Vous êtes sur la page 1sur 12
48 MALINOWSKT andy 10s, de pele mais clara e tragos mais delicados que _ Vamos agora partir das ilhas Amphlett rumo 80 arquipélago de Trobriand, ccenério de quase todos os acontecimentos descrtos aeste volume e regio sobre 44 qual possuo 0 maior nimero de dados etnogrificos. CAPITULO 11 Os nativos das ilhas Trobriand ‘Deixando de lado os rochedos b lett — pois teremos de voltar a vist tes — vamos navegar agora em dirego ao norte, dos e a selva eseura das ilhas Amph- © montanhosos, de ripidos cursos de agua e cachoeiras, de nuvens vaporosas que pairam sobre os planaltos. De tudo isso nos despedimos ao navegarmos para 0 forte, Os coniornos d bbruma tropical; por fim, piramidal e adelgacado do monte Koyatabu que nos vai seguindo até aleancarmos a laguna de Kiriwina. . ‘Entramos, agora, num mar de dguas opacas e esverdeadas, monétono, onde se véem, quando muito, uns” poucos bancos de areia, alguns estéreis e varridos pelas dguas, outros com uma ou outra drvore do pandano, trepadas em suas raizes aéreas, erguendo-se acima da areia. Nesses bancos de areia, cendrios de » pescando tartarugas ¢ peixes-bol do mar, se adensam os primeiros tragos do horizonte como os riscos de um lépis. Aos poucos, eles vio ganhando formas: um se encomprida © vio assumindo a forma de pequenas il ‘mos na grande laguna das ilhas Trobrian direita, e muitas outras — habitadas ou nfo — 20 ‘A medida que nosso barco penetr fe compos us, 0 cho pisado da rua da 50 MALINOWSKI aldeia, a pele mar grupos ao redor do vis jue imediatamente se remem em grandes forma um esquema de cor cinza e bronze, -E descrever as sensacdes de suspense e extremo interesse que 0 ‘eindgrafo experimenta ao entrar pela primeira vez no distro que em breve serd (© campo de sua pesquisa, Certas caracteristicas do luger imediatamente Ihe s de esperancas e apreensdes. A aparéncia dos nati- pos ce homens talvez haja uma relagao de 5 1 esclarecer algum fato referente aos cos- fumes © so cardter dessa gente, Pelo menos eram esses oS meus pensamentos, quando, no mesmo dia em gue cheguei a Boyowa, sentei-me préximo a um grupo de natives observando-os cuidadosamente enquanto conversavam. enfeites que ov outro e fire tratgada,brincos de fasco de tartaraga ee dnc fetor do spondyua; gostam Muto’ wnbem de cpitarse comes trons «ors, Su ate € bem tae Une, spon ea confane que = dos nativos que até agora eacontramos, Quando algun # tante desconhecido ches ie “i a alan wefes © pessoas de posigio, por sua vez, se com- estranhos e, com efeito, de- porta de modo bas ‘monstram possuir ma Na presenca do ch nnenhum dos plebeus le: precisa curvar ou agachs estranha ao temperamento das tribos melanésias que, & primei cchega 2 transportar 0 etnégrafo para um mundo bem diferente, No curso de nossa ppesquise, amide iremos encontrar tais manifestagSes da sutoridade do chefe ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL st neste particular, iremos perceber claramente a diferenca entre os ‘Trobrand ¢o¢ das demas tribos, bem como as adaptagdes retukan- lacionamento ‘tribal uw Outra caracteristica sociolégica importante que se impde & observacio do ante € a posigdo social das mulheres, Depois da atitude fria e esquiva das ‘de Dobu e do comportamento pouco convidativo das mulheres das de amistosa das nativas de Boyowa € quase. cho- as mulheres das classes sem distinelo, se revelam emistosas © agradaveis. fig’ 11 © 12). Sua maneira de vestir é as sio longas, chegando alé o joelho ou mesmo até a canela. Nas ithas jotes das mulheres sio bem mais curtos e amplos, com vérias ca- rmadas de fibras formando ao redor do corpo uma espécie de franzido (comparem- seas mulheres dos massim do sul, nas fig $ e 6, com as das ilhas Trobriand, na fig. 4) sorativo dessas saias € ainda mais sealgado pelos enfeites antsticos feitos em trés cores nas vérias fileiras de fibra que formam 0 saiote de cima, De modo geral, essas saias omam bem as jovens bonitas ¢ dio as me- ninas pequenas e esguias uma aparéncia graciosa e travess. ‘mos crer. Com 0 tempo, os jovens passam livre; gradualmente, porém, se vio envolvendo em casos mais sérios e dura- douros, um dos quais termina em casamento, Antes que isso aconteca, entre- tanto, as jovens solteiras sfo livres para fazer o que quiserem; existem, inclusive, arranjos cerimoniais em que as jovens de uma aldeia vao em grupos a outros locais, Ali se poem em fila para inspecio ¢ cada uma dees € entio escolhida or um rapaz, com o qual pasia a noite. Esse ritual € denominado katwyiaust 12). Quando um grupo de visitantes chege & alicia, vindos de outro jeencioso em que, i. Durante os trabalhos agricolas, na época em que as sadas dos campos, as mulheres pefazem esta tarefa co- anhe que nessa época se as energias ¢ a atengdo da tcbo. © casamento ndo est associado @ quase nenhum ato cerimor ‘ou privado, A mulher simplesmente se muda para a casa do marido, e s6 mais tarde é que se realiza a troca de uma série de presentes. Isso, entretanto, nfo 2 MALINOWSKI presen sa pode abandond-lo para sempre, se assim 0 desejar, pois tem liber= de procurar novo marido. também cuidar de certos estagios das grandes ceriménias entos, cerimOnias essas que se relacionam a0 sofisticado claborado ‘como, por exemy ‘a. magia da beleza usada nas ceriménias tribais ¢ certos tipos di também monopélio das mulheres, As mulheres de posicio des homens, de todos os privilégios inerentes 2 hierarquia e os homens das castas mais baixas devem curvar-se diante delas, observando todas as formalidades ¢ reo sj, em questes de detcendenciaeHetangaseguem a nha materma. Toda’ ctanga pertence autor matkamente a0 li e2 comunidade da ala Ga mite, Tanto c bens materas omo.a propria posigio social sto legados por heranga, nao de pai par filo, inas de Go matemo para sobcinho. Essa regra admie excegSes importantes ¢ inferciantes, 2 que volaremos oportanamenie no curso de nossos exo, a truidos sobre estacas e apresentam elas fachadas decoradas, As paredes sio ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL 3 feitas de troncos grandes ¢ arredondados, apoiados uns sobre os outros, trans~ versalmente, de maneira a fo 08 és dos quais se pode ‘Ornamentals, Sao esses os celeiros em que se armazena o inhame {20 chefe ou as pessoas de alta posicdo social. Via de regra, hé uma ‘onde 0s nativos podem sentar-se sorvem de . contorna @ aldeia em toda a sua extensio (veja fig. construidas diretamente no chio, sem estacas ¢ so mi Seu interior & escuro e abafado — a Gnica abertura qu {que geralmente € mantida fechada, Em cada cabana mora uma familia fiz. 15), isto & marido, mulher e criangas pequenas; os meninos ¢ meninas jé crescidos e 08 adolescentes moram em pequenas casas de solteiros, em grupos de dois 2 seis ocupantes, septrados dos pais, Os chefes e pestoas de posicfo tém suas proprias casas especiais, além das que pertencem as suas esposas. A. casa 0 cele geralmente se ergue em meio A fileira central dos celeiros, em frente dda_praga principal. ‘A inspecio geral da aldeia revelows ormamentos como insignias da posiglo soci 4 grande importincis $s que nos levam aos problemas mais profundos da sociolo- inspegao nos leva, além disso, a formular questies referentes & as divisdes da aldeia na vida tribal ‘08 dois efrculos, portanto, forma-se ‘As habitaes si0 was que 08 celeiros. passa entre as habitagdes e of celeitos tem lugar a vida cotidiana, 0 pr alimentos, a realizagio das refeigdes, a troca usual de mexericos ¢ de amenidades Sociais costumeiras. O interior das ‘habitagies € ulilizado somente & noite, ou fem dias de chuva — é mais quarto do que sala. O fundo das casas e os bosques, pproximos sio-o local onde as crianeas brincem e as mulheres realiaam suas {arefas, Mais adiante, lugares afastados do bosque sio reservados &% necessi- Gades sanitérias dos nativos — um para os homens, outro para as mulheres. (0 baku (praca centr um pouco monétono do cinza e marrom € quebra jue se pode avistar acima dos telhados, época das dancas e ceriménias, pé ‘As dancas realizam-se apenas numa época do ano (veja fig. 13 € 23) ¢ estio associadas as festividades da colheita, que recebem 0 nome de milamata, B também nessa época que os espiritos dos ‘mortos, provenientes de Tuma, 0 mundo do além, regressam as aldeias a que pertencem. Por vezes @ Spoca das dangas dura apenas algumas semanas, ou até mesmo alguns dias; outras vezes, prolonga-se num periodo especial chamado wsigola. Nessa, época ‘dancam dia apés dia, durante um més in inaugurado com uma grande festa e parti com uma grande representagio, da qual na-