Vous êtes sur la page 1sur 28
“1 duzido pelo art. 1.° da Lei n. 9.958/2000, para dar interpretac: onforme a Constituigdo Federal, decidindo que as demandas trabal 4S podem ser submetidas ao Poder Judicidirio antes que tenham nalisadas por Comissio de Cone mento do STF, 0 Tribunal Superior do ibém tem decidido no sentido de nio ser ria @ passagem pela Comissdo de Conciliagdo Prévia, conforme lecisdo a seguir transcrita Em sintonia com o ent “Recurso de embargos regido pela Lei 11.496/2007. Submissio da demanda a Comissio de Conciliagio Prévia, Faculdade. A regra inserta o art. 625-D da CLT, que prevé a submissio de qualquer demanda trabalhista as com procedil ois mais presente no extingio do processo sem resolugio d Precedentes da SBD! 10s conhecido € (TST, SBDI-I, B-ED-RR-130600-91.2003.5.02.0465, Rel. Min Augusto César Leite de Carvalho, DEJT 19.03.2010) Por fim, cabe destacar que a Proposta de Emenda & Constituigao 385/205, verescentando 0 art, 116-A, passa a estabelecer em seu caput que: i “A lei criard drglos de conciliagdo, mediagao e arbitragem, sem carder jurisdicional ¢ sem énus para os coftes piblicos, com representagao de trabalhadores © empregadores, que terdo competéncia para conhecer. de confiitos individuais de trabalho e tentar concilié-los, no prazo legal”. rrevistos no caput interrompera a contagem do prazo prescricional do mt 7.2, XIX”. PRESCRICAO E DECADENCIA NO DIREITO DO TRABALHO 00 © preseriedo Indenizage por danos moras @ mates e decorrentes de acidente do trabalho 34.1 CONCEITO ‘A prescrigao torna inexigivel a pretensdo referente ao direito sub- Jetivo material, em razio de inércia do seu titular. Violado o direito subjetivo, o seu titular passa a ter a pretensdo na sua satisfagao; apés o prazo prescricional, essa pretenséio toma-se inexigivel! Nas ligdes de Pablo Stolze Gagliano ¢ Rodolfo Pamplona Filho: “A prescrigio € a perda da pretensdo de reparagdo do direito violado, em virtude da inércia do seu titular, no prazo previsto em lei” (destaques do original)? "CE. PEREIRA, Caio Mério da Silva. Instiuigdes de direito civil. inrocigo ao direito hil teoria geral de direito civil 21. ed, rev. e atul, por Mara Celina Bodin de Moraes, Rio de Janeiro: Forense, 2006. v. 1, p. 682: “O titular de um dieeito subjtiva recebe da 19 mesmo tempo em que o reconhece, estbelece que a pretensdo deve ser 1 ‘em determinado prazo, sob pena de perecer. Pela prescrip, extingue-se a pretensto, nos ‘razos que a lei esiabelece (art. 189 do Codigo de 2002)" (dsiaques do original GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Novo curso de direlto civil pparte geral. 6. ed. Sto Paulo: Sarviva, 2008. v. tp. 498 174 CURSO E OREITO DO TRABALNO = Gusto Apo Butose Garcia - dT Nesse sentido, de acordo com 0 art. 189 do Cédigo Civil de 2002: ado o direito, nasce para o titular a pretensdo, a qual se extingue, pela prescriga 34.2 FUNDAMENTO E NATUREZA JURIDICA principal fundamento do instituto em questo refere-se a necessidade Ge estabilidade © seguranga nas relagdes juridico-sociais'. A prescrig&o, de certo modo, também acaba penalizando a inércia do sujeito quanto a defesa de seu direito Mesmo sendo instituto com natureza de direito material, a preseri- do, normalmente, produz 0s seus efeitos no ambito processual, ou seja, a prescrigio ¢ pronunciada no curso da ago, ajuizada com pedido de satisfagdo do direito material (que se alega) violado’, Desse modo, de acordo com 0 art. 269, inciso IV, do CPC, ha resolugdo do mérito “quando o juiz pronunciar a decadéncia ou a pres- crigdo” (redagdo determinada pela Lei 11.232/2005). Isso explica 0 tratamento de certos aspectos da matéria em questio no ambito do Cédigo de Processo Civil, com repercussdes, ainda, no Direito Processual do Trabalho (art. 769 da CLT), 34.3 DISTINCAO ENTRE DECADENCIA E PRESCRIGAO A doutrina mais tradicional entendia que a prescrigo representava a “extingdo de uma ago ajuizével (actio nata), em virtude da inércia >” Ch. NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Céaigo Civil comentado + 2005, p, 286: “Preserpfo. Conceito. Causa de pretensdo de direito material pelo seu ndo exercicio no prazo estipulado ‘0 dar como objeto da prescrigdo a pretensio de Mateus da, Estudo eritco da prescrigdo trabathista, 2003 lade de Direito da Universidade de Sto Paulo, jode resumir todo 0 avango obtido nos iltimos séeulos Sobre a matéria: a necessidade de seguranga nas relagdes juridicas, ou, de mancira mais abrangente, a necessidade de pacificaydo das relagées sociais™ * CL MARTINS, Sergio Pinto. Comentirias @ CLT. 10. ed. Sto Paulo: Atlas, 2006. p. im como a decadéncia, é tema de direto material e nio de direito ‘efeitos processuais, ito é, sua ope- fo que € previsto em normas ‘no Cdigo Penal, no Cédigo curso de prazo, ta "econbeenont dy peseilo “Sete ‘Enetant atse de eto Ma Seah tobe dicta material, como no Codigo Ci SERSASU Gee Te nfo no CPC. A preci env rent atividade do jiz0 ow das pte 1 © Drocean conn __£ep. 34 PRESCRIGAO DECADENCIANO OIREITO D0 TRABALHO as continuada de seu titular durante certo lapso de tempo, na auséncia de causas preclusivas de seu curso”. Jaa decadéncia, nessa visto mais antiga, referia-se a extingdo do proprio direito material. Na realidade, atualments tensdo de natureza conden da respectiva ago judicial’ As agées declaratorias nao estio sujeitas, em principio, & prescrigo, ¢ as abSes constitutivas com prazo previsto em lei para seu ajuizamento estio sujeitas, quanto ao direito potestativo a ser exercido, a decadéncia’ Os prazos de natureza prescricional podem ser suspensos e interrom- pidos (uma vez, conforme art. 202, caput, do CC/2002), de acordo com 0s atts. 197 a 204 do Cédigo Civil em vigor, merecendo destaque, ainda, a Simula 268 do TST’, o paragrafo nico do art. 10 da Lei 5.889/1973 € 0 art. 440 da CLT®, bem como o art. 625-G, da CLT". entende-se que a prescriefo atinge a pre- ia, a ser normalmente exercida por meio LEAL, Cimara. Da prescrigdo e da decadéncia 3 ed. Rio de Sancito: Forense, 1978. p. 12. * CE. NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Cdigo Civil comentado € a Presongdo. Quando a de preserigdo. Nasce a ma prestopdo do devedo + CE AMORIM FILHO, Agnelo, Critri cis © identifica as ag6es eis. Revista dos Tribunais, Sto Paulo, RT, n. 300, p. 7 * Simuls 268 do TST: Interrupeio. Agio wabalhist aquivada A agio ua- bualhista, ainda que arquivada, interrompe a prescri¢io somenie em relagio aos pedidos idénicos” (redagao determinada pela Resolugdo 121/203) “Art. 440. Contra 0s menores de 18 (dezoite) nos nio corre neahum prazo de preserigio” CE, MARTINS, Sergio Pinto. Coment 368: "O menor a que se refere ‘a CL e a Lel5,H59 & o menor cameo ¢ nfo 0 menor Rethien, sxtessor do ern ‘em relago aos menores de 16 anos que forem herdetzos (art. 3°, 'Na jurisprudéncia, cf. 2 seguinte decsio. “Embargos anteriores 3 ainda era menor de 16 anos, nlo E-ED-RR 61349/2002-900- aso de Co seu ajuizamento, por si s6, TESTOMPE © prazo prescricional, em r4z40 da inaplicabilidade do § 2° SPA 219 do, CPC, que impde ao autor ds aso 0 Gnus de promover cit rea, por scr cle incompativel com 0 disposto no art. 84] da CLI” (DEJT 09.06.2010). “pee 4a vontade das partes, subordina negéc futuro © ancerto (ant. 121 do CC/2002), Isso ndo se ou interrupso do contrato de trabalho, decorrente de acidente do traba- Iho, pois 0 direito subyetivo, pertinente 4 respectiva indenizago, no se ‘encontra sujeito 3 qualquer evento futuro e incerto (condig&o suspensiva), AE porque j4 existe desde a lesio ao dircito do trabalhador acidentado, podendo ser protamente postulado em juizo. Nesse sentido pode ser destacada s seguinte decisio, “Embargos. Ausilio-doenga. Suspens$o do prazo prescricional. Sus- penso 0 contrato de trabalho, em virtude de o empregado haver sido acometido de doengs profissional, com percepsdo de auxilio-docaga, ilo se pode afirmar que ocorra, igualmente, & suspensio do fluxo rescricional, porque este hipitees nfo esté contemplada no art. 199 do Codigo Civil, como causa interruptiva ow suspensiva do instituto va frustrads de conciliago ov do gogotamento do praco previsto no at A hatureza decadencial wmbém se fae presente no prazo de dois anos (@ contar do trénsito em julgado) para © ajwizamento de acto Fescisoria (art. 495 do CPC, cic o at. $36 da CLT), até porque visa a Conforms o art. 204, 9 |". do CCU, + memupete da prescri¢so sfetunds come 6 devedor solidi envolve og tema ¢ seus Nendsiton Aplicarse e880 fayse 0 Ambit CE Soman 62 do FST “Abacus de amprogo. © prazo de decadénca do dso do mpreyador do quis aguério cin fave Jo pregado que icorte em abandone de emprege ¢ comtale & pair do mosncnio sm. que o empregade preterden tu Fetoro 20