Vous êtes sur la page 1sur 52

Global Training - The finest automotive learning

Introdução
Caixa de mudanças automática com
planetárias, de 7 marchas W7A 700
Índice

Prólogo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
Condições marginais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
Caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas – W7A 700 . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
Designação e denominação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
Dados técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7
Utilidades para o cliente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
Desmultiplicações, elementos de comando acionados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
Comando da caixa de mudanças sobre o piso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Vista do conjunto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
Comparação com a concorrência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
Dados técnicos em comparação com ZF 6HP 26 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
Seção da caixa de mudanças W7A 700 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
Controle eletrônico e hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
Caixa de corredeiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Caixa de válvulas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Sensores do número de rotações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Caixa de mudanças com embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Mudança para uma marcha superior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
Mudança para uma marcha inferior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Programa para mudança de marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
Conversor de torque com KÜB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Engrenagem planetária simples e Engrenagem Ravigneaus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Embreagem e freio de discos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Bloqueio do estacionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Ventilação da caixa de mudanças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Óleo (fluido) hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
Identificação de avarias e conceitos de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
Abastecimento de óleo e controle do nível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Caixa de mudanças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Índice de abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 1
Prólogo

Prezados leitores e leitoras:

Nesta apostila de introdução apresentamos a O WIS é atualizado mensalmente. As informações


nova caixa de mudanças automática com plan- e instruções de reparações nele contidas, sem-
etárias, de 7 marchas. Desta forma queremos pre correspondem ao estado técnico mais
lhes apresentar os aspetos técnicos mais impor- recente de nossos veículos.
tantes desta nova caixa de mudanças automática O Caderno de introdução representa uma
com planetárias, de 7 marchas, na antecipação primeira informação sobre a caixa de mudanças
do seu lançamento no mercado. Este documento automática com planetárias, de 7 marchas, esta
tem a finalidade de informar sobre todo nos set- informação não foi colocada no WIS.
ores como o de serviço, manutenção, reparação O conteúdo desta apostila não está sujeito a
e também no de Pós-venda. Antecipamos os con- modificações e não foram previstos suplementos.
hecimentos sobre os grupos da Mercedes-Benz As moificações e inovações nos as publicamos
já introduzidos. nos respectivos tipos de documentação do
sistema WIS. Portanto, os dados desta apostila
A presente apostila de introdução não constitui a de apresentação podem diferir daqueles de uma
base para reparações ou diagnósticos de proble- informação mais recente apresentada pelo WIS.
mas técnicos. Para estas tarefas estão dis- Todas as informações sobre dados técnicos cor-
poníveis informações mais detalhadas no respondem à data da elaboração desta redação
Sistema de informação para oficina (WIS) e no do mês de Abril de 2003, e podem ser algo difer-
Sistema assistencial diagnóstico (DAS). entes com respeito ao estado da série.

Daimler AG
Mercedes-Benz do Brasil
Campinas - São Paulo

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 3
Condições marginais

Caixas de mudanças automáticas W7A 700 e W7A 400

Vista do conjunto

Com a quinta geração de Caixas com sete marchas para frente e passeio estarão equipados
de mudanças automáticas Mer- duas marchas à ré, a mesma é quase todos e les com sete
cedes- Benz baseada num aperfeiçoamento marchas para frente e, desta
foram melhoradas ainda mais conseqüente da anterior caixa forma, estabelecerão novas
as elevadas pautas estabeleci- de mudanças automática de 5 pautas na categoria de potência
das. Isto tem lugar marchas W5A 580, à qual sub- de até um torque de giro máx-
nos aspectos e pautas de: stituirá. imo de 700 Nm.
Mediante a ampliação de uma Com duas categorias de potên-
• Acoplamento das marchas engrenagem planetária simples cia, se podem transmitir perma-
confortável e facilitado que é a engrenagem Rav- nentemente até 700 Nm, no
• Construção leve igneaux, se podem realizar caso de motores de 8 cilindros
• Economia de combustível agora sete níveis de marchas, e, mais tarde em outras séries
• Maior satisfação ao conduzir no lugar dos cinco níveis de que de modelos, até 400 Nm, no
eram possíveis na anterior. caso de tratar-se
A nova caixa de mudançãs de motores de 6 cilindros.
automática com planetárias, de Com esta nova caixa de
7 marchas, desenvolvida na mudanças e a execução ulterior
nossa própria casa W7A 700 W7A 400, os veículos de

i Lançamento no mercado
Para o lançamento no mercado em Setembro de 2003 se aplicará a
nova caixa de mudanças automática com os motores 113 E43 e E50, nas
seguintes séries de modelos:

• 211 (exceto 4MATIC)


• 215
• 220 (exceto 4MATIC)
• 230

4 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas – W7A 700

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 5
Designação e denominação

Vista do conjunto

Designação da caixa de mudanças 722.900

722 9 01

Execução para o respectivo motor

Designação de vendas

Caixa de mudanças automática par veículos de passeio

Designação comercial W7A 700

W 7 A 700

Torque de entrada máximo em Nm

Execução (interna)

Número de marchas para frente

Conversor hidráulico de torque

6 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Dados técnicos

Vista do conjunto

Caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas para tração traseira


M máx. na turbina 500 Nm (1ª marcha, marcha ré 1)
(com carga permanente) 700 Nm (2ª marcha.....7ª marcha, marcha ré)
M máx. na turbina 500 Nm (marcha ré 1)
(com carga temporária) 600 Nm (1ª marcha)
(com limitação de torque) 760 Nm (2ª marcha.....7ª marcha, marcha ré 2)
P máx. 300 kW
N máx. 1ª marcha.......6ª marcha 6400 rpm
N máx. 7ª marcha 6000 rpm
Escalonamento de marchas 6,016 (1ª marcha.....7ª marcha)
Diâmetro do conversor 270 mm

i Escalonamento das marchas


O escalonamento das marchas da caixa de mudanças é o quociente entre a desmultiplicação mais
curta e a mais longa.
Com um escalonamento de marchas grande é obtida uma elevada força de tração na 1a. marcha e um
número de rotações reduzido na marcha mais alta.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 7
Dados técnicos

Vista do conjunto

Caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas para tração traseira

Embreagem de anulação do 1ª marcha....7ª marcha, em função


Converso de torque do escorregamento
Posições da alavanca seletora P, R, N, D, limitação das marcha através
do movimento de pulsação.
Indicação de posição da alavanca seletora
no painel de instrumentos.
Sistema de bloqueio do acoplamento
Shift-Lock no módulo eletrônico da ala-
vanca seletora (EWM)
Comprimento total 621 mm
Peso Aproximado 82 kg.
Incluídos o conversor de torque e o óleo
Óleo (fluido) ATF Aproximado 9,8 l
Abastecimento permanente
Temperatura do óleo Brevemente até 140 ºC como máximo
Resfriador de óleo externo integrado no
radiador do motor
Controle Comando da caixa de mudanças inte-
grado totalmente (VGS) no cárter de óleo
Sinais do número de rotações Bus de dados CAN
e sinais de carga
Disposição dos discos Single-sided em K1, K2, K3, B1, B3

8 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Utilidades para o cliente

Vista do conjunto

Redução do consumo Aumento do conforto Maior prazer de conduzir


O consumo de combustível con- O conforto de condução A satisfação de conduzir
forme o novo ciclo europeu aumentado ainda mais através aumenta mediante uma espon-
(NEFZ) é reduzido em até 0,2 l / da ativação direta das válvulas taneidade melhorada da caixa
100 km. eletromagnéticas de regula- de mudanças automática W7A
O consumo de combustível no gem. 700, isto nos processos de aco-
ciclo de marcha relevante para Isto se manifesta através de um plamento das marchas.
o cliente, com estilo de con- maior conforto no acoplamento São reduzidos assim:
dução e velocidade constantes, das marchas com uma reação • O tempo de reação em 0,1
é reduzido em mais de 1,0 l/ rápida e uma mudança de mar- segundo.
100 km. chas sem golpes e uma melhor • O tempo de mudança das
"vinculação com o acelerador“. marcha é inferior a 0,1 a 0,2
Também foi possível reduzir o segundos.
nível de rotações (até 1000/ • Mudança de marchas por
min) e o respectivo nível de inércia reduzida de 0,4 a 2,5
ruído do motor. segundos.

Conforme a série de modelos


se conseguem cotas de aceler-
ação entre 23 e 28 % mais
breves, de 60 até 120 km/h.

i Comportamento de consumo
As seguintes medidas técnicas conduzem geralmente a um menor consumo de combustível:
• Atuação da anulação do conversor de torque incluso a partir da 1a. marcha.
• Redução do número de rotações do motor nas marchas superiores 5a.; 6a. e 7a., em marcha
constante do veículo.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 9
Desmultiplicações, elementos de comando acionados

W7A 700, W7A 400


K1 K2 K3 B1 B2 B3 BR Desmultiplicação Desmultiplicação
W7A 700 W7A 400

1ª marcha • • • 4.377 4.382

2ª marcha • • • 2.859 2.855

3ª marcha • • • 1.921 1.925

4ª marcha • • • 1.368 1.368

5ª marcha • • • 1.000 1.000

6ª marcha • • • 0.820 0.823

7ª marcha • • • 0.728 0.730

Mar. a ré 1 • • • -3.416 -3.441


(Programa mudança
de marcha S)

Mar. a ré 2 • • • -2.231 -2.242


(Programa mudança
de marcha C)

N • •

10 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Comando da caixa de mudanças sobre o piso

Vista do conjunto

Funcionamento

A alavanca seletora é conduzida e do CAN para a unidade de controle


posicionada na VGS.
plataforma de comando. As posições da alavanca seletora P;
Todas as posições da alavanca R ; N e D se comunicam paralela-
seletora são reconhecidas pela mente à transmissão por C CAN,
unidade de controle do módulo através de uma barra de comando
eletrônico da alavanca seletora, são mecânica, e a alavanca seletora da
codificadas e transmitidas através escala de marchas do lado
da caixa de mudanças.

Alavanca seletora

1 Pulsador seletor de programa

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 11
Vista do conjunto

Acionamento do acoplamento

O acionamento do acoplamento entre a alavanca seletora e o iluminação de fundo do indica-


visível do exterior, corresponde câmbio, para as posições P; R; dor de marcha e da indicação
à anterior caixa de mudanças N e D. Ao de posição individual.
automática de 5 marchas - W5A pulsar a alavanca no sentido Para evitar manuseamentos
580. transversal, na posição D da errados a partir de uma
Os programas de mudanças de alavanca seletora (Tipptronik), velocidade de marcha de aprox-
marchas S (Sport) e C (Confort) se tem que superar também imadamente 8 km/h, a ala-
se continuam ativando através como antes um ponto de vanca seletora está bloqueada
de um pulsador seletor de pro- pressão. mecanicamente, um pouco
grama. Junto aos contatos da margem detrás da posição N na direção
No programa mudança de mar- de seleção para detectar a da R.
cha C, o veículo sai sempre na posição da alavanca seletora, Um eletroímã de bloqueio ati-
segunda marcha e não avalia assim como a eletrônica corre- vado eletronicamente, bloqueia
totalmente as marchas. As spondente, pertencem ao inter- aqui o disco de bloqueio através
mudanças para marchas inferi- ruptor de identificação de da alavanca bloqueadora. A ala-
ores estão atrasados, como até marchas um interruptor para a vanca seletora no se pode com-
agora, a velocidades mais luz de marcha ré, um interrup- utar para a posição R, uma vez
baixas. tor para a seleção do programa, que está unida de forma fixa
Adicionalmente continua exis- assim como os diodos lumino- com o disco de bloqueio.
tin-do como função de seg- sos para a
urança, uma união mecânica

1 Disco de bloqueio
2 Alavanca seletora
3 Alavanca de bloqueio
4 Eletroímã de bloqueio R e P

12 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Comparação com a concorrência

W7A 700 W5A 580 ZF 6HP 26

Torque de entrada máximo Nm 700 580 600

Número de marchas 7+R 5+R 6+R

Número de rotações rpm


Máx. na 1ª marcha - 6ª Marcha 6400 6200
1ª marcha - 5ª marcha 6000

Número de rotações rpm


Máx.na 5ª marcha 5600
6ª marcha 5000
7ª marcha 6000

Diâmetro do conversor mm 270 290 280

Comprimento total mm 621 (M 113) 580 (M 113) 675


( referência ao motor)

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 13
Dados técnicos em comparação com ZF 6HP 26

Comparação com a concorrência

W7A 700 W5A 580 ZF 6HP 26

Desmultiplicação em
1ª marcha 4.377 3.595 4.171
2ª marcha 2.859 2.186 2.340
3ª marcha 1.921 1.405 1.621
4ª marcha 1.368 1.000 1.140
5ª marcha 1.000 0.831 0.867
6ª marcha 0.820 - 0.691
7ª marcha 0.728 - -
1ª marcha ré -3.416 -3.167 -3.403
(Programa de mudança de marcha S)
2ª marcha ré -2.231 -1.926 -
(Programa de mudança de marcha C)

Escalonamento de marchas
1ª macha...5ª marcha 4.377 4.33 4.811
1ª macha...6ª marcha 5.338 - 6.036
1ª macha...7ª marcha 6.016 - -

Peso incluído do óleo kg 82 80 89

Unidade de controle Integrada No veículo Integrada

14 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 15
Seção da caixa de mudanças W7A 700

16
Comparação com a concorrência

Caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas W7A700

1 Conversor de torque 13 BR
2 Engrenagem da turbina 14 K3
3 Engrenagem diretriz 15 B2
4 Engrenagem da bomba 16 Engrenagem do bloqueio de estacionamento
5 Ventilação da caixa de mudanças 17 Anel indutor de impulsos para registro do número de rotações nab
6 Bomba de óleo 18 Alavanca seletora da escala de marchas
7 B1 19 Ímã anular para registro do número de rotações n2
8 K1 20 Caixa de corredeiras
9 Engrenagem Ravigneaux 21 Ímã anular para registro do número de rotações nturb
10 B3 22 Válvula eletromagnética de regulagem (RMV)
11 K2 23 Unidade de controle
12 Engrenagem planetária simples 24 KÜB com elementos de amortecimento de torção

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Controle eletrônico e hidráulico

Comando da caixa de mudanças

Comando da caixa de mudanças totalmente integrado

Contrariamente à caixa de Através do bus de dados CAN, o Sinais de saída


mudanças automática W 5580, comando VGS está inter- Sinais do software VGS:
na que a unidade de controle conectado,entre outras, com a • Ativação das válvulas eletro-
EGS está executada como unidade de controle do motor. magnéticas da regulagem
unidade de controle standal- Desta forma,os sinais dos sen- (RMV) da pressão de trabalho,
one, o comando do câmbio inte- sores e magnitudes de ajuste K1 e K3, B1, B2,
grado totalmente (VGS) no novo assim como os dados e calcula- BR, B3 e KÜB.
câmbio automático W7A 700, dos, estão ao mesmo tempo à
está montado diretamente no disposição de todas as demais Do bus de dados CAN:
cárter de óleo, sobre o controle unidades de controle. • Correção da altura para con-
hi-dráulico. Desta forma, o VGS Entre a unidade de controle do trole da curva de acoplamento
está submetido constante- motor e o comando VGS se e controle da pressão.
mente ao fluxo do óleo da caixa comunicam de forma bidirecio- • Movimento do pedal do acel-
de mudanças. nal ordens para a redução do erador.
Isto torna possível eliminar o torque do motor durante os pro- • Solicitação de comando man-
calor da unidade de controle. cesos de acoplamento e para o ual através do EWM.
As janelas desta integração deslocamento do ponto de aco- • Acelerações longitudinais
total, se comparadas com plamento das marchas, com a transversais do veículo.
unidades de controle das caixas finalidade de um aquecimento • Interruptor de sobreaceler-
de mudanças mais rápido do catalizador na ação.
convencionais, se diferenciam fase de aquecimento. • Torque do motor.
pelas seguintes caraterísticas: • Regimem do motor.
• Agrupação de todas as Sinais de entrada • Temperaturas do motor.
funções elétricas da caixa de Sinais do hardware VGS:
mudanças e componentes, em • Posição da corredeira do Para o bus de dados CAN:
um só módulo. campo seletor. • Marcha real e marcha dese-
• Integração diretamente na • Temperatura do óleo da caixa jada.
caixa de mudanças. de mudanças. • Temperatura do óleo da caixa
• Redução ao mínimo da inter- • Número de rotações da tur- de mudanças.
face para o jogo de cabos. bina (nturb). • Número de rotações da tur-
• Redução do peso. • Número de rotações internas bina.
• Disponibilidade mudanças na caixa de mudanças (n2). • Número de rotações de
como o grupo autônomo com • Número de rotações de saída saída.
plena atitude funcional e (nab).
adaptado e comprovado.

Indicação:
Mediante uma adaptação em longo prazo é assegurada à manutenção da alta qualidade do
acoplamento durante toda a vida útil da caixa de mudanças. O comando VGS reconhece
modificações condicionadas pela idade, nas propriedades do motor e da caixa de mudanças e
adapta o controle automaticamente.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 17
Controle eletrônico e hidráulico

Comando da caixa de mudançãs

Sinais de entrada Sinais de saída

Esquema de conexão por blocos

1 Unidade de controle 6 Tomadas da caixa de mudanças:


2 RMV, K1...K3, B1...B3, BR e KÜB. - CAN
3 Sensor do número de rotações nab. - Tenssão da bateria
4 Sensores do número de rotações nturb y n2. - Diagnóstico
5 Sensor de margem da seleção. Sensor de temperatura do óleo na caixa de
mudanças, integrado no VGS

18 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Controle eletrônico e hidráulico

Comando da caixa de mudançãs

Comando da caixa de mudanças integrado


totalmente

1 Flutuador 1 a Válvula eletromagnética de regulagem B2/BR


2 Sensor de margem da seleção b Válvula eletromagnética de regulagem K2
3 Sensores do número de rotações nturb y n2 c Válvula eletromagnética de regulagem,
4 Unidade de controle pressão de trabalho
5 Flutuador 2 d Válvula eletromagnética de regulagem KÜB
6 Tomada da caixa de mudanças e Válvula eletromagnética de regulagem K1
7 Sensor do número de rotações nab f Válvula eletromagnética de regulagem B1
g Válvula eletromagnética de regulagem B3
h Válvula eletromagnética de regulagem K3

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 19
Controle eletrônico e hidráulico

Comando da caixa de mudançãs

Estrutura do controle eletrônico


(-)
1 Cabo CAN-High a Válvula eletromagnética de regulagem B2/BR
2 Cabo CAN-Low b Válvula eletromagnética de regulagem K2
3 Cabo K de diagnóstico c Válvula eletromagnética de regulagem da
4 Borne 87, tensão da bateria (+) pressão de trabalho
5 Borne 31, tensão da bateria (-) d Válvula eletromagnética de regulagem KÜB
6 Conjunto elétrico e Válvula eletromagnética de regulagem K1
7 Caixa de válvulas f Válvula eletromagnética de regulagem B1
8 Chapa intermediária g Válvula eletromagnética de regulagem B3
9 Caixa de corredeiras h Válvula eletromagnética de regulagem K3

20 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Caixa de corredeiras

Comando da caixa de mudançãs

Caixa de corredeiras

1 RS pressão de trabalho 9 SS K2
2 RS K1 10 SS funcionamento de emergência
3 RS B1 11 RS K2
4 SS B1/B3 12 RS pSchm (pressão de lubrificação)
5 RS B3 13 RS KÜB (embreagem de anulação do
6 SS K3 conversor de torque)
7 SS B2_2 14 RS pressão interna do conversor em
8 RS B2/BR serviço KÜB

RS = Corredeira de regulagem
SS = Corredeira de comando

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 21
Caixa de válvulas

Comando da caixa de mudanças

Caixa de válvulas

1 RS K3 RS = Corredeira de regulagem
2 RS pressão de alimentação para RMV: SS = Corredeira de comando
K3, B3, B1 e K1
3 RS pressão de alimentação para RMV:
B2/BR, K2, pressão de trabalho, KÜB
4 SS B2_1

22 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Sensores do número de rotações

Comando da caixa de mudançãs

Sinais do número de rotações

O novo VGS possui três sen- reação nos procesos de aco- Os dois sinais do número de
sores do número de rotações: plamento. Para isto já não é rotações nturb e n2 são toma-
• Número de rotações da tur- suficiente a disposição tem- dos através dos anéis de
bina nturb porária do sinal do número de chapa de alumínio com ímã
• Número de rotações interno rotações de saída, do sistema anular integrado.
do câmbio n2 ABS e ASR através do bus de Adicionalmente se aplica aqui
• Número de rotações de saí- dados CAN. Por este motivo uma nova técnica de sensores
da nab se registra o número de que permite uma superação
Para aumentar ainda mais o rotações de saída nab direta- de grandes interstícios (inter-
conforto do engate das mar- mente na caixa de mudanças. valos) e a detecção através
chas, foi reduzido o tempo de dos componentes.

Estrutura dos sensores do número de


rotações

1 Ímã anular para nturb 5 Flange do cilindro com ímã permanente la2r n
2 Engrenagem de bloqueio do estacionamento integrado
3 Anel indutor de impulsos para nab 6 Sensores do número de rotações nturb y n2
4 Sensor do número de rotações nab

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 23
Caixa de mudanças com embreagem

Comando da caixa de mudançãs

Diferencial

Ao contrário da caixa de mudanças adicionalmente uma embreagem


manual "normal", na caixa de de discos que não participava
mudanças automática se troca de ate agora. Este processo é
marchas sem interrupção da força denominado de mudança de
de tração. Para poder dominar nos embreagem.
grupos propulsores de potente A princípio, se diferenciam aqui
torque do motor o peso e as entre os dois métodos:
dimensões, são aplicadas aqui
atualmente as engrenagens Processo de acoplamento
planetárias. Por regra geral, nas O motor é obrigado a alcançar
engrenagens planetárias e o novo nível de rotações,
necessário acionar ao mesmo mediante uma aplicação
tempo diversos elementos de sobreelevada da pressão nos
comando, para realizar um nível de elementos de comando da
desmultiplicação. embreagem de discos.
Na W7A 700 são respectivamente
três embreagens de discos e Processo de acoplamento
também freios de discos, que com liberação
oferecem juntos uma vantajosa O motor se libera
desmultiplicação. "simplesmente“ e se adapta
Durante um processo de mudança então "por si mesmo“ ao nível
de marcha se abre um destes três de rotações da marcha
elementos de comando e se aciona sucessiva

24 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Mudança para uma marcha superior

Comando da caixa de mudançãs

Modificação por
sobre elevação da
pressão nos elementos
de comando

Motor em serviço de tração por exemplo com 100% de abertura da borboleta = Mudança para marcha
superior em regime de tração (processo de acoplamento com sobreelevação)

Finalizar a liberação,
nível de rotação da
marcha desejada
alcançado, processo
de acoplamento

Motor em serviço de retenção por exemplo com 0% de abertura da borboleta = Mudança para marcha
superior em regime de retenção

A Número de rotações do motor em marcha lenta


B Número de rotações do motor, máxima admissível
t Tempo
nturb Número de rotações da engrenagem da turbina

Desenvolvimento teórico nturb


Desenvolvimento com liberação do motor nturb

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 25
Mudança para uma marcha inferior

Comando da caixa de mudançãs

Finalizar a liberação,
nível de rotações da
marcha desejada
alcançada, processo de
acoplamento
concluído.

Motor em serviço de tração por exemplo com 100% de abertura da borboleta = Mudança para marcha
inferior em regime de tração (processo de acoplamento com liberação)

Modificação por
sobre elevação da
pressão nos elementos
de comando

Motor em serviço de retenção por exemplo com 0% de abertura da borboleta = Mudança para marcha
inferior em regime de retenção

A Número de rotações do motor em marcha lenta


B Número de rotações do motor, máxima admissível
t Tempo
nturb Número de rotações da engrenagem da turbina

Desenvolvimento teórico nturb


Desenvolvimento com liberação do motor nturb

26 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Mudança para uma marcha inferior

Comando da caixa de mudançãs

Programa de mudança básica

O programa de câmbio básico Nos movimentos do pedal do velocidade.


compreende as curvas car- acelerador, o programa de A redução automática para a
acterísticas de mudança para mudanças básico reaciona de seguinte marcha inferior se
marcha superior e inferior, de da forma seguinte: realiza no caso de temperatu-
todas as 7 marchas, previstas • Movimentos lentos do pedal: ras de mudanças
para: São impedidas as mudanças demasiado altas e velocidade
• Veículo vazio não desejadas para uma mar- do veículo reduzida.
• Estado de serviço quente cha inferior na margem supe- O programa de mudanças
• Calçada ou terreno plaino rior de velocidade. básico se pode comutar para o
• Nível do mar • Retirada rápida de aceler- programa de Mudanças de con-
A adaptação dos programas de ação: forto, através do pulsador sele-
mudanças de marchas se Se impede a mudança seguinte tor de programa (posição C =
efetua por deslocamento das para a marcha superior e Confort) no comando de
curvas caraterísticas de acopla- somente se permite outra vez mudanças localizado sobre o
mento,em função de: com a aceleração do veículo. piso.
• Estado de carga do veículo • Se elevam as curvas car- Desta forma se da a arrancada
• Inclinação do terreno acterísticas de mudança para a sempre na 2a. marcha e não se
• Variação da resistência ao marcha inferior na margem forçam as marchas até o limite
avanço superior de das rotações do motor.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 27
Programa para mudança de marcha

Comando da caixa de mudançãs

Programa de mudança básico

Mudar para uma marcha superior pw Valor do pedal em %


Mudar para uma marcha inferior

28 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Conversor de torque com KÜB

Mecânica

Funcionamento

Para realizar um encaminhamento de acoplamento, mantendo ao


positivo ao tema de economia de mesmo tempo o conforto e o dina-
consumo, foi mantido o uso de mismo, presente no KÜB uma mar-
uma embreagem de anulação do gem de escorregamento
conver-sor de torque (KÜB) em otimizado, com o qual é possível
função do escorregamento, no uma ativação já a partir da 1a.
conversor de torque e foi ampliada marcha.
a margem de anulação. Para evitar a propagação de umbi-
Com a anulação do conversor de dos, oscilações do motor e golpes
torque através da embreagem de mudanças de carga, se aplica
conectada em paralelo, se evita um KÜB com amortecimento de
quase que completamente a perda torção, e a embreagem de anu-
de potência devido ao escorrega- lação do conversor de torque não
mento entre a engrenagem da se fecha totalmente, porém se reg-
bomba e a engrenagem da turbina. ula em todas as
Para melhorar ainda mais o con- marchas em função do escorrega-
sumo de combustível e a qualidade mento.

i Embreagem de anulação do conversor de torque


• Sistema regulação em função do escorregamento
• Ativo já na 1a. marcha
• Alto grado de rendimento do conversor

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 29
Conversor de torque com KÜB

Mecânica

Conversor de torque com embreagem de anulação


(do conversor de torque)

1 Embreagem de anulação do converso de torque 3 Engrenagem diretriz


com amortecedor de torção 4 Engrenagem da bomba
2 Engrenagem da turbina

30 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Conversor de torque com KÜB

Mecânica

Estados de operação da embreagem

A embreagem de anulação do con- As seguintes magnitudes influ-


versor de torque não se fecha entes determinam o estado:
nunca totalmente, ou seja que se • Carga do motor
encontra sempre nos estados de • Velocidade do veículo
"Aberto“ e "Escorregadiço“. • Aceleração do veículo
Adicionalmente existem as fases
de transição "Aberto - "Escorrega-
diço“. e "Escorregadiço“. - Aberto“.

Estratégia de mudanças

n Número de rotações de saída nab A Aberto, 1a. e 2a. marchas


d Abertura da borboleta em % B Escorregadiço, 1a. marcha...7a. marcha

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 31
Engrenagem planetária simples e Engrenagem Ravigneaus

Mecânica

Engrenagens planetárias

Para poder realizar de forma ade- sete níveis de marcha pa frente e


quada para a prática as exigências de duas para trás.
atuais das desmultiplicações O escalonamento das marchas se
aplicáveis na nova caixa de torna mais fino e permite desmul-
mudanças automática de 7 mar- tiplicações adaptadas ainda mel-
chas, esta está composta de duas hor às resistências ao avanço que
engrenagens planetárias simples e atuam no serviço de marcha. Na
uma engrenagem Ravigneaux. engrenagem Ravigneaux estão
Mediante a combinação de uma enfrentadas duas planetárias de
engrenagem Ravigneaux com as diferentes diâmetros, que estão
engrenagens planetárias simples rodeadas por duas engrenagens
sobrepostas,é possível realizar os simples com denteado interior.

i Funcionamento
As diversas desmultiplicações se conseguem através do acionamento do planetário e da engrenagem
com denteado interior e do porta-satélites.
Ao mesmo tempo se tem que imobilizar respectivamente uma peça acionada.
A saída de força tem lugar através do componente que não está propulsado nem imobilizado.

32 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Engrenagem planetária simples e Engrenagem Ravigneaus

Mecânica

Engrenagem planetária simples

1 Pinhão satélite (engrenagens) 3 Engrenagem com endentado interior


2 Porta-satélites

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 33
Engrenagem planetária simples e Engrenagem Ravigneaus

Mecânica

Engrenagem Ravigneaus

1 Pinhão satélite curto 3 Planetária K1


2 Pinhão satélite longo 4 Porta-satélites

34 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Embreagem e freio de discos

Mecânica

Embreagem de discos Freio de discos múltiplos Discos Single-sided


Para acoplar os níveis de des- O freio de discos múltiplos apresentam diversas van-
multiplicação se utilizam (como serve para unir num bloco um tagens:
nas anteriores caixas de componente da engrenagem • Vantagens de custo, uma vez
mudanças automáticas Mer- planetária á caixa de que a comparação com os dis-
cedes-Benz) embreagens de mudanças. É possível assim cos double-sided não requer
discos lubrificados por óleo e uma desmultiplicação na nenhuma técnica de estam-
acionados hidraulicamente, engrenagem planetária. São pado fino.
que atuam como elementos de bem retidos a engrenagem com • Vantagens de espaço, uma
comando. endentado interior, o porta- vez que são são possíveis mais
Foi aumentada a potência satélites e a planetária. superfícies de fricção
transmissível da embreagem de Também os discos de B1 e B3 • Melhor distribuição de calor
discos. Os discos de K1, K2 e somente estão previstos agora no conjunto de discos.
K3 somente estão previstos por um lado com um forro de • Maior capacidade de carga.
agora por um lado com um fricção metálico (discos single- • Menor massa.
forro de fricção (discos single- sided).
sided). Os novos discos single-sided

i Informação
A quantidade de discos depende do respectivo torque de giro a ser transmitido,o que significa que
mais discos também podem transmitir um torque de giro maior.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 35
Embreagem e freio de discos

Mecânica

Informação
1 Forro de fricção colado por um lado sobre o suporte B Suporte de metal dos discos internos
de metal
A Suporte de metal dos discos externos

36 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Bloqueio do estacionamento

Mecânica

Mecanismo do bloqueio de estacionamento

Para segurar o veículo, adicional- involuntário, foi aplicado o credi-


mente com o freio de estaciona- tado mecanismo de bloqueio de
mento, contra o deslocamento estacionamento.

Componentes

1 Engrenagem de bloqueio para estacionamento 5 Placa entalhada


2 Árvore secundária 6 Alavanca seletora de graduação das marchas
3 Catraca de bloqueio 7 Mola

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 37
Ventilação da caixa de mudanças

Mecânica

Compensação de pressão

Um canal integrado na caixa do


conversor, comunica o espaço
interior da caixa de mudanças
com uma abertura de saída,
para permitir uma compensação
da pressão no caso de mudanças
de volume condicionadas pela

Sangria de ar

1 Tampa de plástico

38 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Óleo (fluido) hidráulico

Mecânica

Fuchs ATF 3353

Como óleo hidráulico atual- Para reduzir as perdas de A W7A 700 está equipada com
mente se utiliza um novo fluido potência e impedir a expulsão dois
ATF (Automatic Transmission de óleo para fora da caixa de Flutuadores. Para isto existem
Fluid). mudanças, no caso de um ele- dois motivos principais:
vado nível de óleo, se regula o
O objetivos de desenvolvimento nível do mesmo pelo método do • O comprimento total da caixa
do novo ATF eram os seguintes: flutuador, já conhecido da caixa de mudanças é 41 mm maior.
de mudanças anterior. • No caso de fortes desaceler-
• Maior constância do coefi- As aberturas entre as câmaras ações, o óleo se desloca para
ciente de fricção. de óleo e a câmara de engre- frente.
• Maior estabilidade térmica e nagens se fecham através dos
oxidável. flutuadores,ao aumentar o nível
• Comportamento térmico mel- de óleo.Os flutuadores separam
horado. assim a câmara de óleo da
• Contribuição para economia câmara de engrenagens.
de combustível. Desta forma se impede o bati-
• Maior estabilidade de granu- mento das engrenagens rotati-
lação. vas no óleo.

i Informação de serviço
• Novo óleo ATF com propriedades melhoradas
• Abastecimento permanente (Fill for Life)
• Nova sistemática de abastecimento de óleo

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 39
Óleo (fluido) hidráulico

Mecânica

Caixa de flutuadores

1 Flutuador
2 Câmara de engrenagens
3 Câmara de óleo

40 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Óleo (fluido) hidráulico

Informação de serviço

Aptidão de reprogramação flash do comando da caixa de mudanças

Se anteriormente era necessário Isto aumenta o grau de satis-


sempre um câmbio de unidade fação do cliente e significa uma
de controle no caso de falhas ou melhora adicional na facilidade
defeitos na mesma, é possível de manutenção:
agora no comando do câmbio
integrado totalmente VGS, tam- • Reparação mais rápida e tem-
bém fazer a reprogramação flash pos de espera mais curtos para o
do software da unidade de con- cliente.
trole. • Redução de custos de material
Com o sistema STAR DIAGNOSIS e de salários.
é possível, no caso de irregular- • Redução das variantes de
idades, regravar o software anti- unidades de controle.
quado na unidade de controle, • Redução de manutenção no
dentro de um tempo muito breve, armazenamento das unidades de
com o "novo“ estado do software controle.
atual.

Reprogramação flash do sofware das unidades de controle

1 Webserver 3 Multiplexor de diagnóstico


2 STAR DIAGNOSIS 4 Transmissão para a unidade de controle da caixa de mudanças

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 41
Identificação de avarias e conceitos de segurança

Informação de serviço

Pinos de entrada e saída

Os pinos de entrada y de saída • Falhas internas. de emergência VGS).Isto no


assim como os cabos de sinais • Falhas internas. influi no diagnóstico.
para as válvulas eletromagnéti- A falha se registra inicialmente Na memória de defeitos podem
cas de regulagem e os sen- na memória de detecção de ser lidos os defeitos presentes
sores, se comprovam a respeito defeitos. atualmente e os defeitos que se
de: Se a falha ainda está presente tenham apresentado no pas-
• Curto-circuito contra tensão depois da atuação do tempori- sado.
de a bordo. zador de defeitos, tem lugar Existem como máximo 128 fal-
• Curto-circuito contra massa. uma entrada has (defeitos) diferentes; 16 fal-
• Interrupção nos cabos. na memória de defeitos. As fal- has se podem registrar ao
has na memória de defeitos mesmo tempo na memória de
São reconhecidos os seguintes podem ativar as seguintes: defeitos. Se apresentarem mais
erros: • Ativação de valores susbti- de 16 falhas diferentes, se reg-
• Falhas de hardware (verifi- tuíveis ou utilização de sinais istram logo com sua máxima
cação de plausibilidade, detec- susbtituíveis. prioridade na memória de
ção de contato frouxo, etc). • Desconexão das válvulas defeitos (avarias).
• Erros CAN (por detecção do eletromagnéticas de regulagem
valor do erro). na caixa de mudanças (funcio-
• Falhas de funcionamento namento
(verificação de plausibilidade).

Conceito de segurança

No caso de defeitos se impede que se possam apresentar esta-


dos operativos que coloquem em perigo a segurança do veículo
ou de sus grupos.
No caso de falha se seleciona primeiro uma marcha alta (6a.
marcha).
Após uma nova partida do motor com a posição P da alavanca
seletora, Pode-se partir para uma oficina com a 2a. marcha para
frente ou a marcha à ré.

42 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Abastecimento de óleo e controle do nível

nformação de serviço

Sistema de abastecimento de óleo

Devido à crescente prob- processo do novo desenvolvi-


lemática de espaço é difícil ou mento. Este método exige um
incluso impossível a disposição tubo de derramamento local-
do tubo de abastecimento de izado dentro do cárter de óleo no
óleo no vão do motor. Uma janela fundo.
adicional é destacada economia A temperatura do óleo e trans-
de gastos, que se consegue mitida pela a unidade de controle
através da eliminação do tubo de da caixa de mudanças através do
abastecimento de óleo. bus de dados CAN, e se pode
O abastecimento e ajuste do obter pela leitura.
nível de óleo para a W7A 700 na Como era até agora, não é
linha de produção final de mon- necessário a troca de óleo
tagem, com um método de derra- durante toda a vida útil.
mamento com segurança do

i Informação de serviço
Umas instruções detalhadas de abastecimento e de controle do nível de óleo para as oficinas de
serviço de pós-venda, estarão disponíveis no WIS para o lançamento no mercado em Setembro de
2003.

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 43
Abastecimento de óleo e controle do nível

Informação de serviço

Informação de serviço
1 Eletroímã 3 Nível de óleo a 40°C de temperatura do óleo
2 Tubo de transbordamento 4 Parafuso (bujão) de remoção do óleo

44 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Caixa de mudanças

Ferramentas especiais

Mandril

Utilização: Mandril para desprender o bujão


do cárter de óleo, ao esvaziar o óleo.

Número DC 722 589 03 15 00

FG 27

Placa de alojamento

Utilização: Placa de alojamento para separar


por pressão a caixa de mudanças, da engrena-
gem, em combinação com o levanta-válvulas.

Número DC 722 589 00 31 00

FG 27

Bucha

Utilização: Bucha para montagens dos anéis PTFE


sobre a árvore secundária.

Número DC 722 589 00 14 00

FG 27

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 45
Bucha

Utilização: Bucha para montagens dos anéis PTFE


sobre a árvore primária.

Número DC 722 589 01 14 00

FG 27

Jogo de Mandris

Utilização: Jogo de mandris para desmontar, montar e


medir a folga da liberação dos freios a disco.
Múltiplos B1, em combinação com o dispositivo
de pressão W 208 589 00 21 00

Número DC 722 589 04 15 00

FG 27

46 Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700
Índice de abreviaturas

ATF EWM RMV


Fluido para transmissões Módulo eletrônico da alavanca Válvula eletromagnética de
automáticas seletora regulagem

CAN KÜB VGS


Rede da área do controlador Embreagem para anulação Comando da caixa de mudanças
do conversor de torque integrado totalmente
EGS
Gerenciamento eletrônico da NEFZ WIS
caixa de mudanças Novo ciclo de marcha Sistema de informação para
europeu oficina
EHS
Comando da caixa de mudanças

Introdução da nova caixa de mudanças automática com planetárias, de 7 marchas - W7A 700 47
Mercedes-Benz do Brasil Ltda.
www.mercedes-benz.com.br
06/2008