Vous êtes sur la page 1sur 5

CAMPUS SÃO GABRIEL

CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA

Teorias da Aprendizagem

(Componente Curricular – Fundamentos da educação)

Acadêmica (o)s: André Luiz Pinto Martins

Claudinara da Rosa do Nascimento

Lucas da Silva Leivas

Marcos André Pinheiro Velloso

Professor: Julio Cesar Bresolin Marinho

São Gabriel, 2019


Introdução

A Teoria da mediação de Vygotsky tem como objetivo explicar os processos que


envolvem o desenvolvimento cognitivo no ser humano. Neste trabalho apresentaremos
sua bibliografia bem como a sua teoria, de forma razoavelmente resumida.
Diferenciando-se de Piaget, que afirma que o desenvolvimento cognitivo tem como
princípio básico a equilibração, Vygotsky parte da premissa de que esse
desenvolvimento não pode ser entendido sem referência ao contexto social e cultural no
qual ele ocorre. É sobre isso que discutiremos a seguir.

Desenvolvimento:

Lev Semenovich Vygotsky foi um psicólogo bielo-russo, nasceu no ano de 1896


em Orsha, filho de uma família culta, teve desde muito cedo uma riqueza intelectual que
o fazia questionar-se sobre o homem e a criação de sua cultura. Teve um tutor particular
e se dedicou à leitura até ingressar no curso secundário, concluído aos 17 anos. Formou-
se em Direito pela Universidade de Moscou e enquanto cursava Direito também
participava dos cursos de História e Filosofia. Em Gomel, no período de 1917 a 1923,
escreveu críticas literárias, lecionou e proferiu palestras sobre temas ligados a literatura,
ciência e psicologia em várias instituições. Fundou uma editora, uma revista literária e
um laboratório de psicologia no Instituto de Treinamento de Professores, local onde
ministrava cursos de psicologia. Graduou-se também em Medicina. Em 1924, aos 28
anos participou do II Congresso de Psicologia em Leninegrado, onde foi convidado a
trabalhar no Instituto de Psicologia de Moscou, quando escreveu o trabalho: Problemas
da Educação de Crianças cegas, surdas-mudas e retardadas. De 1927 a 1928 começou a
criar o Instituto de Estudos da Deficiência, com o objetivo de estudar o
desenvolvimento de crianças anormais. Neste período Vygotsky escreveu importantes
trabalhos. Faleceu em 1934, vítima de tuberculose, doença com que conviveu por
quatorze anos. Vygotsky foi pioneiro na noção de que o desenvolvimento cognitivo se
dá em função das interações e condições sociais. Para ele o desenvolvimento cognitivo
não acontece independente do contexto social, histórico e cultural. É por meio da
socialização que se desenvolvem as funções mentais superiores de forma indireta,
através de uma mediação, por instrumentos e signos.

Instrumentos e signos:

Vygotsky nos fala que os processos mentais superiores não tem as relações
sociais apenas como uma variável importante, para ele o desenvolvimento cognitivo é a
conversão de relações sociais em funções mentais, não é por meio do desenvolvimento
cognitivo que ocorre a socialização e sim por meio da socialização ocorre o
desenvolvimento cognitivo. As relações sociais são convertidas em funções mentais a
partir da mediação ou atividade mediada indireta. O instrumento é algo que pode ser
usado para fazer alguma coisa e um signo é algo que significa alguma outra coisa.
Existem três tipos de signos: os indicadores que são aqueles que possuem uma relação
de causa e efeito com o que significam, os icônicos que são imagens ou desenhos
daquilo que significam e os simbólicos que tem uma relação abstrata com o que
significam. O uso dos instrumentos na mediação do homem com o meio distingue o
homem de outros animais e o permite dominar a natureza ao invés de somente usá-la, é
parte da tradição Marx e Engels, que influenciou Vygotsky. Para Vygotsky a
interiorização de sistemas de signos e instrumentos, produzidos culturalmente, que se dá
o desenvolvimento cognitivo. Quanto mais o indivíduo utiliza os signos mais se
modificam as operações psicológicas das quais ele é capaz de realizar e quanto mais
instrumentos ele utiliza mais se amplia as possibilidades de atividades nas quais ele
pode aplicar suas novas funções psicológicas.

Interação Social

Diferentemente de outros teóricos cognitivistas, que enfocam no indivíduo como


unidade, Vygotsky enfoca nas interações sociais desses indivíduos, sua unidade de
analise não está no indivíduo nem no contexto, mas nas suas interações sociais. A
interação social é o veículo fundamental para transmissão do conhecimento interpessoal
para intrapessoal, ou seja, a transmissão do conhecimento já internalizado pela
sociedade para uma criança, por exemplo. O primeiro contato social de uma criança será
ainda na infância, com os pais, outras pessoas da família, outras crianças. Para
Vygotsky essa interação é fundamental para o desenvolvimento cognitivo e linguístico
do indivíduo.

Significados

Diretamente relacionada a interação social está a aquisição de significados. Os


significados de palavras e gestos são adquiridos socialmente. Mas os significados são
contextuais, em outras línguas uma palavra que para nós possui um significado, pode
significar algo completamente diferente ou abstrato. Para uma criança o simples ato de
apontar um objeto pode ser uma tentativa de pegá-lo, mas a partir do momento em que
alguém alcança esse objeto a criança, isso passa a ter significado para ela, então ela
começa a aprender o que significa apontar, começa a internalizar o signo, o que é
fundamental para o desenvolvimento humano. Vygotsky diz que a analise dos signos é
o único método adequado para investigar a consciência humana. Para internalizar os
signos o ser humano deve captar os significados já compartilhados socialmente, ou seja,
tem que compartilhar significados já aceitos em sua comunidade, aqui encontra-se a
importância da interação social, já que é por meio dela que a pessoa pode captar
significados e certificar-se de que os significados são aceitos socialmente.

A fala

Para Vygotsky a fala é o principal sistema de signos para o desenvolvimento


cognitivo. O desenvolvimento dos processos mentais superiores se dá pela
descontextualização e a fala serve muito bem para isso, uma vez que permite que a
criança se afaste de um contexto concreto. Naturalmente, o desenvolvimento da
linguagem é extremamente importante, portanto o desenvolvimento da fala deve ser um
marco fundamental no desenvolvimento cognitivo da criança.

Zona de desenvolvimento proximal

A zona de desenvolvimento proximal é definida por Vygotsky como a distancia


entre o nível de desenvolvimento cognitivo real do indivíduo e o seu nível de
desenvolvimento potencial. A condição necessária para o desenvolvimento das funções
mentais superiores é a aprendizagem, desde que se situe na zona de desenvolvimento
potencial do sujeito ou zona de desenvolvimento proximal, que é a diferença entre a
capacidade do indivíduo em resolver problemas de forma individual e independente e
por meio de auxílio, orientação.

O método experimental

Na época de Vygotsky os experimentos em psicologia eram conduzidos de modo


a testar hipóteses, controlar variáveis rigorosamente, quantificar respostas, fazer
inferências sobre relações de causa e efeito. No método genético-experimental
empregava três técnicas: a primeira envolvia a imposição de obstáculos que
atrapalhavam o andamento normal da situação, a segunda envolvia o fornecimento de
recursos externos para a solução de um problema, mas os mesmos poderiam ser
utilizados de diversas formas e a terceira solicitava que as crianças resolvessem
problemas que estavam além de suas capacidades e habilidades.

Formação de conceitos

Vygotsky estudou também o processo de formação de conceitos. O primeiro


conceito estudado por ele foi o de Agregação desorganizada, onde a criança agrupa
objetos de maneira desorganizada. Essa é a fase de tentativa e erro no desenvolvimento
do pensamento. O segundo é o Pensamento por complexos, os objetos são agrupados de
acordo com relações associativas, como cores, formas, tamanhos. O terceiro é Conceitos
potenciais, onde se requer a abstração de algum traço comum em diferentes objetos. Em
síntese, os processos que levam a formação de conceitos desenvolvem-se a partir de
duas linhas ou raízes genéticas distintas, uma que se origina dos agrupamentos e vai até
os pseudoconceitos e outra, paralela, contemporânea dos conceitos potenciais.

Conclusão:

Concluímos que a interação social tem um importante papel no desenvolvimento


das atividades cerebrais. Já que o conhecimento é transmitido de pessoa para pessoa,
desde a fase mais inicial da vida, a infância. Dessa forma as crianças vão se apropriando
dos modos de funcionamento psicológico, comportamento e cultura.
Referência Bibliográfica:

https://www.infoescola.com/biografias/vigotski/

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/vida-e-obra-de-
lev-vygotsky/32867

https://psicologiaacademica.blogspot.com/2013/02/breve-biografia-de-
vygotsky.html?m=1