Vous êtes sur la page 1sur 2

ODÚS

Olorun – Deus no dialeto africano criou os quatro elementos. Destes foram gerados os
elementais, que geraram todas as coisas vivas deste planeta. Foram atribuídos a cada um desses
elementos quatro Odús, ou seja, quatro signos interligados dos destinos.

Elementos:

TERRA ÁGUA AR FOGO

II II I I

II I II I

A palavra odú vem da língua yoruba e significa destino ou predestinação. Cada odú possui um
nome e características próprias e divide-se em "caminhos" denominados "ese" onde está atado
a um sem-número de mitos conhecidos como Itàn Ifá. Cada pessoa pode ir de encontro (odú
positivo) ou seguir um caminho alheio ao destino estabelecido (odú negativo), ou seja: seu
destino sua conduta foge as regras siderais (seguiu um caminho negativo dentro do
estabelecido). Nós quando nascemos, somos regidos por um odu de ori (cabeça), que representa
nosso "eu" assim como odú de destino, etc.

O Odú traz em seu conteúdo traz uma gama de informações sobre uma pessoa, local e
situações diversas. Determina o DNA espiritual de uma pessoa ou local e situação. Sendo o Odú
uma espécie de inteligência natural (terrena e extra-terrastre), possui informações e poderes
muitas vezes capazes de provocar fenômenos que alteram relevos locais e conseqüentemente a
vida de cada habitante deste mesmo local. O conhecimento do Odú é extremamente técnico e
demanda conhecimentos profundos de cálculos e dotações psíquica. Isso é melhor
compreendido com o estudo do Odu. E para esse estudo são usadas diversas técnicas ou
métodos com ajuda dos ikins, opele Ifá e jogo de búzios (èrindinlógun). Esta técnica do
conhecimento do jogo de Odús propicia o conhecimento e nos prova que existe a interligação
entre os Odús (caminhos de Odú) os quais promovem uma mutação gerando outros elementos,
“sub-odús” e mesmo Odús.

O Odú é formado por substâncias químicas constantementes usadas nas oferendas (ebós)
aos Odus. Assim, os elementos químicos geradores de substâncias como nitrogênio, hidrogênio,
oxigênio, carbono, sódio, cálcio, ferro e zinco, estão presentes na ritualística dos Odus. Como no
decaimento radioativo, o urânio decai para tório e com o decaimento do césio libera-se prótons,
nêutrons ou seja ENERGIA pura concentrada, o “caminho de Odú” transita da mesma forma
liberando Energia pura concentrada. E por assim ser, concentrada, as oferendas para os Odús são
pequenas sem qualquer suntuosidade ou luxo, porém densas de energia, pois a densidade é
igual à massa sobre o volume, ou seja, a densidade é inversamente proporcional ao volume.
Quanto maior o volume, menor será a densidade e vice-versa.

Quanto a isto ouvimos de uma sacerdotisa Ijexá (na Nigéria) a seguinte explicação: Odú jé
Oluabi tabi Oluikú! – (Odú é O Senhor da Vida ou O Senhor da Morte).

Os 16 Odu originais ou principais, seus nomes, representação em Ifá, ordem de chegada no


Àiyé (Terra) e ordem de caída para consulta ao Oráculo: