Vous êtes sur la page 1sur 37
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Universidade Federal Rural
do
Rio de Janeiro
Instituto de Biologia Departamento de Biologia Animal Área de Anatomia Animal Helcimar Barbosa Palhano
Instituto de Biologia
Departamento de Biologia Animal
Área de Anatomia Animal
Helcimar Barbosa Palhano
OSTEOLOGIA
OSTEOLOGIA
I - Introdução II - Classificação dos ossos III - Arquitetura óssea IV – Desenvolvimento
I - Introdução
II - Classificação dos ossos
III - Arquitetura óssea
IV – Desenvolvimento e crescimento ósseo

Osteologia

I-Introdução Ramo da ciência biomédica que estuda a arquitetura óssea, envolvendo o seu processo de
I-Introdução
Ramo da ciência biomédica que estuda a arquitetura
óssea, envolvendo o seu processo de formação, bem como
sua classificação pelos diferentes aspectos anatômicos
Esqueleto:
Esqueleto:
“Armação de estruturas duras (ossos) que suporta e proteje os tecidos moles dos animais e
“Armação de estruturas duras (ossos) que suporta e
proteje os tecidos moles dos animais e seres humanos.”
Exoesqueleto: origem no ectoderma (escamas, cascos de tartarugas, conchas, crustáceos, etc).
Exoesqueleto: origem no ectoderma (escamas, cascos de tartarugas,
conchas, crustáceos, etc).
animais e seres humanos.” Exoesqueleto: origem no ectoderma (escamas, cascos de tartarugas, conchas, crustáceos, etc).
animais e seres humanos.” Exoesqueleto: origem no ectoderma (escamas, cascos de tartarugas, conchas, crustáceos, etc).
animais e seres humanos.” Exoesqueleto: origem no ectoderma (escamas, cascos de tartarugas, conchas, crustáceos, etc).
Endoesqueleto: origem no mesoderma com exceção do esqueleto axial que é de origem endodérmica (notocorda).
Endoesqueleto: origem no mesoderma com exceção do esqueleto axial
que é de origem endodérmica (notocorda).
Esqueleto Axial Esqueleto Apendicular Esqueleto esplâncnico ou visceral
Esqueleto Axial
Esqueleto Apendicular
Esqueleto esplâncnico ou
visceral
Número de ossos em um indivíduo
Número de ossos em um indivíduo
Variabilidade: entre as espécies e nas espécies (idade, individualidade) Funções dos ossos - Suporte /
Variabilidade: entre as espécies e nas espécies (idade, individualidade)
Funções dos ossos
-
Suporte / proteção de tecidos moles
-
Modelagem
-
Hematopoiese (fonte de eritrócitos, plaquetas, hemoglobina, granulócitos)
-
Reserva de minerais
-
Alavanca para músculos e suas inserções
II – Classificação dos ossos
II – Classificação dos ossos
Ossos longos: - cilíndricos, alongados com extremidades alargadas
Ossos longos: - cilíndricos, alongados com extremidades alargadas
- aparecem nos membros
- aparecem nos membros
- grandes colunas de suporte e alavancas
- grandes colunas de suporte e alavancas
- apresentam duas epífises e uma diáfise
- apresentam duas epífises e uma diáfise
alargadas - aparecem nos membros - grandes colunas de suporte e alavancas - apresentam duas epífises
II – Classificação dos ossos
II – Classificação dos ossos
Ossos planos: - expandidos em duas direções (comprimento e largura)
Ossos planos: - expandidos em duas direções (comprimento e largura)
- apresentam pouca espessura (achatados)
- apresentam pouca espessura (achatados)
- proporcionam boa área para inserção muscular
- proporcionam boa área para inserção muscular
- protegem tecidos moles que envolvem
- protegem tecidos moles que envolvem
- apresentam duas lâminas de osso compacto com osso
- apresentam duas lâminas de osso compacto com osso
esponjoso e medula óssea interpostos
esponjoso e medula óssea interpostos
tecidos moles que envolvem - apresentam duas lâminas de osso compacto com osso esponjoso e medula
tecidos moles que envolvem - apresentam duas lâminas de osso compacto com osso esponjoso e medula
tecidos moles que envolvem - apresentam duas lâminas de osso compacto com osso esponjoso e medula
II – Classificação dos ossos
II – Classificação dos ossos
Ossos curtos: - apresentam dimensões similares (compr/larg/espess)
Ossos curtos: - apresentam dimensões similares (compr/larg/espess)
- apresentam aspecto cúbico
- apresentam aspecto cúbico
- promovem difusão da concussão
- promovem difusão da concussão
- orientam direção da movimentação dos tendões
- orientam direção da movimentação dos tendões
- aumentam a força de alavanca para músculos e tendões
- aumentam a força de alavanca para músculos e tendões
concussão - orientam direção da movimentação dos tendões - aumentam a força de alavanca para músculos
concussão - orientam direção da movimentação dos tendões - aumentam a força de alavanca para músculos
II – Classificação dos ossos
II – Classificação dos ossos
Ossos irregulares: - apresentam dimensões irregulares
Ossos irregulares: - apresentam dimensões irregulares
- são medianos e ímpares
- são medianos e ímpares
- apresentam várias funções
- apresentam várias funções
dos ossos Ossos irregulares: - apresentam dimensões irregulares - são medianos e ímpares - apresentam várias
dos ossos Ossos irregulares: - apresentam dimensões irregulares - são medianos e ímpares - apresentam várias
III – Arquitetura óssea
III – Arquitetura óssea
O OSSO É VIVO !!!!! Cresce, fratura, cicatriza, adoece, atrofia, hipertrofia Além de sais inorgânicos,
O OSSO É VIVO !!!!!
Cresce, fratura, cicatriza, adoece, atrofia, hipertrofia
Além de sais inorgânicos, apresenta vasos sanguíneos, linfáticos, fibras
nervosas, fibras colágenas e substância fundamental amorfa

Remodelação e reparo

-O osso é um tecido ativo:pequenas mudanças na arquitetura do osso ocorrem continuamente (5 a
-O osso é um tecido ativo:pequenas mudanças na arquitetura do osso
ocorrem continuamente (5 a 7% da massa óssea é reciclada
semanalmente).
- Osso esponjo é substituído a cada 3 – 4 semanas e o osso compacto
a cada 10 anos
- Formação de tecido ósseo (osteoblasto)
- Reabsorção parcial de tecido já formado (osteoclasto)

Remodelação

Reparo

- Reestruturação da matriz óssea após fratura - Coágulo é removido por macrófagos - Proliferação
- Reestruturação da matriz óssea após fratura
- Coágulo é removido por macrófagos
- Proliferação de endósteo e periósteo
- Formação de cartilagem dando lugar à ossificações tanto endocondral quanto
intramembranosa
- Formação do calo ósseo (imaturo)
- Substituição por osso lamelar
IMPORTÂNCIA (ZOOTECNIA) - Avaliação de carcaça - Exterior e raças - Aprumos e Andamentos -
IMPORTÂNCIA (ZOOTECNIA)
- Avaliação de carcaça
-
Exterior e raças
-
Aprumos e Andamentos
-
Melhoramento genético
-
Nutrição
IMPORTÂNCIA (MEDICINA VETERINÁRIA)
IMPORTÂNCIA (MEDICINA VETERINÁRIA)
- Avaliação do desenvolvimento de animais jóvens - Clínica e Cirurgia: fraturas diversas (esquiruladas, cavalgadas,
- Avaliação do desenvolvimento de animais jóvens
- Clínica e Cirurgia: fraturas diversas (esquiruladas, cavalgadas, biseladas)
Patologias diversas (osteossarcoma, osteomielite,etc)
Alterações articulares (artrites, artroses, luxações, etc)
Constituição óssea
Constituição óssea
Substância compacta – mais densa e mais externa Substância esponjosa – mais frouxamente arranjada e
Substância compacta – mais densa e mais externa
Substância esponjosa – mais frouxamente arranjada e mais interna
Periósteo
Endósteo
Medula óssea
Vasos e nervos
Substância compacta
Substância compacta
Mais densa segundo localização de maior tensão ou pressão Constituição da substância compacta – Substância
Mais densa segundo localização de maior tensão ou pressão
Constituição da substância compacta
Substância intersticial calcificada
– Matriz óssea (subst.intercelular) depositada em lamelas
parte orgânica: fibras colágenas e substância fundamental amorfa
parte inorgânica: minerais
Osteoblastos, osteócitos e osteoclástos
– Lacunas, Sistema de Havers e Canais de Volkman
Substância compacta
Substância compacta
Mais densa segundo localização de maior tensão ou pressão
Mais densa segundo localização de maior tensão ou pressão
Nos ossos longos – mais densa na diáfise
Nos ossos longos – mais densa na diáfise
– menos densa nas epífises
– menos densa nas epífises
localização de maior tensão ou pressão Nos ossos longos – mais densa na diáfise – menos
localização de maior tensão ou pressão Nos ossos longos – mais densa na diáfise – menos
Substância compacta - estrutura
Substância compacta - estrutura
Substância esponjosa
Substância esponjosa
Constituição da sub.esponjosa
Constituição da sub.esponjosa
Formada por delicadas lâminas e espículas que correm em várias direções e entrecruzam-se. – espaços
Formada por delicadas lâminas e espículas que correm em várias direções e
entrecruzam-se.
– espaços medulares: intervalos entre lâminas e espículas ocupados por medula óssea
– forma a massa dos ossos curtos e extremidades dos ossos longos
– forma a massa dos ossos curtos e extremidades dos ossos longos
– presente entre as lâminas (externa e interna)de osso compacto nos ossos planos
– presente entre as lâminas (externa e interna)de osso compacto nos ossos planos
curtos e extremidades dos ossos longos – presente entre as lâminas (externa e interna)de osso compacto
Substância esponjosa – ossos planos, curtos e longos
Substância esponjosa – ossos planos, curtos e longos
Periósteo
Periósteo
Lâmina de tecido conectivo que reveste a superfície externa do osso(exceto sobre áreas cartilaginosas) Constituição
Lâmina de tecido conectivo que reveste a superfície externa do
osso(exceto sobre áreas cartilaginosas)
Constituição
- Lâmina externa fibrosa: proteção
-Lâmina interna celular: potencial osteogênico ( diminui com avançar idade)
aderência: > em áreas de pouca cobertura muscular
< em áreas de muita cobertura muscular
Endósteo
Endósteo
Membrana fibrosa delgada que limita a cavidade medular e os canais haversianos maiores
Membrana fibrosa delgada que limita a cavidade medular e os
canais haversianos maiores
Endósteo Membrana fibrosa delgada que limita a cavidade medular e os canais haversianos maiores
Estrutura - osso compacto
Estrutura - osso compacto
Canal de Volkmann
Canal de Volkmann
Medula óssea
Medula óssea

Estrutura que preenche o espaço intersticial do osso esponjoso e da

cavidade medular dos ossos longos.
cavidade medular dos ossos longos.
Composição Eritrócitos, granulócitos, hemoglobina, plaquetas, minerais. Medula óssea vermelha: nos indivíduos
Composição
Eritrócitos, granulócitos, hemoglobina, plaquetas, minerais.
Medula óssea vermelha: nos indivíduos jóvens
Medula óssea amarela: infiltração gordurosa com o
avançar da idade
Medula óssea vermelha: nos indivíduos jóvens Medula óssea amarela: infiltração gordurosa com o avançar da idade
Vasos Artérias e veias periósticas Artérias medulares
Vasos
Artérias e veias periósticas
Artérias medulares
Vasos metafisários Artérias e veias metafisárias Artéria medular (nutrícia) Artérias e veias metafisárias
Vasos metafisários
Artérias e veias metafisárias
Artéria medular (nutrícia)
Artérias e veias metafisárias
medular (nutrícia) Artérias e veias metafisárias Fibras nervosas: vasomotoras e sensitivas acompanham os

Fibras nervosas: vasomotoras e sensitivas acompanham os vasos

IV – Desenvolvimento e crescimento ósseo
IV – Desenvolvimento e crescimento ósseo
Osteogênese: desenvolvimento ósseo a partir de uma matriz de tecido fibroso ou cartilaginoso ou de
Osteogênese:
desenvolvimento ósseo a partir de uma matriz de tecido
fibroso ou cartilaginoso ou de ambos, que formam o primitivo esqueleto
embrionário.
Células produtoras de osso: osteoblasto – célula dotada de capacidade de depositar matriz óssea que
Células produtoras de osso: osteoblasto – célula dotada de
capacidade de depositar matriz óssea que calcifica-se, sem morrer no
processo. Dá origem aos osteócitos.
dotada de capacidade de depositar matriz óssea que calcifica-se, sem morrer no processo. Dá origem aos
IV – Desenvolvimento e crescimento ósseo
IV – Desenvolvimento e crescimento ósseo
Ossos membranosos: aqueles desenvolvidos a partir de uma matriz de tecido fibroso (vários ossos da
Ossos membranosos:
aqueles desenvolvidos a partir de uma matriz de
tecido fibroso (vários ossos da cabeça)
Ossos cartilagíneos: aqueles desenvolvidos a partir de uma matriz cartilaginosa (maior parte do esqueleto).
Ossos cartilagíneos: aqueles desenvolvidos a partir de uma matriz
cartilaginosa (maior parte do esqueleto).
Ossificação intramembranosa: forma mais simples de desenvolvimento ósseo, ocorrendo a partir de uma matriz membranosa
Ossificação intramembranosa: forma mais simples
de desenvolvimento ósseo, ocorrendo a partir de uma matriz membranosa
(tecido conjuntivo).
Centro de osssificação: local de ínício do processo. Ocorre a partir de células mesenquimais que
Centro de osssificação: local de ínício do processo. Ocorre a partir de
células mesenquimais que diferenciam-se em osteoblastos. Ocorre de forma
centrífuga (do centro para a periferia do osso).
Ossos envolvidos: ossos da cabeça e diâmetro/espessuras dos demais
Ossos envolvidos: ossos da cabeça e diâmetro/espessuras dos demais
Ossificação intramembranosa
Ossificação intramembranosa
Ossificação intramembranosa Células mesenquimais Osteoclastos participam do remodelamento osteoblastos matriz óssea

Células mesenquimais

Ossificação intramembranosa Células mesenquimais Osteoclastos participam do remodelamento osteoblastos matriz óssea

Osteoclastos participam do

remodelamento

mesenquimais Osteoclastos participam do remodelamento osteoblastos matriz óssea osteócitos Parte superficial do

osteoblastos

matriz óssea

participam do remodelamento osteoblastos matriz óssea osteócitos Parte superficial do tecido original forma o

osteócitos

do remodelamento osteoblastos matriz óssea osteócitos Parte superficial do tecido original forma o periósteo Rede

Parte superficial do tecido original forma o periósteo

osteócitos Parte superficial do tecido original forma o periósteo Rede trabecular óssea Formação de lâminas ósseas

Rede trabecular óssea

osteócitos Parte superficial do tecido original forma o periósteo Rede trabecular óssea Formação de lâminas ósseas

Formação de lâminas ósseas

Ossificação endocondral - dinâmica
Ossificação endocondral - dinâmica
Vasos sanguíneos invadem progressivamente a área de calcificação na cartilagem Morte progressiva de condrócitos
Vasos sanguíneos invadem progressivamente a área de calcificação na cartilagem
Morte progressiva de condrócitos (céls.cartilagíneas)
Formação de primitivas cavidades medulares nesses espaços
Início do processo osteogênico
Formação de rede trabecular calcárea
Cartilagem calcificada é erosada e absorvida por osteoclastos e osteoblastos
Formação das cavidades medulares dos ossos longos
Deposição de matriz óssea pelos osteoblastos

Formação de osso pericondral pelos osteoblastos do pericôndrio (periósteo primitivo)

Crescimento de um osso longo
Crescimento de um osso longo
Crescimento de um osso longo Crescimento em comprimento: ossificação endocondral Crescimento em diâmetro: ossificação

Crescimento em comprimento: ossificação endocondral

osso longo Crescimento em comprimento: ossificação endocondral Crescimento em diâmetro: ossificação intramembranosa

Crescimento em diâmetro: ossificação intramembranosa

Crescimento ósseo
Crescimento ósseo
Zona de Crescimento
Zona de Crescimento
Crescimento ósseo Zona de Crescimento Placa epifisária proximal ulna Placa epifisária proximal rádio Placa epifisária

Placa epifisária proximal ulna

Placa epifisária proximal rádio

Placa epifisária distal ulna Placa epifisária distal rádio

Crescimento ósseo (ossos longos)
Crescimento ósseo (ossos longos)
Diâmetro: ossificação intramembranosa, através de deposição de membrana óssea subperióstica.
Diâmetro: ossificação intramembranosa, através de deposição de
membrana óssea subperióstica.
Tamanho: ossificação endocondral com transformação da cartilagem epifisária (disco ou placa epifisária)
Tamanho: ossificação endocondral com transformação da cartilagem
epifisária (disco ou placa epifisária)
Centros de ossificação: locais de início do processo de ossificação
Centros de ossificação: locais de início do processo de ossificação
V - Propriedades físicas e químicas dos ossos
V - Propriedades físicas e químicas dos ossos
Matéria Orgânica (osseína): Inorgânica (minerais) 1:2
Matéria Orgânica (osseína): Inorgânica (minerais) 1:2
Osseína – colágeno ósseo (proteína) – produz gelatina quando fervida
Osseína – colágeno ósseo (proteína) – produz gelatina quando fervida
Substância fundamental amorfa – fluido presente entre as fibras colágenas Principais minerais – cálcio, fósforo
Substância fundamental amorfa – fluido presente entre as fibras colágenas
Principais minerais – cálcio, fósforo e magnésio
Composição de osso bovino em 100 partes:
-Gelatina:
33,30
-Fosfato de cálcio:
57,35
-Carbonato de cálcio:
3,85
-Fosfato de magnésio:
2,05
-Carbonato e cloreto de magnésio: 3,45
100,00
CONSIDERAÇÕES FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS