Vous êtes sur la page 1sur 2

Origem Resumo

Bem
do Mal
Santo Agostinho buscou durante grande
parte de sua vida, uma resposta definitiva
para a existência do mal no mundo. A
princípio, partiu de alguns pressupostos
considerando que Deus pudesse conceber
o mal ou mesmo ser a própria razão do mal.
Após contato com variadas manifestações
doutrinárias, Agostinho de Hipona começa
a deliberar sobre o mal, voltando-se para a
interioridade do homem. O hiponense
Fatores relacionados ao mal agostiniano.
refuta o caráter ontológico do mal,
entendendo-o como uma privação do bem.
Chega então, o pensador à conclusão de
Entende que o mal é concebido pelo
que a natureza corruptível da vontade
homem, através da corrupção de sua
humana, permite a manifestação do mal,
natureza e do mau uso do livre arbítrio.
na medida em que o indivíduo se afasta dos
Optou-se neste estudo por uma
bens superiores, isto é, da perfeição divina.
abordagem de natureza exploratória, onde A Origem do Mal Moral em
Através do livre arbítrio, o homem escolhe se pôde considerar que a raiz do mal no
pelos bens inferiores e, desta forma mundo, seria a deturpação da vontade no Santo Agostinho
conduzindo-se à concepção do mal. O livre homem.
arbítrio foi concedido para que Deus possa
qualificar o homem, punindo-o ou
recompensando conforme suas próprias
escolhas.

O hiponense estabelece que somente


através da graça e perfeição divinas, o
homem seria capaz de evitar o mal, A Origem do Mal Moral em João Gualberto C. R. Júnior
Santo Agostinho
encontrando o bem. Orientadora: Profa. Márcia
Universidade Federal do
Piauí Damasceno
Piracuruca
O hiponense chega à conclusão de que o
mal é composto por três formas: mal
Deus
criou um ontológico, mal físico e mal moral. Este Corpo
mundo estudo trabalha com a problemática: Pecado Alma
Deus mal? Deus Concupiscência Virtude
seria concebeu Caridade
mal? o mal?
Já que Santo Agostinho não considera o
Origem
do Mal mal ontológico como viável, e Dicotomias em Santo Agostinho.
entendendo que o mal físico é
consequência direta do mal moral,
Realizada entre os meses de janeiro a
Hipóteses iniciais agostinianas para o mal. como o bispo de Hipona, resolve o
junho de 2016, com os descritores: mal,
problema do mal no mundo?
Santo Agostinho, filosofia.
Introdução
O Problema do Mal em Santo Agostinho
O problema do mal e suas origens, sempre Objetivos O bispo de Hipona logo conseguiu refutar a
represenaram fonte de grande inquietação Objetivo Geral: expor o problema da hipótese maniqueísta para o mal. Através
para Santo Agostinho, que enveredou pelo origem do mal na filosofia agostiniana. da formulação de três hipóteses principais,
maniqueísmo, refutando-o vários anos Agostinho trata da problemática do mal. O
mais tarde. O bispo de Hipona queria Objetivos Específicos:
mal não é ontológico para o pensador, bem
encontrar algo que explicasse as aflições,
 Descrever a perspectiva antropológica como não pode aceitar a natureza
sofrimentos, doenças e morte inseridos em corruptível do mundo, visto que este foi
em Santo Agostinho;
uma criação perfeita. criado em caráter ex nihilo.
 Caracterizar o pensamento do bispo
Deus consiste no bem absoluto e através de Hipona em relação ao problema da
Deus também não poderia conceber o mal,
dele somente se concebe perfeição e origem do mal na vida humana.
visto que Deus manifesta a perfeição
harmonia. Após ingressar em diversas através do tripé da razão ordenadora.
correntes com o intuito de satisfazer suas Metodologia Saindo da esfera divina, Agostinho volta-se
inquietudes, o pensador começa a Estudo de revisão bibliográfica, do tipo então para o homem.
organizar seu pensamento acerca do mal. exploratório, com 15 estudos selecionados
entre os anos de 2012-2016