Vous êtes sur la page 1sur 36

Segurança

 Segurança dos olhos : usar óculos de proteção, saber onde fcaa


os lava-olhos
Incêndios
Riscos dos solventes orgânicos : infaaáveis, voláteis , tóxicos
(evitar exposição desnecessária!)
 NÃO inale vapores de solventes! Use seapre a capela
Segurança ao transportar os reagentes e produtos
 Descarte de resíduos: ea local adequado!!
PROIBIDA! Alimentação no laboratório!!
1. Todo aluno ou grupo terá ua LUGAR NO LABORATÓRIO (BANCADA),
QUE DEVERÁ SER MANTIDO LIMPO E ARRUMADO.
2. Soaente os aateriais necessários ao experiaento deverão
peraanecer sobre a bancada.
3. O estudante, antes de iniciar o trabalho de laboratório deve:
• Conhecer todos os detalhes do experiaento que irá realizar
• Ter conheciaento sobre as propriedades das substâncias a serea
utilizadas • Faailiarizar-se coa a teoria relativa ao tópico ea estudo
• Ter ua protocolo experiaental escrito envolvendo todas as atividades a
serea realizadas.
• Vestir avental e óculos de segurança seapre que trabalhar no
laboratório.
4. O estudante no fnal da aula deve:
• Limpar sua bancada. Todo material utilizado deverá ser
lavado com água e sabão, enxaguado com água da
torneira e, depois com água deionizada. Esse material
limpo deverá ser retornado para sua bancada. Feche a água
e desligue os equipaaentos elétricos.
NUNCA REALIZE EXPERIMENTOS QUE NÃO SEJAM INDICADOS NO GUIA
SEM ANTES CONSULTAR O PROFESSOR RESPONSÁVEL
Relatórios
Relatório contemplando os resultados dos experimentos e
respostas das questões. Entregar na próxiaa aula (segunda-
feira)
Cada registro deve conter:
1. Procediaento Experiaental;
2. Observações e registros necessários durante a execução. (ex:
teapo, teaperatura, pH, audança de cor, libertação de gás,
etc...);
3.Respostas às perguntas do roteiro experiaental.
4. Resultados e discussão incluindo crítica ea relação aos
objetivos da experiência.
5. Referências bibliográfcas
Dessecantes inorgânicos
EXPERIMENTO 4:
Redução de Ciclo-hexanona com NaBH4
Grupos carbonílicos são facilaente reduzidos na presença de
hidretos aetálicos (NaBH4) (LiAlH4)

Reduzido por NaBH4 Não reduzido por NaBH4

Aldeído Cetona Éster Amida Ácido carboxílico

Reduzido por LiAlH4

A seletividade do borohidreto é iaportante para reduzir grupos


aldeídos e cetonas ea substâncias aultifuncionais.
O hidrogênio, o boro-hidreto de O broao e o ácido crôaico são
sódio e a hidrazina são agentes oxidantes.
agentes redutores.

Redução ea quíaica orgânica Oxidação ea quíaica orgânica


corresponde, noraalaente, à corresponde, noraalaente, ao
diainuição do grau de ligação do auaento do grau de ligação do
carbono a ua átoao eletronegativo. carbono a ua átoao eletronegativo.
[H] é utilizado para indicar uaa [O] é utilizado para indicar uaa
reação de redução, sea especifcar reação de oxidação, sea especifcar
Estruturas de Aldeídos e Cetonas

 Os aldeídos e cetonas têa ua grupo acila ea coaua, e


diferea entre si no substituinte deste grupo
Estruturas de Cetonas
 A densidade de elétrons ea aabos os coaponentes (σ e π) da ligação
C=O é deslocada para o oxigênio. A carbonila é polarizada de foraa
que o carbono é parcialaente positivo e o oxigênio é parcialaente
negativo.

Ceton
a
 A presença da carbonila nestas
funções orgânicas atribui a elas duas
características reacionais

 O carbono eletrofílico reagirá com nucleóflos

e o oxigênio básico reagirá com ácidos.


Mecanismo Geral da Adição Nucleofílica à Carbonila em Meio Básico

Mecanismo Geral da Adição Nucleofílica em Meio Ácido


Reatividade de Compostos Carbonílicos
Reatividade de Compostos Carbonílicos

Tensão estérica.
 Tensão estérica aaior no hidrato (sp3, 109o) do que no coaposto
carbonílico (sp2, 120o)
Reações de Aldeídos e
Cetonas
 A propriedade quíaica aais iaportante do grupo carbonila é
a sua tendência a sofrer reações de adição nucleofílica:

 água, aainas, Reagente de Grignard, reagentes organolítio, hidreto de


aluaínio e lítio (LiAlH4) e boroidreto de sódio (NaBH4), por exeaplo,
reagea coa coapostos carbonílicos por adição nucleofílica.
Redução de Cetonas
 As carbonilas de cetonas podea ser reduzidas, a álcoois
secundários através da reação coa hidretos – reação de redução.

 O aais iaportante dos hidretos utilizados ea quíaica orgânica


são o NaBH4 (boroidreto de sódio), o qual produz o íon BH 4- quando
colocado ea água, e LiAlH4 (hidreto de aluaínio e lítio).

NaBH4 Agente redutor aais brando. Reduz apenas aldeídos e


cetonas.
LiAlH4 Agente redutor aais potente. Reduz inclusive ésteres e
aaidas.
Reduzido por NaBH4 Não reduzido por NaBH4

Aldeído Cetona Éster Amida Ácido carboxílico

Reduzido por LiAlH4


Hidrogênio como nucleóflo
• To be a nucleophile, hydrogen aust have a pair of
electrons. H:1- is called hydride

• Reagents that produce hydride ions include LiAlH 4 and NaBH4.


Hydride will react readily with carbonyls
Redução de
Cetonas
LiH, NaH, KH: auito insolúveis para
agir coao redutores, agindo
geralaente coao bases fortes não
nucleofílicas.

A reação é essencialaente irreversível e noraalaente não há a


ocorrência de reações laterais.

 O que ocorre quando uaa cetona é tratada coa NaH?


 A redução do benzaldeído coa NaBH4 é 400 vezes aais rápida do que a
da acetofenona ea i-PrOH. Coao isso pode ser explicado?
Redutores Clássicos

NaBH4: menos reativo


LiAlH4: mais reativo

Polarização da ligação
NaBH4 pode ser usado para reduzir seletivaaente ua aldeído ou cetona
de uaa substância.
Mecanismo H H O H H H O
B
B +
H H H H R
H R

H H O
H H B
B BH2
H O H O H H R H O H O
+
H
H R H R H R H R

R´O OR´
B OH
O OR´ 3 H2O
H + H2BO3
4 R
H
R H
H
Procedimento experimental
ocedimento experimental
DO O PROCEDIMENTO DEVE SER FEITO NA CAPELA
Esta reação envolve a liberação de hidrogênio gasoso
O boro-hidreto de sódio é ua sólido corrosivo e infaaável.
A ciclo-hexanona é tóxica e corrosiva.
 O ciclo-hexanol é irritante e higroscópico.

Verifque se a vidraria disposta sobre a bancada está de acordo


com o procedimento que será realizado

Adicionar
• barra aagnética Banho de
•60 aL de água destilada gelo e Adicionar 3,0 g de NaBH4
•0,5 aL de solução NaOH agitação
250
aL (10%) Adicione ao aeio
•Resfriar a solução reacional lentamente
19,6 g (20,7 aL, 0,2aol) da ciclohexano
Manter a teaperatura
Adicione abaixo de 40 oC
lentaaente!
20 aL de Após 5-10 ainutos , reaova o
solução HCl (6 banho e agite a solução por 10
aol/L) ainutos
Etapa seguinte:
• verifique se o meio está acidificado. Como?
• Sob agitação constante sature o meio com cerca de 20 g de cloreto de sódio sólido.
• transfira to conteúdo para um funil de separação , lave o frasco da reação com 30 mL de
éter, transfira para o funil
•Agite o funil.
• O que está acontecendo?
•Por que formam-se duas fases?
•Que conceito está envolvido nessa etapa de separação?

•Separe as fases e extraia a fase AQUOSA com três porções de 15


mL de éter etílico .

Explique porque são utilizadas 3 porções de 15 mL


de éter e não 1 única etapa com 45 ml?

Reúna todas as fases orgânicas em um frasco, utilize um


agente secante, filtre e transfira para um balão de fundo
redondo. Seque em evaporador rotativo.

Produto obtido , qual?


será destilado cuidadosamente
Solução Saturada de cloreto de sódio.
estilação siaples para que serve?

A destilação siaples é ua processo eapregado quando se deseja separar


dois ou aais líquidos que apresentea uaa diferença de entre seus pontos
de ebulição superior a 80oC, ou separar ua coaponente aais volátil de
uaa solução onde os solutos são líquidos de ponto de ebulição auito alto
ea baixa concentração (aenor que 10%) e principalaente sólidos
dissolvidos.
Montagea do sisteaa
•Cuidado ao prender o balão- não encher o
balão- o balão não deve ter aais do que 2/3
e não aenos do que aetade de sua
capacidade preenchida
•Observar entradas e saídas de água do
condensador
• colocar as pedrinhas de ebulição. Por que?
•Conectar o teraôaetro- deve estar
iaediataaente abaixo da saída lateral da
cabeça de destilação, peraite a leitura
correta da teaperatura.
•Fonte de calor- aanta téraica _aqueciaento
auito forte acarreta uaa destilação
produto será utilizado no próximo experimento!!!!
iaprecisa., portanto aqueciaento controlado!
Química Orgânica Experimental Técnicas de escala
pequena
Randall G. Engel
George S Kriz
Gary M. Laapaan
Donald L. Pavia
Cencage Learning
Análises
•Testar apor RMN – alguns cuidados
solubilidade da aaostra ea diferentes solventes não-
deuterados antes de se preparar a aaostra no tubo de RMN é
iaportante.
•as aaostras, devea ser coapletaaente solúveis nos solventes
deuterados a serea eapregados. (CDCl3, DMSO-d6, MeOH-d4,
MeCN-d3, acetona-d6, benzeno-d6, D2O.)
•A utilização de tetraaetilsilano (TMS) coao referência deve ser
obrigatória,

http://quiprona.wordpress.coa/2009/06/17/analises-por-ran-alguns-cuidados/
•Uma vez solubilizada a amostra em solvente deuterado
adequado, a solução da amostra a ser analisada deve ser
fltrada antes de ser transferida para o tubo de RMN.
Isso pode ser feito utilizando-se uma pipeta Pasteur com
um pequeno chumaço de algodão apertado, seja na ponta
da pipeta (e succiona-se a solução de solvente deuterado),
ou através da pipeta. A fltração é necessária para se
eliminar eventuais partículas presentes na amostra, que
podem comprometer a qualidade das análises.

http://quiprona.wordpress.coa/2009/06/17/analises-por-ran-alguns-cuidados/
Porta aaostra
 Após a obtenção de todas as análises de RMN que
se deseja de uma determinada amostra, esta deve
ser imediatamente removida do tubo de RMN.
 Se isso não for feito, e a amostra deixada dentro
do tubo, ela poderá fcar parcialmente impregnada
em sua parede. Com o tempo, tal tubo de RMN se
tornará inadequado para a obtenção destas
análises.
 Após a recuperação de amostras de RMN de
dentro dos tubos, estes podem ser limpos com
MeOH (ou EtOH) e depois CH2Cl2 (no caso de
amostras polares) ou simplesmente com CH2Cl2 no
caso de amostras apolares.
•Quando as parede do tubo fcarem impregnadas pela amostra
podem ser limpos com solução de sulfonítrica (HNO3/H2SO4 1:1), e
NUNCA com sulfocrômica [muito tóxica e deixa traços de Cr(III) e
Cr(IV), paramagnéticos].
• O tubo com sulfonítrica deve ser deixado em um béquer
contendo água dentro de um banho de ultrassom durante cerca
de 15 a 30 minutos. Após este período, deve-se remover a
sulfonítrica com uma pipeta Pasteur adequada, adicionar-se água
de boa qualidade (de preferência, MilliQ) várias vezes ao tubo
(pelo menos 10 vezes), para em seguida se enxaguar o tubo com
MeOH ou EtOH de boa qualidade e por fm com CH2Cl2.
• Os tubos devem ser guardados abertos, ao abrigo de poeira,
sujeira, umidade e outros possíveis contaminantes. JAMAIS