Vous êtes sur la page 1sur 12

1

ÉTICA NA LIDERANÇA
OBJETIVOS
APRESENTAÇÃO/INTRODUÇÃO
1.0 CONCEITUAÇÃO DE ÉTICA
2.0 ORIGEM DA ÉTICA
3.0 TIPOS DE ÉTICA
4.0 CONCEITO E NOÇÃO DE ÉTICA CRISTÃ
4.1 FUNDAMENTOS DA ÉTICA CRISTÃ
4.2 CONCEITO DE ÉTICA NA LIDERANÇA JOVEM

4.3 COMPORTAMENTO
4.3.1 Formadores do comportamento.

4.4 ÉTICA NA POSTURA PESSOAL


4.4.1 Atitude/Comportamento pessoal x influência
4.4.2 Noções de Ética Comportamental p/ Liderança Jovem.

4.5 ÉTICA NA ATUAÇÃO DO LÍDER


4.5.1 Inter-relação (Comunicação e negociação)
4.5.2 Tomada de decisão ( Método para decidir eticamente)
4.5.3 Ética na Resolução de conflitos entre liderados.
4.5.4 Ética na Correção de liderados (Advertindo corretamente)
4.5.5 Ética no Aconselhamento ao Jovem.
4.5.6 Ética na Delegação (Ensinar, responsabilizar, acompanhar e avaliar)

4.6 ÉTICA PARA ATINGIR O SUCESSO MINISTERIAL


4.6.1 As fases do Sucesso e do Fracasso ministerial do líder
4.6.2 Os 10 Mandamentos para um bom relacionamento ético
BIBLIOGRAFIA
Objetivos:
*Conhecer e expressar com clareza e segurança os conceitos sobre Ética e sua performance;
*Entender a importância do papel do Líder e aceitar suas responsabilidades no reino de Deus;
*Entender como se comportar interagindo de forma Ética a fim de atingir a eficácia de sua função;
*Conscientizar da necessidade de mudança de nossas atitudes a fim de alcançarmos a excelência em
nosso desempenho.

Apresentação
A situação atual não comporta mais indivíduos que não possuam posturas de líderes
dinâmicos, pois inclusive a sociedade hodierna requer uma dinâmica de vida dimensionada por um
padrão avançadíssimo o qual foi estabelecido por seres humanos totalmente desprovidos de Deus, sem
compromisso algum com princípios éticos e morais e muito menos espirituais, por isso o líder
cristão deve ser competente o bastante para conjugar uma postura pessoal e atitudes éticas a fim
de se sobressair em meio ao contexto secular imposto nesse sistema de coisas. O assunto sobre Ética
na Liderança Cristã Jovem é deveras relevante e o seu estudo se tornará gradativamente muito mais
necessário, pois as questões éticas permeiam principalmente o ambiente cristão e as influências
satânicas e mundanas querem tonificar o “relativismo” enfatizando que devemos nos adequar aos
novos valores e modismos, em virtude disso os LÍDERES CRISTÃOS devem ser de fato agentes
influenciadores e catalisadores que possam realmente se doar à Deus, no sentido de se tornarem
instrumentos eficazes e autênticos no serviço cristão. Os maiores líderes que o universo já conheceu se
denominavam cristãos, suas biografias estão inseridas na Bíblia que é o manual de conduta cristã a
qual além de fornecer respostas e soluções para todas as questões da vida humana, ainda nos referencia
e habilita a se tornarmos “grandes líderes”. E é justamente esse o nosso desejo, sucesso a todos os
participantes e que Deus continue lhe abençoando poderosamente em Cristo Jesus ! Março de 2006.
2
Pb. Adriano Sebben.

Introdução
No espelho a imagem é invertida: o esquerdo é direito e o direito é esquerdo. O inferno, da
mesma maneira inverte os valores bíblicos fazendo deles uma imagem desfigurada. A moral do
mundo é antidivina, não bíblica e satânica. A influência desta moral mostra-se na mídia em geral a
qual procura anular os valores da pureza e da castidade, quem se norteia pela Bíblia é ridicularizado
e taxado de cafona e obsoleto. Os jovens crescem nesse engano e com isto perdem a capacidade de
diferenciar o bem do mal. Mas Deus sempre tem homens para usar pois não havendo sábia
direção/liderança o povo cai (Pv 11.14), na verdade desde o princípio, foi impossível a um homem só
carregar a carga de todo o rebanho e apascentá-lo adequadamente, e hoje, muito menos, porém Deus
tem em todas as épocas homens aptos a atender a chamada (I Co 12.28). A Ética Cristã é uma das
bases que o cristianismo está alicerçado visto que o próprio Jesus é um modelo singular de ética tanto
na sua Conduta quanto no relacionamento com as pessoas (Jo 13.15), mui especialmente aquelas
sobre as quais liderava. Seus princípios de liderança foram sempre respaldados por práticas
construídas no laboratório da vida, ele sempre teorizou com base no que fazia e sempre agiu com base
nos princípios que estabeleceu. Neste Seminário faremos uma abordagem sobre Ética na liderança
cristã de modo mais implícito para líderes de juventude na Igreja de Cristo. A finalidade desse estudo é
através de uma abordagem simples e prática ajudar esses líderes que estão empenhados em conduzir
pessoas ao “pleno conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Que possamos amadurecer
ainda mais e nos tornar melhores líderes segundo os padrões estabelecidos na Palavra de Deus.
Devemos “aprender a aprender”, reconhecer que não sabemos tudo é abrir a porta para o
aprendizado, Tudo o que aprendemos na vida passa por 4 fases distintas.
1- Ignorância: Não sabemos o quanto não sabemos; (Inconscientemente incompetentes) I.I
2- Estar a par de alguma coisa (noção): qdo sabemos o quanto não sabemos; ( Conc.. incompetente)C.I
3- Conhecimento: sabemos o quanto sabemos ( a 1ª etapa é a confusão depois o discernimento); C.C
4- Sabedoria: qdo nosso cérebro já assimilou o conhecimento a ponto de fazermos instintivamente.I.C
Conhecimento não é acúmulo de informação. É competência para agir.

1.0 CONCEITUAÇÃO DE ÉTICA. (Etimologia e Definições e Virtudes Constitucionais)


*Oriunda do grego, ethos, que significa “costume, habito”. No latim vem de mos (mores) no sentido
de “costume e regra”. Como ciência secular a Ética é um dos seis sistemas tradicionais da Filosofia.
*Ética é a ciência da moral; Conjunto de princípios morais que devem nortear a conduta do indivíduo,
a ética determina e demonstra como deve ser a conduta ideal (Seu escopo “propósito).
*Ética também é o estudo sistemático dos deveres e obrigações da sociedade e do governo com o
objetivo de estabelecer o que certo e errado. Em resumo Ética é aquilo que você pensa e faz.

As duas partes da Ética são:


Ética Descritiva: Examina a conduta moral do homem a luz de um padrão do que é certo ou errado
denominando quais são suas obrigações.
Ética Prática: Enfatiza as razões para se viver de acordo com esse padrão, determinando os meios
para cumprir essas obrigações.

Segundo Platão a Ética está idealizada em cima de quatro virtudes principais:


a. Sabedoria: é a virtude da parte racional, o conhecer da alma, ela se expressa no morrer cada dia
para separar o espírito dos apetites da parte vegetal – Comparar com I Cor. 15.31
b. Coragem: Esta é a virtude da parte animada, a utilização da vontade para garantir a conduta ideal.
Alguém disse: Ó Senhor conhecimento nós temos, o que falta é “força de vontade” Rm 7.18 ss.
c. Moderação: É a combinação e a harmonia entre a parte racional e a vegetal, nesta harmonia a parte
vegetal é dominada.
d. Justiça: É uma virtude geral que começa a existir na pessoa quando as três partes da alma estão em
harmonia, quando todas as tensões são vencidas.
3
2.0 ORIGEM DA ÉTICA
Evidentemente que a ética iniciou com a dispensação da Inocência onde Adão e Eva deveriam
conduzir-se com obediência a Palavra de Deus guardando a aliança Edênica. Até a própria ciência
admite que ela surgiu com o primeiro “Homo Sapiens”, mas Sócrates (450 a.C) é considerado o pai da
Ética Secular no sentido de sistema filosófico. Hoje a ética abrange todas as áreas de nossa vida,
pessoal, social, profissional, pública e religiosa.
3.0 TIPOS DE ÉTICA
O Campo da Ética abrange:
a) Ética Filosófica: Desenvolve-se em um padrão puramente natural.
b) Ética Teológica: Desenvolve-se a partir de um padrão moral de relacionamento entre homem e
homem, e entre o homem e Deus. Essa Ética embasa-se em padrões universais e eternos, padrões
esses de conduta vertical/horizontal. A Teologia em si, vai mais além do que a Ética, pois dita padrões
de conduta espirituais.
Ramificações da Ética Filosófica: Social, Política, Imediatista, Tradicional, Hedonista, Naturalista,
Relativista e Estética.
Ramificações da Ética Teológica: Bíblica; Bioética e Cristã.
*Além disso cada profissão possui seu código de Ética, o Pastor como “ministro religioso” possui o
código de Ética Pastoral: que são as regras ou princípios que governam o comportamento do ministro
para com seus paroquianos ou ainda para com outros ministros.
4.0 CONCEITO E NOÇÃO DE ÉTICA CRISTÃ
Ética Cristã são os princípios baseados na Palavra de Deus que guiam as ações dos cristãos.
É a adequação da Ética Bíblica à vida da Igreja e ao relacionamento desta c/ a sociedade secular.
*O homem distanciado de Deus por sua incredulidade e seus pecados, a estuda, entende e alguns até se
propõe a observá-la, mas não conseguem, por estar subjugados pelo seu eu, pelos vícios, pelo mundo,
pelo pecado (Rm 2.15-19). Já os servos de Deus, pelo Espírito Santo que neles habita, triunfam sobre o
pecado (Rm 8.2). Há determinadas coisas que não se consegue esconder por muito tempo, como a
sabedoria e a tolice, a riqueza e a pobreza, e já no “domínio das coisas espirituais” há duas coisas que
também não se consegue esconder: Uma vida de retidão ou de Hipocrisia Mt 5.14.
A ética cristã apresenta o crente ao mundo da seguinte forma: Imagem/semelhança restaurada.
*Uma pessoa nascida de novo(novos princípios e ações);*Sal da Terra (Conserva sua identidade c/
Deus e é tempero “equilíbrio”caráter); * Luz do mundo (Faz a diferença pelo testemunho).
4.1 FUNDAMENTOS DA ÉTICA CRISTÃ
O Decálogo, os Profetas e os Sábios do Antigo Testamento, as doutrinas do homem e do pecado, a
própria Vontade de Deus revelada na Escritura e Os evangelhos (Jesus) e as epístolas.
*Os 10 mandamentos Êxodo cap. 20, e os ensinos de Cristo no sermão da montanha Mt 7.12, Jo
13.34. e Lc 10.27 perfazem a maior expressão Bíblica da ética Cristã.
4.2 CONCEITO DE ÉTICA NA LIDERANÇA JOVEM
Conjunto de princípios e diretrizes baseados nas Sagradas Escrituras e principalmente no modelo de
Cristo, cujo objetivo é orientar a postura e a conduta do Líder de Jovens cristãos.
4.3 ÉTICA COMPORTAMENTAL
Em termos mais práticos Comportamento é o modo como uma pessoa age e reage perante as diversas
situações que encontra ao longo de sua vida é o mesmo que procedimento ou conduta.
4.3.1 Formadores do comportamento
Para compreendermos o comportamento do individuo temos que entender sua personalidade, seu
grau de motivação, o ambiente que o mesmo está inserido a Faixa etária e os Fatores emergenciais.
4
Para compreendermos comportamento do individuo temos que entender sua personalidade, seu grau
de motivação, o ambiente que o mesmo está inserido a Faixa etária e os Fatores emergenciais.
Influência Tendências
(Negativa ou Positiva) Características

Etária/ Idade
Sofre as influências

Faixa
Ambiente
Meio
"EU" CONSCIÊNCIA

Gera o Equilíbíbrio
Geral do Ser Ações e Reações
Externas
Biológico CARÁTER
Personalidade
Expressão Comportamento
BIÓTIPO Adquirido Ambiente
"SER'
Princípios/Valores
Herdamos Morais e Sociais

emergencial
Motivação
tendências

Fato
Hereditárias *Absorve as tendências
*Influênciado pelo Ambiente
TEMPERAMENTO
Características internas
Características externas
Motivação Problema
(Estimula ou desistimula) circunstâncial

A Personalidade é aquilo que de nós se apresenta aos outros. É a dimensão do individuo que é
percebida, vista e entendida pelos outros. Basicamente a Personalidade sendo mapeada em seus
contornos mais aparentes pode ser entendida como a combinação do Temperamento e do Caráter.
Analisando como uma equação mais didática podemos até descrever os principais tipos de
Personalidade como sendo: Perfeccionista, Histriônico, Esquisóide, Sádica ou explosiva, Narcisista,
Masoquista, Dependente e Paranóica.Partindo do prisma do Efeito para as causas, podemos afirmar
que o Comportamento depende de 3 fatores chaves: A personalidade, Meio Ambiente e o nível de
Motivação. Dentro da ética o líder deve ser flexível a ponto de procurar entender os diferentes tipos de
comportamento sabendo identificar as causas chaves:
 Quanto a Personalidade deve-se avaliar o a)Temperamento e b) Caráter.
a) Temperamento: devemos identificar qual temperamento é o nosso e da mesma forma os
temperamentos de cada liderado. Existe basicamente 4 tipos, o Fleumático (Pacífico - Abraão),
o Sanguíneo (Ousado - Pedro), o Colérico (Otimista - Moisés ) e o Melancólico (Responsável -
Paulo). Cada um deles possui potencialidades como também características negativas.
b) Caráter: Avaliar seus valores morais e sociais (Como ele foi e é educado).

 Quanto a Motivação deve-se avaliar o nível da mesma para saber como interagir.
Depende do grau de necessidade que predomina na vida de cada liderado.
a) Fisiológicas, b) Segurança, c) Sociais, d) Estima e a e)Auto-Realização. Ex: Esaú

 Quanto ao Meio Ambiente deve-se avaliar onde o indivíduo vive e foi criado.
a) O lar (família, regime de vida), b) A comunidade, c) A escola, d) a igreja (religião), e) a
literatura (boa ou má, construtiva ou destrutiva) e f) O relacionamento social (Trabalho, ambientes
freqüentados, as “rodas e grupinhos”, e especialmente seus líderes). O homem não deve ser
escravo do “meio”; ele pode reagir e vencer passando a influir sobre o “meio” Ex: Os 3 Jovens na
Fornalha.
5

 Quanto a Faixa etária: Jovens 18 a 24 anos


A descritiva desta idade é “independência”
Características Físicas: Vitalidade ilimitada. O físico atinge o máximo. As energias físicas e mentais
devem ser dirigidas de modo a fazer o jovem (rapaz ou moça) um cooperador na obra de Deus.
Características sociais: É nessa idade que a pessoa escolhe o seu modo de vida definido. O jovem
deve ser levado a conversão, vida espiritual profunda
O inimigo número 1 é a monotonia.
Características mentais: Os sentimentos estão desenvolvidos ao máximo, patriotismo e paixão por
idéias. O jovem gosta aparecer e gloria-se na do bem ao próximo, tem forma imaginação construtiva.
Características Espirituais: Nessa idade, os jovens tem convicções firmes definidas. Dentro de suas
vocações servem muito bem para as atividades em geral da Igreja, com assistência e orientação
necessárias o trabalho da mocidade cresce abundantemente.
Obs: Quando esse potencial da idade não é canalizado na Obra de Deus o Jovem costuma
utiliza-lo lá fora no mundo.

 Fato emergencial: problema circunstancial


Muitas vezes o comportamento de um jovem pode estar alterado em virtude de um problema que está
ocorrendo com ele, por exemplo Doença na família, muitos jovens costumam disfarçar através de uma
postura de risos excessivos e brincadeiras sem limites, já outros ficam mais quietos ou até explosivos.

Personalidade Identificar se é Identificar tipo de


Formação do Jovem Temperamento ou caráter temperamento e
Caráter (Orientar) características
Motivação Fisiológica, Segurança, Interagir eticamente p/
Observação

Grau de Necessidade Social, Estima ou motivar (espiritualmente)


Auto-Realização
Comportamento Meio ambiente
Lar, escola, Literatura
Identificar exatamente
aonda ocorre a influência
Ação Orar e orientar
(Estudar tática)
Relacionamentos
Faixa Etária O potencial da idade está Identificar potencial e
Características da idade sendo canalizado na Obra colocar a pessoa certa no
de Deus? lugar certo
Fato emergencial Descobrir o que está Aconselhar eticamente
Enfrentando problemas ocorrendo mostrando uma saída

4.4 ÉTICA NA POSTURA PESSOAL


4.4.1 Atitude/Comportamento pessoal x influência – “O q nós vemos depende muito do q acreditamos”
*Ética na Vida pessoal – Ec 9.7 Obs: Somos a carta de Cristo II Cor 3.3
a) O Corpo I Cor 6.9 ; b) O Tempo II Tm 4.7,8; c) Os dons e talentos Mt 25.21-30.
*Ética na Vida com Deus – Ec 9.8
a) Amor sobre tudo Mt 22.37-40; b) Temor Senhor Rm 8.6; c) Pureza I Jo 1.5-10; d) Unção Jo 4.23,24
*Ética na Vida Familiar – Ec 9.9
a) Relacionamento familiar – Jo 13.1; Cl 3.18-20 ( Tem governado bem sua Casa; Esposa, Filhos)
Obs: a Família é a chave para a Unção, santificação e ministério eficaz. Ec 9.8-10.
*Ética no Relacionamento Social e Civil (Comunidade, Escola, Governo/Política)
a) Seja envolvido (não se “ilhe”) At 2.42-47 ; b) Seja embaixador II Cor 5.20 e Ef 6.20
c) Respeitar as autoridades seculares, Votar , pagar os impostos,... II Tm 2.4; Mt 22.21.
*Ética na Vida Financeira - Tg 2.12 ; Ml 3.10; I Tm 6.10
a) Nome limpo na praça; b) Planejamento -Adm os gastos x salário; c) Fidelidade nos dízimos/ofertas.
*Ética na Liderança da Mocidade
a) a Mocidade(Igreja) é de Jesus – Mt 16-18 Obs: Deixe Ele dirigir a Mocidade Mt 6.10
6
b) Somos servos de Jesus – Mt 20.26-28 Obs: Nunca se ensoberbeça II Cor 12.7-10
Considerações: *Seguir a Jesus, atenciosamente, é a melhor forma de ética. Em seus passos, que
faria Jesus? Vamos à Ação! * Ouça Jesus dizendo: Segue-me! Apascenta as minhas ovelhas.

LEMBRE-SE 01 EXEMPLO FALA MAIS ALTO DO QUE 1000 PALAVRAS.


Os liderados tendem a refletir exatamente as atitudes de seus líderes (imitam as ações), portanto tome
cuidado! Faça a convergência de suas Ações: Com atitude positiva (influenciadora) e
Responsabilidade. Tenha uma postura centrada com atitudes firmes e responsabilidade porque:
Atitude: É o modo como faço as coisas, é o meu comportamento em relação às pessoas e fatos.
Responsabilidade: É a obrigação que cada um tem em responder pelas próprias atitudes e
conseqüências. A coerência entre suas palavras e sua vida lhe possibilitarão a “influência”.

4.4.2 Noções de Ética Comportamental para Liderança Jovem. (I Tm 4.12; II Tm 2.22-26)


Paulo ao instruir o Jovem Líder e Obreiro Timóteo a cerca de seu comportamento disse: a) Foge dos
desejos da juventude; b) Evita falatórios profanos; c) Cumpre o teu ministério; d) Desperta o dom de
Deus que há em ti; e) Sê sóbrio; f) Sê temperante; g) Sê o exemplo dos fiéis.
A diferença que faz a diferença é a Ética
Recentes pesquisas denotaram que a riqueza e a miséria de países e pessoas não se concentra nas
idéias que se tinham até o presente momento: A diferença não está na antiguidade dos povos, ou na
questão da colonização, do mesmo modo não está nos recursos naturais de que dispõem, muito menos
na tecnologia, e também não repousa somente no conhecimento e inteligência das pessoas pois o
aspecto intelectual por si só não resolveria. Mas o que então que faz a diferença? É a atitude ética das
pessoas que gera a diferença, a ONU ao estudar a conduta das pessoas nos países ricos e pobres
descobriu que a maior parte da população cumpre as seguintes regras funcionais de sociedade:
 A moral como princípio básico;
 A ordem e a limpeza
 A integridade
 A pontualidade
 A responsabilidade
 O desejo de superação
 O respeito às leis e aos regulamentos
 O respeito pelo direito dos demais
 Seu amor ao trabalho
 Seu esforço pela economia e investimento
Dicas Éticas para o Líder:
Ao proceder as apresentações em um culto ou evento: Leve em conta que quanto mais formais
forem as ocasiões, mais cerimoniosos e formais serão as apresentações sempre obedecendo
respeitosamente a ordem hierárquica presente no local. O evento formal é aquele que tem autoridades
presentes, como o Pastor presidente ou os pastores responsáveis por algum setor e as vezes é o caso de
haver a presença de políticos.
1) No caso do Pastor Presidente deve-se antes das apresentações apenas acusar ou notificar sua
presença. (Verificar o sistema de trabalho Pastor – alguns preferem posteriormente dirigir a reunião).
2) Começar citando a autoridade máxima do segmento eclesiástico e citar os demais nome a nome.
3) No caso de políticos use o mesmo critério.
Ao proceder com os agradecimentos faça de maneira abreviada, Ex: Em nome da autoridade maior
de cada departamento estenda os agradecimentos aos demais presentes.
Relacionamentos: *quando falarmos com um Pastor ou outro líder hierárquico no exercício de suas
funções, devemos permanecer de pé até sermos convidados à sentar.
*Quando cumprimentar uma autoridade, devemos esperar que ela se dirija até nós e nos estenda a mão
para o cumprimento, nada de beijos no rosto, abraços efusivos,.. Lc 14.7-11
7
Ética na Igreja: Ao entrar na Igreja devemos entrar em silêncio, nada de entrar chamando a atenção
sobre a nossa pessoa. Se o culto já estiver em andamento, nunca devemos cumprimentar nossos
amigos, nem com palavras e nem com acenos.
*Se adentrarmos no momento da Oração ou da leitura da Palavra devemos reverentemente esperar o
término desta para em seguida entrarmos, Afinal não estamos entrando num clube,.. Ec 5.1.
*Se adentrarmos e o culto já estiver em andamento não devemos nos ajoelhar para orar pois tira a
atenção dos presentes, no caso a oração pode ser feita estando nós assentados. At 2.1-4.
*No culto nossa atenção deve ser totalmente centralizada na pessoa que esta dirigindo o mesmo, e a
quem for passada a palavra, se seu irmão ao lado quiser conversar diga-lhe com bom humor: “Olha,
depois do culto nós conversamos, agora tenho um compromisso com Deus”. A reverência deve ser a
atitude primordial, e faz parte da adoração à Deus.
*Os testemunhos devem ser de 3 a 5 minutos, e a palavra não deve ser passada para aqueles (as)
irmãos (ãs) que tomam todo o tempo falando coisas que nada edificam à Igreja.Da mesma forma uma
palavra de saudação deve ter duração de 5 a 10 minutos, no máximo. Saudação não é pregação.
*Coisas que não devem ser feitas em público (durante o culto)
Pentear os cabelos, limpar as unhas, os ouvidos, Ajustar as roupas de baixo, Escrever bilhetes para
amigos, ler revistas ou livros, e mesmo que seja a Bíblia salvo se for o texto oficial, prefira ler a Bíblia
em casa e na Igreja preste a atenção na mensagem do pregador.Bocejar ou se espreguiçar abertamente,
Sair do recinto do culto, antes do término, a não ser quando absolutamente necessário.
*Quanto a questão de trajes a rigor por parte do líder, nem se discute a necessidade dos mesmos.
O líder deve ter ética teológica também: * Cuidado c/ os chavões; * Cuidado com a síndrome do
papagaio; * Cuidado com a falta de conhecimento Bíblico; *Cuidado com os vícios de linguagem; *
Cuidado com os cacoetes e gestos extravagantes; * Não seja um animador de auditório.

4.5 ÉTICA NA ATUAÇÃO DO LÍDER:


4.5.1 Inter-relação (Comunicação e negociação)
São os contatos entre as pessoas, segundo a ciência existem no mínimo 7 tipos de Inteligência a saber:
Lingüística, Lógica, Musical, Espacial, Cinestésica, Intrapessoal e Interpessoal e é justamente esta
inteligência que se desenvolve nas inter-relações e dizem os entendidos que as pessoas de maior
sucesso sempre desenvolveram-se em função do poder de influência que causaram através desta
inteligência. Para atingirmos os resultados desejados nas inter-relações precisamos entender e
desenvolver uma boa Ética na Comunicação e na Negociação.

1- O Belicoso – não retruque-o fique calmo. Impeça que ele monopolize a situação.
2- O Positivo – de grande auxílio na discussão. Permita que ele faça uso da palavra muitas vezes.
3- O Sabe-Tudo – deixo-o por conta do grupo.
4- O Falante – interrompa-o com o tato, limite-o
5- O Acanhado – não exponha-o em público, utilize-se de suas habilidades leve-o a aumentar a sua
confiança em si próprio, quando possível elogie a sua participação e esforço.
8
6- O que não coopera, e não aceita: Explore a sua ambição, reconheça e use o seu conhecimento e
potencial ou experiência.
7- O Desinteressado – procure descobrir o que ele gosta de fazer e converse com ele a respeito disso,
depois motive-o a se dedicar às coisas de Deus.
8- O Desdenhoso – Não o critique. Não o diga não, use as partes boas de suas idéias, use a técnica
“sim, mas ....”
9- O Perguntador Persistente – Ele procura desconsertar o líder, se ele lhe questionar em público lance
as suas perguntas para o grupo.

Ética na Comunicação:
No momento de falar com as pessoas o líder deve entender que ele passará sua mensagem da seguinte
forma: 7% via verbalização, 38% via tom de voz e os outros 55% pela fisiologia.
Logicamente o homem toma conhecimento do mundo através dos cinco sentidos:
Nós aprendemos: Nós retemos:
1% através do paladar 10% - Do que lemos
1,5% através do tato 20% - Do que escutamos
3,5% através do olfato 30% - Do que vemos
11% através da audição 50% - Do que vemos e escutamos
83% através da visão 70% - Do que vemos e logo discutimos
90% - Do que vemos/ouvimos e logo realizamos.
De tudo o que você lê após 3 meses vc se lembrará de apenas 30%.
Mas daquilo que vc ouve, escreve e depois lê após os 3 meses vc lembrará de 80%.
Se você for ético poderá utilizar-se da Neurolinguística p/ uma comunicação eficaz através:
 3 Canais de aprendizagem (p/ aprendermos mais e p/ interagirmos c/ os liderados)
Visual, auditivo e cinestésico, identificar pelo teste, vocabulário,..
 Conhecer a técnica do movimento dos olhos (aumenta nosso potencial e a interação)
Conforme a posição dos olhos é uma função da memória que está sendo ativada.
 Utilizar o Rapport – convencimento (maximiza a interação)
Postura e movimentos iguais, aparência, aperto de mão, citar o nome, tom de voz, amizade e
sorriso, saber ouvir.“Pois quem controla uma conversa é quem está ouvindo; use como e porquê?”.

Cuidado com as fofocas: A informação que flui ao longo do boato é precisa? Os dados
sugerem que cerca de 75% do que é transmitido é preciso. Devemos identificar qual a origem que
mantém o moinho de rumores em movimento.
Obs: Mediante uma fofoca de pessoa do grupo ou de fora dele sempre faça o filtro e ouça todas as
partes envolvidas. Filtro da informação: Essa informação é verdade, tem fundamento?Essa informação
é de bem? Essa informação é útil? E se é de mal vale a pena levar adiante?

Atitudes éticas que facilitam a comunicação.


☻Jamais dê a impressão de que derrotou algum membro do grupo. Ele jamais perdoará derrota em
público. Você não luta contra seu próprio grupo.
☻Não use expressões como: “é óbvio, você não entendeu?”. Lembre-se: Você é que tem a obrigação
de ser claro. Não agrida o grupo, Diga sempre: Não consegui ser claro. Vou tentar ser mais claro, ou
então indague “eu não fui claro em algum ponto”.
☻Todos são responsáveis pelo êxito do grupo. Não procure carregar o grupo nas costas. Não seja
paternalista. Leve cada um a cooperar. Exija do grupo.
☻Não se comporte como parasita tirando tudo e nada dando ao grupo. Você é pessoa única no mundo.
O grupo precisa de você. Ninguém tem sua experiência. Coopere.
☻A participação gera a responsabilidade. Se você não se sentir responsável você não é deste grupo.
Todo o homem livre é responsável. Ser responsável é desempenhar um papel.
☻Não se envergonhe de ser entusiasta. Transmita calor humano em suas idéias. Um homem sem calor
humano é um robô.
☻Só pode haver diálogo se você aceitar, provisoriamente, o ponto de vista do outro.
9

Ética na Negociação:

ATITUDES ANTIÉTICAS QUE OS LIDERADOS CRITICAM EM SEUS LÍDERES:


o Ninguém gosta de ser repreendido na frente dos outros, ao contrário do elogio;
o Ninguém gosta de injustiça, parcialidade (qdo existe proteção, ascepção);
o Ninguém gosta de levar a culpa pelos outros;
o Ninguém gosta de ser considerado somente pelo que faz, (instrumento);
o Ninguém gosta de líder mal humorado e ignorante (mente curta);
o Ninguém gosta de líder indeciso, (água morna);
o Ninguém gosta que falem de si “pelas costas” (Falta de franqueza e lealdade);
o Ninguém gosta de receber ordens através dos outros;
o Ninguém gosta que duvidem a sua capacidade;
o Ninguém gosta de líder “posudo” que acha que tem o rei na barriga;
o Ninguém gosta de líder centralizador que não dá oportunidades.

4.5.2 Tomada de decisão (Método para decidir eticamente)


Tomar uma decisão muitas parece fácil, mas no fundo requer muita cautela espiritualidade e técnica.
O modelo de tomada de decisão desdobra-se em 4 etapas principais. Cfme Modelo de Newman.
 Diagnóstico do problema/situação: (Definir o problema,Coleta informações, ouvindo todos,..)
 Planejamento de soluções: (Experiência anterior, experiências de outros, sugestões,...)
 Projeção e comparação das conseqüências das alternativas: (Avaliar antes as conseqüências
da adoção de cada opção levantada, as probabilidades, ...)
 Escolha da melhor alternativa e implantação: (verificar a melhor maneira de fazer e
posteriormente acompanhar as conseqüências corrigindo onde for necessário).
Obs: Antes da aplicação da decisão é aconselhável orar ao Senhor, porque nem sempre a lógica
humana reflete a vontade de Deus para cada pessoa ou situação. Ex. desse método em Êxodo 18.13-26
Ex 18.13 – a percepção do problema; Ex 18.14-16 o Diagnóstico; Ex 18.19-22 Planejamento da
Solução; Ex 18.23 Projeção e avaliação inclusive com o aval de Deus; Ex 18.24-26 Moisés aplicou e
ainda registrou a eficácia da decisão porque acompanhou posteriormente.

4.5.3 Ética na Resolução de conflitos. (Desentendimentos entre os liderados) II Tm 2.23,24


Lidar com conflitos entre os jovens faz parte das atribuições do Líder, pois “onde há pessoas aí há
problemas” por isso o Líder precisa ser maleável e ético sabendo que para cada desentendimento
existe uma abordagem correta a ser utilizada. Normalmente utiliza-se o seguinte método:

1) Identifique a questão (“Fonte do envolvimento” o que ocorreu exatamente, e a “dimensão do


mesmo” quem está envolvido).
2) Ore à Deus e peça discernimento e sabedoria;
3) Chame e Ouça as partes envolvidas (salvo se sentir que deve aguardar);
4) Não faça nenhum comentário (somente escute e observe, perguntando se necessário)
5) Ouça ambos os lados (replicas e até treplicas) seja imparcial;
6) Em caso de pessoas alteradas, deixe-as se acalmar para depois ouvir seus pareceres;
7) Deve-se julgar os comportamentos e deixar de lado as simpatias pessoais;
8) Peça ajuda, quando necessário, para analisar o problema;
9) Até que seja provado a culpa, considere inocente ambas as partes;
10) Procure a “raiz do problema” e bata na atitude nunca na moral da pessoa;
11) Trate ambos com respeito mesmo no caso dos perturbadores;
12) Nunca tome qualquer decisão estando emocionalmente abalado;
13) Aplique a sentença sendo objetivo, diga o que deve ser melhorado;
14) Promova no final o perdão entre as partes.
10
15) Use a solução do problema como uma forma de aprendizado para o grupo, gera moral e
conquista o devido respeito geral.
“O problema não está no problema, mas sim no que você faz com ele”
Ex: I Rs 3.16ss – Salomão julga a causa das duas mulheres.

4.5.4 Ética na Correção de liderados (Advertindo com sabedoria) Gl 6.1


Etapas da correção: Sl 119.67,71
1) Orientação através de conversa; 2) Reorientação c/ argumento Bíblico/espiritual; 3) Identificação
das causas e interagir via método; 4) Chamar a atenção explicando sua penalidade; 5) Cortar a
participação nas atividades da mocidade; 6) Disciplinar conforme sistema do Obreiro/Pastor e do
estatuto,...
Obs: sempre deixar claro o motivo da advertência e o objetivo da correção colocando que você o ama
e está orando por ele e inclusive irá lhe acompanhar espiritualmente.
Use o método do “sanduíche” inicie a crítica c/ um elogio e termine com um encorajamento; Goethe
o poeta alemão disse: “ A correção faz muito, mas, o encorajamento faz mais”.
 Um método interessante é adotar uma ficha de normas padrões para um campo de trabalho.

4.5.5 Ética no Aconselhamento ao Jovem. Conselho ético Pv 15.22; Conselho antiético Pv 12.5
Aconselhamento é uma forma de orientação passada nos casos de desajustamentos resultantes de
certos problemas no decorrer da vida do jovem.O objetivo do Líder ao aconselhar deve ser descobrir
as fontes das suas dificuldades e orientar sobre a melhor maneira de enfrentá-las. Dentro da ética de
aconselhamento o Líder se utilizará de pelo menos uma das 5 principais formas de aconselhamento:
1) Inspirada, 2) Bibliocêntrica, 3) Jurídica, 4) Médica e 5) Lógica.
A postura ética do conselheiro frente ao aconselhado: Manter sigilo, Firmar-se na moral da Palavra
de Deus, Cuidar com o sexo oposto, Demonstrar motivação, Não despertar curiosidade, Não absorver
o problema pra si, Sinceridade e Jamais se apavorar diante do assunto.
Deve-se ter cuidado com a linguagem, a ética não condena a gíria mas sim os palavrões, a
linguagem do conselheiro deve ser acessível. A ética ensina:
*Franqueza: Ser franco no que se fala, de forma sutil e delicada.
*Curiosidade: de uma forma delicada e não indiscreta.
*Polidez: De uma forma sutil e delicada, não falsa.
Seja cauteloso ao expor o resultado analise os pró e os contra para verificar se o saldo no final será
positivo ou negativo, ás vezes vale ser sincero e dizer agora não posso falar, vou orar e meditar e trarei
a resposta no momento oportuno. O conselheiro não pode concluir o assunto dizendo: “Eu acho”, “ou
se fosse comigo”. Na decisão Final: Nunca venha a impor ou influenciar diretamente a decisão a ser
tomada deixando dessa forma a própria pessoa se decidir.
 Quando o caso é de um nível complexo o ideal é levar o caso ao Obreiro/Pastor responsável.
De fato vivemos dias terríveis em termos de tentação, o mundo oferece muitas opções e a própria
moralidade atual leva a juventude a cometer todo o tipo de abuso conceituando-o como apenas “uso da
liberdade e dos direitos próprios”, porém criou-se uma mentalidade para o jovem cristão dizendo que
ele é “fraquinho” e não poderá se firmar enquanto estiver passando pela fase da juventude, isso na
verdade não passa de engano satânico pois a Bíblia mostra I João 2.13 que os jovens já venceram o
maligno em Cristo, e Paulo em I Cor 7.8,32 diz que melhor é permanecer solteiro a fim de servir ao Sr.

4.5.6 Ética na Delegação (Ensinar, responsabilizar, acompanhar e avaliar)


Dê trabalho aos Jovens antes que eles o façam à você; identifique quem são os líderes naturais do
grupo e também os destaques “físicos” e coloque-os encabeçando os cargos da diretoria do conjunto.

 Elaborar a descrição de todas as atribuições de cada cargo.

Delegação é a “função do líder em transferir aos liderados certos deveres, certas responsabilidades e
certa autoridade”. Lembre-se: O líder trabalha principalmente através de outras pessoas.
11
Lei áurea da Delegação: Nunca deve-se delegar a responsabilidade plena ao liderado mas sim a
execução da atividade em si, pois perante o “superior” quem responderá por tudo na mocidade é o
próprio líder.
Obs: Tome cuidado com a interferência hierárquica – de preferência o jovem deve receber orientações
e tarefas diretamente de apenas uma pessoa.
Etapas da Delegação:
*Ensine (treine) o liderado e acompanhe ele executando;
*Responsabilize-o: transfira a ele a atividade, conscientizando o mesmo de sua obrigação;
*Transfira a ele a autonomia necessária e pertinente a função, Ex: Tesoureiro
*Acompanhe a execução e faça as correções necessárias orientando-o;
*Avalie seu desempenho e passe o feed-back (retorno – informação), encoraje-o.

4.6 ÉTICA PARA ATINGIR O SUCESSO MINISTERIAL


4.6.1 As fases do Sucesso e do Fracasso ministerial do líder
12

1- Lua de mel = somos atraídos pelas características positivas e ficamos cegos às negativas;
2- Irritação específica = o relacionamento é mais realista, os defeitos e problemas emergem;
3- Desconforto geral = acumulamos tudo – é o próximo passo que decidirá o futuro;
4- Aplicação persistência = qdo resolvemos esforçar-nos p/ resolver as dificuldades;
5- Esgotamento intenso = é um problema sério, qdo não conseguimos mais superar algumas coisas
mesmo dando tudo de nós, e é aí que nossas forças se acabam, normalmente joga-se tudo pro ar.
6- Separação = é a fase final qdo tudo acaba comumente c/ poucas chances de restauração

4.6.2 Os 10 Mandamentos para um bom relacionamento ético


Os 10 Mandamentos da Liderança Cristã:

Pratique-os para ter um relacionamento de sucesso.


1) Ter um forte desejo de servir à Deus, sendo submisso a Ele e ao seu superior imediato; Vida
consagrada e sendo sensível a voz do Espírito Santo;
2) Ter convicção plena de ser útil ao grupo ou para a área que deseja servir, avaliar objetivos;
3) Ter conhecimento básicos das necessidades do grupo ou da área onde vai atuar, “reconhecer”;
4) Ter disposição de ser orientado e treinado na área específica a fim de adquirir a habilidade;
5) Ter uma visão clara que corresponda aos estatutos de sua Igreja sem fugir dos princípios
bíblicos, tenha um projeto bem definido para o que deseja alcançar;
6) Ser maleável para atender os interesses e o bem estar geral do grupo, Pensar no bem comum;
7) Ser humilde p/ receber as sugestões e críticas vindas dos seus liderados ou superiores, Procurar
ajuda quando necessário c/ os mais experientes;
8) Ser otimista aproveitando todas as oportunidades p/ levar o grupo ao entusiasmo, p/ o sucesso;
9) Ser o exemplo do grupo em todos os sentidos, ser o padrão é mandamento e não opção;
10) Ser bom administrador dos recursos financeiros e humanos confiados a ele.

Quem não usa o que tem, perde até o que não tem!

BIBLIOGRAFIA

Enciclopédia de Bíblia – Teologia e Filosofia Volume 2 E – R.N. Champlin. Pg 554,561,562


Dicionário Brasileiro – Alpheu Tersariol - Edelbra Pg 348
Dicionário Teológico – Cpad -Claudionor Corrêa de Andrade Pg 121,122.
Psicologia Ciência do Comportamento – Apostila Prof. Izolema Atolini Pg4
A Escola Dominical – Cpad - Antonio Gilberto – Pg 96,97.
Liderança Cristã - As Relações Humanas – Elienai Cabral – Pg 6
Seja o Líder que todos querem Ter – John C. Maxwell – Editora Sepal Pg 140,141,142,160
Ética Ministerial - Escola Bíblica da 56ª AGO – Samuel Câmara – Pg 19-22
Ministério de Aconselhamento, Adair Tourinho – Irani SC Pg 5-8,14
Ética Ministerial - Escola Bíblica de Obreiros , CEC Anthonio Siqueira – Pg 42
Manual de Liderança Cristã – Juvenil dos Santos Pereira Cpad – Pg 99-102, 108
Apostila de Introdução à Teologia – Curso Teológico CEC – Pg 59
Neurolinguística – Luís Carlos Martins – Editora Suma Econômica Pg 13,14,15.
Comunicação Global – Lair Ribeiro
Ética Cristã e Pastoral – Walsio Batista de Oliveira, Pg 4.
Livro-Texto FAETEL – Um líder eficaz de Alcino Lopes de Toledo.
Ética Cristã – A vida cristã no dia a dia – Raimundo F. de Oliveira, Eetad, Pg3,5-7