Vous êtes sur la page 1sur 5

Tabela&Comparativa&–&Mediação&x&Conciliação&x&Arbitragem&

&
Mediação Conciliação Arbitragem
Tipo de solução de Autocomposição Autocomposição Heterocomposição
controvérsia
Objeto Direitos patrimoniais disponíveis Direitos patrimoniais disponíveis Direitos patrimoniais disponíveis
ou relativamente indisponíveis ou relativamente indisponíveis ou relativamente indisponíveis
(direitos indisponíveis que (direitos indisponíveis que (direitos indisponíveis que
podem ter o seu valor podem ter o seu valor podem ter o seu valor
convencionado) convencionado) convencionado)
Abordagem do conflito e Trata o conflito de maneira Trata o conflito de modo pontual O conflito é tratado na medida
objetivos profunda e possibilita discussão e visa a obtenção de um do que for levado pelas partes
ampla. O objetivo é estabelecer acordo. Grande parte da ao conhecimento do órgão
ou restaurar o diálogo e doutrina afirma que uma arbitral. No fim do procedimento
compreensão entre as partes, conciliação sem acordo é uma arbitral sempre haverá uma
sendo o acordo uma conciliação fracassada. sentença arbitral decidindo o
consequência disso. conflito.
Método Não implica na fixação prévia de Mesmo que a conciliação seja Assim como na jurisdição
uma posição, formulada tentada já no curso do estatal, as partes formulam
mediante um pedido concreto. processo, as partes, que já pedidos e adotam previamente
Os envolvidos revelam os fizeram os seus pedidos, uma posição específica.
problemas que os afligem, sem poderão transigir no intuito de
se preocupar em fixar uma obter um acordo que beneficie
posição específica, o que facilita ambas na medida do possível.
a obtenção de um acordo
posterior, visto que as partes
não estão limitadas a uma única
solução idealizada, estando
abertas para o diálogo e busca
da melhor solução para ambas.
Contexto de realização A mediação é uma prática A conciliação é exercida no A arbitragem é um método
exercida fora do âmbito e do âmbito e sob o controle do extrajudicial e privado de
controle do poder judiciário. poder judiciário. Pode ocorrer solução de conflitos. A decisão
antes ou durante a demanda do órgão arbitral possui a
judicial. mesma eficácia da sentença
judicial.
Relação com a Jurisdição Uma vez alcançado um acordo A conciliação ocorre no âmbito Por tratar-se de mecanismo
Estatal através da mediação, as partes do Poder Judiciário. Quando se extrajudicial de solução de
podem ou não levá-lo ao dá antes da propositura da controvérsias, a atuação estatal
Judiciário para ser homologado. ação, é realizada por um só ocorrerá em caso de
conciliador. Se houver acordo, necessidade de utilização da
este pode ou não ser força perante a resistência de
homologado pelo juiz. Caso não uma das partes ou de terceiros.
haja acordo, o processo será Por exemplo, no caso de
instaurado para produzir uma condução de testemunhas,
solução heterocompositiva. implementação de medidas
Quando ocorre durante o cautelares, execução de
processo, a conciliação pode provimentos antecipatórios ou
ser realizada pelo próprio juiz ou execução de sentença arbitral.
por um conciliador, e obtido o
acordo, este será homologado e
se extinguirá o processo com
resolução de mérito.
Tempo necessário Depende do método adotado Demora menos do que a O tempo de duração do
pelo mediador escolhido, mas mediação e a arbitragem. procedimento arbitral depende
normalmente dura mais tempo Normalmente é realizada em exclusivamente de convenção
do que a conciliação, pois é apenas uma sessão, lembrando entre as partes, inclusive no que
necessário realizar vários que pode ocorrer durante todo o se refere à entrega da sentença
encontros. curso do processo judicial até a arbitral. Caso as partes
prolação da sentença. litigantes não convencionem, o
prazo legal para a sentença
arbitral é de seis meses a contar
da instituição da arbitragem (art.
23 da Lei 9.307/96)
Quem é o terceiro É o mediador. Quando se trata A conciliação pode ser exercida É o árbitro, que é escolhido
interventor? de mediação informal, pode ser pelo próprio juiz da causa ou pelas partes litigantes. É comum
um parente, um amigo ou um por um conciliador, cuja que as partes escolham um
líder religioso ou comunitário. atividade será controlada, especialista no tema sobre o
Em contrapartida, quando fiscalizada e/ou orientada por qual versa o conflito. São
ocorrer de modo estruturado e um juiz. também características
até profissional (tecnicamente, a importantes para a escolha do
mediação é sempre informal), o árbitro: qualificação profissional,
mediador é alguém preparado domínio de idiomas,
para exercer essa atividade nacionalidade e local de
específica e possui residência.
conhecimentos na área do
conflito levado à mediação.
Atuação do terceiro O mediador é um terceiro O papel do conciliador é O árbitro tem poder decisório.
imparcial e neutro, que não incentivar, facilitar e auxiliar as Deve ser imparcial. Sua função
possui qualquer poder de partes conflitantes a chegarem é decidir o conflito com base na
decisão. Seu papel restringe-se a um acordo, admitindo-se que lei e na equidade e a sua
a facilitar, auxiliar e/ou formule uma proposição objetiva decisão deverá ser cumprida
incentivar a autocomposição. O de resolução para o conflito. O pelas partes que se
mediador não expressa a sua conciliador tem uma submeteram ao juízo arbitral.
opinião sobre o resultado do participação mais incisiva do
pleito e não sugere soluções. O que o mediador, posto que
mediador deve tentar manifesta a sua opinião sobre
estabelecer um equilíbrio na uma solução justa para o
controvérsia ao aproximar as conflito e propõe os termos do
partes através dos seus acordo. Entretanto, o conciliador
interesses comuns. A solução não tem poder para impor uma
será de comum acordo das decisão às partes.
partes e, de preferencia, deverá
beneficiar a ambas.
Regime legal Não possui Lei 9.099/95 e CPC (arts. 125, Lei 9.307/96
331)
Procedimento A mediação não é complexa e A conciliação segue o As partes é que estabelecem o
burocrática como o processo procedimento estabelecido na procedimento na convenção de
judicial. Apesar de haver um Lei 9.099 e no CPC. arbitragem. Caso não o façam,
procedimento pré-fixado, a o árbitro decidirá o
mediação não se desenvolve procedimento a ser seguido (art.
por esquemas rígidos e 21 da Lei 9.307/96).
inflexíveis. Há sempre três
etapas fundamentais: pré-
mediação, negociação mediada
e estabelecimento do acordo.

Vantagens Simplicidade; informalidade; Rapidez; evita a instauração de Celeridade; confidencialidade;


economia; celeridade; um novo processo judicial ou
confidencialidade; maiores encurta a sua duração.
chances de satisfazer ambas as
partes.
Tipos de conflitos a que A mediação soluciona o A conciliação é mais indicada A arbitragem é indicada para
melhor se adequa relacionamento entre as partes em casos de conflitos objetivos, conflitos que necessitam de
e não somente o problema onde há uma controvérsia conhecimentos extremamente
emergente entre elas. Logo, pontual entre as partes. Sua técnicos para a sua decisão.
recomenda-se sua utilização utilização é indicada quando o
quando as partes já possuem conflito advém de uma situação
uma relação anterior duradoura circunstancial e não há
e pretendem ou precisam necessidade de preservação do
mantê-la, de modo que a relacionamento entre as partes.
mediação servirá para acabar É muito utilizada para dirimir
com o conflito, mas não com a conflitos oriundos de relações
relação (por exemplo, as de consumo.
relações familiares,
empresariais, trabalhistas e de
vizinhança).
Obrigatoriedade / As partes tem o direito de Não é obrigatória, as partes A escolha da arbitragem é
voluntariedade do método participar ou não de um acordo participam se quiserem. sempre voluntária ou facultativa.
alcançado através da mediação. Não existe no Brasil, arbitragem
É possível se retirar da obrigatória.
mediação a qualquer tempo.

Força da solução obtida O acordo obtido através da O acordo obtido na conciliação A decisão arbitral possui a
mediação tem força de contrato e homologado pelo juiz constitui mesma eficácia da decisão
entre as partes. Se for título executivo judicial (art. 475- judicial, tanto que constitui título
homologado judicialmente, é N, III do CPC) e não caberá executivo judicial conforme o
titulo executivo judicial (art. 475- recurso da sentença art. 475-N, IV do CPC.
N, V do CPC.) homologatória (art. 41 da Lei
9.099).
&