Vous êtes sur la page 1sur 7
6s MALINOWSKI ‘No presente caso, o pedaco de inhame 20 qual trans jogado no mar. As vezes, porém, nem isto Sane 3 canoe 00 monet, profee uh cantamento sobre um pedaco de casca de coco, que a seguir & ponds sn Ese ritual, denominado fusboda pate, pertence a maps neg, ibeidb cay rar 0 andamento das demais eanoas, Se nem id af nativos chegam & conclusio de que algum tabu referene 2 canoe deter ae ser observado, ¢ 0 flizaga pode comesar a desconfar da conduta de sen cy ou esposas. ef = ls vee CAPITULO IX Navegando no brago de mar de Pilolu A expedigo Kula se encontra agor tum longo estigio da viagem, lmente, em plena viagem. As canoas la, atingindo a oeste 0 cinturio disperso das ilhas Lousangay. A leste, recife submerso se estende do extremo sul de Vakuta is ilhas Amphlett, formando ‘uma extensa bareira A naveggto, mas oferecendo poica proteeto contra os ventos e 0s mares orientais. Ao sul, essa barreira se une as ilhas Amphlett que, com o litoral norte praia meridional de Pilolu. A oeste, cionado as experiéncias de geracoes passadas, relatadas pelos das fogueiras na aldeia e com aventuras pessoais vividas. A medida que os aventureiros do Kula prosseguem rapidamente com velas « brithante, que deixam entrever, nas dguas rasas, o fuando de ari thante, cedem lugar a um mar mais profundo de tom verde-scuro. A plana faixa de tera que, extensae larg, crcunda @ laguna de Trobriand,afins-se © desepa- rece na bruma ¢, a frente da expedigfo, as montanhas do sul parecem cada ver maiores. Nos dia podem-se avistar essas montanhas até mesmo das ilhas ‘Trobriand. Os elegantes contornos das ilhas Amphlett parecem diminutos, porém mais nitidos e substancias contra o fundo de silhuetas azuis dis montanhas mais altas. Estas, como uma nuvem distante, se acham engrinaldadas de cmulos que aquase sempre s cumes. A mais proxima dels, Koyatabu — montana d ancada © adores rumam para o st iecio sudoest, ampla € volumosa montenhe, Koyabwaga' — a montanka marco do extremo noroeste da ilha Fergusson. As montanhas da ih Goodenough 170 MALINOWSKI v0 do Pacifico Sul. Mais uma vez 0 fmando-se muito azul; sob suas éguas limpidas, revela-se um ‘mundo maravilhoso e multicolorido de coral, peixes © algas marinhas — um ‘mundo que, por estranha ironia geo, ‘05 habitantes de uma ilha de coral {uase néo conhecem em sua prépria terrae s6 vim descobrir a0 chegar a esta regio vuleinica. TNesses arredores, eles encontram também maravilhosas pedras compactas, pesadas, de varias cores e formas, enquanto que em sua propria terra o iinico tipo de pedra que conhecem € 0 insfpido e morto coral branco. Além dos diversos tipos de granito, basalto e rochas vuledinicas, eles 1 negra, com aresias cortantes ¢ de tom metilico, ¢ locais cheios de ocre amarelo fe vermelho, Além das grandes colinas de cinzas cas, podem ver também fs nascentes de gua fervente a borbulhar periodicamente, Para o jovem to- briandés que ouviu est6rias sobre todas essas maravilhas e viu as amostras tra- idas a sua terra, nao hé dvida de que é realmente uma experiénci encontrarse em meio delas pela primeira vez; € também nio resta dvi que ele iré agarrar-se avidamente a qualquer oportunidade que se The ‘de navegar novamenté para koya, A paisagem que ora se apresenta a vista dos nativos € uma espécie de terra prometida, um pais de que se fala em tons quase yatram aqui a obsidiana ‘Com © cenério destas terras, situadas na fronteira de dois mundos diferentes, ésingularmente impressionante. Partindo das ilhas ‘Trobriand em minha ltima expedicdo, tive, em virtude do tempo, de passar dois dias num pequeno banco de areia coberto por algumas drvores de pandano, a aproximadamente meio caminho entre as ilhas Trobriand ¢ as ilhas Amphlett. Um mar escuro com grandes nuvens de tempestade do local plana de Boyowa — as ilhas Trobriand, ido um c&u mais limpo, erguiam-se os cones ingremes das tmontanhas, espalhadas em mais da metade da linhe do horizonte. © cenério parecia saturado de mitos e contos legendirios, de estranhas aventuras, espe- Tangas e temores de virias geragdes de navegadores nat ppado muitas vezes neste mesmo banco de areia, em ocas tempo. Numa ilha semelhante aportou o grande her abandonado pelos companheiros, 56 conseguiu escapar voan ‘uma catloa legendéria certa vez aportou, a jontanhas do pelo céu. Nesse as sensacdes dos desejo de chegar a fanhos habitantes e com eles fazer 0 Ki sadas 4 praia norte de dha Fergusson, onde @ ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL méos dos canibais. H4 também lendas a respeito de natives inexpe- chegando as grandes baias rocho- 3 encontraram morte pavorosa Jomo poderia constitu &s embarcacdes européias, é, no entanto, 10. Os maiores perigos que os nativos tém de enfrentar residem na frag ‘dade de suas canoas, Como jé dissemos anteriormente, a canoa no pode navegar com vento de través ¢, portanto, nfo pode bordej E sso € muito desagradavel, mas winhas que atingem velocidade de trés a cineo 1 fe deriva em angulo reto em relagio a seu curso, a situagio entdo se torna perigosa. A oeste esté o mar aberto e, uma vei ‘pouca chance de voliar. A leste, estende-se o recife; no mau riamente seria arremessada contra ele ¢ reduzid foi surpreendida po arso e numa na dres2o noroexe para ‘ua Lovsangay. Hi Gada por perdida, quando em agoxo rtoros, Sonat pelo vento oroeste, gue foprava por acaso."A cana, ef pouso nfo havera consegido sleagar _pequena ila. Se 0. veto a thesse (Grado sings mai para a por certo jamais tera chegado a tera. Existem outros co acdentes. nfo sejam ia frequents, tendo em conta 28 condides em que 85 Ganoas tem de mavegar, As viagens, por ashi zr (em de Ser fis em linhas felas pelo tar. Se a canows se devvam dessa roa, prigs de toda especie apo Feoemrepentinamente, E ngo € sso. Ax canoas fem também de nsvega ene Pontos fos de terra, pois ( fs canoaspreesasem 8 praia em qualquer fea que do odo di {rio amigh 0 pengo que ts esariaexperando seit quase Go gran Perigo repreentado por reife etwharbes, Se os ravesadores nfo coneausem ica dis ami ej ev hes Amp de Dob, em gui Guer ouras por certo seriam exterminadas. Mesmo hoje em dia, quando 0 pei de ser assassinado ¢ menor — embora a toe 0 natvossentem-se mal s de pensar que poderto aportat em distri estanbos, temendo no 36-2 morte pela volencla, a morte pela magia negra, Desa forma, & medida que navegam atravessando’ Pol, apenas Potveninas pores do horizone conttsem ports seguros para a sua visgem No lee, com eet do outa lado da peigoa barra de rect, existe im ‘nome de Omuyutsa. Ao ual s40 conhecidos os habitantes das sudoeste, porém, hd 0 \das por povos que vex nfo absolutamente inexistente — m MALINOWSKI E iil dizer se essa reito coresponde ao litoral sul da Nova Bretaa, onde (on natvosreslmente nfo wsam quisqer vestments, ' outa reid, Kevtalu, € terra de mulheres spenas, onde nenhum homem as, grandes fortes clo dos costumes) tssas mulheres representam imenso vos nonce se cansam de deserevergateae ‘mente 0 modo como elas satisfazem seus proy ee mesmo por um cunto expaso de tempo tos bras stagues, amo mulheres Os nation os somparam aos slaues smorosos que farem co em que ua homer, spanado pela meres i feminino em Boyows, € por cls seo TD, Nem mesmo. os meninos nssidor nes de Kaylalogi conseguem sobreviver&tenraidade, Devernos lmbrar que os ade de coopera 2 perpetuagao da ese rbora todo homer : da aldeia de Kaulagu, situada_na_ poreio | de Boyowa, forgados pelo ven itinerario leste de ums expedi¢io Kula e, desviando-se muito para o norte, acabaram por naufragar na praia de Kaytalugi. Sobrevivendo a primeira recep- ‘¢do, foram entio distribuidos entre as mulheres e forsados a casar-se com elas Tendo consertado sua canoa, sob o pretexto de trazer peixe para as esposas, © partiram as escondidas. Ao voltar im que suas mulheres se haviam easado nova- jamais tém fim trdgico nas ilhas. Trobriand. ccalmaria para que sua viagem nio seja tio perigosa dos ventos nessa parte do mundo. es principals do ano, hé uma diregio desvio miximo € de aproximadamente 90 graus, , de maio a outubro, © vento alisio sopra quase ‘mente devido & pois apesar de ser facil navegar di Vento € impossivel navegar na directo cor pare de soprar. Como diversas ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL mm nos meses de novembro e dezembro ou marco e al = nio sio 0s ventos tio regulares e, de fato, variam de um ponto cardeal p: Tado, como raramente hé ventos muito fortes nessa época, ela de per , ia de regra, sio capazes de prev ‘ou dois dias de antecedéncia, a aproximagao de uma borrasea. Coi retamente, eles associam a forca dos vendavais noroeste as fases da Lua. Ha, € claro, muita magia cu) lzada em determinadas aldet foagio mais distante do noroeste desse dist controladores do vento noroeste, talvez pot associagio a sua pposigio geogratica. Por outro lado, © poder de controlar 0 vento sudeste € outor- ‘gado. 0s hat fa, que vivem a leste de Boyowa. Os nativos de Simsim controlam todos os ventos que sopram habitualmente na taco das chivas, ou seja, 0s ventos do lado este da Bussola, do norte para o sul. A outra ‘metade é controlada pela magia de Kitava, ‘Mauitos dos nativos de Boyowa aprenderam ambos os tipos de magia © os praticam, As formulas sio proferidas,.como que lancadas a0 vento, sem quais~ {quer outros rituais. E um espetdculo impressionante andar pela aldeia durante tum dos vendavais devastadores, que sempre irrompem a noite € durante os quais, ‘os nativos saem de suas cabanas e se retinem em locais abertos. Eles temem qi -ventania arranque suas casas do cho, ou entdo derrube alguma érvore que, a0 cait, possa machucd-los, acidente que realmente ocorreu em Wawéla hé um’ ou dois fanos no qual morreu a esposa do chefe. Através das portas escuras de algumas cabanas e de dentro dos grupos de nativos aconchegados, ressoam vozes al fentoando em falsete penetrante os encantamentos que irdo abater a for vento, Em ocasiGes como essa, sentindo-me também um pouco nervos0, pprofundamente impressionado com o esforgo persistente de frégeis vozes huma- nas, repletas de f inabalivel, contrapondo-se de maneira tao débil ndo a posigo dos ventos, os nativos ndo tém necessidade nem mesmo dos conhecimentos mais ipbes mais marcantes — 0 item, Possuem nomes para a co de Orion, para 0 Cruzeiro do Si socio V, centr jos chefes da aldeia im de que possamos entender melhor os costumes ¢ problemas referentes . devemos dizer algumas sobre a técnica de manejo de uma - . 0 vento precisa soprar sempre do