Vous êtes sur la page 1sur 2

Aluno: MÁRCIO ANDRÉ LYRIO Matr.

: 201401356087

Disc.: CCJ0056 - DIREITO INTERNACIONAL 2019.1 (G)

Olá,

Antes de começar seu SIMULADO, lembre-se que nesse exercício você pode obter até 0,5 ponto na AV3, acertando as questões. São 5
questões objetivas referentes às aulas das semanas 01 a 03.

Após a finalização, você terá acesso ao gabarito no mesmo local de acesso do simulado.

Atenção: você terá apenas UMA oportunidade para realizar o simulado em cada disciplina! Por isso, certifique-se das opções marcadas
antes de finalizar!

Aluno de Exatas: para visualizar adequadamente questões com fórmula, instale o plug-in MathPlayer para o
navegador Internet Explorer ou o MathJax para o Chrome.

MathPlayer para IE
https://www.dessci.com/en/products/mathplayer/download.htm

MathJax para Chrome


https://chrome.google.com/webstore/detail/mathjax-forchrome/elbbpgnifnallkilnkofjcgjeallfcfa?hl=en-GB

Um bom simulado e uma ótima AV1!

Quest.: 1

1. (Prova: CESPE - 2012 - Instituto Rio Branco - Diplomata - 2ª Etapa ) Considerando as fontes de direito internacional público
previstas no Estatuto da Corte Internacional de Justiça (CIJ) e as que se revelaram a posteriori, bem como a doutrina acerca
das formas de expressão da disciplina jurídica, assinale a opção correta.

a) De acordo com o Estatuto da Corte da Haia, a equidade constitui, apesar de seu caráter impreciso, fonte recorrente e
prevista como obrigatória na resolução judicial de contenciosos internacionais.
e) Ainda que não prevista em tratado ou no Estatuto da CIJ, a invocação crescente de normas imperativas confere ao jus
cogens manifesta qualidade de fonte da disciplina, a par de atos de organizações internacionais, como resoluções da ONU.
d) Em face do caráter difuso da sociedade internacional, bem como da proliferação de tribunais internacionais, verifica-se
no direito internacional crescente invocação de decisões judiciais antecedentes, arroladas como opinio juris, ainda que não
previstas no Estatuto da CIJ.
b) A expressão não escrita do direito das gentes conforma o costume internacional como prática reiterada e uniforme de
conduta, que, incorporada com convicção jurídica, distingue-se de meros usos ou mesmo de práticas de cortesia
internacional.
c) As convenções internacionais, que podem ser registradas ou não pela escrita, são consideradas, independentemente de
sua denominação, fontes por excelência, previstas originariamente no Estatuto da CIJ.

Quest.: 2

2. Marque a resposta abaixo que não corresponde a uma fonte do Direito Internacional Público prevista pelo artigo 38 do Estatuto
da Corte Internacional de Justiça:

Tratados e Convenções Internacionais

Os Princípios Gerais do Direito

Os atos unilaterais

O Costume Internacional

A Doutrina e Jurisprudência

Quest.: 3

3. (CESPE/ TRT5/ JUIZ/ 2006) 76) Acerca dos sujeitos de direito internacional, assinale a opção correta.

E) A Convenção de Viena de 1963 dispõe sobre as relações diplomáticas.

B) O agente diplomático é um dos órgãos do Estado para as relações internacionais.


A) As organizações internacionais são associações voluntárias de sujeitos de direito internacional, constituídas por atos
internos de cada sujeito.

D) Os cônsules não podem ser escolhidos entre os nacionais do Estado no qual vão servir.

C) A seleção e a nomeação dos agentes diplomáticos são reguladas pelo direito internacional.

Quest.: 4

4. (CESPE/ PROC FED/ 2006) Acerca do costume internacional, julgue os itens subseqüentes.

__ O elemento material do costume internacional revela-se exclusivamente por meio do modo de proceder,
necessariamente positivo, ante determinado contexto, ao longo do tempo.

__ Uma regra costumeira internacional pode ser criada por vontade unilateral de um Estado.

__ Os Estados soberanos e as organizações internacionais são sujeitos de direito internacional público


reconhecidamente aptos a produzir regras de costume internacional.

__ Segundo precedente da Corte Internacional de Justiça, o transcurso de um período de tempo reduzido não é
necessariamente, ou não constitui em si mesmo, um impedimento à formação de uma nova norma de direito
internacional consuetudinário.

Quest.: 5

5. (CESPE/ AGU/ ADVOGADO/ 2006) O direito internacional público, até pouco mais de cem anos atrás, foi essencialmente um
direito costumeiro. Regras de alcance geral norteando a então restrita comunidade das nações, havia-as, e supostamente
numerosas, mas quase nunca expressas em textos convencionais. Na doutrina, e nas manifestações intermitentes do direito
arbitral, essas regras se viam reconhecer com maior explicitude. Eram elas apontadas como obrigatórias, já que resultantes de
uma prática a que os Estados se entregavam não por acaso, mas porque convencidos de sua justiça e necessidade. José
Francisco Rezek. Manual de direito internacional público. São Paulo: Saraiva, 2000, p. 120 (com adaptações). A partir do tema
do texto acima, julgue os seguintes itens, relativos ao costume internacional.

__ Para que um comportamento comissivo ou omissivo seja considerado como um costume internacional, é
necessária a presença de um elemento material, qual seja: uma prática reiterada de comportamentos que, de início,
pode ser um simples uso.
___ Embora possua relevantes qualidades de flexibilidade e uma grande proximidade com os fenômenos e fatos que
regula, o costume internacional apresenta grandes dificuldades quanto à sua prova, o que lhe diminui o valor na
hierarquia das fontes do direito internacional, mantendo, com isso, a supremacia dos tratados e convenções.

___ Para se constatar a existência de um costume, é necessário verificar a presença de um elemento subjetivo, qual
seja: a certeza de que tais comportamentos são obrigatórios por expressarem valores exigíveis e essenciais.