Vous êtes sur la page 1sur 46

Conteúdo

APRESENTAÇÃO DO PROJETO ................................................................................... 3


OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO ................................................................... 6
OBJETIVOS ESPECÍFICOS ........................................................................................... 7
ESTUDO PRÉVIO DA REALIDADE LOCAL ..................................................................... 8
ANÁLISE SWOT – “GEOPARK TERRAS DE CAVALEIROS” .....................................................8
FATORES CRÍTICOS DE COMPETITIVIDADE ...................................................................... 20
ENVOLVIMENTOS INSTITUCIONAIS NECESSÁRIOS ................................................... 22
PARCERIAS EMPRESARIAIS A ESTABELECER............................................................. 22
ELEMENTOS JÁ IDENTIFICADOS PARA OS GRUPOS DE TRABALHO ........................... 22
ELEMENTOS JÁ IDENTIFICADOS PARA OS SEMINÁRIOS ........................................... 23
MODELO DE GOVERNAÇÃO DO PROJETO ................................................................ 23
AÇÕES A DESENVOLVER.......................................................................................... 24
AÇÃO 1 – ACOMPANHAMENTO TÉCNICO, ADMINISTRATIVO, FINANCEIRO E AVALIAÇÃO
CONTÍNUA ..................................................................................................................... 24
Resumo................................................................................................................................ 24
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 24
Objetivos ............................................................................................................................. 25
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 25
Resultados esperados ......................................................................................................... 26
AÇÃO 2 – IDENTIFICAÇÃO, ANÁLISE E ORGANIZAÇÃO DE PACOTES TURÍSTICOS ............... 27
Resumo................................................................................................................................ 27
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 27
Objetivos ............................................................................................................................. 27
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 28
Resultados esperados ......................................................................................................... 29
AÇÃO 3 – ESTUDOS DE PROSPEÇÃO DE MERCADOS INTERNACIONAIS ............................. 30
Resumo................................................................................................................................ 30
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 30
Objetivos ............................................................................................................................. 31
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 31
Resultados esperados ......................................................................................................... 32
AÇÃO 4 – PREPARAÇÃO DE STANDS E FERRAMENTAS DE PROMOÇÃO TURÍSTICA ............ 33
Resumo................................................................................................................................ 33
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 33
Objetivos ............................................................................................................................. 34
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 34
Resultados esperados ......................................................................................................... 36
AÇÃO 5 – INTERNACIONALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO TURÍSTICA ........................................ 38
Resumo................................................................................................................................ 38
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 38
Objetivos ............................................................................................................................. 38
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 39
Resultados esperados ......................................................................................................... 40
AÇÃO 6 – DISSEMINAÇÃO DO PROJETO E ALARGAMENTO DO PROJETO AOS RESTANTES
CONCELHOS DO NORDESTE TRANSMONTANO ................................................................ 41
Resumo................................................................................................................................ 41
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 41
Objetivos ............................................................................................................................. 41
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 42
Resultados esperados ......................................................................................................... 42
AÇÃO 7 – AVALIAÇÃO, DISSEMINAÇÃO DE RESULTADOS E SUSTENTABILIDADE FUTURA .. 44
Resumo................................................................................................................................ 44
Falhas de mercado a que responde .................................................................................... 44
Objetivos ............................................................................................................................. 44
Atividades a desenvolver .................................................................................................... 44
Resultados esperados ......................................................................................................... 45
APRESENTAÇÃO DO PROJETO

Como já foi identificado na caracterização do nosso território (documento anexo), Macedo de


Cavaleiros apresenta um elevado potencial turístico, muito dele ainda por explorar. A
estrutura empresarial de pequena dimensão e a falta de estratégias integradas têm retardado
a efetivação deste potencial e, acima de tudo, não tem trazido o esperado retorno financeiro
que é tão necessário no nosso concelho.

Nos últimos anos tem sido um esforço bastante considerável para inverter esta situação. As
principais instituições locais uniram esforços para criarem uma marca forte que possa
potenciar a promoção turística de forma integrada. Essa marca nasceu associada à criação do
geoparque “Terras de Cavaleiros”, cujo reconhecimento oficial foi já alcançado, sendo
atualmente um dos três geoparques existentes em Portugal Continental reconhecidos pela
UNESCO.

A importância estratégica desta iniciativa é bem caracterizada pela estrutura dos seus
associados fundadores: o próprio Turismo de Portugal é membro fundador e o seu
representante é, atualmente, vice-presidente da direção da Associação Geoparque Terras de
Cavaleiros (AGTC), entidade copromotora deste projeto.

Nos últimos dois anos a AGTC desenvolveu esforços assinaláveis na organização do


Geoparque, classificando como áreas de interesse 42 geossítios. Para além disso, tem vindo
progressivamente a organizar a oferta turística do concelho, os métodos e formas de
divulgação e implementou já alguns pacotes turísticos temáticos, organizados essencialmente
em volta de acontecimentos e eventos culturais de relevo.

Paralelamente, a Albufeira do Azibo (também da responsabilidade da AGTC) tem vindo a


crescer muito em termos turísticos e de qualidade, sendo uma das raras praias fluviais com
bandeira azul.

No entanto, o retorno financeiro e a sensação empírica do aumento da atividade turística é


muito limitada, até porque a Albufeira do Azibo se situa relativamente afastada de macedo de
Cavaleiros e o tipo de turismo ali presente, além de muito centrado nos meses de julho e
agosto, não é um tipo de turismo que congregue elevados retornos financeiros para a
economia.

Também as entidades públicas (nomeadamente a autarquia municipal) efetuaram esforços no


sentido de dotar o concelho das infraestruturas adequadas para a promoção do turismo,
estando igualmente o concelho bem servido em matéria de acessibilidades.

Tendo sido criadas as condições para a promoção turística, que beneficiaram de


financiamentos públicos (nacionais e comunitários), falta agora “dar o salto”, potenciando o
turismo de forma a conquistar novos públicos e a conseguir esse tão aguardado retorno
financeiro.

Para isso ser viável, não chega os organismos públicos divulgarem os locais e as
potencialidades turísticas, nem se pode fazer um trabalho efetivo sem uma articulação
permanente com o setor privado, aquele que tem a capacidade instalada e a necessidade que
os turistas venham até nós.

A AGTC já encetou um conjunto de protocolos com entidades privadas nesse sentido, mas
sentia-se que estava a faltar ainda algo para se poder evoluir mais depressa.

A ACIMSC – Associação Industrial, Comercial e de Serviços de Macedo de Cavaleiros uniu-se


então à Associação Geoparque Terras de Cavaleiros para apresentar este projeto de
Internacionalização da Promoção Turística do concelho, através da marca “GEOPARK TERRAS
DE CAVALEIROS”.

Desta forma agregam-se os conhecimentos da ACISMC na organização e gestão dos agentes


económicos ao conhecimento técnico da AGTC e à sua experiência adquirida na promoção
turística, efetuando uma aposta claramente concertada com todos os agentes económicos e
destinada essencialmente ao aumento das exportações através do incremento dos visitantes
estrangeiros, que atualmente pouco tempo (ou mesmo nenhum) passam no concelho de
Macedo de Cavaleiros, quando temos tanta coisa que lhes poderia interessar conhecer.

Este projeto abrangerá praticamente tudo aquilo que ainda falta fazer para podermos
apresentar produtos turísticos motivadores e com elevado interesse, que extravasam, em
muito, os limites do Ecoturismo que o Geopark poderia induzir. A atividade deste é muito mais
vasta e a sua área de intervenção tem muito mais para oferecer que apenas a Natureza (ainda
que, deve ser dito, trata-se de um património único e motivador per se).

Este projeto assenta naturalmente numa visão empresarial, virada para o resultado e, com
isso, foram idealizadas um conjunto de 38 atividades, distribuídas em 7 ações distintas. Pela
análise das mesmas facilmente se depreende a sua inter-relação e a aposta clara na gestão
integrada de toda a oferta turística, em permanente ligação com as empresas e com os
operadores turísticos.

Sabemos que para se apostar em marketing é necessário saber primeiro o que apostar, depois
onde apostar, sendo ainda necessário definir como apostar e quando apostar. Este projeto
representa essa visão: pretendemos primeiro organizar todas as nossas potencialidades e
conhecer a base real dos nossos agentes económicos, elaborar os estudos de
internacionalização que são necessários para decidirmos onde devemos apostar e de que
forma, preparar todos os materiais e conteúdos que são necessários para se promover a nossa
marca e encetar depois o caminho da promoção internacional do nosso turismo.

Identificámos igualmente uma situação recorrente na nossa região: a especificidade da nossa


oferta turística motiva algumas carências na fixação de turistas em períodos mais prolongados.
Esta realidade é, aliás, comum a todos os nossos concelhos vizinhos. É por isso mesmo que
pretendemos transmitir-lhes os nossos conhecimentos e as ferramentas criadas através deste
projeto, para que também eles possam aproveitar o nosso trabalho e aumentar os seus
indicadores turísticos. Sabemos que, em conjunto, teremos certamente produtos turísticos
muito mais completos e que fixam turistas por períodos mais prolongados mas é necessário
conhecer primeiro aquilo que o turista estrangeiro pretende, até porque a diversidade das
motivações é cada vez maior e não é possível assegurarmos diretamente produtos turísticos
para todos os gostos. Talvez em conjunto isso venha a ser possível, mas estes primeiros passos
terão sempre de ser dados antes e, para nós, faz todo o sentido apostarmos já no concelho de
Macedo de Cavaleiros, disseminando de seguida a aposta.

Nas páginas seguintes tentamos apresentar, de forma sintética e assertiva, os indicadores e


ferramentas que nos trouxeram até esta candidatura, as atividades que pretendemos realizar,
os seus objetivos e pertinência, assim como a apresentação clara e inequívoca dos indicadores
esperados, uma vez que apenas entendemos ser possível avaliar um projeto se este apresentar
métricas perfeitamente quantificadas.
OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO
Os objetivos estratégicos deste projeto estão assentes em quatro pilares:

1 - ATRAIR TURISTAS: Valorização do território e dos seus recursos turísticos distintivos

• Valorização económica do património histórico-cultural


• Dinamização sustentável do potencial turístico das áreas protegidas e do
património rural
• Desenvolvimento de equipamentos e serviços de suporte à atividade turística
• Promoção e melhoria da mobilidade sustentável de fluxos turísticos através
das redes e dos sistemas de transportes já existentes

2 - REFORÇO DA COMPETIVIDADE: Reforço da competitividade e internacionalização das


empresas do turismo locais

• Introdução de mecanismos de inovação nos empreendimentos turísticos


• Desenvolvimento de atividades económicas inovadoras nas áreas da animação
turística, dos eventos e da restauração de interesse para o turismo
• Fomento do empreendedorismo na geração e desenvolvimento de novas
ideias e novos negócios turísticos
• Reforço do acesso dos agentes e operadores turísticos locais de Turismo face
às TIC
• Melhoria das competências estratégicas dos agentes e operadores turísticos
locais de Turismo

3 - CAPACITAÇÃO DOS AGENTES TURÍSTICOS: Capacitação e I&D+I em Turismo

• Capacitação de empresários e gestores da área do turismo para a inovação,


gestão e modelos de negócio colaborativos e aposta na qualidade e melhoria
contínua
• Disponibilização de conhecimento aos agentes públicos e privados da
atividade turística

4 - COMUNICAÇÃO INTEGRADA: Promoção e comercialização da oferta turística do concelho

• Reforço da promoção turística externa do concelho com campanhas de


comunicação nos mercados identificados, ações de trademarketing e
iniciativas de diplomacia económica
• Reforço do marketing digital: plataformas web, redes sociais, canais online,
mobile, conteúdos digitais.
• Estruturação e comercialização da oferta turística
• Contributo para a consolidação de rotas aéreas para o Porto, intensificando
ações promocionais nos pontos de origem
• Promoção de eventos estruturantes que reflitam a afirmação dos atributos
distintivos do concelho e que impulsionem o incremento de fluxos e de
receitas turísticas
OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Identificar, catalogar e organizar todas as componentes das ofertas e das


potencialidades turísticas do concelho de Macedo de Cavaleiros e promover iniciativas
para aumentar a sua diversificação.
• Efetuar os estudos de mercados internacionais que permitam selecionar até cinco
países onde apostar na promoção turística e preparar todos os operadores turísticos
para poderem dar resposta às necessidades/potencialidades identificadas.
• Conclusão da preparação técnica da marca “GEOPARK TERRAS DE CAVALEIROS, registo
de marca internacional e adequação à Internacionalização
• Elaboração de materiais publicitários e promocionais, sistemas informáticos de apoio e
stands para a promoção turística devidamente adaptados às ofertas turísticas.
• Promover atividades de promoção turística no estrangeiro, nomeadamente ações de
marketing digital, participação em feiras e eventos internacionais, apresentações dos
pacotes turísticos a operadores turísticos internacionais
• Promover iniciativas junto de jornalistas, opinion-makers e operadores internacionais
para recebê-los em Macedo de Cavaleiros e dar a conhecer «in-loco» as nossas
potencialidades.
• Alargar o know-how adquirido a todos os concelhos do Nordeste Transmontano,
disseminando as boas práticas e preparando a elaboração de catálogos integrados de
promoção turística de toda a região, utilizando como base todos os estudos, materiais,
sistemas e know-how criados no âmbito deste projeto.
• Efetuar uma avaliação ex-post do projeto, por uma entidade externa, analisando os
pressupostos iniciais e os resultados alcançados;
• Realizar uma análise de viabilidade económico-financeira da continuidade da iniciativa
pós financiamento do projeto;
• Promover um seminário final de apresentação dos resultados do projeto, orientado
para a disseminação de resultados e para a potencialização da atividade desenvolvida
e das experiências adquiridas noutras regiões com potencialidade turística não
explorada.
ESTUDO PRÉVIO DA REALIDADE LOCAL
No âmbito desta candidatura foi efetuado um levantamento prévio da situação atual do
Turismo e da Promoção Turística no concelho de Macedo de Cavaleiros. A análise seguinte
consiste na sintetização desse estudo.

Para além da análise SWOT estruturada, são apresentados os métodos de cálculo, peso e
ponderação de cada item.

ANÁLISE SWOT – “GEOPARK TERRAS DE CAVALEIROS”


PROJETO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO TURÍSTICA DE MACEDO DE
CAVALEIROS

Ponderação final da análise: 4,0


Classificação do Projeto: Bastante Potencial

FORÇAS FRAQUEZAS
Organização dos Produtos Turísticos já Mão-de-obra do setor pouco qualificada e
iniciada pelo Geopark índice médio de trabalhadores ao serviço baixo
Excelente Gastronomia e Tradições Baixa capacidade hoteleira instalada no
culturais concelho
Recursos naturais a potenciar, como a Especificidades da oferta Turística do concelho
Natureza e Cinegética de Macedo de Cavaleiros
Atratividade dos preços praticados na Pouca projeção Nacional e Internacional da
região para os mercados internacionais marca "Terras de Cavaleiros"
Infraestruturas públicas já construídas e Falta de uma estratégia integrada entre todos
investimentos privados instalados os stakeholders
Prémios e Reconhecimentos já
Falta de Organização completa e articulada dos
atribuídos às potencialidades turísticas do
Produtos Turísticos
concelho
Elevado potencial de crescimento de Falta de Melhoria Contínua organizada, em
todo o setor particular no feedback dos turistas.
Potencial complementaridade das Sinalização disponível para os Geossítios não
ofertas turísticas completa ou com muitas lacunas
Falta de conhecimento dos mercados
Excelente recetividade social e cultural
internacionais
Potencial para promoção e Falta de materiais e stands promocionais
desenvolvimento de iniciativas na Cultura e estruturados para a promoção turística
no Desporto internacional
OPORTUNIDADES AMEAÇAS
Potencial para o crescimento do
Risco de perda de poder de compra
empreendedorismo privado
Previsibilidade da manutenção estável
Potencial perda de competitividade externa
da recuperação do poder económico do
pelo peso do IVA
espaço europeu
Rede de Acessibilidades e Transportes já Concorrência de outros destinos turísticos no
existentes, que podem ser potenciadas espaço nacional e europeu
Previsibilidade da estabilização
Não conclusão da rede de Acessibilidades e
internacional dos preços de combustíveis
Transportes
baixos
Ações implementadas e previstas no
Risco de ocorrência de acontecimentos
âmbito das políticas públicas de promoção
imprevistos, como Desastres Naturais
turística
Potencial multiplicador através da
Mudanças na legislação que provoquem perda
aposta numa marca conjunta de promoção
potencial de competitividade
turística local
Previsibilidade na manutenção de Potencial escassez de mão-de-obra qualificada,
políticas locais de Incentivos Fiscais em caso de aumento muito elevado da procura
Evolução da procura e novos padrões de
Potencial queda do Euro face ao Dólar
consumo/motivações
Risco de Limitação do Crédito à iniciativa
privada
Limitações legais decorrentes das regras
ambientais

PONTOS FORTES
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação

Identificação Fundamentação

Os Serviços Integrados existentes: GeoPark


Organização dos
Terras de Cavaleiros, já conseguiram organizar
Produtos
os diversos produtos turísticos disponíveis no
Turísticos já 10% 3 - Médio 0,3
concelho, existindo ofertas que envolvem
iniciada pelo
percursos Natureza, ofertas gastronómicas,
Geopark
ofertas de lazer e ofertas de conhecimento.
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação
Identificação Fundamentação

A gastronomia local é, como em toda a região


transmontana, muito rica e possibilita um
Excelente excelente reportório gastronómico que faz as
5-
Gastronomia e 15% 0,75 delícias dos turistas (e não só). As tradições
Excelente
Tradições culturais culturais, como por exemplo os Caretos de
Podence, constituem atrações muito
solicitadas e bastante diferenciadoras.
A Natureza no concelho é multifacetada: incluí
vales, montes e serras de altitude já elevada,
albufeiras como o azibo, rios e ribeiras, áreas
Recursos naturais
agrícolas e florestais e um sem número de
a potenciar, como 5-
15% 0,75 recursos endógenos de grande valor. A
a Natureza e Excelente
cinegética é igualmente importante,
Cinegética
contemplando, para além da vida selvagem
protegida, quer a caça quer a pesca, em
complemento claro com a gastronomia.
Atratividade dos
Os Preços praticados na região, tal como no
preços praticados
restante território nacional, são bastante
na região para os 5% 4 - Bom 0,2
atrativos para o Turismo Europeu, cujo poder
mercados
de compra é bastante superior ao Português.
internacionais
Infraestruturas
As Infraestruturas turísticas já instaladas
públicas já
(Públicas e Privadas), assim como as
construídas e 5-
10% 0,5 infraestruturas públicas complementares
investimentos Excelente
permitem já a promoção turística do concelho
privados
sem serem necessários investimentos prévios.
instalados
Existem já diversas distinções na oferta
Prémios e
turística do concelho que devem ser
Reconhecimentos
potencializadas: o GeoPark Terras de
já atribuídos às
10% 4 - Bom 0,4 Cavaleiros, a praia fluvial do Azibo e os Caretos
potencialidades
de Podence são apenas alguns exemplos dos
turísticas do
reconhecimentos e distinções já existentes e
concelho
que devem ser potenciadas.
Uma vez que a promoção turística do concelho
é ainda baixa e muito concentrada na época de
Elevado potencial verão (com predominância na Albufeira do
5-
de crescimento de 15% 0,75 Azibo), existe um elevado potencial de
Excelente
todo o setor crescimento em todas as épocas do ano e nas
diversas vertentes turísticas que podem ser
potenciadas.
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação
Identificação Fundamentação

Existem potencialidades a dois níveis quando


se analisa a complementaridade da oferta
turística: no primeiro nível temos uma elevada
complementaridade natural entre o turismo
Potencial natureza (e aventura) com o turismo
complementaridad gastronómico, das tradições e culturas. Num
5% 3 - Médio 0,15
e das ofertas segundo nível, temos a complementaridade
turísticas entre a oferta turística do concelho e as
restantes ofertas turísticas da região, que
podem potenciar a vinda de mais turistas
estrangeiros e por períodos mais prolongados
de tempo.
A tradição transmontana de bem receber
visitantes é bem conhecida e é uma força
Excelente
5- intrínseca em toda a nossa região. A cultura
recetividade social 10% 0,5
Excelente popular manifesta-se assim na boa
e cultural
hospitalidade, no artesanato e em eventos de
carácter tradicional.
Existem diversos eventos culturais, desportivos
Potencial para e certames que devem ser potenciados com
promoção e uma promoção turística integrada. A Feira de S.
desenvolvimento Pedro, as provas de Voleibol de Praia e as
5% 3 - Médio 0,15
de iniciativas na atividades relacionadas com a Castanha são
Cultura e no apenas alguns exemplos das muitas atividades
Desporto que podem ser potenciadas com uma
intervenção abrangente de promoção turística.
100% 4,45
PONTOS FRACOS

Peso de cada fator

Classificação

Ponderação
Identificação Fundamentação

A população ativa de Macedo de Cavaleiros,


em particular os ativos dos setores da hotelaria
e restauração, são ativos com baixas
escolaridades e com um GAP de competências
identificado, pelo que será necessário um
incremento das qualificações destes ativos,
particularmente em ações de formação
Mão-de-obra do
especialmente dirigidas para o turismo
setor pouco
(línguas, promoção turística, hotelaria e
qualificada e 2 - Pouco
10% 0,2 restauração, marketing e vendas). Já foi
índice médio de Negativo
iniciado este trabalho de qualificação, em
trabalhadores ao
particular com projetos de formação-ação, que
serviço baixo
devem continuar a ser uma aposta em
complementaridade a este projeto. De
qualquer forma, partimos já de indicadores
mais positivos e o know-how já acumulado tem
evoluído muito nos últimos anos. As empresas
ligadas ao setor têm em média menos de 3
trabalhadores ao serviço.
A capacidade de alojamento é limitada em
Macedo de Cavaleiros, sendo necessária uma
boa gestão e planificação das dormidas para
dar resposta às solicitações que se esperam
neste projeto. No entanto, como a capacidade
hoteleira instalada apenas se mostra limitada
em determinados picos muito localizados, esta
fraqueza não será, nesta fase, uma limitação
Baixa capacidade
2 - Pouco alarmante e considera-se ainda a possibilidade
hoteleira instalada 5% 0,1
Negativo de surgirem novos investimentos privados
no concelho
complementares que ajudem a suprir estas
limitações. É também de considerar a
capacidade de alojamento de cidades próximas
de Macedo de Cavaleiros (Bragança e
Mirandela) que, em conjunto, podem alcançar
mais de um milhar de alojamentos e estão a
cerca de 20 minutos de distância, com
acessibilidades excelentes (autoestrada A4).
As potencialidades turísticas oferecidas pelo
concelho não são ilimitadas. Centram-se
essencialmente no turismo Natureza e
Aventura, no Turismo Cultural e Gastronómico
e, no verão, no Turismo de Lazer. Existem
ainda alguns eventos desportivos que podem
Especificidades da ser mais potencializados. Não sendo géneros
oferta Turística do turísticos massificados, têm vindo a ter um
2 - Pouco
concelho de 5% 0,1 grande aumento nacional e internacional e a
Negativo
Macedo de especialização da oferta turística não é, em si
Cavaleiros mesmo, um fator negativo, sempre que bem
potenciado e gerido de forma integrada. Estas
limitações refletem-se na Incapacidade de
fixação de visitantes na Região, em particular
nas estadas mais prolongadas (refletindo-se
nas baixas taxas de ocupação e estadias
médias).
A marca "Terras de Cavaleiros" como destino
turístico é ainda muito insipiente. Anualmente
Pouca projeção tem-se registado aumentos de turistas no
Nacional e concelho, em particular na albufeira do Azibo,
4 - Bastante
Internacional da 10% 0,4 sendo que uma larga maioria dos mesmos é
Negativo
marca "Terras de residente ou oriundo da nossa própria região.
Cavaleiros" Mesmo as distinções recentes não têm
incrementado suficientemente a procura
turística no concelho.
Apesar de ter sido criado o GeoPark Terras de
Cavaleiros para articular entre todos os
stakeholders locais a oferta turística, ainda não
existe uma estratégia integrada de promoção
turística entre os operadores privados, as
Falta de uma
organizações não governamentais e as
estratégia
entidades públicas que possa servir de
integrada entre 10% 3 - Negativo 0,3
alavancagem para projetos em maior escala.
todos os
Outra falha assenta na falta de interligação
stakeholders
entre os restantes concelhos da região, o que
leva à realização de ações pontuais e isoladas.
Existe assim uma dificuldades de coordenação
entre os vários agentes que operam no
mercado turístico.
Falta de
Organização Os produtos turísticos disponíveis no concelho
completa e ainda não estão organizados em pacotes
15% 3 - Negativo 0,45
articulada dos turísticos atrativos e passiveis de serem
Produtos potenciados de forma sistemática.
Turísticos
Não existindo uma estratégia integrada
articulada entre todos os stakeholders é
Falta de Melhoria natural que não existam mecanismos
Contínua integrados de qualidade e de melhoria
organizada, em 2 - Pouco contínua. Ainda que muitos stakeholders
10% 0,2
particular no Negativo desenvolvam mecanismos de melhoria
feedback dos contínua interna, a não disseminação dos
turistas. aspetos menos positivos identificados não
permite uma melhoria global em todos os
stakeholders.
Ausência ou má sinalização turística em grande
parte dos locais de interesse. Considerada a
Sinalização
sinalética dos 42 geossítios identificados e
disponível para os
4 - Bastante catalogados, apenas sete podem ser
Geossítios não 15% 0,6
Negativo considerados satisfatórios e mais uma dezena
completa ou com
que, não estando completos, não assumem
muitas lacunas
particular relevância, pelo seu peso estrutural
no global dos geossítios.
Até ao momento não foi elaborado nenhum
estudo completo sobre as possibilidades de
Falta de promoção turística internacional das
conhecimento dos potencialidades existentes no concelho de
15% 3 - Negativo 0,45
mercados Macedo de Cavaleiros, que permita identificar
internacionais os melhores mercados em função da
tipificação de oferta turística que pode ser
realizada.
Para além de serem necessários novos
Falta de materiais
materiais promocionais, devidamente
e stands
organizados em pacotes turísticos integrados e
promocionais
4 - Bastante preparados para os mercados a abranger, não
estruturados para 5% 0,2
Negativo existe uma estratégia integrada de marketing
a promoção
digital, assim como são igualmente necessários
turística
equipamentos de promoção turística no
internacional
estrangeiro
100% 3
OPORTUNIDADES

Peso de cada

Classificação

Ponderação
fator
Identificação Fundamentação

Existe uma elevada potencialidade de incetivos


ao empreendedorismo local através do
incremento do turismo, nomeadamente a
Potencial para o
solidificação da oferta de hotelaria e
crescimento do 5-
15% 0,75 restauração, do surgimento de novas empresas
empreendedorism Excelente
ligadas ao Turismo Natureza e Aventura e
o privado
também diversos serviços complementares
ligados às novas tecnologias, ao marketing e ao
conhecimento.
A evolução da recuperação de poder
económico da Zona Euro, que se prevê estável
nos próximos anos, é uma oportunidade
Previsibilidade da
importante no setor do Turismo, que deve ser
manutenção
aproveitada o quanto antes para garantir que
estável da 5-
15% 0,75 Macedo de Cavaleiros esteja bem posicionada
recuperação do Excelente
em matéria de promoção turística junto dos
poder económico
públicos estrangeiros com maior potencial
do espaço europeu
económico e que optam por um turismo
dentro das potencialidades que podemos
oferecer.
As acessibilidades ao concelho de Macedo de
Cavaleiros já foram muito piores, estando
neste momento o mesmo servido por uma
autoestrada (A4, cujo troço mais complexo
Vila-Real-Amarante (via Serra do Marão) estará
completo no primeiro trimestre de 2016) e por
um itinerário principal (IP2, que faz a ligação à
A25, faltando ainda um troço de
Rede de
aproximadamente 30km para a sua conclusão).
Acessibilidades e
O Aerodrómo de Bragança ainda não tem a
Transportes já
5% 4 - Bom 0,2 carreira aérea regular reativada mas espera-se
existentes, que
que ainda este verão seja reativada. O
podem ser
Aeroporto Internacional Português mais
potenciadas
próximo encontra-se a cerca de 200km de
distância, apenas existindo como transportes
públicos do Porto para Macedo de Cavaleiros
as carreiras de autocarros mas que têm uma
frequência assinalável. Existe assim um
acréscimo de competitividade do negócio
turístico na região, decorrente do crescimento
da oferta de viagens low-cost.
Peso de cada

Classificação

Ponderação
fator
Identificação Fundamentação

Os preços dos combustíveis estão


relativamente baixos e a tendência prevê a
manutenção dos mesmos, o que torna o
Previsibilidade da transporte mais barato e, consequentemente,
estabilização mais atrativo para regiões interiores que
internacional dos exigem sempre deslocações em diferentes
5% 4 - Bom 0,2
preços de meios de transporte. Existem algumas análises
combustíveis que prevêem o aumento dos combustíveis,
baixos motivadas pela perda de cotação do euro face
ao dólar e outras que prevêem a sua baixa ou
manutenção, motivadas pela oportunidade de
entrada do Irão no mercado global.
As políticas públicas atuais de incentivo ao
Ações
Turismo deverão permanecer estáveis etêm
implementadas e
contribuído para divulgar a marca Portugal
previstas no
como destino turístico de eleição a nível
âmbito das 5% 4 - Bom 0,2
internacional, pelo que a associação da marca
políticas públicas
"Terras de Cavaleiros" à marca "Portugal" trará
de promoção
vantagens conjuntas na promoção do turismo a
turística
nível internacional.
Potencial
A potencialização de uma marca conjunta de
multiplicador
promoção turística "Terras de Cavaleiros"
através da aposta
5- potenciará economia de escala a todo o setor,
numa marca 30% 1,5
Excelente permitindo aos diversos operadores turísticos
conjunta de
centrarem-se na melhoria de qualidade da sua
promoção turística
oferta e reduzindo custos de contexto.
local
Previsibilidade na O Município de Macedo de Cavaleiros não
manutenção de aplica derrama às empresas e tem taxas muito
5% 4 - Bom 0,2
políticas locais de baixas de IMI (urbano e rural), o que pode
Incentivos Fiscais facilitar a captação de investimento.
Nos últimos anos a evolução constante da
procura turística em Macedo de Cavaleiros e
na região de Trás-os-Montes, mesmo que
ainda com níveis globais baixos e caracterizada
por picos sazonais, permite augurar um
Evolução da
potencial elevado (a nível interno e externo),
procura e novos
5- até porque este incremento tem sido
padrões de 20% 1
Excelente conseguido sem estratégias integradas de
consumo/motivaç
promoção turística, algo que este projeto
ões
pretende retificar. De acordo com a OMT
prevê-se um crescimento sustentado para a
indústria turística nos próximos 20 anos. Não
pode também ser descurado que estão a surgir
novos padrões de consumo e motivações,
Peso de cada

Classificação

Ponderação
fator
Identificação Fundamentação

privilegiando destinos que ofereçam


experiências diversificadas e com elevado grau
de autenticidade e qualidade ambiental
(Cultura,
Património, Natureza, Gastronomia,
Desporto...).

100% 4,8

AMEAÇAS
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação

Identificação Fundamentação

Ainda que baixa, existe a possibilidade dos


públicos destinatários possam perder poder de
Risco de perda de 4 - Bastante
5% 0,2 compra fruto da instabilidade da zona euro e
poder de compra Negativo
se retraiam no consumo de serviços como o
turismo no estrangeiro.
A diferença de IVA de 13% para 23%
Potencial perda de incrementa o custo dos serviços de turismo
competitividade proporcionado a públicos estrangeiros,
15% 3 - Negativo 0,45
externa pelo peso podendo ser um fator negativo quando
do IVA comparado com a nossa vizinha Espanha,
bastante próxima geograficamente.
Concorrência de
A concorrência de outros destinos turísticos,
outros destinos
em Portugal e no estrangeiro, pode
turísticos no 20% 3 - Negativo 0,6
representar uma ameaça ao sucesso deste
espaço nacional e
projeto.
europeu
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação
Identificação Fundamentação

A falta de conclusão da A4, cujo troço mais


complexo Vila-Real-Amarante (via Serra do
Não conclusão da Marão) ainda não está completo, a não
rede de conclusão do IP2 (falta ainda um troço de
5% 3 - Negativo 0,15
Acessibilidades e aproximadamente 30km para a sua conclusão,
Transportes a não reativação da carreira aérea regular no
Aeródromo de Bragança são ameaças a ter em
consideração.
A possibilidade de ocorrência de desastres
Risco de
naturais provocados pela Natureza pode
ocorrência de
prejudicar o projeto, uma vez que uma larga
acontecimentos 5% 3 - Negativo 0,15
parte da estrutura turística montada assenta
imprevistos, como
nos recursos naturais e endógenos. Considera-
Desastres Naturais
se aqui também o mau tempo.
Uma vez que grande parte das áreas de
interesse turístico do concelho assentam em
áreas naturais protegidas, novas alterações na
Mudanças na legislação podem limitar ainda mais o acesso e
legislação que 1 - Muito usufruto dos espaços turísticos. Também pode
provoquem perda 5% Pouco 0,05 representar uma perda de oportunidades na
potencial de Negativo atração de promotores e investimentos
competitividade turísticos a favor de outras regiões, em parte
devido à persistência dos obstáculos de
natureza burocrática e jurídico-formal na
aprovação e no licenciamento.
Apesar de Macedo de Cavaleiros registar uma
taxa de desemprego superior à média nacional
(em junho de 2015 registava cerca de 15% de
Potencial escassez desemprego), cerca de 66% dos
de mão-de-obra desempregados registados detêm uma
1 - Muito
qualificada, em escolaridade igual ou inferior ao 9.º ano, pelo
30% Pouco 0,3
caso de aumento que será necessário um incremento das
Negativo
muito elevado da qualificações dos desempregados inscritos,
procura particularmente em ações de formação
especialmente dirigidas para o turismo
(línguas, promoção turística, hotelaria e
restauração, marketing e vendas).
Ainda que possa constituir uma ameaça,
Potencial queda 1 - Muito especialmente no encarecimento da
do Euro face ao 5% Pouco 0,05 importação de combustíveis, a manutenção ou
Dólar Negativo queda da cotação do euro face ao dólar não
terá um impacto muito negativo no turismo,
Peso de cada fator

Classificação

Ponderação
Identificação Fundamentação

uma vez que a intervenção deste projeto se


centrará nos países da zona euro e, por
conseguinte, sem variações cambiais entre si.

A limitação do crédito ao investimento por


parte da banca nacional poderá ser uma
ameaça ao sucesso deste projeto, uma vez que
Risco de Limitação se espera um aumento do investimento e do
do Crédito à 5% 3 - Negativo 0,15 empreendedorismo privado no setor turístico,
iniciativa privada algo que necessitará de apoio e financiamento
por parte da banca. No entanto, as
possibilidades existentes no QCA Portugal 2020
podem servir de alavancagem a estes projetos.
O facto da oferta turística ser muito centrada
na Natureza e nos seus recursos Endógenos,
provoca algumas limitações e cuidados
adicionais no cumprimento da legislação
Limitações legais
ambiental, até porque praticamente todos os
decorrentes das 5% 3 - Negativo 0,15
pontos de interesse estão localizados em zonas
regras ambientais
REN ou RAN. No entanto, este fator negativo é
também uma possibilidade a potenciar, pois
estes territórios oferecem garantias de
qualidade que outros territórios não oferecem.
100% 2,25
FATORES CRÍTICOS DE COMPETITIVIDADE

No âmbito da preparação deste projeto foram assim identificados quinze fatores críticos de
competitividade, dos quais onze são elegíveis e passíveis de terem resposta nesta candidatura:

• Agentes económicos flexíveis à mudança


• Aposta na melhoria contínua da qualidade da oferta turística
• Apresentação de pacotes turísticos temáticos, a preços acessíveis, num conceito
"chave na mão"
• Articulação entre as ofertas turísticas de diferentes concelhos para proporcionar
pacotes turísticos mais diversificados e de maior duração
• Boa sinalização dos geossítios e facilidade de acesso
• Conhecer a realidade da procura dos mercados internacionais
• Conhecer aquilo que motiva e interessa ao turista internacional
• Criação de instrumentos e ferramentas de divulgação e promoção turística, em vários
suportes e em várias línguas
• Disponibilidade de Incentivos ao Empreendedorismo e à Iniciativa Privada
• Envolvimento, desde o início, do tecido empresarial
• Estímulo de um espírito de Networking entre todos os Stakeholders
• Investimentos focados na maximização de resultados
• Organização e gestão integrada de toda a oferta turística
• Qualificação da mão-de-obra do setor
• Rede de Infraestruturas e Acessibilidades completa

Os fatores críticos de competitividade identificados acima podem ser ordenados pelo grau de
intensidade dos efeitos que prevemos serem alcançados a nível local e regional com a
realização deste projeto:

Elevada Intensidade
• Aposta na melhoria contínua da qualidade da oferta turística - Existem diferentes
atividades neste projeto que concorrem diretamente para este fator;
• Conhecer a realidade da procura dos mercados internacionais - Realização de um
estudo de prospeção de diversos mercados internacionais;
• Conhecer aquilo que motiva e interessa ao turista internacional - para além do
referido estudo, a presença em certames internacionais revela-se fundamentar para
adquirir esse conhecimento;
• Criação de instrumentos e ferramentas de divulgação e promoção turística, em
vários suportes e em várias línguas - Também aqui existem várias atividades que
estão diretamente relacionadas com este fator;
• Envolvimento, desde o início, do tecido empresarial - Devido à estrutura de pequena
dimensão do tecido empresarial, não existe uma gestão profissionalizada e é
necessário cativar, envolver e motivar os empresários na promoção do turismo, algo
previsto al longo deste projeto;
• Organização e gestão integrada de toda a oferta turística - existem diversas
atividades previstas para dar resposta direta a este fator;

Média Intensidade
• Apresentação de pacotes turísticos temáticos, a preços acessíveis, num conceito
"chave na mão" - Este projeto aposta na interligação entre os agentes económicos
locais e os operadores turísticos e procurará estabelecer parcerias que permitam a
materialização deste conceito em diversas plataformas;
• Boa sinalização dos geossítios e facilidade de acesso - no âmbito deste projeto vão ser
dotados de sinalização adequada uma dezena de geossítios, maximizando assim o seu
potencial turístico;
• Estímulo de um espírito de Networking entre todos os Stakeholders - uma vez mais,
todo este projeto está assente neste pressuposto e nesta necessidade;
• Investimentos focados na maximização de resultados - Os recursos não são
ilimitados, sendo essa a razão de optarmos por elaborar estudos para catorze países
mas investirmos na promoção turística de apenas cinco, uma vez que dessa forma
centra-se a atenção em menos mercados e aumenta-se a potencialidade de sucesso;

Baixa Intensidade
• Agentes económicos flexíveis à mudança – Esperamos que as iniciativas
correlacionadas com as boas práticas, a partilha de experiências e visões distintas e a
disseminação de resultados sejam meios catalisadores para que os agentes
económicos passem a considerar a flexibilidade e a rapidez com que reagem às
alterações do mercado como fatores críticos de competitividade, algo que encontra
sempre muitas resistências nas economias de pequena dimensão;
• Articulação entre as ofertas turísticas de diferentes concelhos para proporcionar
pacotes turísticos mais diversificados e de maior duração - Este item tem uma ação
integral dedicada a este tema, uma vez que é considerado fundamental para aumentar
as taxas de alojamento, a duração dos mesmos e, consequentemente, as taxas de
retorno;

Sem Intensidade
• Disponibilidade de Incentivos ao Empreendedorismo e à Iniciativa Privada;
• Qualificação da mão-de-obra do setor;
• Rede de Infraestruturas e Acessibilidades completa;
ENVOLVIMENTOS INSTITUCIONAIS NECESSÁRIOS
• Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros
• Turismo de Portugal
• Associação de Turismo do Norte
• Comunidade Intermunicipal do Alto Trás-os-Montes
• Instituto Politécnico de Bragança
• Autarquias e Associações comerciais, industriais e de serviços dos concelhos do distrito
de Bragança
• NERBA e outros agentes de relevância regional.

PARCERIAS EMPRESARIAIS A ESTABELECER


• RyanAir, EasyJet e outras operadoras low-cost que voam para o aeroporto do Porto:
possibilidade de integrar bilhetes baratos e pacotes familiares nos catálogos turísticos
• Rent-a-Car: possibilidade de criar um pacote específico de aluguer de viaturas ligeiras
nos catálogos turísticos
• Renting de Caravanas: possibilidade de criar um pacote específico de aluguer de
autocaravanas nos catálogos turísticos
• Operadores Turísticos: possibilidade de se criarem pacotes turísticos que envolvam
chegadas/partidas através dos barcos do Douro e Comboio Tradicional da linha do
Douro, existindo posteriormente transportes de e para esses locais que tragam os
turistas para Macedo de Cavaleiros.

ELEMENTOS JÁ IDENTIFICADOS PARA OS GRUPOS DE TRABALHO

Para assegurar que existe uma efetiva transferência de conhecimento nos grupos de trabalho,
para além dos técnicos afetos ao projeto, dos consultores externos e dos representantes do
Instituto Politécnico de Bragança, pretendemos assegurar a presença de alguns elementos do
Turismo de Portugal em áreas-chave deste projeto, nomeadamente:

• Turismo Científico: Miguel Fialho de Brito


• Turismo de Natureza: João Portugal
• Gastronomia e Vinhos: Miguel Sarmento
• Turismo Religioso e Cultural: Pedro Matias
ELEMENTOS JÁ IDENTIFICADOS PARA OS SEMINÁRIOS

Para assegurar a efetividade dos seminários, para além dos técnicos afetos ao projeto, dos
consultores externos, dos representantes do Instituto Politécnico de Bragança, jornalistas e
opinion-makers e dos promotores turísticos internacionais, pretendemos assegurar a presença
de alguns elementos de entidades com responsabilidades públicas na promoção turística e
com conhecimento reconhecido na internalização, nomeadamente:

• Turismo de Portugal: Nuno Fazenda


• Augusto Mateus & Associados: Augusto Mateus
• Beta-i - Associação para a Promoção da Inovação e do Empreendedorismo:
Pedro Rocha Vieira

MODELO DE GOVERNAÇÃO DO PROJETO

O modelo de governação acordado entre os dois beneficiários é relativamente simples, uma


vez que ambas as instituições prosseguem o mesmo objetivo: dinamizar e promover a nossa
oferta turística, potenciando a vinda de mais turistas e melhorando a atividade económica no
concelho de Macedo de Cavaleiros, em particular fomentando o aumento das exportações
associadas ao Turismo.

Caberá à ACISMC, enquanto líder do projeto, garantir o acompanhamento financeiro e


administrativo de todo o projeto, materializando todas as necessidades logísticas e
operacionais do mesmo, assegurando o cumprimento das regras e obrigatoriedades dos
financiamentos comunitários, a avaliação e melhoria contínua do mesmo e a articulação entre
todos os stakeholders.

Caberá à AGTC, enquanto co-beneficiária, garantir o acompanhamento e supervisão técnica de


todo o projeto, a articulação com consultores, oradores e outros especialistas, o
acompanhamento da qualidade dos trabalhos desenvolvidos, a implementação técnica das
atividades previstas neste projeto, transferindo e disseminando conhecimentos entre todos os
stakeholders.

As responsabilidades financeiras de cada beneficiário foram já definidas nos orçamentos


detalhados de cada atividade, estando igualmente definidos os mecanismos de
autofinanciamento do projeto.

Entre os beneficiários serão promovidas reuniões mensais de análise da evolução do projeto e


dos seus indicadores, para além do conjunto de atividades em que já está previsto o trabalho
em equipa, que será naturalmente permanente e concertado.
AÇÕES A DESENVOLVER

Ação 1 – Acompanhamento Técnico, Administrativo, Financeiro e Avaliação


contínua

Resumo

Todo este projeto necessitará de um acompanhamento Técnico, Administrativo e Financeiro


permanente e assertivo, que possibilite a interligação de todas as atividades, a gestão e
coordenação das equipas de consultores e de prestadores de serviços, a gestão e articulação
com os interlocutores dos agentes económicos que contribuem diretamente para a promoção
turística, com os organismos públicos e privados que participam no processo.

Esta ação pretende ser o elo de interligação de todo o projeto, tal como definido no modelo de
governação da candidatura.

A avaliação contínua do projeto, principal mecanismo para garantir a melhoria contínua da


qualidade e dos resultados e indicadores previstos, está igualmente englobada nesta ação.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Falta de uma estratégia integrada entre todos os stakeholders – na medida em que será
nesta ação que se irá garantir a comunicação permanente entre os diversos intervenientes do
projeto, os agentes económicos locais e os organismos públicos.

Falta de Organização completa e articulada dos Produtos Turísticos – na medida em que será
através das atividades desta ação que se irá garantir que todos os dados e informações
essenciais para a definição dos pacotes turísticos integrados permanecem atualizados e
assertivos.

Falta de Melhoria Contínua organizada – na medida em que será nesta ação que se
promoverá o acompanhamento dos agentes económicos, a análise permanente dos registos
de feedback dos turistas, assim como serão elaborados os relatórios de acompanhamento
mensais e os relatórios de avaliação semestrais do projeto.
Objetivos

Esta ação tem como objetivos garantir a funcionalidade do modelo de governação do projeto,
a manutenção de registos atualizados sobre a promoção turística, o acompanhamento técnico,
financeiro e administrativo do projeto e a sua avaliação contínua, assim como o apoio aos
agentes económicos e a gestão do sistema de melhoria contínua.

Atividades a desenvolver

Atividade 1.1 - Apoio administrativo e financeiro ao projeto, nomeadamente a gestão


administrativa de todas as atividades do projeto, contactos com os interlocutores, interligação
permanente com os operadores económicos do concelho, gestão física e financeira do projeto
e articulação com as autoridades financiadoras, interligação com o Turismo de Portugal e com
a Associação de Turismo do Porto e do Norte e a preparação/organização de todos os eventos
previstos neste projeto, nomeadamente as atividades de promoção turística no estrangeiro,
grupos de trabalho e seminários.

Atividade 1.2 - Avaliação contínua do projeto, efetuado numa primeira fase pela análise do
cumprimento de prazos e grau de execução das atividades e, após a disponibilização dos
Tableaux de Board, aferindo também mensalmente o grau de execução das metas e dos
resultados alcançados e mantendo um registo estatístico permanente dos restantes
indicadores de gestão dos mesmos, apresentando relatórios mensais, trimestrais, por época e
anuais dos mesmos. A cada seis meses será revista a análise SWOT inicial do projeto e será
elaborado um relatório de acompanhamento global da evolução do projeto e das melhorias
continuas a implementar, efetuando-se assim uma avaliação intermédia a cada seis meses.
Entre outros indicadores, os relatórios de acompanhamento a elaborar deverão incluir: Valor
de exportações no Volume de Negócios nas PME (em Euros), Investimento privado paralelo ao
apoio público às empresas (subvenções) (em Euros), Empresas que beneficiam de subvenções
(nº), Aumento do emprego em empresas apoiadas (nº) e Empresas que beneficiam de apoio
(nº), acompanhando assim a evolução no tecido empresarial que beneficiará direta e
indiretamente com este projeto.

Atividade 1.3 - Apoio técnico especializado ao projeto, nomeadamente o acompanhamento


permanente e avaliação da qualidade e grau de execução de todas as tarefas e serviços
técnicos preparados no âmbito deste projeto, a interligação entre os consultores contratados,
os promotores turísticos, os organismos I&I e os agentes económicos envolvidos, a interligação
com o Turismo de Portugal e com a Associação de Turismo do Porto e do Norte, a análise
permanente da evolução das ofertas turísticas e a preparação da documentação técnica
necessária para os grupos de trabalho e seminários, assim como a participação dos técnicos do
GeoPark nas reuniões internacionais do European Geoparks, que se realizam duas vezes por
ano, uma na sede da UNESCO (em França) e a outra num geoparque diferente a cada ano (em
2016 foi já escolhido o Reino Unido).
Resultados esperados

Atividade 1.1 – São esperados os seguintes resultados:

• Funcionalidade do Modelo de Governação – 100%


• Apoio a organização, acompanhamento e avaliação das atividades – 38
atividades
• Grau de satisfação dos stakeholders – 90%

Atividade 1.2 – São esperados os seguintes resultados:

• Preenchimento dos Tableux de Board – 21


• Relatórios mensais de acompanhamento – 24
• Relatórios semestrais de avaliação intermédia – 3

Atividade 1.3 – São esperados os seguintes resultados:

• Apoio a organização, acompanhamento e avaliação das atividades – 38


atividades
• Grau de satisfação dos stakeholders – 90%
Ação 2 – Identificação, análise e organização de pacotes turísticos

Resumo

Esta ação permitirá efetuar a identificação e catalogação sistematizada de toda a oferta de


alojamento, restauração, atividades e eventos organizados ao longo do ano, para poderem ser
organizados diversos pacotes turísticos temáticos completos e detalhados, num prisma
orientado para as necessidades e motivações do turista, para além da organização de novos
pacotes turísticos baseados em ofertas que agora não existem no concelho, preparando assim
a ação seguinte e garantindo a disseminação da informação junto dos organismos públicos que
tutelam o Turismo em Portugal.

Para isso, será garantido aos técnicos do Geopark um maior know-how, contacto com
experiências anteriores e com as melhores práticas, articulando posteriormente estes todas as
atividades, em permanente cooperação com os operadores turísticos e com os agentes
económicos locais.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Falta de Organização completa e articulada dos Produtos Turísticos – na medida em que será
nesta ação que se irá concluir o processo de inventariação e catalogação de todos os produtos
e ofertas turísticas (públicas e privadas) disponíveis no concelho.

Especificidade da oferta Turística do concelho de Macedo de Cavaleiros – na medida em que


serão implementadas novas estratégias, ideias e projetos-piloto para se tentar diversificar
ainda mais os produtos turísticos disponíveis.

Falta de uma estratégia integrada entre todos os stakeholders – na medida em que será
nesta ação que se irá iniciar o processo de interligação entre os agentes público / privados com
responsabilidades na promoção turística e os agentes económicos privados, apresentando e
definindo, em conjunto, a operacionalização dos mecanismos e ferramentas que este projeto
colocará à disposição de todos.

Objetivos

Identificar, catalogar e organizar todas as componentes das ofertas e das potencialidades


turísticas do concelho de Macedo de Cavaleiros e promover iniciativas para aumentar a sua
diversificação.
Atividades a desenvolver

Atividade 2.1 - Realização de dois Encontros de trabalho entre o setor empresarial, o setor I&I,
os organismos públicos/privados com responsabilidades no setor e os promotores do projeto,
sendo o primeiro para apresentação formal do projeto aprovado, objetivos aprovados,
metas, indicadores e resultados a alcançar e o segundo, após a realização das atividades de
identificação, catalogação e organização dos pacotes turísticos, para apresentação dos
resultados já alcançados, ajustes pontuais e disseminação da informação e definição
organizada dos passos seguintes.

Atividade 2.2 - Participação dos técnicos envolvidos no projeto no seguinte grupo de trabalho
TOURISM TALKS PRO promovido pelo Turismo de Portugal após iniciar-se o projeto: TURISMO
E TECNOLOGIA (03 dezembro 2015 | Porto).

Atividade 2.3 – Conclusão da Identificação e catalogação numa base de dados comum de toda
a oferta de alojamento, restauração, atividades e eventos organizados ao longo do ano,
trilhos e percursos, locais de interesse a visitar, acessibilidades e transportes. Incluem-se aqui a
recolha de elementos fotográficos e a organização/compilação de textos.

Atividade 2.4 – Conclusão da Organização de pacotes turísticos temáticos e multi-temáticos,


que contenham as seguintes informações: como chegar, onde dormir, o que comer, o que
visitar, com as seguintes vertentes: natureza e vida selvagem, natureza/aventura, natureza e
tradições, tradições e cultura, religião e cultura, assim como desporto e lazer. Incluem-se aqui
a recolha de elementos fotográficos e a organização/compilação de textos.

Atividade 2.5 - Organização de pacotes turísticos temáticos específicos: campos de férias


internacionais, “férias na quinta” (especialmente nas épocas de plantação e de apanha)
dedicadas à vindima, à apanha da azeitona, amêndoa e castanha, produção pecuária.
Pretende-se criar, em conjunto com operadores económicos não ligados ao turismo mas sim
às atividades produtivas de produtos complementares temáticos, que sabemos atualmente
serem do interesse dos turistas estrangeiros. Incluem-se aqui a recolha de elementos
fotográficos e a organização/compilação de textos.

Atividade 2.6 - Disseminação da informação catalogada junto do Turismo de Portugal e da


Associação de Turismo do Porto e Norte para melhoria da informação constante nos seus
portais de promoção turística. Atualmente, por exemplo, uma simples pesquisa no portal de
promoção Turística em Portugal - www.visitportugal.com, não devolve diretamente qualquer
resultado se forem colocadas as expressões Macedo de Cavaleiros ou Terras de Cavaleiros e as
referências existentes no portal da Associação de Turismo do Porto e Norte -
visitportoandnorth.travel, com exceção de um texto sobre a albufeira do Azibo e de outro
sobre Observação de Aves (BirdWatching) que são já bastante concretos, as restantes
referências são demasiado generalistas para serem tidas em consideração no plano da
promoção turística, o que, não sendo responsabilidade desses organismos, materializa a falta
de organização e de aposta numa promoção turística integrada e estruturada do que o nosso
concelho pode oferecer.
Resultados esperados

Atividade 2.1 – Nos dois encontros de trabalho são esperados os seguintes resultados:

• Número total de participantes (por encontro) – 20


• Número de participantes/oradores de organismos I&I (por encontro) – 2
• Grau de satisfação dos participantes – 90%

Atividade 2.2 – Como resultado desta atividade é esperado o enriquecimento das


competências técnicas dos participantes, para posterior disseminação da informação e know-
how adquiridos aos restantes stakeholders do projeto.

• Indicador de resultado – 2 participantes no encontro temático

Atividade 2.3 – Uma vez que este trabalho já foi iniciado pelo Geopark, espera-se a sua
conclusão, sistematização informática, recolha e tratamento dos indicadores económicos (dos
agentes económicos privados) e de toda a informação que servirá de base ao projeto. São
assim esperados como indicadores de resultado:

• Número de empresas envolvidas – 50;


• N.º de ofertas turísticas inventariadas – 160;
• N.º de protocolos celebrados – 30;

Atividade 2.4 – Uma vez que este trabalho também já foi iniciado pelo Geopark, espera-se o
seu melhoramento/aperfeiçoamento, em função dos novos dados compilados na atividade
2.3, produzindo-se assim um conjunto diversificado de pacotes turísticos. São esperados como
indicadores de resultado:

• Número de pacotes turísticos organizados – 15;


• Número de pacotes turísticos distintivos a promover – 10.

Atividade 2.5 – Tratando-se de um conjunto de novas propostas, caberá so setor privado a sua
potencialização. São esperados como indicadores de resultado:

• Número de novas ofertas turísticas criadas – 3;


• Número de novas ideias/ofertas a criar no futuro – 5.

Atividade 2.6 – Esta atividade pretende disseminar toda a informação compilada e organizada
pelas entidades com responsabilidades públicas na promoção turística. São esperados como
indicadores de resultado:

• Número de entidades abrangidas – 2;


Ação 3 – Estudos de prospeção de mercados internacionais

Resumo

Nesta ação será efetuado um estudo conjunto de prospeção de 14 mercados internacionais,


segmentados em três regiões distintas da Europa, para identificação dos cinco mercados com
maior potencial e recetividade para a especificidade da nossa oferta turística, de modo a
serem posteriormente efetuadas as atividades constantes nas ações 4 e 5 (preparação dos
materiais e atividades de promoção internacional).

O estudo incidirá em cada um dos países identificados e apresentará também um relatório


final conjunto.

A disseminação dos resultados dos estudos será igualmente assegurada, quer através de
encontros de trabalho técnicos quer através de um seminário de boas-práticas, destinado ao
setor empresarial.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Pouca projeção Nacional e Internacional da marca "Geopark Terras de Cavaleiros" – na


medida em que será possível aferir, com clareza, o índice potencial de crescimento do turismo
no concelho.

Falta de conhecimento dos mercados internacionais – na medida em que será possível


identificar pela primeira vez, entre os 14 países pré-selecionados, quais os países com maior
motivação / predisposição para usufruírem da nossa oferta turística, tendo sempre em
consideração a maximização dos resultados. Atualmente não existe qualquer informação sobre
quais os países onde a nossa oferta turística será mais motivadora.

Falta de Organização completa e articulada dos Produtos Turísticos – na medida em que será
analisado, pela primeira vez, qual a recetividade potencial que a oferta turística do nosso
concelho pode assumir nos mercados internacionais, quando apresentada em pacotes
turísticos detalhados e completos, o que gerará nos agentes económicos locais um
conhecimento mais aprofundado sobre as suas potencialidades.

Falta de Melhoria Contínua organizada – na medida em que nunca foi promovida no nosso
concelho uma estratégia articulada e integrada de internacionalização da oferta turística, para
além do fortalecimento efetivo no que concerne ao envolvimento entre os agentes
económicos privados e as instituições públicas/privadas com responsabilidades locais.
Objetivos

Efetuar os estudos de mercados internacionais para selecionar até cinco países onde apostar
na promoção turística e preparar todos os operadores turísticos para poderem dar resposta às
necessidades/potencialidades identificadas.

Atividades a desenvolver

Atividade 3.1 - Elaboração de um estudo prévio de prospeção de mercados internacionais


(identificando os cinco mercados mais potenciais para a nossa oferta turística entre os
seguintes países: norte da europa (Dinamarca, Suécia, Noruega, Islândia e Finlândia), centro da
europa (Reino Unido, Bélgica, Holanda, Alemanha, Suíça e Áustria) e sul da Europa (Espanha,
França e Itália). Serão identificadas as melhores oportunidades de promoção turística e serão
escolhidos os cinco países para se apostar na promoção turística direta (ainda que a promoção
indireta incida sobre todos os países, de forma recorrente e normalizada, em virtude das
ferramentas de marketing digital abrangidas). O estudo servirá também de base para a futura
aposta nos restantes países não abrangidos diretamente por este projeto, numa fase
posterior.

O estudo prévio de prospeção de mercados internacionais deve também utilizar métricas que
permitam uma medição, o mais exata possível, da taxa de retorno do investimento do
processo de internacionalização, para cada país selecionado e deverá dar resposta aos
seguintes fatores: Potencial do mercado em análise; Previsão da quota de mercado expectável,
ao exportar os serviços turísticos; Projeção de custos e vendas; Estimativa da taxa de retorno
sobre este investimento na internacionalização (com análises custo-benefício para cada país);
Identificação de canais de promoção turística e dos principais operadores turísticos;
Identificação dos principais certames de promoção turística do país (incluindo datas, previsão
de custos e logística associada); Identificação dos principais destinos concorrentes em cada
país e quotas de mercado; Mecanismos de avaliação das métricas utilizadas e projeção do
impacto do potencial de exportação de serviços turísticos nos objetivos traçados em Portugal.
Deverá ainda identificar as melhores ferramentas de marketing a adotar em cada país e
apresentar qualquer sugestão de melhoria e/ou reforço das atividades previstas, assim como
sugestões sobre as potencialidades de empreendedorismo e investimento privado que podem
ser promovidas pelos agentes económicos, garantindo assim o máximo de efetividade dos
recursos financeiros investidos.

O estudo prévio de prospeção de mercados internacionais será composto por pelo menos 14
capítulos (um por cada país identificado), devendo utilizar como base a oferta turística já
organizada pela ação 2, devendo prever ainda o crescimento esperado na diversificação da
oferta turística do concelho.

Atividade 3.2 - Encontro de trabalho entre o setor empresarial, o setor I&I , os organismos
públicos/privados com responsabilidades no setor e os promotores do projeto, para
apresentação dos resultados do estudo prévio de prospeção de mercados internacionais e
identificação dos próximos passos do projeto.

Atividade 3.3 - Realização de um Seminário de boas-práticas destinado ao setor empresarial,


com a presença de individualidades do Turismo de Portugal, da Associação de Turismo do
Porto e do Norte e ainda de alguns promotores internacionais dos países a abranger no
projeto.

Resultados esperados

Atividade 3.1 – Para esta atividade é esperado, como resultado, a apresentação de um estudo
detalhado, organizado e completo, abrangendo um total de 14 mercados potenciais, que
contenha as seguintes indicações/métricas:

• Identificação dos cinco países com as melhores oportunidades de promoção turística;


• Quais as melhores ferramentas de marketing digital que devem ser adotadas em cada
país;
• Potencial do mercado em análise;
• Previsão da quota de mercado expectável, ao exportar os serviços turísticos;
• Projeção de custos e vendas;
• Estimativa da taxa de retorno sobre este investimento na internacionalização (com
análises custo-benefício para cada país);
• Identificação de canais de promoção turística e dos principais operadores turísticos;
• Identificação dos principais certames de promoção turística do país (incluindo datas,
previsão de custos e logística associada);
• Identificação dos principais concorrentes, quotas de mercado, meios de comunicação
social, jornalistas e principais opinion-makers;
• Mecanismos de avaliação das métricas utilizadas e projeção do impacto do potencial
de exportação de serviços turísticos nos objetivos traçados em Portugal;
• Apresentação de sugestões sobre as potencialidades de empreendedorismo e
investimento privado que podem ser promovidas pelos agentes económicos.

Atividade 3.2 – No Encontro de trabalho são esperados os seguintes resultados:

Número total de participantes – 20


Número de participantes/oradores de organismos I&I – 2
Grau de satisfação dos participantes – 90%

Atividade 3.3 – No Seminário de boas-práticas destinado ao setor empresarial e organismos


público/privados, são esperados os seguintes resultados:

Número total de participantes - 30


Número de participantes/oradores de organismos com responsabilidades nas políticas
públicas de promoção turística – 2
Grau de satisfação dos participantes – 90%
Ação 4 – Preparação de stands e ferramentas de promoção turística

Resumo

Esta ação pretende transformar os dados, informações e pacotes turísticos identificados


anteriormente em produtos turísticos apelativos e funcionais, preparados em função das
motivações identificadas nos países onde serão efetuadas as promoções e divulgações, criando
os equipamentos, materiais promocionais e ferramentas necessárias para a implementação de
toda a estratégia de marketing do projeto (incluindo marketing digital), assegurando o foco
nos resultados a alcançar.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Falta de materiais e stands promocionais estruturados para a promoção turística


internacional – na medida em que não existe atualmente nenhuma estrutura preparada para
ser utilizada na promoção turística do concelho e os poucos materiais publicitários existentes
não são editáveis, não estão preparados para a utilização no estrangeiro e encontram-se já
desatualizados em matéria de conteúdos.

Falta de Melhoria Contínua organizada – na medida em que serão criadas e disponibilizadas


as ferramentas necessárias para que os agentes económicos e os próprios turistas nos possam
fazer chegar o seu feedback, materializando depois esses dados numa melhoria contínua da
nossa oferta turística.

Sinalização disponível para os Geossítios não completa ou com muitas lacunas – na medida
em que iremos dotar de sinalética adequada os principais geossítios do Geopark “Terras de
Cavaleiros”, o que é fundamental para que se possam converter em produtos de interesse
turístico.

Falta de conhecimento dos mercados internacionais – na medida em que os encontros de


trabalho permitirão continuar a disseminar, entre todos os agentes económicos, os resultados,
recomendações e projeções do estudo prévio efetuado na atividade 3.1, preparando as
estratégias colaterais que os agentes económicos deverão adotar no âmbito das iniciativas
deste projeto.

Pouca projeção Nacional e Internacional da marca "Geopark Terras de Cavaleiros" – na


medida em que será nesta ação que iremos preparar e disponibilizar os materiais e
ferramentas necessárias para iniciar o processo de internacionalização da nossa marca.

Falta de uma estratégia integrada entre todos os stakeholders – na medida em que será
nesta ação que serão elaborados os Tableaux de Board a disponibilizar aos agentes
económicos (ferramenta de gestão essencial para uma análise sistemática e assertiva de
qualquer projeto) e serão definidos, caso a caso, os mecanismos de acompanhamento do
projeto e as melhorias contínuas já identificadas, para fortalecer a interligação entre todos os
stakeholders.

Falta de Organização completa e articulada dos Produtos Turísticos – na medida em que será
nesta ação que iremos potenciar a interligação com um conjunto de promotores e operadores
turísticos externos ao concelho, para complementar as nossas ofertas e os nossos pacotes
turísticos, tornando-os mais motivadores e de aceitação mais fácil para os turistas
estrangeiros.

Objetivos

Preparação técnica da marca “GEOPARK TERRAS DE CAVALEIROS”, materiais publicitários e


promocionais, sistemas informáticos de apoio e stands para a promoção turística devidamente
adaptados às ofertas turísticas.

Atividades a desenvolver

Atividade 4.1 - Melhorias na marca corporativa "GEOPARK Terras de Cavaleiros" e registos de


propriedade industrial Europeia, melhorando a sua potencialidade como marca de promoção
turística, elaboração dos materiais gráficos, vídeos promocionais, etc.

Atividade 4.2 - Serviços de Tradução de todos os conteúdos escritos e dos pacotes turísticos
já organizados para as línguas dos cinco países escolhidos no âmbito do estudo de prospeção
de mercados (garantindo que, caso os mercados francófonos, britânicos e germânicos não
sejam englobados diretamente no projeto, os materiais sejam igualmente traduzidos para
estas línguas, assim como para castelhano).

Atividade 4.3 - Conceção e impressão de catálogos e materiais de promoção turística em


Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Francês e nas restantes línguas dos países identificados
no estudo de prospeção de mercados.

Atividade 4.4 - Implementação de um sistema online de gestão da qualidade e de feedback


em todos os agentes empresariais do concelho de Macedo de Cavaleiros, para registo do grau
de satisfação global e particular dos turistas que visitem o nosso concelho. Este sistema deverá
igualmente permitir que sejam identificados os turistas que visitaram o nosso concelho através
das campanhas de promoção turística implementadas com este projeto.

Atividade 4.5 - Criação da restante sinalética necessária para identificar os pontos de


interesse do GeoPark, uma das fraquezas já anteriormente identificadas através de um estudo
realizado por Bruno Daniel Silva Gonçalves, que efetuou em 2013 a “Avaliação do valor
turístico dos geossítios do Geoparque Terras de Cavaleiros” e que identificou como essencial a
aposta na catalogação, sinalização e divulgação dos 42 geossítios disponíveis no GeoPark.
Desde então o trabalho de catalogação e divulgação já foi iniciado, estando também a
sinalização e logística associada às acessibilidades mais atrasadas, sendo ainda necessária
muitas intervenções. No âmbito deste projeto propomos-nos a dotar de sinalética adequada
12 dos geossítios com melhor potencial geoturistico.

Atividade 4.6 - Criação de Tableaux de Bord para análise dos principais indicadores de
resultados do projeto: Hóspedes, Dormidas, Proveitos Globais, Taxas de Ocupação, Fluxos de
Turistas (por país de origem / transporte utilizado), Equipamentos e Infraestruturas utilizadas,
Pacotes escolhidos, Feedback (satisfação), Potencial de retorno futuro. No âmbito desta
ferramenta, os consultores devem transferir conhecimento para os técnicos do Geopark
poderem proceder a uma adequada utilização da ferramenta.

Atividade 4.7 – Criação e construção do stand de promoção turística para ser utilizado nas
feiras e eventos internacionais. Este stand deverá ser modular (preparado para espaço maiores
ou mais pequenos, ter uma área para promoção de produtos regionais, uma área de
receção/atendimento, uma área destinada a pequenos eventos gastronómicos (até 12 lugares)
e uma área multimédia (para visualização de filmes promocionais e um quiosque multimédia).
Os materiais devem ser leves e de fácil arrumação/transporte e devem ser incluídos todos os
equipamentos necessários para o seu funcionamento (exceto equipamentos industriais de
cozinha, que serão sempre da responsabilidade das empresas convidadas a participar nos
certames).

Atividade 4.8 - Melhorias do Portal “Geopark Terras de Cavaleiros”, acrescentando-lhe novas


funcionalidades, como SEO, suporte multiplataforma e criação de conteúdos em várias línguas
(em função dos países identificados na atividade 3.1), e integrando-lhe igualmente
automatismos nas seguintes redes sociais: Facebook, Twitter, Youtube, Pinterest, Flickr e
Google+. Incluem-se nesta atividade as atualizações periódicas de informação.

Atividade 4.9 – Criação/melhorias de aplicações smartphone (Android, IOS, Windows).

Atividade 4.10 - Elaboração das campanhas de marketing digital segmentadas, incluindo


campanhas específicas Adwords.

Atividade 4.11 - Estabelecimento de parcerias empresariais com agentes de transporte de


turistas, nomeadamente com transportadoras aéreas a operar no Porto a TAP, RyanAir,
EasyJet e outras das 18 operadoras (principalmente as low-cost) que voam para o aeroporto
do Porto (possibilidade de integrar bilhetes baratos e pacotes familiares nos catálogos
turísticos), Rent-a-Car (possibilidade de criar um pacote específico de aluguer de viaturas
ligeiras nos catálogos turísticos, que estejam disponíveis logo à chegada ao Aeroporto),
Renting de Caravanas (possibilidade de criar um pacote específico de aluguer de
autocaravanas nos catálogos turísticos).

Atividade 4.12 - Análise e discussão com alguns promotores turísticos sobre a possibilidade
de se criarem pacotes turísticos temáticos que envolvam chegadas/partidas através dos
barcos do Douro e Comboio Tradicional da linha do Douro, existindo posteriormente
transportes de e para esses locais que tragam os turistas para Macedo de Cavaleiros.

Atividade 4.13 - Encontro de trabalho entre o setor empresarial, o setor I&I, os organismos
públicos/privados com responsabilidades no setor e os promotores do projeto para
apresentação dos resultados já alcançados, ajustes pontuais e disseminação da informação e
dos passos seguintes.

Resultados esperados

Atividade 4.1 – São esperados os seguintes resultados:

• Registo europeu de marca – 1


• Website multi idioma, multiplataforma – 1
• Número de vídeos promocionais – 5
• Estacionário gráfico completo – 1
• Redes Sociais interligadas automaticamente ao website -

Atividade 4.2 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de idiomas com materiais traduzidos – 5

Atividade 4.3 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de catálogos concebidos – 6


• Número de brochuras concebidas – 20
• Número de catálogos impressos - 400
• Número de brochuras impressas - 1750

Atividade 4.4 – São esperados os seguintes resultados:

• Website para gestão da qualidade – 1

Atividade 4.5 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de Outdoors Publicitários – 4


• Número de placas de sinalização colocadas – 160
• Número de geossítios identificados – 10

Atividade 4.6 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de Tableaux de Board criados – 2


• Número de empresas abrangidas – 50

Atividade 4.7 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de stands construídos – 1

Atividade 4.8 – São esperados os seguintes resultados:

• Website multi idioma, multiplataforma – 1


• Número de idiomas disponíveis – 5
• Redes Sociais interligadas automaticamente ao website – 6

Atividade 4.9 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de aplicações criadas – 3

Atividade 4.10 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de campanhas Adwords criadas – 15

Atividade 4.11 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de parcerias formais estabelecidas – 5

Atividade 4.12 – São esperados os seguintes resultados:

• Número de parcerias formais estabelecidas – 1

Atividade 4.13 – No encontro de trabalho são esperados os seguintes resultados:

• Número total de participantes – 20


• Número de participantes/oradores de organismos I&I (por encontro) – 1
• Grau de satisfação dos participantes – 90%
Ação 5 – Internacionalização da Promoção Turística

Resumo

Para além das iniciativas de marketing digital e de promoção junto dos operadores turísticos
nacionais implementadas na ação 4, será nesta ação onde se irão concentrar os esforços de
promoção internacional da marca “Geopark Terras de Cavaleiros”, abrangendo quer a
presença em feiras e eventos internacionais quer a vinda de jornalistas, opinion-makers e
operadores turísticos internacionais ao concelho de Macedo de Cavaleiros.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Falta de Melhoria Contínua organizada, em particular no feedback dos turistas – na medida


em que a utilização destas novas ferramentas (proporcionadas por este projeto) permitirá aos
agentes económicos e aos técnicos do Geopark aferirem o grau de satisfação dos turistas
sobre a nossa oferta e promoverem as medidas corretivas necessárias para uma adequada
melhoria contínua.

Pouca projeção Nacional e Internacional da marca "Geopark Terras de Cavaleiros" – na


medida em que serão iniciados, pela primeira vez, os processos de internacionalização da
nossa oferta turística, quer através da participação em feiras e eventos no exterior, quer
através da receção de jornalistas, opinion-makers e operadores turísticos internacionais em
Macedo de Cavaleiros, que transmitirão nos seus países o nosso potencial.

Falta de uma estratégia integrada entre todos os stakeholders – na medida em que serão
reforçados os mecanismos de disseminação de resultados já iniciados nas ações anteriores,
assim como a transferência de conhecimentos e novas visões para os nossos agentes
económicos.

Falta de Organização completa e articulada dos Produtos Turísticos – na medida em que


serão criadas as condições prévias para o tratamento e encaminhamento de turistas, através
de uma centralização de informação que proporcionará aos interessados maiores facilidades e
esclarecimentos prévios sobre os nossos pacotes turísticos.

Objetivos
Atividades de promoção turística no estrangeiro, nomeadamente ações de marketing digital,
participação em feiras e eventos internacionais, apresentações dos pacotes turísticos a
operadores turísticos internacionais e receção de jornalistas, opinion-makers e operadores
internacionais em Macedo de Cavaleiros.

Atividades a desenvolver

Atividade 5.1 - Atividades de promoção turística no estrangeiro (participação em feiras e


eventos nos países selecionados) em parceria com a Associação de Turismo do Porto e Norte e
Turismo de Portugal, sempre que estes agentes participem nos eventos. Prevemos nesta
atividade participar em 3 eventos anuais (em conjunto com os organismos públicos) e num
total de 20 feiras e eventos internacionais (dois em cada um dos países identificados na
atividade 3.1) repartidos entre 2016 e 2017.

Atividade 5.2 - Vinda a Portugal de jornalistas e opinion-makers dos países selecionados para
conhecerem a região e o que esta pode oferecer, para posterior divulgação nos seus meios de
comunicação social. Com base nas informações resultantes da atividade 3.1 e nas
subsequentes visitas a eventos internacionais, serão convidados dois jornalistas/opinion-
makers de cada um dos países selecionados a conhecerem o GeoPark “Terras de Cavaleiros”.
Os períodos escolhidos para a vinda destes convidados coincidem com os meses de maior
potencial turístico.

Atividade 5.3 - Vinda a Portugal dos principais operadores turísticos dos países selecionados
para conhecerem a região e o que esta pode oferecer, para posterior divulgação dos pacotes
turísticos nos seus catálogos. Com base nas informações resultantes da atividade 3.1 e nas
subsequentes visitas a eventos internacionais, serão convidados os dois promotores turísticos
com maior potencial de cada um dos países selecionados a conhecerem o GeoPark “Terras de
Cavaleiros”. Os períodos escolhidos para a vinda destes convidados coincidem com os meses
de maior potencial turístico.

Atividade 5.4 - Centralização na ACISMC e no GEOPARK da resposta a solicitações, questões e


agendamentos dos pacotes turísticos, se os operadores não tiverem condições para assegurar
estes serviços.

Atividade 5.5 - Organização de quatro Encontros de trabalho entre o setor empresarial, o


setor I&I, os organismos públicos/privados com responsabilidades no setor e os promotores do
projeto para apresentação dos resultados já alcançados, ajustes pontuais e disseminação da
informação e dos passos seguintes. Estes encontros serão realizados antes do início da época
alta e da época baixa do ano de 2016, um encontro no mês de Fevereiro de 2017 para análise
global do ano de 2016 e preparação de 2017 e um encontro antes do início da época alta de
2017.

Atividade 5.6 - Disseminar a oferta turística nos principais portais internacionais de turismo
(www.routard.com, www.roughguides.com, www.tripadvisor.com,
www.europeanbestdestinations.com, www.booking.com, www.priceline.com,
www.expedia.ie, www.spottedbylocals.com, www.bahn.de, www.yelp.com, entre outros).
Resultados esperados

Atividade 5.1 – São esperados como indicadores de resultado:

• Países onde estivemos presentes – 5


• Eventos onde participámos em copromoção com o Turismo de Portugal e/ou
outra agência governamental – 3
• Eventos / Feiras / Certames onde estivemos representados – 20
• Número total de visitantes abrangidos nos eventos – 30.000
• Número de atendimentos no stand – 2.000
• Grau de satisfação dos visitantes do stand – 80%
• Número de pacotes turísticos promovidos (turistas que nos visitaram após
terem conhecido a nossa oferta turística) – 1.000
• Número de operadores turísticos internacionais contactados - 40

Atividade 5.2 – São esperados como indicadores de resultado:

• Número de jornalistas / opinion-makers recebidos – 10


• Número de artigos publicados subsequentemente – 5
• Grau de satisfação – 80%

Atividade 5.3 – São esperados como indicadores de resultado:

• Número de operadores turísticos internacionais recebidos – 10


• Número de pacotes turísticos promovidos por esses operadores – 10
• Grau de satisfação – 80%

Atividade 5.4 – São esperados como indicadores de resultado:

• Número de contactos recebidos – 500


• % de recetividade e agendamento de pacotes turísticos – 30%
• Grau de satisfação – 80%

Atividade 5.5 – Nos quatro encontro de trabalho são esperados os seguintes resultados (por
encontro):

Número total de participantes – 30


Número de participantes/oradores de organismos I&I – 2
Grau de satisfação dos participantes – 90%

Atividade 5.6 – São esperados como indicadores de resultado:

• Número de portais internacionais contactados – 30


• Número de portais internacionais que passem a disponibilizar informação
sobre os nossos pacotes turísticos – 15
Ação 6 – Disseminação do projeto e alargamento do projeto aos restantes
concelhos do Nordeste Transmontano

Resumo

A disseminação aos restantes concelhos do Nordeste Transmontano dos estudos efetuados,


dos resultados deste projeto, dos materiais elaborados, dos pacotes turísticos criados e a
subsequente interligação das ofertas turísticas será a chave para o sucesso futuro da
promoção turística da região, pois permitirá não apenas uma economia de escala como
também a potencialização de visitas mais prolongadas e de públicos mais diversificados, uma
vez que existem ofertas turísticas específicas em todos os concelhos do distrito que se
complementam entre si, gerando uma oferta global muito mais abrangente.

As atividades previstas de articulação com os restantes concelhos foram separadas em


concelhos limítrofes e não limítrofes, uma vez que as sinergias possíveis são bastante
diferenciadas e implicam análises específicas.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação pretende responder às seguintes falhas de mercado (fraquezas) identificadas na


análise SWOT:

Especificidades da oferta Turística e Falta de uma estratégia integrada – na medida em que a


agregação das ofertas turísticas dos demais concelhos do Nordeste Transmontano cria
sinergias muito positivas e complementares, potenciando a criação de pacotes turísticos
integrados mais atrativos e que potenciem a permanência de visitantes por períodos maiores,
melhorando e maximizando os investimentos e incentivos públicos para a obtenção de
melhores resultados.

Pouca projeção Nacional e Internacional – na medida em que se pretende identificar quais


pacotes turísticos integrados que possam ser criados e potenciados para reforçar a promoção
turística nos mercados selecionados neste projeto.

Falta de Melhoria Contínua – na medida em que as atividades previstas possibilitam a


disseminação de resultados e replicação de experiências, know-how adquiridos e exemplos de
boas práticas, mitigando a falta de melhoria contínua exigível a uma promoção turística de
referência.

Objetivos

Alargamento do know-how adquirido a todos os concelhos do Nordeste Transmontano,


disseminação das boas práticas e elaboração de catálogos integrados de promoção turística de
toda a região, utilizando como base todos os estudos, materiais, sistemas e know-how criados
no âmbito deste projeto.

Atividades a desenvolver

Atividade 6.1 – Realização de três Encontros de trabalho entre o setor I&I, os organismos
públicos/privados com responsabilidades no setor dos novos concelhos aderentes e os
promotores do projeto para apresentação da evolução do projeto, das atividades já
implementadas, dos estudos de prospeção de mercados realizados, dos resultados já
alcançados, análise das necessidades de ajustes pontuais/temáticos e disseminação da
informação disponível. Os encontros de trabalho serão assim divididos: um com os concelhos
limítrofes, outro com os restantes concelhos e um último com todos representantes dos
concelhos que demonstraram interesse em aproveitar as potencialidades geradas pelo projeto
no âmbito da promoção turística internacional, para idealização de pacotes turísticos mais
integrados e definição de objetivos, metodologias de implementação e metas futuras a
alcançar.

Atividade 6.2 - Seminário de boas-práticas destinado ao setor empresarial e organismos


público/privados dos novos concelhos aderentes (é nosso objetivo contar com a presença de
oradores da Associação de Turismo do Porto e Norte e/ou Turismo de Portugal, assim como
promotores internacionais que estejam a colaborar com este projeto e/ou de países
abrangidos pelo mesmo).

Atividade 6.3 - Articulação com a oferta turística dos concelhos limítrofes: Alfândega da Fé,
Bragança, Mirandela, Mogadouro, Vimioso e Vinhais, para apresentação de pacotes turísticos
ainda mais integrados e abrangentes, partindo da avaliação intermédia efetuada 18 meses
após o arranque do projeto e dos resultados dos encontros de trabalho e do seminário
realizado, para pacotes turísticos de maior duração e maior diversidade, partindo de pacotes
turísticos que potenciem a época baixa de 2017-2018 (já pós projeto), projetando
atempadamente os de pacotes turísticos que potenciem a época alta de 2018 (já pós projeto).

Atividade 6.4 - Articulação com a oferta turística dos concelhos não limítrofes mas integrados
no Distrito de Bragança: Carrazeda de Ansiães, Miranda do Douro, Torre de Moncorvo e Vila
Flor, para apresentação de pacotes turísticos ainda mais integrados e abrangentes, partindo da
avaliação intermédia efetuada 18 meses após o arranque do projeto e dos resultados dos
encontros de trabalho e do seminário realizado, para pacotes turísticos de maior duração e
maior diversidade, partindo de pacotes turísticos que potenciem a época baixa de 2017-2018
(já pós projeto), projetando atempadamente os de pacotes turísticos que potenciem a época
alta de 2018 (já pós projeto).

Resultados esperados
Atividade 6.1 – Nos três Encontros de trabalho são esperados os seguintes resultados (A
corresponde aos indicadores para cada um dos dois primeiros encontros e B corresponde aos
indicadores para o terceiro encontro):

Número total de participantes – (A-10; B-10)


Número de participantes/oradores de organismos I&I – (A-1; B-1)
Grau de satisfação dos participantes – (A-90%; B-90%)

Atividade 6.2 – No Seminário de boas-práticas destinado ao setor empresarial e organismos


público/privados dos novos concelhos aderentes, são esperados os seguintes resultados:

Número total de participantes - 30


Número de participantes/oradores de organismos com responsabilidades nas políticas
públicas de promoção turística – 2
Grau de satisfação dos participantes – 90%

Atividade 6.3 – Compromisso formal de adesão de operadores económicos e/ou organismos


público/privados com responsabilidades na promoção do turismo a pacotes turísticos ainda
mais integrados e abrangentes, a serem implementados a partir de 2018, em pelo menos
quatro dos concelhos limítrofes: Alfândega da Fé, Bragança, Mirandela, Mogadouro, Vimioso e
Vinhais.

Atividade 6.4 - Compromisso formal de adesão de operadores económicos e/ou organismos


público/privados com responsabilidades na promoção do turismo a pacotes turísticos ainda
mais integrados e abrangentes, a serem implementados a partir de 2018, em pelo menos dois
dos restantes concelhos do distrito de Bragança: Carrazeda de Ansiães, Miranda do Douro,
Torre de Moncorvo e Vila Flor.
Ação 7 – Avaliação, disseminação de resultados e sustentabilidade futura

Resumo

Esta ação pretende proceder à avaliação de todo o projeto, promover a disseminação final de
resultados, boas práticas e sugestões de melhoria identificadas, assim como apresentar a
melhor estratégia de autossustentabilidade futura deste projeto, uma vez que é fundamental
garantir a continuidade da aposta na promoção turística internacional e, potencialmente, a
evolução para novos mercados.

Falhas de mercado a que responde

Esta ação responde a duas falhas conhecidas em projetos não empresariais: falta de
sustentabilidade futura das ações após o encerramento de projetos financiados e lacunas na
disseminação de resultados e replicação de experiências, know-how adquiridos e exemplos de
boas práticas, que mitigam a fraqueza “Falta de Melhoria Contínua” identificada na análise
SWOT.

Pretende igualmente analisar a evolução positiva da fraqueza “Pouca projeção Nacional e


Internacional” identificada na análise SWOT e identificar quais os novos mercados que possam
agora ser potenciados e/ou o reforço de promoção turística nos mercados selecionados neste
projeto.

Adicionalmente, esta ação responde também não a uma falha de mercado mas sim a uma
obrigatoriedade do QCA PORTUGAL2020: a realização de uma avaliação final independente à
execução do próprio projeto.

Objetivos

Avaliação ex-post do projeto, por uma entidade externa, analisando os pressupostos iniciais e
os resultados alcançados; análise de viabilidade económico-financeira da continuidade da
iniciativa pós financiamento do projeto; Seminário final de apresentação dos resultados do
projeto, orientado para a disseminação de resultados e para a potencialização da atividade
desenvolvida e das experiências adquiridas noutras regiões com potencialidade turística não
explorada.

Atividades a desenvolver
Atividade 7.1 - Elaboração da avaliação ex-post do projeto (realizada por uma entidade
externa independente), analisando os pressupostos iniciais e os resultados alcançados. Este
relatório deverá ainda efetuar uma análise da situação à data da promoção turística e das
potencialidades ainda por melhorar, nomeadamente a identificação de novos mercados
internacionais onde se deverá apostar na promoção turística do concelho, assim como os
mercados atualmente abrangidos onde se deverá reforçar a aposta. Os pressupostos iniciais
partem da análise efetuada em sede de candidatura, da inventariação e catalogação de toda a
oferta turística (atividade 2.2), dos estudos de prospeção de mercados efetuados (atividade
3.1) e dos relatórios semestrais de acompanhamento (atividade 1.2). Esta avaliação inclui
também a elaboração e tratamento estatístico de inquéritos de satisfação e de impacto na
atividade económica junto dos agentes económicos públicos e privados e o tratamento
estatístico dos inquéritos de satisfação realizados aos turistas que visitaram o concelho entre
2016 e 2017 (atividade 4.4).

Atividade 7.2 - Análise de um estudo de viabilidade económico-financeira que permita


identificar as melhores práticas para garantir a continuidade da iniciativa pós financiamento
do projeto, nomeadamente através do estabelecimento de mecanismos de financiamento dos
operadores económicos privados já abrangidos pelo sistema criado, que permita autofinanciar
na totalidade a estrutura criada e/ou através de novos mecanismos de politicas públicas, assim
como através da conjugação de ambos.

Atividade 7.3 - Seminário final de apresentação de resultados do projeto, destinado ao setor


empresarial e organismos público/privados do concelho de Macedo de Cavaleiros e dos novos
concelhos aderentes e com o objetivo de delinear a implementação das estratégias
identificadas no estudo de viabilidade económico-financeira realizado, para garantir a
sustentabilidade futura da iniciativa e minimizar as fraquezas identificadas (trazer Associação
de Turismo do Porto e Norte e Turismo de Portugal, assim como promotores internacionais).

Resultados esperados

Atividade 7.1 – Relatório final de avaliação do projeto com avaliação positiva, contendo os
seguintes indicadores (cenário base – dez/2015, cenário final – 3T/2017), para além da
avaliação de todos os restantes indicadores identificados neste projeto:

Número de empresas relacionadas diretamente com a atividade turística abrangidas


pelas atividades deste projeto (Potencial – acima de 85%, resultado mínimo esperado
– 70%);
Grau de implementação das atividades (Potencial - 100%, resultado mínimo esperado
– 90%);
Grau de satisfação dos turistas (Potencial – acima de 85%, resultado mínimo esperado
– 70%);
Número de empresas que aumentaram as exportações através das atividades
(Potencial – acima de 85%, resultado mínimo esperado – 50%);
Investimento privado paralelo ao apoio público às empresas (Potencial – acima de
50%, resultado mínimo esperado – 35%);
Aumento do emprego em empresas apoiadas (Potencial – acima de 50%, resultado
mínimo esperado – 35%).

Atividade 7.2 – O Estudo de viabilidade económico-financeira deverá identificar pelo menos


duas formas de autossustentabilidade futura das ações promovidas por este projeto, sendo
esperado como resultado a total autossustentabilidade futura do projeto através de
mecanismos de financiamento próprios dos agentes económicos privados.

Atividade 7.3 – No Seminário final de apresentação de resultados do projeto, para além da


divulgação em si dos relatórios finais e das propostas de melhoria contínua, são esperados os
seguintes resultados:

Número total de participantes - 45


Número de participantes/oradores de organismos com responsabilidades nas políticas
públicas de promoção turística – 5
Número de operadores turísticos supra concelhios presentes – 10
Grau de satisfação dos participantes – 90%