Vous êtes sur la page 1sur 19

9.

(2017 - IBADE - Agente Penitenciário) - Sobre as


provas ilícitas é correto afirmar:
a) são inadmissíveis, e uma vez declaradas nulas, não
precisam ser desentranhadas do processo.
b) as provas ilícitas podem ser admitidas quando o
agente atuou com boa fé, caso em que se dá a purga
da ilicitude.
c) as provas ilícitas são aquelas que violam normas de
direito processual, não são inadmissíveis as provas
ilegítimas que violam normas de direito material.
d) são ilícitas as provas obtidas com violação a normas
constitucionais ou legais, bem como aquelas que derivem
das ilícitas.
e) as partes não poderão acompanhar o incidente no qual a
prova ilícita é inutilizada.
RESPOSTA: D
10. (2016 – FUNCAB - PC-PA - Delegado de Polícia) Leia as
frases a seguir e a partir dos respectivos conteúdos
responda.
1. “Esse princípio fundamental de civilidade representa o
fruto de uma opção garantista a favor da tutela da
imunidade dos inocentes” (Luigi Ferrajoli).
2. “Basta ao corpo social que os culpados sejam geralmente
punidos, pois é seu maior interesse que todos os inocentes
sem exceção sejam protegidos" (Lauzé di Peret).
3. “A metafísica do direito penal propriamente dita é destinada a proteger os
culpados dos excessos da autoridade social; a metafísica do direito processual
tem por missão proteger dos abusos e dos erros da autoridade todos os
cidadãos inocentes e honestos" (Francesco Carrara). Qual princípio a seguir
melhor sintetiza o conteúdo, as idéias e as preocupações acima expostas?
a) Princípio da verdade real
b) Devido processo penal
c) Ampla defesa contraditório
d) Nemo tenetur se detegere
e) Presunção de inocência
RESPOSTA: E
11. (2016 FCC - DPE-ES - Defensor Público) Sobre a garantia do duplo
grau de jurisdição,
a) é típico de sistemas processuais inquisitivos e se vale para uma
melhor gestão da prova em virtude da colegialidade dos
Tribunais.
b) não se aplica nos Juizados Especiais Criminais, em virtude da
informalidade que vigora nesse sistema.
c) é expressa e explicitamente prevista na Constituição de 1988,
aplicando-se, inclusive, aos casos de competência originária do STF.
d) a jurisprudência dominante dos Tribunais Superiores considera
aplicável o duplo grau de jurisdição apenas em relação ao acusado,
não podendo o Ministério Público recorrer em caso de absolvição
em primeira instância.
e) a Corte Interamericana de Direitos Humanos já decidiu que no
caso de o acusado ter sido absolvido em primeiro grau, mas em
razão de recurso da acusação, é condenado em segundo grau pela
primeira vez, deve ser garantido recurso amplo desta decisão,
podendo rediscutir questões de fato e de direito.
CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS
(PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA)
Artigo 8º - Garantias judiciais
1. Toda pessoa terá o direito de ser ouvida, com as devidas garantias e dentro
de um prazo razoável, por um juiz ou Tribunal competente, independente e
imparcial, estabelecido anteriormente por lei, na apuração de qualquer
acusação penal formulada contra ela, ou na determinação de seus direitos e
obrigações de caráter civil, trabalhista, fiscal ou de qualquer outra natureza.
2. Toda pessoa acusada de um delito tem direito a que se presuma sua
inocência, enquanto não for legalmente comprovada sua culpa. Durante o
processo, toda pessoa tem direito, em plena igualdade, às seguintes garantias
mínimas:
a) direito do acusado de ser assistido gratuitamente por um tradutor ou
intérprete, caso não compreenda ou não fale a língua do juízo ou tribunal;
b) comunicação prévia e pormenorizada ao acusado da acusação formulada;
c) concessão ao acusado do tempo e dos meios necessários à preparação de sua
defesa;
d) direito do acusado de defender-se pessoalmente ou de ser assistido por um
defensor de sua escolha e de comunicar-se, livremente e em particular, com seu
defensor;
e) direito irrenunciável de ser assistido por um defensor proporcionado pelo
Estado, remunerado ou não, segundo a legislação interna, se o acusado não se
defender ele próprio, nem nomear defensor dentro do prazo estabelecido pela
lei;
f) direito da defesa de inquirir as testemunhas presentes no Tribunal e de obter
o comparecimento, como testemunhas ou peritos, de outras pessoas que
possam lançar luz sobre os fatos;
g) direito de não ser obrigada a depor contra si mesma, nem a confessar-se
culpada; e
h) direito de recorrer da sentença a juiz ou tribunal superior.
3. A confissão do acusado só é válida se feita sem coação de nenhuma
natureza.
4. O acusado absolvido por sentença transitada em julgado não poderá ser
submetido a novo processo pelos mesmos fatos.
5. O processo penal deve ser público, salvo no que for necessário para
preservar os interesses da justiça.
12. (2017 – IADES – PMDF – Oficial Militar) A polícia é uma instituição de
direito público destinada a mantar e a recobrar a paz pública e a segurança
individual, cujas funções são específicas na atuação das polícia
administrativa e judiciária. Segundo o texto constitucional, a função
repressiva e atribuição da(o):
a) Polícia Rodoviária Federal
b) Polícia Militar
c) Polícia Civil
d) Polícia Ferroviária Federal
e) Corpo de Bombeiros Militar
Resposta: C
CF – 1988 - Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e
responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e
da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
I - polícia federal;
II - polícia rodoviária federal;
III - polícia ferroviária federal;
IV - polícias civis;
V - polícias militares e corpos de bombeiros militares
§ 1º A polícia federal, instituída por lei como órgão permanente,
organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-
se a:" ...IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia
judiciária da União
... § 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira,
incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia
judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares.
§ 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação
da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das
atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de
defesa civil.
13. (2017 – IADES – PMDF – Oficial Militar - Capelão) O inquérito policial é o
conjunto de diligências realizadas pela autoridade policial para a obtenção de
elementos que apontem a autoria e comprovem a materialidade das infrações
penais investigadas, subsidiando, assim o Ministério Público e o ofendido no
oferecimento da denúncia ou queixa-crime. É características do inquérito
policial o (a):
A) contraditório
b) oficiosidade
c) disponibilidade
d) indispensabilidade
e) arbitrariedade
RESPOSTA: B
14. (IADES – 2014 TRE – PA – Analista – Área Judiciária) O inquérito policial é
um procedimento administrativo de investigação, a cargo das Polícias
Judiciárias estaduais e federal, com a finalidade precípua de subsidiar as
futuras ações penais, públicas ou privada. Acerca do tema inquérito policial, é
correto afirmar que
a) inquérito policial é imprescindível ao ajuizamento da ação penal.
b) caderno investigativo tem como característica marcante o contraditório.
c) delegado de polícia, na condição de presidente do inquérito policial, pode
solicitar o arquivamento caso não vislumbre qualquer linha de investigação.
d) Sendo a ampla defesa um direito constitucionalmente
consagrado, inclusive daquele que acabou de ser preso,
caberá ao delegado de polícia velar pela preservação desse
direito no inquérito policial.
e) ato de indiciamento é privativo do delegado de polícia,
não podendo o órgão ministerial imiscuir-se em tal questão

Resposta: E
15. (2016 – IADES - PC-DF - Perito Criminal) A Polícia é uma
instituição de direito público, destinada a manter e a recobrar, junto
à sociedade e na medida dos recursos de que dispõe, a paz pública e
a segurança dos cidadãos. Entre outras medidas, a Polícia Judiciária
utiliza-se do inquérito policial para a concretização de uma das fases
da persecução penal, tornando-o, apesar de prescindível, um
procedimento inquisitorial de grande relevância para a atividade
investigativa. Com base nessas informações, acerca do inquérito
policial, assinale a alternativa correta.
a) A autoridade policial pode arquivar autos de inquérito policial,
conforme o Código de Processo Penal.
b) A ausência do relatório vicia o inquérito policial, pois é parte integrante e
imprescindível para a constituição dos elementos de indiciamento.
c) A condução da linha investigativa, por meio da intervenção nos atos de
produção da prova pelo advogado, afeta a discricionariedade da autoridade
policial.
d) A autoridade policial é titular da opinio delicti, portanto, o indiciamento
delimita os termos da acusação.
e) O inquérito policial é disponível, portanto, conforme o Código de Processo
Penal, a autoridade policial pode arquivá-lo por iniciativa própria.
RESPOSTA: C
16. (2016 – IADES - PC-DF - Perito Criminal) A respeito dos
prazos para a conclusão do inquérito policial, considerando
as normas processuais penais, é correto afirmar que, se o
réu está preso, o prazo é de
a) 10 dias; estando o réu solto, o prazo é de 20 dias, no
âmbito da Justiça Federal.
b) 15 dias; estando o réu solto, o prazo é de 15 dias,
tratando-se de crimes contra a economia popular.
c) 10 dias; estando o réu solto, o prazo é de 30 dias,
conforme o Código de Processo Penal Militar.
d) 15 dias; estando o réu solto, o prazo é de 45 dias, segundo
a lei de drogas.
e) 10 dias; estando o réu solto, o prazo é de 30 dias, em
consonância com o Código de Processo Penal.

RESPOSTA: E