Vous êtes sur la page 1sur 5

A curva de desempenho de um dispositivo

Esse estudo nos permite avaliar o comportamento do dispositivo em vários pontos


ao longo da faixa de especificação de engenharia. Através dos resultados desse
estudo, pode-se determinar a probabilidade de aceitação de cada peça medida no
dispositivo estudado. Para que esse estudo seja realizado é preciso ter algumas
informações como o R&R, a tendência e os limites de engenharia. Esse estudo
estará sendo explicado a partir do exemplo:
- Tendência (T) = -0,1 (a tendência é calculada através da diferença entre o valor
de referência e o valor da medida média observada)
- R&R = 0,25 (25%)
Como 5,15 significa que 99% das medições estão dentro da distribuição normal,
podemos calcular o , onde:
5,15 = R&R  5,15 = 0,25   = 0,04854
- Limites de Engenharia: LIE = 80 e LSE = 82
- Valores de Referência: 79,95; 81; 82; 82,04 e 82,12 (valores aleatórios, porém,
próximos da especificação de engenharia).
Exemplo de como criar a curva de desempenho do dispositivo:

1º Ponto da Curva de Desempenho do Dispositivo (79,95)


X = 79,95 – 0,1 = 79,85
Z = (LIE – X) /  = (80 – 79,85) / 0,04854  Z = 3,09  P(Z) = 0,10%
Z = (LSE – X) /  = (82 – 79,85) / 0,04854  Z = 44,29  P(Z) = 0,00%
Obs.: P(Z) = 0,10% é extraído da tabela de distribuição normal para Z = 3,09
2º Ponto da Curva de Desempenho do Dispositivo (81)
X = 81 – 0,1 = 80,9
Z = (X – LIE) /  = (80,9 – 80) / 0,04854  Z = 18,54  P(Z) = 0,00%
Z = (LSE – X) /  = (82 – 80,9) / 0,04854  Z = 22,66  P(Z) = 0,00%

3º Ponto da Curva de Desempenho do Dispositivo (82)


X = 82 – 0,1 = 81,9
Z = (X – LIE) /  = (81,9 – 80) / 0,04854  Z = 39,14  P(Z) = 0,00%
Z = (LSE – X) /  = (82 – 81,9) / 0,04854  Z = 2,06  P(Z) = 1,97%
4º Ponto da Curva de Desempenho do Dispositivo (82,04)
X = 82,04 – 0,1 = 81,94
Z = (X – LIE) /  = (81,94 – 80) / 0,04854  Z = 39,96  P(Z) = 0,00%
Z = (LSE – X) /  = (82 – 81,94) / 0,04854  Z = 1,24  P(Z) = 10,82%

5º Ponto da Curva de Desempenho do Dispositivo (82,12)


X = 82,12 – 0,1 = 82,02
Z = (X – LIE) /  = (82,02 – 80) / 0,04854  Z = 41,61  P(Z) = 0,00%
Z = (X - LSE) /  = (82,02 – 82) / 0,04854  Z = 0,41  P(Z) = 34,02%
Após todos os cálculos realizados e a curva traçada, para o valor encontrado de
cada peça, dever-se-á utilizar o gráfico de modo a saber a probabilidade de
aceitação para a peça em questão. No eixo “X” do gráfico, deve-se entrar com o
valor encontrado da peça que está sendo analisada e criar uma linha imaginária, a
partir do valor encontrado, até essa linha imaginária atingir o gráfico e, nesse
momento, ler no eixo “Y” a probabilidade de aceitação. Fica a encargo do técnico
responsável pela análise avaliar a importância da característica a ser controlada
para definir se deve ou não realizar o estudo, tendo em vista sua complexidade.
O objetivo da curva de desempenho do dispositivo é única e exclusivamente para
avaliar a probabilidade de aceitação de cada peça medida. Esse estudo nos
permite ter maior segurança quanto a decisões do tipo: liberar ou refugar um lote
de peças produzidas bem como investir recursos financeiros para melhorar os
valores de R&R, ou até mesmo diminuir o valor da tendência do dispositivo.
Quanto menor forem os valores de R&R e da tendência, maior será a
probabilidade de aceitação para valores próximos aos limites de engenharia.