Vous êtes sur la page 1sur 1

VIII PROPOSTA DE REDAÇÃO DO MURAL

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua
formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o
crescimento do empreendedorismo no Brasil, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos
humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de
vista.

TEXTO 1

O que é ser empreendedor


Numa visão mais simplista, podemos entender como empreendedor aquele que inicia algo novo, que vê o que ninguém
vê, enfim, aquele que realiza antes, aquele que sai da área do sonho, do desejo, e parte para a ação.
Ser empreendedor significa, acima de tudo, ser um realizador que produz novas ideias através da congruência entre
criatividade e imaginação.

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/o-que-e-ser-empreendedor,ad17080a3e107410VgnVCM1000003b74010aRCRD

TEXTO 2

Aprendizado e apoio financeiro potencializam o empreendedorismo nas periferias


De acordo com um levantamento realizado pela consultoria Data Popular em 2015, o aumento de negócios fomentados
nas favelas é de extrema importância para a macroeconomia, uma vez que mais de 12,5 milhões de pessoas residem
nessas áreas. Para se ter uma ideia da dimensão, se as comunidades formassem um estado, este seria o quinto maior
do País, ultrapassando o Rio Grande do Sul em números de habitantes. Atualmente, grandes empresas e iniciativas
atuam diretamente nas favelas, ajudando na expansão do empreendedorismo e na concretização de projetos dos
próprios moradores.
Com o reconhecimento do potencial empreendedor dos habitantes de comunidades, diferentes iniciativas voltadas
ao empreendedorismo começaram a surgir em todo o Brasil, a fim de potencializar o aprimoramento de conteúdos e
ajudá-los financeiramente, como fazem os projetos Favela Holding, no Rio de Janeiro e o Empreende Aí, aqui em São
Paulo.
http://economia.ig.com.br/2017-09-13/empreendedorismo-nas-periferias.html

TEXTO 3 TEXTO 4

Ter a perspectiva de uma carreira profissional em


empresa ou no serviço público parece que está
deixando de ser o sonho dos jovens brasileiros. Eles
estão querendo, cada vez mais, a independência se
tornando empreendedores desde cedo. Essa é uma das
principais descobertas da pesquisa GEM 2017, do
Sebrae/IBQP, que revela o novo perfil do empreendedor
no País. Ela aponta que, no ano passado, a participação
de pessoas entre 18 e 34 anos no total de
empreendedores em fase inicial cresceu de 50% para
57%. Isso significa que são nada menos que 15,7
milhões de jovens atrás de informações para abrir um
negócio ou com uma empresa em atividade no período
de até 3 anos e meio. Outro dado interessante que a
pesquisa mostra é que também aumentou o percentual
de pessoas que buscam empreender por oportunidade,
saltando de 57% para 59% dos entrevistados.
“O jovem brasileiro já entendeu que para ter trabalho a
melhor alternativa é criar o próprio emprego, é
empreender, inovar e gerar novas vagas. E eles
não empreendem por necessidade, estão de olho nas
oportunidades do mercado, estão atendendo demandas
sociais e movimentando a economia. Aliás, este
resultado é um reflexo também do início da recuperação
da nossa economia”, destaca o presidente do Sebrae,
Guilherme Afif Domingos.
https://www.brasil.gov.br/economia-e- https://istoe.com.br/cresce-numero-de-jovens-empreendedores-no-
emprego/2015/06/Perfil%20dos%20empreendedores/view brasil/

Centres d'intérêt liés