Vous êtes sur la page 1sur 10

PROF.

GILBERTO SANTOS JR
MATRIZES
SUMÁRIO 2 . DEFINIÇÃO
1 . INTRODUÇÃO ............................................. 1 Denomina-se matriz m  n (lê-se m por n) qual-
2 . DEFINIÇÃO ................................................ 1 quer tabela retangular formada por m linhas e n
3 . REPRESENTAÇÃO GENÉRICA DE MATRIZ ....... 2 colunas, sendo m e n números inteiro maior que
4 . MATRIZES ESPECIAIS ................................. 2 zero.
4.1 Matriz quadrada ......................................... 2
4.2 Matriz identidade ....................................... 2 Dizemos que a matriz é do tipo m  n ou de
4.3 Matriz nula ................................................ 2 ordem m  n.
4.4 Matriz transposta ....................................... 2 Exemplo: A2×3 = (3 4 2) é uma matriz de ordem
5 . IGUALDADE DE MATRIZES ........................... 2 5 1 0
5 . ADIÇÃO DE MATRIZES ................................ 3 dois por três.
6 . SUBTRAÇÃO DE MATRIZES .......................... 3
EXERCÍCIOS BÁSICOS
8 . MULTIPLICAÇÃO DE N° REAL POR MATRIZ ..... 3
9 . MULTIPLICAÇÃO DE MATRIZES ..................... 3 1) Os estudantes de um colégio responderam a
10 . MATRIZ INVERSA ...................................... 8 seguinte pergunta: “Você prefere Matemática ou
11 . DETERMINANTES ...................................... 8 Português?” Cada estudante escolheu uma única
11.1 Determinante de matriz de ordem 1 ........... 8 matéria. Os resultados seguem na tabela:
11.2 Determinante de matriz de ordem 2 ........... 8 Sexo
11.3 Determinante de matriz de ordem 3 ........... 9 Matéria masculino feminino
Referências ...................................................... 10 Matemática 137 98
Português 105 117
1 . INTRODUÇÃO a) Quantos estudantes escolheram a Matemática?
Muitas vezes, para designar com clareza b) Quantos estudantes do sexo feminino respon-
certas situações é necessário um grupo ordenado deram à pergunta?
de números que se apresentam dispostos em li- c) Quantos estudantes, ao todo, responderam à
nhas e colunas, formando o que se chama matriz. pergunta? R: R: a) 235 alunos; b) 215 alunos; c) 457 alunos
Observe por exemplo a seguinte situação: 2) Observe a matriz seguinte e responda:
As vendas de uma editora em relação aos livros de
10 0 1 5
Matemática, Física e Química, no primeiro trimes-
1 3 7 9 ]
tre de um ano, podem ser expressas pela tabela a [
17 6 12 2
seguir. 4 11 8 25
Janeiro Fevereiro Março
a) De que tipo ou ordem é a matriz dada? R: 4 por 4
Matemática 20 000 32 000 45 000
b) Quais são os números da 1ª linha? R: 10, 0, 1 e 5
Física 15 000 18 000 25 000
c) E os da 3ª coluna? R: 1, 7, 12 e 8
Química 16 000 17 000 23 000
d) Qual é o número que está na 2ª linha e na 2ª
Se quisermos saber: coluna? R: 3
 Quantos livros de Matemática foram vendidos e) E na 1ª linha e na 4ª coluna? R: 5
em Fevereiro, basta olharmos o número que está
f) E na 4ª linha e na 2ª coluna? R: 11
na primeira linha e na segunda coluna;
g) Qual o resultado da soma dos números da 𝟐ª
 Quantos livros de Física foram vendidos em Ja-
coluna? R: 20
neiro, basta olharmos o número que está na se-
gunda linha e na primeira coluna; EXERCÍCIO DE VESTIBULAR
 Quantos livros de Química foram vendidos nos 3 3)(Enem-2012) Uma pesquisa realizada por
meses, basta somarmos os números da tercei- estudantes da Faculdade de Estatística mostra, em
ra linha. E assim por diante. horas por dia, como os jovens entre 12 e 18 anos
Nessa tabela os números estão dispostos gastam seu tempo, tanto durante a semana (de
em 3 linhas e 3 colunas, é chamada matriz do segunda-feira a sexta-feira), como no fim de
tipo ou ordem 3 × 3 (lê-se três por três), pode semana (sábado e domingo). A seguinte tabela
ser representada por: ilustra os resultados
20000 32000 45000 20000 32000 45000
(15000 18000 25000) ou [15000 18000 25000]
16000 17000 23000 16000 17000 23000
dij = 0 para i = j 0 1 1
d) D = (dij ) tal que { . R: (1 0 1)
3×3 dij = 1 para i ≠ j 1 1 0

e) E = (eij ) , com eij = |i – j|. R: (


0
1
1 2
0 1
3
2
)
2×4

4 . MATRIZES ESPECIAIS
4.1 Matriz quadrada
É toda matriz cujo número de linhas é igual ao
número de colunas.

Exemplo: A matriz A = [2 3] é de ordem dois por


5 1
dois ou simplesmente ordem 2, simbolicamente
2 3 2 3
A2×2 = [ ] ou simplesmente, A2 = [ ].
5 1 5 1
De acordo com esta pesquisa, quantas Observação: Numa matriz quadrada A de ordem
horas de seu tempo gasta um jovem entre 12 e 18 n, os elementos aij tais que i = j formam a diago-
anos, na semana inteira (de segunda-feira a nal principal da matriz, e os elementos aij tais
domingo), nas atividades escolares?
que i + j = n + 1 formam a diagonal secundária.
(a) 20 (b) 21 (c) 24 (d) 25 (e) 27

3 . REPRESENTAÇÃO GENÉRICA DE MA-


TRIZ
O elemento genérico de uma matriz A será
indicado por aij em que i representa a linha e j a
coluna na qual o elemento se encontra. Uma ma- 4.2 Matriz identidade
triz A, do tipo m  n será escrita, genericamente, É uma matriz quadrada em que todos os
assim: elemento da diagonal principal são iguais a 1 e os
a11 a12 a13 … a1n
demais elementos são iguais a zero, seu símbolo
a21 a22 … a2n é In .
A = a31 a3n 1 0 0
⋮ ⋮ ⋮ ⋮ Exemplos: I2 = (1 0), I3 = (0 1 0).
a am2 am3 amn ) 0 1
( m1 0 0 1
ou, simplesmente, por A = (aij ) . Lê-se: matriz 4.3 Matriz nula
m×n
A, dos elementos aij , do tipo m  n. É qualquer matriz que possui todos os ele-
mentos iguais à zero. Simboliza-se a matriz nula
Exemplo: Escrever a matriz A = (aij )2×2 tal que de ordem m  n por om×n e a de ordem n por on .
aij = i + j. 0 0
0 0
Resolução: Exemplos: O3×2 = (0 0), O2 = [ ],
0 0
A matriz é do tipo 2  2 então, generica- 0 0
0 0 0
mente,
a11 a12 O3 = (0 0 0), O1×4 = [0 0 0 0]
(a a22 ) 0 0 0
21
Resta descobrir quem são esses termos a11, 4.4 Matriz transposta
a12, a21 e a22 usando a sentença aij = i + j. Então, Seja A uma matriz de ordem m  n denomi-
usando os cálculos auxiliares: na-se transposta de A a matriz de ordem n  m
a11 = 1 + 1 = 2 obtida, isto é, trocando-se ordenadamente as li-
nhas pelas colunas.
a12 = 1 + 2 = 3
Indica-se transposta de A por At .
a21 = 2 + 1 = 3 1 2
a22 = 2 + 2 = 4 Exemplo: Seja a matriz A = (3 5) a sua
a11 a12 2 3
Logo a matriz (a 7 0
21 a22 ) é igual a (3 4
).
1 3 7
3×2
transposta é At = ( ) .
EXERCÍCIOS BÁSICOS 2 5 0 2×3
4) Escreva as matrizes: 5 . IGUALDADE DE MATRIZES
a) A = (aij ) tal que aij = i + j. R: (
2
3
3 4
4 5
)
Duas matrizes A e B são iguais se, e somente
2×3
b) B = (bij ) tal que bij = i – j.
0
R: (1
−1
0)
se, tem a mesma ordem e seus elementos cor-
3×2 2 1 respondentes (que estão na mesma linha e na
c) C = (cij ) de modo que cij = 2i – j. R: (
1
3
0
2
) mesma coluna) são iguais.
2×2

2
EXERCÍCIOS BÁSICOS EXERCÍCIOS BÁSICOS
5) Calcule os termos desconhecidos: 9) Calcule:
a b 6 3 8 3
a) ( )=( ) R: a = 6; b = 3; c = 5 e d = 8 5
c d 5 8 a) [7] – [6] = R: [ 1 ]
x 3 6 3 2 3
−1
b) ( )=( ) R: x = 6 e y = 4
5 2y 5 8 2 3 0 2
b) ( )– ( ) = R: (20 −11 )
m n 1 4 1 5
c) [ p q] = I2 R: m = 1; n = 0; p = 0 e q = 1 1 2 4 0 1 2
c) ( )–( ) = R: (10 −2
1 2
)
m 0 3 0 6 3 10 6 5 1 9
d) ( )=( ) R: m = 3 e n = 4
0 n+1 0 5 2 1 0
y 0 10) Sejam A = (6), B = (6) e C = ( 4 ), calcule:
e) ( ) = I2 R: x = 0 e y = 1
0 x+y 3 2 −2
x+y b 5 3 a) A + B – C = b) A – B + C = c) A – B ‒ C =
f) ( )=( ) R: x = 4; y = 1; a = 11 e b = 3
y a−b 1 8
11) Determine x, y e z sabendo que:
a+b 3c 5 9
g) [ ]=[ ] R: a = 2; b = 3; c = 3 e d = 14 x 3 10
2b c+d 6 17
a) (y) – (5) = (−4) R: x = 13; y = 1 e z = 2
z x 2 − 5x + 6 z
h) [ ] = I2 R: x = 2 ou x = 3, y = 2 e z = 1 8 −6
0 y−1 x y 15
6) Seja A = (aij ) uma matriz quadrada de ordem 2 b) (y) – ( z ) = ( 2 ) R: x = 25; y = 10 e z = 8
z 0 8
tal que aij = i + j. Determine x, y, z e t para que se
x 6 −x 4 12 y
x+y t+z c) [ ]–[ ]=[ ] R: x = 6; y = 2 e z = 1
tenha [ ] = A. R: x = 1; y = 1; t = 7/2 e z = – 1/2 1 2z −3 z 4 1
2x + y t – z x2 1 2 −3 −1 4
(Veja a resolução dessa questão ) d) ( )–( )=( )
y z2 −5 −1 8 10
5 . ADIÇÃO DE MATRIZES R: x = – 1 ou x = 1; y = 3; z = – 3 ou z = 3

8 . MULTIPLICAÇÃO DE N° REAL POR


Sejam as matrizes A e B de mesma ordem, de-
MATRIZ
nomina-se adição de A com B, representada por
A + B, a matriz C, de mesma ordem de A e B, na Se A é uma matriz de elementos aij , e ∝ é um
qual cada elemento é obtido pela adição dos número real, então ∝A é uma matriz cujos ele-
elementos correspondentes de A e B. mentos são ∝aij .

EXERCÍCIOS BÁSICOS EXERCÍCIOS BÁSICOS


2 4 4 1
7) Dadas as matrizes A = ( ), B = ( ) e 12) Sendo A = (2 0 1) e B = (0 – 1 2), de-
0 1 7 0 4 1 3
3 0 5 0 6
C=( ), calcule: termine:
5 –2
a) 5A = R: (10
20
0 5
5 15
)
a) A + B = R: (
6 5
) c) B + C = R: (
7 1
)
7 1 12 −2 b) ‒ 2B = R: (
0 2
−10 0
−4
−12
)

b) A + C = 5 4
d) A + B + C = 9 5 1
c) A = R: (12
R: ( ) R: ( ) 0 1/2
5 −1 12 −1 )
2 1/2 3/2

8) Determine x, y, z e t, sabendo que: d) 2A + B = R: (


4 1
13 2
4
12
)

x 3 10 e) 5A – O2×3= R: (
10 0 5
)
20 5 15
a) (y) + (1) = ( 4 ) R: x = 7; y = 10 e z = 0
z 5 5 13) Se A = (1 3), B = ( −1 3
) e C=(
1 2
),
x y 20 2 0 1 −2 4 3
b) (y) + ( z ) = (15) R: x = 10; y = 10 e z = 5 calcule 3A + 2B – 4C. R: (
3
−8
7
−16
)

z 4 9 9 . MULTIPLICAÇÃO DE MATRIZES
x y x 3 10 1
c) [ ]+[ ]=[ ] R:x = 5; y = ‒ 2; t = 1 e z = 6
3 2z t z 4 18 Dada uma matriz A = (aij ) do tipo m  n e uma
x y y z 6 7 matriz B = (bij ) do tipo n  p, o produto da ma-
d) ( ) + (−y 2) = ( ) R: x = 5; y = 1; t = −2 e z = 6
3x t 14 0 triz A pela matriz B é a matriz C = (cij ) do tipo
6 . SUBTRAÇÃO DE MATRIZES m  p tal que o elemento cij é calculado multipli-
Sejam as matrizes A e B de mesma ordem, de- cando-se ordenadamente os elementos da linha
nomina-se subtração de A com B, representada i, da matriz A, pelos elementos da coluna j, da
por A – B, a matriz C, de mesma ordem de A e matriz B, e somando-se os produtos obtidos.
B, na qual cada elemento é obtido pela subtra- Para dizer que a matriz C é o produto de A por
ção dos elementos correspondentes de A e B, B, vamos indicá-la por AB.
nessa ordem. Observe que só definimos o produto AB de
duas matrizes quando o número de colunas de A
3
for igual ao número de linhas de B; além disso, EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
notamos que o produto AB possui o número de 17) Um técnico de basquetebol descreveu o de-
linhas de A e o número de colunas de B. sempenho dos titulares de sua equipe em sete
jogos através da matriz:
EXERCÍCIOS BÁSICOS
18 17 18 17 21 18 20
14) Determine os produtos:  
65 2 4 15 16 18 18 22 21 18
a) ( )( ) = R: (172 394 ) 20 19 20 21 14 14 22
10 1 3  
54 7 4 18 22 20 20 18 22 23
b) ( )( ) = R: (35 28
) 19 18 12 14 20 17 18
21 0 2 14 10 
43 Cada elemento aij dessa matriz é um número de
c) ( ) ∙ I2 = R: (42 30)
20 pontos marcados pelo jogador de número i no jo-
5 1 0 5 1 6 = R: [2
d) [ ][ ] 24 9 27
] go j.
3 2 2 −1 4 −3 4 13 11 12
a) Quantos pontos marcou o jogador de número 3
1 3 6 5 0
29 24 no jogo 5? R: 14
e) [2 5 1] [2 4] = R: [23 22]
26 4 b) Quantos pontos marcou a equipe no jogo 4? R: 90
4 0 2 3 2
1 6 c) Quantos pontos marcou o jogador de número 2
f) (−2 1) (
3 5 −3 17
) = R: (−7 −8) em todos os jogos? R: 128
−1 2 9 26
4 3 18) Obtenha x, x ∈ ℝ, de modo que a matriz:
15) O quadro abaixo registra os resultados obti- 2
A = (x − 5x + 6 0 )
dos por quatro times em um torneio em que todos 0 x 2 − 6x + 8
se enfrentam uma vez: Seja igual à matriz nula de ordem 2. R: S = {2, 3, 4}
Vitórias Empates Derrotas
América 0 1 2
19)(Gilberto-2018) Observe as sentenças abai-
xo:
Botafogo 2 1 0
Nacional 0 2 1 I) [1 2] ∙ [3 4]
Comercial 1 2 0 1
II) [ ] ∙ [3 4]
a) Represente a matriz A = (aij ) correspondente. 2
b) Qual é a ordem da matriz A? 1 3
R:4 × 3 III) [ ] ∙ [ ]
c) O que representa o elemento 𝐚𝟐𝟑 da matriz A?
2 4
R: quantidade de derrotas do Botafogo 1 1 3 3
IV) [ ]∙[ ]
d) Qual o elemento da matriz A que indica a vitó- 2 2 4 4
ria do Comercial? R: a 41 1 1 1 3 3 3
e) Considerando que um time ganha três pontos V) [2 2 2] ∙ [4 4 4]
na vitória e um ponto no empate, calcule, fazendo 3 3 3 5 5 5
uma multiplicação de matrizes, quantos pontos fez 1
1
cada time. R: (7); América, 1pt; Bota Fogo, 7 pts; Nacional, 2 pts; e Comercial, 5 pts
2 VI) [1 2 3 4] ∙ [2]
5 3
f) Qual foi a classificação final do torneio? R: Bota Fogo, 4
campeão; Comercial, vice-campeão; Nacional, 3º lugar; e América, 4º lugar
A possível multiplicação de matrizes e que o pro-
16) Para a fabricação de caminhões, uma in- duto é uma matriz quadrada está em:
dústria montadora precisa de eixos e rodas para
seus três modelos de caminhões, com a seguinte (a) somente em IV (d) II, IV, V e VI
especificação: (b) somente em V (e) Nenhuma é possível
Componentes/modelos A B C
(c) IV e V
Eixos 2 3 4
Rodas 4 6 8 EXERCÍCIOS DE VESTIBULARES
Para os primeiros meses do ano, a produ- 20)(Fatec-SP) Seja A = (aij ) uma matriz qua-
ção da fábrica deverá seguir a tabela abaixo:
2i+j para i < j
Modelo/Meses Janeiro Fevereiro drada de ordem 2 tal que aij = { 2 .
A 30 20
i + 1 para i ≥ j
B 25 18 Nessas condições:
C 20 15 2 4 2 8
(a) A = ( ) (c) A = ( ) (e) n.d.a.
8 3 5 5
Usando a multiplicação de matrizes, responda:
nessas condições, quantos eixos e quantas rodas
2 8 2 8
(b) A = ( ) (d) A = ( ) R: (c)

são necessários em cada um dos meses para que 5 6 2 5


a montadora atinja a produção planejada? R: 215 eixos e
430 rodas no mês de Janeiro; 154 eixos e 308 rodas no mês de Fevereiro

4
21)(FEI-SP) Se as matrizes A = (aij ) e B = (bij ) presentem as médias anuais de Cláudio, na mes-
estão assim definidas: ma ordem acima apresentada, bastará multiplicar
essa matriz por:
aij = 1 se i = j bij = 1 se i + j = 4 1
{ {
aij = 0 se i ≠ j bij = 0 se i + j ≠ 4 4
em que 1 ≤ i ,j ≤ 3, então a matriz A + B é: 1 1
1 1 1 1 1 4
1 0 0 1 0 1 1 1 0 (a) [2 ] (c) [ ] (e) 1
(a) (0 1 0) (c) (0 1 0) (e) (0 1 1) 2 2 2 1
0 0 1 1 0 1 0 1 0 1 4
1
0 0 1 1 0 1 [4]
(b) (0 1 0) (d) (0 2 0) R: (d)

1 0 1 1 0 1 1
2
22)(Enem-2012) Um aluno registrou as notas 1
bimestrais de algumas de suas disciplinas numa 1 1
1 1 2
tabela. Ele observou que as entradas numéricas da (b) [4 ] (d) 1
4 4 4
tabela formavam uma matriz 4  4, e que poderia
calcular as médias anuais dessas disciplinas usan- 2
1
do produto de matrizes. Todas as provas possuíam
o mesmo peso, e a tabela que ele conseguiu é
[2] R: (e)

mostrada a seguir. 24)(UFRS) A matriz C fornece, em reais, o custo


das porções de arroz, carne e salada usados num
restaurante. A matriz P fornece o número de por-
ções de arroz, carne e salada usados na composi-
ção dos pratos tipo P1 , P2 , P3 desse restaurante.
arroz carne salada
1 arroz 2 1 1 prato P1
C = (3) carne P = (1 2 1) prato P2
Para obter essas médias, ele multiplicou a 2 salada 2 2 0 prato P3
matriz obtida a partir da tabela por: A matriz que fornece o custo de produção,
1 em reais, dos pratos P1 , P2 e P3 é:
4 7 4 9 2 2
1 1 (a) (9) (b) (4) (c) (11) (d) (6) (e) (2)
1 1 1 1 1 4 8 4 4 8 4
(a) [2 ] (c) [ ] (e) 1 R: (a)
2 2 2 1
1 4 25)(Unama-2006/2) Nas matrizes
1 Modelo Pr eço Unitário 
[4]  X R $ 5.600,00 
1 A e
 Y R $ 5.800,00 
2  
1  Z R $ 6.000,00 
1 1 1 1 2 Trimestre \ Modelo X Y Z 
(b) [4 ] (d) 1
4 4 4 B   1º Trimestre 25 30 50 estão repre-
2
1  2º Trimestre 15 20 40
[2] R: (e)
sentados os preços unitário das motonetas em
função do modelo e a quantidade vendida no 1º e
23)(Unificado-RJ) Cláudio anotou suas médias 2º trimestres de 2006 por uma revendedora de
bimestrais de matemática, português, ciências e motonetas, respectivamente. Com base nesses
estudos sociais em uma tabela com quatro linhas dados, podemos afirmar que a receita obtida por
e quatro colunas, formando uma matriz, como essa revendedora no 1º trimestre de 2006 foi de:
mostra a figura:
1º b 2º b 3º b 4º b (a) R$ 720 000,00 (c) R$ 560 000,00
Matemática 5,0 4,5 6,2 5,9 (b) R$ 614 000,00 (d) R$ 440 000,00
Português 8,4 6,5 7,1 6,6 R: (b)

ciências 9,0 7,8 6,8 8,6


est. sociais 7,7 5,9 5,6 6,2
Sabe-se que as notas de todos os bimes-
tres têm o mesmo peso, isto é, para calcular a
média anual do aluno em cada matéria basta fazer
a média aritmética de suas médias bimestrais.
Para gerar uma nova matriz cujos elementos re-
5
26)(UEPA-2012) O cálcio é essencial para a 28)(UEPA-2006) Para a confecção de um cartaz,
transmissão nervosa, coagulação do sangue e con- uma gráfica dispõe das cores: preto, amarelo,
tração muscular; atua também na respiração celu- vermelho e azul, cujas doses têm preços unitários,
lar, além de garantir uma boa formação e manu- em reais, representado pela matriz A abaixo.
tenção de ossos e dentes. A tabela 1 abaixo mos- Atendendo à solicitação do cliente, a gráfica apre-
tra que a ingestão diária recomendada de cálcio sentou um orçamento com as possíveis combina-
por pessoa varia com a idade. ções de cores, cujas quantidades de doses utiliza-
TABELA 1 das em cada cartaz estão representadas pela ma-
IDADE CÁLCIO (mg/dia) triz B abaixo. Nessas condições, o cartaz de menor
4 a 8 anos 800 custo terá preço de:
Dados:
9 a 13 anos 1 300
1 → preto
14 a 18 anos 1 300 2 → amarelo
19 a 50 anos 1 000 A=[ ]
3 → vermelho
(Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cálcio)
4 → azul
Foi por essa importância que o cálcio tem
para o corpo humano que a diretora de uma 2 1 1 1 → cartaz 1
escola resolveu calcular a quantidade de cálcio que 1 1 2 1 → cartaz 2
B=[ ]
2 2 0 1 → cartaz 3
teria de usar nas refeições diárias dos seus alunos
1 0 1 2 → cartaz 4
para suprir a essa necessidade. A tabela 2 abaixo
mostra a quantidade de alunos por idade existente (a) R$ 13,00 (c) R$ 11,00 (e) R$ 9,00
nessa escola. (b) R$ 12,00 (d) R$ 10,00 R: (d)

TABELA 2
IDADE ALUNOS 29)(UFPA-2009) Pedro, João e Antônio comerci-
4 a 8 anos 60 alizam três tipos de fruta com períodos de safra
9 a 13 anos 100 parecidos: manga, abacate e cupuaçu. No período
14 a 18 anos 80 da safra os três vendem o quilo de cada uma des-
sas frutas por R$ 1,00, R$ 2,00 e R$ 3,00 e, na en-
19 a 50 anos 40
tressafra, por R$ 2,00, R$ 3,00 e R$ 6,00. Sobre a
A quantidade diária de cálcio, em mg, que comercialização dessas frutas, considere que
teria que usar nas refeições desses alunos é:
1 2 3
A=[ ], matriz que representa o preço das
(a) 286 000 (c) 300 000 (e) 322 000 2 4 6
frutas na safra e na entressafra;
(b) 294 000 (d) 310 000 R: (e)
20 25 15
27)(UEPA-2008) Uma campanha foi deflagrada B = [15 20 10], matriz que representa uma
para angariar alimentos não perecíveis com o ob- 10 15 5
jetivo de amenizar problemas gerados em uma quantidade (kg) comercializada dessas frutas;
região assolada pelas secas. Os alimentos doados t u v
C = [y w z], matriz que representa o produto A ∙
foram: arroz; feijão e açúcar, todos em sacos de 1
kg, totalizando 1 436 kg desses alimentos. Sabe-se B, em que a 1ª, 2ª e 3ª colunas representam o
que a terça parte do número de sacos de feijão, valor arrecadado, respectivamente, por Pedro,
2 João e Antônio, com a venda dessa quantidade de
somados aos do número de sacos de açúcar, dá
11 frutas.
um total de 292 kg e que há 144 kg de açúcar a Sobre o valor arrecadado na venda, é cor-
mais que de feijão. Se X é a quantidade de sacos reto afirmar que
de arroz; Y a quantidade de sacos de feijão e Z a (a) Na safra, com a venda de 20 kg de manga, 25
quantidade de sacos de açúcar, a representação kg der abacate e 5 kg de cupuaçu, Pedro arrecadou
matricial do sistema formado, tomando por base
t = R$ 85,00.
esses dados, é:
(b) Na entressafra, com a venda de 10 kg de
1 1 1 X 1436
(a) [0 11 6] ∙ [Y] = [9636] manga, 15 kg de abacate e 5 kg de cupuaçu, Antô-
0 −1 1 Z 144 nio arrecadou z = R$ 110,00.
1 1 1 X 1436 (c) Na safra, com a venda de 25 kg de manga, 20
(b) [0 11 6] ∙ [Y] = [1606] kg de abacate e 15 kg de cupuaçu, João u = R$
0 −1 1 Z 144 110,00.
1 1 1 X 9636 (d) Na entressafra, com a venda de 20 kg de
(c) [0 11 6] ∙ [Y] = [1436] manga, 25 kg de abacate e 5 kg de cupuaçu, João
0 −1 1 Z 144 arrecadou w = R$ 170,00.
1 −1 1 X 9636 (e) Na entressafra, com a venda de 15 kg de
(d) [0 11 6] ∙ [Y] = [1436]
manga, 20 kg de abacate e 10 kg de cupuaçu, Pe-
0 −1 1 Z 144
dro arrecadando y = R$ 170,00.
1 1 1 X 9636 R: (c)
(e) [0 11 6 ] ∙ [Y] = [1436] R: (a)

0 1 −1 Z 144
6
30)(IFPA-2011) Considere três dias da semana, EXERCÍCIOS ANALÍTICO-DISCURSIVOS DE
D1 , D2 e D3 e três medidas de temperaturas feitas VESTIBULARES
em uma hortaliça, T1 , T2 e T3 . A matriz a seguir 36)(UFPA-2001) Numa farmácia de manipula-
descreve a medida de temperatura verificada nes- ção, para fazer dois tipos de medicamentos (I e
ses três dias da semana. Cada elemento aij da II), o farmacêutico precisa das substâncias A, B e
matriz indica a quantidade de temperatura em C, expressas na tabela abaixo, em gramas:
graus Celsius Ti em cada dia Dj , sendo i ∈ {1, 2, 3} A B C
e j ∈ {1, 2, 3}. I 10 30 60
D1 D2 D3 II 20 50 30
T1 30 35 29 As substâncias podem ser compradas em dois for-
T2 |35 37 39| necedores: F1 e F2. O custo por grama das subs-
T3 24 26 22 tâncias em cada fornecedor está expresso em re-
Analisando a matriz, não podemos afirmar que ais na tabela a seguir:
(a) a temperatura T2 , no dia D2 , é 37°C. F1 F2
(b) a temperatura T1 , no dia D3 , é de 29°C. A 4 2
(c) a média das temperaturas, no dia D3 , é de B 5 4
30°C. C 3 5
(d) a soma das temperaturas Ti verificadas nos Após construir a matriz cujos elementos in-
dias Di , i = 1, 2, 3 é, aproximadamente, 30,8°C. dicam o preço de custo dos medicamentos pelo
(e) a soma das temperaturas T1 e T3 , no dia D1 , é fornecedor, calcule os valores das despesas se a
54°C. R: (d) compra for toda feita no mesmo fornecedor. Con-
siderando que o pagamento é feito à vista, deter-
EXERCÍCIOS NÃO CONTEXTUALIZADOS mine como o farmacêutico pode combinar a com-
DE VESTIBULARES pra das três substâncias de modo a gastar o mí-
31)(UFES) Os valores de x e y que satisfazem a nimo possível.
x −2 3y 7 4 5
equação matricial ( ) + ( ) = ( ) 37)(UF-MT) Os aeroportos 1, 2 e 3 estão interli-
4 2x 1 −y 5 1
são: gados por vôos diretos e/ou com escalas.
(a) x = – 1 e y = – 1 (c) x = 2 e y = – 1 A = (aij ), abaixo, descreve a forma de interligação
dos mesmos, sendo que:
(b) x = 1 e y = 1 (d) x = 2 e y = 2
R: (b)  aij = 1 significa que há vôo direto (sem escala)
0 2 do aeroporto i para o aeroporto j;
32)(FGV-SP) Sendo A = [ 1 0], obtenha a matriz  aij = 0 significa que não há vôo direto do aero-
2
A2 + A3 . porto i para o aeroporto j.
A diagonal principal de A é nula, significando que
33)(Unifor-CE) Os números reais x e y que sa- não há vôo direto de um aeroporto para ele mes-
1 2 x 4 mo.
tisfazem o sistema matricial [ ] [ ] = [ ] são
2 −1 y −2 01 1
tais que seu produto é igual a: A = (1 0 1)
(a) – 2 (b) – 1 (c) 0 (d) 1 (e) 2 01 0
R: (c) Seja A2 = A ∙ A =
(bij ). Se bij ≠ 0 significa
34)(PUC-SP) São dadas as matrizes A = (aij ) e que há vôo do aeroporto i para o aeroporto j com
B = (bij ), quadradas de ordem 2, com aij = 3i + 4j uma escala. Com base nessas informações, julgue
e bij = ‒ 4i ‒ 3j. Se C = A + B, então C 2 é igual a: os itens.
a) Há vôo direto do aeroporto 1 para o aeroporto
1 0 1 0 −1 0
(a) ( ) (c) ( ) (e) ( ) 3, mas não há vôo direto do aeroporto 3 para o 1.
0 1 0 1 0 −1
0 1 0 −1 b) Há vôo do aeroporto 2 para o aeroporto 3 com
(b) ( ) (d) ( ) R: (e)
uma escala.
1 0 −1 0
35)(PUCC-SP) Seja a matriz A = (aij )
2×2
, onde EXERCÍCIOS EXTRAS
i + j se i = j 38) Dois alunos A e B, apresentaram a seguinte
aij = { . Se At é a matriz transposta de pontuação em uma prova de português e em outra
i − j se i ≠ j
A, então a matriz B = A2 – At é igual a: de matemática:
4 −10 3 −7 2 −8 Português Matemática
(a) [ ] (c) [ ] (e) [ ] aluno A 4 6
7 14 7 11 2 16
aluno B 9 3
3 −3 2 0
(b) [ ] (d) [ ] R: (c)
−1 17 −1 12 a) Se o peso da prova de português é 3 e o da
prova de matemática é x, obtenha, através de
produto de matrizes, a matriz que fornece a pon-
tuação total dos alunos A e B.
7
b) Qual deve ser o valor de x a fim de que A e B 11 . DETERMINANTES
apresentam mesma pontuação final? Toda matriz quadrada tem, associado a ela,
um número chamado de determinante da ma-
39) Um fast-food de sanduíches naturais vende triz, obtido a partir de operações que envolvem
dois tipos de sanduíche, A e B, utilizando os ingre- todos os elementos da matriz.
dientes (queijo, atum, salada, rosbife) nas seguin- Os determinantes são usados, por exemplo,
tes quantidades (em gramas) por sanduíches: para resolver sistemas lineares como o seguinte,
Sanduíche A Sanduíche B chamado de sistema linear 3  3 (de três equa-
queijo 18 g 10 g ções, com três incógnitas):
salada 26 g 33 g x + 2y + z = 4
rosbife 23 g 12 g {3x − 5y + z = 1
atum - 16 g 4x + y − 2z = 0
Durante um almoço foram vendidos 6 san- Muito utilizado também em geometria ana-
duíches do tipo A e 10 sanduíches do tipo B. Qual lítica, por exemplo, para cálculo de área de triân-
foi a quantidade necessária de cada ingrediente gulo, encontrar equação da reta e verificar se três
para a preparação desses 16 sanduíches? Repre- pontos são colineares.
sente-a na forma de produto de matrizes.
11.1 Determinante de matriz de ordem 1
40) Uma confecção vai fabricar 3 tipos de roupa Sejam as matrizes A = [4] e B = [– 2], o de-
utilizando materiais diferentes. Considere a matriz terminante da matriz A é igual a 4, simbolicamen-
A = (aij ) abaixo, te det A = 4 e o det B = – 2.
5 0 2
A = (0 1 3) 11.2 Determinante de matriz de ordem 2
4 2 1 Se A é uma matriz quadrada de ordem 2, calcu-
, na qual aij representa quantas unidades do ma- lamos o seu determinante fazendo o produto
terial j serão empregadas para fabricar uma roupa dos elementos da diagonal principal menos o
do tipo i. produto dos elementos da diagonal secundária.
a) Quantas unidades do material 3 serão em- a11 a12
Dada a matriz A = [a a22 ], indicamos
pregadas na confecção de uma roupa do tipo 2? 21
b) Calcule o total de unidades do material 1 que seu determinante assim:
será empregado para fabricar cinco roupas do tipo det A = a11 ∙ a22 − a12 ∙ a21
1, quatro roupas do tipo 2 e duas roupas do tipo 3. ou
a11 a12
10 . MATRIZ INVERSA |a a22 | = a11 ∙ a22 − a12 ∙ a21
21
Dada uma matriz quadrada A, de ordem n, se X
EXERCÍCIOS BÁSICOS
é uma matriz tal que AX = In e XA = In , então X
é denominada matriz inversa de A e é indicada
42) Calcule os determinantes:
6 2 −3 −8
por A−1 . a) | | = R: 10 d) | | = R: 2
4 3 1 2
Quando existe a matriz inversa de A, dize- 6 10 1 + √5 3
b) | | = R: 0 e) | |= R: -16
mos que A é uma matriz inversível ou não- 3 5 4 1 − √5
singular. −5 −2 a a+1
c) | | = R: -4 f) | | = R: a – b
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 3 2 b b+1
41) Determine, se existir, a inversa de cada uma 43) Calcule det A, sendo:
das seguintes matrizes: a) A = (aij ) uma matriz quadrada de 2a ordem,
1 3 2 3 com aij = i2 + ij; R: – 2
a) A = ( ) R: (10 −3/2 ) c) A = ( ) R: (−5/2 3/2
)
0 2 1/2
4 5 2 −1
b) A a matriz dos coeficientes das incógnitas do
5 8 1 2
b) A = ( ) R: (−1/2
1 −2
) d) A = ( ) R: (−13 −21 ) sistema {
7x − 3y = 10
, na posição em que apare-
2 5 5/4
1 3 2x + 5y = 6
(Veja a resolução )
cem. R: 41

44) Se a = | 1 3|, b = |2 6
| e c = |
2 8
|,
−2 5
3 10 0 −1
calcule o valor de a2 + 3b – 2c. R: 131

45) Resolva as equações:


x−2 6 x+3 5
a) | | =2 b) | | =0
3 5 1 x−1
R: S = {6} R: S = {– 4, 2}

8
46)(UFSC) Determine o valor de x para que o 48) Seja A = (aij ) a matriz quadrada de ordem 3
determinante da matriz 𝐂 = 𝐀𝐁 𝐭 seja igual a 602, 0, se i < 1
em que A = [
1 2 −3
], B = [
x−1 8 −5
] e 𝐁𝐭 é em que aij = {1 + j, se i = j. Calcule det A. R: 48
4 1 2 −2 7 4 1 − j, se i > j
a matriz transposta de B. R: S = {56}
1 3 1
11.3 Determinante de matriz de ordem 3 1 3
49) Sabendo que x = | | e y = |2 2 1|, de-
Pode-se obter o determinante de matriz 2 2
3 1 3
quadrada de 3a ordem utilizando uma regra prática termine x2 – 2y. R: 32
denominada regra de Sarrus:
a11 a12 a13 2 3 −2
Seja a matriz A = |a21 a22 a23 | 50) Resolva a equação |0 1 x | = 2. R: S = {1, 2}

a31 a32 a33 2 x −3


(Veja a resolução dessa questão )

Repete-se a 1 e a 2 coluna à direita da


a a

matriz, conforme o esquema abaixo: 51) Para que valores de x o determinante


a11 a12 a13 a11 a12 2 4 1
|2 4 x | é positivo? R: S = {x ∈ ℝ/x > 1} (Veja a resolução dessa ques-
|a21 a22 a23 | a21 a22
a31 a32 a33 a31 a32 3 1 2
tão )

Em seguida faz-se o produto dos elementos 52) Lembrando que sen2 x + cos 2 x = 1, calcule o
da diagonal principal a11 a12 a13 e as suas duas pa- determinante associado à matriz quadrada
ralelas a12 a23 a31 e a13 a21 a32. Depois faz-se o pro- sen x cos 2 x 1
duto dos elementos da diagonal secundária A = (sen x cos x 0).
a31 a22 a13 e as sua duas paralelas a32 a23 a11 e sen x 1 1
a33 a21 a12. No final soma-se os produtos assim ob-
2 1 −2 −1 0 2
tidos, invertendo o sinal dos produtos da diagonal
secundária e as sua paralelas.
53) Se a = |3 −1 0 | e b = | 2 −1 0|, calcu-
4 1 −3 3 4 1
Exemplo: Seja a matriz A abaixo, le a2 ‒ ab + 3b. R: 47
3 1 5
A = [ 2 0 −2], calcular o determinante da ma- x+1 3 x
−1 4 −3 54) Seja a matriz quadrada A = | 3 x 1 |.
triz. x 2 x−1
Calcule x de modo que det A = 0. R: S = {7/3} (Veja a resolução
dessa questão )

EXERCÍCIOS DE VESTIBULARES
55)(PUC-MG) Considere as matrizes
2 −1
0 1 2
A=[ 0 1] e B = [ ]. O valor de det (AB)
det A = 0 + + 40 + 0 + 24 – 6 = 1 2 1
−2 2
det A = 66 é:

EXERCÍCIOS BÁSICOS (a) – 6 (b) – 4 (c) 0 (d) 4 (e) 6


R: (c)
47) Aplicando a regra de Sarrus, calcule os de- 56)(UEPA-2001) A matriz A = (aij ) é tal que
terminantes: 3×3
i+j
3 2 1 2 1 −2 2
,i ≠j
a) |5 0 4| = R: – 15 f) |3 −1 0| = R: 1 aij = {i−j . O determinante dessa matriz vale:
2 3 1 4 1 −3 2
,i =j
R: 15
1 2 0 a 0 0 a b
b) |1 4 4| = R: – 24 g) |0 b a | = R: ab – a ou a(b – a)
2 57)(FGV-SP) Se | | = 0, então o valor do
c d
1 8 0 0 1 1 a b 0
2 2 0 1 0 a determinante|0 d 1| é: R: (d)
c) |1 1 1| = R: 2 h) |0 1 a | = R: 1 – 2a 2
c 0 2
4 3 0 a a 1 (a) 0 (b) bc (c) 2bc (d) 3bc (e) b2 c 2
3 0 8 0 0 5
d) |0 7 7| = R: -413 i) |8 10 3| = R: 280 58)(UFOP-MG) O determinante da matriz
4 9 0 0 7 4 π
cos 2π sen sen π
3 5 −1 2
π
e) |0 4 2 | = R: – 24 log 1 log 2 2 tg 4 é igual a:
0 0 −2 3π
[ sen 2 cos π log 3 2 7]
(a) 1 (b) 2 (c) 3 (d) 4 (e) nda

9
59)(UFRS) Na equação seguinte:
0 cos x sen x
| 0 sen x cos x | = 1
cos 2 x + sen2 x 0 0
um possível valor para x é:
π π π π
(a) 0 (b) (c) (d) (e)
6 4 3 2

60)(FEI-SP) O valor do determinante


1 0 1
|cos x sen x 0 | é:
0 cos x sen x
(a) 0 (c) 2 ∙ sen x ∙ cos x (e) ‒ 1
(b) 1 (d) −2 ∙ sen x ∙ cos x

61)(CESUPA-2012) Se A e B são matrizes qua-


dradas de segunda ordem e det A = 4 e det B = 2, o
valor do det (A⋅5B) é:
(a) 200 (b) 120 (c) 80 (d) 40
a a a
62)(CESUPA-2011) Sendo A = [ab b] e det A
a b c
= 5, o valor da expressão det (2A) – det (At ) – det (‒
A) é igual a
(a) 40 (b) 30 (c) 20 (d) 10

63)(CESUPA-2010) Considere as matrizes


x − 1 −2 1 4
A=[ 8 7 ], B = [ 2 1], C = 𝐀𝐭 ∙ B.
−5 4 −3 2
Para que o determinante da matriz C seja nulo, x
deve ter um valor igual a
(a) 50 (b) 30 (c) – 30 (d) – 50
R: (c)

64)(CESUPA-2008) Considere as matrizes:


a d g a b c 3a 3d 3g
A = [b e h], B = [d e f ] e C = [3b 3e 3h]
Uma esfera ou um pneu são objetos simétricos. Objetos desse tipo são classificados como
c f i g h i 3c 3f 3i grupos de Lie. Uma das mais complicadas estruturas desse tipo já estudadas é o Excepcional
Grupo de Lie E8. Ele é um objeto de 57 dimensões e para descrevê-lo é necessária uma matriz
Se det A = K (K ≠ 0), então det A + det B + det C é de 453.060 linhas e colunas.

igual a
(a) 3K (b) 5K (c) 27K (d) 29K Nunca deixe que lhe digam:
Que não vale a pena
65)(CESUPA-2007) Considerando A e B matri-
Acreditar no sonho que se tem
zes quadradas de ordem n, podemos dizer que: Ou que seus planos
(a) det (A + B) = det A + det B Nunca vão dar certo
(b) det A = – det At Ou que você nunca
Vai ser alguém...
(c) (det A) ∙ (det A – 1) = 1
Renato Russo
(d) det (3A) = 3 ∙ det A
Apostila atualizada em 26/9/2018
Gostou da Apostila? Você a encontra no site:
http://gilsilva10.wixsite.com/inicio/apostilas-
de-matematica
Link! Dê uma olhada.

Referências
DANTE, L.R. Matemática: Contexto & Aplicações. 1. Ed. São
Paulo: Ática, 2000, v.3.
10