Vous êtes sur la page 1sur 4
x0 MALINOWSKI iando perguntei se a guebra desse quanto a0 éxito no Kula, responde ido ordenado i muito tem ou gust inti sua Wagem de vot N de manha ced, ls resber Sut ones de ‘CAPITULO XV ‘A viagem de volta [A pesca © 0 trabalho felto com a concha Kloma 1 = A viagem de volta da frota de Sinaketa € feta seguindo exatamente a mesma roia pela qual cles vieram a Dobu. Em cada ilha habitsda, em cada aldcia, ‘onde anteiormente se fizea uma parada, eles param novamente, por um dia ‘ou algumas horas. Nas aldeias de Sanaroa, em Tewara e mas ihas’ Amphlett, os pparceiros s40 visitados outra vez. Alguns objetos de valor Kula so recebidos he voll, ¢ todos $ presentes flo’? dos parceires inlermedirios sio também Tecolidos na viagem de relorno, Em cada uma desta aldsias a5 pessoas estio curios para saber como 8 expedicio uvalaku foi reeebids em Dobu; discutem © resultado em termot do valor dos objetos conseguidos ¢ fazem comparagées fentre a expediedo tual ¢ as anteriores. ‘Nesta ocasifo,nlo se realiza nenhurna magia, nenhum esrimonial ¢ executado fe, na verdade, haveria mullo pouco a dizer sobge a viagem de volta a no er por dois acontecimentos imporintes: 2 pesca da concha spondylus (kaloma) na laguna de Sanaroa, e a exposigio e comparagiio dos objetos de valor obtidos no Kula, na praia de Mus. ‘Como if vimos no capitulo anterior, os natvos de Six Entrento i outtos produ briand, que estio. disponivels mente deles. AS formagées vitreas de lava vulcinica conhecidss como m MALINOWSKI bamento artistic que so usados no distrto 60 Kula, >rcados unicamente em duas loclidades do dis: aku, ambas situadas na parte meridional fazer aqui um relato los discos. A deno Pesca como da manufatura di ddstitos meridional tjolo sujo até uma suave cor de frambose ‘encontrada nas cavidades dos afloramentos de co 4 cor mais apreciads, E espalados nas lagunas rasas isto, esa concha esté associada & aldeia de Sinaketa, cata vee, ts lees guy (che: nova se estabeleceu em Sinaketa, 1 et embora neste pont do $e reconhece a gualdade entre fe Omaral it. os rmantes, “olharam para lay 2 gua + fsto 6, “ele nica ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL 20 gor do bance de aia Nanos que ‘da pesca do kaloma, Além disso, quando os Sinakets realizam & pesca em Sanaroa, os procedimentos sto siaol pana lava-chave, me parte principal, € Holo fon ¢ Sdn eee eaa eee ras a eee a MALINOWSKI Iso faz com que o mar fique {ee faz com gue o mar que eo, permitiado gue o merguhadorensergue alam, cad ma por su cot alguns outs ‘empo que provoce admiranao supe fc constas que consegue recofher. Para cre ache a boca com gua saladae, 80 emer, ARGONAUTAS DO PACIFICO OCIDENTAL as vio L (A). Pode-se ver entlo, em cada pedaco, aga L (B)). A pesa € Sando somente uma placa ckata, vermelha, ‘otficio, com o aux de um ar 0 produtor e 0 individuo # quem Capftulo Tl, um dos prinipais axpectos da organizasio trobriandesa diz respeito for deveres mituos entre um homem ¢ os parentes maternos de sua mulher. Os parentes da muther devem fornecer regularmente um suprimento de inhame na sip 0 testo native, vou apresentar em equidn'a tradugdo de um relato sobre o pagamento para a manufatura do kaloma. RELATO DA MANUFATURA DO KALOMA ‘Vamos supor que um individ do ntror more em Kisvina ou em Luba cou car tna de alle primase dese dabble. Ele proce