Vous êtes sur la page 1sur 2

DIOCESE DE JOINVILLE

Paróquia São Paulo Apóstolo


Formação com catequistas
Joinville, 27 de abril de 2019

1. PLANEJAMENTO tornaram discípulos missionários. Não são pessoas


Planejar é fazer planos. É estabelecer metas, objetivos. prontas ou perfeitas no discipulado, mas são membros
É saber o que se busca e aonde se quer chegar. É medir da comunidade que desejam que outros participem da
o tempo e calcular os prazos. É controlar as falhas e se alegria de seguir o caminho. Todos os membros da co-
possível, prevê-las. É vibrar com os acertos e comemo- munidade são missionários, mas os "introdutores", es-
rar os ganhos [...]. Para realizar o planejamento sugeri- pecialmente, devem cuidar do querigma.
mos algumas ações concretas:
I. Leitura do manual 160. Os "introdutores" fazem um acompanhamento
II. Confecção de um calendário personalizado, orientando os primeiros passos de quem
III. Encontros de formação deseja aproximar-se da fé cristã. Por isso, é importante
IV. Preparação dos ministérios desenvolver a consciência sobre a necessidade deste
V. Preparação das celebrações ministério nas comunidades da Igreja no Brasil. Além da
VI. Momentos de avaliação da caminhada formação doutrinal e bíblica, devem ter sensibilidade
VII. Engajamento e adesão para ser verdadeiros companheiros do iniciando que
VIII. Divulgação das ações da catequese. estiverem orientando.

(DIOCESE DE JOINVILLE. Confirmados na fé: iniciação cristã de ins-


161. Introdutores e catequistas precisam considerar a
piração catecumenal: crisma: catequista. São Paulo: Paulus, 2013)
situação de cada um dos candidatos à Iniciação à Vida
2. VISITA ÀS FAMÍLIAS Cristã, tendo "as situações históricas e as aspirações
A visitação é um ministério de evangelização. A visita às autenticamente humanas como primeiros sinais a que
famílias é um gesto humano, sinal de amizade, de inte- se deve prestar atenção para descobrir o desígnio de
resse, de acolhida, é ser igreja, mãe de coração aberto e Deus sobre os homens" (CELAM: Documento de Medellim.
receptivo (Evangelii Gaudium n. 46). A Bíblia relata inú- Documento da Catequese, n. 8). Isso somente será possí-
meras visitas que revelam o amor de Deus, anunciam vel em uma relação de proximidade, cordialidade e es-
boas notícias e realizam o Plano de Salvação. Jesus cuta. Santo Agostinho orientava os evangelizadores e
manda entrar nas casas para evangelizar: catequistas a procurarem conhecer, com antecedência,
• Mateus 10,12; a vida de quem procura a fé, especialmente "seu estado
• Marcos 6,10. de espírito e as causas que o induziram a vir a receber a
religião" (Santo Agostinho, De catechizandis rudibus, IX).
Ao entrar na casa, digam primeiro:
A paz esteja nesta casa (Lc 10,5)! 162. O primeiro anúncio dirige-se a pessoas que dese-
A pessoa que visita tem confiança, certeza que Deus jam acolher livremente a mensagem cristã. Portanto, o
caminha com ela e tem consciência de ser instrumento Introdutor precisará considerar que tudo o que fizer
de Deus e de salvação. Vai em nome do Senhor e é en- pressão ou manipulação não corresponderá ao estilo
viada pela da Igreja. evangelizador de Jesus.

(CNBB. Iniciação à Vida Cristã: itinerário para formar discípulos


A vista é uma ação QUERIGMÁTICA! Vejas o que o Do- missionários - Documento da CNBB n. 107. Brasília: Edições da
cumento n. 107 afirma: CNBB, 2017)

159. O Primeiro Anúncio é realizado por cristãos que


fizeram a experiência do encontro com o Senhor e se
3. A NATUREZA DA LEITURA ORANTE Depois de relembrar minha vida, de escutar a palavra de
Com efeito, a Leitura Orante é um modo de ler a Bíblia Deus, de pensar sobre a palavra de Deus, de rezar e ten-
tar ver o mundo conforme Deus olha, qual o meu com-
que completa o estudo, mas se fundamenta em motivos promisso com esta nova fé.
de fé e exprime a busca apaixonada do rosto de Cristo.
Dizia Orígenes: “As palavras que estão na Bíblia são as
mesmas que o esposo Jesus troca com a esposa, que é
a Igreja”. Portanto, não basta ler a Bíblia apenas no mo-
mento propriamente dito da Leitura Orante; é preciso
familiarizar-se com a Bíblia.
A Leitura Orante não é uma leitura qualquer da Bíblia; é
uma leitura que deve levar à oração e à contemplação.
É a busca sapiencial da verdade, a fim de tornar-nos
consanguíneos, como que mediante uma comunhão de (DIOCESE DE JOINVILLE. Confirmados na fé: iniciação cristã de ins-
piração catecumenal: crisma: catequista. São Paulo: Paulus, 2013)
amor. Gregório Magno, um dos grandes mestres da Lei-
tura Orante, dizia: “A Escritura cresce com aquele que a 5. RELEXÃO
lê”.
(SECONDIN, Bruno. Leitura orante da Palavra: Lection Divina em  JOÃO 20,19-31
comunidade e na Paróquia. 2 Ed. São Paulo: Paulinas, 2010)
1º PASSO: RECORDAR
4. A LEITURA ORANTE NA CATEQUESE - Como celebramos e comemoramos a Páscoa?
A catequese da Diocese de Joinville, prevê o método da - O que nos motiva a viver a iniciação à vida cristã?
Leitura Orante em seis (6) passos:
2º PASSO: ESCUTAR
1º PASSO: RECORDAR Ler o texto, mais de uma vez. Realizar um instante de
O que a nossa vida está dizendo? silêncio.
É o momento de introduzir o tema do encontro a partir - Como os discípulos estavam antes de Jesus aparecer?
da vida dos catequizandos. - Qual a palavra mais repetida neste texto?
- Em que dia da semana aconteceu?
2º PASSO: ESCUTAR - Qual a atitude de Tomé diante do anúncio ?
O que o texto está dizendo?
Ler o texto exatamente como ele é. 3º PASSO: MEDITAR
Tentar contar a história sem pretensão de entendimento - Como percebemos em nossa comunidade a presença
ou de interpretações... do Ressuscitado?
- A nossa comunidade tem vivido e transmitido a paz do
3º PASSO: MEDITAR Ressuscitado?
O que o texto diz para mim? - Temos a atitude de Tomé em reconhecer Jesus como
O que eu compreendo com o texto. Sobre o que ele fala "meu Senhor e meu Deus"?
para mim. O que ele me faz pensar... - Como percebemos nossa comunidade diante do envio
missionário de Jesus?
4º PASSO: REZAR
O que o texto me faz dizer a Deus? 4º PASSO: REZAR
Com estas reflexões o que eu gostaria de dizer a Deus. O que o texto me faz dizer a Deus?
Como eu formulo minha oração a partir destas motiva- Que oração faremos?
ções...
5º PASSO: CONTEMPLAR
5º PASSO: CONTEMPLAR Olhar a vida como Deus olha...
Olhar a vida como Deus olha... Em silêncio contemplemos na cena da Evangelho a pre-
Olhar sobre o tema com um olhar mais paternal. Mais sença de Jesus Ressuscitado desejando a paz em meio
caridoso. Ver a diferença do olhar humano para o olhar ao medo e a dúvidas dos discípulos.
divino.
6º PASSO: COMPROMISSO
6º PASSO: COMPROMISSO O que a Palavra de Deus me leva a fazer? Qual será nos-
O que a Palavra de Deus me leva a fazer? so compromisso em grupo?