Vous êtes sur la page 1sur 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU

FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED


CURSO DE JORNALISMO
DISCIPLINA: Introdução ao Jornalismo
Prof: Vinícius Dorne

Loise Monteiro – 11711JOR038

Resenha – Estrutura da notícia

LAGE, Nilson. Estrutura da notícia. 2ª edição. São Paulo: Ática, 1987.

Nilson Lage, nascido em 1936, é jornalista considerado referência no meio, mestre


em Comunicação e doutor em Linguística e Filologia. Tem como obra o livro
“Estrutura da notícia”, o qual aborda a forma com que a notícia é produzida e vinculada nos
diversos meios de comunicação, com uma abordagem histórica, grande repertório e exemplos
cotidianos que trazem ludicidade à leitura.

O livro é composto por 64 páginas divididas em 5 capítulos, sendo caracterizado por


uma leitura leve e rápida, sem grandes complicações de entendimento.

No primeiro capítulo, Lage (1987) aborda a linguagem no meio jornalístico,


considerando que essa é composta não apenas pela fala ou escrita, mas sim por imagens,
contexto e todos os elementos que circundam a notícia. Além disso, cita a história da
imprensa, de forma que antes dessa a transmissão de informações era de forma escassa e
seleta, sendo gradualmente melhorada conforme a evolução da imprensa. No entanto, o autor
preocupa-se com o sensacionalismo e a falta de imparcialidade que essa muitas vezes
apresenta ao apurar os fatos e tratar dos temas.

No segundo capítulo da obra é trazido ao leitor a própria estrutura da notícia, expondo


as três fases na sua produção, sendo elas: a seleção dos eventos, a ordenação dos eventos e a
nomeação.

Teoria da informação

O autor faz menção também à escolha de palavras para gerar determinados sentidos,
Ainda nesse capítulo, entende-se que o jornalismo radiofônico é menos complexo de
se apresentar a notícia, visto que deve haver uma seleção de informações mais relevantes. Já
na televisão há um processo mais complexo, com predominância de elementos visuais - essa
surgiu para incorporar o imediatismo do rádio e a força empática do cinema, e até hoje
cumpre esse papel, sendo considerado o meio que gera maior passividade ao receptor.

No terceiro capítulo o autor faz a reflexão de que para se tornar jornalista o essencial
não é conhecer a teoria de como se fazer notícia, mas sim a prática, lendo, interrogando e
mantendo-se informado. Entretanto, o conhecimento da estrutura auxilia no exercício
jornalístico, fazendo-se compreender o processo de produção da notícia e criando padrões.
Além disso, aborda que a distância entre reportagem e notícia aparece na prática, a partir da
pauta. Para a notícia a essa é apenas um direcionamento de fatos, já para a reportagem deve
ser mais do que isso, como um verdadeiro roteiro em todos os aspectos, desde o deslocamento
da equipe, até as ilustrações que essa terá. Além disso, o estilo da reportagem tende a ser
menos engessado do que o da notícia.

Ao adentrar no quarto capítulo, é apresentado um vocabulário crítico, com termos


utilizados no cotidiano jornalístico, sanado dúvidas e familiarizando o leitor a esse universo.
Por fim, o quinto e último capítulo é composto por uma bibliografia comentada, garantindo
que se tenham boas referências.

Em suma, a obra agrega conhecimento e reflexão ao leitor. Por tratar de elementos


básicos no jornalismo, pode ser primordialmente indicado aos acadêmicos de comunicação,
mas sem deixar de ser relevante a todos que se interessam pelo assunto, devido à fácil leitura
e interpretação da obra, além do grande contingente de exemplos práticos.
Referências:

Nilson Lage, Observador do mundo. Disponível em:

<http://nilsonlage.com.br/>

Acesso em 16 de junho de 2017