Vous êtes sur la page 1sur 10

ELIAS GONÇALVES NOGUEIRA

TECNOLOGIA MECÂNICA DE FILTRO DE AGUAS


PLUVIAS

REGARGA ARTIFIAL DO AQUIFERO

Belo Horizonte
2017
ELIAS GONÇALVES NOGUEIRA

TECNOLOGIA MECÂNICA DE FILTRO DE AGUAS


PLUVIAS

REGARGA ARTIFIAL DO AQUIFERO

Projeto apresentado ao Curso de Engenharia


Mecanica da Instituição Anhanguera.

Orientador: Prof(ª). Marco Aleixo

Belo Horizonte
2017
(...)impedir mangas de chuva que inundavam tudo e desciam do Curral, do
Cruzeiro, escachando Afonso Pena abaixo, improvisando araguaias,
pratas, amazonas, inventando níagaras, iguaçus, urubupungás e os
trombolhões, e baques de setequedas. (...) Quando a chuva parou e
pararam as lufadas, as faíscas e os estrondos, continuou aquele gemido de
aguas correndo dentro da noite e descendo para encher o Arrudas, o Rio
das Velhas, o São Francisco, e o Mar, com cascalhos de diamantes, ouro e
ferro arrancado do flanco das gerais(...).

Pedro Nava
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 5

1.1 O PROBLEMA....................................................................................................... 6

2 OBJETIVOS ............................................................................................................. 7

2.1 OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO ...................................................................... 7

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS ................................................ 7

3 JUSTIFICATIVA....................................................................................................... 8

4 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................... 9

5 METODOLOGIA ...................................................................................................... 9

6 CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO............................................................ 9

REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 10

APÊNDICE ................................................................................................................ 10

ANEXO ..................................................................................................................... 10
5

1 INTRODUÇÃO

Muitas tecnologias estão sendo desenvolvidas ao entorno do mundo,


tecnologias estas voltadas ao conforto e ao bem-estar dos humanos. Uma
porcentagem desta tecnologia está sendo vislumbrada para uma necessidade de
sobrevivência da raça, a diminuição dos recursos hídricos está em foco nesta
evolução tecnológica.
Pensando nestas tecnologias apresento-lhes um trabalho voltado para a
filtração de aguas pluviais, com objetivo de fazer um projeto de pesquisa voltado para
a RAA, que significa: Recarga Artificial de Aquífero. E como uma das primícias deste
projeto de pesquisa e garantir uma boa qualidade de agua para ser infiltrada, vamos
focar no processo de filtragem desta agua pluvial.
Na ultima década, a exploração das aguas profundas do lençol freático vem
sendo explorada de forma cruel, pelo agronegócio e por industrias que fazem uso
deste recurso sem uma consciência ambiental, e muitas vezes sem um estudo de
viabilidade aprovado e outorgado pela SUPRAM. E pelo grande aumento da
quantidade de sítios e chácaras nas cidades de Baldim, Jaboticatubas e Lagoa Santa.
Juntando características relacionadas ao relevo, a capacidade hídrica, ao
sócio-cultural da localidade em questão, ao longo do tempo, foi detectada a
necessidade de um reabastecimento do aquífero regional.
Os aqüíferos artesianos são denominados quando confinados e limitados por
materiais não permeáveis, a água não pode fluir livremente para baixo e para cima.
Encontram-se em locais onde ocorrem rochas sedimentares profundas (bacias
sedimentares) e toda formação geológica em que a água pode se encontrar
armazenada.
6

1.1 O PROBLEMA

Como vamos garantir uma agua pluvial de boa potabilidade e protegidos


de contaminação microbiológica, com objetivo de executar uma RAA, de forma
simples e normatizada?

Aplicando conhecimentos de engenharia Mecânica, lidada a área de filtração


de aguas pluviais, com objetivo de desenvolver um projeto P&D, onde um conjunto de
conhecimento interligados focam na tecnologia de filtragem. Produção de agua.
7

2 OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO

Conhecer a tecnologia mecânica de filtração de aguas pluviais segura e


normatizada. Evidenciando a necessidade de Produção de Agua versus Hub de
Inovações tecnológicas possíveis que este projeto Piloto oferece. Para atuais e futuras
gerações.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS

 Entender os sistemas de filtração já utilizados em outros Projetos de


RAA.
 Descrever sistemas de filtração de aguas através de tecnologias
sustentáveis.
 Elaborar escopo de um sistema de filtração e um plano de ação com
objetivo de garantir um bom nível de potabilidade e protegido de
contaminação microbiológica.
8

3 JUSTIFICATIVA

Diante de um cenário preocupante com a escassez de água, alguns fatores


vêm contribuindo para a intensificação desse problema. Por décadas é utilizado o
recurso de aguas subterrâneas sem um estudo aprofundado de sua real capacidade.
O empresariado que vive ao redor dos grandes centros, não tem um acompanhamento
ao nível de conscientização, da importância deste recurso.
Na localidade onde surgiu a necessidade de se desenvolver um projeto
tecnológico de RAA, algumas características de exploração deste recurso vêm
chamado a atenção e trazendo mudanças consideráveis no afloramento de aguas nas
nascentes.
Destaca-se:
 O uso diário de 24 milhões de m³ de aguas profundas retiradas a 10
km da localidade em questão, pela fábrica de Cerveja da Ambev em
Sete Lagoas
 A proliferação desordenada de poços artesianos por sitiantes e
fazendeiros. A excessiva perfuração de poços sem o devido controle,
obtém como consequência, o rebaixamento do lenço freático da cidade
 A impermeabilização em um período de 30 anos, por plantação de
eucalipto, numa área de 2500 Hectares de recarga natura do principal
curso de agua superficial do município.

Um assunto delicado e cercado de medos é a implantação de uma Recarga


artificial de Aquíferos (RAA), pois pouco se conhece sobre o assunto no Brasil.
Envolve uma grande quantidade de conhecimento em diversas áreas para que se
analise todas as possibilidades. Em outras localidades, onde esta tecnologia está mais
avançada, este recurso e utilizados para fins bem audaciosos, como a RAR na
montanha de Taunus, e a regulação do escoamento no rio Rurh, ambas na Alemanha.
9

4 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

5 METODOLOGIA

6 CRONOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO
10

REFERÊNCIAS

APÊNDICE

ANEXO