Vous êtes sur la page 1sur 31

Unicesumar – Centro Universitário Cesumar

Pró-Reitoria Acadêmica
Diretoria de Ensino
___________________________

CENTRO UNIVERSITÁRIO CESUMAR

PROFA. DRA. VALÉRIA SILVA GALDINO CARDIN


PROFA. ME. LETÍCIA CARLA BAPTISTA ROSA

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE


ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO

MARINGÁ
2017
2

NORMAS DA ABNT PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE


ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO

A estrutura de um trabalho científico como a monografia, a dissertação e a tese é composta


por 04 elementos: Parte externa; Pré-textuais; Textuais e Pós-textuais. Cada elemento deve
conter informações que, segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT,
poderão ser obrigatórias ou opcionais.
Os elementos obrigatórios deverão estar presentes no trabalho acadêmico e visam estabelecer
padrões de apresentação (capa, folha de rosto, folha de aprovação, resumo em língua
vernácula, resumo em língua estrangeira, sumário, introdução, desenvolvimento, conclusão e
referências).
Os elementos opcionais (lombada, errata, dedicatória, agradecimentos, epígrafe, lista de
ilustrações, lista de tabelas, lista de abreviaturas, lista de siglas, lista de símbolos, glossário,
apêndice, anexo e índice) poderão estar ou não presentes no trabalho, ficando a critério do
autor. Não comprometem a apresentação do trabalho científico caso o autor decida pela não
inclusão destes elementos.
As normas que ditam os padrões para os trabalhos científicos são as NBR 6023:2002
(referências), NBR 6024:2003 (numeração progressiva das seções de um documento escrito),
NBR 6027:2012 (sumário), NBR 6028:2003 (resumo), NBR 6034:2004 (índice), NBR
10520:2002 (citações em documentos) e NBR 12225:2004 (lombada) e NBR 14724:2011
(trabalhos acadêmicos).

Das Formas de Apresentação

 Papel branco, formato A4 (21,0 cm X 29,7 cm), digitados no verso ou anverso da folha.
 Recomenda-se a fonte Times New Roman ou Arial para todo o trabalho, no tamanho 12
para o texto 11 para as citações longas. Nas notas de rodapé é melhor utilizar o tamanho 10;
 Margens: para o anverso, esquerda e superior de 3,0 cm e direita e inferior de 2,0 cm e
para o verso, direito e superior de 3 cm e esquerda e inferior de 2 cm;
 Todo o texto deve ser digitado com 1,5 de entre as linhas. O espaço entre parágrafos
também é de 1,5 cm, ou seja, não há diferenciação dos espaços entre as linhas e entre os
parágrafos.
3

 As citações longas, as notas de rodapé, as referências, legendas das ilustrações e das


tabelas, natureza do trabalho (tipo do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é
submetido e área de concentração) e os resumos devem ser digitados em espaço entre as
linhas simples;
 As citações longas devem ser digitadas com recuo de 4 cm da margem esquerda e letra
deve ter o tamanho 11;
 Os títulos das seções devem ser separados entre si e entre títulos e texto (antes e depois)
por um “enter” de 1,5cm (mesmo espaçamento do texto). Os títulos das seções primárias
devem começar em página ímpar (anverso), na parte superior da folha. Os títulos que ocupem
mais de uma linha devem ser, a partir da segunda linha, alinhados abaixo da primeira letra da
primeira palavra do título;
 As notas de rodapé são digitadas dentro da margem, ficando separadas do texto por um
filete de 5,0 cm a partir da margem esquerda, em fonte menor que o texto;
 A numeração de página: se o trabalho for digitado somente no anverso, todas as folhas,
será contada a partir da folha de rosto em cada uma das faces das folhas sequencialmente,
considerando somente o anverso, mas apenas começa a aparecer a partir da primeira folha da
parte textual (inicia na Introdução), em algarismos arábicos (1, 2, 3, etc.), no canto superior
direito da folha, a 2 cm da borda superior e a 2 cm da borda direita. Quando o trabalho for
digitado em anverso e verso, a numeração das páginas deve ser colocada no anverso da folha,
no canto superior direito; e no verso, no canto superior esquerdo;
 Se o trabalho tiver mais de um volume a sequência numérica deverá ser mantida no
volume seguinte, a partir do texto principal. Havendo apêndice e anexo as páginas devem ser
numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal.
 Recomenda-se que os elementos textuais e pós-textuais sejam digitados ou datilografados
no anverso e verso das folhas.

DA PARTE EXTERNA:

Capa: é um elemento obrigatório pertencente à parte externa do trabalho que deve conter o
nome da instituição; o nome do autor; o título (bem no meio da capa); o local da instituição
onde será apresentado; o ano de entrega.
* Tudo em letra maiúscula e em negrito.
4

Lombada: Existe apenas na versão de capa dura e pertence à parte externa do trabalho.
Deverá conter o nome do autor (em letra maiúscula), o título do Trabalho (só a primeira letra
será maiúscula) e o ano.

DA PARTE INTERNA:

Dos Elementos Pré-textuais:

Devem iniciar no anverso da folha, com exceção dos dados internacionais de catalogação
na publicação que devem vir no verso da folha de rosto.

Folha de rosto: é um elemento obrigatório e deve conter:


 Anverso: no anverso das folhas os elementos devem ser apresentadas na seguinte
ordem: a) nome do autor; b) título; c) subtítulo, se houver; d) número do volume, se
houver mais de um, deve constar em cada folha de rosto a especificação do respectivo
volume; e) natureza: tipo do trabalho (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso
e outros)e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da
instituição a que é submetido; área de concentração; Exemplo: “Monografia
apresentada a Faculdade Metropolitana de Maringá como requisito parcial para
obtenção do título de bacharel em Direito. Orientadora: Profª. Me. Letícia Carla
Baptista Rosa”; f) nome do orientador e, se houver, do coorientador; g) local (cidade)
da instituição onde deve ser apresentado; h) ano de depósito (da entrega).
 Verso: deverá constar os dados de catalogação na publicação, conforme o Código de
Catalogação Anglo-Americano vigente.
* O que diferencia a folha de rosto da capa é a nota explicativa.
** Esta folha é toda sem negrito

Errata: Esta folha poderá ser encartada no trabalho antes da folha de aprovação ou deverá ser
entregue avulsa aos membros da banca antes de iniciada a defesa do trabalho e os erros
apontados nela não poderão ser objeto de arguição dos examinadores. Exemplo:
ERRATA

Folha Linha Onde se lê Leia-se


32 3 publiação publicação
5

Folha de aprovação: é um elemento obrigatório e deve constar o nome do autor (não se


coloca o nome da instituição) e o título do trabalho. A 8 cm da borda esquerda, alinhado a
direita, virá o texto “Monografia apresentada a Faculdade Metropolitana de Maringá como
requisito parcial para obtenção do título de bacharel em Direito.” Deve-se dar dois espaços e
escrever, junto a margem esquerda: “Aprovado em:”. Deve-se dar mais dois espaços e
escrever em letra maiúscula “BANCA EXAMINADORA” e colocar o nome dos três
componentes da banca e abaixo, a instituição a qual pertencem. O primeiro nome deve ser do
Orientador e dos demais só constarão na versão definitiva (de depósito), após a banca, com o
nome dos que efetivamente participaram. Frise-se que em bancas de defesa de trabalhos de
conclusão de curso e de mestrado são compostas por 3 (três) membros, e no doutorado por 6
(seis).
* A linha que tem acima dos nomes dos componentes da banca deve ter cerca de 10 cm.

Dedicatória: é um elemento opcional em que o autor presta homenagem ou dedica seu


trabalho a quem desejar. Se preferir, nem precisa escrever “dedicatória”, bastando apenas
colocar, por exemplo, “Aos meus pais e irmãos”, ao final da página.
* Evitar aqui excesso de sentimentalismo.

Agradecimentos: é um elemento opcional que é destinado, apenas, àqueles que contribuíram


de maneira efetiva para a pesquisa, ou mesmo instituições de fomento (Fapesp, Capes, CNPq,
orientador, professores, colegas, etc.), e não a família, esposo (a), namorada (o), etc.

Epígrafe: é um elemento opcional, e traz a citação de um pensamento, ou trecho de uma


música, de um poema, etc. Este deve estar correlato com o trabalho científico, e ainda que de
forma indireta, deve se referir ao tema. Pode ser de autoria própria ou de outro autor.

Resumo na língua vernácula: é um elemento obrigatório que deve ser um texto claro,
conciso e objetivo. Deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão correspondentes a estes
elementos do trabalho, de modo que, quem o leia, saiba do que o texto se trata, tendo subsídio
para optar pela leitura integral ou não. Para trabalhos de conclusão de curso e dissertações, a
extensão deverá ser de até 250 palavras, e teses de até 500 palavras. Ao final, deve indicar as
palavras (de 3 a 5, no máximo) mais representativas do conteúdo do texto (palavras-chave).
Deve ser digitado em parágrafo americano e com espaço simples nas entrelinhas.
6

Resumo em língua estrangeira: é um elemento obrigatório, idêntico ao ítem anterior, apenas


em língua estrangeira.

Lista de ilustrações: é um elemento opcional e dificilmente aparece em Trabalhos de


Conclusão do curso de Direito, mas se houver necessidade deve ser disposta na mesma ordem
em que aparece no texto. Recomenda-se uma lista para cada tipo de ilustração. Exemplo:
fotos, quadros, gráficos, etc.

Lista de abreviaturas e siglas: é um elemento opcional e consiste na relação alfabética das


palavras abreviadas e das siglas utilizadas no texto pelo autor, seguidas das palavras ou
expressões correspondentes grafadas por extenso. Recomenda-se uma lista para cada tipo.
Não é necessária a utilização desta em TCC porque os textos não são tão longos e não
costuma conter tantas abreviaturas a ponto de confundir o leitor. Cite-se como exemplo:
“Superior Tribunal Federal – STF”, ou ainda “Código de Processo Civil – CPC”.
* As abreviaturas e siglas, quando aparecem pela primeira vez, devem ser precedidas pelo
nome integral e pela sigla entre parênteses logo à frente.

Lista de símbolos: é um elemento opcional e deve ser apresentado na mesma ordem em que
aparece no texto, com seu significado.

Sumário é um elemento obrigatório e consiste na enumeração das principais divisões, seções


e outras partes do trabalho, na mesma sequência em que aparecem. Não se confunde com o
“índice” porque este consiste em uma relação de palavras ou frases ordenadas, segundo
determinado critério, que localiza e remete para as informações contidas no texto.
* O espaço entre as linhas no sumário é simples, porém com 1 “enter” entre uma seção e
outra.

Dos Elementos Textuais

Introdução: Na introdução do trabalho científico deverá aparecer os elementos, que foram


abordados anteriormente no projeto como: a) o problema proposto, que deverá ser enunciado
de forma clara para o leitor, demonstrando a natureza da questão investigada; b) os objetivos
que também deverão ser enunciados e neste momento auxiliarão o leitor a compreender a
7

delimitação do problema; d) a justificativa, que na introdução terá a função de destacar a


importância do tema abordado no trabalho científico, além de demonstrar que o autor está
contribuindo para o desenvolvimento do assunto no campo científico; d) e por fim, a
metodologia, que deverá demonstrar quais foram o(s) método(s) utilizados para esclarecer o
problema proposto.
A introdução tem apenas a função de delimitar o assunto e fornecer uma visão panorâmica do
trabalho ao leitor.
Recomenda-se que a introdução tenha um parágrafo para cada capítulo do trabalho que não
ultrapasse 3 (três) páginas.

Desenvolvimento: este consiste na parte principal do trabalho científico e contém a exposição


ordenada e pormenorizada dos assuntos, divide-se em seções e subseções.
As regras gerais de apresentação das seções e subseções são:
a) a numeração em algarismos arábicos;
b) o indicativo de seção é alinhado na margem esquerda, precedendo o título, dele separado
por um espaço;
c) a numeração progressiva deverá se limitar até a seção quaternária;
d) nas seções primárias, o indicativo deverá ser grafado em números inteiros a partir do
número 1;
e) nas seções secundárias, o indicativo é constituído pelo indicativo da seção primária que
pertence, seguido do número que lhe for atribuído na sequência do assunto e separado por
ponto, repetindo com relação às outras seções;
f) não usa-se ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu
título;
g) destaca-se gradativamente os títulos das seções, utilizando os recursos de negrito, itálico ou
grifo, caixa alta ou versal e outro. O título das seções (primárias, secundárias etc.) deve ser
colocado após sua numeração, dele separado por um espaço. O texto deve iniciar-se em outra
linha, e em todas as seções deve ter um texto relacionado a elas;
h) quando for preciso enumerar os diversos assuntos de uma seção sem título, faz-se
necessário dividi-la em alíneas. Se cumulativas ou alternativas, ao final ponto-e-vírgula,
exceto na última, que será ordenada alfabeticamente, começando o texto com letra minúscula.
Exemplo:

1 SEÇÃO PRIMÁRIA
8

1.1 Seção secundária


1.1.1 Seção terciária
1.1.1.1 Seção quaternária

* Observe que o indicativo numérico precede o título, alinhado à esquerda, somente com
o espaço de um caractere, sem ponto, traço ou qualquer outro sinal para separar o
número do título, serão assim, a introdução, as seções de desenvolvimento do trabalho e
a conclusão.
* Os títulos sem indicação numérica são centralizados, letras em maiúsculo e em negrito.
Ressalta-se assim, que serão sem indicativo numérico a errata, os agradecimentos, a lista
de ilustrações, a lista de abreviaturas e siglas, a lista de símbolos, os resumos, o sumário,
as referências, o glossário, o(s) apêndice(s), o(s) anexo(s) e o(s) índice(s).
* Não se recomenda a utilização de seções, além da terciária.

Conclusão: é um elemento obrigatório que consiste na parte final do trabalho que apresenta
as conclusões correspondentes as hipóteses e aos objetivos. Não é regra, mas também deve ter
um parágrafo conclusivo para cada capítulo. Recomenda-se que tenha até 3 páginas.

Dos Elementos Pós-textuais

Referências: é um elemento obrigatório que consiste no conjunto padronizado de


informações que indicam os materiais consultados. A referência difere da bibliografia. Aquela
consiste na relação dos documentos que foram efetivamente utilizados na redação do trabalho.
Já esta consiste na relação dos documentos que foram lidos, porém não foram efetivamente
utilizados na redação do trabalho (pode-se considerar como literatura sugerida ou leitura
complementar).

Glossário: é um elemento opcional que consiste em uma lista alfabética de expressões


técnicas de uso restrito, utilizadas no texto e suas respectivas definições.

Apêndice: é um elemento opcional que consiste no texto ou documento elaborado pelo autor
para comprovar, ilustrar ou sugerir algo. São identificados por letras maiúsculas e travessão,
seguido do título e pode ser indicado ao longo do texto na nota de rodapé (Cf. APÊNDICE A
9

– Projeto de lei que altera a maioridade penal para 16 anos). Exemplo: APÊNDICE A –
Projeto de lei que altera a maioridade penal para 16 anos.

Anexo: é um elemento opcional que consiste no texto ou documento não elaborado pelo autor
para comprovar ou ilustrar. São identificados por letras maiúsculas e travessão, seguido do
título e pode ser indicado ao longo do texto na nota de rodapé (Cf. ANEXO A – Lei Estadual
que altera a extensão da reserva legal no Estado do Paraná). Exemplo: ANEXO A - Lei
Estadual que altera a extensão da reserva legal no Estado do Paraná.

Das Regras Gerais de Citação

Antes de iniciar a redação do trabalho, o autor deverá optar pelo sistema de chamada a ser
utilizado. Os sistemas vigentes são os seguintes:

Sistema numérico

Neste sistema a indicação da fonte é realizada em rodapé, por meio de numeração única e
consecutiva. No rodapé a citação pode ser realizada de forma completa ou na primeira vez,
faz-se de forma completa, e a partir da segunda utiliza-se as expressões latinas:

- Apud - citado por, conforme, segundo; (citação de citação)


Exemplo:
________________________
1
SANTOS, João Manuel de Carvalho. Código Civil brasileiro interpretado: Direito de Família. 10. ed. Rio de
Janeiro: Freitas Bastos, 1984, v. 4, p. 325 apud CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano moral no direito de
família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 134.

- Idem ou id. - mesmo autor;


Exemplo:
________________________
8
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 31.
9
Idem, p. 19.

- Ibidem ou ibid - na mesma obra;


Exemplo:
________________________
3
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 94.
4
Ibidem, p. 59.
10

- Opus citatum, opere citato ou op. cit. - obra citada;


Exemplo:
________________________
8
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 94.
9
CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano moral do direito de família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 65.
10
MORAES, Carlos Alexandre. op. cit., p. 40.

- Passim - aqui e ali (quando forem retirados de intervalos de páginas);


Exemplo:
________________________
5
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, passim.

- Loco citato ou loc. cit. - no lugar citado;


Exemplo:
________________________
4
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 45.
5
MORAES, Carlos Alexandre, op. cit., loc. cit.

- Cf. - confira, conforme, confronte;


Exemplo:
________________________
3
Cf. MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 40.

- Sequentia ou et seq. - seguinte ou que se segue.


Exemplo:
________________________
7
MORAES, Carlos Alexandre. Responsabilidade civil das empresas tabagistas. Curitiba: Juruá, 2009, p. 40 et
seq.

* As expressões id (idem) e ibid (ibidem) só deverão ser utilizadas na página em que já


houve uma vez a citação do autor ou da obra, respectivamente, e não se recomenda o uso
além de três vezes por página.
* Somente a expressão apud pode ser usada no decorrer do texto e as demais em rodapé
e, no máximo, por três vezes.

Sistema autor-data

Neste sistema a indicação da fonte no texto é realizada colocando-se o sobrenome do autor ou


o nome da entidade responsável ou ainda a primeira palavra do título (quando a obra não
11

possuir autoria), seguida da data de publicação e da página citada. Ao final do trabalho as


referências devem ser enumerados de forma completa.
* Este sistema não é recomendado na área jurídica.

Exemplos: Os autores que se dedicam ao estudo “trabalho infantil” no contexto da


constituição dos trabalhadores assalariados destacam as diferenciações conforme as condições
técnicas do processo de trabalho (CARDIN, 2012, p. 54).

Das Citações

Citação é a menção de uma informação extraída de outra fonte. Pode ser:


- Citação direta: transcrição textual do autor consultado;
- Citação indireta: transcrição livre do autor consultado;
- Citação de citação: transcrição direta ou indireta em que a consulta não tenha sido no
trabalho original, utiliza-se o apud (este tipo de citação deve ser evitado).

Citação direta
A citação direta refere-se à transcrição integral de uma parte do texto pesquisado. Essa
transcrição literal deverá ser apresentada entre “aspas”, (se for até 3 linhas, caso contrário,
aparecerá recuada 4 cm da margem esquerda, utilizando-se fonte menor e espaçamento
simples) seguida da referência bibliográfica (dependendo do sistema de chamadas adotado).
Exemplo:
Segundo Valéria Silva Galdino Cardin “já a injúria verbal consistia em comentários
ofensivos à respeitabilidade do outro cônjuge”1.
________________________
1
Aqui, descrever, segundo a ABNT a obra consultada. Caso seja a primeira citação da obra, indicá-la de forma
completa, como nas referências, o que, neste caso ficaria com a seguinte forma: CARDIN, Valéria Silva. Dano
moral no direito de família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 134.

Citação indireta
É a transcrição das ideias do autor consultado, porém com as próprias palavras, ou seja,
parafraseando. A idéia expressa continua sendo de autoria do autor que você consultou, por
isso, é necessário citar a fonte: dar crédito ao autor da idéias, sendo desnecessário indicar o
número da página de onde a idéia foi extraída.
Exemplo:
12

A emenda n. 66/2010 não alterou o procedimento em âmbito judicial e


1
extrajudicial. .
________________________
1
Aqui, descrever, segundo a ABNT a obra consultada. Caso seja a primeira citação da obra, indicá-la de forma
completa, como nas referências, o que, neste caso ficaria da seguinte forma: CARDIN, Valéria Silva Galdino.
Dano moral no direito de família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 154.

Citação de citação
É a menção de um documento ao qual você não teve acesso, mas que tomou conhecimento
por citação em outro trabalho. Usa-se a expressão latina apud (“citado por”) para indicar a
obra de onde foi retirada a citação.
Exemplo:
SOBRENOME(S) do Autor Original (ano da obra do Autor original, a palavra “apud”
SOBRENOME(S) dos Autor(es) da obra que retirou a citação, ano de publicação da qual
retirou a citação, número da página). É uma citação indireta. (sistema autor-data)

SOBRENOME(S), Nome do Autor Original. Nome da obra original (itálico ou negrito).


Local: editora, ano, página citada (a palavra “apud”) SOBRENOME(S), Nome dos Autor(es)
da obra que retirou a citação. Nome da obra original (itálico ou negrito). Local: editora, ano,
página citada. É uma citação indireta. (sistema numérico)
Exemplo:
________________________
1
SANTOS, João Manuel de Carvalho. Código Civil brasileiro interpretado: Direito de Família. 10. ed. Rio de
Janeiro: Freitas Bastos, 1984, v. 4, p. 325 apud CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano moral no direito de
família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 134.

* Ressalte-se que, um trabalho, com muitas citações seguidas, acaba por empobrecê-lo.
* Entre as citações o autor da pesquisa deverá tecer seus comentários pessoais, ou seja,
sua contribuição pessoal.
* A norma da ABNT que faz referência ao APUD não é clara, por isso aconselha-se
colocar todas as informações que o autor do texto científico possuir, visto que, esse texto
citado por outro autor e reutilizado não aparecerá nas referências finais do trabalho.

Apresentação das citações no texto

* A citação com até três linhas deve ser redigida com a mesma letra do texto, contudo deve
estar entre aspas, se for citação direta, em fonte 12 (times new roman ou arial).
13

* Nas citações com mais de três linhas: deve haver um (deslocamento) recuo de 4 cm para
todas as linhas, a partir da margem esquerda, espaçamento simples entre as linhas, fonte
tamanho 10 e sem aspas. Deve ter sempre um enunciado.
Exemplo:
Valéria Silva Galdino Cardin sobre o poder familiar estabelece que:

O poder familiar desdobra-se em aspectos pessoais e patrimoniais. Quanto


aos primeiros a manifestação dele ocorre sob três aspectos fundamentais:
guarda, educação e correição, e todos eles são ao mesmo tempo um direito e
um dever. Já no âmbito patrimonial compreende a administração dos bens
dos filhos e o usufruto desses mesmos bens.1

* Depois da citação deverá ser inserida o número indicativo da referência.


* Deve ter um “enter” antes e um depois da citação com mais de 3 linhas;
* Este tipo de citação deve apresentar-se com a letra em um número menor que a do restante
do texto.
* As incorreções e incoerências em citações, são indicadas pela expressão (sic) entre
parênteses, logo após a ocorrência. A expressão (sic) significa, estava assim no texto original.
Exemplo: “51% das vítimas de violência domostica (sic) situam-se na faixa dos 0 aos 7 anos
de idade. Cabe destaque para os casos de abuso sexual, onde 49% das vítimas têm entre 2 e 5
anos de idade sendo, sua maior parte, meninas”.
* As supressões indicam interrupção ou omissão da citação sem alterar o sentido do texto. São
indicadas pelo uso de reticências entre colchetes, no início, meio ou final da citação. [...]
* As interpolações são considerados como acréscimos ou comentários inseridos em citações
que são indicados entre colchetes. [ ]
* Para dar ênfase (indicar espanto, admiração) usa-se ponto de exclamação entre colchetes,
após o que se deseja enfatizar. [!]
* Para indicar dúvida utiliza-se o ponto de interrogação entre colchetes, após o que se deseja
questionar. [?]
* As palavras ou expressões destacadas no texto, devem ser seguidas de uma das expressões:
sem grifo no original, grifo meu, grifo nosso, inseridas após a indicação da referência da
citação.
* Os dados obtidos por meio de palestras, entrevistas, debates etc., deve-se indicar, entre
parênteses, no texto, a expressão (informação oral). Dados disponíveis sobre a fonte deve-se
mencionar apenas em nota de rodapé. (Não incluir a fonte em listas de referências).

1
CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano moral no direito de família. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 208.
14

* Trabalhos em fase de elaboração ou não publicados deve-se usar a expressão (em fase de
elaboração, no prelo, ou não publicada) entre parênteses no texto. Mencionar os dados
disponíveis, sobre a fonte, apenas em nota de rodapé (Não incluir a fonte em listas de
referências).
* Quando se faz uma citação em idioma estrangeiro (original), faz-se uma citação direta.
Nesse caso indica-se a tradução em nota de rodapé.
* Quando o texto citado for traduzido, faz-se uma citação indireta, seguido da expressão
“tradução nossa”.

Da Elaboração das Referências

a) Livros

Livro de um autor:
Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Quanto ao prenome só a primeira letra em
maiúsculo sendo as demais em letras minúsculas. Ponto. Título da obra em itálico. Ponto.
Número da edição. Ponto. Local da edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Número de páginas do livro.
Exemplo:
FERMENTÃO, Cleide Aparecida Gomes Rodrigues. Direito à liberdade: por um paradigma
de essencialidade que dê eficácia ao direito personalíssimo da liberdade. Curitiba: Juruá,
2010.

Citação de um mesmo autor e várias obras:


Cita-se a primeira obra com o sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes
em letras minúsculas, tendo apenas a 1ª letra maiúscula. Ponto. Título da obra em itálico.
Ponto. Número da edição. Ponto. Local da edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da
publicação.
E a(s) outra(s) obra(s):
Um risco substituindo o sobrenome e o nome do autor (equivale a 6 underlines, conforme o
exemplo). Ponto. Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Local da edição.
Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Exemplo:
CARDIN, Valéria Silva Galdino. Dano moral no direito de família. São Paulo: Saraiva, 2012.
15

______. Cláusulas abusivas. São Paulo: Saraiva, 2001.

Livro com mais de um volume:


Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.
Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Local da edição. Dois pontos.
Editora. Vírgula. Ano da publicação. Número do volume.
Exemplos:
MARQUES, José Frederico. Manual de direito processual civil. 2. ed. São Paulo: Saraiva,
1974, v. 1.
Ou quando se tratar de todos os volumes.
MARQUES, José Frederico. Manual de direito processual civil. 3. ed. São Paulo: Saraiva,
1980, v. 2.
______. Manual de direito processual civil. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1974, v. 4.

Livro com dois autores ou mais:


Sobrenome do primeiro autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas.
Ponto e vírgula. Sobrenome do autor do segundo em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em
letras minúsculas. Ponto. Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Local da
edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Exemplo:
ZENNI, Alessandro Severino Valler; OLIVEIRA, Cláudio. (Re)significação dos princípios de
direito de trabalho. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2009.

Livro que foi atualizado:


Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.
Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Nome inteiro do atualizador.
Local da edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Exemplo:
FELIPPE, Donaldo José. Dicionário jurídico de bolso. 18. ed. Atualização de Alencar
Frederico. Campinas: Millennium, 2007.

Livro organizado ou coordenado:


16

Sobrenome do coordenador ou organizador em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras


minúsculas. Ponto. Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Local da
edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Exemplos:
MORAES, Carlos Alexandre; POMIM, Andryelle Vanessa Camilo (coord.). Estudos
interdisciplinares sobre direitos fundamentais e da personalidade. Maringá: Clichetec, 2014,
v. I.

REIS, Clayton (coord.). Responsabilidade civil em face da violação aos direitos da


personalidade: uma pesquisa multidisciplinar. Curitiba: Juruá, 2011.

Livro que foi traduzido:


Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.
Título da obra em itálico. Ponto. Número da edição. Ponto. Nome inteiro do tradutor. Local
da edição. Dois pontos. Editora. Vírgula. Ano da publicação.
Exemplo:
BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 10. ed. Tradução de Maria Celeste
Cordeiro Leite dos Santos. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.
BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 10. ed. Trad. Maria Celeste Cordeiro
Leite dos Santos. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.

Capítulos de livro:

- Autoria diferente da autoria do livro no todo


CARDIN, Valéria Silva Galdino; ROCHA, Francielle. Do discurso do ódio: da dialética entre
o princípio da dignidade da pessoa humana e do princípio da liberdade de expressão. In:
MORAES, Carlos Alexandre; POMIM, Andryelle Vanessa Camilo (coord.). Estudos
interdisciplinares sobre direitos fundamentais e da personalidade. Maringá: Clichetec, 2014,
v. I, p. 109-134.

- Autoria igual à autoria da obra no todo


SOBRENOME, Prenome (autor do capítulo). Título. In: SOBRENOME, Prenome (autor da
obra no todo). Título. Local: editora, ano, página inicial e final.
17

SOBRENOME, Prenome. Título (do capítulo) In: ______. Título (do livro no todo) Local:
Editora, ano. Cap. nº (se houver), página inicial e final.

MORAES, Carlos Alexandre; MORAES, Lilian Rosana dos Santos. In: MORAES, Carlos
Alexandre; POMIM, Andryelle Vanessa Camilo (coord.). Estudos interdisciplinares sobre
direitos fundamentais e da personalidade. Maringá: Clichetec, 2014, v. I, p. 43-80.

MORAES, Carlos Alexandre; MORAES, Lilian Rosana dos Santos. In: ______; POMIM,
Andryelle Vanessa Camilo (coord.). Estudos interdisciplinares sobre direitos fundamentais e
da personalidade. Maringá: Clichetec, 2014, v. I, p. 43-80.

Periódicos:

- Com título específico


TÍTULO DO PERIÓDICO. Local: Editor, n. do volume, n. do fascículo, mês e ano. n. de pág.
(opcional).

DIREITO & REALIDADE. Ensino jurídico. Porto Alegre: UFRGS/FACED, v. 26, n. 2,


jul./dez. 2001. Tema do fascículo: Direito, docência e cultura.

- Sem título específico


TÍTULO DO PERIÓDICO. Título do fascículo, Suplemento ou nº especial. Local: Editor, n.
do volume, n. do fascículo, mês e ano. n. de pág. (opcional). Tema de fascículo: título
específico.

CIÊNCIA HOJE. São Paulo: Sociedade Brasileira para Progresso da Ciência, v. 5, n. 27,
nov./dez. 1995.

- Considerados como um todo


Nome do periódico em letras maiúsculas. Ponto. Local da publicação. Dois pontos.
Departamento publicou. Vírgula. Volume do periódico. Vírgula. Número. Vírgula. Ano da
publicação. Ponto. Número de páginas. Exemplo:
18

CADERNOS DE DIREITO. Piracicaba: Programa de mestrado em direito da Universidade


Metodista de Piracicaba, v. 2, n. 3, 2002. 190 p.

Artigo de revista:
SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo do artigo. Título do periódico, local, volume,
fascículo, página inicial e final, mês e ano.

CARDIN, Valéria Silva Galdino; MOCHI, Tatiana de Freitas Giovanini; BANNACH,


Rodrigo. Do abuso sexual intrafamiliar: uma violação aos direitos da personalidade da criança
e do adolescente. Revista Jurídica Cesumar. Mestrado, Maringá, v. 11, n. 2, p. 401-432, 2011.

Artigo de jornal:
SOBRENOME, Prenome. Título do artigo. Título do jornal, local, dia, mês e ano. Título do
caderno, seção ou suplemento, página inicial e final.

CARDIN, Valéria Silva Galdino. Separação Judicial e Divórcio. O Diário do Norte do


Paraná, 17 out. 1999, Caderno A, p. A-4 .

AZEVEDO, Dermi. Sarney Convida Deputados para Diálogo sobre o Pacto. Folha de São
Paulo, São Paulo, 22 out. 1985. Caderno econômico, p. 13.

Periódicos eletrônicos:
Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.
Título do artigo ou texto – sem nenhum destaque. Ponto. Nome do periódico em itálico.
Ponto. Local da publicação. Vírgula. Número do periódico. Endereço eletrônico do texto.
Ponto. Data de acesso.
Exemplo:
FREDERICO, Alencar. Brevíssimas linhas sobre os princípios constitucionais do processo.
Revista Juristas. João Pessoa/ PB. n. 121. Disponível em
<http://www.juristas.com.br/mod_revistas.asp?ic=2597. Acesso em 07 maio 2007>.

Demais documentos

Trabalhos publicados em Congressos:


19

Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.


Título do texto utilizado – sem nenhum destaque. Ponto. Abreviatura In: Dois pontos. Nome
do simpósio em letra maiúscula. Ponto. Local. Dois pontos. Nome da Instituição
patrocinadora do evento. Vírgula. Ano da realização do evento. Número das páginas
utilizadas.

Trabalho apresentado em congresso:


SOBRENOME, Prenome (autor do trabalho). Título: subtítulo. In: NOME DO
CONGRESSO, nº. ano, local de realização. Título (da obra no todo). Local de publicação:
Editora, ano. Páginas inicial e final do trabalho.

Exemplo: CARDIN, Valéria Silva Galdino; ROSA, Letícia Carla Baptista. Do planejamento
familiar e da paternidade responsável na união homoafetiva. In: XX Encontro Nacional
CONPEDI, 2011, Belo Horizonte. XX Encontro Nacional CONPEDI. Florianópiolis:
Fundação Boiteux, 2011, p. 10480-10508.

SOBRENOME, Prenome (autor do trabalho). Título: subtítulo. Ano. Trabalho apresentado ao


nº do evento (se houver), nome, cidade e ano.

Exemplo: CARDIN, Valéria Silva Galdino; ROSA, Letícia Carla Baptista. Do planejamento
familiar e da paternidade responsável na união homoafetiva. 2011. XX Encontro Nacional
CONPEDI, Belo Horizonte, 2011.

Evento (congresso, conferência, encontro...):


NOME DO EVENTO, n. do evento, ano, local. Título. Local: Editor, ano de publicação.
número de páginas (opcional).

Exemplo: XX Encontro Nacional CONPEDI, 2011, Belo Horizonte. Anais. Florianópolis:


Fundação Boiteux, 2011, p. 10480.

Monografia/ dissertação/ tese:


Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.
Título do trabalho. Ponto. Especificação do que seja – monografia/ dissertação ou tese.
20

Vírgula. Especificação do curso. Vírgula. Nome da Instituição de ensino. Vírgula. Local.


Vírgula. Ano.

Exemplos: FREDERICO, Alencar. A lentidão na comunicação dos atos processuais.


Monografia (Especialização em Direito Processual Civil), curso de pós-graduação em Direito,
Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2011.

OTT, Margot Bertolucci. Tendências Aspectos controvertidos dos direitos da personalidade.


Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2011. 214 p. Tese (Doutorado), Programa de
Pós-Graduação em Direito, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2011.

Cd-rom:
Título do Cd ou nome da Instituição. Ponto. Expressão “ArqDigital”. Ponto. Número do Cd
ou arguivo. Vírgula. Ano entre colchetes. Ponto. Número de Cd.
Exemplo: JURIS SÍNTESE MILLENNIUM. ArqDigital. n. 40, [2002]. 1 CD-ROM.

Banco de dados:
Nome da Instituição. Dois pontos. Expressão “banco de dados”. Ponto. Endereço eletrônico.
Ponto. Data de acesso.

Exemplos: ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO: banco de dados.


Disponível em: http://www.aasp.org.br. Acesso em: 07 jul. 2010.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO: banco de dados. Disponível em:


<http:/www.tj.sp.gov.br. Acesso em: 07 jul. 2010>.

SOBRENOME, Prenome. Título. Edição. Local: ano. nº de pág. ou vol. (Série) (se houver)
Disponível em: <http://...> Acesso em: dia mês(abreviado) ano.

Exemplo: MELLO, Luiz Antonio. A Onda Maldita: como nasceu a Fluminense FM. Niterói:
Arte & Ofício, 1992. Disponível em: <http://www.actech.com.br/aondamaldita/
creditos.html> Acesso em: 13 out. 1997.

E-mail:
21

Sobrenome do autor em letras maiúsculas. Vírgula. Prenomes em letras minúsculas. Ponto.


Assunto. Ponto. Entre colchetes a expressão “mensagem pessoal”. Ponto. E-mail do receptor.
Data do recebimento.

Exemplo: SEMPRONIO, Ticio. Grandes processualistas. [mensagem pessoal]. Mensagem


recebida por alencar@xxxx.com.br em 07 jul. 2010.

Manual:
BRASÍLIA. Ministério da Fazenda. Secretaria do Tesouro Nacional. Sistema integrado de
administração financeira do governo federal. Brasília, 1996. 162 p. (Manual SIAF, 5).

Publicação periódica:
TÍTULO. Local de publicação: Editora, Data de ínicio da coleção e encerramento (quando
houver). Periodicidade. ISSN.

Exemplo: REVISTA DE DIREITO AMBIENTAL. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.
Trimestral. ISSN 1413-1439

Parte de publicação periódica:


AUTOR(es). Título do artigo: subtítulo quando houver. Título da publicação. volume,
número, página inicial e final do artigo. Data de publicação.

Exemplo: FRANCO, Alberto Silva. Anencefalia: breves considerações médicas, bioéticas,


jurídicas e jurídico-penais. Revista dos Tribunais, v. 94, n. 833, p. 399-419, mar. 2005.

Citação sem autoria conhecida


Citar a primeira palavra significativa do título em letras maiúsculas e os outros dados citados
posteriormente.

Exemplo: MINISTRO Saraiva Felipe suspende a portaria do aborto. Disponível em:


http://www.providaanapolis.org.br/sarsupen.htm. Acesso em: 24 set. 2011.

Jurisprudência:
22

Para se citar com correção um acórdão, os dados que devemos ter presentes são: a jurisdição,
o tribunal e o estado de origem, no caso de se tratar de tribunal superior, o número do
processo, o relator, a data de publicação no diário oficial e as suas páginas.
Com estes dados se poderá com facilidade buscar novamente a informação acerca do aresto. É
importante ressaltar que, no caso de o acórdão ter sido obtido na Internet, deverá ser
identificado também o endereço e a data de acesso.

Exemplo:
BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Rio Grande do Sul. Recurso Especial n.
2004/0028417-4. 3ª Turma. Rel. Min. Vasco Della Giustina. Brasília. 02 fev. 2011.
Disponível em: http://www.stj.jus.br/SCON/jurisprudencia/toc.jsp?tipo_visualizacao
=null&livre=UNI%C3O+HOMOAFETIVA&b=ACOR. Acesso em: 15 mar. 2011.

Dicionário e Enciclopédia:
SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo. Edição. (se houver) Local: Editora, data. Nº de
páginas ou volumes. (opcional).

Exemplos: FERREIRA, Aurélio B. de Hollanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2.


ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. 1838 p.

ENCICLOPÉDIA Mirador Internacional. São Paulo: Encyclopedia Britannica do Brasil,


1995. 20 v.

Programa de Televisão e Rádio:


TEMA. Nome do Programa. Cidade: nome da TV ou Rádio, data da apresentação do
programa. Nota especificando o tipo de programa (rádio ou TV).

Exemplo: INSTITUTO DE DEFESA DO CONSUMIDOR MOSTRA ARMADILHAS DOS


PLANOS DE SAÚDE. Jornal Nacional. Rio de Janeiro, GLOBO, 24 fev. 2003. Programa de
TV.

Referência Legislativa (leis, decretos, portarias...):


BRASIL. Constituição, 1988.
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.
23

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.

Entrevista:
ENTREVISTADO. Título. Nome da Revista ou Jornal. Local: data de publicação. Dados da
revista ou jornal seção, caderno ou parte do jornal). Paginação correspondente (quando não
houver seção, caderno ou parte, a paginação procede a data). Nota da Entrevista.

Exemplo: PAES, Eduardo. Chega de demagogia. Veja. Rio de Janeiro: 1988, v. 20, n. 37, p.
5-8, 14 set. 1988. Entrevista concedida a Ronaldo Soares.

Legislação publicada em Diário Oficial:


JURISDIÇÃO. Lei nº ....., data completa. Ementa. Nome da publicação, local, volume,
fascículo e data da publicação. Nome do caderno, página inicial e final.

Exemplo: BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e


Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília,
DF, v. 134, n. 248, 23 dez. 1996. Seção 1, p. 27834-27841.

Usar uma forma consistente e uniforme de destaque tipográfico para todas as referências, tal
como:

* Caixa alta nos sobrenomes dos autores (pessoas físicas), nos nomes dos autores coletivos
(instituições, associações, etc.) e na primeira palavra do título quando constituírem a entrada
da referência;
* Caixa alta na primeira palavra do título, quando não houver autoria própria, ou quando
exigências gramaticais as pedem (por exemplo: nomes próprios);
* Grifo, itálico ou negrito nos títulos dos documentos no todo, assim como nos títulos de
revistas e jornais, quando não iniciam a referência.

*DICA DE COMO NUMERAR A PÁGINA DO SEU TRABALHO

A primeira conduta a realizar é identificar quais as páginas que serão numeradas.


Ressalta-se que a ABNT dispõe com relação à paginação que: a Capa não é contada e nem
numerada, sendo contadas a partir da Folha de Rosto e sequencialmente, mas não serão
24

numeradas até o Sumário, sendo que somente a partir da Introdução até o final do trabalho
que a numeração das páginas seguirá uma contagem consecutiva.

Exemplo:

a) Elementos Pré-textuais:

Capa (obrigatório) – Não é contada. Nem numerada.


Lombada (opcional) – conta-se, mas não numera.
Folha de rosto (obrigatório) – conta-se, mas não numera.
Errata (opcional) – conta-se, mas não numera.
Folha de aprovação (obrigatório) – conta-se, mas não numera.
Dedicatória(s) (opcional) – conta-se, mas não numera.
Agradecimento(s) (opcional) – conta-se, mas não numera.
Epígrafe (opcional) – conta-se, mas não numera.
Resumo na língua vernácula (obrigatório) – conta-se, mas não numera.
Resumo em língua estrangeira (obrigatório) – conta-se, mas não numera.
Lista de ilustrações (opcional) – conta-se, mas não numera.
Lista de tabelas (opcional) – conta-se, mas não numera.
Lista de abreviaturas e siglas (opcional) – conta-se, mas não numera.
Lista de símbolos (opcional) – conta-se, mas não numera.
Sumário (obrigatório) – conta-se, mas não numera.

b) Elementos Textuais:

Introdução – inicia-se a numeração das páginas na Introdução.


Desenvolvimento – conta-se e numera sequencialmente.
Conclusão – conta-se e numera sequencialmente.

c) Elementos Pós-textuais

Referências (obrigatório) – conta-se e numera sequencialmente.


Glossário (opcional) – conta-se e numera sequencialmente.
Apêndice(s) (opcional) – conta-se e numera sequencialmente*.
Anexo(s) (opcional) – conta-se e numera sequencialmente*.
Índice(s) (opcional) – conta-se e numera sequencialmente.
25

*Só não serão numerados os Apêndices e/ou Anexos se possuírem estrutura física diferente do
trabalho, ou seja, se não fizerem parte do TCC ou possuírem paginação própria (por exemplo,
cópia de página de jornal, revista, formulário, mapa, etc.).

Em segundo lugar deve-se inserir “Quebras de Seção” nas páginas que não serão numeradas,
servindo para impedir que apareça a numeração nestas páginas que não devem ser numeradas
e pode ser feito da seguinte forma:
1º Passo) Clique no final do texto da página que se deseja “quebrar” - clique na aba “Layout
da Página” e em “Quebras”. Selecione a opção “Próxima Página” em “Quebras de Seção”, de
acordo com a figura:

Obs.: Para melhor visualizar a Quebra de Seção (bem como vários outros elementos) se você
selecionar o símbolo ¶ (Mostrar Tudo), visto que essa opção possibilita mostrar todas as
marcas de parágrafos e símbolos de formatações ocultos.
Para selecionar esta opção basta clicar no símbolo ¶ que aparece na Página Inicial do seu
Word 2007/2010, ou pressionar, simultaneamente, as teclas (Ctrl+Shift+*):

Verifique como ficam as páginas que possuem “Quebra de Seção”:


26

A página que deverá ser inserida a “Quebra de Seção” é a última da parte dos Elementos Pré-
textuais, que é o Sumário, ou seja, do Sumário em diante deve-se inserir “Quebra de Página” e
não “Quebra de Seção”.
Em terceiro lugar, deve-se inserir os números das páginas, para tanto, coloque o cursor na
primeira página a ser numerada, ou seja, INTRODUÇÃO – clique na aba Inserir – Número de
Página – Início da Página – Número sem Formatação 3 (que indica que a numeração será no
canto direito da página), veja a figura abaixo:

Já na aba Design, desmarque a opção “Vincular ao Anterior”.


27

Quando desvincular as seções anteriores, será necessário apagar as numerações que


aparecem nas páginas e que não devem ser numeradas. Para isso selecione a numeração do
item anterior (SUMÁRIO) e o apague (delete).

Com isso irá excluir as numerações, desnecessárias, dos elementos Pré-textuais.

Este procedimento não irá alterar a numeração das páginas subsequentes.

O 4º passo é formatar os números das páginas, porém deve-se observar que:


a) A numeração das páginas deve ser em algarismo arábico, com a mesma fonte utilizada no
trabalho (Arial ou Times New Roman) e com tamanho menor que 12, sendo uniforme. Neste
caso indica-se a fonte tamanho 10 para que não destoe tanto dos demais textos.
28

Para isso, selecione os números das páginas e altere a fonte.

É importante lembrar que a Capa, além de não ser numerada também não é contada. Então
será preciso contar quantas páginas de elementos Pré-textuais possui o seu TC a partir
da Folha de Rosto.
No exemplo utilizado neste Tutorial tem-se apenas duas folhas, a Folha de Rosto e o Sumário.
Portanto a INTRODUÇÃO (deste exemplo) será a página 3.
Observe que ela aparece como p. 4, pois o Word conta a Capa automaticamente.
Para configurar essa numeração basta efetuar as seguintes mudanças:
Se o cabeçalho não estiver aberto, clique 2 vezes em cima do número da página para ativar a
aba Design...

...selecione a opção “Número de Página” – Clique em “Formatar Números de Página”.

Na próxima janela marque a opção “Iniciar em”, digite o número da 1ª página que será
numerada (lembre-se que se contam todos os elementos Pré-textuais, menos a Capa) a qual
neste exemplo é a p. 3 e clique em OK.
29

Porém a numeração deve ser colocada no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda
superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha.
Para isso, se o cabeçalho não estiver aberto, clique 2 vezes em cima do número da página para
ativar a aba Design (explicado anteriormente) – clique na opção “Cabeçalho Acima” e marque
2cm.

Está Pronta a Paginação do seu Trabalho Científico.

Veja o resultado nas figuras, abaixo, do exemplo:


30

BIBLIOGRAFIA

BARBA, Clarides Henrich de. Orientações básicas na elaboração do artigo científico.


Disponível em:www.bu.ufsc.br/ArtigoCientifico.pdf . Acesso em: 01 mar. 2012.

BITTAR, Eduardo C. B. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria prática da monografia


para cursos de direito. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

CARNEIRO, Maria Francisca. Pesquisa Jurídica: Metodologia da Aprendizagem. Aspectos,


Questões e Aproximações. 7. ed. Curitiba: Juruá, 2010.

CURTY, Marlene Gonçalves; CRUZ, Anamaria Costa; MENDES, Maria Tereza Reis.
Apresentação de Trabalhos Acadêmicos, Dissertações e Teses. 2. ed. Maringá: Dental
Press International, 2006.

______; CURTY, Renata Gonçalves. Artigo científico impresso: estrututa e apresentação.


Maringá: Dental Press, 2005.

D’ONOFRIO, Salvatore. Metodologia do trabalho intelectual. São Paulo: Atlas, 1999.

FERREIRA SOBRINHO, José Wilson. Pesquisa em direito e redação da monografia


jurídica. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1997.

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de Artigos Científicos. São Paulo: Avercamp,


2004.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia


científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

______; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas,
2005.

LEITE, Eduardo de Oliveira. A monografia jurídica. 8. ed. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2003.
31

LUNA, Sergio Vasconcelos. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC,
1996 (Série Trilhas).

MACEDO, Magda Helena Soares. Manual de Metodologia da Pesquisa Jurídica. Porto


Alegre: Sagra Luzzatto, 2000.

MÜLLER, Mary Stela; CORNELSEN, Julce Mary. Normas e padrões para teses,
dissertações e monografias. 5. ed. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2003.

NETO, João Augusto Mattar. Metodologia Científica na era da Informática. São Paulo:
Saraiva, 2002.

NUNES, Luiz Antônio Rizzato. Manual da monografia jurídica. 5. ed. São Paulo: Saraiva,
2007.

OLIVEIRA, Olga Maria B. Aguiar de. Monografia Jurídica. 3. ed. Porto Alegre: Síntese,
2003.

SCHLITTLER, José Maria Martins. Como fazer monografias. Campinas: Servanda, 2008.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. São Paulo:
Cortez, 2007.

THOMPSON, Augusto. Manual de orientação para preparo de monografia. 3. ed. Rio de


Janeiro: Forense Universitária, 2000.