Vous êtes sur la page 1sur 5

Transporte nos animais

Observação do coração de um mamífero

Rafaela Ramalho nº23 10ºD


Transporte nos animais
Observação do coração de um mamífero

Objetivos:
• Observar as cavidades do coração;
• Distinguir veias e artérias;
• Sentido dos vasos sanguíneos.

Questão-Problema:
• Que relação pode estabelecer-se entre a organização do coração e a
circulação do sangue?

Introdução:
• Os animais mais simples não possuem sistema de transporte especializado.
Neles, todas as células estão próximas da superfície corporal, efetuando-se
uma difusão direta de substâncias entre as células e o meio. Nos animais
mais complexos, existe um sistema circulatório responsável pela condução do
oxigénio e nutrientes, desde os locais de absorção até às células dos
diferentes órgãos, bem como pela remoção de substâncias resultantes do
metabolismo celular.
• Nos sistemas circulatórios abertos, a hemolinfa, abandona os vasos
sanguíneos e passa para um sistema de cavidades, as lacunas, que no seu
conjunto formam o hemocélio. Os seres-vivos com sistema circulatório
fechado podem apresentar uma circulação simples ou dupla.
• Circulação simples- o sangue só passa uma vez no coração.
• Circulação dupla- o sangue percorre dois percursos diferentes, passando
cada um destes pelo coração. Assim, os animais com circulação dupla
apresentam:
-Circulação pulmonar: o sangue venoso sai do coração, vai aos pulmões,
onde é oxigenado, e regressa à aurícula esquerda pelas veias pulmonares;
-Circulação sistémica: O sangue arterial sai do coração, dirige-se para todos
os órgãos e regressa venoso à aurícula direita.
• A circulação dupla pode considerar-se incompleta e completa.

1
Protocolo experimental:
Material:
• Coração de um mamífero (porco);
• Tabuleiro para dissecação;
• Luvas;
• Sonda Canelada;
• Bisturi;
• Preparações definitivas de veias e artérias e sangue humano.

Método:
Atividade 1
1. Colocamos as luvas e em seguida efetuamos a dissecação do ventrículo
direito. Cortamos a parede da artéria pulmonar com o auxílio do bisturi e da
sonda canelada.
2. De seguida, cortamos a parede do ventrículo e afastamos os bordos da
incisão.
3. Por fim na dissecação, cortamos o ventrículo esquerdo, cortando, em primeiro
lugar a parede da aorta e depois a do ventrículo. Separa-se os bordos da
incisão.
4. Colocamos o coração já aberto no tabuleiro e com a face ventral voltada para
cima.
5. Introduzimos cuidadosamente uma sonda canelada ao longo de cada um dos
vasos sanguíneos, observando as comunicações entre os diferentes vasos e
cavidades cardíacas.
6. Identificamos todas as estruturas visíveis e em seguida, esquematizamo-las.

Atividade 2
7. Ligamos o M.O.C e colocamos na platina uma das preparações definitivas
(sangue humano ou corte de artérias e veias).
8. Observamos e esquematizamos todas as estruturas visíveis identificadas.
9. Repetimos o processo para a outra preparação.

2
Resultados:

Organização do coração humano

Nos humanos a circulação é dupla completa e o


sistema circulatório é fechado ou, seja o sangue
venoso e arterial não se misturam. Começando na
aurícula direita, o sangue flui para a artéria aorta e
daí para os capilares sistémicos onde as células e
tecidos do corpo absorvem o oxigénio que
necessitam, transformando-se assim o sangue
arterial em sangue venoso que entra no ventrículo
esquerdo através da veia cava, daí passa para a
aurícula esquerda e de seguida para a artéria
pulmonar que conduz o sangue até aos pulmões
onde o sangue venoso vai absorver oxigénio
etransforma-se em sangue arterial que irá até ao
coração e nele entrar pela veia pulmonar parao
ventrículo direito, que de seguida regressa à
aurícula.

Corte de veias e artérias no M.O.C. Sangue humano ao M.O.C

3
Conclusão:
• A organização do coração e a circulação do sangue estão diretamente
relacionadas. No coração existem quatro cavidades e estas são: aurícula
direita, aurícula esquerda, ventrículo direito e ventrículo esquerdo. As veias
pulmonares estão ligadas à aurícula esquerda, e a artéria aorta está ligada ao
ventrículo esquerdo. A veia cava inferior e superior estão ligadas à aurícula
direita, e a artéria pulmonar está ligada ao ventrículo direito.
• Quanto aos ventrículos e às aurículas estas apresentam uma diferença de
espessura, sendo os ventrículos mais espessos que as aurículas, tendo estes
que impulsionar o sangue para as artérias para que este seja bombeado. Ao
nível dos ventrículos, o esquerdo é mais espesso que o direito, uma vez que
este estabelece a comunicação com a artéria aorta, que bombeia o sangue a
todo o corpo, assim é necessária maior pressão.