismo de operação
16.CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO- PRINCÍPIO DE COMUTAÇÃO
INTERRUPÇÃO : kA 31.5 40 31.5 40 Pistão Ar comprimido (15 kg/cm 2)

Cilindro
17.CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO DE
PICO-FECHAMENTO : kAp 80 100 80 100 Mola de fechamento
Amortecedor
18.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO Unidade de abastecimento
de ar comprimido
DE LINHA E SOBRETENSÃO : A / pu 10 / <2.5 50 / <2.5 63 / <2.5 125 / <2.1 600 / <2.0
19.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
DE CABO E SOBRETENSÃO : A / pu 250 / <2.5 160 / <2.5 315 / <2.5 400 / <2.0 *
20.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
DE BANCO SIMPLES DE : A / pu 250 / <2.5 300 / <2.5 160 /<2.5 315 / <2.5 400 / <2.0 * FIG. 2
CAPACITORES E SOBRETENSÃO
21.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
FORA DE FASE : kA 7.9 10 7.9 10
Unidade de comutação
22.TENSÃO DE PRIMEIRO PÓLO : - 1.5 1.3 Contato de arco estacionário
23.CONTATOS AUXILIARES : - 9 NO + 9 NC 8 NO + 8 NC / PÓLO
Contato estacionário
24.PRESSÃO DE GÁS SF6 (A 20°C)
- NORMAL : Kg/cm2 5.0 6.0 6.0 7.0 6.0 Contato de arco móvel
Contato móvel
- ALARME DE PRESSÃO DO GÁS : Kg/cm2 4.5 5.5 5.5 6.5 5.5
- PRESSÃO DE BLOQUEIO : Kg/cm2 4.0 5.0 5.0 6.0 5.0 Gás SF 6
25.DIMENSÕES
A : mm 1400 1700/2000 1700/2000 2000 2000 4600 6000
B : mm 3065 3365 4003 4003 4003 4605 —
H (SEM RESISTOR DE FECHAMENTO) : mm 4118 4738 5376 5376 5536 6965 8360*
H (COM RESISTOR DE FECHAMENTO) : mm — — — — — — 8760* Haste de isolação
26.PESO Ligação (1)
(COM RESISTOR DE FECHAMENTO) : kg 1650 2000 2000 2200 2000 3900 7950 Haste de operação
Haste (3)
(SEM RESISTOR DE FECHAMENTO) : kg — — — — — — 9600 Ligação (2) Haste (2) Ligação (3)

* COM ESTRUTURA SUPORTE Ligação (4)

Alavanca (4)
Alavanca (3)
Porta de alimentação de gás
Alavanca (2) Alavanca (1)

Haste (1)
Carcaça do mecanismo
de operação
Válvula de
controle
Estrutura suporte.

Mecanismo de operação Reservatório


de ar

Pistão
Ar comprimido
Cilindro (15 kg/cm 2 )
Mola de fechamento

Amortecedor
Unidade de abastecimento
de ar comprimido
MECANISMO DE OPERAÇÃO MOLA - PNEUMÁTICO
O mecanismo de operação é do tipo mola-pneumático, onde a operação de abertura é feita pela energia pneumática e a operação de
fechamento é feita pela energia da mola, sem um motor para o carregamento da mola (Fig. 3). Este método é muito diferente dos
mecanismos pneumáticos convencionais, que usam a energia pneumática tanto para as operações de abertura como para fecha-
mento. Durante a operação de abertura, a energia pneumática é fornecida por um reservatório de ar na pressão de operação de 15
kg/cm 2. No final da operação de abertura, a mola de fechamento se carrega automaticamente. Cada disjuntor tem seu próprio
compressor independente, evitando assim um sistema de tubulações e ar comprimido que seria exigido pelo projeto de compressor
central. Os disjuntores podem ser transportados e operados em qualquer lugar, sem implicações de infraestrutura. Uma outra
vantagem desse tipo de mecanismo é que já que a energia está envolvida somente durante a operação de abertura, todo o sistema
pneumático opera em pressão única e com um reservatório, aumentando assim a confiabilidade e a forma compacta do disjuntor.
No tipo de fase única com religamento, existe um mecanismo de operação por fase em todos os disjuntores. Todos os três pólos
e os mecanismos associados de operação são interligados eletro-pneumaticamente para garantir uma operação simultânea e
confiável das três fases. No tipo trifásico com auto religamento (disponível em 72,5 kV, 145 kV e 170 kV nominais) um simples
sistema de operação aciona as três unidades de comutação.

FIG. 3
Contato estacionário
Contato estacionário
Came
Contato móvel
Contato móvel
Alavanca
Porta de Rolete
exaustão Gatilho
Pino “A”
Êmbolo Mola A
Êmbolo
Bobina de fechamento
Bobina de parada
Porta de
Gatilho Alavanca anti-bombeamento exaustão
Lingüeta
Válvula cilíndrica
TESTES DE ROTINA
Pino anti-
Haste do
pistão Reservatório de ar
bombeamento Todos os testes de rotina especificados na IEC 56 são realizados nos disjuntores totalmente montados em nossa fábrica. Além dos
Pistão Ar comprimido Ar comprimido Lingüeta de fixação Ar comprimido testes especificados, em conformidade com a IEC, os seguintes testes são realizados em cada disjuntor.
(15 kg/cm 2 ) (15 kg/cm 2 ) (15 kg/cm 2 )
Pistão 1) Teste de estanqueidade de SF6.
Cilindro Cilindro Reservatório de ar
Assento da válvula 2) Teste de estanqueidade do sistema de ar comprimido.
Mola de Haste do pistão
fechamento Amortecedor Mola de fechamento Amortecedor 3) Teste de velocidade e tempos de abertura e fechamento.
4) Teste do sistema pneumático.
POSIÇÃO FECHADA ESTADO ABERTO POSIÇÃO ABERTA 5) Teste dos pressostatos de ar e gás.
O laboratório de testes TRAFO está totalmente equipado com os mais recentes equipamentos para testes como:
SISTEMA DE AR E GÁS FIG. 4 1) Transformador de teste para 500 kV – Controle de Lógica Programável BCM.
Sistema de Gás (Ver Fig. 4) 2) Detector de vazamentos do tipo espectrômetro de massa de alta precisão.
- As três unidades de comutação ligadas por tubulação 3) Analisadores Multicanais para velocidade de operação e corrente das bobinas.
de gás possuem individualmente as válvulas A, B e C. 4) Conjunto de teste de resistência de contatos.
- A tubulação de gás está ligada ao manômetro de gás,
ao pressostato de gás com compensação por tempe-
ratura e porta de alimentação de gás. Porta de
Gás SF 6
Normalmente é testado um disjuntor totalmente montado em 4 horas. Os testes completos do disjuntor antes do embarque
alimentação
- As válvulas de gás A, B e C devem estar normalmente de gás garantem operações sem defeitos no campo e a completa satisfação do cliente.
Tubulação de gás Unidade interruptora
abertas.
- A densidade do gás SF6 é monitorada por pressosta- QUALIDADE E TRATAMENTO SUPERFICIAL
to de gás com compensação por temperatura.
Manômetro Manômetro de ar Todos os componentes importantes e as peças estampadas em chapa de aço são fabricados em máquinas CNC de precisão,
- O carregamento do gás SF6 é possível a partir da por- de gás Pressostato de ar (para
ta de alimentação de gás, com a abertura da válvula de alarme e trava) garantindo uma alta consistência dimensional. Todas as peças que entram em contato com a umidade recebem tratamento de
Pressostato
gás D mesmo na condição energizada. compensado por Pressostato de ar (para válvula passivação com zinco/cobalto. Todas as peças ferrosas expostas são jateadas, galvanizadas por spray, revestidas com primer e
temperatura reguladora do compressor)
Bico de aeração
finalmente pintadas com tinta a base de poliuretano ou tinta epóxi, garantindo excelente acabamento e proteção.
Sistema de Ar (Ver Fig. 4) Carcaça do
mecanismo
Interruptor de parada
de aeração
- O mecanismo de operação está ligado à válvula de con- de operação
Reservatório de ar
TRANSPOTE E INSTALAÇÃO NO LOCAL
trole, ao reservatório de ar, ao manômetro de ar, aos Tubulação de ar Todos os disjuntores são testados na fábrica e, dependendo do tipo, são parcialmente desmontados e acondicionados em unida-
Válvula de controle
pressostatos de ar, ao bico de aeração e ao plugue de des de embalagem, que são posteriormente expedidas. Todos os sub-conjuntos são embalados individualmente para reduzir os
retenção de aeração pela tubulação de ar. Mecanismo
Ar comprimido
de operação
(15 kg/cm 2 ) ricos de danos. Para a exportação, os disjuntores são embarcados em embalagens adaptadas para o mar. Os pólos do disjuntor são
- O reservatório de ar está ligado à unidade de abasteci-
mento de ar comprimido pela válvula de retenção. preenchidos com uma pequena quantidade de gás SF6 (a uma pressão de 0,5 kg/cm 2 ) para o transporte, de maneira a evitar a
- A válvula de segurança está ligada ao reservatório de entrada de umidade de maneira que não seja necessário fazer vácuo antes de completar o gás. A instalação no campo é simples e
ar com válvula de dreno. Válvula de dreno não são necessárias adaptações no local durante o levantamento e a colocação em operação; todos os ajustes são feitos na fábrica
- O ar comprimido gerado pelo compressor é conduzido Válvula de segurança e antes da entrega.
ao reservatório de ar via válvula de retenção. Válvula de retenção.

- A válvula de retenção evita que o ar comprimido den- SUPORTE AO CLIENTE E SERVIÇOS PÓS-VENDA
tro do reservatório de ar retorne ao compressor. Fornecemos soluções para todas as possíveis solicitações técnicas do cliente por meio de nossos engenheiros especializados, que
- A umidade dentro do reservatório de ar é drenada pe- possuem uma larga experiência de campo.
riodicamente pela válvula automática de dreno atuada
pelo temporizador pré-ajustável (opcional). Nossos engenheiros e técnicos de serviços, assim como os representantes autorizados podem fornecer supervisão para montage-
me posta em marcha.
MECANISMO DE OPERAÇÃO MOLA - PNEUMÁTICO
O mecanismo de operação é do tipo mola-pneumático, onde a operação de abertura é feita pela energia pneumática e a operação de
fechamento é feita pela energia da mola, sem um motor para o carregamento da mola (Fig. 3). Este método é muito diferente dos
mecanismos pneumáticos convencionais, que usam a energia pneumática tanto para as operações de abertura como para fecha-
mento. Durante a operação de abertura, a energia pneumática é fornecida por um reservatório de ar na pressão de operação de 15
kg/cm 2. No final da operação de abertura, a mola de fechamento se carrega automaticamente. Cada disjuntor tem seu próprio
compressor independente, evitando assim um sistema de tubulações e ar comprimido que seria exigido pelo projeto de compressor
central. Os disjuntores podem ser transportados e operados em qualquer lugar, sem implicações de infraestrutura. Uma outra
vantagem desse tipo de mecanismo é que já que a energia está envolvida somente durante a operação de abertura, todo o sistema
pneumático opera em pressão única e com um reservatório, aumentando assim a confiabilidade e a forma compacta do disjuntor.
No tipo de fase única com religamento, existe um mecanismo de operação por fase em todos os disjuntores. Todos os três pólos
e os mecanismos associados de operação são interligados eletro-pneumaticamente para garantir uma operação simultânea e
confiável das três fases. No tipo trifásico com auto religamento (disponível em 72,5 kV, 145 kV e 170 kV nominais) um simples
sistema de operação aciona as três unidades de comutação.

FIG. 3
Contato estacionário
Contato estacionário
Came
Contato móvel
Contato móvel
Alavanca
Porta de Rolete
exaustão Gatilho
Pino “A”
Êmbolo Mola A
Êmbolo
Bobina de fechamento
Bobina de parada
Porta de
Gatilho Alavanca anti-bombeamento exaustão
Lingüeta
Válvula cilíndrica
TESTES DE ROTINA
Pino anti-
Haste do
pistão Reservatório de ar
bombeamento Todos os testes de rotina especificados na IEC 56 são realizados nos disjuntores totalmente montados em nossa fábrica. Além dos
Pistão Ar comprimido Ar comprimido Lingüeta de fixação Ar comprimido testes especificados, em conformidade com a IEC, os seguintes testes são realizados em cada disjuntor.
(15 kg/cm 2 ) (15 kg/cm 2 ) (15 kg/cm 2 )
Pistão 1) Teste de estanqueidade de SF6.
Cilindro Cilindro Reservatório de ar
Assento da válvula 2) Teste de estanqueidade do sistema de ar comprimido.
Mola de Haste do pistão
fechamento Amortecedor Mola de fechamento Amortecedor 3) Teste de velocidade e tempos de abertura e fechamento.
4) Teste do sistema pneumático.
POSIÇÃO FECHADA ESTADO ABERTO POSIÇÃO ABERTA 5) Teste dos pressostatos de ar e gás.
O laboratório de testes TRAFO está totalmente equipado com os mais recentes equipamentos para testes como:
SISTEMA DE AR E GÁS FIG. 4 1) Transformador de teste para 500 kV – Controle de Lógica Programável BCM.
Sistema de Gás (Ver Fig. 4) 2) Detector de vazamentos do tipo espectrômetro de massa de alta precisão.
- As três unidades de comutação ligadas por tubulação 3) Analisadores Multicanais para velocidade de operação e corrente das bobinas.
de gás possuem individualmente as válvulas A, B e C. 4) Conjunto de teste de resistência de contatos.
- A tubulação de gás está ligada ao manômetro de gás,
ao pressostato de gás com compensação por tempe-
ratura e porta de alimentação de gás. Porta de
Gás SF 6
Normalmente é testado um disjuntor totalmente montado em 4 horas. Os testes completos do disjuntor antes do embarque
alimentação
- As válvulas de gás A, B e C devem estar normalmente de gás garantem operações sem defeitos no campo e a completa satisfação do cliente.
Tubulação de gás Unidade interruptora
abertas.
- A densidade do gás SF6 é monitorada por pressosta- QUALIDADE E TRATAMENTO SUPERFICIAL
to de gás com compensação por temperatura.
Manômetro Manômetro de ar Todos os componentes importantes e as peças estampadas em chapa de aço são fabricados em máquinas CNC de precisão,
- O carregamento do gás SF6 é possível a partir da por- de gás Pressostato de ar (para
ta de alimentação de gás, com a abertura da válvula de alarme e trava) garantindo uma alta consistência dimensional. Todas as peças que entram em contato com a umidade recebem tratamento de
Pressostato
gás D mesmo na condição energizada. compensado por Pressostato de ar (para válvula passivação com zinco/cobalto. Todas as peças ferrosas expostas são jateadas, galvanizadas por spray, revestidas com primer e
temperatura reguladora do compressor)
Bico de aeração
finalmente pintadas com tinta a base de poliuretano ou tinta epóxi, garantindo excelente acabamento e proteção.
Sistema de Ar (Ver Fig. 4) Carcaça do
mecanismo
Interruptor de parada
de aeração
- O mecanismo de operação está ligado à válvula de con- de operação
Reservatório de ar
TRANSPOTE E INSTALAÇÃO NO LOCAL
trole, ao reservatório de ar, ao manômetro de ar, aos Tubulação de ar Todos os disjuntores são testados na fábrica e, dependendo do tipo, são parcialmente desmontados e acondicionados em unida-
Válvula de controle
pressostatos de ar, ao bico de aeração e ao plugue de des de embalagem, que são posteriormente expedidas. Todos os sub-conjuntos são embalados individualmente para reduzir os
retenção de aeração pela tubulação de ar. Mecanismo
Ar comprimido
de operação
(15 kg/cm 2 ) ricos de danos. Para a exportação, os disjuntores são embarcados em embalagens adaptadas para o mar. Os pólos do disjuntor são
- O reservatório de ar está ligado à unidade de abasteci-
mento de ar comprimido pela válvula de retenção. preenchidos com uma pequena quantidade de gás SF6 (a uma pressão de 0,5 kg/cm 2 ) para o transporte, de maneira a evitar a
- A válvula de segurança está ligada ao reservatório de entrada de umidade de maneira que não seja necessário fazer vácuo antes de completar o gás. A instalação no campo é simples e
ar com válvula de dreno. Válvula de dreno não são necessárias adaptações no local durante o levantamento e a colocação em operação; todos os ajustes são feitos na fábrica
- O ar comprimido gerado pelo compressor é conduzido Válvula de segurança e antes da entrega.
ao reservatório de ar via válvula de retenção. Válvula de retenção.

- A válvula de retenção evita que o ar comprimido den- SUPORTE AO CLIENTE E SERVIÇOS PÓS-VENDA
tro do reservatório de ar retorne ao compressor. Fornecemos soluções para todas as possíveis solicitações técnicas do cliente por meio de nossos engenheiros especializados, que
- A umidade dentro do reservatório de ar é drenada pe- possuem uma larga experiência de campo.
riodicamente pela válvula automática de dreno atuada
pelo temporizador pré-ajustável (opcional). Nossos engenheiros e técnicos de serviços, assim como os representantes autorizados podem fornecer supervisão para montage-
me posta em marcha.
DETALHES TÉCNICOS GARANTIDOS FIG. 1 FIG. 1(a)
DISJUNTOR A GÁS SF6 DE 72,5 - 420 kV (MECANISMO MOLA-PNEUMÁTICO)
UNID. 72.5 kV 123 kV 145 kV 145 kV 170 kV 245 kV 420 kV
1. TIPO DE REFERÊNCIA : - 70-SFM-32A 120-SFM-32A 120-SFM-32A 120-SFM-40A 150-SFM-32A 200-SFM-40A 400-SFM-40A Unidade interruptora

2. TENSÃO NOMINAL : kV 72.5 123 145 145 170 245 420 Contato de arco estacionário
3. RESISTÊNCIA NOMINAL AO :kVp 325 550 650 650 750 1050 1425 Contato estacionário
Bico
IMPULSO ATMOSFÉRICO
4. TENSÃO APLICADA A
FREQÜÊNCIA INDUSTRIAL : kV 160 230 275 275 325 460 520 / 610 Contato de arco móvel Contato móvel Arco
Contato estacionário
Gás SF 6
5. DISTÂNCIA (TOTAL) DE ESCOAMENTO
Contato de arco
SUPERFICIAL : mm 1820 3075 3625 3625 4250 6125 10500 estacionário
6. NORMAS APLICÁVEIS : - IEC 56, BSS 5311 & JEC 181 Porcelana suporte
Haste de isolação
7. TIPO DE MECANISMO : - MOLA - PNEUMÁTICO Contato de arco
móvel - Gás SF6 Bico
8. CORRENTE NOMINAL : A 3150 Haste de operação
Contato móvel
9. SEQÜÊNCIA NOMINAL DE OPERAÇÃO : - O-0.3 seg.-CO-3 min-CO Cilindro
União
10. FREQÜÊNCIA NOMINAL : Hz 50/60 Porta de alimentação de gás sopro

11.DURAÇÃO DO CURTO-CIRCUITO : sec. 3 Alavanca


12.TENSÃO DA BOBINA DE
: V 110/220 V DC 220 VDC
FECHAMENTO/ABERTURA Carcaça do mecanismo de operação Haste Contato fixo
13.CORRENTE DA BOBINA DE 3 A max.a
FECHAMENTO / ABERTURA : A 6 A max. at 110 V DC 220 V DC Válvula de controle Pistão
14.TEMPO NOMINAL DE ABERTURA : ms 60 40
Reservatório de ar
15.TEMPO NOMINAL DE FECHAMENTO : ms 100 120 100 150 Mecanismo de operação
16.CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO- PRINCÍPIO DE COMUTAÇÃO
INTERRUPÇÃO : kA 31.5 40 31.5 40 Pistão Ar comprimido (15 kg/cm 2)

Cilindro
17.CORRENTE DE CURTO-CIRCUITO DE
PICO-FECHAMENTO : kAp 80 100 80 100 Mola de fechamento
Amortecedor
18.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO Unidade de abastecimento
de ar comprimido
DE LINHA E SOBRETENSÃO : A / pu 10 / <2.5 50 / <2.5 63 / <2.5 125 / <2.1 600 / <2.0
19.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
DE CABO E SOBRETENSÃO : A / pu 250 / <2.5 160 / <2.5 315 / <2.5 400 / <2.0 *
20.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
DE BANCO SIMPLES DE : A / pu 250 / <2.5 300 / <2.5 160 /<2.5 315 / <2.5 400 / <2.0 * FIG. 2
CAPACITORES E SOBRETENSÃO
21.CORRENTE DE INTERRUPÇÃO
FORA DE FASE : kA 7.9 10 7.9 10
Unidade de comutação
22.TENSÃO DE PRIMEIRO PÓLO : - 1.5 1.3 Contato de arco estacionário
23.CONTATOS AUXILIARES : - 9 NO + 9 NC 8 NO + 8 NC / PÓLO
Contato estacionário
24.PRESSÃO DE GÁS SF6 (A 20°C)
- NORMAL : Kg/cm2 5.0 6.0 6.0 7.0 6.0 Contato de arco móvel
Contato móvel
- ALARME DE PRESSÃO DO GÁS : Kg/cm2 4.5 5.5 5.5 6.5 5.5
- PRESSÃO DE BLOQUEIO : Kg/cm2 4.0 5.0 5.0 6.0 5.0 Gás SF 6
25.DIMENSÕES
A : mm 1400 1700/2000 1700/2000 2000 2000 4600 6000
B : mm 3065 3365 4003 4003 4003 4605 —
H (SEM RESISTOR DE FECHAMENTO) : mm 4118 4738 5376 5376 5536 6965 8360*
H (COM RESISTOR DE FECHAMENTO) : mm — — — — — — 8760* Haste de isolação
26.PESO Ligação (1)
(COM RESISTOR DE FECHAMENTO) : kg 1650 2000 2000 2200 2000 3900 7950 Haste de operação
Haste (3)
(SEM RESISTOR DE FECHAMENTO) : kg — — — — — — 9600 Ligação (2) Haste (2) Ligação (3)

* COM ESTRUTURA SUPORTE Ligação (4)

Alavanca (4)
Alavanca (3)
Porta de alimentação de gás
Alavanca (2) Alavanca (1)

Haste (1)
Carcaça do mecanismo
de operação
Válvula de
controle
Estrutura suporte.

Mecanismo de operação Reservatório


de ar

Pistão
Ar comprimido
Cilindro (15 kg/cm 2 )
Mola de fechamento

Amortecedor
Unidade de abastecimento
de ar comprimido
Detalhes dimensionais Detalhes do Plano das Fundações
INTRODUÇÃO 3500
Disjuntor 72,5 – 170 kV (1 comutação) Disjuntor 72,5 kV
1220 250
A A
Mais de 9000 Disjuntores de Circuito a Gás SF 6 com tecnologia CGL de até 420 kV foram colocados em serviço em vários 350 500

80
50 520 50
ambientes de muitos países desde 1983, operando de maneira plenamente satisfatória.
1
Nossos sistemas de fabricação e qualidade estão em conformidade com as exigências dos padrões de qualidade e o escopo de

300
1000 540 300

fornecimento da ISO 9001.


Valeta sugerida
SUGGESTED para
TRENCH 40 500 350
2 entrada dos cabos
5 FOR CABLE ENTRY 1400 1400

H
C.L.
TIPO DE DISJUNTORES A GÁS TIPO SFM (72,5 KV A 420 KV) G.L.

B
PHASE A PHASE B PHASE C
Fase A Fase B Fase C

2200
Os disjuntores SFM de fabricação CGL são projetados para estar em conformidade com todos os possíveis fenômenos de 4

comutação. A forte taxa de aumento da tensão de recuperação por um defeito de curto de linha e o alto pico da tensão de
3 Disjuntor 123/ 145 kV 4100

1220 250
recuperação pela comutação fora de fase são solucionadas por meio do interruptor eficientemente projetado, usando o conceito 700
350 500 50 520 50

80
de sopro de fluxo duplo. As pequenas interrupções de corrente, como de comutação de banco de capacitores, comutação de
corrente magnetizantes de transformadores, comutação de corrente de carga de cabo/linha são feitas suavemente sem reigni- Disjuntor 245 kV (1 comutação)

1000

300
540
300
A A
ções, sendo as sobre-tensões mantidas em um mínimo.
SUGGESTED TRENCH
Valeta sugerida para 40 500 350
FOR entrada
CABLEdos cabos

*300
1 ENTRY 1700 1700
CARACTERÍSTICAS C.L.
G.L.
Fase A A
PHASE Fase BB
PHASE Fase CC
PHASE
• Projeto simples e compacto 2
Disjuntor 145 (40 kA) / 170 kV

H
• Folgas de linha à terra de acordo com as especificações do cliente.
3
• Contatos auto-alinhantes para fácil remontagem.

B
2200
• A inspeção / manutenção da unidade de pólo é possível sem a desmontagem do disjuntor. 4

• Os contatos principal e de arco são separados, eliminando assim a possibilidade de erosão dos contatos principais.
• Comutação por camada térmica até o nível de 245 kV. 800

• Materiais de construção resistentes à corrosão.


Disjuntor 420 kV (2 interrupções)
• Operação da unidade pólo isenta de manutenção por 15 a 20 anos em condições normais de operação. 5320
A A
• Fácil içamento. 6 Fase A Fase B Fase C

• Sem ajustes no campo. Disjuntor 245 kV


• Fácil acesso a todas as peças do mecanismo de operação por painéis de abertura frontal e traseira.
• Baixos níveis de ruído operacional.
• Dispositivo para alívio de pressão. CONDUCTOR
Condutor
2 1

H
• Alta capacidade de resistência sísmica - segurança contra terremotos. 7

• Faixa completa testada no CESI, Itália ou KEMA, Holanda.


3
Fase A Fase B Fase C

2230
4
CONSTRUÇÃO E OPERAÇÃO C.L.
800 G.L. Disjuntor 420 kV
1400
Todos os Disjuntores SF6 possuem projeto similar de interruptor. Todos os disjuntores de 72,5 kV a 245 kV são fabricados com
projeto de interruptor de câmara de extinsão de arco simples, os disjuntores de 420 kV são fabricados com interruptores de KEY 4. Reservatório de ar.
dupla câmara de extinsão de arco. Esses disjuntores têm projeto de tanque vivo e empregam ação de sopro para a extinsão de 1. Interruptor. 5. Quadro (para disjuntores com operação tipo gang)
2. Porcelana suporte. 6. Resistor de fechamento (Disjuntor 420 kV).
arco, garantindo uma maior confiabilidade operacional e segurança na transmissão de potência e sistemas de distribuição. 3. Carcaça do Mecanismo de Operação 7. Capacitor de grade
A Fig. 1 mostra a vista em corte de um disjuntor do tipo monofásico - câmara única, enquanto a Fig. 2 mostra o mesmo para um
Detalhes do Plano das Fundações
disjuntor do tipo trifásico - câmara única. A unidade interruptora, preenchida com Gás SF6, é colocada na parte superior do pólo

300
e contém o Contato Fixo, o Bico, guia do sopro, o Contato Móvel, o Cilindro sopro e o Pistão. Durante a operação de abertura,

70
o Contato Móvel juntamente com o Cilindro sopro são abaixados. O Cilindro sopro que se movimenta juntamente com o Contato 200
80

Detalhes do Parafuso de Fundação


25

400
Móvel, comprime o Gás SF6 contra o Pistão Fixo, gerando assim um potente jato de gás SF6 pelo Bico guia do sopro até o arco.

55
400
630

400
M30

400
ANCHOR
Após percorrer uma certa distância, a rigidez dielétrica da abertura é suficiente para suportar à tensão, e assim o arco se BOLT
100
100
extingue. A confiabilidade do sistema é ainda aumentada pelo interruptor de Gás SF6 de fluxo duplo e pressão única, que reduz
M24-ANCHOR BOLT
o número de peças móveis e sistemas auxiliares no disjuntor. O princípio está mostrado na Fig. 1.
420 kV 245 kV 72.5 to 170 kV 72.5 to 245 kV 420 kV
DISJUNTORES DE CIRCUITOS A GÁS SF6
PARA USO EXTERNO [72,5KV A 420 KV]

TECHNOLOGY TO THE FORE

Direção Geral Unidade Hortolândia Unidade de Sistemas


Rodovia RS-20 Km 6,5 Rodovia SP 101 Km 5,5 e Diretoria Nacional de Vendas
Telefone: (51) 489.25.00 Telefone: (19) 3281-13.22 Av. Paulista, 2073 Horsa I 23º andar
(51) 489.25.27 - Exportação Fax: (19) 3281.22.90 Telefone: (11) 251.53.66
Fax: (51) 489.25.01 Cep: 13.185-908 Fax: (11) 3284.25.25
Cep: 94.100-250 - Gravataí-RS Hortolândia SP Cep: 01.311-300 - São Paulo SP
comercial@trafo.com.br trafo@uol.com.br comercial@trafo.com.br

FABRICADO SOB LICENÇA


SWITCHGEAR
C O M P L E X