Vous êtes sur la page 1sur 3

Departamento de Comunicação e Arte

DIDÁTICA da MÚSICA I

Orff

Carl Orff nasceu em Munique a 10 de Julho de 1895 e morreu em Munique a 29 de


Março de 1982.

Compositor e Pedagogo.

Estudou piano, orgão e violoncelo em Munique. Insatisfeito com o tipo de ensino


praticado nas escolas onde esteve, procurou aprender mais sobre música sozinho..

Trabalhou como Kapellmeister em Munique (1917), com 22 anos.

Orff associou-se a um movimento de vanguarda no início do século XX, que tentava


mudar o rumo da dança e do ensino da dança, querendo que a expressividade na dança
resultasse da ‘internalização do movimento’.

Assim, em 1924 (29 anos) fundou em conjunto com a bailarina Dorothee Günter a
Günterschule em Munique. A Günterschule tencionava ser um centro de aprendizagem
para as artes performativas que incluia ginástica, movimento rítmico, música e dança.
Aqui desenvolveu a base para aquilo que viria a ser o Orff-Schulwerk: elementare
Musikübung 1 , um método de aprendizagem musical.

Schulwerk – Conceito Pedagógico

Princípios pedagógicos do Orff-Schulwerk:

• Pretende-se estimular a criação musical simples/rudimentar e fazer


desenvolver o potencial musical e criativo de cada pessoa.

1
Orff-Trabalho Escolar (Filosofia de Ensino): prática musical elementar
• Linguagem, dança e música são formas de expressão com igual força

• O processo de trabalho deve dar aos participantes o máximo de liberdade


criativa, gerando um processo holístico de criação, onde outras formas de arte
podem estar envolvidas

Orff acreditava que as crianças eram naturalmente musicais, sem inibições no que diz
respeito a experimentar jogos de movimento e expressividade, e mais receptivas ao seu
trabalho de aprendizagem musical. Desta forma, Orff queria que através dos processos
de imitação e de experimentação livre as crianças, por si próprias e com a sua busca
pessoal, começassem a aprendizagem dos diversos fenómenos sonoros. Queria que a
aprendizagem dos modos, do ritmo, da harmonia fossem aprendidos e apreendidos a
partir da experimentação guiada.

Isto permitiria também o desenvolvimento de um sentido estético próprio de cada


criança resultante da sua própria experiência individual com a música.

No Orff-Schulwerk o ritmo é o principal elemento ‘cinético’ (propulsor) por detrás do


processo de criação/ /improvisação.

Para Orff, as crianças deveriam explorar livremente durante um largo período temporal
antes de começarem a desenvolver competências relacionadas com a literacia musical
(leitura e escrita musicais).

Instrumental Orff – A criação deste conjunto de instumentos adaptados de forma a


poderem ser usados por crianças, visa promover a experimentação e criatividade
musical a todas as crianças. Uma vez mais, para Orff, não tinham de ser epecificamente
estes instrumentos a utilizar, poderiam ser quaisquer outros que cumprissem o mesmo
objectivo. Em 1949 a promoção do Instrumental Orff ficou a dever-se à contribuição de
dois construtores de instrumentos que viram aqui a sua oportunidade de aumentar as
receitas de negócio.
Vantagens para as aulas de Instrumento

• O desenvolvimento de um sentido estético através da imitação e experimentação


guiada

• Promover a improvisação guiada no instrumento

Vantagens para as aulas de Formação Musical/Análise

• Não é preciso muitos recursos para fazer música,

• Os princípios fundamentais da forma podem ser aprendidos com muito poucos


recursos

Bibliografia

Campbell, P.S. & Scott-Kassner (1995) Music in Childhood – From Preschool through

the Elementary Grades. New York, Schirmer Books

Carl Orff Foundation homepage

Goodkin, D. (1999) Orff Sculwerk – Uma Abordagem Universal. Boletim da

Associação Portuguesa de Educação Musical, 100(6), 26-29

Grove On-line

Frega, A.L. (1997) Metodologia Comparada de la Educacion Musical. Buenos Aires,

Collegium Musicum de Buenos Aires