Vous êtes sur la page 1sur 10

1- O magistrado da Infância e Juventude possui atribuições próprias e especializadas, conferidas pelo ECA, no

tocante ao sistema de proteção aos direitos infanto-juvenis. Para tanto, ele poderá:
a) Fiscalizar as entidades de atendimento à criança e ao adolescente, sejam elas governamentais ou não-
governamentais, no tocante ao planejamento e execução de seus programas, bem como em relação à parte física
do estabelecimento, suas repartições, condições de higiene e boa saúde, enfim em todos os aspectos pertinentes
ao atendimento a que se propõem.
b) Expedir portarias, com base no art. 149, do ECA, que são medidas de caráter geral e que, ao prudente
arbítrio do magistrado, sejam necessárias para regulamentar a entrada e permanência de criança ou adolescente,
desacompanhado dos pais ou responsável, em determinados locais.
c) Exercer o controle das decisões tomadas pelo Conselho Tutelar, ao seu prudente arbítrio, podendo revê-
las, de ofício ou a pedido de qualquer pessoa, de modo a ajustá-las aos melhores interesses e princípios que
regem o sistema de garantias das crianças e adolescentes.
d) Conceder prévia e expressa autorização de viagem a crianças e adolescentes até 18 anos incompletos,
para viajar para fora da Comarca onde reside, desacompanhado dos pais ou responsáveis, que, a pedido dos pais
ou responsável, poderá ter validade de até dois anos.
2- Assinale a alternativa CORRETA. Segundo os termos da Convenção de Haia relativa à cooperação em
matéria de adoção internacional, a adoção deferida no Brasil ao casal estrangeiro proveniente de Estado dela
signatário:
a) É reconhecida de pleno direito no país de acolhida mediante a certificação de sua conformidade com a
referida Convenção pela autoridade central brasileira.
b) É reconhecida e produz efeitos no país de acolhida com a homologação da sentença proferida pelo juiz
brasileiro, independentemente de novo processo de adoção.
c) Produz efeitos no país de acolhida a partir do trânsito em julgado da sentença proferida pelo juiz brasileiro
e sua comunicação à autoridade central daquele país.
d) Produz efeito de guarda no país de acolhida com a homologação da sentença proferida pelo juiz brasileiro,
iniciando-se em seguida novo processo de adoção segundo as leis daquele país.
3- No microssistema recursal do Estatuto da Criança e do Adolescente, é CORRETO afirmar:
a) Nas ações de destituição do poder familiar, considerando o princípio da unicidade do sistema recursal e a
adoção das regras do CPC ao microssistema recursal do ECA, o prazo de 10 (dez) dias, para interposição do
recurso de apelação, previsto no art. 198, II, do ECA, pode ser elastecido ou mitigado para 15 (quinze) dias, dada
a regra do art. 508, do CPC.
b) Visando o atendimento prioritário e a rapidez na tramitação das ações referentes aos direitos das crianças
e dos adolescentes, a dispensa do preparo dos recursos, nos procedimentos afetos à Justiça da Infância e da
Juventude, restringe-se ao órgão do Ministério Público e àqueles beneficiados pela assistência judiciária gratuita.
c) Os avós biológicos de uma criança não podem recorrer de uma sentença de procedência de pedido de
adoção, pois, além de não terem integrado a relação processual, não têm condições de intervir na condição de
terceiros prejudicados, pois o ECA veda a intervenção de terceiro prejudicado, prevista no art. 499, do CPC.
d) Ao magistrado é permitida a alteração da decisão interlocutória ou sentença terminativa por ele proferida
nos procedimentos previstos no ECA, inclusive em sede de recurso de apelação, apesar da consagração doutrinária
e legal da irretratabilidade das decisões judiciais.
4- Um casal recebe de uma mãe indigente e drogadita o filho dela recém-nascido, para que ela, genitora,
viabilize um local adequado para morar e meios de subsistência para ambos. Decorridos um ano e seis meses, a
genitora não alcançou seus objetivos e decidiu entregar o filho em adoção para o mesmo casal. Formulado o
pedido em Juízo, deve o magistrado:
a) conceder a guarda provisória do infante aos requerentes, enquanto são investigadas as condições de
carência de recursos materiais e o alegado consentimento da mãe biológica, a existência de vínculo sócio-afetivo
entre os requerentes e a criança, bem como as condições do núcleo familiar; determinar o acompanhamento
contínuo pela equipe técnica, a fim de averiguar o atendimento do melhor interesse da criança em permanecer
naquela família.
b) indeferir liminarmente o pedido, posto que a criança não está inscrita no cadastros de crianças em
condições de serem adotadas e os requerentes não se habilitaram, nem se cadastraram previamente à adoção
(art. 50, ECA).
c) determinar a busca e apreensão da criança, posto que em situação irregular, e o acolhimento familiar
(família substituta) ou institucional, de forma a receber apoio técnico, tanto da equipe da Justiça da Infância e
Juventude, como do programa da política municipal de garantia do direito à convivência familiar, para que se
implementem as condições necessárias à genitora desempenhar o poder familiar.
d) instaurar procedimento de destituição do poder familiar em face da mãe biológica da criança e conceder a
guarda provisória do infante ao primeiro inscrito da lista que esteja disposto a adotá-la, considerando a tenra idade
da criança e sua vulnerabilidade, dado que o Poder Público exerce o controle prévio das condições psicossociais
dos pretendentes à adoção.
5- Sobre o ato infracional e as medidas socioeducativas, assinale a alternativa INCORRETA.
a) A aplicação de medidas socioeducativas ao adolescente, pela prática de ato infracional, é da competência
exclusiva do juiz.
b) É necessária a oitiva do adolescente infrator antes de decretar-se a regressão da medida socioeducativa.
c) A prescrição penal é aplicável às medidas socioeducativas.
d) Em caso de prática de ato infracional, medidas socioeducativas podem ser aplicadas às crianças e aos
adolescentes.

6- Sobre as medidas socioeducativas, assinale a alternativa correta.


a) A medida socioeducativa a ser aplicada deve levar em conta, pelo ECA, a sua capacidade de cumpri-la, as
circunstâncias e a gravidade da infração.
b) A prestação de trabalho forçado não pode ser aplicada sob pretexto algum, exceto quando manifestada a
reincidência e houver expressa previsão judicial.
c) As medidas socioeducativas restritivas de liberdade devem obrigatoriamente ser cumpridas em
estabelecimento educacional.
d) A remissão, quando concedida, implica necessariamente o reconhecimento e a comprovação da
responsabilidade do adolescente pelo ato infracional e só pode ser aplicada por ocasião da sentença.

7- Sobre família e filiação, nos termos do ECA, assinale a alternativa INCORRETA.


a) Família extensa ou ampliada é aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do
casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de
afinidade e afetividade.
b) Os filhos havidos fora do casamento poderão ser reconhecidos pelos pais, conjunta ou separadamente, no
próprio termo de nascimento, por testamento, mediante escritura ou outro documento público, qualquer que seja
a origem da filiação.
c) O reconhecimento não pode preceder o nascimento do filho ou suceder-lhe ao falecimento, se deixar
descendentes, ainda que exista proteção jurídica posterior.
d) O reconhecimento do estado de filiação é direito personalíssimo, indisponível e imprescritível, podendo ser
exercitado contra os pais ou seus herdeiros, sem qualquer restrição, observado o segredo de Justiça.
8- Na parte preliminar da Lei 8.069/90, considera-se dever da família, da comunidade, da sociedade em geral
e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade
e à convivência familiar e comunitária. Sobre o assunto, considere as seguintes garantias:
1. Primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias.
2. Precedência de atendimento nos serviços públicos e privados ou de relevância pública.
3. Preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas.
4. Destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção à infância e à juventude.
A garantia de prioridade à Criança e ao Adolescente compreende:

a) 1 e 2 apenas.

b) 1, 3 e 4 apenas.

c) 3 e 4 apenas.

d) 1, 2 e 3 apenas.

9- Com base no disposto na Seção III da Lei 8.069 que trata “da família substituta”, considere as seguintes
afirmativas:
1. A guarda obriga à prestação de assistência material, moral e educacional à criança ou adolescente, conferindo
ao seu detentor o direito de opor-se a terceiros, inclusive aos pais.
2. Salvo expressa e fundamentada determinação em contrário, da autoridade judiciária competente, ou quando a
medida for aplicada em preparação para adoção, o deferimento da guarda de criança ou adolescente a terceiros não
impede o exercício do direito de visitas pelos pais, assim como o dever de prestar alimentos.
3. A guarda poderá ser revogada a qualquer tempo, mediante ato judicial fundamentado, ouvido o Ministério
Público.
4. O poder público estimulará, por meio de assistência jurídica, incentivos fiscais e subsídios, o acolhimento, sob
a forma de guarda, tutela ou adoção, de criança ou adolescente afastado do convívio familiar.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.

d) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

10- Com fundamento na Lei 8.069/90, assinale a alternativa correta.

a) Considera-se criança, para os efeitos da Lei 8.069, a pessoa até 14 anos de idade incompletos, e
adolescente aquele entre 14 e 18 anos de idade.

b) Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente serão


obrigatoriamente comunicados ao Ministério Público Estadual, sem prejuízo de outras providências legais.

c) A colocação da criança ou adolescente em família substituta far-se-á mediante guarda, tutela ou adoção,
sendo que a colocação em família substituta estrangeira constitui medida excepcional, somente admissível na
modalidade de adoção.

d) A falta ou carência de recursos materiais, a depender da gravidade, constitui motivo suficiente para a
perda ou a suspensão do poder familiar.
11- Sobre adoção internacional, e com fundamento nos artigos 51 e 52 da Lei 8.069, é INCORRETO afirmar:

a) Considera-se adoção internacional aquela na qual a pessoa ou casal postulante, ainda que brasileiro, é
residente ou domiciliado fora do Brasil.

b) Antes de transitada em julgado a decisão que concedeu a adoção internacional, será permitida a saída
temporária do adotante do território nacional, pelo prazo máximo de 30 dias, ouvido o Ministério Público e
mediante decisão judicial.

c) A adoção internacional pressupõe a intervenção das Autoridades Centrais Estaduais e Federal em matéria
de adoção internacional.

d) A habilitação de postulantes estrangeiros ou domiciliados fora do Brasil terá validade máxima de 1 (um)
ano, podendo ser renovada.
12- Em relação à criança e ao adolescente e de acordo com o artigo 4º e parágrafo único da Lei 8.069/1990, a
garantia de prioridade compreende:

a) Primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias, desde que não esteja a criança ou
adolescente sob poder familiar, guarda ou tutela de qualquer dos pais ou de seu representante legal.

b) Precedência de atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública.

c) Preferência ao adolescente portador de deficiência, assegurando-lhe trabalho protegido e estabilidade.

d) Destinação privilegiada de recursos públicos exclusivamente nas áreas urbanas carentes relacionadas
com a proteção à infância e à juventude.
13- De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, o direito à liberdade compreende os seguintes
aspectos:

I. Ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, sem restrições de qualquer natureza.

II. Opinião e expressão.

III. Crença e culto religioso.

IV. Brincar, praticar esportes e divertir-se, quando fundado em atividade pedagógica efetiva.

V. Participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação.

VI. Participar da vida política e de atividade partidária, na forma da lei.

VII. Buscar refúgio, auxílio e orientação.

Está(ão) CORRETA(S):
a) Somente as assertivas I, III, V e VI.

b) Somente as assertivas III, IV, VI e VII.

c) Somente as assertivas II, IV, VI e VII.

d) Somente as assertivas II, III, V e VII.


14- Sobre adoção, assinale a única alternativa CORRETA.

a) É recíproco o direito sucessório entre o adotado, seus descendentes, o adotante, seus ascendentes,
descendentes e colaterais até o 3º grau, observada a ordem de vocação hereditária.

b) Em se tratando de adotando maior de doze anos de idade, será também necessário o seu
consentimento.

c) Para adoção conjunta de criança ou adolescente menor de 12 anos, é indispensável que os adotantes
sejam casados civilmente ou mantenham união estável, comprovada a estabilidade da família.

d) Na adoção internacional a pessoa ou casal estrangeiro, interessado em adotar criança ou adolescente


brasileiro, deverá formular pedido de habilitação à adoção perante o órgão do Ministério Público competente em
matéria de adoção internacional no país de acolhida, assim entendido aquele onde está situada sua residência
habitual.
15- É dever do Estado, de assegurar à criança e ao adolescente, dentre outros:

I. Ensino fundamental, obrigatório e gratuito, apenas aos que se encontrem na idade própria;

II. Atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de
ensino;

III. Atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a dez anos de idade;

IV. Oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do adolescente trabalhador;

V. Atendimento no ensino fundamental, através de programas suplementares de material didático- escolar,


transporte, alimentação e assistência à saúde.

Está(ão) CORRETA(S):

a) Somente as assertivas II, IV e V.

b) Somente as assertivas I, II, IV e V.


c) Somente as assertivas II, III e IV.

d) Somente as assertivas I, III, e IV.


16- São linhas de ação da política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente, entre outras,
previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente:

I. Serviços especiais de prevenção e atendimento médico e psicossocial às vítimas de negligência, maus-tratos,


exploração, abuso, crueldade e opressão;

II. Serviço de identificação e localização de pais, responsável, crianças e adolescentes desaparecidos;

III. Proteção jurídico-social por entidades de defesa dos direitos da criança e do adolescente.

IV. Campanhas de estímulo ao acolhimento sob forma de guarda de crianças e adolescentes afastados do convívio
familiar e à adoção, especificamente inter-racial, de crianças maiores ou de adolescentes, com necessidades
específicas de saúde ou com deficiências e de grupos de irmãos.

Assinale a única alternativa CORRETA:

a) São verdadeiras somente as assertivas I e II.

b) São verdadeiras somente as assertivas I, IV.

c) São verdadeiras somente as assertivas II, III e IV.

d) Todas as assertivas são verdadeiras.


17- Sobre os direitos da criança previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, analise as proposições a
seguir:

I) É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta
prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

II) A garantia de prioridade compreende: a) primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias;
b) precedência de atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública; c) preferência na formulação e na
execução das políticas sociais públicas; d) destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com
a proteção à infância e à juventude.

III) A criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo
da proteção integral de que trata o Estatuto da Criança e do Adolescente, assegurando-lhes todas as
oportunidades e facilidades para lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social.

IV) Considera-se criança, para os efeitos do Estatuto da Criança e do Adolescente, a pessoa até dez anos de idade
incompletos, e adolescente aquela entre dez e dezoito anos de idade.

V) O Estatuto da Criança e do Adolescente, nos casos expressos em lei, aplica-se excepcionalmente às pessoas
entre dezoito e vinte e um anos de idade.

Estão CORRETAS:

a) Apenas as proposições I, II e IV.

b) Apenas as proposições I, III, IV e V.

c) Apenas as proposições I, II, III e V.

d) Apenas as proposições I, II, III e IV.

e) Todas as proposições.
18- Sobre os direitos da criança previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, avalie as afirmativas que
seguem:

I) Na interpretação do Estatuto da Criança e do Adolescente serão levados em conta os fins sociais a que ele se
dirige, as exigências do bem comum, os direitos e deveres individuais e coletivos e a condição peculiar da criança e
do adolescente como pessoas em desenvolvimento.

II) É assegurado atendimento integral à saúde da criança e do adolescente, por intermédio do Sistema Único de
Saúde, garantido o acesso universal e igualitário às ações e serviços para promoção, proteção e recuperação da
saúde.A criança e o adolescente portadores de deficiência receberão atendimento especializado. Incumbe ao poder
público fornecer gratuitamente àqueles que necessitarem os medicamentos, próteses e outros recursos relativos ao
tratamento, habilitação ou reabilitação.

III) A criança e o adolescente têm direito à proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas sociais
públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência.

IV) Os estabelecimentos de atendimento à saúde deverão proporcionar condições para a permanência em tempo
integral de um dos pais ou responsável, nos casos de internação de criança ou adolescente; e, nos casos de
suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente, serão obrigatoriamente comunicados ao
Conselho Tutelar da respectiva localidade, sem prejuízo de outras providências legais.

V) O poder público, as instituições e os empregadores propiciarão condições adequadas ao aleitamento materno,


inclusive aos filhos de mães submetidas à medida privativa de liberdade.

Está(ão) CORRETA(S):

a) Apenas as afirmativas I e II.

b) Apenas as afirmativas I e III.

c) Apenas as afirmativas III e V.

d) Apenas a afirmativa IV.

e) Todas as afirmativas.
19- Sobre a política de atendimento prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente, avalie as proposições
que seguem:

I) São linhas de ação da política de atendimento, entre outras, as seguintes: políticas sociais básicas; políticas e
programas de assistência social, em caráter supletivo, para aqueles que deles necessitem; serviços especiais de
prevenção e atendimento médico e psicossocial às vítimas de negligência, maus- tratos, exploração, abuso,
crueldade e opressão; serviço de identificação e localização de pais, responsável, crianças e adolescentes
desaparecidos.

II) São diretrizes da política de atendimento, entre outras descritas na lei, as seguintes: municipalização do
atendimento; criação de conselhos municipais, estaduais e nacional dos direitos da criança e do adolescente,
órgãos deliberativos e controladores das ações em todos os níveis, assegurada a participação popular paritária por
meio de organizações representativas, segundo leis federal, estaduais e municipais; criação e manutenção de
programas específicos, observada a descentralização político-administrativo; manutenção de fundos nacional,
estaduais e municipais vinculados aos respectivos conselhos dos direitos da criança e do adolescente.

III) A função de membro do conselho nacional e dos conselhos estaduais e municipais dos direitos da criança e do
adolescente é considerada de interesse público relevante e será remunerada.

IV) As entidades de atendimento são responsáveis pela manutenção das próprias unidades, assim como pelo
planejamento e execução de programas de proteção e socioeducativos destinados a crianças e adolescentes, em
regime de orientação e apoio sociofamiliar; apoio socio- educativo em meio aberto; colocação familiar; acolhimento
institucional; assistida; semiliberdade; internação.
V) As entidades que desenvolvam programas de acolhimento familiar ou institucional deverão adotar, entre outros,
os seguintes princípios: preservação dos vínculos familiares e promoção da reintegração familiar; integração em
família substituta, quando esgotados os recursos de manutenção na família natural ou extensa; atendimento
personalizado e em pequenos grupos; desenvolvimento de atividades em regime de coeducação; e não
desmembramento de grupos de irmãos.

Estão CORRETAS:

a) Todas as proposições.

b) Apenas as proposições I, III, IV e V.

c) Apenas as proposições II, III e IV.

d) Apenas as proposições III, IV e V.

e) Apenas as proposições I, II, IV e V.


20- Sobre a adoção prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente, analise as assertivas abaixo:

I) A adoção é medida excepcional e irrevogável, à qual se deve recorrer apenas quando esgotados os recursos de
manutenção da criança ou adolescente na família natural ou extensa, sendo vedada a adoção por procuração.

II) O adotando deve contar com, no máximo, doze anos à data do pedido, salvo se já estiver sob a guarda ou
tutela dos adotantes e a adoção atribui a condição de filho ao adotado, com os mesmos direitos e deveres,
inclusive sucessórios, desligando-o de qualquer vínculo com pais e parentes, salvo os impedimentos matrimoniais.

III) A adoção será precedida de estágio de convivência com a criança ou adolescente, pelo prazo que a autoridade
judiciária fixar, observadas as peculiaridades do caso. Esse estágio poderá ser dispensado se o adotando já estiver
sob a tutela ou guarda legal do adotante durante tempo suficiente para que seja possível avaliar a conveniência da
constituição do vínculo.

IV) O adotado tem direito de conhecer sua origem biológica, bem como de obter acesso irrestrito ao processo no
qual a medida foi aplicada e seus eventuais incidentes, após completar 18 (dezoito) anos, e o acesso ao processo
de adoção poderá ser também deferido ao adotado menor de 18 (dezoito) anos, a seu pedido, assegurada
orientação e assistência jurídica e psicológica.

V) O estágio de convivência será acompanhado pela equipe interprofissional a serviço da Justiça da Infância e da
Juventude, preferencialmente com apoio dos técnicos responsáveis pela execução da política de garantia do direito
à convivência familiar, que apresentarão relatório minucioso acerca da conveniência do deferimento da medida.

Estão CORRETAS:

a) Apenas as assertivas I, II, III e IV.

b) Apenas as assertivas I, III, IV e V.

c) Apenas as assertivas I, II e V.

d) Apenas as assertivas II, III e V.

e) Todas as assertivas.
21- Sobre a adoção internacional prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente, analise as afirmativas
abaixo:

I) A pessoa ou casal estrangeiro, interessado em adotar criança ou adolescente brasileiro, deverá formular pedido
de habilitação à adoção perante a Autoridade Central em matéria de adoção internacional no país de acolhida,
assim entendido aquele onde está situada sua residência habitual.
II) Se a Autoridade Central do país de acolhida considerar que os solicitantes estão habilitados e aptos para adotar,
emitirá um relatório que contenha informações sobre a identidade, a capacidade jurídica e adequação dos
solicitantes
para adotar, sua situação pessoal, familiar e médica, seu meio social, os motivos que os animam e sua aptidão
para assumir uma adoção internacional.

III) A Autoridade Central Estadual poderá fazer exigências e solicitar complementação sobre o estudo psicossocial
do postulante estrangeiro à adoção, já realizado no país de acolhida.

IV) Verificada, após estudo realizado pela Autoridade Central Estadual, a compatibilidade da legislação estrangeira
com a nacional, além do preenchimento por parte dos postulantes à medida dos requisitos objetivos e subjetivos
necessários ao seu deferimento, tanto à luz do que dispõe esta Lei como da legislação do país de acolhida, será
expedido laudo de habilitação à adoção internacional, que terá validade por, no máximo, 2 (dois) anos.

V) Incumbe à Autoridade Central Federal Brasileira o credenciamento de organismos nacionais e estrangeiros


encarregados de intermediar pedidos de habilitação à adoção internacional, com posterior comunicação às
Autoridades Centrais Estaduais e publicação nos órgãos oficiais de imprensa e em sítio próprio da internet.

Estão CORRETAS:

a) Somente as afirmativas I e II.

b) Somente as afirmativas I e IV.

c) Somente as afirmativas I, II e III.

d) Somente as afirmativas I, II, III e V.

e) Somente as afirmativas II, IV e V.


22- Sobre as medidas de proteção à criança e ao adolescente, previstas no Estatuto da criança e do
Adolescente, avalie as proposições que seguem:

I) As medidas de proteção à criança e ao adolescente são aplicáveis sempre que os direitos reconhecidos no
Estatuto da Criança e do Adolescente forem ameaçados ou violados por ação ou omissão da sociedade ou do
Estado, seja por falta, omissão ou abuso dos pais ou responsável; ou ainda em razão de sua conduta.

II) Na aplicação das medidas levar-se-ão em conta as necessidades pedagógicas, preferindo-se aquelas que visem
ao fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, sendo que um dos princípios que regem a aplicação das
medidas é a proteção integral e prioritária, ou seja, a interpretação e aplicação de toda e qualquer norma contida
no Estatuto da Criança e do Adolescente deve ser voltada à proteção integral e prioritária dos direitos de que
crianças e adolescentes são titulares.

III) O acolhimento institucional e o acolhimento familiar são medidas preferenciais, utilizáveis como forma de
transição para reintegração familiar ou, não sendo esta possível, para colocação em família substituta, não
implicando privação de liberdade.

IV) Sem prejuízo da tomada de medidas emergenciais para proteção de vítimas de violência ou abuso sexual e das
providências a que alude o art. 130 do Estatuto da Criança e do Adolescente, o afastamento da criança ou
adolescente do convívio familiar é de competência exclusiva da autoridade judiciária e
importará na deflagração, a pedido do Ministério Público ou de quem tenha legítimo interesse, de procedimento
judicial contencioso, no qual se garanta aos pais ou ao responsável legal o exercício do contraditório e da ampla
defesa.

V) Imediatamente após o acolhimento da criança ou do adolescente, a entidade responsável pelo programa de


acolhimento institucional ou familiar elaborará um plano individual de atendimento, visando à reintegração familiar,
ressalvada a existência de ordem escrita e fundamentada em contrário de autoridade judiciária competente, caso
em que também deverá contemplar sua colocação em família substituta, observadas as regras e princípios do
Estatuto da Criança e do Adolescente.
Está(ao) CORRETA(S):

a)
Apenas as proposições I, II, IV e V.

b)
Apenas as proposições I e V.

c)
Apenas as proposições I, II, III e V.

d)
Apenas as proposições II, III e IV.

e)
Todas as proposições.

23- _Sobre as assertivas a seguir, avalie se são falsas (F) ou verdadeiras (V) e assinale a opção CORRETA:

( ) É considerada medida socioeducativa prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente a matrícula e frequência


obrigatória em estabelecimento oficial de ensino.

( ) Uma das medidas de proteção passíveis de aplicação pelo Conselho Tutelar à criança ou ao adolescente vítima
de maus-tratos é a colocação em família substituta.

( ) O acolhimento institucional ou o familiar são medidas de proteção provisórias e excepcionais utilizáveis como
forma de transição à reintegração familiar ou colocação em família substituta, não implicando em privação de
liberdade.

( ) A inserção em regime de Semiliberdade é medida protetiva aplicável a crianças e adolescentes em situação de


risco pessoal e social.

a) F, F, V, V

b) V, F, V, F

c) F, F, V, F

d) F, F, F, F
24- Dadas as assertivas abaixo, escolha a alternativa CORRETA:

I. Ao representante do Ministério Público é defesa a concessão da remissão ao adolescente em conflito com a lei.

II. O prazo máximo e improrrogável para a conclusão do procedimento para apuração de ato infracional, estando o
adolescente internado provisoriamente será de 45 (quarenta e cinco) dias.

III. A medida socioeducativa de internação não comporta prazo determinado, devendo sua manutenção ser
reavaliada em decisão fundamentada no máximo a cada 6 (seis) meses.

IV. A internação do adolescente, decretada ou mantida pela autoridade judiciária poderá ser cumprida em
estabelecimento prisional desde que este tenha instalações adequadas à faixa etária.

a) Apenas a assertiva II está correta.

b) Apenas as assertivas I e II estão corretas.

c) Apenas as assertivas II e III estão corretas.


d) Todas as alternativas estão corretas.

25- Assinale a alternativa CORRETA:

a) É atribuição do Conselho Tutelar requerer serviços públicos nas áreas de saúde, educação, serviço social,
previdência, trabalho e segurança.

b) A divulgação de nome de adolescente a quem se atribui a prática de ato infracional é considerado crime
previsto no ECA.

c) É considerada infração administrativa prevista no ECA o descumprimento injustificado de prazo fixado em


lei em benefício do adolescente privado de liberdade.

d) É considerada atribuição do Conselho Tutelar representar ao Ministério Público para efeito das ações de
perda ou suspensão do poder familiar, após esgotadas as possibilidades de manutenção da criança ou adolescente
junto à família natural.

26- Avalie se as frases a seguir são falsas (F) ou verdadeiras (V) e assinale a opção CORRETA:

( ) Incumbe ao poder público proporcionar assistência psicológica à gestante em fase pré-natal como forma de
prevenir ou minorar as consequências do estado puerperal.

( ) Toda criança ou adolescente que estiver inserido em programa de acolhimento institucional ou familiar terá
anualmente sua situação reavaliada, não podendo permanecer no programa, salvo por comprovada necessidade,
por mais de 2 (dois) anos.

( ) É considerada família extensa aquela que se estende para além da unidade de pais e filhos ou da unidade do
casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de
afinidade ou afetividade.

( ) Em se tratando de adolescente, o seu consentimento colhido em audiência é necessário para a realização de


sua adoção.

a) V, V, V, V

b) V, F, V, V

c) F, V, V, V

d) V, V, F, F

GABARITO: 1A; 2A; 3D; 4A; 5D; 6A; 7C; 8B; 9C; 10C; 11B; 12B; 13D; 14B; 15A; 16D; 17C; 18E; 19E;
20B; 21D; 22A; 23C; 24C; 25D; 26B