Vous êtes sur la page 1sur 5
160 CAPITULO VIL A primeira parada da frot em Muwa r , poderiamos supor que, uma etamente pera as altas monta- apenas algumas mi situado a sudoeste ‘arvores velhas e retor que, depois de se terem preparado para tivos finalmente se acham reunidos pela Panbeios de aideia. Uma espécie de via de regra, assoviadas a0 fesieo prelimina expedicdo, é as grandes © pequenas expedigdes, mas talvez ndo ue 08 préprios nativos fazem distincio perteita entre as grandes expedigdes Aula competitivas, que tecebem o nome de hav viagens maritimas de pequena escala, ou de algum’ , por exemplo, rouse uma grande expen Io motivo de que Kaujapor, yum enorme jal cues press posse 8 existnla de grands quanta de 6 término de uma expedigao de utr lek Log O.uvalatw 6 uma levada'a efeito digdes menores nko 56 pe ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL 161 a ou duas caracersticas adicionais. No uvalak, todas as canoas de to participam da expedigéo e i ddesejam participar. Ao lado desse de 40 de que todos os membros de tripulaca edigdo. Esse dever € para com o chefe ou mestre do twalaku. O tvos o chamam, é sempre um dos chefes de distrito ou ui esempenha 0 papel de ceri de Sinaketa, nas distribuigdes de na chegada as aldeias de amar ¢ na ceriménia de retomo. O galhardete feito de folhas do. pandano, roa da canoa, é o sinal ostensivo da fesse galhardete & denominado tarabauba'u; na da aldeia que desempenha as é por dirsito reeebe maior niimero de tar ao ponto de partida devido a0 mau tempo, 0s ventos. cont em épocas anteriores, devido & interferéncia de nativos hostis, Come os costumam dizer, {Nao podemos voltar ao uvalaku, pois que comenos a carne de porco © mascamos as nozes de bétel dadas pelo tol uvalaur” $6 depois m alcansado a comunidade mais dstante entre aquelas s de Sinaketa realizam o Kula © de haver passado tempo todos os vaygu’a disponiveis, é que a expedicio inicia sa Sagem de volt. Os nativos citam casos concretos em que determinadas expeli- Shes tiveram de partir varias vezes de Sinaketa, sempre volando no espago de Apenas alguns dias, depois de todas as suas provisoes se terem eogoeds os Prue Ce onde, em virude dos ventos contrrios, a expedigio nio tha poser bilidade de rumar para o sul. Ou ainda o easo de uma expedicio momen hha algumas décadas, teve inicio uma ou duas vezes, for teve de dar enormes presentes 0 feitceiro dos vet fim de que ele thes proporcionasse ventos favordv 80 rumar para o sul, foi surpreendida pelo vineylida, do mar: uma pedra viva que salta do fundo do mar pa sar de tudo isso, a expedicdo foi perseverante, chegou st cconseguiu volta, I6gic0 © walakw & um empre- ralaku e, portanto, reverte em seu ue nfo estamos habituados a idéia de’ que 0 prazer é bastante estranho 0 fato de que, embore to dda expedigdo © embora tod suas ambigSes © aumentem e coacdo ou obrigatoriedade. E a CERTIRAIL UNICAPBIBLIOTE MALINOWSKI tum exemplo lizados em grande ais © festejos rea io. O mestre das igd0 preliminar de F as dangas, 0s esportes ¢ os jogos, E, com efei © entusiasmo nativo esmorece © com que em ¢ destroem a unanimidade dos divert- ado por forgas exteriores, para que eles se despropositads como nos péde parecer de inicio. dde que uma expedicio wvalaku distingue-se das expe- 4igBes comuns porque nela se tém de observar todas as ci 6 Kula. Assim sendo, todas as canoas ttm de ser novas ou. excegio, devem se ‘antes da par- vem também uma faceta especial do Kula competitive. O mesmo se Pots dizer do kayguya's, ceriménia de distribuigdo de alimentos realizada em Muwa, acontecimento a que estamos agora chegando em nossa narrative. 0 lanarere, que & uma grande exibigdo de vaygu’a e comparacio das, aquisigdes levada a efeito 20 io de tal expedicdo. Algumas das com um uvalaku competem entre si para saber qual del s 0 aspecto de rivalidade © competicéo & bastante ulos que se seguem, terei a oportunidade, em varias 1 ir etre 0 uvalaku e as expedicdes. kuld comuns, acrescentar que, embora todas essas caracteristicas ceri jam compulsérias unicamente na expedigéo wvalaku, ¢ todas infa. te observadas na sua realizacéo,algumas delas e até mesmo todas podem fer observadas sas expediges Aula comuns, especialmente se se t expedicho um pouco maior. © mesmo se refere aos diversos rtuais magicos —— ou seja, 0s mais importantes — que, embora executados em toda © qualquer ‘kula, so levados a efeito com maiores minécias no uvalaku, io uvalaku essa regra & levada inte no possa oferecer nenhum objeto kula de valor. Os nativos de Sinaketa que partem para Dobu muma expe. digo Aula comum podem levar alguns brace de presentes que dentro de um vvos de Dobu, quando estes ¥ objetos de valor que os nativos de Dobu di quando vio a Dobu, 0s 1: Ines do devidos das 0 ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL 16 saci Aula sero esclarecidos num dos nossos préximos capitulos (capi- palmente pelo fato de que, ao encerrar-se a expedicdo, todos os Sto comparados entre sie contados. A proibigdo de se carregarem saygu'a tam, bbém estd relacionada a esse fato, de modo a proporcionar a todos igualdade de 1 Voltemos agora a frota de Sinaketa reunida em Muwa, tere chegado, ou seja, por volta do meio- de distribuigo dos alimentos. Embora 0 8 ou amigos de Ivez fosse melhor for- jisualizar-se a exata cesses estigios iniciais 8 nativos se haviam preparedo ia observando e fotografando spedidas e a partida da frota, hhavia lua chei 'aS a0 norte, Sentei-me por imN0s € pouco amistosos nativos das ilhas Amphlett trariamente aos de Trobriand, nitidamente se ressentiam com a presenga fa e magante de um etnégrafo. tando a nossa frota de Sinaketa, podemos imaginar os chefes sentados na parte superior da praia, sob os galhos retorcidos e as folhas largas das drvores de sombra. Podiam estar descansando em ia de outras pes porddicas, que tornam a a 164 ‘MALINOWSKI zendo de vez em quando referéncias mitolégicas, prevendo 0 tempo e debatendo ome 4, © mesie da expedigho — se le quem for —devetrazer dis porn, que so entdo colocados na praia para paulo dos membros da expedicio’ bar gous, tempo acendenae algunas fogs, © 0s ports, com uns os ae Bor ne a pts idaho depended ae bu pra Ca ns fogucas Sexe rive encom 0 ar cuisam’ pase we Son dors, Deois que o pore foi chamuscado até a mores cure neat ee, inside, oF maton o tam do logo ¢o cosa Expt iat ns " ‘propradas, pronas para a dstibugio, Takers coro de-agticar ja foram des a Sea esse fim, preset de sua esposa, Na rei ipo, irfamos veriticar que dde nosso capitulo anterior thas de alimentos, os ajudantes do chefe as passam ue a divisio esta bem feita, mudando ido na meméria 6 nome da canoa oferecida. Geralmente inspecio ara 0 local onde ibuigao. Um dos ‘ompanhado empilhados em revista, do modo a ce nts de ums pil para pula. Gada-uma. das phan sort, a pelo proprio. estava sented, Depos apaniguados do chef, sempre un naive de posit socal i dos sjudates do chefe, val andando ao longo ds sea de at 6, a0 aproximarse de cada pila, gria em ala vor pilha, af, 6 Siyagana, * Aprosimando-e da pine © nome de outra canoa: 4 sing es Gumawors, tua pitha, al! came de porco ¢ distribuem o inhame, & cana-deca fe bétel aos membros da seguir sentam-se no chdo pera rupo isolado dos demais. Vemos que, embora pelo receba dos nativos . nesta funedo em outras ceriménias. Néo ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL, 6s fuvalaku € para os nativos 0 centro de todas as atividades. Os sm todo 0 trabalho necessério e, em determinados casos, dirigem-se dé orientagio em questdes de etiqueta lescansarm, mascam nozes de bétel e fumam, cothando para o mar e para o sol poente — estamos agora no fim da tarde — ‘onde, acima das canoas que balar racadas nas éguas rasas da praia, aparece lnueta das montanhas. Sao estas as Koya distantes, as altas ecasteaux e Amphelett, para as quai os nativos mais ve- mente ouvieam ppredominam do além- a ele a fim de que I ppassou por Sinaketa hd alguns anos, dde como fulano o entregou a sicrano em Kiriwina, que por sua vez 0 ofereceu a lum dos seus parceiros de Kitava (mencionando-se, & clara, os nomes de todas cessas pessoas), ¢ de como foi parar na ilha Woodlark, onde se perdeu sua pista ais reminiscéncias levam os nativos a levantar hip6teses sobre o atual para- iro do colar e sobre a possiilidade de encontré-lo em Dobu. sagdes famosas, brigas causades por ofensas feitas duranie 0 Kula, ivo foi morto por magia em virtude de seu grande € ages do Kula; todas essas est6rias sio relatadas uma ap6s as outras ¢ ouvidas com interesse. Os nativos mais jovens podem divertr-se com debates menos ia das infal sérios a respito dos perigos que os esperam no mar, a respito da bruxas ¢ dos seres temiveis que habitam nas montanhas (koya), enquanto jovens trobriandeses sio prevenidos, a essa altura dos acontecimentos, a respeito da atitude pouco obsequiosa das mulheres de Dobu e da inpetuosdade de seus homens. Depois do ancitecer, os nativos acendem algumas pequesasfoguiras na praia, ‘As rigdasesteiras de pandano, dabradas 20 meio, servem ée abrigo aos nativos, formando uma espécie de pequeno telhado sobre cada um deles — e, com isso, todos se recolhem para dormie m ‘Na manha seguinte, se 0 vento esté propicio, ou se hé esperanca de que venha 2 sé-lo, os nativos levantam-se de madrugada 'e se piem em febril atividade, Alguns deles preparam os mastros e a cordoalha das canoas, de mancira mais completa e cuidadosa do que na manha anterior, pois poderio ter & sua frente ‘no mar, ¢ 0 vento poderd soprar forte e oct tuagdes peri- ntas a serem igadas e as cordss devidamente apres lagao sentam-se todos em seus devi ‘8 chegada do imentos puramente pr ségicos tém por objetivo fazer com que as canoas naveguent Velozmente, estejam. sem