Vous êtes sur la page 1sur 2

Manifestos artísticos que contribuíram para a

formação da Arte Contemporânea

Define-se manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva, uma


declaração pública de princípios e intenções. O manifesto destina-se a declarar um
ponto de vista, denunciar um problema ou convocar uma comunidade para uma
determinada ação.
Ao longo do século XX, diversos manifestos proliferaram em correntes artísticas
pertencentes à cultura ocidental. E, se considerarmos este tipo de texto de uma forma
um pouco mais abrangente, como uma ferramenta de comunicação entre o porta-voz
daquela mensagem e o público, pode-se pensar em outros escritos históricos como
manifestações imperativas do que fazer e como agir. Para além de qualquer objeção ao
seu conteúdo, é interessante refletir sobre estes dispositivos culturais como reflexos da
necessidade humana de ter diretrizes, limites e, principalmente, um horizonte à vista.

Vários manifestos contribuíram para os novos rumos da arte na atualidade:

 Manifesto Futurista (1909): foi escrito pelo poeta italiano Filippo Tommaso
Marinetti, e publicado no jornal francês Le Figaro em 20 de fevereiro de 1909. Este
manifesto marcou a fundação do Futurismo, um dos primeiros movimentos da Arte
Moderna. , Oswald de Andrade chega da Europa, influenciado pelo Manifesto Futurista
de Marinetti, funda o irreverente jornal O Pirralho e, em suas páginas, critica a pintura
nacional.

 Manifesto das Sete Artes (1923): Em 1912, o intelectual italiano Ricciotto Canudo,
propôs no seu Manifesto das Sete Artes e Estética da Sétima Arte que o cinema fosse
considerado como a sétima arte.

 Manifesto da Poesia Pau-Brasil (1924): Foi publicado pelo Correio da Manhã,


em 18 de março de 1924, é do mesmo ano do Manifesto Surrealista, do escritor André
Breton. O Manifesto (bem como o livro relacionado a ele, Pau-Brasil, terminado em
1924) demonstra que o Brasil estava acompanhando plenamente o movimento das
vanguardas europeias.

 Manifesto Surrealista (1924): foi publicado pelo escritor francês André


Breton em 1924, e trouxe para o mundo um novo modo de encarar a arte.
O surrealismo impunha o chamado automatismo psíquico, " ditado do pensamento,
suspenso qualquer controle exercido pela razão, alheio a qualquer preocupação estética
ou moral".

 Manifesto Antropófago (ou Manifesto Antropofágico) (1928): foi um Manifesto


Literário escrito por Oswald de Andrade, principal agitador cultural do início
do Modernismo brasileiro, o qual fundamentou a Antropofagia.

 Manifesto da Arte Concreta (1930): A Arte concreta surgiu na Europa, no início do


século XX, com a intenção de produzir obras que usassem elementos próprios das
linguagens. A princípio: planos e cores. As se difundir para outras linguagens, a Arte
Concreta passou a trabalhar com superfícies, sons, silêncios, enquadramentos
cenográficos etc. Foram despendidos profundos esforços na criação de uma linguagem
autônoma, que não precisasse manter relação com os temas tradicionalmente
figurativistas. Formas geométricas dominavam as experiências plásticas da primeira
fase. A vanguarda russa, o construtivismo, o suprematismo, a Bauhaus, o
Neoplasticismo (De Stijl) entre outros, foram movimentos que continham ideias da arte
concreta em suas formas de expressão, antes mesmo do manifesto de Theo van
Doesburg ter sido escrito. Na revista Art Concret, fundada em 1930, ele lançou as bases
conceituais do movimento.

 Que faire? (1970): Escrito em 1970 para a revista Afterimage. Originalmente


intitulado de “Que faire?”, o documento explora a visão do realizador francês Jean-Luc
Godard sobre o que seria o cinema verdadeiramente, segundo uma concepção marxista
que perpassou toda a sua produção cinematográfica posterior aos anos da Nouvelle
Vague.

 Dogma 95 (1995): Com a intenção de criar um cinema mais realista e menos


comercial, em um ato de resgate ao que era feito antes da exploração industrial, os
diretores dinamarqueses Lars von Trier e Thomas Vinterberg lançaram o movimento
que ficou conhecido como Dogma 95 a partir de um manifesto publicado em 1995. Em
2005, von Trier acrescentou ainda mais 4 regras que passaram a valer a partir de então.

 Manifesto Versatilista (2007): escrito em julho de 2007, pelo artista brasileiro Denis
Mandarino, que deu origem ao Versatilismo, um movimento artístico que propõe a
libertação das pessoas das análises especializadas, promoção do fazer artístico como
forma de autoconhecimento e aprimoramento espiritual. "Ideias verdadeiramente novas
são de difícil identificação, de difícil assimilação e só o distanciamento pode ser capaz
de avalia-las de uma forma mais isenta. Quando um homem assume o papel de dar o
veredito, sobre o que os artistas estão fazendo, ou a sociedade dá esse papel a ele,
estamos a um passo de repetir as maiores injustiças que os homens de ciência, filosofia,
arte e religião foram submetidos ao longo da história."

Outros manifestos
Políticos

 Manifesto Comunista (1848)


 Manifesto dos 13 generais (1892)
 Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932)
 Manifesto dos Mineiros (1943)
 Theodore Kaczynski Manifesto, Unabomber (1995)
 Manifesto: Juntos contra o Novo Totalitarismo (2005)

Tecnológicos

 Manifesto Ágil (2001)