Vous êtes sur la page 1sur 8

Índice

Introdução ....................................................................................................................................... 1

Política Nacional de Saúde. ............................................................................................................ 2

1. Politica ........................................................................................................................................ 2

2. Saúde ........................................................................................................................................... 2

3. Política de Sector de Saúde ......................................................................................................... 2

4. Principais Políticas de Saúde ...................................................................................................... 3

5. Objectivos da Politica de Saúde .................................................................................................. 3

6. Componentes do Sector de Saúde ............................................................................................... 3

7. Prioridades do Sector da Saúde................................................................................................... 4

Aspectos Particulares da Política do Sector de Saúde .................................................................... 4

1. Politicas Farmacêutica ................................................................................................................ 4

2. Política de Financiamento do Sector Publico da Saúde .............................................................. 5

Conclusão........................................................................................................................................ 6

Referências bibliográficas ............................................................................................................... 7


Introdução

Neste presente trabalho que temos como tema principal Política Nacional de Saúde, onde o
mesmo será abordado de forma clara e objectiva, seguindo os seguintes pontos essências:
Politica, Saúde, Política de Sector de Saúde, Principais Políticas de Saúde, Objectivos da Politica
de Saúde, Componentes do Sector de Saúde, Prioridades do Sector da Saúde, Aspectos
Particulares da Política do Sector de Saúde.

1
Política Nacional de Saúde.

1. Politica

Segundo Aristóteles é a ciência que tem por objectivo a felicidade humana e divide-se em ética
na política propriamente dita, ou seja denomina se arte ou ciência da organização, direcção e
administração de nações ou estados.

Entende-se por política as decisões de caracter geral, destinadas a tornar públicas as intenções de
actuação do governo e a orientar o panejamento, no tocante a um determinado tema em seu
desdobramento em programas e projectos.

As políticas visam tonar transparente a acção do governo, reduzindo os efeitos da


descontinuidade administrativa e potencializando os recursos disponíveis. A política é
constituída pelo seu propósito, directrizes e pela definição de responsabilidade das esferas do
governo e dos órgãos envolvido, por isso, as politicas representam no instrumental de
panejamento, a parte mas geral, que despensa assim qualificação de objectivos, metas e recursos

2. Saúde

Saúde significa o estado de normalidade de funcionamento do organismo humano. Ter saúde é


viver com a boa disposição física e mental.

Além da boa disposição do corpo e da mente, a OMS (organização mundial da saúde) inclui na
definição de saúde, o bem-estar completo isto é, físico, mental e social entre os indivíduos.

3. Política de Sector de Saúde

Segundo a OMS é o somatório das políticas dos diversos sectores da saúde com implicações na
saúde da população. O objectivo principal da política do sector da saúde é de contribuir através
de actividades específica para promover, reservar, manter e melhorar a saúde da comunidade em
complemento e em colaboração com os esforços desenvolvidos pelos outros sectores.

2
4. Principais Políticas de Saúde

 Redução da morbilidade, mortalidade e o sofrimento da população especificamente nos


grupos de alto risco tais como: mulheres, crianças e pessoas deslocadas e/ou regressadas e
idosos;
 Prestação de cuidados de saúde de boa qualidade e sustentáveis tendo como base os cuidados
se saúde primários e tornando-os gradualmente acessível a maioria da população;
 Desenvolvimento da capacidade técnica e gestionária do ministério de saúde (MISAU) e do
serviço nacional de saúde (SNS) nas áreas da planificação, implementação, monitorização e
avaliação dos cuidados de saúde e serviços de apoio;
 Melhoria da qualidade de vida e das condições de trabalho dos trabalhadores de saúde.

5. Objectivos da Politica de Saúde

 Melhorar a promoção e preservação de saúde através da colaboração intersectorial;


 Melhoria na prestação de cuidados de saúde através de: formação das enfermeiras de saúde
materna infantil (SMI), formação dos técnicos de cirurgia, formação de técnicos e agentes de
medicina preventiva e formação de aconselhadores.

6. Componentes do Sector de Saúde

São componentes da política de saúde quanto a prestação de cuidados de saúde:

 Contribuir para a promoção da saúde da comunidade pela própria comunidade: Neste


componente o sector de saúde da saúde propõe-se desenvolver actividades de informação e
educação em saúde de forma a melhorar os conhecimentos da população em relação aos
fenómenos da natureza que estão na origem das alterações da saúde nomeadamente no
aparecimento das doenças, levando a alteração de determinadas práticas e costumes e
promoção de outros que conduzam a elevação dos índices da saúde da comunidade;
 Desenvolver e promover actividades de reabilitação psicofísica que permite a reintegração do
individuo na comunidade e em actividades produtivas;
 Desenvolver e promover actividades de prestação de cuidados de saúde destinados a tratar as
alterações de saúde em particular na prevenção das doenças.

3
7. Prioridades do Sector da Saúde

 Preservação e melhoria da saúde da mulher e da criança através dos programas de saúde


materno infantil (SMI), programa alargado de vacinações (PAV) e saúde escolar;
 A prestação de cuidados de saúde a população vulnerável em particular as famílias ou
indivíduos em pobreza absoluta;
 Prestação de cuidados de saúde a terceira idade;
 Desenvolver actividades que promovam a saúde dos trabalhadores em particular as
destinadas a prevenção de acidentes de trabalho e das doenças profissionais;
 Diminuir as incidências e prevalências das doenças mas comuns e endémicas e em particular
aquela que tem grandes expressões nas taxas de morbilidade e de mortalidade;
 Contribuir para a melhoria do estado nutricional de população em particular das crianças,
incluindo a prevenção e o tratamento das deficiências em micronutrientes;
 A educação, informação e comunicação para a saúde;
 A conspecção implementação e desenvolvimento de programa de estudo e valorização da
medicina tradicional.

Aspectos Particulares da Política do Sector de Saúde

1. Politicas Farmacêutica

A política farmacêutica do sector da saúde assenta os seguintes princípios:

 A importação, distribuição, prescrição e comercialização de medicamento é feita através do


seu nome genérico;
 Só é permitida a circulação no país de medicamentos registados e contantes do formulário
nacional de medicamentos, que deve ser periodicamente actualizado, podendo o ministro da
saúde abrir excepções a estas regras;
 O sector publico e privado ponderam entrevir na produção, importação e comercialização de
medicamentos nas condições em que a lei e os regulamentos o determinam;
 O sector público e o sector privado não lucrativo deveram garantir o acesso da população aos
medicamentos;

4
 Na importação, produção, comercialização e distribuição de medicamentos, o ministério de
saúde garantira a excepção destas actividades e controle de qualidade de medicamento.

2. Política de Financiamento do Sector Publico da Saúde

O financiamento do sector público da saúde é feito através do orçamento geral do estado e dos
múltiplos apoios da comunidade internacional que complementam os esforços do governo.

O sector da saúde pretende que o apoio financeiro comunidade internacional, maioritariamente


feito através de programas, se transforme num apoio orçamental podendo os doadores envolver-
se no exercício de planificação e gestão orçamental, quer a nível central, quer sobre todo a nível
periférico. Pretende se também mobilizar a comunidade internacional na criação de fundos
comuns para financiamento de determinados gastos como a assistência técnica, a importação de
medicamentos e a formação.

Prevê também o sector da saúde rever paulatinamente as tarifas praticadas de forma a melhorar a
recuperação de custos e a dimensão que as receitas representam no orçamento do sector,
actualmente com o valor desprezível. Simultaneamente prevê reduções tarifárias ou mesmo
isenções do pagamento de qualquer tarifa para as populações vulnerável e em pobreza absoluta.

Será regra nesta política tarefaria do sector manter o acesso de a população aos cuidados de
saúde. Em relação ao investimento, o sector da saúde prioriza a reabilitação da rede existente. O
investimento na sua ampliação e expansão deve ter em conta crescimentos reais do orçamento de
gasto correntes e a manutenção, pelo menos ao médio prazo, do apoio da comunidade
internacional aos gastos correntes.

5
Conclusão

Com o trabalho, chegamos a conclusão que o Ministério da Saúde (MISAU) é a instituição do


Governo cuja missão é salvaguardar a saúde dos cidadãos Moçambicanos, implementando
acções coordenadas de prevenção de doenças, promoção de saúde e tratamento de doentes.

Onde nem sempre é possível controlar a saúde da população, podendo ainda, a população ser
coberta pela medicina tradicional, parteiras tradicionais, agentes comunitários de saúde e agentes
polivalentes elementares em número exíguo.

6
Referências bibliográficas

BITTAR, O.J.N.V. Cultura & qualidade em hospitais. In: Quinto Neto, A., Bittar, OJNV.
Hospitais: administração da qualidade e acreditação de organizações complexas. Porto Alegre:
Da Casa Editora, 2004, 212p.

Boletim da república 11 de Julho de 1995 república de Moçambique.

Departamento de informação para a saúde. (2009). Plano Estratégico de Sistema de Informação


para a Saúde (SIS) 2009-2014. Ministério de Saúde.

Estatuto orgânico de MISAU.