Vous êtes sur la page 1sur 61

A pesquisa em educação

African Virtual university

Université Virtuelle africaine

Universidade Virtual Africana

Elaborado por Mohamed OSMAN

NOTA

Este documento é publicado através da Licença Creative Commons 2.5 de paternidade (a

menos restritiva).

http://en.wikipedia.org/wiki/Creative_Commons Attribution

http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/

SUMÁRIO I. Pesquisa em educação

II.

Requisitos

III.

Carga horária

IV.

Material didáctico

V.

Justificação

VI.

Conteúdo

6.1

Resumo

6.2

Plano do módulo

6.3

Representação gráfica

VII. Objectivos gerais

VIII. Objectivos específicos

IX. Actividades de ensino e de aprendizagem

X. Conceitos-chave (glossário)

XI. Leituras obrigatórias

XII. Hiperligações úteis

XIII. Actividades de aprendizagem

XV. Avaliação somática XVI. Referências bibliográficas XVII. Autores do módulo

I. Pesquisa em educação

II. Requisitos

Para poder tirar proveito do que este módulo oferece é preciso ter uma escolaridade de base necessária para o nível universitário (certificado do ensino secundário ou diploma); uma compreensão mínima de informática e da internet e, ainda, uma base de conhecimentos de estatística e de softwares de tratamento de dados, como o Excel e o SPSS.

III. Carga horária

Para este módulo são necessárias 120 horas, distribuídas da seguinte maneira:

Unidade 1: 20 horas Unidade 2: 30 horas Unidade 3: 30 horas Unidade 4: 40 horas

IV. Material didáctico

Para que possa dominar o conteúdo deste módulo, é recomendável que tenha exemplares de projectos e de relatórios de pesquisa pedagógicos.

V. Justificação

Uma boa pedagogia, tanto teórica como prática, assenta numa base sólida de novos conhecimentos. Graças à pesquisa, nós podemos adquirir novos conhecimentos ou mesmo modificar os que já temos. Os professores devem rever os métodos que utilizam e devem melhorá-los, caso verifiquem que estes não são eficazes. Além disso, a maior parte dos sistemas educativos no mundo têm como base das suas políticas pedagógicas pesquisas empíricas, às quais os professores são convidados a se associar, o que lhes permite aumentar os seus conhecimentos académicos e também os seus honorários. É por isso que os professores devem ter formados para realizar pesquisas. Neste módulo, você vai aprender a identificar os problemas da pesquisa; a elaborar um plano para estudar esses problemas; a executar esse plano para obter os conhecimentos úteis e propor recomendações práticas para resolver os problemas pedagógicos identificados. Também vai aprender a ter uma visão crítica de outras pesquisas, a comunicar e a justificar a sua abordagem em relação a um problema de pesquisa e às suas conclusões. Vai ainda adquirir conhecimentos para compilar e redigir os seus trabalhos.

Você tornar-se-á ainda um pensador mais analítico, com um espírito aberto, qualidades que são indispensáveis a um professor no mundo actual.

VI. Conteúdo

6.1 Resumo

Este módulo visa dotar-lhe de conhecimentos tanto teóricos como práticos necessários para realizar uma pesquisa simples no campo da educação. Você vai adquirir habilidades para identificar os problemas; fazer uma pesquisa documental, elaborar projectos de pesquisa, coligar e interpretar dados e redigir relatórios de pesquisa. A composição do módulo é a seguinte:

Unidade 1 Os conceitos e os paradigmas da pesquisa: análise de conceitos-chave e de paradigmas que orientam a teoria e a prática de pesquisa.

Unidade 2 Procedimentos de pesquisa: análise detalhada dos procedimentos da pesquisa em educação e das etapas a respeitar.

Unidade 3 Recolha e análise de dados: análise das técnicas utilizadas para reunir e analisar os dados.

Unidade 4 Projecto de pesquisa : apresentação do processo de redacção do relatório de pesquisa, após o término das etapas preliminares.

6.2 Plano do módulo

Unidade

Duração prevista

Temas abordados

Unidade 1 :

20

Horas

O conceito de pesquisa em

Os conceitos e os paradigmas da pesquisa

 

educação.

Os paradigmas de pesquisa em

 

educação.

Os objectivos da pesquisa em

educação.

• Os tipos de pesquisa em educação.

• A ética na pesquisa.

• Princípios da pesquisa.

Unidade 2:

30

Horas

• Os procedimentos da pesquisa

Procedimentos de pesquisa

 

A Identificaçao dos problemas de pesquisa Formulação de questões e das hipóteses, A pesquisa documental Os planos de experiência:

Sondagens;

— Experimentação;

— Estudos de casos;

— Estudos longitudinais;

— Estudos transversais;

Técnicas de preparação de amostras:

Estratégias de preparação de

amostras probabilistas;

Estratégias de preparação de amostras não probabilistas.

Unidade 3 :

30

Horas

Preparação de instrumentos de recolha de dados:

Recolha e análise de dados

 

Questionários;

Guião de entrevista;

Guião de observação;

Análise de documentos;

Análise de dados:

Análise quantitativa;

Estatísticas descritivas;

Apresentação de dados:

Tabela de frequência;

Gráfico e tabela;

Medidas de tendência central;

Medida de dispersão;

Medida de relações;

Medidas de posições;

Diferencia reduzida;

Análise qualitativa;

Análise de frequência;

Análise de sentido;

Fundamento teórico.

Unidade : 4 Projecto de pesquisa

40

Horas

Planificação de projectos de

 

pesquisa

 

Redacção e um projecto de pesquisa

Redacção de um relatório de pesquisa

Divulgação de dados

6.3 Apresentação gráfica INSERIR IMAGEM (TRADUZIDA) AQUI Figura 1: Apresentação gráfica do módulo VII. Objectivos
6.3 Apresentação gráfica INSERIR IMAGEM (TRADUZIDA) AQUI Figura 1: Apresentação gráfica do módulo VII. Objectivos
6.3 Apresentação gráfica INSERIR IMAGEM (TRADUZIDA) AQUI Figura 1: Apresentação gráfica do módulo VII. Objectivos

6.3 Apresentação gráfica

INSERIR IMAGEM (TRADUZIDA) AQUI

Figura 1: Apresentação gráfica do módulo

VII. Objectivos gerais

Os objectivos gerais deste módulo são permitir que você saiba:

Demonstrar e compreender as razões da pesquisa em educação;

Identificar, formular e definir os problemas e as questões inerentes à pesquisa;

Identificar, localizar e ter uma visão crítica dos relatórios de pesquisa e dos projectos feitos no domínio da educação e noutros domínios afins;

Avaliar e redigir os projectos e relatórios claros de pesquisa;

Analisar e compilar dados quantitativos e qualitativos.

VIII. Objectivos específicos

N

o

Designação da unidade

Objectivos específicos

1.

Os conceitos e os paradigmas da pesquisa

No fim desta unidade, você será capaz de :

Descrever os diferentes paradigmas

 

filosóficos subjacentes à pesquisa em educação;

Explicar os fundamentos e os objectivos da pesquisa em educação (explicação, predição, controlo, criação de conhecimentos);

Identificar os diferentes planos de

experiência e classificá-los em grupos de

acordo com os seus objectivos e métodos;

Explicar a importância da ética da

pesquisa e os seus princípios subjacentes

2.

Procedimentos de pesquisa

No fim desta unidade, você será capaz de :

Identificar problemas pedagógicos que podem ser estudados;

Definir e aprofundar problemas

pedagógicos como problemas de pesquisa;

Ligar as probabilidades /causas do

   

problema (variável independente) com as variáveis dependentes para formular hipóteses;

Diferenciar as abordagens de pesquisa

qualitativa e quantitativa e mistas;

Identificar, encontrar e fazer uma análise

crítica de documentos contendo informações

ligadas ao problema de pesquisa;

Efectuar uma pesquisa tendo como base

os dados electrónicos como ERIC, JSTOR e

Dissertation Abstracts International, como na internet;

Fazer uma boa análise documental;

Conhecer as estruturas de pesquisa e escolher as que são apropriadas;

Saber mais sobre a preparação das amostras apropriadas utilizadas.

 

Recolha e análise de dados

No fim desta unidade, você será capaz de :

Identificar técnicas apropriadas de análise dos dados;

Melhorar as técnicas de recolha de

informações apropriadas;

Utilizar métodos de análise de dados

qualitativos (gerir, torná-los inteligíveis e apresentar dados);

Utilizar métodos de análise quantitativos

(apresentações gráficas, medida de tendência

central, variabilidade, relações, posição relativa, incluindo a distribuição normal e as diferenças reduzidas para analisar os dados da pesquisa)

Utilizar softwares de análise de dados

disponíveis, como o Microsoft Excel e o SPSS.

4.

O projecto de pesquisa

No fim desta unidade, você será capaz de :

Elaborar

um plano para um projecto de

pesquisa:

1. Expondo o problema e identificando as variáveis;

2. Desenvolvendo a hipótese;

3. Formulando as questões da investigação;

4. Determinando os pontos fortes dos estudos (e suas limitações)

apresentando documentação relevante;

5. Descrevendo a metodologia de pesquisa;

6. Identificando e fazendo com que as variáveis de pesquisa sejam operacionais, a população e a amostra;

7. Optando por técnicas de recolha de dados apropriadas (entrevistas, questionários, sondagens e analises de conteúdos);

8. Utilizando o estilo referencial da PA

para citar as fontes de informação Estar ciente dos princípios de direito de autor de propriedade intelectual;

Incorporar padrões éticos nos projectos e

relatórios de pesquisa;

Planificar e realizar um projecto-piloto;

Avaliar a fidelidade e a validade de seus instrumentos de pesquisa;

Redigir com correcção projectos de pesquisa

IX. Actividades de ensino e de aprendizagem

Título da pré-avaliaçao

Esta pré-avaliação das questões de escolha múltipla tem como objectivo avaliar os conhecimentos que você já tem sobre os problemas que serão levantados neste módulo.

9.1 Justificação

A eficiência de uma aprendizagem depende dos conhecimentos que se tem sobre o tema antes de tentar dominar um novo conteúdo. Esta pré-avaliação determina o seu nível de conhecimentos sobre a pesquisa em educação. A maneira como você vai responder às estas questões será um bom indicador do seu domínio da matéria deste módulo e vai lhe mostrar o que você precisa para fazer pesquisas pedagógicas de uma forma mais eficiente. Ao mesmo tempo que lhe prepara mentalmente, esta pre-avaliaçao vai orientar o professor, monstrando-lhe os pontos que merecem ser mais trabalhados.

9.2 Questões

Para cada questão que segue escolha a melhor resposta entre as propostas.

1.

Qual destas propostas apresenta a ordem correcta das etapas do processo de pesquisa

em educação?

a.

Problema, plano de pesquisa, recolha de dados, interpretação, relatório

b.

Projecto, questionário, interpretação, discussão, relatório

c.

Relatório, problema, análise documental, metodologia, dados

d.

Análise documental, metodologia, problema, relatório, dados

2.

A pesquisa de tipo descritivo é utilizada para responder às questões de investigação

que incluem:

a.

O quê?

b.

Porquê?

c.

Como?

d.

Todas as respostas

e.

Nenhuma destas respostas

3.

Os estudos transversais implicam:

a.

A recolha de dados num momento preciso no tempo

b.

A recolha de dados numa mesma população duas vezes

c.

O acompanhamento da amostra de pessoas durante um certo período de tempo

d.

Todas estas respostas

4.

A principal razão pela qual um pesquisador utiliza uma técnica do tipo causal e

comparativa e não uma técnica experimental é quando:

a.

Uma amostra aleatória não é possível

b.

A manipulação experimental não é possível

c.

A utilização de testes padronizados não é possível

d.

O objecto da pesquisa são crianças.

5.

Numa pesquisa de tipo experimental, a amostragem aleatória é utilizada para recrutar

participantes para :

a.

Os grupos experimentais e de controlo

b.

Os pré-testes e pós-testes

c.

As variáveis independentes e dependentes

d.

Todas as respostas

e.

Nenhuma das respostas

6.

Qual destas questões é uma variável nominal?

a.

A inteligência

b.

O peso

c.

A fome

d.

O sexo

7.

Na pesquisa educacional, a análise documental serve para:

a.

Estar ao corrente do que se sabe sobre um determinado tema

b.

Familiarizar-se com as teorias, os procedimentos e as técnicas relevantes

c.

Identificar as relações, as lacunas, as incoerências na documentação

d.

Formular uma hipótese para uma questão de investigação

e.

Todas as respostas

f.

Nenhuma destas respostas

8.

Qual destas respostas não é característica de estudos de caso na pesquisa?

a.

O estudo em profundidade de um fenómeno

b.

O estudo de um fenómeno no seu contexto natural

c. A representação de um ponto de vista dos pesquisadores e dos participantes D. Todas as respostas

e.

Nenhuma destas respostas

9.

Entre as fontes de informação seguintes, qual é a mais segura?

a.

A intuição

b.

A pesquisa

c.

O raciocínio lógico

d.

O parecer dos peritos

10. Qual das respostas seguintes não é característica do paradigma de uma pesquisa?

a. Considerar a realidade social tem uma existência independente

b. Estudar as amostras importantes para depois generalizar

c. Dar descrições orais detalhadas do que é estudado

d. Utilizar principalmente as técnicas da análise de dados quantitativos.

11. Na pesquisa, o processo de consiste em desenvolver ideias abstractas é chamada :

a. Operacionalização

b. Conceitualização

c. Medida

d. Teste

12. Uma predição ou explicação preliminar da relação entre duas variáveis ou mais é

chamada :

a. Variável

b. Teoria

c. Hipótese

d. Questões de investigação

13. Qual destas questões define a essência da validade?

a. Será que o instrumento mede o que devia medir em princípio?

b. Será que o instrumento considera as variações nos mesmos participantes?

c. Será que o instrumento da os mesmos resultados depois de medir a mesma coisa sobre

os mesmos participantes e nas mesmas condições?

d. Será que o instrumento contempla todos os aspectos do problema estudado?

14. A fiabilidade do instrumento se refere a :

a. O seu grau de coerência

b. O seu grau de exaustividade

c. A sua precisão

d. A sua objectividade

15. Já que a nossa sociedade africana é essencialmente oral, qual é o melhor método de

recolha de dados demográficos juntos dos participantes?

a. Entrevista face a face

b. Entrevista por telefone

c. Questionário

d. Observação

16. Qual destas respostas não é característica da pesquisa quantitativa?

a. Ela examina os dados quantitativos.

b. Ela verifica as teorias e as hipóteses.

c. Ela procura obter uma profunda compreensão dos problemas.

d. Ela utiliza as técnicas da estatística para analisar os dados.

17. A variação de uma média é chamada:

a. Diferença-típica

b. Variante

c. Nota

d. Media

18. Uma análise documentária permite ao pesquisador de:

a. Conhecer o que já se escreveu sobre o tema.

b. Formular hipótese e argumentos.

d.

Todas estas respostas.

19. Qual destas respostas não constitui um objectivo de pesquisa?

a. Elaborar um plano claro que o pesquisador deve seguir

b. Ser admitido num programa de pesquisa.

c. Pedir subvenções junto dos doadores.

d. Apresentar os resultados da pesquisa ao público.

20. Uma pesquisadora da Universidade de Amoud na Somália pretende estudar as aptidões de pensamento crítico dos universitários. Para fazer uma amostragem, ela obtém a lista de todos os estudantes da Universidade. Depois, ela recruta os participantes escolhendo todas as pessoas que estão na quinta posição nas listas. Qual é esta técnica de amostragem?

a. Amostra aleatória simples

b. Amostra sistemática

c. Amostra estratificada

d. Amostra cega

9.4 Chave de correcção

1. a

2. a

3. a

4. b

5. a

6. d

7. e

8. e

9.

b

10.

c

11.

b

12.

c

13.

a

14.

a

15.

a

16.

c

17.

a

18.

d

19.

d

20.

b

9.5

Orientação pedagógica precisa aos estudantes

Esta pré-avaliação baseia-se na sua experiência de pesquisa e no que você vai estudar neste módulo. Mesmo se nunca tenha tido aulas de metodologias de pesquisa durante os seus estudos secundários ou antes da obtenção do seu diploma, a pesquisa não é um

assunto totalmente desconhecido. Com efeito, você já teve provavelmente a ocasião de participar numa pesquisa como uma pessoa inquirida ou uma pessoa que realiza a recolha de dados. Por isso, não é necessário ter participado num projecto de pesquisa formal para ser considerado como um pesquisador, pelos menos no sentido mais cândido do termo. Faz-se pesquisas todos os dias para resolver os problemas sobre os quais somos confrontados. Se respondeu correctamente a pelo menos 6 questões, você deve estudar mais ainda para atingir os objectivos básicos deste módulo. Se respondeu correctamente a uma média de 7 a 13 questões, você está pronto para começar imediatamente este módulo. Se respondeu correctamente a mais de 14 questões, você tem conhecimentos de base sólidos que lhe permitirão fazer este módulo com facilidade.

X. Conceitos-chave (glossário)

Análise documental: identificação e análise de documentação e informação sobre o que foi e o que vai ser estudado.

Análise estatística: resumo e análise de dados quantitativos.

Quadro conceitual: uma série de ideias ou de conceitos ligados enunciando as relações que existem entre eles.

Confidencialidade: esforços feitos pelo pesquisador para proteger o anonimato das pessoas que participam na pesquisa.

Consentimento: acordo dado pelos participantes para participar na pesquisa.

Construção: às vezes chamada Conceito, trata-se de uma ideia refinada geral ou abstracta que um pesquisador deseja examinar ou medir (por exemplo, o potencial de sucesso de negócios).

Correlação: força da relação que existe entre duas variáveis.

Dados: um conjunto de informação que pode ser uma medida quantitativas das características dos participantes, de textos ou de imagens.

Diferença-modelo: medida de dispersão de um conjunto de dados quantitativos e que é obtida calculando a raiz quadrada da variante.

Amostra: selecção de participantes específicos de uma população para uma pesquisa.

Formulação do problema: questão ou enunciado de pesquisa que descreve o objectivo do estudo.

Extensão: medida de dispersão de um conjunto de dados quantitativos.

Estudo de caso: estudo pormenorizado das manifestações de um fenómeno num contexto natural e do ponto de vista dos participantes que são implicados no fenómeno.

Estudo longitudinal: toda pesquisa que estuda um grupo específico durante um período de tempo e que mede as mudanças ocorridas nesse mesmo grupo.

Fiabilidade: grau de coerência ou de dependência de uma medida; grau de reprodução interrompida do resultado postulando que os fenómenos subjacentes não mudam.

Grupo de discussão: discussão moderada pelo pesquisador à qual um grupo de participantes se junta para debater um problema particular.

Histograma: diagrama de dados nos quais as barros são utilizados para representar a frequência dos casos em cada uma das categorias.

Item: num teste ou num questionário, questão ou enunciado ao qual um participante a uma pesquisa deve responder.

Metodologia: processo utilizado na pesquisa para gerar novos conhecimentos.

Média: ponto aritmético médio de um conjunto de dados.

Observação sistemática: observação planificada visando responder a uma questão específica graças a um tipo de pesquisa válida.

Paradigma: sistema de práticas e de pensamentos que define, para os pesquisadores, a natureza do problema estudado e as metodologias correctas de estudar esse problema.

Plano de experimentaçãp: quadro conceitual que orienta as actividades da pesquisa para garantir que se obtenha resultados fiáveis.

Positivismo: paradigma de resultados visando a obter informações de maneira objectiva utilizando medidas quantitativas.

Questão de investigação: interrogação ou enunciado visando descobrir a relação entre duas ou mais variáveis.

Pesquisa aplicada: pesquisa que tem por objectivo descobrir as soluções imediatas para os problemas aos quais os professores e estudantes são confrontados. Os resultados da pesquisa aplicada obtidos ajudam-nos a tomar decisões práticas sobre os problemas específicos.

Pesquisa em educação: pesquisa tendo como objectivo implementar e melhorar a teoria e a prática pedagógica.

Referência: toda documentação utilizada para redigir o artigo de pesquisa, essencialmente fontes recentes e primárias. Escrever segundo o formato utilizado o APA (American Psychological Association).

Sondagem: questionário distribuído ou entrevistas feitas junto de grupo significativo de pessoas.

Variável: fenómeno ou construção identificada através de um conjunto de dados quantitativos.

XI. Leituras obrigatórias

Leitura #1

Título: Características fundamentais da pesquisa URL: http://evaluation.wmich.edu/JMDE/content/JMDE- 005content/PDFs_JMDE_005/Definitions_of_Research.pdf (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Resumo

Este artigo responde à uma questão essencial: o que é uma pesquisa? Os pesquisadores utilizam várias definições, o que contribui para alimentar uma confusão frequente sobre o que é uma pesquisa. O autor questiona alguns aspectos baseando-se na definição que considera ser a mais frequentemente utilizada: “ a pesquisa é uma actividade realizada por pessoas muito competentes que procuram a verdade para melhorar os conhecimentos, descrever e explicar o mundo”. Ele aprofunda a questão, apresentando outras definições que trazem outras dimensões das características da pesquisa.

Justificação

Com ajuda deste artigo, os estudantes terão uma melhor compreensão do que é uma pesquisa, seus objectivos e suas características mais importantes. Eles vão conhecer igualmente as diferentes maneiras de definir a pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro de 2007

Leitura #2 Título: METOS MISTOS DE PESQUISA Come. URL: http://www.aera.net/uploadedFiles/Journals_and_Publications/

Journals/Educational_Researcher/Volume_33_No_7/03ERv33n7_

Johnson.pdf

RESUMO

Neste artigo, apresenta-se uma explicação e uma justificação da terceira abordagem possível da pesquisa. Apresenta-se também, sumariamente, as duas abordagens frequentes (qualitativa e quantitativa) e os paradigmas subjacentes a essas abordagens. Este artigo propõe uma terceira abordagem, a pesquisa que utiliza métodos mistos, e apresenta o paradigma filosófico sobre o qual esta pesquisa está assente: o pragmatismo. Primeiro, o autor explica como as duas abordagens se complementam. Em seguida, apresenta os pontos fortes e fracos de cada um delas. Por fim, expõe as vantagens da pesquisa que utiliza métodos mistos, explica os seus princípios fundamentais e mostra como ela pode ser utilizada.

Justificação

Graças a este módulo, os estudantes vão conhecer as forças e as fraquezas das pesquisas qualitativas e quantitativas. Eles vão também compreender a importância da pesquisa utilizando métodos mistos e os frutos que se pode obter utilizando esta técnica.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro 2007

Leitura #3 Título: Ética na pesquisa educacional:

URL: http://wwwlb.aub.edu.lb/~websmec/Ethics%20of%20Educa tional%20Research%20hcb%20nov%202005.ppt (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Resumo

Esta apresentação em Power Point aborda os problemas que estão no centro da ética na pesquisa educacional. Apresenta-se, primeiro, os princípios subjacentes à pesquisa educacional, antes de se mostrar a relação complexa que existe entre a ética e a pesquisa. A apresentação em Power Point mostra que a natureza da pesquisa educacional, como implica seres humanos, é necessariamente um projecto ético. Enumera os riscos a que os participantes estão expostos, quando a pesquisa não é realizada respeitando os princípios éticos. Além disso, o documento apresenta as condições nas quais as pessoas que participam são vulneráveis aos riscos que resultam da maneira como a pesquisa é efectuada. Com esta discussão, o autor expõe a necessidade de se estabelecer normas de ética rígidas para proteger os participantes da exploração e do perigo. Depois de enumerar os princípios chave da pesquisa educacional, explica como estes princípios podem aplicados para reduzir os riscos com os quais os participantes são confrontados.

Justificação Esta apresentação traz uma discussão profunda do que é a ética de pesquisa e mostra como os pesquisadores podem utiliza-los nos seus trabalhos.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro 2007 Leitura #4 Título: Problemas na pesquisa qualitativa:

Resumo

Este artigo aborda problemas éticos inerentes à pesquisa educacional qualitativa e relata as experiências de um pesquisador durante uma pesuisa qualitativa junto de estudantes num programa de educação especializada. Os desafios aos quais o pesquisador está confrontado revelam claramente os problemas ligados a este tipo de pesquisa designadamente consentimento, confidencialidade e as realidades individuais. No fim do artigo, o autor sugere outras formas de pesquisa. O artigo destaca sobretudo a complexidade dos problemas éticos na pesquisa. Com efeito, mesmo os códigos éticos mais elaborados podem não ser uma panaceia para todos os dilemas aos quais os pesquisadores estão confrontados durante o processo de pesquisa. Por isto, a integridade do pesquisador é uma qualidade essencial.

Justificação Este artigo é uma síntese mais completa dos principais desafios ética na pesquisa educacional. Graças a exemplos reais, os estudantes compreenderão os conceitos bases inerentes à pesquisa. Eles terão também uma estrutura básica para encontrar soluções aos problemas éticos na pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro de 2007

Leitura #5 Título: O que é ética na pesquisa e o que é importante? URL: http://www.niehs.nih.gov/research/resources/bioethics/ whatis.cfm

Resumo Este artigo faz uma análise detalhada dos princípios éticos mais importantes na pesquisa tanto qualitativas como quantitativas e mostra como o pesquisador pode incluir esses princípios na pesquisa e a maneira de resolver os dilemas éticos durante o processo de pesquisa.

Justificação Esta leitura ajudará a compreender como identificar e respeitar as normas éticas que podem durante o processo da pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro de 2007

Leitura #6 Título: Research paradigms URL: http://teach.newport.ac.uk/research/teachingdownloads/

Paradigms1.doc

Resumo Determinar o paradigma mais apropriado ao seu problema de pesquisa represente muitas vezes um desafio para o pesquisador. Esta leitura explica o conceito de paradigma e apresenta detalhadamente os paradigmas da pesquisa qualitativa e quantitativa. Por outras palavras, demonstra a importância de trabalhar com o paradigma específico e como determinar o paradigma que corresponde a uma questão de pesquisa.

Justificação Este artigo vai dar aos estudantes estratégias de escolhas apropriadas aos seus problemas de pesquisa.

Hiperligação consultada 18 Novembro 2007

Leitura #7 Título: O sistema APA e referências tipográficas (4 e e 5 e Edições) URL: http://www.wisc.edu/writing/Handbook/DocAPACitations. html

Resumo Esta leitura mostra citar as fontes de informações que o pesquisador citou e mostra os procedimentos que como devem ser respeitados quando se trata de informações tiradas da internet, revistas ou base de dados electrónicos. Além disso, mostra como escrever artigos para revistas e explica, detalhadamente, como redigir uma página de referência para o seu projecto, trabalho prático ou o seu projecto de pesquisa.

Resumo Este artigo constitui um guia que se deve ser respeitado pelos estudantes para citar e fornecer referências nas redacção de trabalhos práticos, de projectos de pesquisa de relatórios.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro 2007

Leitura #8 Título: What is Research Design? URL: http://www.socialresearchmethods.net/kb/desintro. htm

Resumo Esta leitura introduz o conceito de plano de experimentação e explica em detalhes o plano de experimentação das pesquisas quantitativas e qualitativas. Mostra a importância de seguir um plano particular em todo o processo de pesquisa. Enumera as características dos bons planos de experimentação assim como as diferentes estratégias de selecção de amostra utilizadas na pesquisa educacional.

Justificação Este artigo permite aos estudantes de escolher os planos de experimentação que correspondem às suas questões de investigação. Graças a esta leitura, eles estarão aptos a escolher os planos qualitativos ou quantitativos, em função da natureza do seu estudo. O artigo constitui um guião para a selecção da amostra em função do plano escolhido.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro de 2007

Leitura #9 Título: Sampling In Research

URL: http://www.socialresearchmethods.net/tutorial/Mugo/ tutorial.htm

Resumo Este artigo dá uma explicação detalhada sobre os conceitos fundamentais de selecção da amostra. Apresenta os factores que o pesquisador deve ter em consideração ao seleccionar uma amostra que responde às necessidades dos objectivos de pesquisa a atingir. Mostra as diferenças entre as técnicas de selecção de amostras qualitativas e quantitativas.

Justificação Esta leitura ajudará os estudantes a aprender os conceitos de base de selecção de amostra, a importância desta e como escolher uma amostra apropriada.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro de 2007

Leitura #10 Título: Qualitative Social Science Research Methodology URL: http://faculty.ncwc.edu/toconnor/308/308lect09.htm (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Leitura #11 Título : Qualitative Research Methods URL : http://www.projects.ex.ac.uk/prdsu/helpsheets/

Helpsheet09-May03-Unlocked.pdf

Resumo Estas duas leituras discutem em detalhe a pesquisa qualitativa e as tradições neste domínio. Elas mostram igualmente como os dados qualitativos podem ser coligidos e analisados.

Justificação Estas leituras permitirão aos estudantes apreender os diferentes tipos de plano de experimentação na pesquisa qualitativa e ajudar-lhes-ão a compreender como estes planos podem ser aplicados para estudar problemas pedagógicos.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro de 2007

Leitura #12 Título: Types Of Data : Quantitative And Qualitative (N.D.T. : não existe hiperligação)

Resumo Este artigo explica as características dos dados qualitativos ou quantitativos.

Justificação Esta leitura permitirá aos estudantes aprender a identificar a natureza dos dados que eles vão precisar para responder aos seus problemas de pesquisa, de tal forma que eles saibam escolher os métodos de recolha de dados apropriados à sua pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro de 2007 Leitura #13 Título: Tips for Designing Data-Collection Instruments URL: http://www.idrc.ca/en/ev-28258-201-1-DO_TOPIC. html

Resumo Esta leitura dá uma descrição detalhada dos métodos de recolha de dados quantitativos e qualitativos. Em seguida, faz uma série de sugestões para a escolha dos métodos de recolha de dados apropriados e válidos.

Justificação Este artigo ajudará os estudantes a aprender a conceber métodos de recolha de dados fiáveis e válidos.

Hiperligação consultada no dia 20 de Novembro 2007

Leitura #14 Título: Introduction to Statistical Methods URL: http://glass.ed.asu.edu/stats/lesson4/

Resumo

Este artigo explica as técnicas de análise de dados quantitativos e como utilizar os softwares como SPSS e Excel para analisar os dados. Faz uma distinção entre os métodos descritivos e os dados dedutivos.

Justificação Depois desta leitura, os estudantes ficarão a dominar as técnicas de análise de dados quantitativos. Eles beneficiarão também da prática necessária de uso de um computador para a análise de dados.

Hiperligação consultada no dia 21 de Novembro 2007

Leitura #15 Título: Attitudes of college students toward contraceptives: a consideration of gender differences URL: http://findarticles.com/p/articles/mi_m0FCR/is_4_38/ai_

n8589842

Resumo Este artigo é um relatório de pesquisa cujo objectivo é encontrar uma solução para a irresponsabilidade sexual da sociedade americana. Este estudo postula que o acesso à informação e aos métodos contraceptivos mudou radicalmente a visão da sexualidade. Com efeito, estas mudanças contribuíram grandemente para as elevadas taxas de irresponsabilidade sexual. O estudo comparou a atitude actual dos homens e das mulheres em relação à sexualidade e à maneira como a informação sexual é apresentada. Trezentos e cinquenta e oito estudantes universitários responderam ao inquérito concebido para este estudo. Os resultados revelaram que tanto os homens como as mulheres concordaram que, nos campus universitários, havia informação disponível e prescrições para a contracepção. Apesar disso, tanto os homens como as mulheres estavam indecisos no que diz respeito ao seu papel e responsabilidade nas relações sexuais. O estudo deixa entender que há necessidade de se conceber uma política específica para melhorar a qualidade de vida dos jovens que se tornam sexualmente activos sexualmente ainda muito jovens.

Justificação Este artigo é um exemplo do formato de um relatório de pesquisa que mostra quais são os procedimentos para a elaboração deste tipo de trabalho. Os estudantes vão aprender a fazer a escrever relatórios coerentes. Graças a este artigo, eles vão também avaliar os artigos publicados em revistas por outros estudantes. E um artigo apropriado para este tipo de trabalho já que utiliza estatísticas simples para comunicar os resultados de análise de dados.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro de 2007

Leitura #16 Título: How to write a research paper URL: http://www.wits.ac.za/library/portals/psychology/Referencin g%20&%20Report%20Writing.PDF (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Resumo Este artigo explica, detalhadamente, como escrever relatórios de pesquisa, seguindo as normas da APA. Apresenta igualmente uma descrição do processo em etapas com exemplos tirados da 5ª Edição do manual da APA.

Justificação Este artigo ajudará os estudantes a desenvolver habilidades necessárias para escrever trabalhos de pesquisa segundo as normas da APA.

Hiperligação consultada no dia 21 de Novembro de 2007

XII. Hiperligações úteis Hiperligação #1 Título: The Dummy’s Guide to Data Analysis Using SPSS URL: http://www.scrippscollege.edu/campus/it/pdf/spss.pdf Descrição Esta hiperligação permite aceder à uma versão em linha de um guião SPSS para os que não sabem nada de informática. Este guião vai ajudar os estudantes a compreender e a dominar as técnicas de análise de dados quantitativos, com a ajuda da SPSS. Além disso; expõe certos conceitos estatísticos muito úteis no domínio da pesquisa educacional.

Hiperligação #2 Título: Educational Resources URL: http://www.eric.ed.gov/ Descrição Esta hiperligação oferece um número importante de artigos de pesquisa pedagógica bem como outros meios úteis durante a realização de um trabalho de pesquisa durante toda carreira de professor.

Hiperligação #3 Título: Research for the classroom teacher URL: http://ocw.usu.edu/education/research-for-the-classroom-teacher/ Course_listing Descrição Esta hiperligação dá acesso a um software didáctico da Universidade de Utah. Este módulo apresenta igualmente algumas instruções claras sobre como realizar uma pesquisa na sala de aulas.

Hiperligação #4 Título: Introduction to research

UR : http://en.wikibooks.org/wiki/Research_Methods (N.D.T. Hiperligação incompleta; só dois artigos dos dezassete secções listados estão activos)

Descrição Esta hiperligação é uma introdução detalhada de pesquisa e será muito útil para os estudantes de pesquisa, uma vez que lhes fornece os conceitos-chave básicos para a pesquisa educacional.

XIII. Actividades de aprendizagem

Actividade #1

Título: Conceitos e paradigmas de pesquisa

Resumo Neste artigo, você vai descobrir conceitos importantes e paradigma de pesquisa. No fim das actividades propostas, você estará capaz de explicar os fundamentos e os objectivos da pesquisa (explicação, predição, contrôlo, criação de conhecimentos), identificar os diferentes tipos de pesquisa, classificar as pesquisas pedagógicas em função dos objectivos e dos métodos, isto é, explicar a importância da ética na pesquisa. Você terá acesso também a leituras importantes, a saber :

• O fundamento da pesquisa;

• As características da pesquisa;

• Os paradigmas da pesquisa;

• O objectivo da pesquisa;

• Os tipos de pesquisa;

• Os problemas de ética na pesquisa.

Palavras-chave Predição Explicação Aperfeiçoamento Descrição Teoria Epistemologia Positivismo Pós-positivismo Pesquisa quantitativa Pesquisa qualitativa Ética na pesquisa Consentimento declarado

Confidencialidade Anonimato Plagiato Códigos de comportamento

Leituras pertinentes

Leitura #1

Título : Fundamental Characteristics of Research URL : http://evaluation.wmich.edu/JMDE/content/JMDE- 005content/PDFs_JMDE_005/Definitions_of_Research.pdf (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Resumo

Este artigo responde a uma questão importante: “O que é uma pesquisa?”. Os pesquisadores apresentam muitas definições, o que alimenta os problemas na definição de uma verdadeira pesquisa. O autor deste artigo discute os aspectos da pesquisa baseando- se numa definição amplamente difundida: a pesquisa é uma actividade que é levada a cabo por pessoa altamente qualificadas e procura apurar o verdadeiro melhorando os conhecimentos, descrever ou explicar o mundo”. O autor apresenta igualmente outras definições, que abordam outros aspectos das características da pesquisa.

Justificação

Com a leitura deste artigo, os estudantes terão uma melhor compreensão da pesquisa, dos seus objectivos e das suas principais características. Eles vão aprender também as deferentes formas de definir uma pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 19 de 2007

Leitura #2 Título: Mixed Methods Research: A research Paradigm Whose Time Has Come. URL: http://www.aera.net/uploadedFiles/Journals_and_Publications/

Journals/Educational_Researcher/Volume_33_No_7/03ERv33n7_

Johnson.pdf

Resumo

Este artigo apresenta uma explicação e uma justificação da terceira abordagem possível da pesquisa. Faz igualmente uma apresentação global de duas abordagens frequentes

(qualitativa e quantitativas) e os paradigmas subjacentes. Este artigo propõe a terceira abordagem, isto é, a pesquisa utilizando métodos mistos e o paradigma filosófico sobre o qual esta assente: o pragmatismo. Primeiro, o artigo explica como as duas abordagens são complementares. Em seguida, mostra os pontos fracos e fortes de cada abordagem. Finalmente, o autor expõe as vantagens da pesquisa que utiliza os dois métodos, explica os princípios fundamentais dessa abordagem e a forma como podem ser utilizados.

Justificação

Com a leitura deste artigo, os estudantes conhecerão os pontos fortes e fracos das pesquisas qualitativas e quantitativas e compreenderão a importância e os benefícios de uma pesquisa que utiliza métodos mistos.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro 2007

Leitura #3 Título: Ethics of Educational Research: An agenda for discussion

URL: http://wwwlb.aub.edu.lb/~websmec/Ethics%20of%20Educa tional%20Research%20hcb%20nov%202005.ppt (N.D.T. : a hiperligação não funciona mais)

Resumo

Esta apresentação em Power Point aborda os problemas que estão no centro da ética na pesquisa educacional, começando pelos princípios subjacentes, e abordando depois a relação complexa entre a ética e a pesquisa. Mostra que a natureza da pesquisa educacional, que implica o uso de seres humanos, é ética. O autor enumera os riscos a que os participantes estão expostos, se a pesquisa não é realizada de acordo com as normas éticas. Além disso, explica a que riscos as pessoas que participam numa pesquisa são vulneráveis, os quais têm a ver com a forma como a pesquisa é feita. Neste artigo, o autor expõe a necessidade de se estabelecer normas éticas rígidas para proteger os participantes dos eventuais riscos. Depois de enumerar os princípios chave da ética na pesquisa educacional, explica como estes princípios podem ser utilizados, de forma a se reduzir os riscos eventuais dos participantes.

Justificação Esta apresentação discute detalhadamente a questão da ética de pesquisa e mostra como os pesquisadores podem ter em conta a ética, nos seus trabalhos.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro 2007 Leitura #4 Título: Ethical Issues in Qualitative Research: What would you do? URL: http://www.aare.edu.au/98pap/kon98027.htm

Resumo

Este artigo apresenta os problemas éticos que se colocam na pesquisa educacional e relata experiencia de um pesquisador durante uma pesquisa feita junto de estudantes de num programa de educação especializada. Os desafios relatados espalham claramente os dilemas no terreno de pesquisa desta natureza como o consentimento, a confidencialidade, realidade individual. O artigo destaca a complexidade dos problemas éticos monstrando que mesmo os códigos mais elaborados podem não ser uma prevenção de todos os problemas. A integridade do pesquisador também é destacada.

Justificação Este artigo oferece uma síntese dos dilemas éticos na pesquisa. Graças aos exemplos reais, os estudantes compreenderão os conceitos de base subjacentes à ética de pesquisa e oferece uma estrutura com a qual eles podem conceber soluções dos dilemas éticos na pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 19 de Novembro 2007 Leitura #5 Título: What is Ethics in Research & Why is It Important? URL: http://www.niehs.nih.gov/research/resources/bioethics/ whatis.cfm

Resumo Este artigo analisa os princípios éticos mais importantes nas pesquisas quantitativas e qualitativas e mostra como o pesquisador pode respeitá-los na sua pesquisa e a forma como se pode resolver os dilemas éticos na pesquisa.

Justificação Esta leitura ajudará os estudantes a compreender como identificar e respeitar as normas éticas de pesquisa. Ela ajudar-lhes-á a aprender como resolver os problemas éticos que podem surgir durante o processo de pesquisa.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro 2007

Leitura #6 Título: Research paradigms URL: http://teach.newport.ac.uk/research/teachingdownloads/

Paradigms1.doc

Resumo Determinar o paradigma mais apropriado em relação à questão de investigação representa muitas vezes um desafio para o pesquisador. Esta leitura explica o conceito de paradigma e contextualiza os paradigmas da pesquisa quantitativa e qualitativa. Ela demonstra a importância de trabalhar com paradigma específico e como determinar o paradigma que corresponde a uma questão de investigação.

Justificação Este artigo apresenta sugestões sobre como escolher o paradigma apropriado para a questão de investigação.

Hiperligação consultada no dia 18 de Novembro de 2007

Descrição detalhada da actividade O objectivo da pesquisa em educação é desenvolver novos conhecimentos no ensino, aprendizagem e administração de educação. Este saber é precioso já que quando é aplicado melhora as teorias e as práticas pedagógicas. A qualidade dos conhecimentos obtidos na pesquisa depende do tipo de pesquisa utilizada e dos paradigmas filosóficos que a sustentam.

O significado da pesquisa

Para muitos aprendizes-pesquisadores, a palavra pesquisa evoca nos seus espíritos a imagem de um homem com óculos, um sarau branco manipulando produtos químicos num laboratório. Na realidade, o objectivo da pesquisa é de aumentar os conhecimentos e resolver problemas (Nkpa, 1979). Resolver problemas é uma actividade quotidiana; uma actividade inerente à actividade humana. Você é um pesquisador, mesmo se não tem consciência disto. A pesquisa é uma actividade sistemática e objectiva que consiste em adquirir conhecimentos para responder a certas questões ou resolver problemas. Com o andar do tempo, os homens utilizaram um conjunto de técnicas para adquirir conhecimentos através das tradições, experiências pessoais, intuições, ensaios, erros, raciocínio lógico e pesquisa científica. Mas a pesquisa é a técnica de escolha e a mais popular para adquirir conhecimentos, porque ela é formal e o processo pode ser reproduzido.

Os objectivos da pesquisa em educação

Os objectivos da pesquisa científica em educação são:

1. Explorar um problema pedagógico e para fazer com que outras pesquisas possam ser

feitas sobre o mesmo tema;

2. Explicar a vida social dos estudantes e dos professores, apresentando uma informação

segura e bem documentada; 3. Compreender o comportamento (dos estudantes e dos professores) no seu quadro

pedagógico;

4. Avaliar os problemas de natureza social bem como os efeitos sobre os estudantes e os

professores;

5. Elaborar ou testar as teorias pedagógicas;

6. Melhorar a prática pedagógica graças à pesquisa aplicada.

Para alcançar estes objectivos, os pesquisadores pedagógicos fazem o seguinte :

1.

Descrever

Na maior parte dos casos, a pesquisa em educação consiste em descrever as características dos fenómenos pedagógicos como as suas estruturas, as suas actividades, as suas mudanças ao longo do tempo, as suas ligações com outros fenómenos, etc. Estudos desta natureza contribuíram para uma melhor compreensão do que acontece tanto dentro como fora da sala de aulas. As estatísticas que eles produzem são importantíssimas tanto para os que elaboram as políticas como para os educadores.

2. Predizer

É uma habilidade de utilizar a informação disponível num certo momento para predizer os fenómenos que vão acontecer num certo momento. Por exemplo, os testes de aptidão aos quais os alunos do ensino secundário e os do ensino superior são submetidos servem

em teoria para predizer o sucesso ou não dos estudantes nos estudos. Na educação, é necessário ter instrumentos de predição pelas seguintes razões:

• Eles são necessários para a selecção de estudantes que terão sucesso num certo meio pedagógico ou programa;

• Eles são utilizados para identificar os estudantes susceptíveis de não ter sucesso nos seus estudos e evitar, desta maneira, alguns problemas como o abandono.

3. Melhorar

Este tipo de conhecimento de pesquisa diz respeito à eficiência das intervenções como os programas de ensino. Os pesquisadores pedagógicos sempre quiseram ter maneiras mais eficientes para melhorar os rendimentos escolares, as aptidões de raciocínio, habilidades de estudos, etc.

4. Explicar

De todos os conhecimentos necessários à pesquisa, este é a mais importante. Explicar consiste em descrever um fenómeno pedagógico, predizer as suas consequências e saber como intervir para modificar essas consequências. Os cientistas transformam as suas explicações em teoria. Uma tal explicação é um conjunto de fenómenos em matéria de um sistema de construções e de leis que ligam essas construções e têm como objectivo explicar os fenómenos que não são bem compreendidos. Por exemplo, Jean Piaget, propôs uma teoria de desenvolvimento intelectual.

Os paradigmas de pesquisa

Um paradigma de pesquisa é uma opinião que um pesquisador tem da natureza do conhecimento (verdade ou realidade). Um paradigma possui uma dimensão ontológica, epistemológica e metodológica (Kathuri e pals, 1993). A ontologia corresponde às suposições do pesquisador sobre a natureza da realidade. A epistemologia é um conjunto de suposições do pesquisador sobre o como adquirir conhecimentos sobra a realidade. A

metodologia é o processo utilizado pelos pesquisadores para explorar as realidades. Os paradigmas ajudam o pesquisador a não utilizar simplesmente suposições mas adoptar factos que podem ser verificados empiricamente. Eles permitem igualmente aos pesquisadores seguir uma boa direcção durante o processo da pesquisa. Eis alguns dos paradigmas utilizados pelos pesquisadores pedagógicos:

A realidade objectiva (positivismo)

Chama-se positivista o defensor de uma tal suposição. Eles consideram que a realidade é

tangível e que pode ser estudada sob uma forma mais ou menos estática. O positivismo é

a doutrina epistemológica atribuída às ciências da natureza. Eis algumas características mais salientes do positivismo:

• A convicção que as características do contexto conservam um importante grau de invariabilidade no tempo e no espaço;

• A pesquisa do que é geralmente verdadeiro do contexto social;

• A definição do que é uma população e a selecção de uma amostra representativa desta população para estudar;

• A tentativa de generalizar os resultados obtidos através da amostra;

• O isolamento das características do contexto social e os sua conceitualização em variáveis que podem ter valores diferentes;

• A expressão desses valores em escala (por exemplo, o sucesso pedagógico e o tamanho

dos grupos de estudantes).

Mas o positivismo possui os seus limites porque as características que são importantes a ensinar nas aulas não podem ser quantificadas e as definições operacionais dadas a essas variáveis podem não ter o mesmo significado segundo a situação.

A realidade construída (construcionista)

Uma posição epistemológica do positivismo assenta na suposição que a realidade social é criada pelos que fazem parte dessa realidade social. Essa realidade resulta de interpretação: o sentido atribuído à realidade social. As características do contexto não são consideradas como tendo uma existência independente do sentido que as pessoas lhe atribuem. Os defensores desta suposição são chamados pós-positivista ou construcionistas. Eles defendem que a pesquisa científica deve estudar diferentes realidades sociais criadas pelas diferentes pessoas quando elas interagem na sociedade. O pós-positivismo é a doutrina epistemológica que procura que a realidade social não apenas construída mas construída de maneiras diferentes, de acordo com as pessoas que intervêm.

O paradigma interpretativo (Interpretativismo)

É a suposição que o estudo das interpretações individuais conduzem à compreensão da realidade. Os pesquisadores interpretativos recolhem experiências subjectivas e interpelam os participantes de maneira natural e empática. Eles dão maior ênfase a casos específicos. Os resultados de uma tal pesquisa não podem por conseguinte ser generalizados à uma população inteira. As generalizações devem ser feitas sobre uma base individual. Os pesquisadores interpretativos:

• Dão maior ênfase ao estudo de casos individuais e fazem descrições verbais detalhadas nas suas observações;

• Fazem uma análise de dados que é essencialmente verbal e não estatística.

A pesquisa interpretativa tem as seguintes inconveniências:

• As palavras e o tipo de linguagem utilizados para entrevistar alguém podem não ter o mesmo sentido para o pesquisador e o participante;

• As mesmas palavras utilizadas por pessoas diferentes podem ter diferentes sentidos.

Os tipos de pesquisa pedagógico

Os tipos de pesquisa são o resultado do tipo de informação que o pesquisador deseja obter, as questões para as quais ele procura respostas e os paradigmas que ele utiliza. Os pesquisadores desejam geralmente responder a três questões de base : Como um problema pode ser resolvido ? O que é que acontece realmente quando uma certa condição ou problema existe? Porquê certos problemas ou condições existem? Examinemos alguns problemas para nos ajudar a compreender as três questões precedentes. Você como outros professores vão se aperceber que vários desperdícios deixados atrás pelos estudantes invadem o recinto escolar e que ela se torna insalubre. Você decide assim de fazer uma pesquisa para resolver esse problema desafiando os estudantes para encontrarem uma solução. Você terá então procurado responder à questão « como ». Imaginemos agora que muitas vezes que você observou que, em média, dez estudantes vão à escola com marcas de lesões no seu corpo. Alguns, depois de serem interrogados, revelam que foram vítimas de violência corporal protagonizada pelos seus pais. A pesquisa para compreender o que se passa realmente em casa responde então à questão « o quê ». Enfim, imaginemos que você decide fazer uma pesquisa para saber o que esconde atrás do facto que muitos dos vossos estudantes dormem durante as aulas de manhã, você estará respondendo à questão “porquê”. Agora que sabemos o que pode motivar certos tipos de pesquisa, examinemos um pouco mais em detalhes os tipos utilizados pelos pedagogos e outros pesquisadores.

1. A pesquisa quantitativa : ela assenta na hipótese que as características do contexto social constituem uma realidade independente e que elas são relativamente estáveis no tempo e no espaço. Elas podem, por isto, serem medidas ou quantificadas com exactidão com instrumentos estruturados como questionários, testes ou instrumentos psicométricos como o detector de mentiras. A pesquisa quantitativa é positivista. Os pesquisadores quantitativos adquirem conhecimentos graças aos comportamentos observáveis da amostra para, em seguida, submetê-los a uma análise quantitativa.

O quadro seguinte resume as principais diferenças entre as pesquisas qualitativas e quantitativas :

 

Pesquisa quantitativa

Pesquisa qualitativa

Dados obtidos

Numéricos (quantitativos)

Verbais, textuais e (qualitativas)

Natureza da realidade

Realidade social observável (que se pode medir)

Realidade social construída

Natureza da relação causal

Relações causais nos fenómenos sociais vistas de uma perspectiva mecânica

As intenções humanas têm um papel muito grande na explicação das relações causais dos fenómenos sociais.

Tipo de raciocínio

Indutivo. Utiliza os conceitos e as teorias preconcebidas para determinar os dados que serão corelacionados.

Dedutivo. Descobre os conceitos e as teorias depois de ter reunido os dados.

Objectivo

Descobrir

Confirmar

Natureza da pesquisa

Orientada, aprofunda as variáveis conhecidas, directivas rígidas, plano estatístico, livre do contexto.

Holístico, superficial, variáveis desconhecidas, directivas flexíveis, plano emergente, ligada ao contexto.

Tema estudado

Amostra representativa

Casos informativos

Métodos de análise dos dados

Estatístico (descritivo ou dedutivo)

Dedução analítica, histórias pessoais, entrevistas

Generalização dos resultados

Da amostra a uma população definida

De um caso a um outro similar

Posição da pesquisa

Objectiva e impessoal

Pessoalmente implicada

Relatório de pesquisa

Impessoal e objectivo

Interpretativo e subjectivo

As pesquisas podem ser igualmente classificadas segundo os seus objectivos e métodos que utilizam. A pesquisa em educação poder ser classificada em certas categorias.

Classificação segundo os objectivos

As pesquisas têm objectivos diferentes e podem ser classificadas em duas categorias segundo:

3. A pesquisa de base : a recolha de dados empíricos para formular novas teorias ou desenvolver as teorias existentes. O objectivo desta pesquisa é de adquirir novos conhecimentos. A utilidade dos resultados é habitualmente fora do alcance da pesquisa de base.

4.

A pesquisa aplicada: ela pode resolver os problemas pedagógicos imediatos aos quais

os estudantes e professores estão confrontados. Os resultados da pesquisa aplicada

ajudam-nos a tomar decisões práticas sobre problemas específicos.

Classificação segundo o tipo de método de investigação. As pesquisas podem ser igualmente ser classificadas segundo as metodologias utilizadas para examinar um problema :

5. a pesquisa experimental: na pesquisa experimental, o pesquisador estuda as relações

de causa e efeito entre as variáveis, controlando-as ou manipulando-as.

6. A pesquisa ex post facto: é utilizada quando o pesquisador é incapaz de manipular ou

de controlar as variáveis implicadas numa relação causal. Na vida real, é impossível controlar a quantidade de variáveis independentes aos quais estamos confrontados e dar aos sujeitos diferentes tipos de tratamento. Nesta óptica, a pesquisa ex post facto é a mais

apropriada. Por exemplo, se nos queremos explorar a experiencia de uma queda de um avião, é impossível planificar uma queda de um avião para um estudo. A única alternativa possível é estudar as pessoas que sobreviveram à queda de um avião.

7. A pesquisa descritiva: este tipo de pesquisa é utilizada para compreender as condições

existentes ou o statu quo, de um fenómeno pedagógico. Ela determina “o que é. Quando não se pode fornecer uma descrição exacta do fenómeno estudado, os pesquisadores não possuem uma base sólida para explicá-lo ou modificá-lo.

Princípios da pesquisa em educação

Supõe-se que a pesquisa moderna obedeça a certas normas para que os seus resultados possam ser generalizados e aceites. Entre essas normas, podemos distinguir :

• A precisão das medidas: todo deve ser feito para se medir os fenómenos com grande precisão;

• A reprodutividade: os pesquisadores independentes devem ser capazes de obter os mesmos resultados similares;

• A validade: medir o que deve ser medido;

• A fiabilidade: os instrumentos de medida e os procedimentos devem produzir resultados coerentes;

• A objectividade: a pesquisa deve ser feita sem preconceitos, sem desvios e os dados devem ser apresentados sem alterações;

• A ética: o processo de pesquisa deve obedecer a certos princípios éticos.

Observação: os cinco primeiros princípios derivam da pesquisa quantitativa, onde medir fenómenos e validar das hipóteses são os principais objectivos. Contudo, mesmo os pesquisadores qualitativos confrontam-se, hoje em dia, com estes últimos princípios.

A ética na pesquisa Você conhece provavelmente o termo ética. Espera-se dos professores que adoptem uma ética Professional durante o processo de ensino/aprendizagem. A ética é o comportamento apropriado que uma pessoa deve demonstrar durante a realização de certas tarefas. A pesquisa não foge a esta regra. O fundamento da ética na pesquisa é proteger o bem-estar e os direitos dos (Blanche e Dureis, 1999). Os pesquisadores deviam sempre respeitar os seguintes princípios :

a) Os participantes na pesquisa não devem ser expostos à experiências que podem

provocar lesões graves ou permanentes ou à experiencias para os quais não estão

preparados;

b) Os participantes não devem ficar privados da sua auto-determinação em nenhuma

etapa da pesquisa;

c) O consentimento dos participantes deve ser obtidos, se possível, por escrito, antes do

seu trabalho ser objecto de estudo;

d) Desde o inïcio da pesquisa, os participantes devem estar ao corrente de todos detalhes

do projecto sobretudo os objectivos, a utilidade, o papel das pessoas que recolhem os

dados, o tipo de tratamento ao qual serão submetidos, etc;

e) Os participantes devem ter a certeza que os seus nomes e a informação que

disponibilizam serão protegidos.

Actividades de aprendizagem

Para se assimilar com sucesso este módulo, é preciso completar as actividades que seguem. Para uma maior organização, essas actividades estão organizadas em etapas.

Os seres humanos sempre procuraram novos conhecimentos para resolver os seus problemas. Muitos estudos foram testados, cada uma tendo um grau de fiabilidade e validade diferente. A razão deste facto é que as nossas decisões estão baseadas em informações que temos.

Etapa 1

Utilizando os conhecimentos que tem, responda às questões seguintes:

• Quais são as principais fontes de conhecimentos? Enumere-as.

• Segundo a sua opinião, quais são os mais utilizados na sua comunidade?

• Entre estas fontes, quais é que usa geralmente para ter informações? Porquê? Redija a sua resposta sob forma de um texto argumentativo de, aproximadamente, 100 palavras. • No seu texto argumentativo, identifique os pontos fortes e fracos das fontes que enumerou.

• Complete o quadro abaixo resumindo o que aprendeu sobre as fontes de conhecimento:

Fonte de

Comunidade na qual é utilizada

Eu utilizo esta fonte para obter… (tipo

Forças

Fraquezas

conhecimento

de informação) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.
de informação)
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.

A superioridade da pesquisa como fonte de conhecimento.

A pesquisa científica é a fonte de conhecimento mais avançada e mais fiável. Geralmente, as pessoas de todas as profissões reconhecem os resultados de pesquisa como sendo verídicos e objectivos.

Etapa 2

• Estude a leitura #1 e responda à questão seguinte numa dissertação de 300 palavras aproximadamente: quais são as características da pesquisa que fazem com que ela seja mais fiável e objectiva em relação às outras fontes de conhecimentos?

Etapa 3

• Estude a leitura #2 e, com base nela, complete o quadro abaixo:

Tipos de hipótese

Hipótese

Forças

Fraquezas

Quantitativa

     

Qualitativa

     

Com métodos

     

mistos

As pesquisas pedagógicas devem responder a vários dilemas éticos quando fazem pesquisas nas quais serem humanos são os objectos de estudo. É por isso que os pesquisadores devem adoptar princípios éticos durante todo o processo.

• Estude a lição #3, #4 et #5 e depois utilize esses conhecimentos para responder às seguintes questões:

• Os cenários seguintes são exemplos de pesquisas possíveis. Estude-os atentamente e redija um texto argumentativo de aproximandamente 200 palavras, tendo em conta as seguintes questões:

1. Quais são os erros éticos que um pesquisador pode cometer ?

2. Será que o estudo poder ser feito de uma maneira ética?

3. Que etapas específicas que podem ser observadas para reduzir minimamente os erros

éticos?

1. Interacções sociais dos estudantes com problemas de aprendizagem. Os estudantes de nível elementar que têm perturbações de aprendizagem são susceptíveis de ser menos apreciados pelos seus pais e professores em relação aos outros estudantes. Para descobrir a razão dessa diferença, um pesquisador propõe filmar interacções sociais entre os estudantes do sexto ano apresentando perturbações de aprendizagem e os que não têm perturbações de aprendizagem. A filmagem faz-se a partir de um veículo particular que percorre as escolas. O princípio é que dois estudantes brinquem juntos. Já que o pesquisador crê que a presença de uma câmara vai influenciar consideravelmente a maneira como os estudantes agem, decide filmá- los às escondidas, ou seja, sem o seu conhecimento.

2. Consumo de drogas nos estudantes do nível secundário. Para explorar os efeitos do consumo de droga sobre os resultados académicos, um pesquisador decide recolher dados sobre os estudantes que já beneficiaram de uma pesquisa por causa de um problema ou que já reconhecidos culpados de um delito ligado à droga. Os dados são provenientes de diferentes fontes: as escolas frequentadas por esses estudantes, os intervenientes em toxicomania (se os estudantes estiver a seguir um tratamento), os agentes de liberação condicional ou seus equivalentes (se o estudante está sob vigilância judiciária), os pais dos estudantes e o próprio estudante.

3. Efeitos de uma diminuição de auto-estima sobre a performance cognitiva. Um

pesquisador quer conhecer os efeitos de baixa séria de auto-estima sobre a performance cognitiva. O pesquisador administra primeiro um questionário e depois faz uma classificação para contabilizar os resultados. Na realidade, os resultados são falsos e foram determinados anteriormente. Quando volta à sala, o pesquisador diz ao participante que os resultados do questionário sugerem que tem uma personalidade pouco atraente. Ele conclui, perguntando “ Não deves ter amigos, não é verdade? O estudante completa então uma série de tarefas cognitivas.

4. Dinâmica de grupo. Um pesquisador deseja saber como os quadros das instituições escolares tomam as suas decisões. O pesquisador separa os quadros em grupos de cinco e

apresenta-lhes um problema típico em administração escolar. A tarefa dos quadros consiste em chegar a um consenso sobre como revolver o problema. O pesquisador explica que para não influenciar o processo, ele vai sair da sala para gravar a interacção. Ele diz igualmente que para a composição de grupos seja constante, e eles não sejam perturbados, ele vai trancar a porta e só se sai, uma vez processo terminado.

5. Aprendizagem cooperativa entre crianças de uma creche. Uma psicóloga deseja estudar como as crianças de idade pré-escolar aprendem a cooperar no seu processo de aprendizagem. Ela explica às crianças os objectivos da pesquisa e o que espera delas. Elas aceitam com entusiasmo. Ela concebe os jogos de aprendizagem de grupos diz-lhes que devem praticar a ajuda mútua, ao participar nas actividades. Ela filma, depois, as suas discussões.

Avaliação formativa

a) Eis uma lista de pesquisa que foram feitas sobre o pensamento crítico. Indique os

objectivos de cada uma delas e justifique a sua resposta. E preciso não esquecer que

algumas podem ter vários objectivos.

i) A avaliação do pensamento critica geral e especifica dos estudantes.

ii) O pensamento critico dos estudantes: os antecedentes familiares têm algum papel?

iii) Um olhar sobre quatro anos de tendência do pensamento critico nos estudantes do primeiro ciclo.

iv)

A predisposição a pensamento critico em estudantes do primeiro ciclo em atletismo.

v)

As aulas e o ensino que influenciam o pensamento crítico.

b)

Imagine que já concebeu um projecto de pesquisa. Redija um texto argumentativo-

explicativo, de 500 palavras aproximadamente, indicando o paradigma que vai nortear

esse projecto de pesquisa e explicando as razões da suas escolhas. Mencione igualmente

os problemas éticos que vai abordar e explique as suas razões.

Actividade #2

Título: O processo de pesquisa

Resumo

A pesquisa começa por um problema ou uma ideia que deve ser explorada. Graças a esta

actividade, você vai aprender a identificar os problemas e elaborar as questões e as hipóteses de pesquisa relevantes. Você estará apto a fazer uma pesquisa documentária a proposito do problema que vai vos permitir adoptar o paradigma de pesquisa, o plano de experiencia e a metodologia apropriados.

Conceitos chave

Análise documental: identificação e análise de um problema da documentação e de informação relacionado com o que foi e que vai ser estudado.

Amostra: selecção de participantes específicos de uma população para uma pesquisa.

Item: Num teste ou num questionário, questão ou enunciado a que um participante deve responder.

Metodologia: Processo utilizado na pesquisa para adquirir novos conhecimentos.

Paradigma : sistema de práticas e de pensamento que definem para o pesquisador a natureza do problema estudado e as maneiras correctas de estudá-los.

Plano de experimentação : quadro que guia as actividades da pesquisa para garantir que as conclusões obtidas serão sólidas.

Palavras-chave

• Questão de pesquisa

• Problema de pesquisa

• Hipótese

• Variável

• Pesquisa documental

• Análise documental

• Amostra

• Plano de experimentação

Leituras obrigatórias Título: What is Ethics in Research & Why is It Important? URL: http://www.niehs.nih.gov/research/resources/bioethics/ whatis.cfm Título: Research paradigms URL: http://teach.newport.ac.uk/research/teachingdownloads/

Paradigms1.doc

Título: APA citation and referencing style (4 e et 5 e editions) URL : http://www.wisc.edu/writing/Handbook/DocAPACitations. html Título: What is Research Design? URL: http://www.socialresearchmethods.net/kb/desintro. htm Título: Sampling In Research URL: http://www.socialresearchmethods.net/tutorial/Mugo/ tutorial.htm Título: Qualitative Social Science Research Methodology URL: http://faculty.ncwc.edu/toconnor/308/308lect09.htm

Descrição detalhada da actividade

Nesta actividade, você vai estudar as leituras relevantes e vai fazer actividades que vos permitirão apreender a identificar um problema de pesquisa, formular boas hipóteses e questões de investigação, fazer uma pesquisa documentaria e seleccionar unidades de pesquisa apropriados. A actividade está divida em curtas etapas para uma maior visibilidade.

Conteúdo

A pesquisa pode ser comparada à construção de uma casa. Antes de construir a casa, é

necessário ter uma ideia de que ela vai ser: um plano. O desenhador faz um plano que vai

ser utilizado pelos construtores. Usa-se o mesmo procedimento na pesquisa: é necessário ter uma ideia do que vai pesquisar antes de começar a pesquisa propriamente dita. As etapas que seguem serão úteis para conceber uma ideia clara do que se vai pesquisar.

Identificação do problema

O processo de pesquisa começa por identificar um problema. Um problema é uma

dificuldade ou uma ocorrência que é incompreensível e para o qual é necessário encontrar

uma solução. Um problema não deve necessariamente ser perigoso ou nocivo, ele pode ser resultante de falta de conhecimento acerca de um problema pedagógico específico (Somekh, Lewin, 2005). Por exemplo, você pode desejar conhecer as razões que explicam porquê as raparigas no ensino secundário obtêm resultados baixos em relação aos dos rapazes. Este seria o seu problema de pesquisa, você planificar o estudo para conhecer as causas dessa taxa baixa de sucesso escolar em relação aos rapazes. Depois de ter identificado o problema, você vai expô-lo em termos claros e simples (exposição do problema). A exposição do problema interroga as relações entre duas variáveis ou mais. Neste exemplo, a taxa de sucesso na matemática é a primeira variável e o sexo (rapariga ou rapaz) é a segunda.

Conselho de aprendizagem Certos problemas podem constituir matéria para uma pesquisa científica, por exemplo, os que só podem ser resolvidos graças à pesquisa. Além disso, nem sempre é fácil para um pesquisador formular o seu problema simplesmente, claramente, inteiramente. Um bom problema de pesquisa supõe, sob forma de questão, a relação entre variáveis e implica que é possível estudá-lo de maneira empírica.

Etapa 1

• Visite dois professores da sua regia e peça-lhes que enumerem cinco problemas ligados à educação ou ao ensino que eles gostariam de estudar. • Classifique estes problemas segundo uma lista de prioridades com base nas seguintes

questões:

Qual é o problema? Porquê é um problema? Quem está afectado por esse problema? Qual é a grandeza do problema? Quais são as causas do problema?

• Determine o problema mais importante e redija um texto argumentativo, de

aproximadamente 200 palavras, dando pelos menos quatro razoes que justifiquem porquê

é um bom problema de pesquisa.

Tenha certeza que o problema de pesquisa escolhido é apropriado e obedece aos seguintes critérios:

— O problema deve ser importante;

— O problema deve ser interessante;

— O problema deve ser estudado segundo as circunstâncias existentes.

Na etapa seguinte, você terá a ocasião de ler um pouco mais sobre o problema que terá escolhido para ter uma melhor compreensão e assim expô-lo claramente.

Pesquisa documental Depois de identificar o seu problema de pesquisa, é essencial ler o que os outros escreveram sobre o tema. Os conhecimentos adquiridos desta maneira serão úteis para definir e delimitar o problema. Este processo é chamado pesquisa documental ou

bibliográfica. A redacção de uma critica da documentação é chamada análise documental.

A pesquisa documental é importante uma vez que permite esclarecer certos aspectos do

problema de pesquisa (Blanche e Durrheim, 1999). Graças à pesquisa documental, você está em altura de conhecer o que se pode escrever sobre esse problema, os métodos

escolhidos bem como as conclusoes e as recomendações feitas sobre o tema. Os conhecimentos teóricos adquiridos graças à análise documental garantirão um bom começo da pesquisa com os instrumentos de pesquisa a confiança necessária.

Conselho de aprendizagem

• Utilize primeiro as fontes gerais e as especificas depois;

• Procure primeiro a informação de base e depois as fontes mais específicas recentes;

• Registe toda a informação que tem e onde obteve essa informação;

• Conserve todas as referências, podem ser necessárias depois;

È imperioso conservar todos os documentos (incluindo fotocopias) sobre o seu projecto

de pesquisa num mesmo portfólio, bem identificado. Nesse portfólio, você pode incluir igualmente as suas notas analíticas e interpretativas sobre a sua pesquisa. Esse portfólio é um jornal de pesquisa. O jormal é um meio muito eficiente par gerir o processo de redacção, já que ele permite conservar toda sua documentação no mesmo lugar e muito acessível.

Você deve redigir a sua análise documental segundo um estilo específico, ou o da

American Psychological Association (APA), utilizado neste módulo. Você vai utilizar igualmente esta norma para redigir os trabalhos práticos. Neste módulo, as fontes citadas

e as referências bibliográficas foram escritas segundo esta norma.

Conselho de aprendizagem Existe outras normas para citar fontes e referências bibliográficas e que são utilizadas

pelas instituições académicas e de pesquisa. Por exemplo, algumas universidades utilizam

a norma Harvard. A UVA prefere a da APA.

Etapa 2 • Estude a norma de redacção, de citação e de referência da APA. • Redija utilizando as directivas da leitura sobre como citar fontes, uma análise documental de aproximadamente 600 palavras sobre o problema de pesquisa que escolheu na etapa precedente. Nessa análise, tenha o cuidado de indicar a natureza do problema, sua importância, os que são afectados por esse problema, porquê deve ser estudado bem como as tentativas que feitas antes da vossa para se resolver esse problema. Inclua no mínimo 10 citações diferentes utilizando a norma APA, idealmente as suas citações serão tiradas de artigos de pesquisa publicados em revistas internacionais.

• Peça um ou dois colegas para lerem o seu trabalho e fazerem críticas construtivas para melhorar a sua análise. Modifique depois a sua análise inserindo as sugestões. Guarde a versão revista da análise para uma etapa posterior.

Depois de ter liso suficientemente documentos sobre o seu problema de pesquisa, pode começar a pensar nas causas possíveis. Você pode expor as questões para as quais procura respostas durante a sua leitura, formulando hipótese ou questões de investigação.

Hipótese e questões de investigação

Depois de identificar o seu problema de pesquisa, é essencial defini-lo de tal maneira que possa ser estudado. Para isso, é preciso formular hipóteses (nos casos de pesquisa quantitativas) ou de questões de investigação (nos casos de pesquisas qualitativas).

Hipótese

Uma hipótese é uma estimação esclarecida sobre a relação entre as variáveis implicadas no problema de pesquisa. A hipótese ilustra a suposição que o pesquisador tem da relação entre as variáveis dependentes e independentes na pesquisa quantitativa. A hipótese ajuda fazer a pesquisa. Depois de recolher e analisar os dados, o pesquisador pode ou confirmar ou não a hipótese. Contudo, convém lembrar que as hipóteses são formuladas unicamente nas pesquisas quantitativas durante a qual os métodos estatísticos são utilizados para verifica-los e obter, desta maneira, uma relação de causa e efeito ou uma correlação entre as variáveis.

Requisitos de pesquisa Na pesquisa qualitativa, utiliza-se questões de investigação a não hipóteses e o objectivo é de responder às questões levantadas durante o processo de pesquisa. As questões de investigação são problemas que um pesquisador poder querer compreender ou interpretar. Estas questões orientam o processo de pesquisa qualitativa.

Conselho de aprendizagem

As questões de investigação são, às vezes, formuladas sob forma de enunciados. Na pesquisa qualitativa, uma questão de pesquisa pode ser a hipótese formulada pelo pesquisador para indicar a relação entre os problemas que estuda. E possível ter questões de investigação e hipóteses. Quando isso acontece, as questões servem para indicar os problemas que serão estudados, enquanto a hipótese serve para mostrar a relação que existe entre os dois. Contudo, na pesquisa qualitativa, utiliza-se unicamente as questões de investigação. Quando eles são claramente apresentados, as hipóteses que devem ser verificadas bem como as questões e os problemas que devem ser explorados constituem a definição do problema.

Etapa 3

• Leia o texto sobre as questões de investigação e sobre as hipóteses.

• Utilizando as ideias destes textos e as apresentadas sobre a análise documental na etapa 2, formule uma frase ou mais questões de investigação fazendo uma relação entre o seu problema e as causas prováveis. • Formule uma outra hipótese predizendo a relação possível entre as variáveis que identificou. • Supondo que já está pronto para estudar o problema, formule três objectivos que reflectem as suas questões de investigaçãos ou hipóteses.

• Procure um tema de pesquisa ou um título para o seu problema que não ultrapasse 16 palavras.

Conselho de aprendizagem

• O processo de sua pesquisa começa quando você formula a sua questão de investigação ou o problema que vai estudar.

• Desenvolva em seguida o seu tema. Um tema de pesquisa é na verdade um domínio

largamente definido; por exemplo: a percepção que os estudantes têm das qualidades dos

bons professores de matemática.

• Formule depois uma questão para delimitar a sua perspectiva, por exemplo, qual é a

percepção que os estudantes têm das qualidades dos bons professores de matemática?

• Enfim, procure um título. O título devia igualmente indicar a relação potencial entre as variáveis que serão estudadas. E mais fácil escrever o título de pesquisa ou um tema depois de identificar um problema de pesquisa.

Amostra

Uma amostra é uma porção representativa de uma população e a partir da qual serão recolhidos os dados. Uma amostra pode incluir pessoas, um grupo, um objecto, ou um texto. Uma amostra é seleccionada segundo os métodos específicos, os quais são escolhidos segundo o paradigma de pesquisa privilegiado. Na pesquisa quantitativa, uma amostra é habitualmente seleccionada segundo métodos estatísticos que têm como bases as leis da probabilidade. Eis algumas correntes utilizadas em probabilidade ou em amostra quantitativa.

• Amostra aleatória simples

• Amostra sistemática

• Amostra por participação voluntária

• Amostra estratificada

• Amostra a vários graus

Contudo, na pesquisa qualitativa, outras estratégias de representatividade de amostra são utilizadas. Com efeito, a amostra em pesquisa qualitativa tem como objectivo obter casos que fornecerão ao pesquisador para os dados de que precisa. As amostras qualitativas não são por isso probabilistas, já que o problema de representação não é importante. Os métodos mais utilizados são os seguintes:

Amostra calculada, amostra aleatória e sondagem cumulativa (Miles e Huberman, 1994).

Etapa 4

Leia o texto sobre os paradigmas de pesquisa e sobre as amostras e utilize essa a informação para redigir uma dissertação de aproximadamente 200 palavras sobre o paradigma de pesquisa que escolheu na etapa 1 para estudar o problema. Justifique a sua escolha de paradigma e o argumento que vai utilizar bem como o método que vai utilizar para seleccionar este último.

Plano de experimentação

O plano de experimentação é utilizado como estratégia utilizada pelo pesquisador para

estudar o problema de pesquisa e para responder à questão de pesquisa. De certa forma, pode-se dizer que o plano de experimentação é um ponto que serve para relacionar as duas partes do projecto de pesquisa. É utilizado para estruturar a pesquisa, todas as suas etapas, processos (amostra, medidas, tratamentos, softwares, estratégias de análise e de

recolha de dados, etc.) para estudar as questões de investigação centrais. Ele ajuda a responder à uma série de questões cruciais sobre a metodologia como:

O que é que vai ser feito durante a pesquisa?

Como ser feito? Porque vai se fazer desta forma?

Este plano poder ser qualitativo ou quantitativo. Os planos de experiencia quantitativos são descritivos, correlacionais, ou experimentais. Os planos descritivos expõem o problema. Os planos correlacionais, procuram estabelecer relações entre os planos e os planos experimentais exploram as relações de causa e efeito. Estes últimos podem ser verdadeiras experimentações ou pelos menos, quase-experimentações. Uma verdadeira experimentação compreende o grupo experimental e o grupo de controlo. O grupo de controlo é afectado à variável independente e as mudanças ocorridas são gravadas como variáveis dependentes. Uma quase-experimentação é preparada para explorar o efeito da variável independente sem, necessariamente, ter grupos de controlo. Você pode verificar a clareza da pesquisa, colocando as seguintes questões:

1. Estudo

(que tema)

2.

Porque procuro encontrar

(o problema? O quê? Porquê?)

3. Para

4. Utilizando o método

(o quê?) (Justificação, porquê?) (abordagem ou método geral/como?)

Etapa 5 Imaginando que vai estudar o problema que identificou agora nesta actividade, descreva em 4 parágrafos (máximo 200 palavras) o seu plano de experiencia indicando :

O paradigma que vai seguir;

Amostra que vai estudar;

Os dados que vai recolher;

Os instrumentos que vai utilizar;

O que você vai fazer para ter certeza que a recolha de dados será fiável e válida;

Os procedimentos que vai utilizar para recolher os dados;

A maneira como vai analisar os dados.

Avaliação formativa

1. Apresente 4 características de bons planos de pesquisa.

2. Indique 3 fontes correntes de problemas de pesquisa.

3. Quais são as fontes de documentação prováveis na sua região?

4. Qual é o objecto da amostra?

5. Enumere três pesquisas qualitativas que conhece.

Actividade #3

Título: recolha e análise de dados

Resumo

Nesta actividade, você vai aprender a identificar as técnicas de análise apropriadas, conceber instrumentos de recolha de dados apropriados e analisar dados de pesquisa graças às análises quantitativas e quantitativas. Por último, você vai aprender a utilizar softwares Microsoft Excell e SPSS para analisar os dados.

Leituras pertinentes

Título: Types Of Data: Quantitative And Qualitative URL: http://www.idrc.ca/en/ev-28258-201-1-DO_TOPIC.html

Título: Tips for Designing Data-Collection Instruments

Título: Introduction to Statistical Methods URL: http://glass.ed.asu.edu/stats/lesson4/

Título: Qualitative data analysis URL: http://glass.ed.asu.edu/stats/lesson4/

Conceitos chave

Análise qualitativa: dá sentido aos dados qualitativos utilizando uma série de técnicas como a análise de conteúdo e as matrizes de redes de causas.

Análise estatística: resumo e análise de dados quantitativos.

Recolha de dados: técnica que consiste em organizar, com ajuda de instrumentos, os dados necessários juntos dos participantes para responder à questão de investigação.

Dados: um conjunto de informações que podem ser apresentado de forma quantitativa das características dos participantes (na pesquisa quantitativa), textos, de vozes ou de imagens (em pesquisa qualitativa).

Item: num teste ou num questionário, questão ou um enunciado ao qual um participante deve responder.

Descrição detalhada da actividade

Os métodos de recolha de dados

Para compreender e encontrar as soluções ao seu problema de pesquisa, é necessário ter dados sobre o tema e poder interpretar. Os dados recolhidos podem ser de natureza numérica, como o tipo de família dos vossos estudantes ou o absentismo num semestre. Na pesquisa qualitativa, os dados podem, ser sob forma de texto, como artigos de jornais, a propósito de feminismo ou encore sob forma de imagens, como as grafites desenhados nos muros das casas banho dos homens. Estes dados são recolhidos por meio de instrumentos apropriados (Lokesh Koul, 1998); por exemplo, as questões numa folha às quais os participantes devem responder ou cujas respostas dos participantes serão escritas por você. Um exemplo de instrumento pode ser um gravador de voz ou um gravador de acontecimentos, como as câmaras e os vídeos. A natureza dos instrumentos utilizados depende do tipo de dados que você quer recolher e as suposições que formulou a propósito de dados (paradigma).

Estes instrumentos podem ser utilizados de maneira diferente para recolher os dados: para as interacções face-a-face (entrevista presencial), as questões respondidas sobre uma folha de papel ou ainda as medidas (experimentações). Os dados podem ser recolhidos

durante a entrevista, uma experimentação ou fazendo observações no terreno. As estratégias utilizadas para este efeito são chamadas métodos de recolha. Os instrumentos como guias de entrevistas, questionários, guias de observação, câmaras podem ser utilizados para recolher dados. Os métodos de recolha de dados e os instrumentos podem ser quantitativos ou qualitativos.

Os métodos de recolha de dados qualitativos fornecem respostas mais ricas às questões colocadas pelo pesquisador e abre-lhe perspectivas preciosas em relação a outros métodos. Na pesquisa qualitativa, os dados são constituídos por descrições narrativas e observações (Seldman, 1991) enquanto na pesquisa quantitativa, eles são constituídos por números e medidas.

Etapa 1

• Leia a texto sobre a elaboração de instrumento de recolha de dados e de ética de pesquisa (leituras #4, #5 et #13).

• Utilize essa informação para elaborar um questionário contendo dez questões abertas para estudar o problema identificado na actividade #1.

• Num texto de aproximadamente 150 palavras, explique as etapas que observou para

elaborar o instrumento. Indique igualmente o que vai fazer para ter certeza que a recolha de dados com ajuda do seu instrumento será fiável e sólida.

• Procure um professor voluntário que aceite responder ao questionário. Pergunte-lhe

para fazer não somente sugestões para melhorar por exemplo ao nível de estilo, da clareza, conteúdo, estrutura e relevância das questões mais também as omissões e se você

devia adicionar outros elementos.

• Tendo em conta as sugestões e as mudanças necessárias, melhore o seu questionário.

• Escreva um parágrafo de introdução sobre o questionário, indicando as normas éticas

que vai seguir.

• Utilizando um questionário revisto, peça sistematicamente a 10 outros professores para

completar e conserve esses dados para a etapa 2. (para a selecção desses professores, deve ter em conta o sexo, a sua experiencia e a natureza da escola).

• Transforme o questionário em guia de entrevista e entreviste 5 professores voluntários. Você pode gravar a entrevista e transcrever mais tarde ou ainda escrever as respostas sobre o protocolo da entrevista. Guarde as respostas. Passemos agora para uma simulação de interpretação de dados recolhidos.

A ANÁLISE DE DADOS

A análise de dados quantitativos

Uma perspectiva quantitativas poder ser privilegiada para estudar temas sociais ou

individuais, tangíveis ou não. A estatística é utilizada em seguida para resumir, apresentar

e analisar os dados. A primeira etapa na utilização da análise estatística é a organização dos dados. Os números estão organizados de modo a representar atributos, constrições e comportamentos (Best e Kahn, 1986).

A organização dos dados

Depois de recolher dados sob forma de figura, texto, resposta, é necessário interpretá-los,

no caso de uma pesquisa quantitativa, utilizando a estatística descritiva. A estatística é um instrumento que ajuda na apresentação de dados, na sua análise ou interpretação. Você pode utilizar quadros, distribuição de frequência, gráficos ou diagramas para organizar os dados.

A representação gráfica dos dados

As tabelas, os histogramas, polígonos e diagramas circulares são os meios de representação de dados quantitativos mais utilizados. Um histograma é uma representação gráfica de uma distribuição de frequência. Um polígono de frequência é um gráfico linear ou uma representação gráfica de uma distribuição de frequência. Sobre o gráfico, a frequência é representada sobre o eixo das ordenadas (Y), enquanto os pontos do meio são representado no eixo das abcissas (Y).

As medidas de tendência central Depois de ter colocado os dados numa distribuição de frequência, você pode obter uma melhor interpretação destes utilizando medidas de tendência central. As medidas de tendência central são estimações do resultado mais central numa distribuição. Eles representam a média, o valor único que ilustra as características de seus dados. As medidas de tendência central mais utilizadas são a média aritmética, a mediana.

As medidas de variabilidade As medidas de tendência central precedentes (media, a mediana e o modo) dão um valor único a um grupo inteiro. As medidas de variabilidade, pelo contrário, dão o grau de variabilidade bem como a maneira como os dados são distribuídos por um lado e por outro do resultado final que é habitualmente a media. Eles indicam igualmente se os dados são distribuídos perto ou longe do centro. As medidas de variabilidade mais utilizadas são a amplitude, a variação e a diferença típica. Você deve utilizar simultaneamente as medidas de variabilidade e de tendência central para que a interpretação dos seus resultados seja ainda mais significativa. A amplitude é simplesmente a diferença entre o valor mais baixo e o valor mais alto da variável. A diferença típica (s ou δ) é considerada como a melhor medida da variabilidade, já que integra a distancia que separa cada resultado da media. Ele pode medir a amplitude da tendência dos resultados (dados) a partir da média. A diferença típica é, por isso, apresentada como uma média.

As medidas de relação Os professores sempre estiveram interessados pelas relações que unem as variáveis. Por exemplo, haverá uma relação entre os resultados obtidos em Matemática e em Geometria ? Se a resposta for positiva, qual é a natureza desse relação ? Questionando mais ainda, podíamos mesmo perguntar se uma variável é a causa da outra. Os procedimentos estatísticos que tentam estabelecer a natureza e a amplitude das relações entre as variáveis são chamados medidas de relação. Essas relações são expressas sob forma de coeficientes de correlação, representados pela letra R. Os valores de um

coeficiente de correlação podem igualmente ser apresentados em termos de direcção, a qual pode ser positiva ou negativa. Uma direcção indica que as variáveis são directamente ligadas por exemplo, quando o valor aumenta, o valor de outra aumenta igualmente.

• A inteligência e os resultados académicos

• A distância e o consumo de combustível

Uma direcção negativa, por outro lado, indica uma correlação inversa entre as variáveis por exemplo, quando o valor de uma delas aumenta, o valor da outra diminui:

• O tempo passado a ver a televisão e os resultados académicos

Certas variáveis não estão ligadas por nenhuma relação, por exemplo, a idade e a altura ou a gentileza e o peso. As correlações podem ser calculadas utilizando ou o coeficiente de correlação de Pearson ou a correlação de Spearman.

As medidas de posicionamento relativos

Às vezes, podemos perguntar a um estudante ou a um grupo de estudantes determinado de tomar uma posição em relação ao resto da turma ou à instituição escolar. Nós podemos igualmente querer conhecer o ranking da nossa escola em relação às outras, no que diz respeito a taxa de sucesso nos exames regionais ou nacionais. Nós podemos obter esta informação calculando as medidas de posicionamento relativas. Na pesquisa educacional, os centiles, quartiles e deciles são medidas de posicionamento relativo mais utilizadas. Um centile é um ponto sobre a escala de resultados a partir da qual se pode determinar uma certa percentagem. Desta maneira, em centiles, os resultados são distribuídos em cem partes iguais correspondentes cada uma a um cintile. P 20 representa por isso um ponto na escala de resultados na qual se encontra 20% dos casos de uma distribuição. Um quartile é um ponto na escala de resultados, representa um quarto de casos. Um decile é um ponto na escala de resultados, representa um décimo de casos. D 4 representa um ponto na distribuição no qual se encontra quatro deciles de resultados. Podemos calcular os quartiles, deciles, e centiles utilizando a fórmula de cálculo da mediana que aprendemos na secção de medidas de tendência central.

Conselho de aprendizagem

Você pode utilizar uma máquina calculadora ou um computador para analisar os dados. Os softwares de análise de dados estatísticos como Estatística, SPSS, S.A.S., Epi-info e Excel podem ser todos utilizados para o efeito. Você pode solicitar a ajuda de um pesquisador ou um especializando em estatistica para a análise dos dados. Alguns softwares de análise de dados qualitativos, como En-vivo, são igualmente disponíveis. Para um estudo detalhado da análise de dados qualitativos por computador, queira ler Weitzman e Miles (1995).

A análise de dados qualitativas

A análise qualitativa

Trata-se de uma técnica de recolha de dados e de análise não quantitativa. Ela visa essencialmente a descrição e interpretação da realidade como é vivida pelos indivíduos interrogados. A análise de dados qualitativa valoriza a compreensão e não tenta prever ou controlar os resultados. As técnicas que seguem poder ser utilizadas para a análise de dados qualitativa: a etnografia, a análise narrativa, a análise de discurso, a análise de texto, a análise conteúdo, a análise de significação e a análise da frequência. Os dados qualitativos recolhidos através de entrevistas de fundo, da observação de estruturada, natural e voluntária de textos, de imagens e de artefactos.

Eis os procedimentos de análise de dados que devem ser respeitados (Denzin e Zincoln,

1994):

 

1.

Familiarizar-se com os dados (fazer uma imersão);

2.

Sublinhar a temática dos dados;

3.

Codificar os dados;

4.

Analisar os dados;

5.

Interpretar e verificar os dados;

6.

Redigir um texto adequado relatando os seus resultados.

Os procedimentos aqui mencionados são obtidos quando o pesquisador responde às questões seguintes (Wolcott, 1994):

· Quais são os modelos e temas recorrentes em termos de itens específicos? Como esses modelos ajudam a esclarecer as grandes linhas do estudo?

· Existe diferenças nesses modelos? Se a resposta for positiva há factores que podem explicar essas respostas atípicas?

· Será que a historias interessantes que emergem das respostas? Como essas

histórias contribuem a esclarecer as grandes linhas de estudo? · Será que esses modelos ou resultados sugerem uma recolha de dados suplementares é necessário? Será que algumas questões devem ser revistas?

· Será que os modelos corroboram os resultados de uma análise qualitativa já feita? Se não, o que é que pode explicar essas divergências?

Etapa 2

·

Leia os textos sobre a analise qualitativa e estatística dos dados (leituras #11,

#12 e #14). Preste muita atenção à maneira de utilizar o SPSS e Excel para criar bases estatísticas e histogramas e calcular as medidas de tendência central, a variação, a posição relativa e as relações. Leia igualmente a utilização da matriz de dados para análise de dados para analisar e apresentar dados qualitativos Com base na sua leitura, analise os dados dos questionários que você recolheu utilizando SPSS ou Excel.

· Utilizando ainda SPSS ou Excel, crie quadros estatísticos para as cinco primeiras

questões do seu questionário. Nesse quadro, indique a resposta (primeira coluna), a frequência da resposta (coluna 2) e a percentagem obtida. Os seus quadros deveriam ter o

seguinte figurino:

Quadro 1 : demonstração (título do quadro)

Resposta

Frequência

Percentagem

1.

   

2.

   

3.

   

·

   

·

Total

 

100

· Para as cinco próximas questões, utilize SPSS ou Excel para criar um diagrama com bandas horizontais.

· Sublinhe os pontos importantes indicando em cada quadro e gráfico. Pode

utilizar o mesmo subtítulo que utilizou para a análise documentaria na etapa 2 da

actividade #2.

· Segundo as directivas que aprendeu na análise de dados qualitativos, estude

também as respostas às entrevistas. Identifique os problemas importantes e os modelos emergentes das entrevistas e utilize as matrizes de dados para apresentar os seus resultados. · Escreva os seus resultados utilizando os modelos que escolheu na documentação. Pode utilizar igualmente os novos modelos.

· Redija uma análise detalhada (aproximadamente 300 palavras) do seu estudo.

Nessa análise, interpreta os seus resultados em função dos objectivos do estudo.

Demonstre como os resultados correspondem à documentação citada na actividade #2, ou como eles se diferenciam.

· Tire as conclusões em relação aos resultados, as aspirações e as repercussões.

Avaliação formativa

1. Qual é a diferença entre um questionário e um guião de entrevista?

2. Que tipos de entrevistas comuns o pesquisador utiliza para recolher dados?

3. Como se elabora um questionário?

4. Quais as inconveniências da utilização de questionários para a recolha de dados?

5. Eis são as vantagens ligadas à utilização de questionário para recolher dados?

Actividade #4

Título: O projecto de pesquisa

Resumo

Nesta actividade, você vai apreender a redigir boas propostas de pesquisa, a avaliar a sua própria proposta, respeitar os direitos dos outros na redacção de uma proposta, efectuar um estudo piloto para avaliar a validade e a fiabilidade da sua experiencia e dos seus instrumentos e enfim, a redigir um bom relatório de pesquisa Nesta actividade, você vai mobilizar os seus conhecimentos anteriores e vai estudar, de maneira crítica, um artigo de pesquisa e testá-lo para que ele contenha todos os elementos necessários.

Palavras-chave

Teoria Hipótese Questão de pesquisa Plano de experiência Amostra Proposta de pesquisa Relatório de pesquisa

Lista dos recursos relevantes

· Um computador com conexão Internet para aceder aos recursos disponíveis em linha é recomendado.

· A documentação distribuída pelo formador.

Descrição detalhada da actividade

Você vai utilizar os conceitos de pesquisa e de aptidão exigida nas unidades precedentes para redigir propostas de pesquisa e relatórios e enfim, fazer uma auto-avaliação. Esta actividade ajudar-lhe-á a passar de um nível de compreensão simples a um nível de aplicação e de análise.

Proposta de pesquisa

Trata-se de um documento escrito que resume uma proposta de pesquisa. É um plano que você vai seguir ao fazer a sua pesquisa (Somekh e Lewin, 2005). Podemos comparar este plano aos planos de um arquitecto que os construtores utilizam quando fazem uma casa. O que você redija na sua proposta provêm das ideias que surgem ao longo do processo de pesquisa. A proposta descreve o problema e a sua amplitude e oferece uma síntese completa das técnicas que utilizará e da sua validade. Você deve redigir a sua proposta atentamente, já que o sucesso da pesquisa depende em grande parte deste cuidado. Uma

proposta é um documento científico é por isso que o autor devia utilizar um estilo gráfico científico. A ajuda financeira do seu projecto de pesquisa justifica igualmente a redacção da proposta e é exigida para ser aceite num programa de estudos ou para demonstrar como você vai estudar um problema numa instituição escolar ou numa empresa. Além disso, a proposta servirá de referência que vai nortear o processo de pesquisa.

Estrutura de uma proposta de pesquisa

Eis uma amostra de elementos importantes numa proposta de pesquisa:

1. Página de título

Todos os livros que leu até agora têm uma cobertura na qual esta estampada o título, os autores e, às vezes, o editor. A sua proposta de pesquisa deve ter a mesma estrutura. A primeira página é a página do título e deve conter o título da pesquisa proposta, o nome do autor, afiliação do pesquisador bem como a instituição na qual a proposta será submetida, a data da submissão. Contudo, não esqueça que o título não é habitualmente uma frase completa, mais uma expressão construída a partir das palavras-chave do projecto.

2. Introdução geral

Depois da página do título, a secção seguinte é a introdução. Estas partes formam o primeiro capítulo de sua proposta e contêm as seguintes secções:

Contexto problema

E como a introdução do problema. Nesta secção, você vai explicar a origem do problema,

a sua dimensão e os que ele afecta. Enfim, vai explicar porquê você pensa que é

importante fazer esse estudo. O contexto ajuda os leitores a visualizar o que você vai deseja estudar.

Formulação do problema

Você está agora familiarizado com a importância do problema. Nesta secção, você deve

formular algumas frases que vai realmente estudar. É verdade que descreveu em detalhes

o problema em estudo e o seu contexto mais é judicioso de fazer um resumo nesta etapa.

A formulação do problema demonstra claramente os seus objectivos e sublinha as lacunas

na literatura existente. Deve utilizar frases curtas para formular o problema e não

deve
deve

exceder um parágrafo.

Conselho de aprendizagem

Frequentemente, os pesquisadores não formulam o problema numa secção distinta do capítulo 1. O problema aparece no fim da explicação do contexto e chama-se “motivação ou necessidade do estudo ».

Objectivo do estudo

É a razão pela qual você vai fazer este estudo mostrando como vai abordar o problema.

Objectivos do estudo

Habitualmente, os professores tomam notas para a avaliação do processo ensino/ aprendizagem. Os objectivos têm um objectivo idêntico na pesquisa: ajudam o

pesquisador a compreender o que fará no processo da pesquisa e a avaliar se estes foram atingidos ou não, no fim do processo. Os objectivos são acções que o pesquisador deverá efectuar, antes de realizar o estudo. Ao redigir os objectivos de pesquisa, você indica o que se vai aprender, a informação que será adquirida, bem como o que vais ser medido ou descrito. Utilize sempre os verbos de acção como:

· Identificar;

· Medir;

· Verificar.

Os seus objectivos deveriam ser específicos, observáveis e numerados.

Importância do estudo<