Vous êtes sur la page 1sur 10

See discussions, stats, and author profiles for this publication at: https://www.researchgate.

net/publication/308698097

SATÉLITES SPOT: ASPESCTOS TEÓRICOS, TÉCNICAS E APLICAÇÕES

Conference Paper · April 2015

CITATIONS READS

0 2,684

5 authors, including:

Iago Porto Almeida Borges Maria Lígia Chuerubim


Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
4 PUBLICATIONS   0 CITATIONS    80 PUBLICATIONS   15 CITATIONS   

SEE PROFILE SEE PROFILE

Some of the authors of this publication are also working on these related projects:

Accident database analysis View project

The importance of using 3D visualization programs in Civil Engineering View project

All content following this page was uploaded by Maria Lígia Chuerubim on 28 September 2016.

The user has requested enhancement of the downloaded file.


SATÉLITES SPOT: ASPESCTOS TEÓRICOS, TÉCNICAS E APLICAÇÕES

Iago Porto Almeida Borges¹


Paulo Vinícius Silveira Santos²
Pedro Henrique Esvizero Domingues³
Pedro Paulo Cunha da Camara Ramos4
Maria Lígia Chuerubim5

Universidade Federal de Uberlândia – UFU1,2,3,4


Av. João Naves de Ávila, 2121 – Santa Mônica, Uberlândia – MG,
CEP –38408-180
iago.porto@yahoo.com.br¹;paulo1702@hotmail.com²;
pedrohenriquedomingues@hotmail.com³;pedropaulocunha@hotmail.com4;
marialigia@feciv.ufu.br5

RESUMO
Este trabalho retrata de uma forma geral a história, a aplicação, as características e as
especificações da série de satélites franceses de alta resolução SPOT (Satellite Pour
l'Observation de la Terre), controlada pela empresa Spot Image, localizada em Toulouse
na França, cujo projeto foi iniciado em 1970 pela agência espacial francesa Centre
National d'Études Spatiales (CNES) e que atualmente é constituído por quatro satélites.
Apresenta como foco fundamental aprimorar o conhecimento e gerenciamento da Terra,
por meio da análise dos recursos ambientais e climáticos do planeta. O sistema SPOT
incluiu uma série de recursos que possibilitando o controle terrestre dos satélites em
órbita, a produção e a comercialização, distribuição e comercialização das imagens
adquiridas pelos modernos sensores acoplados a bordo dos satélites da série como o
HRV (High Resolution Visible). A primeira geração composta pelos satélites SPOT 1,
SPOT 2 e SPOT 3 já obteve mais de dez milhões de imagens da Terra. A segunda
geração, lançada em 1998, composta pelo satélite SPOT 4 proporcionou melhorias no
sistema sensor com o HRVIR (High Resolution Visible InfraRed) e ou aumento da
resolução espacial na região do infravermelho. A terceira geração, lançada em 2002, e
constituída pelo satélite SPOT 5, trouxe a bordo dois sensores HRG (High Resolution
Geometric) de alta resolução geométrica. Uma mudança significativa observada na
época foi o lançamento do instrumento de visada off-nadir, que operava no modo
pancromático, tornando possível a obtenção de imagens estereoscópicas. Atualmente,
encontram-se em órbita 7 satélites da série SPOT, o SPOT 6 e 7, pertencentes a última
geração, com resoluções de 1,5 metros no modo pancromático e de 6 metros no
multiespectral, enquanto que os satélites da primeira geração encontram-se praticamente
inoperantes.

Palavras – chaves: SPOT; Sensoriamento Remoto; Satélite.


ABSTRACT

This work depicts a general history, application, features and specifications of the series
of French satellite high resolution SPOT (Satellite Pour l'Observation de la Terre),
controlled by the company Spot Image, located in Toulouse in France, whose project
was initiated in 1970 by the French space agency Centre National d'Etudes Spatiales
(CNES), which is currently composed of four satellites. One of its fundamental focus
enhance the knowledge and land management, through the analysis of environmental
and climatic resources of the planet. The SPOT system includes a number of features
that enables the ground control of satellites in orbit, production and marketing,
distribution and marketing of the images acquired by modern sensors fitted on board the
series satellites as HRV (High Resolution Visible). The first generation consists of the
SPOT 1 satellite, SPOT 2 and SPOT 3 has obtained more than ten million images of
Earth. The second generation, launched in 1998, consists of the SPOT 4 satellite has
provided improvements in sensor system with HRVIR (High Resolution Visible
InfraRed) and or increased spatial resolution in the infrared region. The third generation,
launched in 2002, and composed of the SPOT 5 satellite, brought on board two sensors
HRG (High Resolution Geometric) high-resolution geometric. A significant change
observed at the time was the launch of the instrument aimed at off-nadir, which was
operating in panchromatic mode, making it possible to obtain stereoscopic images.
Currently, there are seven orbiting satellites SPOT series SPOT 6 and 7, belonging to
the last generation, with resolutions of 1.5 meters in the panchromatic and multi-
spectral 6 meters in, whereas the satellites of the first generation are found practically
dead.

Key - Words: SPOT, Remote Sensing, Satellites.

1 INTRODUÇÃO

Sensoriamento Remoto (SR) é um conjunto de tecnologias de obtenção de


imagens e dados da superfície terrestre através da captação e registro da energia
refletida/emitida pela superfície sem que haja contato físico entre o sensor e a superfície
de interesse – por isso recebe o nome de remoto (INFORGEO, 2014).
O SR teve início com a invenção da câmara fotográfica que foi o primeiro
instrumento utilizado e que, até os dias atuais, são ainda utilizadas para tomada de fotos
aéreasAs aplicações militares quase sempre estiveram à frente no uso de novas
tecnologias, e no SR não foi diferente. Relata-se que uma das primeiras aplicações foi
para uso militar, nos quais câmeras eram acopladas a aves (INFORGEO, 2014).
Posteriormente, com os avanços dos interesses sobre a superfície terrestre e sua
ocupação e também com a evolução da tecnológica, as aves foram substituídas por
aeronaves e satélites e as câmeras por modernos sensores. A grande revolução do SR,
porém, aconteceu no início da década de 1970, com o desenvolvimento e lançamento
dos satélites de recursos naturais terrestres, dentre os quais se enquadra a série SPOT
(Satellite Pourl'Observation de la Terre) (EMBRAPA, 2014).
Atualmente, a resolução espectral das imagens obtidas pelos sensores já
ultrapassa centenas de bandas, e a resolução espacial de muitas imagens varia da ordem
de 1 metro a poucos centímetros, possibilitando suas aplicações nas áreas de
levantamentos de recursos naturais e mapeamentos temáticos, monitoração ambiental,
detecção de desastres naturais, desmatamentos florestais, previsões de safras,
cadastramentos multifinalitários, cartografia de precisão, defesa e vigilância, entre
outras (EOEDU, 2014)).
O acelerado e moderno avanço tecnológicodoSRnas últimas décadas,deve-se à
revolução nos meios de se observar a Terra numa escala global e periódica, e na rapidez
de monitoramento dos fenômenos dinâmicos e das mudanças das feições terrestres. É
uma tecnologia empregada em escala mundial e que, talvez, reúne a maior diversidade
de pesquisadores e usuários, em torno de uma tecnologia de aplicação. Os satélites
SPOT,sobre os quais discorrerá este artigo,tratam-se de uma grande evolução na
tecnologia de controle e monitoramento.

2 SATÉLITES SPOT

2.1 Contextualização histórica


As últimas décadas do século XX foram marcadas pelo intenso desenvolvimento
e estudo a acerca dos satélites artificiais de monitoramento da superfície do planeta
Terra, assim como pelo lançamento e início de operação de muitos desses. Os Estados
investiram fortemente no desenvolvimento e na fabricação de satélites e novas
tecnologias de SR, que se apresentavam como uma necessidade frente ao contexto
histórico, político e científico da época.
Segundo Embrapa (2014), a série de satélites SPOT, que opera atualmente com
quatro satélites, teve seu desenvolvimento iniciado no fim da década de 1970,
financiado pelo governo francês através do Centre National d´EtudesSpatiales (CNES),
com apoio de Suécia e Bélgica.
O lançamento dos três primeiros satélites da série, os quais detém composição
idêntica de sensores, realizaram-se nos anos de 1986, 1990 1993. O quarto satélite, foi
lançado em 1998, e marca o acréscimo de um sensor e a modificação do sensor utilizado
nos satélites lançados anteriormente. O quinto satélite da série, lançado em 2005, conta
com o acréscimo deum novo sensor e é composto ainda por um sensoridêntico ao de seu
satélite antecessor e, outro originado da evolução deum sensor da geração anterior
(EMBRAPA, 2014).
Em 2012, tem-se, portanto, o início do desenvolvimento da mais recente
geraçãode satélites da série, que engloba os satélites SPOT-6 e SPOT-7, os quais
contém sensores ópticos de resolução espacial. Após o último lançamento, os satélites
da sériepassaram operar com os quatro satélites mais recentes e mais bem equipados –
SPOT-4, SPOT-5, SPOT-6 e SPOT-7 – satélites estes que operam em
conjunto(EMBRAPA, 2014).
A implantação e utilização da série SPOT, assim como os resultados e imagens
fornecidos por seus modernos sensores tratam-se de grandes avanços na área deSR. Os
produtos gerados pelo conjunto SPOT são fontes fundamentais de informação para
inúmeras e diversas aplicações e também servem de aparato para o estudo da superfície
terrestre (INFORGEO, 2014).

2.2 Sensores
A série SPOT divide-se em quatro gerações de satélites. Delas, a primeira
geração, embora se apresente como a mais simples no que se diz respeito a tecnologia e
composição de sensores, representa o início de grandes avanços e inovações
tecnológicas no SR
A primeira geração de satélites SPOT (Satellite Pourl'Observation de la Terre),
apresenta em sua composição sensores HRV(High ResolutionVisible), os quais são
capazes de oferecer solução espacial de 10 m, em modo pancromático, e de 20 m em
modo multiespectral (EMBRAPA, 2014).
Os sensores HRV estiveram presentes nos três primeiros satélites – SPOT-1, SPOT-2 e
SPOT-3 – e tratam-se de sensores ópticos que captamimagens no modo pancromático e
multiespectral, nas faixas do visível, infravermelho próximo e infravermelho médio
(EOEDU, 2014). Os sensores HRV ainda hoje são utilizados devido à possibilidade de
realizarem visadas em planos oblíquos verticais em ângulos de até 27º (EMBRAOA,
2014).
As características técnicas do sensor HRV são apresentadas na A Tabela 1
(EMBRAPA, 2014).

Tabela 1 – Principais características dos sensores HRV.

Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução


Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica

PAN 0,50 - 0,73µm 10 m 60 x 60 km 6 bits (SPOT-1)


XS1 0,50 - 0,59µm
HRV 26 dias
XS2 0,61 - 0,68µm 20 m 100 km 8 bits
XS3 0,78 - 0,89µm
Fonte: EMBRAPA (2014).

Os sensores que compõem a segunda geração de satélitesda série, representada


pelo satélite SPOT 4, são HRVIR (High ResolutionVisibleInfraRed), derivado de
modificações feitas no sensor HRV, e VEGETATION. Dentre essas modificações que
originaram o sensor HRVIR, destacam-se o acréscimo de uma banda de infravermelho
médio com resolução espacial de 20 m (EOEDU, 2014b). Os sensores VEGETATION,
por sua vez, têm resolução espacial de 1 km e temporal, de 24 horas.
O acréscimo de uma nova banda espectral na criação do HRVIR tem por
justificativa a viabilização de aplicações específicas, tais como mapeamentos geológicos
e monitoramento de vegetação. A Tabela 2 destaca as principais características do
sensor HRVIR enquanto a Tabela 3, as características do VEGETATION:

Tabela 2 -Principais características dos sensores HRVIR.


Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução
Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica
M 0,61 - 0,68µm 10 m 60 x 60 km
B1 0,50 - 0,59µm
HRVIR B2 0,61 - 0,68µm 26 dias 8 bits
20 m 100 km
B3 0,78 - 0,89µm
B4 1,58 - 1,75µm
Fonte: EMBRAPA, 2014.
Tabela 3 – Principais características dos sensores VEGETATION e VEGETATION-2.
Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução
Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica
0,43 -
B0
0,47µm
VEGETATION 0,61 -
B2
e 0,68µm
1 Km 24 horas 2.250 km 8 bits
VEGETATION- 0,78 -
2 B3
0,89µm
1,58 -
MIR
1,75µm
Fonte: EMBRAPA, 2014.

Os sensores HRG(High ResolutionGeometric), VEGETATION-2 e HRS (High


ResolutionStereoscopic) estiveram presentes na terceira geração da série, sendo o
primeiro e o últimooriginadoda evolução dos sensores HRVIR e VEGETATION,
respectivamente. Esses novos sensores trazem como grande novidade a reativação do
modo pancromático – HRG – banda que detém intervalo espectral semelhante ao
utilizado nos sensores HRV (EOEDU, 2014b).
Somado a reativação da banda pancromática, tem-se com inovação a resolução
espectral de 10 m, no modo multiespectral, exceto para a banda do infravermelhomédio,
que ainda conta com resolução de 20 m. Dois sensores HRG foram lançados a bordo do
SPOT 5, o que possibilitou uma melhora naresolução espacial de 2,5 m, por meio da
combinação das duas câmeras, no modo pancromático, e de interpolação (EMBRAPA,
2014).
A utilização dos sensores HRG possibilitou mapeamentos detalhados de
determinadas superfícies, como o mapeamento de áreas de grande cobertura vegetal. A
combinação de câmeras que possibilitaram uma resolução espacial de 2,5 m trata-se de
uma das grandes inovações no sensoriamento remoto. A Tabela 4 apresenta as
principais características desses sensores. (BERNINIe SILVA FILHO, 2013)

Tabela 4 – Principais características dos sensores HRG.


Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução
Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica
PA E 0.48 - 5 m ou
SUPERMODE 0.71µm 2,5 m
0,50 -
B1
0,59µm
0,61 - 60 x 60
HRG B2 10 m 26 dias 8 bits
0,68µm km
0,78 -
B3
0,89µm
1,58 -
SWR 20 m
1,75µm
Fonte: EMBRAPA (2014).
O sensor VEGETATION-2 possui as mesmas características essenciais de seu
antecessor VEGETATION – como pode ser observado no Tabela 3 – e foi projetado
para dar continuidade ao trabalho de aquisição de dados e monitoramento deste. Ambos
são capazes de fornecer imagens primárias (obtidas em pequenos intervalos de tempo),
bem como imagens sintéticas (obtidas em intervalos grandes de tempo, como dez dias).
Eles detêm resolução espacial de 1 km e uma área imageada de 2.250 km, o que os
possibilita cobrir quase toda a área seca da Terra em um dia(EOEDU, 2014b).
O sensor HRS (High ResolutionStereoscopic), também lançado a bordo do
satélite SPOT-5, tem capacidade de obter um par de imagens estéreo em um pequeno
intervalo de tempo (cerca de 90 segundos) o que é considerado um ganho de qualidade
para a geração de Modelo Digital de Elevação (MDE), viabilizando a produção de
imagens ortorretificadas, que são imagens que tiveram suas deformações devido à
plataforma do sensor, ao ângulo de aquisição, ao relevo, à curvatura e rotação da Terra
já corrigidas (GLOBALGEO, 2014).
Os sensores HRS possuem uma resolução espacial de 5 m ou 10 m e trabalham
com ângulos oblíquos verticais entre -20º e 20º, além de uma área imageada de 120 x
600 km. As principais características no sensores HRS estão apresentadas na Tabela 4.

Tabela 5 - Principais caraterísticas do sensor HRS


Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução
Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica
0.48 - 0.70
HRS PAN 10 m ou 5 m 26 dias 120 x 600 km 8 bits
µm
Fonte: EMBRAPA, 2014.

Por fim, a quarta e mais recente geração da série, queengloba o SPOT-6 e o


SPOT-7, apresenta sensores ópticos de resolução espacial bastante precisa –1,5 m. A
combinação dos satélites e sensores em operação permite a captação deimagens das
regiões de interesse em intervalos de 1 a 3 dias (AIRBUS, 2014a).
Os satélites SPOT 6 e SPOT 7, os mais modernos da série, são compostos por
uma evolução de todos os sensores citados, a qual origina os sensores P (Panchromatic)
e MS(Multispectral). Essa geração éresponsável por inúmeras ferramentas e produtos
fornecidos pela série SPOT. Fatores como a programação instantânea via Geostore,
atualização diária do plano de tarefas, mudança de alvo em tempo recorde e área
imageada de cerca de 6 milhões de quilômetros quadrados por dia possibilitam diversas
e eficazes aplicações para o conjunto. Os satélites SPOT 6 e SPOT 7 representam a
modernidade referente a sensoriamento remoto (AIRBUS, 2014a).
A Tabela 6 apresenta as características dos sensores P e MS.
Tabela 6 – Principais características dos sensores P e MS
Bandas Resolução Resolução Resolução Área Resolução
Sensor
Espectrais Espectral Espacial Temporal Imageada Radiométrica
450 - 745
P PAN 1,5 m
nm
450 - 520
Blue
nm
530 - 590
Green 1 a 5 dias 60 km s.d.
nm
MS 6m
625 - 695
Red
nm
Near- 760 - 890
infrared nm
s.d. = sem dados/informações
Fonte: EMBRAPA (2014).

3 APLICAÇÕES DA SÉRIE DE SATÉLITES SPOT

Dentre as inúmeras aplicações nas quais são utilizados os satélites da série SPOT
uma das mais evidentes é o mapeamento de regiões com intensa cobertura vegetal. O
emprego da série de satélites nesse tipo de sensoriamento se deve às consequentes
inovações apresentadas pelos sensores, prioritariamente dos satélites SPOT 5 e SPOT 6,
quepossibilitaram um grande nível de detalhamento na obtenção de imagens.
Assim como no mapeamento, o conjunto de satélites é largamente utilizado no
monitoramento e acompanhamento de fenômenos naturais, de áreas de preservação
ambiental – nessas são utilizados também em sua definição e demarcação – e do uso
agrícola. O conjunto é amplamente relacionado a sensoriamento de cobertura vegetal e,
para tal, conta com sensores específicos VEGETATION E VEGETATION-2
(EMBRAPA, 2014).
A atualização de cartas e mapas também é umas das aplicações dos satélites
SPOT, por meio da aplicação de dados derivados de seus modernos sensores Há,
também, a possibilidade de se aplicar produtos oriundos da série SPOT em atividades
energético-mineradoras, em estimativas de fitomassa e no monitoramento de
sedimentos em suspensão nos rios e estuários (EMBRAPA, 2014).
As aplicações dos satélites da série SPOT são variadas e abrangentes, fato
explicado pelas diversas tecnologias presentes em cada de seus sensores a bordo dos
satélites da série, atualmente em órbita, e elevada resolução dos mesmos, os quais detém
a capacidade de gerar produtos apenas uma hora após a recepção dos dados pela base
receptora (AIRBUS, 2014)
Em situações de emergência, como em queimadas e acidentes naturais, a
agilidade de resposta da série permite que equipes cheguem ao local monitorado com
rapidez e tempo hábil de ação, e, portanto, são os mais eficientes no monitoramento e
acompanhamento de regiões de risco ambiental.
Por fim, outra aplicação dos satélites SPOT é o acompanhamento e definição da
expansão urbana, fato que se tornou realidade, principalmente, com os lançamentos dos
últimos satélites da série, os quais são de grande eficiência na geração de mapas em
escalas de grande detalhamento (AIRBUS, 2014).
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

O presente artigo alcançou seu objetivo expondo detalhes e características da


série de satélites SPOT e seus sensores, bem como suas aplicações nos mais diversos
ramos da sociedade, tais como: preservação e monitoramento do meio ambiente,
atualização de mapas e cartas, monitoramento de fenômenos naturais e expansão
urbana. Percebe-se, portanto, a grande importância desse satélite e de seus dados,
imagens e produtos para a observação do planeta Terra.
Os sensores ópticos da quarta geração dos satélites SPOT, os mais modernos,
possuem resoluções altamente precisas chegando a 1,5 metros, fato esse que, aliado a
combinação de diferentes sensores, bandas e resoluções, possibilita captação de imagens
e dados com grande precisão e rapidez. As características de cada um dos satélites da
série e de seus respectivos sensores salientam a qualidade do Sensoriamento Remoto
feito por esse conjunto de satélites e reforçam a sua grande importância na observação
do planeta.
A série de satélites SPOT representa, pois, a própria evolução do sensoriamento
remoto, uma vez que vem sendo aperfeiçoada, estudada e desenvolvida desde meados
da década de 1970. O conjunto evoluiu e consigo trouxe também a evolução e
aperfeiçoamento do sensoriamento remoto.

REFERÊNCIAS

AIRBUS, DEFENSE AND SPACE. SPOT 6and SPOT 7SatelliteImagery. Disponível


em: <http://www.geo-airbusds.com/en/147-spot-6-7-satellite-imagery>. Acesso em: 10
dez. 2014a.

AIRBUS, DEFENSE AND SPACE. Technicalinformationabout SPOT satellites. In:


Technical SOPT Image. 09/2010. Disponível em: <http://www.geo-
airbusds.com/en/191-spot-technical-information>. Acesso em: 12 dez. 2014b.

BERNINI, Henrique; SILVA FILHO, E.P. Uso do Sensor HRG - SPOT 5 e técnicas de
processamento de imagens para caracterizar e avaliar a mudança da cobertura vegetal no
estado de Rondônia. 2013. Anais... Foz do Iguaçu: XVI Simpósio Brasileiro de
Sensoriamento Remoto – SBSR, 2013. Disponível em:
<http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/files/p1079.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2014.

EOEDU, OBSERVING OUR PLANET. SPOT (SatellitePourl’Observation de la Terre).


Disponível em: <http://eoedu.belspo.be/en/satellites/index.htm>. Acesso em: 10 dez.
2014.
EMBRAPA MONITORAMENTO POR SATÉLITE.Satélites de Monitoramento.
Campinas: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2013.
Disponível em: <http://www.sat.cnpm.embrapa.br>. Acesso em: 21 jan. 2015

GLOBALGEO. Processamento de imagens. Disponível em:


<http://www.globalgeo.com.br/servicos/processamento-de-imagens/>. Acesso em: 11
dez. 2014.

INFORGEO, SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA LTDA. Evolução e


característica das imagens. Disponível em: <http://www.inforgeo.pt/spot1.html>.
Acesso em: 9 dez. 2014.

View publication stats

Centres d'intérêt liés