Vous êtes sur la page 1sur 80

Lições da Escola

Sabatina 3º TRIMESTRE
2019

“A Igreja do Deus Vivo”


Lições
da Escola
Sabatina
3º Trimestre 2019

“A Igreja do Deus Vivo”

Editado por
Editado em Portugal por:
Evangelho Eterno
https://evangelho-eterno.wixsite.com/meusite
evangelho-eterno@hotmail.com
Telefone (351) 926 763 833
Os editores desta obra autorizam e recomendam a sua reprodução sem-
pre e quando não se acrescente ou se retire algo do conteúdo desta.

“A Escola Sabatina é um importante ramo do traba-


lho missionário, não só porque proporciona a jovens
e velhos o conhecimento da Palavra de Deus, mas por
despertar neles o amor por suas sagradas verdades e o
desejo de estudá-las por si mesmos; ensina-os, sobre-
tudo, a regular sua vida por seus santos ensinos.”
Ellen G. White, Conselhos Sobre a Escola Sabatina,10
ÍNDICE 3

1. “Toda a família nos céus e na terra” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4


2. “O poder de serem feitos filhos de Deus” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
3. “Um só Senhor, uma só fé” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
4. “Haja em vós o mesmo sentimento” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
5. “Para com Deus não há acepção de pessoas” . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
6. “Há muitos membros, mas um corpo” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
7. “O mundo passa” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38
8. “Igreja gloriosa, sem mácula” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
9. “Portanto ide, fazei discípulos” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
10. “Conhecida e lida por todos os homens” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
11. “Não sabes...” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
12. “Habilitar para o Senhor um povo preparado” . . . . . . . . . . . . . . .65
13. “O trigo, ajuntai-o no Meu celeiro” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .72
LIÇÃO 1 Sábado, 6-Julho-2019

“A Igreja do Deus Vivo”


Introdução Geral

“Vi um quadro representando um bezerro entre um arado e um altar, com a inscri-


ção: “Pronto para uma ou outra coisa”, disposto a arfar no fatigante sulco, ou a san-
grar no altar do sacrifício. Eis a posição em que se deve achar sempre o filho de Deus
— voluntário para ir aonde o chamar o dever, a negar a si mesmo, a sacrificar-se por
amor da causa da verdade. A igreja cristã foi fundada sobre o princípio do sacrifício.
“Se alguém quer vir após Mim”, diz Cristo, “negue-se a si mesmo, e tome cada dia a
sua cruz, e siga-Me.” Lucas 9:23. Ele requer todo o coração, a afeição inteira. As mani-
festações de zelo, fervor e desinteressado serviço que Seus dedicados seguidores têm
dado ao mundo, devem atear-nos o ardor e levar-nos a imitar seu exemplo. A religião
genuína comunica uma sinceridade e firmeza de desígnio que molda o caráter segun-
do a imagem divina, e nos habilita a reputar todas as coisas como perda pela exce-
lência de Cristo. Esse propósito único demonstrar-se-á elemento de tremendo poder.
“Possuímos a maior e mais solene verdade jamais confiada a mortais, e somos res-
ponsáveis pelo modo como a tratamos. Cada um de nós deveria estar atento à sal-
vação de pessoas. Deveríamos mostrar o poder da verdade sobre nosso coração e
caráter, enquanto fazendo tudo o que pudermos para levar outros a amá-la. Trazer
um pecador a Cristo é enobrecer e elevar todo o seu caráter, tornando-o uma bênção
no lar, na sociedade e na igreja. Não é essa obra digna de nossas mais nobres faculda-
des?” Testemunhos para a Igreja, Vol. 5, 307.

Lição 1
“Toda a família nos céus e na terra”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Mas agora, ó Senhor, Tu és nosso Pai; nós o
barro e Tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das Tuas mãos.” Isaías 64:8
ESTUDO DE AJUDA: O Desejado de Todas as Nações, 224-226.

Introdução

“‘Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo,
E Eu vos receberei; e Eu serei para vós Pai, E vós sereis para Mim filhos e filhas, diz
o Senhor Todo-Poderoso.’ [2 Coríntios 6:18]. Eis as condições de adoção na família
de Deus. Devemos nos separar dos inimigos do Senhor. Aqueles que se apegarem
Lição 1 5
firmemente à palavra de Deus e obedecerem a Seus mandamentos serão chamados
de antiquados e singulares. Mas Deus planeou que Seu povo fosse um povo peculiar,
zeloso de boas obras. Cristo deu-se por nós para nos remir de toda a iniquidade,
purificando para Si um povo peculiar. Aqueles que pertencem a Cristo não são como
o mundo em pensamento ou ação, e somente aqueles que são diferentes do mundo
reconhecerão Deus como Seu. Há muitos pretendentes à piedade, mas poucos re-
almente vivem para Cristo e deixam sua luz brilhar para o mundo em boas obras.
Aqueles que se contentam em ter pouco conhecimento de Deus aqui, que não se
deleitam em comungar com Ele, nunca verão o céu, porque não se deleitam no céu
nem nas coisas celestiais.” Advent Review & Sabbath Herald, 13-maio-1890.

“Vós tendes por pai o diabo”

1. Qual o laço de parentesco têm as ações de pecaminosas? João 8:44.

NOTA: “Jesus negou que os judeus fossem filhos de Abraão. Disse: “Vós fazeis as
obras de vosso pai.” Em zombaria, responderam: “Nós não somos nascidos de pros-
tituição; temos um Pai, que é Deus”. João 8:41. Estas palavras, em alusão às circuns-
tâncias de Seu nascimento, foram atiradas como uma estocada contra Cristo, em
presença dos que começavam a nEle crer. Jesus não deu ouvidos à baixa insinuação,
mas disse: “Se Deus fosse o vosso Pai, certamente Me amaríeis, pois que Eu saí, e vim
de Deus”. João 8:42. As obras deles testificavam de suas relações com aquele que era
mentiroso e assassino.” O Desejado de Todas as Nações, 329.

2. Que princípio fundamental Jesus explicou para mostrar se somos filhos de


Deus ou filhos de Satanás? João 8:41 (1ª parte).

NOTA: Tudo o que não está de acordo com a vontade conhecida e expressa de Deus
está em inimizade com Deus e tem sua origem na sinagoga de Satanás. A vontade de
Deus é expressa em Sua lei, e o pecado é a transgressão da lei. Aqueles que desconsi-
deram os mandamentos de Deus, e ensinam doutrinas que são mandamentos de ho-
mens, estão trabalhando na linhagem de Satanás e estão em harmonia com o grande
líder da apostasia. Quando os judeus reivindicaram Abraão por seu pai, enquanto
não faziam as obras de Abraão, Jesus disse-lhes: ‘Vós rendes por pai ao diabo.’ [João
8:44]” Signs of the Times, 11-junho-1894.

“Deu-lhes o poder”

3. Como podemos deixar de nos tornar filhos do diabo e nos unir à família de
Deus? João 1:12.

NOTA: “Cristo é nosso exemplo, nossa inspiração, nossa maior recompensa, ‘Vós sois
lavoura de Deus e edifício de Deus.’ 1 Coríntios 3:9. Deus é o Construtor, mas o ho-
6 Lição 1
mem tem sua parte a desempenhar. Ele deve cooperar com Deus. ‘Porque nós somos
cooperadores de Deus.’ 1 Coríntios 3:9. Nunca devemos esquecer as palavras: ‘somos
cooperadores de Deus.’ Lembre-se que trabalhando com Cristo como seu Salvador
pessoal, Ele é sua força e sua vitória. Essa é a parte que todos devem assumir. Para to-
dos os que assim agem, vem a promessa: ‘Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o
poder de serem feitos filhos de Deus.’ João 1:12. Cristo declara: ‘Porque sem Mim nada
podereis fazer.” João 15:5. E a alma humilde e crente responde: “Posso todas as coisas
nAquele que me fortalece.’ Filipenses 4:13.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 39.

4. Qual é a atitude de Deus com aqueles que realmente desejam se tornar mem-
bros da Sua família? João 6:37.

NOTA: “Deixem o Deus que examina o coração reprovar o errante, e que cada um
de nós se prostre diante dEle em humildade e contrição, pondo de lado toda justiça
própria e toda auto-importância, confessando e abandonando todo pecado, e supli-
cando, no nome do Redentor, o perdão. Deus declara: “O que vem a Mim de manei-
ra nenhuma o lançarei fora” (João 6:37); e aqueles que sinceramente se apresentam
diante dEle serão perdoados e justificados, e receberão poder para se tornar filhos de
Deus.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 8, 101.

“Quem são Meus irmãos”

5. Que descrição deu Jesus daqueles que são verdadeiramente membros da Sua
família? Mateus 12:46-50.

NOTA: “Aqui está o relacionamento que existe entre Cristo e Seus seguidores. Ocu-
pamos essa posição exaltada, se estamos realmente fazendo a vontade de Deus. Deve-
mos nos considerar como constituindo a família de Cristo, e devemos segui-lo como
filhos queridos. Adotados na casa de Deus, não devemos honrar nosso Pai e nossa
parentela? Não temos desculpa para pleitear, pois através de Jesus podemos ordenar
todo o poder no Céu e na Terra para que possamos andar dignos de nosso alto cha-
mado.” Signs of the Times, 23-março-1888.
“Se estamos fazendo a vontade de Deus, somos contados como irmãos e irmãs de
nosso Mestre. Devemos lembrar disso em nossa vida diária. Devemos estar em har-
monia com Deus, mas em inimizade com Satanás. Há muita comunhão com o prín-
cipe das trevas. Não é natural que pisemos Satanás sob os nossos pés; mas devemos
fechar os nossos corações às tentações do maligno e abri-los aos brilhantes raios do
Sol da Justiça. Devemos ir em direção ao alvo para o prémio do nosso alto chamado,
exercendo todo poder que Deus nos der, para que sejamos vencedores. Precisamos
estar constantemente nos aproximando de Deus. Precisamos falar de Jesus, expres-
sando o Seu amor numa vida dedicada de inteira consagração ao Seu serviço. Quanto
mais insistirmos na pureza do caráter ou Cristo, mais desejaremos nos tornar como
Ele, e assim estaremos próximos Dele. Quanto mais contemplamos a Sua beleza, mais
Lição 1 7
refletiremos a Sua imagem divina.” Advent Review & Sabbath Herald, 7-08-1888.

6. Qual será a questão fundamental sobre a qual Cristo nos julga? Mateus 7:21-23.

NOTA: “Esta é a garantia dada a todos os que seguem os ensinamentos de Cristo


de que eles se tornarão membros da família celestial. Diz Cristo: a obediência ao
Meu Pai no céu é obediência filial. Este é o elo de união entre Mim e todos os que se
tornarem membros da família celestial. Todos os que aceitam a palavra da verdade
entrarão no círculo sagrado que liga a Mim todo crente como irmão ou irmã ou mãe.”
Advent Review & Sabbath Herald, 26-09-1899.

“Que vos ameis uns aos outros como eu vos amei a vós”

7. Que espírito deve ser visto na vida de quem ama a Deus? 1 João 4:20-21; 1 João 3:18.

NOTA: “Vi que os irmãos devem interessar-se uns pelos outros. Especialmente de-
vem aqueles que são abençoados com saúde ter bondosa consideração e cuidado
pelos doentes, procurando beneficiá-los. Devem lembrar-se da lição do bom samari-
tano ensinada por Jesus. Disse o Senhor: ‘Que vos ameis uns aos outros, assim como
Eu vos amei.’ João 15:12. Quanto? Seu amor não pode ser descrito. Ele deixou a glória
que tinha junto ao Pai antes que o mundo existisse. ‘Mas Ele foi ferido pelas nossas
transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz esta-
va sobre Ele, e, pelas Suas pisaduras, fomos sarados.’ Isaías 53:5. Pacientemente Ele
suportou toda indignidade e todo escárnio. Contemplem Sua agonia no jardim en-
quanto orava para que o cálice pudesse ser retirado! Contemplem Seus sofrimentos
no Calvário! Tudo isso pelo homem culpado e perdido. E Jesus disse: ‘Que vos ameis
uns aos outros, assim como Eu vos amei.’ João 13:34; 15:12. Quanto? O suficiente
para dar a vida por um irmão.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 150.

8. Como descreve Paulo a vida de daquele que realmente ama? 1 Coríntios 13:4-7.

NOTA: “Cristo nos deu o exemplo do puro e desinteressado amor. Vocês não têm
percebido sua deficiência a esse respeito e a grande necessidade dessa celeste aquisi-
ção, sem a qual todos os bons propósitos e zelo, mesmo que sejam de natureza que
possam dar seus bens ‘para sustento dos pobres’, e entregar o próprio ‘corpo para ser
queimado’, nada significam. Vocês precisam do amor que ‘tudo sofre’, ‘não se irrita’
facilmente, ‘tudo crê, tudo espera, tudo suporta’. 1 Coríntios 13:3, 5, 7. Sem o espírito
de amor, ninguém pode ser semelhante a Cristo. Com esse princípio vivo na mente,
ninguém pode ser como o mundo.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 169.

“Tu és nosso Pai”

9. Ao aceitarmos a Deus como nosso Pai, o que devemos estar dispostos a permi-
8 Lição 1
tir que Ele faça? Isaías 64:8. (Ver Isaías 45:9; Jeremias 18:1-6)

NOTA: “Quando passamos a sentir a nossa completa dependência de Cristo para a


salvação, devemos cruzar os braços e dizer: ‘Não tenho que fazer coisa alguma; estou
salvo; Jesus realizou tudo’? — Não; devemos empregar toda a energia para que pos-
samos tornar-nos participantes da natureza divina. Continuamente devemos estar
vigiando, esperando, orando e trabalhando. Embora façamos tudo o que estiver ao
nosso alcance, não podemos pagar, porém, o resgate da nossa alma. Não podemos
fazer nada para originar fé, pois a fé é o dom de Deus; nem podemos aperfeiçoá-la,
pois Cristo é o Consumador da nossa fé. É tudo de Cristo. Todo o anseio por uma
vida melhor provém de Cristo, e constitui uma evidência de que Ele vos está atraindo
para Si, e de que estais sendo sensíveis a Seu poder atrativo. Deveis ser como barro
nas mãos do oleiro; e se vos submeterdes a Cristo, Ele vos transformará num vaso
para honra, apto para o uso do Mestre.” Bible Echo, 15-05-1892.
“O oleiro toma o barro nas mãos e molda-o de acordo com sua vontade. Ele amassa e
manipula. Dilacera-o, e então junta e comprime as partes separadas. Ele molha e põe
para secar. Ele o deixa de lado por algum tempo, sem nele tocar. Quando o conside-
ra no ponto, continua o trabalho de moldá-lo. Dá-lhe a forma desejada, depois vai
polir o vaso. Deixa-o secar ao sol e coloca no forno. Assim o barro torna-se um vaso
apto para o uso. É desse modo que o grande Artífice deseja moldar-nos e polir-nos.
E assim como o barro está nas mãos do oleiro, devemos estar em Suas mãos. Não
devemos procurar fazer a obra do Oleiro. Nossa parte consiste em submeter-nos à
moldagem do grande Artífice.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 8, 186.

10. Por ser Deus o nosso Pai, que privilégio isso nos dá? Lucas 11:2-4.

NOTA: “A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo. Não que seja ne-
cessário, a fim de tornar conhecido a Deus o que somos; mas sim para nos habilitar
a recebê-Lo. A oração não faz Deus baixar a nós, mas eleva-nos a Ele. ... Exponde
continuamente ao Senhor vossas necessidades, alegrias, pesares, cuidados e temores.
Não O podeis sobrecarregar; não O podeis fatigar. Aquele que conta os cabelos de
vossa cabeça, não é indiferente as necessidades de Seus filhos. ‘Porque o Senhor é
muito misericordioso e piedoso.’ Tiago 5:11. Seu coração amorável se comove ante
as nossas tristezas, ante a nossa expressão delas. Levai-Lhe tudo quanto vos causa
perplexidade. Coisa alguma é demasiado grande para Ele, pois sustém os mundos
e rege o Universo. Nada do que de algum modo se relacione com a nossa paz é tão
insignificante que o não observe. Não há em nossa vida nenhum capítulo demasiado
obscuro para que o possa ler; perplexidade alguma por demais intrincada para que
a possa resolver. Nenhuma calamidade poderá sobrevir ao mais humilde de Seus fi-
lhos, ansiedade alguma lhe atormentar a alma, nenhuma alegria possuí-lo, nenhuma
prece sincera escapar-lhe dos lábios, sem que seja observada por nosso Pai celeste,
ou sem que Lhe atraia o imediato interesse. Ele ‘sara os quebrantados de coração e
liga-lhes as feridas’. Salmos 147:3. As relações entre Deus e cada pessoa são tão parti-
Lição 1 9
culares e íntimas, como se não existisse nenhuma outra por quem Ele houvesse dado
Seu bem-amado Filho.” Caminho a Cristo, 93, 100.

“A manifestação dos filhos de Deus”

11. Por que está esperando toda a criação? Romanos 8:19.

NOTA: A leitura marginal para “criatura” é “criação”.


“Deus ... pagou um grande preço para redimi-los do poder de Satanás, para que pu-
dessem tornar-se filhos e filhas de Deus. Quando eles agem como pecadores, são
contados como pecadores, e devem arrepender-se e fazer as suas primeiras obras de
amor. Os cristãos devem-se amar uns aos outros, como Cristo os amou. Sobre a ma-
nifestação deste amor depende o reconhecimento mundial da verdade do evangelho.
Foi por isso que Cristo orou na última oração a Sua oferta. Os cristãos não devem
agir como crianças indisciplinadas. Perante o mundo, aqueles que alegam ser filhos
de Deus devem demonstrar que deixaram para trás os caminhos imaturos da sua
vida não convertida.” 1888 Marerials, 1791.

12. O que verá toda a criação quando os filhos de Deus forem manifestos? Filipen-
ses 2:15; 1 João 3:1-2.

NOTA: “Cristo confiou à igreja uma sagrada missão. Cada membro deve ser um
conduto através do qual Deus possa comunicar ao mundo os tesouros de Sua graça,
as insondáveis riquezas de Cristo. Nada há que o Salvador deseje tanto como agentes
que representem ao mundo Seu Espírito e Seu caráter. Nada existe que o mundo
necessite mais do que a manifestação do amor do Salvador através da humanidade.
Todo o Céu está à espera de homens e mulheres por cujo intermédio possa Deus
revelar o poder do cristianismo.” Atos dos Apóstolos, 334.
LIÇÃO 2 Sábado, 13-Julho-2019

Lição 2
“O poder de serem feitos filhos de Deus”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o
poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no Seu nome.” João 1:12
ESTUDO DE AJUDA: Parábolas de Jesus, 164-171.

Introdução

“Lembre-se que trabalhando com Cristo como seu Salvador pessoal, Ele é sua força
e sua vitória. Essa é a parte que todos devem assumir. Para todos os que assim agem,
vem a promessa: ‘Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos
filhos de Deus.’ João 1:12. Cristo declara: ‘Porque sem Mim nada podereis fazer.’ João
15:5. E a alma humilde e crente responde: ‘Posso todas as coisas nAquele que me
fortalece.’ Filipenses 4:13.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 39.

“Mortos em ofensas e pecados”

1. Como descreve Paulo a mente daqueles que estão sem Cristo? Romanos 8:5-8;
Efésios 2:1-3.

NOTA: “Muitíssimos dos que hoje compõem nossas congregações estão mortos em
ofensas e pecados. Vão e vêm como a porta sobre seus gonzos. Durante anos, escu-
taram complacentemente as verdades mais solenes e comovedoras, mas não as pu-
seram em prática. Portanto, são cada vez mais insensíveis à preciosidade da verdade.
Os testemunhos comovedores de reprovação e admoestação não os movem ao ar-
rependimento. As mais suaves melodias de origem divina, vindas através de lábios
humanos — a justificação pela fé e a justiça de Cristo — não lhes arrancam uma
manifestação de amor e gratidão. Embora o Mercador celestial lhes exiba as jóias
mais preciosas da fé e do amor, ainda que os convide para dEle comprar o ‘ouro refi-
nado no fogo’ (Apocalipse 3:18), ‘vestidos brancos’ para que se vistam, e ‘colírio’ para
que vejam, endurecem o coração contra Ele e deixam de trocar a sua mornidão pelo
amor e o zelo. Embora professem piedade, negam-lhe o poder. Se continuarem nesse
estado, Deus os repudiará. Estão-se incapacitando para ser membros de Sua família.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 426.

“Mas Deus...”
Lição 2 11
3. Em seu desespero, que clamor por ajuda Paulo fez e quem respondeu ao seu
clamor? Romanos 7:24-25 (1ª parte).

NOTA: “Se temos consciência de nossas necessidades, não devemos empregar nos-
sas forças em lamentação por causa delas. Conquanto nos compenetremos de nossa
condição de desamparo, sem Cristo, não devemos entregar-nos ao desânimo, mas
confiar nos méritos de um Salvador crucificado e ressuscitado. Olhai e vivei. Jesus
empenhou Sua palavra; Ele salvará todos os que a Ele se chegarem.” Patriarcas &
Profetas, 315.
“Que essas almas abatidas, em luta, olhem para o alto. O Salvador inclina-Se sobre a
aquisição de Seu sangue, dizendo com inexprimível ternura e piedade: “Queres ficar
são?” João 5:6. Manda-vos levantar em saúde e paz. Não espereis sentir que estais são.
Crede na palavra do Salvador. Ponde vossa vontade do lado de Cristo. Determinai
servi-Lo, e agindo em obediência a Sua palavra, recebereis forças. Seja qual for a má
prática, a paixão dominante que, devido a longa condescendência, prende tanto a
alma como o corpo, Cristo é capaz de libertar, e anseia fazê-lo. Ele comunicará vida
aos seres “mortos em ofensas”. Efésios 2:1. Porá em liberdade o cativo, preso por fra-
queza e infortúnio e pelas cadeias do pecado.” A Ciência do Bom Viver, 84.

4. Como é respondido o pedido de ajuda do pecador? Efésios 2:4-6.

NOTA: “Seu amor nos envolve e reconduz ao redil. Seu amor nos confere o privilégio
de assentar-nos com Ele nos lugares celestiais. Quando o Sol da Justiça brilha em
nosso coração, e com paz e doce alegria repousamos no Senhor, louvemo-Lo então;
louvemos a quem é a saúde do nosso semblante e nosso Deus. Louvemo-Lo, não só
por nossas palavras, mas consagrando-Lhe tudo o que somos e possuímos. ‘Quanto
deves ao meu Senhor?’ Lucas 16:5. Isso não é possível calcular. Se tudo quanto temos
é dEle, vamos negar-Lhe o que nos pede? Se Ele o requer, vamos segurar de modo
egoísta entre as mãos? Será que vamos retê-lo e aplicá-lo noutro fim qualquer, menos
no de salvar almas?” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 480-481.

5. Que mudança ocorre na vida do cristão convertido? Romanos 6:1-6.

NOTA: “‘Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?’ E
João declara: ‘Esta é a caridade de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; e os
Seus mandamentos não são pesados.’ Romanos 3:31; 6:2; 1 João 5:3. No novo nasci-
mento o coração é posto em harmonia com Deus, ao colocar-se em conformidade
com a Sua lei. Quando esta poderosa transformação se efetua no pecador, passou ele
da morte para a vida, do pecado para a santidade, da transgressão e rebelião para a
obediência e lealdade. Terminou a velha vida de afastamento de Deus, começando a
nova vida de reconciliação, de fé e amor. Então, ‘a justiça da lei’ se cumpre ‘em nós,
que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.’ Romanos 8:4. E a lin-
guagem da alma será: ‘Oh! quanto amo a Tua lei! é a minha meditação em todo o dia.’
12 Lição 2
Salmos 119:97.” O Grande Conflito, 468.

“Necessário vos é nascer de novo”


6. De que maneira descreve Jesus a mudança que deve ocorrer na vida daquele
que se torna cristão? João 3:3-7.

NOTA: “Conquanto não possamos ver o Espírito de Deus, sabemos que os homens
que estão mortos em ofensas e pecados ficam convencidos e convertidos sob Sua atu-
ação. O irrefletido e desgarrado torna-se sério. O empedernido arrepende-se de seus
pecados, e o incrédulo crê. O jogador, o bêbado, o licencioso, tornam-se ajuizados,
sóbrios e puros. O rebelde e obstinado torna-se manso e semelhante a Cristo. Ao
vermos essas modificações no caráter, podemos ter a certeza de que o poder divino
de conversão transformou o homem todo. Não vimos o Espírito Santo, mas vimos a
evidência de Sua obra no caráter transformado dos que haviam sido pecadores endu-
recidos e obstinados. Assim como o vento move com sua força as árvores altaneiras e
derruba-as, também o Espírito Santo pode operar nos corações humanos, e nenhum
homem finito pode restringir a obra de Deus. O Espírito de Deus Se manifesta de
maneiras várias sobre homens diferentes: Um, sob o impulso dessa força tremerá
perante a Palavra de Deus. Suas convicções serão tão profundas que um furacão e
tumulto de sentimento parece agitar-lhe o coração, e todo o seu ser se prostra sob a
força convincente da verdade. Quando o Senhor fala de perdão à alma arrependida,
ela está cheia de ardor, cheia de amor a Deus, cheia de zelo e energia, e o espírito
doador de vida que recebeu não pode ser impedido. Cristo é nele uma fonte que salta
para a vida eterna. Seus sentimentos de amor são tão profundos e ardentes quanto
eram a sua aflição e agonia. Sua alma é como a fonte do grande abismo, aberta, e ele
verte sua ação de graça e louvor, sua gratidão e júbilo, até que as harpas celestiais são
afinadas por notas de regozijo. Ele tem uma história para contar, mas não de maneira
definida, comum, metódica. É uma alma resgatada pelos méritos de Jesus Cristo, e
todo o seu ser se empolga com o reconhecimento da salvação operada por Deus. Ou-
tros são levados a Cristo de maneira mais suave. “O vento assopra onde quer, e ouves
a sua voz; mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é
nascido do Espírito.” Não podeis ver a instrumentalidade em ação, mas sim os seus
efeitos.” Evangelismo, 288-289.

7. Como descreve Paulo essa mudança? 2 Coríntios 5:17 (Compare Gálatas 2:20).

NOTA: “Aqueles que estão satisfeitos em carregar com eles uma grande quantidade
de egoísmo, encontrar falhas, suspeitar; a desconfiança e a discórdia serão tão enga-
nosas que não conhecerão a sua curta medição. Estão cheios dos seus próprios feitos.
Não têm a menor ideia do que significa ser crucificado com Cristo. Humilhar-se é
uma experiência estranha para eles. Antes que possam servir a Deus aceitavelmente,
o eu deve morrer. Palavras de Cristo: ‘Necessário vos é nascer de novo. Aquele que
Lição 2 13
não nascer de novo não pode ver o reino de Deus’, precisam estão voltar ao lar com
poder.” Southern Watchman, 5-12-1899.

“Levando cativo todo o entendimento”

8. Qual será o resultado da vida daquele que permanece em Cristo? O que revela
o pecado na vida? 1 João 3:6; 1 João 2:5-6.

NOTA: “Essa conformidade com Jesus não deixará de ser observada pelo mundo.
É assunto notado e comentado. Pode o cristão não estar consciente da grande mu-
dança, pois quanto mais de perto ele se assemelhar a Cristo no caráter, tanto mais
humilde será sua opinião acerca de si mesmo; mas será vista e sentida por todos ao
redor. Os que têm a mais profunda experiência nas coisas de Deus, são os que mais
completamente estão isentos do orgulho ou exaltação própria. Têm os mais humildes
pensamentos a respeito de si mesmos e os mais exaltados conceitos da glória e exce-
lência de Cristo. Sentem que o mais humilde lugar em Seu serviço é honroso demais
para eles.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 223.

9. Embora não seja o propósito de Deus que os Seus seguidores continuem pecan-
do, que provisão fez Ele para os que caem? 1 João 2:1.

NOTA: “Há os que já experimentaram o amor perdoador de Cristo, e que desejam


realmente ser filhos de Deus, contudo reconhecem que seu caráter é imperfeito, sua
vida faltosa, e chegam a ponto de duvidar se seu coração foi renovado pelo Espírito
Santo. A esses eu desejaria dizer: Não recueis, em desespero. Muitas vezes, teremos
de prostrar-nos e chorar aos pés de Jesus, por causa de nossas faltas e erros; mas não
nos devemos desanimar. Mesmo quando somos vencidos pelo inimigo, não somos
repelidos, nem abandonados ou rejeitados por Deus. Não; Cristo está à destra de
Deus, fazendo intercessão por nós.” Caminho a Cristo, 64.

10. Qual será o resultado quando nos apoderarmos das armas espirituais forneci-
das por Deus? 2 Coríntios 10:3-5.

NOTA: “A obra de ganhar a salvação é de co-participação e cooperação. Deve haver


cooperação entre Deus e o pecador arrependido. Isso é necessário para a formação de
corretos princípios de caráter. Deve o homem fazer veementes esforços para vencer
o que o impede de alcançar a perfeição. Mas, para alcançar êxito, ele depende intei-
ramente de Deus. Por si mesmo o esforço humano não é suficiente. Sem a ajuda do
poder divino ele de nada vale. Deus age e o homem também. A resistência à tentação
deve partir do homem, que por sua vez deve obter de Deus o poder. De um lado se
acham sabedoria infinita, compaixão e poder; do outro debilidade, pecaminosidade
e incapacidade absoluta. Deus quer que governemos nosso ser, mas não nos pode
ajudar sem nosso consentimento e cooperação. O Espírito divino age por meio dos
14 Lição 2
poderes e faculdades concedidos ao ser humano. Não podemos colocar por nós mes-
mos nossos propósitos, desejos e inclinações em harmonia com a vontade divina;
mas se estivermos dispostos, o Salvador fará isso por nós, ‘destruindo os conselhos,
e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo
o entendimento à obediência de Cristo’. 2 Coríntios 10:5.” Atos dos Apóstolos, 482.

“À medida da estatura completa de Cristo”

11. Qual é o propósito de Deus em nossa vida cristã? Efésios 4:13-15; 2 Coríntios
3:18; 1 João 3:2; Mateus 5:48.

NOTA: “O ideal do caráter cristão é a semelhança com Cristo. Acha-se aberta diante
de nós uma senda de progresso contínuo. Temos um objetivo a atingir, uma norma
a alcançar, a qual inclui tudo que é bom, puro, nobre e elevado. Deve haver contínuo
esforço e constante progresso para a frente e para o alto, rumo à perfeição do caráter.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 8, 64.
“A influência do tentador não deve ser considerada desculpa para qualquer má ação.
Satanás rejubila quando ouve os professos seguidores de Cristo apresentarem descul-
pas quanto à sua deformidade de caráter. São essas escusas que levam ao pecado. Não
há desculpas para pecar. Uma santa disposição, uma vida cristã, são acessíveis a todo
filho de Deus, arrependido e crente. O ideal do caráter cristão, é a semelhança com
Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus segui-
dores ser perfeitos na sua. Jesus foi em todas as coisas feito semelhante a Seus irmãos.
Tornou-Se carne, da mesma maneira que nós. Tinha fome, sede e fadiga. Sustentava-
Se com alimento e refrigerava-Se pelo sono. Era Deus em carne. Ele compartilhou da
sorte do homem; não obstante, foi o imaculado Filho de Deus. Seu caráter deve ser
o nosso. Diz o Senhor dos que nEle crêem: ‘Neles habitarei, e entre eles andarei; e Eu
serei o seu Deus e eles serão o Meu povo’. 2 Coríntios 6:16.” O Desejado de Todas as
Nações, 213.

12. De onde vem o poder para a vitória sobre a tentação e o pecado? João 1:12;
Mateus 6:13; Romanos 1:16; 2 Coríntios 4:7.

NOTA: “Somente as vestes que Cristo proveu, podem habilitar-nos a aparecer na


presença de Deus. Estas vestes de Sua própria justiça, Cristo dará a todos os que se
arrependerem e crerem. ‘Aconselho-te’, diz Ele, ‘que de Mim compres... vestes bran-
cas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez.’ Apocalipse 3:18. Este
vestido fiado nos teares do Céu não tem um fio de origem humana. Em Sua huma-
nidade, Cristo formou caráter perfeito, e oferece-nos esse caráter. ‘Todas as nossas
justiças’ são ‘como trapo da imundícia.’ Isaías 64:6. Tudo que podemos fazer de nós
mesmos está contaminado pelo pecado. Mas o Filho de Deus ‘Se manifestou para
tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado’. 1 João 3:5. O pecado é definido como
‘o quebrantamento da lei’. 1 João 3:4. Mas Cristo foi obediente a todos os reclamos
Lição 2 15
da lei. De Si mesmo, disse: ‘Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a
Tua lei está dentro do Meu coração.’ Salmos 40:8. Quando esteve na Terra, disse aos
discípulos: ‘Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai.’ João 15:10. Por Sua obe-
diência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus.
Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em
Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão
levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isso é o que significa estar trajado com as
vestes de Sua justiça.” Parábolas de Jesus, 166-167.
LIÇÃO 3 Sábado, 20-Julho-2019

Lição 3
“Um só Senhor, uma só fé”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “E não rogo somente por estes, mas também
por aqueles que pela sua palavra hão de crer em Mim; para que todos sejam um,
como Tu, ó Pai, o és em Mim, e Eu em Ti; que também eles sejam um em Nós, para
que o mundo creia que Tu Me enviaste.” João 17:20-21.
ESTUDO DE AJUDA: Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 413-420.

Introdução

“Pessoas sinceras verão a cadeia direta da verdade presente. Perceberão suas harmo-
niosas conexões, elo após elo, unindo-se num grande todo e nela se firmarão. A ver-
dade presente não é difícil de ser compreendida, e o povo a quem Deus está condu-
zindo estará unido sobre essa ampla e firme plataforma. Ele não utilizará indivíduos
de fé, opiniões e pareceres diferentes, para espalhar e dividir. O Céu e os santos anjos
estão trabalhando para unir, para conduzir à unidade de fé, em um só corpo. Satanás
se opõe a isso e está determinado a dispersar e dividir e produzir os mais variados
sentimentos, para que a oração de Cristo não seja respondida: “Eu não rogo somente
por estes, mas também por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer em Mim; para
que todos sejam um, como Tu, ó Pai, o és em Mim, e Eu, em Ti; que também eles
sejam um em Nós, para que o mundo creia que Tu Me enviaste.” João 17:20, 21. Jesus
determinou que a fé de Seu povo seja uma. Se uma pessoa sai pregando uma coisa,
e outra uma coisa diferente, como pode alguém crer que sua palavra seja uma só?”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 327.

“Evangelho e Cristo... é o poder de Deus para salvação”

1. Que advertência deu Paulo sobre “evangelhos” alternativos? Gálatas 1:6-9.

NOTA: “A opinião de que não é de consequência alguma o que os homens creiam,


é um dos enganos mais bem-sucedidos de Satanás. Ele sabe que a verdade, recebida
por amor à mesma, santifica a alma de quem a recebe; portanto, está constantemente
a procurar substituí-la por falsas teorias e fábulas, ou por outro evangelho. Desde o
princípio os servos de Deus têm contendido com os falsos ensinadores, não mera-
mente como homens corruptos, mas como inculcadores de falsidades que seriam
fatais à alma. Elias, Jeremias, Paulo, firme e destemidamente se opunham aos que es-
tavam desviando os homens da Palavra de Deus. A liberalidade que considera como
Lição 3 17
sendo sem importância uma fé religiosa correta, não encontrava apoio algum por
parte daqueles santos defensores da verdade.” O Grande Conflito, 520.

2. Contra que particular falso “evangelho” advertiu Paulo os crentes em Roma?


Romanos 6:1-2.

NOTA: “Deixemos hoje que a pergunta chegue ao coração de todo aquele que pro-
fessa o nome de Cristo: ‘Crês tu no Filho de Deus?’ Não ‘Admites que Jesus é o Re-
dentor do mundo?’ Não para acalmar a tua consciência e as consciências dos outros,
dizendo: “Eu creio”, e acho que é tudo o que há para ser feito. Mas crês com todo o
teu coração que Jesus é o teu Salvador? Tu O trazes na tua vida, e transforma Ele o
teu caráter, até seres um com Cristo? Muitos aceitam Jesus como um artigo de crença,
mas não têm n’Ele fé salvadora como seu sacrifício e Salvador. Não têm consciência
de que Cristo morreu para salvá-los da penalidade da lei que transgrediram, a fim
de que possam ser levados de volta à lealdade a Deus. Crês que Cristo, como teu
substituto, paga a dívida da tua transgressão? Não que possas continuar em pecado,
mas sejas salvo dos teus pecados; para que tu, pelos méritos da Sua justiça, possas
ser reintegrado no favor de Deus. Sabes tu que um Deus santo e justo aceitará os
teus esforços para guardar a Sua lei, através dos méritos de Seu amado Filho que
morreu por tua rebelião e pecado? Podes dizer que acredita em Jesus, quando tens
uma apreciação do custo da salvação. Podes fazer essa afirmação quando sentires que
Jesus morreu por ti na cruz cruel do Calvário; quando tu tens uma fé inteligente e
compreensiva de que a Sua morte torna possível que tu cesses de pecar e aperfeiçoes
um caráter justo através da graça de Deus, concedida a ti como a aquisição do sangue
de Cristo.” Advent Review & Sabbath Herald, 24-7-1888.

3. Contra qual falso ‘evangelho’ Paulo advertiu os crentes na Galácia? Gálatas


2:16.

NOTA: “Uma religião legal nunca poderá conduzir pessoas a Cristo; pois é destituída
de amor e de Cristo. Jejuar ou orar quando imbuídos de um espírito de justificação
própria, é uma abominação aos olhos de Deus. A solene assembleia para o culto, a
rotina das cerimônias religiosas, a humilhação externa, o sacrifício imposto, mos-
tram que o que pratica essas coisas se considera justo, e com títulos ao Céu, mas tudo
é engano. Nossas próprias obras jamais poderão comprar a salvação.” O Desejado de
Todas as Nações, 191.
“Disse o Juiz: ‘Todos serão justificados por sua fé, e julgados por suas obras.’ Quão
vividamente aparecia então sua negligência, e quão sábia a medida de Deus de dar a
cada homem uma obra a fazer a fim de promover a causa e salvar seus semelhantes!
Cada um devia demonstrar na família e na vizinhança uma fé viva, mediante a bon-
dade manifestada ao pobre, a compaixão para com o aflito, o empenhar-se em obra
missionária, e o ajudar a causa de Deus com seus recursos. Mas, como aconteceu em
Meroz, a maldição de Deus repousou sobre eles pelo que não fizeram.” Testemunhos
18 Lição 3
Para a Igreja, Vol. 4, 386.

4. Qual é o verdadeiro e único Evangelho de Jesus Cristo? Romanos 1:16.

NOTA: “O evangelho deve ser apresentado, não como uma teoria sem vida, mas
como uma força viva para transformar o caráter. Deus deseja que os que recebem
Sua graça sejam testemunhas do poder da mesma. Aceita francamente aqueles cuja
maneira de proceder mais ofensiva Lhe tem sido; quando se arrependem, comunica-
lhes Seu divino Espírito, coloca-os nos mais altos postos de confiança e envia-os ao
acampamento dos desleais, para Lhe proclamar a ilimitada misericórdia. Quer que
Seus servos dêem testemunho de que, mediante Sua graça, podem os homens possuir
caráter semelhante ao de Cristo e regozijar-se na certeza de Seu grande amor. Quer
que testifiquemos de que Ele não pode ficar satisfeito, enquanto a raça humana não
for reavida e reintegrada em seus santos privilégios de filhos e filhas de Deus.” O De-
sejado de Todas as Nações, 584.
“Agora, pouco tempo nos resta de preparo para a eternidade. Que o Senhor abra os
olhos fechados de Seu povo, e desperte seus sentidos adormecidos, para que possa se
convencer de que o evangelho é o poder de Deus para a salvação daqueles que crêem.
Que vejam a importância de ser uma representação pura e justa de Deus para que o
mundo possa contemplá-Lo na Sua beleza. Possam encher-se do Espírito que nEle
habita, de tal maneira que o mundo não consiga desviá-los da obra de apresentar aos
homens as possibilidades maravilhosas disponíveis diante de toda alma que recebe a
Cristo.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 11.

“Não obedecem ao evangelho”

5. Que resposta exige o Evangelho do cristão? 1 Pedro 4:17; 2 Tessalonicenses 1:7-


8; Romanos 10:16.

NOTA: “É o privilégio de todos dar ao mundo, em sua vida de família, em seus cos-
tumes e práticas e ordem, um testemunho do que o evangelho pode fazer pelos que
lhe obedecem. Cristo veio ao mundo para dar-nos um exemplo daquilo que nos po-
demos tornar. Espera que Seus seguidores sejam modelos de correção em todas as
relações da vida. Deseja que o toque divino se manifeste nas coisas exteriores.” A
Ciência do Bom Viver, 196.

6. Que exemplo nos é dado de como até os líderes se podiam desviar do Evange-
lho? Gálatas 2:11-14.

NOTA: “A igreja foi ameaçada de divisão. Mas Paulo, que viu a subversiva influência
do erro praticado para com a igreja pela duplicidade de atitude da parte de Pedro,
reprovou-o abertamente por dissimular assim seus verdadeiros sentimentos. Na pre-
sença da igreja, Paulo arguiu a Pedro: ‘Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e
Lição 3 19
não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?’ Gálatas 2:14.
Pedro viu o erro em que havia caído, e procurou imediatamente reparar, tanto quan-
to possível, o mal que causara. Deus, que conhece o fim desde o princípio, permitiu
que Pedro revelasse essa fraqueza de caráter, para que o provado apóstolo visse nada
haver em si de que se pudesse vangloriar. Mesmo os melhores homens, se entregues
a si próprios, errarão no julgamento.” Atos dos Apóstolos, 109.

“Um só corpo e um só Espírito”

7. Como aconselha Paulo os crentes a se comportarem a fim de manter a unidade


da igreja? Efésios 4:2-3.

NOTA: “O apóstolo exorta seus irmãos a manifestarem em sua vida o poder da ver-
dade que ele lhes apresentara. Por sua mansidão e bondade, paciência e amor, deviam
exemplificar o caráter de Cristo e as bênçãos de Sua salvação. Só há um corpo, e um
Espírito, um Senhor, uma fé. Como membros do corpo de Cristo, todos os crentes
são animados pelo mesmo espírito e a mesma esperança. Divisões na igreja deson-
ram a religião de Cristo ante o mundo, e dão ocasião aos inimigos da verdade para
justificar o seu procedimento. As instruções de Paulo não foram escritas apenas para
a igreja de seus dias. Era desígnio de Deus que viessem até nós. Que estamos fazendo
para preservar a unidade, nos laços da paz?” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 239.

8. O que deve especialmente unir o povo de Deus? Efésios 4:4-6.

NOTA: “Recebesse o professo povo de Deus a luz tal como lhe refulge da Sua Palavra,
e alcançaria a unidade por que Cristo orou, a qual o apóstolo descreve como ‘a unida-
de do Espírito pelo vínculo da paz.’ ‘Há’, diz ele, ‘um só corpo e um só Espírito, como
também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma
só fé, um só batismo.’ Efésios 4:3-5. Foram estes os benditos resultados fruídos pelos
que aceitaram a mensagem adventista. Vieram de denominações várias, e as barreiras
denominacionais foram arremessadas ao chão; credos em conflito eram reduzidos a
átomos; a esperança de um milênio terreal, em desacordo com a Escritura Sagrada,
foi posta de lado e corrigidas opiniões falsas sobre o segundo advento; varridos o
orgulho e a conformação ao mundo; repararam-se injustiças; os corações se uniram
na mais doce comunhão, e o amor e a alegria reinaram supremos. Se esta doutrina fez
isto pelos poucos que a receberam, o mesmo teria feito a todos, se todos a houvessem
recebido.” O Grande Conflito, 379.

“Um só Senhor”

9. O que significa reconhecer Jesus como Senhor? Lucas 6:46.

NOTA: “O Senhor deseja que todos compreendam que sua prosperidade se acha
20 Lição 3
oculta com Ele em Cristo; que ela depende de sua humildade e mansidão, sua sincera
obediência e devoção. Ao aprenderem do grande Mestre a lição de morrer para o
próprio eu, de não depositar confiança no homem, nem fazer da carne o seu braço,
então, invocando-O eles, o Senhor lhes será socorro presente em todo tempo de ne-
cessidade. Ele os guiará retamente. Estará à sua mão direita para lhes dar conselho.
Dir-lhes-á: ‘Este é o caminho, andai nele.’ Isaías 30:21.” Testemunhos Para a Igreja,
Vol. 7, 212.

10. O que disse Jesus daqueles que afirmaram chamá-lo de “Senhor” e, no entan-
to, recusaram fazer a Sua vontade? Mateus 7:21-23.

NOTA: “Nem todos quantos professam Seu nome e Lhe usam a insígnia são de Cris-
to. Muitos que ensinaram em Meu nome, disse Jesus, serão afinal achados em falta.
‘Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome?
e em Teu nome não expulsamos demônios? e em Teu nome não fizemos muitas ma-
ravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim,
vós que praticais a iniquidade.’ Pessoas há que acreditam estar direito, quando es-
tão erradas. Ao passo que pretendem ter a Cristo por Seu Senhor, e professam fazer
grandes obras em Seu nome, são obreiras da iniquidade. ‘Lisonjeiam com a sua boca,
mas o seu coração segue a sua avareza.’ A Palavra de Deus é para eles ‘como uma
canção de amores, canção de quem tem voz suave, e que bem tange; porque ouvem
as Tuas palavras, mas não as põem por obra’. Ezequiel 33:31, 32. Uma mera profissão
de discipulado, não tem nenhum valor. A fé em Cristo que salva a alma, não é o que
muitos a representam ser. “Crede, crede”, dizem eles, ‘e não necessitais guardar a lei.’
Mas uma crença que não leva à obediência, é presunção. Diz o apóstolo João: ‘Aquele
que diz: Eu conheço-O, e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso, e nele não
está a verdade.’ 1 João 2:4.” O Maior Discurso de Cristo, 145-146.

“Uma só fé, um só batismo”

11. Que maravilhoso exemplo de fé nos é dado? Mateus 8:5-10.

NOTA: “O que é fé? É simplesmente aceitar a palavra de Deus; é crer que Deus fará
exatamente como Ele prometeu.” Signs of the Times, 9-9-1889.

12. O que significa na Bíblia o batismo? Atos 8:35-38 (Compare Marcos 16:16).

NOTA: A nossa palavra portuguesa ‘batizar’ e suas palavras relacionadas vêm da


palavra grega “bapto” que significa cobrir completamente com um fluido, imergir ou
mergulhar. O Novo Testamento nunca menciona algo como aspersão ou derrama-
mento de água sobre bebés, que algumas igrejas chamam de “batismo”.
“Logo depois de nossa volta da reunião campal, eu, juntamente com vários outros, fiz
profissão de fé na igreja [Metodista]. Preocupava-me bastante o assunto do batismo.
Lição 3 21
Jovem como era, não podia ver senão uma única maneira de batismo autorizada nas
Escrituras, e essa era a imersão. Algumas de minhas irmãs metodistas procuraram
em vão convencer-me de que a aspersão era batismo bíblico. O pastor metodista con-
sentia em batizar os candidatos por imersão, se eles conscienciosamente preferissem
aquele método, embora insinuasse que a aspersão fosse igualmente aceitável a Deus.
Finalmente, foi marcado o tempo em que receberíamos essa solene ordenança. Foi
num dia de muito vento que nós, em número de doze, fomos ao mar para sermos
batizados. As ondas encapelavam-se e batiam contra a praia; mas, tendo eu tomado
essa pesada cruz, minha paz era semelhante a um rio. Quando saí da água, sentia-me
quase sem forças, pois o poder do Senhor repousava sobre mim. Senti que dali em
diante não era deste mundo, mas erguia-me daquele túmulo líquido, para uma novi-
dade de vida.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 19-20.
LIÇÃO 4 Sábado, 27-Julho-2019

Lição 4
“Haja em vós o mesmo sentimento”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso
Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós
dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.”
1 Coríntios 1:10.
ESTUDO DE AJUDA: Testemunhos Para a Igreja, Vol. 3, 434-448.

Introdução

“Cristo está conduzindo Seu povo, levando-os à unidade de fé para que possam ser
um, como Ele é com o Pai. Diferenças de opinião devem ser evitadas, para que todos
possam se unir num só corpo e ser um em mente e discernimento. ‘Rogo-vos, porém,
irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa
e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo sentido e
em um mesmo parecer.’ 1 Coríntios 1:10. ‘Ora, o Deus de paciência e consolação vos
conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus, para
que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.’
Romanos 15:5, 6. ‘Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo
amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.’ Filipenses 2:2.” Testemunhos Para
a Igreja, Vol. 1, 324.

“Um novo mandamento”

1. Que mandamento vital deu Cristo aos Seus discípulos? João 13:34-35.

NOTA: “Ao tempo em que essas palavras foram pronunciadas, os discípulos não as
puderam compreender; mas depois de haverem testemunhado os sofrimentos de
Cristo, depois de Sua crucificação, ressurreição e ascensão ao Céu, e após haver o
Espírito Santo repousado sobre eles no dia do Pentecostes, tiveram mais clara com-
preensão do amor de Deus, e da natureza desse amor que deviam possuir uns pelos
outros. Então, pôde João dizer a seus companheiros: ‘Nisto conhecemos o amor: que
Cristo deu a Sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos’. 1 João 3:16.
Depois da descida do Espírito Santo, quando os discípulos saíram para proclamar um
Salvador vivo, seu único desejo era a salvação dos perdidos. Rejubilavam-se na do-
çura da comunhão com os santos. Eram ternos, prestativos, abnegados, voluntários
em fazer qualquer sacrifício pelo amor da verdade. Em seu contato diário entre si,
Lição 4 23
revelavam aquele amor que Cristo lhes ordenara. Por palavras e obras de altruísmo,
procuravam acender esse amor em outros corações.” Atos dos Apóstolos, 306.

2. De que maneiras práticas esse amor se manifesta? 1 Coríntios 13:4-7.

NOTA: A palavra que algumas traduções bíblicas traduzem como “caridade” é pre-
cisamente a mesma palavra traduzida como “amor” em outras partes do Novo Tes-
tamento.
“O amor é um princípio ativo; conserva continuamente diante de nós o bem dos ou-
tros, refreando-nos de praticar atos desatenciosos, a fim de não falharmos em nosso
objetivo de ganhar pessoas para Cristo. O amor não busca seus próprios interesses.
Não levará os homens a buscar seu bem-estar e a satisfação do próprio eu. É o respei-
to que prestamos ao eu, que tantas vezes estorva o crescimento do amor.” Testemu-
nhos Para a Igreja, Vol. 5, 123.

“Quem ama aos outros cumpriu a lei”

3. Que ligação indissolúvel mostra a Bíblia entre a obediência à Lei de Deus e o


amor? Josué 22:5; Romanos 13:8-10; Gálatas 5:14; Tiago 2:8.

NOTA: “‘Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e
de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento.’ Lucas 10:27. Se esse manda-
mento for obedecido, prepara o coração para atender ao segundo, que é semelhante
a esse: ‘Amarás o próximo como a ti mesmo.’ Mateus 22:39. Todos os mandamentos
são resumidos nesses dois. O primeiro inclui todos os quatro mandamentos iniciais,
que mostram o dever do homem para com seu Criador. O segundo compreende os
últimos seis, que apresentam o dever do homem para com seu semelhante. Desses
dois mandamentos dependem a lei e os profetas. Há dois braços imensos sustentando
todos os dez mandamentos, os primeiros quatro e os últimos seis. Esses precisam ser
estritamente obedecidos.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 42.

4. Como descreve João o homem que afirma amar a Deus, mas não demonstra
amor ao seu irmão? 1 João 4:20-21; 1 João 2:9-10.

NOTA: “ ‘Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe
cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?’ (1 João 3:17). Levai a
questão a vossos próprios corações, e respondei como se estivésseis diante do Juiz de
toda a terra. Uma reforma deve ocorrer em todas as famílias, em todas as instituições,
em todas as igrejas. “Não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em ver-
dade.’ (1 João 3:18) ‘Amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer
que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a
Deus; porque Deus é amor. ... Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a
Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nos-
24 Lição 4
sos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos
outros. ... Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem
não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele
temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.’ (1 João
4:7, 8, 10, 11, 20, 21) ‘Se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é
perfeito o Seu amor.’ (1 João 4:12) Estas lições sagradas, se recebidas no coração, tra-
rão a reforma essencial. Muitos perderão o céu a menos que mudem os seus modos
egoístas, indeléveis e antipáticos, e aprendam que o Espírito de Cristo não é egoísta
e desagradável, descortês e sem amor.” Advent Review & Sabbath Herald, 3-4-1900.

“Amas-Me?”

5. Que pergunta vital fez o Senhor três vezes a Pedro? João 21:15-17.

NOTA: Não é fácil na tradução portuguesa transmitir o significado íntima dessa


conversa entre o Senhor e Pedro. Cristo pergunta a Pedro se ele ama o seu Senhor
mais do que estes, os outros discípulos. Ao colocar essa questão, Cristo usa a palavra
“agapan”, o amor de 1 Coríntios 13. Pedro não ousa comprometer-se com tal amor.
Ele conhece muito bem a sua fragilidade. Não se comparará com “estes”, os outros
discípulos, e usa outra palavra para amor, “philein”, o amor entre amigos. Na segunda
vez, o Senhor não pede mais a Pedro que o compare com os seus irmãos. Essa era
fraqueza do apóstolo (ver Mateus 26:33). “Findou aí sua confiança própria. Nunca
mais foram repetidas as velhas afirmações de auto-suficiência.” Parábolas de Jesus,
76. Mas, novamente, Pedro duvida muito da sua constância em se comprometer com
“agapan”. Ele só se comprometerá com “philein”. Na terceira vez, o Senhor adota a
própria palavra de Pedro por amor. Pedro sente que não pode alcançar o padrão de
amor de Cristo e escolheu um dos termos que ele podia ter mais certeza. Então o Se-
nhor pergunta a Pedro se ele se comprometerá com a amizade. Pedro conhece tanto
a sua fraqueza quanto a profunda percepção do Senhor no seu eu interior. “Senhor,
Tu sabes tudo; Tu sabes que eu Te amo “[“philein”].
“Três vezes negara Pedro abertamente o Senhor, e três vezes tirou Jesus dele a certeza
de seu amor e lealdade, insistindo naquela penetrante pergunta, seta aguda ao seu fe-
rido coração. Jesus revelou perante os discípulos reunidos a profundeza do arrepen-
dimento de Pedro, e mostrou quão completamente humilhado se achava o discípulo
outrora jactancioso.” O Desejado de Todas as Nações, 573.

6. Que comissão o Senhor deu três vezes a Pedro? João 21:15-17.

NOTA: “A primeira obra que Cristo confiara a Pedro, ao restaurá-lo ao ministério, foi
apascentar os cordeiros. Era essa uma tarefa em que Pedro pouca experiência tinha.
Requeria grande cuidado e ternura, muita paciência e perseverança. Ela o chamava
a servir aos mais novos na fé, a ensinar os ignorantes, a abrir-lhes as Escrituras e a
educá-los para a utilidade no serviço de Cristo. Até então, Pedro não estava apto para
Lição 4 25
fazer isso, nem mesmo para compreender a importância desse trabalho. Mas esta foi
a obra a que Cristo então o chamou. Para isso o preparara sua própria experiência de
sofrimento e arrependimento.” O Desejado de Todas as Nações, 574.
“Perante a responsabilidade de Pedro, o Salvador primeiro lhe ordenou: ‘Apascenta
os Meus cordeiros’ e depois ordenou-lhe: ‘Apascenta as Minhas ovelhas’. Ao dirigir-
se ao apóstolo, Cristo diz a todos os Seus ministros: ‘Apascenta os Meus cordeiros”.
Quando Jesus admoestou os discípulos a não desprezar os pequeninos, dirigiu-se a
todos os discípulos, em todas as épocas. O seu próprio amor e cuidado pelos filhos
é um exemplo precioso para os seus seguidores.” Advent Review & Sabbath Herald,
30-8-1881.

“O amor de Cristo nos constrange”

7. Qual era o poder controlador na vida dos apóstolos? 2 Coríntios 5:14.

NOTA: “Cristo não fez um serviço limitado. Não mediu o trabalho por horas. Seu
tempo, Seu coração, Sua alma e força foram dadas ao trabalho para o bem da huma-
nidade. Passava os dias em trabalho fatigante; transcorria longas noites prostrado em
oração, pedindo graça e paciência para poder fazer um trabalho mais amplo. Com
fortes gemidos e lágrimas, dirigia Suas petições ao Céu, para que fosse fortalecida a
Sua natureza humana, a fim de poder estar preparado a lutar contra o inimigo e forta-
lecido para cumprir a missão de melhorar a humanidade. Cristo disse aos Seus obrei-
ros: ‘Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também.’ João 13:15.
‘O amor de Cristo nos constrange’, dizia Paulo. 2 Coríntios 5:14. Tal era a norma que
dirigia a sua conduta. Se alguma vez seu ardor no caminho do dever enfraquecia por
momentos, um olhar para a cruz lhe fazia cingir de novo os rins do seu entendimento
(Isaías 11:5), e o impelia no caminho da abnegação. Nos trabalhos pelos irmãos, con-
tava com a manifestação de infinito amor do sacrifício de Cristo, com o seu poder de
subjugar e convencer os corações.” A Ciência do Bom Viver, 500.

8. Que exemplo de serviço amoroso devemos seguir? Filipenses 2:5-8.

NOTA: “O terceiro anjo de Apocalipse 14 é representado como voando velozmente


pelo meio do céu e clamando: ‘Aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus
e a fé de Jesus.’ Ali é mostrada a verdadeira natureza da obra do povo de Deus. Eles
possuem uma mensagem de tão grande importância, que são vistos como voando em
sua apresentação ao mundo. Têm nas mãos o Pão da vida para um mundo faminto. O
amor de Cristo os constrange. Essa é a última mensagem. Não se lhe segue nada mais;
não mais convites de misericórdia a serem dados após essa mensagem ter feito sua
obra. Que fé! Que responsabilidade repousa sobre todos, a fim de levarem as palavras
do gracioso convite! ‘E o Espírito e a esposa dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem!
E quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida.’ Apocalipse
22:17. Quem ouve diga vem. Não apenas os pastores como também o povo. Todos
26 Lição 4
devem unir-se no convite. Não somente por sua profissão, como também em seu ca-
ráter e vestuário, todos precisam exercer vitoriosa influência. Todos são provedores
do mundo, executores da vontade de Alguém que tem legado sagradas verdades aos
homens. Gostaria que todos pudessem sentir a dignidade e a glória do legado a eles
dado por Deus.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 206-207.

“Suportando-vos uns aos outros”

9. Que qualidades deve o cristão manifestar em sua atitude para com os seus se-
melhantes? Colossenses 3:12-15.

NOTA: “Devemos guardar bem todos os pontos; porque Satanás é incansável em seu
trabalho de tentação. Observai bem as vossas palavras; guardai bem o espírito que
estimula as vossas palavras. Permanecei como sentinelas fiéis sobre vossos próprios
atributos defeituosos de caráter, para que não façais nada que se mostre uma pedra
de tropeço para como vosso irmão. Não façais caminhos tortuosos para os vossos
pés, caminhos que desviem os vossos pés do caminho da vida. Desejo que todos se
lembrem que está chegando um dia em que o caso de cada um será revelado. Então
a mancha da peste que contaminou a vossa personagem, a rocha da ofensa que des-
truiu a vossa barca, será vista. Muitos então perceberão que a língua, apesar de ser um
membro pequeno, pode causar um peso de malícia. Muitos, eternamente perdidos,
então, em seu desespero, olham com reprovação aqueles que semearam amargura em
seus corações e plantaram pensamentos suspeitos em suas mentes. Nenhuma provi-
são foi feita para os cristãos se afastarem uns dos outros. Pela nossa união e amor,
devemos revelar o caráter de Cristo.” Advent Review & Sabbath Herald, 27-4-1897.

10. Que conselho nos dá o Senhor a respeito das diferenças entre os irmãos? Ma-
teus 18:15-17.

NOTA: “Não se deve contar a outros o caso de um irmão. Confia-se o caso a uma
pessoa, a outra e mais outra; e o mal continua crescendo até que toda a igreja vem
a sofrer. O correto é resolver o caso “entre ti e ele só”. Esse é o plano divino. ‘Não te
apresses o litigar, para depois, ao fim, não saberes o que hás de fazer, podendo-te con-
fundir o teu próximo. Pleiteia a tua causa com o teu próximo mesmo, e não descubras
o segredo de outro.’ Provérbios 25:8, 9. Não devemos tolerar o pecado em nosso ir-
mão; mas também não o exponhamos ao opróbrio, aumentando assim a dificuldade,
de modo que a repreensão pareça vingança. Vamos corrigi-lo do modo proposto na
Palavra de Deus. Não permitamos que nosso ressentimento resulte em maldade. Não
consintamos que a ferida supure, abrindo-se em termos envenenados, que venham
a deixar nódoa no espírito dos que nos ouvem. Não admitamos que persistam em
nosso espírito e no dele pensamentos de amargura. Vamos até nosso irmão para,
com humildade e sinceridade, conversar com ele sobre o assunto.” Testemunhos Para
a Igreja, Vol. 7, 260-261.
Lição 4 27

“Oh! Quão bom e quão suave é”


11. Como descreveu Davi a união entre os irmãos? Salmo 133.

NOTA: “A religião de Cristo não exige que renunciemos a nossa identidade de ca-
ráter, mas simplesmente que nos adaptemos, até certo ponto, aos sentimentos e ma-
neiras dos outros. Podem-se juntar em uma unidade de fé religiosa muitas pessoas
cujas opiniões, hábitos e gostos em coisas temporais não se acham em harmonia; se,
porém, o amor de Cristo lhes arde no peito, e elas esperam o mesmo Céu como lar
eterno, podem fruir a mais aprazível e inteligente comunhão e a mais admirável das
uniões. Dificilmente há duas pessoas cuja vida seja semelhante em todos os porme-
nores. As provas de uma talvez não sejam as da outra, e nosso coração deve sempre
se abrir em bondosa simpatia e inflamar-se com o amor que Jesus teve por todos os
Seus irmãos.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 65.

12. Que obra fará também o Espírito Santo na unidade entre o povo de Deus?
Efésios 4:13.

NOTA: “Deus está guiando um povo do mundo para a exaltada plataforma da ver-
dade eterna — os mandamentos de Deus e a fé de Jesus. Disciplinará e habilitará
Seu povo. Eles não estarão em divergência, um crendo uma coisa e outro tendo fé e
opiniões inteiramente opostas, e agindo cada qual independentemente do conjunto.
Pela diversidade dos dons e governos que Ele pôs em Sua igreja, todos alcançarão a
unidade da fé. Se alguém forma o próprio conceito no tocante à verdade bíblica, sem
atender à opinião de seus irmãos, e justifica seu procedimento alegando que tem o
direito de pensar livremente, impondo suas ideias então aos outros, como poderá ser
cumprida a oração de Cristo? E se outro e outro ainda se levantam, cada qual afir-
mando seu direito de crer e falar o que lhe aprouver, sem atentar para a fé comum,
onde estará aquela harmonia que existia entre Cristo e Seu Pai, e para cuja existência,
entre Seus irmãos, Cristo orou? Deus está guiando um povo e o estabelecendo sobre
a grande plataforma da fé, os mandamentos de Deus e o testemunho de Jesus. Ele
deu a Seu povo uma cadeia reta de verdade bíblica, clara e coerente. Esta verdade é
de origem celestial e tem sido procurada como um tesouro escondido. Foi extraída
mediante pesquisa cuidadosa das Escrituras e mediante muita oração.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 3, 446-447.
LIÇÃO 5 Sábado, 3-Agosto-2019

Lição 5
“Para com Deus não há acepção de pessoas”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor
Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.” Tiago 2:1
ESTUDO DE AJUDA: Obreiros Evangélicos, 330-336.

Introdução

“Sendo os filhos de Deus um em Cristo, como considera Jesus as classes, as distin-


ções sociais, a separação do homem de seus semelhantes, por causa da cor, da raça,
posição, riqueza, nascimento ou realizações? O segredo da unidade encontra-se na
igualdade entre os crentes em Cristo. A razão de todas as divisões, discórdias e dife-
renças encontra-se na separação de Cristo. Cristo é o centro para o qual todos devem
ser atraídos; pois quanto mais nos aproximamos do centro, tanto mais nos aproxima-
remos uns dos outros em sentimento, em simpatia, em amor, crescendo no caráter e
imagem de Jesus. Para Deus não há acepção de pessoas.” Mensagens Escolhidas, Vol.
1, 259.

“De um só sangue”

1. Como expressou Paulo a irmandade de toda a humanidade? Atos 17:26.

NOTA: “O Salvador ansiava por desdobrar aos discípulos a verdade referente à de-
molição da ‘parede de separação’ (Efésios 2:14) entre Israel e as outras nações — a
verdade de que ‘os gentios são co-herdeiros’ dos judeus, ‘e participantes da promessa
em Cristo pelo evangelho’. Efésios 3:6. Essa verdade foi revelada em parte quando
Ele recompensou a fé do centurião de Cafarnaum, e quando pregou o evangelho aos
habitantes de Sicar. Isso foi ainda mais plenamente revelado por ocasião de Sua visita
à Fenícia, quando curou a filha da mulher cananeia. Essas experiências ajudaram os
discípulos a compreender que entre aqueles a quem muitos consideravam indignos
da salvação, havia pessoas famintas da luz da verdade. Assim buscou Cristo ensinar
aos discípulos a verdade de que, no reino de Deus, não há fronteiras territoriais,
nem classes sociais; que eles deviam ir a todas as nações, levando-lhes a mensagem
do amor do Salvador. Mas não foi senão mais tarde que compreenderam em toda a
plenitude que Deus ‘de um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda
a face da Terra, determinando os tempos já antes ordenados, e os limites da sua ha-
bitação; para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, O pudessem achar;
Lição 5 29
ainda que não está longe de cada um de nós’. Atos 17:26, 27.” Atos dos Apóstolos, 11.

2. Como o profeta expressa Malaquias o mesmo pensamento? Malaquias 2:10.

NOTA: “Deus não reconhece distinção alguma de nacionalidade, etnia ou classe so-
cial. É o Criador de todo homem. Todos os homens são de uma família pela criação,
e todos são um pela redenção. Cristo veio para demolir toda parede de separação e
abrir todos os compartimentos do templo a fim de que todos possam ter livre acesso
a Deus. Seu amor é tão amplo, tão profundo, tão pleno, que penetra em toda parte.
Liberta das ciladas de Satanás os que foram por ele iludidos. Põe-nos ao alcance do
trono de Deus, o trono circundado do arco-íris da promessa.” Parábolas de Jesus, 209.

“A nenhum homem chame comum ou imundo”

3. De que formas procurou Cristo quebrar os preconceitos raciais do povo judeu?


Marcos 7:24-29.

NOTA: “Viram que o Mestre a tratava com indiferença e daí julgaram que os precon-
ceitos dos judeus contra os cananeus Lhe agradavam. Aquele a quem a mulher dirigia
seus rogos, porém, era um compassivo Salvador e, em resposta ao pedido dos discí-
pulos, disse Jesus: “Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.”
Se bem que essa resposta parecesse em harmonia com o preconceito dos judeus, era
uma tácita reprovação aos discípulos, o que vieram a compreender posteriormente,
como a lembrar-lhes o que lhes dissera muitas vezes — que Ele viera ao mundo para
salvar a todos quantos O aceitassem.” O Desejado de Todas as Nações, 280.

4. Como foi trazida a verdade à casa Pedro? Atos 10:9-16; Atos 10:28; Atos 11:4-9.

NOTA: “Quão cuidadosamente agiu o Senhor para vencer o preconceito contra os


gentios, o qual tão firmemente se fixara na mente de Pedro pela sua educação judaica!
Pela visão do lençol e seu conteúdo, procurou Ele tirar da mente do apóstolo esse pre-
conceito, e ensinar a importante verdade de que no Céu não há acepção de pessoas;
que judeus e gentios são igualmente preciosos à vista de Deus; que, por meio de Cris-
to, os pagãos podem se tornar participantes das bênçãos e privilégios do evangelho.”
Atos dos Apóstolos, 76.

5. Que história contou Jesus para mostrar as relações que deveriam existir entre
todos os povos? Lucas 10:25-37.

NOTA: “A grande diferença entre judeus e samaritanos era uma diferença de cren-
ça religiosa, uma questão quanto ao que constitui o verdadeiro culto. Os fariseus
não diziam nada de bom dos samaritanos, mas lançavam sobre eles as mais amargas
maldições. Tão forte era a antipatia entre judeus e samaritanos, que para a mulher
30 Lição 5
de Samaria foi estranho que Cristo lhe pedisse de beber. ‘Como’, disse ela, ‘sendo Tu
judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana?’ (porque, acrescenta o
evangelista, ‘os judeus não se comunicam com os samaritanos’). João 4:9. E quando
os judeus estavam tão cheios de ódio sanguinário contra Cristo que se levantaram no
templo para apedrejá-Lo, não puderam achar melhores palavras para exprimir o seu
ódio que: ‘Não dizemos nós bem que és samaritano e que tens demónio?’ João 8:48.
Além disso, o sacerdote e o levita negligenciaram justamente a obra de que o Senhor
os incumbira, e deixaram a um samaritano odiado e desprezado servir a um seu
compatriota. O samaritano cumprira o mandamento: ‘Amarás o teu próximo como
a ti mesmo’, mostrando assim ser mais justo que os que o condenavam. Arriscando
a vida, tratou do ferido como se fosse seu irmão. Este samaritano representa Cristo.
Nosso Salvador manifestou por nós um amor, que o amor humano jamais pode igua-
lar. Quando estávamos moídos e à morte, compadeceu-Se de nós. Não passou de lar-
go, não nos abandonou desamparados nem nos deixou perecer sem esperança. Não
permaneceu no lar santo e feliz onde era amado por todos os anjos. Viu nossa cruel
necessidade, advogou nossa causa e identificou Seus interesses com os da humani-
dade. Morreu para salvar os inimigos. Rogou por Seus assassinos. Apontando Seu
próprio exemplo, diz aos seguidores: ‘Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros’
(João 15:17), ‘como Eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.’
João 13:34.” Parábolas de Jesus, 206-207.

“A fim de serem vistos pelos homens”

6. Que exemplo de preconceito foi encontrado na igreja primitiva? Tiago 2:1-4.

NOTA: “Jesus não buscou a admiração ou o aplauso do mundo. Não comandou exér-
cito, não governou reino terrestre. Passou pelos ricos e honrados do mundo. Não Se
associou com os líderes da nação. Habitou entre os humilde da terra. Para todas as
aparências, Ele era apenas um homem humilde, com poucos amigos. Assim, pro-
curou Ele corrigir o falso padrão do mundo de julgar o valor dos homens. Mostrou
que eles não devem ser estimados por sua aparência externa. O seu valor moral não
é determinado por suas posses mundanas, por seus bens imóveis ou ações bancárias.
É o coração humilde e contrito que Deus valoriza. Com Ele não há consideração de
pessoas. Os atributos que Ele mais valoriza são pureza e amor, e estes são possuídos
apenas pelo cristão.” The Southern Work, 10.

7. Como condenou Jesus entre os cristãos as distinções baseadas em hierarquia?


Mateus 23:8-12.

NOTA: “Reprovou também a vaidosa ostentação de cobiçar o título de rabi, ou de


mestre. Esse título, declarou, não pertencia a homens, mas ao Cristo. Sacerdotes, es-
cribas e príncipes, expositores e ministradores da lei, eram todos irmãos, filhos do
mesmo Pai. Jesus ensinou positivamente o povo a não dar a nenhum homem um
Lição 5 31
título de honra que indicasse possuir ele domínio sobre sua consciência ou sua fé. Se
Cristo Se encontrasse hoje na Terra, rodeado pelos que usam o título de ‘Reverendo’,
‘Reverendíssimo’, não repetiria Suas palavras: ‘Nem vos chameis, mestres, porque um
só é o vosso Mestre, que é o Cristo’? Mateus 23:10. A Escritura declara a respeito de
Deus: ‘Santo e tremendo [’reverendo’ dizem outras versões] é o Seu nome’. Salmos
111:9. A que ser humano cabe esse título? Quão pouco revela o homem da sabe-
doria e da justiça que o mesmo indica! Quantos dos que aceitam esse título estão
representando mal o nome e o caráter de Deus! Ai, quantas vezes se têm a ambição
mundana, o despotismo e os mais baixos pecados escondido sob as bordadas ves-
tes de um elevado e santo cargo! O Salvador continuou: ‘Porém o maior dentre vós
será vosso servo. E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo
se humilhar será exaltado’. Mateus 23:11, 12. Repetidamente ensinara Cristo que a
verdadeira grandeza se mede pelo valor moral. Na estimativa celeste, a grandeza de
caráter consiste em viver para o bem-estar de nossos semelhantes, em praticar obras
de amor e de misericórdia.” O Desejado de Todas as Nações, 431.

8. Como condena Cristo aqueles que buscam o louvor dos homens? Mateus 23:5-
8; Mateus 6:1-2.

NOTA: “Em palavras assim positivas revelou o Salvador as ambições egoístas que
sempre buscavam lugar e poder, exibindo uma fictícia humildade, enquanto o cora-
ção estava cheio de avareza e inveja. Ao serem as pessoas convidadas a um banquete,
colocavam-se os convivas segundo sua posição, e aqueles a quem se concedia o mais
honroso lugar, eram objeto de maiores atenções e favores especiais. Os fariseus sem-
pre estavam manejando para assegurar-se essas honras. Esse costume Jesus censu-
rou.” O Desejado de Todas as Nações, 430.

“Não será assim entre vós”

9. Que conselho dá Jesus aos Seus seguidores? Lucas 14:7-10.

NOTA: “Nesta parábola, Cristo dá um preceito seguro quanto à maneira apropriada


de nos conduzirmos a nós mesmos, quando tão grandemente honrados a ponto de
sermos convidados como hóspedes para a casa de alguém que é honrado. A palavra
de Deus não apenas estabelece os grandes princípios que devem estar subjacentes às
nossas ações, mas também dá uma regra definida com a qual regular a nossa conduta.
Quão perfeitamente adaptadas são as lições de Cristo para a regulação da socieda-
de! O Senhor deseja que todos os que clamam a Deus como Seu Pai, levem as suas
ações de acordo com os princípios celestiais. Ele teria homens que reconhecessem
suas obrigações para com os seus semelhantes. Não queria que Seus filhos lutassem
pelo lugar mais alto. Nesta parábola, o Senhor mostra-nos que desaprova os esforços
dos homens que buscam ser os maiores. O espírito que insta os homens a buscar o
lugar mais alto é acompanhado de orgulho, egoísmo e auto-estima, e o resultado será
32 Lição 5
que aquele que luta pela mais elevada posição será o mais pequeno. Nada fará um
homem realmente grande exceto ser verdadeiramente bom. Mas aquele que é total-
mente consagrado a Deus não tem a exaltação do ego em vista, mas a glória de Deus.”
Advent Review & Sabbath Herald, 8-10-1895.

10. Que espírito nunca deve ser encontrado entre os seguidores de Cristo? Mateus
20:25-27.

NOTA: “Havia uma diferença entre o Seu reino e os reinos do mundo. ‘Os príncipes
dos gentios’ eram ambiciosos e procuravam lugar e poder; mas seu curso a esse res-
peito resultou de falsas ideias de grandeza e orgulho do coração humano. Entre os
discípulos de Cristo, um estado de coisas inteiramente diferente deveria existir. Não
era aspirar ao domínio sobre os seus irmãos e procurar ser o senhor sobre herança de
Deus.” Signs of the Times, 15-1-1885.

“Cometeis pecado”

11. Como considera Deus aqueles que fazem acepção de pessoas? Tiago 2:9.

NOTA: “Vêm encontrar-se aos pés de Jesus, o rico e o pobre, o letrado e o ignorante,
sem nenhuma ideia de casta ou preeminência mundana. Todas as distinções terres-
tres desaparecem ao contemplarmos Aquele a quem nossos pecados traspassaram. A
abnegação, a condescendência, a infinita compaixão dAquele que era tão exaltado no
Céu, faz envergonhar o orgulho humano, a presunção e as castas sociais. A religião
pura e imaculada manifesta seus celestiais princípios, levando à unidade todos quan-
tos são santificados pela verdade. Todos se unem como almas compradas por sangue,
igualmente dependentes dAquele que os redimiu para Deus.” Obreiros Evangélicos,
330.

12. Que princípio do julgamento de Deus revelou Jesus? Lucas 14:11.

NOTA: “Examinemo-nos e vejamos quantos pensamentos vãos habitam em nossos


corações, o quanto amamos o louvor, como o egoísmo é mostrado em nosso proce-
der, com que frequência julgamos mal o caráter e os motivos dos outros, ou sentimos
desprezo por eles, porque a sua aparência não é agradável. Pensemos como soam as
nossas palavras nos ouvidos de Deus, como os nossos pensamentos egoístas repou-
sam sob a Sua vista, quando julgamos e condenamos outros, que podem ser melhores
de coração e propósito do que nós mesmos ... Os ensinamentos de Cristo desaprovam
a um espírito de auto-justiça que exalta o eu sobre os outros. A vaidade nunca é o
resultado da virtude e da verdadeira piedade. ‘Porquanto qualquer que a si mesmo se
exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.’ (Lucas
14:11).” Signs ofthe Times, 19-2-1885.
LIÇÃO 6 Sábado, 10-Agosto-2019

Lição 6
“Há muitos membros, mas um corpo”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Assim, pois, há muitos membros, mas um cor-
po.” 1 Coríntios 12:20.
ESTUDO DE AJUDA: Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 16-20.

Introdução

“A religião de Cristo não exige que renunciemos a nossa identidade de caráter, mas
simplesmente que nos adaptemos, até certo ponto, aos sentimentos e maneiras dos
outros. Podem-se juntar em uma unidade de fé religiosa muitas pessoas cujas opi-
niões, hábitos e gostos em coisas temporais não se acham em harmonia; se, porém,
o amor de Cristo lhes arde no peito, e elas esperam o mesmo Céu como lar eterno,
podem fruir a mais aprazível e inteligente comunhão e a mais admirável das uniões.
Dificilmente há duas pessoas cuja vida seja semelhante em todos os pormenores. As
provas de uma talvez não sejam as da outra, e nosso coração deve sempre se abrir em
bondosa simpatia e inflamar-se com o amor que Jesus teve por todos os Seus irmãos.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 66.

“Oh! quão bom e quão suave”

1. Como descreve Davi as bênçãos da união entre o povo de Deus? Salmos 133:1-
3.

NOTA: “Os apóstolos diferiam largamente em hábitos e disposição. Havia o publi-


cano Levi Mateus e o ardente zelote Simão, o intransigente inimigo da autoridade
romana; o generoso e impulsivo Pedro, e Judas, de vil espírito; Tomé, leal, se bem que
tímido e temeroso; Filipe, tardio de coração e inclinado à dúvida, e os ambiciosos e
francos filhos de Zebedeu, com seus irmãos. Estes foram reunidos, com suas diferen-
tes faltas, todos com herdadas e cultivadas tendências para o mal; mas, em Cristo e
por meio dEle, deviam fazer parte da família de Deus, aprendendo a tornar-se um
na fé, na doutrina, no espírito. Teriam suas provas, suas ofensas mútuas, suas diver-
gências de opinião; mas enquanto Cristo habitasse no coração, não poderia haver
discórdia. Seu amor levaria ao amor de uns pelos outros; as lições do Mestre condu-
ziriam à harmonização de todas as diferenças, pondo os discípulos em unidade, até
que fossem de um mesmo espírito, de um mesmo parecer. Cristo é o grande centro,
e eles se deveriam aproximar uns dos outros exatamente na proporção em que se
34 Lição 6
aproximassem do centro.” O Desejado de Todas as Nações, 202.

2. Que conselho deu Paulo aos crentes em Filipos? Filipenses 2:1-5.

NOTA: “Irmãos e irmãs, não temos tempo para nos debruçarmos sobre pequenas
diferenças. Pela causa de Deus, ajoelhai-vos em oração! Ide a Deus e pedi que vos dê
um coração limpo. Pedi a Ele para vos ajudar a permanecerdes onde Ele quer que es-
tejais. Trabalhai em harmonia uns com os outros, mesmo que vocês não sejais seme-
lhantes. Vós não sabeis que das folhas de uma árvore não há duas exatamente iguais?
A partir disso, Deus nos ensinaria que entre os Seus servos deve haver unidade na
diversidade.” General Conference Bulletin, 30-3-1903.

“A unidade do Espírito”

3. Que fervoroso pedido fez Paulo aos crentes em Éfeso? Efésios 4:1-3.

NOTA: “Falei sobre a necessidade de trabalhar pela unidade e cultivar a cortesia cris-
tã, ‘procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz’. O efeito da verda-
de sobre o coração é limpá-lo de toda a contaminação. Não aumentará o amor pró-
prio, mas levará o receptor a humilhar o seu coração e a não atribuir nada a si mesmo,
mas a Deus. Deixa de se estimar mais do que seus irmãos. A sua antiga sensibilidade
para reprovar, negligenciar ou desprezar desaparece, e não fica tão facilmente irrita-
do; torna-se gentil e condescendente e exemplifica a simplicidade de Cristo que era
manso e humilde de coração. A sua própria nação e amigos pessoais não são mais as
linhas de fronteira do seu amor. Ama a Jesus de todo o coração e todos os que tentam
ser filhos de Deus amam a si mesmos. Há uma mudança completa na sua vida.” Ad-
vent Review & Sabbath Herald, 3-11-1885.

4. Que exemplos específicos de unidade do povo de Deus Paulo mencionou? Efé-


sios 4:4-6.

NOTA: “Recebesse o professo povo de Deus a luz tal como lhe refulge da Sua Palavra,
e alcançaria a unidade por que Cristo orou, a qual o apóstolo descreve como ‘a unida-
de do Espírito pelo vínculo da paz.’ ‘Há”, diz ele, “um só corpo e um só Espírito, como
também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma
só fé, um só batismo.’ Efésios 4:3-5. Foram estes os benditos resultados fruídos pelos
que aceitaram a mensagem adventista. Vieram de denominações várias, e as barreiras
denominacionais foram arremessadas ao chão; credos em conflito eram reduzidos a
átomos; a esperança de um milênio terreal, em desacordo com a Escritura Sagrada,
foi posta de lado e corrigidas opiniões falsas sobre o segundo advento; varridos o
orgulho e a conformação ao mundo; repararam-se injustiças; os corações se uniram
na mais doce comunhão, e o amor e a alegria reinaram supremos.” O Grande Conflito,
379.
Lição 6 35
“Só há um corpo, e um Espírito, um Senhor, uma fé. Como membros do corpo de
Cristo, todos os crentes são animados pelo mesmo espírito e a mesma esperança.
Divisões na igreja desonram a religião de Cristo ante o mundo, e dão ocasião aos
inimigos da verdade para justificar o seu procedimento. As instruções de Paulo não
foram escritas apenas para a igreja de seus dias. Era desígnio de Deus que viessem até
nós. Que estamos fazendo para preservar a unidade, nos laços da paz?” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 5, 239.

“As coisas que servem para a paz”

5. Que sábio conselho deu Paulo àqueles cujos pontos de vista estavam causando
divisão? Romanos 14:19.

NOTA: “Na união há força; em desunião há fraqueza. Os escolhidos de Deus estão


para revelar ao mundo a sua união uns com os outros. Não é possível para alguns
caminharem sozinhos para o céu, porque não podem concordar com os outros. O
povo de Deus deve ser uma unidade. Se alguns entretêm ideias tão peculiares que
os outros não podem aceitá-las, devem comparar as notas num espírito ensinável, e
todas devem estar dispostas a aprender. Devem fazer os esforços mais árduos para
serem um, a fim de entrarem na unidade da fé nos laços da paz.” Advent Review &
Sabbath Herald, 27-4-1897.

6. Que características devemos cultivar para alcançar a união no vínculo da paz?


Colossenses 3:12-15.

NOTA: “O apóstolo exorta seus irmãos a manifestarem em sua vida o poder da ver-
dade que ele lhes apresentara. Por sua mansidão e bondade, paciência e amor, deviam
exemplificar o caráter de Cristo e as bênçãos de Sua salvação. Só há um corpo, e um
Espírito, um Senhor, uma fé. Como membros do corpo de Cristo, todos os crentes
são animados pelo mesmo espírito e a mesma esperança. Divisões na igreja deson-
ram a religião de Cristo ante o mundo, e dão ocasião aos inimigos da verdade para
justificar o seu procedimento. As instruções de Paulo não foram escritas apenas para
a igreja de seus dias. Era desígnio de Deus que viessem até nós. Que estamos fazendo
para preservar a unidade, nos laços da paz?” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 239.

“Unidade da fé”

7. Qual foi um dos propósitos para os membros receberem os diferentes dons


espirituais na igreja? Efésios 4:11-13.

NOTA: “Pessoas sinceras verão a cadeia direta da verdade presente. Perceberão suas
harmoniosas conexões, elo após elo, unindo-se num grande todo e nela se firmarão.
A verdade presente não é difícil de ser compreendida, e o povo a quem Deus está
36 Lição 6
conduzindo estará unido sobre essa ampla e firme plataforma. Ele não utilizará in-
divíduos de fé, opiniões e pareceres diferentes, para espalhar e dividir. O Céu e os
santos anjos estão trabalhando para unir, para conduzir à unidade de fé, em um só
corpo. Satanás se opõe a isso e está determinado a dispersar e dividir e produzir os
mais variados sentimentos, para que a oração de Cristo não seja respondida: ‘Eu não
rogo somente por estes, mas também por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer
em Mim; para que todos sejam um, como Tu, ó Pai, o és em Mim, e Eu, em Ti; que
também eles sejam um em Nós, para que o mundo creia que Tu Me enviaste.’ João
17:20, 21. Jesus determinou que a fé de Seu povo seja uma.” Testemunhos Para a Igre-
ja, Vol. 1, 327.

8. Embora o povo de Deus tenha dons diferentes, o que devemos fazer para que a
diversidade não se torne divisão? 1 Coríntios 1:10:

NOTA: “Cristo está conduzindo Seu povo, levando-os à unidade de fé para que pos-
sam ser um, como Ele é com o Pai. Diferenças de opinião devem ser evitadas, para
que todos possam se unir num só corpo e ser um em mente e discernimento. ‘Rogo-
vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma
mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo
sentido e em um mesmo parecer.’ 1 Coríntios 1:10. ‘Ora, o Deus de paciência e con-
solação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo
Jesus, para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor
Jesus Cristo.’ Romanos 15:5, 6. ‘Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo,
tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.’ Filipenses 2:2.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 324.

“Nós, que somos muitos, somos um só corpo”

9. Como descreve Paulo a diversidade que existe entre o povo de Deus? Romanos
12:4, 6-8.

NOTA: “‘Estudai esta escritura cuidadosamente. Deus não deu a todos a mesma li-
nha de trabalho. É Seu plano que haja unidade na diversidade. Quando o Seu plano
é estudado e seguido, haverá muito menos atrito na causa da obra.” Pacific Union
Recorder, 29-12-1904.

10. Que figura usou Paulo para demonstrar a importância de cada membro indi-
vidual para toda a igreja? 1 Coríntios 12:12-21.

NOTA: “O Senhor deseja que Sua igreja respeite todos os dons que Ele tem concedi-
do a seus diferentes membros. Sejamos cuidadosos em não permitir que nossa mente
se fixe em nós mesmos, pensando que outras pessoas não podem servir ao Senhor a
menos que trabalhem do mesmo modo que estamos trabalhando. Um obreiro jamais
Lição 6 37
deve dizer: ‘Não quero trabalhar com certa pessoa, porque ela não vê as coisas como
eu vejo. Prefiro trabalhar com alguém que concordará com tudo o que eu disser e
seguirá todas as minhas ideias.’ Aquele com quem esse obreiro se recusa a se associar
pode ter verdades a apresentar que ainda não foram submetidas a consideração. Por
causa da rejeição do obreiro em aceitar a ajuda provida pelo Senhor o trabalho é feito
de modo parcial. O trabalho é prejudicado, a menos que sejam trazidos para ele todos
os dons que Deus concedeu. Muitas vezes o progresso do trabalho foi prejudicado
porque os obreiros pensavam que seus dons eram tudo o que era necessário para o
seu avanço. O Senhor não fez pelo Seu povo o que Ele teria feito se muitos dos obrei-
ros não tivessem limitado o desenvolvimento da obra, recusando-se a cooperar com
obreiros que deveriam ter recebido espaço e encorajamento. Na auto-suficiência, os
homens ignoraram e afastaram aqueles a quem Deus deu uma obra especial.” Pacific
Union Recorder, 29-12-1904.

“Nisto todos conhecerão...”

11. Que conselho dá Paulo aos cristãos a respeito daqueles que trazem divisão
entre o povo de Deus? Romanos 16:17.

NOTA: “Deixai os suspeitos, que pensam e falam mal de seus irmãos, lembrem-se
de que estão fazendo a labuta do diabo. Permiti que cada membro da igreja opere
com determinação, e com oração por ajuda, cure a língua o membro doente. Que
cada um sinta que é seu dever e privilégio passar por cima de pequenas diferenças e
erros sem comentários. Não magnifiqueis os pequenos erros cometidos por alguém,
mas pensai no bem que há nele. Cada vez que esses erros são pensados e discutidos,
eles crescem. Uma montanha é feita de um montículo. Sentimento doentio e falta de
confiança é o resultado.” Australasian Union Conference Record, 15-4-1903.

12. O que disse Cristo ser uma evidência convincente de que somos Seus discípu-
los? João 13:35.

NOTA: “Quanto mais intimamente nos assemelharmos ao nosso Salvador no caráter,


tanto maior será nosso amor para com aqueles pelos quais Ele morreu. Os cristãos
que manifestam mutuamente um espírito de amor altruísta estão dando, em favor de
Cristo, um testemunho que os descrentes não podem contradizer nem a ele resistir.
É impossível calcular o poder de semelhante exemplo. Coisa alguma com tanto êxito
derrotará os ardis de Satanás e seus emissários, coisa alguma contribuirá tanto para
erguer o reino do Redentor, como o fará o amor de Cristo manifesto pelos membros
da igreja. Paz e prosperidade só podem ser usufruídas quando a mansidão e o amor
estão em ativa operação.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 168.
LIÇÃO 7 Sábado, 17-Agosto-2019

Lição 7
“O mundo passa”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Não peço que os tires do mundo, mas que os
livres do mal.” João 17:15
ESTUDO DE AJUDA: O Grande Conflito, 600-602.

Introdução

“Foi-me mostrada a posição elevada e de responsabilidade que o povo de Deus deve


ocupar. Eles são o sal da Terra e a luz do mundo, e devem andar assim como Cristo
andou. Hão de passar por grande tribulação. O presente é um tempo de luta e prova.
Diz nosso Salvador: ‘Ao quem vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu
trono; assim como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono.’ Apocalipse
3:21. A recompensa não é dada a todos quantos professam ser seguidores de Cristo,
mas aos que vencerem assim como Ele venceu. Devemos estudar a vida de Cristo, e
aprender o que seja confessá-Lo diante do mundo.” Testemunhos Para a Igreja, Vol.
1, 303.

“A luz resplandece nas trevas”

1. Qual é a luz que deve brilhar no mundo? 2 Coríntios 4:3-5.

NOTA: “A fim de obter um conhecimento apropriado de nós mesmos, é necessário


olhar no espelho, e ali descobrir nossos próprios defeitos, valer-nos do sangue de
Cristo, a fonte aberta para o pecado e a impureza, em que podemos lavar nossas
vestes de caráter e remover as manchas do pecado. Mas muitos recusam ver seus
erros e corrigi-los; não desejam ter verdadeiro conhecimento de si mesmos. Se de-
sejarmos alcançar elevadas metas em excelência moral e espiritual, devemos viver
em função disso. Estamos sob obrigação pessoal para com a sociedade de fazer isso,
a fim de continuamente exercer influência em favor da lei de Deus. Devemos deixar
nossa luz brilhar de tal modo que todos possam ver que o sagrado evangelho está
tendo influência sobre nosso coração e vida, de que andamos em obediência a seus
mandamentos e não violamos nenhum de seus princípios. Somos em grande medida
responsáveis perante o mundo pela salvação dos que nos rodeiam.” Testemunhos Para
a Igreja, Vol. 4, 58-59.

2. De que forma é o povo remanescente de Deus liberto das suas iniquidades?


Lição 7 39
João 3:17.

NOTA: “Nosso Senhor Jesus Cristo veio a este mundo como o infatigável servo das
necessidades do homem. ‘Tomou sobre Si as nossas enfermidades e levou as nossas
doenças’ (Mateus 8:17), a fim de poder ajudar a todas as necessidades humanas. Veio
para remover o fardo de doenças, misérias e pecado. Era Sua missão restaurar intei-
ramente os homens; veio trazer-lhes saúde, paz e perfeição de caráter.” A Ciência do
Bom Viver, 17.

3. O que está Cristo pedindo que façamos por nosso Pai Celestial? João 17:18;
Mateus 5:16.

NOTA: “Tem-me sido mostrado que os discípulos de Cristo são Seus representantes
na Terra; e é desígnio de Deus que eles sejam luzes nas trevas morais deste mundo,
espalhados por toda parte, nos lugarejos, vilas e cidades, ‘feitos espetáculo ao mundo,
aos anjos e aos homens’. 1 Coríntios 4:9. Se obedecerem aos ensinos de Cristo no
Sermão do Monte, estarão de contínuo buscando a perfeição do caráter cristão, e
verdadeiramente serão a luz do mundo, condutos pelos quais Deus comunicará Sua
divina vontade, a verdade de origem celestial, àqueles que se assentam em trevas e
que não têm nenhum conhecimento do caminho da vida e salvação.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 2, 631.

4. Que vida mostra que é possível viver como uma luz pura para Deus no mundo
de hoje? Génesis 5:21-24.

NOTA: “Cristo veio ao mundo para salvá-lo, para ligar o homem caído ao Deus In-
finito. Os discípulos de Cristo devem ser canais de luz. Mantendo comunhão com
Deus, devem transmitir àqueles que estão em trevas e erro especiais bênçãos celestes.
Enoque não se contaminou com a iniquidade prevalecente em seus dias. Por que
ocorreria o contrário connosco hoje? Podemos, à semelhança de nosso Mestre, ter
compaixão pela humanidade sofredora, piedade dos desafortunados e generosa con-
sideração pelos sentimentos e necessidades dos indigentes, aflitos e desesperados.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 113

“A nação santa”

5. Que características serão vistas em nossas vidas se realmente quisermos refletir


Deus para com aqueles que estão ao nosso redor? 1 Pedro 1:13-16.

NOTA: “Se queremos manifestar o caráter divino sem iludir a nós mesmos, a igreja e
o mundo com um cristianismo hipócrita, temos que desenvolver um relacionamen-
to pessoal com Deus. Se mantivermos comunhão com Ele, seremos Seus ministros,
ainda que não preguemos um só sermão à igreja. Seremos Seus cooperadores apre-
40 Lição 7
sentando a perfeição de Seu caráter através de nossa humanidade.” Testemunhos Para
a Igreja, Vol. 6, 13.

6. Qual será o sinal da verdadeira santidade e lealdade ao nosso Salvador e Cria-


dor? Êxodo 20:8; Salmos 29:2; Apocalipse 14:7.

NOTA: “Nem todos os que professam guardar o sábado serão selados. Muitos há,
mesmo entre os que ensinam a verdade a outros, que não receberão na testa o selo de
Deus. Tinham a luz da verdade, souberam a vontade de seu Mestre, compreenderam
todos os pontos de nossa fé, mas não tiveram as obras correspondentes. Aqueles que
estiveram tão familiarizados com as profecias e com os tesouros da sabedoria divi-
na, deveriam ter agido de conformidade com sua fé. Deveriam ter dirigido sua casa
segundo os mesmos princípios, para que por meio de uma família bem ordenada
pudessem apresentar ao mundo a influência da verdade no coração humano.” Teste-
munhos Para a Igreja, Vol. 5, 213.

“O sacerdócio real”

7. Um sacerdote é aquele que fica entre Deus e o homem. O que é o “sacerdócio


real” que declara Deus ao mundo? 1 Pedro 2:9-10.

NOTA: “Deus declara: ‘Eu Sou o Alfa e o Ómega, o princípio e o fim’. (Apocalipse
1:8) Ele é o benfeitor do universo. As Suas ternas misericórdias estão sobre todas
as Suas obras. ‘Os olhos de todos esperam em Ti, e lhes dás o seu mantimento a seu
tempo. Abres a Tua mão e fartas os desejos de todos os viventes.’ (Salmos 145:15, 16).
É desejo de Deus que o homem proclame a benevolência de Seu caráter. Em palavras
e ações Seu povo deve revelar Sua misericórdia, chamando a atenção para Seus desíg-
nios compassivos. O mundo é deve ver nos crentes fazerem do seu primeiro objetivo
o cumprir a vontade de Cristo, uma verdadeira representação do cristianismo.” Ad-
vent Review & Sabbath Herald, 26-11-1901.

8. Quais são os sacrifícios oferecidos pelo “sacerdócio real” de hoje? Romanos


12:1-2.

NOTA: “No antigo cerimonial judaico era requerido que cada sacrifício fosse sem
mancha. No texto é-nos dito que apresentemos o nosso corpo a Deus em sacrifí-
cio vivo, santo e aceitável, que é o nosso culto racional. Nós somos a obra-prima de
Deus. O salmista, meditando sobre a maravilhosa obra de Deus na estrutura huma-
na, exclamou: “De um modo terrível e maravilhoso fui formado.” Muitos há que são
educados em ciências e estão familiarizados com a teoria da verdade, e não compre-
endem as leis que governam o seu próprio ser. Deus nos deu faculdades e talentos, e é
nosso dever, como Seus filhos e filhas, deles fazer o melhor uso. Se debilitamos essas
faculdades da mente e do corpo em virtude de hábitos errôneos ou tolerância para
Lição 7 41
com o apetite pervertido, ser-nos-á impossível honrar a Deus como é nosso dever.”
Conselhos Sobre o Regime Alimentar, 20.

“A geração eleita”

9. Que obra especial para o mundo é atribuído à última geração do povo de Deus?
Apocalipse 14:6.

NOTA: “Estamos nos aproximando do fim da história da Terra. Temos diante de nós
uma grande obra, a tarefa final de dar a última mensagem de advertência a um mun-
do pecaminoso. Há homens que serão tirados do arado, da vinha, de vários ramos
de trabalho, e enviados pelo Senhor para dar essa mensagem ao mundo. O mundo
encontra-se caótico. Ao olharmos o quadro geral, a perspectiva parece desalentado-
ra. Mas Cristo acena com preciosas promessas a todos os homens e mulheres que
nos causam desânimo. Vê neles qualidades que os habilitarão a ocupar um lugar em
Sua vinha. Se eles continuarem como aprendizes, por meio de Sua providência, Ele
os tornará homens e mulheres capacitados a fazerem uma obra que não está fora de
suas possibilidades; através da comunicação do Espírito Santo, dar-lhes-á poder de
expressão. Muitos campos áridos, não trabalhados, devem ser atingidos por inicia-
dores. A brilhante perspectiva do Campo mundial, como Jesus o viu, inspirará con-
fiança em muitos obreiros que, se começarem em humildade, e puserem o coração
na obra, serão considerados como os homens indicados para o tempo e lugar. ... Ele
corrige o nosso compromisso errado, dando o encargo da obra aos pobres e necessi-
tados nos ásperos recantos da Terra, a homens e mulheres que possuem coração que
pode sentir com os ignorantes e perdidos. O Senhor ensina a esses obreiros como en-
contrar aqueles a quem Ele deseja auxiliar. Eles serão encorajados ao verem as portas
se abrirem, ao penetrarem em lugares nos quais poderão fazer trabalho médico-mis-
sionário. Tendo pouca confiança própria, dão a Deus toda a glória. Suas mãos podem
ser rústicas e inexperientes, mas o coração é suscetível à piedade; eles estão possuídos
de um ardente desejo de fazer alguma coisa que possa aliviar o infortúnio tão intenso;
e Cristo está ao seu lado para ajudá-los.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 271.

10. Como encontrarão esses obreiros proteção contra o ataque final e irado do
maligno? Efésios 6:10-18.

NOTA: “O Grande General não está apenas liderando alguns generais; mas o Capitão
do exército do Senhor está conduzindo os exércitos do céu e da terra para a batalha;
e eles estão marchando para a gloriosa vitória. Todo o soldado deve colocar toda
a armadura de Deus e lutar corajosamente, percebendo que está lutando em plena
vista do universo invisível. Se obedecerem às ordens, o exército do Senhor se sentirá
influenciado pelo Espírito Santo para realizar as obras de Deus. O campo de batalha é
glorificado com a luz que brilha da cruz do Calvário.” Australasian Union Conference
Record, 1-4-1898.
42 Lição 7

“Eu rogo por eles”


11. De que forma estamos incluídos na oração de Jesus por Seus discípulos? João
17:11, 20-21.

NOTA: “Sim; essa oração de Cristo nos abrange. Devíamos ser confortados pelo pen-
samento de que temos um grande intercessor no Céu, apresentando nossas petições
a Deus. ‘Se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.’
1 João 2:1. Na hora da maior necessidade, quando o desânimo subjugaria a alma, é
então que o olhar vigilante de Jesus vê que precisamos de Seu auxílio. A hora da ne-
cessidade do homem é o momento da oportunidade de Deus. Quando falha todo o
apoio humano, Jesus vem em nosso auxílio, e Sua presença dissipa as trevas e dispersa
a nuvem de tristeza.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 529.

12. Quando percebemos a nossa fraqueza e fragilidade, que convite e promessas


nos chegam do Lugar Santíssimo? Hebreus 4:14-16.

NOTA: “Comecemos a trabalhar com aqueles que ainda não receberam ilumina-
ção. ‘É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra’, declara o Salvador, ‘e eis que Eu
estou convosco todos os dias.’ Mateus 28:18, 20. O que precisamos é de fé viva, fé
para proclamar sobre o sepulcro aberto de José que temos um Salvador vivo, que irá
adiante de nós e trabalhará connosco. Deus fará o trabalho, se Lhe fornecermos os
instrumentos. Deve haver entre nós muito mais oração e muito menos espírito de
incredulidade. Devemos cada vez mais erguer perante o mundo as normas. Preci-
samos lembrar que, ao proclamarmos liberdade aos cativos e darmos o pão da vida
aos famintos, Cristo estará sempre ao nosso lado. Ao nos mantermos alerta para a
urgência e importância de nossa obra, a salvação divina será revelada de maneira
muito notável.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 9, 107.
LIÇÃO 8 Sábado, 24-Agosto-2019

Lição 8
“Igreja gloriosa, sem mácula”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “E o Senhor vos aumente, e faça crescer em
amor uns para com os outros, e para com todos, como também o fazemos para con-
vosco; para confirmar os vossos corações, para que sejais irrepreensíveis em santida-
de diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo com todos os
seus santos.” 1 Tessalonicenses, 3:12-13.
ESTUDO DE AJUDA: O Grande Conflito, 469-478.

Introdução

“Cremos sem nenhuma dúvida que Cristo está para vir em breve. Isto não é uma
fábula para nós; é uma realidade. Não temos dúvida, nem por anos temos duvidado
uma só vez, de que as doutrinas que hoje mantemos sejam verdade presente, e de
que nos estamos aproximando do juízo. Estamos nos preparando para encontrar-nos
com Aquele que, acompanhado por uma comitiva de santos anjos, há de aparecer nas
nuvens do céu, para dar aos fiéis e justos o toque final da imortalidade. Quando Ele
vier, não nos purificará de nossos pecados, para remover de nós os defeitos de cará-
ter, nem para curar-nos das fraquezas de nosso temperamento e disposição. Se acaso
esta obra houver de ser efetuada em nós, sê-lo-á totalmente antes daquela ocasião.
Quando o Senhor vier, os que são santos serão santos ainda. Os que houverem con-
servado o corpo e o espírito em santidade, em santificação e honra, receberão então
o toque final da imortalidade. Mas os que são injustos, não santificados e sujos, assim
permanecerão para sempre. Nenhuma obra se fará então por eles para lhes remover
os defeitos e dar-lhes um caráter santo. Naquela ocasião, o Refinador não Se ocupará
com o processo de purificação, para remover-lhes os pecados e a corrupção. Tudo
isso deve ser realizado durante o tempo da graça. É agora que essa obra deve ocorrer
em nós.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 354.

“Adorai ao Senhor na beleza da santidade”

1. Qual é o desejo de Deus para todo o Seu povo? Lucas 1:74-75.

NOTA: “É privilégio nosso ter a luz do Céu a brilhar sobre nós. Foi assim que Enoque
andou com Deus. Não foi mais fácil, para Enoque, viver vida de justiça, do que o é
para nós, presentemente. O mundo dos seus dias não era mais favorável ao cresci-
mento na graça e santidade do que é hoje. Foi pela oração e comunhão com Deus
44 Lição 8
que Enoque foi habilitado a escapar na corrupção que pela concupiscência há no
mundo. Vivemos em meio aos perigos dos últimos dias, e temos de receber nossa
força da mesma Fonte. Temos de andar com Deus. Requer-se de nós a separação do
mundo, pois não podemos conservar-nos livres de sua poluição a menos que sigamos
o exemplo do fiel Enoque.” A Maravilhosa Graça de Deus, 23-outubro.

2. Como descreve Jesus os que terão o privilégio de ver a Deus? Mateus 5:8.

NOTA: “A Bíblia contém instrução a respeito do caráter que os filhos de Deus devem
possuir. ‘Bem-aventurados os limpos de coração’, declara ela, ‘porque eles verão a
Deus.’ Mateus 5:8. ‘Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá
o Senhor.’ Hebreus 12:14. ‘Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é mani-
festado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Ele Se manifestar, seremos
semelhantes a Ele; porque assim como é O veremos. E qualquer que nEle tem esta
esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro.’ 1 João 3:2, 3.” Conselhos
aos Professores, Pais e Estudantes, 429.

“Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde?”

3. Como nos podemos libertar da culpa dos pecados que cometemos? 1 João 1:9.

NOTA: “As condições para obter misericórdia de Deus são simples, justas e razoáveis.
O Senhor não requer de nós atos penosos a fim de que alcancemos o perdão dos pe-
cados. Não precisamos empreender longas e cansativas peregrinações, nem praticar
duras penitências a fim de recomendar nossa alma ao Deus do Céu ou expiar nossas
transgressões; mas o que confessa os seus pecados e os deixa, alcançará misericórdia.
Diz o apóstolo: ‘Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros,
para que sareis.’ Tiago 5:16. Confessai vossos pecados a Deus, que é o único que os
pode perdoar, e vossas faltas uns aos outros. Se ofendestes a vosso amigo ou vizinho,
deveis reconhecer vossa culpa, e é seu dever perdoar-vos plenamente. Deveis buscar
então o perdão de Deus, porque o irmão a quem feristes é propriedade de Deus e,
ofendendo-o, pecastes contra seu Criador e Redentor.” Caminho a Cristo, 37.

4. É o perdão tudo o que precisamos para herdar a vida eterna? Romanos 6:1-2.

NOTA: “Ninguém pode suportar estar com Deus se não estiver constantemente con-
formando sua mentes e coração à Sua vontade e desenvolvendo o caráter à seme-
lhança divina. Ninguém pode ter perdão sem viver a pureza de caráter exemplificada
em Cristo. Nenhum homem pode esperar a felicidade sem a santidade de Deus. Não
podem participar da festa sem a vestimenta da justiça de Cristo, tecida no tear do
céu. Privilégios e oportunidades aperfeiçoados darão a cada alma a capacidade de
obedecer à lei do Seu reino.” Home Missionary, 1-11-1897.
Lição 8 45
“Purifiquemo-nos”

5. Que grandes e preciosas promessas dá Deus àqueles que desejam tornar-se


como Jesus? 1 Coríntios 10:13; Hebreus 2:18; 2 Pedro 2:9; Apocalipse 3:10.

NOTA: “Dizei ao tentado que não olhe às circunstâncias, à fraqueza do próprio eu,
ou ao poder da tentação, mas ao poder da Palavra de Deus. Toda a sua força nos
pertence. ‘Escondi a Tua palavra no meu coração’, diz o salmista, ‘para eu não pecar
contra Ti.’ Salmos 119:11. ‘Pela palavra dos Teus lábios me guardei das veredas do
destruidor.’ Salmos 17:4. Falai ao povo de maneira a incutir ânimo; erguei-os a Deus
em oração. Muitos dos que têm sido vencidos pela tentação são humilhados por seus
fracassos, e sentem ser vão buscar aproximar-se de Deus; mas esse pensamento é
sugestão do inimigo. Quando pecaram, e sentem que não podem orar, dizei-lhes que
é então o momento de orar. Talvez se encontrem envergonhados, e profundamente
humilhados; ao confessarem, porém os seus pecados, Aquele que é fiel e justo lhos
perdoará, purificando-os de toda injustiça. Coisa alguma é aparentemente mais de-
samparada, e na realidade mais invencível, do que a alma que sente o seu nada, e
confia inteiramente nos méritos do Salvador. Pela oração, pelo estudo de Sua Palavra,
pela fé em Sua constante presença, a mais fraca das criaturas humanas pode viver em
contato com o Cristo vivo, e Ele a segurará com mão que nunca a soltará.” A Ciência
do Bom Viver, 181-182.

6. À luz das promessas de Deus, que conselho dá Paulo? 2 Coríntios 7:1.

NOTA: “A vida cristã é uma constante marcha avante. Jesus Se coloca como refina-
dor e purificador de Seu povo; e quando Sua imagem estiver perfeitamente refletida
neles, eles estarão perfeitos e santos, e preparados para a trasladação. Exige-se do
cristão uma obra perfeita. Somos exortados a purificar-nos ‘de toda a imundícia da
carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus’. 2 Coríntios 7:1.
Aí vemos onde está a grande obra. Há um trabalho contínuo para o cristão. Toda vara
da videira-mãe tem de tirar dela vida e força, a fim de dar fruto. João 15:4.” Testemu-
nhos Para a Igreja, Vol. 1, 340.

7. Quem trabalha em cooperação com o cristão para completar a obra de salvação


de todo pecado? Filipenses 2:12-13.

NOTA: “Deus requer de nós que produzamos muito fruto. Ele não dará ordens sem
providenciar poder para cumpri-las. Ele não fará nossa parte do trabalho, nem exige
que façamos a Sua. É Deus quem atua em nós, mas precisamos efetuar nossa ‘salva-
ção com temor e tremor’. Filipenses 2:12. ‘A fé, se não tiver as obras, é morta em si
mesma.’ Tiago 2:17. A fé deve ser confirmada pelas obras; os praticantes das obras são
justificados perante Deus.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 167.
“Ao homem é permitido desempenhar uma parte nessa grande luta pela vida eterna;
46 Lição 8
ele deve responder à operação do Espírito Santo. Será preciso travar uma batalha
para penetrar as defesas das forças das trevas, e o Espírito opera na pessoa para re-
alizar isso. Mas o homem não é um ser passivo, que deve ser salvo na indolência.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 8, 65.

“Sede santos, porque Eu sou santo”

8. Para que tipo de vida nos chamou Deus? 1 Tessalonicenses 4:7.

NOTA: “Somos chamados a representar perante o mundo o caráter de Deus, tal


como ele foi revelado a Moisés. Em resposta à oração de Moisés: ‘Rogo-Te que me
mostres a Tua glória’, o Senhor prometeu: ‘Eu farei passar toda a Minha bondade por
diante de ti.’ Êxodo 33:18, 19. ‘Passando pois o Senhor perante a sua face, clamou:
Jeová, o Senhor, Deus misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em benefi-
cência e verdade; que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniquidade, e
a transgressão, e o pecado.’ Êxodo 34:6, 7. Tal é o fruto que Deus deseja de Seu povo.
Na pureza de seu caráter, na santidade de sua vida, em sua misericórdia e longanimi-
dade e compaixão, devem eles demonstrar que ‘a lei do Senhor é perfeita, e converte
a alma’. Salmos 19:7.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 221.

9. Qual é a medida da santidade para a qual Deus nos chamou? 1 Pedro 1:15-16.

NOTA: “O caráter formado segundo a semelhança divina é o único tesouro que deste
mundo podemos levar para o futuro. Aqueles que nesta vida estão sob a instrução
de Cristo, levarão consigo, para as mansões celestes, todo aprendizado divino. E no
Céu deveremos progredir continuamente. Que importância tem, pois, nesta vida o
desenvolvimento do caráter! Os seres celestiais cooperarão com o agente humano
que procura com fé decidida a perfeição de caráter que se manifeste na ação perfeita.
A todo que se empenha nesta obra, Cristo diz: Estou à tua destra, para te auxiliar.
Colaborando a vontade do homem com a de Deus, ela se torna onipotente. Tudo que
deve ser feito a Seu mando pode ser cumprido por Seu poder. Todas as Suas ordens
são promessas habilitadoras.” Parábolas de Jesus, 176.

“Santa e irrepreensível”

10. Em que detalhes práticos é descrita a santidade? Tito 1:8; 1 Coríntios 3:16-17;
Romanos 12:1; Colossenses 1:22; 1 Pedro 1:15; Efésios 5:27.

NOTA: “Santidade é harmonia com Deus.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 743.
“A santidade é um constante estar de acordo com Deus. Não deveremos esforçar-nos
por ser aquilo que Cristo tão grandemente deseja que sejamos — cristãos de fato e de
verdade — para que o mundo veja em nossa vida uma revelação do poder salvador
da verdade?” Nos Lugares Celestiais, 27-janeiro.
Lição 8 47
“Verdadeira santidade é integridade no serviço de Deus. Essa é a condição da verda-
deira vida cristã. Cristo requer a entrega sem reservas, o serviço não dividido. Exige
o coração, a mente, o intelecto e as forças. O eu não deve ser acariciado. Quem vive
para si mesmo não é cristão.” Parábolas de Jesus, 17.
“Não é genuíno nenhum arrependimento que não opere a reforma. A justiça de Cris-
to não é uma capa para encobrir pecados não confessados e não abandonados; é um
princípio de vida que transforma o caráter e rege a conduta. Santidade é integridade
para com Deus; é a inteira entrega da alma e da vida para habitação dos princípios do
Céu.” O Desejado de Todas as Nações, 388.
“Santidade não é arrebatamento: é inteira entrega da vontade a Deus; é viver por toda
a palavra que sai da boca de Deus; é fazer a vontade de nosso Pai celestial; é confiar
em Deus na provação, tanto nas trevas como na luz; é andar pela fé e não pela vista; é
apoiar-se em Deus com indiscutível confiança, descansando em Seu amor.” Atos dos
Apóstolos, 28.

11. Como descreve a Bíblia aqueles que participaram da primeira ressurreição, na


segunda vinda de Jesus? Apocalipse 20:6.

NOTA: “Podemos não estar vivos quando Cristo vier em poder e grande glória, pois
todos estão sujeitos à morte a qualquer momento, mas se formos justos, em harmo-
nia com a lei de Deus, responderemos à voz que chamará o povo de Deus dos seus
túmulos, e sair para receber a imortalidade. Somente os bem-aventurados e santos
estarão prontos para a primeira ressurreição; porque quando Cristo vier, Ele não mu-
dará o caráter.” Signs of the Times, 9-2-1891.

12. Como descreve a Bíblia aqueles que estão vivos para ver Jesus como Ele é? 1
João 3:2.

NOTA: ““A exortação do apóstolo é: ‘Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo


ânimo.’ É por meio do engajamento nesta obra e pelo exercício da fé viva em Deus
que devemos aperfeiçoar o caráter cristão. A obra de purificação do templo da alma
e preparação para a aparição de Cristo deve ser feito enquanto estamos neste mundo
de tentação. Assim como Cristo nos encontra em caráter quando Ele vem, assim per-
maneceremos.” Signs of the Times, 12-8-1909.
LIÇÃO 9 Sábado, 31-Agosto-2019

Lição 9
“Portanto ide, fazei discípulos”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o
evangelho a toda criatura.” Marcos 16:15.
ESTUDO DE AJUDA: Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 25-28.

Introdução

“Todo o corpo de crentes precisa ser vitalizado pelo Espírito Santo de Deus. Devemos
estudar, planear, economizar e colocar em operação todos os meios possíveis pelos
quais possamos alcançar e abençoar o sofrimento e a humanidade ignorante. A luz
que Deus nos deu como povo não é dada para que possamos valorizá-la entre nós.
Devemos agir em harmonia com a grande comissão dada a cada discípulo de Cristo,
para levar a todo o mundo a luz da verdade.” Advent Review & Sabbath Herald, 12-
8-1909.

“Ensinando-os”

1. Que tarefa Cristo deu à sua igreja? Mateus 28:19-20.

NOTA: “A comissão atinge aos que por intermédio dos discípulos, hão de crer em
Sua Palavra. E todos quantos por Deus são chamados para servirem como embaixa-
dores Seus, devem tomar as lições de piedade prática a eles dadas por Cristo em Sua
Palavra, e ensiná-las ao povo.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 401.

2. Como está ligada a realização dessa tarefa ao fim do mundo? Mateus 24:14.

NOTA: “Uma crise acha-se precisamente diante de nós. Devemos agora, pelo poder
do Espírito Santo, proclamar as grandes verdades para estes últimos dias. Não levará
muito tempo para que todos tenham ouvido a advertência e tomado sua decisão.
Então virá o fim. E a essência mesma de toda fé perfeita consiste em agir bem, no de-
vido tempo. Deus é o grande Obreiro por excelência, e por Sua providência prepara
o caminho para que Sua obra se cumpra. Ele provê oportunidades, estabelece esferas
de influência e condutos para as atividades. Se Seu povo estiver atento às indicações
de Sua providência, e se dispuser a cooperar com Ele, verá cumprido um grande tra-
balho. Seus esforços, dirigidos convenientemente, produzirão resultados cem vezes
maiores do que se poderiam cumprir com os mesmos meios e facilidades por outro
Lição 9 49
instrumento em que Deus não estivesse tão manifestamente atuando.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 6, 24.

“Como ouvirão, se não há quem pregue?”

3. Como expressa Paulo a necessidade das pessoas proclamarem o Evangelho?


Romanos 10:14.

NOTA: “Enquanto os anjos seguram os quatro ventos, cumpre-nos trabalhar com


todas as nossas forças. Precisamos proclamar nossa mensagem sem demora. Perante
o Universo celestial e os homens desta época degenerada, precisamos dar o teste-
munho de que nossa religião é uma fé e um poder, dos quais o Autor é Cristo, e Sua
Palavra o divino oráculo. Pessoas pendem na balança. Ou serão súditas do reino de
Deus ou escravas do despotismo de Satanás. Todos devem ter o privilégio de lançar
mão da esperança embutida no evangelho; mas como podem eles ouvir sem prega-
dor? A família humana está carente de uma renovação moral, um preparo de caráter,
a fim de poder subsistir diante de Deus. Muitos estão prestes a perecer devido aos
erros heréticos que predominam, os quais são calculados para neutralizar a mensa-
gem evangélica. Quem se consagrará agora plenamente para tornar-se coobreiro de
Deus?” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 21.

4. Que história bíblica ilustra como o servo voluntário de Deus pode ser usado
para ganhar uma alma para Cristo? Atos 8:26-39.

NOTA: “Esse etíope representa uma grande classe que necessita ser ensinada por
missionários como Filipe — homens que ouvem a voz de Deus, e vão aonde Ele
mandar. Muitos há que estão lendo as Escrituras sem compreender-lhes o verdadeiro
significado. Em todo o mundo homens e mulheres olham atentamente para o Céu.
De pessoas ansiosas por luz, graça e pelo Espírito Santo, sobem orações, lágrimas e
indagações. Muitos estão no limiar do reino, esperando somente serem recolhidos.
Um anjo guiou Filipe àquele que procurava a luz, e que estava pronto para receber
o evangelho; e hoje, anjos guiarão os passos dos obreiros que permitam ao Espírito
Santo santificar-lhes a língua, educar e enobrecer-lhes o coração. O anjo enviado a
Filipe poderia ter ele próprio feito a obra pelo etíope, mas essa não é a maneira de
Deus agir. É Seu plano que os homens trabalhem por seus semelhantes. Crentes de
todos os séculos têm tomado parte na incumbência dada aos primeiros discípulos.
Todos os que receberam o evangelho, receberam a sagrada verdade para repartir ao
mundo.” Atos dos Apóstolos, 60.

“Pela palavra do seu testemunho”

5. Como conseguiram os antigos santos de Deus superar os ataques de Satanás?


Apocalipse 12:11.
50 Lição 9

NOTA: “Despertai, ó virgens adormecidas, e espevitai as vossas lâmpadas. Com a Bí-


blia em vossas mãos, ide a vossos vizinhos com a mensagem da verdade presente. No
espírito de profundo arrependimento, confessai as vossas negligências passadas na
assembleia do povo de Deus, quando vos encontrais a adorar a Deus. Então o Senhor
perdoará as vossas transgressões e perdoará o vosso pecado. Se achais que não tendes
a capacidade nem o conhecimento necessário para apresentar a verdade aos outros,
lede a Bíblia negligenciada e buscai a compreensão da verdade como ela é em Jesus.
Muitos não desenvolveram um caráter cristão na vida quotidiana e na conversação.
Não têm vivido para o Senhor Jesus e somente para Ele, ganhando diariamente a
aptidão de se unirem com aqueles que venceram pelo sangue do Cordeiro e a palavra
de seu testemunho.” Australasian Union Conference Record, 11-3-1907.

6. Como pode a palavra do nosso testemunho fortalecer e encorajar outros cren-


tes? Hebreus 10:25; Malaquias 3:16-17.

NOTA: “O Senhor tem-me mostrado que grande interesse devia ser tomado pelos
guardadores do sábado em conservar suas reuniões e torná-las interessantes. Há
grande necessidade de manifestar-se mais interesse e energia nesta direção. Todos
devem ter algo para dizer ao Senhor, pois em assim fazendo serão abençoados. Um
livro de memórias é escrito com respeito àqueles que não desertam das reuniões, mas
falam muitas vezes um ao outro. O remanescente deve vencer pelo sangue do Cordei-
ro e pela palavra do seu testemunho. Alguns esperam vencer apenas pelo sangue do
Cordeiro, sem qualquer esforço especial de sua parte. Vi que Deus foi misericordioso
ao nos dar o poder da fala. Ele nos deu uma língua, e somos responsáveis diante dEle
por seu uso. Devemos glorificar a Deus com nossa boca, falando em honra da verda-
de e de Sua ilimitada misericórdia, e vencer pela palavra de nosso testemunho através
do sangue do Cordeiro.” Primeiros Escritos, 114.

“A quem enviarei?”

7. Que apelo para o povo de Deus vem do trono de Deus? Isaías 6:8.

NOTA: “Quando a voz do Senhor pergunta: ‘A quem enviarei, e quem há de ir por


Nós?’ o divino Espírito põe no coração a resposta: ‘Eis-me aqui, envia-me a mim.’
Isaías 6:8. Mas é necessário ter em mente que a brasa viva do altar precisa primeiro
tocar os nossos lábios. Então as palavras que forem faladas serão sábias e santas. Te-
remos sabedoria para escolher o que dizer e o que deixar de dizer. Não tentaremos
revelar nossa habilidade como teólogos. Teremos cuidado de não levantar um espí-
rito combativo ou despertar preconceitos, de introduzir pontos controvertidos de
doutrina. Encontraremos muito sobre o que falar, que não despertará oposição, mas
abrirá o coração para desejar um conhecimento mais profundo da Palavra de Deus.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 324.
Lição 9 51

8. Que promessas fez Deus a alguém que sentiu a sua incapacidade para falar em
nome de Deus? Jeremias 1:6-9.

NOTA: “Ao escolher homens e mulheres para Seu serviço, Deus não indaga se pos-
suem saber, eloquência ou riquezas mundanas. Pergunta: ‘Andam eles com tanta hu-
mildade, que Eu lhes possa ensinar os Meus caminhos? Posso pôr-lhes nos lábios as
Minhas palavras? Representar-me-ão eles?’” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 7, 144.
“Oh, se nós apenas nos apoderarmos destas garantias pela fé viva em nAquele que
tem abundância de conforto e encorajamento para todos nós. Então, louvaríamos ao
Senhor pela manhã, ao meio-dia e à noite. Teríamos uma mensagem de misericórdia
para levar aos outros. O Senhor dos céus quer que tenhamos uma experiência avan-
çada. Ides vós estudar estas palavras? Aceitá-las-eis? Sereis santificados pelas verda-
des que elas ensinam?” General Conference Bulletin, 18-5-1909.

“Assim resplandeça a vossa luz”

9. Além da palavra do nosso testemunho, de que outra forma o seguidor de Deus


é testemunha? Mateus 5:16.

NOTA: “As boas obras dos filhos de Deus são a mais efetiva pregação que os descren-
tes podem ouvir. Eles, os incrédulos, pensam que deve haver um forte motivo atuan-
do no cristão para ele negar-se a si mesmo e usar seus bens na tentativa de salvar os
semelhantes. Esse espírito é diferente daquele do mundo. Tais frutos testificam que
seus possuidores são cristãos genuínos.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 193.

10. Como descreve Isaías esta obra de deixar a luz brilhar? Isaías 55:6-8.

NOTA: “Assim pois a glória de Deus deve brilhar mediante Sua igreja na noite de
trevas espirituais, soerguendo os oprimidos e confortando os que choram. Em todo
nosso redor ouvem-se os gemidos de um mundo de aflições. Em todos os lados há
necessitados e miseráveis. Nosso dever é auxiliar a aliviar e abrandar as dificuldades
e misérias da vida. O serviço prático será muito mais eficiente do que meramente
pregar sermões. Devemos alimentar o faminto, vestir o nu e asilar o desabrigado. E
somos chamados para fazer mais do que isto. As necessidades da alma só o amor de
Cristo pode satisfazer. Se Cristo em nós habitar, nosso coração estará cheio de sim-
patia divina. Abrir-se-ão as fontes cerradas do zeloso amor cristão. Deus requer não
somente as nossas dádivas para os necessitados, mas também nosso semblante amá-
vel, nossas palavras de esperança, nosso cordial aperto de mão. Quando curava os
doentes Cristo punha sobre eles as mãos. Também devemos achegar-nos em contato
íntimo com quem procuramos beneficiar.” Parábolas de Jesus, 227.

“E vi outro anjo”
52 Lição 9

11. Que mensagem especial é o povo de Deus chamado a proclamar nos dias ime-
diatamente anteriores à vinda de Cristo? Apocalipse 14:6-12.

NOTA: “Em Sua grande misericórdia, enviou o Senhor preciosa mensagem a Seu
povo por intermédio dos Pastores Waggoner e Jones. Esta mensagem devia pôr de
maneira mais preeminente diante do mundo o Salvador crucificado, o sacrifício pe-
los pecados de todo o mundo. Apresentava a justificação pela fé no Fiador; convidava
o povo para receber a justiça de Cristo, que se manifesta na obediência a todos os
mandamentos de Deus. Muitos perderam Jesus de vista. Deviam ter tido o olhar fixo
em Sua divina pessoa, em Seus méritos e em Seu imutável amor pela família humana.
Todo o poder foi entregue em Suas mãos, para que Ele pudesse dar ricos dons aos
homens, transmitindo o inestimável dom de Sua justiça ao impotente ser humano.
Esta é a mensagem que Deus manda proclamar ao mundo. É a terceira mensagem
angélica que deve ser proclamada com alto clamor e regada com o derramamento de
Seu Espírito Santo em grande medida.” Testemunhos Para Minsistros, 91.

12. Que mensagem adicional também deve ser dada para alertar o povo de Deus
sobre o seu perigo? Apocalipse 18:1-4.

NOTA: “Existem cristãos verdadeiros em todas as igrejas que não conhecem a ori-
gem do sábado versus domingo, e creem que estão observando o dia que Deus san-
tificou e abençoou. Isto é verdade para os adoradores, mesmo na Igreja Católica; e
enquanto esta ignorância e integridade permanecem, Deus aceita a sua sinceridade;
mas quando a luz desce no seu caminho, Deus exige que entrem em harmonia com
a Sua lei e observem o sábado ordenado por Ele. Chegou o tempo em que a glória do
Senhor é deve encher a terra e em que toda a terra seja iluminada com a Sua glória. O
clamor soa para os sinceros de coração: ‘Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz
o Senhor; e não toqueis nada imundo, E Eu vos receberei; e Eu serei para vós Pai, e
vós sereis para Mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.’ ‘E ouvi outra voz do
céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados,
e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam
até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela.’” Signs of the Times, 19-11-1894.
LIÇÃO 10 Sábado, 7-Setembro-2019

Lição 10
““Conhecida e lida por todos os homens”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Vós sois a luz do mundo.” Mateus 5:14.
ESTUDO DE AJUDA: A Ciência do Bom Viver, 349-355.

Introdução

“Não é questão de pequena importância para uma família o manter a posição de


representantes de Jesus, guardando a lei de Deus em uma comunidade de descrentes.
Requer-se de nós que sejamos cartas vivas, conhecidas e lidas ‘por todos os homens’.
2 Coríntios 3:2. Esta posição envolve terríveis responsabilidades.” Testemunhos Para
a Igreja, Vol. 4, 106.
“O esforço de fazer do lar o que ele deve ser — um símbolo do lar celeste — prepa-
ra-nos para trabalhar em uma esfera mais ampla. A educação recebida mediante o
mostrar terna consideração uns pelos outros, habilita-nos a saber atingir os corações
que precisam aprender os princípios da verdadeira religião. ... A verdade vivida em
casa se faz sentir em desinteressado serviço lá fora. Aquele que vive o cristianismo no
lar, será em toda parte uma brilhante luz.” O Lar Adventista, 38.

“Vós sereis para Mim filhos e filhas”

1. Como usa Deus a família para nos ensinar sobre o nosso relacionamento com
Ele? Efésios 5:21-23; Mateus 6:9; 2 Coríntios 6:17-18.

NOTA: “Aquele que deu Eva a Adão por companheira, operou Seu primeiro milagre
numa festa de casamento. Na sala festiva em que amigos e parentes juntos se alegra-
vam, Cristo começou Seu ministério público. Sancionou assim o matrimônio, reco-
nhecendo-o como instituição por Ele mesmo estabelecida. Ordenou que homens e
mulheres se unissem em santo matrimônio, para constituir famílias cujos membros,
coroados de honra, fossem reconhecidos como membros da família celestial. Cristo
honrou a relação matrimonial tornando-a também símbolo da união entre Ele e os
remidos. Ele próprio é o esposo; a esposa é a igreja, da qual diz: ‘Tu és toda formo-
sa, amiga Minha, e em ti não há mancha.’ Cantares 4:7. Cristo ‘amou a igreja e a Si
mesmo Se entregou por ela, para a santificar, purificando-a, ... para a apresentar a Si
mesmo... santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar a sua própria mulher’.
Efésios 5:25-28.” A Ciência do Bom Viver, 356.
54 Lição 10
2. Que parte desempenharam a mãe e a avó de Timóteo no seu desenvolvimento
espiritual? 2 Timóteo 1:5; 2 Timóteo 3:15.

NOTA: “A responsabilidade repousa especialmente sobre a mãe. Ela, de cujo sangue a


criança se nutre e se forma fisicamente, comunica-lhe também influências mentais e
espirituais que tendem a formar-lhe a mente e o caráter. Foi Joquebede, a hebréia que,
fervorosa na fé, não temeu ‘o mandamento do rei’ (Hebreus 11:23), a mãe de Moisés,
libertador de Israel. Foi Ana, a mulher de oração e espírito abnegado, inspirada pelo
Céu, que deu à luz Samuel, a criança divinamente instruída, juiz incorruptível, fun-
dador das escolas sagradas de Israel. Foi Isabel, a parenta e especial amiga de Maria
de Nazaré, que gerou o precursor do Messias.” A Ciência do Bom Viver, 372.

4. Como se deve manifestar o padrão divino de nossos relacionamentos em nos-


sas famílias terrestres? Efésios 4:32; 5:1-2.

NOTA: “‘Conhecemos o amor nisto: que Ele deu a Sua vida por nós, e nós devemos
dar a vida pelos irmãos. Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão
necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?’ (1 João
3:16, 17) O próprio Cristo tornou-Se pobre por amor a nós, para que, por meio da
Sua pobreza, entrássemos na possessão de riquezas eternas. Ele adotou os pobres e
os sofredores como Seu próprio tesouro peculiar e deixou-os aos cuidados da Sua
igreja. Os Seus discípulos devem ser mordomos dos Seus dons e usar as Suas graças
para aliviar a humanidade sofredora. Eles devem alimentar e vestir, e abrigar aqueles
que precisam. Os pais devem apresentar aos seus filhos o exemplo de serem almas de
Deus, a fim de que eles, por sua vez, possam tornar-se missionários, possam ser bon-
dosos, misericordiosos, bondosos e pacientes trabalhadores junto com Deus. Devem
trabalhar como co-parceiros com Cristo para restaurar, curar e salvar aqueles que
estão perecendo.” Advent Review & Sabbath Herald, 15-10-1895.

“Vós sois a luz do mundo”

5. Qual é o propósito de Deus para o lar cristão? Mateus 5:16.

NOTA: “Uma casa cristã bem ordenada é um poderoso argumento em favor da re-
alidade da religião cristã, argumento que o incrédulo não pode contradizer. Todos
podem ver que há na família uma influência em atividade, a qual afeta os filhos, e
que o Deus de Abraão está com eles. Se os lares dos professos cristãos tivessem um
molde religioso correto, exerceriam uma poderosa influência para o bem. Seriam na
verdade ‘a luz do mundo’. Mateus 5:14.” Patriarcas & Profetas, 144.

6. Que jovens na Bíblia mostram o poder missionário de uma educação piedosa?


2 Reis 5:1-5; Daniel 1:1-17.
Lição 10 55
NOTA: “Os missionários do Mestre preparam-se melhor para a obra lá fora em lares
cristãos, onde Deus é temido, onde Deus é amado, onde Deus é adorado, onde a fide-
lidade se tornou segunda natureza, onde não se permite dar aos deveres domésticos
descuidosa e casual atenção, onde a tranquila comunhão com Deus é considerada
essencial ao fiel cumprimento dos deveres diários.” O Lar Adventista, 35.

7. Deus teve uma obra importante para Moisés, Samuel e João Batista. O que fala
a Bíblia sobre as famílias em que foram criados? Êxodo 2:1-10; 1 Samuel 1; Lucas
1:5-6.

NOTA: “Deus pretende que as famílias da Terra sejam um símbolo da família do Céu.
Os lares cristãos, estabelecidos e mantidos conforme o plano de Deus, contam-se en-
tre os Seus meios mais eficazes para a formação do caráter cristão e para o avanço de
Sua obra. Se os pais desejam ver em sua família um resultado diferente, consagrem-
se inteiramente a Deus eles mesmos, e cooperem com Ele na obra por cujo meio se
possa realizar uma transformação em sua família. Quando nossa própria casa for o
que deve ser, não deixaremos que nossos filhos cresçam na ociosidade e indiferença
para com os reclamos de Deus em favor dos necessitados que os rodeiam. Como he-
rança do Senhor, estarão habilitados para empreender a obra onde estão. Desses lares
resplandecerá uma luz que se revelará em favor dos ignorantes, levando-os à fonte
de todo o conhecimento. Exercerão influência poderosa em prol de Deus e de Sua
verdade.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 6, 430.

“Cantai a Deus, cantai louvores ao Seu nome”


8. Como se importa Deus com aqueles que não têm uma família terrestre? Salmos
68:5; Salmos 27:10; Mateus 19:29.

NOTA: “Se consagrarmos a vida a Seu serviço, nunca chegaremos a situações para
as quais Deus não haja feito provisão. Qualquer que seja nossa situação, temos um
Guia para nos dirigir o caminho; quaisquer que sejam nossas perplexidades, temos
um conselheiro infalível; quaisquer que sejam nossas aflições, privações ou solidão,
temos um Amigo compassivo. Se em nossa ignorância dermos passos errados, Cristo
não nos abandona. Ouviremos Sua voz clara e distinta: ‘Eu sou o caminho, e a verda-
de, e a vida.’ João 14:6. ‘Livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito
e ao que não tem quem o ajude.’ Salmos 72:12.” Parábolas de Jesus, 88.
“Podem os cristãos fruir a alegria da comunhão com Cristo; é-lhes dado possuir a
luz do Seu amor, o perpétuo conforto de Sua presença. Cada passo da vida nos pode
levar mais perto de Jesus, pode-nos trazer uma mais profunda experiência de Seu
amor, conduzindo-nos um passo mais próximo do bendito lar de paz. Não rejeite-
mos, pois, nossa confiança, mas tenhamos firme certeza, mais firme que nunca. “Até
aqui nos ajudou o Senhor” (1 Samuel 7:12), e nos ajudará até o fim. Olhemos aos
marcos miliários, que nos recordam o que o Senhor tem feito para nos confortar e
56 Lição 10
salvar da mão do destruidor. Conservemos sempre vivas na memória todas as ternas
misericórdias que Deus tem tido para connosco — as lágrimas por Ele enxugadas,
as dores que suavizou, as ansiedades que desvaneceu, os temores que dissipou, as
necessidades que supriu, as bênçãos que concedeu — e fortalecemo-nos assim para
tudo quanto nos aguarda no restante de nossa peregrinação.” Caminho a Cristo, 125.

9. Compreende Deus os corações daqueles que estão sozinhos? Salmos 68:5-6 1ª


parte; Isaías 54:5.

NOTA: “Nossa obra neste mundo é viver para o bem de outros, para abençoá-los,
para ser hospitaleiros; e com frequência, não é senão à custa de algum incômodo
que podemos hospedar aqueles que em verdade necessitam de nossos cuidados, e do
benefício de nossa companhia e de nosso lar.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 645.
“Tais atos de cortesia foram reputados por Deus suficientemente importantes para
serem registados em Sua Palavra; e mais de mil anos depois, esses atos foram mencio-
nados por um inspirado apóstolo: ‘Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por
ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.’ Hebreus 13:2. O privilégio concedido
a Abraão e a Ló não nos é negado. Mostrando hospitalidade aos filhos de Deus, nós
também podemos receber os Seus anjos em nossa morada. Mesmo nos dias atuais,
anjos em forma humana entram no lar dos homens e são aí hospedados por eles. E
os cristãos que vivem à luz do rosto de Deus estão sempre acompanhados por anjos
invisíveis, e esses seres santos deixam após si uma bênção em nosso lar.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 6, 342.

10. Que conselho deu Paulo àqueles que, como ele, estavam sozinhos? Filipenses
4:11; 1 Coríntios 7:32-35.

NOTA: “Todo santo que se aproximar de Deus com coração verdadeiro, dirigin-
do-Lhe com fé suas sinceras petições, verá suas orações atendidas. Sua fé não deve
largar as promessas de Deus, caso vocês não vejam ou sintam a imediata resposta
a suas orações. Não temam confiar em Deus. Descansem em Sua firme promessa:
‘Pedi e recebereis.’ João 16:24. Deus é demasiado sábio para errar, e demasiado bom
para negar qualquer coisa boa a Seus santos, que andam na retidão. O homem é
falível, e embora suas orações sejam dirigidas ao alto por um coração sincero, nem
sempre pede aquilo que lhe convém, ou que seja para a glória de Deus. Assim sendo,
nosso sábio e bom Pai ouve nossas orações e, por vezes, responderá imediatamen-
te; dá-nos, porém, aquilo que é para nosso máximo bem e Sua glória. Deus nos dá
bênçãos; caso nos fosse possível penetrar Seus planos, veríamos claramente que Ele
sabe o que é melhor para nós, e que nossas orações são atendidas. Não nos é conce-
dida coisa alguma que seja prejudicial, mas a bênção de que necessitamos, em lugar
daquilo que pedimos e que não nos faria bem, mas mal.” Testemunhos Para a Igreja,
Vol. 1, 120.
Lição 10 57
“Em ti serão benditas todas as famílias da terra”

11. Através de que linhagem todas as famílias da terra deveriam ser abençoadas?
Génesis 12:1-4.

NOTA: “Deus fez a promessa a Abraão: ‘Em ti serão benditas todas as famílias da
terra’. A Abraão foi desdobrado o propósito de Deus para a redenção da raça. O Sol da
justiça brilhou sobre ele e suas trevas foram dispersas. Cristo declarou: ‘Abraão, vosso
pai, exultou por ver o Meu dia, e viu-o, e alegrou-se.’” Youth’s Instructor, 13-9-1900.

12. que bênção é essa, e através de quem vem ela para nós e nossas famílias? Atos
3:25-26.

NOTA: “O evangelho é um grande simplificador dos problemas da vida. Suas instru-


ções, quando atendidas, resolveriam muita perplexidade e salvar-nos-iam de muitos
erros. Ensina-nos a estimar as coisas em seu justo valor, e a dedicar o melhor de nosso
esforço às de maior valia — as que hão de permanecer. ... Não devem deixar-se afastar
do alvo mais elevado. Lembrem-se de que o lar da Terra deve ser o símbolo e o pre-
paro para o do Céu. A vida é uma escola de preparo, na qual pais e filhos devem gra-
duar-se para a escola superior das mansões de Deus.” A Ciência do Bom Viver, 363.
“O evangelho é a influência santificadora de nosso mundo. Sua influência nos cora-
ções trará harmonia.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 8, 77.
LIÇÃO 11 Sábado, 14-Setembro-2019

Lição 11
“Não sabes...”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Aconselho-te que de mim compres ouro pro-
vado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apa-
reça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.”
Apocalipse 3:18
ESTUDO DE AJUDA: Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 87-90.

Introdução

“Perguntei a significação da sacudidura que eu vira, e foi-me mostrado que era de-
terminada pelo testemunho direto contido no conselho da Testemunha verdadeira à
igreja de Laodiceia. Isto produzirá efeito no coração daquele que o receber, e o levará
a empunhar o estandarte e propagar a verdade direta. Alguns não suportarão esse
testemunho direto. Levantar-se-ão contra ele, e isto é o que determinará a sacudidu-
ra entre o povo de Deus. Vi que o testemunho da Testemunha verdadeira não teve a
metade da atenção que deveria ter. O solene testemunho de que depende o destino
da igreja tem sido apreciado de modo leviano, se não desatendido de todo. Tal teste-
munho deve operar profundo arrependimento; todos os que o recebem de verdade,
obedecer-lhe-ão e serão purificados.” Primeiros Escritos, 270.

“A Testemunha fiel e verdadeira”

1. Quem é Aquele que se dirige à igreja dos laodiceanos? Apocalipse 3:14.

NOTA: “Os nomes das sete igrejas são símbolos da igreja em diferentes períodos da
era cristã. O número sete indica plenitude, e simboliza o fato de que as mensagens
se estendem até o fim do tempo, enquanto os símbolos usados revelam o estado da
igreja nos diversos períodos da história do mundo.” Atos dos Apóstolos, 327.
“O Espírito Santo ... vem ao mundo como representante de Cristo. Ele não é apenas a
testemunha fiel e verdadeira da Palavra de Deus, mas é o pesquisador dos pensamen-
tos e propósitos do coração. Ele é a fonte para a qual devemos procurar eficiência na
restauração da imagem moral de Deus no homem ... a Sua influência transformadora
veio trazer até mesmo os pensamentos em harmonia com a vontade de Deus, e es-
tabelecer uma conexão viva entre a terra e o céu.” Advent Review & Sabbath Herald,
8-10-1908.
Lição 11 59
2. Que declaração solene a fiel e verdadeira Testemunha faz aos laodiceanos e a
todas as igrejas? Apocalipse 3:15.

NOTA: “‘Conheço as tuas obras’ (não tua profissão), diz a Testemunha Verdadeira.
Apocalipse 3:1. Deus está agora peneirando o Seu povo, provando os seus propósitos
e motivos. Muitos não serão mais do que palha — nenhum trigo, nenhum valor ne-
les.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 51.
“Ver-se-á, no dia do ajuste final de contas, que Deus esteve relacionado com cada
pessoa individualmente. Há uma testemunha invisível de toda ação praticada na
vida. ‘Eu sei as tuas obras’, diz Aquele que ‘anda no meio dos sete castiçais de ouro.’
Apocalipse 2:1. Sabe-se que oportunidades foram negligenciadas, e quão infatigáveis
têm sido os esforços do Bom Pastor em buscar os que estavam errantes por caminhos
tortuosos, e trazê-los de volta ao trilho da segurança e da paz.” Testemunhos Para a
Igreja, Vol. 5, 435.

“Não és frio nem quente”

3. Como descreve a Testemunha fiel e verdadeira o estado espiritual da igreja de


Laodiceia? Apocalipse 3:15.

NOTA: “Satanás quer que vocês sejam cristãos nominais, pois assim poderão melhor
servir aos seus desígnios. Se têm uma forma de piedade e não a piedade verdadeira,
ele os pode usar para seduzir outros ao mesmo caminho, isto é, a se iludirem a si
mesmos. Algumas pobres vidas olharão para vocês em vez de porem os olhos na nor-
ma bíblica, e não chegarão mais alto. São tão bons quanto vocês, e ficam satisfeitos.”
Testemunhos Para a Igreja, Vol. 5, 162.
“Fossem vocês frias e haveria alguma esperança de se converterem; mas quando a
justiça própria enlaça alguém, em lugar da justiça de Cristo, o engano é tão difícil de
ser visto e a justiça própria tão dura de ser expelida, que a solução do caso se torna
mais trabalhosa. Um pecador não convertido, sem religião, está em melhores condi-
ções que tais pessoas.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 175.

4. Como descreve a Testemunha fiel e verdadeira a Sua reação com aqueles que
estão espiritualmente mornos? Apocalipse 3:16.

NOTA: “A Testemunha Verdadeira aborrece essa mornidão. Causa-Lhe desgosto a


indiferença dessa classe de pessoas. Diz Ele: ‘Quem dera fosses frio ou quente!’ Apo-
calipse 3:15. Como água morna, são nauseantes a Seu paladar. Nem são desinteres-
sados nem egoistamente obstinados. Não se empenham inteiramente e de coração
na obra de Deus, identificando-se com seus interesses; mas se mantêm afastados e
estão prontos a deixar seus postos quando os mundanos interesses pessoais o exijam.
Precisam da obra interior da graça no coração.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 4, 87.
“Este relato é feito para especial benefício dos que vivem nestes últimos dias. Muitos
60 Lição 11
que tiveram grande luz não a apreciaram e aproveitaram como era seu privilégio
fazer. Não praticaram a verdade. E por isso o Senhor trará para dentro os que têm
vivido de acordo com toda a luz que tiveram. E os que foram brindados com oportu-
nidades para compreender a verdade, e que não obedeceram a seus princípios, serão
dominados pelas tentações de Satanás para exaltação pessoal. Negarão os princípios
da verdade na prática, trazendo descrédito para a Causa de Deus. Cristo declara que
vomitará a estes de Sua boca, deixando que sigam seu próprio procedimento para
se distinguirem. Esse procedimento realmente os torna preeminentes como homens
que são chefes de família infiéis. O Senhor dará Sua mensagem aos que têm andado
de acordo com a luz que possuem, e os reconhecerá como sinceros e fiéis, segundo a
avaliação de Deus. Esses homens tomarão o lugar daqueles que, tendo luz e conhe-
cimento, não andaram no caminho do Senhor, mas na imaginação de seu próprio
coração não santificado.” Mensagens Escolhidas, Vol. 3, 421-422.

“Não sabes...”

5. Como se considera a igreja de Laodiceia? Apocalipse 3:17, 1ª parte.

NOTA: “Que maior engano pode sobrevir à mente humana do que a confiança de
estar correto, quando se está totalmente errado! A mensagem da Testemunha Verda-
deira encontra o povo de Deus em triste engano, todavia sincero nesse engano. Eles
não sabem que sua condição é deplorável à vista de Deus. Enquanto aqueles que são
abordados se lisonjeiam de achar-se em exaltada condição espiritual, a mensagem
da Testemunha Verdadeira destrói sua segurança com a surpreendente denúncia de
seu verdadeiro estado espiritual de cegueira, pobreza e miséria. Esse testemunho tão
incisivo e severo não pode ser um engano, pois é a Testemunha Verdadeira quem
fala, e Seu testemunho tem de ser correto. Difícil é aos que se acham seguros em suas
realizações, e que se acreditam ricos em conhecimento espiritual, receber a mensa-
gem que declara se acharem enganados e necessitados de todas as graças espirituais.
O coração não santificado é ‘enganoso... mais do que todas as coisas, e perverso’.
Jeremias 17:9. Vi que muitos se estão lisonjeando de ser bons cristãos, os quais não
têm um raio de luz de Cristo. Não têm por si mesmos uma viva experiência na vida
religiosa.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 3, 252-253.
“Especialmente devem nossos pastores precaver-se contra a indolência e o orgulho,
que têm a tendência de crescer pela percepção de que possuímos a verdade e argu-
mentos fortes que nossos oponentes não podem refutar. Embora as verdades que
manejamos sejam poderosas para derrubar as fortalezas dos poderes das trevas, há
perigo de negligência da piedade pessoal, pureza de coração e inteira consagração a
Deus. Há perigo de que sintam que são ricos e abastados, enquanto necessitam das
qualificações essenciais aos cristãos.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 3, 210.

6. Como vê a Testemunha fiel e verdadeira a igreja de Laodiceia? Apocalipse 3:17,


última parte.
Lição 11 61

NOTA: “Foi-me mostrado que a incredulidade nos testemunhos de advertência,


animação e reprovação, está afugentando a luz do povo de Deus. A incredulidade
fecha-lhes os olhos, de modo que se acham ignorantes de sua verdadeira condição.
A Testemunha Verdadeira assim descreve a cegueira deles: ‘E não sabes que és um
desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.’ Apocalipse 3:17. Está desaparecendo
a fé na próxima vinda de Cristo. “Meu Senhor tarde virá” (Mateus 24:48), não se diz
apenas no coração, mas exprime-se também em palavras e ainda mais decididamen-
te nas obras. A insensatez, neste tempo de espera, está entorpecendo os sentidos do
povo de Deus quanto aos sinais dos tempos. A terrível iniquidade que predomina
requer a máxima diligência e o testemunho vivo, a fim de manter o pecado excluído
da igreja. A fé tem estado a decrescer assustadoramente, e só mediante o exercício
pode ela aumentar.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 3, 255-256.

“Aconselho-te...”

7. Para restaurar a igreja de Laodiceia, que precioso conselho dá a Testemunha


fiel e verdadeira? Apocalipse 3:18.

NOTA: “A Testemunha Verdadeira aconselha-nos a comprar dEle ouro provado no


fogo, vestidos brancos e colírio. O ouro aqui recomendado como tendo sido prova-
do no fogo é fé e amor. Ele enriquece o coração, pois foi limpo até tornar-se puro; e
quanto mais é provado, mais intenso é seu brilho. A vestidura branca é a pureza de
caráter, a justiça de Cristo comunicada ao pecador. Esta é, na verdade, uma vesti-
menta de textura celeste, que somente pode ser comprada de Cristo por uma vida
de voluntária obediência. O colírio é aquela sabedoria e graça que nos habilitam a
discernir entre o mal e o bem e a detectar o pecado sob qualquer disfarce. Deus deu
a Sua igreja olhos aos quais requer dos crentes que unjam com sabedoria, para que
vejam claramente; muitos, porém, se pudessem, tirariam os olhos da igreja; pois não
quereriam que suas ações viessem à luz, para não serem reprovados. O colírio divino
comunicará clareza ao entendimento. Cristo é o depositário de todas as graças. Ele
diz: ‘Aconselho-te que de Mim compres.’ Apocalipse 3:18.” Testemunhos Para a Igreja,
Vol. 4, 88.

8. Para comprar estes preciosos dons da Testemunha fiel e verdadeira, em que


obra os laodiceanos são chamados a se envolver? Apocalipse 3:19.

NOTA: “O Senhor mostrou-me em visão algumas coisas concernentes à igreja em


seu atual estado de mornidão, as quais lhes passo a relatar. A igreja me foi apresenta-
da em visão. Disse o anjo à igreja: ‘Jesus lhe diz: ‘Sê zeloso e arrepende-te’.’ Apocalipse
3:19. Esta obra, vi, deve ser empreendida com sinceridade. Há alguma coisa de que
arrepender-se. O espírito mundano, o egoísmo e a cobiça têm estado a corroer a espi-
ritualidade e a vida do povo de Deus. O perigo do povo de Deus durante alguns anos
62 Lição 11
passados, tem sido o amor do mundo. Disto têm brotado os pecados do egoísmo e
da cobiça. Quanto mais tiram deste mundo, tanto mais aí colocam suas afeições; e
ainda se esforçam por obter mais. Disse o anjo: ‘É mais fácil entrar um camelo pelo
fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.’ Lucas 18:25. Muitos,
porém, que professam crer que estamos dando as últimas notas de advertência ao
mundo, estão lutando com todas as energias para se colocarem em posição em que
é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que eles entrarem no
reino do Céu. Esses tesouros terrestres são bênçãos quando devidamente emprega-
dos. Os que os possuem devem compreender que os mesmos lhes são emprestados
por Deus, e empregar alegremente seus recursos para o progresso de Sua causa. Não
perderão aqui seu galardão. Serão benignamente considerados pelos anjos de Deus,
ao mesmo tempo que ajuntarão um tesouro no Céu. Vi que Satanás observa o tempe-
ramento peculiar, egoísta, cobiçoso de alguns que professam a verdade, e tentá-los-á
pondo-os no caminho da prosperidade, oferecendo-lhes as riquezas deste mundo.
Ele sabe que, se não vencerem seu temperamento natural, hão de tropeçar e cair pelo
amor de Mamom, pela adoração de seu ídolo. O objetivo de Satanás é muitas vezes
conseguido. O forte amor do mundo vence, absorve o amor da verdade. Os reinos
do mundo são-lhes oferecidos, e eles se apoderam ansiosamente de seus tesouros, e
pensam que estão sendo maravilhosamente prosperados. Satanás triunfa porque seu
plano teve êxito. Abandonam o amor de Deus pelo amor do mundo.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 1, 142.

“Eis que estou à porta”


9. Onde está a Testemunha fiel e verdadeira retratada? Apocalipse 3:20, 1ª parte.

NOTA: “Vi que muitos têm tanto lixo acumulado à porta do coração, que não a po-
dem abrir. Alguns têm desinteligências a remover entre eles e os irmãos. Outros têm
mau temperamento, ambição egoísta para afastar antes de poderem abrir a porta.
Outros rolaram o mundo para a porta do coração, e isso também a impede de ser
aberta. Todo esse entulho deve ser removido, e então poderão abrir a porta e dar aí as
boas-vindas ao Salvador.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 143.
“Diz a Testemunha Verdadeira: ‘Eis que estou à porta, e bato’. Apocalipse 3:20. Toda
advertência, reprovação e súplica, transmitida pela Palavra de Deus ou por Seus
mensageiros, é uma batida na porta do coração. É a voz de Jesus que solicita entrada.
A cada toque não atendido, torna-se mais fraca a disposição para abrir. A impressão
do Espírito Santo que é hoje rejeitada, não será tão forte amanhã. O coração torna-se
menos impressionável, e cai numa perigosa inconsciência da brevidade da vida e da
grande eternidade além. Nossa condenação no Juízo não será resultado de havermos
estado em erro, mas do fato de termos negligenciado as oportunidades enviadas pelo
Céu, para conhecer a verdade.” O Desejado de Todas as Nações, 346.

10. O que excede a grande e preciosa promessa que a Testemunha fiel e verdadeira
Lição 11 63
dá àquele que abre a porta para Ela? Apocalipse 3:20.

NOTA: “Oh! quão preciosa esta promessa, ao ser-me mostrada em visão! ‘Entrarei
em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.’ Apocalipse 3:20. Oh! o amor, o assom-
broso amor de Deus! Depois de toda a nossa mornidão e pecado, Ele diz: ‘Volte para
Mim, e Eu voltarei para você, e sararei todas as suas apostasias.’ Isto foi repetido pelo
anjo várias vezes. ‘Volte para Mim, e Eu voltarei para você, e sararei todas as suas
apostasias.’” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 143.
“Tão grande é a relutância do Senhor de abandoná-lo, e tal o amor que lhe tem de-
dicado que, apesar de a vida do irmão não estar de acordo com a vontade divina e
suas obras e caminhos terem sido ofensivos a Ele, a Majestade do Céu condescende
em suplicar o privilégio de fazer-lhe uma visita e deixar com você a Sua bênção: ‘Eis
que estou à porta e bato.’ Apocalipse 3:20. As mansões na glória são dEle e também a
alegria da habitação celestial. Contudo, Ele humilhou-Se para conseguir entrada no
seu coração, para que pudesse abençoá-lo com Sua luz e fazê-lo regozijar-se em Sua
glória. A obra de Cristo é buscar e salvar o que se havia perdido e estava pronto a pe-
recer. Ele deseja redimir do pecado e da morte tantos quantos seja possível, elevá-los
até Seu trono e dar-lhes a vida eterna.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 224.
“O Salvador... não é repelido por menosprezo nem desviado por ameaças, antes pro-
cura constantemente o perdido, e diz: ‘Como te deixaria?’ Oseias 11:8. Embora Seu
amor seja repelido pelo coração obstinado, volta a suplicar com mais força: ‘Eis que
estou à porta e bato.’ Apocalipse 3:20. O poder prevalecente de Seu amor, impele a
alma a entrar; e diz a Cristo: ‘A Tua mansidão me engrandeceu.’ Salmos 18:35.” Pará-
bolas de Jesus, 123.

“Ao que vencer”

11. Que promessa é dada ao vencedor? Apocalipse 3:21.

NOTA: “‘Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim
como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono.’ Apocalipse 3:21. Podemos
vencer. Sim, plena e inteiramente. Jesus morreu a fim de prover-nos um caminho de
escape, de modo a podermos vencer todo mau temperamento, todo pecado, toda
tentação, e, por fim, sentar-nos com Ele. Temos o privilégio de ter fé e salvação. O po-
der de Deus não diminuiu. Seu poder, vi, seria concedido agora tão abundantemente
como outrora. É a igreja de Deus que tem perdido a fé para reivindicar, a energia para
lutar como fez Jacó, clamando: ‘Não Te deixarei ir, se me não abençoares.’ Génesis
32:26. A fé que persevera está a perecer. Ela deve ser reavivada no coração do povo
de Deus. Precisamos suplicar Sua bênção. A fé, fé viva, leva sempre para cima — para
Deus e a glória; a incredulidade, para baixo — para as trevas e a morte.” Testemunhos
Para a Igreja, Vol. 1, 144.

12. Como podemos vencer os nossos pecados e fraquezas? Apocalipse 3:21; 1 Pe-
64 Lição 11
dro 2:21-23.

NOTA: “Amplas providências foram tomadas para todos os que sincera, fervorosa
e ponderadamente se dedicam à obra de aperfeiçoar a santidade no temor de Deus.
Força, graça e glória foram providas por meio de Cristo, para serem levadas por anjos
ministradores aos herdeiros da salvação. Ninguém é tão baixo, tão corrupto e vil, que
não possa encontrar em Jesus, que morreu por ele, força, pureza e justiça, se aban-
donar seus pecados, deixar sua conduta de iniquidade e volver-se de todo o coração
para o Deus vivo. Ele está à espera de todos para tirar-lhes a vestimenta manchada e
poluída pelo pecado e cobri-los com o branco e resplandecente manto da justiça; e
ordena que vivam, e não pereçam. NEle podem prosperar. Seus ramos não murcha-
rão nem serão infrutíferos. Se permanecerem nEle, dEle poderão extrair vitalidade
e nutrição, ser imbuídos de Seu Espírito, andar assim como Ele andou, vencer assim
como Ele venceu e ser exaltados à Sua destra.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 2, 453.
“Devemos buscar a pérola de grande preço, mas não nos mercados mundanos, ou
por meios mundanos. O preço de nós exigido não é ouro nem prata, pois isto per-
tence a Deus. Abandonai a ideia de que privilégios temporais ou espirituais adquirir-
vos-ão a salvação. Deus requer vossa obediência voluntária. Pede-vos renunciar a
vossos pecados. ‘Ao que vencer’, diz Cristo, ‘lhe concederei que se assente comigo no
Meu trono, assim como Eu venci e Me assentei com Meu Pai no Seu trono.’ Apoca-
lipse 3:21. Alguns há, que parece sempre buscarem a pérola celestial. Não renunciam,
porém, completamente a seus maus hábitos. Não morrem para o próprio eu, para
que Cristo viva neles. Por este motivo, não acham a pérola valiosa. Não venceram sua
ambição profana e seu amor às atrações do mundo. Não tomam a cruz e não seguem
a Cristo no caminho da abnegação e sacrifício. Quase cristãos mas não plenamente,
parecem estar perto do reino do Céu, mas não podem ali entrar. Quase, mas não
completamente salvos, significa estar não quase, porém completamente perdidos.”
Parábolas de Jesus, 57.
LIÇÃO 12 Sábado, 21-Setembro-2019

Lição 12
“Habilitar para o Senhor um povo preparado”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe
glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-
lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são
as justiças dos santos.” Apocalipse 19:7-8.
ESTUDO DE AJUDA: Parábolas de Jesus, 221-229 (Capítulo 29).

Introdução

“Tanto no Antigo como no Novo Testamento, as relações conjugais são empregadas


para representar a terna e sagrada união que existe entre Cristo e Seu povo. Ao es-
pírito de Jesus, a alegria das bodas apontava ao regozijo daquele dia em que levará
Sua esposa para o lar do Pai, e os remidos juntamente com o Redentor se assentarão
para a ceia das bodas do Cordeiro. Diz Ele: ‘Como o noivo se alegra da noiva, assim
Se alegrará de ti o Teu Deus.’ ‘Nunca mais te chamarão desamparada [...] mas cha-
mar-te-ão: O Meu prazer está nela; [...] porque o Senhor Se agrada de ti’. Isaías 62:5,
4. ‘Ele Se deleitará em ti com alegria; calar-Se-á por Seu amor, regozijar-Se-á em ti
com júbilo’. Sofonias 3:17. Ao ser concedida ao apóstolo João uma visão das coisas
celestiais, escreveu ele: ‘E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que
a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia: pois
já o Senhor Deus todo-poderoso reina. Regozijemos, e alegremo-nos, e demos-Lhe
glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a Sua esposa se aprontou.’ ‘Bem
-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro’. Apocalipse
19:6, 7, 9.” O Desejado de Todas as Nações, 97.

“Endireitai o caminho do Senhor”

1. Que obra foi necessário na preparação para o primeiro advento de Cristo? Lu-
cas 1:17.

NOTA: “João devia reformar os filhos de Israel e entregá-los ao Senhor. Ele tinha a
promessa de que Deus iria trabalhar com ele. Deveria ‘converter o coração dos pais
aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Se-
nhor um povo preparado.’ João era um representante do povo de Deus dos últimos
dias, para quem Deus concedeu verdades importantes e solenes. O mundo em geral
é dado à gula e à indulgência das básicas paixões. A luz da reforma da saúde é aberta
66 Lição 12
diante do povo de Deus hoje, para que eles possam ver a necessidade de manter os
seus apetites e paixões sob o controle dos poderes superiores da mente. Isto também
é necessário, para que tenham força mental e clareza para discernir a cadeia sagrada
da verdade, e abandonem os erros fascinantes e as fábulas agradáveis que estão inun-
dando o mundo. A sua obra é apresentar diante do povo a pura doutrina da Bíblia.
Assim, a reforma da saúde encontra o seu lugar na obra preparatória para a segunda
aparição de Cristo.” Advent Review & Sabbath Herald, 7-1-1873.

2. Que obra deve a igreja realizar antes de Cristo retornar? Mateus 24:14.

NOTA: “A verdade será proclamada em linguagem clara e inequívoca. Como povo,


precisamos preparar o caminho do Senhor sob a soberana direção do Espírito Santo.
O evangelho deve ser proclamado em sua pureza. A correnteza de águas vivas deve,
em seu curso, aprofundar-se e alargar-se. Em todos os campos, próximos e distantes,
haverá homens que serão chamados de detrás do arado e das mais comuns profis-
sões em geral preferidas, para ligarem-se a homens experimentados e ser por eles
instruídos. À medida que aprendam a trabalhar e se tornem eficientes, proclamarão
a verdade com poder. Por causa das maravilhosas atuações da providência divina,
montanhas de dificuldades serão removidas e lançadas ao mar. A mensagem que
tanta importância tem para os habitantes da Terra, será ouvida e compreendida. Os
homens discernirão a verdade. A obra progredirá mais e mais até que a Terra inteira
seja advertida; então, virá o fim.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 9, 96.

“Tinha o evangelho eterno, para o proclamar”


3. Que mensagem é necessária para preparar o caminho do Senhor? Apocalipse
14:6-12.

NOTA: “O Senhor do Céu não enviará Seus juízos destinados a punir a desobedi-
ência e transgressão, até que sejam proclamadas Suas advertências. Não encerrará o
tempo da graça até que a mensagem seja mais distintamente proclamada. A lei divina
deve ser engrandecida; seus reclamos, expostos em seu caráter legítimo e sagrado,
para que o povo seja induzido a decidir-se pró ou contra a verdade. Contudo, a obra
será abreviada em justiça. A mensagem da justiça de Cristo há de soar desde uma até
a outra extremidade da Terra, a fim de preparar o caminho ao Senhor. Essa é a glória
de Deus com que será encerrada a mensagem do terceiro anjo.” Testemunhos Para a
Igreja, Vol. 6, 19.

4. Que tipo de pessoa é necessário ser-se para preparar o caminho do Senhor?


Lucas 1:15-17.

NOTA: “João separou-se dos amigos e das ostentações da vida. A simplicidade de sua
vestimenta, uma peça de vestuário tecida de pêlos de camelo, era uma reprovação di-
Lição 12 67
reta à extravagância e pompa dos sacerdotes judaicos e do povo em geral. Seu regime
alimentar, puramente vegetariano, composto de gafanhotos e mel silvestre, era uma
censura à condescendência com o apetite e a glutonaria que prevaleciam por toda
parte. Declara o profeta Malaquias: ‘Eis que Eu vos envio o profeta Elias, antes que
venha o dia grande e terrível do Senhor; e converterá o coração dos pais aos filhos, e
o coração dos filhos a seus pais.’ Malaquias 4:5, 6. Aqui o profeta descreve o caráter
da obra. Os que devem preparar o caminho para a segunda vinda de Cristo são re-
presentados pelo fiel Elias, assim como João veio no espírito de Elias para preparar o
caminho para o primeiro advento de Cristo. O grande assunto da reforma deve ser
debatido, e despertada a mente do público. A temperança em tudo deve ser associada
com a mensagem, para converter o povo de Deus de sua idolatria, de sua glutonaria
e de sua extravagância no vestir-se e em outras coisas. A abnegação, a humildade e a
temperança requeridas dos justos, aos quais Deus guia e abençoa de modo especial,
devem ser apresentadas ao povo em contraste com os hábitos extravagantes e des-
truidores da saúde daqueles que vivem nesta época degenerada. Deus tem mostrado
que a reforma de saúde está tão estreitamente ligada com a mensagem do terceiro
anjo como a mão em relação ao corpo. Em parte alguma poderá ser encontrada causa
tão grande de degeneração física e moral como a negligência deste importante assun-
to. Os que transigem com o apetite e as paixões e fecham os olhos à luz por temor
de verem as condescendências pecaminosas que estão relutando em abandonar são
culpados diante de Deus. Aqueles que repelem a luz em algum ponto endurecem o
coração para menosprezar a luz sobre outros assuntos.” Testemunhos Para a Igreja,
Vol. 3, 62.

“A seara da terra está madura”

5. Que duas colheitas acontecerão quando Jesus voltar? Apocalipse 14:14-20.

NOTA: “É permitido ao joio crescer entre o trigo, desfrutar os mesmos privilégios


de sol e chuva; mas no tempo da ceifa será vista ‘a diferença entre o justo e o ímpio;
entre o que serve a Deus e o que não O serve’. Malaquias 3:18. Cristo mesmo decidirá
quem é digno de ser membro da família celestial. Julgará todo homem segundo suas
palavras e obras. A profissão de fé nada pesa na balança. O caráter é que decide o
destino. O Salvador não aponta a um tempo em que todo o joio se tornará trigo. O
trigo e o joio crescem juntos até à ceifa, o fim do mundo. Então o joio será atado em
molhos para ser queimado, e o trigo será recolhido no celeiro de Deus. ‘Então, os jus-
tos resplandecerão como o Sol, no reino de seu Pai.’ Mateus 13:43. ‘Mandará o Filho
do homem os Seus anjos, e eles colherão do Seu reino tudo o que causa escândalo e
os que cometem iniquidade. E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali, haverá pranto e
ranger de dentes.’ Mateus 13:41, 42.” Parábolas de Jesus, 32.

6. Como é descrita a maturidade do povo de Deus? Efésios 4:13-15.


68 Lição 12
NOTA: “‘O fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade,
bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.’ Gálatas 5:22, 23. Este fruto jamais
perecerá, antes produzirá uma colheita de sua espécie para a vida eterna. ‘Quan-
do já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.’ Marcos
4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja.
Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para
reclamá-los como Seus. Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de
nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. 2 Pedro 3:12. Se todos os que
professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria
o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a
última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, 29.

7. Como é descrita a maturidade do seguidor de Satanás? Génesis 6:5-6.

NOTA: “Foi-me mostrado o estado do mundo, que ele estava enchendo rapidamente
a taça de sua iniquidade. Violência e crime de toda sorte estão enchendo o nosso
mundo, e Satanás está empregando todo meio para tornar populares o crime e o vício
aviltante. Os jovens que andam pelas ruas se acham rodeados de propagandas e de
noticiários de crimes e pecado, apresentados em novela, ou a serem representados
em algum teatro. Assim, sua mente é educada na familiaridade com o pecado. O
caminho seguido pelas pessoas baixas e vis são-lhes constantemente apresentados
nos jornais diários, e tudo quanto possa despertar curiosidade e paixões sensuais
lhes é apresentado em histórias emocionantes e próprias para incitar. A literatura que
procede de cérebros corrompidos envenena a mente de milhares em nosso mundo.
O pecado não parece excessivamente maligno. Ouvem e lêem tanto acerca de de-
gradantes crimes e violências que a consciência outrora sensível, que disso recuaria
horrorizada, torna-se tão cauterizada que, com ávido interesse, se pode demorar no
que é baixo e vil em palavras e atos humanos. ‘Como aconteceu nos dias de Noé,
assim será também nos dias do Filho do homem.’ Lucas 17:26.” Testemunhos Para a
Igreja, Vol. 3, 471-472.

“Mas recebereis poder”

8. Como foi capacitada a igreja primitiva para realizar a sua tarefa de levar o
Evangelho ao mundo? Atos 1:8.

NOTA: “No dia de Pentecoste foi dado o Espírito. As testemunhas de Cristo anun-
ciavam o poder do Salvador ressurreto. A luz do Céu penetrou na mente obscurecida
dos que tinham sido enganados pelos inimigos de Cristo. Agora O contemplavam
elevado ‘a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e remissão dos
pecados’. Atos dos Apóstolos 5:31. Viram-nO envolto na glória do Céu, com tesouros
infinitos nas mãos para outorgar a todos os que se voltassem de sua rebelião. Procla-
mando os apóstolos a glória do Unigénito do Pai, foram convertidas três mil pessoas.
Lição 12 69
Viam-se como realmente eram — pecadores e poluídos, e a Cristo como seu Amigo e
Redentor. Cristo foi exaltado, Cristo foi glorificado pelo poder do Espírito Santo, que
repousava sobre os homens. Pela fé esses crentes contemplavam-nO como Aquele
que suportara humilhação, sofrimento e morte, para que não perecessem mas tives-
sem a vida eterna. A revelação de Cristo pelo Espírito lhes trouxe um senso reconhe-
cedor de Seu poder e majestade; e pela fé estendiam as mãos a Ele, dizendo: ‘Creio!’
Então as boas-novas de um Salvador ressurgido foram levadas às mais longínquas
extremidades do mundo habitado. A igreja viu como de todos os lugares lhe afluíam
conversos. Crentes foram convertidos de novo. Pecadores aliavam-se aos cristãos,
para buscar a pérola de grande preço. Cumpriu-se a profecia: ‘E o que dentre eles
tropeçar, naquele dia, será como Davi, e a casa de Davi será... como o anjo do Senhor
diante deles.’ Zacarias 12:8. Cada cristão via em seu irmão a semelhança divina de
benevolência e amor. Um único interesse prevalecia. Um objetivo absorvia todos os
outros. Todos os corações palpitavam em harmonia. O único empenho dos crentes
era revelar a semelhança do caráter de Cristo e trabalhar pelo engrandecimento de
Seu reino. ‘Era um o coração e a alma da multidão dos que criam. ... E os apóstolos
davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos
eles havia abundante graça.’ Atos dos Apóstolos 4:32, 33. ‘E todos os dias acrescen-
tava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.’ Atos dos Apóstolos 2:47. O
Espírito de Cristo animava toda a congregação; porque tinham achado a pérola de
grande preço. Estas cenas devem repetir-se, e com maior poder. O derramamento do
Espírito Santo no dia de Pentecoste foi a chuva temporã; porém a chuva serôdia será
mais copiosa. O Espírito aguarda nosso pedido e recepção. Cristo deve ser revelado
novamente em Sua plenitude pelo poder do Espírito Santo.” Parábolas de Jesus, 57-59.

9. Que grande mudança havia ocorrido no coração dos discípulos? Atos 2:1.
(Compare Marcos 9:34; Lucas 22:24).

NOTA: “Pela graça de Cristo os apóstolos foram feitos o que eram. Foi sincera de-
voção, humildade e fervente oração o que os levou a íntima comunhão com Ele.
Assentaram-se com Ele nos lugares celestiais. Compreenderam a enormidade do dé-
bito para com Ele. Mediante perseverante e fervorosa oração obtiveram a dotação do
Espírito Santo, e saíram, carregados com o fardo da salvação de almas, cheios de zelo
para estender os triunfos da cruz. E com seus esforços muitas pessoas foram trazi-
das das trevas para a luz, e diversas igrejas foram estabelecidas.” Testemunhos Para a
Igreja, Vol. 7, 32.
“Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da
entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Es-
pírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado,
deve ser feito agora.” Testemunhos Para Ministros, 507.

“A chuva serôdia”
70 Lição 12
10. Que promessa é dada sobre um grande derramamento do poder do Espírito
Santo nos últimos dias? Atos 2:17.

NOTA: “Os primeiros discípulos saíram pregando a Palavra. Eles revelaram Cristo
em sua vida. E o Senhor andava com eles, ‘confirmando a Palavra com os sinais que
se seguiram’. Marcos 16:20. Estes discípulos se prepararam para a obra. Antes do dia
de Pentecostes se reuniram e tiraram dentre eles todas as desinteligências. Estavam
de um mesmo sentimento. Acreditavam na promessa de Cristo, de que a bênção seria
dada, e oravam com fé. Não pediam a bênção apenas para si; estavam preocupados
com a responsabilidade quanto à salvação de almas. O evangelho devia ser levado até
aos confins da Terra, e eles reclamavam a doação do poder que Cristo prometera. Foi
então que o Espírito Santo foi derramado, e milhares se converteram num dia. Assim
pode ser agora. Em vez das especulações dos homens, seja pregada a Palavra de Deus.
Tirem os cristãos do meio deles as dissensões, e entreguem-se a Deus para salvação
dos perdidos. Peçam a bênção com fé, e ela há de vir. O derramamento do Espírito,
nos dias apostólicos, foi a ‘chuva temporã’ (Joel 2:23), e glorioso foi o resultado. Mas
a ‘chuva serôdia’ será mais abundante.” O Desejado de Todas as Nações, 585.

11. Que reação entre alguns dos judeus no Pentecostes é um aviso para o povo de
Deus hoje? Atos 2:13.

NOTA: “A não ser que nos estejamos desenvolvendo diariamente na exemplificação


das ativas virtudes cristãs, não reconheceremos as manifestações do Espírito Santo na
chuva serôdia. Pode ser que ela esteja sendo derramada nos corações ao nosso redor,
mas nós não a discerniremos nem a receberemos.” Testemunhos Para Ministros, 507.

“Saíram vitoriosos”

12. Que obra deve ser feita por aqueles que experimentarão os momentos de refri-
gério da presença do Senhor? Atos 3:19-20.

NOTA: “Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que
o tempo do ‘refrigério’ e da ‘chuva serôdia’ os habilitasse para estar em pé no dia
do Senhor, e viver à Sua vista. Oh! quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo!
Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o re-
frigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo. Os
que recusam ser talhados pelos profetas, e deixam de purificar a alma na obediência
da verdade toda, e se dispõe a crer que seu estado é muito melhor do que realmente
é, chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e hão de ver então que necessitam ser
talhados e lavrados para o edifício. Não haverá, porém, tempo para o fazer, e nem
Mediador para pleitear sua causa perante o Pai. Antes deste tempo sairá a declaração
terrivelmente solene de que: ‘Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo,
suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda.’
Lição 12 71
Vi que ninguém poderia participar do ‘refrigério’ a menos que obtivesse a vitória so-
bre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação.
Deveríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos
fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar
em pé na batalha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unica-
mente entes santos poderão morar em Sua presença.” Primeiros Escritos, 71.

13. Que promessa e esperança tem a igreja de que essa obra será realizada no tem-
po que antecede a volta de Cristo? 1 João 3:2-6.

NOTA: “A exortação do apóstolo é: ‘Alimpai as mãos, pecadores; e vós de duplo âni-


mo, purificai os corações.’ (Tiago 4:8). É por meio do empenho nesta obra e pelo
exercício da fé viva em Deus que devemos aperfeiçoar o caráter cristão. A obra de
purificação do templo da alma e preparação para a aparição de Cristo deve ser feito
enquanto estamos neste mundo de tentação. Tal como Cristo encontra o nosso cará-
ter quando Ele vier, assim devemos permanecer.” Historical Sketches, 134.
“Estamos nos preparando para encontrar-nos com Aquele que, acompanhado por
uma comitiva de santos anjos, há de aparecer nas nuvens do céu, para dar aos fiéis e
justos o toque final da imortalidade. Quando Ele vier, não nos purificará de nossos
pecados, para remover de nós os defeitos de caráter, nem para curar-nos das fraque-
zas de nosso temperamento e disposição. Se acaso esta obra houver de ser efetuada
em nós, sê-lo-á totalmente antes daquela ocasião. Quando o Senhor vier, os que são
santos serão santos ainda. Os que houverem conservado o corpo e o espírito em san-
tidade, em santificação e honra, receberão então o toque final da imortalidade. Mas
os que são injustos, não santificados e sujos, assim permanecerão para sempre. Ne-
nhuma obra se fará então por eles para lhes remover os defeitos e dar-lhes um caráter
santo. Naquela ocasião, o Refinador não Se ocupará com o processo de purificação,
para remover-lhes os pecados e a corrupção. Tudo isso deve ser realizado durante
o tempo da graça. É agora que essa obra deve ocorrer em nós.” Testemunhos Para a
Igreja, Vol. 2, 354.
LIÇÃO 13 Sábado, 28-Setembro-2019

Lição 13
“O trigo, ajuntai-o no Meu celeiro”
VERSÍCULO PARA MEMORIZAR: “E um dos anciãos me falou, dizendo: Estes que
estão vestidos de vestes brancas, quem são, e de onde vieram? E eu disse-lhe: Senhor,
tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as
suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro..” Apocalipse 7:13-14.
ESTUDO DE AJUDA: Eventos Finais, 43-62 (Capítulo 4).

Introdução

“Hoje, como no passado, todo o céu está observando para ver a igreja se desenvolver
na verdadeira ciência da salvação. Cristo comprou a igreja com o Seu sangue e deseja
vesti-la com salvação. Ele fez dela o depositário da verdade sagrada e deseja que ela
participe de Sua glória. Mas para que a igreja seja um poder educativo no mundo,
ela deve cooperar com a igreja no céu. Os seus membros devem representar a Cristo.
O seus corações devem estar abertos para receber todo o raio de luz que Deus possa
achar conveniente transmitir. Ao receberem esta luz, estarão habilitados a receber e
transmitir mais e mais dos raios do Sol da Justiça.” Advent Review & Sabbath Herald,
4-12-1900.

“Revesti-vos de toda a armadura de Deus”

1. Como descreve Paulo a guerra em que a igreja está envolvida? Efésios 6:12.

NOTA: “A igreja é a fortaleza de Deus, Sua cidade de refúgio, que Ele mantém num
mundo revoltado. Qualquer infidelidade da igreja é traição para com Aquele que
comprou a humanidade com o sangue de Seu unigénito Filho. Pessoas fiéis constitu-
íram, desde o princípio, a igreja sobre a Terra. Em cada era, teve o Senhor Seus vigias
que deram fiel testemunho à geração em que viveram. Essas sentinelas apregoaram
a mensagem de advertência e, ao serem chamadas para depor a armadura, outros
empreenderam a tarefa. Deus pôs essas testemunhas em relação de concerto com
Ele próprio, unindo a igreja da Terra à do Céu. Enviou Seus anjos para cuidar de
Sua igreja e as portas do inferno não puderam prevalecer contra Seu povo.” Atos dos
Apóstolos, 7.

2. Como deve o cristão individual estar preparado para essa guerra? Efésios 6:11,
13-18.
Lição 13 73

NOTA: “Se vencermos as nossas provações e obtivermos a vitória sobre as tentações


de Satanás, então suportamos o tempo de nossa fé, que é muito mais preciosa do que
o ouro, e está mais forte e melhor preparada para enfrentar a próxima. Mas se nos
afundarmos e cedermos às tentações de Satanás, ficaremos mais fracos e não rece-
beremos recompensa no julgamento, e não estaremos tão bem preparados para en-
frentar o próximo. Dessa maneira, ficaremos mais e mais fracos até ficarmos cativos
de Satanás e à sua vontade. Devemos ter toda a armadura de Deus e estar prontos a
qualquer momento para um conflito com os poderes das trevas. Quando as tentações
e provações se precipitam sobre nós, vamos a Deus e agonizemos com Ele em oração.
Ele não nos deixará vazios; mas dar-nos-á graça e força para vencer e quebrar o poder
do inimigo. Ó, que todos pudessem ver essas coisas em sua verdadeira luz, e suportar
a dureza como bons soldados de Jesus. Então Israel avançaria, forte em Deus e no
poder da Sua força.” Advent Review & Sabbath Herald, 9-9-1849.

“O selo do Deus vivo”

3. Antes que a catástrofe final apareça no mundo, como mostrará Deus o Seu re-
conhecimento para com o Seu povo? Apocalipse 7:1-3.

NOTA: “Logo que o povo de Deus estiver selado na fronte — não é algum selo ou
marca que pode ser visto, mas a consolidação na verdade, tanto intelectual como
espiritualmente, de modo que não possam ser abalados — logo que o povo de Deus
estiver selado e preparado para a sacudidura, ela ocorrerá.” Eventos Finais, 219.

4. Como descreve Paulo essa sacudidura? Hebreus 12:26-27.

NOTA: “Começou a forte sacudidura e continuará, e todos os que não estiverem dis-
postos a assumir uma posição ousada e tenaz em prol da verdade, e a sacrificar-se por
Deus e por Sua causa, serão joeirados. O anjo disse: ‘Achas que alguém será forçado a
fazer sacrifícios? Não, absolutamente. Deverá ser uma oferta voluntária. Será preciso
tudo para comprar o campo.’ Clamei a Deus para poupar a Seu povo, dentre o qual
alguns estavam desfalecentes e moribundos. Vi então que os juízos do Todo-podero-
so estavam para vir rapidamente, e roguei ao anjo que falasse ao povo em sua lingua-
gem. Disse ele: ‘Todos os trovões e relâmpagos do monte Sinai não moveriam aqueles
que não hajam de mover-se pelas claras verdades da Palavra de Deus; tampouco os
despertaria a mensagem de um anjo.’” Primeiros Escritos, 50.

5. Que promessa tem o fiel povo de Deus de que nenhum deles se perderá na sa-
cudidura? Amós 9:9.

NOTA: “Jesus e os santos anjos estão edificando e unindo o povo de Deus numa só
fé, para que possam todos ter o mesmo sentimento e o mesmo parecer. E enquanto
74 Lição 13
estão sendo consolidados em unidade de fé, e de comum acordo sobre as solenes e
importantes verdades para este tempo, Satanás atua para opor-se a seu avanço. Jesus
trabalha mediante Seus instrumentos para juntar e unir. Satanás age através de seus
agentes para espalhar e dividir. ‘Porque eis que darei ordem e sacudirei a casa de Is-
rael entre todas as nações, assim como se sacode grão no crivo, sem que caia na terra
um só grão.’ Amós 9:9. Deus está agora experimentando e provando o Seu povo. O
caráter está sendo aperfeiçoado. Os anjos estão pesando o valor moral, e mantendo
fiel relatório de todos os atos dos filhos dos homens. Entre o povo professo de Deus
há corações corruptos; serão, porém, experimentados e provados. Aquele Deus que
lê o coração de todos, ‘trará à luz as coisas ocultas das trevas’ (1 Coríntios 4:5) onde
muitas vezes menos se suspeita, para que aquelas pedras de tropeço que têm preju-
dicado o progresso da verdade sejam removidas, e Deus tenha um povo puro e santo
para declarar Seus estatutos e juízos. O Capitão de nossa salvação leva, passo a passo,
Seu povo adiante, purificando-o e habilitando-o para a trasladação, e deixando na
retaguarda os que estão dispostos a separar-se do corpo, que não querem ser guiados,
e se satisfazem com a própria justiça.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 332-333.

“Nenhum mal te sucederá”

6. Como é descrita a crise final no livro de Daniel e que preciosa promessa é feita
ao povo de Deus? Daniel 12:1.

NOTA: “O ‘tempo de angústia como nunca houve’ está prestes a manifestar-se sobre
nós; e necessitaremos de uma experiência que agora não possuímos, e que muitos
são demasiado indolentes para obter. Dá-se muitas vezes o caso de se supor maior a
angústia do que em realidade o é; não se dá isso, porém, com relação à crise diante
de nós. A mais vívida descrição não pode atingir a grandeza daquela prova. Naque-
le tempo de provações, toda alma deverá por si mesma estar em pé perante Deus.
‘Ainda que Noé, Daniel e Jó’ estivessem na Terra, ‘vivo Eu, diz o Senhor Jeová, que
nem filho nem filha eles livrariam, mas só livrariam as suas próprias almas pela sua
justiça.’ Ezequiel 14:20.” O Grande Conflito, 622.

7. Como é descrito esse tempo no livro do Apocalipse? Apocalipse 16:1-21.

NOTA: “Quando Cristo cessar de interceder no santuário, será derramada a ira que,
sem mistura, se ameaçara fazer cair sobre os que adoram a besta e sua imagem, e
recebem o seu sinal. Apocalipse 14:9, 10. As pragas que sobrevieram ao Egito quando
Deus estava prestes a libertar Israel, eram de caráter semelhante aos juízos mais ter-
ríveis e extensos que devem cair sobre o mundo precisamente antes do libertamento
final do povo de Deus. Diz o autor do Apocalipse, descrevendo esses tremendos fla-
gelos: ‘Fez-se uma chaga má e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que
adoravam a sua imagem.’ O mar ‘se tornou em sangue como de um morto, e morreu
no mar toda a alma vivente.’ E os rios e fontes das águas ‘se tornaram em sangue.’ Ter-
Lição 13 75
ríveis como são estes castigos, a justiça de Deus é plenamente reivindicada. Declara o
anjo de Deus: ‘Justo és Tu, ó Senhor, ... porque julgaste estas coisas. Visto como der-
ramaram o sangue dos santos e dos profetas, também Tu lhes deste o sangue a beber;
porque disto são merecedores.’ Apocalipse 16:2-6.” O Grande Conflito, 627.

8. Que preciosas promessas confortarão o povo de Deus durante esse período


terrível? Salmos 91:1-16.

NOTA: “O tempo de angústia está precisamente diante de nós, e então premente


necessidade requererá que o povo de Deus negue o próprio eu e coma meramente o
suficiente para manter a vida, mas Deus nos preparará para esse tempo. Nessa terrível
ocasião, nossa necessidade será a oportunidade de Deus para comunicar Seu poder
fortalecedor e amparar seu povo.” Testemunhos Para a Igreja, Vol. 1, 206.
“O Senhor tem-me mostrado repetidamente que é contrário à Bíblia fazer qualquer
provisão para o tempo de angústia. Vi que se os santos tivessem alimento acumula-
do por eles no campo no tempo de angústia, quando a espada, a fome e pestilência
estão na Terra, seria tomado deles por mãos violentas e estranhos ceifariam os seus
campos. Será para nós então tempo de confiar inteiramente em Deus, e Ele nos sus-
tentará. Vi que nosso pão e nossa água serão certos nesse tempo, e que não teremos
falta nem padeceremos fome, pois Deus é capaz de estender para nós uma mesa no
deserto. Se necessário Ele enviaria corvos para alimentar-nos, como fez com Elias, ou
faria chover maná do céu, como fez para os israelitas.” Primeiros Escritos, 56.

9. Que conselho para nossa vida atual nos preparará para esse tempo? Apocalipse
7:9-17.

NOTA: “Muito cuidado e ansiedade desnecessários se sentem acerca de nosso futuro,


concernente ao que havemos de comer e beber, e com que nos havemos de vestir. O
trabalho e a inquietação quanto ao desnecessário ostentar do vestuário causa muita
canseira e infelicidade, e abrevia nossa vida. Nosso Salvador deseja não somente que
distingamos o amor de Deus demonstrado nas lindas flores que nos cercam, mas
também que delas aprendamos lições de simplicidade e de perfeita fé e confiança em
nosso Pai celestial. Se Deus Se interessa em fazer tão lindas essas coisas inanimadas,
que de um dia para outro são cortadas e perecem, quanto mais cuidadoso não será
Ele em suprir o necessário a Seus filhos obedientes, cuja vida pode ser duradoura
como a eternidade!” Nos Lugares Celestiais, 18-abril.
“O Senhor me mostrou que alguns de Seus filhos ficariam com medo ao ver elevar-se
o preço dos alimentos, e comprariam alimento a fim de guardá-lo para o tempo de
angústia. Então, num tempo de necessidade, eu os vi dirigir-se a seu alimento e olhar
para ele, e eis que criara vermes e estava cheio de criaturas vivas, sendo impróprio
para o uso.” Maranata, 22-junho.
76 Lição 13
“Estes são os que vieram da grande tribulação”

10. Que visão recebeu João daqueles que passarão por esta grande tribulação?
Apocalipse 7:9-17.

NOTA: “Como nos dias de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, no período final da


história da Terra o Senhor operará poderosamente em favor dos que ficarem firmes
pelo direito. Aquele que andou com os hebreus valorosos na fornalha ardente, estará
com os Seus seguidores em qualquer lugar. Sua constante presença confortará e sus-
tentará. Em meio do tempo de angústia — angústia como nunca houve desde que
houve nação — Seus escolhidos ficarão firmes. Satanás com todas as forças do mal
não pode destruir o mais fraco dos santos de Deus. Anjos magníficos em poder os
protegerão, e em favor deles Jeová Se revelará como ‘Deus dos deuses’ (Daniel 2:47),
capaz de salvar perfeitamente os que nEle puseram a sua confiança.” Profetas & Reis,
261.

11. Quando o mundo inteiro estiver unido contra o povo de Deus, quem os de-
fenderá? Daniel 12:1.

NOTA: “No tempo da angústia, Satanás instiga os ímpios, e eles cercam o povo de
Deus para destruí-lo. Mas não sabe que foi escrito ‘perdão’ ao lado de seus nomes
nos livros do Céu. Não sabe que foi dada a ordem: ‘Tirai-lhes as vestes sujas’, cobri-os
de ‘outras vestes’ e ponde-lhes ‘um turbante limpo sobre a cabeça’. Zacarias 3:4, 5. A
promessa feita a Josué destina-se a todo o povo remanescente de Deus: “Se andares
nos Meus caminhos [não em vossos próprios caminhos] e observares os Meus pre-
ceitos, também tu julgarás a Minha casa e guardarás os Meus átrios, e te darei livre
acesso entre estes que aqui se encontram.” Zacarias 3:7. Quem são esses ‘que aqui se
encontram’? Os anjos de Deus. Pudessem os nossos olhos ser abertos, como o foram
os do servo de Eliseu, em Dotã, e veríamos anjos maus ao nosso redor, impondo sua
presença sobre nós, à espera de uma oportunidade para tentar-nos e vencer-nos; mas
também veríamos santos anjos nos protegendo, e com sua luz e poder repelindo os
anjos maus.” Exaltai-O, 29-novembro.

“Assim estaremos sempre com o Senhor”

12. Que preciosas promessas serão cumpridas quando Jesus voltar? Isaías 25:8.

NOTA: “De cortiços, de pobres choças, de prisões, de cadafalsos, das montanhas e


desertos, das cavernas da Terra e dos abismos do mar, Cristo recolherá Seus filhos.
Na Terra tinham sido destituídos, afligidos e atormentados. Milhões baixaram ao tú-
mulo carregados de infâmia, porque recusaram render-se às enganosas pretensões de
Satanás. Por tribunais humanos os filhos de Deus foram condenados como os mais
vis criminosos. Mas próximo está o dia em que ‘Deus mesmo é o juiz’. Salmos 50:6.
Lição 13 77
Então as sentenças dadas na Terra serão invertidas. Então ‘tirará o opróbrio do Seu
povo de toda a Terra’. Isaías 25:8. Vestes brancas dar-se-ão a todos eles. Apocalipse
6:11. ‘E chamar-lhes-ão povo santo, os remidos do Senhor.’ Isaías 62:12. Qualquer
que tenha sido a cruz que suportaram, quaisquer as perdas sofridas, qualquer a per-
seguição que padeceram, mesmo a perda da vida temporal, os filhos de Deus serão
amplamente recompensados. ‘Verão o Seu rosto, e na sua testa estará o Seu nome.’
Apocalipse 22:4.” Parábolas de Jesus, 92.

13. Qual será o clamor do povo de Deus ao ver Jesus voltar? Isaías 25:9.

NOTA: “Com piedade e compaixão, com terno desejo e amor, o Senhor está olhando
para as pessoas tentadas e provadas. Por um tempo, os opressores serão autorizados a
triunfar sobre aqueles que guardam os santos mandamentos de Deus. Todos recebem
a mesma oportunidade que foi concedida ao primeiro grande rebelde para revelar o
espírito que os move à ação. É o propósito de Deus que todos sejam testados e pro-
vados, para que Ele possa ver se são leais ou desleais às leis que governam o reino
dos céus. Até o fim, Deus permite que Satanás se revele como mentiroso, acusador e
assassino. Assim, o triunfo final de Seu povo torna-se mais marcado, mais glorioso,
mais pleno e completo. As palavras do profeta serão então cumpridas: ‘O Senhor
reina; tremam os povos. Ele está assentado entre os querubins; comova-se a terra. O
Senhor é grande em Sião, e mais alto do que todos os povos.’ (Salmos 99:1-2).” Advent
Review & Sabbath Herald, 4-12-1900.
O que vai descobrir neste livro?
• O fator mais importante que deve ter em conta na sua alimentação para
não adoecer.
• Porque numa guerra as pessoas adoecem menos.
• As razões pelas quais o excesso de
peso lhe encurta a vida.
• “Os Dez Mandamentos da saúde”
com os quais evitará a doença e
viverá 10 anos mais que os outros.
• Qual é o melhor segredo para que
perca peso e NÃO volte a recupe-
rá-lo.
• O mecanismo mais poderoso que
o seu organismo tem para depu-
rar-se e curar-se a si mesmo.
• A planta medicinal que nos pro-
longa a vida.
• Qual é a água mais antioxidante,
depurativa e diurética que pode
beber.
• Em que momento do dia lhe faz engordar mais a refeição...
...e muitas outras coisas.

Telefone: +351 926 763 833


Email: evangelho-eterno@hotmail.com
Website: https://evangelho-eterno.wixsite.com/meusite

Centres d'intérêt liés