Vous êtes sur la page 1sur 7

Aula 3 – Tensão Normal: Carga Axial + Carga Transversal

- Ação combinada de força normal e momentos fletores. Quando só há momento em 1 direção o efeito
é chamado de “flexão reta composta”.
- Linha neutra deslocada do centroide, mas paralela a um dos eixos de inércia.
- O método da superposição de efeitos pode ser utilizado para determinar a distribuição de tensões
resultantes causadas pelas cargas, ou seja, efeito da carga axial + efeito da carga transversal.
- Ocorrência: vigas protendidas, pilares, sapatas, muros de arrimo.

A distribuição da tensão normal na seção transversal é calculada da seguinte maneira:

Onde:
σ: tensão normal;
N: esforço normal (axial) na seção;
M: momento fletor na seção;
A: área da seção;
𝑏ℎ3
I: momento de inércia da seção. Para seções retangulares: 𝐼 =
12

y: distância no eixo y em relação ao C.G. da seção


Diagrama de tensões:

Exemplo 1: Uma viga biapoiada é solicitada por uma carga axial de 25 kN e uma carga pontual no meio
do vão de 20 kN. Calcule as tensões máximas de tração e compressão nas seções 1, 2 e 3.

Resolução:
1) Características geométricas
Área: 𝐴 = 0,2 ∗ 0,5 = 0,10 𝑚²
𝑏ℎ 3 0,20∗0,503
Momento de inércia: 𝐼 = = = 0,0020833 𝑚4 = 2,0833 ∗ 10−3 𝑚4
12 12

2) Reações de apoio
Σ𝐹𝑥 = 0
𝐻𝐴 − 25 = 0 𝐻𝐴 = 25 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦 = 0

𝑉𝐴 + 𝑉𝐵 − 20 = 0 𝑉𝐴 + 10 − 20 = 0 𝑉𝐴 = 10𝑘𝑁
Σ𝑀𝐴 = 0
20 ∗ 2 − 4 ∗ 𝑉𝐵 = 0 𝑉𝐵 = 10 𝑘𝑁
3) Esforços solicitantes (N, V, M) nas seções
a) Seção 1

Σ𝐹𝑥1 = 0
25 + 𝑁1 = 0 𝑁1 = −25 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦1 = 0
10 − 𝑉1 = 0 𝑉1 = 10 𝑘𝑁
Σ𝑀1 = 0
10 ∗ 1 − 𝑀1 = 0 𝑀1 = 10 𝑘𝑁𝑚

b) Seção 2
Σ𝐹𝑥2 = 0
25 + 𝑁2 = 0 𝑁2 = −25 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦2 = 0
10 − 𝑉2 = 0 𝑉2 = 10 𝑘𝑁
Σ𝑀2 = 0
10 ∗ 2 − 𝑀2 = 0 𝑀2 = 20 𝑘𝑁𝑚

c) Seção 3
Σ𝐹𝑥3 = 0
25 + 𝑁3 = 0 𝑁3 = −25 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦1 = 0
10 − 20 − 𝑉3 = 0 𝑉3 = −10 𝑘𝑁
Σ𝑀1 = 0
10 ∗ 3 − 20 ∗ 1 − 𝑀3 = 0 𝑀3 = 10 𝑘𝑁𝑚
4) Tensão normal nas seções
a) Seção 1
𝐹 25
Carga axial: 𝜎= = = 250 𝑘𝑁/𝑚²
𝐴 0,10

𝑀 10
Carga transversal: 𝜎 = 𝑦= ∗ 0,25 = 1200 𝑘𝑁/𝑚²
𝐼 0,0020833

Diagrama de tensão normal:

Tração máxima: 𝜎 = 950 𝑘𝑁/𝑚²


Compressão máxima: 𝜎 = 1450 𝑘𝑁/𝑚²

b) Seção 2
𝐹 25
Carga axial: 𝜎= = = 250 𝑘𝑁/𝑚²
𝐴 0,10
𝑀 20
Carga transversal: 𝜎 = 𝑦= ∗ 0,25 = 2400 𝑘𝑁/𝑚²
𝐼 0,0020833

Diagrama de tensão normal:


Tração máxima: 𝜎 = 2150 𝑘𝑁/𝑚²
Compressão máxima: 𝜎 = 2650 𝑘𝑁/𝑚²

Exemplo 2: Uma viga biapoiada é solicitada por uma carga axial de 30 kN e uma carga distribuída de 3
kN/m. Calcule as tensões máximas de tração e compressão na viga.
Resolução:
1) Características geométricas
Área: 𝐴 = 0,3 ∗ 0,5 = 0,15 𝑚²
𝑏ℎ 3 0,30∗0,503
Momento de inércia: 𝐼 = = = 0,003125 𝑚4 = 3,125 ∗ 10−3 𝑚4
12 12

2) Reações de apoio
Σ𝐹𝑥 = 0
𝐻𝐴 − 30 = 0 𝐻𝐴 = 30 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦 = 0

𝑉𝐴 + 𝑉𝐵 − 12 = 0 𝑉𝐴 + 6 − 12 = 0 𝑉𝐴 = 6 𝑘𝑁
Σ𝑀𝐴 = 0
3 ∗ 4 ∗ 2 − 4 ∗ 𝑉𝐵 = 0 𝑉𝐵 = 6 𝑘𝑁

3) Esforços solicitantes (N, V, M)


Σ𝐹𝑥1 = 0
30 + 𝑁1 = 0 𝑁1 = −30 𝑘𝑁
Σ𝐹𝑦1 = 0

6 − 3 ∗ 2 − 𝑉1 = 0 𝑉1 = 0 𝑘𝑁
Σ𝑀1 = 0
6 ∗ 2 − 3 ∗ 2 ∗ 1 − 𝑀1 = 0 𝑀1 = 6 𝑘𝑁𝑚

4) Tensão normal nas seções


𝐹 30
Carga axial: 𝜎= = = 200 𝑘𝑁/𝑚²
𝐴 0,15
𝑀 6
Carga transversal: 𝜎 = 𝑦= ∗ 0,25 = 480 𝑘𝑁/𝑚²
𝐼 0,003125
Diagrama de tensão normal:

Tração máxima: 𝜎 = 280 𝑘𝑁/𝑚²


Compressão máxima: 𝜎 = 680 𝑘𝑁/𝑚²

Exemplo 3: Determine o valor de P para que só haja tensão de compressão na viga abaixo:

Resolução
1) Características geométricas
Área: 𝐴 = 0,3 ∗ 1,0 = 0,3 𝑚²
𝑏ℎ 3 0,30∗1,03
Momento de inércia: 𝐼 = = = 0,025 𝑚4
12 12
ℎ 1,0
Local onde a tensão é máxima: 𝑦 = = = 0,5 𝑚
2 2

2) Esforços solicitantes
𝑞𝐿2 10 ∗ 42
𝑀= = = 20 𝑘𝑁𝑚
8 8
𝑁 = −𝑃

3) Tensão normal
3.a) Tensão normal devida ao momento
𝑀 20
𝜎= 𝑦= 0,5 = 400 𝑘𝑁/𝑚2
𝐼 0,025

3.b) Tensão normal devida à normal


𝑁 𝑃
𝜎= =
𝐴 0,3

Para que toda a seção esteja comprimida, a parte em que há tração deve ser menor ou igual à zero, ou
seja:

𝑃
400 − =0
0,3
𝑃 = 120 𝑘𝑁