Vous êtes sur la page 1sur 63

Como manejar adequadamente seu solo e suas adubações

Gestão da fertilidade do solo no


sistema soja e milho
Eng. Agro. Renato Roscoe
PhD Solos e Nutrição de Plantas
Superintendente do CREA-MS
Gestão da fertilidade do solo no sistema soja e milho
Buscaremos responder a duas questões:

Quais são as necessidade nutricionais das plantas de soja


e de milho para o seu ótimo desenvolvimento?

Como manejar a fertilidade do solo para atender essas


necessidades?
Gestão da fertilidade do solo no sistema soja e milho
Buscaremos responder a duas questões:

Quais são as necessidade nutricionais das plantas de soja


e de milho para o seu ótimo desenvolvimento?

Como manejar a fertilidade do solo para atender essas


necessidades?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?
Quais são as necessidade nutricionais da planta de SOJA para um máximo
desenvolvimento?

Resende (2013)

61,3 13,3 19,9 Dez materiais (2.800 a 4.000 kg/ha), Kurihara et al. (2013)
Mato Grosso do Sul
Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

Rápida Absorção Número Número de Enchimento


K>N>P de Grãos/Fileiras de Grãos
Enraizamento Fileiras K>N>P P>N
Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

Acúmulo de matéria
seca no milho

(Ritchie et al. 2003)


Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

(Ritchie et al. 2003)


Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

(Ritchie et al. 2003)


Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

(Ritchie et al. 2003)


Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILHO para um máximo
desenvolvimento?

Nutriente Extração Exportação Exportação


/Extração (%)
-------------- kg t-1 de grãos -----------
N 24,9 15,8 63
P2O5 9,8 8,7 89
K2O 21,8 5,8 26
Ca 3,9 0,5 12
Mg 4,4 1,5 36
S 2,6 1,1 45

Fonte: Pauletti (2004)


Quais são as necessidade nutricionais da planta de MILIHO para um máximo
desenvolvimento?

Resende (2013)

12,5 – 15,6 4,1 – 4,2 3,4 – 3,5 Híbridos modernos de alta Silva (2016)
produtividade (11.000 kg/ha),
milho verão
Gestão da fertilidade do solo no sistema soja e milho
Buscaremos responder a duas questões:

Quais são as necessidade nutricionais das plantas de soja


e de milho para o seu ótimo desenvolvimento?

Como manejar a fertilidade do solo para atender essas


necessidades?
Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?

Adubação de Adubação de Adubação de


Correção Manutenção Reposição
(Solo e Planta) (Solo e Planta) (Planta)
100%
90%

70%

50%

Muito Baixo Médio Alto Muito


Baixo Alto

Construção Consolidação Balanço


Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?

Adubação de Adubação de Adubação de

Correção: Construção da Fertilidade do Solo


Correção Manutenção Reposição
(Solo e Planta) (Solo e Planta) (Planta)
100%
90%

70%

 Correção da acidez e condicionamento de perfil;


50%

 Perda inicial de matéria orgânica do solo; Muito


Baixo
Baixo Médio Alto Muito
Alto

Construção Consolidação Balanço

 Balanço negativo de N;
 Cuidados com a inoculação risóbios em leguminosas (população baixa ou ausente);
 Alta capacidade de adsorção específica de P;
 Baixos teores de Ca, Mg e K;
 Micronutrientes: variável com material de origem e histórico da área; em geral B e
Zn necessitam correção;
Calagem e correção da acidez e alumínio trocável

Importante:
Não se
recomenda o
plantio do milho
safrinha em áreas
não corrigidas!
Calagem e correção da acidez e alumínio trocável

Solos Arenosos: - Baixa CTC (entre 2,5 – 4,5 cmolc dm-3)


Adubação de Adubação de Adubação de 2,92
Correção
(Solo e Planta)
Manutenção
(Solo e Planta)
Reposição
(Planta)
= 0,65
100% 4,50
90%

70%

50% V2 = 65%
V2 = 70%
Muito Baixo Médio Alto Muito
Baixo Alto

2,00
Ca++
0,80
Mg++
0,12
K+
2,92 cmolc dm-3
Gessagem: condicionador do perfil do solo

Necessidade de Gesso
20 – 40 cm
Alumínio > 20% SB
DG = 50 x Arg %
Saturação Ca < 60%
Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?

Adsorção Específica de P: Tamanho do Problema!


Cálculo de quantidade necessária de P2O5 (kg/ha) para neutralizar um solo com capacidade máxima de
adsorção de P (CMAP) de 1,0 mg g-1 (considerando densidade de 1 kg dm-3 e 0 – 20 cm de profundidade).

1.000 mg dm-3 2.000.000.000 mg dm3


2.000.000 g dm3
10.000 m2 2.000 kg dm3
x 0,20m
2.000 m3 P2O5 P
2.000.000 dm3 (2 x 31) + (5 x 16) (2 x 31)
62 + 80
142 62
x 2.000
X = 2.000 x 142/62 = 4.580 kg P2O5
Cerca de 11 t de Superfosfato Triplo
Manejo do Fósforo

Correção: adsorção de P e fosfatagem corretiva


80
Com 300 kg de P2O5/ha já
se atingiu o nível crítico!
70
Produtividade de Soja (sc ha-1)

60 90%

50

Fosfatagem 0 kg ha-1
40
Fosfatagem 100 kg ha-1
Fosfatagem 200 kg ha-1
30
32 55 87 Fosfatagem 300 kg ha-1

20
0 45 90 135 180
Dose de P (kg ha-1)

Resposta da soja (BMX potência) à fosfatagem e doses crescente de P no sulco de plantio,


em um Latossolo Vermelho distroférrico, muito argiloso, Maracaju-MS (Fundação MS,
2013, dados não publicados)
Manejo do Fósforo

Correção: adsorção de P e fosfatagem corretiva


Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?

Manutenção: Consolidação da Fertilidade do Solo 100%


Adubação de
Correção
(Solo e Planta)
Adubação de
Manutenção
(Solo e Planta)
Adubação de
Reposição
(Planta)

Reposição: Balanço de Nutrientes 90%

70%

50%

 Manutenção do pH e teores de Ca e Mg: aplicações de calcário e gesso em superfície;


 Matéria orgânica do solo em elevação e balanço de N positivo: manutenção do aporte de Muito
Baixo
Baixo Médio Alto Muito
Alto

resíduos; Construção Consolidação Balanço

 Re-inoculação diazotróficos em leguminosas (perda de eficiência das populações dominantes);


 Baixa capacidade de adsorção específica de P: maior eficiência de uso dos fertilizantes
fosfatados;
 Teores de K atingem níveis altos;
 Micronutrientes: exaustão de alguns elementos e possíveis desbalanços.
 Processos de compactação!!
Calagem e correção da acidez e alumínio trocável

Manutenção do pH e teores elevados de Ca e Mg: aplicação 100%


Adubação de
Correção
(Solo e Planta)
Adubação de
Manutenção
(Solo e Planta)
Adubação de
Reposição
(Planta)

90%

superficial de calcário 70%

50%

Por que é difícil a migração de Muito Baixo Médio Alto Muito

calcário em profundidade? Baixo

Construção Consolidação
Alto

Balanço

 Baixa solubilidade;
 Perda do ânion acompanhante – CO2

Mecanismos envolvidos na movimentação de calcário em


profundidade:
 Partículas em suspensão – infiltração macroporos;
 Deslocamento mecânico pela ação da plantadora;
 Bioturbação – mistura do solo pela ação dos organismos do solo.
Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?

45 cm
Como manejar a fertilidade do solo para atender essas necessidades?
Compactação!
Balanço de Nutrientes
Balanço de Nutrientes
Adubação de Adubação de Adubação de
Correção Manutenção Reposição
(Solo e Planta) (Solo e Planta) (Planta)
100%
90%

70%

50%

Muito Baixo Médio Alto Muito


Baixo Alto

Construção Consolidação Balanço


Balanço de Nutrientes

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes
Adubação de Adubação de Adubação de
Correção Manutenção Reposição
(Solo e Planta) (Solo e Planta) (Planta)
100%
90%

70%

50%

Muito Baixo Médio Alto Muito


Baixo Alto

Construção Consolidação Balanço


Balanço de Nutrientes

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes

 Deposição Atmosférica
 Fixação Biológica de N
 Solubilização de Minerais Primários
Balanço de Nutrientes

 Estoques Originais
 Histórico da Área
Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes

Ferramentas Indicadores
Análise de Solo Níveis dos Nutrientes no Solo
Balanço de Nutrientes

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes

Ferramentas Indicadores
Medições de aplicações Dose Aplicada (kg/ha ou t/ha)
Balanço de Nutrientes

Volatilização
 Erosão
 Lixiviação
 Adsorção Específica

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes
Balanço de Nutrientes
Correção da Fertilidade do Solo
Volatilização

Volatilização Volatilização
Volatilização
Adsorção Adsorção Adsorção
N Erosão Específica P Erosão K Erosão
Específica Volatilização EspecíficaVolatilização
Adsorção Lixiviação
Adsorção Lixiviação
N Erosão Adsorção
P Erosão K Erosão
Específica Específica Específica Lixiviação
Volatilização Lixiviação
Manutenção e Reposição da Fertilidade do Solo
Lixiviação
Lixiviação
Volatilização Volatilização
Volatilização
Adsorção Adsorção Adsorção
N Erosão P Erosão
EspecíficaVolatilização K Erosão
Específica EspecíficaVolatilização

Adsorção Lixiviação Adsorção Lixiviação Adsorção


N Erosão P Erosão K Erosão
Específica Específica Específica Lixiviação
Lixiviação
Lixiviação
Lixiviação
Balanço de Nutrientes
Volatilização
 Erosão
 Lixiviação
 Adsorção Específica

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes

Ferramentas Indicadores
Estimativas de Perdas Taxa de Eficiência de Uso do Fertilizante
(% da dose aplicada)
Balanço de Nutrientes

Estoques
Atuais Perdas de
Nutrientes
(V.E.L.A)
BALANÇO DE Processos Naturais
NUTRIENTES de Suprimento
NO SOLO Exportação pelas
Culturas
Fornecimento via
Fertilizantes

Ferramentas Indicadores
Medições de produção Produtividade (kg/ha ou sc/ha)

Análise de Grãos Teores de Nutrientes nos Grãos (g/kg)


Exportações nos Grãos (kg/ha)
Resumo: Balanço de Nutrientes
Componentes Ferramentas Indicadores

Estoques Iniciais Análise de Solo Níveis dos Nutrientes no Solo

Fornecimento via Fertilizantes Medições de aplicações Dose Aplicada (kg/ha ou t/ha)

Perdas de Nutrientes (V.E.L.A.) Estimativas de Perdas Taxa de Eficiência de Uso do Fertilizante (%


da dose aplicada)
Exportação pelas Culturas Medições de produção Produtividade (kg/ha ou sc/ha)

Análise de Grãos Teores de Nutrientes nos Grãos (g/kg)

Dose a ser
Aplicada em SPD Exportação Eficiência de
Consolidado Esperada (kg/ha) Utilização (%)
(kg/ha)
 Produtividade Esperada (Kg/ha)
 Taxa de Exportação (g/kg)
Resumo: Balanço de Nutrientes
Componentes Ferramentas Indicadores

Estoques Iniciais Análise de Solo Níveis dos Nutrientes no Solo

Fornecimento via Fertilizantes Medições de aplicações Dose Aplicada (kg/ha ou t/ha)

Perdas de Nutrientes (V.E.L.A.) Estimativas de Perdas Taxa de Eficiência de Uso do Fertilizante (%


da dose aplicada)
Exportação pelas Culturas Medições de produção Produtividade (kg/ha ou sc/ha)

Análise de Grãos Teores de Nutrientes nos Grãos (g/kg)

Dose a ser
Aplicada em SPD Exportação Eficiência de
Consolidado Esperada (kg/ha) Utilização (%)
(kg/ha)
Balanço de Nutrientes: Manejo do Fósforo
Taxa de recuperação de P em função do sistema de cultivo de soja e miilho e da fase
de consolidação do sistema, em Latossolo muito argiloso, com teor inicial muito baixo
(doses de 80 kg ha-1 ano-1de P2O5).

Sistema de Intervalo de P Aplicado P Exportado Taxa de


Preparo Tempo Fertilizante nos Grãos Recuperação
Considerado (kg ha-1 P2O5) (kg ha-1 P2O5) de P
(%)
Convencional 1 a 15 (15) 1.200 662 55
8 a 15 (8) 640 509 80
14 e 15 (2) 160 135 84

SPD 1 a 15 (15) 1.200 712 59


8 a 15 (8) 640 556 87
14 e 15 (2) 160 150 94

Fonte: Sousa et al. (2010)


Balanço de Nutrientes: Manejo do Fósforo

Decisão sobre o melhor local!


 Aplicação a lanço ou no sulco de plantio?
Balanço de Nutrientes: Manejo do Fósforo

Exemplos de áreas com aplicação em sulco: evitar estresse hídrico

P (mg dm-3 ) P (mg dm-3 )


Profundidade 0 10 20 30 40 50 0 10 20 30 40 50
(cm) 0 0
20% 52%
5 5
17% 25%
10 10

15 49% 15 20%

20 20

25 25

30 14% 30 3%
35 35
Naviraí
40 40
15% argila
45 Sulco 45
Balanço de Nutrientes: Manejo do Potássio

Áreas de abertura ou solos com K muito baixo a


Tabela 10. Recomendação da quantidademédio
de fertilizantes a serem aplicadas para a adubação
de potássio corretiva total e gradual.
Balanço de Nutrientes: Manejo do Potássio

Sistema Plantio Direto consolidado com K adequados a


altos a serem aplicadas para a adubação de
Tabela 11. Recomendação da quantidade de fertilizantes
potássio corretiva total e gradual.

60% de
1 tonelada de grãos = 6 kg ha-1 K2O recuperação
Balanço de Nutrientes: Manejo do Potássio

Solos Arenosos: - Baixa CTC (entre 2,5 – 4,5 cmolc dm-3)


0,12
Adubação de
Correção
Adubação de
Manutenção
Adubação de
Reposição
= 0,05
100%
(Solo e Planta) (Solo e Planta) (Planta) 2,50
90%

70% K(%) = 5%
50%

0,12
= 0,03
4,50
Muito Baixo Médio Alto Muito
Baixo Alto

2,00
0,80
Ca++ K(%) = 3%
Mg++
0,12
K+
2,92 cmolc dm-3
Balanço de Nutrientes: Manejo do Potássio

Fotos: Eng. Agro. Paulo Bozoli – Jardom - MS


Balanço de Nutrientes: Manejo do Nitrogênio

78% do Ar
95% na matéria
orgânica do solo
Balanço de Nutrientes: Manejo do Nitrogênio

Fixação Biológica Fertilizantes


Aplicados
95% na matéria N disponível
orgânica do solo no Solo
Planta
Cultura anteriores
(soja) Perdas
Balanço de Nutrientes: Manejo do Nitrogênio

• 3 tonelada de soja (50 sc ha-1) = 250 kg ha-1 de N (63% grãos);

• Se não houvesse inoculação: Ureia (45%) = 555 kg ha-1;

• Dose de arranque: até 20 kg ha-1 de N.

Fixação biológica do nitrogênio: Bradyrhizobium

• Doses de inoculante (líquido ou turfa):


• áreas de abertura (2 a 3 doses) e áreas tradicionais com cultivo de
soja (1 dose).
Balanço de N sistema soja/milho: solo argiloso

Balanço Soja: 60 sc = 3.600 kg de soja

Extração = 300 kg de N/ha Exportação = 185 kg de N/ha


Fixação Biológica (80%) = 240 kg N/ha Fixação Biológica = 240 kg N/ha
Retira do Solo = 60 kg N/ha Balanço Positivo = 55 kg N/ha

20 kg de N liberado por ano para cada 1% de MOS (Coelho et al. 2008)

Balanço Milho:
100 sc = 6.000 kg de milho safrinha

Extração = 150 kg de N/ha


Fixação Biológica (residual soja) = 55 kg N/ha
Decomposição da MOS (25 g dm-3) = 50 kg N/ha
Balanço Negativo ~ 45 kg de N/ha
Balanço de N sistema soja/milho: solo arenoso

Balanço Soja: 50 sc = 3.000 kg de soja

Extração = 250 kg de N/ha Exportação = 150 kg de N/ha


Fixação Biológica (80%) = 200 kg N/ha Fixação Biológica = 200 kg N/ha
Retira do Solo = 50 kg N/ha Balanço Positivo = 50 kg N/ha

20 kg de N liberado por ano para cada 1% de MOS (Coelho et al. 2008)

Balanço Milho:
100 sc = 6.000 kg de milho safrinha

Extração = 150 kg de N/ha


Fixação Biológica (residual soja) = 50 kg N/ha
Decomposição da MOS (15 g dm-3) = 30 kg N/ha
Balanço Negativo ~ 70 kg de N/ha
Manejo do Nitrogênio: Milho Safrinha

CTCTotal
12,8 cmolc dm-3
13,2 cmolc dm-3
10,8 cmolc dm-3
10,2 cmolc dm-3
4,3 cmolc dm-3
Manejo do Nitrogênio: Milho Safrinha

Aplicação: Maior Expectativa de Produtividade (sc/ha)


Nutriente 120 140
V2-V4 Necessidade
kg/ha de N
de N: Extração Exportação Extração Exportação
N
V6-V8 179,0 114,0 210,0 133,0

Suprido pelo solo:


80 a 100 kg de N/ha

100 a 120 kg 110 a 130 kg


- 50 kg Plantio - 50 kg
50 a 70 kg Cobertura 60 a 80 kg
Balanço de Nutrientes: Manejo de Enxofre
Balanço de Nutrientes: Manejo de Micronutrientes
Aniônicos Catiônicos

Boro – H3BO3- Zinco – Zn2+


Molibdênio – MoO42- Manganês – Mn2+
Cloro – Cl- Cobre – Cu2+
Ferro – Fe2+
Níquel – Ni+
Fatores que afetam disponibilidade:
- Mineralogia – minerais primários e secundários;
- textura;
- matéria orgânica do solo;
- umidade;
- pH;
- condições de oxi-redução;
- interação entre nutrientes.
Balanço de Nutrientes: Manejo de Micronutrientes

Soja: processo de nodulação!

• Molibdênio (Mo)
• Cobalto (Co)

• 20 a 30 g Mo ha-1
• 2 a 3 g de Co ha-1

• Via semente ou via pulverização


foliar em V4
Balanço de Nutrientes: Manejo de Micronutrientes
Análise Foliar: Manejo de Micronutrientes
Análise Foliar: Manejo de Micronutrientes
Considerações Finais
Gestão da fertilidade do solo no sistema soja e milho

Grato pela Atenção


Renato Roscoe
PhD Solos e Nutrição de Plantas
Superintendente CREA-MS
renatoroscoe@gmail.com
(67) 99681 6944