Vous êtes sur la page 1sur 2

Primeiro peço desculpa a quem postou o quadro, depois afirmo com convicção nas pesquisas

que realizo a anos, que nós brasileiros não conhecemos a verdadeira história do Jiu-Jítsu, nem
sua verdadeira origem, nem sua verdadeira introdução no Brasil. Como sempre fui apaixonado
pelo Jiu J-itsu que comecei a praticar em 1976, ganhei o primeiro manual de Jiu-Jítsu do meu
Mestre Oswaldo Carnivalle, nunca mais deixei de comprar o que via em matéria de Jiu-Jítsu ou
Judô. Comecei a pesquisar a partir da introdução da Internet no Brasil pela Embratel em 1996,
hoje posso afirmar que tenho um dos maiores acervos digitais de artes marciais. Devido a
profissão tive contato com o computador logo no inicio da introdução da informatica nas
empresas, nunca mais larguei o computador. Resolvi um dia que o que eu tinha de
informações eu deveria passar adiante para os apaixonados da arte, comecei então a escrever
a "GÊNESE DO JIU-JÍTSU", dei uma parada para editar dois Manuais do Mikonosuke Kawaishi,
que foi o introdutor do Jiu-Jítsu na França e pai do Judô Frances, que estão agora já editados,
então estou finalizando agora o "Genese DO Jiu-Jítsu", pessoal é pura Nitro Glicerina, teremos
que apagar tudo que nos foi contado até hoje. No Gênese eu não comento ou faço criticas,
posto as informações pesquisadas e faço observações para melhor compreensão do leitor.
Quanto a Índia o Jiu-Jítsu nem passou perto, Quanto a Jigoro Kano, puxou a sardinha para a
sua braza, quando a Maeda era um agente do governo japones (Espião), que veio atrás da
Borracha Amazônica em plena 1ª Gerra Mundial de 1914. Só para dar uma palinha, GEO
OMORI, ninguém acha nada do dito cujo, eu achei, tenho fotos e sua biografia no Brasil, sua
morte não foi como nós contaram, Geo Omori faleceu em Belo Horizonte em 04 de março de
1938, foi entre 1929 e 1938 o mais importante lutador de Jiu-Jítsu da sua época considerado
"O Samurai". Sua esposa chamava-se Kotuke e sua filha de 4 anos de idade na data de seu
falecimento Kimiko, se estivar ainda viva estará com 75 anos. As informações foram
conseguidas nos jornais da época hoje digitalizados. Só mais uma canjinha O primeiro registro
do Jiu-Jítsu no Brasil: Dom Pedro II do Brasil (nome completo: Pedro de Alcântara João Carlos
Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga;
Rio de Janeiro, 2 de dezembro de 1825 — Paris, 5 de dezembro de 1891), chamado O
Magnânimo, foi o segundo e último Imperador do Brasil.
1888 - Dom Pedro II contratou o acrobata-samurai professor de Jiu-Jítsu, o japonês Manji
Takezawa, para ensinar Jiu-Jítsu para oficiais da Guarda Real. Um ano após, com a Proclamação
da República, ele ficou desempregado. Manji permaneceu no Brasil, constituiu sua família no
País, mas continuou sua vida de acrobata, montou um circo chamado “Circo Imperial Japonês”.
Manji Takezawa foi a Manaus com a companhia circense em 1890 (25 anos antes de Maeda). E
também esteve na Argentina. Desculpem ter me alongado um abraço forte. NADA É MAIS
DOCE QUE A VERDADE!

Opa, boa tarde, peço licença para colocar um pequeno adendo neste artigo.
primeiro gostaria de me apresentar...Sou faixa preta 4º grau pela fjjrio formado por Paulo
Strauch que por sua vez foi formado por um Gracie (Reylson) como praticamente toda a
gênese formada na cidade do Rio de Janeiro.
Além disto, nasci na cidade de Belém, Estado do Pará, local escolhido por Mitsuyo Maeda , o
conde Koma para firmar raiz quando da sua segunda visita ao Brasil, já tendo passado na
primeira vez pelo estado de São Paulo, época em que se refere o tal "circo" de apresentações
de jiu jitsu juntamente com três outros japoneses que vieram com o intuito de propagar a arte
em nosso país. Acho importante salientar que me surpreende muito se falar em Mitsuyo
Maeda como espião já que naquela época a falta de incentivo a imigração Italiana levou o
governo brasileiro a apostar nos japoneses como imigrantes facilitando a sua vinda e inclusive
subsidiando a sua permanência em nosso país, ou seja, não seria necessário mandar um espião
para cá pois estávamos realmente precisando de gente para trabalhar por aqui. Isto é História
bem documentada e pode ser ratificado aqui mesmo pela internet. Basta procurar pela
cronologia de imigração japonesa e todos verão que o estado do Pará, inicialmente era a rota
para os japoneses, então esta história de espião e governo japonês, soa no mínimo como
"intriga da oposição", pelo menos para mim...
Outra questão bacana de se estudar é o livro do Professor Fernando Pinduka que foi escrito
após seu TCC na formação em professor de educação física da UGF. É um trabalho CIENTIFICO
em que é feito (da melhor forma possível) o mapeamento de todas as modalidades originárias
do jiu jitsu e sua s devidas ramificações, tendo o Kito Ruy Jitsu como base originaria para o
Judô de Kano, o Kempo karate de Terada, o Aikido de Morihey Ueshiba e o nosso Brazilian Jiu
Jitsu. Reconhecemos a importância de Geo Omori na introdução do jiu jitsu no país mas é
INEGAVEL o fato de que a evolução somente foi possível por trabalho árduo e permanente da
família Gracie e é fato que o próprio estado de São Paulo precisou resgatar a metodologia de
treinamento e de ensino utilizado no Rio de Janeiro para alavancar seus resultados em
campeonatos e torneios organizados em cada vez maior numero por força quase que exclusiva
dos Gracies que presidem nada menos que FJJRIO, CBJJ e IBJJF, ou as entidades mais
importantes do Jiu Jitsu brasileiro, e para se adequar a realidade São Paulo tão simplesmente
contratou vários professores e atletas CARIOCAS na década de 90 para tirar o prejuízo. Isso
também é fato, bem documentado na rede.